ENE065 Instalações Elétricas I

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ENE065 Instalações Elétricas I"

Transcrição

1 14/05/2012 ENE065 Instalações Elétricas I Prof.: Ivo Chaves da Silva Junior

2 Dimensionamento dos Condutores FASE Ampacidade Queda de Tensão Seção Mínima

3 Dimensionamento dos Condutores Perfeito Funcionamento dos Aparelhos Tensões Terminais Tensões Nominais

4 Dimensionamento dos Condutores Tensões Terminais Tensões Nominais Redução do torque de motores Dificuldade de partida Redução na iluminância de lâmpadas Redução de vida útil, entre outros.

5 Dimensionamento dos Condutores Queda de Tensão Esse critério tem por objetivo garantir que os níveis de tensão em todos os pontos da instalação estejam dentro de valores especificados pela NBR5410/2004 a fim de não prejudicar o funcionamento dos equipamentos conectados aos circuitos terminais.

6 Dimensionamento dos Condutores PRESCRIÇÕES DA NBR-5410/2004 QUANTO À QUEDA DE TENSÃO

7 Dimensionamento dos Condutores PRESCRIÇÕES DA NBR-5410/2004 QUANTO À QUEDA DE TENSÃO

8 Dimensionamento dos Condutores PRESCRIÇÕES DA NBR-5410/2004 QUANTO À QUEDA DE TENSÃO

9 Dimensionamento dos Condutores Serão apresentadas três formas de dimensionamento visando a redução da queda de tensão em condutores: - Pela máxima queda de tensão - Pela queda de tensão unitária - Pelo método Watts.metros (Seminário)

10 Dimensionamento dos Condutores CIRCUITOS A 2 FIOS COM CARGA CONCENTRADA Máx.Queda de Tensão Máxima Queda de tensão: V V V Rl Ic Rl Ic R l I c

11 Dimensionamento dos Condutores CIRCUITOS A 2 FIOS COM CARGA CONCENTRADA Máx.Queda de Tensão Resistividade do material.mm 2 m Resistência do condutor l R l S Comprimento do condutor m Área do condutor 2 mm

12 Dimensionamento dos Condutores CIRCUITOS A 2 FIOS COM CARGA CONCENTRADA Máx.Queda de Tensão Potência ativa do circuito P W Corrente no circuito A I c v c cos( ) Tensão de alimentação do circuito V Fator de potência

13 Dimensionamento dos Condutores CIRCUITOS A 2 FIOS COM CARGA CONCENTRADA Máx.Queda de Tensão Queda de Tensão do circuito: V 2 R I l c (1) A tensão nominal pode ser dada por: V nom V c V V V V nom c Substituído o valor de R, na equação (1), em função da resistividade, comprimento e área do condutor, tem-se : V 2 l S I c V nom V c

14 Dimensionamento dos Condutores CIRCUITOS A 2 FIOS COM CARGA CONCENTRADA Máx.Queda de Tensão V Queda de Tensão do circuito (%): nom c V (%) 100% V V nom Como: V nom Tem-se: V V c 2 2 l Ic (%) 100% S V nom l S I c

15 Dimensionamento dos Condutores CIRCUITOS A 2 FIOS COM CARGA CONCENTRADA Máx.Queda de Tensão V 2 l Ic (%) 100% S V nom Área do condutor em função da queda percentual de tensão S 2 V l I (%) V c nom 100% PRESCRIÇÕES DA NBR-5410/2004 QUANTO À QUEDA DE TENSÃO

16 Dimensionamento dos Condutores CIRCUITOS A 2 FIOS COM CARGA CONCENTRADA Máx.Queda de Tensão S 2 l I V (%) V c nom 100% Para circuitos com alimentação em corrente alternada a equação acima é APROXIMADA!! Para uma expressão mais precisa deve-se considerar: Z c R c jwl fator de potência Entretanto em Instalações Elétricas Residenciais, tem-se: R c jwl fator de potência 1

17 Dimensionamento dos Condutores Exemplo: Dimensionar os condutores de cobre, para um circuito (fase-fase) de um chuveiro elétrico, distante 15m do QD, com potência de 4500VA, tensão de 220V, de modo que a queda de tensão máxima seja de 4%. Resistividade do cobre 1.mm 2 57 m

18 Dimensionamento dos Condutores Área do condutor em função da queda percentual de tensão S 2 V l I (%) V c nom 100%

19 Dimensionamento dos Condutores S 2 l I V (%) V c nom 100% P 4500 I 20, A c v cos( ) c 1.mm 2 57 m l 15m V nom 220V V (%) 4 S 1.2mm 2

20 Dimensionamento dos Condutores CIRCUITOS A 2 FIOS COM CARGA DISTRIBUÍDA Máx.Queda de Tensão

21 Dimensionamento dos Condutores CIRCUITOS A 2 FIOS COM CARGA DISTRIBUÍDA Máx.Queda de Tensão Área do condutor em função da queda percentual de tensão nc S 2 V ( l I ) c c c 1 100% (%) V nom

22 Dimensionamento dos Condutores CIRCUITOS A TRÊS FIOS COM CARGAS CONCENTRADAS Máx.Queda de Tensão

23 Dimensionamento dos Condutores CIRCUITOS A TRÊS FIOS COM CARGAS CONCENTRADAS Máx.Queda de Tensão Resistência l R l S Corrente I l 3 V P l 3 cos( ) V Carga em Estrela 3 l V f Usando o raciocínio análogo ao circuitos a dois condutores chega-se nas seguintes expressões:

24 Dimensionamento dos Condutores CIRCUITOS A TRÊS FIOS COM CARGAS CONCENTRADAS Máx.Queda de Tensão V l (%) 3 l S V l( nom) I l 100% Área do condutor em função da queda percentual de tensão S 3 l I V (%) V l l l( nom) 100%

25 Dimensionamento dos Condutores CIRCUITOS A TRÊS FIOS COM CARGAS DISTRIBUÍDAS Máx.Queda de Tensão Área do condutor em função da queda percentual de tensão S 3 V l n ( l (%) V I l ( nom ) ) c c c 1 100%

26 Dimensionamento dos Condutores QUEDA DE TENSÃO UNITÁRIA EM V/A.km Praticidade Precisão USO DE TABELAS DOS FABRICANTES (V/A.km) Consideram: Comprimentos superiores a 15 m Reatância do condutor Fator de potência Característica Magnética do Eletroduto

27 Dimensionamento dos Condutores ROTEIRO DIMENSIONAMENTO PELA QUEDA DE TENSÃO UNITÁRIA EM V/A.km 1º-Passo: MATERIAL DO ELETRODUTO (MAGNÉTICO OU NÃO) 2º-Passo: TIPO DE CIRCUITO ( MONOFÁSICO, BIFÁSICO OU TRIFÁSICO) 3º-Passo: TENSÃO DO CIRCUITO ( F-N OU F-F) 4º-Passo: CÁLCULO DA CORRENTE DE PROJETO 5º-Passo: DETERMINAÇÃO DO FATOR DE POTÊNCIA 6º-Passo: COMPRIMENTO DO CIRCUITO EM KM 7º-Passo: CÁLCULO DA QUEDA DE TENSÃO 8º-Passo: ESCOLHA DO CONDUTOR (TABELAS A SEGUIR)

28 Dimensionamento dos Condutores CÁLCULO DA QUEDA DE TENSÃO UNITÁRIA EM V/A.km Queda de tensão percentual permitida e(%). V Tensão do Circuito V unit I p. l Corrente de Projeto Comprimento do Circuito

29 Dimensionamento dos Condutores QUEDA DE TENSÃO UNITÁRIA V/A.km

30 Dimensionamento dos Condutores TABELAS - QUEDA DE TENSÃO UNITÁRIA V/A.km - FABRICANTES

31 Dimensionamento dos Condutores Exemplo: Dimensionar pelo limite de queda de tensão unitária, os condutores de cobre para um circuito (fase-fase) de um chuveiro elétrico, distante de 15m do QD, com potência de 4500VA, tensão de 220V, isolação tipo PVC, eletroduto magnético, embutido em alvenaria e temperatura ambiente de 30 C.

32 Dimensionamento dos Condutores Informações para o dimensionamento: a) Material do eletroduto Magnético b) Tipo de circuito monofásico (F-F) c) Tensão do circuito 220V d) Corrente de projeto I P = 20,45A e) Fator de potência FP = 1 f) Comprimento 15m = 0,015km g) Queda de tensão 4% = 0,04

33 Dimensionamento dos Condutores h) Cálculo da queda de tensão unitária: V unit = e(%). V I P. L V unit = 0, V unit = 28,7 V/A.km 20,45. 0,015 i) Escolha do condutor Consultar tabela do fabricante

34 Solução: 1,5 mm²

35 Dimensionamento dos Condutores Seção Mínima A NBR5410/2004 determina a seção mínima dos condutores Fase de acordo com o tipo de instalação e sua utilização:

36 Dimensionamento dos Condutores FASE Ampacidade Queda de Tensão Seção Mínima Escolhe-se A maior seção entre os três métodos

37 Observações: Dimensionamento dos Condutores Em trechos maiores de 15m Em trechos curtos (inferior a 15m) Iniciar o dimensionamento pelo circuito mais longo (pior caso) de cada grupo (Iluminação TUGs TUEs )

38 Dimensionamento do Condutor de Proteção NBR-5410/2004 Tabela 58 Dimensionamento mínimo : 2,5 mm² com proteção mecânica 4,0 mm² sem proteção mecânica

39 com proteção mecânica Dimensionamento do Condutor de Proteção 2,5 mm² 4,0 mm² sem proteção mecânica

40 Dimensionamento do Condutor Neutro Basicamente há dois fatores para o dimensionamento: Tipo de circuito (monofásico, bifásico, trifásico) Existência ou não de corrente de terceira harmônica

41 HARMÔNICAS Dimensionamento do Condutor Neutro Corrente em algum ponto da instalação (1) + (5) = (T) (1) e (5) Senóides com Frequências e Amplitudes DIFERENTES Causas: Cargas Não Lineares (computadores, lâmpadas de descarga, máquinas de solda, etc) Consequências: Aquecimento, aumento da queda de tensão, etc.

42 HARMÔNICAS Dimensionamento do Condutor Neutro

43 Dimensionamento do Condutor Neutro Critérios de dimensionamento condutor NEUTRO: O condutor neutro não deve ser comum a mais de um circuito O condutor neutro deve ter, no mínimo, a mesma seção do condutor fase nas seguintes situações: Circuitos Monofásicos; Circuitos Bifásicos, se a taxa de 3ª harmônica for inferior a 33%; Circuitos Trifásicos, se a taxa de 3ª harmônica estiver entre 15% e 33%.

44 Dimensionamento do Condutor Neutro Critérios de dimensionamento condutor NEUTRO: O condutor neutro pode ter seção menor que a do condutor fase, Tabela 48 NBR5410, nas seguintes situações desde que ocorram simultaneamente: Circuito considerado equilibrado; A corrente das fases com uma taxa de 3ª harmônica inferior a 15%.

45 Dimensionamento do Condutor Neutro Circuito Equilibrado; 3ª harmônica inferior a 15%.

46 6º TRABALHO SALA DE AULA GRUPOS Dimensionamento Condutores

47 Capacidade de condução de corrente Método de Instalação (capacidade de dissipação de calor) Devemos conhecer os tipos de condutos

48 Condutos Eletrodutos Bandejas Canaletas

49 Condutos Definição: O componente de uma instalação que propicia um meio envoltório, ou invólucro, aos condutores elétricos é chamado conduto. Objetivo Proteger os condutores elétricos contra: Ações mecânicas Corrosões Incêndios (resultante do superaquecimentos dos condutores)

50 Eletrodutos Tipos de Eletrodutos Metálico Rígido PVC Rígido Metálico Flexível PVC Flexível Eletroduto para cabos subterrâneos

51 Eletrodutos

52 Eletrodutos

53 Eletrodutos

54 Eletrodutos

55 Eletrodutos

56 Eletrodutos - Acessórios

57 Eletrodutos - Acessórios X Conduletes TB Referência:

58 Eletrodutos

59 Medidas dos Eletrodutos (Descem)

60 Medidas dos Eletrodutos (Sobem)

61 Dimensionamento de Eletrodutos As dimensões internas dos eletrodutos e respectivos acessórios de ligação devem permitir instalar e retirar facilmente os condutores

62 Dimensionamento de Eletrodutos Exemplo Um eletroduto com diâmetro externo de 26,2mm e área de seção transversal igual a 346,4 mm², pode ser ocupado por condutores nas seguintes condições: Um condutor de seção máxima de 183,6mm² (53%) Dois condutores, cuja a soma de suas seções não ultrapasse 107,4mm² (31%); Três ou mais condutores, cuja a soma de suas seções não ultrapasse 138,6mm² (40%);

63 Dimensionamento dos Eletrodutos Cálculo da Seção externa (Sec) e Seção Total (St) De = Diâmetro externo

64 Dimensionamento dos Eletrodutos Roteiro para Dimensionamento dos Eletrodutos 1º) Determina-se a seção total (St-mm²) ocupada pelos condutores via tabelas dos fabricantes ou através de calculo; 2º) Determina-se o diâmetro externo nominal do eletroduto (mm), entrando-se nas tabelas de fabricantes de eletrodutos, com o valor encontrado no item anterior; ***) Caso os condutores instalados em um mesmo eletroduto sejam do mesmo tipo e tenham seções nominais iguais, pode-se eliminar os itens 1 e 2, encontrando-se o diâmetro externo nominal do eletroduto em função da quantidade e seção dos condutores, diretamente por tabelas específicas.

65 Tabela Diâmetro Externo e Seção Total - Condutores

66 Tabela Eletrodutos PVC Rígido

67 Tabela Eletrodutos Aço Carbono

68 ***) Tabela - Condutores mesmo tipo e seção

69 Dimensionamento de Eletrodutos - PVC

70 Dimensionamento dos Eletrodutos Exercício: Dimensionar o trecho de eletroduto de PVC rígido roscável, mostrado abaixo, no qual devem ser instalados os seguintes circuitos:

71 Dimensionamento dos Eletrodutos Circuito 3 Circuito 1 Circuito 2

72 Dimensionamento dos Eletrodutos Área Total ELETRODUTO DE 25 mm

73 Eletrodutos - Observação Trechos superiores a 15 m (NBR5410) Caixa de Passagem (Derivação) Objetivo: Facilitar a passagem de condutores

74 Caixas de Derivação

75 Caixas de Derivação NBR5410 As caixas de derivação devem ser empregadas: Em todos os pontos de entrada e saída da tubulação; Em todos os pontos de emenda ou derivação de condutores. Recomendações: Não deve haver trechos retilíneos maiores que 15 metros, sendo que, nos trechos com curvas, essa distância deve ser reduzida de 3 metros para cada curva; Em cada trecho de tubulação, entre duas caixas, podem ser previstas no máximo 3 curvas de 90º.

76 Lmáx 15 3 N Caixas de Derivação Comprimento máximo retilíneo de um trecho entre duas caixas de passagem (derivação) Número de curvas Comprimento real do trecho A Lreal 6 Lmáx Aumento de bitola do eletroduto devido as eventuais curvas existentes no trecho (deslocamento Tabela)

77 Dimensionamento dos Eletrodutos Exercício: Dimensionar o eletroduto PVC para o trecho de tubulação mostrado na figura abaixo, entre duas caixas CP-1 e CP-2, no qual não há possibilidade de instalação de caixas intermediárias. Os circuitos que o eletroduto conterá são os seguintes: Quantos condutores? 14 Condutores

78 Dimensionamento dos Eletrodutos mm² 95

79 Dimensionamento dos Eletrodutos Área Total 913 mm² Tabela Eletrodutos PVC Rígido ELETRODUTO DE 75 mm

80 Dimensionamento dos Eletrodutos

81 Dimensionamento dos Eletrodutos 913 mm² Tabela Eletrodutos PVC Rígido ELETRODUTO DE 85 mm

82 Eletrodutos Orientações Gerais: Em instalações embutidas só são admitidos eletrodutos que suportem os esforços de deformação característicos do tipo de construção; Dentro de um trecho de eletroduto só é conveniente instalar até nove condutores ( ou seja, no máximo três ou quatro circuitos); Evitar cruzamento de eletrodutos; A NBR5410 não permite a utilização de eletrodutos com comprimentos superiores a 15 metros sem a interposição de caixa de passagem;

83 Temas do Segundo Seminário

84 Temas do Segundo Seminário Dimensionamento de Condutores pelo Critério Econômico e Watts.metros Harmônicos em Instalações Elétricas Residenciais Luminotécnica: Luz, Lâmpadas e Iluminação Grupos Bruno Santiago Guilherme Alves Guilherme Couto Antônio Candia Matheus Braga Edgar Alves Ivan Stoppa Felipe Barros André Lopes

85 Avaliação do Seminário 1. Apresentação do Seminário (Transparências power point) 2. Conteúdo sobre o tema 3. Tempo de apresentação (30 à 50 minutos) 4. Domínio do assunto 5. A nota não é individual DIA 04 DE JUNHO DE 2012

ENE065 Instalações Elétricas I

ENE065 Instalações Elétricas I 07/05/2012 ENE065 Instalações Elétricas I Prof.: Ivo Chaves da Silva Junior ivo.junior@ufjf.edu.br Quadro de Distribuição Circuitos Terminais Circuitos Terminais Quadro de Distribuição Quadro de Distribuição

Leia mais

Tipos de linhas. Sumário Linhas Elétricas Dimensionamento. Aspectos Gerais Características Tipos de Linhas

Tipos de linhas. Sumário Linhas Elétricas Dimensionamento. Aspectos Gerais Características Tipos de Linhas Tipos de linhas Sumário Aspectos Gerais Características Tipos de Linhas Instalação dos condutores Aspectos Gerais Características Tipos de Linhas Os cabos multipolares só deve conter os condutores de um

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES

DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES Os seis critérios de dimensionamento de circuitos de BT: 1. Seção mínima; 2. Capacidade de condução de corrente; 3. Queda de tensão; 4. Proteção contra sobrecargas; 5. Proteção contra curtos-circuitos;

Leia mais

Disciplina: Eletrificação Rural

Disciplina: Eletrificação Rural UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ SETOR DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS RIAS DEPARTAMENTO DE SOLOS E ENGENHARIA AGRÍCOLA Disciplina: Eletrificação Rural Unidade 6 Condutores elétricos - dimensionamento e instalação.

Leia mais

4 LINHAS ELÉTRICAS. Figura 5: Exemplos de fios e cabos.

4 LINHAS ELÉTRICAS. Figura 5: Exemplos de fios e cabos. 8 4.1 Condutores elétricos. 4 LINHAS ELÉTRICAS Os condutores elétricos constituem os principais componentes das linhas elétricas que conduzem eletricidade até as cargas elétricas. Define-se condutor elétrico

Leia mais

Os eletrodutos são as canalizações que contém os condutores (item 6.2.11.1). Os eletrodutos podem ser de aço ou de PVC 70 o C.

Os eletrodutos são as canalizações que contém os condutores (item 6.2.11.1). Os eletrodutos podem ser de aço ou de PVC 70 o C. 1 Os eletrodutos são as canalizações que contém os condutores (item 6.2.11.1). Os eletrodutos podem ser de aço ou de PVC 70 o C. Mangueiras plásticas NÃO são eletrodutos. 2 3 Nas extremidades dos eletrodutos

Leia mais

DIMENSIONAMENTO OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS:

DIMENSIONAMENTO OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS: DIMENSIONAMENTO OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS: Chamamos de dimensionamento técnico de um circuito à aplicação dos diversos itens da NBR 5410 relativos à escolha

Leia mais

Instalações Elétricas Industriais. Prof. Carlos T. Matsumi

Instalações Elétricas Industriais. Prof. Carlos T. Matsumi Instalações Elétricas Industriais Divisão de Sistemas de Alimentação Faixa de Tensão Elétrica (IE) orrente Alternada - A orrente ontínua- Extra Baixa Tensão: Tensão Inferior à 50 V (A) e 120 V () Baixa

Leia mais

BAIXA TENSÃO Uso Geral

BAIXA TENSÃO Uso Geral Dimensionamento OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONA- MENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS: Chamamos de dimensionamento técnico de um circuito à aplicação dos diversos itens da NBR 5410/2004 relativos à escolha

Leia mais

Prof. Manuel A Rendón M

Prof. Manuel A Rendón M Prof. Manuel A Rendón M Regras práticas para projeto elétrico Iluminação, TUG, TUE Recomendações práticas Alguns símbolos diferentes (outra concessionária) Página do Professor - Manuel Rendón UFJF Manual

Leia mais

MÉTODO DE INSTALAÇÃO (Tabela 33 da NBR5410/2004)

MÉTODO DE INSTALAÇÃO (Tabela 33 da NBR5410/2004) MÉTODO DE INSTALAÇÃO (Tabela da NBR5410/004) Método de instalação número: Esquema ilustrativo Descrição Método de instalação a utilizar para a capacidade de condução de corrente 1 1 1 eletroduto de seção

Leia mais

BAIXA TENSÃO Uso Geral

BAIXA TENSÃO Uso Geral Dimensionamento OS SEIS CRITÉRIOS TÉCNICOS DE DIMENSIONA- MENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS: Chamamos de dimensionamento técnico de um circuito à aplicação dos diversos itens da NBR 5410/2004 relativos à escolha

Leia mais

Projeto de Instalações Elétricas Residenciais

Projeto de Instalações Elétricas Residenciais Projeto de Instalações Elétricas Residenciais Me. Hader Aguiar Dias Azzini hader_azzini@hotmail.com Campinas - ES 2014 Introdução Em geral, o projeto elétrico compreende quatro partes: Memória (justificativa

Leia mais

Tabelas de Dimensionamento

Tabelas de Dimensionamento Com o objetivo de oferecer um instrumento prático para auxiliar no trabalho de projetistas, instaladores e demais envolvidos com a seleção e dimensionamento dos em uma instalação elétrica de baixa tensão,

Leia mais

Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Dimensionamento de Condutores e Eletrodutos

Instalações Elétricas de Baixa Tensão. Dimensionamento de Condutores e Eletrodutos Dimensionamento de Condutores e Eletrodutos Método da capacidade de condução de corrente Roteiro: 1. Calcular a corrente de projeto (I p ) dos circuitos da edificação; 2. Definir parâmetros de instalação

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS Capítulo 4 Parte 2 Condutores elétricos: 1. semestre de 2011 Abraham Ortega Número de condutores isolados no interior de um eletroduto Eletroduto é um elemento de linha elétrica fechada,

Leia mais

Instalações Elétricas BT I. Odailson Cavalcante de Oliveira

Instalações Elétricas BT I. Odailson Cavalcante de Oliveira Instalações Elétricas BT I Odailson Cavalcante de Oliveira Dimensionamento de condutores Tipos de Condutores Condutores isolados Condutores unipolar Condutores multipolar Critérios para dimensionamento:

Leia mais

CONDUTORES ELÉTRICOS

CONDUTORES ELÉTRICOS CONDUTORES ELÉTRICOS R = ρ l S ( Ω) Produto metálico, geralmente de forma cilíndrica, utilizada para transportar energia elétrica ou transmitir sinais elétricos. ρ cobre = 1,72 10-8 Ωm ρ alum = 2,80 10-8

Leia mais

ENE065 Instalações Elétricas I

ENE065 Instalações Elétricas I 26/03/2012 ENE065 Instalações Elétricas I Prof.: Ivo Chaves da Silva Junior ivo.junior@ufjf.edu.br Cálculo da Demanda em Edificações Tensão Secundária Cálculo da Demanda em Edificações Individuais (a)

Leia mais

13 - INSTALAÇÕES DE FORÇA MOTRIZ

13 - INSTALAÇÕES DE FORÇA MOTRIZ Instalações Elétricas Professor Luiz Henrique Alves Pazzini 104 13.1 - Introdução 13 - INSTALAÇÕES DE FORÇA MOTRIZ Existem três configurações básicas para alimentação de motores que operam em condições

Leia mais

7 - CORRENTES DE FALTA

7 - CORRENTES DE FALTA 36 7 - CORRENTES DE FALTA Toda instalação elétrica está sujeita a defeitos que proporcionam altas correntes elétricas, as denominadas correntes de falta. Sempre da ocorrência de uma falta, os dispositivos

Leia mais

DICAS. Instalações elétricas residenciais. 8ª Edição

DICAS. Instalações elétricas residenciais. 8ª Edição DICAS Instalações elétricas residenciais 8ª Edição DICAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RES CONCEITOS BÁSICOS DE ELETRICIDADE Nos condutores existem partículas invisíveis chamadas de elétrons livres que, assim

Leia mais

ÃO AO CURSO LEGENDA WS 01 S 01 ENGENHARIA ELÉTRICA. Valor: 1,0. 1 a QUESTÃO. Tomada de 350 W. Luminária de 250 W monofásica. Interruptor simples

ÃO AO CURSO LEGENDA WS 01 S 01 ENGENHARIA ELÉTRICA. Valor: 1,0. 1 a QUESTÃO. Tomada de 350 W. Luminária de 250 W monofásica. Interruptor simples CONCURSO DE ADMISSÃ ÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO ENGENHARIA ELÉTRICA CADERNO DE QUESTÕES 2009 1 a QUESTÃO Valor: 1,0 3m 02 g 3m 3m 4m 3m e 6m 4m 6m 6m d 4m 4m 02 02 02 4m 02 S g f 4m S S f e 4m c S d WS ab

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO ENGENHARIA ELÉTRICA CADERNO DE QUESTÕES

CONCURSO DE ADMISSÃO ENGENHARIA ELÉTRICA CADERNO DE QUESTÕES CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO ENGENHARIA ELÉTRICA CADERNO DE QUESTÕES 2014 1 a QUESTÃO Valor: 1,00 A figura acima apresenta o circuito equivalente monofásico de um motor de indução trifásico

Leia mais

ND - 5.1 6-1 CÁLCULO DA CARGA INSTALADA E DA DEMANDA

ND - 5.1 6-1 CÁLCULO DA CARGA INSTALADA E DA DEMANDA ND - 5.1 6-1 CÁLCULO DA CARGA INSTALADA E DA DEMANDA 1. DETERMINAÇÃO DA CARGA INSTALADA a) Para definição do tipo de fornecimento, o consumidor deve determinar a carga instalada, somando-se a potência

Leia mais

DICAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RES

DICAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RES DICAS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RES z CNCEITS BÁSICS DE ELETRICIDADE Nos condutores existem partículas invisíveis chamadas de elétrons livres que, assim como os planetas ao redor do sol, giram ao redor

Leia mais

PIEP - Notas de Aula Dimensionamento de Condutores, Eletrodutos e Proteção

PIEP - Notas de Aula Dimensionamento de Condutores, Eletrodutos e Proteção INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA PARAÍBA CAMPUS JOÃO PESSOA CURSO TÉCNICO EM ELETROTÉCNICA DUSPIPLINA: PIEP PROF.: KALINA MEDEIROS PIEP - Notas de Aula Dimensionamento de Condutores,

Leia mais

Seminário Online DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS

Seminário Online DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS Seminário Online DIMENSIONAMENTO DE CONDUTORES ELÉTRICOS Leonel Rodrigues Gerente de Aplicação de Produto Nexans Product Application Dept. Sep 2014 1 Dimensionamento de Condutores Elétricos Dimensionamento

Leia mais

CONCURSO DE ADMISSÃO CURSO DE FORMAÇÃO

CONCURSO DE ADMISSÃO CURSO DE FORMAÇÃO CONCURSO DE ADMISSÃO AO CURSO DE FORMAÇÃO ENGENHARIA ELÉTRICA CADERNO DE QUESTÕES 20 1 a QUESTÃO Valor: 1,00 Seja um circuito RLC série alimentado por uma fonte de tensão e sem energia inicialmente armazenada.

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 12 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 12.1 INTRODUÇÃO Neste capítulo apresenta-se os conceitos e as principais etapas para a realização de projetos de instalações elétricas prediais de baixa tensão (até 1000 V), monofásicos

Leia mais

Informações e Tabelas Técnicas

Informações e Tabelas Técnicas As instalações e dimensionamentos de fios e cabos elétricos de baixa tensão devem obedecer as recomendações indicadas na NBR 5410/2004. Características dos condutores de cobre mole para fios e cabos isolados

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 02

COMUNICADO TÉCNICO Nº 02 COMUNICADO TÉCNICO Nº 02 Página 1 de 1 ALTERAÇÕES NAS TABELAS PARA DIMENSIONAMENTO DOS PADRÕES DE ENTRADA DE BAIXA TENSÃO DE USO INDIVIDUAL 1.OBJETIVO Visando a redução de custos de expansão do sistema

Leia mais

Fios e cabos elétricos

Fios e cabos elétricos Fios e cabos elétricos Fios e cabos elétricos 3 FIO PLASTICOM ANTICHAMA 450/750 V 5 CAbO PLASTICOM ANTICHAMA 450/750 V 7 CAbO CObreNAx ANTICHAMA 0,6/1 kv 9 CAbO COMPex 0,6/1 kv (COMPACTADO) 11 CAbO FLexICOM

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS INDUSTRIAIS DIMENSIONAMENTO DE ELÉTRICOS INTRODUÇÃO Os fatores básicos que envolvem o dimensionamento de um condutor são: tensão nominal; freqüência nominal; potência ou corrente

Leia mais

PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PREDIAIS

PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PREDIAIS PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS PREDIAIS Projetar uma instalação elétrica de uma edificação consiste em: Quantificar e determinar os tipos e localizar os pontos de utilização de energia elétrica; Dimensionar,

Leia mais

Redes de Distribuição Áreas Urbanas - RDAU

Redes de Distribuição Áreas Urbanas - RDAU Redes de Distribuição Áreas Urbanas - RDAU Normas CEMIG ND2.1 - Instalações Básicas de Redes de Distribuição Áreas Urbanas ND3.1 - Projetos de Redes de Distribuição Aéreas Urbanas RDU Rede de Distribuição

Leia mais

A solução ideal para instalações residenciais e terciárias

A solução ideal para instalações residenciais e terciárias NOVOS Disjuntores RX 3 A solução ideal para instalações residenciais e terciárias Ambiente Residencial - área úmida Ambiente Residencial Soho - Pequeno Escritório ou Home Office Ambiente Residencial -

Leia mais

LEI DE OHM. Professor João Luiz Cesarino Ferreira. Conceitos fundamentais

LEI DE OHM. Professor João Luiz Cesarino Ferreira. Conceitos fundamentais LEI DE OHM Conceitos fundamentais Ao adquirir energia cinética suficiente, um elétron se transforma em um elétron livre e se desloca até colidir com um átomo. Com a colisão, ele perde parte ou toda energia

Leia mais

Informações e Tabelas Técnicas

Informações e Tabelas Técnicas Características dos condutores de cobre mole para fios e cabos isolados 1 Temperatura característica dos condutores 1 Corrente de curto-circuito no condutor 1 Gráfico das correntes máximas de curto-circuito

Leia mais

DIMENSIONAMENTO DE CIRCUITOS

DIMENSIONAMENTO DE CIRCUITOS DIMENSIONAMENTO DE CIRCUITOS Os seis critérios de dimensionamento de circuitos de BT.......................188 Capacidade de condução: o que diz a norma..........................................189 Cálculos

Leia mais

TABELA 1 Os métodos de referência são os de instalação indicados na NBR - 5410

TABELA 1 Os métodos de referência são os de instalação indicados na NBR - 5410 CAPACIAE E CONUÇÃO E CORRENTE PARA CABO E BAIXA TENÃO O dimensionamento de uma instalação elétrica alimentada sob tensão nominal igual ou inferior a 00V, em corrente alternada é a 0V em corrente contínua,

Leia mais

Aula 08 Instalações Elétricas de Distribuição. Professor Jorge Alexandre A. Fotius

Aula 08 Instalações Elétricas de Distribuição. Professor Jorge Alexandre A. Fotius Aula 08 Instalações Elétricas de Distribuição Professor Jorge Alexandre A. Fotius Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Redes Aéreas Em áreas urbanas com baixa densidade

Leia mais

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES ELÉTRICAS SITE: www.amm.org.br- E-mail: engenharia@amm.org.br AV. RUBENS DE MENDONÇA, N 3.920 CEP 78000-070 CUIABÁ MT FONE: (65) 2123-1200 FAX: (65) 2123-1251 MEMORIAL DESCRITIVO ELÉTRICO MEMORIAL DESCRITIVO INSTALAÇÕES

Leia mais

Capítulo 3 Circuitos Elétricos

Capítulo 3 Circuitos Elétricos Capítulo 3 Circuitos Elétricos 3.1 Circuito em Série O Circuito Série é aquele constituído por mais de uma carga, ligadas umas as outras, isto é, cada carga é ligada na extremidade de outra carga, diretamente

Leia mais

Sumário. Instalações Elétricas II

Sumário. Instalações Elétricas II Sumário 1 Introdução... 3 1.1 Definições... 3 1.2 Partes componentes de um projeto elétrico... 3 2 Modalidade de ligações... 3 3 Ramais... 4 4 Etapas de um projeto... 5 4.1 Determinação da carga estimada...

Leia mais

Padrão de Entrada. prof.arbex@gmail.com

Padrão de Entrada. prof.arbex@gmail.com Padrão de Entrada Professor Cristiano prof.arbex@gmail.com Introdução O objetivo deste material é orientar os projetistas no que se refere ao projeto e dimensionamento do padrão de entrada, de acordo com

Leia mais

LAUDO DE VISTORIA ELÉTRICA José Antonio Mocarzel engenheiro eletricista CREA RJ 1981103822

LAUDO DE VISTORIA ELÉTRICA José Antonio Mocarzel engenheiro eletricista CREA RJ 1981103822 LAUDO DE VISTORIA ELÉTRICA N O 21/2015 1. Informações gerais sobre o local da vistoria: Imóvel sito a rua Jornalista Irineu Marinho nº 441 Icaraí Niterói RJ Nome do Condomínio: Edifício Luanda CNPJ/MP:

Leia mais

Superintendência de Desenvolvimento e Engenharia da Distribuição TD ND-3.3 - TABELAS

Superintendência de Desenvolvimento e Engenharia da Distribuição TD ND-3.3 - TABELAS 02.111-TD/AT-3013a Superintendência de Desenvolvimento e Engenharia da Distribuição TD ND-3.3 - TABELAS Gerência de Desenvolvimento e Engenharia de Ativos da Distribuição TD/AT Belo Horizonte Setembro/2013

Leia mais

NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS

NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS NORMA TÉCNICA NTE - 011 PADRÕES PRÉ-FABRICADOS 1. OBJETIVO Esta norma tem por objetivo padronizar, especificar e fixar os critérios e as exigências técnicas mínimas relativas à fabricação e o recebimento

Leia mais

Sumário. Instalações Elétricas II

Sumário. Instalações Elétricas II Sumário 1 Introdução... 3 1.1 Definições... 3 1.2 Partes componentes de um projeto elétrico... 3 2 Modalidade de ligações... 4 3 Ramais... 4 Rede de Baixa Tensão... 5 4 Etapas de um projeto... 8 4.1 Determinação

Leia mais

** OBS. Z=R+jωl e o seu módulo: Z R XL R l

** OBS. Z=R+jωl e o seu módulo: Z R XL R l Análise da Corrente de Curto - Circuito A Análise da corrente de curto circuito em sistemas de baixa tensão é necessária para dimensionar corretamente a proteção do equipamento (disjuntor de proteção)

Leia mais

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Atualização das informações. Nome dos grupos

Edição Data Alterações em relação à edição anterior. Atualização das informações. Nome dos grupos Instalação de Banco de Capacitores em Baixa Tensão Processo Realizar Novas Ligações Atividade Executar Ligações BT Código Edição Data SM04.14-01.008 2ª Folha 1 DE 9 26/10/2009 HISTÓRICO DE MODIFICAÇÕES

Leia mais

Tanto aspectos do circuito elétrico como do caminhamento físico da instalação são contemplados no diagrama unifilar.

Tanto aspectos do circuito elétrico como do caminhamento físico da instalação são contemplados no diagrama unifilar. 4. DIAGRAMA UNIFILAR 4.1 CONSIDERAÇÕES GERAIS O diagrama unifilar é um desenho que utilizando simbologia específica, representa graficamente uma instalação elétrica, indicando, sobre a planta arquitetônica:

Leia mais

ENE065 Instalações Elétricas I

ENE065 Instalações Elétricas I 19/03/2012 ENE065 Instalações Elétricas I Prof.: Ivo Chaves da Silva Junior ivo.junior@ufjf.edu.br Previsão de Carga Especiais NBR-5410 Cargas Especiais? Em geral, são cargas de uso comum em um edifício.

Leia mais

Manual Técnico. Aplicações recomendadas para os fios e cabos de BT e MT

Manual Técnico. Aplicações recomendadas para os fios e cabos de BT e MT Manual Técnico Aplicações recomendadas para os fios e cabos de BT e MT Líder Mundial na Indústria de Cabos Com a energia como base de seu desenvolvimento, a Nexans é a líder mundial na indústria de cabos,

Leia mais

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA

CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA MEMORIAL DESCRITIVO E JUSTIFICATIVO DE CÁLCULO PROJETO DE INSTALAÇÕES ELÉTRICAS EM MÉDIA TENSÃO 13.8KV CENTRO DE EDUCAÇÃO E ESPORTES GERAÇÃO FUTURA RUA OSVALDO PRIMO CAXILÉ, S/N ITAPIPOCA - CE 1. INTRODUÇÃO

Leia mais

CAPACIDADE DE CONDUÇÃO DE CORRENTE 1/40

CAPACIDADE DE CONDUÇÃO DE CORRENTE 1/40 1/40 Os valores de capaci dade de condução de correntes constantes das tabelas a seguir, foram calculados de acordo com os critérios estabelecidos pela NBR 11301. Para os cálculos foram consideradas aterradas

Leia mais

Critérios Construtivos do Padrão de Entrada

Critérios Construtivos do Padrão de Entrada Notas: Critérios Construtivos do Padrão de Entrada A fiação do ramal de saída deve ser a mesma fiação do ramal de entrada. O padrão de entrada na zona rural deverá ficar no mínimo de 10 metros e no máximo

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais A

Instalações Elétricas Prediais A Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Prof. Luiz Fernando Gonçalves AULA 7 Simbologia de Projetos Elétricos Porto Alegre - 2012 Tópicos Projeto de instalações elétricas prediais Simbologia para instalações

Leia mais

Eletrotécnica Geral. Lista de Exercícios 2

Eletrotécnica Geral. Lista de Exercícios 2 ESCOLA POLITÉCNICA DA UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO PEA - Departamento de Engenharia de Energia e Automação Elétricas Eletrotécnica Geral Lista de Exercícios 2 1. Condutores e Dispositivos de Proteção 2. Fornecimento

Leia mais

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RESIDENCIAIS Julho de 2003

INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RESIDENCIAIS Julho de 2003 INSTALAÇÕES ELÉTRICAS RESIDENCIAIS Julho de 2003 Esta edição foi baseada nos Manuais de Instalações Elétricas Residenciais - 3 volumes, 1996 ELEKTRO / PIRELLI complementada, atualizada e ilustrada com

Leia mais

Apostila de Projeto de Instalações Elétricas Residenciais e Prediais (Parte III)

Apostila de Projeto de Instalações Elétricas Residenciais e Prediais (Parte III) Apostila de Projeto de Instalações Elétricas Residenciais e Prediais (Parte III) 2010 Prof. Edson Watanabe, edsonh@ifsc.edu.br, www.joinville.ifsc.edu.br/~edsonh 1 Conteúdo 3. Introdução 3.1 Simbologia

Leia mais

POSTE DE CONCRETO PARA APLICAÇÃO EM ENTRADAS DE SERVIÇO

POSTE DE CONCRETO PARA APLICAÇÃO EM ENTRADAS DE SERVIÇO Exigências Mínimas 1 Objetivo Estabelecer as condições mínimas para construção de postes de concreto armado ou concreto protendido, destinados à utilização em entradas de serviço de unidades consumidoras,

Leia mais

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE)

INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE) INSTITUTO NACIONAL DE PESQUISAS ESPACIAIS (INPE) Concurso Público - NÍVEL SUPERIOR CARGO: Tecnologista da Carreira de Desenvolvimento Tecnológico Classe: Tecnologista Junior Padrão I TEMA: CADERNO DE PROVAS

Leia mais

Questão 3: Três capacitores são associados em paralelo. Sabendo-se que suas capacitâncias são 50μF,100μF e 200μF, o resultado da associação é:

Questão 3: Três capacitores são associados em paralelo. Sabendo-se que suas capacitâncias são 50μF,100μF e 200μF, o resultado da associação é: Questão 1: A tensão E no circuito abaixo vale: a) 0,5 V b) 1,0 V c) 2,0 V d) 5,0 V e) 10,0 V Questão 2: A resistência equivalente entre os pontos A e B na associação abaixo é de: a) 5 Ohms b) 10 Ohms c)

Leia mais

1. PROJETO ELÉTRICO RESIDENCIAL

1. PROJETO ELÉTRICO RESIDENCIAL 1. PROJETO ELÉTRICO RESIDENCIAL Um Projeto Elétrico é a previsão escrita da instalação, com todos os seus detalhes, localização dos pontos de utilização da energia elétrica, comandos, trajeto dos condutores,

Leia mais

MÁQUINAS 1 CAPÍTULO 9

MÁQUINAS 1 CAPÍTULO 9 MÁQUA 1 CAÍTULO 9 TRAFORMADOR O transformador é um componente utilizado para converter o valor da amplitude da tensão de uma corrente alternada. O transformador é uma máquina elétrica que transfere energia

Leia mais

PROJETO DE INSTALAÇÕES PREDIAIS

PROJETO DE INSTALAÇÕES PREDIAIS PEA - Eletrotécnica Geral 1 PROJETO DE INSTALAÇÕES PREDIAIS OBJETIVOS Estudar: Constituição de uma instalação elétrica Tipos de instalações elétricas Funcionamento de circuitos típicos Representação de

Leia mais

EDI-34 Instalações Elétricas

EDI-34 Instalações Elétricas EDI-34 Instalações Elétricas Plano de Disciplina 2º semestre de 2015 1. Identificação Sigla e título: EDI-34 Instalações Elétricas Curso de Engenharia Civil-Aeronáutica Instituto Tecnológico de Aeronáutica

Leia mais

PROJETO ELÉTRICO. 1) Preencher o quadro de Dimensionamento (item 6) considerando os números indicados pela Norma Técnica (item 3 da apostila);

PROJETO ELÉTRICO. 1) Preencher o quadro de Dimensionamento (item 6) considerando os números indicados pela Norma Técnica (item 3 da apostila); PROJETO ELÉTRICO Prof. Marco Pádua ROTEIRO: ) Preencher o quadro de Dimensionamento (item 6) considerando os números indicados pela Norma Técnica (item da apostila); ) Calcular a Potencia ativa total,

Leia mais

Instalações Elétricas Prediais A

Instalações Elétricas Prediais A Instalações Elétricas Prediais A ENG04482 Prof. Luiz Fernando Gonçalves AULA 9 Divisão da Instalação em Circuitos Porto Alegre - 2012 Tópicos Quadros de distribuição Disjuntores Divisão da instalação elétrica

Leia mais

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações

Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Uma viagem pelas instalações elétricas. Conceitos & aplicações Dimensionamento de Condutores Elétricos Dimensionamento de Condutores Elétricos Dimensionamento técnico baixa tensão Seção mínima Capacidade

Leia mais

Simbologia de instalações elétricas

Simbologia de instalações elétricas Simbologia de instalações elétricas Os símbolos gráficos usados nos diagramas unifilar são definidos pela norma NBR5444, para serem usados em planta baixa (arquitetônica) do imóvel. Neste tipo de planta

Leia mais

Simbologia de instalações elétricas

Simbologia de instalações elétricas Simbologia de instalações elétricas Os símbolos gráficos usados nos diagramas unifilar são definidos pela norma NBR5444, para serem usados em planta baixa (arquitetônica) do imóvel. Neste tipo de planta

Leia mais

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES

ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES ESPECIFICAÇÕES TÉCNICAS DE PROJETO ELÉTRICO PARA CONSTRUÇÃO DAS CASAS POPULARES DO LOTEAMENTO DE INTERESSE SOCIAL PRESIDENTE KENNDY ES MEMORIAL DESCRITIVO Memorial Descritivo Elétrico Projeto: Marcelo

Leia mais

SIMBOLOGIA E CONVENÇÕES

SIMBOLOGIA E CONVENÇÕES SUMÁRIO 1. SIMBOLOGIA E CONVENÇÕES 3 2. ESQUEMAS FUNDAMENTAIS DE LIGAÇÕES 6 3. PROJETO 12 3.1. Análise inicial 12 3.2. Caracterização do fornecimento de energia 13 4. CÁLCULO LUMINOTÉCNICO 14 4.1. Definições

Leia mais

DEOP DIRETORIA DE ENGENHARIA E OPERAÇÕES EPE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA MANUAL DE TUBULAÇÕES TELEFÔNICAS PREDIAIS

DEOP DIRETORIA DE ENGENHARIA E OPERAÇÕES EPE PLANEJAMENTO E ENGENHARIA MANUAL DE TUBULAÇÕES TELEFÔNICAS PREDIAIS CAPÍTULO 2: ESQUEMA GERAL DA TUBULAÇÃO TELEFÔNICA. RECOMENDAÇÕES A tubulação telefônica é dimensionada em função da quantidade de pontos telefônicos previsto para cada parte do edifício. Cada ponto telefônico

Leia mais

Í N D I C E D E R E V I S Õ E S D E S C R I Ç Ã O E / O U F O L H A S A T I N G I D A S

Í N D I C E D E R E V I S Õ E S D E S C R I Ç Ã O E / O U F O L H A S A T I N G I D A S Página de 30 PROJETO: Í N D I C E D E R E V I S Õ E S R E V. D E S C R I Ç Ã O E / O U F O L H A S A T I N G I D A S 0 EMISSÃO INICIAL 0 2 3 4 5 6 7 8 DATA 4.05.205 25.08.205 EXECUÇÃO WV WV VERIFICAÇÃO

Leia mais

PADRÃO DE ENTRADA DE INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL SIMPLIFICADO

PADRÃO DE ENTRADA DE INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL SIMPLIFICADO PADRÃO DE ENTRADA DE E N E R G I A E L É T R I C A E M INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL SIMPLIFICADO www.celesc.com.br PADRÃO DE ENTRADA DE E N E R G I A E L É T R I C A E M INSTALAÇÕES CONSUMIDORAS MANUAL

Leia mais

REGULAMENTO CENTRO DE EVENTOS FIERGS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

REGULAMENTO CENTRO DE EVENTOS FIERGS INSTALAÇÕES ELÉTRICAS No caso das instalações elétricas existentes nos espaços não comportarem a carga elétrica a ser ligada pelo evento, é necessário que a Contratante apresente os documentos e respeite as condições mínimas

Leia mais

Eficiência Energética Fundação Santo André - Professor Mario Pagliaricci

Eficiência Energética Fundação Santo André - Professor Mario Pagliaricci Fundação Santo André - Professor Mario Pagliaricci INSTALAÇÔES ELÉTRICAS 1 Apresentação 2 Circuitos Elétricos - Monofásicos 3 Circuitos Elétricos - Trifásicos 4 Cálculo de Correntes 5 Dimensionamento 1-

Leia mais

4 DIMENSIONAMENTO ECONÔMICO DE CONDUTORES ELÉTRICOS CONFORME A NORMA ABNT NBR IEC 60287-3-2...11

4 DIMENSIONAMENTO ECONÔMICO DE CONDUTORES ELÉTRICOS CONFORME A NORMA ABNT NBR IEC 60287-3-2...11 DIMENSIONAMENTO ECONÔMICO E AMBIENTAL DE CONDUTORES ELÉTRICOS 3 Índice 1 INTRODUÇÃO..............................................................................4 2 DIMENSIONAMENTO TÉCNICO DE CONDUTORES

Leia mais

SIMBOX XF. Design Segurança Fácil instalação. Quadros de distribuição de energia. A melhor opção em quadros de distribuição de energia.

SIMBOX XF. Design Segurança Fácil instalação. Quadros de distribuição de energia. A melhor opção em quadros de distribuição de energia. Fabricado no Brasil SIMBOX XF Quadros de distribuição de energia A melhor opção em quadros de distribuição de energia. Design Segurança Fácil instalação www.siemens.com.br/simboxxf SIMBOX XF Por fora muito

Leia mais

3 - Sistemas em Corrente Alternada. 1 Considerações sobre Potência e Energia. Carlos Marcelo Pedroso. 18 de março de 2010

3 - Sistemas em Corrente Alternada. 1 Considerações sobre Potência e Energia. Carlos Marcelo Pedroso. 18 de março de 2010 3 - Sistemas em Corrente Alternada Carlos Marcelo Pedroso 18 de março de 2010 1 Considerações sobre Potência e Energia A potência fornecida a uma carga à qual está aplicada um tensão instantânea u e por

Leia mais

ACESSO FÍSICA LISTA 1 (LEIS DE OHM E CORRENTE ELÉTRICA)

ACESSO FÍSICA LISTA 1 (LEIS DE OHM E CORRENTE ELÉTRICA) ACESSO FÍSICA LISTA 1 (LEIS DE OHM E CORRENTE ELÉTRICA) 1. (Fuvest) O plutônio ( Pu) é usado para a produção direta de energia elétrica em veículos espaciais. Isso é realizado em um gerador que possui

Leia mais

Como reduzir sua conta de energia elétrica

Como reduzir sua conta de energia elétrica Como reduzir sua conta de energia elétrica Com REDULIGHT você tem energia de melhor qualidade e economiza até 25% na conta Saiba como O que é e como funciona o filtro REDULIGHT O Redulight é um Filtro

Leia mais

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS

MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS IFSC- JOINVILLE SANTA CATARINA DISCIPLINA DESENHO TÉCNICO CURSO ELETRO-ELETRÔNICA MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS 2011.2 Prof. Roberto Sales. MATERIAIS BÁSICOS PARA INSTALAÇÕES ELÉTRICAS A

Leia mais

PROJETO DE UMA INSTALAÇÃO DE UTILIZAÇÃO

PROJETO DE UMA INSTALAÇÃO DE UTILIZAÇÃO PROJETO DE UMA INSTALAÇÃO DE UTILIZAÇÃO (RESUMO) Instalações tipo C são instalações abastecidas a partir da rede pública de baixa tensão. Estas instalações são certificadas pela Certiel Associação Certificadora

Leia mais

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 02/02/2014

Concurso Público para Cargos Técnico-Administrativos em Educação UNIFEI 02/02/2014 Questão 1 Conhecimentos Específicos Técnico em Eletrotécnica Um forno elétrico industrial de 100 kw/440v trifásico é acionado diariamente por cerca de 5 horas e 12 minutos. O consumo mensal (30 dias) de

Leia mais

COMUNICADO TÉCNICO Nº 49

COMUNICADO TÉCNICO Nº 49 Página 1 de 13 COMUNICADO TÉCNICO Nº 49 PADRÃO DE ENTRADA INDIVIDUAL ECONÔMICO COM POSTE DE AÇO E CAIXA DE POLICARBONATO TIPO PP Diretoria de Engenharia e Serviços Gerência de Engenharia da Distribuição

Leia mais

Uma história de evolução e constante expansão

Uma história de evolução e constante expansão 2 Uma história de evolução e constante expansão A história da SIL é resultado de um trabalho empreendedor, pautado pela ética, confiabilidade e seriedade. A companhia foi, por duas décadas, uma das principais

Leia mais

Critérios Básicos para Elaboração de Projetos de Redes de Distribuição Aérea Especial DAE

Critérios Básicos para Elaboração de Projetos de Redes de Distribuição Aérea Especial DAE ITA - 006 Rev. 0 Setembro / 2003 Critérios Básicos para Elaboração de Projetos de Redes de Distribuição Aérea Especial DAE Praça Leoni Ramos n 1 São Domingos Niterói RJ Cep 24210-205 http:\\ www.ampla.com

Leia mais

Eletrodutos de PVC Rígido Tipo Rosqueável

Eletrodutos de PVC Rígido Tipo Rosqueável Barramentos de Cobre Medida Peso Amperagem /8 x 1/16 0,15kg 5 1/2 x 1/16 0,180kg 45 /8 x 1/8 0,269kg 7 1/2 x 1/8 0,58kg 97 5/8 x 1/8 0,448kg 122 /4 x 1/8 0,57kg 146 1 x 1/8 0,717kg 195 1.1/4 x 1/8 0,896kg

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 18

PROVA ESPECÍFICA Cargo 18 27 PROVA ESPECÍFICA Cargo 18 QUESTÃO 41 De acordo com a NBR 5410, em algumas situações é recomendada a omissão da proteção contra sobrecargas. Dentre estas situações estão, EXCETO: a) Circuitos de comando.

Leia mais

. analogamente. Np Ns. a = Ns

. analogamente. Np Ns. a = Ns - Transformadores O transformador é um equipamento elétrico formado por bobinas isoladas eletricamente em torno de um núcleo comum. A bobina que recebe energia de uma fonte ca é chamada de primário. A

Leia mais

Para que o sistema de proteção atinja a finalidade a que se propõe ele deve obedecer aos seguintes requisitos básicos:

Para que o sistema de proteção atinja a finalidade a que se propõe ele deve obedecer aos seguintes requisitos básicos: 5 Proteção e Coordenação de Instalações Industriais Para que o sistema de proteção atinja a finalidade a que se propõe ele deve obedecer aos seguintes requisitos básicos: 1 Seletividade É a capacidade

Leia mais

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO

MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO MEMORIAL TÉCNICO DESCRITIVO Dados do cliente Proprietário: Roney Casagrande CPF: 765.425.990-53 Endereço: Estrada Pinhal da Serra, n 04452, Interior Cidade: Pinhal da Serra RS CEP: 95.390-000 Dados da

Leia mais

Figura 8.1 Representação esquemática de um transformador.

Figura 8.1 Representação esquemática de um transformador. CAPÍTULO 8 TRANSFORMADORES ELÉTRICOS 8.1 CONCEITO O transformador, representado esquematicamente na Figura 8.1, é um aparelho estático que transporta energia elétrica, por indução eletromagnética, do primário

Leia mais