TIRO NO PÉ FACULDADES MILTON CAMPOS PROCESSO SELETIVO 2014/2º

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TIRO NO PÉ FACULDADES MILTON CAMPOS PROCESSO SELETIVO 2014/2º"

Transcrição

1 PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA BRASILEIRA Instrução: Leia, com atenção, o texto a seguir, pois as questões de 1 a 20 se referem a ele. TIRO NO PÉ Por que rever a Lei da Anistia é um erro Alfredo Sirkis 1º Foi francamente irônico o resultado da recente pesquisa do Datafolha sobre a Lei da Anistia. Há uma maioria favorável a revê-la para poder julgar os torturadores e uma maioria, maior ainda, para rejulgar a nós, ex-guerrilheiros, pelas ações que cometemos. 2º Por um instante me vi, com meus 63 anos, no tribunal, respondendo pelos dois sequestros de embaixadores dos quais participei, aos 19, e que propiciaram a libertação de 110 presos políticos, alguns eventualmente destinados à Casa da Morte. Na época fui condenado duas vezes à prisão perpétua (com mais 30 anos de lambuja para a encarnação subsequente) pelas auditorias militares. 3º Costumo dizer que, daquilo tudo, não me orgulho nem me envergonho. Mas já tive pesadelos horrendos: a organização me ordena a executar o embaixador suíço, Giovanni Enrico Bucher um sujeito boa-praça que não gostava da ditadura porque tinham se recusado a libertar todos nossos presos. Tenho uma pistola na mão, mas não quero me tornar um assassino. Acordo coberto de suor frio. 4º Graças a Deus, aquilo terminou bem, e nossos 70 companheiros foram mandados a Santiago do Chile porque consegui convencer nosso comandante, Carlos Lamarca, a aceitar a recusa de alguns dos presos "estratégicos" e negociar a sua substituição por outros que a ditadura Médici aceitava soltar. Hoje vejo num sequestro desse tipo, de um diplomata inocente, ameaçado de execução, mesmo sob uma ditadura, um ato no limite do terrorismo, no que pese o nosso desespero de então. Em alguns casos, esse limite foi ultrapassado. Penso no marinheiro inglês metralhado na praça Mauá, na bomba de Guararapes ou na execução daquele militante que queria deixar uma organização. BALANÇA 5º É possível equiparar esse punhado de atos criminosos à tortura generalizada, institucionalizada, sancionada desde o nível presidencial que se abateu não apenas sobre nós, resistentes armados, como sobre opositores sem violência, como no caso do PCB, e milhares de "simpatizantes" e outros, presos por equívoco? 6º Claro que não; mas essa anistia "recíproca" foi resultado de uma correlação de forças dos idos de 1979, um acordo político que permitiu a libertação dos presos e nossa volta do exílio. 7º O primeiro problema de rever essa lei para poder julgá-los, 40 e tantos anos depois dos fatos, é a repercussão sobre outros complicados processos de redemocratização pelo mundo afora. Frequentemente, para remover um regime de força, é preciso pactuar com os que ainda ocupam o poder e ainda têm enorme capacidade de fazer dano. 8º As torturas e execuções na África do Sul e na Espanha não foram menores do que no Brasil é o mínimo que se pode dizer mas lá a opção foi não colocar os antigos repressores nos bancos de réus.

2 9º Na África do Sul, a lógica da Comissão da Verdade foi reconstituir os fatos e obter dos responsáveis pelo odioso apartheid a confissão, não com vistas à condenação penal, mas à expiação moral e à superação conjunta de tudo aquilo. Também foram colocados na mesa para uma catarse de superação coletiva certos episódios sangrentos dentro da maioria negra. 10º Confesso que senti satisfação ao ver o general Jorge Rafael Videla terminar a vida numa prisão argentina. Penso, no entanto, que a razão decisiva para julgar (uma parte) dos comandantes daquele regime assassino foi o prosseguimento das conspirações militares já no período democrático, com quarteladas durante os governos de Raul Alfonsín e Carlos Menem. 11º No Chile, alguns poucos foram julgados, mas o general Augusto Pinochet Ugarte continuou comandando o Exército por um bom tempo na transição e só sofreu embaraço jurídico no Reino Unido, jamais no Chile. 12º Não há uma formula única, "correta". No que pese o sentimento de busca de justiça das vítimas e seus familiares que respeito profundamente, à diferença daqueles que querem apenas surfar politicamente na causa trata-se de uma decisão jurídica, por um lado, e de uma questão política, por outro. Juridicamente, o STF já se pronunciou a esse respeito. Politicamente, vejo a revisão como contraproducente e concordo plenamente com a presidente Dilma Rousseff quando se manifesta contrária à anulação da anistia. NARRATIVAS 13º Desde os anos 80, vem prevalecendo, grosso modo, a narrativa da esquerda sobre os "anos de chumbo". Os verdugos dos porões do DOI-Codi viveram vidas existencialmente miseráveis. Uma parte, desproporcional, já morreu de morte morrida; outros tornaram-se criminosos comuns, bicheiros, contrabandistas. 14º No estamento militar há um sentimento geral de condenação àquela máquina de torturas e execuções que acabaram inclusive atentando fortemente contra a hierarquia militar e sujando a imagem das Forças Armadas, embora sem nenhuma propensão a aceitar a narrativa da esquerda. Não iremos convencer os militares a adotar, agora, um maniqueísmo reverso ao deles, na época. 15º Por todo ordenamento jurídico brasileiro, hoje seria totalmente impossível a não ser que se viesse a adotar toda uma nova legislação de exceção condenar esses militares de pijama, na maioria septuagenários ou octogenários, a servir penas na prisão. 16º Num país onde assassinos abjetos como os que torturaram e mataram o jornalista Tim Lopes saem da prisão por "progressão de pena" em quatro ou cinco anos, fazer um ex-general ou coronel do DOI-Codi ir para a cadeia por crimes cometidos há mais de 40 anos é improvável e incongruente. 17º Qual o risco político de colocá-los agora no banco dos réus? 18º Tendo prevalecido a nossa narrativa, desde os anos 1980, seria da lógica jornalística agora ouvir a deles, desde o palco e holofotes que agora lhes estão sendo propiciados. Alguns se arrependem. Qual a sinceridade disso? Há os que assumem friamente seus crimes, e aí temos a novidade, o gancho para difundir sua contranarrativa: "Isso mesmo, torturei, cortei dedos, matei, joguei no rio, no mar e daí? Guerra é guerra". 19º Se há uma maioria de brasileiros que fica compreensivelmente horrorizada, há uma minoria que se identifica e se sente reconfortada em ver, afinal, sua "verdade" difundida agora com todas as letras. "Levanta-se a bola" para figuras como Ustra ou Malhães, propicia-se farta cobertura de mídia para que eles se comuniquem com uma extrema-direita desorganizada, difusa, mas real. Ganham espaço para bulir com aquele sentimento que leva o público do primeiro "Tropa de Elite" quando José Padilha ainda não pagara tributo ao politicamente correto a aplaudir as torturas infligidas ao traficante com um saco plástico.

3 20º A prioridade no Brasil, em relação à tortura, não é tentar, inutilmente, mediante a revisão da anistia, colocar na cadeia um ou outro torturador do DOI-Codi dos anos 1970, mas fazer cessar aquela tortura que continua ocorrendo hoje, agora, a todo momento, em dezenas de delegacias de roubos e furtos ou destacamentos de policiamento ostensivo, contra marginais pobres e negros. 21º Aquela velha tortura de sempre, de antes e de depois do Estado Novo e do regime militar, quando ela foi, excepcionalmente, infligida também à classe média intelectualizada e politizada. 22º Nesse sentido, apesar de todos os bons e altivos argumentos e da justificada indignação de quem sofreu e gostaria de ver punidos aqueles criminosos, a revisão da "anistia recíproca" de 1979 é um erro político cujo maior problema é, na prática, dar uma segunda chance e propiciar um público renovado para uma narrativa que já enterramos nos anos É, no fundo, um tiro no pé. 1) FMC 2014/2 De acordo com os dois primeiros parágrafos do texto, o autor, Alfredo Sirkis, foi a) um ex-guerrilheiro cujas ações contribuíram para a libertação de 110 prisioneiros durante a ditadura militar. b) um guerrilheiro que, aos 63 anos, participou de dois sequestros de embaixadores. c) um contraventor que cumpre prisão perpétua decretada pelos militares há trinta anos. d) um terrorista que, embora tenha participado de 19 atentados, só foi julgado e condenado por dois deles. (Alfredo Sirkis, 63, é autor de Os carbonários, publicado pela editora Record, e deputado federal pelo PSB-RJ.) (Folha de S. Paulo, 6 de abril de Ilustríssima. p.3) 2) FMC 2014/2 A leitura dos 3º e 4º parágrafos do texto permite afirmar que a) o autor, após sequestrar o embaixador Giovanni Enrico Bucher, teve a missão de executá-lo a sangue frio, embora considerasse o diplomata uma boa pessoa. b) Carlos Lamarca, comandante do grupo a que pertencia Alfredo Sirkis, foi um dos presos cuja libertação foi exigida em troca do embaixador suíço. c) Alfredo Sirkis confessa ter participado da execução de um marinheiro inglês e de um militante que quis deixar a organização da qual ele fazia parte. d) o autor, hoje com distanciamento crítico, revela um ponto de vista diferente do que tinha quando participante da luta armada contra o regime militar.

4 3) FMC 2014/2 A segunda parte do texto, Balança, apresenta um breve levantamento sobre desfechos de regimes totalitários na América Latina e na África. Assinale a alternativa que apresenta uma constatação inequívoca sobre essa parte do texto: a) Tanto na Argentina quanto no Chile, os ex-presidentes, respectivamente, Jorge Rafael Videla e Augusto Pinochet Ugarte, sofreram severas sanções pelos crimes que cometeram contra seus compatriotas. b) A tortura generalizada no Brasil, institucionalizada pelo próprio regime militar, infligida inclusive aos simpatizantes da oposição, foi equivalente aos atos praticados pela resistência armada. c) Os responsáveis pelo apartheid na África do Sul não sofreram qualquer tipo de punição, visto que se arrependeram duramente de seus atos criminosos. d) Muitos dos regimes autoritários só chegaram ao fim em virtude de acordos, pactos realizados entre os próprios mandatários desses regimes e seus opositores. 4) FMC 2014/2 Leia com atenção o parágrafo a seguir. Não há uma formula única, correta. No que pese o sentimento de busca de justiça das vítimas e seus familiares que respeito profundamente, à diferença daqueles que querem apenas surfar politicamente na causa trata-se de uma decisão jurídica, por um lado, e de uma questão política, por outro. Juridicamente, o STF já se pronunciou a esse respeito. Politicamente, vejo a revisão como contraproducente e concordo plenamente com a presidente Dilma Rousseff quando se manifesta contrária à anulação da anistia. De acordo com esse trecho, pela ótica do autor, NÃO se pode dizer que a revisão da anistia a) seja um processo urgente e incontestável. b) inclua tanto decisão jurídica quanto uma questão política. c) propicie a muitos tirarem proveito da questão. d) possa mostrar-se contrária ao que se pretende, politicamente.

5 5) FMC 2014/2 Na última parte do texto, Narrativas, o autor enumera uma série de argumentos para justificar que não vale a pena, hoje, intentar condenar os agentes do regime militar. Para ele, o mais urgente é fazer com que uma das ações mais hediondas cometidas por aquele regime, que ainda continua a ser praticada, agora por outros agentes, seja coibida. Que parágrafo do texto explicita essa ideia? a) 14º. b) 20º. c) 15º. d) 19º. 6) FMC 2014/2 Todos os seguintes termos destacados pertencem a uma mesma área de significação, EXCETO: a)...mas lá a opção foi não colocar os antigos repressores nos bancos de réus... (8º ) b)... sancionada desde o nível presidencial que se abateu não apenas sobre nós... (5º ) c)...foram colocados na mesa para uma catarse de superação coletiva... (9º ) d)...obter dos responsáveis pelo odioso apartheid a confissão, não com vistas à condenação penal... (9º ) 7) FMC 2014/2 Assinale a alternativa cujo termo destacado foi devidamente explicado de acordo com seu significado no texto: a)...infligida também à classe média intelectualizada e politizada. (21º ) aplicada b)...mas à expiação moral e a superação conjunta de tudo aquilo. (9º ) observação c) Os verdugos dos porões do DOI-Codi viveram vidas existencialmente miseráveis. (13º ) torturados d) Num país onde assassinos abjetos como os que torturaram e mataram o jornalista Tim Lopes... (16º ) contratados 8) FMC 2014/2 Em todas as seguintes passagens extraídas do texto, há expressões que apresentam valores conotativos, EXCETO em: a) Por todo ordenamento jurídico brasileiro, hoje seria totalmente impossível (...) condenar esses militares de pijama, na maioria septuagenários ou octogenários, a servir penas na prisão. b) Desde os anos 80, vem prevalecendo, grosso modo, a narrativa da esquerda sobre os "anos de chumbo". c) No estamento militar há um sentimento geral de condenação àquela máquina de torturas e execuções... d) Uma parte, desproporcional, já morreu de morte morrida; outros tornaram-se criminosos comuns, bicheiros, contrabandistas.

6 9) FMC 2014/2 A leitura integral do texto permite inferir que a) todas as narrativas sobre a época da repressão, no Brasil, apresentam sempre um ponto de vista de esquerda. 11) FMC 2014/2 Todas as charges abaixo podem exemplificar situações abordadas por Alfredo Sirkis em Tiro no pé, EXCETO: a) b) os militares, de maneira geral, mostram-se contrários aos métodos utilizados durante a ditadura no Brasil. c) as torturas, no Brasil, tiveram seu fim derradeiro com a deposição dos militares. d) todos os torturadores da época da repressão militar, no Brasil, tiveram destinos trágicos. b) 10) FMC 2014/2 Assinale a opção que apresenta um dito sentencioso análogo ao título do texto, Tiro no pé. a) Lançar pérolas aos porcos. c) b) Desvestir um santo para vestir outro. c) Dar murro em ponta de faca. d) Jogar verde para colher maduro. d)

7 12) FMC 2014/2 Leia com atenção o parágrafo a seguir. No estamento militar há um sentimento geral de condenação àquela máquina de torturas e execuções (...), embora sem nenhuma propensão a aceitar a narrativa da esquerda. Não iremos convencer os militares a adotar, agora, um maniqueísmo reverso ao deles, na época. Qual dos articuladores textuais listados abaixo poderia ser introduzido no segundo período desse parágrafo, sem prejudicar o seu sentido? a) Contudo. b) Portanto. c) Também. 14) FMC 2014/2 Leia o fragmento. Hoje vejo num sequestro desse tipo, de um diplomata inocente, ameaçado de execução, mesmo sob uma ditadura, um ato no limite do terrorismo, no que pese o nosso desespero de então. Mantendo-se o sentido original do texto, a locução em negrito pode ser substituída por a) em face de. b) porquanto. c) consoante. d) não obstante. d) No entanto. 15) FMC 2014/2 13) FMC 2014/2 O 21º parágrafo do texto, em referência ao que o precede, apresenta uma relação de a) complementação. b) oposição. c) conclusão. d) exemplificação. Em todas as passagens extraídas do texto, foi sublinhado o núcleo do termo responsável pela flexão verbal, EXCETO em: a) Há uma maioria favorável a revê-la para poder julgar os torturadores e uma maioria, maior ainda, para rejulgar a nós, ex-guerrilheiros... b)...propicia-se farta cobertura de mídia para que eles se comuniquem com uma extrema-direita desorganizada, difusa, mas real. c) Também foram colocados na mesa para uma catarse de superação coletiva certos episódios sangrentos dentro da maioria negra. d) Hoje vejo num sequestro desse tipo, de um diplomata inocente, ameaçado de execução, mesmo sob uma ditadura, um ato no limite do terrorismo...

8 16) FMC 2014/2 Em todas as opções, o verbo haver foi utilizado na estruturação dos períodos estabelecendo o mesmo sentido, EXCETO em: a) Há os que assumem friamente seus crimes, e aí temos a novidade, o gancho para difundir sua contranarrativa... b)...fazer um ex-general ou coronel do DOI-Codi ir para a cadeia por crimes cometidos há mais de 40 anos é improvável e incongruente. c) No estamento militar há um sentimento geral de condenação àquela máquina de torturas e execuções... d) Há uma maioria favorável a revê-la para poder julgar os torturadores e uma maioria, maior ainda, para rejulgar a nós, ex-guerrilheiros, pelas ações que cometemos. 17) FMC 2014/2 Assinale a opção em que o fragmento reescrito entre parênteses foi pontuado em consonância com a língua escrita padrão: a) Qual o risco político de colocá-los agora no banco dos réus? (Qual o risco político, de colocá-los agora no banco dos réus?) b) Os verdugos dos porões do DOI-Codi viveram vidas existencialmente miseráveis. (Os verdugos dos porões do DOI-Codi, viveram vidas existencialmente miseráveis.) c) No estamento militar há um sentimento geral de condenação àquela máquina de torturas e execuções... (No estamento militar, há um sentimento geral de condenação àquela máquina de torturas e execuções...) d) Há uma maioria favorável a revê-la para poder julgar os torturadores... (Há uma maioria favorável, a revê-la para poder julgar os torturadores...) 18) FMC 2014/2 Nas frases abaixo, a próclise só pode ser substituída pela ênclise em: a)...com a presidente Dilma Rousseff quando se manifesta contrária à anulação da anistia. b)...a organização me ordena a executar o embaixador suíço, Giovanni Enrico Bucher... c)...a não ser que se viesse a adotar toda uma nova legislação de exceção... d) Juridicamente, o STF já se pronunciou a esse respeito. 19) FMC 2014/2 Observe os seguintes fragmentos. I- No Chile, alguns poucos foram julgados, mas o general Augusto Pinochet Ugarte continuou comandando o Exército por um bom tempo... II- Graças a Deus, aquilo terminou bem, e nossos 70 companheiros foram mandados a Santiago do Chile... III- Frequentemente, para remover um regime de força, é preciso pactuar com os que ainda ocupam o poder... Verifica-se a presença de pronome demonstrativo apenas em a) II. b) I e II. c) III. d) II e III.

9 20) FMC 2014/2 Assinale a opção em que o vocábulo que NÃO remeta a um termo anteriormente citado na frase: a) Mas já tive pesadelos horrendos: a organização me ordena a executar o embaixador suíço, Giovanni Enrico Bucher um sujeito boa-praça que não gostava da ditadura porque tinham se recusado a libertar todos nossos presos. b) Há uma maioria favorável a revê-la para poder julgar os torturadores e uma maioria, maior ainda, para rejulgar a nós, ex-guerrilheiros, pelas ações que cometemos. c) "Levanta-se a bola" para figuras como Ustra ou Malhães, propicia-se farta cobertura de mídia para que eles se comuniquem com uma extrema-direita desorganizada, difusa, mas real. d) Em alguns casos, esse limite foi ultrapassado. Penso no marinheiro inglês metralhado na praça Mauá, na bomba de Guararapes ou na execução daquele militante que queria deixar uma organização. PROVA DE LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA BRASILEIRA Instrução: As questões de 21 a 30 referem-se às obras literárias indicadas para este concurso: O alienista, de Machado de Assis, e Sagarana, de João Guimarães Rosa. 21) FMC 2014/2º Em relação à narrativa O alienista, de Machado de Assis, é CORRETO afirmar: a) A novela ironiza o conceito de revolução popular, que, na perspectiva do narrador, se mostra incompatível com o poder moderador da razão. b) O tema central da novela consiste na disputa pelo poder da Casa Verde por parte do cientista Simão Bacamarte e do padre Lopes. c) Fundamentando-se em crônicas verídicas, o narrador vale-se de aspectos históricos para evidenciar a autenticidade de seu relato. d) Prevalece, ao longo da novela, a concepção de que a loucura assinala pessoas que constroem um mundo paralelo de inocência e isolamento.

10 22) FMC 2014/2º Assinale o trecho de O alienista em que melhor se verifica a instabilidade dos movimentos políticos: a) A derrota dos Canjicas estava iminente, quando um terço dos dragões, qualquer que fosse o motivo, as crônicas não o declaram, passou subitamente para o lado da rebelião. Este inesperado reforço deu alma aos Canjicas, ao mesmo tempo que lançou o desânimo às fileiras da legalidade. b) Não descrevo o terror do boticário ao ouvir dizer que o barbeiro ia à casa do alienista vai prendê-lo, pensou ele. E redobraram-lhe as angústias. Com efeito, a tortura moral do boticário naqueles dias de revolução excede a toda a descrição possível. c) Simão Bacamarte achou em si os característicos do perfeito equilíbrio mental e moral; pareceu-lhe que possuía a sagacidade, a paciência, a perseverança, a tolerância, a veracidade, o vigor moral, a lealdade, todas as qualidades enfim que podem formar um acabado mentecapto. d) A irritação dos agitadores foi enorme. O barbeiro declarou que iam dali levantar a bandeira da rebelião, e destruir a Casa Verde; que Itaguaí não podia continuar a servir de cadáver aos estudos e experiências de um déspota. 23) FMC 2014/2º Em O alienista, além da sátira à ciência e à política, encontra-se também uma caricatura da própria linguagem retórica, como se vê na seguinte passagem: a) A cara era um pimentão; todo ele tremia, a boca escumava; lembra-me como se fosse hoje. Então um homem feio, cabeludo, em mangas de camisa, chegou-se a ele e pediu água. b) Uma vez, por exemplo, compôs uma ode à queda do Marquês de Pombal, em que dizia que esse ministro era o dragão aspérrimo do Nada esmagado pelas garras vingadouras do Todo. c) Trata-se de coisa mais alta, trata-se de uma experiência científica. Digo experiência, porque não me atrevo a assegurar desde já a minha ideia; nem a ciência é outra coisa, Sr. Soares, senão uma investigação constante. d) Não ousava fazer-lhe nenhuma queixa ou reproche, porque respeitava nele o seu marido e senhor, mas padecia calada, e definhava a olhos vistos. Um dia, ao jantar, como lhe perguntasse o marido o que é que tinha, respondeu tristemente que nada.

11 24) FMC 2014/2º Assinale a opção em que se apresenta característica INCORRETA em relação às narrativas de Sagarana, de Guimarães Rosa: a) Em Sarapalha, Conversa de bois e O burrinho pedrês, as narrativas transcorrem em um único dia. b) Em A volta do marido pródigo, evidencia-se a visão pouco favorável sobre a política brasileira, que exibe uma estrutura retrógrada e sem esperanças de mudança. c) Em Duelo, os dois contendores, numa perseguição sem trégua, ora se aproximam, ora se afastam um do outro, até o encontro fatal, em que um liquida o outro. d) O feiticeiro Mangalô, de São Marcos, e o curandeiro Antonio das Pedras, de Corpo fechado, são praticantes de religiões populares. 25) FMC 2014/2º Leia a seguir trecho de A hora e vez de Augusto Matraga, do livro Sagarana, de Guimarães Rosa. Seu Joãozinho Bem-Bem pigarreou, e falou: - Lhe atender não posso, e com o senhor não quero nada, velho. É a regra... Senão, até quem é mais que havia de querer obedecer a um homem que não vinga gente sua, morta de traição?... É a regra. (ROSA, J. G. Sagarana. Rio de Janeiro: José Olympio, p.361) De acordo com a regra moral vigente no meio em que os contos têm lugar, é justo que haja a vingança, sendo lícito, por exemplo, que o marido traído queira vingar-se do amante, como ocorre em Duelo, narrativa na qual essa ideia é endossada pelo narrador na seguinte passagem: a) E, enquanto pois, Cassiano continuava se encontrando com a mulher fatal da história, aquela mesma que tinha os olhos cada vez maiores, mais pretos e mais de cabra tonta. b) Todavia, como o bom, o legítimo capiau, quanto maior é a raiva tanto melhor e com mais calma raciocina. Turíbio Todo dali se afastou mais macio ainda do que tinha chegado, e foi cozinhar o seu ódio branco em panela de água fria. c) Ele vai como veado acochado, mas volta como cangussu... No meio do caminho a gente topa, e quem puder mais é que vai ter razão... d) Turíbio Todo, nascido à beira do Borrachudo, era seleiro de profissão, tinha pêlos compridos nas narinas, e chorava sem fazer caretas; palavra por palavra: papudo, vagabundo, vingativo e mau. Mas, no começo desta estória, ele estava com a razão.

12 26) FMC 2014/2º Atente para o seguinte diálogo, presente na narrativa Minha gente, do livro Sagarana, de Guimarães Rosa. Vamos! Partamos! Já Circe, a venerável, me advertiu!... Mas Santana, que é criatura do Caraça, retrucou: Vinde, amigos, perguntai ao estrangeiro se sabe ou se aprendeu, algum dia, qualquer jogo... (ROSA, J. G. Sagarana. Rio de Janeiro: José Olympio, p.170) Com base na passagem transcrita e na leitura do respectivo conto, é CORRETO afirmar: a) A referência ao renomado colégio mineiro Caraça expressa o cenário em que se desenvolve a intriga. b) Os personagens são cultos, citam obras clássicas com desenvoltura e se entretêm jogando xadrez. 27) FMC 2014/2º Nos contos de Sagarana, observa-se o racismo das personagens, o que, de certo modo, reflete a discriminatória e preconceituosa sociedade brasileira. Todas as seguintes passagens evidenciam esse tipo de comportamento, EXCETO: a) Olha: eu estou vindo da capital: lá, quem trabalha p ra estrangeiro, principalmente p ra espanhol, não vale mais nada, fica por aí mais desprezado do que criminoso. ( A volta do marido pródigo ) b) Eu nem sei como é que vocês ficam por aqui, trabalhando tanto, p ra gastarem o dinheirinho suado, com essas negras, com essas roxas descalças. ( A volta do marido pródigo ) c) Raça de gente braba! Eu cá sou assim: estou quieto, não bulo com ninguém... Mas, não venham mexer comigo! porque desfeita eu não levo p ra casa... ( Corpo fechado ) d) Nem se ela, Deus a livre guarde, morresse, o que não é bom falar, eu nem o couro não havia de vender p r aquele judeu... ( Corpo fechado ) c) O conflito entre o estrangeiro e as pessoas da terra é um dos aspectos dramáticos desta e de outras narrativas. d) As inserções de nomes mitológicos, como Circe, atestam que a obra, em seu todo, minimiza aspectos regionais.

13 28) FMC 2014/2º Leia o comentário crítico do ensaísta Nildo Maximo Benedetti sobre o protagonista do conto A volta do marido pródigo, de Sagarana: Se a personagem Lalino tem as características pessoais que a sociedade brasileira considera típicas do brasileiro médio a começar pela hibridez racial, sua cordialidade assume a feição de caráter genérico da nacionalidade brasileira. Lalino é personagem cordial e, por isso, é um protótipo do político brasileiro, também cordial, para o qual os limites das esferas pública e privada são mutáveis e flexíveis, portanto indefiníveis. (Benedetti, N. M. Sagarana: o Brasil de Guimarães Rosa. São Paulo: Hedra, p. 81) Assinale a passagem que reproduz o reconhecimento por parte dos homens do governo a respeito das qualidades de Lalino: a) E, falando nisso, que magnífico, o Senhor Eulálio! Divertira-os! O Major sabia escolher os seus homens... Sim, em tudo o Major estava de parabéns... E, quando fosse a Belorizonte, levasse o Eulálio, que deveria acabar de contar umas histórias, muito pândegas, de sua estada no Rio de Janeiro, e cantar uns lundus... b) Major Anacleto relia pela vigésima terceira vez um telegrama do Compadre Vieira, Prefeito do Município, com transcrições de um outro telegrama, do Secretário do Interior, por sua vez inspirado nas anotações que o Presidente do Estado fizera num anteprimeiro telegrama, de um Ministro conterrâneo. 29) FMC 2014/2º Para o crítico Franklin de Oliveira, as epígrafes de Sagarana descobrem ou indicam o ideário do autor astuciosamente oculto na trama da narrativa. (OLIVEIRA, F. A dança das letras. Rio de Janeiro: Topbooks, p.56) Identifique, nas alternativas a seguir, a relação INCORRETA entre a epígrafe e o respectivo conto, entre parênteses: a) Canta, canta, canarinho, ai, ai, ai.../ Não cantes fora da hora, ai, ai, ai.../ A barra do dia aí vem, ai, ai, ai.../ coitado de quem namora!... ( Sarapalha ) b) Sapo não pula por boniteza,/ mas porém por percisão ( A hora e vez de Augusto Matraga ) c) E, ao meu macho rosado,/ carregado de algodão,/ preguntei: p ra donde ia?/ P ra rodar no mutirão ( O burrinho pedrês ) d) Lá vai! Lá vai! Lá vai!.../ Queremos ver... Queremos ver.../ Lá vai o boi Cala-a-Boca/ fazendo a terra tremer. ( São Marcos ) c) E, no brejo, os sapos coaxavam agora uma estória complicadíssima, de um sapo velho, sapo-rei de todos os sapos, morrendo e propondo o testamento à saparia maluca, enquanto que, como todo sapo nobre, ficava assentado, montando guarda ao próprio ventre. d) Um mulato desses pode valer ouro... A gente esquenta a cabeça dele, depois solta em cima dos tais, e sopra... Não sei se é de Deus mesmo, mas uns assim têm qualquer um apadrinhamento... É uma raça de criaturas diferentes, que os outros não podem entender...

14 30) FMC 2014/2º Enumere os parênteses estabelecendo a correspondência entre o conto de Sagarana e a caracterização apresentada: I- Mostra a desolação de um lugar que teve certo progresso, mas está em ruínas. Ali se vive do passado, de nostalgia, de lembranças. II- A escolha de um ex-militar como a personagem que imporá sua justiça particular pela violência é sintomática da ausência de instituições oficiais com autoridade para criar leis que imponham limites ao indivíduo e às ações do próprio estado. III- A saga se fecha com a luta apocalíptica de duas personagens que se revestem de entidades mitológicas: eles se matam trocando demonstrações de cordialidade e de amizade. IV- A narrativa traz outras narrativas, entre as quais casos contados por vaqueiros, que constituem explanação minuciosa sobre as relações dos seres no estado de natureza e com as forças da natureza. ( ) O burrinho pedrês ( ) A hora e vez de Augusto Matraga ( ) Sarapalha ( ) Duelo Assinale a opção que indica a sequência CORRETA: a) III, II, IV, I b) IV, II, I, III c) II, III, IV, I d) IV, III, I, II PROVA DE LÍNGUA ESPANHOLA Instrucciones: Lea atentamente los textos siguientes y después conteste a las preguntas. Texto I Lo que se juegan Chile y Perú en La Haya Paralela o diagonal. Lo que a ojos de cualquiera podría entenderse como una simple línea divisoria hoy enfrenta a Chile y Perú. Ambos países, dos de las economías más boyantes de Sudamérica, se disputan una franja de alrededor de kilómetros cuadrados de mar en su región fronteriza. Este lunes la Corte Internacional de La Haya, donde Perú demandó a Chile por la soberanía de esa zona en el Océano Pacífico, hará pública su decisión. Ambos países se comprometieron a acatar el fallo de La Haya. Sin embargo, por lo que pudiera pasar, los dos países reforzaron este fin de semana la vigilancia policial en su frontera para evitar que la resolución de la CIJ altere los ánimos, y con ello, el creciente comercio en el límite de ambas naciones. La principal demanda peruana reclama que el límite marítimo entre los dos Estados no es el paralelo que cruza el punto donde termina la frontera terrestre entre Chile (18º 21' 03'' según Chile, 18º 21' 08'' según Perú) y Perú, sino una línea equidistante tomada desde la frontera. Esta diferencia crea una zona de disputa o controversia, según señala la demanda de unos kilómetros cuadrados. Estos actualmente están bajo soberanía chilena, pero Perú los reclama como propios.

15 Según Chile, la frontera actual fue suscrita en una declaración de 1952 y un convenio de 1954, firmados por ambos países y Ecuador. Perú, por su parte, desconoce dichos tratados. "No existe un acuerdo de delimitación marítima entre el Perú y Chile", aseguró en noviembre el presidente peruano, Ollanta Humala, en un mensaje a la nación transmitido desde París, cuando el mandatario supervisó en persona el final de la preparación de los alegatos en la oficina de los abogados. (Constanza Hola Chamy BBC Mundo. Lunes, 27 de enero de 2014) 31) FMC 2014/2º Según el texto, cuál es la diferencia dimensional que crea la zona de disputa? a) 05 b) 04º c) 05' d) 08 32) FMC 2014/2º 33) FMC 2014/2º En el fragmento los dos países reforzaron este fin de semana la vigilancia policial en su frontera para evitar que la resolución de la CIJ altere los ánimos, y con ello, el creciente comercio en el límite de ambas naciones. (párrafo 5), la palabra destacada retoma la idea de a) la vigilancia policial. b) la alteración de los ánimos. c) el creciente comercio. d) la resolución de la CIJ. 34) FMC 2014/2º Según el texto, lo que está en juego es una a) porción linear. b) franja territorial. c) región fronteriza. d) zona marítima. Se hará pública la decisión de la corte Internacional del Haya, un día a) antes del domingo. b) después del jueves. c) después del viernes. d) antes del martes.

16 35) FMC 2014/2º En el fragmento sino una línea equidistante tomada desde la frontera. (párrafo 6), la palabra subrayada tiene un sentido de a) negación. b) condición. c) adición. d) duda. 36) FMC 2014/2º Según el texto, se puede afirmar que a) dos países no son cautelosos. b) Perú no tiene la zona en juego. c) Chile hizo una denuncia al Perú. d) hay una guerra entre dos países. Texto II Desnudos en Machu Picchu: La economía de la atención Raúl Castro, Editor Central de Sociedad, comenta los actos de nudismo en la ciudadela inca. La intención de repetir estos hábitos, como desnudarse en Machu Picchu, responde a dos motivos. Primero, a la tendencia de dejar una huella digital en la historia de vida. Los tiempos de Internet hacen que la gente sienta que tiene que ir dejando documentación en su biografía sobre algunos hechos. Esto, para algunos liberales, es parte de tener un hito más en su vida, un desafío. Lo explico: así como escribir un libro y sembrar un árbol, uno puede querer una foto desnudo en Machu Picchu. Segundo, porque hay un afán de reconocimiento. Es parte de este gran proceso de masificación de la red. La Internet masifica a millones de usuarios y hay mucha gente que hace actos insólitos para destacar. La excentricidad es un elemento que te distingue y te quita del anonimato. Es una performance que revela que tú tienes una manifestación sobre un evento o acción, y permite que la sociedad te observe. Todo esto se basa en la llamada economía de la atención: de qué modo yo lo logro sobre esta audiencia de miles de millones de usuarios de Internet? Si yo llamo la atención, el registro de mis acciones tiene tráfico; a mayor tráfico, más prestigio y finalmente, más reputación. Ese círculo es lo que determina la economía de la atención. El espacio en los periódicos era finito; la radio y la televisión tenían los minutos contados. Los medios digitales no tienen fronteras. (Sábado 15 de marzo del :05 diario el Comercio)

17 37) FMC 2014/2º Señale la opción en que la correspondencia entre la palabra y su sinónimo entre corchetes está INCORRECTA a) hechos (línea 5) {= fotos} b) huella (línea 3) {= marca} c) logro (línea 17) {= alcanzo} d) tráfico (línea 19) {= tránsito} 39) FMC 2014/2º Según el texto, lo que determina la economía de la atención es a) el círculo de los hechos y su gran reputación. b) el tránsito de los registros, que da prestigio y reputación. c) la realización de los logros con atención y prestigio. d) el tráfico de la reputación, junto con la excentricidad. 38) FMC 2014/2º Según el texto, se puede afirmar que a) los desnudos prenden la atención. b) los medios digitales tienen fronteras. c) a los liberales les gusta el hito. d) la gente te quita del anonimato. 40) FMC 2014/2º La excentricidad es un elemento que te distingue y te quita del anonimato. (líneas 11-12) Sin modificar el sentido de la frase, se puede substituir las palabras subrayadas por a) deslinda, saca. b) privilegia, agrega. c) diferencia, pone. d) mezcla, hurta.

18 PROVA DE LÍNGUA INGLESA Guideline: Read the following text carefully to answer the questions on it. Secrets of a long life A hundred years ago, not many people lived into their seventies. Today, it is fairly common to do so in developed countries. But on the Japanese island of Okinawa, people live longer than anywhere else in the world, with an average life expectancy of 81.2 years. Many people on Okinawa live to be over 100 years old the highest ratio of centenarians per head of population in the world. And they don t just live longer, they live better. So what s the Okinawan secret? So far all the findings indicate that lifestyle, not genetic factors, is largely responsible. Okinawans eat a traditional diet of soya, fruit, and vegetables. They consume a lot of fish, such as tuna, mackerel, and salmon, which are rich in omega-3 fatty acids, and help reduce the risk of heart disease and breast cancer. They don t eat a lot of red meat, and their diet is low in fats. Many elderly Okinawans also live by the motto Eat until you are 80% full, and this helps them to control portion sizes. Elderly Okinawans enjoy walking, gardening, and T ai Chi, and often work long after the usual age of retirement in Western countries. Interviews with elderly Okinawans reveal that they are optimistic, adaptable, and easy-going. They have a valued role in society and the family, and they are respected for their wisdom and experience of life. Most of them belong to moai, groups of old classmates, colleagues, friends, or neighbours that meet several times a week to drink tea and chat. These networks provide emotional and financial support throughout their lives. Unfortunately, younger Okinawans have abandoned these good habits. They have followed a more Western diet and lifestyle, and the results have been devastating. For Okinawans who move away from the island, the picture is similar. Around 100,000 Okinawans moved to Brazil and adopted the eating habits of their new home, including eating a lot of red meat. (From Nursing 1, by Tony Grice Oxford English For Careers, on page 58) 31) FMC 2014/2º The average of life expectancy has switched over the past hundred years. a) for shorter b) for nothing c) forever d) for longer 32) FMC 2014/2º Such change has taken place particularly in countries. a) overpopulated b) developed c) wealthy d) developing

19 33) FMC 2014/2º It ISN T appropriate to assert that a) Japan is the one country where people live longer. b) Okinawa is an island in Japan. c) Okinawans who live longer live better. d) lifestyle can be the actual finding for Okinawans to live longer. 36) FMC 2014/2º Eat until you are 80% full. It means that Okinawans a) are underfed. b) overeat. c) eat less than they would. d) don t eat enough, concerning their needs. 34) FMC 2014/2º In their society elderly Okinawans are seen as all of those, EXCEPT a) wise. b) respectable. c) easy-going. d) annoying. 37) FMC 2014/2º Among the Okinawans, religious beliefs DON T only provide them with a) comfort. b) lack of a social role. c) support. d) credibility. 35) FMC 2014/2º It is fairly common means the same as a) excessively frequent. b) too much normal. c) somewhat ordinary. d) much too usual. 38) FMC 2014/2º Unfortunately, younger Okinawans have abandoned these good habits. The underlined word means a) quit b) given away c) given in d) given

20 39) FMC 2014/2º Okinawans avoid as part of their healthy survival. a) old classmates b) companionship c) friends d) loneliness REDAÇÃO Analise a frase e a imagem seguintes. A ditadura perfeita terá as aparências da democracia, uma prisão sem muros na qual os prisioneiros não sonharão sequer com a fuga. Um sistema de escravatura onde, graças ao consumo e ao divertimento, os escravos terão amor a sua escravidão. (Aldous Huxley) 40) FMC 2014/2º The ones that moved to Brazil have taken up in their meals. a) mackerel and salmon b) lots of chicken and tuna c) a great amount of red meat d) turkey and soya (Codigo de barras. Antruejo

21 A partir da análise realizada e dos seus conhecimentos sobre a realidade brasileira atual, redija um texto dissertativoargumentativo em que você se posicione acerca da ideia expressa na frase e no cartoon. Na elaboração de seu texto, apresente argumentos consistentes e bem fundamentados, capazes de dar sustentação ao seu ponto de vista. ATENÇÃO: Use o espaço abaixo para elaborar o rascunho do seu texto. O texto definitivo deve ter, no mínimo, 20 linhas e, no máximo, 30. Dê um título a ele. Faça a redação final a tinta. RASCUNHO

22 GABARITO Língua Portuguesa e Literatura Brasileira 2014/2 01 A Espanhol 02 D 31 A 03 D 32 D 04 A 33 B 05 B 34 D 06 C 35 C 07 A 36 B 08 D 37 A 09 B 38 C 10 C 39 B 11 A 40 A 12 B 13 A Inglês 14 D 31 D 15 A 32 B 16 B 33 A 17 C 34 D 18 B 35 C 19 D 36 C 20 C 37 B 21 A 38 A 22 A 39 D 23 B 40 C 24 C 25 D 26 B 27 C 28 A 29 D 30 D

Texto 1 O FUTEBOL E A MATEMÁTICA Modelo matemático prevê gols no futebol Moacyr Scliar

Texto 1 O FUTEBOL E A MATEMÁTICA Modelo matemático prevê gols no futebol Moacyr Scliar PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - LÍNGUA PORTUGUESA - 5 ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ========================================================================== Texto 1 O FUTEBOL E A MATEMÁTICA

Leia mais

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe?

- Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Trecho do romance Caleidoscópio Capítulo cinco. 05 de novembro de 2012. - Você sabe que vai ter que falar comigo em algum momento, não sabe? Caçulinha olha para mim e precisa fazer muita força para isso,

Leia mais

EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7º ANO 17B, C

EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7º ANO 17B, C EDUCAÇÃO RELIGIOSA 7º ANO 17B, C CONTEÚDOS DO EXAME Líderes religiosos, Motivação e Liderança Convivência com o grupo; Amizade e sentido de grupo Os projetos Solidários; O que é um projeto? Olhares sobre

Leia mais

Os romancistas da Abolição: discurso abolicionista e representação do escravo nas obras de Bernardo Guimarães e Joaquim Manuel de Macedo

Os romancistas da Abolição: discurso abolicionista e representação do escravo nas obras de Bernardo Guimarães e Joaquim Manuel de Macedo Os romancistas da Abolição: discurso abolicionista e representação do escravo nas obras de Bernardo Guimarães e Joaquim Manuel de Macedo Mestrando Marcos Francisco ALVES Orientadora Dra. Maria Amélia Garcia

Leia mais

Em algum lugar de mim

Em algum lugar de mim Em algum lugar de mim (Drama em ato único) Autor: Mailson Soares A - Eu vi um homem... C - Homem? Que homem? A - Um viajante... C - Ele te viu? A - Não, ia muito longe! B - Do que vocês estão falando?

Leia mais

Colégio SOTER - Caderno de Atividades - 6º Ano - Língua Portuguesa - 2º Bimestre

Colégio SOTER - Caderno de Atividades - 6º Ano - Língua Portuguesa - 2º Bimestre O CASO DA CALÇADA DO JASMIM UM CRIME? Terça-feira, seis de Maio. São catorze horas. A D. Odete não é vista no seu bairro desde hoje de manhã. As janelas da sua casa estão abertas, mas o correio de hoje

Leia mais

30/07/2009. Entrevista do Presidente da República

30/07/2009. Entrevista do Presidente da República Entrevista coletiva concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, em conjunto com a presidente do Chile, Michelle Bachelet, após encerramento do seminário empresarial Brasil-Chile

Leia mais

LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA BRASILEIRA

LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA BRASILEIRA LÍNGUA PORTUGUESA E LITERATURA BRASILEIRA Prova de 2 a Etapa SÓ ABRA QUANDO AUTORIZADO. Leia atentamente as instruções que se seguem. 1 - Este caderno contém seis questões, abrangendo um total de nove

Leia mais

Meditação Crianças de 10 a 11 anos NOME: DATA: 17/03/2013 A QUEDA. Versículos para Decorar (Estamos usando a Bíblia na Nova Versão Internacional NVI)

Meditação Crianças de 10 a 11 anos NOME: DATA: 17/03/2013 A QUEDA. Versículos para Decorar (Estamos usando a Bíblia na Nova Versão Internacional NVI) Meditação Crianças de 10 a 11 anos NOME: DATA: 17/03/2013 A QUEDA Versículos para Decorar (Estamos usando a Bíblia na Nova Versão Internacional NVI) 1 - Sei que sou pecador desde que nasci, sim, desde

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 23 Discurso na cerimónia de assinatura

Leia mais

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a

Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a João do Medo Era uma vez um menino muito pobre chamado João, que vivia com o papai e a mamãe dele. Um dia, esse menino teve um sonho ruim com um monstro bem feio e, quando ele acordou, não encontrou mais

Leia mais

Jornalista: Eu queria que o senhor comentasse (incompreensível)?

Jornalista: Eu queria que o senhor comentasse (incompreensível)? Entrevista concedida pelo Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, após cerimônia de apresentação dos resultados das ações governamentais para o setor sucroenergético no período 2003-2010 Ribeirão

Leia mais

Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha. Ensino Fundamental

Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha. Ensino Fundamental Centro Educacional Souza Amorim Jardim Escola Gente Sabida Sistema de Ensino PH Vila da Penha Ensino Fundamental Turma: PROJETO INTERPRETA AÇÂO (INTERPRETAÇÃO) Nome do (a) Aluno (a): Professor (a): DISCIPLINA:

Leia mais

Superando Seus Limites

Superando Seus Limites Superando Seus Limites Como Explorar seu Potencial para ter mais Resultados Minicurso Parte VI A fonte do sucesso ou fracasso: Valores e Crenças (continuação) Página 2 de 16 PARTE 5.2 Crenças e regras!

Leia mais

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES:

1. COMPLETE OS QUADROS COM OS VERBOS IRREGULARES NO PRETÉRITO PERFEITO DO INDICATIVO E DEPOIS COMPLETE AS FRASES: Atividades gerais: Verbos irregulares no - ver na página 33 as conjugações dos verbos e completar os quadros com os verbos - fazer o exercício 1 Entrega via e-mail: quarta-feira 8 de julho Verbos irregulares

Leia mais

A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II

A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II Meditação Crianças de 10 a 11 anos NOME: DATA: 03/03/2013 PROFESSORA: A CRIAÇÃO DO MUNDO-PARTE II Versículos para decorar: 1 - O Espírito de Deus me fez; o sopro do Todo-poderoso me dá vida. (Jó 33:4)

Leia mais

Concurso Literário. O amor

Concurso Literário. O amor Concurso Literário O Amor foi o tema do Concurso Literário da Escola Nova do segundo semestre. Durante o período do Concurso, o tema foi discutido em sala e trabalhado principalmente nas aulas de Língua

Leia mais

Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus

Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus Ensino - Ensino 11 - Anos 11 Anos Lição 10 Batismo Mergulhando em Jesus História Bíblica: Mateus 3:13 a 17; Marcos 1:9 a 11; Lucas 3:21 a 22 João Batista estava no rio Jordão batizando as pessoas que queriam

Leia mais

A jornada do herói. A Jornada do Herói

A jornada do herói. A Jornada do Herói A Jornada do Herói Artigo de Albert Paul Dahoui Joseph Campbell lançou um livro chamado O herói de mil faces. A primeira publicação foi em 1949, sendo o resultado de um longo e minucioso trabalho que Campbell

Leia mais

09/09/2004. Discurso do Presidente da República

09/09/2004. Discurso do Presidente da República , Luiz Inácio Lula da Silva, na solenidade de recepção da delegação brasileira que participou das Olimpíadas de Atenas Palácio do Planalto, 09 de setembro de 2004 Meu caro Grael, Meu querido René Simões,

Leia mais

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão

Discurso do Presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão , Luiz Inácio Lula da Silva, na visita ao Assentamento Lulão Santa Cruz de Cabrália-BA, 28 de setembro de 2005 Meu caro governador Paulo Souto, governador do estado da Bahia, Meu querido companheiro Miguel

Leia mais

A CRUCIFICAÇÃO DE JESUS Lição 46

A CRUCIFICAÇÃO DE JESUS Lição 46 A CRUCIFICAÇÃO DE JESUS Lição 46 1 1. Objetivos: Mostrar que o Senhor Jesus morreu na cruz e foi sepultado. Ensinar que o Senhor Jesus era perfeito; não havia nada que o condenasse. Ensinar que depois

Leia mais

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa.

A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Encontro com a Palavra Agosto/2011 Mês de setembro, mês da Bíblia 1 encontro Nosso Deus se revela Leitura Bíblica: Gn. 12, 1-4 A Bíblia seja colocada em lugar de destaque, ao lado de uma vela acesa. Boas

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 37 Discurso na cerimónia de retomada

Leia mais

HINÁRIO O APURO. Francisco Grangeiro Filho. www.hinarios.org 01 PRECISA SE TRABALHAR 02 JESUS CRISTO REDENTOR

HINÁRIO O APURO. Francisco Grangeiro Filho. www.hinarios.org 01 PRECISA SE TRABALHAR 02 JESUS CRISTO REDENTOR HINÁRIO O APURO Tema 2012: Flora Brasileira Araucária Francisco Grangeiro Filho 1 www.hinarios.org 2 01 PRECISA SE TRABALHAR 02 JESUS CRISTO REDENTOR Precisa se trabalhar Para todos aprender A virgem mãe

Leia mais

QUERIDO(A) ALUNO(A),

QUERIDO(A) ALUNO(A), LANÇADA EM 15 MAIO DE 2008, A CAMPANHA PROTEJA NOSSAS CRIANÇAS É UMA DAS MAIORES MOBILIZAÇÕES PERMANENTES JÁ REALIZADAS NO PAÍS, COM FOCO NO COMBATE À VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E À EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS

Leia mais

Você quer ser um Discípulo de Jesus?

Você quer ser um Discípulo de Jesus? Você quer ser um Discípulo de Jesus? A História do povo de Israel é a mesma história da humanidade hoje Ezequel 37:1-4 Eu senti a presença poderosa do Senhor, e o seu Espírito me levou e me pôs no meio

Leia mais

DEFESA DOS CARENTES "O que decidem no mensalão torna-se norte para juízes" Por Marcos de Vasconcellos

DEFESA DOS CARENTES O que decidem no mensalão torna-se norte para juízes Por Marcos de Vasconcellos Revista Consultor Jurídico, 14 de outubro de 2012 DEFESA DOS CARENTES "O que decidem no mensalão torna-se norte para juízes" Por Marcos de Vasconcellos Enquanto, na última semana, os ministros do Supremo

Leia mais

HINÁRIO O APURO. Francisco Grangeiro Filho. Tema 2012: Flora Brasileira Araucária

HINÁRIO O APURO. Francisco Grangeiro Filho. Tema 2012: Flora Brasileira Araucária HINÁRIO O APURO Tema 2012: Flora Brasileira Araucária Francisco Grangeiro Filho 1 www.hinarios.org 2 01 PRECISA SE TRABALHAR Marcha Precisa se trabalhar Para todos aprender A virgem mãe me disse Que é

Leia mais

Dez Mandamentos. Índice. Moisés com as Tábuas da Lei, por Rembrandt

Dez Mandamentos. Índice. Moisés com as Tábuas da Lei, por Rembrandt Dez Mandamentos Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. (Redirecionado de Os dez mandamentos) Ir para: navegação, pesquisa Nota: Para outros significados, veja Dez Mandamentos (desambiguação). Moisés

Leia mais

A Virada: contenido. Lecciones 1-100 de A Virada. A Gente. acabou de acontecer, acabei de comprar, acabei de chegar. Adverbios & Adjetivos

A Virada: contenido. Lecciones 1-100 de A Virada. A Gente. acabou de acontecer, acabei de comprar, acabei de chegar. Adverbios & Adjetivos A Virada: contenido Lecciones 1-100 de A Virada A Gente ACABAR de Adverbios & Adjetivos A gente vai acabou de acontecer, acabei de comprar, acabei de chegar fácil (adjective) facilmente (adverb) Adverbios

Leia mais

DIAS 94. de Claudio Simões (1990 / 94)

DIAS 94. de Claudio Simões (1990 / 94) DIAS 94 de Claudio Simões (1990 / 94) 2 PERSONAGENS São cinco personagens identificadas apenas por números. Não têm gênero definido, podendo ser feitas por atores ou atrizes. As frases em que falam de

Leia mais

Senador Pedro Taques Discurso Manifestações

Senador Pedro Taques Discurso Manifestações Senador Pedro Taques Discurso Manifestações Senhor presidente, Senhoras senadoras, senhores senadores Amigos das redes sociais que também estão nas ruas Estamos em época de competição de futebol. Nosso

Leia mais

PERSONAGENS: CLEMÊNCIA

PERSONAGENS: CLEMÊNCIA PERSONAGENS: CLEMÊNCIA (a viúva de Alberto, mãe de Mariquinha e Júlia) MARIQUINHA (a filha que ama Felício, mas tem dois outros pretendentes interessados em seu dote) JÚLIA (a irmã de Mariquinha de 10

Leia mais

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar

MELHORES MOMENTOS. Expressão de Louvor Paulo Cezar MELHORES MOMENTOS Expressão de Louvor Acordar bem cedo e ver o dia a nascer e o mato, molhado, anunciando o cuidado. Sob o brilho intenso como espelho a reluzir. Desvendando o mais profundo abismo, minha

Leia mais

Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil

Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil Reflexões e atividades sobre Ação Social para culto infantil Apresentaremos 4 lições, que mostram algum personagem Bíblico, onde as ações praticadas ao longo de sua trajetória abençoaram a vida de muitas

Leia mais

EXPRESSÃO ESCRITA. O Sumário aqui presente é a continuação do que desenvolvemos na aula anterior: 1. Introdução. 2.

EXPRESSÃO ESCRITA. O Sumário aqui presente é a continuação do que desenvolvemos na aula anterior: 1. Introdução. 2. EXPRESSÃO ESCRITA Sejam bem-vindos à segunda videoaula de Expressão Escrita. Sou a Maj Anna Luiza professora de Português da Seção de Idiomas da ECEME. Esta aula se destina a você, aluno do CP/ECEME e

Leia mais

MEU TIO MATOU UM CARA

MEU TIO MATOU UM CARA MEU TIO MATOU UM CARA M eu tio matou um cara. Pelo menos foi isso que ele disse. Eu estava assistindo televisão, um programa idiota em que umas garotas muito gostosas ficavam dançando. O interfone tocou.

Leia mais

Os encontros de Jesus. sede de Deus

Os encontros de Jesus. sede de Deus Os encontros de Jesus 1 Jo 4 sede de Deus 5 Ele chegou a uma cidade da Samaria, chamada Sicar, que ficava perto das terras que Jacó tinha dado ao seu filho José. 6 Ali ficava o poço de Jacó. Era mais ou

Leia mais

Curso de Discipulado

Curso de Discipulado cidadevoadora.com INTRODUÇÃO 2 Este curso é formado por duas partes sendo as quatro primeiras baseadas no evangelho de João e as quatro últimas em toda a bíblia, com assuntos específicos e muito relevantes

Leia mais

Processo Seletivo 1.º Semestre 2012 004. Prova Dissertativa

Processo Seletivo 1.º Semestre 2012 004. Prova Dissertativa Processo Seletivo 1.º Semestre 2012 004. Prova Dissertativa Técnico Concomitante ou Subsequente ao Ensino Médio Instruções Confira seu nome e número de inscrição impressos na capa deste caderno. Assine

Leia mais

Prova Escrita de Espanhol

Prova Escrita de Espanhol EXAME NACIONAL DO ENSINO SECUNDÁRIO Decreto-Lei n.º 139/2012, de de julho Prova Escrita de Espanhol 10.º e 11.º Anos de Escolaridade Iniciação bienal Prova 47/1.ª Fase Critérios de Classificação 6 Páginas

Leia mais

Direitos reservados Domingos Sávio Rodrigues Alves Uso gratuito, permitido sob a licença Creative Commons 1

Direitos reservados Domingos Sávio Rodrigues Alves Uso gratuito, permitido sob a licença Creative Commons 1 1 O caminho da harmonia. Colossenses 3 e 4 Col 3:1-3 Introdução: Portanto, já que vocês ressuscitaram com Cristo, procurem as coisas que são do alto, onde Cristo está assentado à direita de Deus. Mantenham

Leia mais

Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão. Jorge Esteves

Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão. Jorge Esteves Catequese nº 13 (4º Catecismo) Jesus presente no irmão Jorge Esteves Objectivos 1. Reconhecer que Jesus se identifica com os irmãos, sobretudo com os mais necessitados (interpretação e embora menos no

Leia mais

É verdade que só começo um livro quando descubro uma pluma branca. Isso é um ritual que me impus apesar se só escrever uma vez cada dois anos.

É verdade que só começo um livro quando descubro uma pluma branca. Isso é um ritual que me impus apesar se só escrever uma vez cada dois anos. 1) Como está sendo a expectativa do escritor no lançamento do livro Ser como um rio que flui? Ele foi lançado em 2006 mas ainda não tinha sido publicado na língua portuguesa, a espera do livro pelos fãs

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 70 Cerimónia de sanção do projeto

Leia mais

Como dizer quanto tempo leva para em inglês?

Como dizer quanto tempo leva para em inglês? Como dizer quanto tempo leva para em inglês? Você já se pegou tentando dizer quanto tempo leva para em inglês? Caso ainda não tenha entendido do que estou falando, as sentenças abaixo ajudarão você a entender

Leia mais

MUNICÍPIO DE CUIABÁ) Excelentíssimo Senhor Presidente do. Supremo Tribunal Federal, Doutor Professor Gilmar Ferreira

MUNICÍPIO DE CUIABÁ) Excelentíssimo Senhor Presidente do. Supremo Tribunal Federal, Doutor Professor Gilmar Ferreira O SR. JOSÉ ANTÔNIO ROSA (PROCURADOR-GERAL DO MUNICÍPIO DE CUIABÁ) Excelentíssimo Senhor Presidente do Supremo Tribunal Federal, Doutor Professor Gilmar Ferreira Mendes, na pessoa de quem cumprimento todos

Leia mais

TEXTO: Texto Warley di Brito A TURMA DA ZICA. (Esta é uma versão adaptada, da turma do zico)

TEXTO: Texto Warley di Brito A TURMA DA ZICA. (Esta é uma versão adaptada, da turma do zico) TEXTO: Texto Warley di Brito A TURMA DA ZICA (Esta é uma versão adaptada, da turma do zico) Januária setembro/2011 CENÁRIO: Livre, aberto, porém, deve se haver por opção uma cadeira, uma toalha e uma escova

Leia mais

RECUPERAÇÃO DE IMAGEM

RECUPERAÇÃO DE IMAGEM RECUPERAÇÃO DE IMAGEM Quero que saibam que os dias que se seguiram não foram fáceis para mim. Porém, quando tornei a sair consciente, expus ao professor tudo o que estava acontecendo comigo, e como eu

Leia mais

Transcrição de Entrevista nº 5

Transcrição de Entrevista nº 5 Transcrição de Entrevista nº 5 E Entrevistador E5 Entrevistado 5 Sexo Feminino Idade 31 anos Área de Formação Engenharia Electrotécnica e Telecomunicações E - Acredita que a educação de uma criança é diferente

Leia mais

4. O princípio da palavra funciona como ponte entre dois mundos (natural/espiritual) e duas dimensões (física/sobrenatural).

4. O princípio da palavra funciona como ponte entre dois mundos (natural/espiritual) e duas dimensões (física/sobrenatural). O Poder das Palavras LEITURA: Marcos 11:12-14 12. E, no dia seguinte, quando saíram de Betânia, teve fome. 13. Vendo de longe uma figueira que tinha folhas, foi ver se nela acharia alguma coisa; e chegando

Leia mais

JÓ Lição 05. 1. Objetivos: Jô dependeu de Deus com fé; as dificuldades dele o deu força e o ajudou a ficar mais perto de Deus.

JÓ Lição 05. 1. Objetivos: Jô dependeu de Deus com fé; as dificuldades dele o deu força e o ajudou a ficar mais perto de Deus. JÓ Lição 05 1 1. Objetivos: Jô dependeu de Deus com fé; as dificuldades dele o deu força e o ajudou a ficar mais perto de Deus. 2. Lição Bíblica: Jô 1 a 42 (Base bíblica para a história e o professor)

Leia mais

Tempo para tudo. (há tempo para todas as coisas por isso eu preciso ouvir meus pais)

Tempo para tudo. (há tempo para todas as coisas por isso eu preciso ouvir meus pais) Tempo para tudo (há tempo para todas as coisas por isso eu preciso ouvir meus pais) Família é ideia de Deus, geradora de personalidade, melhor lugar para a formação do caráter, da ética, da moral e da

Leia mais

PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO. Fome e Sede

PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO. Fome e Sede PERDOAR E PEDIR PERDÃO, UM GRANDE DESAFIO HISTÓRIA BÍBLICA: Mateus 18:23-34 Nesta lição, as crianças vão ouvir a Parábola do Servo Que Não Perdoou. Certo rei reuniu todas as pessoas que lhe deviam dinheiro.

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR SECRETÁRIO DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR SECRETÁRIO DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR SECRETÁRIO DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO FABIANO CONTARATO, brasileiro, solteiro, com 48 anos de idade, Delegado de Polícia Civil e Professor Universitário,

Leia mais

A Institucionalização da Pessoa Idosa

A Institucionalização da Pessoa Idosa UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Ciências Sociais e Humanas A Institucionalização da Pessoa Idosa Ana Paula Leite Pereira de Carvalho Dissertação para obtenção do Grau de Mestre em Empreendedorismo e Serviço

Leia mais

Tudo que você precisa saber a respeito de Deus está esta escrito no Salmo 23. Tudo que você precisa saber a teu respeito está escrito no Salmo 23.

Tudo que você precisa saber a respeito de Deus está esta escrito no Salmo 23. Tudo que você precisa saber a teu respeito está escrito no Salmo 23. Tema: DEUS CUIDA DE MIM. Texto: Salmos 23:1-6 Introdução: Eu estava pesando, Deus um salmo tão poderoso até quem não está nem ai prá Deus conhece uns dos versículos, mas poderosos da bíblia e o Salmo 23,

Leia mais

HISTÓRIA DE LINS. - Nossa que cara é essa? Parece que ficou acordada a noite toda? Confessa, ficou no face a noite inteira?

HISTÓRIA DE LINS. - Nossa que cara é essa? Parece que ficou acordada a noite toda? Confessa, ficou no face a noite inteira? HISTÓRIA DE LINS EE PROF.PE. EDUARDO R. de CARVALHO Alunos: Maria Luana Lino da Silva Rafaela Alves de Almeida Estefanny Mayra S. Pereira Agnes K. Bernardes História 1 Unidas Venceremos É a história de

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 109 Discurso na cerimónia de comemoração

Leia mais

QUAL É A SUA MAIOR DÚVIDA?

QUAL É A SUA MAIOR DÚVIDA? QUAL É A SUA MAIOR DÚVIDA? Sonhos, Execução e Responsabilidade. ROBERTO FERMINO (ROCO) Q uer saber... Esta semana você é minha prioridade! Fiquei tão movido pelas dúvidas e mensagens de apoio que o mínimo

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 53 Discurso na cerimónia de assinatura

Leia mais

Estórias de Iracema. Maria Helena Magalhães. Ilustrações de Veridiana Magalhães

Estórias de Iracema. Maria Helena Magalhães. Ilustrações de Veridiana Magalhães Estórias de Iracema Maria Helena Magalhães Ilustrações de Veridiana Magalhães 2 No dia em que Iracema e Lipe voltaram para visitar a Gê, estava o maior rebuliço no hospital. As duas crianças ficaram logo

Leia mais

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão.

REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS. Idade na admissão. REPRESENTAÇÕES SOCIAIS DA GRAVIDEZ: A EXPERIÊNCIA DA MATERNIDADE EM INSTITUIÇÃO Código Entrevista: 2 Data: 18/10/2010 Hora: 16h00 Duração: 23:43 Local: Casa de Santa Isabel DADOS SÓCIO-DEMOGRÁFICOS Idade

Leia mais

PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS

PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS PROFESSOR: EQUIPE DE PORTUGUÊS BANCO DE QUESTÕES - PORTUGUÊS - 8º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================== BRINCADEIRA Começou

Leia mais

Aranha é chamado de 'macaco' por torcida do Grêmio

Aranha é chamado de 'macaco' por torcida do Grêmio Aranha é chamado de 'macaco' por torcida do Grêmio Publicado em 28/08/2014, 22:09 / Atualizado em 29/08/2014, 02:38ESPN.com.br O jogo entre Santos e Grêmio terminou 2 a 0 para o time alvinegro, mas a cena

Leia mais

SEGURANÇA PÚBLICA ASSUNTO DE TODOS

SEGURANÇA PÚBLICA ASSUNTO DE TODOS SEGURANÇA PÚBLICA ASSUNTO DE TODOS Minhas áreas de atuação são, pela ordem de número de eventos: Gestão de Projetos; Gestão de Ativos; Gestão de Segurança Industrial e Gestão Estratégica de empresas. Considero-me,

Leia mais

Acesso aos Arquivos da Ditadura: Nem Perdão, nem Talião: Justiça!

Acesso aos Arquivos da Ditadura: Nem Perdão, nem Talião: Justiça! Acesso aos Arquivos da Ditadura: Nem Perdão, nem Talião: Justiça! Tânia Miranda * A memória histórica constitui uma das mais fortes e sutis formas de dominação. A institucionalização da memória oficial

Leia mais

INSTRUCCIONES Y CRITERIOS GENERALES DE CALIFICACIÓN

INSTRUCCIONES Y CRITERIOS GENERALES DE CALIFICACIÓN UNIVERSIDADES PÚBLICAS DE LA COMUNIDAD DE MADRID PRUEBA DE ACCESO A LAS ENSEÑANZAS UNIVERSITARIAS OFICIALES DE GRADO Curso 2014-2015 MATERIA: PORTUGUÉS INSTRUCCIONES Y CRITERIOS GENERALES DE CALIFICACIÓN

Leia mais

Respostas não definitivas em uma sabatina sobre drogas

Respostas não definitivas em uma sabatina sobre drogas Respostas não definitivas em uma sabatina sobre drogas Gerivaldo Neiva * - Professor, mas o senhor não acha que um mundo sem drogas seria melhor para todos? - Definitivamente, não! Um mundo sem drogas

Leia mais

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES

LEIA ATENTAMENTE AS INSTRUÇÕES ZERO Instruções REDAÇÃO Você deve desenvolver seu texto em um dos gêneros apresentados nas propostas de redação. O tema é único para as três propostas. O texto deve ser redigido em prosa. A fuga do tema

Leia mais

Carnaval 2014. A Sociedade Rosas de Ouro orgulhosamente apresenta o enredo: Inesquecível

Carnaval 2014. A Sociedade Rosas de Ouro orgulhosamente apresenta o enredo: Inesquecível Carnaval 2014 A Sociedade Rosas de Ouro orgulhosamente apresenta o enredo: Inesquecível Nesta noite vamos fazer uma viagem! Vamos voltar a um tempo que nos fez e ainda nos faz feliz, porque afinal como

Leia mais

51 ANOS DA LEI N.º 4.320, DE 17 DE MARÇO DE 1964

51 ANOS DA LEI N.º 4.320, DE 17 DE MARÇO DE 1964 51 ANOS DA LEI N.º 4.320, DE 17 DE MARÇO DE 1964 Conselheiro Inaldo da Paixão Santos Araújo Presidente do Tribunal de Contas do Estado da Bahia (TCE/BA) Campo Grande, 12 de junho de 2015 Ontem Hoje Amanhã

Leia mais

Geração Graças Peça: Os Cofrinhos

Geração Graças Peça: Os Cofrinhos Geração Graças Peça: Os Cofrinhos Autora: Tell Aragão Personagens: Voz - não aparece mendigo/pessoa Nervosa/Ladrão faz os três personagens Menina 1 Menina 2 Voz: Era uma vez, duas irmãs que ganharam dois

Leia mais

Mestre e discípulos conversam sobre o conceito de realidade.

Mestre e discípulos conversam sobre o conceito de realidade. HETERONÍMIA 7. REALIDADE Mestre e discípulos conversam sobre o conceito de realidade. Horóscopo de Alberto Caeiro, feito por Fernando Pessoa. «Uma sombra é real, mas é menos real que uma pedra» Uma das

Leia mais

Mateus 4, 1-11. Respondeu-lhe Jesus: «Vai-te, Satanás, pois está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele prestarás culto.

Mateus 4, 1-11. Respondeu-lhe Jesus: «Vai-te, Satanás, pois está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele prestarás culto. Mateus 4, 1-11 Respondeu-lhe Jesus: «Vai-te, Satanás, pois está escrito: Ao Senhor, teu Deus, adorarás e só a Ele prestarás culto.». Este caminho de 40 dias de jejum, de oração, de solidariedade, vai colocar-te

Leia mais

O que é Ética? Uma pessoa que não segue a ética da sociedade a qual pertence é chamado de antiético, assim como o ato praticado.

O que é Ética? Uma pessoa que não segue a ética da sociedade a qual pertence é chamado de antiético, assim como o ato praticado. 1 O que é Ética? Definição de Ética O termo ética, deriva do grego ethos (caráter, modo de ser de uma pessoa). Ética é um conjunto de valores morais e princípios que norteiam a conduta humana na sociedade.

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca VISITA A PORTUGAL Jantar no Palácio

Leia mais

De Profundis.indd 25 20/05/15 18:01

De Profundis.indd 25 20/05/15 18:01 Janeiro de 1995, quinta feira. Em roupão e de cigarro apagado nos dedos, sentei me à mesa do pequeno almoço onde já estava a minha mulher com a Sylvie e o António que tinham chegado na véspera a Portugal.

Leia mais

Lista de Diálogo - Cine Camelô

Lista de Diálogo - Cine Camelô Lista de Diálogo - Cine Camelô Oi amor... tudo bem? Você falou que vinha. É, eu tô aqui esperando. Ah tá, mas você vai vir? Então tá bom vou esperar aqui. Tá bom? Que surpresa boa. Oh mano. Aguá! Bolha!

Leia mais

Mais uma falha legislativa na tentativa desesperada de retificar o Código de Processo Penal. Análise feita à luz da Lei nº. 12.403/11.

Mais uma falha legislativa na tentativa desesperada de retificar o Código de Processo Penal. Análise feita à luz da Lei nº. 12.403/11. Mais uma falha legislativa na tentativa desesperada de retificar o Código de Processo Penal. Análise feita à luz da Lei nº. 12.403/11. Ricardo Henrique Araújo Pinheiro. A breve crítica que faremos neste

Leia mais

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência

5 ADOLESCÊNCIA. 5.1. Passagem da Infância Para a Adolescência 43 5 ADOLESCÊNCIA O termo adolescência, tão utilizado pelas classes médias e altas, não costumam fazer parte do vocabulário das mulheres entrevistadas. Seu emprego ocorre mais entre aquelas que por trabalhar

Leia mais

PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa

PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa 7 o ano 2 o bimestre PROVA BIMESTRAL Língua portuguesa Escola: Nome: Turma: n o : Sotaque mineiro: é ilegal, imoral ou engorda? Gente, simplificar é um pecado. Se a vida não fosse tão corrida, se não tivesse

Leia mais

Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada.

Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada. Sal, Pimenta, Alho e Noz Moscada. Cláudia Barral (A sala é bastante comum, apenas um detalhe a difere de outras salas de apartamentos que se costuma ver ordinariamente: a presença de uma câmera de vídeo

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE A PROFISSÃO DE DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL - V

REFLEXÕES SOBRE A PROFISSÃO DE DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL - V REFLEXÕES SOBRE A PROFISSÃO DE DELEGADO DE POLÍCIA CIVIL - V edilbertodonsantos@gmail.com Vocês já ouviram alguém dizer que polícia é igual criança, quando está perto incomoda e quando está longe faz falta?

Leia mais

3 o ano Ensino Fundamental Data: / / Atividades de Língua Portuguesa Revisão Nome:

3 o ano Ensino Fundamental Data: / / Atividades de Língua Portuguesa Revisão Nome: 3 o ano Ensino Fundamental Data: / / Atividades de Língua Portuguesa Revisão Nome: Vamos entender um pouco mais sobre ética. Leia este texto atentamente. ÉTICA Ética é um conjunto de valores morais, costumes

Leia mais

AS TRÊS EXPERIÊNCIAS

AS TRÊS EXPERIÊNCIAS Nome: N.º: endereço: data: Telefone: E-mail: Colégio PARA QUEM CURSA O 8 Ọ ANO EM 2014 Disciplina: PoRTUGUÊs Prova: desafio nota: Texto para as questões de 1 a 7. AS TRÊS EXPERIÊNCIAS Há três coisas para

Leia mais

país. Ele quer educação, saúde e lazer. Surge então o sindicato cidadão que pensa o trabalhador como um ser integrado à sociedade.

país. Ele quer educação, saúde e lazer. Surge então o sindicato cidadão que pensa o trabalhador como um ser integrado à sociedade. Olá, sou Rita Berlofa dirigente do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Brasil, filiado à Contraf e à CUT. Quero saudar a todos os trabalhadores presentes e também àqueles que, por algum motivo, não puderam

Leia mais

DISCURSO PROFERIDO PELO NOBRE DEPUTADO HELIO DE SOUSA, EM CARÁTER EXCEPCIONAL, NO DIA 08 DE OUTUBRO DE 2015

DISCURSO PROFERIDO PELO NOBRE DEPUTADO HELIO DE SOUSA, EM CARÁTER EXCEPCIONAL, NO DIA 08 DE OUTUBRO DE 2015 DISCURSO PROFERIDO PELO NOBRE DEPUTADO HELIO DE SOUSA, EM CARÁTER EXCEPCIONAL, NO DIA 08 DE OUTUBRO DE 2015 Senhores Deputados, meu pronunciamento é em caráter excepcional. Eu tenho uma história de vida

Leia mais

Quanto à classificação das orações coordenadas, temos dois tipos: Coordenadas Assindéticas e Coordenadas Sindéticas.

Quanto à classificação das orações coordenadas, temos dois tipos: Coordenadas Assindéticas e Coordenadas Sindéticas. LISTA DE RECUPERAÇÃO FINAL 9º ANO - PORTUGUÊS Caro aluno, seguem abaixo os assuntos para a prova de exame. É só um lembrete, pois os mesmos estão nas apostilas do primeiro bimestre, segundo e terceiro

Leia mais

Chantilly, 17 de outubro de 2020.

Chantilly, 17 de outubro de 2020. Chantilly, 17 de outubro de 2020. Capítulo 1. Há algo de errado acontecendo nos arredores dessa pequena cidade francesa. Avilly foi completamente afetada. É estranho descrever a situação, pois não encontro

Leia mais

Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa

Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa Olhando as peças Histórias de Deus:Gênesis-Apocalipse 3 a 6 anos Unidade 2: A família de Deus cresce José perdoa História Bíblica: Gênesis 41-47:12 A história de José continua com ele saindo da prisão

Leia mais

ANOS DE CHUMBO: O QUE FAZER PARA QUE TUDO SEJA APENAS HISTÓRIA. Marcos Rolim 1

ANOS DE CHUMBO: O QUE FAZER PARA QUE TUDO SEJA APENAS HISTÓRIA. Marcos Rolim 1 ANOS DE CHUMBO: O QUE FAZER PARA QUE TUDO SEJA APENAS HISTÓRIA Marcos Rolim 1 O novo Chefe do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República, General José Elito Siqueira, afirmou, em sua

Leia mais

Análise do Edital ISS Salvador 2014

Análise do Edital ISS Salvador 2014 Análise do Edital ISS Salvador 2014 Olá amigos concurseiros, É com um carinho mais que especial que divulgo que no dia 15/09/2014) saiu uma BOMBA NORDESTINA, ou seja, o concurso para Auditor Fiscal do

Leia mais

Coisas de pais. partes I e II Língua Portuguesa e Matemática. texto 1. Você pode utilizar o verso de todas as folhas e a última página como rascunho.

Coisas de pais. partes I e II Língua Portuguesa e Matemática. texto 1. Você pode utilizar o verso de todas as folhas e a última página como rascunho. Você pode utilizar o verso de todas as folhas e a última página como rascunho. partes I e II Língua Portuguesa e Matemática texto 1 Coisas de pais Eu estudava em um colégio bom, ele tinha uma ótima localização.

Leia mais

Perdão. Fase 7 - Pintura

Perdão. Fase 7 - Pintura SERM7.QXD 3/15/2006 11:18 PM Page 1 Fase 7 - Pintura Sexta 19/05 Perdão Porque, se vocês perdoarem as pessoas que ofenderem vocês, o Pai de vocês, que está no Céu também perdoará vocês. Mas, se não perdoarem

Leia mais

Entendendo o que é Gênero

Entendendo o que é Gênero Entendendo o que é Gênero Sandra Unbehaum 1 Vila de Nossa Senhora da Piedade, 03 de outubro de 2002 2. Cara Professora, Hoje acordei decidida a escrever-lhe esta carta, para pedir-lhe ajuda e trocar umas

Leia mais

Os brasileiros precisam conhecer a história dos negros. (textos e fotos Maurício Pestana)

Os brasileiros precisam conhecer a história dos negros. (textos e fotos Maurício Pestana) Os brasileiros precisam conhecer a história dos negros (textos e fotos Maurício Pestana) Responsável pelo parecer do Conselho Nacional de Educação que instituiu, há alguns anos, a obrigatoridade do ensino

Leia mais