CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL"

Transcrição

1 CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL MINÁRIO DE ASSUNTOS COÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE ASSUNTOÁBEIS DE PORTO ALEGRESEMINÁRIO PALESTRA SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA COM ALTERAÇÕES DE ALÍQUOTA 4% PALESTRANTE: VALÉRIA RITT Contadora, Consultora da LEFISC nas áreas de ICMS/ISS/IPI, redatora de matérias do Portal LEFISC, Instrutora de Cursos e Palestras da LEFISC e CRC/RS,professora universitária do curso de extensão em ICMS realizado pela LEFISC. ANO 2013 APOIO: PARA OBTER UMA SENHA CORTESIA DO PORTAL LEFISC ENVIE UM PARA (51)

2 SUMÁRIO 1 Substituição Tributária Conceito; 2 Contribuinte Substituto e Substituído; 3 Responsáveis: 3.1 Nas Operações internas; 3.2 Nas Operações interestaduais com alíquota 4%; 4 Mercadorias Sujeitas ao Regime de Substituição Tributária; 5 Cálculo do Imposto: 5.1- Com alíquota de 12%; 5.2- Com alíquota de 4%; 6 Prazos de Recolhimento; 7 Procedimentos do estabelecimento que receber Mercadorias de Outra Unidade da Federação sem substituição tributária; 8 Devolução de mercadoria; 9 Hipóteses de Restituição de ICMS Substituição Tributária. 2

3 1. SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA - CONCEITOS A Substituição Tributária é o regime pelo qual a responsabilidade pelo ICMS devido em relação às operações ou prestações de serviços SUBSEQUENTES é atribuída ao contribuinte responsável determinado em legislação. O estabelecimento responsável, irá recolher o ICMS referente as suas operações próprias e também o ICMS devido nas operações posteriores. 2. CONTRIBUINTES SUBSTITUTOS E SUBSTITUÍDOS Contribuinte Substituto - Responsável É o responsável pela retenção e recolhimento do imposto incidente nas operações ou prestações subseqüentes, inclusive do valor decorrente da diferença entre as alíquotas interna e interestadual nas operações e prestações que destinem mercadorias e serviços a consumidor final. Este normalmente é o fabricante ou importador Contribuinte Substituído É aquele que tem o imposto devido relativo às operações e prestações de serviços o qual foi pago pelo contribuinte substituto. O responsável pela retenção e pagamento. Relação de responsabilidade e pagamento entre contribuintes substituto e substituído: A B C INDÚSTRIA SUBSTITUTO ATACADO SUBSTITUÍDO VAREJO SUBSTITUÍDO CONSUMIDOR FINAL A indústria como responsável recolhe o ICMS devido por B e C na condição de contribuinte substituto 3. RESPONSÁVEIS 3.1 Nas Operações internas No Livro III, do Artigo 9º ao 14, do RICMS são definidas as regras de responsabilidade nas operações internas no RS. Na condição de substitutos tributários, são responsáveis pelo pagamento do imposto devido nas operações subseqüentes promovidas por contribuintes deste Estado com as mercadorias referidas no Apêndice II, Seções II e III, os seguintes contribuintes, que a eles tenham remetido as mercadorias: Livro III, Artigo 9º NOTA 06 - De acordo com o art. 1º, 3º, V, da Resolução CGSN nº 58, de , do Comitê Gestor do Simples Nacional, não se aplica ao Microempreendedor Individual - MEI, na vigência da opção pelo Sistema de Recolhimento em Valores Fixos Mensais dos Tributos Abrangidos pelo Simples Nacional - SIMEI, a atribuição de substituto tributário prevista neste artigo, hipótese em que a responsabilidade pela substituição tributária caberá ao estabelecimento destinatário e o imposto será devido no momento da entrada da mercadoria no estabelecimento. 3

4 I - o estabelecimento industrializador das mercadorias; II - o estabelecimento que recebeu as mercadorias oriundas de outra unidade da Federação, salvo se estas tiverem sido recebidas com substituição tributária; III - o estabelecimento que importou as mercadorias do exterior; IV - o estabelecimento que adquiriu mercadorias importadas do exterior, apreendidas ou abandonadas; V - o estabelecimento distribuidor das mercadorias, quando se tratar de produtos farmacêuticos relacionados no Apêndice II, Seção III, item VI, do RICMS; Considera-se estabelecimento distribuidor das mercadorias o estabelecimento atacadista. 3.2 Nas Operações interestaduais de entradas de mercadorias com alíquota de 4% Nas operações interestaduais que destinem a este Estado mercadorias relacionadas no Apêndice II, Seção III, fica atribuída ao remetente, na condição de substituto tributário, a responsabilidade pela retenção e recolhimento do imposto devido a este Estado, mesmo que o imposto já tenha sido retido anteriormente. Livro III, Artigo 34, do RICMS. 3.3 Nas Operações interestaduais de saídas de mercadorias com alíquota de 4%: Estão sujeitos a substituição tributaria nas operações promovidas por contribuintes deste estado que destinem as mercadorias relacionadas no Apêndice II, Seção III, a contribuinte de outra unidade da federação, relacionadas no Livro III, art. 5º, do RICMS. 4. MERCADORIAS SUJEITAS AO REGIME DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA 4.1 Apêndice II, Seção II, do RICMS - Operações internas. MERCADORIAS Carne verde de gado vacum, ovino e bufalino e produtos comestíveis resultantes da matança desse gado submetidos à salga, secagem ou desidratação NOTA - Ver definição de carne verde, para os fins deste Regulamento, Livro I, art. 1º, VI. Papel para cigarro Piscinas de fibra de vidro Arroz beneficiado ALTERAÇÃO IMPORTANTE TRAZIDA PELO Decreto nº de DOE RS de ). EFEITOS A PARTIR DE 01/09/2012 VIII Carnes e demais produtos comestíveis frescos, resfriados e congelados, resultantes do abate de aves e de suínos 4.2 Apêndice II, Seção III, do RICMS - Operações internas e interestaduais que destinem mercadorias a este Estado. APÊNDICE II, SEÇÃO III, MERCADORIAS Ferramentas: Materiais elétricos: Materiais de construção, acabamento, bricolagem ou adorno: 4

5 Bicicletas: Brinquedos: Materiais de limpeza: Produtos alimentícios: Artefatos de uso doméstico: Bebidas quentes Artigos de papelaria: Instrumentos musicais: Máquinas e aparelhos mecânicos, elétricos, eletromecânicos e automáticos: A ARTIGOS PARA BEBÊ: (Item acrescentado pelo DECRETO , de 15/02/12. (DOE 16/02/12) - Efeitos a partir de 01/03/12.) ARTIGOS DE VESTUÁRIO: (Item acrescentado pelo DECRETO , de 15/02/12. (DOE 16/02/12) - Efeitos a partir de 01/03/12.) 5. CÁLCULO DO IMPOSTO O débito de responsabilidade por substituição tributária em operações internas será calculado pela aplicação da alíquota interna sobre a base de cálculo prevista nas Seções específicas para as diversas mercadorias, (relacionadas no Livro III, do Regulamento do ICMS), deduzindo-se, do valor obtido, o débito fiscal próprio.(livro III, Artigo 15, do RICMS). Se a saída ao consumidor de mercadoria sujeita à substituição tributária estiver beneficiada com base de cálculo reduzida, a base de cálculo para o débito de responsabilidade por substituição tributária terá o mesmo percentual de redução, observadas as mesmas condições previstas para a concessão do benefício. (Livro III, Artigo 15, Parágrafo 1º,do RICMS). Exemplo hipotético de cálculo na venda Empresa Geral Operação interna DADOS: - Valor da base de cálculo do ICMS sobre a operação própria: R$ 1.000,00 - ICMS devido sobre a operação própria : R$ 170,00 - Percentual de margem de lucro (hipótese): 40% - IPI 10%: R$ 100,00 - Base de cálculo para retenção: R$ 1.540,00 (R$ 1.000,00+R$ 100, %) - Valor do ICMS a ser retido: R$ 91,80 (17%x R$ 1.540,00 = R$ 261,80 (-) R$ 170,00) - Valor total da Nota Fiscal: R$ 1.191,80 Exemplo hipotético de cálculo na venda Simples Nacional Operação interna DADOS: - ICMS devido sobre a operação própria (17%, de acordo com a Resolução CGSN nº 61/09) : R$ 170,00 (presumido) - Percentual de margem de lucro (hipótese): 40% - Base de cálculo para retenção: R$ 1.400,00 (R$ 1.000,00+ 40%) - Valor do ICMS a ser retido: R$ 68,00 (17% x R$ 1.400,00 = R$ 238,00 (-) R$ 170,00) 5

6 - Valor total da Nota Fiscal: R$ 1.068,00 A forma de calculo acima também vale para operações interestaduais, devendo apenas atentar para o fato que a alíquota que será adotada sobre a operação própria é a alíquota interestadual: (12% - SC/PR/SP/RJ/MG) e (7% - para os demais Estados), Enquanto que a alíquota a ser adotada para fins de retenção (ICMS-ST), corresponderá a interna vigente na Federação de destino para cada mercadoria. Relativamente as empresas optantes do SIMPLES NACIONAL Para efetuar o cálculo do ICMS substituição tributária para as empresas optante pelo Simples Nacional o valor do ICMS a deduzir referente ao ICMS próprio da operação será a alíquota interna da mercadoria na operação dentro do RS e na operação interestadual será a alíquota interestadual, conforme o Estado de destino. Nas saídas interestaduais Considerando a alíquota de 12% produto Nacional Dados: MVA ORIGINAL: 44% = 0.44 Alíquota Intra (Alíquota interna no Estado de destino): 18% = 0,18 Alíquota Inter (Alíquota interestadual da operação): 12% = 0,12 MVA ajustada = [(1+ MVA ST original) x (1 - ALQ inter) / (1- ALQ intra)] - 1, onde: I - MVA ST original é a margem de valor agregado prevista na legislação do Estado de destino da mercadoria; II - ALQ inter é o coeficiente correspondente à alíquota interestadual aplicável à operação; III ALQ intra é o coeficiente correspondente à alíquota interna ou ao percentual de carga tributária efetiva, quando este for inferior à alíquota interna, praticada pelo contribuinte substituto da unidade federada de destino. ( 1+0,44 ) x ( 1 0,12 ) / ( 1-0,18 ) 1 = 1,44 x 0,88 /0,82 1 = 1,2672 /0,82 1 = 1, = 0,5453 X 100 ( percentual) = 54,53% Exemplo de venda RS para SP Valor das mercadorias 1.000,00 ICMS próprio : 120,00 Base de cálculo ICMS ST : 1.545,30 Alíquota interna 18% ICMS ST : 158,15 Total da NF-e 1.158,15 Considerando alíquota de 4% produto importado conforme RESOLUÇÃO 13/2012 Dados: MVA ORIGINAL: 44% = 0.44 Alíquota Intra (Alíquota interna no Estado de destino): 18% = 0,18 Alíquota Inter (Alíquota interestadual da operação): 4% = 0,04 MVA ajustada = [(1+ MVA ST original) x (1 - ALQ inter) / (1- ALQ intra)] - 1, onde: 6

7 I - MVA ST original é a margem de valor agregado prevista na legislação do Estado de destino da mercadoria; II - ALQ inter é o coeficiente correspondente à alíquota interestadual aplicável à operação; III ALQ intra é o coeficiente correspondente à alíquota interna ou ao percentual de carga tributária efetiva, quando este for inferior à alíquota interna, praticada pelo contribuinte substituto da unidade federada de destino. ( 1+0,44 ) x ( 1 0,04) / ( 1-0,18 ) 1 = 1,44 x 0,96/0,82 1 = 1,3824 /0,82 1 = 1, = 0,6859 X 100 ( percentual) = 68,59% Exemplo de venda RS para SP Valor das mercadorias 1.000,00 ICMS próprio: 40,00 Base de cálculo ICMS ST : 1.685,90 Alíquota interna 18% ICMS ST : 263,46 Total da NF-e 1.263,46 Diferença Maior = 1.263, ,15 = 105, PRAZOS DE RECOLHIMENTO O recolhimento do ICMS substituição tributária será nos prazos a seguir, conforme as mercadorias Apêndice III, Seção II, do RICMS. EM RELAÇÃO A OPERAÇÃO INTERNA NO RS ITEM I PRAZOS (TOMANDO-SE POR REFERÊNCIA O MÊS DA OCORRÊNCIA DA RESPONSABILIDADE) Até o dia 09 do mês subseqüente. OPERAÇÕES/PRESTAÇÕES Regra geral, quando referente às hipóteses de substituição tributária não especificadas nos demais itens. VIII Até o dia 23 do segundo mês subseqüente a) responsabilidade do substituto tributário decorrente de operações internas com: 1 - rações tipo "pet" para animais domésticos, relacionadas no Apêndice II, Seção III, item XIX; 2 - autopeças, relacionadas no Apêndice II, Seção III, item XX; 3 - artigos de colchoaria, relacionados no Apêndice II, Seção III, item XXI; 4 - cosméticos, perfumaria, artigos de higiene pessoal e de toucador, relacionados no Apêndice II, Seção III, item XXII; 5 - ferramentas, relacionadas no Apêndice II, Seção III, item XXIV; 6 - materiais elétricos, relacionados no Apêndice II, Seção III, item XXV; 7 - materiais de construção, acabamento, bricolagem ou adorno, relacionados no Apêndice II, Seção III, item XXVI; 8 - bicicletas, relacionadas no Apêndice II, Seção III, item XXVII; 9 - brinquedos, relacionados no Apêndice II, Seção III, item XXVIII; 10 - materiais de limpeza, relacionados no Apêndice II, Seção III, item XXIX; 7

8 11 - produtos alimentícios, relacionados no Apêndice II, Seção III, item XXX; 12 - artefatos de uso doméstico, relacionados no Apêndice II, Seção III, item XXXI; 13 - bebidas quentes, relacionadas no Apêndice II, Seção III-A; 14 - artigos de papelaria, relacionados no Apêndice II, Seção III, item XXXIII; 15 - instrumentos musicais, relacionados no Apêndice II, Seção III, item XXXIV; 16 - produtos eletrônicos, eletroeletrônicos e eletrodomésticos, relacionados no Apêndice II, Seção III, item XXXV; 17 - máquinas e aparelhos mecânicos, elétricos, eletromecânicos e automáticos, relacionados no Apêndice II, Seção III, item XXXVI; 18 - artigos para bebê, relacionados no Apêndice II, Seção III, item XXXVII; 19 - artigos de vestuário, relacionados no Apêndice II, Seção III, item XXXVIII; 20 - carnes e demais produtos comestíveis frescos, resfriados e congelados, resultantes do abate de aves e de suínos; b) responsabilidade do substituto tributário optante pelo Simples Nacional inscrito no CGC/TE, prevalecendo este prazo sobre os demais previstos nesta Seção. 7 PROCEDIMENTO DO ESTABELECIMENTO COMERCIAL QUE RECEBER MERCADORIAS DE OUTRA UNIDADE DA FEDERAÇÃO SEM SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA INTEGRA DO LIVRO III, TITULO III, CAPITULO I, SEÇÃO III Seção III Do Pagamento do Imposto Devido na Entrada no Território deste Estado de Mercadoria Oriunda de Outra Unidade da Federação ou no Desembaraço Aduaneiro de Mercadoria Importada Subseção I Mercadoria Oriunda de Outra Unidade da Federação Art. 53-A - Na hipótese de estabelecimento receber de outra unidade da Federação mercadoria relacionada no Apêndice II, Seções II e III, sem substituição tributária, o imposto relativo às operações subsequentes e à diferença entre a alíquota interna e a interestadual quando a mercadoria for destinada ao ativo permanente ou ao uso ou consumo do destinatário é devido no momento da entrada da mercadoria no território deste Estado, ocasião em que deverá comprovar seu pagamento mediante a apresentação de guia de recolhimento ou comprovante de pagamento auto-atendimento. (Alt: Caput alterado pelo Decreto de DOE RS ) (...) NOTA 03 - O imposto deverá ser pago em separado, utilizando guia de recolhimento ou a modalidade auto-atendimento, com código de receita conforme previsto em instruções baixadas pela Receita Estadual. 8

9 Parágrafo único - O disposto neste artigo não se aplica: Art. 53-B - O valor do imposto a ser pago na forma desta Subseção será calculado mediante a aplicação da alíquota interna sobre a base de cálculo prevista nas Seções específicas para as diversas mercadorias constantes do Capítulo II, deduzindo-se, do valor obtido, o débito fiscal próprio do remetente. -No art. 53-B do Livro III, a nota 01 passa a vigorar com a seguinte redação: ALTERAÇÃO IMPORTANTE PELO DECRETO Nº , DE 11 DE MAIO DE (DOE 12/05/2011) "NOTA 01 - Na hipótese em que a base de cálculo for determinada pela utilização de margem de valor agregado, adotar-se-á a prevista para as operações: a) internas, quando o remetente da mercadoria for contribuinte optante pelo Simples Nacional; b) interestaduais, nas demais hipóteses." NOTA 02 - Na hipótese em que a base de cálculo for determinada pelo que prevêem as Seções específicas como preço ou valor praticado pelo substituto, adotar-se-á o valor praticado pelo remetente. NOTA 03 - Na hipótese de estabelecimento remetente optante pelo Simples Nacional, o valor a ser deduzido, relativo ao débito fiscal próprio do remetente, será o valor presumido desse débito calculado na forma como ocorreria a tributação se o contribuinte não fosse optante pelo Simples Nacional. Nas entradas interestaduais Considerando a alíquota de 12% produto Nacional Dados: MVA ORIGINAL: 44% = 0.44 Alíquota Intra (Alíquota interna no Estado de destino): 17% = 0,17 Alíquota Inter (Alíquota interestadual da operação): 12% = 0,12 MVA ajustada = [(1+ MVA ST original) x (1 - ALQ inter) / (1- ALQ intra)] - 1, onde: I - MVA ST original é a margem de valor agregado prevista na legislação do Estado de destino da mercadoria; II - ALQ inter é o coeficiente correspondente à alíquota interestadual aplicável à operação; III ALQ intra é o coeficiente correspondente à alíquota interna ou ao percentual de carga tributária efetiva, quando este for inferior à alíquota interna, praticada pelo contribuinte substituto da unidade federada de destino. ( 1+0,44 ) x ( 1 0,12 ) / ( 1-0,17 ) 1 = 1,44 x 0,88 /0,83 1 = 1,2672 /0,83 1 = 1, = 0,5267 X 100 ( percentual) = 52,67% Exemplo: Empresa do RS adquirindo mercadoria de SC Valor das mercadorias 1.000,00 ICMS próprio : 120,00 Base de cálculo ICMS ST : 1.526,70 9

10 Alíquota interna 17% Considerando alíquota de 4% produto importado conforme RESOLUÇÃO 13/2012 Dados: MVA ORIGINAL: 44% = 0.44 Alíquota Intra (Alíquota interna no Estado de destino): 17% = 0,17 Alíquota Inter (Alíquota interestadual da operação): 4% = 0,04 MVA ajustada = [(1+ MVA ST original) x (1 - ALQ inter) / (1- ALQ intra)] - 1, onde: I - MVA ST original é a margem de valor agregado prevista na legislação do Estado de destino da mercadoria; II - ALQ inter é o coeficiente correspondente à alíquota interestadual aplicável à operação; III ALQ intra é o coeficiente correspondente à alíquota interna ou ao percentual de carga tributária efetiva, quando este for inferior à alíquota interna, praticada pelo contribuinte substituto da unidade federada de destino. ( 1+0,44 ) x ( 1 0,04) / ( 1-0,17 ) 1 = 1,44 x 0,96/0,83 1 = 1,3824 /0,83 1 = 1, = 0,6655 X 100 ( percentual) = 66,55% 8. DEVOLUÇÃO DE MERCADORIA De acordo com o Livro III, art. 25 do RICMS, na devolução de mercadoria alcançada pelo regime de substituição tributária, o estabelecimento destinatário deverá: I - emitir Nota Fiscal para documentar a devolução das mercadorias; II - adjudicar-se do imposto destacado na Nota Fiscal de aquisição relativo ao débito próprio do substituto tributário, proporcional às mercadorias devolvidas, mediante emissão de Nota Fiscal específica para este fim; III - emitir Nota Fiscal para fins de restituição do imposto relativo ao débito de responsabilidade por substituição tributária, em nome do estabelecimento que tenha efetuado a retenção e no valor do imposto retido, proporcional às mercadorias devolvidas. 1º - As Notas Fiscais referidas nos incisos II e III deverão conter, além das indicações exigidas na legislação tributária, o número e o emitente da Nota Fiscal de aquisição das mercadorias devolvidas e o número da Nota Fiscal referida no inciso I relativa à devolução. (Alt: Parágrafo alterado pelo Decreto n de DOE ). 2º - O estabelecimento que efetuou a retenção, desde que disponha da Nota Fiscal referida no inciso III, poderá: (Alt: Parágrafo alterado pelo Decreto n de DOE ). a) quando se tratar de estabelecimento situado em outra unidade da Federação: (Alt: Alínea alterada pelo Decreto nº de DOE RS de ). 1. deduzir, do próximo recolhimento a este Estado, o valor do imposto retido constante na Nota Fiscal; 2. requerer a repetição de indébito, na hipótese de estabelecimento não inscrito no CGC/TE do Estado do Rio Grande do Sul. 10

11 b) creditar-se, no livro Registro de Entradas, do valor do imposto retido constante na Nota Fiscal, quando se tratar de estabelecimento situado neste Estado. 9 HIPÓTESES DE RESTITUIÇÃO DE ICMS SUBTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA A restituição do imposto pago nas etapas anteriores será efetuada mediante adjudicação, do crédito relativo ao referido imposto, quando ocorrer alguma das seguintes hipóteses com mercadorias já alcançadas pelo regime de substituição tributária: I - operação promovida por contribuinte deste Estado que destine as mercadorias a contribuinte de outra unidade da Federação ou ao exterior; II - modificação da natureza ou da finalidade das mercadorias; III - saída das mercadorias em que ocorra nova substituição tributária; IV - entrada no estabelecimento da adquirente que ensejar direito a crédito fiscal; V - saída de mercadorias beneficiada com a isenção de que trata o Livro I, art. 9º, CXX,CLXIV (Alt: Inciso alterado pelo Decreto nº de DOE ). O crédito fiscal a ser adjudicado será determinado aplicando-se a alíquota interna sobre o valor que serviu de base para o débito de substituição tributária, constante na Nota Fiscal de aquisição das mercadorias, devendo ser considerado, quando houver, o benefício de redução tanto da base de cálculo quanto do débito de responsabilidade por substituição tributária. Entretanto quando não for possível determinar-se a correspondência entre a base de cálculo do imposto retido com a aquisição da respectiva mercadoria, tomar-se-á o valor que serviu de base para a retenção do imposto quando da última aquisição da mercadoria pelo estabelecimento remetente, proporcional à quantidade saída. No final de cada período de apuração, o contribuinte deverá: a) elaborar relação contendo, discriminadamente, as operações promovidas com as mercadorias que ensejaram a restituição do imposto, o número e o emitente das Notas Fiscais de aquisição dessas mercadorias, bem como os elementos necessários para apuração do crédito fiscal a ser adjudicado; b) emitir Nota Fiscal contendo, no campo "INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES", a expressão "crédito fiscal adjudicado nos termos do Livro III, art. 23, do RICMS"; c) ( REVOGADO DECRETO /2010) d) escriturar a Nota Fiscal no Livro Registro de Entradas, devendo constar, na coluna própria, o valor do imposto a ser creditado; 11

12 e) manter a relação supra citada em seu estabelecimento, para apresentação à Fiscalização de Tributos Estaduais, quando exigido. 12

PALESTRA SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA CONSIDERAÇÕES GERAIS

PALESTRA SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA CONSIDERAÇÕES GERAIS CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL MINÁRIO DE ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE ASSUNTOÁBEIS DE PORTO ALEGRESEMINÁRIO PALESTRA

Leia mais

AQUISIÇÕES INTERESTADUAIS INSTRUTORA: VALÉRIA PERES

AQUISIÇÕES INTERESTADUAIS INSTRUTORA: VALÉRIA PERES AQUISIÇÕES INTERESTADUAIS INSTRUTORA: VALÉRIA PERES 1 Entradas de mercadorias de outros Estados sujeitas ao regime da substituição tributária no Rio Grande do Sul ( ICMS ST pago na Entrada ) Procedimentos

Leia mais

OBRIGAÇÕES ESTADUAIS/RS DE SETEMBRO DE 2015

OBRIGAÇÕES ESTADUAIS/RS DE SETEMBRO DE 2015 OBRIGAÇÕES ESTADUAIS/RS DE SETEMBRO DE 2015 04/09/2015 GIA/Água Natural Fornecedores de água natural canalizada Prazo para transmitir pela internet a GIA até o dia 4 do segundo mês subsequente da ocorrência

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Restituição do ICMS ST RS

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Restituição do ICMS ST RS 24/06/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 6 4. Conclusão... 7 5. Informações Complementares... 8 6. Referências... 8 7.

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Diferencial de alíquota para produtos com destino industrialização

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Diferencial de alíquota para produtos com destino industrialização Segmentos industrialização 09/01/2014 Título do documento Sumário Sumário... 2 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 7 5. Informações Complementares...

Leia mais

REDUÇÃO DA MVA DA SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA EM 70%, NAS SAÍDAS DESTINADAS A EMPRESAS DO SIMPLES NACIONAL DE SANTA CATARINA

REDUÇÃO DA MVA DA SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA EM 70%, NAS SAÍDAS DESTINADAS A EMPRESAS DO SIMPLES NACIONAL DE SANTA CATARINA REDUÇÃO DA MVA DA SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA EM 70%, NAS SAÍDAS DESTINADAS A EMPRESAS DO SIMPLES NACIONAL DE SANTA CATARINA Matéria elaborada com base na Legislação vigente em 15.07.2011. SUMÁRIO: 1 - INTRODUÇÃO

Leia mais

ICMS Substituição Tributária. Outubro 2004

ICMS Substituição Tributária. Outubro 2004 ICMS Substituição Tributária Conceituação Consiste na alteração do momento do fato gerador, gerando uma antecipação do pagamento do imposto incidente nas operações seguintes. Responsabilidade Tributária

Leia mais

ICMS: ANTECIPAÇÃO TRIBUTÁRIA DO IMPOSTO NA ENTRADA DE MERCADORIA PROVENIENTE DE OUTRA UNIDADE DA FEDERAÇÃO - PROCEDIMENTO

ICMS: ANTECIPAÇÃO TRIBUTÁRIA DO IMPOSTO NA ENTRADA DE MERCADORIA PROVENIENTE DE OUTRA UNIDADE DA FEDERAÇÃO - PROCEDIMENTO ICMS: ANTECIPAÇÃO TRIBUTÁRIA DO IMPOSTO NA ENTRADA DE MERCADORIA PROVENIENTE DE OUTRA UNIDADE DA FEDERAÇÃO - PROCEDIMENTO Sumário 1. Introdução 2. Antecipação tributária 3. Produtos sujeitos - Relação

Leia mais

ICMS. SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA Medicamentos Similares, Perfumaria, Artigos de Higiene Pessoal e Cosméticos Aspectos Tributários Relevantes

ICMS. SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA Medicamentos Similares, Perfumaria, Artigos de Higiene Pessoal e Cosméticos Aspectos Tributários Relevantes ICMS SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA Medicamentos Similares, Perfuma, Artigos de Higiene Pessoal e Aspectos Tributários Relevantes Ricardo Bernardes Machado Consultor Tributário OAB/RS nº 44.811 ICMS - Noções

Leia mais

DIFERENCIAL DE ALÍQUOTAS E ANTECIPAÇÃO DO IMPOSTO

DIFERENCIAL DE ALÍQUOTAS E ANTECIPAÇÃO DO IMPOSTO DIFERENCIAL DE ALÍQUOTAS E ANTECIPAÇÃO DO IMPOSTO Agosto de 2015 Palestra DIFERENCIAL DE ALÍQUOTA NA AQUISIÇÃO DE MERCADORIAS INTRERESTADUAIS Tributação do ICMS nas entradas de outra Unidade da Federação

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Transferência de Crédito de ICMS de Fornecedor Optante do Simples Nacional

Parecer Consultoria Tributária de Segmentos Transferência de Crédito de ICMS de Fornecedor Optante do Simples Nacional 09/01/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Transferência de Crédito do ICMS pelos Optantes do... 4 3.2 Do Ressarcimento

Leia mais

ME EPP SIMPLES NACIONAL X ICMS

ME EPP SIMPLES NACIONAL X ICMS ME EPP SIMPLES NACIONAL X ICMS Agosto/2015 AM Gasperin Treinamentos - Caxias do Sul - Fone (54)9142.2987 / 9195.7236 Programa 1 Definição de ME e EPP 2 Definição de Simples Nacional 3 ICMS 4 Adoção de

Leia mais

ANEXO 4.7. Substituição Tributária nas Operações com Disco Fonográfico e Fita Virgem ou Gravada.

ANEXO 4.7. Substituição Tributária nas Operações com Disco Fonográfico e Fita Virgem ou Gravada. ANEXO 4.7 Substituição Tributária nas Operações com Disco Fonográfico e Fita Virgem ou Gravada. Protocolo ICMS 19/1985 Alterações: Protocolo ICMS 09/1986, 10/1987, 53/91, 05/98, 07/2000, 12/06, 72/07,

Leia mais

Palestra. ICMS/SP Substituição Tributária Regime Especial Distribuidor. Apoio: Elaborado por: Giuliano Kessamiguiemon Gioia

Palestra. ICMS/SP Substituição Tributária Regime Especial Distribuidor. Apoio: Elaborado por: Giuliano Kessamiguiemon Gioia Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

Evento Especial Antecipação Tributária Art. 426 A do RICMS. Apresentação: Fernanda Silva Samyr H. M. Qbar

Evento Especial Antecipação Tributária Art. 426 A do RICMS. Apresentação: Fernanda Silva Samyr H. M. Qbar Evento Especial Antecipação Tributária Art. 426 A do RICMS Apresentação: Fernanda Silva Samyr H. M. Qbar 24/09/2014 Substituição Tributária A substituição tributária do ICMS é um regime jurídico em que

Leia mais

Anexo 4.0 Substituição Tributária. Anexo 4.4. (Revigorado pelo Decreto nº 26.288 de 26 de fevereiro de 2010).

Anexo 4.0 Substituição Tributária. Anexo 4.4. (Revigorado pelo Decreto nº 26.288 de 26 de fevereiro de 2010). Anexo 4.0 Substituição Tributária Anexo 4.4 (Revigorado pelo Decreto nº 26.288 de 26 de fevereiro de 2010). Da Substituição Tributária nas Operações com Carne Bovina, Bubalina e Subproduto; Gado Bovino

Leia mais

DIFERENCIAL DE ALÍQUOTA - Hipóteses de Incidência, Cálculo e Formas de Recolhimento. Matéria elaborada com base na Legislação vigente em: 06.10.2011.

DIFERENCIAL DE ALÍQUOTA - Hipóteses de Incidência, Cálculo e Formas de Recolhimento. Matéria elaborada com base na Legislação vigente em: 06.10.2011. DIFERENCIAL DE ALÍQUOTA - Hipóteses de Incidência, Cálculo e Formas de Recolhimento Matéria elaborada com base na Legislação vigente em: 06.10.2011. SUMÁRIO: 1 INTRODUÇÃO 2 HIPÓTESES DE INCIDÊNCIA 2.1

Leia mais

2. Que produtos estão sujeitos à substituição tributária a partir de 1º de novembro de 2010? DECRETO/PROTOCOLO

2. Que produtos estão sujeitos à substituição tributária a partir de 1º de novembro de 2010? DECRETO/PROTOCOLO 1. O que é substituição tributária? O regime de substituição tributária é caracterizado pelo deslocamento da responsabilidade pelo pagamento do ICMS relativo a determinadas operações ou prestações para

Leia mais

Palestra. ICMS - Substituição Tributária - Atividades Sujeitas ao Regime. Julho 2010. Apoio: Elaborado por:

Palestra. ICMS - Substituição Tributária - Atividades Sujeitas ao Regime. Julho 2010. Apoio: Elaborado por: Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais Superintendência de Tributação Diretoria de Orientação e Legislação Tributária

Secretaria de Estado de Fazenda de Minas Gerais Superintendência de Tributação Diretoria de Orientação e Legislação Tributária (*) Orientação Tributária DOLT/SUTRI Nº 001/2009 Novas regras do Simples Nacional - Implicações no âmbito estadual Vigência: 1º/01/2009 A Lei Complementar nº 128, de 19 de dezembro de 2008, modificou a

Leia mais

PROGRAMA CURSO EXTENSÃO EM ICMS/RS

PROGRAMA CURSO EXTENSÃO EM ICMS/RS PROGRAMA CURSO EXTENSÃO EM ICMS/RS O curso abrangerá todo o Regulamento do ICMS/RS, desde o básico até a legislação avançada. Para fazer jus ao certificado o contratante deverá comprovar presença mínima

Leia mais

ICMS/SP Substituição Tributária

ICMS/SP Substituição Tributária Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400 - ramal 1529 (núcleo de relacionamento) Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva, 60 Higienópolis

Leia mais

SINDCONT-SP SINDCONT-SP

SINDCONT-SP SINDCONT-SP Sindicato dos Contabilistas de São Paulo (Ex-Instituto Paulista de Contabilidade - Fundado em 1919) ÓRGÃO DE PROFISSÃO LIBERAL SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO ICMS DISPOSIÇÕES GERAIS CONCEITOS Lei Complementar

Leia mais

Dr. Luis Carlos Massoco - Presidente

Dr. Luis Carlos Massoco - Presidente Seminário Substituição Tributária e NF-e: desafios e caminhos para o setor de Tecnologia - Presidente SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA O Estado de São Paulo incluiu em sua lista de mercadorias sujeitas à substituição

Leia mais

20/09/2012 SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ICMS -VINHO

20/09/2012 SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ICMS -VINHO Treinamento atualizado com base na legislação vigente em: 20/09/2012 SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ICMS -VINHO JP CONTÁBIL S/S LTDA AGOSTO/2012 Conceituação Consiste na alteração do momento do fato gerador,

Leia mais

Pergunte à CPA. Devolução e Recusa de Mercadorias Regras gerais

Pergunte à CPA. Devolução e Recusa de Mercadorias Regras gerais 03/04/2014 Pergunte à CPA Devolução e Recusa de Mercadorias Regras gerais Apresentação: José A. Fogaça Neto Devolução regras gerais Artigo 4º - Para efeito de aplicação da legislação do imposto, considera-se...

Leia mais

Palestra. ICMS - Substituição Tributária - Atualização. Julho 2013. Elaborado por: Katia de Angelo Terriaga

Palestra. ICMS - Substituição Tributária - Atualização. Julho 2013. Elaborado por: Katia de Angelo Terriaga Conselho Regional de Contabilidade do Estado de São Paulo Tel. (11) 3824-5400, 3824-5433 (teleatendimento), fax (11) 3824-5487 Email: desenvolvimento@crcsp.org.br web: www.crcsp.org.br Rua Rosa e Silva,

Leia mais

Pergunte à CPA. Substituição Tributária entre os Estados de SP e MG

Pergunte à CPA. Substituição Tributária entre os Estados de SP e MG 12/06/2014 Pergunte à CPA Substituição Tributária entre os Estados de SP e MG Apresentação: Helen Mattenhauer Convênio e Protocolos CONVÊNIO: Constitui um acordo entre os Estados, cujo elaboração tem por

Leia mais

NOVIDADES NA CONTABILIDADE EMPRESARIAL EM 2016. Daisy Machado

NOVIDADES NA CONTABILIDADE EMPRESARIAL EM 2016. Daisy Machado NOVIDADES NA CONTABILIDADE EMPRESARIAL EM 2016 Daisy Machado Regras para NFCe e NFe Na NFC-e a identificação é opcional, mas para entrega em domicílio (campo indpres=4), independentemente do valor da operação,

Leia mais

Versão 06/2012. Substituição Tributária

Versão 06/2012. Substituição Tributária Substituição Tributária 1 ÍNDICE 1. O que é a Substituição Tributária?... 3 1.1 Tipos de Substituição Tributária;... 3 1.2 Como é feito o Recolhimento da ST?... 3 1.3 Convênio e Aplicação... 3 1.4 Base

Leia mais

SIMPLES NACIONAL DEVOLUÇÃO DE MERCADORIAS TRATAMENTO FISCAL

SIMPLES NACIONAL DEVOLUÇÃO DE MERCADORIAS TRATAMENTO FISCAL Matéria São Paulo SIMPLES NACIONAL DEVOLUÇÃO DE MERCADORIAS TRATAMENTO FISCAL SUMÁRIO 1. Introdução 2. Devolução Conceito 3. Crédito do Imposto no Recebimento de Mercadorias em Devolução ICMS e IPI 4.

Leia mais

IPI ICMS - DF/GO/TO LEGISLAÇÃO - DF LEGISLAÇÃO - TO ANO XX - 2009-3ª SEMANA DE FEVEREIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 08/2009

IPI ICMS - DF/GO/TO LEGISLAÇÃO - DF LEGISLAÇÃO - TO ANO XX - 2009-3ª SEMANA DE FEVEREIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 08/2009 ANO XX - 2009-3ª SEMANA DE FEVEREIRO DE 2009 BOLETIM INFORMARE Nº 08/2009 IPI SUSPENSÃO - LEI Nº 10.637/2002 - PROCEDIMENTOS Introdução - Estabelecimentos Com Direito à Suspensão - Preponderância de Faturamento

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Crédito diferencial de alíquota no Ativo Imobilizado - SP

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Crédito diferencial de alíquota no Ativo Imobilizado - SP Crédito 17/09/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Crédito do ICMS próprio adquirido do Simples Nacional com destino

Leia mais

LIVRO REGISTRO DE ENTRADAS - Regras para Escrituração dos Modelos 1 e 1-A

LIVRO REGISTRO DE ENTRADAS - Regras para Escrituração dos Modelos 1 e 1-A LIVRO - Regras para Escrituração dos Modelos 1 e 1-A Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 19.09.2013. Sumário: 1 - INTRODUÇÃO 2 - LIVRO, MODELO 1 OU 1-A 2.1 - Documentos Fiscais Registrados

Leia mais

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA RIA ICMS

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA RIA ICMS SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA RIA ICMS Manual Explicativo José Roberto Rosa Por delegação da Constituição, a Lei complementar 87/96 define : SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA RIA EM OPERAÇÕES / PRESTAÇÕES Antecedentes

Leia mais

TESTES DA APOSTILA DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA PROF: ANTONIO SÉRGIO

TESTES DA APOSTILA DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA PROF: ANTONIO SÉRGIO TESTES DA APOSTILA DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA PROF: ANTONIO SÉRGIO Obs: os exercícios devem ser feitos utilizando apenas a LEGISLAÇÃO AUXILIAR constante ao final desta apostila. Questão 1 - DEFINIÇÃO É

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária

Parecer Consultoria Tributária Questão O cliente, no ramo de atividade industrial no segmento de produtos elétricos para profissionais de beleza, sediado em São Paulo, informa que na emissão da nota fiscal complementar de ICMS em sua

Leia mais

O REGIME PAULISTA DE ANTECIPAÇÃO DO ICMS E A INDEVIDA EXIGÊNCIA, DOS ADQUIRENTES VAREJISTAS, DO IMPOSTO DEVIDO POR SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA.

O REGIME PAULISTA DE ANTECIPAÇÃO DO ICMS E A INDEVIDA EXIGÊNCIA, DOS ADQUIRENTES VAREJISTAS, DO IMPOSTO DEVIDO POR SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA. O REGIME PAULISTA DE ANTECIPAÇÃO DO ICMS E A INDEVIDA EXIGÊNCIA, DOS ADQUIRENTES VAREJISTAS, DO IMPOSTO DEVIDO POR SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA. 2009-07-31 Adma Felícia B. M. Nogueira Tatiane Aparecida Mora

Leia mais

ALTERAÇÕES: Decreto nº 20.407/04, Decreto nº 20.914/04 RESPONSABILIDADE

ALTERAÇÕES: Decreto nº 20.407/04, Decreto nº 20.914/04 RESPONSABILIDADE Anexos 4.0 Substituição Tributária Anexos 4.2 Substituição Tributária das Operações com Água Mineral, Água Potável, Cerveja, Chope, Gelo e Refrigerante. Protocolo ICMS 11/1991 Alterações: Protocolo ICMS

Leia mais

O Sindiatacadista/DF tira suas dúvidas sobre a Substituição Tributária

O Sindiatacadista/DF tira suas dúvidas sobre a Substituição Tributária O Sindiatacadista/DF tira suas dúvidas sobre a Substituição Tributária O que é SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA? É o regime pelo qual a responsabilidade pelo ICMS devido em relação às operações ou prestações de

Leia mais

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO ICMS NO ESTADO DE SÃO PAULO

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO ICMS NO ESTADO DE SÃO PAULO Luís Fernando da Silva SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO ICMS NO ESTADO DE SÃO PAULO Incluindo as alterações das Leis ns. 12.681/07 e 13.291/08 venda porta-a-porta cigarros bebidas sorvetes cimento frutas veículos

Leia mais

Pergunte à CPA. Simples Nacional Regras Gerais para o ICMS

Pergunte à CPA. Simples Nacional Regras Gerais para o ICMS 1º/08/2014 Pergunte à CPA Simples Nacional Regras Gerais para o ICMS Apresentação: José A. Fogaça Neto Simples Nacional Criado pela Lei Complementar 123/06, reúne oito tributos em um recolhimento unificado

Leia mais

www.icmspratico.com.br Facilitadores: Paulo Almada & Ivanildo França Fortaleza, 06/06/14

www.icmspratico.com.br Facilitadores: Paulo Almada & Ivanildo França Fortaleza, 06/06/14 Fortaleza, 06/06/14 Facilitadores: Paulo Almada & Ivanildo França Em análise: I C M S Questões Atuais Arquivos Eletrônicos ICMS-ST com Material de Construção ICMS-ST com Supermercado/minimercado/atacadistas

Leia mais

Art. 3º O art. 293, do RICMS, aprovado pelo Decreto n.º 13.640, de 13 de novembro de 1997, passa a vigorar com. a seguinte redação: Art. 293... (...

Art. 3º O art. 293, do RICMS, aprovado pelo Decreto n.º 13.640, de 13 de novembro de 1997, passa a vigorar com. a seguinte redação: Art. 293... (... DECRETO Nº 17.706, DE 9 DE AGOSTO DE 2004. Altera o Regulamento do ICMS, aprovado pelo Decreto n.º 13.640, de 13 de novembro de 1997, para dispor sobre isenção de produtos intermediários destinados à produção

Leia mais

ESTADO DO ACRE SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE AÇÃO FISCAL NOTA TÉCNICA

ESTADO DO ACRE SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE AÇÃO FISCAL NOTA TÉCNICA ESTADO DO ACRE SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO TRIBUTÁRIA DEPARTAMENTO DE GESTÃO DE AÇÃO FISCAL NOTA TÉCNICA Tendo em vista a implantação das Áreas de Livre Comércio de Brasiléia,

Leia mais

DIFERIMENTO DO ICMS - Recolhimento do Imposto pelo Contribuinte Substituto

DIFERIMENTO DO ICMS - Recolhimento do Imposto pelo Contribuinte Substituto DIFERIMENTO DO ICMS - Recolhimento do Imposto pelo Contribuinte Substituto Matéria elaborada com base na legislação vigente em 14.05.2012. Sumário: 1 - INTRODUÇÃO 2 - DIFERIMENTO - SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA

Leia mais

Substituição Tributária e Antecipação

Substituição Tributária e Antecipação Substituição Tributária e Antecipação Regra Geral Novembro/2013 1 1.Introdução... 5 2. Substituição Tributária conceito... 5 3. Base Legal Operações Internas e Interestaduais... 6 3.1. Operações Internas...

Leia mais

Perguntas e Respostas SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA (AGO- 2011) Remetente Destinatário Finalidade da mercadoria

Perguntas e Respostas SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA (AGO- 2011) Remetente Destinatário Finalidade da mercadoria INDICE: Tipo Operação Perguntas e Respostas SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA (AGO- 2011) Remetente Destinatário Finalidade da mercadoria Estoque - - Estoque de Não optante do sem ou com Regime Fidelidade Estoque

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS/RS Tratamento tributário na emissão da NF-e com Diferimento Parcial e Escrituração

Parecer Consultoria Tributária Segmentos ICMS/RS Tratamento tributário na emissão da NF-e com Diferimento Parcial e Escrituração ICMS/RS Tratamento tributário na emissão da NF-e com Diferimento Parcial e Escrituração 06/11/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria...

Leia mais

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA EM SC - Inclusões e Exclusão de Produtos no Regime a partir de 1º.02.2012 e 1º.03.2012

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA EM SC - Inclusões e Exclusão de Produtos no Regime a partir de 1º.02.2012 e 1º.03.2012 SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA EM SC - Inclusões e Exclusão de Produtos no Regime a partir de 1º.02.2012 e 1º.03.2012 Matéria elaborada com base na Legislação vigente em: 21.03.2012. Sumário: 1 - INTRODUÇÃO 2

Leia mais

CCA BERNARDON DESTAQUES DA SEMANA: CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 45/2014 2ª SEMANA NOVEMBRO DE 2014

CCA BERNARDON DESTAQUES DA SEMANA: CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 45/2014 2ª SEMANA NOVEMBRO DE 2014 News Consultoria, treinamento para gestão administrativa e atuação em processos e negócios. CCA BERNARDON CONTADORES E ADVOGADOS SEMANÁRIO Nº 45/2014 2ª SEMANA NOVEMBRO DE 2014 DESTAQUES DA SEMANA: TRIBUTOS

Leia mais

ALÍQUOTAS DE 4% ICMS PARA MERCADORIAS IMPORTADAS INSTRUTORA VALÉRIA RITT

ALÍQUOTAS DE 4% ICMS PARA MERCADORIAS IMPORTADAS INSTRUTORA VALÉRIA RITT ALÍQUOTAS DE 4% ICMS PARA MERCADORIAS IMPORTADAS INSTRUTORA VALÉRIA RITT 1.REGRAS GERAIS A Resolução do Senado Federal nº 13/2012, estabeleceu que, a partir de 1º.01.2013, a alíquota do ICMS nas operações

Leia mais

AGENDA TRIBUTÁRIA DETALHADA OUTUBRO/2015 *

AGENDA TRIBUTÁRIA DETALHADA OUTUBRO/2015 * AGENDA TRIBUTÁRIA DETALHADA OUTUBRO/2015 * DIA 05 DE OUTUBRO DE 2015 (Segunda-feira) IOF Pagamento do IOF apurado no 3º decêndio do mês anterior. IRRF SALÁRIOS FGTS Pagamento do Imposto de Renda Retido

Leia mais

O que é Substituição Tributária de ICMS e sua contabilização

O que é Substituição Tributária de ICMS e sua contabilização O que é Substituição Tributária de ICMS e sua contabilização Prof. Francisco F da Cunha 1 A substituição tributária do ICMS está atualmente prevista no Artigo 150, da Constituição Federal de 1988, que

Leia mais

SUBSTITUI O TRIBUT RIA

SUBSTITUI O TRIBUT RIA SUBSTITUI O TRIBUT RIA ENTENDENDO O REGIME Regras gerais do Regime de Substituição Tributária Conheça as regras gerais concernentes ao regime de substituição tributária do ICMS de forma a permitir a correta

Leia mais

DECRETO N 28.746, DE 06 DE JUNHO DE 2007

DECRETO N 28.746, DE 06 DE JUNHO DE 2007 DECRETO N 28.746, DE 06 DE JUNHO DE 2007 * Publicado no DOE em 08/06/2007. DISPÕE SOBRE A SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA NAS OPERAÇÕES COM APARELHOS CELULARES. O GOVERNADOR DO ESTADO DO CEARÁ, no uso das atribuições

Leia mais

LEI Nº 12.839, DE 9 DE JULHO DE 2013

LEI Nº 12.839, DE 9 DE JULHO DE 2013 LEI Nº 12.839, DE 9 DE JULHO DE 2013 Reduz a zero as alíquotas da Contribuição para o PIS/Pasep, da Cofins, da Contribuição para o PIS/Pasep-Importação e da Cofins- Importação incidentes sobre a receita

Leia mais

INFORMÁTICA PRODUTOS E PROGRAMAS

INFORMÁTICA PRODUTOS E PROGRAMAS atualizado em 21/10/2015 2 ÍNDICE INTRODUÇÃO...5 1. PROGRAMA DE COMPUTADOR ( SOFTWARE ) NÃO PERSONALIZADO...7 1.1. Saída Interna...7 1.1.1. Isenção...7 1.1.2. Crédito Presumido...7 1.2. Saída Interestadual...8

Leia mais

BuscaLegis.ccj.ufsc.br

BuscaLegis.ccj.ufsc.br BuscaLegis.ccj.ufsc.br ICMS substituição tributária. IVA ajustado. Um desajuste tributário para os estabelecimentos varejistas Paulo Henrique Gonçalves Sales Nogueira * Pretende se com o presente texto

Leia mais

ANTECIPAÇÃO PARCIAL, DIFERENCIAL DE ALÍQUOTA E SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA

ANTECIPAÇÃO PARCIAL, DIFERENCIAL DE ALÍQUOTA E SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ANTECIPAÇÃO PARCIAL, DIFERENCIAL DE ALÍQUOTA E SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA ANTECIPAÇÃO PARCIAL- ANTECIPAÇÃO SEM ENCERRAMENTO DE FASE 71. Qual a definição para o cálculo da antecipação parcial? Nas aquisições

Leia mais

Contadores Associados S/S CRC/RS 3.361

Contadores Associados S/S CRC/RS 3.361 Circular Informativa Especial Assunto: Substituição Tributária do ICMS na Comercialização de Chás e Sucos De acordo com o Decreto (RS) 46.429, de 23/06/09 e Protocolo ICMS 18/09, a partir de 01/07/09,

Leia mais

ICMS ANTECIPADO ESPECIAL - NÃO OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL

ICMS ANTECIPADO ESPECIAL - NÃO OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL ICMS ANTECIPADO ESPECIAL - NÃO OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL PERGUNTAS E RESPOSTAS 1. Em que se constitui o ICMS ANTECIPADO ESPECIAL? R= Em valor correspondente à diferença entre a alíquota interna e a

Leia mais

OFICINA DE PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA

OFICINA DE PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA OFICINA DE PREENCHIMENTO DA NOTA FISCAL DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA 1. OPERAÇÕES INTERNAS 1.1-BASE DE CÁLCULO - OPERAÇÃO INTERNA No RICMS/SP temos as hipóteses de definição da base de cálculo do ICMS-ST

Leia mais

Página 1 de 12 Agenda Tributária Emissão: às 14:02h Agenda Tributária (Janeiro de 2014) Obrigações Filtros Aplicados: Agenda: Janeiro/2014 - Estado: São - Cidade: São - Dia Inicial: 1 - Dia Final: 31 Dia

Leia mais

CST/CSOSN - Códigos de ICMS para Utilização pelo Simples Nacional na NF-e. Matéria elaborada com base na Legislação vigente em 22.02.2011.

CST/CSOSN - Códigos de ICMS para Utilização pelo Simples Nacional na NF-e. Matéria elaborada com base na Legislação vigente em 22.02.2011. CST/CSOSN - Códigos de ICMS para Utilização pelo Simples Nacional na NF-e Matéria elaborada com base na Legislação vigente em 22.02.2011. SUMÁRIO: 12 INTRODUÇÃO 2.1 NOTA CSTs que FISCAL, Não São MODELO

Leia mais

PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO INTERMUNICIPAL OU INTERESTADUAL DE CARGAS - Crédito do ICMS

PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO INTERMUNICIPAL OU INTERESTADUAL DE CARGAS - Crédito do ICMS PRESTAÇÃO DE SERVIÇO DE TRANSPORTE RODOVIÁRIO INTERMUNICIPAL OU INTERESTADUAL DE CARGAS - Crédito do ICMS Matéria elaborada com base na Legislação vigente em 16.06.2011. SUMÁRIO: 1 - INTRODUÇÃO 2 - HIPÓTESES

Leia mais

INFORMÁTICA PRODUTOS E PROGRAMAS. (atualizado até 28.04.2015)

INFORMÁTICA PRODUTOS E PROGRAMAS. (atualizado até 28.04.2015) (atualizado até 28.04.2015) ÍNDICE INTRODUÇÃO... 3 1. PROGRAMA DE COMPUTADOR ( SOFTWARE ) NÃO PERSONALIZADO... 4 1.1. SAÍDA INTERNA... 4 1.1.1. Isenção... 4 1.1.2. Crédito Presumido... 4 1.2. SAÍDA INTERESTADUAL...

Leia mais

ESTADO DO PARANÁ DECRETO Nº 1.742

ESTADO DO PARANÁ DECRETO Nº 1.742 Publicado no Diário Oficial Nº 8488 de 15/06/2011 DECRETO Nº 1.742 O GOVERNADOR DO ESTADO DO PARANÁ, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, inciso V, da Constituição Estadual, DECRETA Art. 1º

Leia mais

Fortaleza, 31/03/15. com Paulo Almada

Fortaleza, 31/03/15. com Paulo Almada Fortaleza, 31/03/15 com Paulo Almada Imposto sobre Operações relativas à Circulação de Mercadorias e sobre Prestações de Serviços de Transporte Interestadual e Intermunicipal e de Comunicação ICMS Como

Leia mais

http://www.itcnet.com.br/materias/printable.php

http://www.itcnet.com.br/materias/printable.php Página 1 de 5 27 de Abril, 2011 Impresso por ANDERSON JACKSON TOASSI MICROEMPREENDEDOR INDIVIDUAL - MEI - Emissão de Documentos Fiscais em Santa Catarina Matéria elaborada com base na Legislação vigente

Leia mais

GUIA DIÁRIO DE ALTERAÇÕES 12.11.2015

GUIA DIÁRIO DE ALTERAÇÕES 12.11.2015 GUIA DIÁRIO DE ALTERAÇÕES 12.11.2015 1. ICMS Santa Catarina CONSULTA 77/2015 CHÁ MATE TOSTADO É MODALIDADE DE BENEFICIAMENTO DA ERVA MATE. O IMPOSTO DEVE SER CALCULADO PELA ALÍQUOTA DE 12%, CONFORME RICMS/SC,

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL

CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL MINÁRIO DE ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE ASSUNTOÁBEIS DE PORTO ALEGRESEMINÁRIO PALESTRA

Leia mais

EXEMPLO DE EMISSÃO DA NOTA FISCAL

EXEMPLO DE EMISSÃO DA NOTA FISCAL GOVERNO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE FAZENDA SUPERINTENDÊNCIA DE ANÁLISE DA RECEITA PÚBLICA GERÊNCIA DE RECUPERAÇÃO DA RECEITA PÚBLICA DECRETO nº 2334/2010 de 18 de janeiro de 2010, Procedimentos

Leia mais

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA Material elaborado Apresentação: Eduardo Amorim

SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA Material elaborado Apresentação: Eduardo Amorim SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA Material elaborado pela SEFAZ/PE Apresentação: Eduardo Amorim Copyright, 1997 Dale Carnegie & Associates, Inc. 1 Informações iniciais Entraram em vigor a partir de 01 de novembro

Leia mais

Palestrante Clélio Chiesa Mestre e Doutor pela PUC/SP. Professor de graduação e pós-graduação em Direito Tributário. Consultor e Advogado.

Palestrante Clélio Chiesa Mestre e Doutor pela PUC/SP. Professor de graduação e pós-graduação em Direito Tributário. Consultor e Advogado. Tema: Estorno dos créditos de ICMS e alíquota de 4% nas operações interestaduais. Inconstitucionalidades. Posição do STF, STJ e Conselhos de Contribuintes. Palestrante Clélio Chiesa Mestre e Doutor pela

Leia mais

ICMS/SP - Devolução de Mercadorias - Roteiro de Procedimentos. ICMS/SP - Devolução de Mercadorias - Roteiro de Procedimentos

ICMS/SP - Devolução de Mercadorias - Roteiro de Procedimentos. ICMS/SP - Devolução de Mercadorias - Roteiro de Procedimentos ICMS/SP - Devolução de Mercadorias - Roteiro de Procedimentos Nas relações de comércio é muito comum, por motivos como mercadoria em desacordo com o pedido, qualidade insatisfatória, não observância de

Leia mais

ANEXO 18 ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD

ANEXO 18 ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD ANEXO 18 REVOGADO OS ARTIGOS 1º, 2º, 3º, 4º, 5º, 6º, 7º, 8º e 8º-A pela RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA 10/11 de 14.12.11. Alteração: Resolução Administrativa nº 03/2015 ESCRITURAÇÃO FISCAL DIGITAL - EFD Acrescentado

Leia mais

1ª) Como as empresas devem proceder em relação ao estoque de produtos submetidos ao regime de substituição tributária? (a) = Valor do Estoque

1ª) Como as empresas devem proceder em relação ao estoque de produtos submetidos ao regime de substituição tributária? (a) = Valor do Estoque 1ª) Como as empresas devem proceder em relação ao estoque de produtos submetidos ao regime de substituição tributária? I. Em regra geral, quando uma determinada mercadoria é submetida ao regime de substituição

Leia mais

ICMS PRAZOS DE ENTREGA E RECOLHIMENTO ESTADO DE SÃO PAULO

ICMS PRAZOS DE ENTREGA E RECOLHIMENTO ESTADO DE SÃO PAULO ICMS PRAZOS DE ENTREGA E RECOLHIMENTO ESTADO DE SÃO PAULO 02/Jun. 2ª Feira. Operações interestaduais com combustíveis derivados de petróleo e com álcool etílico anidro carburante A entrega das informações

Leia mais

(atualizado em 28/02/2014) DEVOLUÇÃO DE MERCADORIA

(atualizado em 28/02/2014) DEVOLUÇÃO DE MERCADORIA (atualizado em 28/02/2014) DEVOLUÇÃO DE MERCADORIA 2 ÍNDICE 1. CONCEITO...5 2. SISTEMA DE TRIBUTAÇÃO...5 3. DEVOLUÇÃO PROMOVIDA POR CONTRIBUINTE...5 3.1. Operação Interna...5 3.2. Operação Interestadual...5

Leia mais

SPED - EFD Escrituração Fiscal Digital. Anexo II Lançamento de Ajustes por documento.

SPED - EFD Escrituração Fiscal Digital. Anexo II Lançamento de Ajustes por documento. SPED - EFD Escrituração Fiscal Digital. Anexo II Lançamento de Ajustes por documento. NF Modelo 1 e 1A, Avulsa, Produtor e NF-e. Este anexo detalha todos os lançamentos de Observações e Ajustes (filhos

Leia mais

I. Amostra Grátis... 17. I.1 Isenção do IPI...17. I.2 Isenção do ICMS...18. I.3 Valor da operação...19. I.4 Exemplo...19. II. Armazém Geral...

I. Amostra Grátis... 17. I.1 Isenção do IPI...17. I.2 Isenção do ICMS...18. I.3 Valor da operação...19. I.4 Exemplo...19. II. Armazém Geral... S U M Á R I O A I. Amostra Grátis... 17 I.1 Isenção do IPI......17 I.2 Isenção do ICMS.........18 I.3 Valor da operação.........19 I.4 Exemplo.........19 II. Armazém Geral...... 23 II.1 Suspensão do IPI......23

Leia mais

ANEXO XV SUMÁRIO. DA SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA NAS PRESTAÇÕES DE SERVIÇO Seção I

ANEXO XV SUMÁRIO. DA SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA NAS PRESTAÇÕES DE SERVIÇO Seção I RICMS (Decreto nº 43.080/2002) Anexo XV - Sumário ANEXO XV SUMÁRIO ARTIGOS PARTE 1 DOS REGIMES DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA PARTE 1 TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I DAS HIPÓTESES DE SUBSTITUIÇÃO

Leia mais

Detalhamento dos Ajustes

Detalhamento dos Ajustes Detalhamento dos Ajustes 1- Tabela de Ajuste dos Saldos de Apuração do ICMS: Tabela de Códigos de Ajustes da Apuração do ICMS Tabela de códigos de ajustes da apuração será disponibilizada pelas administrações

Leia mais

DECRETO Nº 15.490 DE 25 DE SETEMBRO DE 2014 (Publicado no Diário Oficial de 26/09/2014) O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições,

DECRETO Nº 15.490 DE 25 DE SETEMBRO DE 2014 (Publicado no Diário Oficial de 26/09/2014) O GOVERNADOR DO ESTADO DA BAHIA, no uso de suas atribuições, DECRETO Nº 15.490 DE 25 DE SETEMBRO DE 2014 (Publicado no Diário Oficial de 26/09/2014) Altera o Decreto nº 13.780, de 16 de março de 2012, que regulamenta o Imposto sobre Operações Relativas à Circulação

Leia mais

A SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO ICMS SOBRE OPERAÇÕES SUBSEQUENTES COM MERCADORIAS

A SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO ICMS SOBRE OPERAÇÕES SUBSEQUENTES COM MERCADORIAS A SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO ICMS SOBRE OPERAÇÕES SUBSEQUENTES COM MERCADORIAS Í N D I C E P Á G I N A 1) CONCEITOS BÁSICOS 2) RESPONSABILIDADE POR SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA 3) HIPÓTESES DE INAPLICABILIDADE

Leia mais

ANO XXVI - 2015 5ª SEMANA DE JULHO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 31/2015

ANO XXVI - 2015 5ª SEMANA DE JULHO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 31/2015 ANO XXVI - 2015 5ª SEMANA DE JULHO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 31/2015 IPI ARTESANATO, OFICINA E TRABALHO PREPONDERANTE... Pág. 198 ICMS MG CARTA DE CORREÇÃO ELETRÔNICA - CC-E... Pág. 198 LEGISLAÇÃO MG

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS - EQUALIZAÇÃO DE ALÍQUOTAS DECRETOS nºs 442/2015 E 953/2015 ÍNDICE

PERGUNTAS E RESPOSTAS - EQUALIZAÇÃO DE ALÍQUOTAS DECRETOS nºs 442/2015 E 953/2015 ÍNDICE PERGUNTAS E RESPOSTAS - EQUALIZAÇÃO DE ALÍQUOTAS DECRETOS nºs 442/2015 E 953/2015 (Versão 2.0-21/09/2015) ÍNDICE 1. AUTORREGULARIZAÇÃO, CONCEITO. O que é autorregularização? 2. BASE LEGAL. Qual a base

Leia mais

Alguns questionamentos sobre a RESOLUÇÃO SENADO FEDERAL Nº 13/2012

Alguns questionamentos sobre a RESOLUÇÃO SENADO FEDERAL Nº 13/2012 Alguns questionamentos sobre a RESOLUÇÃO SENADO FEDERAL Nº 13/2012 DRT-05 Quando é aplicável a alíquota interestadual de 4%? Informamos que é plenamente aplicável desde 1º de Janeiro de 2.013 para as operações

Leia mais

Substituição Tributária ICMS-SC

Substituição Tributária ICMS-SC Substituição Tributária ICMS-SC Conceito de Substituição Tributária Pela regra geral, sem ST, cada Contribuinte paga o ICMS na saída da mercadoria, deduzindo o que foi pago na operação anterior pelo remetente

Leia mais

Perguntas enviadas ao SINDIMACO-GO por empresas filiadas e escritórios contábeis, e respondidas.

Perguntas enviadas ao SINDIMACO-GO por empresas filiadas e escritórios contábeis, e respondidas. Perguntas enviadas ao SINDIMACO-GO por empresas filiadas e escritórios contábeis, e respondidas. 1) PARA CALCULAR O VALOR DA SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO MEU ESTOQUE, OS PASSOS SÃO OS SEGUINTES: INVENTARIAR

Leia mais

INFORMATIVO DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA (atualizado em 17/05/2011)

INFORMATIVO DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA (atualizado em 17/05/2011) INFORMATIVO DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA (atualizado em 17/05/2011) Esclarecimentos relevantes: 1. O presente informativo: a) foi elaborado com base no Regulamento do ICMS de Santa Catarina, em vigor em

Leia mais

GRUPO DE ESTUDOS ICMS

GRUPO DE ESTUDOS ICMS GRUPO DE ESTUDOS ICMS Coordenação : Marina K.T.Suzuki Colaboração : Dr. Ernesto das Candeias SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA DO ICMS Apresentação : Ailton Barboni Substituição Tributária (ST) - Conceito Pode ser

Leia mais

PROCEDIMENTO PARA EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS. DEPARTAMENTO CONTÁBIL / FISCAL FONES: (19) 2105-4721 / (19) 2105-4719 E-mail: nf-e@marrucci.com.

PROCEDIMENTO PARA EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS. DEPARTAMENTO CONTÁBIL / FISCAL FONES: (19) 2105-4721 / (19) 2105-4719 E-mail: nf-e@marrucci.com. PROCEDIMENTO PARA EMISSÃO DE NOTAS FISCAIS DEPARTAMENTO CONTÁBIL / FISCAL FONES: (19) 2105-4721 / (19) 2105-4719 E-mail: nf-e@marrucci.com.br ÍNDICE 1) DEVOLUÇÃO DE MERCADORIAS SEM ST... 3 2) DEVOLUÇÃO

Leia mais

AGENDA DE OBRIGAÇÕES ESTADUAL - SÃO PAULO JANEIRO DE 2014

AGENDA DE OBRIGAÇÕES ESTADUAL - SÃO PAULO JANEIRO DE 2014 AGENDA DE OBRIGAÇÕES ESTADUAL - SÃO PAULO JANEIRO DE 2014 Dia: 02 SP - Transmissão Eletrônica de Dados - Operações Interestaduais com Combustíveis - Transportador Revendedor Retalhista - TRR O Transportador

Leia mais

Pergunte à CPA Aspectos Gerais do Armazém Geral. Apresentação: Helen Mattenhauer

Pergunte à CPA Aspectos Gerais do Armazém Geral. Apresentação: Helen Mattenhauer Pergunte à CPA Aspectos Gerais do Armazém Geral Apresentação: Helen Mattenhauer 08/10/2013 DEPOSITO FECHADO x ARMAZÉM GERAL Armazém Geral: é a empresa que realiza o armazenamento de bens e mercadorias

Leia mais

AVES E OVOS. (atualizado até 03/01/2014)

AVES E OVOS. (atualizado até 03/01/2014) (atualizado até 03/01/2014) 2 ÍNDICE 1. AVES E PRODUTOS RESULTANTES DE SUA MATANÇA...5 1.1. Operações Internas 1.1.1. Aves Vivas...5 1.1.2. Produtos Resultantes da Matança de Aves, exceto frangos, em Estado

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Soma do IPI ao total da NF

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Soma do IPI ao total da NF Soma do 13/12/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1. Base de cálculo... 4 3.2. Emissão da Nota Fiscal com IPI... 5

Leia mais

EMPRESA DE REFEIÇÕES COLETIVAS

EMPRESA DE REFEIÇÕES COLETIVAS (atualizado em 19/09/2013) 2 ÍNDICE 1. REGRAS GERAIS...5 2. CREDENCIAMENTO PARA UTILIZAÇÃO DO CRÉDITO PRESUMIDO...6 3. RECUPERAÇÃO DOS CRÉDITOS RELATIVOS À MERCADORIA SUJEITA AO REGIME DE ANTECIPAÇÃO TRIBUTÁRIA...7

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Devolução de Mercadoria/Saída acobertada por Cupom Fiscal São Paulo

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Devolução de Mercadoria/Saída acobertada por Cupom Fiscal São Paulo São Paulo 09/02/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas Apresentadas pelo Cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 4. Resposta Consulta Tributária da Secretaria de Estado da Fazenda

Leia mais