HUMANOS: QUEM SOMOS NÓS?

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "HUMANOS: QUEM SOMOS NÓS?"

Transcrição

1 HUMANOS: QUEM SOMOS NÓS? Nível de Ensino/Faixa Etária: Série indicada para o Ensino Fundamental Final Áreas Conexas: Biologia, Linguística, Sociologia, Geografia, História, Artes, Gramática, Filosofia. Consultor: Marina Rampazzo RESUMO Sobre o que trata a série? Série que analisa, de forma profunda, as evidências que levaram cientistas de diferentes áreas (psicólogos, linguístas, geneticistas, arqueólogos, paleontólogos e outros) a concluir o trajeto evolutivo do homem e os aspectos da unicidade genética do ser humano. Assim, são remontadas as condições mais primitivas dos primatas que nos originaram, o que as modificaram, como e por que tais transformações ocorreram, bem como as características fisiológicas, cognitivas e sociais daqueles seres. Além da remontagem, há entrevistas com estudiosos sobre o tema e simulações computadorizadas a partir dos fósseis encontrados.

2 OBJETIVOS DA APRENDIZAGEM Principais aspectos que serão trabalhados Explicar como se deu a evolução das espécies, de forma a se consolidar o Ser Humano tal qual somos hoje. Apresentar noções a respeito dos diversos sistemas humanos (digestório, respiratório, etc.) e como eles se formaram. Abordar a relação entre as diferentes etnias e a evolução humana. Oferecer um panorama histórico e geográfico das diferentes Eras Geológicas. Iniciar o estudo do cérebro. Introduzir o estudo da genética. Instigar a discussão de alguns aspectos humanos, tais como: a comunicação, o talento artístico e a inteligência social. DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE Situações didáticas sugeridas: metodologia, etapas e recursos. Esta série é composta por dois capítulos, cada um deles com duração de, aproximadamente, 50 minutos. Ambos os capítulos são, por sua vez, divididos em diferentes atos. Por isso, sugere-se que, ao apresentar o vídeo para a turma, seja exibido apenas um ato de cada vez para que os alunos não se dispersem nem percam o interesse pelo tema. Dessa forma, é possível aprofundar melhor as questões tratadas nos diferentes atos.

3 Como a evolução humana é um tema complexo, que desperta curiosidade e polêmica entre os alunos, o educador tem de ter consciência que, talvez, sua função seja muito mais a de problematizar do que apenas informar. Assim, é importante que, antes de exibir o vídeo, o professor elabore perguntas como: afinal, o homem e o macaco tem ancestral comum? com o intuito de atiçar a curiosidade dos alunos, propiciando uma vasta discussão entre eles e permitindo que cada um se posicione livremente e discorde dos demais, sem que o educador forneça respostas às dúvidas e questões levantadas. Assim, à medida que for exibindo os atos, é possível retornar aos conflitos de idéias surgidos durante a discussão, oferecendo material para argumentos mais maduros e embasados. Ao explicar como se deu a evolução do ser humano, o vídeo mostra como foi formado cada um dos sistemas (digestório, respiratório, circulatório, nervoso), o que torna a compreensão sobre o funcionamento de tais sistemas e até dos próprios órgãos mais lógica e, consequentemente, facilita a compreensão deste conteúdo. Além da exibição do filme, muitos outros recursos podem ser utilizados ao se lecionar este tema, como a visita a um museu de anatomia, hospitais e faculdades de saúde, onde os educandos podem visualizar como, de fato, são os seus órgãos internos, gerando mais interesse a respeito do assunto. Entre os diferentes aspectos mostrados como fatores evolutivos, o cérebro apresenta um destaque especial, talvez pela relevância que ele tenha ao nos diferenciar dos demais animais. Assim, o vídeo pode ser uma boa forma de introduzir o estudo do cérebro, com suas peculiaridades anatômicas, como as diferenças entre os dois hemisférios.

4 O vídeo possibilita também uma avaliação étnica, já que menciona o surgimento dos seres humanos em diferentes continentes, o que pode explicar, em parte, as diferenças entre as etnias. Nesse ponto, vale, mais uma vez, a problematização do tema, para que os alunos discorram e argumentem a respeito de uma suposta superioridade étnica de determinada etnia em detrimento de outra. A partir daí, o professor pode levar os alunos à conclusão de que tais diferenças são apenas adaptativas ao meio, permitindo que eles tenham argumentos teóricos sólidos para se posicionar criticamente em futuras discussões. Apesar de a série ser mais voltada para temas ligados à Biologia e à História, a Geografia também tem um espaço nesse conteúdo, sobretudo, no que tange às Eras Geológicas. O vídeo remonta, de forma ilustrativa, e explica as causas da formação destes períodos, que tiveram influência significativa na formação não só dos seres humanos, mas também de todos os demais seres vivos de nosso planeta. Em diversos momentos, o vídeo mostra a estrutura do DNA e dos cromossomos e comenta uma série de fatores relacionados a eles. Assim, professor pode tratar de genética. Interessante observar a relação entre a genética e a evolução do ser humano. Uma boa idéia aqui seria aproveitar para introduzir os recentes estudos do Projeto Genoma Humano e debater as questões que vêm sendo levantadas a partir dele, como a clonagem e a utilização de células-tronco embrionárias.

5 A série discorre também a respeito das diferenças entre humanos e os outros animais em termos comportamentais. Nesse sentido, ganham vida a complexa forma de comunicação desenvolvida pelas pessoas, o talento e a apreciação artística, o pensamento simbólico e a inteligência social. Esses temas são valiosos para despertar a autoconsciência entre os educandos e suscitar debates sobre a forma como nos relacionamos com os outros e com o mundo. Aqui, vale um aprofundamento na intenção de educar, de forma plena, indo além do conteúdo para abrir espaço e discorrer a respeito de valores, em termos de formar cidadãos conscientes de sua responsabilidade perante a humanidade e o mundo no qual vivemos. Afinal, se evoluímos a ponto de desenvolver tantas habilidades que os outros seres vivos não são capazes, devemos saber utilizá-las a favor de uma convivência cada vez mais harmoniosa. COMO VOCÊS AVALIARIAM ESSE TRABALHO? Hora de avaliar a atividade A avaliação, no caso de um vídeo como esse, deve priorizar a participação oral nas discussões promovidas em sala, incentivando os alunos ao debate. Além disso, uma coletânea de textos e argumentos a respeito de todos os temas levantados ao longo da execução de cada um dos atos da série, ajuda o educando a organizar os conteúdos e sistematizar as idéias e argumentos. Esse material permite ao educador perceber o que o jovem foi capaz de assimilar e qual a seriedade com a qual ele se envolveu no assunto. Isso dá uma gama de novas idéias e referências de como adaptar em um momento futuro os temas mais relevantes e como motivar os alunos para tais temas.

6 LEIA OU ASSISTA TAMBÉM O filme A guerra do fogo, de Jean-Jacques Annaud, é um clássico e aborda o mesmo assunto do vídeo, porém de forma artística e não didática, permitindo, inclusive, fazer um contraponto entre essas duas linguagens. CHOMSKY, Noam. O conhecimento da língua: sua natureza, origem e uso. [S. l.]: Caminho, p. MATURANA, Humberto R.; VARELA, Francisco J. A árvore do conhecimento: as bases biológicas da compreensão humana. 6. ed. São Paulo: Palas Athena, p. VEJA NA INTERNET É possível também saber o que correntes mais recentes estão discutindo a respeito da teoria evolucionista no artigo publicado na Scientific American, acessível através do site:

7

GERÊNCIA REGIONAL DE ENSINO DE PLANALTINA CENTRO DE ENSINO FUNDAMENTAL 02 COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA Plano de Ensino

GERÊNCIA REGIONAL DE ENSINO DE PLANALTINA CENTRO DE ENSINO FUNDAMENTAL 02 COORDENAÇÃO PEDAGÓGICA Plano de Ensino Plano de Ensino 1. IDENTIFICAÇÃO: DISCIPLINA: CIÊNCIAS NATURAIS Turma: C / D SÉRIE/ANO: 7ª / 8º Turno: MATUTINO Bimestral: 1º / 2º / 3º / 4º Anual: 2013 Professor: MÁRIO CÉSAR CASTRO E-mail: profmariocastro@gmail.com

Leia mais

CALENDÁRIO DE AVALIAÇÕES 1º TRIMESTRE MAIO/2014 TURMA 311. Professora Simone

CALENDÁRIO DE AVALIAÇÕES 1º TRIMESTRE MAIO/2014 TURMA 311. Professora Simone TURMA 311 Professora Simone Trabalho de Língua Minha cidade. Criar fantoches e apresentar uma história (em trio) Prova de Ciências: Animais (mamíferos, répteis, anfíbios, aves e peixes), zona rural e urbana

Leia mais

CALENDÁRIO DE AVALIAÇÕES 1º TRIMESTRE MAIO/2014 TURMA 311. Professora Simone

CALENDÁRIO DE AVALIAÇÕES 1º TRIMESTRE MAIO/2014 TURMA 311. Professora Simone TURMA 311 Professora Simone 1 2 3 Trabalho de Língua Minha cidade. Criar fantoches e apresentar uma história (em trio) Prova de Ciências: Animais (mamíferos, répteis, anfíbios, aves e peixes), zona rural

Leia mais

C O L É G I O L A S A L L E Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Guarani, Fone (045) Fax (045)

C O L É G I O L A S A L L E Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Guarani, Fone (045) Fax (045) C O L É G I O L A S A L L E Educação Infantil, Ensino Fundamental e Médio Rua Guarani, 2000 - Fone (045) 3252-336 - Fax (045) 3379-5822 http://www.lasalle.edu.br/toledo/ DISCIPLINA: PROFESSOR(A): E-MAIL:

Leia mais

Conteúdos para Avaliação Final 8

Conteúdos para Avaliação Final 8 Professor (a): FLÁVIA BRITO DIAS E ROSIMERY SCHMEGUEL Disciplina: OPTL Resenha. Conto. Relato de viagem Relato de memórias Conteúdos para Avaliação Final 8º anos Professor: MARCUS JULIANO POPHAL / PEDRO

Leia mais

Publicado em TV Brasil (http://tvbrasil.ebc.com.br) 30/01/ h10. Incertezas Críticas estreia nesta quarta (1/2) na TV Brasil

Publicado em TV Brasil (http://tvbrasil.ebc.com.br) 30/01/ h10. Incertezas Críticas estreia nesta quarta (1/2) na TV Brasil Publicado em TV Brasil (http://tvbrasil.ebc.com.br) 30/01/2017-17h10 Incertezas Críticas estreia nesta quarta (1/2) na TV Brasil Novidade da programação datv Brasil para esta quarta-feira (1), às 21h30,

Leia mais

Patrimônio, museus e arqueologia

Patrimônio, museus e arqueologia Universidade de São Paulo Biblioteca Digital da Produção Intelectual - BDPI Museu de Arqueologia e Etnologia - MAE Livros e Capítulos de Livros - MAE 2014 Patrimônio, museus e arqueologia http://www.producao.usp.br/handle/bdpi/47543

Leia mais

Evolução Biológica II. Prof. Pablo Paim Biologia

Evolução Biológica II. Prof. Pablo Paim Biologia Evolução Biológica II Prof. Pablo Paim Biologia Teoria Cientifica: é o mais alto grau de confirmação de uma hipótese cientifica. Teoria de Isaac Newton e Teoria de Albert Einstein. Evolução fatos e evidencias

Leia mais

CURSO DE ENFERMAGEM PLANO DE CURSO

CURSO DE ENFERMAGEM PLANO DE CURSO CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: FILOSOFIA Código: ENF 304 Pré requisito: Nenhum Período Letivo: 2014.1 Professor:

Leia mais

Filosofia (aula 7) Dimmy Chaar Prof. de Filosofia. SAE

Filosofia (aula 7) Dimmy Chaar Prof. de Filosofia. SAE Filosofia (aula 7) Prof. de Filosofia SAE leodcc@hotmail.com Linguagem Existe entre o poder da palavra e a disposição da alma a mesma relação entre a disposição dos remédios e a natureza do corpo. Alguns

Leia mais

CURSO DE TECNOLOGIA EM RADIOLOGIA

CURSO DE TECNOLOGIA EM RADIOLOGIA CURSO DE TECNOLOGIA EM RADIOLOGIA Todas as disciplinas do curso de Tecnologia em Radiologia têm como critério para aprovação, em conformidade com o capítulo V do regimento escolar: MA = P1 + P2 >= 7,0

Leia mais

Sem luz não existe cor

Sem luz não existe cor Estudo da cor Sem luz não existe cor Aristóteles, um filósofo grego, que viveu de 384 a 322 ac, parece ter sido o primeiro a perceber que os olhos não podem ver a cor sem luz. A cor está presente na nossa

Leia mais

COMPANHIA DE ÁGUAS E ESGOTOS DO RIO GRANDE DO NORTE CONCURSO PÚBLICO 2010 GABARITOS PROVAS DO DIA 25/4/2009

COMPANHIA DE ÁGUAS E ESGOTOS DO RIO GRANDE DO NORTE CONCURSO PÚBLICO 2010 GABARITOS PROVAS DO DIA 25/4/2009 NÍVEL MÉDIO: ASSISTENTE AGENTE ADMINISTRATIVO TIPO 1 C D E D A E B C A C D B * A B E D A C E D C A C E B E A C C B E B E C D A D D B 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 A E E C D A D B D B D C B D E A C A E

Leia mais

REVOLUÇÃO DA GENÉTICA. Ana Paula N. Guimarães

REVOLUÇÃO DA GENÉTICA. Ana Paula N. Guimarães REVOLUÇÃO DA GENÉTICA Ana Paula N. Guimarães apng89@gmail.com Tópicos Questionamentos: Revolução da Genética? Voltando um pouco no tempo: 1990 Promessas do Projeto Genoma O que aconteceria na prática Por

Leia mais

Calendário Reitoria 2016

Calendário Reitoria 2016 Calendário Reitoria 2016 fevereiro 2016 1 2 3 4 5 6 7 8 9 Carnaval 10 Quarta Feira de Cinzas 11 12 13 RECESSO ACADÊMICO RECESSO ACADÊMICO RECESSO ACADÊMICO 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 CONUNI

Leia mais

1.5 Identifica e caracteriza o tipo de economia praticada pelo Homem do Neolítico.

1.5 Identifica e caracteriza o tipo de economia praticada pelo Homem do Neolítico. PGA - Prova Global do Agrupamento Direção de Serviços Região Algarve Agrupamento de Escolas Silves Sul Departamento de Ciências Sociais e Humanas História 7ºAno Prova: A Nome: Ano: Turma: Nº.: Data: Assinatura

Leia mais

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO

Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO Plano de Ensino IDENTIFICAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CURSO: TÉCNICO INFORMÁTICA FORMA/GRAU:(X)integrado ( )subsequente ( ) concomitante ( ) bacharelado ( ) licenciatura ( ) tecnólogo

Leia mais

Avaliação Escrita 1ª Etapa

Avaliação Escrita 1ª Etapa Caderno de Questões PROCESSO SELETIVO PARA O PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU ESPECIALIZAÇÃO EM CIÊNCIAS AMBIENTAIS EM ÁREAS COSTEIRAS Edital Nº 73/2015 Avaliação Escrita 1ª Etapa Atenção! Não abra

Leia mais

PLANO DE CURSO. CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20

PLANO DE CURSO. CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 CURSO DE ENFERMAGEM Reconhecido pela Portaria nº 270 de 13/12/12 DOU Nº 242 de 17/12/12 Seção 1. Pág. 20 Componente Curricular: FILOSOFIA Código: ENF 304 Pré-requisito: Nenhum Período Letivo: 2016.2 Professor:

Leia mais

COLÉGIO NOSSA SENHORA DE SION. Lições de Língua Portuguesa, História e Vivência Religiosa - 4º ano. O galo e a raposa

COLÉGIO NOSSA SENHORA DE SION. Lições de Língua Portuguesa, História e Vivência Religiosa - 4º ano. O galo e a raposa COLÉGIO NOSSA SENHORA DE SION Troca do Livro Lições de Língua Portuguesa, História e Vivência Religiosa - 4º ano 4º ano A e B quinta-feira Segunda-feira Curitiba, 12 de agosto de 2013. 1- Leia o texto

Leia mais

Projeto Volta às aulas

Projeto Volta às aulas Projeto Volta às aulas Educador(a), Este projeto tem como objetivo sugerir diferentes propostas para as primeiras aulas com a sua turma. Esse é um momento especial. Mesmo que você já conheça os alunos,

Leia mais

Bacharelado em Ciências Biológicas Biofísica. Disciplina BMB 119 Boas Práticas de Laboratório.

Bacharelado em Ciências Biológicas Biofísica. Disciplina BMB 119 Boas Práticas de Laboratório. Bacharelado em Ciências Biológicas Biofísica Disciplina BMB 119 Boas Práticas de Laboratório http://ltc.nutes.ufrj.br/constructore/ Objetivos da Disciplina Temas associados às Boas Práticas de Laboratório

Leia mais

Modelo de referência para a elaboração do plano anual de curso do professor

Modelo de referência para a elaboração do plano anual de curso do professor Modelo de referência para a elaboração do plano anual de curso do professor UNIDADE ESCOLAR: Escola Dinorah Lemos da Silva ÁREA DO CONHECIMENTO: Estudo da Sociedade e da Natureza DOCENTE: Elisabete Silveira

Leia mais

Um ensaio sobre criacionismo e evolucionismo. Judith Sonja Garbers Psicóloga e Especialista em Teologia

Um ensaio sobre criacionismo e evolucionismo. Judith Sonja Garbers Psicóloga e Especialista em Teologia Um ensaio sobre criacionismo e evolucionismo Judith Sonja Garbers Psicóloga e Especialista em Teologia História do Evolucionismo I A Teoria da evolução é fruto de um conjunto de pesquisas, ainda em desenvolvimento,

Leia mais

Aula2 A SOCIOLOGIA COMO CIÊNCIA. José Rodorval Ramalho. META Apresentar a lógica da pesquisa científi ca.

Aula2 A SOCIOLOGIA COMO CIÊNCIA. José Rodorval Ramalho. META Apresentar a lógica da pesquisa científi ca. Aula2 A SOCIOLOGIA COMO CIÊNCIA META Apresentar a lógica da pesquisa científi ca. OBJETIVOS Ao fi nal desta aula, o aluno deverá: conhecer o método científi co e suas especifi cidades na Sociologia. PRÉ-REQUISITOS

Leia mais

Lista de Recuperação Não rasure os testes, não use branquinho à tinta.

Lista de Recuperação Não rasure os testes, não use branquinho à tinta. Data: /10/14 Bim.: 3º Nome: 9 ANO Nº Disciplina: Biologia Professora: Ângela Valor da Prova / Atividade: 2,0 Nota: Objetivo / Instruções: Lista de Recuperação Não rasure os testes, não use branquinho à

Leia mais

Relatório de Tarefas do Ensino Fundamental II

Relatório de Tarefas do Ensino Fundamental II Turma: 162 Data: 23/11/2012 Data: 22/11/2012 Data: 21/11/2012 Data: 20/11/2012 Matemática Página 271 ex. 8, Página 272 ex. 1,2,3, página 273 exercícios 6 e 7 Data: 19/11/2012 Ciências Apostila 9/10 páginas

Leia mais

Ψ AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE OLIVEIRA

Ψ AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE OLIVEIRA Ψ AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE OLIVEIRA DE FRADES PSICOLOGIA B 12º ANO 1º Teste Turmas A e B Ano lectivo 2010/2011 A prova é constituída por três grupos de itens: - O Grupo I testa objectivos de conhecimento,

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA DISCURSIVA

ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA DISCURSIVA IF SUDESTE MG REITORIA Av. Francisco Bernardino, 165 4º andar Centro 36.013-100 Juiz de Fora MG Telefax: (32) 3257-4100 ORIENTAÇÕES SOBRE A PROVA DISCURSIVA O sorteio do tema da prova discursiva ocorrerá

Leia mais

Evidências da evolução

Evidências da evolução Evidências da evolução Como surgiu a enorme diversidade de seres vivos que observamos? Diversas sociedades ofereceram explicações para a diversidade dos seres vivos Assim como outros fenômenos naturais,

Leia mais

Ensino Fundamental II 8º ano PLANO DE ENSINO DISCIPLINA Ciências PROFESSOR Daniel Lucena Brasil CARGA HORÁRIA TURMA ANO LETIVO

Ensino Fundamental II 8º ano PLANO DE ENSINO DISCIPLINA Ciências PROFESSOR Daniel Lucena Brasil CARGA HORÁRIA TURMA ANO LETIVO Ensino Fundamental II 8º ano PLANO DE ENSINO DISCIPLINA Ciências PROFESSOR Daniel Lucena Brasil CARGA HORÁRIA TURMA ANO LETIVO TOTAL SEMANAL 45 semanas 4 horas 8º ano A 2017 EMENTA 1.1- Como nosso corpo

Leia mais

AGRUPAMENTO de ESCOLAS n.º 1 de GONDOMAR

AGRUPAMENTO de ESCOLAS n.º 1 de GONDOMAR AGRUPAMENTO de ESCOLAS n.º 1 de GONDOMAR PLANIFICAÇÃO ANUAL 2014/2015 PSICOLOGIA B 12.º ANO COMPETÊNCIAS A DESENVOLVER COMPETÊNCIAS TRANSVERSAIS Desenvolve a consciência, o respeito e a valorização da

Leia mais

CALENDÁRIO DE AVALIAÇÕES 1º TRIMESTRE ABRIL/2014 TURMA 311. Professora Simone

CALENDÁRIO DE AVALIAÇÕES 1º TRIMESTRE ABRIL/2014 TURMA 311. Professora Simone TURMA 311 Professora Simone 1 2 3 4 5 13 14 15 16 17 18 19 TURMA 411 Professora Simone 1 2 3 4 5 13 14 15 16 17 18 19 TURMA 412 Professora Ana Paula 1 2 3 4 5 13 14 15 16 17 18 19 TURMA 511 Professora

Leia mais

COLÉGIO SANTA TERESINHA R. Madre Beatriz 135 centro Tel. (33)

COLÉGIO SANTA TERESINHA R. Madre Beatriz 135 centro Tel. (33) PROFESSOR: Emiliano Glaydson de Oliveira TURMA: 9º Ano DISCIPLINA: História 1- S QUE SERÃO TRABALHADOS DURANTE A ETAPA : Unidade 2 Intervencionismo e autoritarismo no mundo em crise Cap. 4 O mundo no contexto

Leia mais

Avaliação do Desempenho Escolar

Avaliação do Desempenho Escolar Avaliação do Desempenho Escolar Características Escolares Associadas ao Desempenho 1 Avaliação do Desempenho Escolar O que é avaliar? Diagnosticar Produzir algum julgamento sobre a Coletar realidade. Dados

Leia mais

Teste de Avaliação de Conhecimentos - Ciências Naturais 9.º ano

Teste de Avaliação de Conhecimentos - Ciências Naturais 9.º ano Teste de Avaliação de Conhecimentos - 9.º ano Nome N.º Data Turma Duração 45 minutos Classificação final Assinatura das professoras Rub. Do Enc. De Educação Competências Critérios Uso adequado de linguagens

Leia mais

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Dois Vizinhos PLANO DE ENSINO. CURSO Bacharelado em Zootecnia MATRIZ 4

Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Dois Vizinhos PLANO DE ENSINO. CURSO Bacharelado em Zootecnia MATRIZ 4 Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Dois Vizinhos PLANO DE ENSINO CURSO Bacharelado em Zootecnia MATRIZ 4 FUNDAMENTAÇÃO LEGAL Resolução n 80/06 - COEPP DISCIPLINA/UNIDADE

Leia mais

Pedagogia. 1º Semestre. Biologia Educacional EDC602/ 60h

Pedagogia. 1º Semestre. Biologia Educacional EDC602/ 60h Pedagogia 1º Semestre Biologia Educacional EDC602/ 60h Ementa: Identificar os processos biológicos fundamentais diretamente relacionados à situação ensino-aprendizagem. Análise dos fatores genéticos e

Leia mais

:: Ficha de Pré-Inscrição U.Jr :: Edição Eu,, Encarregado de Educação do Aluno da Turma do ano,

:: Ficha de Pré-Inscrição U.Jr :: Edição Eu,, Encarregado de Educação do Aluno da Turma do ano, Câmara Municipal de Mortágua :: Ficha de Pré-Inscrição U.Jr :: Edição 2015 Eu,, Encarregado de Educação do Aluno da Turma do ano, Autorizo a sua participação na atividade e responsabilizo-me pelo seu comportamento.»

Leia mais

Abril Educação Origem da vida e Evolução das espécies Aluno(a): Número: Ano: Professor(a): Data: Nota:

Abril Educação Origem da vida e Evolução das espécies Aluno(a): Número: Ano: Professor(a): Data: Nota: Abril Educação Origem da vida e Evolução das espécies Aluno(a): Número: Ano: Professor(a): Data: Nota: Questão 1 A primeira forma de vida na Terra foi um ser unicelular, que surgiu há 3,6 bilhões de anos

Leia mais

Recursos para Estudo / Atividades

Recursos para Estudo / Atividades COLÉGIO NOSSA SENHORA DA PIEDADE Programa de Recuperação Paralela 1ª Etapa 2014 Disciplina: Língua Portuguesa Série: 1ª Professor (a): FELIPE AMARAL Turma: FG Caro aluno, você está recebendo o conteúdo

Leia mais

MAMÍFEROS. 15 Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti

MAMÍFEROS. 15 Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti MAMÍFEROS Capítulo 15 Sistema Poliedro de Ensino Professora Giselle Cherutti CARACTERÍSTICAS GERAIS DOS MAMÍFEROS Aquáticos: Habitat: Mamíferos podem ser terrestres: Único mamífero que voa: Pelos Estratificada

Leia mais

Sociológico Político Jurídico

Sociológico Político Jurídico A CONSTITUIÇÃO Sociológico Político Jurídico Ferdinand Lassalle; Soma dos fatores reais de poder; A Essência da Constituição / O Que é Constituição? Constituição escrita é uma simples folha de papel. Carl

Leia mais

Cinema na escola O Menino Maluquinho e Meu pé de laranja lima

Cinema na escola O Menino Maluquinho e Meu pé de laranja lima Cinema na escola O Menino Maluquinho e Meu pé de laranja lima Proposta de cinema em sala de aula Filmes: 1- O Menino Maluquinho 2- Meu pé de laranja lima Censura livre O Menino Maluquinho O livro O Menino

Leia mais

Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO

Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE PÓVOA DE LANHOSO ATITUDES E VALORES (5%) CONHECIMENTOS E CAPACIDADES (95%) Direção Geral de Estabelecimentos Escolares - DSRN 2016/2017 Português Leitura/ Educação Literária Componente escrita: Compreensão de textos escritos

Leia mais

UFSC - CCS - CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA 2ª FASE - CRONOGRAMA ultima versão dia 18/03/2013

UFSC - CCS - CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA 2ª FASE - CRONOGRAMA ultima versão dia 18/03/2013 UFSC - CCS - CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA 2ª FASE - CRONOGRAMA 2013.1 - ultima versão dia 18/03/2013 1ª Semana seg, 18/03 ter, 19/03 qua, 20/03 qui, 21/03 sex, 22/03 a a 9:00h Apresentação da Fase Anfiteatro

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR. Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR. Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO E DO DESPORTO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR Certificado de Proficiência em Língua Portuguesa para Estrangeiros Exame de Proficiência em Língua Portuguesa PARTE COLETIVA Produção

Leia mais

Estudo da cor [breve síntese]

Estudo da cor [breve síntese] Estudo da cor [breve síntese] Sem luz não existe cor Aristóteles, filósofo grego que viveu de 384 a 322 ac, parece ter sido o primeiro a perceber que os olhos não podem ver a cor sem luz. A cor está presente

Leia mais

As Teorias Evolutivas. Princípios da Teoria de Lamarck. Fundamentos da Evolução Biológica. Ideias Evolucionistas - Lamarckismo

As Teorias Evolutivas. Princípios da Teoria de Lamarck. Fundamentos da Evolução Biológica. Ideias Evolucionistas - Lamarckismo Fundamentos da Evolução Biológica As Teorias Evolutivas Várias teorias evolutivas surgiram, mas destacam-se se as teorias de Lamarck e de Darwin. O EVOLUCIONISMO, OU TEORIA DA EVOLUÇÃO, É A EXPLICAÇÃO

Leia mais

PROAC / COSEAC - Gabarito. 1 a Questão: (1,0 ponto) 2 a Questão: (1,0 ponto)

PROAC / COSEAC - Gabarito. 1 a Questão: (1,0 ponto) 2 a Questão: (1,0 ponto) 1 a Questão: (1,0 ponto) Através de uma associação natural entre bactérias e plantas leguminosas, os cientistas estão desenvolvendo mudas de plantas mais resistentes às condições adversas causadas pelo

Leia mais

Enézio E. de Almeida Filho Coordenador do NBDI Núcleo Brasileiro de Design Inteligente Campinas SP Mestrando em História da Ciência PUC-SP

Enézio E. de Almeida Filho Coordenador do NBDI Núcleo Brasileiro de Design Inteligente Campinas SP Mestrando em História da Ciência PUC-SP O Convite de Darwin Enézio E. de Almeida Filho Coordenador do NBDI Núcleo Brasileiro de Design Inteligente Campinas SP Mestrando em História da Ciência PUC-SP neddy@uol.com.br Esta palestra é baseada num

Leia mais

PLANO DE CURSO Disciplina: CIÊNCIAS Série: 3º ano Ensino Fundamental

PLANO DE CURSO Disciplina: CIÊNCIAS Série: 3º ano Ensino Fundamental PLANO DE CURSO Disciplina: CIÊNCIAS Série: 3º ano Ensino Fundamental Unidade I Hábitos de higiene com a boa saúde. Os alimentos por que precisamos comer? Alimentos e nutrientes. Alimentação saudável. Saúde

Leia mais

14/10/2015 A ALMA QUÂNTICA PROCRUSTES O QUE DIZ A CIÊNCIA CLÁSSICA...

14/10/2015 A ALMA QUÂNTICA PROCRUSTES O QUE DIZ A CIÊNCIA CLÁSSICA... A ALMA QUÂNTICA O segredo do segredo 2 PROCRUSTES O QUE DIZ A CIÊNCIA CLÁSSICA... O ser humano é uma máquina cuja força é alimentada em grande parte por substâncias químicas (do alimento, do ar, da água)

Leia mais

África, berço da humanidade

África, berço da humanidade África, berço da humanidade Já ouviu falar que o homem veio do macaco? Conhece o desenho aí ao lado? Ele dá a entender que, no passado, éramos todos macacos, não é? Pois, esqueça! Você está convidado a

Leia mais

TEORIA DA LINGUAGEM O REALISMO - NORMAN GEISLER. vivendopelapalavra.com. Revisão e diagramação por: Helio Clemente

TEORIA DA LINGUAGEM O REALISMO - NORMAN GEISLER. vivendopelapalavra.com. Revisão e diagramação por: Helio Clemente TEORIA DA LINGUAGEM O REALISMO - NORMAN GEISLER vivendopelapalavra.com Revisão e diagramação por: Helio Clemente REALISMO: UMA ALTERNATIVA AO ESSENCIALISMO E AO CONVENCIONALISMO A visão convencionalista

Leia mais

Bio. Semana 8. Rubens Oda Alexandre Bandeira (Rebeca Khouri)

Bio. Semana 8. Rubens Oda Alexandre Bandeira (Rebeca Khouri) Semana 8 Rubens Oda Alexandre Bandeira (Rebeca Khouri) Este conteúdo pertence ao Descomplica. Está vedada a cópia ou a reprodução não autorizada previamente e por escrito. Todos os direitos reservados.

Leia mais

PLANO DE AULA. Aulas práticas 12 /02/10 Apresentação da disciplina e Visita ao. Data Atividades temáticas Estratégias/bibliografia Aula Aulas teóricas

PLANO DE AULA. Aulas práticas 12 /02/10 Apresentação da disciplina e Visita ao. Data Atividades temáticas Estratégias/bibliografia Aula Aulas teóricas PLANO DE AULA Disciplina: Anatomia Professor(a): Érica Bertaglia de Paula / Ana Paula Cardoso de Mello e Mello Ribeiro / Flavio Marino Greggio Curso: Enfermagem Semestre/Ano 1 / 2010 Turma: Data Atividades

Leia mais

FILOSOFIA 11º ano. Sofistas e filósofos

FILOSOFIA 11º ano. Sofistas e filósofos FILOSOFIA 11º ano Sofistas e filósofos Governo da República Portuguesa Rua Professor Veiga Simão 3700-355 Fajões Telefone: 256 850 450 Fax: 256 850 452 www.agrupamento-fajoes.pt E-mail: geral@agrupamento-fajoes.pt

Leia mais

UFSC - CCS - CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA 2ª FASE - CRONOGRAMA DEFINIVO 8/03/2013

UFSC - CCS - CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA 2ª FASE - CRONOGRAMA DEFINIVO 8/03/2013 UFSC - CCS - CURSO DE GRADUAÇÃO EM MEDICINA 2ª FASE - CRONOGRAMA 2013.1 - DEFINIVO 8/03/2013 1ª Semana seg, 18/03 ter, 19/03 qua, 20/03 qui, 21/03 sex, 22/03 a a 9:00h Apresentação da Fase Anfiteatro II

Leia mais

VMSIMULADOS. ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO 1

VMSIMULADOS. ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO    1 ALFABETIZAÇÃO E LETRAMENTO 01. Segundo Magda Soares, o processo de alfabetização exige do profissional grande especificidade e também uma preparação que o leve a compreender várias facetas como as áreas:

Leia mais

Santuários. Arte, Cultura, Peregrinações, Paisagens e Pessoas

Santuários. Arte, Cultura, Peregrinações, Paisagens e Pessoas Santuários Arte, Cultura, Peregrinações, Paisagens e Pessoas O Turismo ou as Peregrinações a Santuários começaram ainda na Pré-História, caso da Gruta de Chovet, com datações de cerca de 31000 BP. Vale

Leia mais

RECUPERAÇÃO 2º SEMESTRE E ANUAL 2015

RECUPERAÇÃO 2º SEMESTRE E ANUAL 2015 RECUPERAÇÃO 2º SEMESTRE E ANUAL 2015 MATÉRIA 1ª SÉRIE 2ª SÉRIE 3ª SÉRIE Gramática Almir / Cadernos 8 e 9 Caderno 4 Bimestre Cadernos 6 e 7 Andréia Literatura Aliandro Módulos 43 a 54 Módulos 48 a 57 Módulos

Leia mais

RECURSOS PEDAGÓGICOS NO ENSINO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA PARA DEFICIENTES VISUAIS

RECURSOS PEDAGÓGICOS NO ENSINO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA PARA DEFICIENTES VISUAIS RECURSOS PEDAGÓGICOS NO ENSINO DE CIÊNCIAS DA NATUREZA PARA DEFICIENTES VISUAIS PATRÍCIA IGNÁCIO DA ROSA patriciarosa@ibc.org.br INSTITUTO BENJAMIN CONSTANT 1 INTRODUÇÃO O Instituto Benjamin Constant (IBC),

Leia mais

Inteligência Computacional para Jogos Eletrônicos

Inteligência Computacional para Jogos Eletrônicos Inteligência Computacional para Jogos Eletrônicos Papéis da IA em Jogos Adversários Aliados Personagens de apoio NPC s (Non-player Character) Comentaristas Controle de câmera Geração de fases Nivelamento

Leia mais

Formule perguntas abertas dentro do seu perfil de venda, no mínimo 3 questões para cada tipo:

Formule perguntas abertas dentro do seu perfil de venda, no mínimo 3 questões para cada tipo: ATIVIDADE: No FUNDAMENTO EM VENDAS INTERESSE, pudemos perceber a importância real do profissional de vendas em despertar necessidades e praticar a grande habilidade de perguntar, de forma consciente e

Leia mais

STREET, Brian V. Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. Trad.

STREET, Brian V. Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. Trad. STREET, Brian V. Letramentos sociais: abordagens críticas do letramento no desenvolvimento, na etnografia e na educação. Trad. 115 Marcos Bagno. São Paulo: Parábola, 2014. Ariane Alhadas Cordeiro * alhadas.ariane@gmail.com

Leia mais

Interprograma vivendo a arte 1. Sofia Frazão Suplicy 2 Suyanne Tolentino de Souza 3. Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, PR

Interprograma vivendo a arte 1. Sofia Frazão Suplicy 2 Suyanne Tolentino de Souza 3. Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, PR Interprograma vivendo a arte 1 Sofia Frazão Suplicy 2 Suyanne Tolentino de Souza 3 Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba, PR 1 Trabalho submetido ao XIX Expocom, na categoria A Audiovisual,

Leia mais

COLÉGIO ADVENTISTA DE ALTAMIRA Ementa de Curso para Portfólio

COLÉGIO ADVENTISTA DE ALTAMIRA Ementa de Curso para Portfólio DISCIPLINA:. Língua Portuguesa SÉRIE/ TURMA:. 9º ano A/B BIMESTRE: 4º 1 e 2 - Texto Perder, ganhar, viver. Pag.( 230, 231 e 232) Leitura do texto; discussão; atividade escrita. Pag. ( 232 e 233) - Atividade

Leia mais

Guião do Módulo I.II. Biologia Molecular, Celular e do Desenvolvimento Humano e Genética

Guião do Módulo I.II. Biologia Molecular, Celular e do Desenvolvimento Humano e Genética Guião do Módulo I.II. Biologia Molecular, Celular e do Desenvolvimento Humano e Genética Ano lectivo 2014/15-2º Semestre Mestrado Integrado em Medicina Faculdade de Medicina da Universidade de Lisboa Índice

Leia mais

REFLEXÕES SOBRE A LINGUAGEM

REFLEXÕES SOBRE A LINGUAGEM REFLEXÕES SOBRE A LINGUAGEM Olá, «Agora vamos assistir a uma Apresentação para fazermos algumas Reflexões sobre a Linguagem. Ao final desta unidade espera-se que você possa entender alguns aspectos que

Leia mais

Árvores: Conceitos Básicos e Árvore Geradora

Árvores: Conceitos Básicos e Árvore Geradora Árvores: Conceitos Básicos e Árvore Geradora Grafos e Algoritmos Computacionais Prof. Flávio Humberto Cabral Nunes fhcnunes@yahoo.com.br 1 Introdução No dia a dia aparecem muitos problemas envolvendo árvores:

Leia mais

SOCIEDADE E INDIVÍDUO EM DISCUSSÃO

SOCIEDADE E INDIVÍDUO EM DISCUSSÃO 1 SOCIEDADE E INDIVÍDUO EM DISCUSSÃO Acadêmica: Raquel Luchese Orientadora: SilandraBadch Rosa Universidade Luterana do Brasil- ULBRA raquelluchese@hotmail.com RESUMO O presente trabalho refere-se ao Estágio

Leia mais

PROVA DE GEOGRAFIA MÓDULO III DO PISM (triênio )

PROVA DE GEOGRAFIA MÓDULO III DO PISM (triênio ) QUESTÕES OBJETIVAS 01. Observe o mapa: PROVA DE GEOGRAFIA MÓDULO III DO PISM (triênio 2004-2006) Ele representa o mundo sob uma perspectiva eurocêntrica e assentada na projeção de Mercator. É possível

Leia mais

Teoria e Prática de Sistemática Filogenética

Teoria e Prática de Sistemática Filogenética Disciplina BOT-99 PPG-BOT-INPA 2015 Teoria e Prática de Sistemática Filogenética Alberto Vicentini alberto.vicentini@inpa.gov.br Mário Henrique Terra Araujo araujo.mht@gmail.com Programa de Pós-Graduação

Leia mais

ORGANOGÊNESE FASE EMBRIONÁRIA

ORGANOGÊNESE FASE EMBRIONÁRIA ORGANOGÊNESE FASE EMBRIONÁRIA ORGANOGÊNESE (organo: organismo e gênese: origem) Importância: embrião. A maior parte do desenvolvimento dos órgãos: (varia com a espécie) Ao final deste período: Principais

Leia mais

DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR

DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR DADOS DO COMPONENTE CURRICULAR Disciplina: Artes Curso: Técnico Em Eletromecânica Integrado Ao Ensino Médio Série: 1º Carga Horária: 67 h.r Docente Responsável: EMENTA O universo da arte, numa abordagem

Leia mais

ESCOLA EVANGELIUM EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL Formando e educando nos caminhos de Deus. Curso FUNDAMENTAL I

ESCOLA EVANGELIUM EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL Formando e educando nos caminhos de Deus. Curso FUNDAMENTAL I ESCOLA EVANGELIUM EDUCAÇÃO INFANTIL E ENSINO FUNDAMENTAL Formando e educando nos caminhos de Deus Origem: PROFESSORA:Franciele Destino ALUNOS/ PAIS Ano 2016 Mês Fev. Mar. Abr. Tipo Etapa 1º TRIMESTRE Curso

Leia mais

Equinodermas e Protocordados 2ª parte

Equinodermas e Protocordados 2ª parte COLÉGIO ESTADUAL HELENA KOLODY E.M.P. TERRA BOA - PARANÁ Equinodermas e Protocordados 2ª parte Professora Leonilda Brandão da Silva E-mail: leonildabrandaosilva@gmail.com O que significa o termo Cordados?

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CENTRO DE ENSINO E PESQUISA APLICADA À EDUCAÇÃO - CEPAE PLANO DE ENSINO DE GEOGRAFIA NO 3. ANO DO E.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CENTRO DE ENSINO E PESQUISA APLICADA À EDUCAÇÃO - CEPAE PLANO DE ENSINO DE GEOGRAFIA NO 3. ANO DO E. UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS CENTRO DE ENSINO E PESQUISA APLICADA À EDUCAÇÃO - CEPAE PLANO DE ENSINO DE GEOGRAFIA NO 3. ANO DO E. MÉDIO - 2014 PROF. PAULO C. V. DE ARAÚJO EMENTA Características e crescimento

Leia mais

Colégio Santa Dorotéia

Colégio Santa Dorotéia Colégio Santa Dorotéia Área de Ciências Humanas Disciplina: Série: 1ª Ensino Médio Professora: Erika Vilas Boas Atividades para Estudos Autônomos Data: 5 / 9 / 2016 Aluno(a): N o : Turma: INTRODUÇÃO Este

Leia mais

CENTRO DE ORIENTAÇÃO, ASSESSORAMENTO E FORMAÇÃO

CENTRO DE ORIENTAÇÃO, ASSESSORAMENTO E FORMAÇÃO SECRETARIADO EXECUTIVO - ADMINISTRATIVO CENTRO DE ORIENTAÇÃO, ASSESSORAMENTO E FORMAÇÃO S e u P r o g r e s s o é a n o s s a m i s s ã o info.cursos.coaf@gmail.com www.coaf.co 996394681 926394681 Projecto

Leia mais

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CONCURSO NOVOS TALENTOS CINEMA E VÍDEO, PROMOVIDO PELO CONSULADO- GERAL DO BRASIL EM TÓQUIO

REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CONCURSO NOVOS TALENTOS CINEMA E VÍDEO, PROMOVIDO PELO CONSULADO- GERAL DO BRASIL EM TÓQUIO REGULAMENTO PARA PARTICIPAÇÃO NO CONCURSO NOVOS TALENTOS CINEMA E VÍDEO, PROMOVIDO PELO CONSULADO- GERAL DO BRASIL EM TÓQUIO 1. O Concurso NOVOS TALENTOS CINEMA E VÍDEO consiste em um concurso de filmes

Leia mais

O sistema grego de numeração

O sistema grego de numeração Museu de Topografia Prof. Laureano Ibrahim Chaffe Departamento de Geodésia IG/UFRGS O sistema grego de numeração Texto original: http://www.educ.fc.ul.pt/icm/icm99/icm36/numeracao_grega.htm Ampliação e

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO

INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 3º EM Biologia B Pedro Verdan Av. Dissertativa 25/05/16 INSTRUÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA PROVA LEIA COM MUITA ATENÇÃO 1. Verifique, no cabeçalho desta prova, se seu nome, número e turma estão corretos.

Leia mais

TV Brasil estreia série de documentários Nossa Língua nesta terça (12/7)

TV Brasil estreia série de documentários Nossa Língua nesta terça (12/7) Publicado em TV Brasil (http://tvbrasil.ebc.com.br) 08/07/2016-16h28 TV Brasil estreia série de documentários Nossa Língua nesta terça (12/7) Para incentivar o intercâmbio cultural e o fomento ao audiovisual

Leia mais

Professora Leonilda Brandão da Silva

Professora Leonilda Brandão da Silva COLÉGIO ESTADUAL HELENA KOLODY E.M.P. TERRA BOA - PARANÁ Professora Leonilda Brandão da Silva E-mail: leonildabrandaosilva@gmail.com http://professoraleonilda.wordpress.com/ DIVISÃO CELULAR - p. 158 Leitura

Leia mais

MAÇONARIA AFINAL, DO QUE SE TRATA? GRANDE LOJA UNIDA da INGLATERRA

MAÇONARIA AFINAL, DO QUE SE TRATA? GRANDE LOJA UNIDA da INGLATERRA MAÇONARIA AFINAL, DO QUE SE TRATA? GRANDE LOJA UNIDA da INGLATERRA SEIS MILHÕES DE RAZÕES Existem 250,000 maçons pertencentes a 8.000 Lojas em toda a Inglaterra e País de Gales, e distritos no exterior.

Leia mais

1. Linguagem escrita - Apresentação

1. Linguagem escrita - Apresentação 1. Linguagem escrita - Apresentação Súmula História e paradoxo da linguagem escrita sob o ponto de vista neurológico; teorias de aquisição da linguagem escrita Objetivos Compreender que a linguagem escrita

Leia mais

!" # $% ' )* +, # - +. / /

! # $% ' )* +, # - +. / / !" # $% "&"'"(&'" ' )* +, # - +. / / 0 1 2 1! 0 23 1 2 2 43 5 6 2 7 58 9 6! 8 7 5 6: 2 2 2;) 4 : 5 6 ;) $! 8 : ) ; 1! 5 6: 1 :1 : :! 1 $1 < = ; $ = > $ $1 = 0 2$9 3 5? 6:5 6: 5? 6:5? 6! ' : 2$ 2! 0-0 &"%0

Leia mais

DATA: 09 / 05 / 2015 I ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 5.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA:

DATA: 09 / 05 / 2015 I ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 5.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: SOCIEDADE MINEIRA DE CULTURA Mantenedora da PUC Minas e do COLÉGIO SANTA MARIA DATA: 09 / 05 / 205 UNIDADE: I ETAPA AVALIAÇÃO ESPECIAL DE LÍNGUA PORTUGUESA 5.º ANO/EF ALUNO(A): N.º: TURMA: PROFESSOR(A):

Leia mais

DICOTOMIA LÍNGUA-FALA ESTRUTURAS EQUIVALENTES SINCRONIA E DIACRONIA SINTAGMA E RELAÇÕES ASSOCIATIVAS

DICOTOMIA LÍNGUA-FALA ESTRUTURAS EQUIVALENTES SINCRONIA E DIACRONIA SINTAGMA E RELAÇÕES ASSOCIATIVAS DICOTOMIA LÍNGUA-FALA ESTRUTURAS EQUIVALENTES SINCRONIA E DIACRONIA SINTAGMA E RELAÇÕES ASSOCIATIVAS 1 DICOTOMIA LÍNGUA-FALA (SAUSSURE) 1) Língua: entidade puramente abstracta, uma norma superior aos indivíduos,

Leia mais

Em Defesa de um Criador

Em Defesa de um Criador Em Defesa de um Criador Zé e Ana Tavares 27 de Julho de 2008 A hipótese de Darwin Evolução das espécies Selecção natural Primata Homem Neo-darwinismo O nada produz tudo O inanimado produz vida A adaptação

Leia mais

Argumentos do evolucionismo:

Argumentos do evolucionismo: Argumentos do evolucionismo: 1- Argumentos paleontológicos 2-Argumentos de anatomia comparada 3- Argumentos embriológicos 4- Argumentos bioquímicos 5- Argumentos da citologia 6- Argumentos biogeográficos

Leia mais

Título: Viajando pelo Universo da Leitura Justificativa:

Título: Viajando pelo Universo da Leitura Justificativa: Título: Viajando pelo Universo da Leitura Justificativa: Sabendo que o aluno tem pouco contato com a leitura em seu ambiente familiar, apresentando na escola dificuldades de aprendizagem, decorrentes dessa

Leia mais

HTAU I O que é Arquitetura?

HTAU I O que é Arquitetura? BIBLIOGRAFIA BÁSICA: COLIN, Silvio. Uma Introdução à Arquitetura. Rio de Janeiro: UAPÊ, 2000. a rquitetura. S.f. Arte de criar espaços organizados e animados, por meio do agenciamento urbano e da edificação,

Leia mais

Resoluções das atividades

Resoluções das atividades Resoluções das atividades Aula 8 Ácidos nucleicos Atividades para sala 01 D 02 B No DNA, ocorrem duas fitas de polinucleotídios. As duas fitas são unidas por pontes de hidrogênio estabelecidas entre os

Leia mais

AVALIAÇÕES E DISTRIBUIÇÃO DE PONTOS. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 8º ano Ensino Fundamental II 1ª ETAPA/2015

AVALIAÇÕES E DISTRIBUIÇÃO DE PONTOS. CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 8º ano Ensino Fundamental II 1ª ETAPA/2015 CONTEÚDOS DE CIÊNCIAS NATURAIS Professora: Gláucia Rios 1ª ETAPA 2014-8º ANO/EFII Data: /02/2015 CONTEÚDOS 1. Citologia e Histologia 2. Sistema digestório e alimentação 3. Sistema respiratório Bibliografia:

Leia mais

FORMAÇÃO DE TREINADORES GRAU I METODOLOGIA DE TREINO

FORMAÇÃO DE TREINADORES GRAU I METODOLOGIA DE TREINO FORMAÇÃO DE TREINADORES GRAU I DEFINIÇÃO DE ADAPTAÇÃO ADAPTAÇÃO PROCESSO PROGRESSIVO PROCESSO REGRESSIVO Reorganização após estimulo TÉCNICOS TÁTICOS FÍSICOS PSICO-COGNITIVOS Específica Limitada DEFINIÇÃO

Leia mais