ENE065 Instalações Elétricas I

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ENE065 Instalações Elétricas I"

Transcrição

1 14/05/2012 ENE065 Instalações Elétricas I Prof.: Ivo Chaves da Silva Junior

2 Dimensionamento dos Condutores FASE Ampacidade Queda de Tensão Seção Mínima

3 Dimensionamento dos Condutores Perfeito Funcionamento dos Aparelhos Tensões Terminais Tensões Nominais

4 Dimensionamento dos Condutores Tensões Terminais Tensões Nominais Redução do torque de motores Dificuldade de partida Redução na iluminância de lâmpadas Redução de vida útil, entre outros.

5 Dimensionamento dos Condutores Queda de Tensão Esse critério tem por objetivo garantir que os níveis de tensão em todos os pontos da instalação estejam dentro de valores especificados pela NBR5410/2004 a fim de não prejudicar o funcionamento dos equipamentos conectados aos circuitos terminais.

6 Dimensionamento dos Condutores PRESCRIÇÕES DA NBR-5410/2004 QUANTO À QUEDA DE TENSÃO

7 Dimensionamento dos Condutores PRESCRIÇÕES DA NBR-5410/2004 QUANTO À QUEDA DE TENSÃO

8 Dimensionamento dos Condutores PRESCRIÇÕES DA NBR-5410/2004 QUANTO À QUEDA DE TENSÃO

9 Dimensionamento dos Condutores Serão apresentadas três formas de dimensionamento visando a redução da queda de tensão em condutores: - Pela máxima queda de tensão - Pela queda de tensão unitária - Pelo método Watts.metros (Seminário)

10 Dimensionamento dos Condutores CIRCUITOS A 2 FIOS COM CARGA CONCENTRADA Máx.Queda de Tensão Máxima Queda de tensão: V V V Rl Ic Rl Ic R l I c

11 Dimensionamento dos Condutores CIRCUITOS A 2 FIOS COM CARGA CONCENTRADA Máx.Queda de Tensão Resistividade do material.mm 2 m Resistência do condutor l R l S Comprimento do condutor m Área do condutor 2 mm

12 Dimensionamento dos Condutores CIRCUITOS A 2 FIOS COM CARGA CONCENTRADA Máx.Queda de Tensão Potência ativa do circuito P W Corrente no circuito A I c v c cos( ) Tensão de alimentação do circuito V Fator de potência

13 Dimensionamento dos Condutores CIRCUITOS A 2 FIOS COM CARGA CONCENTRADA Máx.Queda de Tensão Queda de Tensão do circuito: V 2 R I l c (1) A tensão nominal pode ser dada por: V nom V c V V V V nom c Substituído o valor de R, na equação (1), em função da resistividade, comprimento e área do condutor, tem-se : V 2 l S I c V nom V c

14 Dimensionamento dos Condutores CIRCUITOS A 2 FIOS COM CARGA CONCENTRADA Máx.Queda de Tensão V Queda de Tensão do circuito (%): nom c V (%) 100% V V nom Como: V nom Tem-se: V V c 2 2 l Ic (%) 100% S V nom l S I c

15 Dimensionamento dos Condutores CIRCUITOS A 2 FIOS COM CARGA CONCENTRADA Máx.Queda de Tensão V 2 l Ic (%) 100% S V nom Área do condutor em função da queda percentual de tensão S 2 V l I (%) V c nom 100% PRESCRIÇÕES DA NBR-5410/2004 QUANTO À QUEDA DE TENSÃO

16 Dimensionamento dos Condutores CIRCUITOS A 2 FIOS COM CARGA CONCENTRADA Máx.Queda de Tensão S 2 l I V (%) V c nom 100% Para circuitos com alimentação em corrente alternada a equação acima é APROXIMADA!! Para uma expressão mais precisa deve-se considerar: Z c R c jwl fator de potência Entretanto em Instalações Elétricas Residenciais, tem-se: R c jwl fator de potência 1

17 Dimensionamento dos Condutores Exemplo: Dimensionar os condutores de cobre, para um circuito (fase-fase) de um chuveiro elétrico, distante 15m do QD, com potência de 4500VA, tensão de 220V, de modo que a queda de tensão máxima seja de 4%. Resistividade do cobre 1.mm 2 57 m

18 Dimensionamento dos Condutores Área do condutor em função da queda percentual de tensão S 2 V l I (%) V c nom 100%

19 Dimensionamento dos Condutores S 2 l I V (%) V c nom 100% P 4500 I 20, A c v cos( ) c 1.mm 2 57 m l 15m V nom 220V V (%) 4 S 1.2mm 2

20 Dimensionamento dos Condutores CIRCUITOS A 2 FIOS COM CARGA DISTRIBUÍDA Máx.Queda de Tensão

21 Dimensionamento dos Condutores CIRCUITOS A 2 FIOS COM CARGA DISTRIBUÍDA Máx.Queda de Tensão Área do condutor em função da queda percentual de tensão nc S 2 V ( l I ) c c c 1 100% (%) V nom

22 Dimensionamento dos Condutores CIRCUITOS A TRÊS FIOS COM CARGAS CONCENTRADAS Máx.Queda de Tensão

23 Dimensionamento dos Condutores CIRCUITOS A TRÊS FIOS COM CARGAS CONCENTRADAS Máx.Queda de Tensão Resistência l R l S Corrente I l 3 V P l 3 cos( ) V Carga em Estrela 3 l V f Usando o raciocínio análogo ao circuitos a dois condutores chega-se nas seguintes expressões:

24 Dimensionamento dos Condutores CIRCUITOS A TRÊS FIOS COM CARGAS CONCENTRADAS Máx.Queda de Tensão V l (%) 3 l S V l( nom) I l 100% Área do condutor em função da queda percentual de tensão S 3 l I V (%) V l l l( nom) 100%

25 Dimensionamento dos Condutores CIRCUITOS A TRÊS FIOS COM CARGAS DISTRIBUÍDAS Máx.Queda de Tensão Área do condutor em função da queda percentual de tensão S 3 V l n ( l (%) V I l ( nom ) ) c c c 1 100%

26 Dimensionamento dos Condutores QUEDA DE TENSÃO UNITÁRIA EM V/A.km Praticidade Precisão USO DE TABELAS DOS FABRICANTES (V/A.km) Consideram: Comprimentos superiores a 15 m Reatância do condutor Fator de potência Característica Magnética do Eletroduto

27 Dimensionamento dos Condutores ROTEIRO DIMENSIONAMENTO PELA QUEDA DE TENSÃO UNITÁRIA EM V/A.km 1º-Passo: MATERIAL DO ELETRODUTO (MAGNÉTICO OU NÃO) 2º-Passo: TIPO DE CIRCUITO ( MONOFÁSICO, BIFÁSICO OU TRIFÁSICO) 3º-Passo: TENSÃO DO CIRCUITO ( F-N OU F-F) 4º-Passo: CÁLCULO DA CORRENTE DE PROJETO 5º-Passo: DETERMINAÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA 6º-Passo: COMPRIMENTO DO CIRCUITO EM KM 7º-Passo: CÁLCULO DA QUEDA DE TENSÃO 8º-Passo: ESCOLHA DO CONDUTOR (TABELAS A SEGUIR)

28 Dimensionamento dos Condutores CÁLCULO DA QUEDA DE TENSÃO UNITÁRIA EM V/A.km Queda de tensão percentual permitida e(%). V Tensão do Circuito V unit I p. l Corrente de Projeto Comprimento do Circuito

29 Dimensionamento dos Condutores QUEDA DE TENSÃO UNITÁRIA V/A.km

30 Dimensionamento dos Condutores TABELAS - QUEDA DE TENSÃO UNITÁRIA V/A.km - FABRICANTES

31 Dimensionamento dos Condutores Exemplo: Dimensionar pelo limite de queda de tensão unitária, os condutores de cobre para um circuito (fase-fase) de um chuveiro elétrico, distante de 15m do QD, com potência de 4500VA, tensão de 220V, isolação tipo PVC, eletroduto magnético, embutido em alvenaria e temperatura ambiente de 30 C.

32 Dimensionamento dos Condutores Informações para o dimensionamento: a) Material do eletroduto Magnético b) Tipo de circuito monofásico (F-F) c) Tensão do circuito 220V d) Corrente de projeto I P = 20,45A e) Fator de potência FP = 1 f) Comprimento 15m = 0,015km g) Queda de tensão 4% = 0,04

33 Dimensionamento dos Condutores h) Cálculo da queda de tensão unitária: V unit = e(%). V I P. L V unit = 0, V unit = 28,7 V/A.km 20,45. 0,015 i) Escolha do condutor Consultar tabela do fabricante

34 Solução: 1,5 mm²

35 Dimensionamento dos Condutores Seção Mínima A NBR5410/2004 determina a seção mínima dos condutores Fase de acordo com o tipo de instalação e sua utilização:

36 Dimensionamento dos Condutores FASE Ampacidade Queda de Tensão Seção Mínima Escolhe-se A maior seção entre os três métodos

37 Observações: Dimensionamento dos Condutores Em trechos maiores de 15m Em trechos curtos (inferior a 15m) Iniciar o dimensionamento pelo circuito mais longo (pior caso) de cada grupo (Iluminação TUGs TUEs )

38 Dimensionamento do Condutor de Proteção NBR-5410/2004 Tabela 58 Dimensionamento mínimo : 2,5 mm² com proteção mecânica 4,0 mm² sem proteção mecânica

39 com proteção mecânica Dimensionamento do Condutor de Proteção 2,5 mm² 4,0 mm² sem proteção mecânica

40 Dimensionamento do Condutor Neutro Basicamente há dois fatores para o dimensionamento: Tipo de circuito (monofásico, bifásico, trifásico) Existência ou não de corrente de terceira harmônica

41 HARMÔNICAS Dimensionamento do Condutor Neutro Corrente em algum ponto da instalação (1) + (5) = (T) (1) e (5) Senóides com Frequências e Amplitudes DIFERENTES Causas: Cargas Não Lineares (computadores, lâmpadas de descarga, máquinas de solda, etc) Consequências: Aquecimento, aumento da queda de tensão, etc.

42 HARMÔNICAS Dimensionamento do Condutor Neutro

43 Dimensionamento do Condutor Neutro Critérios de dimensionamento condutor NEUTRO: O condutor neutro não deve ser comum a mais de um circuito O condutor neutro deve ter, no mínimo, a mesma seção do condutor fase nas seguintes situações: Circuitos Monofásicos; Circuitos Bifásicos, se a taxa de 3ª harmônica for inferior a 33%; Circuitos Trifásicos, se a taxa de 3ª harmônica estiver entre 15% e 33%.

44 Dimensionamento do Condutor Neutro Critérios de dimensionamento condutor NEUTRO: O condutor neutro pode ter seção menor que a do condutor fase, Tabela 48 NBR5410, nas seguintes situações desde que ocorram simultaneamente: Circuito considerado equilibrado; A corrente das fases com uma taxa de 3ª harmônica inferior a 15%.

45 Dimensionamento do Condutor Neutro Circuito Equilibrado; 3ª harmônica inferior a 15%.

46 6º TRABALHO SALA DE AULA GRUPOS Dimensionamento Condutores

47 Capacidade de condução de corrente Método de Instalação (capacidade de dissipação de calor) Devemos conhecer os tipos de condutos

48 Condutos Eletrodutos Bandejas Canaletas

49 Condutos Definição: O componente de uma instalação que propicia um meio envoltório, ou invólucro, aos condutores elétricos é chamado conduto. Objetivo Proteger os condutores elétricos contra: Ações mecânicas Corrosões Incêndios (resultante do superaquecimentos dos condutores)

50 Eletrodutos Tipos de Eletrodutos Metálico Rígido PVC Rígido Metálico Flexível PVC Flexível Eletroduto para cabos subterrâneos

51 Eletrodutos

52 Eletrodutos

53 Eletrodutos

54 Eletrodutos

55 Eletrodutos

56 Eletrodutos - Acessórios

57 Eletrodutos - Acessórios X Conduletes TB Referência:

58 Eletrodutos

59 Medidas dos Eletrodutos (Descem)

60 Medidas dos Eletrodutos (Sobem)

61 Dimensionamento de Eletrodutos As dimensões internas dos eletrodutos e respectivos acessórios de ligação devem permitir instalar e retirar facilmente os condutores

62 Dimensionamento de Eletrodutos Exemplo Um eletroduto com diâmetro externo de 26,2mm e área de seção transversal igual a 346,4 mm², pode ser ocupado por condutores nas seguintes condições: Um condutor de seção máxima de 183,6mm² (53%) Dois condutores, cuja a soma de suas seções não ultrapasse 107,4mm² (31%); Três ou mais condutores, cuja a soma de suas seções não ultrapasse 138,6mm² (40%);

63 Dimensionamento dos Eletrodutos Cálculo da Seção externa (Sec) e Seção Total (St) De = Diâmetro externo

64 Dimensionamento dos Eletrodutos Roteiro para Dimensionamento dos Eletrodutos 1º) Determina-se a seção total (St-mm²) ocupada pelos condutores via tabelas dos fabricantes ou através de calculo; 2º) Determina-se o diâmetro externo nominal do eletroduto (mm), entrando-se nas tabelas de fabricantes de eletrodutos, com o valor encontrado no item anterior; ***) Caso os condutores instalados em um mesmo eletroduto sejam do mesmo tipo e tenham seções nominais iguais, pode-se eliminar os itens 1 e 2, encontrando-se o diâmetro externo nominal do eletroduto em função da quantidade e seção dos condutores, diretamente por tabelas específicas.

65 Tabela Diâmetro Externo e Seção Total - Condutores

66 Tabela Eletrodutos PVC Rígido

67 Tabela Eletrodutos Aço Carbono

68 ***) Tabela - Condutores mesmo tipo e seção

69 Dimensionamento de Eletrodutos - PVC

70 Dimensionamento dos Eletrodutos Exercício: Dimensionar o trecho de eletroduto de PVC rígido roscável, mostrado abaixo, no qual devem ser instalados os seguintes circuitos:

71 Dimensionamento dos Eletrodutos Circuito 3 Circuito 1 Circuito 2

72 Dimensionamento dos Eletrodutos Área Total ELETRODUTO DE 25 mm

73 Eletrodutos - Observação Trechos superiores a 15 m (NBR5410) Caixa de Passagem (Derivação) Objetivo: Facilitar a passagem de condutores

74 Caixas de Derivação

75 Caixas de Derivação NBR5410 As caixas de derivação devem ser empregadas: Em todos os pontos de entrada e saída da tubulação; Em todos os pontos de emenda ou derivação de condutores. Recomendações: Não deve haver trechos retilíneos maiores que 15 metros, sendo que, nos trechos com curvas, essa distância deve ser reduzida de 3 metros para cada curva; Em cada trecho de tubulação, entre duas caixas, podem ser previstas no máximo 3 curvas de 90º.

76 Lmáx 15 3 N Caixas de Derivação Comprimento máximo retilíneo de um trecho entre duas caixas de passagem (derivação) Número de curvas Comprimento real do trecho A Lreal 6 Lmáx Aumento de bitola do eletroduto devido as eventuais curvas existentes no trecho (deslocamento Tabela)

77 Dimensionamento dos Eletrodutos Exercício: Dimensionar o eletroduto PVC para o trecho de tubulação mostrado na figura abaixo, entre duas caixas CP-1 e CP-2, no qual não há possibilidade de instalação de caixas intermediárias. Os circuitos que o eletroduto conterá são os seguintes: Quantos condutores? 14 Condutores

78 Dimensionamento dos Eletrodutos mm² 95

79 Dimensionamento dos Eletrodutos Área Total 913 mm² Tabela Eletrodutos PVC Rígido ELETRODUTO DE 75 mm

80 Dimensionamento dos Eletrodutos

81 Dimensionamento dos Eletrodutos 913 mm² Tabela Eletrodutos PVC Rígido ELETRODUTO DE 85 mm

82 Eletrodutos Orientações Gerais: Em instalações embutidas só são admitidos eletrodutos que suportem os esforços de deformação característicos do tipo de construção; Dentro de um trecho de eletroduto só é conveniente instalar até nove condutores ( ou seja, no máximo três ou quatro circuitos); Evitar cruzamento de eletrodutos; A NBR5410 não permite a utilização de eletrodutos com comprimentos superiores a 15 metros sem a interposição de caixa de passagem;

83 Temas do Segundo Seminário

84 Temas do Segundo Seminário Dimensionamento de Condutores pelo Critério Econômico e Watts.metros Harmônicos em Instalações Elétricas Residenciais Luminotécnica: Luz, Lâmpadas e Iluminação Grupos Bruno Santiago Guilherme Alves Guilherme Couto Antônio Candia Matheus Braga Edgar Alves Ivan Stoppa Felipe Barros André Lopes

85 Avaliação do Seminário 1. Apresentação do Seminário (Transparências power point) 2. Conteúdo sobre o tema 3. Tempo de apresentação (30 à 50 minutos) 4. Domínio do assunto 5. A nota não é individual DIA 04 DE JUNHO DE 2012

ENE065 Instalações Elétricas I

ENE065 Instalações Elétricas I 07/05/2012 ENE065 Instalações Elétricas I Prof.: Ivo Chaves da Silva Junior ivo.junior@ufjf.edu.br Quadro de Distribuição Circuitos Terminais Circuitos Terminais Quadro de Distribuição Quadro de Distribuição

Leia mais

Tipos de linhas. Sumário Linhas Elétricas Dimensionamento. Aspectos Gerais Características Tipos de Linhas

Tipos de linhas. Sumário Linhas Elétricas Dimensionamento. Aspectos Gerais Características Tipos de Linhas Tipos de linhas Sumário Aspectos Gerais Características Tipos de Linhas Instalação dos condutores Aspectos Gerais Características Tipos de Linhas Os cabos multipolares só deve conter os condutores de um

Leia mais

Disciplina: Eletrificação Rural

Disciplina: Eletrificação Rural UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS RIAS DEPARTAMENTO DE SOLOS E ENGENHARIA AGRÍCOLA Disciplina: Eletrificação Rural Unidade 6 Condutores elétricos - dimensionamento e instalação.

Leia mais

ENE065 Instalações Elétricas I

ENE065 Instalações Elétricas I 11/10/2011 ENE065 Instalações Elétricas I Prof.: Ivo Chaves da Silva Junior ivo.junior@ufjf.edu.br Capacidade de condução de corrente Método de Instalação (capacidade de dissipação de calor) Devemos conhecer

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M Regras práticas para projeto elétrico Iluminação, TUG, TUE Recomendações práticas Alguns símbolos diferentes (outra concessionária) Página do Professor - Manuel Rendón UFJF Manual

Leia mais

13 - INSTALAÇÕES DE FORÇA MOTRIZ

13 - INSTALAÇÕES DE FORÇA MOTRIZ Instalações Elétricas Professor Luiz Henrique Alves Pazzini 104 13.1 - Introdução 13 - INSTALAÇÕES DE FORÇA MOTRIZ Existem três configurações básicas para alimentação de motores que operam em condições

Leia mais

MÉTODO DE INSTALAÇÃO (Tabela 33 da NBR5410/2004)

MÉTODO DE INSTALAÇÃO (Tabela 33 da NBR5410/2004) MÉTODO DE INSTALAÇÃO (Tabela da NBR5410/004) Método de instalação número: Esquema ilustrativo Descrição Método de instalação a utilizar para a capacidade de condução de corrente 1 1 1 eletroduto de seção

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES

DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES Os seis critérios de dimensionamento de circuitos de BT: 1. Seção mínima; 2. Capacidade de condução de corrente; 3. Queda de tensão; 4. Proteção contra sobrecargas; 5. Proteção contra curtos-circuitos;

Leia mais

Os eletrodutos são as canalizações que contém os condutores (item 6.2.11.1). Os eletrodutos podem ser de aço ou de PVC 70 o C.

Os eletrodutos são as canalizações que contém os condutores (item 6.2.11.1). Os eletrodutos podem ser de aço ou de PVC 70 o C. 1 Os eletrodutos são as canalizações que contém os condutores (item 6.2.11.1). Os eletrodutos podem ser de aço ou de PVC 70 o C. Mangueiras plásticas NÃO são eletrodutos. 2 3 Nas extremidades dos eletrodutos

Leia mais

Instalações Elétricas Industriais. Prof. Carlos T. Matsumi

Instalações Elétricas Industriais. Prof. Carlos T. Matsumi Instalações Elétricas Industriais Divisão de Sistemas de Alimentação Faixa de Tensão Elétrica (IE) orrente Alternada - A orrente ontínua- Extra Baixa Tensão: Tensão Inferior à 50 V (A) e 120 V () Baixa

Leia mais

Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Dimensionamento de Condutores e Eletrodutos

Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Dimensionamento de Condutores e Eletrodutos Dimensionamento de Condutores e Eletrodutos Método da capacidade de condução de corrente Roteiro: 1. Calcular a corrente de projeto (I p ) dos circuitos da edificação; 2. Definir parâmetros de instalação

Leia mais

4 LINHAS ELÉTRICAS. Figura 5: Exemplos de fios e cabos.

4 LINHAS ELÉTRICAS. Figura 5: Exemplos de fios e cabos. 8 4.1 Condutores elétricos. 4 LINHAS ELÉTRICAS Os condutores elétricos constituem os principais componentes das linhas elétricas que conduzem eletricidade até as cargas elétricas. Define-se condutor elétrico

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Capítulo 4 Parte 2 Condutores elétricos: 1. semestre de 2011 Abraham Ortega Número de condutores isolados no interior de um eletroduto Eletroduto é um elemento de linha elétrica fechada,

Leia mais

Projeto de Instalações Elétricas Residenciais

Projeto de Instalações Elétricas Residenciais Projeto de Instalações Elétricas Residenciais Me. Hader Aguiar Dias Azzini hader_azzini@hotmail.com Campinas - ES 2014 Introdução Em geral, o projeto elétrico compreende quatro partes: Memória (justificativa

Leia mais

Instalações Elétricas BT I. Odailson Cavalcante de Oliveira

Instalações Elétricas BT I. Odailson Cavalcante de Oliveira Instalações Elétricas BT I Odailson Cavalcante de Oliveira Dimensionamento de condutores Tipos de Condutores Condutores isolados Condutores unipolar Condutores multipolar Critérios para dimensionamento:

Leia mais

Tabelas de Dimensionamento

Tabelas de Dimensionamento Com o objetivo de oferecer um instrumento prático para auxiliar no trabalho de projetistas, instaladores e demais envolvidos com a seleção e dimensionamento dos em uma instalação elétrica de baixa tensão,

Leia mais

DIMENSIONAMENTO OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS:

DIMENSIONAMENTO OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS: DIMENSIONAMENTO OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS: Chamamos de dimensionamento técnico de um circuito à aplicação dos diversos itens da NBR 5410 relativos à escolha

Leia mais

BAIXA TENSÃO Uso Geral

BAIXA TENSÃO Uso Geral Dimensionamento OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONA- MENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS: Chamamos de dimensionamento técnico de um circuito à aplicação dos diversos itens da NBR 5410/2004 relativos à escolha

Leia mais

BAIXA TENSÃO Uso Geral

BAIXA TENSÃO Uso Geral Dimensionamento OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONA- MENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS: Chamamos de dimensionamento técnico de um circuito à aplicação dos diversos itens da NBR 5410/2004 relativos à escolha

Leia mais

Seminário Online DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS

Seminário Online DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS Seminário Online DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS Leonel Rodrigues Gerente de Aplicação de Produto Nexans Product Application Dept. Sep 2014 1 Dimensionamento de Condutores Elétricos Dimensionamento

Leia mais

ND - 5.1 6-1 CÁLCULO DA CARGA INSTALADA E DA DEMANDA

ND - 5.1 6-1 CÁLCULO DA CARGA INSTALADA E DA DEMANDA ND - 5.1 6-1 CÁLCULO DA CARGA INSTALADA E DA DEMANDA 1. DETERMINAÇÃO DA CARGA INSTALADA a) Para definição do tipo de fornecimento, o consumidor deve determinar a carga instalada, somando-se a potência

Leia mais

LEI DE OHM. Professor João Luiz Cesarino Ferreira. Conceitos fundamentais

LEI DE OHM. Professor João Luiz Cesarino Ferreira. Conceitos fundamentais LEI DE OHM Conceitos fundamentais Ao adquirir energia cinética suficiente, um elétron se transforma em um elétron livre e se desloca até colidir com um átomo. Com a colisão, ele perde parte ou toda energia

Leia mais

DICAS. Instalações elétricas residenciais. 8ª Edição

DICAS. Instalações elétricas residenciais. 8ª Edição DICAS Instalações elétricas residenciais 8ª Edição DICAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RES CONCEITOS BÁSICOS DE ELETRICIDADE Nos condutores existem partículas invisíveis chamadas de elétrons livres que, assim

Leia mais

Capítulo 3 Circuitos Elétricos

Capítulo 3 Circuitos Elétricos Capítulo 3 Circuitos Elétricos 3.1 Circuito em Série O Circuito Série é aquele constituído por mais de uma carga, ligadas umas as outras, isto é, cada carga é ligada na extremidade de outra carga, diretamente

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS DIMENSIONAMENTO DE ELÉTRICOS INTRODUÇÃO Os fatores básicos que envolvem o dimensionamento de um condutor são: tensão nominal; freqüência nominal; potência ou corrente

Leia mais

DICAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RES

DICAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RES DICAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RES z CNCEITS BÁSICS DE ELETRICIDADE Nos condutores existem partículas invisíveis chamadas de elétrons livres que, assim como os planetas ao redor do sol, giram ao redor

Leia mais

Critérios Construtivos do Padrão de Entrada

Critérios Construtivos do Padrão de Entrada Notas: Critérios Construtivos do Padrão de Entrada A fiação do ramal de saída deve ser a mesma fiação do ramal de entrada. O padrão de entrada na zona rural deverá ficar no mínimo de 10 metros e no máximo

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS SITE: www.amm.org.br- E-mail: engenharia@amm.org.br AV. RUBENS DE MENDONÇA, N 3.920 CEP 78000-070 CUIABÁ MT FONE: (65) 2123-1200 FAX: (65) 2123-1251 MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES

Leia mais

CONDUTORES ELÉTRICOS

CONDUTORES ELÉTRICOS CONDUTORES ELÉTRICOS R = ρ l S ( Ω) Produto metálico, geralmente de forma cilíndrica, utilizada para transportar energia elétrica ou transmitir sinais elétricos. ρ cobre = 1,72 10-8 Ωm ρ alum = 2,80 10-8

Leia mais

DEOP DIRETORIA DE ENGENHARIA E OPERAÇÕES EPE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA MANUAL DE TUBULAÇÕES TELEFÔNICAS PREDIAIS

DEOP DIRETORIA DE ENGENHARIA E OPERAÇÕES EPE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA MANUAL DE TUBULAÇÕES TELEFÔNICAS PREDIAIS CAPÍTULO 2: ESQUEMA GERAL DA TUBULAÇÃO TELEFÔNICA. RECOMENDAÇÕES A tubulação telefônica é dimensionada em função da quantidade de pontos telefônicos previsto para cada parte do edifício. Cada ponto telefônico

Leia mais

ENE065 Instalações Elétricas I

ENE065 Instalações Elétricas I 26/03/2012 ENE065 Instalações Elétricas I Prof.: Ivo Chaves da Silva Junior ivo.junior@ufjf.edu.br Cálculo da Demanda em Edificações Tensão Secundária Cálculo da Demanda em Edificações Individuais (a)

Leia mais

Aula 08 Instalações Elétricas de Distribuição. Professor Jorge Alexandre A. Fotius

Aula 08 Instalações Elétricas de Distribuição. Professor Jorge Alexandre A. Fotius Aula 08 Instalações Elétricas de Distribuição Professor Jorge Alexandre A. Fotius Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Em áreas urbanas com baixa densidade

Leia mais

Os procedimentos para determinar a resistência do condutor são:

Os procedimentos para determinar a resistência do condutor são: 1 Data realização da Laboratório: / / Data da entrega do Relatório: / / Objetivos RELATÓRIO: N o 5 ENSAIO DE FIOS CONDUTORES Verificar o estado da isolação do condutor. 1. Introdução: Esta aula tem como

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 02

COMUNICADO TÉCNICO Nº 02 COMUNICADO TÉCNICO Nº 02 Página 1 de 1 ALTERAÇÕES NAS TABELAS PARA DIMENSIONAMENTO DOS PADRÕES DE ENTRADA DE BAIXA TENSÃO DE USO INDIVIDUAL 1.OBJETIVO Visando a redução de custos de expansão do sistema

Leia mais

Simbologia de instalações elétricas

Simbologia de instalações elétricas Simbologia de instalações elétricas Os símbolos gráficos usados nos diagramas unifilar são definidos pela norma NBR5444, para serem usados em planta baixa (arquitetônica) do imóvel. Neste tipo de planta

Leia mais

Transformadores trifásicos

Transformadores trifásicos Transformadores trifásicos Transformadores trifásicos Transformadores trifásicos Por que precisamos usar transformadores trifásicos Os sistemas de geração, transmissão e distribuição de energia elétrica

Leia mais

Redes de Distribuição Áreas Urbanas - RDAU

Redes de Distribuição Áreas Urbanas - RDAU Redes de Distribuição Áreas Urbanas - RDAU Normas CEMIG ND2.1 - Instalações Básicas de Redes de Distribuição Áreas Urbanas ND3.1 - Projetos de Redes de Distribuição Aéreas Urbanas RDU Rede de Distribuição

Leia mais

MANUTENÇÃO ELÉTRICA INDUSTRIAL * ENROLAMENTOS P/ MOTORES CA *

MANUTENÇÃO ELÉTRICA INDUSTRIAL * ENROLAMENTOS P/ MOTORES CA * MANUTENÇÃO ELÉTRICA INDUSTRIAL * ENROLAMENTOS P/ MOTORES CA * Vitória ES 2006 7. ENROLAMENTOS PARA MOTORES DE CORRENTE ALTERNADA A maneira mais conveniente de associar vários condutores de um enrolamento

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA MEMORIAL DESCRITIVO E JUSTIFICATIVO DE CÁLCULO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM MÉDIA TENSÃO 13.8KV CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA RUA OSVALDO PRIMO CAXILÉ, S/N ITAPIPOCA - CE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Dimensionamento de Condutores Elétricos Dimensionamento de Condutores Elétricos Dimensionamento técnico baixa tensão Seção mínima Capacidade

Leia mais

- SISTEMA TRIFÁSICO. - Representação senoidal

- SISTEMA TRIFÁSICO. - Representação senoidal - SISTEMA TRIFÁSICO - Representação senoidal As ligações monofásicas e bifásicas são utilizadas em grande escala na iluminação, pequenos motores e eletrodomésticos Nos níveis da geração, transmissão e

Leia mais

7 - CORRENTES DE FALTA

7 - CORRENTES DE FALTA 36 7 - CORRENTES DE FALTA Toda instalação elétrica está sujeita a defeitos que proporcionam altas correntes elétricas, as denominadas correntes de falta. Sempre da ocorrência de uma falta, os dispositivos

Leia mais

Realizar novas ligações. Executa ligação BT. HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior

Realizar novas ligações. Executa ligação BT. HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES Edição Data Alterações em relação à edição anterior Fornecimento de Energia Elétrica a Edificações de Múltiplas Unidades Consumidoras do Programa Minha Casa Minha Vida com Telemedição Processo Atividade Realizar novas ligações Executa ligação BT Código

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES MEMORIAL DESCRITIVO Memorial Descritivo Elétrico Projeto: Marcelo

Leia mais

Superintendência de Desenvolvimento e Engenharia da Distribuição TD ND-3.3 - TABELAS

Superintendência de Desenvolvimento e Engenharia da Distribuição TD ND-3.3 - TABELAS 02.111-TD/AT-3013a Superintendência de Desenvolvimento e Engenharia da Distribuição TD ND-3.3 - TABELAS Gerência de Desenvolvimento e Engenharia de Ativos da Distribuição TD/AT Belo Horizonte Setembro/2013

Leia mais

3 - Sistemas em Corrente Alternada. 1 Considerações sobre Potência e Energia. Carlos Marcelo Pedroso. 18 de março de 2010

3 - Sistemas em Corrente Alternada. 1 Considerações sobre Potência e Energia. Carlos Marcelo Pedroso. 18 de março de 2010 3 - Sistemas em Corrente Alternada Carlos Marcelo Pedroso 18 de março de 2010 1 Considerações sobre Potência e Energia A potência fornecida a uma carga à qual está aplicada um tensão instantânea u e por

Leia mais

Projeto de Rede Telefônica

Projeto de Rede Telefônica Projeto de Rede Telefônica Prof. Manoel Henrique Sequencia Definições e materiais. Caixas de distribuição Blocos de terminais Caixas de passagem Tubulação Entrada Primária Secundária Cabos telefônicos

Leia mais

Instalações Elétricas Industriais

Instalações Elétricas Industriais Instalações Elétricas Industriais ENG 1480 Professor: Rodrigo Mendonça de Carvalho Instalações Elétricas Industriais CAPÍTULO 01 INTRODUÇÃO Flexibilidade: admitir mudanças nas localizações dos equipamentos,

Leia mais

EDI-34 Instalações Elétricas

EDI-34 Instalações Elétricas EDI-34 Instalações Elétricas Plano de Disciplina 2º semestre de 2015 1. Identificação Sigla e título: EDI-34 Instalações Elétricas Curso de Engenharia Civil-Aeronáutica Instituto Tecnológico de Aeronáutica

Leia mais

Eletrotécnica Geral. Lista de Exercícios 2

Eletrotécnica Geral. Lista de Exercícios 2 ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO PEA - Departamento de Engenharia de Energia e Automação Elétricas Eletrotécnica Geral Lista de Exercícios 2 1. Condutores e Dispositivos de Proteção 2. Fornecimento

Leia mais

PROTEÇÃO CONTRA SOBRE CORRENTES

PROTEÇÃO CONTRA SOBRE CORRENTES 9 PROTEÇÃO CONTRA SOBRE CORRENTES 9.1 INTRODUÇÃO O aumento da temperatura nos condutores de uma instalação elétrica, devido a circulação de corrente (efeito Joule), projetada para o funcionamento normal,

Leia mais

RECOMENDAÇÕES PARA INSTALADORES SISTEMAS DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO MODELO SAFIRA

RECOMENDAÇÕES PARA INSTALADORES SISTEMAS DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO MODELO SAFIRA RECOMENDAÇÕES PARA INSTALADORES SISTEMAS DE DETECÇÃO E ALARME DE INCÊNDIO MODELO SAFIRA 1. INSTALAÇÃO E INFRAESTRUTURA A Central de alarme e detecção de incêndio Safira exige cuidados importantes na hora

Leia mais

Analisando graficamente o exemplo das lâmpadas coloridas de 100 W no período de três horas temos: Demanda (W) a 100 1 100 100.

Analisando graficamente o exemplo das lâmpadas coloridas de 100 W no período de três horas temos: Demanda (W) a 100 1 100 100. Consumo Consumo refere-se à energia consumida num intervalo de tempo, ou seja, o produto da potência (kw) da carga pelo número de horas (h) em que a mesma esteve ligada. Analisando graficamente o exemplo

Leia mais

Simbologia de instalações elétricas

Simbologia de instalações elétricas Simbologia de instalações elétricas Os símbolos gráficos usados nos diagramas unifilar são definidos pela norma NBR5444, para serem usados em planta baixa (arquitetônica) do imóvel. Neste tipo de planta

Leia mais

Centro de Seleção/UFGD Técnico em Refrigeração ==Questão 26==================== Assinale a alternativa que define refrigeração.

Centro de Seleção/UFGD Técnico em Refrigeração ==Questão 26==================== Assinale a alternativa que define refrigeração. Técnico em Refrigeração ==Questão 26==================== Assinale a alternativa que define refrigeração. (A) O movimento de energia de frio dentro de um espaço onde ele é necessário. (B) A remoção de calor

Leia mais

A solução ideal para instalações residenciais e terciárias

A solução ideal para instalações residenciais e terciárias NOVOS Disjuntores RX 3 A solução ideal para instalações residenciais e terciárias Ambiente Residencial - área úmida Ambiente Residencial Soho - Pequeno Escritório ou Home Office Ambiente Residencial -

Leia mais

Prof.: Geraldo Barbosa Filho

Prof.: Geraldo Barbosa Filho AULA 07 GERADORES E RECEPTORES 5- CURVA CARACTERÍSTICA DO GERADOR 1- GERADOR ELÉTRICO Gerador é um elemento de circuito que transforma qualquer tipo de energia, exceto a elétrica, em energia elétrica.

Leia mais

Questão 3: Três capacitores são associados em paralelo. Sabendo-se que suas capacitâncias são 50μF,100μF e 200μF, o resultado da associação é:

Questão 3: Três capacitores são associados em paralelo. Sabendo-se que suas capacitâncias são 50μF,100μF e 200μF, o resultado da associação é: Questão 1: A tensão E no circuito abaixo vale: a) 0,5 V b) 1,0 V c) 2,0 V d) 5,0 V e) 10,0 V Questão 2: A resistência equivalente entre os pontos A e B na associação abaixo é de: a) 5 Ohms b) 10 Ohms c)

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO ENGENHARIA ELÉTRICA CADERNO DE QUESTÕES

CONCURSO DE ADMISSÃO ENGENHARIA ELÉTRICA CADERNO DE QUESTÕES CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO ENGENHARIA ELÉTRICA CADERNO DE QUESTÕES 2014 1 a QUESTÃO Valor: 1,00 A figura acima apresenta o circuito equivalente monofásico de um motor de indução trifásico

Leia mais

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA

TEMA DA AULA PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA TEMA DA AULA TRANSFORMADORES DE INSTRUMENTOS PROFESSOR: RONIMACK TRAJANO DE SOUZA MEDIÇÃO DE GRANDEZAS ELÉTRICAS Por que medir grandezas elétricas? Quais grandezas elétricas precisamos medir? Como medir

Leia mais

Associação de Geradores

Associação de Geradores Associação de Geradores 1. (Epcar (Afa) 2012) Um estudante dispõe de 40 pilhas, sendo que cada uma delas possui fem igual a 1,5 V e resistência interna de 0,25. Elas serão associadas e, posteriormente,

Leia mais

Dimensionamento de Colunas

Dimensionamento de Colunas Dimensionamento de Colunas Calcular a potência total ST: Moradia Potência a contratar [kva] T1 6.90 ou 10.35 T2 10.35 ou 13.80 T3 10.35 ou 13.80 T4 13.80 ou 17.25 T5 17.25 Trifásico S T = S habita ções

Leia mais

A DESATIVAÇÃO OU REMOÇÃO DA CHAVE SIGNIFICA A ELIMINAÇÃO DA MEDIDA PROTETORA CONTRA CHOQUES ELÉTRICOS E RISCO DE VIDA PARA OS USUÁRIOS DA INSTALAÇÃO.

A DESATIVAÇÃO OU REMOÇÃO DA CHAVE SIGNIFICA A ELIMINAÇÃO DA MEDIDA PROTETORA CONTRA CHOQUES ELÉTRICOS E RISCO DE VIDA PARA OS USUÁRIOS DA INSTALAÇÃO. Fornecimento de Energia Elétrica Nos banheiros deverão ser instalados um disjuntor bifásico no quadro de energia existente de cada quadrante conforme projeto. Deste quadro sairá a alimentação para os banheiros.

Leia mais

Capítulo 02. Resistores. 1. Conceito. 2. Resistência Elétrica

Capítulo 02. Resistores. 1. Conceito. 2. Resistência Elétrica 1. Conceito Resistor é todo dispositivo elétrico que transforma exclusivamente energia elétrica em energia térmica. Simbolicamente é representado por: Assim, podemos classificar: 1. Condutor ideal Os portadores

Leia mais

ISOTRANS IND. DE TRANSFORMADORES LTDA.

ISOTRANS IND. DE TRANSFORMADORES LTDA. ISOTRANS IND. DE TRANSFORMADORES LTDA. TRANSFORMADORES MONOFÁSICOS DE ISOLAÇÃO COM BLINDAGEM APLICAÇÃO Os transformadores monofásicos de isolação com blindagens, magnética e eletrostática, foram desenvolvidos

Leia mais

PREENCHIMENTO DA PLANILHA DO PROJETO EXPRESSO V 2.0

PREENCHIMENTO DA PLANILHA DO PROJETO EXPRESSO V 2.0 1. OBJETIVO Este informativo técnico tem como objetivo orientar o envio dos documentos e o preenchimento correto da planilha do Projeto Expresso v 2.0 - Caixas Metálicas e planilha do Projeto Expresso

Leia mais

PIEP - Notas de Aula Dimensionamento de Condutores, Eletrodutos e Proteção

PIEP - Notas de Aula Dimensionamento de Condutores, Eletrodutos e Proteção INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA CAMPUS JOÃO PESSOA CURSO TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA DUSPIPLINA: PIEP PROF.: KALINA MEDEIROS PIEP - Notas de Aula Dimensionamento de Condutores,

Leia mais

GERADORES MECÂNICOS DE ENERGIA ELÉTRICA

GERADORES MECÂNICOS DE ENERGIA ELÉTRICA GERADORES MECÂNICOS DE ENERGIA ELÉTRICA Todo dispositivo cuja finalidade é produzir energia elétrica à custa de energia mecânica constitui uma máquina geradora de energia elétrica. O funcionamento do

Leia mais

20 m. 20 m. 12. Seja L a indutância de uma linha de transmissão e C a capacitância entre esta linha e a terra, conforme modelo abaixo:

20 m. 20 m. 12. Seja L a indutância de uma linha de transmissão e C a capacitância entre esta linha e a terra, conforme modelo abaixo: ENGENHEIRO ELETRICISTA 4 CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS QUESTÕES DE 11 A 25 11. Um sistema de proteção contra descargas atmosféricas do tipo Franklin foi concebido para prover a segurança de uma edificação

Leia mais

Imprimir. Influência das Harmônicas na Alimentação de Dispositivos Eletrônicos: Efeitos, e como eliminá-los

Imprimir. Influência das Harmônicas na Alimentação de Dispositivos Eletrônicos: Efeitos, e como eliminá-los 1/ 9 Imprimir PROJETOS / Energia 20/08/2012 10:20:00 Influência das Harmônicas na Alimentação de Dispositivos Eletrônicos: Efeitos, e como eliminá-los Na primeira parte deste artigo vimos que a energia

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 12 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 12.1 INTRODUÇÃO Neste capítulo apresenta-se os conceitos e as principais etapas para a realização de projetos de instalações elétricas prediais de baixa tensão (até 1000 V), monofásicos

Leia mais

** OBS. Z=R+jωl e o seu módulo: Z R XL R l

** OBS. Z=R+jωl e o seu módulo: Z R XL R l Análise da Corrente de Curto - Circuito A Análise da corrente de curto circuito em sistemas de baixa tensão é necessária para dimensionar corretamente a proteção do equipamento (disjuntor de proteção)

Leia mais

Fios e cabos elétricos

Fios e cabos elétricos Fios e cabos elétricos Fios e cabos elétricos 3 FIO PLASTICOM ANTICHAMA 450/750 V 5 CAbO PLASTICOM ANTICHAMA 450/750 V 7 CAbO CObreNAx ANTICHAMA 0,6/1 kv 9 CAbO COMPex 0,6/1 kv (COMPACTADO) 11 CAbO FLexICOM

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E FÍSICA EXERCÍCIOS NOTAS DE AULA I Goiânia - 014 1. Um capacitor de placas paralelas possui placas circulares de raio 8, cm e separação

Leia mais

Í N D I C E D E R E V I S Õ E S D E S C R I Ç Ã O E / O U F O L H A S A T I N G I D A S

Í N D I C E D E R E V I S Õ E S D E S C R I Ç Ã O E / O U F O L H A S A T I N G I D A S Página de 30 PROJETO: Í N D I C E D E R E V I S Õ E S R E V. D E S C R I Ç Ã O E / O U F O L H A S A T I N G I D A S 0 EMISSÃO INICIAL 0 2 3 4 5 6 7 8 DATA 4.05.205 25.08.205 EXECUÇÃO WV WV VERIFICAÇÃO

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais. Aterramento. Prof. Msc. Getúlio Teruo Tateoki

Instalações Elétricas Prediais. Aterramento. Prof. Msc. Getúlio Teruo Tateoki Prof. Msc. Getúlio Teruo Tateoki Conceito Instalações Elétricas Prediais -É a Ligação intencional de um condutor à terra. -Significa colocar instalações de estruturas metálicas e equipamentos elétricos

Leia mais

ENE065 Instalações Elétricas I

ENE065 Instalações Elétricas I 19/03/2012 ENE065 Instalações Elétricas I Prof.: Ivo Chaves da Silva Junior ivo.junior@ufjf.edu.br Previsão de Carga Especiais NBR-5410 Cargas Especiais? Em geral, são cargas de uso comum em um edifício.

Leia mais

Eng. Everton Moraes. Transformadores

Eng. Everton Moraes. Transformadores Eng. Everton Moraes Eng. Everton Moraes Transformadores 1 Transformadores Sumário INTRODUÇÃO... 3 1. Máquinas Elétricas... 3 1.1. Magnetismo... 3 1.2. Eletromagnetismo... 5 1.3. Solenóide... 5 2. Transformadores

Leia mais

Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica

Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica Existem diversas maneiras de se gerar energia elétrica. No mundo todo, as três formas mais comuns são por queda d água (hidroelétrica), pela queima

Leia mais

Informações e Tabelas Técnicas

Informações e Tabelas Técnicas As instalações e dimensionamentos de fios e cabos elétricos de baixa tensão devem obedecer as recomendações indicadas na NBR 5410/2004. Características dos condutores de cobre mole para fios e cabos isolados

Leia mais

Equipamentos Elétricos e Eletrônicos de Potência Ltda.

Equipamentos Elétricos e Eletrônicos de Potência Ltda. Equipamentos Elétricos e Eletrônicos de Potência Ltda. Confiança e economia na qualidade da energia. Recomendações para a aplicação de capacitores em sistemas de potência Antes de iniciar a instalação,

Leia mais

Eletroduto de PVC Rígido Roscável

Eletroduto de PVC Rígido Roscável Eletroduto de PVC Rígido Roscável Localização no Website TIGRE: Obra Predial Eletricidade Eletroduto roscável Função: Proteção mecânica para instalações elétricas embutidas. Aplicação: instalações elétricas

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais A

Instalações Elétricas Prediais A Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Prof. Luiz Fernando Gonçalves AULA 9 Divisão da Instalação em Circuitos Porto Alegre - 2012 Tópicos Quadros de distribuição Disjuntores Divisão da instalação elétrica

Leia mais

-Transformadores Corrente de energização - inrush

-Transformadores Corrente de energização - inrush -Transformadores Corrente de energização - inrush Definição Corrente de magnetização (corrente de inrush) durante a energização do transformador Estas correntes aparecem durante a energização do transformador,

Leia mais

Possibilidades de corrente através do corpo humano

Possibilidades de corrente através do corpo humano 1 Medidas de proteção em instalações elétricas Existe sempre o perigo de vida se o homem conectar em uma instalação elétrica, por intermédio de sua própria pessoa, 2 pontos submetidos a tensões diferentes,

Leia mais

Eletrodutos de PVC Rígido Tipo Rosqueável

Eletrodutos de PVC Rígido Tipo Rosqueável Barramentos de Cobre Medida Peso Amperagem /8 x 1/16 0,15kg 5 1/2 x 1/16 0,180kg 45 /8 x 1/8 0,269kg 7 1/2 x 1/8 0,58kg 97 5/8 x 1/8 0,448kg 122 /4 x 1/8 0,57kg 146 1 x 1/8 0,717kg 195 1.1/4 x 1/8 0,896kg

Leia mais

REDE DE CABOS DE FIBRA ÓPTICA

REDE DE CABOS DE FIBRA ÓPTICA REDE DE CABOS DE FIBRA ÓPTICA ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS Sumário: 1. Cabos de fibras ópticas... 2 2. Lançamento de Cabo Óptico... 3 3. Emendas ópticas... 3 4. Distribuidor Geral Óptico DGO... 3 5. Medições

Leia mais

Laboratório de Circuitos Elétricos

Laboratório de Circuitos Elétricos Laboratório de Circuitos Elétricos 3ª série Mesa Laboratório de Física Prof. Reinaldo / Monaliza Data / / Objetivos Observar o funcionamento dos circuitos elétricos em série e em paralelo, fazendo medidas

Leia mais

Contatos em AgNi, para comutação de cargas resistivas ou levemente indutivas, como cargas de motores. 2000 fluorescente compacta (CFL) W

Contatos em AgNi, para comutação de cargas resistivas ou levemente indutivas, como cargas de motores. 2000 fluorescente compacta (CFL) W Características 22.32.0.xxx.1xx0 Série 22 - Contator modular 25 A 22.32.0.xxx.4xx0 Contator modular de 25A - 2 contatos Largura do módulo, 17.5 mm Contatos NA com abertura 3mm com dupla abertura Energização

Leia mais

REGULAMENTO CENTRO DE EVENTOS FIERGS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

REGULAMENTO CENTRO DE EVENTOS FIERGS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS No caso das instalações elétricas existentes nos espaços não comportarem a carga elétrica a ser ligada pelo evento, é necessário que a Contratante apresente os documentos e respeite as condições mínimas

Leia mais

Lista de Exercícios de Instalações Elétricas

Lista de Exercícios de Instalações Elétricas Lista de Exercícios de Instalações Elétricas 1 - Calcule a resistência elétrica equivalente entre os pontos A e B do circuito a seguir. Obs. todos os resistores possuem resistência igual a R. 2 - A figura

Leia mais

CAPÍTULO 2 - TIPOS DE MÁQUINAS ASSÍNCRONAS TRIFÁSICAS

CAPÍTULO 2 - TIPOS DE MÁQUINAS ASSÍNCRONAS TRIFÁSICAS CAPÍTULO 2 - TIPOS DE MÁQUINAS ASSÍNCRONAS TRIFÁSICAS 2.1 INTRODUÇÃO O objetivo do presente trabalho é estudar o funcionamento em regime permanente e em regime dinâmico da Máquina Assíncrona Trifásica

Leia mais

PROJETO DE INSTALAÇÕES PREDIAIS

PROJETO DE INSTALAÇÕES PREDIAIS PEA - Eletrotécnica Geral 1 PROJETO DE INSTALAÇÕES PREDIAIS OBJETIVOS Estudar: Constituição de uma instalação elétrica Tipos de instalações elétricas Funcionamento de circuitos típicos Representação de

Leia mais

Conhecer as características de conjugado mecânico

Conhecer as características de conjugado mecânico H4- Conhecer as características da velocidade síncrona e do escorregamento em um motor trifásico; H5- Conhecer as características do fator de potência de um motor de indução; Conhecer as características

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS DEPARTAMENTO DE MATEMÁTICA E FÍSICA Professor: Renato Medeiros EXERCÍCIOS NOTA DE AULA III Goiânia - 014 1 E X E R C Í C I O S 1. Uma corrente de 5,0 A percorre

Leia mais

Contatos em AgNi, para comutação de cargas resistivas ou levemente indutivas, como cargas de motores. 2000 fluorescente compacta (CFL) W

Contatos em AgNi, para comutação de cargas resistivas ou levemente indutivas, como cargas de motores. 2000 fluorescente compacta (CFL) W Série - Contator modular 25-40 - 63 A SÉRIE Características.32.0.xxx.1xx0.32.0.xxx.4xx0 Contator modular de 25A - 2 contatos Largura do módulo, 17.5 mm Contatos NA com abertura 3mm com dupla abertura Energização

Leia mais

PROJETOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO. 1 Introdução

PROJETOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO. 1 Introdução PROJETOS DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS DE BAIXA TENSÃO 1 Introdução As instalações elétricas de baixa tensão são regidas no Brasil pela norma NBR 5410 (também conhecida por NB-3). Esta norma aplica-se às instalações

Leia mais

PROJETO DE UMA INSTALAÇÃO DE UTILIZAÇÃO

PROJETO DE UMA INSTALAÇÃO DE UTILIZAÇÃO PROJETO DE UMA INSTALAÇÃO DE UTILIZAÇÃO (RESUMO) Instalações tipo C são instalações abastecidas a partir da rede pública de baixa tensão. Estas instalações são certificadas pela Certiel Associação Certificadora

Leia mais

Alternadores e Circuitos Polifásicos ADRIELLE DE CARVALHO SANTANA

Alternadores e Circuitos Polifásicos ADRIELLE DE CARVALHO SANTANA Alternadores e Circuitos Polifásicos ADRIELLE DE CARVALHO SANTANA Alternadores Um gerador é qualquer máquina que transforma energia mecânica em elétrica por meio da indução magnética. Um gerador de corrente

Leia mais

AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA

AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA AULA 02 REVISÃO DE EQUIPAMENTOS ELÉTRICOS TRANSFORMADORES DE MEDIDAS DISJUNTORES DE POTÊNCIA ENE095 Proteção de Sistemas Elétricos de Potência Prof. Luís Henrique Lopes Lima 1 TRANSFORMADORES DE MEDIDAS

Leia mais