Fios e Cabos. Condutores PARA TRANSMISSÃO E DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fios e Cabos. Condutores PARA TRANSMISSÃO E DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA"

Transcrição

1 Fios e Cabos Condutores PARA TRANSMISSÃO E DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA

2 de Linha Produtos Laminação de folhas Extrusão Laminação chapas Telhas de alumínio Alumínio primário

3 Classificação dos condutores O alumínio usado para a maioria dos condutores elétricos na forma de fio ou condutor encordoado é o alumínio Este alumínio para fins elétricos é normalmente designado por ECP (Electrical Conductor Purposes). Cabo de alumínio (CA): composto por fios de alumínio 1350 encordoados em coroas concêntricas. Cabo de alumínio com alma de aço (CAA): composto de uma alma de aço galvanizado de 1 fio, 7 fios ou 19 fios, envolvida por uma ou mais coroas concêntricas de fios de alumínio CAA ExtraFortes: são compostos por encordoamento com alta resistência mecânica. São freqüentemente usados como cabos páraraio em linha aérea de transmissão, em travessias de rios e outros locais onde a resistência mecânica do condutor é mais importante que sua capacidade de condução de corrente. Classes de encordoamento. Duas classes são definidas: Classe AA: é normalmente especificada para condutores nus usados em linhas aéreas. Classe A: para condutores a serem cobertos com materiais resistentes às intempéries ou onde é necessária uma maior flexibilidade do que a apresentada pela classe AA. As cargas de ruptura dos CAA e CAA ExtraFortes dadas nas tabelas, foram calculadas supondo uma alma de aço composta de fios galvanizados classe 1. Os CAA podem também ser fabricados com fios de aço galvanizados classe, porém, nesses casos, as cargas de ruptura serão diferentes daquelas indicadas nas tabelas. NORMAS DE REFERÊNCIA NORMAS BRASILEIRAS NBR 771 CABOS DE ALUMÍNIO PARA LINHAS AÉREAS NBR 770 CABOS DE ALUMÍNIO COM ALMA DE AÇO PARA LINHAS AÉREAS NORMAS AMERICANAS ASTM B31 CONCENTRICLAYSTRANDED ALUMINUM 1350 CONDUCTORS ASTM B3 CONCENTRICLAYSTRANDED ALUMINUM CONDUCTORS, COATED STEEL REINFORCED (ACSR) NORMA INGLESA BS 15 PART 1 AND ALUMINUM CONDUCTORS AND ALUMINUM CONDUCTORS, STEELREINFORCED VERGALHÃO PROPERZI O vergalhão de alumínio utilizado na fabricação de cabos é fabricado pelo processo Properzi, apresentando uma seção transversal aproximadamente circular. O diâmetro usual de vergalhão é 9,5 (3/8 ), porém, dependendo de consulta prévia, pode também ser fornecido no diâmetro de 1,7 (1/ ). COMPOSIÇÃO QUÍMICA A CBA produz vergalhão de alumínio na liga cuja composição química é a constante na norma NBR 7103 ou ASTM B33.

4 FORMAÇÃO DOS CABOS CABOS SIMPLES CABOS MÚLTIPLOS Linhas de transmissão AT EXEMPLOS DE ENCORDOAMENTO DE CABOS CAA (ACSR) Linha de transmissão AT Encordoadeira de cabos Cabos de alumínio nu com alma de aço tipo CAA/ACSR O cabo CAA/ACSR é um condutor encordoado concentricamente e composto de uma ou mais coroas de fios de alumínio 1350, têmpera dura, possuindo um núcleo (alma) de alta resistência. O núcleo pode ser constituído por um único fio de aço ou diversos fios de aço encordoados, conforme a dimensão do cabo. As tabelas apresentadas contém as dimensões e encordoamento em uso geral. Outros projetos podem ser elaborados para exigências especiais, mas seria impraticável relacionar todas as combinações de encordoamentos. A seguir apresentamos as mais usuais:

5 ÁREA TOTAL CONDUTOR 15,494 4,663 6,506 39,47 4,197 49,478 6,474 78,633 99,155 15,079 14, ,13 176, , ,007 10,6 1,56 7,5 33,946 48,431 55, ,17 98,109 97, ,56 37, , , , , , ,16 364,05 374, , ,79 331, ,669 39, ,751 41,65 444, , ,48 413, ,60 454, , , , ,88 516,70 545, ,01 559, , , , ,638 66,56 688,918 76,334 73,13 771, ,08 817, , , 861, , , , , ,143 Nº FIOS X ALUMÍNIO 6/1,679 6/,118 7/1,961 6/,67 7/,474 6/00 6/3,371 6/3,78 6/4,47 6/4,770 18/91 6/,573 6/,78 18/3,47 6/,888 30/,690 18/3,774 4/3,69 6/3,139 30/,94 18/4,135 4/3,581 6/3,439 30/3 18/4,465 4/3,868 6/3,716 30/3,459 4/4,034 6/3,874 30/3,607 30/3,607 18/4,775 4/4,135 6/3,973 30/3,698 30/3,698 36/3,376 4/4,34 6/4,067 4/4,387 6/4,14 30/3,9 4/4,63 6/4,44 37/3,774 45/3,376 54/81 30/4,135 45/3,59 54/3,79 36/4,135 45/3,698 54/3,376 36/4,303 45/3,848 54/3,513 45/3,995 54/3,647 45/4,135 54/3,774 36/4,775 45/4,70 54/3,899 45/4,40 54/4,018 45/4,59 54/4,135 45/4,653 54/4,47 45/4,775 54/4,359 84/3,698 84/4,069 7/4,407 76/4,430 Nº FIOS X AÇO 1/1,679 1/,118 1/,614 1/,67 1/3,99 1/00 1/3,371 1/3,78 1/4,47 1/4,770 1/91 7/,00 7/,11 1/3,47 7/,45 7/,690 1/3,774 7/,179 7/,441 7/,94 1/4,135 7/,388 7/,675 7/3 1/4,465 7/,578 7/,891 7/3,459 7/,690 7/1 7/3,607 19/,164 1/4,775 7/,756 7/89 7/3,698 19/,0 1/3,376 7/,8 7/3,16 7/,94 7/3,77 19/,35 7/81 7/3,454 1/3,774 7/,550 7/81 19/,48 7/,395 7/3,79 1/4,135 7/,466 7/3,376 1/4,303 7/,565 7/3,513 7/,664 19/,189 7/,756 19/,66 1/4,775 7/,847 19/,339 7/,934 19/,410 7/0 19/,48 7/3,101 19/,548 7/3,183 19/,616 19/,0 19/,441 7/,939 19/,068 CABO ALMA 5,04 6,35 6,54 8,0 8,5 1,68,1,61,67 3,30 9,00 10,11 11,35 1,74 14,31 0 3,37 3,78 4,5 4,77 15,45 16,30 17,7 17,36 18,9 9 6,01 6,36 3,47 6,73 18,83 18,87 19,61 19,88 0,47 8,07 3,77 6,54 7,3 8,77 0,67 1,49 1,78,4,3 4,13 7,16 8,0 9,61 4,46 3,1 3,54 4,1 4,1 4,53 7,73 8,67 10,38 8,07 9,04 5,5 5,5 3,87 4,81 5,16 10,8 10,8 4,77 8,7 9,7 5,89 5,89 3,63 5,40 5,75 11,09 11,10 3,38 8,47 9,49 6,3 6,69 7,45 7,73 8,13 8,77 9,83 11,76 9,4 10,36 6,4 7,01 7,73 8,95 8,74 3,77 6,75 9,4 1,41 7,18 9,51 8,94 9,59 30,38 30,1 9,84 4,13 7,40 10,13 4,30 30,78 31,6 31,96 3, ,69 0,54 7,99 10,94 8,7 33,97 33,4 34,16 35,09 35,1 11,33 4,77 8,54 11,69 8,80 36,16 36,3 37, 37, 38, 1,05 9,06 1,41 9,30 1,74 38,0 39,3 40,68 44,76 44,07 45,78 9, ,10 1,0 8,8 10,34 PESO NOMINAL TOTAL kg/km ALUMÍNIO % AÇO % 53,67 85,40 99,75 135,9 158, , , ,55 31,48 31,45 13,55 31,44 39,45 13,55 6,76 31,46 39,65 13,55 6,78 31,47 39,65 13,55 6,75 31,48 39,65 6,77 31,45 39,65 39,11 14,55 6,76 31,45 39,65 39,14 7,7 6,76 31,45 6,76 31,46 39,09 6,75 31,46 7,7 16,30 6,75 39,14 16,3 6,75 7,7 16,3 6,75 7,7 16,31 6,75 16,3 6,7 16,31 6,9 7,7 16,3 6,5 16,31 6,3 16,37 6,7 16,30 6,6 73,75 83,68 73,73 83,70 73,74 584,44 400,01 738,19 53,78 887,81 73,71 9,73 83,68 73,75 83,69 81,3 1916,57 133,8 433,8 66,96 173,3 1979, ,44 19,98 000,9 83,69 73,5 83,68 73,73 83,69 73,5 9,73 83,68 73,5 9,73 174,5 1437,4 1600,10 188, ,40 9,73 83,70 73,5 60,86 83, ,4 1333,34 15, ,4 1509,6 73,4 68,54 60,91 73,5 68,54 137, ,7 165,56 153,67 168,5 60,35 60,86 9,73 73,4 68,55 148, ,39 958,04 178, ,06 60,35 60,89 86,45 73,4 68, , , 107,94 119,03 130,71 73,5 68,5 60,35 73,3 68, ,67 1,07 197, ,51 138,59 86,45 73, 68,53 60,35 86,45 770,86 914,5 976,33 111,8 898,80 60,35 86,45 73,4 68,54 60,35 784,5 64,13 761,93 813,8 96,95 86,45 68,5 68,5 86,45 68,56 67,91 67,91 67,91 67,91 67,91 67,91 67,91 58,15 67,91 58,13 430,74 546,63 614,18 543,18 688,6 171,34 16,34 7,30 343,38 433,16 16,31 6,7 18,64 18,6 10,81 13,8 83,69 73,73 81,36 81,38 89,19 86,7 667,5 304,6 3087, ,71 347, ,5 CARGA RUPTURA KN 5,19 8,1 10,47 1,63 16,1 15,80 19,49,95 9,45 36,44 30,53 49,36 56,4 37, 61,81 76,99 44, 65,08 71,13 89,18 5,1 76,8 85,38 104,6 60,87 87,93 99,00 13,64 95,68 107,99 18,89 133,48 69,6 100,48 110,38 135,48,4 61,03 106,35 117,47 113,11 14,6 151,98 14,1 137,4 74,45 95,6 15,7 170,71 106,06 141,88 87,65 11,54 147,08 94,91 1,7 153,11 130,14 173,96 141,70 186,36 116,88 148,11 193,45 160,59 05,41 164,63 17,70 177,9 9, ,59 6,83 67,37 0,96 51,68 RESISTÊNCIA CC A 0º C ohm/km,3574 1,3776 1,3133 0,8343 0,8513 0,6607 0,548 0, , ,6181 0,1345 0,1431 0, , , , , , , , ,1198 0, , ,1015 0,1030 0,1073 0,1075 0,1030 0, , , , , , , , , , , , , , , ,0719 0, , , , ,0709 0, , , , , , , , , , , ,0480 0,0447 0, , ,0430 0,045 0, , , , , , ,037 0,0665 0,0651 0,0485 CÓDIGO CABO Turkey Swan Swanate Sparrow Sparate Waxwing Partridge Ostrich Merlin Linnet Robin Raven Quail Pigeon Penguin Oriole Chickader Brant Ibis Lark Pelican Flicker Hawk Hen Osprey Parakeet Dove Eagle Peacock Squab Woodduck Teal Kingbird Rook Grosbeak Scoter Egret Swift Flamingo Gannet Stilt Starling Redwing Cuckoo Drake Coot Tern Condor Mallard Ruddy Canary Catbird Rail Cardinal Tanager Ortlan Curlew Bluejay Finch Bunting Grackle Skylark Bittern Pheasant Dipper Martin Bobolink Plover Nuthatch Parrot Lafwing Falcon Chuckar Bluebird Kiwi Thrasher SECÇÃO AWG MCM /0 /0 3/0 4/0 66,8 66, ,4 336,4 336,4 397,5 397,5 397,5 397, ,5 556,5 556,5 556, ,6 666,6 715,5 715,5 715, ,5 1033,5 1033, ,5 119, ,5 1351, ,5 1510, ALUMÍNIO 13,8 1,14 1,14 33,64 33,65 4,41 53,55 67,40 84,99 107,1 135,06 135,18 151,96 170,41 170,30 170,48 01,34 01,4 01,19 01,43 41,70 41,70 41,79 41,71 81,8 81,99 81,96 81,89 306,7 306,44 306,53 306,53 3,31 3,7 3,31 3,19 3,19 3,3 337,89 337,74 36,75 36,59 36,40 40,8 40,89 40,68 40,79 40,56 40,84 455,98 455,96 483,40 483,9 483,34 53,48 53,9 53,37 564,03 564,06 604,6 604,5 644,6 644,36 644,50 684,81 684,65 74,89 75,11 765,33 764,38 805,78 805,79 90,13 109, 1098, ,33 Cabos de alumínio nu com alma de aço AMPACIDADE A

6 Cabos de alumínio nu tipo CA/ASC Os cabos de alumínio liga são encordoados em coroas concêntricas, semelhantes em construção e aspecto aos condutores de alumínio com núcleo de aço. Foram desenvolvidos para preencher a necessidade de um condutor econômico para aplicações aéreas, mas sem um núcleo de aço. As características físicas são dadas na tabela abaixo. CÓDIGO CABO BITOLA AWG MCM SECÇÃO FORMAÇÃO Nº FIOS X Ø Ø CABO CARGA RUPTURA KN PESO NOMINAL kg/km RESISTÊNCIA CC A 0ºC ohm/km AMPACIDADE A Peachbell Rose Iris Pansy Poppy /0 13,8 1,14 33,65 4,36 53,48 7/1,554 7/1,961 7/,474 7/,776 7/3,119 4,66 5,88 7,4 8,33 9,36,36 3,69 5,64 6,8 8,44 36,4 58,00 9,31 116,3 146,7, , ,8560 0, , Aster Phlox Oxlip Valerian Sneezewort /0 3/0 4/ ,46 84,99 107,5 16,6 16,71 7/3,503 7/3,93 7/4,417 19/,913 7/4,801 10,51 11,80 13,5 14,56 14,40 10,49 1,91 16, 0,9 0,04 185,07 33,18 94,5 349,09 347,64 0,457 0, ,6748 0,769 0, Laurel Daisy Peony Tulip Daffodil 66,8 66, , ,19 135,30 15,13 170,57 177,9 19/10 7/4,961 19/3,193 19/3,381 19/3,447 15,05 14,88 15,96 16,90 17,3,07 1,40 3,95 6,56 7,67 37,73 371,0 419,43 470,7 488,81 0,135 0,103 0, ,1690 0, Linha de distribuição BT Canna Goldentuft Syringa Cosmos Hyacinth Zinnia Mistletoe Dahlia Meadowswee Orchid 397, ,5 556, ,5 8,00 41,5 41, ,8 81,77 81,44 303,7 3, 19/3,675 19/3,909 37/,883 19/4,03 37/,951 19/4,10 37/3,114 19/4,343 37/3,33 37/3,330 18,37 19,54 0,18 0,11 0,66 0,60 1,80 1,71,63 3,31 31,61 34,93 38,70 36,65 40,4 38,80 44,00 4,46 47,43 50,3 555,61 68,6 665,88 665,8 697,66 698,31 776,86 775,95 837,37 888,37 0, ,1644 0, , , ,1138 0,1031 0,1043 0,0949 0, Heuchera Flag Verbena Nasturtium Violet ,5 715,5 39,61 354,43 354,53 36,55 36,70 37/3,368 61/,70 37/3,493 61/,751 37/3,533 3,58 4,48 4,45 4,76 4,73 51,47 55,19 55,37 56,41 55,73 908,76 981,96 977, ,47 999,98 0, , ,0813 0, , Cattail Petunia Lilac Arbutus Snapdragon ,15 380,15 403,16 40,98 456, 61/,817 37/3,617 61/,901 37/3,74 61/86 5,35 5,3 6,11 6,07 7,77 57,95 58,353 61,8 61,85 68, ,5 1048, , ,03 164,00 0,0761 0, , , , Cockscomb Goldenrod Magnolia Camellia Hawkweed ,13 483,83 483,47 506,3 506,73 37/3,96 61/3,178 37/4,079 61/3,51 37,4/176 7,73 8,60 8,55 9,6 9,3 69,7 7,3 73,53 75,60 77,19 157, ,49 133,94, ,09 0,0630 0, , ,057 0, Larkspur Bluebell Marigold Hawthorn Narcissus 1033,5 1033, , ,91 53,37 564,6 604,07 644,53 61/3,307 37/4,44 61/3,43 61/3,551 61/3,668 9,76 9,71 30,89 31, ,48 79,41 83,19 88,03 94, ,53 144, , ,6 1785,73 0, , , , , Columbine Carnation Gladiolus Coreopsis Jessamine 1351, , ,50 75,9 765,7 805,9 887,01 61/3,780 61/3,891 61/3,998 61/4,100 61/4,303 34,0 35,0 35,98 36,90 38,73 98,58 104,40 110,38 115,97 16, ,44 009,46 11,50 31,13 457,53 0,043 0, , , , Cowslip Sagebrush Lupine Bitterroot , ,45 166, /3,764 91/3,993 91/4,09 91/4,415 41,40 43,9 46,30 48,56 145,50 163,85 18,41 199,81 805, 3156, , ,49 0,0861 0,054 0,088 0, EXEMPLOS DE ENCORDOAMENTO DE CABOS CA (ASC) Linha de distribuição BT

7 Cabos de alumínio com alma de aço extra forte (de guarda ou páraraios) CÓDIGO CABO SECÇÃO AWG MCM ALUMÍNIO ÁREA TOTAL CONDUTOR Nº DE FIOS X ALUMÍNIO Nº DE FIOS X AÇO CABO ALMA CARGA RUPTURA KN RESISTÊNCIA CC A 0ºC ohm/km TOTAL km/km PESO NOMINAL ALUMÍNIO % AÇO % Grouse Petrel Minorca Leghorn Guinea Dotterel Dorking Brahma Cochin ,8 110,8 134, ,9 190,8 03, 11,3 40,53 51,56 56,15 68,19 80,57 89,63 96, ,09 54,66 81,636 88,950 97,970 17, , ,91 169,560 8/,54 1/,339 1/,441 1/,690 1/,94 1/84 1/3 16/,863 1/3,371 1/4,4 7/,339 7/,441 7/,690 7/,94 7/84 7/3 19/,48 7/3,371 9,3 11,69 1,0 13,45 14,6 15,4 16,01 18,14 16,85 4,4 7,0 7,3 8,07 8,77 9,5 9,61 1,41 10,11 3,18 45,98 50,08 60,37 71,10 77,8 83,36 16,34 9,34 0, , , ,4468 0, ,3030 0,98 0,8131 0,7197 1,70 378,00 411,69 499,97 590,73 657,15 708, ,65 785,15 50,41 37,79 37,79 37,79 37,79 37,79 37,79 8,3 37,79 49,50 6,1 6,1 6,1 6,1 6,1 6,1 71,68 6,1 Linhas de transmissão AT Lances de condutores Os cabos condutores de alumínio são fornecidos em comprimentos padrões contínuos, que dependem da bitola e encordoamento do condutor. Lances especiais, diferentes dos padrões, podem ser fornecidos mediante consulta prévia. Para cabos com áreas de alumínio igual ou menor a 35 ², há uma tolerância de mais ou menos 10% entre o lance de cabo e o lance especificado ou padrão. Para cabos com área de alumínio maior que 35 ², esta variação permissível é de mais ou menos 5%. A quantidade em massa da encomenda poderá sofrer uma tolerância na entrega de +/ 5% (cinco por cento).

8 Cabos de alumínio CABOS DE ALUMÍNIO NU COM ALMA DE AÇO TIPO CAA/ACRS CABOS DE ALUMÍNIO NU TIPO CA/ASC CÓDIGO CABO LANCES PADRÕES TIPO DE BOBINA m kg LANCES PADRÕES TIPO DE BOBINA m kg LANCES PADRÕES TIPO DE BOBINA m kg SÉRIE EXTRA FORTE (DE GUARDA OU PÁRARAIOS) CABOS DE ALUMÍNIO COM ALMA DE AÇO CÓDIGO CABO Grouse Petrel Minorca Leghorn Guinea Dotterel Dorking Brahma Cochin Aux Magpie CÓDIGO CABO Turkey Swan Swanate Sparrow Sparate Waxwing Partridge Ostrich Merlin Linnet Robin Raven Quail Pigeon Penguin Oriole Chickader Brant Ibis Lark Pelican Flicker Hawk Hen Osprey Parakeet Dove Eagle Peacock Squab Woodduck Teal Kingbird Rook Grosbeak Scoter Egret Swift Flamingo Gannet Stilt Starling Redwing Cuckoo Drake Coot Tern Condor Mallard Ruddy Canary Catbird Rail Cardinal Tanager Ortlan Curlew Bluejay Finch Bunting Grackle Skylark Bittern Pheasant Dipper Martin Bobolink Plover Nuthatch Parrot Lafwing Falcon Chuckar Bluebird Kiwi Thrasher X Peachbell Rose Iris Pansy Poppy Aster Phlox Oxlip Valerian Sneezewort Laurel Daisy Peony Tulip Daffodil Canna Goldentuft Syringa Cosmos Hyacinth Zinnia Mistletoe Dahlia Meadowswee Orchid Heuchera Flag Verbena Nasturtium Violet Cattail Petunia Lilac Arbutus Snapdragon Cockscomb Goldenrod Magnolia Camellia Hawkweed Larkspur Bluebell Marigold Hawthorn Narcissus Columbine Carnation Gladiolus Coreopsis Jessamine Cowslip Sagebrush Lupine Bitterroot x Linha de eletrificação rural Linha de eletrificação rural

9 Bobinas de madeira Lances Identificação das bobinas Normalmente todos os cabos são embalados em bobinas de madeira, as quais recebem tratamento para estocagem pelo período de anos. Após a colocação do cabo na bobina a mesma é fechada com ripas. O fechamento é envolvido por duas cintas de aço. As dimensões e características das bobinas padronizadas CBA são dadas na tabela específica abaixo. Os cabos de alumínio com alma de aço e sem alma de aço poderão ser fornecidos mediante consulta, em bobina pequena com cerca de 5% do lance nominal especificado neste catálago. Tais embalagens facilitarão o manuseio dos cabos em locais de difícil acesso, protegendoas de avarias. A identificação das bobinas é feita por plaquetas colocadas na face externa dos discos, conforme o desenho indicativo abaixo, identificando os principais dados da encomenda. H I J K Duas fitas de aço galvanizado Etiqueta metálica de identificação em cada lateral Código da bobina em cada lateral Seta indicativa do sentido de desenrolar CÓDIGO DA BOBINA DIMENSÕES APROXIMADAS A B C D E F G RIPA DE FECHAMENTO ESP. X LARG. APROX. () TIRANTE QUANT. E APROX.() TARA DE BOBINA (kg) VOLUME EMBARQUE m 3 65/ x70 4x9,5 5 0,17 65/ x70 4x9,5 35 0,7 80/ x70 4x9,5 45 0,40 100/ x70 4x9,5 90 0,80 15/ x70 4x1,7 1,40 15/ x95 4x1, ,98 150/ x95 5x1,7 180, 170/ x95 5x1,7 50,9 170/ x95 6x1,7 30 3,63 190/ x95 7x1, ,50 10/ x95 8x1, ,45 30/ x95 8x19, ,78 50/ x95 8x19, ,64 70/ x95 8x19, ,80

10 Recomendações para manuseio, transporte e armazenagem das bobinas Quando as bobinas forem içadas por guindaste ou talha, uma corrente ou cabo de aço com barra separadora e um eixo que passe pelo furo central devem ser usados. Nunca se deve levantar a bobina passandose uma corrente ou cabo de aço pelo furo central ou envolvendo o fechamento. Quando as bobinas forem transportadas por empilhadeira, o eixo da bucha deve estar paralelo à direção do deslocamento, conforme indicado abaixo. Bobinas transportadas em qualquer tipo de veículo, devem permanecer alinhadas, em contato uma com a outra e calçadas firmemente às extremidades. A bobina não deve sofrer quedas, uma vez que o impacto pode danificála e ao cabo. Quando forem descarregadas no local da obra, uma rampa ou guindaste deve ser usado. As bobinas devem ser sempre mantidas na posição vertical e nunca devem ser roladas. As bobinas devem ser armazenadas em pisos revestidos de concreto ou pedra britada e calçadas em cada extremidade da fila. Se o piso não for revestido, as bobinas devem ser colocadas sobre suportes apropriados evitandose o contato entre as bobinas e o solo. Deve haver um espaço livre entre as filas de bobinas a fim de permitir circulação de ar entre as filas. Se as bobinas forem armazenadas por um periodo longo de tempo, deverão ser cobertas para que não sejam expostas diretamente as intempéries. As ripas de fechamento não deverão ser removidas até que a bobina esteja colocada no equipamento de lançamento. ESTOCAGEM (PLÁSTICO OU LONA)

11 Fios FIOS DE ALUMÍNIO PARA FINS ELÉTRICOS Os fios de alumínio para fins elétricos são fabricados conforme NBR5118, pelo mesmo processo usados para fios componentes dos cabos encordoados, possuindo uma condutividade mínima de 61% IACS. Os diâmetros dos fios são expressos em AWG ou em milímetros, com as seguintes tolerâncias: NOMINAL DO FIO VARIAÇÃO PERMISSÍVEL 1, ,60 ± 0,03 ± 1% Fios de alumínio Os fios de alumínio para fins elétricos são embalados em rolos com aproximadamente 30kg. As dimensões aproximadas dos rolos são as seguintes: Diâmetro externo: 600 Diâmetro interno: 500 Largura: 00 Os rolos são protegidos com plástico transparente. NOMINAL DO FIO SECÇÃO PESO NOMINAL kg/km BITOLA AWG BITOLA EQUIVALENTE COBRE AWG 6,54 5,19 4,1 3,6,59,05 1,63 33,59 1,15 13,6 8,34 5,6 3,30,08 90,70 57,1 35,8,53 14, 8,91 5, Fita de amarração A fita de amarração foi desenvolvida para substituir proteções metálicas, permitindo um controle mais suave ao condutor, sendo recozida, pode ser aplicada manualmente em torno do condutor, sem o auxílio de ferramentas. A fita de amarração é fornecida em rolos pesando cerca de 3 Kg fabricada com alumínio1350, recozido (têmpera mole). ESPESSURA LARGURA MASSA kg/km 1,00 10,00 7,10

12 Propriedades físicas e elétricas As propriedades básicas do fio de alumínio para fins elétricos (EC) são dadas nas tabelas adiante, onde estão também incluídas as propriedades do cobre duro comercial, do padrão de cobre recozido e do aço galvanizado. NOMINAL DO FIO RESISTIVIDADE MÁXIMA /m COEFICIENTE DE TEMPERATURA DE RESISTÊNCIA POR GRAU C 0ºC 0ºC 5ºC 0ºC 5ºC DENSIDADE 0ºC (g/cm ) COEFICIENTE DE DILATAÇÃO LINEAR POR GRAU C MÓDULO DE ELASTICIDADE (kgf/ ) 3 FIO DE ALUMÍNIO 1350 (EC) 61,0 0,0864 0, , ,00395,703 0, FIO DE LIGA DE ALUMÍNIO 601 5,5 0, , , ,00340,703 0, FIO DE COBRE DURO COMERCIAL 97,0 0, , , , ,89 0, PADRÃO INTERNACIONAL DE COBRE RECOZIDO (IACS) 100,0 0, , , , ,89 0, FIO DE AÇO GALVANIZADO 9,0 0, ,78 0, Módulos de elasticidade e coeficiente de dilatação linear DESCRIÇÃO FIO E CABO DE ALUMÍNIO CA OU ASC ENCORDOAMENTO MÓDULO DE ELASTICIDADE (kg/ 3 ) COEFICIENTE DE DILATAÇÃO LINEAR C x10 4 FIO DE AÇO GALVANIZADO ,5 11,5 11,5 CAA OU ACSR 6/1 8/1 18/1 6/7 8/7 1/7 6/7 30/7 45/7 54/7 16/19 18/19 30/19 4/19 54/19 3/4 4/ ,1 16,9 1, 19,8 17,6 15,3 18,9 17,8 0,7 19,3 14, 13,9 18,0 15,8 19,4 13,7 14,8 COBRE DURO Todos ,9 NOTAS: 1. Os módulos de elasticidade da tabela são finais, isto é, correspondentes a cabos previamente tracionados. Os valores são a média de valores obtidos no ensaio de traçãodeformação. O valor relativo ao cobre é típico e referese tanto a cabos como a fios.. Os valores dos coeficientes de dilatação são típicos exceto os dos cabos (CAA ou ACSR) que são calculados e medidos para cada encordoamento.

13 Características dos fios de alumínio e cobre (*) a 0ºC BITOLA (AWG) ÁREA MASSA ALUMÍNIO COBRE kg/km kg/km RESISTÊNCIA ELÉTRICA (*) ALUMÍNIO (61% IACS) ohm/km COBRE RECOZIDO (100% IACS) ohm/km 4/0 3/0 /0 1/0 11,68 10,40 9,7 8,5 107,3 85,03 67,4 53,49 89,70 9,80 18,30 144, ,70 599,40 475,50 0,6 0,33 0,4 0,53 0,16 0,0 0,6 0, ,35 6,54 5,83 5,19 4,41 33,63 6,66 1,15 114,60 90,85 7,04 57,15 377,00 99,00 37,10 188,00 0,67 0,84 1,06 1,34 0,41 0,51 0,65 0, ,6 4,1 3,67 3,6 16,77 13,30 10,55 8,37 45,30 35,9 8,50,61 149,10 118,0 93,80 74,38 1,69,13,68 3,38 1,03 1,30 1,63, ,91,59,30,05 6,63 5,6 4,17 3,31 17,9 14,1 11,7 8,94 58,96 46,77 37,06 9,47 4,6 5,37 6,78 8,54,60 3,8 4,13 5, ,83 1,63 1,45 1,9,63,08 1,65 1,30 7,09 5,63 4,46 3,53 3,36 18,45 14,69 11,6 10,77 13,57 17,11 1,6 6,56 8,7 10,43 13,19 Requisito de tração dos fios de alumínio NOMINAL DO FIO () FIO DE ALUMÍNIO DURO (1350H19) (NBR 5118) RESISTÊNCIA À TRAÇÃO MÍNIMA (MPa)* Fio de alumínio 3/4 duro (1350H6 OU H16) (NBR 5118) RESISTÊNCIA À TRAÇÃO (MPa)* MÍNIMA MÁXIMA Fio de alumínio 1/ duro (1350H4 OU H14) (NBR 5118) RESISTÊNCIA À TRAÇÃO (MPa)* MÍNIMA MÁXIMA 3, , ,794, ,540, ,86, ,031, ,7781, ,541, ,700, Linha de transmissão AT

14 Requisitos de tração do fio de aço galvanizado NBR 6756 NOMINAL DO FIO () TENSÃO MÍNIMA A 1% DE ALONGAMENTO (MPa)* CLASSE 1 CLASSE TRAÇÃO À RUPTURA MÍNIMA (MPa)* ALONGAMENTO MÍNIMO EM 50 (%) TENSÃO MÍNIMA A 1% DE ALONGAMENTO (MPa)* TRAÇÃO À RUPTURA MÍNIMA (MPa)* ALONGAMENTO MÍNIMO EM 50 (%) 1,4, ,5 140,5,6, , ,5, , ,514, ,64, ,765, Tabela geral de conversão PARA CONVERTER EM MULTIPLICAR POR Polegadas Milímetros () 5,4 Pés Metros (m) 0,3048 Milhas Quilômetros (km) 1, Milímetros () Polegadas 0, Metros (m) Pés 3,81 Quilômetros (km) Milhas 0,6137 Polegadas quadradas Milímetros quadrados (²) 645,16 Circular mil (CM) Milímetros quadrados (²) 0, Milímetros quadrados (²) Polegadas quadradas 0,00155 Milímetros quadrados (²) Circular mil (CM) 1973,5 Libras Quilogramas (kg) 0,45359 Quilogramas (kg) Libras,046 Quilogramas força (kgf) Newtons (N) 9,80665 Newtons (N) Quilogramasforça por milímetros² (kgf/²) Quilogramasforça por milímetros² (kgf/²) Libras por polegadas² (psl) Megapascal (Mpa) Libras por polegadas² (psl) Quilogramas força (kgf) Libras por polegadas² (psl) Megapascal (Mpa) Quilogramasforça por milímetros² (kgf/²) Quilogramasforça por milímetros² (kgf/²) ohm por quilômetros (ohm/km) 0, ,33 9, , , ,8083 ohm por quilômetros (ohm/km) ohm por pés 0,3048

15 COMPANHIA BRASILEIRA DE ALUMÍNIO Vista aérea da fábrica Alumínio SP A COMPANHIA BRASILEIRA DE ALÚMÍNIO uma empresa privada, de capital inteiramente nacional que lutou e cresceu com a utilização dos recursos gerados pela própria empresa, sejam eles humanos, tecnológicos, ou de capital, possuindo dessa forma o mais avançado Knowhow na produção de cabos de alumínio pois dispõe de moderno processo de laminação contínua para fabricação do vergalhão de alumínio tipo properzi permitindo a verticalização da produção garantindo o controle de qualidade em todas as fases de fabricação (fundição, laminação, trefilação, encordoamento, etc). CBA Qualidade ISO 9001 A COMPANHIA BRASILEIRA DE ALUMÍNIO através do desenvolvimento e produção de uma linha completa de materiais, vergalhão tipo properzi, fios nus, condutores nus de alumínio sem alma de aço, condutores nus de alumínio com alma de aço, indispensáveis ao setor energético, participa dia a dia do desenvolvimento de energia elétrica do país, fornecendo cabos para as linhas de transmissão, linhas de distribuição e linhas de eletrificação rural. Este catálogo resume as principais caracteríticas elétricas e físicas de fios de alumínio e cabos condutores de alumínio fabricados pela CBA incluindo bitola, código, formação e dimensões físicas, embalagem, etc. que se enquadram nas normas ASTM e ABNT usualmente aplicadas. Condutores fabricados segundo outras normas (CSA, DIN, BS, IEC, AS) também poderão ser fornecidos mediante consulta prévia.

16 janeiro 00 ESCRITÓRIO CENTRAL CBA Praça Ramos de Azevedo, 54 CEP São Paulo SP Tel (11) Fax (11) , e.30 FÁBRICA (ALUMÍNIO SP) Rua Moraes do Rego, 347 Alumínio SP CEP Tel (11) VENDAS SÃO PAULO Cabos de alumínio (11) Construção civil (11) Distribuição (11) Embalagens (11) Transportes (11) Exportação (11) GERÊNCIA DE FILIAIS Tel (11) Belém (PA) Rodovia BR 316 (Km 05), 4900 Coqueiro CEP Tel (91) Fax (91) Caxias do Sul (RS) Rua Antonio Montemezzo, 311 Floresta CEP Tel (54) Fax (54) Contagem (MG) Av. Dr. Antonio Chagas Diniz, 65 Distrito Industrial CEP Tel (31) Fax (31) Curitiba (PR) Rua Isaac Guelmann, 501 Novo Mundo CEP Tel (41) Fax (41) Esteio (RS) Rodovia BR 116, 1751 Bairro Industrial CEP Tel (51) Fax (51) Fortaleza (CE) Av. Francisco Sá, 598 Barra do Ceará CEP 6033 Tel (85) Fax (85) Gaspar (SC) Rua Anfilóquio Nunes Pires, 1313 Figueira CEP 8910 Tel (47) Fax (47) Recife (PE) Av. Marechal Mascarenhas de Moraes, 3110 Imbiribeira CEP Tel (81) Fax (81) Ribeirão Preto (SP) Av. Mogiana, 1655 Vila Carvalho CEP 7570 Tel (16) Fax (16) Rio de Janeiro (RJ) Av. Brasil, Parada de Lucas CEP Tel (1) Fax (1) Salvador (BA) Rua Secundária, s/nº Campinas de Pirajá CEP Tel (71) Fax (71) São Paulo (SP) Av. Henry Ford, 34/50 Mooca CEP Tel (11) Fax (11) 7.39 FÁBRICA VENDAS São Paulo VENDAS FILIAIS REPRESENTANTES

Alumínio Condutores Nus

Alumínio Condutores Nus Alumínio Condutores Nus Líder Mundial na Indústria de Cabos Com a energia como base de seu desenvolvimento, a Nexans é a líder mundial na indústria de cabos, graças à sua relevante atuação nas áreas de

Leia mais

É A MESMA QUE NOS MOTIVA.

É A MESMA QUE NOS MOTIVA. A ENERGIA QUE CHEGA ATÉ VOCÊ É A MESMA QUE NOS MOTIVA. CATÁLOGO MASTER 03. 05. APRESENTAÇÃO CONCEITOS BÁSICOS SOBRE CONDUTORES ELÉTRICOS 13. PRODUTOS 15. 16. 18. 19. 22. 24. 25. 27. 29. 31. 33. 34. 37.

Leia mais

Fios e cordoalhas de aço zincados para Eletrificação e Telefonia

Fios e cordoalhas de aço zincados para Eletrificação e Telefonia Fios e cordoalhas de aço zincados para Eletrificação e Telefonia Fios e cordoalhas de aço 1 Qualidade que faz a diferença. Conhecer a qualidade das coisas é saber diferenciá-las. E, assim, poder escolher

Leia mais

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA PADRONIZAÇÃO APROVAÇÃO ELABORAÇÃO VISTO MA NU AL E SP EC IA L SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0032 ESPECIFICAÇÃO DE CONDUTORES

Leia mais

LINHA NEXANS SUSTENTABILIDADE. Cabos especiais para linhas de transmissão aérea

LINHA NEXANS SUSTENTABILIDADE. Cabos especiais para linhas de transmissão aérea LINHA NEXANS SUSTENTABILIDADE Cabos especiais para linhas de transmissão aérea Solução sustentável para todas as necessidades O parque instalado brasileiro de linhas de transmissão é extenso e em geral

Leia mais

Produtos. Fio e Cabo Pauliplast BWF 750V. Fio e Cabo de Cobre Nu. 2 www.ipce.com.br. Fios e cabos para uso geral de baixa tensão

Produtos. Fio e Cabo Pauliplast BWF 750V. Fio e Cabo de Cobre Nu. 2 www.ipce.com.br. Fios e cabos para uso geral de baixa tensão Fio e Cabo de Cobre Nu Fio e Cabo Pauliplast BWF 750V Características dimensionais e resistência elétrica de fios e cabos de cobre nu, meio duro e duro Empregados em linhas aéreas para transmissão e distribuição

Leia mais

PRODUTOS PARA CONsTRUçãO CIVIL E MECÂNICA

PRODUTOS PARA CONsTRUçãO CIVIL E MECÂNICA PRODUTOS PARA CONsTRUçãO CIVIL E MECÂNICA VOTORAÇO VS 50 Construção Civil Principais características dimensionais e de propriedades mecânicas do produto, conforme a ABNT NBR 7480. Especificação Diâmetro

Leia mais

LINHAS DE TRANSMISSÃO E REDES DE DISTRIBUIÇÃO

LINHAS DE TRANSMISSÃO E REDES DE DISTRIBUIÇÃO CATÁLG E PRUTS LINHAS E TRANSMISSÃ E REES E ISTRIBUIÇÃ MAXXWEL CNECTRES ELÉTRICS LTA. Rua avid Campista, 1067 Afonso Pena 83045 060 São José dos Pinhais PR Fone (41) 383 910 Fax: (41) 383 8479 EMail:maxxweld@maxxweld.com.br

Leia mais

XLVI Pesquisa Operacional na Gestão da Segurança Pública

XLVI Pesquisa Operacional na Gestão da Segurança Pública DESENVOLVIMENTO DE UM COMITÊ DE TOMADA DE DECISÃO E APLICAÇÃO NA SELEÇÃO DE CODUTORES PARA LINHAS DE TRANSMISSÃO AÉREA Douglas Angelo Teixeira Instituto Federal do Norte de Minas Gerais Rua Dois, 300 -

Leia mais

CONECTORES ELÉTRICOS Catálogo Geral de Conectores 2010

CONECTORES ELÉTRICOS Catálogo Geral de Conectores 2010 CONECTORES ELÉTRICOS Catálogo Geral de Conectores 2010 A Polimetal Fundada em 1970, a Polimetal mantém sua fábrica na cidade de Contagem, em Minas Gerais, Brasil. Somos fabricantes de conectores elétricos

Leia mais

ÍNDICE. Alça Preformada de Serviço... 02. Alça Preformada de Distribuição... 04. Alça Preformada Dupla de Distribuição... 07

ÍNDICE. Alça Preformada de Serviço... 02. Alça Preformada de Distribuição... 04. Alça Preformada Dupla de Distribuição... 07 www.steelloop.com.br STEEL LOOP INDUSTRIAL DO BRASIL LTDA. AVENIDA MOGI MIRIM nº 1365 JARDIM ITACOLOMY MOGI GUAÇÚ SP CEP 13.844-110 FONE/FAX (19) 3861 1260 vendas@steelloop.com.br ÍNDICE Alça Preformada

Leia mais

NBR 7483/2005. Cordoalhas de aço para concreto protendido Requisitos

NBR 7483/2005. Cordoalhas de aço para concreto protendido Requisitos NBR 7483/2005 Cordoalhas de aço para concreto protendido Requisitos OBJETIVO Fixar os requisitos para fabricação, encomenda, fornecimento e recebimento de cordoalhas de aço de alta resistência de três

Leia mais

POP-04.0001. Transporte, armazenamento, preservação, manuseio, instalação e ensaios de cabos elétricos

POP-04.0001. Transporte, armazenamento, preservação, manuseio, instalação e ensaios de cabos elétricos 1 Objetivo Procedimento Operacional Pág.: 1/15 Determinar as condições exigíveis de acondicionamento, transporte, armazenamento e movimentação de bobinas de condutores elétricos, visando à integridade

Leia mais

Cabo Foreplast BWF Flexível 750V

Cabo Foreplast BWF Flexível 750V Cabo Foreplast BWF Flexível 7V Devido à sua flexibilidade, os cabos Foreplast BWF flexíveis são recoendados para fiações de quadros e painéis, alé das instalações fixas de construção civil. : Cobre nu,

Leia mais

RELAÇÃO DE MATERIAIS PADRONIZADOS - REDE DE DISTRIBUIÇÃO CLASSE 15 KV REDE SUL / SUDESTE

RELAÇÃO DE MATERIAIS PADRONIZADOS - REDE DE DISTRIBUIÇÃO CLASSE 15 KV REDE SUL / SUDESTE RELAÇÃO DE MATERIAIS PADRONIZADOS - DE DISTRIBUIÇÃO CLASSE 15 KV SUL / SUDESTE AFASTADOR, ARMACAO SECUNDARIA, ACO CARBONO 1010-1020, ZINCADO A QUENTE, DIMENSOES: 1000 X700 10002599 MM, 4 FUROS, NORMAS

Leia mais

Laminados. de alumínio

Laminados. de alumínio Laminados de alumínio COMPANHIA BRASILEIRA DE ALUMÍNIO Vista aérea da fábrica Alumínio SP Fundada em 9 na cidade de Alumínio (SP), a CBA, empresa do Grupo Votorantim, é uma das maiores indústrias do mundo

Leia mais

Alumínio Condutores Nus Termorresistentes

Alumínio Condutores Nus Termorresistentes Alumínio Condutores Nus Termorresistentes Líder Mundial na Indústria de Cabos Com a energia como base de seu desenvolvimento, a Nexans é a líder mundial na indústria de cabos, graças à sua relevante atuação

Leia mais

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA MONTAGEM DE REDES AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEXADOS APRESENTAÇÃO

PADRONIZAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título ESTRUTURAS PARA MONTAGEM DE REDES AÉREAS DE DISTRIBUIÇÃO URBANA SECUNDÁRIA COM CABOS MULTIPLEXADOS APRESENTAÇÃO APRESENTAÇÃO 1-1 SUMÁRIO SEÇÃO 1 Apresentação SEÇÃO 2 Engastamento de postes SEÇÃO 3 Afastamentos mínimos SEÇÃO 4 Instalações básicas SEÇÃO 5 Cruzamentos SEÇÃO 6 Rabichos SEÇÃO 7 Aterramento 1 OBJETIVO

Leia mais

PADRÃO TÉCNICO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA COM CONDUTORES NUS PT.DT.PDN.03.05.012 01 POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DUPLO T

PADRÃO TÉCNICO SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA COM CONDUTORES NUS PT.DT.PDN.03.05.012 01 POSTE DE CONCRETO DE SEÇÃO DUPLO T SISTEMA NORMATIVO CORPORATIVO PADRÃO TÉCNICO CÓDIGO TÍTULO VERSÃO REDES DE DISTRIBUIÇÃO AÉREA COM CONDUTORES NUS PT.DT.PDN.03.05.012 01 APROVADO POR PAULO JORGE TAVARES DE LIMA DSEE 11/12/2014 DATA SUMÁRIO

Leia mais

TENSÕES MECÂNICAS ADMISSÍVEIS PARA ELABORAÇÃO E/OU VERIFICAÇÃO DE PROJETOS DE TRAVESSIAS AÉREAS UTILIZANDO CABOS SINGELOS DE ALUMÍNIO COM ALMA DE AÇO

TENSÕES MECÂNICAS ADMISSÍVEIS PARA ELABORAÇÃO E/OU VERIFICAÇÃO DE PROJETOS DE TRAVESSIAS AÉREAS UTILIZANDO CABOS SINGELOS DE ALUMÍNIO COM ALMA DE AÇO RT 2.002 Página 1 de 6 1. OBJETIVO Estabelecer parâmetros técnicos para subsidiar a padronização dos critérios para adoção de tensões mecânicas de projeto quando da utilização de cabos singelos de alumínio

Leia mais

INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES

INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES 3$'5 2'((6758785$6 '(/,1+$6(5('(6 PARTE 1 ASPECTOS GERAIS INTRODUÇÃO POSTES ATERRAMENTO ESTAIAMENTO CONDUTORES Gerência de Planejamento e Engenharia Processo de Engenharia e Obras ASPECTOS GERAIS PARTE

Leia mais

Ensaio de tração: cálculo da tensão

Ensaio de tração: cálculo da tensão Ensaio de tração: cálculo da tensão A UU L AL A Você com certeza já andou de elevador, já observou uma carga sendo elevada por um guindaste ou viu, na sua empresa, uma ponte rolante transportando grandes

Leia mais

CABOS ISOLADOS / COBERTOS DE BAIXA TENSÃO (até 1kV) Nota: Sob consulta, os cabos Forex, Flexonax, Forenax, Forefix podem ser fornecidos com armadura Fio e Cabo WPP Cordão FOREPLAST (300 V) Os fios WPP

Leia mais

CONECTORES GRAMPOS FERRAGENS CATÁLOGO DE PRODUTOS

CONECTORES GRAMPOS FERRAGENS CATÁLOGO DE PRODUTOS CATÁLG E RUTS CNECTRES GRAMS FERRAGENS MAXXWEL CNECTR ES ELÉTRICS LTA. Rua avid Campista, 06 Afonso ena 80 0 São José dos inhais R Fone () 8 90 Fax: () 8 8 EMail:maxxweld@maxxweld.com.br Home age: www.maxxweld.com.br

Leia mais

Fio e Cabo Inbranil Antichama - 750V

Fio e Cabo Inbranil Antichama - 750V Fio e Cabo Inbranil Antichama - 750V Características Construtivas 1) Para Fio Inbranil Antichama: condutor sólido de cobre eletrolítico nu, têmpera mole, classe 1. Para Cabo Inbranil Antichama: condutor

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA AMPLA ETA-210/2015 R-00

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA AMPLA ETA-210/2015 R-00 DIRETORIA DE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO DE REDE /2015 ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA AMPLA /2015 R- FOLHA DE CONTROLE I APRESENTAÇÃO A presente Especificação Técnica define os requisitos

Leia mais

SOLUÇÕES PARA ANDAIMES DE ACESSO 2012/13

SOLUÇÕES PARA ANDAIMES DE ACESSO 2012/13 SOLUÇÕES PARA ANDAIMES DE ACESSO 2012/13 SH fôrmas Andaimes e Escoramentos soluções Para andaimes de acesso SoluçõES para ANDAImES DE ACESSo ESCADAS TubO EquIpADO SH MODEx SH fachadeiro SH soluções Para

Leia mais

Produtos de Aço para Indústria e Construção Civil

Produtos de Aço para Indústria e Construção Civil Produtos de Aço para Indústria e Construção Civil CATÁLOGO 2015 AÇOS longos E PLANOS PRODUTOS DE AÇO PARA INDÚSTRIA E CONSTRUÇÃO CIVIL SUMÁRIO Sobre a Dimensão Aços Longos e Planos Produtos para Produtos

Leia mais

Catálogo de. Produtos

Catálogo de. Produtos Catálogo de Produtos Atualização: Janeiro/01. Sumário Tabelas de Dimensionamento Fios e Cabos Elétricos de Cobre para Baixa Tensão 6 Fio Sólido BWF 0 V Cabo BWF 0 V 8 Cabo Flexível Corfitox HEPR 90 C 0,6/1

Leia mais

CONDUTORES ELÉTRICOS DE BAIXA TENSÃO

CONDUTORES ELÉTRICOS DE BAIXA TENSÃO 8 CONDUTORES ELÉTRICOS DE BAIXA TENSÃO 8.1 INTRODUÇÃO Em qualquer circuito elétrico, nota-se a presença de elementos condutores, que interligam os equipamentos elétricos às fontes e aos demais componentes

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO Nº 03 PVC

BOLETIM TÉCNICO Nº 03 PVC A tabela a seguir lista valores típicos de algumas propriedades físicas, mecânicas, térmicas e elétricas de compostos de PVC rígidos e flexíveis. Os valores são simplesmente de caráter informativo e são

Leia mais

LINHAS DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

LINHAS DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA LINHAS DE TRANSMISSÃO DE ENERGIA ELÉTRICA FAN Faculdade Nobre As linhas de transmissão são os equipamentos empregados para transportar grandes blocos de energia por grandes distâncias, entre os centros

Leia mais

Portaria n.º 11, de 10 de janeiro de 2014. CONSULTA PÚBLICA

Portaria n.º 11, de 10 de janeiro de 2014. CONSULTA PÚBLICA Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 11, de 10 de janeiro de 2014. CONSULTA

Leia mais

Esta Norma fixa os requisitos para especificação, fabricação, fornecimento e recebimento de armaduras treliçadas eletrossoldadas.

Esta Norma fixa os requisitos para especificação, fabricação, fornecimento e recebimento de armaduras treliçadas eletrossoldadas. NBR 14862 - MAIO 2002 - Armaduras treliçadas eletrossoldadas - Requisitos Origem: Projeto 18:314.01-004:2001 ABNT/CB-18 - Comitê Brasileiro de Cimento, Concreto e Agregados CE-18:314.01 - Comissão de Estudo

Leia mais

REDE AÉREA (cabos condutores, tubos e isoladores) 1.00. Ampliação da SE Ariquemes Bay 15 kv Lista de Rede aérea PREÇO (R$) UNITÁRIO TOTAL

REDE AÉREA (cabos condutores, tubos e isoladores) 1.00. Ampliação da SE Ariquemes Bay 15 kv Lista de Rede aérea PREÇO (R$) UNITÁRIO TOTAL Ampliação da SE Ariquemes Bay 15 kv Lista de Rede aérea ITEM DESCRIÇÃO QUANT. 1.00 REDE AÉREA (cabos condutores, tubos e isoladores) 1.1 Cabo de alumínio com alma de aço (CAA), seção 4/0, diâmetro externo

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA POSTES DE CONCRETO ARMADO CIRCULAR E DUPLO T E SUMÁRIO CONTEÚDO 1. OBJETIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 03 5.1. Condições de Serviço 03 5.2.

Leia mais

NORMA TÉCNICA CELG D. Estruturas para Redes de Distribuição Aéreas Rurais Classes 15 e 36,2 kv. NTC-06 Revisão 1

NORMA TÉCNICA CELG D. Estruturas para Redes de Distribuição Aéreas Rurais Classes 15 e 36,2 kv. NTC-06 Revisão 1 NORMA TÉCNICA CELG D Estruturas para Redes de Distribuição Aéreas Rurais Classes 15 e 36,2 kv NTC-06 Revisão 1 ÍNDICE SEÇÃO TÍTULO PÁGINA 1. INTRODUÇÃO 1 2. OBJETIVO 2 3. NORMAS E DOCUMENTOS COMPLEMENTARES

Leia mais

Portaria n.º 260, de 05 de junho de 2014.

Portaria n.º 260, de 05 de junho de 2014. Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 260, de 05 de junho de 2014. O PRESIDENTE

Leia mais

1. Objetivo 1. 2. Referências 1. 3. Condições gerais 1. 4. Condições específicas 1. 5. Inspeção 2. Tabela 1 - Características elétricas e mecânicas 4

1. Objetivo 1. 2. Referências 1. 3. Condições gerais 1. 4. Condições específicas 1. 5. Inspeção 2. Tabela 1 - Características elétricas e mecânicas 4 SUMÁRIO Pág. 1. Objetivo 1 2. Referências 1 3. Condições gerais 1 4. Condições específicas 1 DISTRIBUIÇÃO AUTOMÁTICA DE CÓPIAS 02.118-CONEM-0003 5. Inspeção 2 Tabela 1 - Características elétricas e mecânicas

Leia mais

Passado, presente e futuro

Passado, presente e futuro Passado, presente e futuro A SteelPack iniciou suas atividades em 1989 com beneficiamento de bobinas laminadas a quente e a frio, decapadas, zincadas e alumínio. Em 2011 ampliou sua capacidade produtiva,

Leia mais

FIBER-LAN INDOOR/OUTDOOR

FIBER-LAN INDOOR/OUTDOOR FIBER-LAN INDOOR/OUTDOOR Tipo do Produto Cabos Ópticos Construção Dielétrico Tight Monomodo ou Multimodo Descrição Cabo óptico tipo "tight", constituído por fibras ópticas do tipo multimodo ou monomodo.

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE FIO 4BWG. LT 138kV ENTRONCAMENTO (INDAIAL RIO DO SUL II) RIO DO SUL RB LT 25519

ESPECIFICAÇÃO DE FIO 4BWG. LT 138kV ENTRONCAMENTO (INDAIAL RIO DO SUL II) RIO DO SUL RB LT 25519 DIRETORIA TECNICA DEPARTAMENTO DE PROJETO E CONSTRUÇÃO DO SISTEMA ELÉTRICO DIVISÃO DE LINHAS ESPECIFICAÇÃO DE FIO 4BWG LT 138kV ENTRONCAMENTO (INDAIAL RIO DO SUL II) RIO DO SUL RB LT 25519 SET/06 SUMÁRIO

Leia mais

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.02.04 REDE CONVENCIONAL TRANSFORMADORES

Sumário ORIENTAÇÃO TÉCNICA - DISTRIBUIÇÃO OTD 035.02.04 REDE CONVENCIONAL TRANSFORMADORES Sumário 1. Objetivo 2. Âmbito de Aplicação 3. Documentos de Referência 4. Requisitos Ambientais 5. Condições Gerais 6. Estruturas Trifásicas com Transformadores 6.1. Estrutura M1 com Transformador 6.2.

Leia mais

Aços Longos. Fios e Cordoalhas para Concreto Protendido

Aços Longos. Fios e Cordoalhas para Concreto Protendido Aços Longos Fios e Cordoalhas para Concreto Protendido Fios e Cordoalhas para Concreto Protendido Os aços para concreto protendido são fabricados desde 1952 no Brasil pela Belgo Bekaert Arames, dentro

Leia mais

ESTRUTURAS METÁLICAS - UFPR CAPÍTULO 1 AÇOS ESTRUTURAIS

ESTRUTURAS METÁLICAS - UFPR CAPÍTULO 1 AÇOS ESTRUTURAIS ESTRUTURAS METÁLICAS - UFPR CAPÍTULO 1 AÇOS ESTRUTURAIS 1 INDICE CAPÍTULO 1 - AÇOS ESTRUTURAIS...1 1 INTRODUÇÃO - HISTÓRICO... 1 2 CARACTERÍSTICAS PRINCIPAIS DAS ESTRUTURAS DE AÇO... 2 3 REFERÊNCIAS NORMATIVAS...

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONA E MUCURI DIAMANTINA MG ESTUDO DIRIGIDO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONA E MUCURI DIAMANTINA MG ESTUDO DIRIGIDO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DOS VALES DO JEQUITINHONA E MUCURI DIAMANTINA MG ESTUDO DIRIGIDO Disciplina: Construções Rurais 2011/1 Código: AGR006/AGR007 Curso (s): Agronomia e Zootecnia

Leia mais

Portaria n.º 589, de 05 de novembro de 2012

Portaria n.º 589, de 05 de novembro de 2012 Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA-INMETRO Portaria n.º 589, de 05 de novembro de 2012 O PRESIDENTE

Leia mais

Cobresul Metais Ltda. semimanufaturados de cobre.

Cobresul Metais Ltda. semimanufaturados de cobre. Cobresul Metais Ltda. semimanufaturados de cobre. A Cobresul Metais Ltda., afiliada e controlada pela Plasinco Empreendimentos Ltda. proprietária das empresas Plasinco Ltda, Plasinco Importação e Exportação

Leia mais

CABO ÓPTICO FIBER-LAN INDOOR/OUTDOOR

CABO ÓPTICO FIBER-LAN INDOOR/OUTDOOR CABO ÓPTICO FIBER-LAN INDOOR/OUTDOOR Tipo do Produto Cabos Ópticos Família do Produto Construção TeraLan Dielétrico Tight Monomodo ou Multimodo Descrição Cabo óptico tipo "tight", constituído por fibras

Leia mais

CRITÉRIO DE PROJETO CP 015 DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE

CRITÉRIO DE PROJETO CP 015 DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE CRITÉRIO DE PROJETO CP 015 DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE DOCUMENTO NORMATIVO CRITÉRIO DE PROJETO DISTRIBUIÇÃO AÉREA ECONÔMICA - DAE Código Página Revisão Emissão CP 015 I 1 JAN/2004 APRESENTAÇÃO A

Leia mais

Cabo Optico Aéreo Dielétrico Tubo unico ASU (NR/RC)

Cabo Optico Aéreo Dielétrico Tubo unico ASU (NR/RC) Cabo Optico Aéreo Dielétrico Tubo unico ASU (NR/RC) Os cabos ópticos TELCON contam com uma excelente proteção e transmissão óptica para conectar longas distancias e outros serviços como Multimedia, Internet

Leia mais

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA

SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0052 ESPECIFICAÇÃO DE CABOS DE ALUMÍNIO

Leia mais

Alumínio Condutores Isolados e Cobertos

Alumínio Condutores Isolados e Cobertos Alumínio Condutores Isolados e Cobertos Líder Mundial na Industria de Cabos Com a energia como base de seu desenvolvimento, a Nexans é a líder mundial na indústria de cabos, graças à sua relevante atuação

Leia mais

Aula 08 Instalações Elétricas de Distribuição. Professor Jorge Alexandre A. Fotius

Aula 08 Instalações Elétricas de Distribuição. Professor Jorge Alexandre A. Fotius Aula 08 Instalações Elétricas de Distribuição Professor Jorge Alexandre A. Fotius Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Em áreas urbanas com baixa densidade

Leia mais

NBR 7480/1996. Barras e fios de aço destinados a armaduras para concreto armado

NBR 7480/1996. Barras e fios de aço destinados a armaduras para concreto armado NBR 7480/1996 Barras e fios de aço destinados a armaduras para concreto armado OBJETIVO Fixar as condições exigíveis na encomenda, fabricação e fornecimento de barras e fios de aço destinados a armaduras

Leia mais

EQUIPAMENTOS FABRICADOS COM LINER TERMOPLÁSTICO E ESTRUTURA EM PRFV - DUALAM

EQUIPAMENTOS FABRICADOS COM LINER TERMOPLÁSTICO E ESTRUTURA EM PRFV - DUALAM Revisão: 01 SET/2005 ISO ISO ISO ISO EQUIPAMENTOS FABRICADOS COM LINER TERMOPLÁSTICO E ESTRUTURA EM PRFV - DUALAM A GLASTEC Indústria e Comércio de Plástico Ltda, empresa alagoana atuando no ramo de plásticos

Leia mais

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTE - 028

NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTE - 028 NORMA TÉCNICA DE DISTRIBUIÇÃO NTE - 028 MONTAGEM DE S PRIMÁRIAS DE DISTRIBUIÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA AÉREA, RURAL, COM CONDUTORES NUS - 13,8 E 34,5 kv DIRETORIA DE ENGENHARIA CORPORATIVA INDICE 1- OBJETIVO...

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DE MPN-DP-01/MN-3 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA Página 1 MPN-DP-01/MN-3 TÍTULO: INSTALAÇÕES BÁSICAS DE BT ISOLADA ÍNDICE CAPÍTULO Página 1. OBJETIVO 4 2. APLICAÇÃO 4 3. AFASTAMENTOS MÍNIMOS 5

Leia mais

Manual Técnico de Distribuição

Manual Técnico de Distribuição Manual Técnico de Distribuição ESP ESPECIFICAÇÃO ESP - 602 CABO COBERTO PARA REDE COMPACTA ESP - 602 edição vigência aprovação Agosto/98 DDPP Página 1 1. OBJETIVO Esta Especificação define os requisitos

Leia mais

NTU AES 003-1. Condutores Elétricos Distr. Subterrânea NORMA TÉCNICA UNIFICADA AES ELETROPAULO / AES SUL

NTU AES 003-1. Condutores Elétricos Distr. Subterrânea NORMA TÉCNICA UNIFICADA AES ELETROPAULO / AES SUL NTU AES 003-1 Condutores Elétricos Distr. Subterrânea NORMA TÉCNICA UNIFICADA AES ELETROPAULO / AES SUL Elaborado: Aprovado: DATA: 30/09/2010 João Carlos Nacas AES Eletropaulo Fernanda Pedron AES Sul Sergio

Leia mais

FIBER-LAN INDOOR/OUTDOOR

FIBER-LAN INDOOR/OUTDOOR FIBER-LAN INDOOR/OUTDOOR Tipo do Produto Construção Cabos Ópticos Dielétrico Tight Monomodo ou Multimodo Descrição Cabo óptico tipo "tight", constituído por fibras ópticas do tipo multimodo ou monomodo.

Leia mais

I CONFERÊNCIA LATINO-AMERICANA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL X ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO

I CONFERÊNCIA LATINO-AMERICANA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL X ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO I CONFERÊNCIA LATINO-AMERICANA DE CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL X ENCONTRO NACIONAL DE TECNOLOGIA DO AMBIENTE CONSTRUÍDO 18-21 julho 2004, São Paulo. ISBN 85-89478-08-4. DESENVONVIMENTO DE EQUIPAMENTOS E PROCEDIMENTOS

Leia mais

ELÉTRICA. seção 7,98 4,95 3,30 1,91 33,2 39,4 48,0. Cordão Paralelo

ELÉTRICA. seção 7,98 4,95 3,30 1,91 33,2 39,4 48,0. Cordão Paralelo ELÉTRICA APLICAÇÕES: São utilizados em instalações de baixa tensão, como construção civil, instalações industriais e comerciais, para tensões de até 75V. CONDUTOR: Corda flexível, classe 4 de encordoamento

Leia mais

3) Calcule o alongamento elástico da peça do esquema abaixo. Seu material tem módulo de elasticidade de 2x10 5 N/mm 2.

3) Calcule o alongamento elástico da peça do esquema abaixo. Seu material tem módulo de elasticidade de 2x10 5 N/mm 2. UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO DO SUL CÂMPUS DE CHAPADÃO DO SUL DISCIPLINA: CONSTRUÇÕES RURAIS LISTA DE EXERCICIOS I RESISTÊNCIA DOS MATERIAIS PROFESSOR: PAULO CARTERI CORADI 1) Calcule a deformação

Leia mais

EM-RIOLUZ-74 ESPECIFICAÇÃO DE CABO PARA REDE SUBTERRÂNEA DE IP

EM-RIOLUZ-74 ESPECIFICAÇÃO DE CABO PARA REDE SUBTERRÂNEA DE IP DIRETORIA TECNOLÓGICA E DE PROJETO DTP GERÊNCIA TECNOLÓGICA E DE DESENVOLVIMENTO GTD EM-RIOLUZ-74 ESPECIFICAÇÃO DE CABO PARA REDE SUBTERRÂNEA DE IP EMISSÃO- 02 29.12.2014 ESPECIFICAÇÃO EM-RIOLUZ-74 EMISSÃO

Leia mais

Construção. Adesivo para colagem estrutural. Descrição do produto Campos de aplicação. Características / Vantagens. Testes. Dados do Produto.

Construção. Adesivo para colagem estrutural. Descrição do produto Campos de aplicação. Características / Vantagens. Testes. Dados do Produto. Ficha de Produto Edição 02/09/2010 Identificação n 02 04 01 04 001 0 000001 Sikadur 30 Adesivo para colagem estrutural. Descrição do produto Campos de aplicação Características / Vantagens Testes Sikadur

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CONDUTOR DE ALUMÍNIO MULTIPLEXADO

ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CONDUTOR DE ALUMÍNIO MULTIPLEXADO ESPECIFICAÇÃO DE DISTRIBUIÇÃO Título CONDUTOR DE ALUMÍNIO MULTIPLEXADO Código ETD-00.023 Data da emissão 28.12.1993 Data da última revisão 09.09.2009 Folha 1 SUMÁRIO 1 Objetivo 2 Normas Complementares

Leia mais

Sistema Normativo Corporativo

Sistema Normativo Corporativo Sistema Normativo Corporativo PADRÃO TÉCNICO VERSÃO Nº ATA Nº DATA DATA DA VIGÊNCIA 00-13/07/2009 13/07/2009 APROVADO POR José Rubens Macedo Junior SUMÁRIO 1. RESUMO...3 2. HISTÓRICO DAS REVISÕES...3 3.

Leia mais

TUDO PARA VOCÊ FAZER UM TRABALHO DE QUALIDADE

TUDO PARA VOCÊ FAZER UM TRABALHO DE QUALIDADE BARRAS E PERFIS AÇO PARA INDÚSTRIA TUDO PARA VOCÊ FAZER UM TRABALHO DE QUALIDADE Quando você usa a ampla linha de barras e perfis Gerdau, você coloca mais qualidade no seu trabalho. Cada produto foi desenvolvido

Leia mais

Capítulo 3 Propriedades Mecânicas dos Materiais

Capítulo 3 Propriedades Mecânicas dos Materiais Capítulo 3 Propriedades Mecânicas dos Materiais 3.1 O ensaio de tração e compressão A resistência de um material depende de sua capacidade de suportar uma carga sem deformação excessiva ou ruptura. Essa

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO DO ITEM R$

ESPECIFICAÇÃO DO ITEM R$ ANEXO 2 Planilha Orçamentária Estimativa de Quantitativos e Preços Máximos Global e Unitários LOTE ÚNICO ESPECIFICAÇÃO DO ITEM Qtde. Unitário R$ Total R$ 01 02 03 04 05 CHAVE NIVEL TIPO BOIA,ATUACAO: ALARME

Leia mais

Soluções em Lajes Alveolares

Soluções em Lajes Alveolares Soluções em Lajes Alveolares Oferecer Soluções Inovadoras e bom atendimento é o nosso compromisso Presente no mercado da construção civil desde de 1977, o Grupo Sistrel vem conquistando o mercado brasileiro

Leia mais

LINHA DE PRÉ-FORMADOS A Conimel lança no mercado a linha de Pré-formados destinados à linha de distribuição de energia elétrica. Fabricados em aço galvanizado, aço aluminizado, ligas de alumínio e cobre,

Leia mais

DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT DECISÃO TÉCNICA DT-068/2010 R-03

DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT DECISÃO TÉCNICA DT-068/2010 R-03 DIRETORIA TÉCNICA PLANEJAMENTO E ENGENHARIA DE AT E MT DECISÃO TÉCNICA DT-068/2010 R-03 FOLHA DE CONTROLE DECISÃO TÉCNICA Código Página Revisão Emissão DT-068 I 03 OUT/2010 APRESENTAÇÃO As prescrições

Leia mais

A N E X O V I I I M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S D E L I N H A S E R E D E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O S U B M E R S A S

A N E X O V I I I M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S D E L I N H A S E R E D E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O S U B M E R S A S A N E X O V I I I M Ó D U L O S C O N S T R U T I V O S D E L I N H A S E R E D E S D E D I S T R I B U I Ç Ã O S U B M E R S A S C A T Á L O G O R E F E R E N C I A L DE M Ó D U L O S P A D R Õ E S D

Leia mais

LEI DE OHM. Professor João Luiz Cesarino Ferreira. Conceitos fundamentais

LEI DE OHM. Professor João Luiz Cesarino Ferreira. Conceitos fundamentais LEI DE OHM Conceitos fundamentais Ao adquirir energia cinética suficiente, um elétron se transforma em um elétron livre e se desloca até colidir com um átomo. Com a colisão, ele perde parte ou toda energia

Leia mais

Sistema de Paredes Trevo Drywall

Sistema de Paredes Trevo Drywall Nome da Empresa DADOS DO FABRICANTE Trevo Industrial de Acartonados S/A. Endereço Av.Josias Inojosa de Oliveira 5000 - Distrito Industrial do Cariri Juazeiro do Norte - CE - CEP 63045-010 Tel/Fax (88)

Leia mais

Soluções Inteligentes para o dia a dia

Soluções Inteligentes para o dia a dia Soluções Inteligentes para o dia a dia TELHAS TRANSLÚCIDAS 70 % transmissão de luz =$ Alta durabilidade; Não solta fibras; Melhor custo/benefício; Leveza e flexibilidade; Proteção contra raios UV (economia

Leia mais

Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31

Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31 Apostila Técnica de Porta Paletes 01 de 31 Tópicos Abordados: 1. Porta Paletes Seletivo (convencional): 2. Drive-in / Drive-thru Objetivo: Esta apostila tem como principal objetivo ampliar o conhecimento

Leia mais

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA

ESPECIFICAÇÃO TÉCNICA SUMÁRIO CONTEÚDO PG. 1. OBJIVO 02 2. ÂMBITO 02 3. CONCEITOS 02 4. NORMAS E LEGISLAÇÃO APLICÁVEIS 02 5. INSTRUÇÕES GERAIS 03 5.1. Condições de Operação 03 5.2. Materiais e Construção 04 6. PROCEDIMENTOS

Leia mais

Vigas rígidas e resistentes, mais leves e fáceis de instalar.

Vigas rígidas e resistentes, mais leves e fáceis de instalar. Catálogo Técnico Vigas rígidas e resistentes, mais leves e fáceis de instalar. m a t e r i a i s p a r a c o n s t r u i r m e l h o r. Vigas leves de alta resistência A LP Viga I é fabricada pela LP Building

Leia mais

O AÇO ESTRUTURAL (uma parte do material desta página foi extraída do site www.gerdau.com.br) Aços CA-50 e CA-25

O AÇO ESTRUTURAL (uma parte do material desta página foi extraída do site www.gerdau.com.br) Aços CA-50 e CA-25 O AÇO ESTRUTURAL (uma parte do material desta página foi extraída do site www.gerdau.com.br) Os aços são classificados conforme sua resistência, definida pela sua composição e processo de fabricação. Assim,

Leia mais

Fios e Cordoalhas para Concreto Protendido

Fios e Cordoalhas para Concreto Protendido Aços Longos Fios e Cordoalhas para Concreto Protendido Produtos Fios e Cordoalhas para Concreto Protendido Os aços para Concreto Protendido são fabricados, desde 1952, dentro dos mais elevados padrões

Leia mais

PLÁSTICO BOLHA DATASHEET

PLÁSTICO BOLHA DATASHEET Pág.1/5 Produzido em Filme de Polietileno de Baixa Densidade, com bolhas de ar, o Plástico Bolha é um produto que proporciona excelente proteção nos materiais nele embalados. Outra aplicação largamente

Leia mais

Parabond 700 Adesivo estrutural elástico de elevada aderência e resistência inicial

Parabond 700 Adesivo estrutural elástico de elevada aderência e resistência inicial Parabond 700 Adesivo estrutural elástico de elevada aderência e resistência inicial Produto: Parabond 700 é um adesivo de alta qualidade, cura rápida, permanentemente elástico, à base de MS polímero, com

Leia mais

Tubos, Projetos Especiais e Processos Agregados

Tubos, Projetos Especiais e Processos Agregados Tubos, Projetos Especiais e Processos Agregados Toda a qualidade em aço que você precisa www.meincol.com.br voestalpine AG A voestalpine está segmentada em 4 divisões: voestalpine. Uma empresa com forte

Leia mais

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO Dados do cliente Proprietário: Roney Casagrande CPF: 765.425.990-53 Endereço: Estrada Pinhal da Serra, n 04452, Interior Cidade: Pinhal da Serra RS CEP: 95.390-000 Dados da

Leia mais

Sistema de Forros Trevo Drywall

Sistema de Forros Trevo Drywall Nome da Empresa Endereço Tel/Fax (88) 3571-6019 Site E-mail DADOS DO FABRICANTE Trevo Industrial de Acartonados S/A. Av.Josias Inojosa de Oliveira 5000 - Distrito Industrial do Cariri Juazeiro do Norte

Leia mais

Tubos. Especificações técnicas de fabricação

Tubos. Especificações técnicas de fabricação A Empresa Perfipar Uma completa estrutura, com mais de 500 colaboradores e capacidade de processar 80 mil toneladas de aço por ano, essa é a Perfipar. Uma empresa fundada no Paraná, que está em constante

Leia mais

Critérios Básicos para Elaboração de Projetos de Redes de Distribuição Aérea Especial DAE

Critérios Básicos para Elaboração de Projetos de Redes de Distribuição Aérea Especial DAE ITA - 006 Rev. 0 Setembro / 2003 Critérios Básicos para Elaboração de Projetos de Redes de Distribuição Aérea Especial DAE Praça Leoni Ramos n 1 São Domingos Niterói RJ Cep 24210-205 http:\\ www.ampla.com

Leia mais

Condutores elétricos

Condutores elétricos Sair da Norma Voltar para o Índice Alfabético Geral Condutores elétricos NOV 1986 NBR 5471 ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas Sede: Rio de Janeiro Av. Treze de Maio, 13-28º andar CEP 20003-900

Leia mais

AÇO PARA CONSTRUÇÃO CIVIL

AÇO PARA CONSTRUÇÃO CIVIL AÇO PARA CONSTRUÇÃO CIVIL GG 50 O VERGALHÃO QUE ESTÁ POR DENTRO DAS MELHORES OBRAS VERGALHÃO GERDAU GG 50 Para o seu projeto sair do papel com segurança e qualidade, use o Vergalhão Gerdau GG 50. Produzido

Leia mais

Telhas de Alumínio em Aviários

Telhas de Alumínio em Aviários I N F O R M A T I V O T É C N I C O Telhas de Alumínio em Aviários AF 38/1025 Apresentação Telha Recomendada Durabilidade do Material Certificados Refletividade Emissividade Importância da Escolha Correta

Leia mais

Disciplina: Eletrificação Rural

Disciplina: Eletrificação Rural UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS RIAS DEPARTAMENTO DE SOLOS E ENGENHARIA AGRÍCOLA Disciplina: Eletrificação Rural Unidade 6 Condutores elétricos - dimensionamento e instalação.

Leia mais

SOLUÇÕES PARA FACHADA. metax.com.br

SOLUÇÕES PARA FACHADA. metax.com.br SOLUÇÕES PARA FACHADA metax.com.br Passarela para pedestres Estes equipamentos são utilizados em locais onde a instalação do andaime fachadeiro obstrui a passagem de via, ou seja, a fachada do prédio não

Leia mais

Definições. Armação. Armação ou Armadura? Armação: conjunto de atividades relativas à preparação e posicionamento do aço na estrutura.

Definições. Armação. Armação ou Armadura? Armação: conjunto de atividades relativas à preparação e posicionamento do aço na estrutura. Definições Armação ou Armadura? Armação: conjunto de atividades relativas à preparação e posicionamento do aço na estrutura. Armadura: associação das diversas peças de aço, formando um conjunto para um

Leia mais

Processo de fabricação de cabos de alumínio com ênfase em trefilação

Processo de fabricação de cabos de alumínio com ênfase em trefilação Processo de fabricação de cabos de alumínio com ênfase em trefilação É fazendo que se aprende a fazer aquilo que se deve aprender a fazer. Aristóteles 24/Novembro/2014 1 Produtos e Aplicações Cabos de

Leia mais

Um corpo é submetido ao esforço de cisalhamento quando sofre a ação de um carregamento (força cortante) que atua na direção transversal ao seu eixo.

Um corpo é submetido ao esforço de cisalhamento quando sofre a ação de um carregamento (força cortante) que atua na direção transversal ao seu eixo. 47 8. CISALHAMENTO Um corpo é submetido ao esforço de cisalhamento quando sofre a ação de um carregamento (força cortante) que atua na direção transversal ao seu eixo. A tensão de cisalhamento ( ) é obtida

Leia mais

MANUAL ESPECIAL 1. FINALIDADE

MANUAL ESPECIAL 1. FINALIDADE MANUAL ESPECIAL SISTEMA DE DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS DE DISTRIBUIÇÃO SUBSISTEMA NORMAS E ESTUDOS DE MATERIAIS E EQUIPAMENTOS DE DISTRIBUIÇÃO CÓDIGO TÍTULO FOLHA E-313.0041 CRUZETAS DE AÇO TUBULAR 1/14

Leia mais