Sistema do Ciclo do Sangue Fundação Hemominas HEMOTE Plus

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Sistema do Ciclo do Sangue Fundação Hemominas HEMOTE Plus"

Transcrição

1 Sistema do Ciclo do Sangue Fundação Hemominas HEMOTE Plus A partir de 24 de Fevereiro de 2015 a Fundação HEMOMINAS (FH) substituirá o Sistema de informática do Ciclo do Sangue. Esta mudança permitirá melhoria na rastreabilidade em todos os processos do ciclo do sangue (captação de doadores, cadastro, coleta, preparo, rotulagem e armazenamento de hemocomponentes, exames sorológicos e imunohematológicos, transfusão e reações transfusionais). O novo Sistema utiliza a codificação ISBT 128, padronização internacional em serviços de hemoterapia. A instituição que gerencia o ISBT 128 é a International Council for Commonality in Blood Banking Automation InC (ICCBBA), órgão internacional sem fins lucrativos, delegada pela International Society of Blood Transfusion (ISBT) para este fim. O ICCBA é responsável pela gestão, desenvolvimento e distribuição da especificação e bases de dados ISBT 128. Em 31/agosto/2011, o Ministério da Saúde publicou a Portaria Ministerial MS/GM nº 2703/11, com o objetivo de regulamentar o uso de padrões de interoperabilidade e informação em saúde para sistemas de informação no âmbito do Sistema Único de Saúde. Nesta Portaria foi definido que o Padrão ISBT 128 deve ser adotado para a codificação de dados de identificação de produtos relativos ao sangue humano, em toda a hemorrede nacional. A seguir, serão apresentadas as principais mudanças que impactarão nos processos transfusionais das Agências Transfusionais e Assistências Hemoterápicas contratantes da Fundação Hemominas, especialmente no que se refere à identificação dos hemocomponentes. CÓDIGOS DE BARRAS Os códigos de barras da padronização ISBT 128 impressos nos novos rótulos de hemocomponentes da Fundação Hemominas utilizam a padronização code 128 para códigos de barras. Para sua utilização os leitores de código de 1

2 barras e os sistemas de informática deverão estar habilitados para leitura do code 128. Somente os Sistemas de Informática com a base de informação do ICCBBA (http://www.iccbba.org/tech-library/iccbba-documents/technical-specification) terão capacidade de decodificar as informações dos códigos de barras do rótulo. Os códigos de barras do Número da Doação, fenotipagem ABO/Rh, tipo de hemocomponente, data de validade dos produtos e os exames especiais seguem o padrão ISBT 128, a utilização da base de informação do ICCBBA aumenta a segurança transfusional diminuindo a possibilidade de erro de identificação dos produtos. A Fundação Hemominas recomenda que todas as unidades de saúde utilizem sistemas de informática com capacidade de interpretação do padrão ISBT 128. Todas as informações dos códigos de barras também estarão acessíveis para leitura visual (letras e números). Desta forma os hospitais e clínicas que possuam sistemas informatizados poderão integralizar as informações sem a obrigatoriedade de possuir a base de informação do ICCBBA/ISB128. Os hospitais que ainda não possuem sistema de informática deverão fazer os registros da mesma forma que fazem atualmente. Especificamente para o Número de Identificação da Doação, informamos que, para a leitura deste código de barras, o sistema de informática deverá ser capaz de reconhecer o número da bolsa após tratamento da informação. Veja o exemplo: Ao fazer a leitura do código de barras do Número de Identificação da Doação do exemplo da Figura 3, o equipamento (leitor de código de barras) irá retornar a seguinte leitura: =B O sistema de informática deverá descartar o símbolo = e os dois últimos números que correspondem ao Flag de Identificação, 21 (Figura 1). Desta forma, para efeito de identificação da bolsa, só deverão ser considerados os 13 dígitos, B

3 Figura 1: Número de Identificação do Hemocomponente RÓTULOS Geralmente as bolsas terão dois rótulos: Rótulo Menor (não obrigatório) e Rótulo Maior (obrigatório). Somente a presença do Rótulo Maior garante que a bolsa está pronta para ser utilizada. Rótulo menor (53mmx 30mm), colado no momento da coleta contém o Número de Identificação da Doação. Este rótulo é semelhante ao rótulo de identificação atual (Figura 2). O grupo sanguíneo ABO/Rh só estará impresso neste rótulo no caso de doadores de repetição. Figura 2: Rótulo inicial de identificação da doação Rótulo Maior (100mmx100mm), colado no momento da liberação da bolsa para a distribuição, contém o Número de Identificação da Doação, resultados laboratoriais, dados do hemocomponente (nome, código, volume aproximado, data de validade, solução anticoagulante-preservadora, temperatura de armazenamento, etc). A maioria destas informações também estará disponível em código de barras, seguindo padronização ISBT

4 Figura 3: Rótulo final de identificação do hemocomponente A presença do Rótulo Maior significa que o hemocomponente está liberado para fins transfusionais (Figura 3). O Rótulo Maior pode ser dividido didaticamente em quatro quadrantes: A. quadrante superior esquerdo; B. quadrante superior direito; C. quadrante inferior esquerdo; e D. quadrante inferior direito. A. Quadrante superior esquerdo 4

5 Número de Identificação da Doação: na codificação ISBT 128, o número de identificação da doação é composto por 13 (treze) caracteres (alfanumérico). Associado ao Número de Identificação da Doação está impresso 3 (três) caracteres de segurança. Os caracteres de segurança representam 2 dígitos denominados flag de Identificação e o último denominado dígito verificador e estão relacionados a procedimentos internos da Fundação Hemominas. Nos registros dos hospitais, das Agências Transfusionais e das Assistências Hemoterápicas, os caracteres de segurança não são necessários e, por isso, a identificação da bolsa deve considerar apenas os 13 primeiros caracteres (ver informações sobre o Código de Barras). Os dois dígitos do flag de Identificação são modificados a cada procedimento que exija impressão de nova etiqueta. Assim, na mesma bolsa podem ser encontradas duas etiquetas com flags diferentes, mas sempre mantendo os 13 primeiros caracteres. Informações básicas para utilização dos hemocomponentes. Nome e endereço da unidade hemoterápica responsável pela coleta. O anexo I relaciona todas as unidades de coleta da Fundação HEMOMINAS e seus respectivos códigos de identificação ISBT. Data da coleta. Tipo de doação (voluntária ou autóloga). B. Quadrante superior direito Grupo sanguíneo ABO/RhD, representado em texto e em código de barras, segundo nomenclatura ISBT 128. A adoção da padronização ISBT 128 inviabilizou os rótulos coloridos. Apesar disso, aumentou sobremaneira a segurança e rastreabilidade nas etapas de etiquetagem e liberação de resultados laboratoriais. Os rótulos têm duas formas distintas de apresentação dos resultados RhD: - RhD positivo: o texto é escrito em letras pretas sobre o fundo branco; - RhD negativo: o texto é escrito em letras brancas sobre o fundo preto. 5

6 Ver exemplos abaixo. RhD POSITIVO RhD NEGATIVO O código de barras na vertical é de utilização exclusiva da Fundação Hemominas. Resultado da pesquisa de antígenos CDE, se realizado. Resultado da Pesquisa de Anticorpos Irregulares (PAI). Nome do anticorpo identificado, se a PAI for positiva. Resultado da pesquisa para Hemoglobina S, quando positivo. 6

7 C. Quadrante inferior esquerdo Código do hemocomponente, segundo nomenclatura ISBT 128, representado em texto alfanumérico e em código de barras Especificações do hemocomponente, incluindo nome do produto, procedimentos adicionais e especiais (atributos) Volume aproximado do hemocomponente. Solução anticoagulante-preservadora. Temperatura de armazenamento. D. Quadrante inferior direito Data e horário do vencimento do hemocomponente, representado em texto e em código de barras. Fenotipagem eritrocitária, se realizada. Outros exames especiais, se realizados 7

8 SOLICITAÇÃO DE HEMOCOMPONENTES A solicitação de hemocomponentes pelas Assistências Hemoterápicas não sofrerá alterações. Entretanto, será imprescindível informar: o nome completo do paciente sem abreviaturas, a data de nascimento o nome completo da mãe. Estes dados auxiliarão na identificação de receptores homônimos, aumentando a segurança transfusional. Referências bibliográficas: ICCBBA (International Council for Commonality in Blood Bank Automation) - ISBT 128 Standard Technical Specification Version Aug/14 - Disponível em: /ST-001-ISBT-128-Standard-Technical-Specification-v5.1.0.pdf ICCBBA (International Council for Commonality in Blood Bank Automation) - Introdução ao ISBT Portugal - 1 a Edição Disponível em: b/in-028-an-introduction-to-isbt-128-portuguese-v1.pdf MINISTÉRIO DA SAÚDE - SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO HOSPITALAR E DE URGÊNCIA - COORDENAÇÃO GERAL DE SANGUE E HEMODERIVADOS - Padronização de tabelas de referência da Norma ISBT /set/2014 Fernando Valadares Basques Diretor Técnico-Científico 8

9 Fundação HEMOMINAS 9

10 ANEXO I Código Sigla da FIN Nome instituição Instituição Cidade B3013 Hemocentro de Belo Horizonte HEMOMINAS HBH Belo Horizonte B3192 Núcleo Regional de Patos de Minas HEMOMINAS PMI Patos de Minas B3193 Núcleo Regional de Diamantina HEMOMINAS DIA Diamantina B3194 Hemocentro Regional de Pouso Alegre - HEMOMINAS PAL Pouso Alegre B3195 Hemocentro Regional de Montes Claros - HEMOMINAS MOC Montes Claros B3196 Núcleo Regional de Ponte Nova HEMOMINAS PNO Ponte Nova B3197 Hemocentro Regional de Governador Valadares - HEMOMINAS GOV Governador Valadares B3198 Hemocentro Regional de Uberaba HEMOMINAS URA Uberaba B3199 Núcleo Regional de Sete Lagoas HEMOMINAS SLA Sete Lagoas B3200 Núcleo Regional de Divinópolis HEMOMINAS DIV Divinópolis B3201 Hemocentro Regional de Juiz de Fora HEMOMINAS JFO Juiz De Fora B3202 Núcleo Regional de Manhuaçu HEMOMINAS MÇU Manhuaçu B3203 Núcleo Regional De São João Del Rei HEMOMINAS SJR São João Del Rei B3204 Hemocentro Regional de Uberlandia - HEMOMINAS UDI Uberlandia B3205 Núcleo Regional de Passos- HEMOMINAS PAS Passos B3206 Núcleo Regional de Ituiutaba HEMOMINAS ITU Ituiutaba B3207 Unidade de Coleta e Transfusão de Além Paraíba - HEMOMINAS ALP Além Paraíba B3208 Posto de Coleta e Transfusão Hospital Julia Kubitschek HEMOMINAS HJK Belo Horizonte B3209 Posto de Coleta de Betim HEMOMINAS BET Betim B3210 Unidade de Coleta e Transfusão de Poços de Caldas - HEMOMINAS POC Poços de Caldas B3483 Unidade de Coleta Shopping Estação EST Belo Horizonte 10

11 11

V Seminário Hospitais Saudáveis SHS 2012 São Paulo/SP Setembro/2012

V Seminário Hospitais Saudáveis SHS 2012 São Paulo/SP Setembro/2012 V Seminário Hospitais Saudáveis SHS 2012 São Paulo/SP Setembro/2012 Implementação da substituição dos equipamentos e aparelhos com mercúrio na Fundação HEMOMINAS Unidades da Fundação Hemominas: DIA POC

Leia mais

BOAS PRÁTICAS DE ENFERMAGEM NA INSTALAÇÃO DA TRANSFUSÃO

BOAS PRÁTICAS DE ENFERMAGEM NA INSTALAÇÃO DA TRANSFUSÃO BOAS PRÁTICAS DE ENFERMAGEM NA INSTALAÇÃO DA TRANSFUSÃO Jaciane Vargas de Freitas Silva Enfermeira RT Serviço de Enfermagem do Ambulatório do HBH Fundação Hemominas BOA PRÁTICA TRANSFUSIONAL Aplicação

Leia mais

Implementação e viabilidade econômica da substituição dos aparelhos com mercúrio na Fundação HEMOMINAS

Implementação e viabilidade econômica da substituição dos aparelhos com mercúrio na Fundação HEMOMINAS Implementação e viabilidade econômica da substituição dos aparelhos com mercúrio na Fundação HEMOMINAS Unidades da Fundação Hemominas: DIA POC 1985: Criação do Centro de Hematologia e Hemoterapia de Minas

Leia mais

Hemovida. Agência Transfusional Visão Geral. Versão do produto: 2.0.7. Edição do documento: 1.0 Fevereiro de 2007 MS DATASUS

Hemovida. Agência Transfusional Visão Geral. Versão do produto: 2.0.7. Edição do documento: 1.0 Fevereiro de 2007 MS DATASUS Hemovida Agência Transfusional Visão Geral Versão do produto: 2.0.7 Edição do documento: 1.0 Fevereiro de 2007 MS DATASUS Hemovida Agência Transfusional Visão Geral Versão do produto: 2.0.7 Edição do documento:

Leia mais

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR.

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR. ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR. XV Jornada Interiorana de Hematologia e Hemoterapia II Encontro Interiorano de Enfermagem em Hemoterapia e Hemovigilância TESTES PRÉ

Leia mais

ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MINAS GERAIS CREDENCIAMENTO DE DOCENTE ESP-MG Nº 015/2011

ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MINAS GERAIS CREDENCIAMENTO DE DOCENTE ESP-MG Nº 015/2011 ESCOLA DE SAÚDE PÚBLICA DO ESTADO DE MINAS GERAIS CREDENCIAMENTO DE DOCENTE ESP-MG Nº 015/2011 PROJETO: Curso Técnico em Hemoterapia DOCENTE DE CONCENTRAÇÃO Atribuições: ministrar aulas teóricas Habilitação

Leia mais

O PAPEL DO ENFERMEIRO NO COMITÊ TRANSFUSIONAL

O PAPEL DO ENFERMEIRO NO COMITÊ TRANSFUSIONAL O PAPEL DO ENFERMEIRO NO COMITÊ TRANSFUSIONAL HEMOCENTRO DE BELO HORIZONTE 2015 TRANFUSÃO SANGUÍNEA BREVE RELATO Atualmente a transfusão de sangue é parte importante da assistência à saúde. A terapia transfusional

Leia mais

Rotina da Agência Transfusional. Mara Martins Bióloga HCI / INCA

Rotina da Agência Transfusional. Mara Martins Bióloga HCI / INCA Rotina da Agência Transfusional Mara Martins Bióloga HCI / INCA O ato transfusional é um delicado processo na assistência a saúde. No INCA são realizadas cirurgias de grande porte e também grande número

Leia mais

Estratégias de Gerenciamento de Estoque no Hemocentro. Elmiro Ribeiro Filho Médico Hematologista e Hemoterapeuta Hemocentro Regional de Uberlândia

Estratégias de Gerenciamento de Estoque no Hemocentro. Elmiro Ribeiro Filho Médico Hematologista e Hemoterapeuta Hemocentro Regional de Uberlândia Estratégias de Gerenciamento de Estoque no Hemocentro Elmiro Ribeiro Filho Médico Hematologista e Hemoterapeuta Hemocentro Regional de Uberlândia Fundação Hemominas * Cobertura de 90% das transfusões *

Leia mais

XV JORNADA INTERIORANA DE HEMATOLOGIA E HEMOTERAPIA II ENCONTRO INTERIORANO DE ENFERMAGEM EM HEMOTERAPIA E HEMOVIGILÂNCIA CICLO DO SANGUE DRA LUCIANA

XV JORNADA INTERIORANA DE HEMATOLOGIA E HEMOTERAPIA II ENCONTRO INTERIORANO DE ENFERMAGEM EM HEMOTERAPIA E HEMOVIGILÂNCIA CICLO DO SANGUE DRA LUCIANA XV JORNADA INTERIORANA DE HEMATOLOGIA E HEMOTERAPIA II ENCONTRO INTERIORANO DE ENFERMAGEM EM HEMOTERAPIA E HEMOVIGILÂNCIA CICLO DO SANGUE DRA LUCIANA PREMISSAS A transfusão sanguínea é uma terapêutica

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO

UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO HEMOVIGILÂNCIA Responsáveis: Enfª Cledes Moreira Enfª Danielli S. Barbosa Enfª Luciana Paiva VAMOS TRABALHAR HOJE Os cuidados na instalação de sangue e hemocomponentes.

Leia mais

BANCO DE SANGUE PAULISTA PROCEDIMENTO OPERACIONAL RECEBIMENTO DE SOLICITAÇÕES PARA A TRANSFUSÃO DE HEMOCOMPONENTES

BANCO DE SANGUE PAULISTA PROCEDIMENTO OPERACIONAL RECEBIMENTO DE SOLICITAÇÕES PARA A TRANSFUSÃO DE HEMOCOMPONENTES Pagina 1 de 17 1. OBJETIVO Atender com eficácia as solicitações realizadas pelo corpo clínico dos hospitais. 2. APLICAÇÃO Receptores (pacientes). 3. RESPONSABILIDADES Médicos Supervisora Técnica Coordenador

Leia mais

BANCO DE SANGUE PAULISTA PROCEDIMENTO OPERACIONAL PREPARO DE TRANSFUSÕES E LIBERAÇÃO DE HEMOCOMPONENTES PARA TRANSFUSÃO

BANCO DE SANGUE PAULISTA PROCEDIMENTO OPERACIONAL PREPARO DE TRANSFUSÕES E LIBERAÇÃO DE HEMOCOMPONENTES PARA TRANSFUSÃO Pagina 1 de 30 1. OBJETIVO Assegurar o procedimento de liberação e transfusão sangüínea. 2. APLICAÇÃO Receptores (Pacientes). 3. RESPONSABILIDADES Médicos Supervisora Técnica Coordenador de Imunohematologia

Leia mais

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO SOLICITAÇÃO DE TRANSFUSÃO: ROTINA E EMERGÊNCIA

PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO SOLICITAÇÃO DE TRANSFUSÃO: ROTINA E EMERGÊNCIA PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO SOLICITAÇÃO DE TRANSFUSÃO: ROTINA E EMERGÊNCIA Versão: 06 Código: STROEM 02 Paginação: 1 de 36 Elaborado: Hildenete Monteiro Fortes Assinatura: Aprovado e liberado por:

Leia mais

Versão final 28 de abril de 2014

Versão final 28 de abril de 2014 1 Plano Operativo de Saúde do Estado do Rio de Janeiro para a Copa do Mundo FIFA Brasil 2014 Versão final 28 de abril de 2014 2 Hemorrede pública do Estado do Rio de Janeiro Ações Pré Evento: Manter estoque

Leia mais

HEMOTERAPIA BRASILEIRA

HEMOTERAPIA BRASILEIRA FAZENDO HISTÓRIA NA HEMOTERAPIA BRASILEIRA COLSAN - ASSOCIAÇÃO BENEFICENTE DE COLETA DE SANGUE fazendo história na hemoterapia brasileira A Colsan Associação Beneficente de Coleta de Sangue é uma entidade

Leia mais

REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL DOS NÍVEIS DE COMPLEXIDADE DOS SERVIÇOS DE MEDICINA TRANSFUSIONAL OU UNIDADES HEMOTERÁPICAS

REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL DOS NÍVEIS DE COMPLEXIDADE DOS SERVIÇOS DE MEDICINA TRANSFUSIONAL OU UNIDADES HEMOTERÁPICAS MERCOSUL/GMC/RES. Nº 41/00 REGULAMENTO TÉCNICO MERCOSUL DOS NÍVEIS DE COMPLEXIDADE DOS SERVIÇOS DE MEDICINA TRANSFUSIONAL OU UNIDADES HEMOTERÁPICAS TENDO EM VISTA: o Tratado de Assunção, o Protocolo de

Leia mais

GUIA PARA INSPEÇÃO EM SERVIÇOS DE HEMOTERAPIA MÓDULO V AGÊNCIA TRANSFUSIONAL, TERAPIA TRANSFUSIONAL E OUTROS PROCEDIMENTOS TERAPÊUTICOS

GUIA PARA INSPEÇÃO EM SERVIÇOS DE HEMOTERAPIA MÓDULO V AGÊNCIA TRANSFUSIONAL, TERAPIA TRANSFUSIONAL E OUTROS PROCEDIMENTOS TERAPÊUTICOS MÓDULO V AGÊNCIA TRANSFUSIONAL, TERAPIA TRANSFUSIONAL E OUTROS PROCEDIMENTOS TERAPÊUTICOS Nome do responsável: Formação profissional: Registro no conselho de classe: Contato: 1. Atividades avaliadas Nível

Leia mais

Curso Básico de Inspeção em Boas Práticas do Ciclo do Sangue Agência Transfusional

Curso Básico de Inspeção em Boas Práticas do Ciclo do Sangue Agência Transfusional Curso Básico de Inspeção em Boas Práticas do Ciclo do Sangue Gerência de Sangue, outros Tecidos, Células e Órgãos/GSTCO/GGPBS/Anvisa Christiane da Silva Costa Especialista em Regulação e Vigilância Sanitária

Leia mais

Gestão de Testes de Proficiência. Como pode ampliar a Segurança Transfusional? Experiência da Fundação Hemominas

Gestão de Testes de Proficiência. Como pode ampliar a Segurança Transfusional? Experiência da Fundação Hemominas Gestão de Testes de Proficiência Como pode ampliar a Segurança Transfusional? Experiência da Fundação Hemominas Ângela Melgaço Ferreira Gerência de Controle da Qualidade Fundação Hemominas Conteúdo: Papel

Leia mais

Avaliação de Risco Potencial - Resultados do Projeto AT

Avaliação de Risco Potencial - Resultados do Projeto AT Avaliação de Risco Potencial - Resultados do Projeto AT Equipe GESAC/GGSTO/Anvisa Brasília, 09 de novembro de 2013 Vigilância Sanitária RISCO SANITÁRIO...eliminar, diminuir ou prevenir riscos à saúde e

Leia mais

GUIA PARA INSPEÇÃO EM SERVIÇOS DE HEMOTERAPIA MÓDULO IV PROCESSAMENTO, ARMAZENAMENTO E DISTRIBUIÇÃO

GUIA PARA INSPEÇÃO EM SERVIÇOS DE HEMOTERAPIA MÓDULO IV PROCESSAMENTO, ARMAZENAMENTO E DISTRIBUIÇÃO MÓDULO IV PROCESSAMENTO, ARMAZENAMENTO E DISTRIBUIÇÃO PROCESSAMENTO Nome do responsável: Formação profissional: Registro no conselho de classe: Contato: 1. Recursos Humanos Nível Sim Não NA 1.1. RH qualificado/capacitado

Leia mais

a) do Serviço de Hemoterapia para a Vigilância Sanitária Municipal, até o 10º dia útil subsequente ao mês/período informado;

a) do Serviço de Hemoterapia para a Vigilância Sanitária Municipal, até o 10º dia útil subsequente ao mês/período informado; Republicada no D.O. de 22/8/01 A Diretoria Colegiada da Agência Nacional de Vigilância Sanitária, no uso da atribuição que lhe confere o art. 11, inciso IV, do Regulamento da ANVISA, aprovado pelo Decreto

Leia mais

; NESC!FlOCRÜzl IIBL.IOTEcAJ MINISTÉRIO DA SAÚDE

; NESC!FlOCRÜzl IIBL.IOTEcAJ MINISTÉRIO DA SAÚDE ; NESC!FlOCRÜzl IIBL.IOTEcAJ 8 MINISTÉRIO DA SAÚDE A, SECRETARIA DE VIGILANCIA SANITARIA ESCOLA NACIONAL DE SAÚDE PÚBLICA NÚCLEO DE ESTUDOS EM SAÚDE COLETIVA CURSO REGIONALIZADO DE ESPECIALIZAÇÃO PARA

Leia mais

ALBUMINA BOVINA 22% PROTHEMO. Produtos Hemoterápicos Ltda. PARA TESTES EM LÂMINA OU TUBO SOMENTE PARA USO DIAGNÓSTICO IN VITRO

ALBUMINA BOVINA 22% PROTHEMO. Produtos Hemoterápicos Ltda. PARA TESTES EM LÂMINA OU TUBO SOMENTE PARA USO DIAGNÓSTICO IN VITRO ALBUMINA BOVINA 22% PROTHEMO Produtos Hemoterápicos Ltda. PARA TESTES EM LÂMINA OU TUBO SOMENTE PARA USO DIAGNÓSTICO IN VITRO Conservar entre: 2º e 8ºC Não congelar Conservante: Azida de Sódio 0,1 % Responsável

Leia mais

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR.

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR. ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR. I SEMANA DE SERVIÇO SOCIAL DO HEMOCE Captação Hospitalar: Multiplique essa idéia NÁGELA LIMA CAPTAÇÃO DE DOADORES A DOAÇÃO DE SANGUE

Leia mais

Curso Básico de inspeção em Serviços de Hemoterapia Vitória Espirito Santo 13 a 17 de outubro de 2014

Curso Básico de inspeção em Serviços de Hemoterapia Vitória Espirito Santo 13 a 17 de outubro de 2014 Curso Básico de inspeção em Serviços de Hemoterapia Vitória Espirito Santo 13 a 17 de outubro de 2014 Gerência de Processamento e Distribuição de Hemocomponentes Fundação Hemocentro de Brasília Processamento

Leia mais

Requisição incompleta, inadequada ou ilegível não será aceita pelo Serviço de Hemoterapia

Requisição incompleta, inadequada ou ilegível não será aceita pelo Serviço de Hemoterapia 1 1 - REQUISIÇÃO DE HEMOCOMPONENTES A enfermagem deve checar se a requisição de transfusão (MA5-036) foi preenchida corretamente, em duas ou mais vias, com os seguintes itens: - Nome completo do paciente

Leia mais

PARECER COREN-SP GAB n 010/2011 PRCI 107.590 Revisão e atualização em 2014

PARECER COREN-SP GAB n 010/2011 PRCI 107.590 Revisão e atualização em 2014 PARECER COREN-SP GAB n 010/2011 PRCI 107.590 Revisão e atualização em 2014 Ementa: Realização de testes prétransfusionais por profissionais de Enfermagem. 1. Do fato Enfermagem. Solicitado parecer sobre

Leia mais

MÓDULO II- Referenciado

MÓDULO II- Referenciado MÓDULO - Referenciado CAPTAÇÃO, RECEPÇÃO/REGSTRO, TRAGEM CLÍNCA E COLETA 1. Captação de Doadores 1.1. Recursos Humanos Nível Sim Não 1.1.1. Pessoal qualificado/capacitado. (RDC 34/, Art. 19) 1.1.2. Supervisão

Leia mais

Programação - 25/09/2013. Dra. Junia G. M. Cioffi - F. Hemominas - Belo Horizonte (MG)

Programação - 25/09/2013. Dra. Junia G. M. Cioffi - F. Hemominas - Belo Horizonte (MG) Programação - 25/09/2013 8h30 9h15 Abertura (Sala 1 azul) 9h15 9h45 Palestra: Qualidade em Hemoterapia (sala 1 azul) Dra. Junia G. M. Cioffi - F. Hemominas - Belo Horizonte (MG) 9h45 10h00 Apresentação

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PARECER COREN-SP GAB Nº 027 / 2011

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PARECER COREN-SP GAB Nº 027 / 2011 PARECER COREN-SP GAB Nº 027 / 2011 Assunto: Autotransfusão intra-operatória. 1. Do fato Solicitado parecer por enfermeira sobre a atuação dos profissionais de Enfermagem na autotransfusão intra-operatória.

Leia mais

PROMOÇÃO DA DOAÇÃO VOLUNTÁRIA DE SANGUE NO ÂMBITO DO MERCOSUL

PROMOÇÃO DA DOAÇÃO VOLUNTÁRIA DE SANGUE NO ÂMBITO DO MERCOSUL PROMOÇÃO DA DOAÇÃO VOLUNTÁRIA DE SANGUE NO ÂMBITO DO MERCOSUL XLIII Reunião Ordinária do SGT Nº 11 Saúde Comissão Intergovernamental de Sangue e Hemoderivados Presidência Pro Tempore do Brasil 01/2015

Leia mais

VIII Simposio Hemominas de Transfusão Sanguinea

VIII Simposio Hemominas de Transfusão Sanguinea VIII Simposio Hemominas de Transfusão Sanguinea Transfusão de Hemocomponentes Especiais Belo Horizonte Abril 2015 Ricardo Olivo Hemocentro Regional de Uberaba Hemocomponentes Especiais São hemocomponentes

Leia mais

1. ORGANIZAÇÃO PARA O FUNCIONAMENTO E USO DO SITIO WEB FORO DE ARTICULAÇÃO VIRTUAL

1. ORGANIZAÇÃO PARA O FUNCIONAMENTO E USO DO SITIO WEB FORO DE ARTICULAÇÃO VIRTUAL XXXIX REUNIÃO ORDINÁRIA DO SUBGRUPO DE TRABALHO Nº 11 SAÚDE MERCOSUL / COMISSÃO DE PRODUTOS PARA A SAÚDE / GRUPO AD HOC DE SANGUE E HEMODERIVADOS / ATA Nº 02/12 Realizou-se na cidade de Salvador, República

Leia mais

INSPEÇÃO SANITÁRIA EM SERVIÇO DE HEMOTERAPIA CICLO DO SANGUE. Captação, Recepção/Registro, Triagem Clínica e Coleta

INSPEÇÃO SANITÁRIA EM SERVIÇO DE HEMOTERAPIA CICLO DO SANGUE. Captação, Recepção/Registro, Triagem Clínica e Coleta INSPEÇÃO SANITÁRIA EM SERVIÇO DE HEMOTERAPIA CICLO DO SANGUE Captação, Recepção/Registro, Triagem Clínica e Coleta DEFINIÇÃO DE CICLO DO SANGUE ART. 2º RDC N 34, DE 11 DE JUNHO DE 2014 Captação e seleção

Leia mais

Prof. Daniel J. Melo Brasil

Prof. Daniel J. Melo Brasil CÓDIGO DE BARRAS Objetivos Entender a tecnologia do código de barras Entender os padrões existentes e quais as suas adoções Entender os passos necessários para adoção da tecnologia de código de barras

Leia mais

Detecção de ácidos nucléicos (NAT), para HIV e para HCV, nas amostras de sangue de doadores - Portaria 79 de 31/1/2003 -

Detecção de ácidos nucléicos (NAT), para HIV e para HCV, nas amostras de sangue de doadores - Portaria 79 de 31/1/2003 - Detecção de ácidos nucléicos (NAT), para HIV e para HCV, nas amostras de sangue de doadores - Portaria 79 de 31/1/2003 - Ementa: Determinar a implantação, no âmbito da Hemorrede Nacional, nos Serviços

Leia mais

Prevalência da distribuição do Sistema ABO entre doadores de sangue do Hemocentro Regional de Jataí-Goiás.

Prevalência da distribuição do Sistema ABO entre doadores de sangue do Hemocentro Regional de Jataí-Goiás. Prevalência da distribuição do Sistema ABO entre doadores de sangue do Hemocentro Regional de Jataí-Goiás. Ricardo Alli Benegas Resumo Introdução: Foi no século XX que a transfusão de sangue, adquiriu

Leia mais

ROTEIRO DE INSPEÇÃO EM BANCO DE TECIDOS OCULARES BTOC INFORMAÇÕES GERAIS

ROTEIRO DE INSPEÇÃO EM BANCO DE TECIDOS OCULARES BTOC INFORMAÇÕES GERAIS Instruções de preenchimento - Somente itens cumpridos integralmente pelo serviço devem ser considerados SIM ; - Nos casos em que o serviço realize apenas parte do disposto no item avaliado, este deve ser

Leia mais

Resolução Estadual nº 05, de 1988

Resolução Estadual nº 05, de 1988 Resolução Estadual nº 05, de 1988 ASSUNTO: Aprovação da Norma Técnica Especial (NTE) relativa ao Controle de Transfusão de Sangue em Estabelecimentos Hospitalares e Afins. DATA DE ENTRADA EM VIGOR: REVOGAÇÃO:

Leia mais

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR

ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR ESTA PALESTRA NÃO PODERÁ SER REPRODUZIDA SEM A REFERÊNCIA DO AUTOR III ENCONTRO DE ENFERMAGEM EM HEMATOLOGIA E HEMOTERAPIA DO HEMOCE HEMOVIGILÂNCIA RETROVIGILÂNCIA : IDENTIFICANDO UMA SOROCONVERSÃO Enfª

Leia mais

Temporalidade dos Documentos (Para Aprovação)

Temporalidade dos Documentos (Para Aprovação) Temporalidade dos s (Para Aprovação) Pág. 001 / 028 80 HU (HOSPITAL UNIVERSITÁRIO) C.Custo: 30600 DIVISÃO DE HEMOCENTRO (HEMO) 1 ORDENAMENTO LEGAL Subfunção: 2 LEGISLAÇÃO Normas e Instruções (78) Leis

Leia mais

Avaliação da Eficácia e da Eficiência da Fundação Hemominas na Execução da Política do Sangue no Estado de Minas Gerais

Avaliação da Eficácia e da Eficiência da Fundação Hemominas na Execução da Política do Sangue no Estado de Minas Gerais Avaliação da Eficácia e da Eficiência da Fundação Hemominas na Execução da Política do Sangue no Estado de Minas Gerais Autoria: Júnia G.M. Cioffi, Telma Maria Gonçalves Menicucci Resumo O estudo tem como

Leia mais

Cadastramento dos doadores de sangue - Decreto-Lei 95721 de 11/2/1988

Cadastramento dos doadores de sangue - Decreto-Lei 95721 de 11/2/1988 Cadastramento dos doadores de sangue - Decreto-Lei 95721 de 11/2/1988 Ementa: Regulamenta a Lei n.º 7.649, de 25 de janeiro de 1988, que estabelece a obrigatoriedade do cadastramento dos doadores de sangue

Leia mais

Congresso Regional de Psicologia do Conselho Regional de Psicologia 4ª. Região Etapa Regional do VI CNP CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

Congresso Regional de Psicologia do Conselho Regional de Psicologia 4ª. Região Etapa Regional do VI CNP CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Congresso Regional de Psicologia do Conselho Regional de Psicologia 4ª. Região Etapa Regional do VI CNP CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º - São objetivos do VIº Congresso Regional da Psicologia: a) Promover

Leia mais

Unimed Federação Minas. Quando o assunto é unimed, somos Especialistas. A UNIMED FEDERAÇÃO MINAS

Unimed Federação Minas. Quando o assunto é unimed, somos Especialistas. A UNIMED FEDERAÇÃO MINAS A UNIMED FEDERAÇÃO MINAS A Unimed Federação Minas atua representando política e institucionalmente as 62 cooperativas médicas no estado, 5 federações regionais e 1 comitê, bem como os mais de 15 mil médicos

Leia mais

Programa Estadual de Triagem Auditiva Neonatal

Programa Estadual de Triagem Auditiva Neonatal Programa Estadual de Triagem Auditiva Neonatal Coordenadoria de Atenção à Saúde da Pessoa com Deficiência Coordenadora Gabriela Cintra Januário Referência Técnica em Saúde Auditiva Luana Deva Mendes Surdo

Leia mais

Programa Estadual de Triagem Auditiva Neonatal

Programa Estadual de Triagem Auditiva Neonatal Programa Estadual de Triagem Auditiva Neonatal Coordenadoria de Atenção à Saúde da Pessoa com Deficiência Coordenadora Mônica Farina Neves Santos Referência Técnica em Saúde Auditiva Fga. Gabriela Cintra

Leia mais

Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação www.ibfc.org.br

Instituto Brasileiro de Formação e Capacitação www.ibfc.org.br Total de por Local de Vaga Araçuaí Analista de Desenvolvimento Econômico e Social - Núcleo Ciências 7 Araçuaí Técnico de Desenvolvimento Econômico e Social 52 59 Barbacena Analista de Gestão de Seguridade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO FINAL DO ESTÁGIO CURRICULAR III SERVIÇOS HOSPITALARES

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO FINAL DO ESTÁGIO CURRICULAR III SERVIÇOS HOSPITALARES UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM RELATÓRIO FINAL DO ESTÁGIO CURRICULAR III SERVIÇOS HOSPITALARES Elisandro Luis Lima Saldanha Orientadora: Profª Themis Dovera Porto Alegre

Leia mais

Regulamenta o art. 26 da Lei n.º 10.205, de 21/3/2001 - Decreto 3990 de 30/10/2001

Regulamenta o art. 26 da Lei n.º 10.205, de 21/3/2001 - Decreto 3990 de 30/10/2001 Regulamenta o art. 26 da Lei n.º 10.205, de 21/3/2001 - Decreto 3990 de 30/10/2001 Ementa: Regulamenta o art. 26 da Lei n.º 10.205, de 21 de março de 2001, que dispõe sobre a coleta, processamento, estocagem,

Leia mais

INSTALAÇÃO E CONTROLE DE TRANSFUSÃO DE HEMOCOMPONENTE Enf a Chefe de Enfermagem do Serviço de Hemoterapia: Gilce Erbe de

INSTALAÇÃO E CONTROLE DE TRANSFUSÃO DE HEMOCOMPONENTE Enf a Chefe de Enfermagem do Serviço de Hemoterapia: Gilce Erbe de Revisão: 00 PÁG: 1 CONCEITO Instalação e administração de concentrado de hemácias, plaquetas ou plasma fresco congelado. FINALIDADE Estabelecer a rotina para instalação e controle da transfusão de hemocomponentes

Leia mais

Desafios da Hematologia e Hemoterapia para os próximos anos

Desafios da Hematologia e Hemoterapia para os próximos anos Ministério da Saúde Secretaria de Atenção à Saúde Departamento de Atenção Especializada e Temática Coordenação Geral de Sangue e Hemoderivados Desafios da Hematologia e Hemoterapia para os próximos anos

Leia mais

PORTARIA TRT/SGP/1813/2010, de 07 de outubro de 2010

PORTARIA TRT/SGP/1813/2010, de 07 de outubro de 2010 PORTARIA TRT/SGP/1813/2010, de 07 de outubro de 2010 O DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA TERCEIRA REGIÃO, no uso de suas atribuições legais e regimentais, e, considerando as

Leia mais

Vanderléia Bárbaro Valente Hemobrás 2.012

Vanderléia Bárbaro Valente Hemobrás 2.012 ELABORAÇÃO E MONITORAMENTO DOS INDICADORES DE QUALIDADE APLICADOS AO LABORATÓRIO DE SOROLOGIA - ESTRATÉGIAS PARA CUMPRÍ-LOS - TRATAMENTO DE NÃO CONFORMIDADES - FLUXOS MAIS APROPRIADOS Vanderléia Bárbaro

Leia mais

EVANGÉLICOS EM MINAS GERAIS

EVANGÉLICOS EM MINAS GERAIS EVANGÉLICOS EM MINAS GERAIS Cidade Região População Evangélicos %Evang MANTENA ValedoAçoMG 27,1 12,1 44,6% TIMOTEO ValedoAçoMG 81,2 33,2 40,9% IPATINGA ValedoAçoMG 239,5 96,2 40,2% CORONEL FABRICIANO ValedoAçoMG

Leia mais

RESOLUÇÃO N 4.661, DE 9 DE ABRIL DE 2014 (MG de 10/04/2014)

RESOLUÇÃO N 4.661, DE 9 DE ABRIL DE 2014 (MG de 10/04/2014) RESOLUÇÃO N 4.661, DE 9 DE ABRIL DE 2014 (MG de 10/04/2014) Dispõe sobrea forma e o prazo de pagamento da Taxa pela Utilização Potencial do Serviço de Extinção de Incêndio relativa ao exercício de 2014,

Leia mais

Implantação do teste NAT no HEMOCE. Dra. Richeyla Custódio

Implantação do teste NAT no HEMOCE. Dra. Richeyla Custódio Implantação do teste NAT no HEMOCE Dra. Richeyla Custódio DEFINIÇÃO DO TESTE NAT Teste para detecção de ácido nucléico do vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) e do vírus da Hepatite C (HCV) em amostras

Leia mais

Transporte de sangue e hemocomponentes

Transporte de sangue e hemocomponentes Transporte de sangue e hemocomponentes ANVISA Gerência de Sangue e Componentes (GESAC) Gerência Geral de Sangue, outros Tecidos, Células e Órgãos (GGSTO) Flavia Naves Givisiez Gerencia Controle Qualidade

Leia mais

INUMO-HEMATOLOGIA DOADOR E RECEPTOR VITÓRIA 2014

INUMO-HEMATOLOGIA DOADOR E RECEPTOR VITÓRIA 2014 INUMO-HEMATOLOGIA DOADOR E RECEPTOR VITÓRIA 2014 Imuno-Hematologia Conceito: é o estudo relacionado com imunologia de grupos sanguíneos presentes nas hemácias, e imunologia de plaquetas e leucócitos. É

Leia mais

CONTRATO Nº 023/2014

CONTRATO Nº 023/2014 CONTRATO Nº 023/2014 CONTRATO QUE ENTRE SI CELEBRAM A FUNDAÇÃO MUNICIPAL DE SAÚDE DE SANTA ROSA, ATRAVÉS DO HEMOCENTRO DE SANTA ROSA - HEMOSAR E O HOSPITAL OSWALDO CRUZ LTDA. CONTRATADA: FUNDAÇÃO MUNICIPAL

Leia mais

Aos bioquímicos, técnicos de laboratório e estagiários do setor de imunologia e hematologia.

Aos bioquímicos, técnicos de laboratório e estagiários do setor de imunologia e hematologia. POP n.º: I70 Página 1 de 5 1. Sinonímia Teste rápido Anti-, VIKIA Biomeriéux. 2. Aplicabilidade Aos bioquímicos, técnicos de laboratório e estagiários do setor de imunologia e hematologia. 3. Aplicação

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE AGÊNCIA TRANSFUSIONAL

MANUAL DA QUALIDADE AGÊNCIA TRANSFUSIONAL MANUAL DA QUALIDADE AGÊNCIA TRANSFUSIONAL Versão: 03 Código: MQAT 01 paginação: 1 de 19 Elaborado: Hildenete Monteiro Fortes Assinatura: Data da Elaboração: 27/08/2007 Aprovado e liberado por: Hildenete

Leia mais

III MOSTRA NACIONAL DE PRODUÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA

III MOSTRA NACIONAL DE PRODUÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA III MOSTRA NACIONAL DE PRODUÇÃO EM SAÚDE DA FAMÍLIA DOAÇÃO DE MEDULA ÓSSEA, O TRABALHO DE CAPTAÇÃO DE CANDIDATOS E A POSSIBILIDADE DE ENVOLVIMENTO DAS EQUIPES DE SAÚDE DA FAMÍLIA Déborah Carvalho Gerência

Leia mais

Imuno-hematologia Exames de qualificação de doadores de sangue

Imuno-hematologia Exames de qualificação de doadores de sangue MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE ATENÇÃO ESPECIALIZADA COORDENAÇÃO GERAL DE SANGUE E HEMODERIVADOS Exames de qualificação de doadores de sangue Ana Paula R. Diniz Zanelli

Leia mais

TÉCNICA EM LABORATÓRIO/HEMOTERAPIA

TÉCNICA EM LABORATÓRIO/HEMOTERAPIA UFF UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE CCM CENTRO DE CIÊNCIAS MÉDICAS HUAP HOSPITAL UNIVERSITÁRIO ANTONIO PEDRO TÉCNICA EM LABORATÓRIO/HEMOTERAPIA Parte I: Múltipla Escolha 01 Quanto à classificação do grupo

Leia mais

FU N D A Ç Ã O HEMO M IN A S

FU N D A Ç Ã O HEMO M IN A S DESENVOLVIMENTO DE PESQUIS NA FUNDAÇÃO HEMOMINAS VERSÃO 05 DEZEMBRO / 2014 Cópia controlada. Nenhuma parte deste Manual pode ser reproduzida, por qualquer meio, eletrônico ou mecânico, incluindo fotocópia,

Leia mais

XII Encontro Nacional da Rede Sentinela 08 a 10 de dezembro de 2010 Brasília DF HEMOVIGILÂNCIA

XII Encontro Nacional da Rede Sentinela 08 a 10 de dezembro de 2010 Brasília DF HEMOVIGILÂNCIA XII Encontro Nacional da Rede Sentinela 08 a 10 de dezembro de 2010 Brasília DF HEMOVIGILÂNCIA Maria de Fátima Alves Fernandes Unidade de Bio e Hemovigilância UBHEM/NUVIG/ANVISA Premissas A transfusão

Leia mais

Diário Oficial da União Seção 1 DOU 11 de dezembro de 2013 [Páginas 76-77]

Diário Oficial da União Seção 1 DOU 11 de dezembro de 2013 [Páginas 76-77] *Este texto não substitui o publicado do Diário Oficial da União* Diário Oficial da União Seção 1 DOU 11 de dezembro de 2013 [Páginas 76-77] RESOLUÇÃO - RDC Nº 54, DE10 DE DEZEMBRO DE 2013 Dispõe sobre

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO ESTADO DO PARANÁ CENTRAL ESTADUAL DE TRANSPLANTES DO PARANÁ

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO ESTADO DO PARANÁ CENTRAL ESTADUAL DE TRANSPLANTES DO PARANÁ SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE DO ESTADO DO PARANÁ CENTRAL ESTADUAL DE TRANSPLANTES DO PARANÁ MANUAL DO PACIENTE TRANSPLANTE DE RIM CURITIBA 2012 Índice 1. Objetivo... 3 2. O que é a Central Estadual de

Leia mais

BANCO DE SANGUE COLETA E TESTES SOROLÓGICOS

BANCO DE SANGUE COLETA E TESTES SOROLÓGICOS BANCO DE SANGUE COLETA E TESTES SOROLÓGICOS Resolução da Diretoria Colegiada RDC no 57, de 16 de dezembro de 2010. Determina o Regulamento Sanitário para Serviços que desenvolvem atividades relacionadas

Leia mais

CONHECIMENTO DA EQUIPE DE ENFERMAGEM FRENTE AO PACIENTE SUBMETIDO À TERAPIA TRANSFUSIONAL... 260

CONHECIMENTO DA EQUIPE DE ENFERMAGEM FRENTE AO PACIENTE SUBMETIDO À TERAPIA TRANSFUSIONAL... 260 CONHECIMENTO DA EQUIPE DE ENFERMAGEM FRENTE AO PACIENTE SUBMETIDO À TERAPIA TRANSFUSIONAL... 260 CONHECIMENTO DA EQUIPE DE ENFERMAGEM FRENTE AO PACIENTE SUBMETIDO À TERAPIA TRANSFUSIONAL. PRISCILA VICENTIN

Leia mais

Como diagnosticar e notificar uma reação transfusional

Como diagnosticar e notificar uma reação transfusional www.anvisa.gov.br Como diagnosticar e notificar uma reação transfusional II Encontro Goiano de Gerenciamento de Risco 1 a 3 de outubro de 2012 Termos e Palavras-chave Hemoterapia Uso Racional do sangue

Leia mais

LEI 10.205, DE 21 DE MARÇO DE 2001. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: TÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

LEI 10.205, DE 21 DE MARÇO DE 2001. Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei: TÍTULO I DISPOSIÇÕES PRELIMINARES LEI 10.205, DE 21 DE MARÇO DE 2001 Regulamenta o 4º do art. 199 da Constituição Federal, relativo à coleta, processamento, estocagem, distribuição e aplicação do sangue, seus componentes e derivados, estabelece

Leia mais

MANUAL DE EMBALAGENS DE MEDICAMENTOS

MANUAL DE EMBALAGENS DE MEDICAMENTOS MANUAL DE EMBALAGENS DE MEDICAMENTOS Ministério da Saúde 1 MANUAL Medicamentos 205x180.indd 1 1/26/12 6:45 PM 2 Manual de Identidade Visual para Embalagens MANUAL Medicamentos 205x180.indd 2 sumário medicamentos

Leia mais

Projeto coordenado por Denise Costa Dias

Projeto coordenado por Denise Costa Dias A hemoterapia moderna baseia-se no uso seletivos dos componentes do sangue. A utilização correta dos diversos hemocomponentes, associados a um maior controle de qualidade nas diversas etapas desde a coleta

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PARECER COREN-SP GAB Nº 010 / 2011

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DE SÃO PAULO PARECER COREN-SP GAB Nº 010 / 2011 PARECER COREN-SP GAB Nº 010 / 2011 Assunto: Testes Pré-Transfusionais. 1. Do fato Solicitado parecer sobre a realização de testes pré-transfusionais por profissionais de Enfermagem. 2. Da fundamentação

Leia mais

Centro Universitário Salesiano de Campinas UNISAL. Tecnologia Maio 2006 Islei Tordin Ra 06030445 Saul Domingos Ra 06030378

Centro Universitário Salesiano de Campinas UNISAL. Tecnologia Maio 2006 Islei Tordin Ra 06030445 Saul Domingos Ra 06030378 Centro Universitário Salesiano de Campinas UNISAL Tecnologia Maio 2006 Islei Tordin Ra 06030445 Saul Domingos Ra 06030378 Power Point Código de barras Utilização Facilidades Técnologia Podemos ficar ricos

Leia mais

A Rede HEMOMINAS. Wanda Nunes

A Rede HEMOMINAS. Wanda Nunes A Rede HEMOMINAS Wanda Nunes Fundação HEMOMINAS Missão Atuar nas áreas de hematologia, hemoterapia, células e tecidos com excelência e responsabilidade social. Visão Ser reconhecida como organização de

Leia mais

TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA

TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA TERMO DE AJUSTAMENTO DE CONDUTA TAC SIMP nº. 000180-091/2009 INQUÉRITO CIVIL Nº. 010/2013 Pelo presente instrumento, nos termos do art. 5º, 6º, da Lei nº 7.347, de 24 de julho de 1985, de um lado o MINISTÉRIO

Leia mais

Curso Básico de Inspeção em Serviços de Hemoterapia Goiânia Goiás 1º a 05 de setembro de 2014 Gestão de Qualidade e Boas Práticas no Ciclo do Sangue

Curso Básico de Inspeção em Serviços de Hemoterapia Goiânia Goiás 1º a 05 de setembro de 2014 Gestão de Qualidade e Boas Práticas no Ciclo do Sangue Curso Básico de Inspeção em Serviços de Hemoterapia Goiânia Goiás 1º a 05 de setembro de 2014 Gestão de Qualidade e SETEMBRO DE 2014 Assessoria da Garantia da Qualidade Fundação Hemocentro de Brasília

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENAÇÃO DOS INSTITUTOS DE PESQUISA CENTRO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENAÇÃO DOS INSTITUTOS DE PESQUISA CENTRO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE COORDENAÇÃO DOS INSTITUTOS DE PESQUISA CENTRO DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA SUS SISTEMA ÚNICO DE SAÚDE DIÁRIO OFICIAL DO ESTADO N 199, DE 20 DE OUTUBRO DE 2001, SEÇÃO 1, PÁG. 2

Leia mais

(nome da Unidade de Saúde), com sede na

(nome da Unidade de Saúde), com sede na TERMO DE COMPROMISSO que entre si celebram o Estado do Rio de Janeiro, por meio da Secretaria de Estado de Saúde, neste ato representada pela Dra. Simone Silva da Silveira, Diretora Geral do Instituto

Leia mais

Procedimento Operacional Padrão (POP) Núcleo de Segurança do Paciente - COSEP - NUVISAH Título: Práticas seguras de distribuição de medicamentos.

Procedimento Operacional Padrão (POP) Núcleo de Segurança do Paciente - COSEP - NUVISAH Título: Práticas seguras de distribuição de medicamentos. Procedimento Operacional Padrão (POP) Núcleo de Segurança do Paciente - COSEP - NUVISAH Título: Práticas seguras de distribuição de medicamentos. POP nº 06 - NUVISAH/HU Versão: 01 Próxima revisão: 30/07/2016

Leia mais

Papel do CQ na Validação da Técnica de Produção de Hemocomponentes

Papel do CQ na Validação da Técnica de Produção de Hemocomponentes III Oficina HEMOBRÁS Controle de Qualidade no Serviço de Hemoterapia Papel do CQ na Validação da Técnica de Produção de Hemocomponentes Martha Cristina Dicencia Centro de Hematologia e Hemoterapia da UNICAMP

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MÓDULO DA FARMÁCIA AGHU

MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MÓDULO DA FARMÁCIA AGHU MANUAL DE UTILIZAÇÃO DO MÓDULO DA FARMÁCIA AGHU Pré- requisitos: - Perfil de acesso do funcionário - Cadastro do funcionário na farmácia que poderá ocorrer a dispensação. - Cadastro das unidades de internação.

Leia mais

SEMINÁRIO SOBRE O COMPLEXO INDUSTRIAL DA SAÚDE BNDES

SEMINÁRIO SOBRE O COMPLEXO INDUSTRIAL DA SAÚDE BNDES I SEMINÁRIO SOBRE O COMPLEXO INDUSTRIAL DA SAÚDE BNDES Rio de Janeiro, 05 a 07 de maio de 2003 AUTO-SUFICIÊNCIA EM HEMODERIVADOS O QUE SÃO OS HEMODERIVADOS? São proteínas extraídas do plasma humano por

Leia mais

Astra. Introdução e conceitos básicos do sistema

Astra. Introdução e conceitos básicos do sistema 2011 www.astralab.com.br Astra Introdução e conceitos básicos do sistema Este documento permite entender melhor como funciona o sistema Astra e algumas funções básicas de seus softwares. Equipe de Documentação

Leia mais

AGÊNCIA TRANSFUSIONAL - HOSPITAL UNIVERSITÁRIO JÚLIO MULLER

AGÊNCIA TRANSFUSIONAL - HOSPITAL UNIVERSITÁRIO JÚLIO MULLER PROCEDIMENTO OPERACIONAL PADRÃO: TRANSFUSÃO EM NEONATOS E CRIANÇAS ATÉ 4 MESES DE IDADE Versão: 05 Código: APTRN/4M 05 paginação: 1 de 12 Elaborado: Hildenete Monteiro Fortes Assinatura: Data da Elaboração:

Leia mais

Grupo Hospitalar Conceição Hospital Cristo Redentor. Rotina de Enfermagem na Hemotransfusão. Enfermeira Claudete Carmen Girotto Sartori

Grupo Hospitalar Conceição Hospital Cristo Redentor. Rotina de Enfermagem na Hemotransfusão. Enfermeira Claudete Carmen Girotto Sartori Grupo Hospitalar Conceição Hospital Cristo Redentor Rotina de Enfermagem na Hemotransfusão Enfermeira Claudete Carmen Girotto Sartori Rotina de Enfermagem na Hemotransfusão. O processo transfusional contempla

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM EMILYN MARTINS MATIAS

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM EMILYN MARTINS MATIAS UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL ESCOLA DE ENFERMAGEM EMILYN MARTINS MATIAS RELATÓRIO ESTÁGIO CURRICULAR III SERVIÇOS HOSPITALARES UNIDADE DE BANCO DE SANGUE DO HOSPITAL DE CLÍNICAS DE PORTO ALEGRE

Leia mais

BRIEFING BAHIA RECALL REVELAÇÃO. Apoio Social: HEMOBA - Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia

BRIEFING BAHIA RECALL REVELAÇÃO. Apoio Social: HEMOBA - Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia BRIEFING BAHIA RECALL REVELAÇÃO Clientes: Rede Bahia e Instituto ACM Apoio Social: HEMOBA - Fundação de Hematologia e Hemoterapia da Bahia Tema: Doação de Sangue Objetivo de Comunicação: Estimular a doação

Leia mais

C A R T I L H A. - Recursos Humanos Funcionários

C A R T I L H A. - Recursos Humanos Funcionários C A R T I L H A - Recursos Humanos Funcionários Elaborada por: DIRPD Diretoria de Processamento de Dados Universidade Federal de Uberlândia Maio/2009 Apresentação Esta cartilha foi elaborada para auxiliar

Leia mais

CAPTAÇÃO DE ALUNOS DO CURSO DE ENFERMAGEM PARA DOAÇÃO DE SANGUE FRENTE A CARÊNCIA VIVENCIADA 1

CAPTAÇÃO DE ALUNOS DO CURSO DE ENFERMAGEM PARA DOAÇÃO DE SANGUE FRENTE A CARÊNCIA VIVENCIADA 1 CAPTAÇÃO DE ALUNOS DO CURSO DE ENFERMAGEM PARA DOAÇÃO DE SANGUE FRENTE A CARÊNCIA VIVENCIADA 1 BENDER, Leticia Silmara 2 ; MARZARI, Carla 3 ; MENEGAZZI, Bruna Boff 4 ; NEVES, Bruna Sartori 5 ; QUADROS,

Leia mais

GUIA PARA INSPEÇÃO EM SERVIÇOS DE HEMOTERAPIA

GUIA PARA INSPEÇÃO EM SERVIÇOS DE HEMOTERAPIA MÓDULO ORMAÇOES GERAS Período da nspeção: / / a / / Tipo de serviço: ( ) HC ( ) HR ( ) NH ( ) UC fixa ( ) UC móvel ( ) UCT ( ) CTLD ( ) AT Objetivo da nspeção: nspeção ( )Licença nicial Reinspeção ( )Segmento/Monitoramento

Leia mais

Pontos críticos de controle na produção de hemocomponentes para transfusão e para produção de hemoderivados

Pontos críticos de controle na produção de hemocomponentes para transfusão e para produção de hemoderivados Pontos críticos de controle na produção de hemocomponentes para transfusão e para produção de hemoderivados XLIII Reunião Ordinária do SGT Nº 11 Saúde Comissão Intergovernamental de Sangue e Hemoderivados

Leia mais

Guia de Codificação para Livros

Guia de Codificação para Livros Guia de Codificação para Livros 1. Introdução A GS1 e as Agências Internacionais do ISBN e ISSN elaboraram diretrizes para ajudar os editores na compreensão das funcionalidades do Sistema GS1 para o setor

Leia mais

ROTEIRO DE INSPEÇÃO SANITÁRIO PARA AUTORIZAÇÃO DE TRANSPORTE INTERESTADUAL DE SANGUE E COMPONENTES

ROTEIRO DE INSPEÇÃO SANITÁRIO PARA AUTORIZAÇÃO DE TRANSPORTE INTERESTADUAL DE SANGUE E COMPONENTES ROTEIRO DE INSPEÇÃO SANITÁRIO PARA AUTORIZAÇÃO DE TRANSPORTE INTERESTADUAL DE SANGUE E COMPONENTES Período da Inspeção: / / a / / Tipo de serviço REMETENTE: ( ) HC ( ) HR ( ) NH ( ) UC fixa ( ) UC móvel

Leia mais