Instituto Politécnico de Beja Escola Superior de Tecnologia e Gestão. GesStock. Engenharia Informática. Base de Dados II

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Instituto Politécnico de Beja Escola Superior de Tecnologia e Gestão. GesStock. Engenharia Informática. Base de Dados II"

Transcrição

1 Instituto Politécnico de Beja Escola Superior de Tecnologia e Gestão GesStock Aplicação para Gestão de Stocks Engenharia Informática Base de Dados II Docente: Artur Lança Isabel Sofia Brito Nuno Gonçalo Varela n.º /2009

2 Índice Introdução 3 Enunciado do Problema 4 Organização e armazenamento de 5 Normalização 6 Modelo Conceptual de Dados 7 Modelo Físico de Dados 8 Código SQL para criação de base de SQL Server Código para a criação da base de 14 Código para a criação das tabelas da base de 15 Conclusão 19 2

3 Introdução No âmbito da disciplina de Base de Dados II foi solicitada a elaboração de uma base de, a partir de um enunciado elaborado pelos alunos e previamente aprovado pelo docente da disciplina. Para a elaboração da base de vamos utilizar como métodos de estudo o modelo relacional e o de normalização. O objectivo é construir uma base de utilizando o Microsoft SQL Server 2005, com a ferramenta SQL Sever Management Studio, a partir do desenho dos modelos conceptual e físico de MCD e MFD. 3

4 Enunciado do Problema Uma empresa de criação de software pretende desenvolver uma aplicação para Gestão de Stocks, o GesStock, que será comercializada pela mesma, que tenha várias funcionalidades, que possa gerar vários tipos de documentos e que sirva também de análise de stocks e de gestão. O software a ser criado terá as seguintes funcionalidades permitindo gerir: - tabelas de fornecedores e clientes com as respectivas contas correntes; - condições de pagamentos; - modos de pagamento; - produtos; - famílias de produtos; - armazéns. Este software permite gerar vários tipos de documentos: - facturas; - vendas a dinheiro; - notas de débito e de crédito; - guias de transporte; - orçamentos; - facturas pró-forma. Também será uma ferramenta de análise, em que a qualquer momento se pode saber: - a localização dos produtos em armazém; - descontos nas compras e vendas; - mapas de IVA de compras e vendas; - inventário e análise de stock. Assim sendo, pretende-se criar de uma base de, que permita gerir o stock dos produtos a comercializar, as compras aos diversos fornecedores e as respectivas vendas a clientes, e também elaborar alguns relatórios que possam ajudar na respectiva gestão de produto. 4

5 Organização e armazenamento de O RAID 5 é frequentemente usado e funciona à semelhança do RAID 4, mas supera alguns dos problemas mais comuns sofridos por esse tipo. As informações sobre paridade para os do array são distribuídas ao longo de todos os discos do array, ao invés de serem armazenadas num disco dedicado, oferecendo assim mais desempenho que o RAID 4, e, simultaneamente, tolerância a falhas. Para aumentar o desempenho de leitura de um array RAID 5, o tamanho de cada segmento em que os são divididos pode ser optimizado para o array que estiver a ser utilizado. O desempenho geral de um array RAID 5 é equivalente ao de um RAID 4, excepto no caso de leituras sequenciais, que reduzem a eficiência dos algoritmos de leitura por causa da distribuição das informações sobre paridade. A informação sobre paridade é distribuída por todos os discos; perdendo-se um, reduz-se a disponibilidade de ambos os e a paridade, até à recuperação do disco que falhou. Isto causa degradação do desempenho de leitura e de escrita. Não é recomendado para bases de, devido à penalidade de desempenho em escritas pela necessidade de gravar a paridade e ao risco de perda do conjunto quando um segundo disco falhar durante a recuperação de uma falha qualquer; vide RAID 1+0, ou 10, abaixo. 5

6 Normalização Após a normalização do diagrama Entidade Relação, anteriormente desenvolvido, foram definidas as tabelas necessárias à implementação da BD, pedida no enunciado. Este processo teve como base reconhecer e eliminar a redundância dos. Desta forma evitamos quaisquer problemas que possam advir quando se actualizam, eliminam ou inserem. Assim sendo, e com o objectivo de suportar os relevantes ao universo do nosso enunciado, vamos desenhar um esquema de BD que sustente esses de uma forma adequada. Depois de efectuada a normalização, até à 3.ª forma normal, desenhámos o modelo conceptual representado na figura 1. 6

7 Modelo Conceptual de Dados Pagamentos Recibos N_Factura Data Tipo_Pagamento Referencia Valor N_Factura Data Tipo_Pagamento Referencia Valor 1 n n Data N_Encomenda Cod_IVA V_IVA V_Total Descricao1 Descricao2 Gr_Produto Localizacao Unid_Stock Quantidade Pr_Custo Pr_Venda Data N_Encomenda Cod_IVA V_IVA V_Total n n 1 n Data N_Fornecedor Referencia Quantidade V_Unitario Desconto V_Iliquido 1 n n Data N_Encomenda Cod_IVA V_IVA V_Total n 1 Nome Morada Cod_Postal Localidade Telefone Telemovel Fax Contribuinte Nome_Contacto E_Mail Cond_Credito Lim_Crédito Nome Morada Cod_Postal Localidade Telefone Telemovel Fax Contribuinte Nome_Contacto E_Mail Cond_Credito Lim_Credito 1 1 n Data N_Cliente Referencia Quantidade V_Unitario Desconto V_Iliquido 1 Legenda s Nome da Atributos da Ligação entre tabelas 7

8 Modelo Físico Produtos Produtos para gestão de stock dos produtos Referencia Varchar 15 NOT Chave primária identity Descricao1 Varchar 50 NOT Nome do produto Descricao2 Varchar 50 Nome do produto cont. Gr_Produto Smallint 10 NOT Divisão dos tipos de produtos Localizacao Varchar 10 NOT Localização em armazém Unid_Stock Varchar 5 NOT Diferencia a unidade do metro Quantidade Smallint 5 NOT Quantidade em stock Pr_Custo Money 10 NOT Preço de custo do produto Pr_Venda Money 10 NOT Preço de venda do produto Produtos/Encomendas Produtos_Encomendas de ligação entre as tabelas Produtos e Encomendas de Clientes e de Fornecedores Referencia Varchar NOT Chave primária estrangeira N_Encomenda Smallint NOT Chave primária estrangeira 8

9 Encomendas de Clientes Encomendas_Cliente de criação das encomendas dos clientes N_Encomenda Smallint NOT Chave primária identity Data Datetime 10 NOT Data de criação da encomenda N_Cliente Varchar 50 NOT Chave estrangeira Referencia Varchar 15 NOT Referência dos produtos Quantidade Smallint 5 NOT Quantidade de produtos V_Unitario Money 10 NOT Valor da unidade do produto Desconto Smallint 5 Valor do desconto V_Iliquido Money 10 NOT Valor final da encomenda Clientes Clientes de gestão dos dos clientes N_Cliente Varchar NOT Chave primária identity Nome Varchar 50 NOT Nome do cliente Morada Varchar 80 NOT Morada do cliente Cod_Postal Varchar 8 NOT Código Postal Localidade Varchar 30 NOT Localidade Telefone Smallint 15 NOT Número de telefone do cliente Telemovel Smallint 15 NOT Número de telemovel do cliente Fax Smallint 15 Número de fax do cliente Contribuinte Smallint 9 NOT Número de contribuinte do cliente Nome_Contacto Varchar 30 Pessoa com quem contactar E_Mail Varchar 20 do cliente ou do contacto Cond_Credito Smallint 2 NOT Condições de pagamento dos clientes 9

10 Lim_Credito Money 10 Limite de crédito do cliente Facturas Facturas de gestão de facturação crédito dos clientes N_Factura Smallint NOT Chave primária identity Data Datetime 10 NOT Data da emissão do documento N_Encomenda Smallint NOT Chave estrangeira Cod_IVA Smallint 5 NOT Percentagem de IVA s/produtos V_IVA Money 10 NOT Valor de IVA V_Total Money 10 NOT Valor total do documento Vendas a Dinheiro Vendas_Dinheiro de gestão de facturação dinheiro dos clientes N_Venda_Dinheiro Smallint NOT Chave primária identity Data Datetime 10 NOT Data da emissão do documento N_Encomenda Smallint NOT Chave estrangeira Cod_IVA Smallint 5 NOT Percentagem de IVA s/produtos V_IVA Money 10 NOT Valor de IVA V_Total Money 10 NOT Valor total do documento 10

11 Recibos Recibos de gestão de pagamentos dos clientes N_Recibo Smallint NOT Chave Primária identity N_Factura Varchar NOT Chave estrangeira Data Datetime 10 NOT Data de emissão do recibo Tipo_Pagamento Varchar 15 NOT pagamento do cliente Referencia Varchar 15 NOT Referência do cliente Valor Money 10 NOT Valor total de recibo Encomendas a Fornecedores Encomendas_Fornecedor de criação das encomendas dos fornecedores N_Encomenda Smallint NOT Chave primária identity Data Datetime 10 NOT Data de criação da encomenda N_Fornecedor Varchar 50 NOT Chave estrangeira Referencia Varchar NOT Referência dos produtos Quantidade Smallint 5 NOT Quantidade de produtos V_Unitario Money 10 NOT Valor da unidade do produto Desconto Smallint 5 Valor do desconto V_Iliquido Money 10 NOT Valor final da encomenda 11

12 Fornecedores Fornecedores de gestão dos dos fornecedores N_Fornecedor Varchar NOT Chave Primária identity Nome Varchar 50 NOT Nome do fornecedor Morada Varchar 80 NOT Morada do fornecedor Cod_Postal Varchar 8 NOT Código Postal Localidade Varchar 30 NOT Localidade Telefone Smallint 15 NOT Número de telefone do fornecedor Telemovel Smallint 15 NOT Número de telemovel do fornecedor Fax Smallint 15 Número de fax do fornecedor Contribuinte Smallint 9 NOT Número de contribuinte do fornecedor Nome_Contacto Varchar 30 NOT Pessoa com quem contactar E_Mail Varchar 20 do fornecedor ou do contacto Cond_Credito Smallint 2 NOT Condições de pagamento aos fornecedores Lim_Credito Money 10 Limite de crédito do fornecedor Facturas Facturas de gestão de facturação dos fornecedores N_Factura Smallint NOT Chave primária identity Data Datetime 10 NOT Data da emissão da factura N_Encomenda Smallint NOT Chave estrangeira Cod_IVA Smallint 5 NOT Percentagem de IVA s/produtos V_IVA Money 10 NOT Valor de IVA V_Total Money 10 NOT Valor total do documento 12

13 Pagamentos Pagamentos de gestão de pagamentos das crianças N_Recibo Smallint NOT Chave primária identity N_Factura Varchar NOT Chave estrangeira Data Datetime 10 NOT Data do pagamento Tipo_Pagamento Varchar 15 NOT pagamento ao fornecedor Referencia Varchar 15 NOT Referência do pagamento Valor Money 10 NOT Valor total de recibo 13

14 Código SQL para criação de base de SQL Server 2005 Código para a criação da base de CREATE DATABASE GesStock ON PRIMARY NAME = GesStockPrimario, FILENAME = 'E:\Eng. Informática\2008_09\3_BD2\GesStock\GesStockPrimario.mdf', SIZE = 200MB, MAXSIZE = 1500MB, FILEGROWTH = 100MB, FILEGROUP GesStockDados NAME = GesStockDados1, FILENAME = 'E:\Eng. Informática\2008_09\3_BD2\GesStock\GesStockDados1.ndf', SIZE = 200MB, MAXSIZE = 1500MB, FILEGROWTH = 100MB, NAME = GesStockDados2, FILENAME = 'E:\Eng. Informática\2008_09\3_BD2\GesStock\GesStockDados2.ndf', SIZE = 200MB, MAXSIZE = 1500MB, FILEGROWTH = 100MB, FILEGROUP GesStockHistorico NAME = GesStockHistorico1, FILENAME = 'E:\Eng. Informática\2008_09\3_BD2\GesStock\GesStockHistorico1.ndf', SIZE = 200MB, MAXSIZE = 1000MB, FILEGROWTH = 100MB, NAME = GesStockHistorico2, FILENAME = 'E:\Eng. Informática\2008_09\3_BD2\GesStock\GesStockHistorico2.ndf', SIZE = 200MB, MAXSIZE = 1000MB, FILEGROWTH = 100MB LOG ON NAME = GesStockLog, FILENAME = 'E:\Eng. Informática\2008_09\3_BD2\GesStock\GesStockLog.ldf', SIZE = 100MB, MAXSIZE = 500MB, FILEGROWTH = 50MB 14

15 Código para a criação das tabelas da base de CREATE TABLE Produtos Rererencia VARCHAR 15 PRIMARY KEY, Descricao1 VARCHAR 50 NOT NULL, Descricao2 VARCHAR 50, Gr_Produto SMALLINT 10 NOT NULL, Localizacao VARCHAR 10 NOT NULL, N_Fornecedor VARCHAR 6 NOT NULL, Unid_Stock VARCHAR 5 NOT NULL, Quantidade SMALLINT 5 NOT NULL, Pr_Custo MONEY 10 NOT NULL, Pr_Venda MONEY 10 NOT NULL CREATE TABLE Produtos_Encomendas Referencia VARCHAR, N_Encomenda SMALLINT, PRIMARY KEY Referencia, N_Encomenda, FOREIGN KEY Referencia REFERENCES Produtos Referencia FOREIGN KEY N_Encomenda REFERENCES Encomendas_Cliente N_Encomenda REFERENCES Encomendas_Fornecedor N_Encomenda CREATE TABLE Encomendas_Clientes N_Encomenda SMALLINT PRIMARY KEY, Data DATETIME 10 NOT NULL, N_Cliente VARCHAR NOT NULL, Referencia VARCHAR 15 NOT NULL, Quantidade SMALLINT 5 NOT NULL, V_Unitario MONEY 10 NOT NULL, Desconto SMALLINT 5, V_Unitario MONEY 10 NOT NULL, FOREIGN KEY N_Cliente REFERENCES Clientes N_Cliente 15

16 CREATE TABLE Clientes N_Cliente VARCHAR PRIMARY KEY, Nome VARCHAR 50 NOT NULL, Morada VARCHAR 80 NOT NULL, Cod_Postal VARCHAR 8 NOT NULL, Localidade VARCHAR 30 NOT NULL, Telefone SMALLINT 15 NOT NULL, Telemovel SMALLINT 15 NOT NULL, Fax SMALLINT 15, Contribuinte SMALLINT 9 NOT NULL, Nome_Contacto VARCHAR 30, E_Mail VARCHAR 20, Cond_Credito SMALLINT 2 NOT NULL, Lim_Credito MONEY 10, CREATE TABLE Facturas N_Factura SMALLINT PRIMARY KEY, Data DATETIME 10 NOT NULL, N_Encomenda SMALLINT NOT NULL, Cod_IVA SMALLINT 5 NOT NULL, V_IVA MONEY 10 NOT NULL, V_Total MONEY 10 NOT NULL, FOREIGN KEY N_Encomenda REFERENCES Encomendas_Clientes N_Encomenda CREATE TABLE Vendas_Dinheiro N_Documento SMALLINT PRIMARY KEY, Data DATETIME 10 NOT NULL, N_Encomenda SMALLINT NOT NULL, Cod_IVA SMALLINT 5 NOT NULL, V_IVA MONEY 10 NOT NULL, V_Total MONEY 10 NOT NULL, FOREIGN KEY N_Encomenda REFERENCES Encomendas_Clientes N_Encomenda 16

17 CREATE TABLE Recibos N_Recibo SMALLINT PRIMARY KEY, N_Factura SMALLINT NOT NULL, Data DATETIME NOT NULL, Tipo_Pagamento VARCHAR 15 NOT NULL, Referencia VARCHAR 15 NOT NULL, Valor MONEY 10 NOT NULL, FOREIGN KEY N_ Factura REFERENCES Facturas N_ Factura CREATE TABLE Encomendas_Fornecedores N_Encomenda SMALLINT PRIMARY KEY, Data DATETIME 10 NOT NULL, N_Fornecedor VARCHAR NOT NULL, Referencia VARCHAR 15 NOT NULL, Quantidade SMALLINT 5 NOT NULL, V_Unitario MONEY 10 NOT NULL, Desconto SMALLINT 5, V_Unitario MONEY 10 NOT NULL, FOREIGN KEY N_Fornecedor REFERENCES Fornecedores N_Fornecedor CREATE TABLE Fornecedores N_Fornecedor VARCHAR PRIMARY KEY, Nome VARCHAR 50 NOT NULL, Morada VARCHAR 80 NOT NULL, Cod_Postal VARCHAR 8 NOT NULL, Localidade VARCHAR 30 NOT NULL, Telefone SMALLINT 15 NOT NULL, Telemovel SMALLINT 15 NOT NULL, Fax SMALLINT 15, Contribuinte SMALLINT 9 NOT NULL, Nome_Contacto VARCHAR 30, E_Mail VARCHAR 20, Cond_Credito SMALLINT 2 NOT NULL, Lim_Credito MONEY 10, 17

18 CREATE TABLE Facturas N_Factura SMALLINT PRIMARY KEY, Data DATETIME 10 NOT NULL, N_Encomenda SMALLINT NOT NULL, Cod_IVA SMALLINT 5 NOT NULL, V_IVA MONEY 10 NOT NULL, V_Total MONEY 10 NOT NULL, FOREIGN KEY N_Encomenda REFERENCES Encomendas_Fornecedores N_Encomenda CREATE TABLE Pagamentos N_Pagamento SMALLINT PRIMARY KEY, N_Factura SMALLINT NOT NULL, Data DATETIME NOT NULL, Tipo_Pagamento VARCHAR 15 NOT NULL, Referencia VARCHAR 15 NOT NULL, Valor MONEY 10 NOT NULL, FOREIGN KEY N_Factura REFERENCES Facturas N_Factura 18

19 Conclusão Podemos concluir que as Bases de Dados hoje em dia facilitam imenso a criação, a organização e a pesquisa de informação nos mais diversos meios. No caso apresentado desenvolvi a base do GesStock, que será num futuro próximo uma aplicação de gestão de stocks, tendo como suporte uma base de que permite uma maior facilidade de movimento e acesso de de um qualquer tipo de comércio. Posso referenciar que em termos de trabalho futuro deverei desenvolver melhor a estrutura da base de, aperfeiçoando o já realizado, com a criação de outro tipo de tabelas, criação de novas consultas, de modo que a informação que possamos extrair, seja o mais detalhada possível na análise da informação contida na base de, conforme a necessidade de futuros utilizadores. 19

Programação SQL. Introdução

Programação SQL. Introdução Introdução Principais estruturas duma Base de Dados: Uma BD relacional é constituída por diversas estruturas (ou objectos ) de informação. Podemos destacar: Database: designa a própria BD; Table/Tabela:

Leia mais

Administração e Optimização de BDs

Administração e Optimização de BDs Departamento de Engenharia Informática 2010/2011 Administração e Optimização de BDs Mini-Projecto 1 2º semestre A resolução deve ser claramente identificada com o número de grupo e entregue sob a forma

Leia mais

Curso de Engenharia Informática. Disciplina de Bases de Dados I

Curso de Engenharia Informática. Disciplina de Bases de Dados I Curso de Engenharia Informática Disciplina de Bases de Dados I 2 º Trabalho Prático de Avaliação Construção Operacional Docente: Prof ª Elsa Rodrigues Alunos: João Miguel Faleiro Caixinha (Aluno 5946)

Leia mais

Tarefa Orientada 1 Base de Dados Editora

Tarefa Orientada 1 Base de Dados Editora Tarefa Orientada 1 Base de Dados Editora Objectivos: Criar as tabelas da base de dados Editora Criar o diagrama da base de dados Editora Inserir registos com os dados de teste Criar as tabelas da base

Leia mais

SQL. Definição do Esquema da Base de Dados. Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática

SQL. Definição do Esquema da Base de Dados. Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática SQL Definição do Esquema da Base de Dados Cristina C. Vieira Departamento de Engenharia Eletrónica e Informática SQL - Esquema da base de dados Definição das tabelas Definição das chaves primárias Definição

Leia mais

Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005

Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005 Nome Número: Série Aula Extra Conexão ODBC para aplicações Delphi 7 que usam SQL Server 2005 Proposta do projeto: Competências: Compreender a orientação a objetos e arquitetura cliente-servidor, aplicando-as

Leia mais

Mobile Business. Your sales on the move.

Mobile Business. Your sales on the move. Pág/02 O PRIMAVERA é um produto destinado a empresas que utilizem processos de auto-venda e/ou pré-venda com Equipas de Vendas que necessitem de um conjunto de informação e funcionalidades avançadas, disponíveis

Leia mais

Disciplina de Banco de Dados Parte V

Disciplina de Banco de Dados Parte V Disciplina de Banco de Dados Parte V Prof. Elisa Maria Pivetta CAFW - UFSM Modelo de Dado Relacional O Modelo Relacional O Modelo ER é independente do SGDB portanto, deve ser o primeiro modelo gerado após

Leia mais

BASES DE DADOS I LTSI/2. Universidade da Beira Interior, Departamento de Informática Hugo Pedro Proença, 2010/2011

BASES DE DADOS I LTSI/2. Universidade da Beira Interior, Departamento de Informática Hugo Pedro Proença, 2010/2011 BASES DE DADOS I LTSI/2 Universidade da Beira Interior, Departamento de Informática Hugo Pedro Proença, 2010/2011 A Linguagem SQL As raízes da linguagem SQL remontam a 1974, altura em que a IBM desenvolvia

Leia mais

Projeto de Banco de Dados: Empresa X

Projeto de Banco de Dados: Empresa X Projeto de Banco de Dados: Empresa X Modelo de negócio: Empresa X Competências: Analisar e aplicar o resultado da modelagem de dados; Habilidades: Implementar as estruturas modeladas usando banco de dados;

Leia mais

Persistência de Classe e Auto- Relacionamento em Tabelas de Banco de Dados

Persistência de Classe e Auto- Relacionamento em Tabelas de Banco de Dados UTFPR DAELN - Disciplina de Fundamentos de Programação II ( IF62C ). 1 Persistência de Classe e Auto- Relacionamento em Tabelas de Banco de Dados 1) Introdução! Em algumas situações, pode ser necessário

Leia mais

GESTÃO COMERCIAL geral

GESTÃO COMERCIAL geral GESTÃO COMERCIAL geral DESCRITIVO DA APLICAÇÃO A TSR - Sistemas de Informação disponibiliza uma vasta gama de software capaz de satisfazer as necessidades dos nossos clientes, com diversas funcionalidades

Leia mais

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. SISTEMAS DE GESTÃO DE BASE DE DADOS Microsoft Access TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO. SISTEMAS DE GESTÃO DE BASE DE DADOS Microsoft Access TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Microsoft Access TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CONCEITOS BÁSICOS 1 Necessidade das base de dados Permite guardar dados dos mais variados tipos; Permite

Leia mais

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri

SQL Linguagem de Definição de Dados. Banco de Dados Profa. Dra. Cristina Dutra de Aguiar Ciferri SQL Linguagem de Definição de Dados Banco de Dados SQL Structured Query Language Uma das mais importantes linguagens relacionais (se não a mais importante) Exemplos de SGBD que utilizam SQL Oracle Informix

Leia mais

BANCO DE DADOS CONCEITOS BÁSICOS

BANCO DE DADOS CONCEITOS BÁSICOS Universidade Federal da Paraíba UFPB Centro de Energias Alternativas e Renováveis - CEAR Departamento de Eng. Elétrica DEE BANCO DE DADOS CONCEITOS BÁSICOS Isaac Maia Pessoa Introdução O que é um BD? Operações

Leia mais

vendas compras encomendas avenças gestão de filiais multi-moeda

vendas compras encomendas avenças gestão de filiais multi-moeda vendas stocks compras contas correntes encomendas auto-venda, pré-venda avenças multiposto gestão de filiais multi-utilizador multi-moeda multi-empresa CARACTERISTÍCAS GERAIS Extrema facilidade de utilização.

Leia mais

GM Light GM POS GESTÃO COMERCIAL. O parceiro ideal nas tecnologias de Informação

GM Light GM POS GESTÃO COMERCIAL. O parceiro ideal nas tecnologias de Informação GM As soluções de Gestão comercial GM são uma ferramenta essencial e indispensável para a correcta gestão de negócio e fomentador do crescimento sustentado das Empresas. Criado de raiz para ser usado em

Leia mais

G e s t ã o C o m e r c i a l

G e s t ã o C o m e r c i a l Gabinetes de Contabilidade Pequenas e Médias Empresas Contabilistas Software LogiWin G e s t ã o C o m e r c i a l GENERALIDADES Este software destina-se a todas a áreas de actividade. Trata-se de uma

Leia mais

GestoFinal Travessa da Barrosa Nº 225 11C 4400-042 Vila Nova de Gaia Tel.. 93 256 45 85 96 264 07 38 www.gestofinal.com info@gestofinal.

GestoFinal Travessa da Barrosa Nº 225 11C 4400-042 Vila Nova de Gaia Tel.. 93 256 45 85 96 264 07 38 www.gestofinal.com info@gestofinal. Projeto de Informatização Gas GestoFinal Travessa da Barrosa Nº 225 11C 4400-042 Vila Nova de Gaia Tel.. 93 256 45 85 96 264 07 38 www.gestofinal.com info@gestofinal.com Versão 4.11 A empresa Criada em

Leia mais

Exemplos de Vistas SQL. Tipos em SQL. Linguagem de Definição de Dados (DDL) CREATE VIEW todososclientes As

Exemplos de Vistas SQL. Tipos em SQL. Linguagem de Definição de Dados (DDL) CREATE VIEW todososclientes As Exemplos de Vistas SQL Considere-se a vista (com o nome todososconsumidores) contento os nomes das agências e seus clientes CREATE VIEW todososclientes As Π nomebalcao,nomecliente (temconta conta) Π nomebalcao,nomecliente

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM COLÉGIO AGRÍCOLA DE FREDERICO WESTPHALEN BANCO DE DADOS II

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM COLÉGIO AGRÍCOLA DE FREDERICO WESTPHALEN BANCO DE DADOS II UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM COLÉGIO AGRÍCOLA DE FREDERICO WESTPHALEN BANCO DE DADOS II BANCO DE DADOS II AULA 2 Linguagem SQL Linguagem de definição de dados (DDL) DISCIPLINA: Banco de Dados

Leia mais

Funcionalidades Standard Premier Prestige Produto

Funcionalidades Standard Premier Prestige Produto FactuPlus Evolução Funcionalidades Standard Premier Prestige Produto base* Funcionalidades gerais dos produtos Nº de postos 1 3 5 1 Nº de empresas 2 25 50 2 Muti-Utilizador Base de Dados MDB MDB MDB MDB

Leia mais

Ficha de Fornecedor. Conta Corrente lançada manualmente no qual é calculado um saldo em dívida

Ficha de Fornecedor. Conta Corrente lançada manualmente no qual é calculado um saldo em dívida Ficha de Fornecedor Conta Corrente lançada manualmente no qual é calculado um saldo em dívida Consulta de todas as entradas de material deste Fornecedor Poderá realizar Notas de Encomenda, Devoluções,

Leia mais

Memória Descritiva Software PHC FX Versões superiores a Março de 2015

Memória Descritiva Software PHC FX Versões superiores a Março de 2015 Memória Descritiva Software PHC FX Versões superiores a Março de 2015 Para efeitos de comprimento do Despacho do Ministro das Finanças de 22 de Dezembro de 2011 publicado no BR número 9, I Série, de 29

Leia mais

Características do WorkinProject

Características do WorkinProject Características do WorkinProject A solução WorkinProject é um sistema de informação integrado para empresas de Arquitectura e Engenharia em que a actividade é baseada na Gestão de Projectos. O sistema

Leia mais

Aula 02 Modelagem de Dados. Banco de Dados. Aula 02 Modelagem de Dados. Superior /2011 Redes Computadores - Disciplina: Banco de Dados -

Aula 02 Modelagem de Dados. Banco de Dados. Aula 02 Modelagem de Dados. Superior /2011 Redes Computadores - Disciplina: Banco de Dados - Banco de Dados Aula 02 Modelagem de Dados Roteiro Definição Evolução Projeto de BD Abstração Esquema e Instância Definição É uma representação, normalmente gráfica, de estruturas de dados reais. Auxilia

Leia mais

GestoFinal Travessa da Barrosa Nº 225 11C 4400-042 Vila Nova de Gaia Tel.. 93 256 45 85 96 264 07 38 www.gestofinal.com info@gestofinal.

GestoFinal Travessa da Barrosa Nº 225 11C 4400-042 Vila Nova de Gaia Tel.. 93 256 45 85 96 264 07 38 www.gestofinal.com info@gestofinal. Projecto de Informatização Parafarmácia GestoFinal Travessa da Barrosa Nº 225 11C 4400-042 Vila Nova de Gaia Tel.. 93 256 45 85 96 264 07 38 www.gestofinal.com info@gestofinal.com Versão 4.11 Data: 30

Leia mais

GestoFinal Travessa da Barrosa Nº 225 11C 4400-042 Vila Nova de Gaia Tel.. 93 256 45 85 96 264 07 38 www.gestofinal.com info@gestofinal.

GestoFinal Travessa da Barrosa Nº 225 11C 4400-042 Vila Nova de Gaia Tel.. 93 256 45 85 96 264 07 38 www.gestofinal.com info@gestofinal. Projeto de Informatização Ginásio GestoFinal Travessa da Barrosa Nº 225 11C 4400-042 Vila Nova de Gaia Tel.. 93 256 45 85 96 264 07 38 www.gestofinal.com info@gestofinal.com Versão 2011 Data: 14 / 01 /

Leia mais

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO ACCESS 2010 Conceitos Básicos Ficha Informativa Professor : Vanda Pereira módulo didáctico Conceitos Básicos Necessidade das base de dados Permite guardar dados

Leia mais

Análise e Concepção de Sistemas de Informação

Análise e Concepção de Sistemas de Informação Análise e Concepção de Sistemas de Informação UML Modelação de Dados Alberto Manuel Rodrigues da Silva Prof. DEI/IST/UTL Agenda Enquadramento e Problema Modelação de Dados em UML no Processo de Desenho

Leia mais

Structured Query Language (SQL)

Structured Query Language (SQL) Structured Query Language (SQL) SQL-Breve Histórico : # CREATE, ALTER e DROP; # BEGIN TRANSACTION, ROLLBACK e COMMIT; # GRANT, REVOKE e DENY; 1 Structured Query Language (SQL) Desenvolvida pelo departamento

Leia mais

SQL - Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados. Professor: José Antônio. José Antônio - CEFET-RN 23/09/2015

SQL - Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados. Professor: José Antônio. José Antônio - CEFET-RN 23/09/2015 SQL - Banco de Dados 1 Disciplina: Banco de Dados Professor: José Antônio 2 Tópicos de discussão Criando um banco de dados Incluindo, atualizando e excluindo linhas nas tabelas Pesquisa básica em tabelas

Leia mais

Integridade Referencial Interface Visual SQL Server

Integridade Referencial Interface Visual SQL Server a. Criar o banco de dados chamado DBSP, com suas respectivas tabelas (S, P e SP), no, conforme especificado abaixo:. Grupo lógico (filegroup) PRIMARY. Name: DBSP Arquivo físico: D:\...\DBSP.MDF Nome da

Leia mais

Facturação Adiantamento

Facturação Adiantamento 1 Wosoft Facturação Adiantamento Facturação Adiantamento Manual de Utilização 2 Wosoft Facturação Adiantamento Índice Introdução... 3 Configuração... 4 Mercados:... 4 Contabilização / Serviço:... 5 IVA

Leia mais

Banco de Dados II. Introdução Revisão - normalização -modelagem - sql básico

Banco de Dados II. Introdução Revisão - normalização -modelagem - sql básico Banco de Dados II Introdução Revisão - normalização -modelagem - sql básico Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com http://www.bolinhabolinha.com Apresentação Prof. Rodrigo Rocha prof.rodrigorocha@yahoo.com

Leia mais

Exercício de Normalização Escola Secundária de Emídio Navarro 2002/2003 Aplicações Informáticas 11º ano

Exercício de Normalização Escola Secundária de Emídio Navarro 2002/2003 Aplicações Informáticas 11º ano Neste exercício propõe-se realizar a informatização de uma livraria. Assim, o primeiro passo a realizar será começarmos por definir as entidades que poderemos encontrar na livraria: Livros Fornecedores

Leia mais

Módulo de CRM. Customer Relationship Management [VERSÃO 1.0] [APRESENTAÇÃO DE FUNCIONALIDADES]

Módulo de CRM. Customer Relationship Management [VERSÃO 1.0] [APRESENTAÇÃO DE FUNCIONALIDADES] Módulo de CRM Customer Relationship Management [VERSÃO 1.0] [APRESENTAÇÃO DE FUNCIONALIDADES] Um software com cada vez mais funcionalidades a pensar no seu negócio! A quem se destina As empresas que pretendem

Leia mais

A simplicidade do seu funcionamento permite ser utilizado por qualquer pessoa mesmo sem conhecimentos de informática.

A simplicidade do seu funcionamento permite ser utilizado por qualquer pessoa mesmo sem conhecimentos de informática. O WinAvenças Pro é um software destinado a faturação de serviços e produtos. A quem se destina: para todas as empresas que necessitem de um programa de faturação completo e certificado e fácil de utilizar.

Leia mais

Correção da 1a Prova de GBD1 2009/2. Profa. Sandra de Amo

Correção da 1a Prova de GBD1 2009/2. Profa. Sandra de Amo Correção da 1a Prova de GBD1 2009/2 Profa. Sandra de Amo 1. Você foi contratado para fazer o projeto de um banco de dados para um teatro. Seu cliente (o gerente do teatro) deseja estocar informações a

Leia mais

Capitulo 2. Prof.º Espc. Fábio Margarito Martins de Barros - Tecnologia de banco de dados

Capitulo 2. Prof.º Espc. Fábio Margarito Martins de Barros - Tecnologia de banco de dados Capitulo 2 1. MODELO LÓGICO DE BANCO DE DADOS... 2 1.1 Definição... 2 1.2 Mapeando o modelo conceitual para o modelo lógico... 2 1.2 Dicionário de dados... 3 2. MODELO FÍSICO DO BANCO DE DADOS... 4 2.1

Leia mais

SQL Server - Arquitectura Cliente/Servidor

SQL Server - Arquitectura Cliente/Servidor MS - SQL Server Índice SQL Server - Arquitectura Cliente/Servidor... 3 SQL Server - Arquitectura da Base de Dados... 4 SQL Server - SQL Server Enterprise Manager... 8 SQL Server - Criar uma base de dados...

Leia mais

Conceitos básicos. Aplicações de banco de dados. Conceitos básicos (cont.) Dado: Um fato, alguma coisa sobre a qual uma inferência é baseada.

Conceitos básicos. Aplicações de banco de dados. Conceitos básicos (cont.) Dado: Um fato, alguma coisa sobre a qual uma inferência é baseada. Conceitos básicos Angélica Toffano Seidel Calazans E-mail: angelica_toffano@yahoo.com.br Conceitos introdutórios de Modelagem de dados Dado: Um fato, alguma coisa sobre a qual uma inferência é baseada.

Leia mais

BANCO DE DADOS I. Exercícios

BANCO DE DADOS I. Exercícios BANCO DE DADOS I Exercícios Nos próximos slide estão apresentados um modelo ER parcial de uma fábrica e o seu respectivo modelo Relacional. O esquema da base de dados relacional contém os nomes das tabelas,

Leia mais

Banco de Dados. Arquitetura e Terminologia. Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.

Banco de Dados. Arquitetura e Terminologia. Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo. Banco de Dados Arquitetura e Terminologia Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2015 Modelo de Dados e Esquemas O modelo de Banco de Dados é como um detalhamento

Leia mais

Banco de dados. Linguagens de Banco de Dados II. Wedson Quintanilha da Silva - www.assembla.com/spaces/objetivobd/documents

Banco de dados. Linguagens de Banco de Dados II. Wedson Quintanilha da Silva - www.assembla.com/spaces/objetivobd/documents Banco de dados Linguagens de Banco de Dados II 1 Linguagem de Definição de Dados - DDL Comandos utilizados para criação do esquema de dados; Um DDL permite ao utilizador definir tabelas novas e elementos

Leia mais

Restauração e Similares

Restauração e Similares software certificado DGCI nº 196 Portaria n.º 363/2010 Restauração e Similares eficiência, segurança e funcionalidade um produto Restaurantes Cafetarias & Pastelarias Discotecas & Bares conheça as funcionalidades

Leia mais

APOSTILA BANCO DE DADOS INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL

APOSTILA BANCO DE DADOS INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL 1. O que é Linguagem SQL 2. Instrução CREATE 3. CONSTRAINT 4. ALTER TABLE 5. RENAME TABLE 6. TRUCANTE TABLE 7. DROP TABLE 8. DROP DATABASE 1 1. O que é Linguagem SQL 2. O SQL (Structured Query Language)

Leia mais

(1,n) venda. (1,1) realizacao. cliente. (0,n) (1,1) contem. produto. Laboratório de Banco de Dados Exercicios

(1,n) venda. (1,1) realizacao. cliente. (0,n) (1,1) contem. produto. Laboratório de Banco de Dados Exercicios Laboratório de Banco de Dados Exercicios Modelo conceitual segundo notação de Peter Chen cliente (1,1) realizacao (1,n) venda (0,n) produto (1,1) contem Modelo conceitual gerado pela CASE Dezign for Database

Leia mais

Banco de dados 1. Linguagem SQL DDL e DML. Professor: Victor Hugo L. Lopes

Banco de dados 1. Linguagem SQL DDL e DML. Professor: Victor Hugo L. Lopes Banco de dados 1 Linguagem SQL DDL e DML Professor: Victor Hugo L. Lopes Agenda: Introdução à linguagem de dados; DDL; DML; CRUD; Introdução à linguagem SQL. 2 Por que precisamos da linguagem SQL? A algebra

Leia mais

S o f t wa re Lo gi Wi n G e s t ã o d e M á rm o res e G ran ito s

S o f t wa re Lo gi Wi n G e s t ã o d e M á rm o res e G ran ito s S o f t wa re Lo gi Wi n G e s t ã o d e M á rm o res e G ran ito s GENERALIDADES - Módulo integrado na solução global LogiWin - De se nvolvido sobre S QL Server - Multi-Empresa, Multi-Filial, Mu lti-série

Leia mais

Gestão de Armazéns Gestão de Fabrico Gestão de Bobines Registo de Chegadas Sistema para Agentes

Gestão de Armazéns Gestão de Fabrico Gestão de Bobines Registo de Chegadas Sistema para Agentes Laserdata, Lda. Especificidades Para além dos módulos tradicionais num sistema de gestão (Facturação, Stocks, Contas a Receber e Contas a Pagar, Gestão de Encomendas, Orçamentos, etc.), o Lasernet 2000

Leia mais

4200-314 PORTO 1250-102 LISBOA Telef. 22 5512000 Telef. 21 3976961/2 Fax 22 5512099 Fax 21 3962187

4200-314 PORTO 1250-102 LISBOA Telef. 22 5512000 Telef. 21 3976961/2 Fax 22 5512099 Fax 21 3962187 Gestão Definição A Gestão determina as características da actividade da empresa no mercado, controlando as relações entre a tesouraria, o potencial e a rotação de produtos, os vendedores, os clientes,

Leia mais

Sistemas de Informação

Sistemas de Informação MODELO CONCEPTUAL DE DADOS Escola Superior de Tecnologia e Gestão de Felgueiras Engenharia Informática 3º ano - 2003/2004 Ana Maria Madureira 1. MODELO CONCEPTUAL DE DADOS Descreve o S.I. da Organização

Leia mais

Projecto de Informatização

Projecto de Informatização Projecto de Informatização GestoFinal Travessa da Barrosa Nº 225 11C 4400-042 Vila Nova de Gaia Tel.. 93 256 45 85 96 264 07 38 Telefone: 224 078 089 www.gestofinal.com info@gestofinal.com Versão 4.11

Leia mais

Execute e controle de uma forma eficaz e profissional todas as tarefas contabilísticas da sua Empresa

Execute e controle de uma forma eficaz e profissional todas as tarefas contabilísticas da sua Empresa Descritivo completo Contabilidade 2008 Execute e controle de uma forma eficaz e profissional todas as tarefas contabilísticas da sua Empresa Benefícios Fácil de utilizar; Totalmente integrada com o restante

Leia mais

UNISA Universidade de Santo Amaro. http://www.unisa.br. Material de Estudo. Módulo I: Básico Banco de dados SQL Server. http://www.unisa-sis.

UNISA Universidade de Santo Amaro. http://www.unisa.br. Material de Estudo. Módulo I: Básico Banco de dados SQL Server. http://www.unisa-sis. UNISA Universidade de Santo Amaro http://www.unisa.br Material de Estudo Módulo I: Básico Banco de dados SQL Server http://www.unisa-sis.info Junho/2010 Objetivo do Workshop Compartilhar e apresentar

Leia mais

Linguagem SQL (Parte II)

Linguagem SQL (Parte II) Universidade Federal de Sergipe Departamento de Sistemas de Informação Itatech Group Jr Softwares Itabaiana Site: www.itatechjr.com.br E-mail: contato@itatechjr.com.br Linguagem SQL (Parte II Introdução

Leia mais

ZSRest/ZSPos. Manual de Stocks. BackOffice

ZSRest/ZSPos. Manual de Stocks. BackOffice BackOffice 1 1. Índice 2. Introdução... 3 3. Iniciar o ZSRest/ZSPos FrontOffice... 4 4. Produto... 5 Activar gestão de stocks... 5 5. Armazém... 7 a) Adicionar Armazém... 8 b) Modificar Armazém... 8 c)

Leia mais

Introdução aos Sistemas de Bases de Dados

Introdução aos Sistemas de Bases de Dados Sistemas de Bases de Dados Edição 2004 Introdução aos Sistemas de Bases de Dados Orlando Belo Departamento de Informática Escola de Engenharia Universidade do Minho Índice Introdução ao armazenamento de

Leia mais

Software de Facturação e Gestão Comercial On-Line

Software de Facturação e Gestão Comercial On-Line Software de Facturação e Gestão Comercial On-Line Manual básico do Utilizador Software de Facturação e Gestão Comercial On-line Level 7 Basic, Light & Premium Este Software é fornecido com um número de

Leia mais

Bases de Dados 1. Proposta de resolução de 3 exercícios da 1ª aula prática

Bases de Dados 1. Proposta de resolução de 3 exercícios da 1ª aula prática Bases de Dados 1 Proposta de resolução de 3 exercícios da 1ª aula prática Nas páginas seguintes encontram-se algumas propostas de resoluções das 3 primeiras situações da ficha nº1. Referente à primeira

Leia mais

Tarefa Orientada 4 Criação das restantes tabelas

Tarefa Orientada 4 Criação das restantes tabelas Tarefa Orientada 4 Criação das restantes Objectivos: Criação de Tabelas. Definição de chave primária. Definição de propriedades (restrições) de campos. O Sistema de Gestão de Bases de Dados MS Access Criação

Leia mais

GESTÃO DE STOCKS. Para gerir o seu stock deve realizar 4 passos essenciais:

GESTÃO DE STOCKS. Para gerir o seu stock deve realizar 4 passos essenciais: GESTÃO DE STOCKS Para gerir o seu stock deve realizar 4 passos essenciais: 1. Garantir que têm os artigos todos criados no Sublime 2. Fazer a contagem de todos os artigos que estão a uso, em expositores

Leia mais

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD 2 1 Características dos SGBDs Natureza auto-contida de um sistema de banco de dados: metadados armazenados num catálogo ou dicionário de

Leia mais

Tecnologias de Informação

Tecnologias de Informação Sistemas Empresariais Enterprise Resource Planning (ERP): Sistema que armazena, processa e organiza todos os dados e processos da empresa de um forma integrada e automatizada Os ERP tem progressivamente

Leia mais

FAQ S Certificação Software GM

FAQ S Certificação Software GM FAQ S Certificação Software GM Macwin - Sistemas Informáticos S.A. A Portaria nº 363/2010, de 23 de Junho de 2010, regulamentou o processo de certificação dos programas informáticos de facturação tendo

Leia mais

Banco de Dados Avançados Banco de Dados Ativo

Banco de Dados Avançados Banco de Dados Ativo Universidade Federal de Pernambuco Centro de Informática Banco de Dados Avançados Banco de Dados Ativo Equipe: Felipe Cavalcante Fernando Kakimoto Marcos Corrêa Sumário 1. Mini-Mundo... 3 1.1 Entidades...

Leia mais

Soluções de Gestão Integradas SENDYS ERP. Otimize a Gestão do Seu Negócio!

Soluções de Gestão Integradas SENDYS ERP. Otimize a Gestão do Seu Negócio! Soluções de Gestão Integradas SENDYS ERP Otimize a Gestão do Seu Negócio! Universo da Solução de Gestão SENDYS ERP Financeira Recursos Humanos Operações & Logística Comercial & CRM Analytics & Reporting

Leia mais

Ferramenta de apoio a Engenharia. Reversa de um Banco de Dados. Relacional

Ferramenta de apoio a Engenharia. Reversa de um Banco de Dados. Relacional UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA CURSO DE BACHARELADO EM SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Marcelo Caon de Souza Miguel Kojiio Nobre Ferramenta de apoio a Engenharia Reversa de um Banco de Dados Relacional

Leia mais

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS CLAUDIO RIBEIRO DA SILVA MARÇO 1997 2 1 - CONCEITOS GERAIS DE 1.1 - Conceitos Banco de Dados - Representa

Leia mais

Computadores e Sistemas de Informação. Bases de Dados Relacionais (linguagem SQL)

Computadores e Sistemas de Informação. Bases de Dados Relacionais (linguagem SQL) Computadores e Sistemas de Informação Bases de Dados Relacionais (linguagem SQL) 2004/2005 Utilidade das Bases de Dados Recolha e processamento de dados que possuem um volume significativo, que são interrelacionados,

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) SQL (Structured Query Language) Linguagem comercial para BD relacional padrão ISO desde a década de 80 SQL (86); SQL-2 (92); SQL-3 (99) e SQL:2003 não é apenas uma linguagem de consulta! como o nome sugere...

Leia mais

UFCD 786. Instalação e configuração de sistemas de bases de dados

UFCD 786. Instalação e configuração de sistemas de bases de dados UFCD 786 Instalação e configuração de sistemas de bases de dados 1 Noção de Base de Dados De uma forma genérica uma base de dados é um conjunto de dados (BD) Exemplos de BD s: Uma agenda de moradas Uma

Leia mais

1. Domínio dos Atributos

1. Domínio dos Atributos Structure Query Language SQL Guilherme Pontes lf.pontes.sites.uol.com.br 1. Domínio dos Atributos Por domínio, ou tipo, pode-se entender como a maneira como determinado atributo (ou campo, se tratando

Leia mais

Assunto: Proposta de fornecimento do Programa dbgep

Assunto: Proposta de fornecimento do Programa dbgep Julho de 2009 Assunto: Proposta de fornecimento do Programa dbgep A aplicação dbgep é constituída pelos seguintes módulos: Aplicação Função Situação comercial dbgep C Contabilidade em comercialização dbgep

Leia mais

BD SQL Server. Licenciatura em Engenharia Informática e Computação. Bases de Dados 2003/04

BD SQL Server. Licenciatura em Engenharia Informática e Computação. Bases de Dados 2003/04 BD SQL Server SGBD SQL Server Licenciatura em Engenharia Informática e Computação Bases de Dados 2003/04 BD SQL Server Criação da Ligação ao SGBD Entrar no Microsoft SQL Server / Enterprise Manager Criar

Leia mais

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM SQL CRIAÇÃO DE BANCO DE DADOS E OTIMIZAÇÃO DE CONSULTAS

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM SQL CRIAÇÃO DE BANCO DE DADOS E OTIMIZAÇÃO DE CONSULTAS Esclarecimento Licenciamento de Uso Este documento é propriedade intelectual 2012 da NRSYSTEM COMÉRCIO E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA LTDA-ME, consiste de uma compilação de diversos materiais entre livros,

Leia mais

INNER, CROSS, LEFT, RIGHT E FULL JOINS SIMPLES ASSIM! Wellyngton Luiz Cruz Moreira wlcmoreira@hotmail.com

INNER, CROSS, LEFT, RIGHT E FULL JOINS SIMPLES ASSIM! Wellyngton Luiz Cruz Moreira wlcmoreira@hotmail.com INNER, CROSS, LEFT, RIGHT E FULL JOINS SIMPLES ASSIM! Wellyngton Luiz Cruz Moreira wlcmoreira@hotmail.com PALAVRAS CHAVES: inner join, left outer join, cross join, right outer join, full outer join, junções,

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) SQL (Structured Query Language) Linguagem comercial para BD relacional padrão ISO desde a década de 80 SQL- (86); SQL- (9); SQL- (99) não é apenas uma linguagem de consulta! como o nome sugere... Base

Leia mais

Solução do segundo exercício proposto REDE DE HOTÉIS

Solução do segundo exercício proposto REDE DE HOTÉIS Solução do segundo exercício proposto REDE DE HOTÉIS Este exemplo já tem um pouco mais de complexidade devido à quantidade de entidades envolvidas no cenário. Em um primeiro momento a solução poderia ficar

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) SQL (Structured Query Language) Linguagem comercial para BD relacional padrão ISO desde a década de 80 SQL-1 (86); SQL- (9); SQL- (99) não é apenas uma linguagem de consulta! como o nome sugere... Base

Leia mais

Introdução à Manipulação de Dados

Introdução à Manipulação de Dados Introdução à Manipulação de Dados Licenciatura em Economia Trabalho Prático 2004 2005 Manutenção de Aviões Depois de várias reclamações feitas no aeroporto por falta de organização, a administração decidiu

Leia mais

Ficheiros de dados, registos e campos pág. 2 Limitações das bases de dados baseadas numa só tabela pág. 2 Sistemas de Gestão de Base de Dados pág.

Ficheiros de dados, registos e campos pág. 2 Limitações das bases de dados baseadas numa só tabela pág. 2 Sistemas de Gestão de Base de Dados pág. Conteúdos Dos ficheiros de dados aos sistemas de gestão de base de dados Ficheiros de dados, registos e campos pág. 2 Limitações das bases de dados baseadas numa só tabela pág. 2 Sistemas de Gestão de

Leia mais

DEIS - Departamento de Engenharia Informática e de Sistemas. Mestrado em Informática e Sistemas Tecnologias da Informação e do Conhecimento

DEIS - Departamento de Engenharia Informática e de Sistemas. Mestrado em Informática e Sistemas Tecnologias da Informação e do Conhecimento DEIS - Departamento de Engenharia Informática e de Sistemas Mestrado em Informática e Sistemas Tecnologias da Informação e do Conhecimento ANO LETIVO 2011/2012 UNIDADE CURRICULAR: ANÁLISE DE DADOS ANO

Leia mais

Excel - Ficha de Trabalho

Excel - Ficha de Trabalho Excel - Ficha de Trabalho Facturação Avançada O trabalho que se segue consistirá numa folha de cálculo com alguma complexidade, em que existirão diferentes folhas no mesmo livro. Neste serão criadas Bases

Leia mais

Módulo: 780 Aplicações de Gestão Administrativa. Primavera Express Dicas e Configurações

Módulo: 780 Aplicações de Gestão Administrativa. Primavera Express Dicas e Configurações Avaliação CURSO EFA 2012 / 2013 Formando: Data: / / ÁREA/Assunto: Formando Formador / Mediador: Formador Módulo: 780 Aplicações de Gestão Administrativa Primavera Express Dicas e Configurações A PRIMAVERA

Leia mais

Índice. Introdução... 31. Tutorial 1: O Microsoft Access como Sistema de Gestão de Bases de Dados Relacionais... 35

Índice. Introdução... 31. Tutorial 1: O Microsoft Access como Sistema de Gestão de Bases de Dados Relacionais... 35 Introdução... 31 1. Bases de Dados Relacionais...31 2. Modelação de Bases de Dados...31 3. Modelo de Classes UML...32 4. Linguagem SQL...32 5. Sobre o Microsoft Access...32 Tutorial 1: O Microsoft Access

Leia mais

Manual Gestix Personalização de Documentos. Gestix.com

Manual Gestix Personalização de Documentos. Gestix.com Manual Gestix Personalização de Documentos Gestix.com Objectivo Este manual tem por objectivo ajudar o profissional e o utilizador com conhecimentos técnicos a personalizar o layout das facturas e outros

Leia mais

Manual do Serviço. Trabalho Realizado por: Maria João Santos

Manual do Serviço. Trabalho Realizado por: Maria João Santos Manual do Serviço Pós-venda Trabalho Realizado por: Maria João Santos Organização do Trabalho: Conceito de Serviço Pós-Venda Importância do Serviço Pós-Venda Desafios Gestão de stocks Ordens de Serviço

Leia mais

2008.1. A linguagem SQL

2008.1. A linguagem SQL SQL 2008.1 A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua primeira versão

Leia mais

A versão básica disponibiliza a informação criada no Microsoft Navision em unidades de informação

A versão básica disponibiliza a informação criada no Microsoft Navision em unidades de informação O Business Analytics for Microsoft Business Solutions Navision ajuda-o a ter maior controlo do seu negócio, tomar rapidamente melhores decisões e equipar os seus funcionários para que estes possam contribuir

Leia mais

BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS. Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre

BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS. Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS Prof. Patrícia Lucas 3º Trimestre ROTEIRO PARA O 3º TRIMESTRE 1. O MySQL DDL SQL 1. Como funciona o MySQL 2. Como criar um banco de dados no MySQL 3. Como criar tabelas: comandos

Leia mais

UFCD 787. Administração de base de dados. Elsa Marisa S. Almeida

UFCD 787. Administração de base de dados. Elsa Marisa S. Almeida UFCD 787 Administração de base de dados Elsa Marisa S. Almeida 1 Objectivos Replicação de base de dados Gestão de transacções Cópias de segurança Importação e exportação de dados Elsa Marisa S. Almeida

Leia mais

Sobre a WISEDAT. A Wisedat Software Solutions é uma empresa dedicada. ao desenvolvimento de soluções em software, que sejam

Sobre a WISEDAT. A Wisedat Software Solutions é uma empresa dedicada. ao desenvolvimento de soluções em software, que sejam Catálogo Sobre a WISEDAT A Wisedat Software Solutions é uma empresa dedicada ao desenvolvimento de soluções em software, que sejam bem desenhadas, amigáveis, com uma ótima relação qualidade/preço e que

Leia mais

FASES DO PROCESSO DE COMPRA E VENDA

FASES DO PROCESSO DE COMPRA E VENDA Liquidação Na fase da liquidação, o vendedor apura o montante que o comprador terá que suportar com a execução da encomenda. O apuramento do montante a pagar é calculado considerando o preço fixado e descontos

Leia mais

SQL (Structured Query Language)

SQL (Structured Query Language) (Structured Query Language) I DDL (Definição de Esquemas Relacionais)... 2 I.2 Domínios... 2 I.3 Criação de Tabelas... 2 I.4 Triggers... 4 II DML Linguagem para manipulação de dados... 5 II.2 Comando SELECT...

Leia mais

Linguagem de Consulta - SQL

Linguagem de Consulta - SQL SQL Structured Query Language Linguagem de Consulta Estruturada; Originou-se da linguagem SEQUEL (1974); Revisada e chamada de SQL em 1976/77; Em 1986, padronizada pelo ANSI/ISO - chamada SQL-86; Em 1987

Leia mais

GestoFinal Travessa da Barrosa Nº 225 11C 4400-042 Vila Nova de Gaia Tel.. 93 256 45 85 224078089 www.gestofinal.com info@gestofinal.

GestoFinal Travessa da Barrosa Nº 225 11C 4400-042 Vila Nova de Gaia Tel.. 93 256 45 85 224078089 www.gestofinal.com info@gestofinal. Projecto de Informatização Instituto de Beleza O meu Salão GestoFinal Travessa da Barrosa Nº 225 11C 4400-042 Vila Nova de Gaia Tel.. 93 256 45 85 224078089 www.gestofinal.com info@gestofinal.com Versão

Leia mais

Consistem num conjunto de apontadores para instâncias especificas de cada relação.

Consistem num conjunto de apontadores para instâncias especificas de cada relação. Mecanismo usado para mais fácil e rapidamente aceder à informação existente numa base de dados. Bases de Dados de elevadas dimensões. Consistem num conjunto de apontadores para instâncias especificas de

Leia mais