MANUAL DO PATROCINADOR

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "MANUAL DO PATROCINADOR"

Transcrição

1 MANUAL DO PATROCINADOR

2 Sumário 1. INTRODUÇÃO INÍCIO DAS ATIVIDADES DA Funpresp-Jud... 4 I. INÍCIO DO NOVO REGIME... 4 II. OBRIGAÇÕES DOS ÓRGÃOS PATROCINADORES... 5 III. PROCEDIMENTOS PARA ABORDAGEM DOS SERVIDORES CADASTRO... 7 I. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL... 7 II. OFERTA DO PLANO... 8 III. ADESÃO AO PLANO... 9 A. Participante Patrocinado... 9 B. Participante Vinculado C. Regime de Tributação IV. ALTERAÇÃO/ATUALIZAÇÃO DE DADOS V. ALTERAÇÃO DO PERCENTUAL OU BASE DE CONTRIBUIÇÃO VI. SERVIDOR AFASTADO, CEDIDO OU LICENCIADO VII. VACÂNCIA DE SERVIDOR VIII. PERDA DA CONDIÇÃO DE SERVIDOR IX. CANCELAMENTO DE INSCRIÇÃO NO PLANO CONTRIBUIÇÕES I. BASE DE CONTRIBUIÇÃO E REMUNERAÇÃO DE PARTICIPAÇÃO A. Participante patrocinado B. Participante vinculado II. CONTRIBUIÇÃO NORMAL A. Do Participante Patrocinado Tabela 1 Distribuição dos Recursos Arrecadados B. Do Participante Vinculado III. CONTRIBUIÇÃO SOBRE A GRATIFICAÇÃO NATALINA IV. CONTRIBUIÇÃO FACULTATIVA V. ACRÉSCIMOS LEGAIS A. O que são acréscimos legais B. Como calcular a multa de mora (acréscimos legais) C. Como calcular juros de mora (acréscimos legais) VI. REPASSE DAS CONTRIBUIÇÕES A. Conta para repasse B. Prazo para repasse C. Relatório de Repasses VII. DEVOLUÇÃO DE CONTRIBUIÇÕES INFORMAÇÕES EM ARQUIVO TEXTO... 26

3 1. INTRODUÇÃO As orientações presentes neste documento são destinadas aos servidores do Setor de Pessoal e Pagamento dos órgãos patrocinadores do PLANO DE BENEFÍCIOS DO JUDICIÁRIO DA UNIÃO, do MINISTÉRIO PÚBLICO DA UNIÃO e DO CONSELHO NACIONAL DO MINISTÉRIO PÚBLICO, doravante designado JUSMP-Prev ou PLANO, e têm por objetivo padronizar as atividades operacionais de implantação, controle e manutenção do PLANO. A colaboração do patrocinador é de fundamental importância, em especial quanto à qualidade das informações a serem repassadas à Funpresp-Jud e à correta orientação aos servidores em relação aos direitos e deveres propiciados pelo PLANO de que são participantes, sendo este manual uma importante fonte de consulta para a melhor condução dos serviços. Eventuais situações que possam suscitar dúvidas e que não estejam contempladas nas presentes orientações poderão ser esclarecidas diretamente junto à Funpresp-Jud: TELEFONE: (61) Endereço: SCN Quadra 04 bloco "C" 3 º andar Brasília (DF) - CEP:

4 2. INÍCIO DAS ATIVIDADES DA Funpresp-Jud A Superintendência Nacional de Previdência Complementar PREVIC aprovou o Plano de Benefícios do Judiciário da União, do Ministério Público da União e do Conselho Nacional do Ministério Público e Convênio de Adesão celebrado pelo Supremo Tribunal Federal, em nome dos demais órgãos do Poder Judiciário da União, nos termos do art. 4º da Resolução-STF nº 496, de 2012; bem como o Convênio de Adesão, celebrado pelo Procurador-Geral da República, em nome dos órgãos do Ministério Público da União e do Conselho Nacional do Ministério Público (Portaria nº 559, de 11/10/2013 DOU I, pág. 36, de 14/10/2013). Com vistas a orientar a atuação das áreas de gestão de pessoas dos órgãos patrocinadores da Funpresp-Jud quanto ao regime de Previdência Complementar, prestamos os esclarecimentos que se seguem. I. INÍCIO DO NOVO REGIME A partir do dia 14/10/2013, todo servidor, membro do Poder Judiciário, do Ministério Público da União ou do Conselho Nacional do Ministério Público, que ingressar nos respectivos órgãos e que não esteja amparado pelas regras de aposentadoria de paridade/integralidade (ingresso no serviço público até 31/12/2003) ou de média salarial (ingresso no serviço público entre 1º/1/2004 e 13/10/2013), terá como limite máximo o teto do Regime Geral de Previdência Social RGPS para as aposentadorias e as pensões. Os servidores ou membros do Poder Judiciário, do Ministério Público da União ou do Conselho Nacional do Ministério Público submetidos ao teto do RGPS deverão ter tratamento prioritário no que diz respeito à nova modalidade de aposentadoria. Embora sua adesão seja facultativa, há o incentivo na adesão em face da contrapartida da contribuição da União, paritária até o percentual de 8,5%, conforme disposto no regulamento do PLANO.

5 II. OBRIGAÇÕES DOS ÓRGÃOS PATROCINADORES Nos termos do Convênio de Adesão celebrado entre os patrocinadores do PLANO e a Funpresp-Jud, competem aos órgãos do Poder Judiciário, do Ministério Público da União e do Conselho Nacional do Ministério Público, na condição de PATROCINADORES, as seguintes obrigações: a) cumprir e fazer cumprir as disposições legais, regulatórias, do Estatuto da Funpresp-Jud, do Regulamento do Plano de Benefícios e do Plano de Custeio, acompanhado da Nota Técnica Atuarial, assumindo os deveres e responsabilidades que lhe são atribuídos por essas disposições e pelo Convênio de Adesão; b) divulgar e oferecer o PLANO aos seus membros e servidores titulares de cargo efetivo; c) receber e encaminhar à Funpresp-Jud os formulários de inscrição dos interessados, bem como os requerimentos, os formulários e os termos previstos no Regulamento; d) descontar as contribuições incidentes sobre o subsídio e sobre a remuneração de seus membros e servidores participantes e repassar essas contribuições e as que sejam de sua própria responsabilidade Funpresp-Jud, bem como as demais prestações que lhe couberem, arcando com os encargos que lhe competirem por atraso nesse repasse, conforme a legislação, as disposições regulatórias, o Estatuto, o Regulamento do PLANO, e respectivo Plano de Custeio; e) fornecer à Funpresp-Jud, sempre que necessário, arquivo em leiaute previamente definido, com os dados cadastrais e/ou financeiros de seus membros, servidores e respectivos dependentes, inscritos no PLANO, assim como, de imediato, as alterações funcionais e de remuneração que ocorrerem; f) fornecer à Funpresp-Jud, quando solicitado, arquivo em leiaute previamente definido, com os dados cadastrais e/ou financeiros de seus membros, servidores e respectivos dependentes, que não participem do PLANO; g) fornecer à Funpresp-Jud, em tempo hábil, as informações e dados requeridos, bem como a documentação legalmente exigida, na forma acordada entre as partes ou definida pelas autoridades competentes; h) comunicar à Funpresp-Jud a cessação do vínculo efetivo do membro ou servidor, se participante do PLANO. III. PROCEDIMENTOS PARA ABORDAGEM DOS SERVIDORES Compete às áreas de gestão de pessoas dos órgãos patrocinadores: a) dar ciência e oferecer a inscrição no PLANO aos servidores titulares de cargo efetivo e aos membros do Poder Judiciário, do Ministério Público da União e do Conselho

6 Nacional do Ministério Público, conforme previsto no art. 16 da Lei Complementar 109, de 29 de maio de 2001; b) orientar os servidores e membros do Poder Judiciário, do Ministério Público da União e do Conselho Nacional do Ministério Público e esclarecer as suas dúvidas em relação ao regime de previdência complementar instituído pela Lei , de 2012, e ao PLANO; c) classificar os servidores e membros do Poder Judiciário, do Ministério Público da União e do Conselho Nacional do Ministério Público que aderir ao PLANO nas modalidades de participante previstas no Regulamento do PLANO; d) receber e encaminhar à Funpresp-Jud os formulários de inscrição dos servidores e membros do Poder Judiciário, do Ministério Público da União e do Conselho Nacional do Ministério Público que optarem por aderir ao PLANO, assim como os demais termos e formulários previstos no Regulamento do PLANO; e) acompanhar o desconto das contribuições devidas do Poder Judiciário, do Ministério Público da União e do Conselho Nacional do Ministério Público e transferi-las à Funpresp-Jud, conforme previsto no Regulamento do PLANO; f) repassar à Funpresp-Jud as contribuições devidas pelo órgão, conforme previsto no Regulamento do PLANO; g) comunicar à Funpresp-Jud, no prazo de 5 (cinco) dias, contados da data da ocorrência do fato, os afastamentos e as licenças sem direito à remuneração, bem como a perda da condição de servidor público ou membro do Poder Judiciário ou do Ministério Público da União, dos que estejam filiados ao PLANO; h) fornecer as demais informações solicitadas pela Funpresp-Jud.

7 3. CADASTRO A legislação previdenciária estabelece orientações e procedimentos a serem adotados pelas entidades fechadas de previdência complementar para criar e manter a sua própria base de dados cadastrais de forma atualizada, confiável, segura e segregada por plano. A fim de implantar ações que visem à eficiente manutenção, confiabilidade e controle dos dados cadastrais dos participantes, a Funpresp-Jud desenvolveu formulários que deverão ser preenchidos e assinados pelo participante e pela unidade de gestão de pessoas, conforme a ocorrência, em 3 vias. A primeira via (Original) deverá ser enviada à Funpresp-Jud, a segunda via deverá ser entregue ao participante e a terceira via arquivada na pasta funcional do servidor. Para um cadastro ágil e atualizado é fundamental que as alterações cadastrais sejam informadas com brevidade. Dessa forma, solicitamos que a comunicação à Funpresp-Jud seja realizada no prazo de 5 (cinco) dias, contados da data da ocorrência do fato. Periodicamente a Funpresp-Jud realizará campanhas de atualização cadastral dos participantes do PLANO, sem prejuízo de atualizações circunstanciais, de modo a assegurar constante fidedignidade das informações. I. FUNDAMENTAÇÃO LEGAL LEI COMPLEMENTAR 109, DE 29 DE MAIO DE LEI COMPLEMENTAR 108, DE 29 DE MAIO DE LEI 9.613, DE 3 DE MARÇO DE LEI , DE 18 DE JUNHO DE Lei , de 29 de dezembro de LEI , DE 30 DE ABRIL DE RESOLUÇÃO MPS/CGPC 6, DE 30 DE OUTUBRO DE RESOLUÇÃO CGPC 13, DE 1º DE OUTUBRO DE RESOLUÇÃO CGPC 23, DE 6 DE DEZEMBRO DE RESOLUÇÃO 496, DE 26 DE OUTUBRO DE REGULAMENTO DO PLANO JUSMP-Prev. INSTRUÇÃO MPS/SPC 18, DE 9 DE NOVEMBRO DE 2007.

8 INSTRUÇÃO MPS/SPC 26, DE 1º DE SETEMBRO DE INSTRUÇÃO MPS/PREVIC 2, DE 28 DE MAIO DE INSTRUÇÃO 2, DE 28 DE MAIO DE II. OFERTA DO PLANO A unidade de gestão de pessoas deverá dar ciência e oferecer a inscrição ao PLANO aos servidores titulares de cargos efetivos ou aos membros do Poder Judiciário, do Ministério Público da União ou do Conselho Nacional do Ministério Público, conforme previsto no art. 16 da Lei Complementar 109, de 29 de maio de PROCEDIMENTO: I. Orientar e esclarecer as dúvidas dos servidores nomeados para investidura em cargo efetivo ou cargo de membro na magistratura ou no Ministério Público. II. Os novos servidores deverão tomar ciência, no momento da posse, da existência do PLANO, por meio do Termo de Oferta, que será entregue ao candidato juntamente com os demais documentos exigidos para a posse. III. Entregar aos novos servidores o formulário Termo de oferta (anexo 1), que deverá ser preenchido e assinado em 3 vias, com letra legível e sem rasuras os formulários disponibilizados pela Funpresp- Jud possuem campos editáveis que poderão ser digitados no próprio documento em PDF. IV. A unidade de gestão de pessoas deverá acolher a ficha, conferir o preenchimento, carimbar e assinar o documento. V. Havendo recusa do servidor público do Poder Judiciário, do Ministério Público da União ou do Conselho Nacional do Ministério Público em preencher e assinar o termo de oferta, a unidade de gestão de pessoas deverá registrar essa recusa no campo Testemunha, do formulário termo de Oferta, com a assinatura de pelos menos dois servidores públicos da unidade, cabendo a cada via a seguinte destinação: 1ª via (Original): Funpresp-Jud; 2º via: patrocinador a ser arquivada na pasta funcional do servidor. VI. VII. O servidor que optar por aderir ao PLANO deverá preencher e assinar a Ficha de Inscrição (anexo 2), em conjunto com a respectiva unidade de gestão de pessoas, ficando dispensado o preenchimento do termo de oferta. Distribuir as vias da seguinte maneira: 1ª via (Original): Funpresp-Jud; 2ª via: participante;

9 3ª via: patrocinador a ser arquivada na pasta funcional do servidor. VIII. III. Os documentos devem ser enviados à Funpresp-Jud conforme modelo de encaminhamento proposto pela entidade, anexo 3. ADESÃO AO PLANO A. Participante Patrocinado 1. Adesão ao PLANO para quem ingressou até 13/10/2013. Os servidores e membros do Poder Judiciário, do Ministério Público da União ou do Conselho Nacional do Ministério Público amparados pelas regras de aposentadoria que asseguram a paridade (ingresso no serviço público até 31/12/2003) ou a média salarial (ingresso no serviço público entre 1º/1/2004 e 13/10/2013) poderão fazer a opção pelo novo regime de previdência, conforme previsto no 16 do art. 40 da Constituição Federal, o que implicará na renúncia às regras de aposentadoria até então vigentes. Nessa hipótese, farão jus ao benefício especial, previsto no art. 3º da Lei , de 2012, para compensar o tempo de contribuição cumprido no regime anterior. Como o prazo de opção referido no parágrafo anterior é de 24 (vinte e quatro) meses, contados de 14/10/2013, data do início da vigência do regime de previdência complementar para os servidores e membros do Poder Judiciário, do Ministério Público da União ou do Conselho Nacional do Ministério Público ( 7º do art. 3º da Lei , de 2012), em breve serão emitidas orientações quanto aos procedimentos que deverão ser adotados em relação aos que preferirem essa opção. É importante ressaltar que não há prejuízo decorrente da não adesão imediata ao Plano de Benefícios, uma vez que o período em que o interessado deixar de acumular recursos na Funpresp-Jud será compensado pela elevação do valor do benefício especial, que considera o tempo de contribuição cumprido no regime anterior. 2. Servidores ou membros do Poder Judiciário, do Ministério Público da União ou do Conselho Nacional do Ministério Público União que ingressarem nos respectivos órgãos e que não estejam amparados pelas regras de aposentadoria de paridade/integralidade. A partir do dia 14/10/2013, todo servidor, membro do Poder Judiciário, do Ministério Público da União ou do Conselho Nacional do Ministério Público que ingressar nos respectivos órgãos e que não esteja amparado pelas regras de aposentadoria de paridade/integralidade (ingresso no serviço público até 31/12/2003) ou de média salarial (ingresso no serviço público entre 1º/1/2004 e 13/10/2013), estará sujeito ao teto do Regime Geral de Previdência Social RGPS.

10 Tratando-se de servidor ou membro do Poder Judiciário, do Ministério Público da União ou do Conselho Nacional do Ministério Público que ingressou ou reingressou no serviço público a partir de 14/10/2013, sua contribuição para o Regime Próprio de Previdência Social RPPS estará limitada ao teto de benefícios do RGPS. Os servidores ou membros do Poder Judiciário ou do Ministério Público da União, submetidos ao teto do RGPS, deverão ter tratamento prioritário no que diz respeito à nova modalidade de aposentadoria. Embora sua adesão seja facultativa, há o incentivo na adesão em face da contrapartida da contribuição da União, paritária até o percentual de 8,5%, conforme disposto no PLANO. B. Participante Vinculado Os servidores e membros do Poder Judiciário, do Ministério Público da União ou do Conselho Nacional do Ministério Público amparados pelas regras de aposentadoria que asseguram a paridade (ingresso no serviço público até 31/12/2003) ou a média salarial (ingresso no serviço público entre 1º/1/2004 e 13/10/2013) poderão aderir ao PLANO na condição de participante vinculado, sem renunciar ao regime de previdência no qual se encontra. Nessa hipótese não terão direito à contribuição patronal. PROCEDIMENTO: I. Entregar ao servidor que deseja se inscrever no PLANO: Estatuto da Funpresp-Jud (Anexo 4). Regulamento do PLANO (Anexo 5). Manual do participante (Anexo 6). A Ficha de Inscrição (anexo 3), que deverá ser preenchida e assinada em 3 vias, com letra legível e sem rasuras os formulários disponibilizados pela Funpresp-Jud possuem campos editáveis que poderão ser digitados no próprio documento em PDF. Observações quanto ao preenchimento da Ficha de Inscrição: 1. A inscrição do participante se iniciará a partir do protocolo da ficha de inscrição no órgão. Dessa forma, o recolhimento das contribuições deverá se iniciar no mês de inscrição, mesmo que seja proporcional aos dias trabalhados (vide item 4 Contribuições deste documento). 2. Caso o participante assinale, na Ficha de Inscrição, o campo Pessoa Politicamente Exposta, ele deverá, obrigatoriamente, preencher o Termo Especial de Cadastro Pessoa Politicamente Exposta (anexo 7).

11 II. O órgão deverá acolher as Fichas de Inscrição, conferir o preenchimento, carimbar e assinar o documento. III. Distribuir as vias da seguinte maneira: 1ª via (Original): Funpresp-Jud; 2ª via: participante; 3ª via: patrocinador a ser arquivada na pasta funcional do servidor. IV. Os documentos devem ser enviados a Funpresp-Jud conforme modelo de encaminhamento disponibilizado pela entidade (anexo 3). V. A unidade de gestão de pessoas deverá criar rubricas, em conjunto com a equipe de TI do órgão, e associá-las à folha de pagamento do novo participante, para que sejam descontadas, mensalmente, as contribuições de responsabilidade do participante e, em se tratando de participante patrocinado, a contrapartida do órgão. VI. A unidade de gestão de pessoas deverá enviar, mensalmente, Arquivo Texto contendo os dados cadastrais e financeiros, conforme discriminado no item 5 Informações em Arquivo Texto. C. Regime de Tributação O servidor público que aderir ao PLANO deverá escolher o regime de tributação do Imposto de Renda, progressivo ou regressivo. A opção poderá ser exercida no ato de adesão ao PLANO, por meio de opção expressa na Ficha de Inscrição ou até o último dia útil do mês subsequente ao da adesão, por meio do Formulário de opção pelo regime de tributação, (anexo 8). Caso o participante não realize a opção pelo regime de tributação, ele será automaticamente vinculado ao regime progressivo, conforme previsto no 6º do art. 1º da Lei , de 29 de dezembro de A opção pelo regime de tributação é IRRETRATÁVEL! IV. ALTERAÇÃO/ATUALIZAÇÃO DE DADOS A qualquer momento o participante poderá solicitar a atualização ou alteração de seus dados pessoais. Periodicamente, a Funpresp-Jud realizará campanhas de recadastramento dos participantes, solicitando auxílio dos patrocinadores para divulgação, distribuição dos formulários e remessa aos participantes e, ao final do prazo de recadastramento, envio dos formulários à Funpresp-Jud. PROCEDIMENTO:

12 I. Entregar ao participante interessado ou designado pelo Funpresp-Jud: a Ficha Alteração de Dados (anexo 9), que deverá ser preenchida em 3 vias, com letra legível e sem rasuras, preenchendo todos os campos do formulário os formulários disponibilizados pela Funpresp-Jud possuem campos editáveis que poderão ser digitados no próprio documento em PDF. II. A unidade de gestão de pessoas deverá acolher a ficha, conferir o preenchimento, carimbar e assinar o documento. III. Os documentos devem ser enviados a Funpresp-Jud conforme modelo de encaminhamento proposto pela entidade. (anexo 3). IV. Distribuir as vias da seguinte maneira: 1ª via (Original): Funpresp-Jud; 2ª via: participante; 3ª via: patrocinador a ser arquivada na pasta funcional do servidor. V. A unidade de gestão de pessoas deverá enviar, mensalmente, Arquivo Texto contendo os dados cadastrais e respectivas alterações, conforme discriminado no item 5 Informações em Arquivo Texto. V. ALTERAÇÃO DO PERCENTUAL OU BASE DE CONTRIBUIÇÃO O participante poderá realizar a alteração da alíquota de contribuição no mês de novembro de cada ano, passando a vigorar a partir do mês de janeiro do ano subsequente. A inclusão na base de contribuição de parcelas remuneratórias percebidas em decorrência do local de trabalho e do exercício de cargo em comissão ou função de confiança poderá ocorrer sempre que houver solicitação por parte do participante e terá efeito a partir da data do protocolo na unidade competente do patrocinador. A alíquota escolhida pelo participante patrocinado, para contribuição normal, não poderá ser inferior a 6,5% e superior a 8,5%, observando o intervalo de 0,5%. O percentual do patrocinador será igual ao do respectivo participante, e não poderá exceder o percentual de 8,5% (oito vírgula cinco por cento) sobre a remuneração de participação. Para o participante vinculado, a contribuição vinculada não poderá ser inferior a 6,5% e superior a 22%, observando o intervalo de 0,5%, sobre a remuneração de participação. PROCEDIMENTO: I. Entregar ao participante interessado a Ficha de Alteração do Percentual de Contribuição ou Base de Contribuição (anexo 10), que deverá ser preenchida em 3 vias, com letra legível e sem rasuras,

13 preenchendo todos os campos do formulário os formulários disponibilizados pela Funpresp-Jud possuem campos editáveis que poderão ser digitados no próprio documento em PDF. II. A unidade de gestão de pessoas deverá acolher a ficha, conferir o preenchimento, carimbar e assinar o documento. III. Os documentos devem ser enviados à Funpresp-Jud conforme modelo de encaminhamento disponibilizado pela entidade (anexo 4). IV. Distribuir as vias da seguinte maneira: 1ª via (Original): Funpresp-Jud; 2ª via: participante; 3ª via: patrocinador a ser arquivada na pasta funcional do servidor. V. A unidade de gestão de pessoas deverá criar rubricas, em conjunto com a equipe de TI do órgão, e associá-las à folha de pagamento do novo participante, para que sejam descontadas, mensalmente, as contribuições de responsabilidade do participante e, em se tratando de participante patrocinado, a contrapartida do órgão, considerando as novas bases solicitadas pelo participante. VI. A unidade de gestão de pessoas deverá enviar, mensalmente, Arquivo Texto contendo os dados cadastrais e financeiros, conforme discriminado no item 5 Informações em Arquivo Texto. VI. SERVIDOR AFASTADO, CEDIDO OU LICENCIADO O participante patrocinado ou vinculado cedido a outro órgão ou entidade da administração pública direta ou indireta da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios, inclusive suas empresas públicas e sociedades de economia mista, com ônus para o patrocinador, permanecerá filiado ao PLANO, mantendo-se inalterada a responsabilidade do patrocinador pelo desconto e repasse das contribuições do participante e, no caso de participante patrocinado, também das contribuições do patrocinador. Quando a cessão se der sem ônus para o patrocinador, o órgão adotará as medidas necessárias para ser ressarcido pelo cessionário e para que o cessionário efetue os descontos das contribuições do participante incidentes sobre a sua respectiva remuneração de participação. O participante patrocinado ou vinculado que se afastar ou licenciar do cargo efetivo, sem a respectiva remuneração, permanecerá filiado ao PLANO, tornando-se participante autopatrocinado. O recolhimento passará a ser realizado via transferência bancária, DOC Documento de Ordem de Crédito ou TED Transferência Eletrônica Disponível, em nome da Funpresp-Jud.

14 A opção pelo autopatrocínio poderá ser solicitada tanto para o participante patrocinado quanto para o participante vinculado, e poderá decorrer das seguintes perdas: I - Parcial da base de contribuição o participante assumirá a parte de sua contribuição e a do patrocinador, se for o caso, calculada sobre a diferença entre a remuneração de participação observada no mês anterior ao da referida perda e a nova remuneração de participação. II - Total da base de contribuição com manutenção de vínculo efetivo com o patrocinador o participante assumirá a totalidade de sua contribuição e a do patrocinador, se for o caso. PROCEDIMENTO: VII. I. Comunicar a Funpresp-Jud, no prazo de 5 (cinco) dias, contados da data da ocorrência do fato, II. III. IV. os afastamentos e licenças sem direito à remuneração de servidor público ou membro que estejam filiados ao PLANO. Entregar ao participante interessado em manter o valor das contribuições o Formulário de Autopatrocínio Sem perda do vínculo (anexo 11), que deverá ser preenchida em 3 vias, com letra legível e sem rasuras, preenchendo todos os campos do formulário os formulários disponibilizados pela Funpresp-Jud possuem campos editáveis que poderão ser digitados no próprio documento em PDF. a. O participante também poderá solicitar o cancelamento do autopatrocínio pelo mesmo formulário. A unidade de gestão de pessoas deverá acolher a ficha, conferir o preenchimento, carimbar e assinar o documento. Os documentos devem ser enviados a Funpresp-Jud conforme modelo de encaminhamento proposto pela entidade (anexo 3). V. Distribuir as vias da seguinte maneira: VI. 1ª via (Original): Funpresp-Jud; 2ª via: participante; 3ª via: patrocinador a ser arquivada na pasta funcional do servidor. A unidade de gestão de pessoas deverá enviar, mensalmente, Arquivo Texto contendo os dados cadastrais e financeiros, conforme discriminado no item 5 Informações em Arquivo Texto. VACÂNCIA DE SERVIDOR O servidor que mudar de órgão patrocinador, sem quebra do vínculo, ou seja, por vacância, redistribuição ou reforma administrativa, e tomar posse em outro órgão, que seja patrocinador do JUSMP-

15 Prev, não precisará fazer nova adesão ao PLANO. O servidor deverá preencher a Ficha de Alteração de patrocinador e encaminhar o documento ao novo órgão a que ele será vinculado. PROCEDIMENTO: I. Comunicar a Funpresp-Jud, no prazo de 5 (cinco) dias, contados da data da ocorrência da cessação do vínculo do servidor com o órgão. II. Orientar o servidor a preencher e assinar a Ficha de Alteração de patrocinador (Anexo 12) e encaminhar o documento ao novo órgão a que o servidor estará vinculado. III. No novo órgão do servidor, a unidade de gestão de pessoas deverá acolher a ficha, conferir o preenchimento, carimbar e assinar o documento. IV. Os documentos devem ser enviados a Funpresp-Jud conforme modelo de encaminhamento disponibilizado pela entidade (anexo 3). V. Distribuir as vias da seguinte maneira: 1ª via (Original): Funpresp-Jud; 2ª via: participante; 3ª via: patrocinador a ser arquivada na pasta funcional do servidor. VI. A unidade de gestão de pessoas do novo órgão do servidor ou membro deverá criar rubricas, em conjunto com a equipe de TI do órgão, e associá-las à folha de pagamento do novo participante, para que sejam descontadas, mensalmente, as contribuições de responsabilidade do participante e, em se tratando de participante patrocinado, a contrapartida do órgão, considerando as novas bases solicitadas pelo participante. VII. A unidade de gestão de pessoas do novo órgão do servidor ou membro deverá enviar, mensalmente, Arquivo Texto contendo os dados cadastrais e financeiros, conforme discriminado no item 5 Informações em Arquivo Texto. VIII. PERDA DA CONDIÇÃO DE SERVIDOR Com o objetivo de assegurar ao participante, que tenha cessado o vínculo efetivo com o patrocinador, a liberdade de permanecer no PLANO, a legislação de previdência complementar assegura algumas prerrogativas, chamadas de Institutos. Dentre essas prerrogativas estão as possibilidades de o participante permanecer no PLANO (Autopatrocínio ou Benefício Proporcional Diferido), sacar os recursos da sua poupança previdenciária (Resgate) ou transferir os recursos acumulados para outra entidade de previdência complementar (Portabilidade). Para subsidiar a decisão do participante a Funpresp-Jud encaminhará ao participante um documento chamado Extrato Previdenciário, em um prazo de 30 dias, contados da comunicação do órgão sobre o desligamento do servidor. Neste extrato constarão informações sobre os quatro Institutos.

16 Porém, a qualquer tempo, a partir da rescisão do vínculo, o participante poderá solicitar a opção por um dos Institutos, respeitando as carências exigidas em regulamento. Autopatrocínio É a opção do participante de manter-se filiado ao PLANO nas mesmas condições anteriores à rescisão do vínculo, desde que mantenha sua contribuição e arque com as contribuições do patrocinador, se for o caso. O prazo para optar pelo autopatrocínio será de 30 dias após o recebimento do extrato previdenciário, que será emitido pela Funpresp-Jud. O participante assumirá a totalidade de sua contribuição e, no caso de participante patrocinado, a do patrocinador. O participante poderá solicitar a alteração do percentual, que passará a vigorar no mês seguinte. Para efetivação da opção pelo autopatrocínio, o participante deverá recolher à Funpresp-Jud, até o dia 10 do mês subsequente ao da referida opção, todas as contribuições em atraso. BPD (Benefício Proporcional Diferido) É opção do participante por manter-se filiado ao PLANO, sem a necessidade de continuar contribuindo, e receber, em tempo futuro, um benefício decorrente do montante acumulado até a cessação das contribuições, observadas as atualizações futuras. Para exercer a opção pelo BPD o participante deverá cumprir cumulativamente as seguintes condições: o cessar o vínculo efetivo com o patrocinador; o estar inscrito no PLANO há, pelo menos, 3 (três) anos ininterruptos; o não ter preenchido os requisitos de elegibilidade ao benefício de aposentadoria normal ou benefício suplementar. A opção ao BPD implicará ao participante, a partir da data do requerimento, o pagamento da contribuição administrativa, que deverá ser recolhida até o dia 10 do mês posterior ao de sua competência, via transferência bancária, DOC Documento de Ordem de Crédito ou TED Transferência Eletrônica Disponível, em nome da Funpresp-Jud. Contudo, o participante poderá autorizar o desconto da contribuição administrativa diretamente do saldo da respectiva RAN ou RAS. Resgate É o instituto que possibilita ao participante sacar os recursos previstos no regulamento do PLANO. Uma vez exercido o resgate, cessarão todos os compromissos do PLANO para com o participante e seus beneficiários. Para exercer a opção pelo Resgate o participante deverá cumprir, cumulativamente, as seguintes condições:

17 o cessar o vínculo efetivo com o patrocinador; o não estar em gozo de qualquer benefício previsto no Regulamento, exceto o benefício de pensão por morte. Portabilidade É o instituto que permite ao participante transferir recursos acumulados no JUSMP- PREV para outro plano a que pretenda aderir. Para exercer a opção pela Portabilidade o participante deverá cumprir, cumulativamente, as seguintes condições: o cessar o vínculo efetivo com o patrocinador; o estar inscrito no PLANO há, pelo menos, 3 (três) anos ininterruptos; o não estar em gozo de qualquer benefício previsto neste Regulamento, exceto se já for favorecido pelo benefício de pensão por morte. Na portabilidade a transferência do recurso, em hipótese alguma, transitará pelas mãos do participante. PROCEDIMENTO (Autopatrocínio, BPD, Resgate e Portabilidade): I. Comunicar a Funpresp-Jud, no prazo de 5 (cinco) dias, contados da data da ocorrência do fato, a perda da condição de servidor público ou membro do Poder Judiciário ou do Ministério Público da União dos que estejam filiados ao PLANO. II. Entregar ao participante desligado do órgão: Termo de Opção (anexo 13), que deverá ser preenchida em 3 vias, com letra legível e sem rasuras, preenchendo todos os campos do formulário os formulários disponibilizados pela Funpresp-Jud possuem campos editáveis que poderão ser digitados no próprio documento em PDF. III. Enviar, mensalmente, para o a relação dos participantes afastados, conforme modelo proposto (anexo 3). IV. Descontar do participante desligado do órgão a contribuição relativa ao mês do desligamento, proporcional aos dias trabalhados, além da contribuição referente ao abono natalino, devendo ser recolhidas à Funpresp-Jud, juntamente com as demais contribuições do mês (Consultar, neste manual, o título 4. CONTRIBUIÇÕES, itens I, II e III). V. A unidade de gestão de pessoas deverá enviar, quando da ocorrência de cessação do vinculo do servidor, Arquivo Texto contendo os dados cadastrais e financeiros, conforme discriminado no item 5 Informações em Arquivo Texto. IX. CANCELAMENTO DE INSCRIÇÃO NO PLANO

18 O servidor poderá, a qualquer momento, solicitar o cancelamento de sua inscrição no PLANO. Nesta situação ele perderá a condição de participante. Vale ressaltar que o participante só fará jus ao resgate e à portabilidade dos recursos do saldo de conta após ter cessado o vínculo efetivo com o patrocinador. PROCEDIMENTO: I. Entregar ao servidor que desejar cancelar sua inscrição no PLANO a Ficha de Cancelamento de Inscrição (anexo 14), que deverá ser preenchida em 3 vias, com letra legível e sem rasuras. II. A unidade de gestão de pessoas deverá acolher o termo, conferir o preenchimento, carimbar e assinar o documento. III. Os documentos devem ser enviados à Funpresp-Jud conforme modelo de encaminhamento sugerido pela entidade (anexo 3). IV. Distribuir as vias da seguinte maneira: 1ª via (Original): Funpresp-Jud; 2ª via: participante; 3ª via: patrocinador a ser arquivada na pasta funcional do servidor. V. Recolher as contribuições do participante e do patrocinador, proporcionais aos dias trabalhados no mês de cancelamento da inscrição. A base de remuneração a ser considerada será o valor proporcional até a data do cancelamento da inscrição no PLANO (Consultar, neste manual, o título 4. CONTRIBUIÇÕES, itens I e II). VI. Informar ao participante que o resgate e a portabilidade somente poderão ser realizados quando da cessação do vinculo com o órgão, obedecido o disposto no regulamento do PLANO. VII. Providenciar a exclusão das rubricas registradas na folha de pagamento do servidor para que não haja descontos nos meses subsequentes.

19 4. CONTRIBUIÇÕES I. BASE DE CONTRIBUIÇÃO E REMUNERAÇÃO DE PARTICIPAÇÃO A. Participante patrocinado Remuneração de participação: parcela da base de contribuição que exceder o teto do RGPS, desde que o participante esteja submetido ao referido teto. Base de contribuição: aquela definida pelo 1º do art. 4º da Lei , de 18 de junho de 2004, transcrita abaixo, podendo o participante optar pela inclusão de parcelas remuneratórias percebidas em decorrência do local de trabalho e do exercício de cargo em comissão ou função de confiança. Art. 4º, 1º - Lei no , de 18 de junho de 2004 Entende-se como base de contribuição o vencimento do cargo efetivo, acrescido das vantagens pecuniárias permanentes estabelecidas em lei, os adicionais de caráter individual ou quaisquer outras vantagens, excluídas: I - as diárias para viagens; II - a ajuda de custo em razão de mudança de sede; III - a indenização de transporte; IV - o salário-família; V - o auxílio-alimentação; VI - o auxílio-creche; VII - as parcelas remuneratórias pagas em decorrência de local de trabalho; VIII - a parcela percebida em decorrência do exercício de cargo em comissão ou de função comissionada ou gratificada; IX - o abono de permanência de que tratam o 19 do art. 40 da Constituição Federal, o 5º do art. 2º e o 1º do art. 3º da Emenda Constitucional nº 41, de 19 de dezembro de 2003 X - o adicional de férias; (Incluído pela Lei nº , de 2012) XI - o adicional noturno; (Incluído pela Lei nº , de 2012) XII - o adicional por serviço extraordinário; (Incluído pela Lei nº , de 2012) XIII - a parcela paga a título de assistência à saúde suplementar; (Incluído pela Lei nº , de 2012) XIV - a parcela paga a título de assistência pré-escolar; (Incluído pela Lei nº , de 2012) XV - a parcela paga a servidor público indicado para integrar conselho ou órgão deliberativo, na condição de representante do governo, de órgão ou de entidade da administração pública do qual é servidor; (Incluído pela Lei nº , de 2012) XVI - o auxílio-moradia; (Incluído pela Lei nº , de 2012) XVII - a Gratificação por Encargo de Curso ou Concurso, de que trata o art. 76-A da Lei no 8.112, de 11 de dezembro de 1990; (Incluído pela Lei nº , de 2012) XVIII - a Gratificação Temporária das Unidades dos Sistemas Estruturadores da Administração Pública Federal (GSISTE), instituída pela Lei no , de 19 de outubro de 2006; (Incluído pela Lei nº , de 2012) XIX - a Gratificação de Raio X. (Incluído pela Lei nº , de 2012) A Base de Contribuição do participante cujo ingresso ou saída do PLANO ocorre no curso do mês de referência será proporcional aos dias de efetiva vinculação ao PLANO. Da mesma forma, o teto de benefícios do RGPS deverá ser proporcionalizado nas mesmas condições da base de remuneração do participante. A gratificação natalina será considerada como base de contribuição no mês de dezembro e no mês da cessação do vínculo efetivo com o patrocinador.

20 B. Participante vinculado A remuneração de participação será aquela por ele definida no momento da inscrição ou, facultativamente, por ocasião da transição para a categoria de participante vinculado ou, ainda, no mês de novembro de cada ano, com vigência a partir do mês de janeiro do ano subsequente, observado o valor mínimo de 10 (dez) URPs e o máximo da totalidade de sua base de contribuição. A base de contribuição para o participante vinculado será a mesma definida para o participante patrocinado, conforme detalhado acima. PROCEDIMENTO: I. Entregar ao funcionário que desejar alterar a base de contribuição: Ficha de Alteração de Base de Remuneração (anexo 14), que deverá ser preenchida em 3 vias, com letra legível e sem rasuras. II. II. III. IV. A unidade de gestão de pessoas deverá acolher a ficha, conferir o preenchimento, carimbar e assinar o documento. Os documentos devem ser enviados à Funpresp-Jud conforme modelo de encaminhamento sugerido pela entidade (anexo 3). Distribuir as vias da seguinte maneira: 1ª via (Original): Funpresp-Jud; 2ª via: participante; 3ª via: patrocinador a ser arquivada na pasta funcional do servidor. A unidade de gestão de pessoas deverá enviar o Arquivo Texto contendo a base de remuneração e a remuneração de participação, conforme discriminado no item 5 Informações em Arquivo Texto. CONTRIBUIÇÃO NORMAL A. Do Participante Patrocinado A contribuição normal é de caráter mensal obrigatório e corresponderá à alíquota escolhida pelo participante, desde que não inferior a 6,5% e superior a 8,5%, observado o intervalo de 0,5% (zero vírgula cinco por cento) sobre a remuneração de participação. A contribuição patronal corresponderá à alíquota igual à do respectivo participante, e não poderá exceder o percentual de 8,5% (oito vírgula cinco por cento) sobre a remuneração de participação. Caso o participante deseje contribuir com percentual superior a 8,5%, ele deverá realizar contribuições facultativas, vide título 4, item IV Contribuição Facultativa, deste documento.

21 As contribuições dos participantes e patrocinadores serão distribuídas da seguinte forma: DISTRIBUIÇÃO DOS RECURSOS ARRECADADOS PELO PARTICIPANTE E PATROCINADOR DESCRIÇÃO (%) a) RAN Reserva Acumulada Normal 77,65 b) FCBE (conta coletiva) 15,35 c) PGA (taxa de carregamento) 7,00 TOTAL 100,00 Tabela 1 Distribuição dos Recursos Arrecadados Esta tabela poderá ser alterada conforme novos estudos atuariais, por ocasião da elaboração do Plano de Custeio Anual B. Do Participante Vinculado A contribuição normal é de caráter mensal obrigatório e corresponderá à alíquota escolhida pelo participante, desde que não inferior a 6,5% e superior a 22%, observado o intervalo de 0,5% (zero vírgula cinco por cento) sobre a remuneração de participação e não terá contrapartida do patrocinador. PROCEDIMENTO: I. A unidade de gestão de pessoas deverá criar rubricas, em conjunto com a equipe de TI do órgão, e associá-las à folha de pagamento do participante, para que sejam descontadas, mensalmente, as contribuições de responsabilidade do participante e, em se tratando de participante patrocinado, a contrapartida do órgão. II. Descontar a contribuição devida no mês de referência: a) Calcular o valor da contribuição mediante a aplicação do percentual escolhido pelo participante sobre a remuneração de participação. b) Descontar a contribuição mensal, proporcional aos dias trabalhados, no mês da cessação do vínculo efetivo ou afastamento. Observar que a base de contribuição será proporcional aos dias trabalhados. Da mesma forma, o teto de benefícios do RGPS deverá ser proporcionalizado observando as mesmas condições aplicadas à base de contribuição do participante. III. Identificar os valores das contribuições no documento Relatório de Repasses (anexo 15), que deverá ser enviado mensalmente à Funpresp-Jud. IV. A unidade de gestão de pessoas deverá enviar, mensalmente, Arquivo Texto contendo os dados cadastrais e financeiros, conforme discriminado no item 5 Informações em Arquivo Texto. a. A contribuição a ser enviada à Funpresp-Jud deverá ser informada considerando a distribuição descrita na tabela 1 Distribuição dos recursos arrecadados.

22 III. CONTRIBUIÇÃO SOBRE A GRATIFICAÇÃO NATALINA Os critérios para o recolhimento da contribuição natalina serão os mesmos atribuídos à contribuição mensal obrigatória. A gratificação natalina será considerada como base de contribuição no mês de dezembro ou no mês da cessação do vínculo efetivo com o patrocinador. PROCEDIMENTO: I. A unidade de gestão de pessoas deverá criar rubricas, em conjunto com a equipe de TI do órgão, e associá-las à folha de pagamento do participante, para que sejam descontadas as contribuições de responsabilidade do participante e, em se tratando de participante patrocinado, a contrapartida do órgão. II. Descontar a contribuição devida no mês de pagamento ao servidor: a) Calcular o valor da contribuição mediante a aplicação do percentual escolhido pelo participante sobre a remuneração de participação (gratificação natalina). III. Descontar a contribuição anual do participante que teve a cessação do vínculo efetivo com o patrocinador, proporcional aos meses trabalhados no ano. No mês da cessação do vínculo efetivo com o patrocinador, o teto de benefícios do RGPS deverá ser proporcionalizado observando as mesmas condições aplicadas à base de remuneração do participante. a) O recolhimento da contribuição sobre a gratificação natalina, para o participante que teve cessação do vínculo com o patrocinador no decorrer do ano, ocorrerá juntamente com as contribuições do mês do desligamento, em parcela separada e devidamente identificada. IV. Identificar os valores das contribuições no documento Relatório de Repasses (anexo 15), que deverá ser enviado mensalmente para Funpresp-Jud. V. A unidade de gestão de pessoas deverá enviar, em dezembro ou no mês da cessação do vínculo efetivo com o patrocinador, Arquivo Texto contendo os dados cadastrais e financeiros, conforme discriminado no item 5 Informações em Arquivo Texto. IV. CONTRIBUIÇÃO FACULTATIVA A contribuição facultativa poderá ser aportada por qualquer participante, exceto o assistido, sem contrapartida do patrocinador, de caráter voluntário, com valor definido pelo participante, observado o limite mínimo de 2,5% (dois vírgula cinco por cento) incidente sobre a respectiva remuneração de participação. PROCEDIMENTO:

23 I. A unidade de gestão de pessoas deverá criar rubricas, em conjunto com a equipe de TI do órgão, e associá-las à folha de pagamento do participante para que sejam descontadas as contribuições de responsabilidade do participante. II. III. IV. Descontar a contribuição, conforme percentual solicitado pelo participante, considerando o caráter regular ou esporádico definido pelo participante. a) Não será devida contribuição do patrocinador referente à contribuição facultativa efetuada pelo participante. Identificar os valores das contribuições no documento Relatório de Repasses (anexo 15), que deverá ser enviado mensalmente para Funpresp-Jud. A unidade de gestão de pessoas deverá enviar, mensalmente, Arquivo Texto contendo os dados cadastrais e financeiros, conforme discriminado no item 5 Informações em Arquivo Texto. V. ACRÉSCIMOS LEGAIS Conforme prevê a Lei , de 30 de abril de 2012, o pagamento ou a transferência das contribuições deve ser realizado até o dia 10 (dez) do mês seguinte ao da competência. Não ocorrendo o pagamento na data prevista, haverá incidência de acréscimos de mora previstos para os tributos federais. A. O que são acréscimos legais Os acréscimos legais são os valores referentes a multa e juros de mora, incidentes sobre o valor da contribuição devida, quando a obrigação não é cumprida no prazo estabelecido pela legislação. A data de vencimento da contribuição é o ponto de partida para o cálculo e a cobrança dos acréscimos legais, uma vez que estes somente são devidos após o vencimento da receita. B. Como calcular a multa de mora (acréscimos legais) 1º) Calcula-se o percentual da multa de mora a ser aplicado: 0,33% por dia de atraso, limitado a 20%. A contagem dos dias em atraso inicia-se no primeiro dia útil a seguir do vencimento e finaliza-se no dia em que ocorrer o pagamento Caso o percentual encontrado ultrapassar o limite de 20%, ignora-se o excedente e utilizase 20% como multa de mora. 2º) Aplica-se o percentual da multa de mora sobre o valor da contribuição devida. C. Como calcular juros de mora (acréscimos legais) 1º) Calcula-se o percentual dos juros de mora a ser aplicado:

24 Soma-se a taxa Selic desde a do mês seguinte ao do vencimento da contribuição até a do mês anterior ao do pagamento, e acrescenta-se a esta soma 1% referente ao mês de pagamento. Não há cobrança de juros de mora para pagamentos feitos dentro do próprio mês de vencimento. Ex: A contribuição vence no dia 10 de determinado mês. Se o pagamento ocorrer até o último dia do mesmo mês, não haverá cobrança de juros de mora, apenas a multa de mora. 2º) Aplica-se o percentual dos juros de mora sobre o valor da contribuição devida. Fonte: Receita Federal com adaptações. PROCEDIMENTO: I. Solicitar à Funpresp-Jud, via o cálculo dos valores devidos, informando a data para o pagamento das contribuições. II. III. Identificar os valores das contribuições no documento Relatório de Repasses (anexo 15), que deverá ser enviado mensalmente à Funpresp-Jud. O valor de acréscimos legais não irá compor o Arquivo Texto. VI. REPASSE DAS CONTRIBUIÇÕES A. Conta para repasse Recolher as contribuições dos participantes e do patrocinador, por intermédio de depósito, identificado pelo CNPJ do órgão: Banco do Brasil Titular: Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Judiciário Funpresp-Jud. CNPJ: / Agência: Conta corrente: B. Prazo para repasse Na hipótese de não existirem folhas de pagamento suplementares, o repasse do recurso financeiro deverá se dar, preferencialmente, na data do crédito da folha de pagamento normal.

25 Se houver folha de pagamento suplementar posterior à folha normal, o repasse do recurso financeiro total deverá ocorrer até a data do crédito da última folha suplementar. O prazo máximo para o repasse financeiro é até o dia 10 (dez) do mês seguinte ao da competência. O repasse após esse prazo implicará os acréscimos de mora previstos para os tributos federais e a sujeição do responsável às sanções penais e administrativas cabíveis. Haverá um único repasse financeiro (participante e patrocinador) depositado na conta da Funpresp-Jud, acompanhado de Arquivo Texto detalhado e Relatório de Repasses (anexo 15) das diversas folhas do mês (normal e suplementares). C. Relatório de Repasses. O Relatório de Repasses (anexo 15) é um relatório que o órgão patrocinador deverá enviar mensalmente à Funpresp-Jud e servirá de insumo para cálculo de tributos federais como PIS e COFINS, aplicação dos recursos financeiros e conciliação entre os valores depositados e os valores devidos. O Relatório de Repasses deverá ser enviado mensalmente para o juntamente com Arquivo Texto, no momento da transferência dos recursos ou até o penúltimo dia útil do mês de competência. VII. DEVOLUÇÃO DE CONTRIBUIÇÕES Caso o órgão cometa equívoco no repasse de contribuições, poderá solicitar a devolução dos montantes repassados a maior. Para tanto, será necessário o envio de ofício para a Funpresp-Jud, assinado pelo coordenador da área de gestão de pessoas, detalhando o problema ocorrido, e o encaminhamento da GRU Guia de Recolhimento da União. A GRU não poderá possuir data de pagamento, pois a Funpresp-Jud precisará de alguns dias para solicitar o resgate das aplicações e efetuar seu pagamento. Normalmente as devoluções serão realizadas entre o dia 10 e 20 de cada mês. Caberá ao órgão enviar o ofício e a GRU à Funpresp-Jud, por , para o endereço

26 5. INFORMAÇÕES EM ARQUIVO TEXTO O Arquivo Texto é o conjunto de informações cadastrais e financeiras que os patrocinadores devem enviar à Funpresp-Jud, mensalmente, em um formato predefinido (layout). Esse arquivo deve ser elaborado em conjunto com a equipe de TI do próprio órgão. Para auxiliar a equipe de TI dos órgãos, a Funpresp-Jud disponibilizará um documento descritivo, com os detalhes necessários ao desenvolvimento do Arquivo Texto. O Arquivo Texto deverá ser enviado mensalmente para o juntamente com o Relatório de Repasses, no momento do repasse financeiro.

MANUAL DO PATROCINADOR

MANUAL DO PATROCINADOR MANUAL DO PATROCINADOR APRESENTAÇÃO A Resolução STF 496, de 25/10/2012, criou a Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público do Poder Judiciário (Funpresp-Jud), atendendo ao comando do art.

Leia mais

SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 23 DE SETEMBRO DE 2013(*)

SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 23 DE SETEMBRO DE 2013(*) SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 12, DE 23 DE SETEMBRO DE 2013(*) Orienta os órgãos e entidades integrantes do Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal (SIPEC) sobre o regime

Leia mais

SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 9, DE 24 DE ABRIL DE 2013

SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 9, DE 24 DE ABRIL DE 2013 SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 9, DE 24 DE ABRIL DE 2013 Estabelece procedimentos operacionais relacionados ao regime de previdência complementar para os servidores públicos federais

Leia mais

REGRAS DE NEGÓCIO. As patrocinadoras da Funpresp-Jud deverão adequar os sistemas de gestão de pessoas ao Regime de Previdência Complementar RPC.

REGRAS DE NEGÓCIO. As patrocinadoras da Funpresp-Jud deverão adequar os sistemas de gestão de pessoas ao Regime de Previdência Complementar RPC. As patrocinadoras da Funpresp-Jud deverão adequar os sistemas de gestão de pessoas ao Regime de Previdência Complementar RPC. As principais necessidades consistem em: a) registrar e manter os dados cadastrais

Leia mais

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR O futuro que você faz agora FUNPRESP-JUD Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Judiciário 2 Funpresp-Jud seja bem-vindo(a)! A Funpresp-Jud ajudará

Leia mais

CARTILHA DO PLANO D FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT

CARTILHA DO PLANO D FUNDAÇÃO DE SEGURIDADE SOCIAL BRASLIGHT CARTILHA DO PLANO D Cartilha - Plano D INTRODUÇÃO Você está recebendo a Cartilha do Plano D. Nela você encontrará um resumo das principais características do plano. O Plano D é um plano moderno e flexível

Leia mais

Cartilha do Participante

Cartilha do Participante FACEAL Fundação Ceal de Assistência Social e Previdência Cartilha do Participante Manual de Perguntas e Respostas Plano Faceal CD Prezado leitor, A FACEAL apresenta esta cartilha de perguntas e respostas

Leia mais

37º FONAI Maceió-AL. Atualização Técnica Princípio para assessorar a gestão.

37º FONAI Maceió-AL. Atualização Técnica Princípio para assessorar a gestão. 37º FONAI Maceió-AL Atualização Técnica Princípio para assessorar a gestão. 26 a 30/11/2012 Oficina Técnica Regras de Aposentadoria no Setor Público Pessoal Civil Cleison Faé Aposentadoria no Setor Público

Leia mais

Quadro Comparativo do Regulamento do Plano de Benefícios Pepsico

Quadro Comparativo do Regulamento do Plano de Benefícios Pepsico do Regulamento do Plano de Benefícios Pepsico CNPB 2004.0020-18 Prev Pepsico Sociedade Previdenciária CNPJ 00.098.693/0001-05 Atendimento à NOTA Nº 036/2013/CGAT/DITEC/PREVIC Comando 357744092 Juntada

Leia mais

SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 2, DE 13 DE ABRIL DE 2015

SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 2, DE 13 DE ABRIL DE 2015 SECRETARIA DE GESTÃO PÚBLICA ORIENTAÇÃO NORMATIVA Nº 2, DE 13 DE ABRIL DE 2015 Estabelece orientações aos órgãos e entidades integrantes do Sistema de Pessoal Civil da Administração Federal - Sipec sobre

Leia mais

FAQ. Participante Ativo Alternativo

FAQ. Participante Ativo Alternativo FAQ Participante Ativo Alternativo O que mudou na Previdência do Servidor Público Federal? A previdência do servidor público passou por mudanças nos últimos anos a partir da emenda 41, da Constituição

Leia mais

Revisado em 15/08/2011

Revisado em 15/08/2011 CARTILHA DO PLANO MISTO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS Nº 001 Revisado em 15/08/2011 Esta cartilha foi estruturada com perguntas e respostas para apresentar e esclarecer aos Participantes as informações

Leia mais

Lorem ipsum dolor sit amet

Lorem ipsum dolor sit amet Lorem ipsum dolor sit amet Lorem ipsum dolor sit amet Consectetuer adipiscing elit, sed diam nonummy nibh euismod tincidunt ut laoreet dolore magna aliquam erat volutpat. Ut wisi enim ad minim veniam.

Leia mais

Apresentação. Lembrando que esta cartilha não substitui o regulamento do Plano BD Eletrobrás, recomendamos a leitura atenta do referido regulamento.

Apresentação. Lembrando que esta cartilha não substitui o regulamento do Plano BD Eletrobrás, recomendamos a leitura atenta do referido regulamento. Apresentação A Lei Nº 11.053, de 29.12.2004, faculta aos participantes de Planos de Previdência Complementar, estruturados na modalidade de Contribuição Definida (CD), como é o caso do novo Plano CD Eletrobrás,

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL GERDAU PREVIDÊNCIA

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL GERDAU PREVIDÊNCIA REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL GERDAU PREVIDÊNCIA Capítulo I Da Finalidade Artigo 1 - O presente Regulamento de Empréstimo Pessoal, doravante denominado Regulamento, tem por finalidade definir normas

Leia mais

Para cada valor depositado pelo participante a título de contribuição básica a Patrocinadora depositará valor idêntico.

Para cada valor depositado pelo participante a título de contribuição básica a Patrocinadora depositará valor idêntico. Apresentação Este é o MANUAL DO PARTICIPANTE da PRECE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR, material explicativo que descreve, em linguagem simples e precisa, as características gerais do Plano CD, com o objetivo

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO CAPÍTULO I - DO OBJETO Art. 1º - Este Regulamento estabelece os direitos e as

REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS PREVIDENCIÁRIOS DO ADVOGADO CAPÍTULO I - DO OBJETO Art. 1º - Este Regulamento estabelece os direitos e as REGULAMENTO FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA SECCIONAL DE SÃO PAULO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL E DA CAASP CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DE SÃO PAULO OABPrev-SP/CE ÍNDICE Capítulo I - DO OBJETIVO

Leia mais

HSBC INSTITUIDOR FUNDO MÚLTIPLO. Plano Acricel de Aposentadoria ACRICELPrev

HSBC INSTITUIDOR FUNDO MÚLTIPLO. Plano Acricel de Aposentadoria ACRICELPrev HSBC INSTITUIDOR FUNDO MÚLTIPLO Plano Acricel de Aposentadoria ACRICELPrev Plano Acricel de Aposentadoria ACRICELPrev Esta Cartilha vai ajudar você a entender melhor o Plano Acricel de Aposentadoria ACRICELPrev,

Leia mais

Manual. Conheça neste manual mais detalhes sobre a SICOOB PREVI

Manual. Conheça neste manual mais detalhes sobre a SICOOB PREVI Manual Conheça neste manual mais detalhes sobre a SICOOB PREVI O melhor da vida é feito em parceria O Plano de Benefícios Previdenciários da SICOOB PREVI é uma importante ferramenta de planejamento financeiro

Leia mais

Previdência Complementar do servidor em perguntas e respostas

Previdência Complementar do servidor em perguntas e respostas Previdência Complementar do servidor em perguntas e respostas Por Antônio Augusto de Queiroz - Jornalista, analista político e diretor de Documentação do Diap Com o propósito de esclarecer algumas dúvidas

Leia mais

Seu futuro está em nossos planos!

Seu futuro está em nossos planos! 1/8 CONHEÇA O PLANO DE BENEFÍCIOS CD-METRÔ DF Seu futuro está em nossos planos! 2014 2/8 1 Quem é a REGIUS? A REGIUS Sociedade Civil de Previdência Privada é uma entidade fechada de previdência privada,

Leia mais

MANUAL DO APOSENTADO E PENSIONISTA PLANO SGC PREV PLANO DE BENEFÍCIOS DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DA SOCIEDADE GOIANA DE CULTURA

MANUAL DO APOSENTADO E PENSIONISTA PLANO SGC PREV PLANO DE BENEFÍCIOS DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DA SOCIEDADE GOIANA DE CULTURA MANUAL DO APOSENTADO E PENSIONISTA PLANO SGC PREV PLANO DE BENEFÍCIOS DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DA SOCIEDADE GOIANA DE CULTURA SUMÁRIO Qual é o significado de aposentado e pensionista?...3 Quando é realizado

Leia mais

FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA SECCIONAL DE SÃO PAULO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL E DA CAASP CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DE SÃO

FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA SECCIONAL DE SÃO PAULO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL E DA CAASP CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DE SÃO FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DA SECCIONAL DE SÃO PAULO DA ORDEM DOS ADVOGADOS DO BRASIL E DA CAASP CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS ADVOGADOS DE SÃO PAULO OABPrev-SP REGULAMENTO ÍNDICE CAPÍTULO I DO OBJETO

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE PECÚLIO FACULTATIVO PPF CNPB 1990.0011-65 FUNDAÇÃO GEAPPREVIDÊNCIA

REGULAMENTO DO PLANO DE PECÚLIO FACULTATIVO PPF CNPB 1990.0011-65 FUNDAÇÃO GEAPPREVIDÊNCIA REGULAMENTO DO PLANO DE PECÚLIO FACULTATIVO PPF CNPB 1990.0011-65 FUNDAÇÃO GEAPPREVIDÊNCIA Aprovado pela Superintendência Nacional de Previdência Complementar PREVIC, por meio da Portaria Nº 509, de 27

Leia mais

Plano D. Material Explicativo

Plano D. Material Explicativo Plano D Material Explicativo 2 Material Explicativo Previ Novartis Índice Pág. 4 Introdução Pág. 6 A Previdência no Brasil Pág. 10 A Previdência e o Plano de Benefício D Pág. 24 Questões 3 Material Explicativo

Leia mais

PLANO DE PREVIDÊNCIA DA MÚTUA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS PROFISSIONAIS DO CREA

PLANO DE PREVIDÊNCIA DA MÚTUA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS PROFISSIONAIS DO CREA PLANO DE PREVIDÊNCIA DA MÚTUA CAIXA DE ASSISTÊNCIA DOS PROFISSIONAIS DO CREA Mensagem ao Associado Caro Associado, A maior preocupação do profissional que compõe o Sistema Confea / Crea / Mútua talvez

Leia mais

Manual Explicativo. Beleza é viver o futuro que você sempre sonhou. Boticário Prev

Manual Explicativo. Beleza é viver o futuro que você sempre sonhou. Boticário Prev Manual Explicativo Beleza é viver o futuro que você sempre sonhou. Boticário Prev 1. MANUAL EXPLICATIVO... 4 2. A APOSENTADORIA E VOCÊ... 4 3. PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR: O que é isso?... 4 4. BOTICÁRIO

Leia mais

PLANO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO SERVIDOR PÚBLICO FEDERAL DO PODER EXECUTIVO

PLANO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO SERVIDOR PÚBLICO FEDERAL DO PODER EXECUTIVO Universidade Federal de Mato Grosso Pró-Reitoria Administrativa Secretaria de Gestão de Pessoas PLANO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO SERVIDOR PÚBLICO FEDERAL DO PODER EXECUTIVO Cuiabá-MT Abril/2014 O QUE

Leia mais

MODELO DE REGULAMENTO DE PLANO NA MODALIDADE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA CD 01

MODELO DE REGULAMENTO DE PLANO NA MODALIDADE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA CD 01 MODELO DE REGULAMENTO DE PLANO NA MODALIDADE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA CD 01 2 MODELO DE REGULAMENTO DE PLANO NA MODALIDADE CONTRIBUIÇÃO DEFINIDA CD 01 Brasília - DF Março/2015 3 Sumário GLOSSÁRIO... 5 CAPÍTULO

Leia mais

REGULAMENTO DA CARTEIRA DE EMPRÉSTIMO BÁSICO

REGULAMENTO DA CARTEIRA DE EMPRÉSTIMO BÁSICO Rev. 01 Data: 21/05/2014 Página 1 de 8 CAPÍTULO I DEFINIÇÕES Art. 1º - Para fins de aplicação deste Regulamento, o masculino incluirá o feminino e o singular incluirá o plural, a menos que o contexto indique

Leia mais

Norma do Programa de Empréstimo Pessoal TECHNOS

Norma do Programa de Empréstimo Pessoal TECHNOS Norma do Programa de Empréstimo Pessoal TECHNOS SUMÁRIO CAPÍTULO I - DA FINALIDADE...3 CAPÍTULO II - DOS PARTICIPANTES E ASSISTIDOS...3 CAPÍTULO III - DOS CRITÉRIOS PARA CONCESSÕES...4 CAPÍTULO IV - DOS

Leia mais

Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários da FUNDO MULTIINSTITUÍDO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários da FUNDO MULTIINSTITUÍDO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários da ACIPREV FUNDO MULTIINSTITUÍDO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Instituidora : ASSOCIAÇÃO COMERCIAL E INDUSTRIAL DE AMERICANA ACIA 1 ÍNDICE Pág CAPÍTULO

Leia mais

Rua Bernardo Guimarães, 63 Funcionários Belo Horizonte MG Cep 30140-080 Telefones (31) 3284-8407 3284-2625 Fax: 3284-8931 E-mail: casfam@fiemg.com.

Rua Bernardo Guimarães, 63 Funcionários Belo Horizonte MG Cep 30140-080 Telefones (31) 3284-8407 3284-2625 Fax: 3284-8931 E-mail: casfam@fiemg.com. MATERIAL EXPLICATIVO DO PLANO DE BENEFÍCIOS SISTEMA FIEMG Outubro / 2013 A CASFAM A CASFAM é uma Entidade Fechada de Previdência Complementar (EFPC), sociedade civil patrocinada pelo Sistema FIEMG, com

Leia mais

REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMOS SIMPLES. 1.1 Estabelecer as diretrizes para a concessão de empréstimo simples.

REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMOS SIMPLES. 1.1 Estabelecer as diretrizes para a concessão de empréstimo simples. REGULAMENTO DE CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMOS SIMPLES 1 OBJETIVO 1.1 Estabelecer as diretrizes para a concessão de empréstimo simples. 2 CONCESSÃO 2.1 O empréstimo simples poderá ser concedido exclusivamente

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 497 SRF, DE 24/01/2005 (DO-U, DE 09/02/2005)

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 497 SRF, DE 24/01/2005 (DO-U, DE 09/02/2005) INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 497 SRF, DE 24/01/2005 (DO-U, DE 09/02/2005) Dispõe sobre plano de benefício de caráter previdenciário, Fapi e seguro de vida com cláusula de cobertura por sobrevivência e dá outras

Leia mais

REGULAMENTO CULTURAPREV Adaptado à Lei Complementar nº 109/2001, Resoluções CGPC Nº 12/2002, Nº 03/2003, Nº 08/2004 e a Resolução CGPC Nº 10/2004

REGULAMENTO CULTURAPREV Adaptado à Lei Complementar nº 109/2001, Resoluções CGPC Nº 12/2002, Nº 03/2003, Nº 08/2004 e a Resolução CGPC Nº 10/2004 REGULAMENTO CULTURAPREV Adaptado à Lei Complementar nº 109/2001, Resoluções CGPC Nº 12/2002, Nº 03/2003, Nº 08/2004 e a Resolução CGPC Nº 10/2004 Ministério da Previdência Social MPS Secretaria de Previdência

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO Art. 1º Este documento, doravante denominado Regulamento de Empréstimo, estabelece os direitos e as obrigações da Boticário Prev, dos Participantes e Assistidos, para a concessão

Leia mais

Estado do Rio Grande do Sul Município de Caxias do Sul DECRETO Nº 15.051, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2010.

Estado do Rio Grande do Sul Município de Caxias do Sul DECRETO Nº 15.051, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2010. DECRETO Nº 15.051, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2010. Estabelece normas e procedimentos referentes às consignações em folha de pagamento dos servidores e empregados públicos e dos aposentados da Administração

Leia mais

Regulamento do Plano de Benefícios dos Servidores Públicos Federais do Poder Executivo

Regulamento do Plano de Benefícios dos Servidores Públicos Federais do Poder Executivo Regulamento do Plano de Benefícios dos Servidores Públicos Federais do Poder Executivo Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Executivo (Funpresp-Exe). CNPB nº 2013.0003-83

Leia mais

Cartilha do Participante FIPECqPREV

Cartilha do Participante FIPECqPREV Cartilha do Participante FIPECqPREV Conheça todos os detalhes sobre o novo Plano de Benefícios Sumário 1. Introdução... 3 O que é o FIPECqPREV?... 3 Quem administra o FIPECqPREV?... 3 Qual é a modalidade

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE RPPS

PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE RPPS PERGUNTAS E RESPOSTAS SOBRE RPPS 1 - O que vem a ser regime próprio de previdência social (RPPS)? R: É o sistema de previdência, estabelecido no âmbito de cada ente federativo, que assegure, por lei, ao

Leia mais

Renato Silva de Assis Supervisor Técnico da Paraíba

Renato Silva de Assis Supervisor Técnico da Paraíba Renato Silva de Assis Supervisor Técnico da Paraíba Análise do Projeto de Lei que dispõe sobre os planos de custeio e de benefícios do regime próprio de previdência social do Estado da Paraíba No dia 20

Leia mais

CONVÊNIO DE ADESÃO QUE CELEBRAM

CONVÊNIO DE ADESÃO QUE CELEBRAM Aprovado pela Portaria DITEC/PREVIC/MPS nº 44, de 31 de janeiro de 2013. (publicada no DOU nº 24, de 04 de fevereiro de 2013, Seção 1, Página 50) CONVÊNIO DE ADESÃO QUE CELEBRAM A UNIÃO E A FUNDAÇÃO DE

Leia mais

Regulamento do Plano de Empréstimo. Aprovado em 01 de Janeiro de 2015

Regulamento do Plano de Empréstimo. Aprovado em 01 de Janeiro de 2015 Regulamento do Plano de Empréstimo 2015 Aprovado em 01 de Janeiro de 2015 1. Dos Objetivos a) Estabelecer os direitos e obrigações da Previplan - Sociedade de Previdência Privada (aqui designada como Sociedade

Leia mais

SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA!

SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA! SAIBA TUDO SOBRE O PLANO III DE PREVIDÊNCIA PRIVADA! Prezado participante, 2 Brasil Foods Sociedade de Previdência Privada Cartilha Plano III Um dos grandes objetivos da política de recursos humanos de

Leia mais

Plano TELOS Contribuição Variável - I

Plano TELOS Contribuição Variável - I Plano TELOS Contribuição Variável - I A sua empresa QUER INVESTIR NO SEU FUTURO, E VOCÊ? A sua empresa sempre acreditou na importância de oferecer um elenco de benefícios que pudesse proporcionar a seus

Leia mais

LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000.

LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000. LEI Nº 1556, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2000. Institui o Plano de Custeio do Regime de Previdência dos Servidores Municipais e dá outras providências. A CÂMARA MUNICIPAL DE DUQUE DE CAXIAS decreto e eu sanciono

Leia mais

REGULAMENTO EMPRÉSTIMO CASANPREV

REGULAMENTO EMPRÉSTIMO CASANPREV REGULAMENTO EMPRÉSTIMO CASANPREV 1/9 CAPÍTULO I Do Objeto Art. 1º Este documento, doravante denominado Regulamento de Empréstimo, estabelece os direitos e as obrigações da CASANPREV, dos Participantes,

Leia mais

Plano de Previdência Complementar CPFL PPCPFL

Plano de Previdência Complementar CPFL PPCPFL Plano de Previdência Complementar CPFL PPCPFL Vigência: 1º/09/2010 APROVADO PELA SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR PORTARIA PREVIC 613, DE 13 DE AGOSTO DE 2010. PPCPFL 1 ÍNDICE CAPÍTULO

Leia mais

Plano de Benefícios Visão Telesp Maio/2011

Plano de Benefícios Visão Telesp Maio/2011 Plano de Benefícios Visão Telesp Maio/2011 Índice Quem Somos Estrutura do plano Importância da Previdência Privada. Quanto antes melhor! As regras do plano Canais Visão Prev 2 Visão Prev Entidade fechada

Leia mais

Encontro dos Representantes Regionais da Prevdata 2012. Principais dúvidas no atendimento Plano CV Prevdata II

Encontro dos Representantes Regionais da Prevdata 2012. Principais dúvidas no atendimento Plano CV Prevdata II Encontro dos Representantes Regionais da Prevdata 2012 Principais dúvidas no atendimento Plano CV Prevdata II Plano CV Prevdata II Dúvidas... Renda decorrente do saldo de conta: total acumulado das contribuições

Leia mais

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP POPULAR 510 MODALIDADE POPULAR PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A.

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP POPULAR 510 MODALIDADE POPULAR PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076.302/0001-94 APLUBCAP POPULAR 510 MODALIDADE: POPULAR PROCESSO SUSEP Nº: 15414.902145/2013-85 II - GLOSSÁRIO Subscritor

Leia mais

EDIÇÃO 222, SEÇÃO 1, PÁGINA 32 E 33, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2014 SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR

EDIÇÃO 222, SEÇÃO 1, PÁGINA 32 E 33, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2014 SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR EDIÇÃO 222, SEÇÃO 1, PÁGINA 32 E 33, DE 17 DE NOVEMBRO DE 2014 SUPERINTENDÊNCIA NACIONAL DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR INSTRUÇÃO CONJUNTA Nº 1, DE 14 DE NOVEMBRO DE 2014 Dispõe sobre as regras de portabilidade

Leia mais

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO

MATO GROSSO PREFEITURA MUNICIPAL DE LUCAS DO RIO VERDE CONTROLE INTERNO 1/8 1) DOS OBJETIVOS: 1.1) Disciplinar e normatizar os procedimentos operacionais na administração de recursos humanos; 1.2) Garantir maior segurança na admissão e exoneração de pessoal; 1.3) Manter atualizado

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO APLICAP 026

CONDIÇÕES GERAIS DO APLICAP 026 CONDIÇÕES GERAIS DO APLICAP 026 I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLICAP CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ: 13.122.801/0001-71 APLICAP 026 MODALIDADE: PU POPULAR PROCESSO SUSEP Nº: 15414.900500/2014-62

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA INSTITUTO GEIPREV DE SEGURIDADE SOCIAL REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA - PGA Regulamento aprovado pelo Conselho Deliberativo do GEIPREV na 123ª reunião realizada em 27/11/2009. 1 SUMÁRIO

Leia mais

Este Contrato contém 5 (cinco) páginas que deverão ser lidas e preenchidas nos itens abaixo relacionados.

Este Contrato contém 5 (cinco) páginas que deverão ser lidas e preenchidas nos itens abaixo relacionados. INSTRUÇÕES DE PREENCHIMENTO E ENVIO DO CONTRATO DE ABERTURA DE CRÉDITO ELETRÔNICO Este Contrato contém 5 (cinco) páginas que deverão ser lidas e preenchidas nos itens abaixo relacionados. página 1/5 -

Leia mais

CAPAF CAIXA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO BANCO DA AMAZÔNIA. Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários - PrevAmazônia

CAPAF CAIXA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO BANCO DA AMAZÔNIA. Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários - PrevAmazônia CAPAF CAIXA DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO BANCO DA AMAZÔNIA Regulamento do Plano de Benefícios Previdenciários - PrevAmazônia Indice CAPÍTULO I - DO OBJETO... 4 CAPÍTULO II - DAS DEFINIÇÕES E REMISSOES...

Leia mais

O mútuo, objeto deste contrato, será concedido conforme condições que se seguem:

O mútuo, objeto deste contrato, será concedido conforme condições que se seguem: SÃO PARTES DESTE CONTRATO: CONTRATO DE EMPRÉSTIMO FUNCEF NA MODALIDADE DE CREDINÂMICO FUNCEF 13º SALÁRIO QUE ENTRE SI FAZEM AS PARTES ABAIXO IDENTIFICADAS, NAS CONDIÇÕES QUE SE SEGUEM: A FUNDAÇÃO DOS ECONOMIÁRIOS

Leia mais

CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO JMALUCELLI PREVIDÊNCIA...

CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO JMALUCELLI PREVIDÊNCIA... ÍNDICE CARTILHA EXPLICATIVA... 3 FUNDO PARANÁ... 4 PATRIMÔNIO... 5 SEGURANÇA... 5 BENEFÍCIO FISCAL... 6 ASFUNPAR... 7 PLANO JMALUCELLI PREVIDÊNCIA... 8 CONHEÇA O PLANO JMALUCELLI PREVIDÊNCIA... 9 PARTICIPANTES...

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS. I - INFORMAÇÕES INICIAIS Sociedade de Capitalização - APLUB Capita-lização S.A. CNPJ - 88.076.302/0001-94 Modalidade: Popular

CONDIÇÕES GERAIS. I - INFORMAÇÕES INICIAIS Sociedade de Capitalização - APLUB Capita-lização S.A. CNPJ - 88.076.302/0001-94 Modalidade: Popular ESTIPULANTE SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO CONDIÇÕES GERAIS TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO - APLUB SORTE EXTRA - TCA 420 (PROC. SUSEP Nº 15414.200104/2009-74), da APLUB Capitalização S. A. I - INFORMAÇÕES INICIAIS

Leia mais

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP POPULAR 513 MODALIDADE POPULAR PAGAMENTO MENSAL CONDIÇÕES GERAIS

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP POPULAR 513 MODALIDADE POPULAR PAGAMENTO MENSAL CONDIÇÕES GERAIS I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076.302/0001-94 APLUBCAP POPULAR 513 MODALIDADE: POPULAR PROCESSO SUSEP Nº: 15414.900001/2014-75 II - GLOSSÁRIO Subscritor

Leia mais

Perguntas e respostas sobre a criação do Funpresp (Fundo de Previdência Complementar dos Servidores Públicos)

Perguntas e respostas sobre a criação do Funpresp (Fundo de Previdência Complementar dos Servidores Públicos) O que muda Perguntas e respostas sobre a criação do Funpresp (Fundo de Previdência Complementar dos Servidores Públicos) 1. Por que é necessário criar a Fundação de Previdência Complementar do Servidor

Leia mais

2º Semestre de 2010 2

2º Semestre de 2010 2 1 2 2º Semestre de 2010 O objetivo deste material é abordar os pontos principais do Plano de Benefícios PreviSenac e não substitui o conteúdo do regulamento. 3 4 Índice PreviSenac para um futuro melhor

Leia mais

MANUAL DO PARTICIPANTE

MANUAL DO PARTICIPANTE MANUAL DO PARTICIPANTE LegisPrev O plano de previdência complementar para o servidor público do Poder Legislativo Federal FUNPRESP-EXE FUNDAÇÃO DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR DO SERVIDOR PÚBLICO FEDERAL DO

Leia mais

CARTILHA EXPLICATIVA... 2 FUNDO PARANÁ... 3 PATRIMÔNIO... 4 SEGURANÇA... 4 BENEFÍCIO FISCAL... 5 ASFUNPAR... 6 PLANO DENTALUNIPREV...

CARTILHA EXPLICATIVA... 2 FUNDO PARANÁ... 3 PATRIMÔNIO... 4 SEGURANÇA... 4 BENEFÍCIO FISCAL... 5 ASFUNPAR... 6 PLANO DENTALUNIPREV... ÍNDICE CARTILHA EXPLICATIVA... 2 FUNDO PARANÁ... 3 PATRIMÔNIO... 4 SEGURANÇA... 4 BENEFÍCIO FISCAL... 5 ASFUNPAR... 6 PLANO DENTALUNIPREV... 7 CONHEÇA O PLANO DENTALUNIPREV... 8 PARTICIPANTES... 9 Participante

Leia mais

AGROS INSTITUTO UFV DE SEGURIDADE SOCIAL. Regulamento do Plano de Instituidor AGROS CD-01

AGROS INSTITUTO UFV DE SEGURIDADE SOCIAL. Regulamento do Plano de Instituidor AGROS CD-01 AGROS INSTITUTO UFV DE SEGURIDADE SOCIAL Regulamento do Plano de Instituidor AGROS CD-01 Viçosa Minas Gerais Fevereiro/2008 Índice Página Glossário - Capítulo II Das Definições... 3 Nome do Plano de Benefícios

Leia mais

PLANO SUPLEMENTAR. Material Explicativo Plano Suplementar 1

PLANO SUPLEMENTAR. Material Explicativo Plano Suplementar 1 PLANO SUPLEMENTAR Material Explicativo 1 Introdução A CitiPrevi oferece planos para o seu futuro! Recursos da Patrocinadora Plano Principal Benefício Definido Renda Vitalícia Programa Previdenciário CitiPrevi

Leia mais

REGULAMENTO DOS EMPRÉSTIMOS FORLUZ

REGULAMENTO DOS EMPRÉSTIMOS FORLUZ Aprovado pelo Comitê de Investimentos da Forluz na 330ª reunião de 14/09/2011 e na 331ª reunião de 23/09/2011. Válido para empréstimos solicitados a partir de 01/10/2011. REGULAMENTO DOS EMPRÉSTIMOS FORLUZ

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO (NOME FANTASIA DO PRODUTO) (NOME FANTASIA DO PRODUTO) - MODALIDADE: INCENTIVO PROCESSO SUSEP Nº: (nº processo SUSEP)

CONDIÇÕES GERAIS DO (NOME FANTASIA DO PRODUTO) (NOME FANTASIA DO PRODUTO) - MODALIDADE: INCENTIVO PROCESSO SUSEP Nº: (nº processo SUSEP) - textos na cor azul serão adotados caso selecionados; - textos na cor vermelha deverão ser suprimidos no documento original e trata-se de informações para a elaboração do Título; - textos em negrito,

Leia mais

REGULAMENTO DOS EMPRÉSTIMOS FORLUZ

REGULAMENTO DOS EMPRÉSTIMOS FORLUZ Aprovado pelo Comitê de Investimentos da Forluz em 18 e 25/01/13 (Ata da 401ª e 403ª reunião). Válido para empréstimos solicitados a partir de 01/03/2013. REGULAMENTO DOS EMPRÉSTIMOS FORLUZ CAPÍTULO I

Leia mais

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP ECO 2.1 MODALIDADE DADE INCENTIVO PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP ECO 2.1 MODALIDADE DADE INCENTIVO PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO APLUBCAP ECO.1 I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S. A. CNPJ: 88.076.30/0001-94 APLUBCAP ECO.1 MODALIDADE: INCENTIVO PROCESSO SUSEP Nº: 15414.0055/011-47

Leia mais

CARTILHA EXPLICATIVA DO PLANO CIASCPREV

CARTILHA EXPLICATIVA DO PLANO CIASCPREV CARTILHA EXPLICATIVA DO PLANO CIASCPREV Florianópolis, janeiro de 2010. Caríssimo Participante, Esta cartilha vai ajudar você a entender melhor a DATUSPREV e o Plano CIASCPREV. O CIASC, pensando em você,

Leia mais

CARTILHA EXPLICATIVA. Esta Cartilha vai ajudá-lo a entender melhor o OABPrev-GO e o Plano de Benefícios Previdenciários do Advogado Adv-PREV.

CARTILHA EXPLICATIVA. Esta Cartilha vai ajudá-lo a entender melhor o OABPrev-GO e o Plano de Benefícios Previdenciários do Advogado Adv-PREV. CARTILHA 2010 CARTILHA EXPLICATIVA Esta Cartilha vai ajudá-lo a entender melhor o OABPrev-GO e o Plano de Benefícios Previdenciários do Advogado Adv-PREV. Com o Adv-PREV você verá que é possível viver

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO PESSOAL 1. FINALIDADE 1.1. Este Regulamento tem por finalidade disciplinar as concessões de empréstimos aos Participantes do Plano de Benefícios JMalucelli, administrado pelo

Leia mais

Meu interesse está no futuro, pois é lá que vou passar o resto de minha vida C K

Meu interesse está no futuro, pois é lá que vou passar o resto de minha vida C K Meu interesse está no futuro, pois é lá que vou passar o resto de minha vida C K A principal função do OABPrev-SC é auxiliar o advogado a criar uma poupança previdenciária para dar suporte aos riscos

Leia mais

Aceprev. Cartilha do Plano de Benefícios REGRA MIGRADOS. Aperam Inox América do Sul S.A. Acesita Previdência Privada

Aceprev. Cartilha do Plano de Benefícios REGRA MIGRADOS. Aperam Inox América do Sul S.A. Acesita Previdência Privada Aceprev Acesita Previdência Privada Aperam Inox América do Sul S.A. Cartilha do Plano de Benefícios REGRA MIGRADOS Aceprev Acesita Previdência Privada DIRETORIA EXECUTIVA Nélia Maria de Campos Pozzi -

Leia mais

MATERIAL. EXPlICatIvo. Plano BAYER CD

MATERIAL. EXPlICatIvo. Plano BAYER CD MATERIAL EXPlICatIvo Plano BAYER CD 1 Prezado Colaborador! você, que está sendo admitido agora ou ainda não aderiu ao Plano de Previdência oferecido pelo Grupo Bayer, tem a oportunidade de conhecer, nas

Leia mais

De (Regulamento Original) Para (Regulamento Proposto) Justificativa

De (Regulamento Original) Para (Regulamento Proposto) Justificativa CAPÍTULO I CAPÍTULO I DO OBJETO DO OBJETO Art. 1º Este Regulamento estabelece os direitos e as obrigações dos Instituidores, dos Participantes, dos Beneficiários e do Fundo de Pensão Multipatrocinado da

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO TC CASH 36

CONDIÇÕES GERAIS DO TC CASH 36 Página 1 de 7 CONDIÇÕES GERAIS DO TC CASH 36 I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: HSBC Empresa de Capitalização (Brasil) S.A. CNPJ: 33.425.075/0001-73 TC CASH 36 MODALIDADE: TRADICIONAL PROCESSO

Leia mais

Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Executivo. Guia do Patrocinador

Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Executivo. Guia do Patrocinador Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Executivo Guia do Patrocinador Fundação de Previdência Complementar do Servidor Público Federal do Poder Executivo Guia do Patrocinador

Leia mais

Instrução Normativa SRF nº 588, de 21 de dezembro de 2005

Instrução Normativa SRF nº 588, de 21 de dezembro de 2005 Instrução Normativa SRF nº 588, de 21 de dezembro de 2005 DOU de 26.12.2005 Dispõe sobre a tributação dos planos de benefício de caráter previdenciário, Fapi e seguros de vida com cláusula de cobertura

Leia mais

Regulamento Básico dos Planos e Programas de Previdência Complementar, Saúde e Assistência Social da GEAP Fundação de Seguridade Social

Regulamento Básico dos Planos e Programas de Previdência Complementar, Saúde e Assistência Social da GEAP Fundação de Seguridade Social Regulamento Básico dos Planos e Programas de Previdência Complementar, Saúde e Assistência Social da GEAP Fundação de Seguridade Social PÁGINA 1 SUMÁRIO PÁGINA TÍTULO I Dos Planos de Previdência Complementar...04

Leia mais

Demonstrativo de Informações Previdenciárias e Repasses

Demonstrativo de Informações Previdenciárias e Repasses CADPREV CADPREV Ente Local Aplicativo Desktop Manual do Usuário Demonstrativo de Informações Previdenciárias e Repasses Data Publicação: 28/08/2013 1 de 21 Índice 1 Finalidade... 3 2 Visão Geral... 3 3

Leia mais

Material Explicativo. Plano de Benefícios de Contribuição Definida da IBM Brasil. FUNDAÇÃO previdenciária IBM

Material Explicativo. Plano de Benefícios de Contribuição Definida da IBM Brasil. FUNDAÇÃO previdenciária IBM Material Explicativo Plano de Benefícios de Contribuição Definida da IBM Brasil FUNDAÇÃO previdenciária IBM 2 Material Explicativo Fundação Previdenciária IBM A DIREÇÃO DO SEU FUTURO Lembre-se! O objetivo

Leia mais

FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DAS INSTITUIÇÕES DO MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS - MERCAPREV REGULAMENTO BÁSICO CAPÍTULO I - DO OBJETO...

FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DAS INSTITUIÇÕES DO MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS - MERCAPREV REGULAMENTO BÁSICO CAPÍTULO I - DO OBJETO... FUNDO DE PENSÃO MULTIPATROCINADO DAS INSTITUIÇÕES DO MERCADO FINANCEIRO E DE CAPITAIS - MERCAPREV REGULAMENTO BÁSICO ÍNDICE CAPÍTULO I - DO OBJETO...2 CAPÍTULO II - DA INSCRIÇÃO...3 CAPÍTULO III - DOS

Leia mais

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA

REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA REGULAMENTO DO PLANO DE GESTÃO ADMINISTRATIVA ÍNDICE CAPÍTULO I - DA FINALIDADE CAPÍTULO II - DO GLOSSÁRIO CAPÍTULO III - DA CONSTITUIÇÃO DO PGA CAPÍTULO IV - DAS FONTES DE CUSTEIO ADMINISTRATIVO CAPÍTULO

Leia mais

O GOVERNADOR DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL: Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei.

O GOVERNADOR DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL: Faço saber que a Assembléia Legislativa decreta e eu sanciono a seguinte Lei. (*) Os textos contidos nesta base de dados têm caráter meramente informativo. Somente os publicados no Diário Oficial estão aptos à produção de efeitos legais. LEI Nº 3.545, DE 17 DE JULHO DE 2008. Publicada

Leia mais

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTE DO PLANO DE BENEFICIO CEBPREV.

REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTE DO PLANO DE BENEFICIO CEBPREV. REGULAMENTO DE EMPRÉSTIMO A PARTICIPANTE DO PLANO DE BENEFICIO CEBPREV. Sumário Capítulo I Da finalidade...1 Capítulo II - Dos contratantes...1 Capítulo III - Dos limites individuais...2 Capítulo IV -

Leia mais

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO - APLUBCAP TRADICIONAL 16 MODALIDADE TRADICIONAL - PAGAMENTO ÚNICO

TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO - APLUBCAP TRADICIONAL 16 MODALIDADE TRADICIONAL - PAGAMENTO ÚNICO TÍTULO DE CAPITALIZAÇÃO - APLUBCAP TRADICIONAL 16 MODALIDADE TRADICIONAL - PAGAMENTO ÚNICO CONDIÇÕES GERAIS I INFORMAÇÕES INICIAIS SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: APLUB CAPITALIZAÇÃO S/A CNPJ: 88.076.302/0001-94

Leia mais

CARTILHA PLANO CELPOS CD

CARTILHA PLANO CELPOS CD CARTILHA PLANO CELPOS CD ORIGINAL PLUS O QUE É O PLANO CELPOS CD? O Plano Misto I de Benefícios CELPOS CD é um plano de previdência complementar cujo benefício de aposentadoria programada é calculado de

Leia mais

REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES

REGULAMENTO PARA CONCESSÃO DE EMPRÉSTIMO SIMPLES SUMÁRIO 1. DEFINIÇÕES... 2 2. FINALIDADE... 3 3. DESTINATÁRIOS... 3 4. DOCUMENTAÇÃO... 4 5. VALOR MÁXIMO E MÍNIMO... 5 6. PRAZOS... 5 7. ENCARGOS E ATUALIZAÇÃO MONETÁRIA... 6 8. GARANTIAS... 7 9. CONDIÇÕES

Leia mais

Sumário. A função do Resumo Explicativo 3. Bem-vindo ao Plano de Benefícios Raiz 4. Contribuições do Participante 6. Contribuições da Patrocinadora 7

Sumário. A função do Resumo Explicativo 3. Bem-vindo ao Plano de Benefícios Raiz 4. Contribuições do Participante 6. Contribuições da Patrocinadora 7 Sumário A função do 3 Bem-vindo ao Plano de Benefícios Raiz 4 Contribuições do Participante 6 Contribuições da Patrocinadora 7 Controle de Contas 8 Investimento dos Recursos 9 Benefícios 10 Em caso de

Leia mais

Guia PCD. Conheça melhor o Plano

Guia PCD. Conheça melhor o Plano Guia PCD Conheça melhor o Plano Índice De olho no Futuro...3 Quem é a Fundação Centrus?...5 Conhecendo o Plano de Contribuição Definida - PCD...6 Contribuições do Participante...7 Saldo de Conta...8 Benefícios

Leia mais

REGULAMENTO EMPRÉSTIMO CASANPREV

REGULAMENTO EMPRÉSTIMO CASANPREV REGULAMENTO EMPRÉSTIMO CASANPREV 1 CAPÍTULO I Do Objeto Art. 1º Este documento, doravante denominado Regulamento de Empréstimo, estabelece os direitos e as obrigações da CASANPREV, dos Participantes, Assistidos

Leia mais

Brasília, 28 de abril de 2014. NOTA JURÍDICA

Brasília, 28 de abril de 2014. NOTA JURÍDICA Brasília, 28 de abril de 2014. NOTA JURÍDICA Assunto: Manutenção do regime previdenciário anterior à previdência complementar pelos novos servidores federais que ingressaram no serviço público de outras

Leia mais

Plano de Contribuição Definida

Plano de Contribuição Definida Plano de Contribuição Definida Gerdau Previdência CONHEÇA A PREVIDÊNCIA REGIME DE PREVIDÊNCIA COMPLEMENTAR Oferecido pelo setor privado, com adesão facultativa, tem a finalidade de proporcionar uma proteção

Leia mais

MÚTUOPREV Entidade de Previdência Complementar

MÚTUOPREV Entidade de Previdência Complementar MÚTUOPREV Entidade de Previdência Complementar REGULAMENTO DO PLANO DE BENEFÍCIOS II 1 de julho de 2010 MÚTUOPREV Entidade de Previdência Complementar 2 CAPÍTULO I - DO OBJETIVO Art. 1º - O presente Regulamento

Leia mais

CONDIÇÕES GERAIS DO BRADESCO SOLUÇÃO DE ALUGUEL

CONDIÇÕES GERAIS DO BRADESCO SOLUÇÃO DE ALUGUEL I INFORMAÇÕES INICIAIS CONDIÇÕES GERAIS DO BRADESCO SOLUÇÃO DE ALUGUEL SOCIEDADE DE CAPITALIZAÇÃO: BRADESCO CAPITALIZAÇÃO S.A. CNPJ: 33.010.851/0001-74 BRADESCO SOLUÇÃO DE ALUGUEL PLANO PU 15/15 A - MODALIDADE:

Leia mais

LEI COMPLEMENTAR Nº 108, DE 29 DE MAIO DE 2001

LEI COMPLEMENTAR Nº 108, DE 29 DE MAIO DE 2001 LEI COMPLEMENTAR Nº 108, DE 29 DE MAIO DE 2001 Dispõe sobre a relação entre a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios, suas autarquias, fundações, sociedades de economia mista e outras entidades

Leia mais