PROGRAMA DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE PARANAENSE

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROGRAMA DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE PARANAENSE"

Transcrição

1 PROGRAMA DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE PARANAENSE UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE TOLEDO CICLO AVALIATIVO 2013/2015 FEVEREIRO 2013 UNIPAR

2 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA Presidente: Prof. Roberto Ferreira Niero Representante Corpo Docente: Prof. Jefferson Jovelino Amaral dos Santos Representante Corpo Discente: Acad.ª Adriana dos Santos da Silva Pereira Representante dos Funcionários Técnicos Administrativos: Sr.ª Roseli Terezinha Scherette Dal Piva Representante Sociedade Civil Organizada. Sr. Calixipo de Paula Filho COMITÊ DE PERMANENTE DE APOIO À AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE PARANAENSE CPAIUP Presidente: Vice Reitora Executiva: Prof.ª Neiva Pavan Machado Garcia Vice Presidente/Coordenadora Geral da CPAIUP /Titular da SEAVIC Prof.ª Sônia Regina da Costa Oliveira 2

3 SUMÁRIO INTRODUÇÃO METODOLOGIA DE AVALIAÇÃO Metodologia de Aplicação da Avaliação DESENVOLVIMENTO Finalização do Processo CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO DO ANO DE Avaliação pela Comunidade Acadêmica (on line) autoavaliação Docente e autoavaliação dos Cursos de Graduação pelos Docentes Avaliação pela Comunidade Acadêmica (on line) Autoavaliação Docente e autoavaliação de Cursos de Graduação pelo Discente Autoavaliação Institucional pela Comunidade Acadêmica (on line) - Discentes CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO DO ANO DE Avaliação pela Comunidade Acadêmica (on line) Autoavaliação Docente e Avaliação dos Cursos de Graduação pelo Docente Avaliação pela Comunidade Acadêmica (on line) Autoavaliação Docente e avaliação de Cursos de Graduação pelo Discente Autoavaliação Institucional pela Comunidade Acadêmica (on line) Docentes/Técnicos Administrativos CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO DO ANO DE Avaliação pela Comunidade Acadêmica (on line) Autoavaliação Docente e Avaliação dos Cursos de Graduação pelo Docente Avaliação pela Comunidade Acadêmica (on line) Autoavaliação Docente e avaliação de Cursos de Graduação pelo Discente Autoavaliação Institucional pela Sociedade (pesquisa de campo): Pessoa Física Pessoa Jurídica Egresso METODOLOGIA PARA DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS Quanto à avaliação do desempenho docente Quanto à avaliação dos Cursos de Graduação Quanto à avaliação Institucional REVISÃO DO PROJETO E META-AVALIAÇÃO DO PROCESSO ANEXOS 3

4 INTRODUÇÃO A Universidade Paranaense UNIPAR está iniciando o seu 4º ciclo avaliativo correspondente ao período 2013/2015. Este projeto tem o objetivo de estabelecer o processo de desenvolvimento da autoavaliação institucional, da Unidade de Toledo para o triênio correspondente. O Programa de Autoavaliação Institucional da Universidade Paranaense - PAIUP engloba três processos de avaliação, a autoavaliação do corpo docente que se refere à avaliação do desempenho dos docentes da UNIPAR que é realizado pelo corpo docente e pelo corpo discente. O processo de autoavaliação dos s de graduação também realizado pelo corpo docente e pelo corpo discente. E a autoavaliação institucional, realizada pela comunidade interna segmento corpo docente, corpo discente e corpo técnico administrativo pela comunidade externa, pessoa física, pessoa jurídica e egressos. 4

5 1. METODOLOGIA DE AVALIAÇÃO A autoavaliação da Universidade Paranaense UNIPAR, a ser realizada no período de 2013 a 2015, será conduzida pela CPA Comissão Própria de Avaliação, assessorada pelo CPAIUP Comitê Permanente de assessoramento daaavaliação Institucional da Universidade Paranaense, conforme legislação emanada das autoridades competentes. instâncias: A autoavaliação da Universidade Paranaense UNIPAR, será realizada em duas 1º) Comunidade acadêmica ou comunidade interna, composta dos seguintes segmentos: corpo docente, corpo discente e funcionários técnicos administrativos. 2º) Comunidade externa composta dos seguintes segmentos: pessoa física, pessoa jurídica e egressos. A avaliação da Unidade de Toledo pela comunidade acadêmica será precedida de um período de amplos esclarecimentos, também entendido como período de sensibilização, que deverá servir de orientação e estímulo à participação de cada aluno, professor ou funcionário na realização deste processo. Para essa sensibilização será disponibilizado, na época oportuna, no portal eletrônico da UNIPAR, um link de chamada contendo as informações gerais, as referências legais, as orientações institucionais e o cronograma da etapa da autoavaliação institucional correspondente. Similarmente aos procedimentos preliminares aqui previstos para a avaliação da Universidade pela sua comunidade acadêmica, haverá um período de sensibilização da sociedade, objetivando a eficácia da sua participação nesse processo avaliativo. 5

6 A avaliação da Unidade de Toledo pela sociedade em que se insere será realizada na forma de pesquisa de campo, na cidade sede de cada Unidade da UNIPAR, com a utilização de pesquisadores selecionados e capacitados pela CPA Metodologia de Aplicação da Avaliação I - Avaliação do Desempenho Docente A avaliação do desempenho docente será realizada eletronicamente pela Internet da seguinte forma: a) o professor fará a sua autoavaliação atribuindo conceito de 1 a 5 para cada uma das variáveis que compõe o questionário de autoavaliação docente; e b) os discentes farão a avaliação dos docentes, utilizando do mesmo questionário respondido pelo docente, atribuindo conceito de 1 a 5 para cada uma das variáveis que compõem o de avaliação do desempenho docente. II - Avaliação dos Cursos de Graduação Será realizada eletronicamente, segundo os mesmos critérios estabelecidos pelo INEP para a avaliação institucional externa dos s de graduação: a) Os s de graduação serão avaliados pelos professores, em eletrônico. b) E pelos discentes também em específico realizado eletronicamente. Em cada uma das instâncias serão abordados os aspectos indicados nas dimensões estabelecidas pelo INEP para a avaliação das condições de ensino dos s oferecidos, sendo objeto desta avaliação: - o projeto pedagógico (enfocando o ensino, a pesquisa, a extensão, a pósgraduação e sua inter-relação com a sociedade); 6

7 - a infraestrutura (instalações e serviços), os res humanos (o corpo docente, o corpo discente e o corpo técnico-administrativo) e os equipamentos e materiais disponíveis (enfocando os aspectos quantitativos e qualitativos); e - a gestão administrativa (coordenação do ). a: III Avaliação Institucional, que avalia toda a instituição será realizada junto a) Comunidade acadêmica composta pelos docentes, discentes e funcionários administrativos. Será realizada eletronicamente via Internet; e b) Comunidade externa composta pelas pessoas físicas, pessoas jurídicas, e egressos. Será disponibilizado um distinto para cada tipo de entrevistado. Serão realizadas seguindo os critérios estabelecidos pelo INEP para a avaliação institucional externa, considerando as 10 (dez) dimensões constantes no instrumento de avaliação externa institucional. Sendo que cada dimensão será avaliada pelo público específico a que se destina. As informações serão processadas através de sistema eletrônico e, depois de encerrada a avaliação referente a cada unidade, um específico será elaborado, contendo a análise qualitativa e quantitativa das informações obtidas. 2. DESENVOLVIMENTO Todas as fases da autoavaliação serão realizadas na Unidade de Toledo conforme escala estabelecida pela CPA da Unidade. O trabalho de acompanhamento do processo de autoavaliação será efetuado pela Comissão Própria de Avaliação (CPA). Ao final do processo resultará um específico, contendo a análise qualitativa e quantitativa dos resultados observados em cada uma das etapas realizadas. 7

8 2.1 Finalização do Processo Finalizado o processo de avaliação do ciclo 2013/2015 da Unidade de Toledo será realizado um de autoavaliação das instâncias já mencionadas, que junto com os s das demais unidades acadêmicas referentes a cada uma das sete Unidades da Universidade, comporá o Relatório Global da Autoavaliação Institucional (REGAI) , a ser encaminhado à Reitoria. O REGAI, após apreciado pela Reitoria e homologado pelo CONSUNI, será encaminhado ao INEP, para as providências ministeriais, dentro do prazo estabelecido pela CONAES. 3. CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO DO ANO DE A autoavaliação institucional da UNIPAR Unidade de Toledo ciclo avaliativo 2013/2015 será realizada no ano de 2013 conforme o cronograma a seguir apresentado. 3.1 Avaliação pela Comunidade Acadêmica (on line) Autoavaliação Docente e Autoavaliação dos Cursos de Graduação pelos Docentes Serão avaliados os docentes vinculados aos s que participaram do ENADE Sensibilização CPA 02/05/ /05/2013 CPAIUP 13/05/ /05/2013 CPA 20/05/ /06/2013 8

9 CPA/CPAIUP 04/06/ /06/2013 CPA 02/10/ Avaliação dos s de graduação pelo docente os s a serem avaliados em 2013, serão aqueles elencados pelo INEP, para participação no ENADE Sensibilização CPA 02/05/ /05/2013 CPAIUP 13/05/ /05/2013 CPA 20/05/ /06/2013 CPA/CPAIUP 04/06/ /06/2013 CPA 02/10/ Avaliação pela Comunidade Acadêmica (on line) Autoavaliação Docente e Autoavaliação de Cursos de Graduação pelo Discente. 9

10 Os docentes que serão avaliados pelos discentes no ano de 2013, são aqueles vinculados aos s que participaram do ENADE Sensibilização CPA 06/05/ /05/2013 CPAIUP 20/05/ /06/2013 CPA 10/06/ /06/2013 CPA/CPAIUP 25/06/ /07/2013 CPA 02/10/ Os s de graduação a serem avaliados pelos discentes em 2013, serão aqueles elencados pelo INEP, para participação no ENADE Sensibilização CPA 06/05/ /05/2013 CPAIUP 20/05/ /06/2013 CPA 10/06/ /06/

11 CPA/CPAIUP 25/06/ /07/2013 CPA 02/10/ Autoavaliação Institucional pela Comunidade Acadêmica (on line) - Discentes Participarão desta avaliação todos os discentes matriculados na Unidade de Toledo. Sensibilização CPA 06/05/ /05/2013 Apresentação ao CONSUNI Depósito do parcial junto ao E- MEC CPAIUP 20/05/ /06/2013 CPA 10/06/ /06/2013 CPA/CPAIUP 25/06/ /07/2013 Presidente da CPA Última reunião do ano Procuradora Institucional 31/03/

12 4 CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO DO ANO DE A autoavaliação institucional da UNIPAR Unidade de Toledo ciclo avaliativo 2013/2015 será realizada no ano de 2014 conforme o cronograma a seguir apresentado. 4.1 Avaliação pela Comunidade Acadêmica (on line) Autoavaliação Docente e Avaliação dos Cursos de Graduação pelo Docente Serão avaliados os docentes vinculados aos s que participaram do ENADE Sensibilização CPA 02/05/ /05/2014 CPAIUP 13/05/ /05/2014 CPA 20/05/ /06/2014 CPA/CPAIUP 04/06/ /06/2014 CPA 02/10/ Avaliação dos s de graduação pelo docente os s a serem avaliados em 2014, serão aqueles elencados pelo INEP, para participação no ENADE

13 Sensibilização CPA 02/05/ /05/2014 CPAIUP 13/05/ /05/2014 CPA 20/05/ /06/2014 CPA/CPAIUP 04/06/ /06/2014 CPA 02/10/ Avaliação pela Comunidade Acadêmica (on line) Autoavaliação Docente e Avaliação de Cursos de Graduação pelo Discente Os docentes que serão avaliados pelos discentes no ano de 2014, são aqueles vinculados aos s que participaram do ENADE Sensibilização CPA 06/05/ /05/2014 CPAIUP 20/05/ /06/2014 CPA 10/06/ /06/

14 CPA/CPAIUP 25/06/ /07/2014 CPA 02/10/ Os s de graduação a serem avaliados pelos discentes em 2014, serão aqueles elencados pelo INEP, para participação no ENADE Sensibilização CPA 06/05/ /05/2014 CPAIUP 20/05/ /06/2014 CPA 10/06/ /06/2014 CPA/CPAIUP 25/06/ /07/2014 CPA 02/10/ Autoavaliação Institucional pela Comunidade Acadêmica (on line) Docentes/Técnicos Administrativos Participarão desta avaliação todos os docentes e funcionários técnicos administrativo da Unidade de Toledo. 14

15 Sensibilização CPA 06/05/ /05/2014 Apresentação ao CONSUNI Depósito do parcial junto ao E- MEC CPAIUP 20/05/ /06/2014 CPA 10/06/ /06/2014 CPA/CPAIUP 25/06/ /07/2014 Presidente da CPA 02/10/2014 Procuradora Institucional 31/03/ CRONOGRAMA DE EXECUÇÃO DO ANO DE 2015 A autoavaliação institucional da UNIPAR Unidade de Toledo ciclo avaliativo 2013/2015 será realizada no ano de 2015 conforme o cronograma a seguir apresentado. 5.1 Avaliação pela Comunidade Acadêmica (on line) Autoavaliação Docente e Avaliação dos Cursos de Graduação pelo Docente Serão avaliados os docentes vinculados aos s que participaram do ENADE

16 Sensibilização CPA 04/05/ /05/2015 CPAIUP 13/05/ /05/2015 CPA 20/05/ /06/2015 CPA/CPAIUP 05/06/ /06/2015 CPA 02/10/ Avaliação dos s de graduação pelo docente os s a serem avaliados em 2015, serão aqueles elencados pelo INEP, para participação no ENADE Sensibilização CPA 04/05/ /05/2015 CPAIUP 13/05/ /05/2015 CPA 20/05/ /06/2015 CPA/CPAIUP 05/06/ /06/2015 CPA 02/10/

17 5.2. Avaliação pela Comunidade Acadêmica (on line) Autoavaliação Docente e Avaliação de Cursos de Graduação pelo Discente Os docentes que serão avaliados pelos discentes no ano de 2015, são aqueles vinculados aos s que participaram do ENADE Sensibilização CPA 06/05/ /05/2015 CPAIUP 20/05/ /06/2015 CPA 09/06/ /06/2015 CPA/CPAIUP 25/06/ /07/2015 CPA 02/10/ Os s de graduação a serem avaliados pelos discentes em 2015, serão aqueles elencados pelo INEP, para participação no ENADE

18 Sensibilização CPA 06/05/ /05/2015 CPAIUP 20/05/ /06/2015 CPA 09/06/ /06/2015 CPA/CPAIUP 25/06/ /07/2015 CPA 02/10/ Autoavaliação Institucional pela Sociedade (pesquisa de campo): Pessoa Física Pessoa Jurídica Egresso. Sensibilização CPA 06/05/ /05/2015 CPAIUP 20/05/ /06/2015 CPA 09/06/ /06/2015 CPA/CPAIUP 25/06/ /07/2015 Apresentação ao CONSUNI Presidente da CPA Última reunião do ano Depósito do Procuradora 31/03/

19 parcial junto ao E- MEC Institucional 6 METODOLOGIA PARA DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS 6.1 Quanto à avaliação do desempenho docente. a) A avaliação do desempenho docente será enviada ao coordenador do com a média geral de cada professor do seu ; e docente. b) E exclusivamente ao professor será enviado o seu boletim de desempenho 6.2 Quanto à avaliação dos s de graduação. a) Os resultados da avaliação dos s de graduação serão divulgados e discutidos com os acadêmicos, nos fóruns pedagógicos de cada. 6.3 Quanto à Avaliação Institucional. a) O Relatório Global de Avaliação Institucional, REGAI, será publicado na internet na página da Avaliação Institucional, ficando disponível para consulta pública. 7 REVISÃO DO PROJETO E META-AVALIAÇÃO DO PROCESSO Durante a sua execução o presente projeto poderá ser revisto e alterado pela CPA, em qualquer das suas partes. 19

20 Ao elaborar o referente a cada instância deste processo de autoavaliação, a CPA avaliará as metodologias, os procedimentos e os instrumentos utilizados e consignará suas sugestões para a próxima edição da autoavaliação institucional da UNIPAR. O conjunto dessas sugestões deverá constar do de conclusão dos trabalhos referentes a este Projeto, esse que deverá ser elaborado e aprovado pela CPA e enviado à Reitoria juntamente com o Relatório Global da Autoavaliação Institucional , como subsídio à definição do projeto similar subsequente. COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE TOLEDO 20

Relatório Parcial de Autoavaliação Institucional. Ciclo Avaliativo 2013 2015

Relatório Parcial de Autoavaliação Institucional. Ciclo Avaliativo 2013 2015 Relatório Parcial de Autoavaliação Institucional Ciclo Avaliativo 2013 2015 Cascavel 2014 CPA Comissão Própria de Avaliação Presidente Prof. Gelson Luiz Uecker Representante Corpo Docente Profa. Anália

Leia mais

Qual a melhor técnica para auto-avaliação?

Qual a melhor técnica para auto-avaliação? técnicas Qual a melhor técnica para auto-avaliação? : Integração das ferramentas de auto-avaliação 1. Por meio de questionários aplicados às partes interessadas (docentes, discentes, funcionários e sociedade)

Leia mais

3.1. Sensibilização CPA para novos coordenadores de ensino contratados

3.1. Sensibilização CPA para novos coordenadores de ensino contratados PLANO DE TRABALHO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA GESTÃO 2012 1 SUMÁRIO 1. MEMBROS COMPONENTES DA CPA GESTÃO 2012... 03 2. INTRODUÇÃO... 03 3. PLANO DE TRABALHO GESTÃO 2012... 03 3.1. Sensibilização

Leia mais

Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Faculdade de Direito Promove Comissão Própria de Avaliação PROJETO DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Abril de 2012 Página 1 de 11 Sumário Introdução 3 Justificativa 5 Objetivos 6 Metodologia 7 Dimensões de

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PERMANENTE DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIPAR - CPAIUP -

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PERMANENTE DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIPAR - CPAIUP - REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PERMANENTE DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIPAR - CPAIUP - REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PERMANENTE DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIPAR - CPAIUP - CAPÍTULO I DA FINALIDADE

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIRON - CPA

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIRON - CPA REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIRON - CPA Av. Mamoré, nº 1520, Bairro Três Marias CEP: 78919-541 Tel: (69) 3733-5000 Porto Velho - RO 1 CAPÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

Leia mais

HISTÓRICO DAS AVALIAÇÕES INSTITUCIONAIS E DOS PROCESSOS DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ATENAS

HISTÓRICO DAS AVALIAÇÕES INSTITUCIONAIS E DOS PROCESSOS DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ATENAS HISTÓRICO DAS AVALIAÇÕES INSTITUCIONAIS E DOS PROCESSOS DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ATENAS O processo de avaliação institucional foi desenvolvido pela comunidade acadêmica da Faculdade Atenas, com o intuito

Leia mais

Planejamento CPA Metropolitana 2013

Planejamento CPA Metropolitana 2013 Planejamento CPA Metropolitana 2013 1 Planejamento CPA Metropolitana Ano 2013 Denominada Comissão Própria de Avaliação, a CPA foi criada pela Legislação de Ensino Superior do MEC pela Lei 10.861 de 10

Leia mais

UNIVERSIDADE PARANAENSE - UNIPAR

UNIVERSIDADE PARANAENSE - UNIPAR UNIVERSIDADE PARANAENSE - UNIPAR RELATÓRIO GLOBAL DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Ciclo Avaliativo 2010 2012 UNIDADE UM UNIVERSITÁRIA DE FRANCISCO BELTRÃO Comissão Permanente de Avaliação Institucional

Leia mais

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 14 da Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004, resolve:

O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso da atribuição que lhe confere o artigo 14 da Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004, resolve: >PORTARIA Nº 2.051, DE 9 DE JULHO DE 2004 Regulamenta os procedimentos de avaliação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), instituído na Lei no 10.861, de 14 de abril de 2004.

Leia mais

FACULDADE IBMEC-MG COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA REGIMENTO INTERNO

FACULDADE IBMEC-MG COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA REGIMENTO INTERNO FACULDADE IBMEC-MG COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO - CPA REGIMENTO INTERNO CAPÍTULO I - DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º. A Comissão Própria de Avaliação da Faculdade Ibmec-MG é o órgão responsável pela

Leia mais

PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006.

PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006. PORTARIA Nº 300, DE 30 DE JANEIRO DE 2006. Aprova, em extrato, o Instrumento de Avaliação Externa de Instituições de Educação Superior do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES O MINISTRO

Leia mais

Reitor Prof. Dr. Reinaldo Centoducatte. Vice-Reitora Profª. Drª. Ethel Leonor Noia Maciel

Reitor Prof. Dr. Reinaldo Centoducatte. Vice-Reitora Profª. Drª. Ethel Leonor Noia Maciel Reitor Prof. Dr. Reinaldo Centoducatte Vice-Reitora Profª. Drª. Ethel Leonor Noia Maciel PROGRAMA DE AUTOAVALIAÇÃO DE CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO Pró-Reitoria de Graduação

Leia mais

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE FRUTAL FAF TÍTULO I DO REGULAMENTO E DO ÓRGÃO

REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE FRUTAL FAF TÍTULO I DO REGULAMENTO E DO ÓRGÃO REGULAMENTO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE FRUTAL FAF TÍTULO I DO REGULAMENTO E DO ÓRGÃO Art. 1º Este Regulamento Interno disciplina as normas relativas ao funcionamento da Comissão Própria

Leia mais

1. PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FAEC

1. PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FAEC 1. PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FAEC 1.1 Definição de Iniciação Científica A iniciação cientifica é uma atividade acadêmica que permite introduzir os discentes de graduação na pesquisa cientifica.

Leia mais

Resolução Consun nº 15/2010 de 25/06/2010. Diretrizes do Comitê de Apoio à Autoavaliação Institucional

Resolução Consun nº 15/2010 de 25/06/2010. Diretrizes do Comitê de Apoio à Autoavaliação Institucional Resolução Consun nº 15/2010 de 25/06/2010 Diretrizes do Comitê de Apoio à Autoavaliação Institucional 25 de Junho de 2010 Diretriz do Comitê de Apoio Técnico a Autoavaliação Institucional O Comitê de

Leia mais

Regulamento da CPA Comissão Própria de Avaliação DA FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE VISCONDE DO RIO BRANCO CAPÍTULO I

Regulamento da CPA Comissão Própria de Avaliação DA FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE VISCONDE DO RIO BRANCO CAPÍTULO I Regulamento da CPA Comissão Própria de Avaliação DA FACULDADE PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS DE VISCONDE DO RIO BRANCO CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares Art. 1 - O presente Regulamento disciplina a organização,

Leia mais

PROJETO DA CPA 1 DADOS DA INSTITUIÇÃO. Nome: Faculdade São Salvador Código: 2581 Caracterização: Instituição privada com fins lucrativos

PROJETO DA CPA 1 DADOS DA INSTITUIÇÃO. Nome: Faculdade São Salvador Código: 2581 Caracterização: Instituição privada com fins lucrativos PROJETO DA CPA Em atendimento ao que dispõe a Lei 10.861, de 14 de abril de 2004 que institui a obrigatoriedade da Avaliação Institucional e por entender a importância do SINAES para o desenvolvimento

Leia mais

A Função da Comissão Própria de Avaliação (CPA) em uma Instituição de Ensino Superior. Prof. Marcílio A. F. Feitosa

A Função da Comissão Própria de Avaliação (CPA) em uma Instituição de Ensino Superior. Prof. Marcílio A. F. Feitosa A Função da Comissão Própria de Avaliação (CPA) em uma Instituição de Ensino Superior Prof. Marcílio A. F. Feitosa Avaliação das Instituições de Educação Superior A Avaliação Institucional é um dos componentes

Leia mais

RESOLUÇÃO CSA N.º 05, DE 14 DE ABRIL DE 2015

RESOLUÇÃO CSA N.º 05, DE 14 DE ABRIL DE 2015 RESOLUÇÃO CSA N.º 05, DE 14 DE ABRIL DE 2015 Altera o Regimento Interno da Comissão Própria de Avaliação (CPA) das Faculdades Ponta Grossa. A Presidente do Conselho Superior de Administração das Faculdades

Leia mais

PLANO DE TRABALHO CPA GESTÃO 2009

PLANO DE TRABALHO CPA GESTÃO 2009 Faculdades Integradas Einstein de Limeira PLANO DE TABALHO CPA GESTÃO 2009 Comissão Própria de Avaliação CPA Faculdades Integradas Einstein de Limeira FIEL Associação Limeirense de Educação e Cultura -

Leia mais

Apresentação. Caicó/RN 2010

Apresentação. Caicó/RN 2010 Regimento Interno da Comissão Própria de Avaliação da Faculdade Católica Santa Teresinha CPA/FCST (Aprovado pela Resolução 001/2010-DG/FCST, datado de 14/07/2010) Caicó/RN 2010 Apresentação O Regimento

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA REGULAMENTO

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA REGULAMENTO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL - CPA REGULAMENTO A Comissão Própria de Avaliação da FACISA CPA/FACISA, constituída pela Diretoria-Geral de acordo com o estabelecido pela Lei n 10.861 de 14

Leia mais

AVALIAÇÃO TRIMESTRAL DE METAS PDI- 2011/2015

AVALIAÇÃO TRIMESTRAL DE METAS PDI- 2011/2015 AVALIAÇÃO TRIMESTRAL DE METAS PDI- 2011/2015 METAS AÇÕES PRAZOS Expansão do número de vagas do curso de Engenharia de Produção. SITUAÇÃO MARÇO DE 2015 AVALIAÇÃO PROCEDIDA EM 12.03.2015 CPA E DIRETORIA

Leia mais

ÚNICA EDUCACIONAL LTDA FACULDADE ÚNICA DE IPATINGA PROJETO DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL

ÚNICA EDUCACIONAL LTDA FACULDADE ÚNICA DE IPATINGA PROJETO DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL ÚNICA EDUCACIONAL LTDA FACULDADE ÚNICA DE IPATINGA PROJETO DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL Março de 2015 SISTEMA DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL A avaliação é entendida pela Faculdade Única de Ipatinga como um processo

Leia mais

Programa de Acompanhamento de Egressos

Programa de Acompanhamento de Egressos FACULDADE FACULDADE DE TALENTOS DE HUMANOS TALENTOS HUMANOS - FACTHUS - FACTHUS Programa de Acompanhamento de Egressos UBERABA-MG 2010 I - OBJETIVO GERAL Desenvolver uma política de acompanhamento dos

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 6/2014 TÍTULO I: DOS OBJETIVOS

RESOLUÇÃO Nº 6/2014 TÍTULO I: DOS OBJETIVOS RESOLUÇÃO Nº 6/2014 O Diretor da Faculdade de Direito no uso de suas atribuições, altera a resolução 13/2005 que passará a ter a seguinte redação: TÍTULO I: DOS OBJETIVOS Art. 1º. A avaliação institucional

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADO: CENECT Centro Integrado de Educação, Ciência e UF: PR Tecnologia S/C Ltda. ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade

Leia mais

CAMPANHA NACIONAL DE ESCOLAS DA COMUNIDADE CNEC FACULDADE CENECISTA DE RIO BONITO FACERB PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO AOS EGRESSOS

CAMPANHA NACIONAL DE ESCOLAS DA COMUNIDADE CNEC FACULDADE CENECISTA DE RIO BONITO FACERB PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO AOS EGRESSOS FFACERB - FFACULLDADE CENECISTTA DE RIO BONITTO ENTIDADE MANTENEDORA: CAMPANHA NACIONAL DE ESCOLAS DA COMUNIDADE Credenciada pela Portaria 57/09 MEC Publicada no D.O.U. em 14/01/2009 Av. Sete de Maio,

Leia mais

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL

DIMENSÃO 1 A MISSÃO E O PLANO DE DESENVOLVIMENTO INSTITUCIONAL Faculdade Educacional da Lapa 1 FAEL RESULTADOS - AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012 O referido informativo apresenta uma súmula dos resultados da autoavaliação institucional, realizada no ano de 2012, seguindo

Leia mais

FACULDADE DE EDUCAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA DE IBAITI

FACULDADE DE EDUCAÇÃO, ADMINISTRAÇÃO E TECNOLOGIA DE IBAITI REGULAMENTO NO NÚCLEO DE PESQUISA E EXTENSÃO DA FEATI NUPEFE Faculdade de Educação, Administração e Tecnologia de Ibaiti FEATI SEÇÃO I Da Natureza e Missão Art. 1 O Núcleo de Pesquisa e Extensão da FEATI

Leia mais

PORTARIA CAPES Nº 193, DE 4 DE OUTUBRO DE 2011

PORTARIA CAPES Nº 193, DE 4 DE OUTUBRO DE 2011 PORTARIA CAPES Nº 193, DE 4 DE OUTUBRO DE 2011 Fixa normas e procedimentos para a apresentação e avaliação de propostas de cursos novos de mestrado e doutorado. O Presidente da Coordenação de Aperfeiçoamento

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ATENAS MARANHENSE DE IMPERATRIZ- FAMA CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ATENAS MARANHENSE DE IMPERATRIZ- FAMA CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ATENAS MARANHENSE DE IMPERATRIZ- FAMA CAPITULO I DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art 1º O presente Regimento disciplina a organização, o funcionamento

Leia mais

RESOLUÇÃO CSA N.º 03, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2015

RESOLUÇÃO CSA N.º 03, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2015 RESOLUÇÃO CSA N.º 03, DE 12 DE FEVEREIRO DE 2015 Aprova o regulamento do Núcleo de Direitos Humanos das Faculdades Ponta Grossa. A Presidente do Conselho Superior de Administração das Faculdades Ponta

Leia mais

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO

AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO AGUARDANDO HOMOLOGAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO INTERESSADA: Associação Brasileira de Educação Familiar e Social UF: BA ASSUNTO: Recredenciamento da Faculdade Social da Bahia

Leia mais

RESOLUÇÃO UNIV N o 40 DE 28 DE AGOSTO DE 2009. Aprova o Regulamento do Processo de Auto- Avaliação da Universidade Estadual de Ponta Grossa.

RESOLUÇÃO UNIV N o 40 DE 28 DE AGOSTO DE 2009. Aprova o Regulamento do Processo de Auto- Avaliação da Universidade Estadual de Ponta Grossa. RESOLUÇÃO UNIV N o 40 DE 28 DE AGOSTO DE 2009. Aprova o Regulamento do Processo de Auto- Avaliação da Universidade Estadual de Ponta Grossa. O CONSELHO UNIVERSITÁRIO, no uso de suas atribuições legais

Leia mais

MINUTA DE RESOLUÇÃO Nº 00, DE XX DE XXXXX DE 2015.

MINUTA DE RESOLUÇÃO Nº 00, DE XX DE XXXXX DE 2015. MINUTA DE RESOLUÇÃO Nº 00, DE XX DE XXXXX DE 2015. O CONSELHO DE ENSINO DE GRADUAÇÃO da Fundação Universidade Federal de Mato Grosso do Sul, no uso de suas atribuições legais, resolve: Art. 1 Aprovar as

Leia mais

Resolução Normativa PUC n o 015/10 ASSUNTO: COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA - REGULAMENTAÇÃO

Resolução Normativa PUC n o 015/10 ASSUNTO: COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA - REGULAMENTAÇÃO PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE CAMPINAS Resolução Normativa PUC n o 015/10 Campinas (SP), 07/5/10 DESTINATÁRIO: TODAS AS UNIDADES DA PUC-CAMPINAS ASSUNTO: COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA - REGULAMENTAÇÃO

Leia mais

POR DENTRO DO ENADE CURSO DE CAPACITAÇÃO 2014. Procuradoria Educacional Institucional Pró-Reitoria de Ensino IFG

POR DENTRO DO ENADE CURSO DE CAPACITAÇÃO 2014. Procuradoria Educacional Institucional Pró-Reitoria de Ensino IFG POR DENTRO DO ENADE CURSO DE CAPACITAÇÃO 2014 Procuradoria Educacional Institucional Pró-Reitoria de Ensino IFG Avaliação Institucional Processos de avaliação institucional Interna Relatórios da CPA Externa

Leia mais

FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA REGULAMENTO DE MONITORIA DO CURSO DE PEDAGOGIA

FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA REGULAMENTO DE MONITORIA DO CURSO DE PEDAGOGIA FACULDADE ADVENTISTA DA BAHIA REGULAMENTO DE MONITORIA DO CURSO DE PEDAGOGIA Cachoeira, março de 2011 REGULAMENTO DE MONITORIA ACADÊMICA DO CURSO DE PEDAGOGIA Capítulo I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Art. 1º

Leia mais

CAPES DAV REGULAMENTO DA AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE MESTRADO INTERINSTITUCIONAL MINTER

CAPES DAV REGULAMENTO DA AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE MESTRADO INTERINSTITUCIONAL MINTER (Anexo à Portaria nº 067, de 14 de setembro de 2005) CAPES DAV REGULAMENTO DA AVALIAÇÃO DE PROJETOS DE MESTRADO INTERINSTITUCIONAL MINTER 1. Caracterização do Projeto Minter 1.1. Caracteriza-se como Projeto

Leia mais

Plano de Ação da CPA

Plano de Ação da CPA Centro Universitário do Estado do Pará - CESUPA Plano de Ação da CPA Ano 2014 CPA/CESUPA 2014 C o m i s s ã o P r ó p r i a d e A v a l i a ç ã o C P A / C E S U P A APRESENTAÇÃO O plano de ações da CPA

Leia mais

R E S O L U Ç Ã O. Fica alterado o Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Psicologia, do. São Paulo, 26 de abril de 2012.

R E S O L U Ç Ã O. Fica alterado o Regulamento de Estágio Supervisionado do Curso de Psicologia, do. São Paulo, 26 de abril de 2012. RESOLUÇÃO CONSEACC/SP 04/2012 ALTERA O REGULAMENTO DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE PSICOLOGIA, DO CAMPUS SÃO PAULO DA UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO USF. A Presidente do Conselho Acadêmico de Campus

Leia mais

REGIMENTO DA GERÊNCIA DE PROJETOS E RESPONSABILIDADE SOCIAL

REGIMENTO DA GERÊNCIA DE PROJETOS E RESPONSABILIDADE SOCIAL APROVADO Alterações aprovadas na 21ª reunião do Conselho Superior realizada em 30/12/2009. REGIMENTO DA GERÊNCIA DE PROJETOS E RESPONSABILIDADE SOCIAL Art. 1º - O presente Regimento institucionaliza e

Leia mais

PROGRAMA DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE PARANAENSE

PROGRAMA DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE PARANAENSE PROGRAMA DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL DA UNIVERSIDADE PARANAENSE UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE UMUARAMA CICLO AVALIATIVO 2013/2015 FEVEREIRO 2013 UNIPAR Campus Sede: Praça Mascarenhas de Moraes, 4282 Caixa

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL JATAÍ ASSESSORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL JATAÍ ASSESSORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS REGIONAL JATAÍ ASSESSORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO Orientações para cadastro, aprovação e prorrogação de Projetos de Pesquisa Os tópicos abaixo

Leia mais

Novo Portal UNEB. orientações gerais para envio de conteúdo

Novo Portal UNEB. orientações gerais para envio de conteúdo Novo Portal UNEB orientações gerais para envio de conteúdo Sumário Apresentação... 3 Orientações gerais... 4 Anexo I Autorização para administração de conteúdo... 5 Anexo II Estrutura de web site de departamento...

Leia mais

ROTEIRO PARA MONTAGEM DE CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO

ROTEIRO PARA MONTAGEM DE CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS ASSESSORIA DE PÓS GRADUAÇÃO E PESQUISA ROTEIRO PARA MONTAGEM DE CURSO DE PÓS GRADUAÇÃO EM NÍVEL DE ESPECIALIZAÇÃO i:\latosens\rot_esp.doc Pelotas, março de 1996 PROCEDIMENTOS

Leia mais

METODOLOGIA PARA A ESTATUINTE UFRB DOS OBJETIVOS. Art. 2º - São objetivos específicos da ESTATUINTE: a) definir os princípios e finalidades da UFRB.

METODOLOGIA PARA A ESTATUINTE UFRB DOS OBJETIVOS. Art. 2º - São objetivos específicos da ESTATUINTE: a) definir os princípios e finalidades da UFRB. METODOLOGIA PARA A ESTATUINTE UFRB DOS OBJETIVOS Art. 1º - A ESTATUINTE consiste em processo consultivo e deliberativo que tem por objetivo geral elaborar o Estatuto da UFRB. Art. 2º - São objetivos específicos

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2014/01 a 2014/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Análise dos resultados

Leia mais

Informativo Comissão Própria de Avaliação URI Erechim

Informativo Comissão Própria de Avaliação URI Erechim Informativo Comissão Própria de Avaliação URI Erechim 7ª edição março 2015 Avaliação Institucional: um ato de consolidação para as universidades! Segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais

Leia mais

Planejamento e Execução de Treinamentos

Planejamento e Execução de Treinamentos Aprovado por Comitê da Qualidade Analisado criticamente por Chefe do Departamento 1 OBJETIVOS Esta instrução tem como objetivo orientar os colaboradores do Departamento de Inovação Tecnológica para planejar,

Leia mais

Boletim CPA/UFRPE Curso de Zootecnia Unidade Acadêmica de Garanhuns Edição n. 01 Ciclo Avaliativo: 2012-2014

Boletim CPA/UFRPE Curso de Zootecnia Unidade Acadêmica de Garanhuns Edição n. 01 Ciclo Avaliativo: 2012-2014 Edição n. 01 Ciclo Avaliativo: 2012-2014 Apresentando o Boletim CPA: É com enorme satisfação que a Comissão Própria de Avaliação (CPA/UFRPE), responsável por coordenar os processos internos de avaliação

Leia mais

Representante da Sociedade Civil Organizada Calixto Nunes da França. Representante Discente Artur da Costa Júnior

Representante da Sociedade Civil Organizada Calixto Nunes da França. Representante Discente Artur da Costa Júnior I DADOS DA INSTITUIÇÃO Nome: Faculdade de Medicina de Juazeiro do Norte Código da IES INEP: 1547 Caracterização da IES: Instituição Privada Sem Fins Lucrativos Estado: Ceará Cidade: Juazeiro do Norte Composição

Leia mais

PLANO DE AÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO

PLANO DE AÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO PLANO DE AÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO 2014 APRESENTAÇÃO O Plano de Ação ora apresentado planeja o processo da Autoavaliação Institucional, que vem se consolidando na Faculdade Norte Capixaba de São

Leia mais

INSTITUTO DE PÓS-GRADUAÇÃO & GRADUAÇÃO DIRETORIA DE GRADUAÇÃO E EXTENSÃO COORDENAÇÃO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PROJETO DE MONITORIA

INSTITUTO DE PÓS-GRADUAÇÃO & GRADUAÇÃO DIRETORIA DE GRADUAÇÃO E EXTENSÃO COORDENAÇÃO DO CURSO DE GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO PROJETO DE MONITORIA PROJETO DE MONITORIA Goiânia GO 2013 IP5p Instituto de Pós-Graduação e Graduação IPOG 2014 Projeto de monitoria /Instituto de Pós-Graduação e Graduação IPOG: Organizadora: Silvana de Brito Arrais Dias.

Leia mais

ANÁLISE DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2015

ANÁLISE DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2015 ANÁLISE DA AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2015 1 INTRODUÇÃO A Avaliação Institucional das Faculdades Integradas de Itararé (FAFIT), planejada, discutida e aplicada pela Comissão Própria de Avaliação (CPA) em

Leia mais

AUTO-AVALIAÇÃO: QUALIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS SUELEN APARECIDA TIZON MARTINS

AUTO-AVALIAÇÃO: QUALIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS SUELEN APARECIDA TIZON MARTINS AUTO-AVALIAÇÃO: QUALIDADE NA PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS EDUCACIONAIS SUELEN APARECIDA TIZON MARTINS Orientador: Prof. Expedito Michels FUCAP Faculdade, situada na Avenida Nações Unidas, nº 500, bairro Santo

Leia mais

PROGRAMA DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (PAAI):

PROGRAMA DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (PAAI): UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA PROGRAMA DE AUTOAVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (PAAI): uma reflexão sobre o 1 o Ciclo 2004 a 2009 Prof a. Silvia Modesto Nassar silvia@inf.ufsc.br Laboratório de Tecnologias

Leia mais

Coordenação de Pós-Graduação e Extensão. Legislação sobre cursos de Pós-graduação Lato Sensu e Credenciamento da FACEC

Coordenação de Pós-Graduação e Extensão. Legislação sobre cursos de Pós-graduação Lato Sensu e Credenciamento da FACEC Coordenação de Pós-Graduação e Extensão Legislação sobre cursos de Pós-graduação Lato Sensu e Credenciamento da FACEC Os cursos de especialização em nível de pós-graduação lato sensu presenciais (nos quais

Leia mais

Relatório de Avaliação Ensino Aprendizagem Curso Administração Ano de 2011/02 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA

Relatório de Avaliação Ensino Aprendizagem Curso Administração Ano de 2011/02 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA FACULDADE DE ENSINO SUPERIOR DA AMAZÔNIA REUNIDA FESAR Relatório de Avaliação Ensino Aprendizagem Curso Administração Ano de 2011/02 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO CPA Redenção PA 2011 1 SUMÁRIO I APRESENTAÇÃO

Leia mais

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014 A CPA (Comissão Própria De Avaliação) apresentou ao MEC, em março de 2015, o relatório da avaliação realizada no ano de 2014. A avaliação institucional, realizada anualmente, aborda as dimensões definidas

Leia mais

REGULAMENTO DO COLEGIADO DE CURSO CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADES

REGULAMENTO DO COLEGIADO DE CURSO CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADES REGULAMENTO DO COLEGIADO DE CURSO CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADES Art. 1º O Colegiado de Curso é órgão consultivo, normativo, de planejamento acadêmico e executivo, para os assuntos de política de

Leia mais

FACULDADE DE DIREITO MILTON CAMPOS CENTRO DE EXTENSÃO, PESQUISA E ATIVIDADES EXTRACLASSE NÚCLEO DE PESQUISA E PRODUÇÃO ACADÊMICA

FACULDADE DE DIREITO MILTON CAMPOS CENTRO DE EXTENSÃO, PESQUISA E ATIVIDADES EXTRACLASSE NÚCLEO DE PESQUISA E PRODUÇÃO ACADÊMICA FACULDADE DE DIREITO MILTON CAMPOS CENTRO DE EXTENSÃO, PESQUISA E ATIVIDADES EXTRACLASSE NÚCLEO DE PESQUISA E PRODUÇÃO ACADÊMICA Regulamento para Grupo de Estudo e Pesquisa (GEP) Art. 1º A criação e organização

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL

REGULAMENTO DO PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL REGULAMENTO DO PROGRAMA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL Fortaleza, 2012 INDICE CAPÍTULO I... 3 DO OBJETIVO GERAL... 3 CAPÍTULO II... 3 DOS OBJETIVOS ESPECÍFICOS... 3 CAPÍTULO III... 4 DA ORGANIZAÇÃO DO PROGRAMA

Leia mais

ANEXO I DA RESOLUÇÃO CONSU Nº. 1.091/2014

ANEXO I DA RESOLUÇÃO CONSU Nº. 1.091/2014 1 REGULAMENTO DO PROGRAMA INTERNO DE AUXÍLIO FINANCEIRO AOS PROGRAMAS DE PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU (AUXPPG) CAPÍTULO I Das Disposições Preliminares Art. 1º. O Programa Interno de Auxílio Financeiro aos

Leia mais

Sistema de Educación Superior en Brasil: Panorama, perspectivas y desafíos.

Sistema de Educación Superior en Brasil: Panorama, perspectivas y desafíos. Sistema de Educación Superior en Brasil: Panorama, perspectivas y desafíos. CLAUDIA MAFFINI GRIBOSKI Directora de Evaluación del INEP Instituto Nacional de Estudos e Pesquizas Educacionais Ainísio Teixeria

Leia mais

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM HISTÓRIA DA UEPG SINAES ENADE 2011

RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM HISTÓRIA DA UEPG SINAES ENADE 2011 RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO DO CURSO DE BACHARELADO EM HISTÓRIA DA UEPG SINAES ENADE 2011 Ponta Grossa 2013 REITORIA Reitor João Carlos Gomes Vice-Reitor Carlos Luciano Sant Ana Vargas PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTOAVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS 2014/01 a 2014/02 APRESENTAÇÃO O Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior

Leia mais

SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO PROCESSO ENSINO/APRENDIZAGEM. Coerência do sistema de avaliação

SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO PROCESSO ENSINO/APRENDIZAGEM. Coerência do sistema de avaliação SISTEMA DE AVALIAÇÃO DO PROCESSO ENSINO/APRENDIZAGEM Coerência do sistema de avaliação Os instrumentos de avaliação, como provas, trabalhos, resolução de problemas, de casos, além das manifestações espontâneas

Leia mais

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE ALTA FLORESTA - FAF

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE ALTA FLORESTA - FAF REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DO CURSO DE PEDAGOGIA DA FACULDADE DE ALTA FLORESTA - FAF Alta Floresta/2011 1 SUMÁRIO 1 DA CONCEPÇÃO DO TC... 3 2 DA COORDENAÇÃO... 4 3 DO PROJETO DO TCC...

Leia mais

Habilitação Pronatec Manual de Instruções para o Processo de Habilitação de Unidades de Ensino no Âmbito do Pronatec

Habilitação Pronatec Manual de Instruções para o Processo de Habilitação de Unidades de Ensino no Âmbito do Pronatec Manual de Instruções para o Processo de Habilitação de Unidades de Ensino no Âmbito do Pronatec 2014 Ministério da Educação Sumário 1. Introdução... 1 2. Requisitos para Habilitação Pronatec... 2 3. Registro

Leia mais

Após a confirmação de pagamento de sua inscrição para o congresso, você estará apto a entrar no sistema de submissão de trabalho.

Após a confirmação de pagamento de sua inscrição para o congresso, você estará apto a entrar no sistema de submissão de trabalho. Para submissão de trabalhos é necessário que você esteja inscrito no evento. Você deve realizar seu cadastro acessando a opção Cadastrar, quando disponível. É imprescindível que você guarde suas informações

Leia mais

MANUAL DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS SERVIDORES TÉCNICO- ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO UFES 2015 SUMÁRIO

MANUAL DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS SERVIDORES TÉCNICO- ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO UFES 2015 SUMÁRIO MANUAL DE AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO DOS SERVIDORES TÉCNICO- ADMINISTRATIVOS EM EDUCAÇÃO UFES 2015 SUMÁRIO 1. Apresentação O Programa de Avaliação de Desempenho constitui um processo pedagógico, coletivo

Leia mais

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA DECANATO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DPP DIRETORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO DIRP

UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA DECANATO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DPP DIRETORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO DIRP UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA DECANATO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO DPP DIRETORIA DE PÓS-GRADUAÇÃO DIRP ORIENTAÇÕES GERAIS PARA A CRIAÇÃO E IMPLEMENTAÇÃO DE CURSOS NOVOS (APCN) NA UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA PROFESSORA

Leia mais

Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre PLANO PLURIANUAL DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (2014-2017)

Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre PLANO PLURIANUAL DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (2014-2017) Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre PLANO PLURIANUAL DE AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (2014-2017) Setembro de 2014 1 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 3 2. JUSTIFICATIVA... 5 3. OBJETIVOS DA AVALIAÇÃO...

Leia mais

POLÍTICA INSTITUCIONAL DE FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DA UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA

POLÍTICA INSTITUCIONAL DE FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DA UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA POLÍTICA INSTITUCIONAL DE FORMAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PROFISSIONAL DA UNIVERSIDADE SEVERINO SOMBRA Capítulo I Do Regulamento Art. 1º. O presente Regulamento define e regula a Política de Formação e Desenvolvimento

Leia mais

EDITAL 009/2015 INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX-VITÓRIA

EDITAL 009/2015 INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX-VITÓRIA EDITAL 009/2015 INICIAÇÃO CIENTÍFICA E TECNOLÓGICA DA FACULDADE MULTIVIX-VITÓRIA Chamada para submissão de Projetos de Iniciação Científica e Tecnológica A Direção Geral da FACULDADE BRASILEIRA MULTIVIX-Vitória,

Leia mais

REGULAMENTO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACAR CURSO DE ENFERMAGEM (PIC)

REGULAMENTO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACAR CURSO DE ENFERMAGEM (PIC) REGULAMENTO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FACAR CURSO DE ENFERMAGEM (PIC) CAPÍTULO FINALIDADES E OBJETIVOS Art. 1º - As normas que seguem visam orientar os docentes e discentes do curso de Enfermagem

Leia mais

MANUAL DO ALUNO APRESENTAÇÃO

MANUAL DO ALUNO APRESENTAÇÃO MANUAL DO ALUNO APRESENTAÇÃO Prezado Aluno! A ESCOLA ABERTA DO TERCEIRO SETOR tem a satisfação de disponibilizar para todos aqueles que estão se matriculando num dos seus cursos de capacitação o MANUAL

Leia mais

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA

COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO DA FACULDADE ARAGUAIA RELATÓRIO FINAL DE AUTO-AVALIAÇÃO DO CURSO DE CIÊNCIAS CONTÁBEIS DA CPA DA FACULDADE ARAGUAIA 2014/01 a 2014/02 SUMÁRIO APRESENTAÇÃO... 3 1. Análise

Leia mais

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INFORMÁTICA

REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INFORMÁTICA REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INFORMÁTICA Aprovado pela Resolução CONSUNI nº 31/13, de 21/08/13. CAPÍTULO I DAS CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES Art. 1º Este regulamento dispõe especificamente do Núcleo de Informática

Leia mais

Processos da Assessoria de Comunicação - 2013

Processos da Assessoria de Comunicação - 2013 Introdução A Assessoria de Comunicação do Grupo Educacional Unis foi criada para atender demandas relativas à promoção das ações e realizações da organização através de propagandas e comunicação interna

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR EM MATO GROSSO DO SUL: A RELAÇÃO ENTRE O SISTEMA NACIONAL E O SISTEMA ESTADUAL

AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR EM MATO GROSSO DO SUL: A RELAÇÃO ENTRE O SISTEMA NACIONAL E O SISTEMA ESTADUAL AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR EM MATO GROSSO DO SUL: A RELAÇÃO ENTRE O SISTEMA NACIONAL E O SISTEMA ESTADUAL Resumo Marianne Pereira Souza - UFGD marianne-souza@hotmail.com Giselle Cristina Martins Real

Leia mais

Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES Principais aspectos

Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES Principais aspectos INSTITUTO NACIONAL DE ESTUDOS E PESQUISAS EDUCACIONAIS ANÍSIO TEIXEIRA DIRETORIA DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior SINAES Principais aspectos XIX SEMINÁRIO

Leia mais

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010

Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 Síntese do plano de atuação da CPA- ciclo avaliativo 2008/2010 O trabalho da CPA/PUCSP de avaliação institucional está regulamentado pela Lei federal nº 10.861/04 (que institui o SINAES), artigo 11 e pelo

Leia mais

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE SUSTENTABILIDADE E RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Banco Cooperativo Sicredi S.A. Versão: Julho/2015 Página 1 de 1 1 INTRODUÇÃO O Sicredi é um sistema de crédito cooperativo que valoriza a

Leia mais

3.2. Os projetos de pesquisa e de extensão deverão, necessariamente, referir-se ao Poder Legislativo e ser vinculados às seguintes linhas temáticas:

3.2. Os projetos de pesquisa e de extensão deverão, necessariamente, referir-se ao Poder Legislativo e ser vinculados às seguintes linhas temáticas: CÂMARA DOS DEPUTADOS DIRETORIA-GERAL DIRETORIA DE RECURSOS HUMANOS CENTRO DE FORMAÇÃO, TREINAMENTO E APERFEIÇOAMENTO FORMAÇÃO DOS GRUPOS DE PESQUISA E EXTENSÃO DO PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL Nº 14,

Leia mais

PROJETO DE RECOMPOSIÇÃO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AUTO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (CPA) FARO

PROJETO DE RECOMPOSIÇÃO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AUTO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (CPA) FARO PROJETO DE RECOMPOSIÇÃO DA COMISSÃO PRÓPRIA DE AUTO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL (CPA) FARO PORTO VELHO 2009 PROJETO DA RECOMPOSIÇÃO COMISSÃO PRÓPRIA DE AUTO AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL CPA INTRODUÇÃO A avaliação

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 07/2010, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2010

RESOLUÇÃO Nº 07/2010, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2010 RESOLUÇÃO Nº 07/2010, DE 26 DE FEVEREIRO DE 2010 Normatiza a oferta de cursos a distância, em nível de graduação, sequenciais, tecnólogos, pós-graduação e extensão universitária ofertados pela Universidade

Leia mais

Apresentação Figura 01:

Apresentação Figura 01: Apresentação O Sistema Online de Iniciação Científica da Universidade do Estado foi desenvolvido pela Pró- Reitoria de Pesquisa e Ensino de Pós-Graduação (PPG) com a finalidade de agilizar o processo de

Leia mais

PLANO DE AÇÃO DA AUTOAVALIAÇÃO 2012

PLANO DE AÇÃO DA AUTOAVALIAÇÃO 2012 PLANO DE AÇÃO DA AUTOAVALIAÇÃO 2012 Cacoal - 2012 1 APRESENTAÇÃO O presente documento de Orientações Gerais para os trabalhos da autoavaliação 2012 destina-se aos docentes, discente, gestão acadêmica e

Leia mais

PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA

PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA PROGRAMA DE ACOMPANHAMENTO DE EGRESSOS DO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA FARROUPILHA A concepção que fundamenta os processos educacionais das Instituições da Rede Federal de Educação

Leia mais

Edital PROGRAD nº 29, de 10 de julho de 2015. Chamada para o Programa de Iniciação à Docência (PID-2016)

Edital PROGRAD nº 29, de 10 de julho de 2015. Chamada para o Programa de Iniciação à Docência (PID-2016) Edital PROGRAD nº 29, de 10 de julho de 2015 Chamada para o Programa de Iniciação à Docência (PID-2016) Com base na Resolução 35/2011 do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão, que estabelece as Normas

Leia mais

Norma para Registro de Projetos de Pesquisa - UNIFEI-

Norma para Registro de Projetos de Pesquisa - UNIFEI- Norma para Registro de Projetos de Pesquisa - UNIFEI- Página 1 / 8 TÍTULO I Das definições Art. 1º - Projeto de Pesquisa constitui-se em um conjunto de ações que geram conhecimento científico e/ou tecnológico,

Leia mais

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL SECRETARIA-GERAL

MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL SECRETARIA-GERAL MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL SECRETARIA-GERAL INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 2, DE 11 DE MAIO DE 2015. Dispõe sobre fluxos, métodos e procedimentos de governança do Sistema Único. O SECRETÁRIO-GERAL DO MINISTÉRIO

Leia mais

Diretora do Departamento de Informação e Avaliação Institucional

Diretora do Departamento de Informação e Avaliação Institucional Gestor ANEXO IV MODELO DE POP PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO - POP MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO AMAPÁ PRÓ-REITORIA DE PLANEJAMENTO - PROPLAN DEPARTAMENTO DE INFORMAÇÃO E AVALIAÇÃO

Leia mais

Universidade Católica de Brasília UCB Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa PRPGP

Universidade Católica de Brasília UCB Pró-Reitoria de Pós-Graduação e Pesquisa PRPGP RESOLUÇÃO CONSEPE N.º 19/2004 DE 17/06/2004 Aprova as Normas Complementares de Pesquisa que regulam a apresentação, a aprovação e o acompanhamento dos Projetos de Pesquisa no âmbito da UCB, e determina

Leia mais

CONSELHO DE ENSINO PESQUISA E EXTENSÃO DA FASETE - CEPEX REGULAMENTO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FASETE PROICSETE

CONSELHO DE ENSINO PESQUISA E EXTENSÃO DA FASETE - CEPEX REGULAMENTO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FASETE PROICSETE CONSELHO DE ENSINO PESQUISA E EXTENSÃO DA FASETE - CEPEX REGULAMENTO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FASETE PROICSETE RESOLUÇÃO CONSUP Nº 010/2005 PAULO AFONSO-BA Setembro de 2015 1 APRESENTAÇÃO A

Leia mais

Procedimentos para Seleção de Consultores

Procedimentos para Seleção de Consultores Organização dos Estados Ibero-americanos Para a Educação, a Ciência e a Cultura Procedimentos para Seleção de Consultores As contratações de consultores poderão ocorrer no âmbito dos Acordos, Documentos

Leia mais