Arquivos de Parâmetros, Cenários e Simulação de Risco Relatório de Definições de Arquivos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Arquivos de Parâmetros, Cenários e Simulação de Risco Relatório de Definições de Arquivos"

Transcrição

1 Arquivos de Parâmetros, Cenários e Simulação Relatório de Definições de Arquivos Este documento descreve um conjunto de definições de arquivos desenvolvidos pela BM&FBOVESPA, a serem utilizados no processo de geração de parâmetros e cenários. A implantação da integração das clearings da BM&FBOVESPA e do novo sistema de risco CORE (Closeout Risk Evaluation) depende de prévia autorização dos órgãos reguladores. 1

2 Histórico de Revisão Data Versão Descrição Responsável 15/07/ Versão Inicial 28/02/ Inclusão do layout do arquivo Margem Teórica Máxima para Posições em Aberto e Valor Mínimo de Ativos Depositados em Garantia e ajustes nos domínios de alguns cenários. 14/03/ Inclusão do layout do arquivo Simulador. 30/05/ Inclusão de regras para upload das mensagens de simulação de risco 2

3 Conteúdo Histórico de Revisão... 2 Visão geral... 4 Escopo... 4 Lista de Arquivos... 4 Estrutura dos Arquivos... 8 Os arquivos são compostos por:... 8 Agrupamento de Instrumentos Padronizados... 8 Arquivo Parâmetros de Grupos de Instrumentos... 8 Arquivo Fórmulas... 9 Arquivo Fatores Primitivos... 9 Arquivo Mapeamento de Grupos de Instrumentos Padronizados Arquivo Mapeamento de Grupos de Instrumentos OTC Arquivo de Cenários do Tipo Spot Arquivo de Cenários do Tipo Curva Arquivo de Cenários do Tipo Superfície Arquivo de Cenários de Margem para Ativos Líquidos (Arquivo já divulgado atualmente) Arquivo Margem Teórica Máxima para Posições em Aberto e Valor Mínimo de Ativos Depositados em Garantia Arquivo do Simulador

4 Visão geral Escopo Este documento descreve o conjunto de definições de arquivos desenvolvidos pela BM&FBOVESPA que serão utilizados nos fluxos de geração de parâmetros e cenários. Lista de Arquivos 1. Agrupamento de Instrumentos Padronizados Este arquivo agrupa os instrumentos padronizados com características em comum, e que possuem os mesmos parâmetros e mapeamento em fatores primitivos de risco. A BM&FBOVESPA disponibiliza no site o arquivo Agrupamento de Instrumentos Padronizados. O Participante faz o download deste arquivo. 2. Parâmetros de Grupos de Instrumentos Este arquivo relaciona os parâmetros de risco aos grupos de instrumentos previamente definidos. A BM&FBOVESPA disponibiliza no site o arquivo Parâmetros de Grupos de Instrumentos. O Participante faz o download deste arquivo. 4

5 3. Fórmulas Este arquivo apresenta as fórmulas de risco cadastradas no sistema. A BM&FBOVESPA disponibiliza no site o arquivo Fórmulas. O Participante faz o download deste arquivo. 4. Fatores Primitivos Este arquivo mostra os fatores primitivos de risco cadastrados no sistema, os instrumentos nos quais os FPRs são baseados e seus parâmetros. A BM&FBOVESPA disponibiliza no site o arquivo Fatores Primitivos. O Participante faz o download deste arquivo. 5. Mapeamento de Grupos de Instrumentos Padronizados Este arquivo relaciona os grupos de instrumentos padronizados às fórmulas de risco e aos fatores primitivos de risco correspondentes. O qualificador indica a qual parâmetro da fórmula cada FPR corresponde. A BM&FBOVESPA disponibiliza no site o arquivo Mapeamento de Grupos de Instrumentos Padronizados. O Participante faz o download deste arquivo. 6. Mapeamento de Grupos de Instrumentos OTC Este arquivo relaciona os grupos de instrumentos de OTC, juntamente com a identificação do instrumento que corresponde ao ativo-objeto, às fórmulas de risco e aos fatores primitivos de risco correspondentes. O qualificador indica a qual parâmetro da fórmula cada FPR corresponde. No caso de swaps são relacionados dois mapeamentos, correspondentes a cada ponta do swap. A BM&FBOVESPA disponibiliza no site o arquivo Mapeamento de Grupos de Instrumentos OTC. O Participante faz o download deste arquivo. 7. Cenários do Tipo Spot Este arquivo apresenta os cenários dos fatores primitivos de risco do tipo Spot (valores a vista). A BM&FBOVESPA disponibiliza no site o arquivo de Cenários do Tipo Spot. O Participante faz o download deste arquivo. 5

6 8. Cenários do Tipo Curva Este arquivo apresenta os cenários dos fatores primitivos de risco do tipo Curva (estruturas a termo). A BM&FBOVESPA disponibiliza no site o arquivo de Cenários do Tipo Curva. O Participante faz o download deste arquivo. 9. Cenários do Tipo Superfície Este arquivo apresenta os cenários dos fatores primitivos de risco do tipo Superfície (estruturas de volatilidade, a termo e por delta ou preço de exercício). A BM&FBOVESPA disponibiliza no site o arquivo de Cenários do Tipo Superfície. O Participante faz o download deste arquivo. 10. Cenários de Margem para Ativos Liquidos (Arquivo já divulgado atualmente) Este arquivo apresenta os cenários de risco com a mesma estrutura que o sistema atual de risco gera. Devido às diferenças na estrutura dos cenários, apenas os cenários do tipo Envelope e para o segundo dia do holding period são carregados. A BM&FBOVESPA disponibiliza no site o arquivo de Cenários de Margem para Ativos Líquidos. O Participante faz o download deste arquivo. 11. Margem Teórica Máxima para Posições em Aberto e Valor Mínimo de Ativos Depositados em Garantia. Este arquivo apresenta o valor de margem teórica máxima dos instrumentos negociáveis e o valor mínimo de margem de instrumentos aceitos como garantia. 6

7 12. Simulador. Este arquivo permite o download e/ou upload de posições para Simulação. O Participante deve acessar a tela do Simulador no Sistema RTC e selecionar a opção Inserir Posições para Simulação Downlad de Arquivo e Inserir Posições para Simulação Upload de Arquivo. Este arquivo é um arquivo texto separado por ponto e vírgula. Para que seja possível efetuar o upload de arquivos através da tela do Simulador do RTC é necessário efetuar algumas alterações quando o arquivo que será carregado tem como objetivo copiar uma carteira com posições de balcão (Swap, Opção Flexível e Termo de Moeda). Em casos como este, o layout do arquivo é diferente quando comparamos àquele feito para a uma posição inserida de forma avulsa. As seguintes mudanças devem ser realizadas: Uma letra seguida de um hífen devem ser inseridos antes do ContractId (Ex.: A ); Em casos de opção flexível com barreira, o ContractId aparecerá duas vezes e o mesmo procedimento do item acima deverá ser realizado; As datas de registro das posições deverão ser correspondentes a data do dia em que é executada a simulação; Para opções flexíveis, a data do prêmio deverá ser alterada para uma data futura; Abaixo, estão os identificadores dos contratos: 81 Swap 82 Opção Flexível PUT 83 Opção Flexível CALL 84 NDF 7

8 Estrutura dos Arquivos Os arquivos são compostos por: Header; Body. Agrupamento de Instrumentos Padronizados Campo Tipo Tamanho Observação Header Data Date dd/mm/aaaa ID do Grupo de Instrumentos 10 Identificação da Câmara Alfanumérico 16 BVMF Body Identificação do Instrumento Alfanumérico 255 Origem do Instrumento Alfanumérico ISIN 8 - Symbol H - Clearinghouse Arquivo Parâmetros de Grupos de Instrumentos Campo Tipo Tamanho Observação Header Data Date dd/mm/aaaa 8

9 Body ID do Grupo de Instrumentos Nome da Classificação Prazo Mínimo para Encerramento Limite de Liquidez Prazo para Subcarteira2 Prazo de Liquidação 10 Alfanumérico 20 2 Holding Period 17,4 2 2 Quantidade Máxima a Encerrar Prazo decorrido entre o encerramento da posição e sua efetiva liquidação Arquivo Fórmulas Campo Tipo Tamanho Observação Header Data Date dd/mm/aaaa ID da Fórmula 10 Body Nome da Fórmula de Risco Alfanumérico 100 Arquivo Fatores Primitivos 9

10 Campo Tipo Tamanho Observação Header Data Date dd/mm/aaaa ID do FPR 10 Nome do FPR Alfanumérico 15 Formato de 1 Percentual 1 Variação 2 Basis Points ID do Grupo de FPR 5 Identificação da Câmara do Alfanumérico 16 BVMF Indicador Identificação do Body Instrumento do Alfanumérico 255 Indicador Origem do Instrumento do Indicador Alfanumérico ISIN 8 - Symbol H - Clearinghouse Base ou 360 Base de Interpolação Critério de Capitalização ou Preço 1 Linear 2 Exponencial Arquivo Mapeamento de Grupos de Instrumentos Padronizados Campo Tipo Tamanho Observação Header Data Date dd/mm/aaaa ID do Grupo de 10 Instrumentos Body ID da Fórmula 10 10

11 ID do FPR 10 ID do Qualificador 3 Descrição do Qualificador Alfanumérico 30 Arquivo Mapeamento de Grupos de Instrumentos OTC Campo Tipo Tamanho Observação Header Data Date dd/mm/aaaa ID do Grupo de Instrumentos 10 Identificação da Câmara do Alfanumérico 16 BVMF Ativo-Objeto Identificação do Instrumento do Alfanumérico 255 Ativo-Objeto Body Origem do 4 - ISIN Instrumento do Alfanumérico Symbol Ativo-Objeto H - Clearinghouse ID da Fórmula 10 ID do FPR 10 ID do Qualificador 3 Descrição do Qualificador Alfanumérico 30 11

12 Arquivo de Cenários do Tipo Spot Campo Tipo Tamanho Observação Header Data Date dd/mm/aaaa ID do FPR 10 ID do Cenário 10 Body Tipo do Cenário 1 1 Envelope 2 Coerente Dia do Holding Period 2 Valor em Phi1 17,4 Valor em Phi2 17,4 Arquivo de Cenários do Tipo Curva Campo Tipo Tamanho Observação Header Data Date dd/mm/aaaa ID do FPR 10 ID do Cenário 10 Tipo do Cenário 1 1 Envelope 2 Coerente Body Dia do Holding Period 2 Dias Corridos do Vértice 6 Dias de Saque do Vértice 6 Valor em Phi1 17,4 Valor em Phi2 17,4 12

13 Arquivo de Cenários do Tipo Superfície Campo Tipo Tamanho Observação Header Data Date dd/mm/aaaa ID do FPR 10 ID do Cenário 5 Tipo do Cenário 1 1 Envelope 2 Coerente Dia do Holding Period 2 Body Delta/Preço de Exercício 17,4 Dias Corridos do Vértice 6 Dias de Saque do Vértice 6 Valor em Phi1 17,4 Valor em Phi2 17,4 Arquivo de Cenários de Margem para Ativos Líquidos (Arquivo já divulgado atualmente) Header Body Campo Tipo Tamanho Observação Tipo de Registro 2 Fixo 01 Data Date 8 AAAAMMDD Nome do Fixo Alfanumérico 20 Arquivo CENLIQWEB.TXT Tipo de Registro 2 Fixo 02 Nome do FPR Alfanumérico 15 13

14 Vértice 6 ID do Cenário 5 Valor 17,4 Com Sinal; 4 decimais Fator Cenário Opção com Ajuste Choque Cenário (+) Opção com Ajuste Choque Cenário (-) Opção com Ajuste Tipo de Choque 17,4 17,4 17,4 Alfanumérico 1 Fixo Fixo Fixo A Aditivo M Multiplicativo Arquivo Margem Teórica Máxima para Posições em Aberto e Valor Mínimo de Ativos Depositados em Garantia Campo Tipo Tamanho Observação Data Date 10 Header Id do arquivo Alfanumérico 24 Fixo maximumtheoreticalmargin Versão do arquivo Alfanumérico 10 14

15 Instrumento Margem Teórica Máxima Identificação do Instrumento Origem do Instrumento Alfanumérico 35 Alfanumérico ISIN 8 - Symbol H - Clearinghouse Identificação da Câmara Alfanumérico 4 BVMF / OTC Preço de Referência 11,7 holdingday 2 T+0, T+1... Margem Teórica Máxima 14,4 comprada phi1 Margem Teórica Máxima 14,4 vendida phi1 Valor Mínimo de Crédito de Margem 14,4 (Colateral) phi1 15

16 Valor Mínimo de Crédito de Margem (Colateral) phi2 14,4 Arquivo do Simulador Bloco Campo Tipo Tamanho Observação Data Data AAAA-MM-DD Data da simulação Header Descrição Texto 18 simulatedpositions Versão Númerico 1 Tipo Texto 1 P Posição regular Data de negociação Identificação do instrumento Origem do instrumento Identificação da Câmara do instrumento Data Alfanumérico 255 Alfanumérico 10 AAAA-MM-DD Alfanumérico 16 BVMF Campo obrigatório apenas para Ouro a Vista 4 - ISIN 8 - Symbol H - Clearinghouse 16

17 Colateral Contrato do Mercado de Balcão - Swap Quantidade de compra Quantidade de venda Preço a termo Preço a vista Tipo Texto 1 C Número do ativo 13 Identificação do instrumento Alfanumérico 255 Origem do instrumento Identificação da Câmara do instrumento Quantidade Alfanumérico 10 Alfanumérico 16 BVMF Tipo Texto 13 OTC Campo obrigatório se a quantidade de venda estiver vazia Campo obrigatório se a quantidade de compra estiver vazia Campo obrigatório apenas para termo de Ouro Campo obrigatório apenas para Ouro a vista 4 - ISIN 8 - Symbol H - Clearinghouse Tipo de instrumento 2 81 ID do contrato Alfanumérico 255 Identificador do contrato 17

18 Código do Contrato Data de início de valorização Data de vencimento Valor base Identificação do instrumento do indicador da ponta ativa Origem do instrumento do indicador da ponta ativa Identificação da Câmara do instrumentodo indicador da ponta ativa Valor base atualizado da ponta ativa Preço inicial da ponta ativa Percentual da variável da ponta ativa Juro da ponta ativa Texto 3 Exemplos: SDC, SDL Data AAAA-MM-DD Campo opcional Data Alfanumérico 255 Alfanumérico 10 AAAA-MM-DD Alfanumérico 16 BVMF 4 - ISIN 8 - Symbol H - Clearinghouse Campo opcional Campo opcional Campo opcional 18

19 Campos para swaps de cesta de ações - Estes campos se repetem para cada ação Identificação do instrumento do indicador da ponta Alfanumérico 255 passiva Origem do 4 - ISIN instrumento do Alfanumérico Symbol indicador da ponta H - Clearinghouse passiva Identificação da Câmara do instrumento do Alfanumérico 16 BVMF indicador da ponta passiva Valor base atualizado da ponta passiva Preço inicial da ponta passiva Campo opcional Percentual da variável da ponta Campo opcional passiva Juro da ponta passiva Campo opcional Tipo Alfanumérico 13 EQUITY_BASKET ID do contrato Alfanumérico 255 Deve ser o mesmo do swap Ponta Alfanumérico 7 ACTIVE - se a cesta de ações estiver na ponta ativa PASSIVE - se a cesta de ações estiver na ponta passiva 19

20 da cesta Contrato do Mercado de Balcão - Opção Flexível Identificação da Câmara do instrumento do da ação Identificação do instrumento da ação Origem do instrumento da ação Percentual da ação na cesta Alfanumérico 16 BVMF Alfanumérico 255 Alfanumérico 10 Preço da ação Tipo Texto 3 OTC Tipo de instrumento ISIN 8 - Symbol H - Clearinghouse 0 a 100 A soma do percentual das ações da cesta deve resultar em (se a opção for Put) ou 83 (se a opção for Call) ID do contrato Alfanumérico 255 Identificador do contrato Código do Contrato Texto 3 Exemplos: OFC, OFV Data de vencimento Data AAAA-MM-DD Quantidade Campo obrigatório se o valor base estiver vazio Identificação do instrumento do ativo objeto Alfanumérico

21 Campos para barreiras de opções Origem do instrumento do ativo objeto Identificação da Câmara do instrumento do ativo objeto Número de dias para cálculo de média Valor base Prêmio Data de pagamento do prêmio Alfanumérico 10 Alfanumérico 16 BVMF Data Tipo de Operação Texto 4 Tipo de Opção Texto 1 Preço de Exercício Data de acionamento da barreira knock-in Data AAAA-MM-DD AAAA-MM-DD 4 - ISIN 8 - Symbol H - Clearinghouse Preenchido apenas para opções asiáticas Campo obrigatório se a quantidade estiver vazia BUY - se for compra SELL - se for venda E - se for Européia A - se for Americana ou Asiática Campo opcional, preenchido apenas para opções com barreira knock-in Tipo Texto 14 OPTION_BARRIER ID do contrato Alfanumérico 255 Deve ser o mesmo da opção Valor da Barreira 21

22 flexíveis - estes campos se repetem para cada barreira da opção Contrato do Mercado de Balcão - Contratos a termo Tipo de Barreira Texto KNOCK_IN_DOWN KNOCK_IN_UP KNOCK_OUT_DOWN KNOCK_OUT_UP LIMIT Tipo de Rebate Texto 1 V se for Valor P se for percentual Campo preenchido apenas para barreiras knock in ou knock out Valor do Rebate Campo preenchido apenas para barreiras knock in ou knock out Rebate em T+0 Texto Y se o pagamento do rebate for em T+0 N caso contrário Campo preenchido apenas para barreiras knock in ou knock out Tipo Texto 3 OTC Tipo de instrumento 2 84 ID do contrato Alfanumérico 255 Identificador do contrato Código do Contrato Texto 3 Exemplos: TMC, TMM Data de vencimento Data AAAA-MM-DD Valor base ou Quantidade 22

23 Identificação do instrumento do ativo objeto Origem do instrumento do ativo objeto Identificação da Câmara do ativo objeto Alfanumérico 255 Alfanumérico 10 Tipo de operação Texto 4 Preço a termo Alfanumérico 16 BVMF 4 - ISIN 8 - Symbol H - Clearinghouse BUY - se for compra SELL - se for venda 23

Arquivos de Parâmetros, Cenários e Simulação de Risco Relatório de Definições de Arquivos

Arquivos de Parâmetros, Cenários e Simulação de Risco Relatório de Definições de Arquivos Arquivos de Parâmetros, Cenários e Simulação Relatório de Definições de Arquivos Este documento descreve um conjunto de definições de arquivos desenvolvidos pela BM&FBOVESPA, a serem utilizados no processo

Leia mais

Arquivos de Parâmetros, Cenários e Simulação de Risco Relatório de Definições de Arquivos

Arquivos de Parâmetros, Cenários e Simulação de Risco Relatório de Definições de Arquivos Arquivos de Parâmetros, Cenários e Simulação Relatório de Definições de Arquivos Este documento descreve um conjunto de definições de arquivos desenvolvidos pela BM&FBOVESPA, a serem utilizados no processo

Leia mais

Arquivos de Parâmetros, Cenários e Simulação de Risco Relatório de Definições de Arquivos

Arquivos de Parâmetros, Cenários e Simulação de Risco Relatório de Definições de Arquivos Arquivos de Parâmetros, Cenários e Simulação Relatório de Definições de Arquivos Este documento descreve um conjunto de definições de arquivos desenvolvidos pela BM&FBOVESPA, a serem utilizados no processo

Leia mais

Arquivos de Parâmetros, Cenários e Simulação de Risco Relatório de Definições de Arquivos

Arquivos de Parâmetros, Cenários e Simulação de Risco Relatório de Definições de Arquivos Arquivos de Parâmetros, Cenários e Simulação de Risco Relatório de Definições de Arquivos Este documento descreve um conjunto de definições de arquivos desenvolvidos pela BM&FBOVESPA, a serem utilizados

Leia mais

Projeto IPN Integração do Pós- Negociação Boletim da 14ª Reunião do GT-Testes 26 de setembro de 2013

Projeto IPN Integração do Pós- Negociação Boletim da 14ª Reunião do GT-Testes 26 de setembro de 2013 Projeto IPN Integração do Pós- Negociação Boletim da 14ª Reunião do GT-Testes 26 de setembro de 2013 A implantação da integração das clearings da BM&FBOVESPA e do novo sistema de risco CORE (Closeout Risk

Leia mais

Introdução às Opções Flexíveis... 5. Registro... 9. Operações... 69. Consultas... 89. Informações Adicionais... 98

Introdução às Opções Flexíveis... 5. Registro... 9. Operações... 69. Consultas... 89. Informações Adicionais... 98 Versão:10/12/2012 Atualizado em: 07/08/2013 i Opções Flexíveis sobre Taxa de Câmbio, Ações ou Índices Conteúdo Introdução às Opções Flexíveis... 5 Conhecendo o produto... 6 Ações dos botões das telas...

Leia mais

Workshop Certificação Fase 7 Mensagens de alocação, repasse, controle de posições e de liquidação

Workshop Certificação Fase 7 Mensagens de alocação, repasse, controle de posições e de liquidação Workshop Certificação Fase 7 Mensagens de alocação, repasse, controle de posições e de liquidação Outubro de 2013 A implantação da integração das clearings da BM&FBOVESPA e do novo sistema de risco CORE

Leia mais

Telas de controle de posições e de liquidação

Telas de controle de posições e de liquidação Workshop Certificação Fase 5 Telas de controle de posições e de liquidação Agosto de 2013 A implantação da integração das clearings da BM&FBOVESPA e do novo sistema de risco CORE (Closeout Risk Evaluation)

Leia mais

Perguntas e Respostas sobre Gerenciamento de Risco

Perguntas e Respostas sobre Gerenciamento de Risco Perguntas e Respostas sobre Gerenciamento de Risco 36 questões com gabarito FICHA CATALOGRÁFICA (Catalogado na fonte pela Biblioteca da BM&FBOVESPA Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros) GERENCIAMENTO

Leia mais

Atualizações da Versão... 3. Introdução às Opções Flexíveis... 5 Conhecendo o produto... 6 Ações dos botões das telas... 8. Lançamentos...

Atualizações da Versão... 3. Introdução às Opções Flexíveis... 5 Conhecendo o produto... 6 Ações dos botões das telas... 8. Lançamentos... Conteúdo Atualizações da Versão... 3 Introdução às Opções Flexíveis... 5 Conhecendo o produto... 6 Ações dos botões das telas... 8 Lançamentos... 9 Registro de Contrato... 10 Registro de Mercadoria...

Leia mais

Operações com derivativos (item 7 do edital BB)

Operações com derivativos (item 7 do edital BB) Operações com derivativos (item 7 do edital BB) Prof.Nelson Guerra set / 2012 INTRODUÇÃO Os preços gerais das mercadorias agrícolas, das taxas de juros e do câmbio têm-se mostrado altamente instável no

Leia mais

Contrato de Opção Flexível de Compra sobre Índice de Taxa de Juro Spot Especificações

Contrato de Opção Flexível de Compra sobre Índice de Taxa de Juro Spot Especificações Contrato de Opção Flexível de Compra sobre Índice de Taxa de Juro Spot Especificações 1. Definições Contrato (especificações): termos e regras sob os quais as operações serão realizadas e liquidadas. Compra

Leia mais

Campo Formato Posição Descrição/conteúdo ID do Sistema X(05) 1-5 OPCAO ID Tipo de Linha 9(01) 6-6 Linha de Header = 0 Código da

Campo Formato Posição Descrição/conteúdo ID do Sistema X(05) 1-5 OPCAO ID Tipo de Linha 9(01) 6-6 Linha de Header = 0 Código da Opções Flexíveis Nome do Arquivo Registro de Contrato de Opção Flexível Tamanho do Registro Caracteres Header Campo Formato Posição Descrição/conteúdo ID do Sistema X(05) 1-5 OPCAO ID Tipo de Linha 9(01)

Leia mais

POLÍTICAS. Política de Risco de Mercado

POLÍTICAS. Política de Risco de Mercado POLÍTICAS Versão: 1.3 Política Institucional de Risco de Mercado Vigência: 26.02.2009 Atualização: 21.12.2009 1- Introdução Definição: Risco de mercado é a possibilidade de ocorrência de perdas resultantes

Leia mais

Manual para o Preenchimento do Layout de Posição de Fundos e Carteiras

Manual para o Preenchimento do Layout de Posição de Fundos e Carteiras Manual para o Preenchimento do Layout de Posição de Fundos e Carteiras Versão 4.01 Outubro de 2009 13/10/2009 1 ÍNDICE Objetivo do Layout de posição... 03 Regras para o Nome do Arquivo...... 04 Estrutura

Leia mais

COE - Certificado de Operações Estruturadas. Biblioteca de Estruturas COE

COE - Certificado de Operações Estruturadas. Biblioteca de Estruturas COE COE - Certificado de Operações Estruturadas Biblioteca de Estruturas COE Versão 1.2 Maio/14 Data Versão Descrição Fev/2014 1.1. Versão Inicial Maio/2014 1.2. 1. Características Funcionais do COE Inclusão

Leia mais

Projeto de Integração das Clearings

Projeto de Integração das Clearings Projeto de Integração das Clearings Início da Fase 2 Clearing de Renda Variável e Renda Fixa Privada A implantação da 2ª Fase do Projeto de Integração das Clearings depende da aprovação dos órgãos reguladores

Leia mais

10.1DAS CARACTERÍSTICAS E DEFINIÇÕES DO MERCADO DE OPÇÕES. a) Ativo-objeto - o Ativo admitido à negociação na Bolsa, a que se refere a opção;

10.1DAS CARACTERÍSTICAS E DEFINIÇÕES DO MERCADO DE OPÇÕES. a) Ativo-objeto - o Ativo admitido à negociação na Bolsa, a que se refere a opção; 1 / 7 CAPÍTULO X DO MERCADO DE OPÇÕES 10.1DAS CARACTERÍSTICAS E DEFINIÇÕES DO MERCADO DE OPÇÕES 10.1.1 O mercado de opções compreende as operações relativas à negociação de direitos outorgados aos titulares

Leia mais

Biblioteca de Estruturas COE

Biblioteca de Estruturas COE COE - Certificado de Operações Estruturadas Biblioteca de Estruturas COE Versão 1.1 Fevereiro/2014 Em caso de dúvidas, consultas ou para solicitação de novas estruturas favor contatar: Natalia Cristina

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA BOLSA DE VALORES DE SÃO PAULO S.A. 1 / 6. Capítulo Revisão Data

MANUAL DE PROCEDIMENTOS OPERACIONAIS DA BOLSA DE VALORES DE SÃO PAULO S.A. 1 / 6. Capítulo Revisão Data DA BOLSA DE VALORES DE SÃO PAULO S.A. 1 / 6 CAPÍTULO X DO MERCADO DE OPÇÕES 10.1 CODIFICAÇÃO DAS SÉRIES A codificação utilizada no mercado de opções é composto de 5 letras (as 4 primeiras correspondem

Leia mais

Soluções em Recebimentos. Manual Técnico

Soluções em Recebimentos. Manual Técnico Soluções em Recebimentos CNAB400/CBR641 Manual Técnico Layout de Arquivo Remessa para convênios na faixa numérica entre 000.001 a 999.999 (Convênios de até 6 posições) Orientações Técnicas Versão Set/09

Leia mais

Versão v 2.00 Outubro 2007 01/10/2007

Versão v 2.00 Outubro 2007 01/10/2007 Manual para o Preenchimento do Layout de Movimentação de Fundos e Carteiras Versão v 2.00 Outubro 2007 01/10/2007 1 ÍNDICE Objetivo do Layout de posição... 03 Valores Padrões e Fontes de Informação......

Leia mais

CORE CloseOut Risk Evaluation Apresentação para mercado

CORE CloseOut Risk Evaluation Apresentação para mercado CORE CloseOut Risk Evaluation Apresentação para mercado Novembro de 2012 A implantação da integração das clearings da BM&FBOVESPA e do novo sistema de risco CORE (Closeout Risk Evaluation) depende de prévia

Leia mais

II - os limites mínimos de exposição presentes no regulamento

II - os limites mínimos de exposição presentes no regulamento A construção das taxas spot é obtida mediante a acumulação das taxas a termo implícitas entre os vencimentos dos instrumentos financeiros listados, assumida a hipótese de que a taxa a termo entre os vencimentos

Leia mais

Integração das Clearings da BM&FBOVESPA e Novo Modelo de Risco CORE (Closeout Risk Evaluation)

Integração das Clearings da BM&FBOVESPA e Novo Modelo de Risco CORE (Closeout Risk Evaluation) Integração das Clearings da BM&FBOVESPA e Novo Modelo de Risco CORE (Closeout Risk Evaluation) Outubro de 2014 CLASSIFICAÇÃO DA INFORMAÇÃO (MARQUE COM UM X ): CONFIDENCIAL RESTRITA CONFIDENCIAL USO INTERNO

Leia mais

1 Tipo de Produto X(05) 1 5 LCA/CDCA/CRA Tipo do Produto 2 Tipo de Registro X(01) 6 6 0 Registro Header 3 Ação X(04) 7 10 INCL Registro de STA

1 Tipo de Produto X(05) 1 5 LCA/CDCA/CRA Tipo do Produto 2 Tipo de Registro X(01) 6 6 0 Registro Header 3 Ação X(04) 7 10 INCL Registro de STA Versão: 25/10/2010 TÍTULOS DO AGRONEGÓCIO Nome do Arquivo Registro de LCA / CDCA Header Campo Formato Posição Conteúdo Descrição 1 Tipo de Produto X(05) 1 5 LCA/CDCA/CRA Tipo do Produto 2 Tipo de Registro

Leia mais

Programa IPN Certificação com o Mercado

Programa IPN Certificação com o Mercado Programa IPN Certificação com o Mercado A implantação da integração das clearings da BM&FBOVESPA e do novo sistema de risco CORE (Closeout Risk Evaluation) depende de prévia autorização dos órgãos reguladores

Leia mais

Derivativos de Balcão. Opções Flexíveis

Derivativos de Balcão. Opções Flexíveis Derivativos de Balcão Opções Flexíveis Opções Flexíveis Proteção contra a volatilidade de preços O produto Opção flexível é um contrato em que o titular tem direito, mas não obrigação, de comprar (ou vender)

Leia mais

Gestão Tesouraria e Derivativos Prof. Cleber Rentroia MBA em Gestão Financeira Avançada

Gestão Tesouraria e Derivativos Prof. Cleber Rentroia MBA em Gestão Financeira Avançada 1. O direito de compra de um ativo, a qualquer tempo, pelo respectivo preço preestabelecido, caracteriza uma opção? a) Européia de venda b) Européia de compra c) Americana de venda d) Americana de compra

Leia mais

MERCADO DE CAPITAIS. Bolsas de Valores ou de Mercadorias. Cronologia da criação dos mercados de bolsas no mundo e no Brasil

MERCADO DE CAPITAIS. Bolsas de Valores ou de Mercadorias. Cronologia da criação dos mercados de bolsas no mundo e no Brasil MERCADO DE CAPITAIS Prof. Msc. Adm. José Carlos de Jesus Lopes Bolsas de Valores ou de Mercadorias São centros de negociação onde reúnem-se compradores e vendedores de ativos padronizados (ações, títulos

Leia mais

Curso Introdução ao Mercado de Ações

Curso Introdução ao Mercado de Ações Curso Introdução ao Mercado de Ações Módulo 2 Continuação do Módulo 1 www.tradernauta.com.br Sistema de negociação da Bovespa e Home Broker Mega Bolsa Sistema implantado em 1997, é responsável por toda

Leia mais

Mercado a Termo de Ações

Mercado a Termo de Ações Prof Giácomo Diniz Módulo I Dfiiã Definição Tradicional i São acordos fechados entre partes de compra e venda de um determinadoativo. Nahoradacontrataçãoaspartesestabelecemo preço para a liquidação em

Leia mais

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO...1 CAPÍTULO 2 CONCEITOS BÁSICOS DE MERCADOS FUTUROS..5 CAPÍTULO 3 MERCADO FUTURO DE DÓLAR COMERCIAL...

SUMÁRIO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO...1 CAPÍTULO 2 CONCEITOS BÁSICOS DE MERCADOS FUTUROS..5 CAPÍTULO 3 MERCADO FUTURO DE DÓLAR COMERCIAL... SUMÁRIO CAPÍTULO 1 INTRODUÇÃO..................................1 CAPÍTULO 2 CONCEITOS BÁSICOS DE MERCADOS FUTUROS..5 2.1 Introdução...........................................5 2.2 Posições.............................................6

Leia mais

CARACTERÍSTICAS OPERACIONAIS DOS MERCADOS 239 questões com gabarito

CARACTERÍSTICAS OPERACIONAIS DOS MERCADOS 239 questões com gabarito 239 questões com gabarito FICHA CATALOGRÁFICA (Catalogado na fonte pela Biblioteca da BM&F BOVESPA Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros) CARACTERÍSTICAS OPERACIONAIS : 239 questões com gabarito. São

Leia mais

Manual Configuração Esquema Contábil

Manual Configuração Esquema Contábil Manual Configuração Esquema Contábil MARÇO/2013 Sumário 1. Introdução... 3 2. Funcionalidade... 3 3. Acesso ao Sistema Parâmetros... 3 4. Configurar o Esquema Contábil... 4 4.1. Inserir Palavra Chave...

Leia mais

Paulo Roberto Mendonça Superintendente Geral

Paulo Roberto Mendonça Superintendente Geral COMUNICADO SPR Nº 007/02 Aos Participantes do Sistema de Proteção Contra Riscos Financeiros SPR A Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos CETIP comunica que, atendendo demanda de instituições

Leia mais

5/3/2012. Derivativos. Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho. Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho

5/3/2012. Derivativos. Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho. Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho Derivativos Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho 1 Prof. Dr. Bolivar Godinho de Oliveira Filho Currículo Economista com pós-graduação em Finanças pela FGV-SP, mestrado em Administração pela PUC-SP

Leia mais

São considerados Sistemas de Negociação os seguintes sistemas eletrônicos da BOVESPA:

São considerados Sistemas de Negociação os seguintes sistemas eletrônicos da BOVESPA: C A P Í T U L O I I - R E G I S T R O E A C E I T A Ç Ã O D E O P E R A Ç Õ E S 1. R EGISTRO DE O PERAÇÕES A CBLC registra Operações realizadas nos Sistemas de Negociação para os quais presta serviço.

Leia mais

INTRODUÇÃO 4 ELEGIBILIDADE 7 METODOLOGIA 9 CÁLCULOS DO DELTA ( ) 17 EXEMPLOS 18 I. TERMO DE MOEDAS 18 II. SWAP 22 III. OPÇÕES 24

INTRODUÇÃO 4 ELEGIBILIDADE 7 METODOLOGIA 9 CÁLCULOS DO DELTA ( ) 17 EXEMPLOS 18 I. TERMO DE MOEDAS 18 II. SWAP 22 III. OPÇÕES 24 13/01/2012 INTRODUÇÃO 4 DISPOSIÇÕES GERAIS SOBRE O IOF 4 RECOLHIMENTO DO TRIBUTO 5 RELATÓRIO ENVIADOS PELAS CÂMARAS 6 ELEGIBILIDADE 7 OPERAÇÕES ELEGÍVEIS À TRIBUTAÇÃO DO IOF 7 OPERAÇÕES INELEGÍVEIS À TRIBUTAÇÃO

Leia mais

Separador Ponto e vírgula (;). Código ISIN do Instrumento Financeiro. Separador Ponto e vírgula (;). Código Conta Cetip(Emissor) Código Cetip.

Separador Ponto e vírgula (;). Código ISIN do Instrumento Financeiro. Separador Ponto e vírgula (;). Código Conta Cetip(Emissor) Código Cetip. Versão: 25/11/2011 Título e Valores Mobiliários Nome do Arquivo Direcionado ao: Participante e Cetip DALTERAÇÕES Este arquivo é gerado quando houver alterações no Instrumento Financeiro. Para os tipos

Leia mais

Projeto IPN Integração do Pós- Negociação

Projeto IPN Integração do Pós- Negociação Projeto IPN Integração do Pós- Negociação Boletim 5ª Reunião do GT-Testes 7 de Fevereiro de 2013 A implantação do IPN depende de prévia autorização dos órgãos reguladores A implantação da integração das

Leia mais

Contrato de Opção Flexível de Venda sobre. It Now ISE Fundo de Índice. - Especificações -

Contrato de Opção Flexível de Venda sobre. It Now ISE Fundo de Índice. - Especificações - Contrato de Opção Flexível de Venda sobre It Now ISE Fundo de Índice (ISUS11) - Especificações - 1. Definições Contrato (especificações): It Now ISE Fundo de Índice (ISUS11): Contrato negociado: Compra

Leia mais

TERMO DE MOEDAS¹ COM GARANTIA. Especificações

TERMO DE MOEDAS¹ COM GARANTIA. Especificações TERMO DE MOEDAS¹ COM GARANTIA Especificações 1. Definições Taxa de câmbio Objeto de negociação do contrato quando a relação for estabelecida em quantidade de reais por uma unidade de moeda estrangeira

Leia mais

MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE LIQUIDEZ

MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE LIQUIDEZ MANUAL DE GERENCIAMENTO DE RISCO DE LIQUIDEZ Fundos de Investimento constituídos sob a forma de condomínio aberto Publicação 31/03/2015 - versão 003 Responsável: Compliance e Riscos Gestoras PETRA 0 ÍNDICE

Leia mais

COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS - SECRETARIA EXECUTIVA

COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS - SECRETARIA EXECUTIVA COMISSÃO DE VALORES MOBILIÁRIOS - SECRETARIA EXECUTIVA DELIBERAÇÃO Nº 550, DE 17 DE OUTUBRO DE 2008: Dispõe sobre a apresentação de informações sobre instrumentos financeiros derivativos em nota explicativa

Leia mais

Mercado de Opções Opções de Compra Aquisição

Mercado de Opções Opções de Compra Aquisição Mercado de Opções Opções de Compra Aquisição Ao comprar uma opção, o aplicador espera uma elevação do preço da ação, com a valorização do prêmio da opção. Veja o que você, como aplicador, pode fazer: Utilizar

Leia mais

Atualizações da Versão... 3. Introdução aos Derivativos Realizados no Exterior... 5 Conhecendo o Produto... 6 Ações dos Botões das Telas...

Atualizações da Versão... 3. Introdução aos Derivativos Realizados no Exterior... 5 Conhecendo o Produto... 6 Ações dos Botões das Telas... Versão: 18/08/2014 Atualizado em: 11/05/2016 Derivativos Realizados no Exterior Conteúdo Atualizações da Versão... 3 Introdução aos Derivativos Realizados no Exterior... 5 Conhecendo o Produto... 6 Ações

Leia mais

Cotas de Fundos de Investimento em Ações FIA

Cotas de Fundos de Investimento em Ações FIA Renda Variável Cotas de Fundos de Investimento em Ações FIA Cotas de Fundos de Investimento em Ações - FIA Mais uma alternativa na diversificação da carteira de investimento em ações O produto O Fundo

Leia mais

IIIIIIII HAND INVENTORY

IIIIIIII HAND INVENTORY MANUAL DE OPERAÇÃO IIIIIIII HAND INVENTORY INVENTÁRIO GENÉRICO e-mail: comercial@mobilitysistemas.com.br site: www.mobilitysistemas.com.br Índice 1 - Introdução... 2 2 - Instalação... 2 2.1. Palm Desktop...

Leia mais

Particularidades BB. Leiaute CNAB 240. julho / 2011

Particularidades BB. Leiaute CNAB 240. julho / 2011 Particularidades BB Leiaute CNAB 240 julho / 2011 Sumário Assunto página Últimas Alterações 3 Header de Arquivo 5 Header de Lote 6 Segmento P 8 Segmento Q 11 Segmento R 13 Segmento S 15 Segmento Y-01 16

Leia mais

Versão: 01/07/2013 Atualizado em: 06/09/2013

Versão: 01/07/2013 Atualizado em: 06/09/2013 Versão: 01/07/2013 Atualizado em: 06/09/2013 i Conteúdo Conteúdo Introdução ao Swap... 1 Conhecendo o Produto... 2 Ações dos botões das telas... 5 Lançamento... 7 Registro de Contrato - Fluxo Constante...

Leia mais

Estrutura de gestão do Risco de Mercado no BNDES. 1. Introdução

Estrutura de gestão do Risco de Mercado no BNDES. 1. Introdução 1 Estrutura de gestão do Risco de Mercado no BNDES 1. Introdução A Gestão de Riscos de Mercado é a atividade por meio da qual uma instituição financeira administra os riscos resultantes de variações nas

Leia mais

INSTRUÇÃO CVM Nº 475, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2008

INSTRUÇÃO CVM Nº 475, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2008 Dispõe sobre a apresentação de informações sobre instrumentos financeiros, em nota explicativa específica, e sobre a divulgação do quadro demonstrativo de análise de sensibilidade. Revoga a Instrução CVM

Leia mais

Manual do usuário SIACC CAIXA Programado 1

Manual do usuário SIACC CAIXA Programado 1 Manual do usuário SIACC CAIXA Programado 1 Índice ACESSO AO SISTEMA CAIXA PROGRAMADO PELA PRIMEIRA VEZ... 6 CONFIGURAÇÕES NECESSÁRIAS PARA ACESSAR O SISTEMA... 6 TELA DE ACESSO AO SISTEMA CAIXA PROGRAMADO...

Leia mais

Folha Pagamento Salário - Padrão 150 FEBRABAN

Folha Pagamento Salário - Padrão 150 FEBRABAN Arquivo com registros de 150 bytes próprios do sistema SICOV DESCRIÇÃO DOS REGISTROS DO ARQUIVO scrição do Registro "A" - HEADER Obrigatório em todos os arquivos A.01 1 1 X(01) Código do registro = "A"

Leia mais

Banco Safra S.A. Tradição Secular de Segurança

Banco Safra S.A. Tradição Secular de Segurança Banco Safra S.A. Tradição Secular de Segurança MANUAL DE TRANSFERÊNCIA DE ARQUIVOS CARTÃO DE PAGAMENTO PRODUTO 710 LAYOUT PADRÃO SAFRA 400 Versão: Dezembro 2008 Central de Atendimento a Clientes Telefones

Leia mais

Atualizações da Versão... 1. Introdução... 2 Conhecendo o Serviço... 3 Ações dos botões das telas... 4

Atualizações da Versão... 1. Introdução... 2 Conhecendo o Serviço... 3 Ações dos botões das telas... 4 Versão: 23/11/2015 Atualizado em: 23/11/2015 i Transferência de Arquivos Conteúdo Atualizações da Versão... 1 Introdução... 2 Conhecendo o Serviço... 3 Ações dos botões das telas... 4 Arquivos... 5 Receber

Leia mais

CONTRATOS DERIVATIVOS. Opção sobre Futuro de Boi Gordo

CONTRATOS DERIVATIVOS. Opção sobre Futuro de Boi Gordo CONTRATOS DERIVATIVOS Opção sobre Futuro de Boi Gordo Opção sobre Futuro de Boi Gordo O Contrato de Opção sobre Futuro de Boi Gordo com Liquidação Financeira foi lançado pela BM&FBOVESPA, em 22/07/1994,

Leia mais

Treinamento. Módulo. Escritório Virtual. Sistema Office. Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual do sistema Office

Treinamento. Módulo. Escritório Virtual. Sistema Office. Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual do sistema Office Treinamento Módulo Escritório Virtual Sistema Office Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual do sistema Office 1. Atualização do sistema Para que este novo módulo seja ativado,

Leia mais

SISTEMA DA NOTA FISCAL PAULISTANA

SISTEMA DA NOTA FISCAL PAULISTANA SISTEMA DA NOTA FISCAL PAULISTANA Manual de Exportação de NFTS Instruções e Layout Versão 2.0 Para baixar a versão mais atualizada deste documento, acesse o endereço: http://www.nfpaulistana.prefeitura.sp.gov.br/informacoes_gerais.asp

Leia mais

CONTRATOS DERIVATIVOS. Futuro de IGP-M

CONTRATOS DERIVATIVOS. Futuro de IGP-M CONTRATOS DERIVATIVOS Futuro de IGP-M Futuro de IGP-M Ferramenta de gerenciamento de risco contra a variação do nível de preços de diversos setores da economia O produto Para auxiliar o mercado a se proteger

Leia mais

MANUAL VTWEB CLIENT URBANO

MANUAL VTWEB CLIENT URBANO MANUAL VTWEB CLIENT URBANO A marca do melhor atendimento. Conteúdo... 2 1. Descrição... 3 2. Cadastro no sistema... 3 2.1. Pessoa Jurídica... 3 2.2. Pessoa Física... 5 2.3. Concluir o cadastro... 6 3.

Leia mais

Parametrização e configuração da ferramenta IBM Algo One ALM Base e outro Dúvida: Esclarecimento: 1. Dúvida: Esclarecimento: Dúvida:

Parametrização e configuração da ferramenta IBM Algo One ALM Base e outro Dúvida: Esclarecimento: 1. Dúvida: Esclarecimento: Dúvida: 1 Dúvida: Sobre Conciliar contabilmente os saldos da rubricas contábeis... e Consultar o resultado da conciliação..., entendemos que o Banco deseja que seja desenvolvido um relatório que concilie, com

Leia mais

Escritório Virtual Administrativo

Escritório Virtual Administrativo 1 Treinamento Módulos Escritório Virtual Administrativo Sistema Office Instruções para configuração e utilização do módulo Escritório Virtual e módulo Administrativo do sistema Office 2 3 1. Escritório

Leia mais

Gerencie Carteira - PF

Gerencie Carteira - PF Gerencie Carteira - PF Mais negócios para a sua empresa, com melhor resultado e o risco sob controle. Manual do Produto Manual do Produto 1 Índice Produto 02 Meio de acesso 02 Carteira de Clientes Pessoa

Leia mais

Sistema de Cadastro Selic

Sistema de Cadastro Selic BM&FBOVESPA S.A. Bolsa de Valores, Mercadorias e Futuros Sistema de Cadastro Selic Diretoria Executiva de Clearings, Depositária e de Risco Versão 2.0 SUMÁRIO 1 ACESSO AO SISTEMA... 3 2 SOLICITAÇÃO DE

Leia mais

LAYOUT FINAL DE PEDIDOS

LAYOUT FINAL DE PEDIDOS LAYOUT FINAL DE PEDIDOS Página 1 de 12 INDICE INDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3 CONSIDERAÇÕES INICIAIS... 3 OBJETIVOS DO LAYOUT... 3 DESCRIÇÃO DOS CAMPOS... 3 PRODUTO VISA VALE... 4 ORGANIZAÇÃO DOS REGISTROS...

Leia mais

Soluções em Recebimentos. Cobrança BB. Manual Técnico

Soluções em Recebimentos. Cobrança BB. Manual Técnico Soluções em Recebimentos Cobrança BB Layout de Arquivo Remessa CNAB400 Manual Técnico Orientações Técnicas CONVÊNIOS COM NÚMERAÇÃO ACIMA DE 1.000.000 Versão Abril 2012 1. Apresentação CONCEITO: Arquivo

Leia mais

Míni de Dólar WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você.

Míni de Dólar WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você. Míni de Dólar WEBTRADING É acessível. É descomplicado. É para você. FUTURO WEBTRADING EM UM CLIQUE O futuro em um clique Com apenas um clique, você pode negociar minicontratos. O acesso ao WTr é simples,

Leia mais

1. Escritório Virtual... 5. 1.1. Atualização do sistema...5. 1.2. Instalação e ativação do sistema de Conexão...5

1. Escritório Virtual... 5. 1.1. Atualização do sistema...5. 1.2. Instalação e ativação do sistema de Conexão...5 1 2 Índice 1. Escritório Virtual... 5 1.1. Atualização do sistema...5 1.2. Instalação e ativação do sistema de Conexão...5 1.3. Cadastro do Escritório...5 1.4. Logo Marca do Escritório...6...6 1.5. Cadastro

Leia mais

SUPORTE TÉCNICO EBS. E-mail: Envie-nos suas dúvidas e/ou sugestões para suporte@ebs.com.br.

SUPORTE TÉCNICO EBS. E-mail: Envie-nos suas dúvidas e/ou sugestões para suporte@ebs.com.br. C C P SUPORTE TÉCNICO EBS Horário de atendimento: Das 08h30min às 18h, de Segunda a Sexta-feira. Formas de atendimento: E-mail: Envie-nos suas dúvidas e/ou sugestões para suporte@ebs.com.br. Suporte On-Line

Leia mais

APOSTILA PROVISÃO E CONTABILIZAÇÃO

APOSTILA PROVISÃO E CONTABILIZAÇÃO APOSTILA PROVISÃO E CONTABILIZAÇÃO ANO 2004 1 ÍNDICE 1 - Provisão de 13º Salário e Férias Preparando a Provisão 1.1 Cadastro de Provisão de férias 1.2 Cadastro de provisão de 13º Salário 1.3 Relatório

Leia mais

Cotas de Fundos de Investimento em Participações - FIP

Cotas de Fundos de Investimento em Participações - FIP Renda Variável Cotas de Fundos de Investimento em Participações - Fundo de Investimento em Participações Investimento estratégico com foco no resultado provocado pelo desenvolvimento das companhias O produto

Leia mais

Convênio, Contrato de Repasse e Termo de

Convênio, Contrato de Repasse e Termo de MINISTÉRIO DO PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E GESTÃO SECRETARIA DE LOGÍSTICA E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE SUPORTE À GESTÃO DO SISTEMA DE TRANSFERÊNCIAS VOLUNTÁRIAS DA UNIÃO Portal dos Convênios

Leia mais

Míni de Ibovespa WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você.

Míni de Ibovespa WEBTRADING. É acessível. É descomplicado. É para você. Míni de Ibovespa WEBTRADING É acessível. É descomplicado. É para você. WEBTRADING O futuro em um clique Com apenas um clique, você pode negociar minicontratos. O acesso ao WTr é simples, rápido e seguro.

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Novo procedimento de cadastramento dos trabalhadores no cadastro Número de Inscrição Social (NIS)

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Novo procedimento de cadastramento dos trabalhadores no cadastro Número de Inscrição Social (NIS) Novo procedimento de cadastramento dos trabalhadores no cadastro 11/09/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 3 4. Conclusão...

Leia mais

Integração Back Office Datasul x Neogrid S&OP

Integração Back Office Datasul x Neogrid S&OP Integração Back Office Datasul x Neogrid S&OP Agosto/2014 Sumário 1. Contexto de negócio (Introdução)... 3 2. Sistemas Envolvidos... 3 3. Integração... 3 4. Escopo... 4 4.1. Itens (saída do ERP)... 5 4.2.

Leia mais

Folha Pagamento Salário - Padrão 150 FEBRABAN

Folha Pagamento Salário - Padrão 150 FEBRABAN Arquivo com registros de 150 bytes próprios do sistema SICOV DESCRIÇÃO DOS REGISTROS DO ARQUIVO scrição do Registro "A" - HEADER Obrigatório em todos os arquivos A.01 1 1 X(01) Código do registro = "A"

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS SUPERXCAP

CONDIÇÕES GERAIS SUPERXCAP CONDIÇÕES GERAIS SUPERXCAP Versão 2013 Processo SUSEP Nº: 15414.900275/2013-83 ÍNDICE I II III IV V VI VII VIII IX X XI XII XIII XIV INFORMAÇÕES INICIAIS........... Pág. 4 GLOSSÁRIO... Pág. 4 OBJETIVO...

Leia mais

Financeiro - Boleto : Remessa e Retorno

Financeiro - Boleto : Remessa e Retorno Financeiro - Boleto : Remessa e Retorno Objetivo Configurar Arquivos de Remessa; Gerar Arquivos de Remessa; Configurar Arquivo de Retorno; Receber arquivos de retorno do banco e efetuar a baixa das Contas

Leia mais

O F Í C I O C I R C U L A R

O F Í C I O C I R C U L A R 5 de outubro de 00 143/00-DG O F Í C I O C I R C U L A R Membros de Compensação, Corretoras Associadas e Operadores Especiais Ref.: Limites Mínimo e Máximo para Prêmios, Preços de Exercício e Preços de

Leia mais

PROJETO DE INTEGRAÇÃO DAS CLEARINGS FASE 2

PROJETO DE INTEGRAÇÃO DAS CLEARINGS FASE 2 PROJETO DE INTEGRAÇÃO DAS CLEARINGS FASE 2 Workshop Empréstimo de Ativos 31/08/2015 Clearing de Renda Variável e Renda Fixa Privada A implantação da Fase 2 do Projeto de Integração das Clearings depende

Leia mais

ANEXO ÚNICO. LEIAUTE DO ARQUIVO DA DECLARAÇÃO de Serviços Médicos e de Saúde - Dmed

ANEXO ÚNICO. LEIAUTE DO ARQUIVO DA DECLARAÇÃO de Serviços Médicos e de Saúde - Dmed ANEXO ÚNICO LEIAUTE DO ARQUIVO DA DECLARAÇÃO de Serviços Médicos e de Saúde - Dmed 1. Regras Gerais.. Estrutura de Arquivo:.1. Exemplo de estrutura de declarante Pessoa Jurídica.. Leiaute do arquivo:.1.

Leia mais

Leiaute arquivo multifuncional - RTO

Leiaute arquivo multifuncional - RTO Leiaute - Registro LF Número Identificação Instituição Número de Controle da Remessa 5 X(05) 13 N(13) Número de identificação da instituição no MTA Número de controle do arquivo

Leia mais

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet.

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet. 1. Descrição Geral Este manual descreve as operações disponíveis no módulo VTWEB Client, cuja finalidade é gerenciar cadastros de funcionários, realização de pedidos e controle financeiro dos pedidos.

Leia mais

Normalmente são empresas que prestam serviços e cobram uma manutenção mensal.

Normalmente são empresas que prestam serviços e cobram uma manutenção mensal. DesenvolvimentoBM-1056 Versão 5 Release: 11 Autor: Edson Reis Processo: Emissão de NFS-e Acesso: Controladoria/Fiscal/Gera Lote RPS Motivação Algumas empresas utilizam o recurso que emite nota fiscal de

Leia mais

DERIVATIVOS DE Balcão. Termo de Moedas

DERIVATIVOS DE Balcão. Termo de Moedas DERIVATIVOS DE Balcão Termo de Moedas Termo de Moedas Registro de negociação de taxas de câmbio ou de paridade futura O produto O Contrato a Termo de Moedas possibilita a negociação de taxa de câmbio ou

Leia mais

Módulo Inclusão de Programas

Módulo Inclusão de Programas Leiaute dos Arquivos Módulo Inclusão de Programas Versão 3.1-2014 1 Sumário 1 Formato do Arquivo... 3 2 Formato dos Campos... 3 3 Definições Gerais... 4 3.1 Elaboração de arquivos com mais de um tipo de

Leia mais

Soluções em Recebimentos. Manual Técnico

Soluções em Recebimentos. Manual Técnico Soluções em Recebimentos CNAB400/CBR641 Manual Técnico Layout de Arquivo Remessa para convênios na faixa numérica entre 1.000.000 a 9.999.999 (Convênios de 7 posições) Orientações Técnicas Versão Set/09

Leia mais

ANEXO A COMPOSIÇÃO DISCRIMINADA DA CARTEIRA DE APLICAÇÕES

ANEXO A COMPOSIÇÃO DISCRIMINADA DA CARTEIRA DE APLICAÇÕES ANEXO A COMPOSIÇÃO DISCRIMINADA DA CARTEIRA DE APLICAÇÕES RUBRICA DE 1.º NÍVEL: É preenchido com as constantes A, B, C ou D consoante a informação respeite, respectivamente, à carteira de activos, ao valor

Leia mais

Versão: 22/07/2013 Atualizado em: 22/07/2013

Versão: 22/07/2013 Atualizado em: 22/07/2013 Versão: 22/07/2013 Atualizado em: 22/07/2013 i Derivativos Realizados no Exterior Conteúdo Introdução aos Derivativos Realizados no Exterior... 1 Conhecendo o Produto... 2 Ações dos Botões das Telas...

Leia mais

MANUAL DE NORMAS OPÇÕES FLEXÍVEIS SOBRE AÇÃO, COTA DE FUNDO DE INVESTIMENTO E ÍNDICE

MANUAL DE NORMAS OPÇÕES FLEXÍVEIS SOBRE AÇÃO, COTA DE FUNDO DE INVESTIMENTO E ÍNDICE MANUAL DE NORMAS OPÇÕES FLEXÍVEIS SOBRE AÇÃO, COTA DE FUNDO DE INVESTIMENTO E ÍNDICE VERSÃO: 06/09/2010 MANUAL DE NORMAS OPÇÕES FLEXÍVEIS SOBRE AÇÃO, COTA DE FUNDO DE INVESTIMENTO E ÍNDICE 2/13 ÍNDICE

Leia mais

CDB - Certificado de Depósito Bancário. Manual do Produto. Versão 1.2

CDB - Certificado de Depósito Bancário. Manual do Produto. Versão 1.2 CDB - Certificado de Depósito Bancário Manual do Produto Versão 1.2 Fevereiro/2015 .2. Histórico de Versões Data Versão Descrição Fevereiro / 2014 1.1 Versão inicial Inclusão do Escalonamento; Inclusão

Leia mais

ANEXO V. Dicionário de Dados do SAAJ Sistema de Acompanhamento de Ações Judiciais

ANEXO V. Dicionário de Dados do SAAJ Sistema de Acompanhamento de Ações Judiciais ANEXO V Dicionário de Dados do SAAJ Sistema de Acompanhamento de Ações Judiciais Termo de Referência nº, de / /2012 Termo de Referência nº Pág. 1 de 25 BASE DE DADOS: Apresentada as bases de dados do gerenciador

Leia mais

Mobility Gestão Mobility Gestão Guia de Vendas 07/01/2009

Mobility Gestão Mobility Gestão Guia de Vendas 07/01/2009 Mobility Gestão Guia de Vendas 07/01/2009 O Mobility Gestão é um software de retaguarda para o segmento de Varejo, visando o controle total do estoque e movimentações de venda. Desenvolvido para trabalhar

Leia mais

Manual de Marcação a Mercado MCI 5/12 2ª 1/27

Manual de Marcação a Mercado MCI 5/12 2ª 1/27 Manual de Marcação a Mercado MCI 5/12 2ª 1/27 Sumário 1. PRINCÍPIOS GERAIS... 3 1.1. ESTRUTURA ORGANIZACIONAL E VISÃO GERAL DO PROCESSO... 3 1.2. PRINCIPIOS DA MARCAÇÃO A MERCADO... 4 1.3. CONVENÇÕES ADOTADAS...

Leia mais

Soluções em. Comércio Eletrônico

Soluções em. Comércio Eletrônico Soluções em Comércio Eletrônico Orientações Técnicas para Empresa Convenente Versão 014 21/07/2006 Índice I. Apresentação Vantagens oferecidas... 3 Requisitos necessários... 3 II. Modalidades de Pagamento

Leia mais

Projeto de Integração das Clearings

Projeto de Integração das Clearings Projeto de Integração das Clearings Workshop Técnico Fase 2 Clearing de Renda Variável e Renda Fixa Privada A implantação da Fase 2 do Projeto de Integração das Clearings depende da aprovação dos órgãos

Leia mais