Geografia URBANIZAÇÃO BRASILEIRA

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Geografia URBANIZAÇÃO BRASILEIRA"

Transcrição

1 Geografia URBANIZAÇÃO BRASILEIRA

2 Observe os mapas e o gráfico. Cidades brasileiras conforme o número de habitantes (1950) Mário Yoshida Fonte: Atlas nacional do Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, p.83 (adaptado).

3 Cidades brasileiras conforme o número de habitantes (2000) Mário Yoshida Fonte: Atlas Nacional do Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, p. 83 (adaptado).

4 Brasil Evolução da população rural-urbana entre 1940 e Fonte: IBGE. Anuário estatístico do Brasil, 1986, 1990, 1993 e 1997; Censo demográfico, 2000; Síntese de indicadores sociais, 2007.

5 Até a década de 1950, a agricultura era a principal fonte de riqueza. Atualmente, mais de 85% da população vive e trabalha em uma economia urbano-industrial. Existe, em função disso, grande interdependência entre cidade/ campo; a tecnologia, transporte e modernidade fazem parte de uma parcela do campo no Brasil.

6 A urbanização Crescimento maior da população urbana em relação à população rural, em termos proporcionais. * Decorrência do grande deslocamento da população do campo para as cidades êxodo rural (repulsão). Mecanização agrícola e concentração fundiária (repulsão). Industrialização (atração). Especialmente entre 1950 e Década de 1940 Aumento no número de cidades. Intenso crescimento populacional; as cidades conheceram uma ampliação de sua área, que passou a contar com mais construções, ruas, avenidas, redes de energia elétrica, de água encanada, de telefonia, de esgotos etc. Isso é chamado de crescimento das cidades.

7

8 O êxodo rural e a urbanização Intenso processo de deslocamento da população do campo para as cidades, num período muito curto de tempo. Expansão das grandes propriedades rurais Mecanização agrícola Responsáveis pela expulsão do trabalhador do campo em direção à cidade.

9 O crescimento das cidades e o planejamento urbano expansão das cidades no Brasil Não seguiu uma orientação ou planejamento. Um grande número de lotes de terrenos foi ocupado na periferia das cidades. Pela população mais carente, que vê nessas áreas, sem infraestrutura, a única possibilidade de se estabelecer. A falta de moradia é um dos mais graves problemas das cidades brasileiras, mas também afeta a população que vive no campo. Está diretamente relacionada à baixa renda da maior parte da população e não propriamente à inexistência de moradias.

10

11 Apesar de serem muito comuns nas grandes cidades, as favelas também existem em municípios menores. A maioria se localiza em barrancos e áreas de risco, sem infraestrutura básica, deixando à mostra a desigualdade socioeconômica da qual é resultado. Em São Paulo, localizam-se, sobretudo, nas margens de rios e vales. No Rio de Janeiro, nos morros.

12 Brasil Déficit habitacional por unidades da federação (2005) Carlos Tadeu de Carvalho Gamba Fonte: Centro de Estatísticas e Informações. Fundação João Pinheiro, abril de 2007, p. 9. Disponível em: [ Acesso em: 4 out

13

14 Ritmo de crescimento urbano Nos anos 1990 Alteração no ritmo de crescimento das áreas urbanas brasileiras. Atualmente, as metrópoles estão saturadas. Graves problemas sociais; Elevado custo de vida. São canalizados para o interior dos estados. Não têm recebido tantos investimentos do Estado e de empresas privadas nacionais e estrangeiras. Desestimulando as migrações para as metrópoles e estimulando-as para as cidades médias do interior.

15 Urbanização e Metropolização Marcada por um processo de formação de grandes cidades: as metrópoles São cidades de alta densidade populacional, ligadas à cidades vizinhas e que concentram variados tipos de setores secundários e terciários. Principal elo com o exterior, em razão de sua força econômica e de sua infraestrutura diversificada. Formação de cidades enormes: essa é uma característica do processo de urbanização de praticamente todos os países subdesenvolvidos, onde a atividade econômica acaba se concentrando em espaços restritos.

16 As regiões metropolitanas e a conurbação Crescimento das metrópoles brasileiras Aumento das cidades situadas em seus arredores Junção de suas áreas urbanas Processo denominado conurbação. Formou-se, assim, uma imensa área urbana pertencente a municípios diferentes. Em virtude dessa integração, foram criadas as regiões ou áreas metropolitanas.

17

18 Rede urbana Sistema integrado de cidades, por meio de transporte e comunicação. Constituída por cidades de diversos tamanhos, as maiores correspondem às metrópoles. No Brasil, as duas grandes metrópoles que comandam a vida social, econômica e cultural do país são: São Paulo e Rio de Janeiro. Mantêm intenso contato com o exterior, sediando filiais de empresas multinacionais, matrizes de grandes bancos nacionais e de empresas brasileiras de grande porte. Metrópoles globais

19

20 Entre as cidades de São Paulo e Rio de Janeiro e seus arredores, temos a área mais densamente urbanizada do Brasil, onde vivem aproximadamente 25% da população brasileira e estão concentrados cerca de 60% da produção industrial de todo o país. Eixo Rio-São Paulo e entorno Fonte: Leda Isola e Vera Caldini. Atlas geográfico Saraiva. São Paulo: Saraiva, p. 32.

21 Fonte: Atlas Nacional do Brasil. Rio de Janeiro: IBGE, 2000; Atlas geográfico escolar. Rio de Janeiro: IBGE, 2002; Metrópoles em dados regiões metropolitanas do Brasil, Disponível em: Acesso em: 5 out

22

23 Circulação e Transporte Paris 213 km 16 linhas Desde 1900

24 Londres 11 linhas 400 km desde 1890

25 Moscou 12 linhas 300 km desde 1935

26 Xangai: 420 km 8 linhas Desde 1995

27 São Paulo 5 linhas 74 km Desde 1972

28 Salvador 3 linhas 13,5 km Desde 1997

29 Observe o gráfico e depois responda. [sic] comunicação Fonte: Ministério do Turismo. Em: Folha de S.Paulo, 22 set p.c-2.

30

31 A ocupação do sítio urbano de São Paulo: implicações de ordem socioeconômica, espacial e ambiental.

32 Urbanização em São Paulo Brasil Crise no Campo Estrutura Fundiária Mecanização Questões produtivas/ha (fatores de repulsão) Industrialização Novos postos de trabalho no setor secundário e terciário. Modo de vida urbano São Paulo Cafeicultura *Século XIX, surgimento e crescimento de cidades em SP, MG e RJ, sobretudo entorno das ferrovias. Imigração (principalmente pós- 1850)

33

34 São Paulo Crise do Café Recursos aplicados em outras atividades, principalmente na Indústria, diversificando a produção restrita aos setores têxtil, alimentício, consumo, sabão e velas. Fatores que impulsionaram o desenvolvimento da indústria em São Paulo Rede de transportes Mercado consumidor Mão de obra imigrante. PROCESSO DE URBANIZAÇÃO ACELERADO

35 Processo de Urbanização em São Paulo urbanização: crescimento da população urbana comparada à população rural. Resultado não só da taxa de natalidade, mas também dos processos migratórios.

36 O crescimento da área urbana A cidade que nasceu entre rios. Posição indígena de fundação da cidade em função da possibilidade de saída para um rio maior pelo Tamanduateí e de água para consumo no rio Anhangabaú.

37 O crescimento descontrolado A cidade cresce vertical e horizontalmente, desenvolve-se um inchaço populacional. A ausência de plano diretor estratégico até a década de 1970 resulta em ocupação desordenada do solo urbano e em um processo crescente de favelização da cidade. (...) O período que vai de 1930 a 1980, caracterizado por intenso processo de industrialização e urbanização, com forte intervenção estatal na vida econômica e política, mereceu algumas referências numéricas com a finalidade de evidenciar tanto o crescimento econômico quanto a concentração de riquezas, com óbvio reflexo na construção das cidades. Cinco décadas de acentuado crescimento populacional urbano marcado pela dinâmica expressa no binômio crescimento e pobreza resultarão numa cruel herança para os anos 80.(...) MARICATO, Ermínia. Metrópole na Periferia do Capitalismo. Hucitec, São Paulo, : Década de 1990 intensificação da violência urbana..

38

39

40 Região Metropolitana e Macrometrópole Conurbação, metrópoles, regiões metropolitanas no Brasil, caso da macrometrópole, discussão sobre megalópole SP-RJ.

41 Região Metropolitana Metrópole O crescimento das metrópoles e de suas vizinhas, por causa da atração populacional, pode levar à junção de suas áreas urbanas, eliminando as áreas rurais entre elas. Grande cidade que exerce forte influência econômica e cultural em municípios próximos ou mesmo em áreas distantes.

42 (...) O uso da cidade nos remete à analise das relações sociais de produção. O mercado será o elo, os seus mecanismos determinarão a garantia de acesso à propriedade privada, pela possibilidade de pagamento do preço da terra. Os fatores que determinarão a formação do preço vinculam-se principalmente à inserção de determinada parcela do espaço urbano global, tendo como ponto de partida a localização dos terrenos (por exemplo, no bairro), o acesso aos lugares ditos privilegiados (escola, shopping, centros de saúde, de serviços, lazer, áreas verdes etc.), à infraestrutura, (água, luz, esgoto, asfalto, telefone, vias de circulação, transporte), à privacidade; e secundariamente, os fatores vinculados ao relevo que se refletem nas possibilidades e custos da construção. Finalmente, um fator importante: o processo de valorização espacial. Fonte: CARLOS, Ana Fani Alessandri. A cidade. São Paulo:Contexto, 2001.p. 48. O que define o valor nos espaços urbanos? Em função do valor do espaço urbano e da especulação imobiliária nos lugares privilegiados, a população mais pobre ocupa os espaços menos privilegiados.

43 Valor do solo urbano no MSP

44 A segregação socioeconômica e espacial do município de São Paulo. São inúmeras as metodologias de análise dessa questão. Algumas possibilidades:

45

46

47

48 Violência - um dos problemas dos centros urbanos A formação de grandes cidades no Brasil foi acompanhada pelo surgimento de graves problemas sociais em razão, principalmente, do caráter concentrador e excludente do processo de desenvolvimento do país. Grandes centros urbanos apresentam elevados índices de violência. As áreas mais violentas são as periféricas. No eixo Rio-São Paulo e arredores, os índices de morte por homicídios são os mais elevados do país. As mortes por homicídios estão vinculadas a uma série de fatores.

49

50 Distribuição da População A maior parcela da população do MSP encontra-se nas bordas do território, em direção à periferia. Os distritos que tiveram crescimento populacional também foram os mais pobres. Os bairros mais centrais e com maior infraestrutura perderam população e, quase em sua maioria, tiveram crescimento populacional negativo resultante da taxa de natalidade.

51 ESVAZIAMENTO POPULACIONAL DOS CENTROS DAS GRANDES CIDADES Valor da terra nos espaços urbanos. Por que um lugar pode ser mais caro do que outro? Os fatores que determinarão a formação do preço vinculam-se principalmente à inserção de determinada parcela do espaço urbano global, tendo como ponto de partida a localização dos terrenos (por exemplo, no bairro), o acesso aos lugares ditos privilegiados (escola, shopping, centros de saúde, de serviços, lazer, áreas verdes etc.), a infraestrutura (água, luz, esgoto, asfalto, telefone, vias de circulação, transporte), a privacidade e, secundariamente, os fatores vinculados ao relevo que se refletem nas possibilidades e custos da construção. Finalmente, um fator importante: o processo de valorização espacial. Fonte: CARLOS, Ana Fani Alessandri. A cidade. São Paulo: Contexto, p. 48.

52 ESVAZIAMENTO POPULACIONAL DOS CENTROS DAS GRANDES CIDADES

53 ESVAZIAMENTO POPULACIONAL DOS CENTROS DAS GRANDES CIDADES

54 Fonte: Plano Diretor Estratégico de São Paulo. Cartilha de Formação. São Paulo. Caixa Econômica Federal.2003 ESVAZIAMENTO POPULACIONAL DOS CENTROS DAS GRANDES CIDADES

55 Situação habitacional no MSP

56 Outras situações habitacionais Regiões centrais com esvaziamento populacional (prédios abandonados, garagens verticais, galpões e prédios residenciais que viraram cortiços. Condomínios de luxo nas rodovias (Alphaville, Granja Vianna etc.). Enclaves Fortificados Morumbi.

57 Consequências socioeconômicas da urbanização no MSP Crescimento e surgimento das cidades-dormitórios. Problemas na rede de transportes, tempo de viagem, emprego longe da moradia. Ocupação de áreas de proteção ambiental.

58 Contrastes violentos de qualidade de vida e acesso aos equipamentos gerais.

59 Impactos ambientais Ocupação de áreas de proteção ambiental Ocupação de áreas de risco Aumento e agravamento das enchentes Poluição resultante da ausência de saneamento básico Poluição atmosférica (efeito estufa, ilhas de calor, inversão térmica, chuva ácida) Lixão / Aterros

60 Uso e Ocupação do solo Impermeabilização (escoamento de águas pluviais) Ocupação de encostas e margens (áreas de risco: escorregamentos, processo erosivo ravinas, voçorocas) Ocupação em áreas de mananciais h"p:// 2fGFcVk9KY h"p:// h"p:// de- terras...!!!.html

61 Poluição nas águas no Município de SP Crescimento urbano: caso de Suzano e Guarulhos - falta de saneamento - ocupação de margens / matas ciliares - assoreamento - processo de eutrofização Legenda: assoreamento/eutrofização das águas.

62 INVERSÃO TÉRMICA A inversão térmica é um fenômeno atmosférico que acontece no meio ambiente. Esse fenômeno ocorre devido à entrada de uma massa de ar frio sobre o ambiente, sobretudo no inverno, que impossibilita a movimentação de ar. Ao aumentar a temperatura ao longo do dia, a tendência é que volte a movimentação de ar. Nas cidades, esse fenômeno impossibilita a dispersão dos poluentes. As consequências estão no campo da saúde pública, principalmente, em questões respiratórias.

63 CHUVA ÁCIDA

64 Efeito Estufa É um fenômeno atmosférico em que parte da radiação solar que é refletida pela superfície é absorvida por alguns gases da atmosfera. Esse fenômeno é algo produzido pelo meio ambiente. Algumas teorias acreditam que existe um avanço dessa absorção e, consequentemente, um aumento de temperatura chamado de aquecimento global. Alguns teóricos, de outras correntes, acreditam que existe um exagero em relação às consequências catastróficas que pregam ambientalistas, ecologistas e cientistas. Veja entrevista com o geógrafo Aziz Ab Saber. terramagazine.terra.com. br/interna/0,,oi EI6586,00-AbSaber+COP +e+farsa+amazonia +crescera+com +aquecimento.html

65 Ilhas de calor

66 Poluição Visual e Sonora Em São Paulo, um projeto foi feito para ordenar e controlar a poluição visual (Cidade Limpa). Em relação à poluição sonora, citar os casos (comercial, industrial e residencial).

67 Resíduos Sólidos A produção de resíduos sólidos nas cidades acompanha, muitas vezes, o consumo. Lixão depósito de resíduos sem tratamento. Aterro depósito controlado e com estrutura para impedir contaminação.

A Ocupação do Sítio Urbano de São Paulo: implicações de ordem socioeconômica, espacial e ambiental. Plano de Aula

A Ocupação do Sítio Urbano de São Paulo: implicações de ordem socioeconômica, espacial e ambiental. Plano de Aula A Ocupação do Sítio Urbano de São Paulo: implicações de ordem socioeconômica, espacial e ambiental. Plano de Aula Urbanização em São Paulo Brasil Crise no Campo Estrutura Fundiária Mecanização Questões

Leia mais

A urbanização Brasileira

A urbanização Brasileira A urbanização Brasileira Brasil Evolução da população ruralurbana entre 1940 e 2006. Fonte: IBGE. Anuário estatístico do Brasil, 1986, 1990, 1993 e 1997; Censo demográfico, 2000; Síntese Fonte: IBGE. Anuário

Leia mais

Urbanização no Brasil

Urbanização no Brasil Urbanização no Brasil Urbanização é o aumento proporcional da população urbana em relação à população rural. Segundo esse conceito, só ocorre urbanização quando o crescimento da população urbana é superior

Leia mais

Urbanização Brasileira

Urbanização Brasileira Urbanização Brasileira O Brasil é um país com mais de 190 milhões de habitantes. A cada 100 pessoas que vivem no Brasil, 84 moram nas cidades e 16 no campo. A população urbana brasileira teve seu maior

Leia mais

URBANIZAÇÃO LUGAR É A BASE

URBANIZAÇÃO LUGAR É A BASE URBANIZAÇÃO LUGAR É A BASE. DA REPRODUÇÃO DA VIDA E PODE SER ANALISADO PELA TRÍADE HABITANTE- IDENTIDADE-LUGAR. OBJETIVOS ESPECÍFICOS A. Caracterizar o fenômeno da urbanização como maior intervenção humana

Leia mais

A ONU ESTIMA QUE, ATÉ 2050, DOIS TERÇOS DA POPULAÇÃO MUNDIAL ESTARÃO MORANDO EM ÁREAS URBANAS.

A ONU ESTIMA QUE, ATÉ 2050, DOIS TERÇOS DA POPULAÇÃO MUNDIAL ESTARÃO MORANDO EM ÁREAS URBANAS. A ONU ESTIMA QUE, ATÉ 2050, DOIS TERÇOS DA POPULAÇÃO MUNDIAL ESTARÃO MORANDO EM ÁREAS URBANAS. EM 1950, O NÚMERO CORRESPONDIA A APENAS UM TERÇO DA POPULAÇÃO TOTAL. CERCA DE 90% DO AVANÇO DA POPULAÇÃO URBANA

Leia mais

Cidade é a parte urbana de um município, onde concentram atividades econômicas dos setores secundário e terciário.

Cidade é a parte urbana de um município, onde concentram atividades econômicas dos setores secundário e terciário. Prof. Dinário Dutra Urbanização é o aumento proporcional da população urbana em relação a população rural. A urbanização está associada ao êxodo rural. A urbanização é limitada, podendo chegar a 100%.

Leia mais

Urbanização no Brasil. Prof Claudio F Galdino - Geografia

Urbanização no Brasil. Prof Claudio F Galdino - Geografia Urbanização no Brasil Prof Claudio F Galdino - Geografia Estruturas, Aspectos Gerais e Rede Urbana Origem: Cidades espontâneas (campo Belo, Rio de Janeiro) Cidades planejadas (BH, Brasília) Urbanização

Leia mais

Centro Educacional Juscelino Kubitschek

Centro Educacional Juscelino Kubitschek Centro Educacional Juscelino Kubitschek ALUNO: N.º: DATA: / /2011 ENSINO FUNDAMENTAL SÉRIE: 6ª série/7 ano TURMA: TURNO: DISCIPLINA: GEOGRAFIA PROFESSOR: Equipe de Geografia Roteiro e lista de Recuperação

Leia mais

URBANIZAÇÃO NO BRASIL, NO ESTADO E NO MUNICÍPIO, NOS ÚLTIMOS 50 ANOS.

URBANIZAÇÃO NO BRASIL, NO ESTADO E NO MUNICÍPIO, NOS ÚLTIMOS 50 ANOS. URBANIZAÇÃO NO BRASIL, NO ESTADO E NO MUNICÍPIO, NOS ÚLTIMOS 50 ANOS. O que é cidade? Segundo a ONU, aglomerado urbano concentrado com mais de 20 mil habitantes, com atividades no setorsecundário secundário

Leia mais

Ano: 7º Turma: 7.1 e 7.2

Ano: 7º Turma: 7.1 e 7.2 COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 2ª Etapa 2014 Disciplina: Geografia Professor (a): Fernando Parente Ano: 7º Turma: 7.1 e 7.2 Caro aluno, você está recebendo o conteúdo

Leia mais

EXERCÍCIOS ON LINE DE GEOGRAFIA 7º 2º TRI

EXERCÍCIOS ON LINE DE GEOGRAFIA 7º 2º TRI 1. Coloque V para verdadeiro e F para falso: EXERCÍCIOS ON LINE DE GEOGRAFIA 7º 2º TRI ( ) a população economicamente ativa compreende a parcela da população que está trabalhando ou procurando emprego.

Leia mais

História da Habitação em Florianópolis

História da Habitação em Florianópolis História da Habitação em Florianópolis CARACTERIZAÇÃO DAS FAVELAS EM FLORIANÓPOLIS No início do século XX temos as favelas mais antigas, sendo que as primeiras se instalaram em torno da região central,

Leia mais

Dinâmica demográfica e qualidade de vida da população brasileira Parte II

Dinâmica demográfica e qualidade de vida da população brasileira Parte II Dinâmica demográfica e qualidade de vida da população brasileira Parte II A nova Pirâmide Etária do Brasil; Crescimento horizontal devido às migrações; É um tipo de gráfico que representa os dados sobre

Leia mais

2. (Espcex (Aman) 2013) Com relação às regiões metropolitanas (RM) no Brasil, leia as afirmativas abaixo:

2. (Espcex (Aman) 2013) Com relação às regiões metropolitanas (RM) no Brasil, leia as afirmativas abaixo: 1. (Fuvest 2013) Observe os gráficos. Com base nos gráficos e em seus conhecimentos, assinale a alternativa correta. a) Em função de políticas de reforma agrária levadas a cabo no Norte do país, durante

Leia mais

É CORRETO afirmar que essa modalidade de desemprego é conseqüência. A) da adoção de novas tecnologias de produção e gerenciamento industrial.

É CORRETO afirmar que essa modalidade de desemprego é conseqüência. A) da adoção de novas tecnologias de produção e gerenciamento industrial. PROVA DE GEOGRAFIA QUESTÃO 09 Parcela considerável do desemprego que se verifica, atualmente, no mundo, está associada a mudanças estruturais na economia é o denominado desemprego estrutural. É CORRETO

Leia mais

PROCESSO DE METROPOLIZAÇÃO. desigualmente mudando de natureza e de composição, exigindo

PROCESSO DE METROPOLIZAÇÃO. desigualmente mudando de natureza e de composição, exigindo Geografia urbana Costa, 2002 1 PROCESSO DE METROPOLIZAÇÃO! As porções do território ocupadas pelo homem vão desigualmente mudando de natureza e de composição, exigindo uma nova definição. As noções de

Leia mais

Geografia Professor André 2ª série / 2º trimestre

Geografia Professor André 2ª série / 2º trimestre Geografia Professor André 2ª série / 2º trimestre TEMA - URBANIZAÇÃO BRASILEIRA E MUNDIAL. 1. (Ibmec-RJ) Esta é uma clássica definição sobre as chamadas cidades globais: As cidades globais são os principais

Leia mais

A URBANIZAÇÃO BRASILEIRA. www.tiberiogeo.com.br A Geografia Levada a Sério

A URBANIZAÇÃO BRASILEIRA. www.tiberiogeo.com.br A Geografia Levada a Sério A URBANIZAÇÃO BRASILEIRA 1 Início de nossa urbanização Segundo o Censo 2010 aponta que aproximadamente 85% é urbano; Nossa economia estava voltada para a exportação; As primeiras ocupações urbanas se deram

Leia mais

Situação Geográfica e Demográfica

Situação Geográfica e Demográfica Guarulhos História A memória é a base para a construção da identidade, da consciência do indivíduo e dos grupos sociais de um determinado local. A maioria das fontes de memória de Guarulhos traz que sua

Leia mais

URBANIZAÇÃO BRASILEIRA: ALGUNS COMENTÁRIOS. Profa. Dra. Vera Lúcia Alves França

URBANIZAÇÃO BRASILEIRA: ALGUNS COMENTÁRIOS. Profa. Dra. Vera Lúcia Alves França URBANIZAÇÃO BRASILEIRA: ALGUNS COMENTÁRIOS Profa. Dra. Vera Lúcia Alves França A década de 1930 do século XX traz para a população brasileira um novo momento, quanto a sua distribuição. Até então, a população

Leia mais

7ºano 2º período vespertino 25 de abril de 2014

7ºano 2º período vespertino 25 de abril de 2014 GEOGRAFIA QUESTÃO 1 A Demografia é a ciência que estuda as características das populações humanas e exprime-se geralmente através de valores estatísticos. As características da população estudadas pela

Leia mais

ASPECTOS DA REDE URBANA DO ESTADO DE SÃO PAULO

ASPECTOS DA REDE URBANA DO ESTADO DE SÃO PAULO ASPECTOS DA REDE URBANA DO ESTADO DE SÃO PAULO SIMÃO, Rosycler Cristina Santos Palavras chave: rede urbana; São Paulo; disparidades regionais; Censo Demográfico 2000. Resumo O objetivo do trabalho é mostrar

Leia mais

30/11/2012. do adensamento populacional. crescimento desordenado. ocupação de áreas naturais e frágeis

30/11/2012. do adensamento populacional. crescimento desordenado. ocupação de áreas naturais e frágeis Universidade Metodista Recuperação Ambiental de Áreas Degradadas Impactos gerados pelo uso e ocupação do solo no meio urbano Final século XVIII Revolução Industrial Migração do homem do campo objetivo

Leia mais

A URBANIZAÇÃO SOB O CAPITALISMO E SEUS PROBLEMAS. www.tiberiogeo.com.br A Geografia Levada a Sério

A URBANIZAÇÃO SOB O CAPITALISMO E SEUS PROBLEMAS. www.tiberiogeo.com.br A Geografia Levada a Sério A URBANIZAÇÃO SOB O CAPITALISMO E SEUS PROBLEMAS 1 Industrialização e urbanização A industrialização dá o tom da urbanização contemporânea; Teve seu início próxima as áreas de matériasprimas e água; Ela

Leia mais

Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos

Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos POPULAÇÃO BRASILEIRA Estrutura Populacional e Indicadores socioeconômicos Desde a colonização do Brasil o povoamento se concentrou no litoral do país. No início do século XXI, a população brasileira ainda

Leia mais

Geografia Fascículo 05 Fernanda Zuquim Guilherme De Benedictis

Geografia Fascículo 05 Fernanda Zuquim Guilherme De Benedictis Geografia Fascículo 05 Fernanda Zuquim Guilherme De Benedictis Índice A Urbanização Brasileira Resumo Teórico...1 Exercícios...4 Gabarito...5 A Urbanização Brasileira Resumo Teórico Urbanização, uma tendência

Leia mais

DESIGUALDADE AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE SALINAS MG

DESIGUALDADE AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE SALINAS MG DESIGUALDADE AMBIENTAL DO MUNICÍPIO DE SALINAS MG BRENO FURTADO LIMA 1, EDUARDO OLIVEIRA JORGE 2, FÁBIO CHAVES CLEMENTE 3, GUSTAVO ANDRADE GODOY 4, RAFAEL VILELA PEREIRA 5, ALENCAR SANTOS 6 E RÚBIA GOMES

Leia mais

CAPÍTULO 13 VULNERABILIDADE URBANA

CAPÍTULO 13 VULNERABILIDADE URBANA CAPÍTULO 13 VULNERABILIDADE URBANA. É possível homem e natureza estarem ocupando o mesmo lugar, apesar de atravancar o progresso? A comodidade da vida nas cidades urbanas é mais vantajosa do que a própria

Leia mais

População e PIB das cidades médias crescem mais que no resto do Brasil

População e PIB das cidades médias crescem mais que no resto do Brasil RELEASE 17 de JULHO de 2008. População e PIB das cidades médias crescem mais que no resto do Brasil Aumentos de riquezas e de habitantes nas cidades com 100 mil a 500 mil, neste século, superam a média

Leia mais

Mudanças Socioespaciais em um Mundo Globalizado

Mudanças Socioespaciais em um Mundo Globalizado Mudanças Socioespaciais em um Mundo Globalizado Colégio Salesiano São José 8º ano Geografia Professor: Juliano Mudanças no Espaço Geográfico Como ocorrem essas mudanças: Formas; Funções; Fluxos; Modos

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE RISCO DE EROSÃO NA ÁREA URBANA DA GRANDE NATAL/RN - BRASIL

CONSIDERAÇÕES SOBRE RISCO DE EROSÃO NA ÁREA URBANA DA GRANDE NATAL/RN - BRASIL CONSIDERAÇÕES SOBRE RISCO DE EROSÃO NA ÁREA URBANA DA GRANDE NATAL/RN - BRASIL Maria Francisca Jesus Lírio Ramalho Universidade Federal do Rio Grande do Norte, Departamento de Geografia/Area Geomorfologia

Leia mais

Porto Alegre: transformações na metrópole e na Região Metropolitana mais meridional do Brasil (1980-2010)

Porto Alegre: transformações na metrópole e na Região Metropolitana mais meridional do Brasil (1980-2010) Observatório das Metrópoles INCT/CNPq Porto Alegre: transformações na metrópole e na Região Metropolitana mais meridional do Brasil (1980-2010) Luciano Joel Fedozzi Paulo Roberto Rodrigues Soares Observatório

Leia mais

2.1 DINÂMICA POPULACIONAL

2.1 DINÂMICA POPULACIONAL DIMENSÃO SOCIAL . DINÂMICA POPULACIONAL Esta seção tem como objetivo expor a evolução e distribuição da população no território paranaense, apontando, em particular, a concentração que se realiza em determinadas

Leia mais

Ministério das Cidades MCidades

Ministério das Cidades MCidades Ministério das Cidades MCidades Objetivos de Desenvolvimento Sustentável ODS São Paulo, 02 de junho de 2014 Roteiro 1. O processo de urbanização no Brasil: histórico. 2. Avanços institucionais na promoção

Leia mais

Exercícios Processo de Urbanização no Brasil

Exercícios Processo de Urbanização no Brasil Exercícios Processo de Urbanização no Brasil 1. Nota intitulada Urbano ou rural? foi destaque na coluna Radar, na revista Veja. Ela apresenta o caso extremo de União da Serra (RS), município de 1900 habitantes,

Leia mais

A REINSERÇÃO DE NOVA ESPERANÇA NA REDE URBANA DE MARINGÁ: UMA PROPOSTA DE ESTUDO

A REINSERÇÃO DE NOVA ESPERANÇA NA REDE URBANA DE MARINGÁ: UMA PROPOSTA DE ESTUDO A REINSERÇÃO DE NOVA ESPERANÇA NA REDE URBANA DE MARINGÁ: UMA PROPOSTA DE ESTUDO 5 Amanda dos Santos Galeti Acadêmica de Geografia - UNESPAR/Paranavaí amanda_galeti@hotmail.com Kamily Alanis Montina Acadêmica

Leia mais

Questão 1. Resposta A. Resposta B

Questão 1. Resposta A. Resposta B Questão 1 Ao longo do século XX, as cidades norte-americanas se organizaram espacialmente de um modo original: a partir do Central Business District (CBD), elas se estruturaram em circunferências concêntricas

Leia mais

TRABALHO DE GEOGRAFIA ESTUDOS ORIENTADOS 1º ANO ENSINO MÉDIO NOTURNO

TRABALHO DE GEOGRAFIA ESTUDOS ORIENTADOS 1º ANO ENSINO MÉDIO NOTURNO TRABALHO DE GEOGRAFIA ESTUDOS ORIENTADOS 1º ANO ENSINO MÉDIO NOTURNO 1) O gráfico baixo indica uma forma de organização do espaço rural. Sobre esse gráfico é possível inferir: a) Trata-se da representação

Leia mais

III Fórum Mobilize! Transformações urbanas e os megaeventos:

III Fórum Mobilize! Transformações urbanas e os megaeventos: oportunidade para uma metrópole sustentável? III Fórum Mobilize! Transformações urbanas e os megaeventos: Sergio Myssior Arquiteto e Urbanista, diretor da MYR projetos sustentáveis, Conselheiro CAU/MG,

Leia mais

COMENTÁRIO DA PROVA DE GEOGRAFIA

COMENTÁRIO DA PROVA DE GEOGRAFIA COMENTÁRIO DA PROVA DE GEOGRAFIA A UFPR elaborou boas questões de geografia para esta edição do vestibular. Destacamos a abrangência, com questões de assuntos importantes, como orientação, migrações, urbanização

Leia mais

População é o conjunto de habitantes de um determinado lugar em um determinado tempo;

População é o conjunto de habitantes de um determinado lugar em um determinado tempo; INTRODUÇÃO À GEOGRAFIA DA POPULAÇÃO 1 Aspectos teóricos e metodológicos da geografia da população População é o conjunto de habitantes de um determinado lugar em um determinado tempo; A importância de

Leia mais

GEOGRAFIA. População Brasileira

GEOGRAFIA. População Brasileira População Brasileira No Brasil a concentração populacional tem sua maior ocorrência em áreas litorâneas ou próximas ao litoral. Temos como fatores contribuintes as faixas de planície, clima tropical, sem

Leia mais

Metrópoles americanas e a urbanização

Metrópoles americanas e a urbanização Metrópoles americanas e a urbanização Metrópole A principal cidade de uma densa rede urbana, com população geralmente superior a 1 milhão de habitantes. Megalópole O conjunto constituído pela interligação

Leia mais

CONTEÚDOS DE GEOGRAFIA PARA O ENSINO FUNDAMENTAL COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO

CONTEÚDOS DE GEOGRAFIA PARA O ENSINO FUNDAMENTAL COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO DE GEOGRAFIA PARA O ENSINO FUNDAMENTAL COM BASE NOS PARÂMETROS CURRICULARES DO ESTADO DE PERNAMBUCO GOVERNADOR DE PERNAMBUCO João Lyra Neto SECRETÁRIO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES Ricardo Dantas SECRETÁRIA EXECUTIVA

Leia mais

Concentração de serviços (hospitais, escolas, centros de pesquisas, transportes etc.);

Concentração de serviços (hospitais, escolas, centros de pesquisas, transportes etc.); ESPAÇO URBANO E ESPAÇO RURAL O espaço urbano é o espaço das cidades e se caracteriza pelo predomínio das atividades secundárias e te r- ciárias, ou seja, as atividades industriais, comerciais e de serviços.

Leia mais

O PROCESSO DE REESTRUTURAÇÃO PRODUTIVA NO BRASIL E AS MODIFICAÇÕES DA ECONOMIA GOIANA PÓS DÉCADA DE 1960.

O PROCESSO DE REESTRUTURAÇÃO PRODUTIVA NO BRASIL E AS MODIFICAÇÕES DA ECONOMIA GOIANA PÓS DÉCADA DE 1960. O PROCESSO DE REESTRUTURAÇÃO PRODUTIVA NO BRASIL E AS MODIFICAÇÕES DA ECONOMIA GOIANA PÓS DÉCADA DE 1960. Glauber Lopes Xavier 1, 3 ; César Augustus Labre Lemos de Freitas 2, 3. 1 Voluntário Iniciação

Leia mais

Município D 8.902 545 6,12 Município E 231.977 3.544 1,53 Município F 93.655 1.280 1,37

Município D 8.902 545 6,12 Município E 231.977 3.544 1,53 Município F 93.655 1.280 1,37 01 - Os problemas ambientais estão na ordem do dia dos debates científicos, das agendas políticas, da mídia e das relações econômicas. Até muito recentemente, ao se falar de meio ambiente, as instituições

Leia mais

Planejamento Anual. Componente Curricular: GEOGRAFIA Ano: 2º Ano Letivo: 2015. Professor(s): Júlio

Planejamento Anual. Componente Curricular: GEOGRAFIA Ano: 2º Ano Letivo: 2015. Professor(s): Júlio Planejamento Anual Componente Curricular: GEOGRAFIA Ano: 2º Ano Letivo: 2015 Professor(s): Júlio APRESENTAÇÃO: Percebemos ser de fundamental importância que o aluno da 2 Ano do Ensino Fundamental possua

Leia mais

Metodologia. Resultados

Metodologia. Resultados ENCONTRO INTERNACIONAL PARTICIPAÇÃO, DEMOCRACIA E POLÍTICAS PÚBLICAS: APROXIMANDO AGENDAS E AGENTES UNESP SP 23 a 25 de abril de 2013, UNESP, Araraquara (SP) AGENTES SOCIAIS E A PRODUÇÃO DO ESPAÇO URBANO

Leia mais

Eixo Temático ET-04-005 - Gestão Ambiental em Saneamento PROPOSTA DE SANEAMENTO BÁSICO NO MUNICÍPIO DE POMBAL-PB: EM BUSCA DE UMA SAÚDE EQUILIBRADA

Eixo Temático ET-04-005 - Gestão Ambiental em Saneamento PROPOSTA DE SANEAMENTO BÁSICO NO MUNICÍPIO DE POMBAL-PB: EM BUSCA DE UMA SAÚDE EQUILIBRADA 225 Eixo Temático ET-04-005 - Gestão Ambiental em Saneamento PROPOSTA DE SANEAMENTO BÁSICO NO MUNICÍPIO DE POMBAL-PB: EM BUSCA DE UMA SAÚDE EQUILIBRADA Marcos Antônio Lopes do Nascimento¹; Maria Verônica

Leia mais

Aula5 POPULAÇÃO E DEMOGRAFIA NO BRASIL. Debora Barbosa da Silva

Aula5 POPULAÇÃO E DEMOGRAFIA NO BRASIL. Debora Barbosa da Silva Aula5 POPULAÇÃO E DEMOGRAFIA NO BRASIL META Refletir sobre as características da população brasileira como fundamento para a compreensão da organização do território e das políticas de planejamento e desenvolvimento

Leia mais

Urban View. Urban Reports. Fielzão e seu impacto na zona Leste

Urban View. Urban Reports. Fielzão e seu impacto na zona Leste Urban View Urban Reports Fielzão e seu impacto na zona Leste Programa Falando em dinheiro, coluna Minha cidade, meu jeito de morar e investir Rádio Estadão ESPN Itaquera acordou com caminhões e tratores

Leia mais

VESTIBULAR 2013 1ª Fase. GEOGRAFIA Grade de Correção. Instruções Gerais: Instruções para a prova de Geografia:

VESTIBULAR 2013 1ª Fase. GEOGRAFIA Grade de Correção. Instruções Gerais: Instruções para a prova de Geografia: Instruções Gerais: VESTIBULAR 2013 1ª Fase GEOGRAFIA Grade de Correção Hoje você deverá responder às questões de Artes e Questões Contemporâneas, História, Geografia e de Raciocínio Lógico-Matemático.

Leia mais

1 (0,5) Dos 3% de água doce que estão na superfície terrestre, onde estão concentradas as grandes parcelas dessas águas? R:

1 (0,5) Dos 3% de água doce que estão na superfície terrestre, onde estão concentradas as grandes parcelas dessas águas? R: Data: / /2014 Bimestre: 3 Nome: 6 ANO Nº Disciplina: Geografia Professor: Geraldo Valor da Atividade: 2,0 (Dois) Nota: GRUPO 6 1 (0,5) Dos 3% de água doce que estão na superfície terrestre, onde estão

Leia mais

Visita a Cortiços em São Paulo Uma Experiência Didática

Visita a Cortiços em São Paulo Uma Experiência Didática Visita a Cortiços em São Paulo Uma Experiência Didática Valéria Grace Costa ***, Antônio Cláudio Moreira Lima e Moreira, Suzana Pasternak, Maria de Lourdes Zuquim, Simone Cotic Clarissa Souza, Letícia

Leia mais

DINÂMICAS POPULACIONAIS

DINÂMICAS POPULACIONAIS DINÂMICAS POPULACIONAIS Distribuição e Migração Pág. 9-13 DIFERENÇAS NA DISTRIBUIÇÃO POPULACIONAL Áreas Povoadas x Áreas menos povoadas Fatores que influenciam a distribuição humana Fatores naturais Fatores

Leia mais

Condomínios empresariais na Região Metropolitana de Campinas: intencionalidade e fatores locacionais

Condomínios empresariais na Região Metropolitana de Campinas: intencionalidade e fatores locacionais Condomínios empresariais na Região Metropolitana de Campinas: intencionalidade e fatores locacionais Rodolfo Finatti rodolfofinatti@yahoo.com.br FFLCH/USP Palavras-chave: condomínio empresarial, Região

Leia mais

Geografia Por Tabata

Geografia Por Tabata Geografia Por Tabata População População Absoluta: total de habitantes de um dado lugar Ex.: China = maior população cerca 1 bilhão e 300 milhões de habitantes China = país populoso Populoso é o país que

Leia mais

Aluno: Antero Vinicius Portela Firmino Pinto Orientadora: Regina Célia de Mattos. Considerações Iniciais

Aluno: Antero Vinicius Portela Firmino Pinto Orientadora: Regina Célia de Mattos. Considerações Iniciais AS TRANSFORMAÇÕES ESPACIAIS NA ZONA OESTE DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO A PARTIR DOS INVESTIMENTOS EM INFRAESTRUTURA PARA COPA DO MUNDO EM 2014 E AS OLIMPÍADAS DE 2016 Aluno: Antero Vinicius Portela Firmino

Leia mais

Adensamento do tecido urbano e drenagem de águas pluviais Arquiteto Prof. Nestor Goulart Reis

Adensamento do tecido urbano e drenagem de águas pluviais Arquiteto Prof. Nestor Goulart Reis Adensamento do tecido urbano e drenagem de Arquiteto Prof. Nestor Goulart Reis Enchentes, no campo, são problemas naturais. Em áreas urbanas, são problemas sociais Nosso primeiro objetivo: origem dos problemas.

Leia mais

TEMA: POPULAÇÃO JOVEM DE 16 A 24 ANOS

TEMA: POPULAÇÃO JOVEM DE 16 A 24 ANOS Em 5 de agosto de 2013 foi sancionado o Estatuto da Juventude que dispõe sobre os direitos da população jovem (a Cidadania, a Participação Social e Política e a Representação Juvenil, a Educação, a Profissionalização,

Leia mais

PRATICANDO EXERCÍCIOS - 2013. Colégio Santa Clara Prof. Marcos

PRATICANDO EXERCÍCIOS - 2013. Colégio Santa Clara Prof. Marcos PRATICANDO EXERCÍCIOS - 2013 Colégio Santa Clara Prof. Marcos Densidade e crescimento demográfico brasileiro (FUVEST 2011) E este mapa, por que que ele difere dos demais? a) Correlacione as informações

Leia mais

Geografia. Professor: Jonas Rocha

Geografia. Professor: Jonas Rocha Geografia Professor: Jonas Rocha Questões Ambientais Consciência Ambiental Conferências Internacionais Problemas Ambientais Consciência Ambiental Até a década de 1970 o homem acreditava que os recursos

Leia mais

BREVES NOTAS SOBRE O PLANEJAMENTO FÍSICO-TERRITORIAL. Prof. Leandro Cardoso Trabalho Integralizador Multidisciplinar 1 (TIM-1) Engenharia Civil

BREVES NOTAS SOBRE O PLANEJAMENTO FÍSICO-TERRITORIAL. Prof. Leandro Cardoso Trabalho Integralizador Multidisciplinar 1 (TIM-1) Engenharia Civil BREVES NOTAS SOBRE O PLANEJAMENTO FÍSICO-TERRITORIAL Prof. Leandro Cardoso Trabalho Integralizador Multidisciplinar 1 (TIM-1) Engenharia Civil PLANEJAMENTO URBANO O planejamento urbano é o processo de

Leia mais

Dinamização imobiliária no entorno da unidade de conservação Mata de Santa Genebra, Campinas (SP)

Dinamização imobiliária no entorno da unidade de conservação Mata de Santa Genebra, Campinas (SP) Dinamização imobiliária no entorno da unidade de conservação Mata de Santa Genebra, Campinas (SP) Mariana Ferreira Cisotto maricisotto@yahoo.com.br IG/UNICAMP Antonio Carlos Vitte IG/UNICAMP Palavras-chave:

Leia mais

Seminário RMC e os desafios para o século XXI OBSERVATÓRIO DAS METRÓPOLES/UFPR

Seminário RMC e os desafios para o século XXI OBSERVATÓRIO DAS METRÓPOLES/UFPR Seminário RMC e os desafios para o século XXI OBSERVATÓRIO DAS METRÓPOLES/UFPR : mudanças na estrutura produtiva e no mercado de trabalho no período 1991/2010 Paulo Delgado Liana Carleial Curitiba, 17

Leia mais

O MATOPIBA e o desenvolvimento "destrutivista" do Cerrado

O MATOPIBA e o desenvolvimento destrutivista do Cerrado O MATOPIBA e o desenvolvimento "destrutivista" do Cerrado Paulo Rogerio Gonçalves* No dia seis de maio de 2015 o decreto n. 8447 cria o Plano de Desenvolvimento Agropecuário do Matopiba e seu comitê gestor.

Leia mais

Diferenças entre o mundo rural e o urbano.

Diferenças entre o mundo rural e o urbano. Oficina Urbanização Esta oficina tem como objetivo analisar uma das principais características do mundo atual; a vida em cidades. Pretendemos compreender a evolução das cidades na história e como se configuram

Leia mais

www.concursovirtual.com.br

www.concursovirtual.com.br Geografia Professor Marcelo saraiva Principais Temas: Noções básicas de cartografia Natureza e meio ambiente no Brasil As atividades econômicas e a organização do espaço Formação Territorial e Divisão

Leia mais

A CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE SEGREGAÇÃO SOCIOESPACIAL E A PERIFERIZAÇÃO DA MORADIA DAS CAMADAS POPULARES, NA ÁREA CONURBADA DE FLORIANÓPOLIS.

A CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE SEGREGAÇÃO SOCIOESPACIAL E A PERIFERIZAÇÃO DA MORADIA DAS CAMADAS POPULARES, NA ÁREA CONURBADA DE FLORIANÓPOLIS. A CONSOLIDAÇÃO DO PROCESSO DE SEGREGAÇÃO SOCIOESPACIAL E A PERIFERIZAÇÃO DA MORADIA DAS CAMADAS POPULARES, NA ÁREA CONURBADA DE FLORIANÓPOLIS. Eixo Temático: Políticas públicas, demandas sociais e a questão

Leia mais

CORREÇÃO TAREFAS. Aulas 1 4 Pág. 24-31

CORREÇÃO TAREFAS. Aulas 1 4 Pág. 24-31 CORREÇÃO TAREFAS Aulas 1 4 Pág. 24-31 Paginas 24 e 25 1. a) População absoluta é a população total de um determinado local. b) População relativa é a densidade demográfica, ou seja, média de habitantes

Leia mais

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA

MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA MATERIAL DE DIVULGAÇÃO DA EDITORA MODERNA Professor, nós, da Editora Moderna, temos como propósito uma educação de qualidade, que respeita as particularidades de todo o país. Desta maneira, o apoio ao

Leia mais

Lista de Recuperação de Geografia 2013

Lista de Recuperação de Geografia 2013 1 Nome: nº 9ºano Manhã Prof: Francisco Castilho Lista de Recuperação de Geografia 2013 Conteúdo da recuperação: Europa: industrialização e agropecuária, economia dos países europeues, Ásia: divisão regional,

Leia mais

Rio de Janeiro. Tabela 1: Indicadores selecionados: mediana, 1º e 3º quartis nos municípios do estado do Rio de Janeiro (1991, 2000 e 2010)

Rio de Janeiro. Tabela 1: Indicadores selecionados: mediana, 1º e 3º quartis nos municípios do estado do Rio de Janeiro (1991, 2000 e 2010) Rio de Janeiro Em, no estado do Rio de Janeiro (RJ), moravam 16 milhões de pessoas, onde 8,9% (1,4 milhões) tinham 65 ou mais anos de idade. O estado era composto de 92 municípios, dos quais sete (7,6%)

Leia mais

Cityscape Latin America Macroeconomia Brasileira e Mundial versus Real Estate Market

Cityscape Latin America Macroeconomia Brasileira e Mundial versus Real Estate Market Cityscape Latin America Macroeconomia Brasileira e Mundial versus Real Estate Market João Crestana Presidente do Conselho Consul2vo do Secovi- SP, da Comissão Nacional da Indústria Imobiliária e do Conselho

Leia mais

Curso de Gestão de Águas Pluviais

Curso de Gestão de Águas Pluviais Curso de Gestão de Águas Pluviais Capítulo 4 Prof. Carlos E. M. Tucci Prof. Dr. Carlos E. M. Tucci Ministério das Cidades 1 Capítulo 4 Gestão Integrada Conceito Marcos Mundiais, Tendência e Estágio Institucional

Leia mais

01- O que é tempo atmosférico? R.: 02- O que é clima? R.:

01- O que é tempo atmosférico? R.: 02- O que é clima? R.: PROFESSOR: EQUIPE DE GEOGRAFIA BANCO DE QUESTÕES - GEOGRAFIA - 6º ANO - ENSINO FUNDAMENTAL ============================================================================================= TEMPO ATMOSFÉRICO

Leia mais

Entrevista com Edgard Porto (Transcrição) (Tempo Total 26:33)

Entrevista com Edgard Porto (Transcrição) (Tempo Total 26:33) Entrevista com Edgard Porto (Transcrição) (Tempo Total 26:33) Edgard: A idéia [desta entrevista] é a gente comentar dez características da globalização e seus reflexos em Salvador. Meu nome é Edgard Porto,

Leia mais

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Maio 2012 BAIRROS PLANEJADOS UMA REALIDADE NO BRASIL

Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Maio 2012 BAIRROS PLANEJADOS UMA REALIDADE NO BRASIL Texto para Coluna do NRE-POLI na Revista Construção e Mercado Pini Maio 2012 BAIRROS PLANEJADOS UMA REALIDADE NO BRASIL Ivo Szterling, Arquiteto Urbanista Diretor de Urbanismo da Cipasa Desenvolvimento

Leia mais

11.1. INFORMAÇÕES GERAIS

11.1. INFORMAÇÕES GERAIS ASPECTOS 11 SOCIOECONÔMICOS 11.1. INFORMAÇÕES GERAIS O suprimento de energia elétrica tem-se tornado fator indispensável ao bem-estar social e ao crescimento econômico do Brasil. Contudo, é ainda muito

Leia mais

A política urbana de Diadema: AEIS e Plano Diretor

A política urbana de Diadema: AEIS e Plano Diretor A política urbana de Diadema: AEIS e Plano Diretor DÉCADA DE 90 1990 - Criação do FUMAPIS Fundo Municipal de Apoio a Habitacão de Interesse Social que exerce, na prática, o papel de Conselho Municipal

Leia mais

PROPOSTA DE ATIVIDADE

PROPOSTA DE ATIVIDADE PROPOSTA DE ATIVIDADE 1- Título: O Planeta Terra em Alerta, os principais problemas ambientais das grandes metrópoles 2- Autor: Marcia Andréia Veit 3- Aplicativo utilizado: Internet e Impress 4- Disciplina:

Leia mais

2 ASPECTOS DEMOGRÁFICOS

2 ASPECTOS DEMOGRÁFICOS 2 ASPECTOS DEMOGRÁFICOS Neste capítulo se pretende avaliar os movimentos demográficos no município de Ijuí, ao longo do tempo. Os dados que fomentam a análise são dos censos demográficos, no período 1920-2000,

Leia mais

DATA: VALOR: 20 PONTOS NOME COMPLETO:

DATA: VALOR: 20 PONTOS NOME COMPLETO: DISCIPLINA: Geografia PROFESSOR(A): Rodrigo/Saulo DATA: VALOR: 20 PONTOS NOTA: NOME COMPLETO: ASSUNTO: TRABALHO DE RECUPERAÇÃO FINAL SÉRIE: 2ªEM TURMA: Nº: 01. RELAÇÃO DO CONTEÚDO Demografia (Transição

Leia mais

TEMAS SOCIAIS O UTUBRO DE 2000 CONJUNTURA ECONÔMICA 28

TEMAS SOCIAIS O UTUBRO DE 2000 CONJUNTURA ECONÔMICA 28 O UTUBRO DE 2000 CONJUNTURA ECONÔMICA 28 TEMAS SOCIAIS Diferentes histórias, diferentes cidades A evolução social brasileira entre 1996 e 1999 não comporta apenas uma mas muitas histórias. O enredo de

Leia mais

SITUAÇÃO DO SANEAMENTO BÁSICO DO BAIRRO KIDÉ, JUAZEIRO/BA: UM ESTUDO DE CASO NO ÂMBITO DO PET CONEXÕES DE SABERES SANEAMENTO AMBIENTAL

SITUAÇÃO DO SANEAMENTO BÁSICO DO BAIRRO KIDÉ, JUAZEIRO/BA: UM ESTUDO DE CASO NO ÂMBITO DO PET CONEXÕES DE SABERES SANEAMENTO AMBIENTAL SITUAÇÃO DO SANEAMENTO BÁSICO DO BAIRRO KIDÉ, JUAZEIRO/BA: UM ESTUDO DE CASO NO ÂMBITO DO PET CONEXÕES DE SABERES SANEAMENTO AMBIENTAL Juliana Maria Medrado de Melo (1) Graduanda em Engenharia Agrícola

Leia mais

os projetos de urbanização de favelas 221

os projetos de urbanização de favelas 221 5.15 Favela Jardim Floresta. Vielas e padrão de construção existente. 5.16 Favela Jardim Floresta. Plano geral de urbanização e paisagismo. 5.17 Favela Jardim Floresta. Seção transversal. 5.18 Favela Jardim

Leia mais

GRUPO DE TRABALHO DE INFRAESTRUTURA E MOBILIDADE URBANA

GRUPO DE TRABALHO DE INFRAESTRUTURA E MOBILIDADE URBANA DESENVOLVIMENTO DE LAY-OUT DE PROPOSTA ALTERNATIVA PARA O SISTEMA G DE TRANSPORTE PÚBLICO MULTIMODAL PARA A REGIÃO METROPOLITANA DA GRANDE VITÓRIA GRUPO DE TRABALHO DE INFRAESTRUTURA E MOBILIDADE URBANA

Leia mais

UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ POLÍTICA E SOCIEDADE NO BRASIL CONTEMPORÂNEO A DINAMICA POPULACIONAL A PARTIR DA DECADA DE 1960 NO BRASIL

UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ POLÍTICA E SOCIEDADE NO BRASIL CONTEMPORÂNEO A DINAMICA POPULACIONAL A PARTIR DA DECADA DE 1960 NO BRASIL UNIVERSIDADE DE TAUBATÉ POLÍTICA E SOCIEDADE NO BRASIL CONTEMPORÂNEO A DINAMICA POPULACIONAL A PARTIR DA DECADA DE 1960 NO BRASIL Thaís Schmidt Salgado Vaz de Castro thaissalgado@hotmail.com; Felipe José

Leia mais

EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO INSTRUMENTO DE PRESERVAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO MACHADO

EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO INSTRUMENTO DE PRESERVAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO MACHADO EDUCAÇÃO AMBIENTAL COMO INSTRUMENTO DE PRESERVAÇÃO DA BACIA HIDROGRÁFICA DO RIO MACHADO FÁBIO VIEIRA MARTINS Pós-graduando em Educação Ambiental e Recursos Hídricos CRHEA/USP fabio.vieirageo@hotmail.com

Leia mais

ZONAS ESPECIAIS DE INTERESSE SOCIAL E MEIO AMBIENTE: O CASO DE BRASÍLIA TEIMOSA

ZONAS ESPECIAIS DE INTERESSE SOCIAL E MEIO AMBIENTE: O CASO DE BRASÍLIA TEIMOSA Belo Horizonte/MG 24 a 27/11/2014 ZONAS ESPECIAIS DE INTERESSE SOCIAL E MEIO AMBIENTE: O CASO DE BRASÍLIA TEIMOSA Tatiana Cavalcanti Fonseca*, Elizabeth Amaral Pastich, Hélida Karla Philippini da Silva

Leia mais

LEVANTAMENTO DEMOGRÁFICO E ESTUDO DA QUALIDADE DE VIDA COMO SUBSIDIO A GESTÃO TERRITORIAL EM FRANCISCO BELTRÃO ESTADO DO PARANÁ BRASIL

LEVANTAMENTO DEMOGRÁFICO E ESTUDO DA QUALIDADE DE VIDA COMO SUBSIDIO A GESTÃO TERRITORIAL EM FRANCISCO BELTRÃO ESTADO DO PARANÁ BRASIL LEVANTAMENTO DEMOGRÁFICO E ESTUDO DA QUALIDADE DE VIDA COMO SUBSIDIO A GESTÃO TERRITORIAL EM FRANCISCO BELTRÃO ESTADO DO PARANÁ BRASIL José Francisco de Gois 1 Vera Lúcia dos Santos 2 A presente pesquisa

Leia mais

III Conferência Municipal de Política Urbana ESTUDOS URBANOS Transformações recentes na estrutura urbana

III Conferência Municipal de Política Urbana ESTUDOS URBANOS Transformações recentes na estrutura urbana III Conferência Municipal de Política Urbana ESTUDOS URBANOS Transformações recentes na estrutura urbana PBH/SMURBE Núcleo de Planejamento Urbano da Secretaria Municipal de Políticas Urbanas de Belo Horizonte

Leia mais

Prova 3 Geografia QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE GEOGRAFIA. QUESTÕES OBJETIVAS GABARITO 3

Prova 3 Geografia QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE GEOGRAFIA. QUESTÕES OBJETIVAS GABARITO 3 Prova 3 QUESTÕES OBJETIVAS QUESTÕES APLICADAS A TODOS OS CANDIDATOS QUE REALIZARAM A PROVA ESPECÍFICA DE GEOGRAFIA. UEM Comissão Central do Vestibular Unificado GEOGRAFIA 01 Sobre as rochas que compõem

Leia mais

Revisão para prova de recuperação sétimo ano - geografia

Revisão para prova de recuperação sétimo ano - geografia Revisão para prova de recuperação sétimo ano - geografia 1- Assinale qual dos princípios a seguir não representa as premissas da teoria malthusiana: a) utilização de métodos contraceptivos para controle

Leia mais

Parcelamento do Solo. Projeto de Loteamentos

Parcelamento do Solo. Projeto de Loteamentos Introdução Parcelamento do Solo Projeto de Loteamentos Prof. Mário Barreiros O parcelamento e a estruturação da cidade O parcelamento do solo é o principal instrumento de estruturação do espaço urbano

Leia mais

Grandes Problemas Ambientais

Grandes Problemas Ambientais Grandes Problemas Ambientais O aumento do efeito de estufa; O aquecimento global; A Antárctica; A desflorestação; A Amazónia; A destruição da camada de ozono; As chuvas ácidas; O clima urbano; Os resíduos

Leia mais

VERTICALIZAÇÃO E CUSTO DA TERRA: TENDÊNCIAS DE EXPANSÃO DA CIDADE DE CURITIBA

VERTICALIZAÇÃO E CUSTO DA TERRA: TENDÊNCIAS DE EXPANSÃO DA CIDADE DE CURITIBA VERTICALIZAÇÃO E CUSTO DA TERRA: TENDÊNCIAS DE EXPANSÃO DA CIDADE DE CURITIBA Gislene Pereira Universidade Federal do Paraná (UFPR) gislenepereira42@gmail.com Bruna Gregorini Universidade Federal do Paraná

Leia mais