TUBOS E CONEXÕES DE PEAD, PP e PVDF. Catálogo Técnico. aflon.com.br. Aflon Plásticos Industriais Ltda.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "TUBOS E CONEXÕES DE PEAD, PP e PVDF. Catálogo Técnico. aflon.com.br. Aflon Plásticos Industriais Ltda."

Transcrição

1 TUBOS E CONEXÕES DE PEAD, PP e PVDF Catálogo Técnico Aflon Plásticos Industriais Ltda. Rod. Dom. Gabriel Paulino Bueno Couto, s/nº Km 85 B. Jacaré - Cabreúva - SP - CEP Fone: aflon.com.br

2 ÍNDICE CAPA...01 ÍNDICE...02 INTRODUÇÃO...03 DIMENSÕES - TUBO DIMENSÕES - JOELHO...08 DIMENSÕES - CURVA 90º...09 DIMENSÕES - CURVA 45º...10 DIMENSÕES - TÊ 90º DIMENSÕES - TÊ 45º...13 DIMENSÕES - TÊ SELA...14 DIMENSÕES - TÊ DE REDUÇÃO DIMENSÕES - BUCHA E LUVA DE REDUÇÃO...21 DIMENSÕES - REDUÇÃO CONCÊNTRICA...22 DIMENSÕES - REDUÇÃO EXCÊNTRICA...23 DIMENSÕES - LUVA...24 DIMENSÕES - ADAPTADOR ROSCA-SOLDA / UNIÃO...25 DIMENSÕES - COLARINHO DIMENSÕES - FLANGE SOLTO...28 ACOPLAMENTO UNITUBO APLICAÇÃO - ESCOLHA DO MATERIAL - DETERMINAÇÃO CLASSE PRESSÃO...31 TENSÃO DIMENSIONAMENTO - FATORES PARA DIMENSIONAMENTO...32 CURVA DE REGRESSÃO PEAD...33 CURVA DE REGRESSÃO PP...34 RAIO MÍNIMO DE CURVATURA PERMANENTE...35 FORMAS DE FORNECIMENTO...36 DISTÂNCIA MÍNIMA RECOMENDADA PARA APOIOS...37 ESPAÇAMENTO MÁXIMO ENTRE SUPORTES DE FIXAÇÃO...38 EXPANSÃO TÉRMICA...39 ABSORVEDORES DE EXPANSÃO...40 DIMENSIONAMENTO HIDRÁULICO SOLDAGEM QUALIDADE...47 RESISTÊNCIA QUÍMICA PROPRIEDADES FÍSICAS...49 RECOMENDAÇÕES PARA MANUSEIO, TRANSPORTE, ARMAZENAGEM E INSTALAÇÃO...50 OBJETIVO - INFORMAÇÕES...51

3 INTRODUÇÃO AFLON é uma empresa séria e tradicional, com sólida experiência no fornecimento de tubos e conexões de polietileno de alta densidade (PEAD), polipropileno (PP), e fluoreto de polivinilideno (PVDF), fabricados conforme especificações e normas internacionais (ISO, DIN). Nosso controle da Qualidade atua de forma a garantir a Qualidade dos produtos desde a matéria-prima até o produto instalado, contando com profissionais experientes e o apoio de uma infraestrutura de porte, através de laboratório de ensaios físicos de alto nível tecnológico destinado não somente à verificação da conformidade dos produtos mas também ao desenvolvimento e aprimoramento de novos produtos e processos produtivos. E vamos mais além, fornecendo total assistência técnica desde o projeto até a instalação. Nossos tubos e conexões se constituem uma verdadeira inovação tecnológica neste segmento e são destinados principalmente à projetos que envolvam canalização e condução de água, esgoto, gás, combustível, álcool, processos de transporte de sólidos na mineração, sistemas de irrigação, processos industrias entre outras aplicações. Os tubos e conexões AFLON devido às suas características, e principalmente devido aos materias, apresentam diversas vantagens, destacando-se entre outras : - Resistência Química / Térmica Os tubos e conexões AFLON resistem bravamente à corrosão, conduzindo uma enorme gama de produtos químicos corrosivos em diversas temperaturas, destacando-se com excelência para este requisito o fluoreto de polivinilideno (PVDF). - Resistência à Abrasão Os tubos e conexões AFLON possuem uma ótima característica de resistência à abrasão, coeficiente de resistência, destacando-se com excelência para este requisito o polietileno de alta densidade (PEAD) que possue um coeficiente de resistência à abrasão aproximadamente 5 vezes superior ao do aço e até 20 vezes maior que o concreto, não permitindo a incrustação de sólidos em seu interior e portanto sendo uma alternativa insuperável para processos onde haja presença de sólidos. - Leveza Por se tratar de materiais de extrema leveza (PP e PEAD), devido pesar menos que a água, permitem economia de tempo e dinheiro no manuseio, transporte e em todos os momentos da instalação. - Atoxidade Por se tratar de materiais atóxicos, os tubos e conexões AFLON podem ser utilizados no transporte de produtos alimentícios, preservando suas propriedades organolépticas. - Flexibilidade Os tubos e conexões AFLON devido às suas características plásticas, permitem raios de curvatura reduzidos, destacando-se com excelência para este requisito o polietileno de alta densidade (PEAD), permitindo raio de curvatura de até 30 vezes o seu diâmetro externo, economizando conexões e emendas, e adaptando-se à qualquer tipo de terreno, reduzindo assim os custos finais da montagem. - Montagem Os tubos e conexões AFLON não aceitam colagem para sua montagem devido às suas características e propriedades de inércia química e resistência térmica, sendo sua montagem realizada por intermédio de processos de soldagem ou juntas mecânicas. - Vida Útil Os tubos e conexões AFLON têm uma vida útil mínima prevista para pressão de projeto à temperatura de 20 C de 50 anos, eliminando-se assim os custos de manutenção decorrentes da corrosão, normalmente observadas em tubulações convencionais.

4 TUBO PEAD DIN 8074

5 TUBO PEAD ISO 4427

6 TUBO PP DIN 8077

7 TUBO PVDF

8 JOELHO 90 JOELHO 45

9 CURVA 90

10 CURVA 45

11 T 90

12 TÊ DE REDUÇÃO

13 T 45

14 TÊ SELA

15 TÊ DE REDUÇÃO

16 TÊ DE REDUÇÃO

17 TÊ DE REDUÇÃO

18 TÊ DE REDUÇÃO

19 TÊ DE REDUÇÃO

20 TÊ DE REDUÇÃO

21 BUCHA DE REDUÇÃO LUVA DE REDUÇÃO

22 REDUÇÃO CONCÊNTRICA

23 REDUÇÃO EXCÊNTRICA

24 LUVA LUVA MISTA

25 ADAPTADOR ROSCA/SOLDA UNIÃO

26 COLARINHO

27 COLARINHO

28 FLANGE SOLTO

29 ACOPLAMENTO UNITUBO AFLON-UNITUBO é uma linha de acoplamentos para união entre tubos de polietileno desenvolvida basicamente para área de mineração devido à sua grande versatilidade. O conjunto AFLON-UNITUBO é composto por uma abraçadeira bipartida ou tripartida (Dn12.) em liga de alumínio, parafusos, porcas e arruelas galvanizadas, um par de colarinhos de PEAD (Polietileno de Alta Densidade) e um anel de borracha nitrílica (NBR) intermediário entre os colarinhos, para vedação do conjunto. AFLON-UNITUBO permite uma fácil e rápida montagem devido haver apenas dois/trêz pontos de fixação, ao contrário dos flanges convencionais, com vários [pontos de fixação (parafusos). AFLON-UNITUBO foi desenvolvido para condições de trabalho severas, atendendo plenamente os requisitos estipulados por norma, obedecendo a classe de pressão dos tubos a serem acoplados. O desenho do anel de borracha utilizado para vedação do conjunto garante uma melhor vedação à medida em que se torna mais crítico o limite de pressão, garantindo uma melhor performance do conjunto. A ultilização do PEAD (polietileno de alta densidade) confere ao projeto características adicionais de desempenho, tais como : alta resistência à abrasão, corrosão e resistência química, flexibilidade dois tubos, garantindo raios mínimos de curvatura, adequando-se à relevos irregulares, ótimas características hidráulicas, dentre as outras diversas características e vantagens do PEAD (Polietileno de alta densidade).

30 ACOPLAMENTO UNITUBO INSTRUÇÕES PARA MONTAGEM 01 - Verificar antecipadamente se o conjunto a ser montado está completo antes de iniciar a montagem (abraçadeira, parafusos, porcas, arruelas, anel de vedação, par colarinhos já soldados na tubulação) Verificar a identificação do Ø nominal gravado em alto relevo nas abraçadeiras de alumíniio. bem como no Ø externo do anel de vedação de modo a certificar de que todas as peças pertencem ao mesmo conjunto Verificar a correta dimensão dos parafusos, porcas, arruelas, sendo o parafuso do tipo cabeça abaulada com pescoço quadrado (cabeça francesa), com porca e arruela, todos galvanizados. Abaixo seguem dimensões dos parafusos para as diversas bitolas de UNITUBO : - DN 1. : 02 cjs. Ø 5/16. UNC x 1.1/4. - DN 2. : 02 cjs. Ø 5/16. UNC x 1.1/2. - DN 2.1/2. : 02 cjs. Ø 3/8. UNC x 1.3/4. - DN 3. : 02 cjs. Ø 3/8. UNC x 1.3/4. - DN 4. : 02 cjs. Ø 3/8. UNC x 1.3/4. - DN 5. : 02 cjs. Ø 1/2. UNC x 2. - DN 6. : 02 cjs. Ø 1/2. UNC x 2. - DN 8. : 02 cjs. Ø 1/2. UNC x 3. - DN 10. : 02 cjs. Ø 1/2. UNC x 3. - DN 12. : 03 cjs. Ø 5/8. UNC x 3.1/ Aproximar as duas extremidades da tubulação com os colarinhos já soldados deixando-as alinhadas Limpar as faces dos colarinhos com pano úmido ou estopa se necessário, para não comprometer a vedação Posicionar e encaixar o anel de vedação em um dos colarinhos Encostar o outro colarinho na extremidade com o anel de vedação já montado Posicionar a abraçadeira no Ø externo dos colarinhos Pressionar os colarinhos entre sí, comprimindo levemente o anel de vedação Encaixar a abraçadeira no Ø externo dos colarinhos Montar os respectivos parafusos com as porcas e arruelas Iniciar o aperto dos parafusos utilizando preferencialmente chaves fixas do tipo cachimbo, ou estrela Apertar os parafusos de forma gradativa e alternada Interromper o aperto quando a folga entre as duas partes da abraçadeira bi-partida (ou três no caso de abraçadeira tri-partida) estiver com aproximadamente 3mm Caso após a montagem e início de operação se verifique um pequeno vazamento, proceder de imediato um reaperto dos parafusos, também de forma gradativa e alternada, até que se verifique a completa estanqueidade do acoplamento. Quaisquer dúvidas quanto à especificação, aplicação ou mesmo montagem, favor consultar nosso Departamento Técnico.

31 ACOPLAMENTO UNITUBO APLICAÇÃO O polipropileno (PP), assim como o fluoreto de polivinilideno (PVDF) devido sua maior resistência à temperaturas de serviço elevadas, 100ºC e 140ºC, respectivamente, sua rigidez, inércia química, principalmente do PVDF, são destinados de forma mais específica à instalações industriais, enquanto o polietileno de alta densidade (PEAD), com temperatura de serviço de até 80ºC, tem como principais aplicações as listadas à seguir : - Água : Utilizado em transporte de água bruta e potável, adutoras, redes de distribuição e ligações prediais. - Esgoto : Utilizado em redes de esgoto residenciais ou industriais, emissários terrestres e subaquáticos e estações de tratamento. - Industrial : Soluciona os problemas de transporte de líquidos corrosivos e/ou abrasivos em instalações industriais. - Gás : Para distribuição de gás natural até 4Kgf/cm2 de pressão. - Combustível : Transporte de combustíveis em postos de abastecimento. - Irrigação : Utilizados em sistemas de gotejamento ou aspersão, permite mistura de fertilizantes na água para irrigação. - Álcool : Utilizados no transporte de álcool e vinhoto em usinas de açúcar e álcool. - Mineração : Com alta resistência à abrasão é utilizado no transporte de fluídos com partículas sólidas, no transporte hidráulico de minério e na dragagem de minas. - Redes de incêndio : Utilizados em redes de incêndio enterradas, garante a confiabilidade da instala ção. - Cabos : Utilizado na condução, travessia e proteção de cabos alta tensão, telefonia e telecomunicações. ESCOLHA DO MATERIAL A escolha do material para a aplicação mais adequada se dá em função da avaliação de sua resistência química ao fluído, às condições ambientais, resistência à temperatura, resistência à abrasão, análise da curva de regressão do material para determinação de sua vida útil, flexibilidade ou rigidez necessárias, condições hidráulicas do fluído, e desta forma obter uma performance e custo satisfatórios para a aplicação. DETERMINAÇÃO DA CLASSE DE PRESSÃO Os tubos e conexões AFLON de fluoreto de polivinilideno (PVDF) padronizados neste catálogo, cujas dimensões estão em conformidade com o padrão internacional de fornecimento são classificados para classe de pressão PN16, ou seja, para a vida de projeto à temperatura ambiente está dimensionado para operar com pressão interna de 16Kgf/cm2. Os tubos e conexões AFLON de polipropileno (PP) e polietileno de alta densidade (PEAD), dimensionadas para operação com pressão interna, possuem valores já tabelados para as suas dimensões em função das classes de pressão, normalizados por organismos internacionais de normatização. As dimensões e classes de pressão padronizadas e suas respectivas normas, as quais pertencem à linha de fabricação AFLON constam neste catálogo. O cálculo de dimensionamento para obtenção da espessura de parede para respectiva classe de pressão, é realizado à partir do conhecimento da curva de regressão do material, mostradas à seguir, de onde se obtém o valor de tensão circunferencial em função da temperatura e vida útil especificada para o projeto. Após obtenção do valor da tensão circunferencial, adota-se um fator de segurança o qual varia em função do tipo da resina,, norma e aplicação, de onde se obtém portanto o valor da tensão de dimensionamento. Os tubos e conexões já tabelados para as suas dimensões em função das classes de pressão, conforme organismos internacionais de normatização, são dimensionados para uma vida útil de projeto de 50 anos à temperatura de 20 C.

32 INFORMAÇÕES TÉCNICAS Como exemplo de dimensionamento podemos calcular um tubo de polietileno de alta densidade (PEAD) normalizado conforme DIN 8074 com DE (diâmetro externo) de 110mm e classe de pressão PN10 para operação à temperatura de 20ºC e uma vida útil de projeto de 50 anos, então teremos : TENSÃO DE DIMENSIONAMENTO As respectivas normas de dimensionamento dos tubos de polietileno de alta densidade (PEAD) estabelecem através das curvas de regressão a mínima tensão circunferencial requerida para uma vida útil de 50 anos à temperatura de 20 C (MRS-Minimum Required Strenght), classificando-os por este fator. A partir dos valores encontrados para tensão mínima requerida nas curvas de regressão, são adotados os fatores de segurança, obtendo-se a tensão de dimensionamento, sendo : DEMAIS FATORES A SEREM CONSIDERADOS NO DIMENSIONAMENTO DA TUBULAÇÃO - Cálculo de deformação para tubos enterrados em função da carga de terra e sobrecarga devido à tráfego. - Carga de colapso para tubos sujeitos à pressão externa superior à interna, devido à cargas externas, como tubulação assentada sob água, tubulação sujeita à vácuo e técnica de aplicação de ventosas. - Tensão de curvatura para tubulação instalada em terreno irregular, ou no momento de instalação devido à curvatura de inserção para tubulações subterrâneas. - Esforços de flexão devido à distância entre apoios em tubulações aéreas, ou.sobre apoios. - Tensões oriundas da dilatação térmica. - Sujeição à golpes de aríete. - Transporte de gases. - Transporte de sólidos. É adequado que todos os fatores sejam considerados para o projeto global da tubulação, porém devido à complexidade dos cálculos julgamos que os mesmos devam ser tratados de forma abrangente na execução do projeto, sendo para tal disponibilizado nossa estrutura através do Departamento de Projetos AFLON.

33 INFORMAÇÕES TÉCNICAS CURVA DE REGRESSÃO PARA PEAD (POLIETILENO DE ALTA DENSIDADE)

34 INFORMAÇÕES TÉCNICAS CURVA DE REGRESSÃO PARA PP (POLIPROPILENO)

35 INFORMAÇÕES TÉCNICAS À seguir temos mais informações sobre o dimensionamento de tubulações de polietileno de alta densidade (PEAD) e polipropileno (PP), de modo a possibilitar a realização de um projeto.preliminar. RAIOS MÍNIMOS DE CURVATURA PERMANENTE Conforme informado anteriormente os tubos de polietileno de alta densidade (PEAD) e polipropileno (PP) admitem raios de curvatura reduzidos devido aos valores de seus módulos de elasticidade, porém, contudo, verifica-se que em tubos com classes de pressão menores atua uma maior ovalização à menores tensões de flexão, e portanto haverá um colapso com raios de curvatura maiores em relação aos tubos de classes de pressão maiores. A obtenção do valor exato do mínimo raio de curvatura somente é possível através da determinação de todos os fatores envolvidos no projeto, sendo a classe de pressão do tubo especificado, tensão admissível, módulo de elasticidade do material, vida útil estimada (tempo de carga) e temperatura de projeto. De forma mais prática e objetiva, pode-se considerar para uma vida útil de projeto de 50 anos à temperatura de 20 C os seguintes raios mínimos de curvatura permante para tubos de polietileno de alta densidade (PEAD) e polipropileno (PP) :

36 INFORMAÇÕES TÉCNICAS FORMAS DE FORNECIMENTO DOS TUBOS AFLON Os tubos AFLON podem ser fornecidos em barras com 6, 12 ou 18 metros, ou em bobinas de 100m para tubos de polietileno de alta densidade (PEAD) com diâmetros externos de até 125mm, sendo as dimesões padronizadas para as bobinas apresentadas à seguir :

37 INFORMAÇÕES TÉCNICAS DISTÂNCIA MÍNIMA RECOMENDADA PARA APOIOS DOS TUBOS De modo a se evitar uma deflexão e elevada tensão de flexão em tubulações apoiadas, deve ser adotado um distanciamento mínimo entre os apoios, este distanciamento varia em função dos diâmetros dos tubos utilizados e também da temperatura de operação, sendo portanto necessário realizar um cálculo para obtenção desta distância máxima para a aplicação específica. Abaixo é apresentado um gráfico orientativo para distâncias máximas entre apoios para tubulações de polietileno de alta densidade (PEAD) nas classes de pressão PN6 e PN10. Para polietileno de alta densidade (PEAD) na classe de pressão PN3,2 e polipropileno (PP) na classe de pressão PN4 deve-se multiplicar o valor obtido para.l. por 0,8, e para polipropileno (PP) na classesde pressão PN6 e PN10 deve-se multiplicar o valor obtido para.l. por 1,4. Para o gráfico abaixo foi considerada uma tubulação cheia d.água.

38 INFORMAÇÕES TÉCNICAS ESPAÇAMENTO MÁXIMO ENTRE SUPORTES DE FIXAÇÃO Em tubulações fixas por suportes, têm-se em decorrência da deformação térmica do tubo, uma tensão de compressão crítica de flambagem e colapso, provocadas pelo bloqueio da expansão térmica, portanto tornase necessário para o projeto o dimensionamento do espaçamento máximo destes suportes, para qual deve ser adotado o seguinte cálculo : ESPAÇAMENTO MÍNIMO PARA SUPORTES FIXOS EM RAMAIS Em tubulações com derivações e ramais, a atenção quanto ao espaçamento mínimo deve ser no sentido de que em função da expansão térmica das linhas não ocorram tensões de flexão excessivas oriundas da falta de espaço necessária à uma pequena flexão, suficiente para absorver os movimentos das linhas, portanto tornase necessário para o projeto o dimensionamento do espaçamento mínimo destes suportes, para qual deve ser adotado o seguinte cálculo :

39 INFORMAÇÕES TÉCNICAS EXPANSÃO TÉRMICA O valor referente à expansão térmica linear numa tubulação pode ser obtido através da seguinte expressão : De forma prática, pode-se seguir o gráfico apresentado abaixo para obtenção de valores aproximados para expansão térmica linear do polietileno de alta densidade (PEAD) e polipropileno (PP) : Como já comentado anteriormente, a expansão térmica linear é responsável por gerar tensões nos suportes e apoios da tubulação e portanto para que se obtenha uma performance satisfatória é requerida especial atenção no dimensionamento e posicionamento dos suportes. Observa-se nestas tubulações que as tensões oriundas da expansão térmica são reduzidas com o tempo devido ao efeito do relaxamento do material, porém inicialmente são elevadas.

40 INFORMAÇÕES TÉCNICAS ABSORVEDORES DE EXPANSÃO Em tubulações cuja instalação não admita o livre movimento do tubo quando da expansão térmica, existe a possibilidade de se adotar dispositivos que absorvam a expansão térmica da tubulação, dentre eles podemos destacar as juntas de expansão do tipo fole ou telescópica, conforme detalhe abaixo : As juntas de expansão do tipo.fole. são normalmente utilizadas em tubulações de aço carbono revestidas (PP, PVDF, PTFE), pois absorvem pequenos movimentos se comparados com os movimentos decorrentes das tubulações maciças em PEAD ou PP, além de seu custo ser superior aos demais tipos de absorvedores de expansão. As juntas de expansão do tipo.telescópica. são normalmente utlizadas em tubulações de PEAD, de construção simples proporciona uma performance satisfatória, requerendo apenas cuidados no seu dimensionamento levando-se em consideração um estudo preliminar dos movimentos da tubulação onde a mesma será aplicada, assim como cuidados especiais na instalação, com especial atenção para o perfeito alinhamento, e adequada suportação e fixação. Todas as juntas mencionadas acima são integrantes da linha de fabricação AFLON, sendo as mesmas ofertadas sob consulta, após estudo dos movimentos da tubulação onde serão aplicadas. Além da utilização de juntas de expansão existe também um recurso bastante utilizado nos projetos de tubulações de PEAD e PP cuja performance e custo de aplicação têm-se demonstrados satisfatórios, exceto pelo fator hidráulico devido causar considerada perda de carga, este recurso é chamado de.lira de compensação., demonstrada de forma simplificada abaixo : O dimensionamento deste recurso, chamado de lira de compensação, pode ser obtido através da expressão abaixo :

41 INFORMAÇÕES TÉCNICAS DIMENSIONAMENTO HIDRÁULICO Para o dimensionamento hidráulico de tubulações plásticas podem ser seguidos os mesmos conceitos de projeto de tubulações convencionais de outros materiais, sendo o único fator divergente à ser considerado nos cálculos os valores de rugosidade dos plásticos, que quando comparados com os valores de rugosidade de outros materiais é muito pequeno, sendo este fator uma vantagem excepcional para o projeto, devido resultar em diâmetros menores para uma mesma faixa de vazão. Os conceitos utilizados comumente por engenheiros e projetistas são baseados nas fórmulas de.hazen- Willians. e de.colebrook., que divergem apenas na adoção dos fatores de rugosidade, que de forma prática, quando aplicadas para diâmetros e velocidades médias não apresentam diferenças significativas para o projeto, sendo porém considerada como mais exata para aplicações específicas a de.colebrook., é adequado que sejam realizados os dois cálculos e considerado no projeto a perda maior. Para que seja avaliada a perda de carga na tubulação, é necessário que seja inicialmente dimensionado o diâmetro interno da mesma, o qual pode ser calculado a partir da expressão abaixo : Na tabela abaixo são indicados alguns valores para velocidades médias adotados usualmente para água : Perda de Carga conforme.hazen-williams. Perda de Carga conforme.colebrook.

42 INFORMAÇÕES TÉCNICAS Fórmula de.colebrook. simplificada para água O coeficiente de atrito utilizado nas fórmulas de.colebrook. é diretamente ligado ao regime de fluxo, os quais são classificados em regime de fluxo laminar e regime de fluxo turbulento. O fluxo é considerado laminar quando o número de.reynolds. (Re) é inferior à 2000 e turbulento quando o número de.reynolds. (Re) é superior à Determinação do coeficiente de atrito (f) para regime de fluxo laminar Determinação do coeficiente de atrito (f) para regime de fluxo turbulento

43 INFORMAÇÕES TÉCNICAS SOLDAGEM Os diversos tipos de processos de soldagem para plásticos, aqui particularmente para o polietileno de alta densidade (PEAD), polipropileno (PP) e fluoreto de polivinilideno (PVDF) consistem basicamente no aquecimento dos materiais até uma determinada temperatura, tal que, se obtenha a fusão dos mesmos, posteriormente são submetidos à uma certa pressão sendo então as massas fundidas e após resfriadas naturalmente, obtém-se um único elemento cujas propriedades se mantém originais. São conhecidos basicamente trez (03) processos de soldagem, o processo de soldagem por termofusão, o processo de soldagem por eletrofusão e o processo de soldagem manual (cordão/extrusão). No processo de soldagem por termofusão, mais conhecido e difundido entre os montadores, existem trez (03) métodos distintos, sendo o de soldagem de topo (butt fusion), soldagem de soquete (socket fusion) e soldagem de sela (saddle fusion). Todos os processos de soldagem devem seguir procedimentos específicos e normas aplicáveis, com profissionais e procedimentos qualificados, de modo à assegurar a qualidade da soldagem e a performance requerida. A AFLON através de sua estrutura, e também através de sua empresa coligada GAFLON Projetos e Instalações Ltda., oferece o mais alto nível de serviço na área de soldagem e montagem de tubulações, com profissionais experientes e qualificados, atendendo plenamente os requisitos das normas aplicáveis. A seguir serão descritos de forma breve e objetiva os principais procedimentos e métodos de soldagem, de modo a esclarecer o usuário quando da necessidade de contratação destes serviços. Solda de topo (Butt Fusion) Aplicável comumente em tubos e conexões com Ø externo superiores à 63mm, proporciona grande confiabilidade através da obtenção de fatores de eficiência de solda entre 0,8 e 1,0 em ensaios de tração, quando comparados à corpos de prova sem solda. Este processo de soldagem utiliza-se dos seguintes equipamentos : - Unidade de força : composta de unidade hidráulica capaz de alinhar e fixar os dois elementos a serem soldados, movimetando-os longitudinalmente, e pressionando suas faces, uma contra a outra; - Placa de solda : Placa de alumínio, provida de resistência elétrica em seu interior e controlador eletrônico de temperatura, sendo suas faces de contato revestidas com PTFE, garantindo antiaderência. - Faceador : Disco rotativo, de acionamento manual, ou motorizado, com lâminas montadas em seu corpo, de ambos os lados, que quando conectada na unidade de força confere as faces dos elementos o paralelismo requerido para soldagem. - Acessórios : Gabaritos e dispositivos de fixação dos tubos e co

44 INFORMAÇÕES TÉCNICAS Solda de soquete (Socket Fusion) Aplicável comumente em tubos e conexões com Ø externo até 63mm, também conhecida como.ponta e bolsa. devido às conexões possuirem bolsas nas extremidades onde é inserida a ponta do tubo, sendo a soldagem o resultado da fusão entre a superfície externa do tubo com a superfície interna da bolsa da conexão, cujo diâmetro é ligeiramente inferior ao diâmetro externo do tubo e cônico, de modo a proporcionar pressão quando da introdução do tubo. Este processo de soldagem utiliza-se dos seguintes equipamentos : - Unidade de força : composta de unidade hidráulica ou manual capaz de alinhar e fixar os dois elementos a serem soldados, movimetando-os longitudinalmente, e pressionando suas faces, uma contra a outra; - Placa de solda : Placa de alumínio, provida de resistência elétrica em seu interior e controlador eletrônico de temperatura, sendo suas faces de contato revestidas com PTFE, garantindo antiaderência. - Soquetes : Gabaritos macho e fêmea em alumínio, com revestimento antiaderente de PTFE, para fixação junto à placa de solda. - Acessórios : Gabaritos e dispositivos de fixação dos tubos e conexões à maquina, em função dos diversos diâmetros intercambiáveis em um mesmo equipamento, dipositivos de calibragem, desovalização e limitação de curso. Este processo de soldagem também pode ser realizado sem a utilização da máquina (unidade de força), porém dependerá da habilidade do soldador a qualidade da soldagem devido à pressão e alinhamento das peças.

45 INFORMAÇÕES TÉCNICAS Solda de sela (saddle Fusion) Utilizada comumente para criar derivações, ramais e tês de redução, aplicável à tubos de diâmetros externos superiores à 50mm, sendo a soldagem o resultado da fusão entre a superfície da base da conexão de forma côncava, com a superfície externa do tubo, após o processo de soldagem é realizada a perfuração do tubo mestre, de modo a possibilitar a passagem do fluído. Este processo de soldagem utiliza-se dos seguintes equipamentos : - Unidade de força : composta de unidade hidráulica ou manual capaz de alinhar e fixar os dois elementos a serem soldados, movimetando-os longitudinalmente, e pressionando suas faces, uma contra a outra; - Placa de solda : Placa de alumínio, provida de resistência elétrica em seu interior e controlador eletrônico de temperatura, sendo suas faces de contato revestidas com PTFE, garantindo antiaderência. - Soquetes : Gabaritos côncavo e convexo em alumínio, com revestimento antiaderente de PTFE, para fixação junto à placa de solda. - Acessórios : Gabaritos e dispositivos de fixação dos tubos e conexões à maquina, em função dos diversos diâmetros intercambiáveis em um mesmo equipamento, dipositivos de calibragem, desovalização e limitação de curso. Este processo de soldagem também pode ser realizado sem a utilização da máquina (unidade de força), porém dependerá da habilidade do soldador a qualidade da soldagem devido à pressão e alinhamento das peças.

46 INFORMAÇÕES TÉCNICAS Solda por eletrofusão (Electrofusion) O processo de soldagem por eletrofusão, segue o mesmo princípio de fusão por temperatura dos materiais a serem soldados, e portanto não deixa de ser também um processo de termofusão. No processo de soldagem por eletrofusão são utilizadas conexões do tipo bolsa, porém as mesmas contém inseridas em seu interior uma resistência elétrica, cujos terminais são expostos através de plugs externos, os quais quando do momento da soldagem são conectados à um equipamento que fornece corrente contínua através de uma descarga elétrica de intensidade e tempo controlados, e desta forma devido ao aquecimento da resistência as massas da conexão e do tubo previamente inserido na bolsa fundem-se, obtendo-se portanto a soldagem. Este procedimento de soldagem é muito eficiente, pois de forma geral não depende da habilidade do soldador, porém a qualidade da soldagem está diretamente atribuída à qualidade da conexão e à calibração do equipamento que fornece a corrente elétrica necessária ao processo. Solda manual (cordão-ar quente) A solda manual por ar quente e cordão é um processo pelo qual se utiliza um maçarico que contém em seu interior uma resistência elétrica e alimentação de ar através de ventoinha ou através de mini-compressor portátil, ou mesmo conectado em linhas industriais de ar comprimido. Na extremidade do maçarico é montado um bico com dois orifícios pelo quais passam o cordão do mesmo material à ser soldado, com diâmetros entre 2 e 4mm, e pelo outro orifício passa o ar aquecido pela resistência. Por este processo as peças a serem unidas por solda são chanfradas previamente de modo a alojar os cordões, sendo estes após aquecidos quando da passagem pelo maçarico, comprimidos contra a superfície do alojamento chanfrado que também se encontra aquecida devido ao ar quente do maçarico. Este processo de soldagem, assim como os outros também depende da habilidade do soldador, do controle da temperatura e da qualidade do ar, e portanto de uma qualificação de soldagem, porém é um dos processos mais simples e não adequado à instalações de tubos sujeitos à pressão e esforços devido ao seu baixo fator de eficiência de solda, aproximadamente 0,4. É um processo indicado principalmente para serviços de calderaria de chapas com pequenas espessuras e manutenções de emergência. Solda manual (extrusão) A solda manual por extrusão é um processo pelo qual se utiliza uma mini extrusora portátil, composta de um cilindro aquecido por resistências elétricas no seu exterior, e internamente por uma rosca de plastificação, uma de suas extremidades é dotada de reservatório de resina (pellets), funil de alimentação e também como nos maçaricos, uma entrada para alimentação de ar comprimido. A outra extremidade é provida de um bico de PTFE e geometria específica, de modo a propiciar um perfil de forma definida e contínuo. Assim como no processo de soldagem por maçarico, as peças a serem unidas são chanfradas de modo a alojar a massa extrusada, sendo esta depositada sobre a superfície do alojamento chanfrado que também se encontra aquecida devido ao ar quente alimentado na extrusora. Este processo de soldagem assim como o de cordão, também depende da habilidade do soldador, do controle da temperatura e qualidade do ar, e portanto de uma qualificação de soldagem, também é um processo simples de soldagem e não adequado à instalações de tubos sujeitos à pressão e esforços devido ao seu baixo fator de eficiência de solda, aproximadamente 0,6. É um processo indicado principalmente para serviços de calderaria de chapas com médias e grandesespessuras e manutenções de emergência.

MATERIAIS EMPREGADOS NAS REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS

MATERIAIS EMPREGADOS NAS REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS MATERIAIS EMPREGADOS NAS REDES DE ESGOTOS SANITÁRIOS 1 - INTRODUÇÃO. A escolha do material a empregar (tipo de tubulação) nas redes coletoras de esgotos sanitários é função das características dos esgotos,

Leia mais

MANUAL TÉCNICO Amanco Ramalfort

MANUAL TÉCNICO Amanco Ramalfort Amanco Ramalfort Desenho e Dimensões Os tubos Amanco Ramalfort foram desenvolvidos para condução de água no trecho compreendido entre o ponto de derivação da rede de distribuição de água e o kit cavalete

Leia mais

TUBOS E CONEXÕES DE AÇO REVESTIDO. Catálogo Técnico. aflon.com.br. Aflon Plásticos Industriais Ltda.

TUBOS E CONEXÕES DE AÇO REVESTIDO. Catálogo Técnico. aflon.com.br. Aflon Plásticos Industriais Ltda. TUBOS E CONEXÕES DE AÇO REVESTIDO Catálogo Técnico Aflon Plásticos Industriais Ltda. Rod. Dom. Gabriel Paulino Bueno Couto, s/nº Km 85 B. Jacaré - Cabreúva - SP - CEP 13315-000 Fone: 55 11 4529-2700 aflon.com.br

Leia mais

Linha Amanco Biax. Amanco Biax. Linha. Soluções Amanco. Tripla Certificação. Soluções Amanco LINHA AMANCO BIAX. Soluções Amanco

Linha Amanco Biax. Amanco Biax. Linha. Soluções Amanco. Tripla Certificação. Soluções Amanco LINHA AMANCO BIAX. Soluções Amanco úde ualidade gurança 2007 :2008 LINHA AMANCO BIAX S O L U Ç Õ E S Tripla Certificação A Amanco Brasil é comprometida com a qualidade, sendo a única empresa fabricante de tubos e conexões do Brasil a ter

Leia mais

Sistema de tubulação multicamada para instalação de gases combustíveis PExb X AL X PExb.

Sistema de tubulação multicamada para instalação de gases combustíveis PExb X AL X PExb. Sistema de tubulação multicamada para instalação de gases combustíveis PExb AL PExb. MEMBRO Sistema de tubulações multicamadas para instalações de gases combustíveis Conforme com as Normas 1. Após cortar

Leia mais

MÓDULO 2 2.3 - CONEXÕES

MÓDULO 2 2.3 - CONEXÕES MÓDULO 2 2.3 - CONEXÕES Os fabricantes e as conexões devem ser pré-qualificados através de certificados de qualificação emitidos por organismos/laboratórios reconhecidos, ou pelo próprio sistema de qualificação

Leia mais

MÓDULO 7 7.3 LINHAS DE AR COMPRIMIDO. As linhas de ar comprimido estão presentes nas mais diversas indústrias e aplicações.

MÓDULO 7 7.3 LINHAS DE AR COMPRIMIDO. As linhas de ar comprimido estão presentes nas mais diversas indústrias e aplicações. MÓDULO 7 7.3 LINHAS DE AR COMPRIMIDO As linhas de ar comprimido estão presentes nas mais diversas indústrias e aplicações. É uma forma de energia bastante importante e única em algumas aplicações, resultando

Leia mais

FORMATO DA REDE. Basicamente existem dois formatos de rede: aberto ou em circuito fechado (anel). Formato Aberto: Formato Fechado:

FORMATO DA REDE. Basicamente existem dois formatos de rede: aberto ou em circuito fechado (anel). Formato Aberto: Formato Fechado: FORMATO DA REDE Basicamente existem dois formatos de rede: aberto ou em circuito fechado (anel). Formato Aberto: Quando não justifica fazer um anel, pode-se levar uma rede única que alimente os pontos

Leia mais

MÓDULO 6 LINHAS ANTI INCÊNDIO. Conexões Mecânicas: NBR 15.803;ISO 14.236; UNI 9561; Módulo 1.3

MÓDULO 6 LINHAS ANTI INCÊNDIO. Conexões Mecânicas: NBR 15.803;ISO 14.236; UNI 9561; Módulo 1.3 MÓDULO 6 LINHAS ANTI INCÊNDIO 1 Normas Aplicáveis Tubos: NBR 15.561; EN 12.201-2; Módulo 1.2 Conexões Soldáveis: NBR 15.593;EN 12.201-3; Módulo 1.3 Diretrizes para Projetos: NBR 15.802; Conexões Mecânicas:

Leia mais

BOMBAS QUÍMICAS. Catálogo Técnico. aflon.com.br. Aflon Plásticos Industriais Ltda.

BOMBAS QUÍMICAS. Catálogo Técnico. aflon.com.br. Aflon Plásticos Industriais Ltda. BOMBAS QUÍMICAS Catálogo Técnico Aflon Plásticos Industriais Ltda. Rod. Dom. Gabriel Paulino Bueno Couto, s/nº Km 85 B. Jacaré - Cabreúva - SP - CEP 13315-000 Fone: 55 11 4529-2700 aflon.com.br ÍNDICE

Leia mais

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA C A T Á L O G O T É C N I C O SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA CAIXA D ÁGUA EM POLIETILENO MUITO MAIS TECNOLOGIA E VERSATILIDADE PARA CUIDAR DA ÁGUA A FORTLEV é a maior empresa produtora de soluções

Leia mais

MANUAL TÉCNICO Amanco PBAfort

MANUAL TÉCNICO Amanco PBAfort Amanco PBAfort Os tubos Amanco PBAfort constituem a linha em PVC rígido utilizada na construção de redes enterradas para condução de água. São resistentes à corrosão tanto em relação à água transportada

Leia mais

Soluções Amanco. Linha Amanco Novafort

Soluções Amanco. Linha Amanco Novafort Linha Amanco Novafort Linha Amanco Novafort s o l u ç õ e s a m a n c o i n f r a e s t r u t u r a Linha Amanco Novafort para Redes Coletoras de Esgotos e Águas Pluviais para Infraestrutura A linha Amanco

Leia mais

CONEXÕES PARA ÁGUA FRIA EM PVC

CONEXÕES PARA ÁGUA FRIA EM PVC CONEXÕES PARA ÁGUA FRIA EM PVC Tubos e Conexões de PVC, para Água Fria, com Junta Soldável Norma Regulamentadora: ABNT NBR 5648 / jan 1999. Campo de Aplicação: Sistemas Prediais, condominiais e pequenas

Leia mais

Sistema de condução para redes de ar comprimido, com união por termofusão. A revolução em sistema de condução para redes de ar comprimido

Sistema de condução para redes de ar comprimido, com união por termofusão. A revolução em sistema de condução para redes de ar comprimido Sistema de condução para redes de ar comprimido, com união por termofusão. A revolução em sistema de condução para redes de ar comprimido MEMBRO A tecnologia e segurança do PP-R, agora também para redes

Leia mais

vendas1@juntasamf.com.br

vendas1@juntasamf.com.br À Sr( a) Ref.: Apresentação para Cadastro de Fornecedor Prezados Senhores, Vimos através desta, apresentar a Juntas AMF Ind. e Com. de Peças Ltda., uma empresa que já se tornou referencia no mercado de

Leia mais

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA C A T Á L O G O T É C N I C O SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA CAIXA D ÁGUA EM FIBRA DE VIDRO MUITO MAIS TECNOLOGIA E VERSATILIDADE PARA CUIDAR DA ÁGUA A FORTLEV é a maior empresa produtora de soluções

Leia mais

MÓDULO 4 4.5 - PROCEDIMENTOS DE REPARO

MÓDULO 4 4.5 - PROCEDIMENTOS DE REPARO Normas Aplicáveis MÓDULO 4 4.5 - PROCEDIMENTOS DE REPARO - NBR 15.979 Sistemas para Distribuição de Água e Esgoto sob pressão Tubos de polietileno PE 80 e PE 100 Procedimentos de Reparo - NBR 14.461 Sistemas

Leia mais

Power Pipe Line. Redes de Ar Comprimido

Power Pipe Line. Redes de Ar Comprimido Power Pipe Line Redes de Ar Comprimido Power Pipe Line - PPL - é um novo sistema de tubulação de encaixe rápido projetado para todo tipo de planta de ar comprimido, bem como para outros fluidos, gases

Leia mais

LATERAIS E ADUTORAS MATERIAIS EMPREGADOS EM TUBULAÇÕES

LATERAIS E ADUTORAS MATERIAIS EMPREGADOS EM TUBULAÇÕES LATERAIS E ADUTORAS Uma tubulação em irrigação pode, conforme a finalidade, ser designada como adutora, ramal ou lateral. A adutora é aquela tubulação que vai da bomba até a área a ser irrigada. Normalmente

Leia mais

MANUAL TÉCNICO Amanco Ductilfort Desenho e Dimensões

MANUAL TÉCNICO Amanco Ductilfort Desenho e Dimensões Amanco Ductilfort Desenho e Dimensões Os tubos Amanco Ductilfort são uma linha em PVC dúctil utilizada na construção de redes para condução de água. Perfeitamente intercambiáveis às tubulações de ferro

Leia mais

Normas Atendidas. Tubos de aço carbono, sem costura, trefilados a frio, para permutadores de calor ou condensadores.

Normas Atendidas. Tubos de aço carbono, sem costura, trefilados a frio, para permutadores de calor ou condensadores. 4 Empresa Certificada ISO 9001 Distribuição de Tubos em Aço Carbono Tubos sem Costura Tubos de aço sem costura são utilizados em aplicações como cilindros hidráulicos, componentes de transmissão, oleodutos,

Leia mais

V Á L V U L A S SÉRIE 2700

V Á L V U L A S SÉRIE 2700 V Á L V U L A S SÉRIE 2700 Válvulas de agulha compactas de alta confiabilidade e versatilidade para controle de processos e uso geral na indústria. As modernas válvulas de agulha Série 2700 da Detroit

Leia mais

MÓDULO 7 7.2 LINHAS DE TRANSPORTE HIDRÁULICO DE SÓLIDOS

MÓDULO 7 7.2 LINHAS DE TRANSPORTE HIDRÁULICO DE SÓLIDOS MÓDULO 7 7.2 LINHAS DE TRANSPORTE HIDRÁULICO DE SÓLIDOS O transporte de sólidos é bastante utilizado em plantas de mineração, onde o desgaste por abrasão é um dos aspectos preponderantes, entretanto a

Leia mais

Manual de instruções LINHA. Ar puro como sempre deve estar

Manual de instruções LINHA. Ar puro como sempre deve estar Manual de instruções LINHA Ar puro como sempre deve estar Sistema em PPR para Ar Comprimido Normas e Certificados O Sistema AirKap é produzido em material inerte e resistente à corrosão e por ter uma superfície

Leia mais

MUITO MAIS TECNOLOGIA E VERSATILIDADE PARA CUIDAR DA ÁGUA

MUITO MAIS TECNOLOGIA E VERSATILIDADE PARA CUIDAR DA ÁGUA MUITO MAIS TECNOLOGIA E VERSATILIDADE PARA CUIDAR DA ÁGUA A FORTLEV é a maior empresa de soluções para armazenamento de água no Brasil. Campeã de vendas no seu segmento, garante a liderança no mercado

Leia mais

Função: Conduzir água à temperatura ambiente nas instalações prediais de água fria; Aplicações: Instalações prediais em geral.

Função: Conduzir água à temperatura ambiente nas instalações prediais de água fria; Aplicações: Instalações prediais em geral. Função: Conduzir água à temperatura ambiente nas instalações prediais de água fria; Aplicações: Instalações prediais em geral. SETEMBRO/2011 Bitolas: 20, 25, 32, 40,50,60, 75, 85, 110 milímetros; Pressão

Leia mais

Hidráulica de Linhas pressurizadas. FEAGRI/UNICAMP - 2014 Prof. Roberto Testezlaf

Hidráulica de Linhas pressurizadas. FEAGRI/UNICAMP - 2014 Prof. Roberto Testezlaf Hidráulica de Linhas pressurizadas Parte 1 - Tubulações FEAGRI/UNICAMP - 2014 Prof. Roberto Testezlaf Tubulações A qualidade e integridade de instalação depende: Escolha do material e do diâmetro adequado

Leia mais

A seguir parte do material didático que é distribuído aos participantes do curso.

A seguir parte do material didático que é distribuído aos participantes do curso. A seguir parte do material didático que é distribuído aos participantes do curso. A próxima turma do curso VÁLVULAS INDUSTRIAIS está programada para o período de 16 a 19 de setembro de 2013, no Rio de

Leia mais

GeoTigre. Características Técnicas. Função e Aplicação. Benefícios. Irrigação GeoTigre

GeoTigre. Características Técnicas. Função e Aplicação. Benefícios. Irrigação GeoTigre Seguindo sua tradição de suprir os setores de recursos hídricos e saneamento com soluções técnicas e econômicas, a TIGRE disponibiliza no mercado a linha, filtros e tubos de revestimento para poços tubulares

Leia mais

MEMORIAL DE INSTALAÇÕES HIDROSANITÁRIAS

MEMORIAL DE INSTALAÇÕES HIDROSANITÁRIAS 1 MEMORIAL DE INSTALAÇÕES HIDROSANITÁRIAS A presente especificação destina-se a estabelecer as diretrizes básicas e definir características técnicas a serem observadas para execução das instalações da

Leia mais

SUPORTE LATERAL componentes. VARANDA componentes. SUPORTE LATERAL componentes. Tel: 55 11 4177-2244 plasnec@plasnec.com.br l www.plasnec.com.

SUPORTE LATERAL componentes. VARANDA componentes. SUPORTE LATERAL componentes. Tel: 55 11 4177-2244 plasnec@plasnec.com.br l www.plasnec.com. VARANDA 5 6 9 SUPORTE LATERAL 12 4 7 10 8 Código: 17010101 Descrição: Conjunto suporte lateral regulável Ø 13mm: 1 - Manopla - PA rosca M10 SS 304 2 - Arruela - M12 24mm SS 304 3 - Olhal - M10 PA M10 SS

Leia mais

MÓDULO 4 4.7 - PROCEDIMENTOS DE SOLDA DE ELETROFUSÃO

MÓDULO 4 4.7 - PROCEDIMENTOS DE SOLDA DE ELETROFUSÃO MÓDULO 4 4.7 - PROCEDIMENTOS DE SOLDA DE ELETROFUSÃO Vem se tornando cada vez mais competitiva em custo, e nas instalações de distribuição de água e gás substituíram, praticamente em todo o mundo, as soldas

Leia mais

DMAE Departamento Municipal de Água e Esgotos

DMAE Departamento Municipal de Água e Esgotos DMAE Departamento Municipal de Água e Esgotos Eng. Adinaldo Soares de Fraga Coordenação de Manutenção de adutoras adinaldo@dmae.prefpoa.com.br Telefone: (51)3289-9855 Estrutura do Sistema de Água Extensão

Leia mais

TUBOS EM AÇO CARBONO COM SOLDA HELICOIDAL CONFORME NORMA NBR 5622

TUBOS EM AÇO CARBONO COM SOLDA HELICOIDAL CONFORME NORMA NBR 5622 TUBOS EM AÇO CARBONO COM SOLDA HELICOIDAL CONFORME NORMA NBR 5622 APRESENTAÇÃO Atuando no mercado desde 1988, a DRAGTEC, empresa conceituada no mercado de tubos, apresenta sua linha de produtos para comercialização,

Leia mais

Apresentação. Apresentação. ltda. PABX: (31) 2535.7762

Apresentação. Apresentação. ltda. PABX: (31) 2535.7762 Apresentação Apresentação Fundada em 2003, a Masterfer é, hoje, uma renomada fornecedora de produtos para saneamento. Prima por possuir um atendimento de forma única e objetiva, o que a credencia apresentar

Leia mais

V Á L V U L A S. MANIFOLD Série 2700 LAMINADO

V Á L V U L A S. MANIFOLD Série 2700 LAMINADO V Á L V U L A S MANIFOLD Série 2700 LAMINADO Índice Informações gerais... 02 Manifold de 2 vias... 04 Manifold de 3 vias... 09 Manifold de 5 vias... 12 Suporte... 15 1 As modernas válvulas Manifold Série

Leia mais

MÓDULO 3 3.1 - QUALIFICAÇÃO DE INSTALADOR, INSPETOR, SOLDADOR E SOLDA DE TOPO POR TERMOFUSÃO E DE ELETROFUSÃO

MÓDULO 3 3.1 - QUALIFICAÇÃO DE INSTALADOR, INSPETOR, SOLDADOR E SOLDA DE TOPO POR TERMOFUSÃO E DE ELETROFUSÃO MÓDULO 3 3.1 - QUALIFICAÇÃO DE INSTALADOR, INSPETOR, SOLDADOR E SOLDA DE TOPO POR TERMOFUSÃO E DE ELETROFUSÃO O INSTALADOR, ou empresa instaladora, para ser qualificada como instaladora de tubos poliolefínicos

Leia mais

CONTEÚDO: Capítulo 4. Válvulas Industriais. Email: vendas@jefferson.ind.br Fone: 016 3622-5744/3622-9851 Site: www.jefferson.ind.

CONTEÚDO: Capítulo 4. Válvulas Industriais. Email: vendas@jefferson.ind.br Fone: 016 3622-5744/3622-9851 Site: www.jefferson.ind. CONTEÚDO: Capítulo 4 Válvulas Industriais Email: vendas@jefferson.ind.br Fone: 016 3622-5744/3622-9851 Site: 1 VÁLVULAS DEFINIÇÃO: DISPOSITIVOS DESTINADOS A ESTABELECER, CONTROLAR E INTERROMPER O FLUXO

Leia mais

Cepex Sales Folder 06/2005. C Tipos de Plásticos

Cepex Sales Folder 06/2005. C Tipos de Plásticos epex Sales Folder 06/2005 C 1 Classificação dos plásticos Termoplásticos (usados para partes rígidas) Poliolefinas Cloretos de vinil Estirenos Polímeros fluorados Polipropileno, polietileno, etc. PVC-U,

Leia mais

MÓDULO 4 4.8.2 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE POLIETILENO PARAGASES E AR COMPRIMIDO

MÓDULO 4 4.8.2 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE POLIETILENO PARAGASES E AR COMPRIMIDO MÓDULO 4 4.8.2 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE POLIETILENO PARAGASES E AR COMPRIMIDO Normas Aplicáveis - NBR 14.462 Sistemas para Distribuição de Gás Combustível para Redes Enterradas

Leia mais

Tubos e Conexões com Qualidade Schulz

Tubos e Conexões com Qualidade Schulz Linha ConectAR Tubos e Conexões com Qualidade Schulz O constante crescimento da indústria, dos processos tecnológicos e o forte impulso da automação industrial, exigem instalações de ar comprimido, eficientes,

Leia mais

COBRE: TUBOS E OBRAS ARTESANAIS

COBRE: TUBOS E OBRAS ARTESANAIS COBRE: TUBOS E OBRAS ARTESANAIS EMPRESA PARANAPANEMA JULHO - 2013 COBRE INTRODUÇÃO - Fundamental no desenvolvimento das primeiras civilizações, o cobre mantém-se como o melhor e mais indicado material

Leia mais

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IFSC- JOINVILLE SANTA CATARINA DISCIPLINA DESENHO TÉCNICO CURSO ELETRO-ELETRÔNICA MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 2011.2 Prof. Roberto Sales. MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS A

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO CHAPAS DE POLICARBONATO ALVEOLARES

MANUAL DE INSTALAÇÃO CHAPAS DE POLICARBONATO ALVEOLARES MANUAL DE INSTALAÇÃO CHAPAS DE POLICARBONATO ALVEOLARES CHAPAS DE POLICARBONATO ALVEOLARES As chapas de policarbonato alveolares, possuem em um dos lados, tratamento contra o ataque dos raios ultravioletas,

Leia mais

Sistema Enterrado de Combate a Incêndio com Tubulações e Conexões de PP-R TECNOLOGIA APLICADA NA EXECUÇÃO DE INSTALAÇÕES

Sistema Enterrado de Combate a Incêndio com Tubulações e Conexões de PP-R TECNOLOGIA APLICADA NA EXECUÇÃO DE INSTALAÇÕES Sistema Enterrado de Combate a Incêndio com Tubulações e Conexões de PP-R TECNOLOGIA APLICADA NA EXECUÇÃO DE INSTALAÇÕES SISTEMA ENTERRADO DE COMBATE A INCÊNDIO COM TUBULAÇÕES E CONEXÕES DE PP-R O Sistema

Leia mais

Instruções de montagem

Instruções de montagem Instruções de montagem Indicações importantes relativas às instruções de montagem VOSS O desempenho e a segurança mais elevados possíveis no funcionamento dos produtos VOSS só serão obtidos se forem cumpridas

Leia mais

AULA 2 CONTEÚDO: Capítulo 3. Capítulo 5. Capítulo 6. Volume I do Livro Texto. Meios de Ligação de Tubos. Conexões de Tubulação. Juntas de Expansão

AULA 2 CONTEÚDO: Capítulo 3. Capítulo 5. Capítulo 6. Volume I do Livro Texto. Meios de Ligação de Tubos. Conexões de Tubulação. Juntas de Expansão AULA 2 Volume I do Livro Texto CONTEÚDO: Capítulo 3 Capítulo 5 Capítulo 6 Meios de Ligação de Tubos. Conexões de Tubulação. Juntas de Expansão 1 MEIOS DE LIGAÇÃO DE TUBOS PRINCIPAIS MEIOS LIGAÇÕES ROSQUEADAS

Leia mais

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA

SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA C A T Á L O G O T É C N I C O SOLUÇÕES FORTLEV PARA CUIDAR DA ÁGUA FILTRO PARA CAIXA D ÁGUA MUITO MAIS TECNOLOGIA E VERSATILIDADE PARA CUIDAR DA ÁGUA A FORTLEV é a maior empresa produtora de soluções para

Leia mais

- Válvulas com Flange -

- Válvulas com Flange - Procedimentos de Montagem e Manutenção - Válvulas com Flange - Para Sistemas de Vapor, Óleo Térmico e Outros Processos Industriais. Em uma instalação industrial de aquecimento, devem ser previstas facilidades

Leia mais

Tubulações Industriais

Tubulações Industriais 07/12/2012 1 2012 Tubos 07/12/2012 2 Geração Produção e / ou Tubulação Utilização Armazenagem Utilização Líquidos Pastosos Com suspensão Gases 07/12/2012 3 Conduto rígido tubos; Conduto flexível tubo fexível,

Leia mais

CATÁLOGO DE PRODUTOS

CATÁLOGO DE PRODUTOS CATÁLOGO DE PRODUTOS A PLASTUBOS é uma empresa do Grupo Empresarial DVG, especializada na produção de tubos rígidos e conexões de PVC para água e esgoto predial, infra-estrutura, irrigação e eletricidade.

Leia mais

Instruções de montagem

Instruções de montagem Instruções de montagem Indicações importantes relativas às instruções de montagem VOSS O desempenho e a segurança mais elevados possíveis no funcionamento dos produtos VOSS só serão obtidos se forem cumpridas

Leia mais

INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS

INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS INSTALAÇÕES HIDRO-SANITÁRIAS Prof. MSc. Eng. Eduardo Henrique da Cunha Engenharia Civil 8º Período Turma C01 Disc. Construção Civil II ÁGUA QUENTE 1 UTILIZAÇÃO Banho Especiais Cozinha Lavanderia INSTALAÇÕES

Leia mais

Manual Técnico. Linha Amanco Gás

Manual Técnico. Linha Amanco Gás Manual Técnico Linha Mexichem Brasil A Mexichem Brasil é a subsidiária brasileira do Grupo Mexichem, com atuação nos setores de tubos e conexões e de geotêxteis nãotecido e detentora das marcas comerciais

Leia mais

Primeira Edição. Manual Técnico

Primeira Edição. Manual Técnico Primeira Edição Manual Técnico 1 Índice 2 3 4 A maior experiência em sistemas para condução de gás da América Latina. O Sistema de tubulação flexível para condução de gás, com montagem mais rápida, simples

Leia mais

Sistema de tubos em polipropileno de alta resistência para esgoto e águas pluviais. Maior segurança. Máxima resistência.

Sistema de tubos em polipropileno de alta resistência para esgoto e águas pluviais. Maior segurança. Máxima resistência. Sistema de tubos em polipropileno de alta resistência para esgoto e águas pluviais. Maior segurança. Máxima resistência. União deslizante de duplo lábio: maior segurança e facilidade de trabalho. O anel

Leia mais

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial

Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Desenho e Projeto de Tubulação Industrial Módulo IV Aula 04 Isolamento térmico AQUECIMENTO DE TUBULAÇÕES Motivos Manter em condições de escoamento líquidos de alta viscosidade ou materiais que sejam sólidos

Leia mais

SOLUÇÃO FORTLEV PARA ENGENHARIA

SOLUÇÃO FORTLEV PARA ENGENHARIA CATÁLOGO TÉCNICO SOLUÇÃO FORTLEV PARA ENGENHARIA TANQUES ESPECIAIS MUITO MAIS TECNOLOGIA E VERSATILIDADE PARA ARMAZENAR PRODUTOS ESPECIAIS. A FORTLEV é a maior empresa produtora de soluções para armazenamento

Leia mais

Sistemas Hidráulicos Sanitários. Água fria Água quente Esgoto Águas Pluviais Combate a incêndio Gás

Sistemas Hidráulicos Sanitários. Água fria Água quente Esgoto Águas Pluviais Combate a incêndio Gás Sistemas Hidráulicos Sanitários Água fria Água quente Esgoto Águas Pluviais Combate a incêndio Gás Sistemas Hidráulicos Sanitários Instalação hidro-sanitária água fria Processo Executivo 1) Colocar todas

Leia mais

Validade: Os valores e medidas apresentadas são válidas salvo erro de edição e são sujeitos a alteração sem aviso prévio. Validade dos Preços: salvo

Validade: Os valores e medidas apresentadas são válidas salvo erro de edição e são sujeitos a alteração sem aviso prévio. Validade dos Preços: salvo TUBOS INOX Validade: Os valores e medidas apresentadas são válidas salvo erro de edição e são sujeitos a alteração sem aviso prévio. Validade dos Preços: salvo erro de edição, os preços são válidos para

Leia mais

Catálogo de Produtos FÔRMAS E ESCORAMENTOS

Catálogo de Produtos FÔRMAS E ESCORAMENTOS Catálogo de Produtos FÔRMAS E ESCORAMENTOS Apresentação Fundada no ano de 000, a TEMEC Terra Maquinas Equipamentos e Construções LTDA é uma empresa especializada no fornecimento de Soluções de Engenharia

Leia mais

Instruções de montagem

Instruções de montagem Instruções de montagem Indicações importantes relativas às instruções de montagem VOSS O desempenho e a segurança mais elevados possíveis no funcionamento dos produtos VOSS só serão obtidos se forem cumpridas

Leia mais

Dobramento. e curvamento

Dobramento. e curvamento Dobramento e curvamento A UU L AL A Nesta aula você vai conhecer um pouco do processo pelo qual são produzidos objetos dobrados de aspecto cilíndrico, cônico ou em forma prismática a partir de chapas de

Leia mais

Solução em Ar Comprimido: Tubulações em Alumínio

Solução em Ar Comprimido: Tubulações em Alumínio Solução em Ar Comprimido: Tubulações em Alumínio Quais são os principais problemas encontrados em redes de Ar Comprimido? Quais são os principais problemas encontrados em redes de Ar Comprimido? ❶ Vazamentos

Leia mais

CONECTORES MEIOS DE LIGAÇÃO ENTRE TUBOS

CONECTORES MEIOS DE LIGAÇÃO ENTRE TUBOS CONECTORES MEIOS DE LIGAÇÃO ENTRE TUBOS ELEMENTOS DE LINHA São equipamentos e acessórios que se apresentam com constância ao longo de uma tubulação de processo. Os principais desses componentes são: conectores,

Leia mais

Geotigre 1. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS: Função: Exploração de águas subterrâneas em poços tubulares profundos;

Geotigre 1. CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS: Função: Exploração de águas subterrâneas em poços tubulares profundos; Geotigre Localização no Website Tigre: Obra Predial Poços GEOTIGRE Função: Exploração de águas subterrâneas em poços tubulares profundos; Aplicações: Completação de poços tubulares totalmente ou parcialmente

Leia mais

INDICE CONTROLE DE REVISÃO

INDICE CONTROLE DE REVISÃO INDICE 1.0 FINALIDADE PG 03 2.0 APLICAÇÃO PG 03 3.0 DOCUMENTOS DE REFERÊNCIA PG 03 4.0 TERMINOLOGIA PG 03 5.0 CARACTERÍSTICAS GERAIS PG 03 6.0 INSTALAÇÃO PG 06 7.0 COMPONENTES PG 07 8.0 OPERAÇÃO PG 22

Leia mais

INTRODUÇÃO INFORMAÇÕES ADICIONAIS NOTAS

INTRODUÇÃO INFORMAÇÕES ADICIONAIS NOTAS 1 INTRODUÇÃO Neste catálogo estão descritos todos os modelos de bombas das linhas E e EP de nossa fabricação assim como seus acessórios e opcionais. Dele constam informações técnicas, desde a construção,

Leia mais

Caixa d água Brasilit

Caixa d água Brasilit Caixa d água Brasilit Catálogo Técnico TECNOLOGIA CRFS: CIMENTO REFORÇADO COM FIO SINTÉTICO. A ALTERNATIVA SEGURA DA BRASILIT PARA A SUBSTITUIÇÃO DEFINITIVA DO AMIANTO. Seguindo uma tendência mundial,

Leia mais

27 Sistemas de vedação II

27 Sistemas de vedação II A U A UL LA Sistemas de vedação II Ao examinar uma válvula de retenção, um mecânico de manutenção percebeu que ela apresentava vazamento. Qual a causa desse vazamento? Ao verificar um selo mecânico de

Leia mais

ÍNDICE. 11. Instalação do CONTROLADOR ELETRO ELETRÔNICO E SENSORES...31. 13. Capa TÉRMICA...33

ÍNDICE. 11. Instalação do CONTROLADOR ELETRO ELETRÔNICO E SENSORES...31. 13. Capa TÉRMICA...33 ÍNDICE 1. PRODUTO SORIA...04 2. ALGUMAS VANTAGENS...05 3. PRODUTO SORIA...06 4. ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS...07 5. KIT DE INSTALAÇÃO...08 6. ACESSÓRIOS...09 7. DIMENSIONAMENTO DOS COLETORES...10 8. Dimensionamento

Leia mais

Manual de Instruções. Poços de Proteção. Exemplos

Manual de Instruções. Poços de Proteção. Exemplos Manual de Instruções oços de roteção Exemplos Manual de Instruções de oços de roteção ágina 3-11 2 Índice Índice 1. Instruções de segurança 4 2. Descrição 4 3. Condições de instalação e instalação 5 4.

Leia mais

XXI FENASAN. Saint-Gobain Canalização no Combate às Perdas. Guilherme Luiz Drehmer. 10 de Agosto de 2010

XXI FENASAN. Saint-Gobain Canalização no Combate às Perdas. Guilherme Luiz Drehmer. 10 de Agosto de 2010 XXI FENASAN Saint-Gobain Canalização no Combate às Perdas Guilherme Luiz Drehmer 10 de Agosto de 2010 Perdas não físicas Perdas físicas Produtos Saint-Gobain para a eliminação das perdas físicas Válvula

Leia mais

CD18R00 GAMA SANICOL CATÁLOGO TÉCNICO TUBOS

CD18R00 GAMA SANICOL CATÁLOGO TÉCNICO TUBOS GAMA SANICOL CATÁLOGO TÉCNICO TUBOS ÍNDICE 1. Generalidades... 3 2. Características Gerais da Tubagem... 3 3. Características Hidráulicas... 4 4. Características Geométricas... 4 5. Transporte e Armazenamento...

Leia mais

isto é Magnet! 50 anos priorizando a qualidade,

isto é Magnet! 50 anos priorizando a qualidade, Catálogo 2012 50 anos priorizando a qualidade, isto é Magnet! Em 2012, a Magnet completa 50 anos de atividades, história que começou com a sua fundação, em 1962, na cidade de São Paulo, com uma produção,

Leia mais

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 13/06/2010

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 13/06/2010 Questão 21 Conhecimentos Específicos - Técnico em Mecânica A respeito das bombas centrífugas é correto afirmar: A. A vazão é praticamente constante, independentemente da pressão de recalque. B. Quanto

Leia mais

Marcação máxima. Observar as informações na placa de características. II 1/2 G. Ex d + e/d IIC Ga/Gb I M 1. Ex d + e I Ma. Certificado Conformidade

Marcação máxima. Observar as informações na placa de características. II 1/2 G. Ex d + e/d IIC Ga/Gb I M 1. Ex d + e I Ma. Certificado Conformidade s relativas às instruções Ao trabalhar em zonas com risco de explosão, a segurança de pessoas e equipamentos depende do cumprimento dos regulamentos de segurança relevantes. As pessoas que são responsáveis

Leia mais

EMPRESA MISSÃO VISÃO VALORES

EMPRESA MISSÃO VISÃO VALORES EMPRESA A Axxio Pisos Elevados é fruto do compromisso permanente com a satisfação de seus clientes e com a inovação, com o intuito de que todos os serviços sejam cada vez mais ágeis e seguros. Para isso

Leia mais

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço

Recomendações para elaboração de projetos estruturais de edifícios em aço 1 Av. Brigadeiro Faria Lima, 1685, 2º andar, conj. 2d - 01451-908 - São Paulo Fone: (11) 3097-8591 - Fax: (11) 3813-5719 - Site: www.abece.com.br E-mail: abece@abece.com.br Av. Rio Branco, 181 28º Andar

Leia mais

Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31

Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31 Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31 Tópicos Abordados: 1. Porta Paletes Seletivo (convencional): 2. Drive-in / Drive-thru Objetivo: Esta apostila tem como principal objetivo ampliar o conhecimento

Leia mais

Soluções de conexão em aço inoxidável

Soluções de conexão em aço inoxidável Soluções de conexão em aço inoxidável www.legris.com A egris onnectic oferece diversas soluções em aço inoxidável, desenvolvidas para uma resistência excelente aos ambientes e fluidos agressivos/corrosivos.

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DOS COMPONENTES DO CRM COM MEDIDOR TIPO DIAFRAGMA (G4, G6, G10 ou G16) Í N D I C E D E R E V I S Õ E S

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA DOS COMPONENTES DO CRM COM MEDIDOR TIPO DIAFRAGMA (G4, G6, G10 ou G16) Í N D I C E D E R E V I S Õ E S USUÁRIO: CEGÁS FOLHA: 1 de 5 OBJETO: AMPLIAÇÃO DA REDE DE DISTRIBUIÇÃO DE GÁS NATURAL OBRA. Í N D I C E D E R E V I S Õ E S REV. DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS 0 A B EMISSÃO PARA APROVAÇÃO ATENDENDO COMENTÁRIOS

Leia mais

Controlador Automático para Escoamentos de Gases

Controlador Automático para Escoamentos de Gases Controlador Automático para Escoamentos de Gases Aluno: Diego Russo Juliano Orientador: Sergio Leal Braga Introdução Medidores e controladores de vazão são peças fundamentais nos principais setores industriais,

Leia mais

Walsywa Fixação para Construção Civil

Walsywa Fixação para Construção Civil Catálogo Técnico de Fixação Química A empresa: Serviços e Garantias Serviços A Walsywa mantém hoje a disposição dos clientes uma equipe de técnicos para assessorar e orientar a especificação adequada dos

Leia mais

Conexões para instalações pneumáticas Série CQ

Conexões para instalações pneumáticas Série CQ Conexões para instalações pneumáticas Série CQ 14662094 Info 181 Características de um sistema moderno de distribuição de ar comprimido: Instalação rápida e simples Montagem sem ferramentas Não há necessidade

Leia mais

Bomba Multiestágio de Média Pressão MBN

Bomba Multiestágio de Média Pressão MBN Bomba Multiestágio de Média Pressão MBN Principais Aplicações Com um design modular, as bombas MBN são bombas horizontais segmentadas e bipartidas radialmente. São recomendadas para o bombeamento de líquidos

Leia mais

CUIDADOS NO TESTE DE ESTANQUEIDADE, DE DESIDRATAÇÃO E DE CARGA DE REFRIGERANTE NOS CONDICIONADORES DE AR DIVIDIDOS * Oswaldo de Siqueira Bueno

CUIDADOS NO TESTE DE ESTANQUEIDADE, DE DESIDRATAÇÃO E DE CARGA DE REFRIGERANTE NOS CONDICIONADORES DE AR DIVIDIDOS * Oswaldo de Siqueira Bueno CUIDADOS NO TESTE DE ESTANQUEIDADE, DE DESIDRATAÇÃO E DE CARGA DE REFRIGERANTE NOS CONDICIONADORES DE AR DIVIDIDOS * Oswaldo de Siqueira Bueno 1.0 Introdução Existe um crescimento enorme em termos de instalação

Leia mais

Suportes de Tubulações

Suportes de Tubulações Suportes de Tubulações Classificação dos Suportes Destinados a sustentar os pesos Fixos Semimóveis Móveis (Suportes de mola e suportes de contrapeso) Destinados a limitar os movimentos dos tubos Dispositivo

Leia mais

Manual de Instalação de Sistemas Fotovoltaicos em Telhados - PHB

Manual de Instalação de Sistemas Fotovoltaicos em Telhados - PHB Manual de Instalação de Sistemas Fotovoltaicos em Telhados - PHB Índice Capítulo Título Página 1 Informações Gerais 3 2 Segurança 4 3 Especificações Técnicas 5 4 Ferramentas, Instrumentos e Materiais 6

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES

MANUAL DE INSTRUÇÕES MANUAL DE INSTRUÇÕES Barramento Elétrico Blindado KSL70 STEMMANN INDÚSTRIA E COMÉRCIO LTDA. Avenida Stemmann N 204 Bairro Tanque Porto Feliz SP Brasil 18540-000 Fone 55 15 3261-9190 Fax 55 15 3261-9191

Leia mais

SISTEMA ECO PIPE ALCANCE GLOBAL, SOLUÇÕES ESPECÍFICAS

SISTEMA ECO PIPE ALCANCE GLOBAL, SOLUÇÕES ESPECÍFICAS SISTEMA ECO PIPE ALCANCE GLOBAL, SOLUÇÕES ESPECÍFICAS Características técnicas: Temperatura trabalho: - C a +70 C Pressão de trabalho: -0,13 a 13 bar Material: Tubo de alumínio estrudado sem costura, passagem

Leia mais

POLICARBONATO CHAPAS COMPACTAS. Estilo com Tecnologia. Alveolar - Compacto - Telhas - Acessórios de Instalação

POLICARBONATO CHAPAS COMPACTAS. Estilo com Tecnologia. Alveolar - Compacto - Telhas - Acessórios de Instalação POLICARBONATO CHAPAS COMPACTAS Estilo com Tecnologia Alveolar - Compacto - Telhas - Acessórios de Instalação CHAPAS COMPACTAS Chapa em policarbonato compacto, com tratamento em um dos lados contra o ataque

Leia mais

SIENA / GRAND SIENA TETRAFUEL

SIENA / GRAND SIENA TETRAFUEL SIENA / GRAND SIENA TETRAFUEL Página 1 FIAT CHRYSLER AUTOMOBILES 13/08/2015 DESCRIÇÃO DO SISTEMA GNV COMPONENTES DO SISTEMA GNV 1. Cilindro GNV 2. Suporte do Cilindro de GNV 3. Linha de Alta Pressão: Tubo

Leia mais

Por que protender uma estrutura de concreto?

Por que protender uma estrutura de concreto? Por que protender uma estrutura de concreto? Eng. Maria Regina Leoni Schmid Rudloff Sistema de Protensão Ltda. RUDLOFF SISTEMA DE PROTENSÃO LTDA. Fig. 1 Representação esquemática de um cabo de cordoalhas

Leia mais

Caixa de emenda óptica (FOSC) DGJC-102A. Especificação Técnica

Caixa de emenda óptica (FOSC) DGJC-102A. Especificação Técnica Caixa de emenda óptica (FOSC) DGJC-102A Especificação Técnica ÍNDICE 1. Especificações Gerais 1.1 Objetivo 1.2 Aplicação 1.3 Qualidade 1.4 Confiabilidade 1.5 Referência 2. Especificações Técnicas 2.1 Características

Leia mais

INTERNAL PIPE PROTECTION INTERNAL PIPE PROTECTION

INTERNAL PIPE PROTECTION INTERNAL PIPE PROTECTION TM INTERNAL PIPE PROTECTION INTERNAL PIPE PROTECTION Fiberware/Duoline Technologies Sua solução de baixo custo para resolver os problemas altamente caros causados pela corrosão. O Sistema Duoline da Fiberware

Leia mais

CAIXAS SEPARADORAS NUPI BRASIL - MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO -

CAIXAS SEPARADORAS NUPI BRASIL - MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO - CAIXAS SEPARADORAS NUPI BRASIL - MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO - INTRODUÇÃO Conforme a Resolução CONAMA 273 de 2000, postos de revenda e de consumo de combustíveis devem ser dotados de sistema de drenagem

Leia mais

objetivos apresentar dois novos lançamentos de produtos exclusivos ao mercado industrial: Linha CPVC Industrial; Linha PPR Industrial;

objetivos apresentar dois novos lançamentos de produtos exclusivos ao mercado industrial: Linha CPVC Industrial; Linha PPR Industrial; objetivos apresentar dois novos lançamentos de produtos exclusivos ao mercado industrial: Linha CPVC Industrial; Linha PPR Industrial; Lançamentos RPVC Tubos RPVC STANDARD Diâmetros: DN 100, 150, 200,

Leia mais