Ilmo. (a). Sr. (a) Secretário (a) Municipal de Saúde de XXXXXX. Prezado (a) Senhor ( a),

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Ilmo. (a). Sr. (a) Secretário (a) Municipal de Saúde de XXXXXX. Prezado (a) Senhor ( a),"

Transcrição

1 Ofício XXXXXX n 23/ Salvador, 05 de janeiro de Ilmo. (a). Sr. (a) Secretário (a) Municipal de Saúde de XXXXXX Prezado (a) Senhor ( a), Cumpre-nos informar que os óbitos infantis de residência do seu município cujos números das Declarações de Óbitos estão sinalizados abaixo foram analisados pela Câmara Técnica Estadual de Análise de Óbito Infantil e Fetal, sendo recomendadas algumas ações para prevenção de óbitos por causas evitáveis nos serviços de assistência a saúde. Estas análises são de caráter educativo, cabendo ao gestor municipal e profissionais após conhecimento das recomendações implementar ações para a redução da mortalidade infantil em seu município. Solicitamos que seja realizado o registro do campo de investigação no SIM Local e complemento da Ficha Síntese no Módulo - SIM WEB. Para quaisquer esclarecimentos solicitamos entrar em contato com as técnicas XXXXXXX. Através do telefone (X) XXXX. Declarações de Óbito: Atenciosamente, XXXXXXXX XXXXXX Coordenadora XXXXXX Diretora

2 Declaração de Óbito XXXXX ações adequadas à mulher na gestação. Pré-Natal: Capacitação da equipe para avaliação mais criteriosa ao final da gestação. Assistência ao recém- nascido na maternidade: Melhoria dos registros hospitalares; melhoria no preenchimento da Declaração de Óbito Campo Assistência ao Pré- natal para sim Campo 12 - Classificação de Evitabilidade: Lista Brasileira Após análise dos dados da investigação, o óbito foi considerado inconclusivo necessitando de melhores informações sobre o final da gestação. Melhoria dos registros da assistência pré-natal e hospitalar sobre a evolução da gestante; melhoria no preenchimento da Declaração de Óbito. Campo 37: Original -; Após investigação 28 semanas ações adequadas à mulher na gestação, no parto e atenção ao recém-nascido.

3 Planejamento Familiar: Busca ativa para mulheres com fatores de risco gestacional (multípara, idade, hipertensão arterial) Pré-Natal: Garantia do acesso ao pré-natal de risco. Assistência ao recém-nascido na maternidade: Melhoria dos registros hospitalares sobre a assistência ao recém-nascido e gestante; melhoria no preenchimento da Declaração de Óbito Campo Acesso ao Planejamento Familiar para sim; Campo Assistência ao Pré- natal para sim Campo 10.4 Acesso ao recém-nascido na maternidade para sim Campo c Pré-natal de risco para sim Campo 12 - Classificação de Evitabilidade: Lista Brasileira: 1.2.1, 1.2.2, Campo 33: Original -; Após investigação: 42 Campo 38: Original -; Após investigação: Única Campo 39: Original -; Após investigação: vaginal Campo 36: Original -; Após investigação: NV:04 NM:0 Campo 41: Original -; Após investigação: 1800 g Campo 42: Original -; Após investigação: Causa básica após a investigação e análise: a) Prematuridade P07.3 b) Feto e RN afetados por transtornos maternos hipertensivos P00.0

4 Após análise dos dados da investigação, o óbito foi considerado inconclusivo, necessitando de maiores informações para encerramento do caso. Aplicar Autópsia Verbal AV1 com a mãe da criança, pois as informações dadas pela avó não conseguiu esclarecer o caso. Verificar junto a enfermeira que realizou consulta ambulatorial dia 23/08/2011, qual o motivo do encaminhamento da criança a APAE. ações adequadas à mulher na gestação e no parto. Pré-Natal: Captação preço da gestante Assistência ao Parto: Capacitação dos profissionais para as intercorrências obstétricas. Campo Acesso ao Pré- natal para sim Campo 10.3 Assistência ao parto para sim Campo 12 - Classificação de Evitabilidade: Lista Brasileira: e Causa básica após a investigação e análise: a) Anóxia Perinatal b) Prematuridade c) Oligodrâmnio

5 Após análise dos dados da investigação, o óbito foi considerado inconclusivo por tratar-se de malformação congênita incompatível com a vida. Após análise dos dados da investigação, o óbito foi considerado inconclusivo, sendo necessárias informações sobre a assistência do Hospital Cristo Redentor para encerramento do caso. RECOMENDAÇÕES GERAIS: Necessidade de encaminhamento das recomendações acima descritas aos unidades/instituições pertinentes; Formação da Câmara Técnica Municipal de Análise de Óbitos Infantis e Fetais. Hospital Cristo Redentor implementar a análise de óbito através do Comitê Hospitalar.

ANEXO IV INDICADORES ESTRATÉGICOS PARA A REDE CEGONHA

ANEXO IV INDICADORES ESTRATÉGICOS PARA A REDE CEGONHA ANEXO IV INDICADORES ESTRATÉGICOS PARA A REDE CEGONHA OBJETIVO: MONITORAMENTO E AVALIAÇÃO DA IMPLANTAÇÃO E QUALIFICAÇÃO DA REDE CEGONHA NOME DO INDICADOR DEFINIÇÃO INTERPRETAÇÃO MÉTODO DE CÁLCULO cadastradas

Leia mais

Projeto Redução da Mortalidade Infantil e Materna em Minas Gerais Outubro 2013. Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais

Projeto Redução da Mortalidade Infantil e Materna em Minas Gerais Outubro 2013. Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais Projeto Redução da Mortalidade Infantil e Materna em Minas Gerais Outubro 2013 Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais Mortalidade Minas Gerais Janeiro a Outubro 2013 1 Óbitos fetais 2076 Óbitos

Leia mais

Autor(es) MARIANA APARECIDA RODRIGUES. Co-Autor(es) MARCIA ALVES DE MATOS MARIANA RODRIGUES UBICES. Orientador(es) ANGELA MARCIA FOSSA. 1.

Autor(es) MARIANA APARECIDA RODRIGUES. Co-Autor(es) MARCIA ALVES DE MATOS MARIANA RODRIGUES UBICES. Orientador(es) ANGELA MARCIA FOSSA. 1. 7º Simpósio de Ensino de Graduação AVALIAÇÃO DO RISCO PARA MORTALIDADE PÓS-NEONATAL EM UMA UNIDADE BÁSICA DE SAÚDE DE PIRACICABA, INTERIOR DO ESTADO DE SÃO PAULO Autor(es) MARIANA APARECIDA RODRIGUES Co-Autor(es)

Leia mais

DIREITO À VIDA A GESTÃO DA QUALIDADE E DA INTEGRALIDADE DO CUIDADO EM SAÚDE PARA A MULHER E A CRIANÇA NO SUS-BH: a experiência da Comissão Perinatal

DIREITO À VIDA A GESTÃO DA QUALIDADE E DA INTEGRALIDADE DO CUIDADO EM SAÚDE PARA A MULHER E A CRIANÇA NO SUS-BH: a experiência da Comissão Perinatal DIREITO À VIDA A GESTÃO DA QUALIDADE E DA INTEGRALIDADE DO CUIDADO EM SAÚDE PARA A MULHER E A CRIANÇA NO SUS-BH: a experiência da Comissão Perinatal Grupo temático: Direito à vida, à saúde e a condições

Leia mais

PARTO NORMAL NA SAÚDE SUPLEMENTAR

PARTO NORMAL NA SAÚDE SUPLEMENTAR PROMOÇÃO DO PARTO NORMAL NA SAÚDE SUPLEMENTAR Ações já realizadas pela ANS desde 2004 Sensibilização do setor, promoção e participação ii em eventos para discussão com especialistas nacionais e internacionais

Leia mais

Secretaria Municipal da Saúde de Guarulhos. Vigilância e Investigação do Óbito Materno,Infantil e Fetal

Secretaria Municipal da Saúde de Guarulhos. Vigilância e Investigação do Óbito Materno,Infantil e Fetal O U T U B R O 2011 Secretaria Municipal da Saúde de Guarulhos Vigilância e Investigação do Óbito Materno,Infantil e Fetal Dra.Telma de Moura Reis Médica Pediatra Coordenadora da Área Estratégica da Saúde

Leia mais

MORTALIDADE FETAL SEGUNDO VARIÁVEIS RELACIONADAS À MÃE NO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA

MORTALIDADE FETAL SEGUNDO VARIÁVEIS RELACIONADAS À MÃE NO MUNICÍPIO DE PONTA GROSSA 12. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido 1 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( x ) SAÚDE ( ) TRABALHO

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: Mortalidade Infantil. Epidemiologia dos Serviços de Saúde. Causas de Morte.

PALAVRAS-CHAVE: Mortalidade Infantil. Epidemiologia dos Serviços de Saúde. Causas de Morte. ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE ( X) SAÚDE ( ) TRABALHO ( ) TECNOLOGIA Jessica Neves Pereira (latiifa@hotmail.com)

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO SECRETARIA DE ESTADO DE SAÚDE FLUXO ESPECIAL PARA DECLARAÇÕES DE ÓBITO COM INFORMAÇÃO DE ÓBITOS MATERNOS DECLARADOS, BEM COMO DE ÓBITOS DE MULHER EM IDADE FÉRTIL EM MUNICIPIOS NÃO CODIFICADORES COM ÓBITOS DE OCORRÊNCIA E RESIDÊNCIA

Leia mais

PORTARIA N.80, DE 24 DE FEVEREIRO DE 2011

PORTARIA N.80, DE 24 DE FEVEREIRO DE 2011 PORTARIA N.80, DE 24 DE FEVEREIRO DE 2011 O Secretário de Atenção à Saúde, no uso de suas atribuições, Considerando a criação da Iniciativa Hospital Amigo da Criança - IHAC pela Organização Mundial da

Leia mais

Redução da mortalidade na infância no Brasil. Setembro de 2013

Redução da mortalidade na infância no Brasil. Setembro de 2013 Redução da mortalidade na infância no Brasil Setembro de 2013 Taxa de mortalidade na infância 62 Redução de 77% em 22 anos (em menores de 5 anos) 1990 33 14 2000 *Parâmetro comparado internacionalmente

Leia mais

CAPACITAÇÃO PARA MULTIPLICADORES EM TESTES RÁPIDOS HIV E SÍFILIS, NO ÂMBITO DA RC

CAPACITAÇÃO PARA MULTIPLICADORES EM TESTES RÁPIDOS HIV E SÍFILIS, NO ÂMBITO DA RC MINISTÉRIO DA SAÚDE SECRETARIA DE ATENÇÃO À SAÚDE DEPARTAMENTO DE AÇÕES PROGRAMÁTICAS ESTRATÉGICAS ÁREA TÉCNICA DE SAÚDE DA MULHER CAPACITAÇÃO PARA MULTIPLICADORES EM TESTES RÁPIDOS HIV E SÍFILIS, NO ÂMBITO

Leia mais

Rede Cegonha: Utilização dos dados do Sistema de Informação SIM/SINASC

Rede Cegonha: Utilização dos dados do Sistema de Informação SIM/SINASC Coordenadoria de Planejamento de Saúde Rede Cegonha: Utilização dos dados do Sistema de Informação SIM/SINASC Área Técnica da Saúde da Mulher SES/SP Rossana Pulcineli Vieira Francisco - Assessora Técnica

Leia mais

Clique para editar o nome do autor Clique para editar o cargo do autor. Organização da atenção ao pré-natal, parto e nascimento

Clique para editar o nome do autor Clique para editar o cargo do autor. Organização da atenção ao pré-natal, parto e nascimento Clique para editar o nome do autor Clique para editar o cargo do autor Clique para editar local e data Organização da atenção ao pré-natal, parto e nascimento Rio de Janeiro, 06 de julho de 2015 A importância

Leia mais

Política Municipal de Saúde Perinatal. Secretaria Municipal de Saúde Belo Horizonte

Política Municipal de Saúde Perinatal. Secretaria Municipal de Saúde Belo Horizonte Política Municipal de Saúde Perinatal Secretaria Municipal de Saúde Belo Horizonte BH -REDE ASSISTENCIAL 9 Distritos Sanitários 147 Centros de Saúde 544 ESF 2.420 ACS CERSAM, UPA, outros 34 hospitais conveniados

Leia mais

ORIENTAÇÕES SOBRE O ACOMPANHAMENTO DO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO INFANTIL (PUERICULTURA)

ORIENTAÇÕES SOBRE O ACOMPANHAMENTO DO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO INFANTIL (PUERICULTURA) ORIENTAÇÕES SOBRE O ACOMPANHAMENTO DO CRESCIMENTO E DESENVOLVIMENTO INFANTIL (PUERICULTURA) I- Introdução O acompanhamento do crescimento e desenvolvimento, do nascimento até os 5 anos de idade, é de fundamental

Leia mais

Rede Cegonha no RS Componente 1 Pré-natal

Rede Cegonha no RS Componente 1 Pré-natal 1 Rede Cegonha no RS Componente 1 Pré-natal Exames e Ações (pré-natal de risco habitual e alto risco) Ofertar os exames e consultas de pré-natal Fomentar a contratação de serviços laboratoriais de qualidade

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Atenção primária às gestantes de baixo risco

Mostra de Projetos 2011. Atenção primária às gestantes de baixo risco Mostra de Projetos 2011 Atenção primária às gestantes de baixo risco Mostra Local de: Londrina. Categoria do projeto: Projetos em implantação, com resultados parciais. Nome da Instituição/Empresa: (Campo

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PRÉ-NATAL

A IMPORTÂNCIA DO PRÉ-NATAL A IMPORTÂNCIA DO PRÉ-NATAL Programa BemVindo - www.bemvindo.org.br A OMS - Organização Mundial da Saúde diz que "Pré-Natal" é conjunto de cuidados médicos, nutricionais, psicológicos e sociais, destinados

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO

SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE SES/GO SUPERINTENDÊNCIA DE POLÍTICAS DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE-SPAIS Goiânia Agosto/2011 SUPERINTENDÊNCIA DE POLÍTICAS DE ATENÇÃO INTEGRAL À SAÚDE - SPAIS 7. GERÊNCIA DE

Leia mais

Alta Mortalidade Perinatal

Alta Mortalidade Perinatal Alta Mortalidade Perinatal SMS de Piripiri CONASEMS Conselho Consultivo EVIPNet Brasil Capacitação do Núcleo de Evidências em Saúde / Estação BVS de Belo Horizonte em Formulação de Políticas de Saúde e

Leia mais

Assistência humanizada a gestação, parto e nascimento: Comissão Perinatal a experiência de Belo Horizonte

Assistência humanizada a gestação, parto e nascimento: Comissão Perinatal a experiência de Belo Horizonte Assistência humanizada a gestação, parto e nascimento: Comissão Perinatal a experiência de Belo Horizonte Rosângela Durso Perillo Seminário Integrado do Paraná Novembro 2009 População: 2.424.292 - (IBGE/2007)

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Combatendo a Mortalidade Materna e Infantil: Maximizando a Atuação das Agentes de Saúde do Município de Altônia

Mostra de Projetos 2011. Combatendo a Mortalidade Materna e Infantil: Maximizando a Atuação das Agentes de Saúde do Município de Altônia Mostra de Projetos 2011 Combatendo a Mortalidade Materna e Infantil: Maximizando a Atuação das Agentes de Saúde do Município de Altônia Mostra Local de: Umuarama Categoria do projeto: I - Projetos em implantação,

Leia mais

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO GRANDE DO SUL Autarquia Federal Lei nº 5.905/73

CONSELHO REGIONAL DE ENFERMAGEM DO RIO GRANDE DO SUL Autarquia Federal Lei nº 5.905/73 PARECER DEFISC Nº 09/2012 Porto Alegre, 11 de maio de 2012. Laudo para teste rápido de gravidez por profissionais de Enfermagem. I - Relatório Trata-se de solicitação de dúvida, encaminhada por profissional

Leia mais

Portaria nº 570/GM Em 1 de junho de 2000.

Portaria nº 570/GM Em 1 de junho de 2000. Portaria nº 570/GM Em 1 de junho de 2000. O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições legais, e, Considerando a Portaria GM/MS nº 569/GM, de 1º de junho de 2000, que estabelece o Programa

Leia mais

PROGRAMA MÃE CORUJA DO IPOJUCA

PROGRAMA MÃE CORUJA DO IPOJUCA PROGRAMA MÃE CORUJA DO IPOJUCA Às gestantes do Ipojuca O Programa Mãe Coruja é uma grande conquista das mulheres de Pernambuco. E no Ipojuca, um avanço da administração municipal em busca de melhor assistir,

Leia mais

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria de Relações Institucionais Subchefia de Assuntos Federativos

PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Secretaria de Relações Institucionais Subchefia de Assuntos Federativos Agenda de Compromissos Governo Federal e Municípios 1. Erradicar a extrema pobreza e a fome 2. Educação básica de qualidade para todos 3. Promover a igualdade entre os sexos e a autonomia das mulheres

Leia mais

Declaração da OMS sobre Taxas de Cesáreas

Declaração da OMS sobre Taxas de Cesáreas Declaração da OMS sobre Taxas de Cesáreas Os esforços devem se concentrar em garantir que cesáreas sejam feitas nos casos em que são necessárias, em vez de buscar atingir uma taxa específica de cesáreas.

Leia mais

Alguns Indicadores de Saúde da Cidade do Rio de Janeiro segundo a variável Raça/Cor

Alguns Indicadores de Saúde da Cidade do Rio de Janeiro segundo a variável Raça/Cor Subsecretaria de Ações e Serviços de Saúde Superintendência de Vigilância em Saúde Gerência de Informações Epidemiológicas Alguns Indicadores de Saúde da Cidade do Rio de Janeiro segundo a variável Raça/Cor

Leia mais

REDE MÃE PARANAENSE. Palestrante: Márcia Huçulak Secretaria de Estado da Saúde do Paraná

REDE MÃE PARANAENSE. Palestrante: Márcia Huçulak Secretaria de Estado da Saúde do Paraná REDE MÃE PARANAENSE Palestrante: Márcia Huçulak Secretaria de Estado da Saúde do Paraná A Rede Mãe Paranaense o o Em 2011 a SESA iniciou o processo de implantação da Rede Mãe Paranaense com a introdução

Leia mais

CRONOGRAMA DA ODONTOLOGIA PARA O ANO 2015 CRONOGRAMA DE ATENDIMENTO ODONTOLOGIA DRA. SANDRA ROCHA DIA DA SEMANA MANHÃ TARDE

CRONOGRAMA DA ODONTOLOGIA PARA O ANO 2015 CRONOGRAMA DE ATENDIMENTO ODONTOLOGIA DRA. SANDRA ROCHA DIA DA SEMANA MANHÃ TARDE CRONOGRAMA DA ODONTOLOGIA PARA O ANO 2015 CRONOGRAMA DE ATENDIMENTO ODONTOLOGIA DRA. SANDRA ROCHA 5 FICHAS (ÁREA 056) 5 FICHAS (ÁREA 058) EXTRA MURO PSE GESTANTES AGENDADAS ÁREAS: 056/058/ 100-01,100-02,100-03,100-04

Leia mais

Exercício Profissional da Enfermagem

Exercício Profissional da Enfermagem Drª Janine Schirmer Profª Titular do Departamento Enfermagem na Saúde da Mulher da Escola Paulista de Enfermagem Vice Presidente do Conselho Gestor do Hospital Universitário Coordenadora da Residência

Leia mais

A atenção obstétrica, neonatal, infantil e os desafios para alcançar os ODM 3, 4 e 5

A atenção obstétrica, neonatal, infantil e os desafios para alcançar os ODM 3, 4 e 5 A atenção obstétrica, neonatal, infantil e os desafios para alcançar os ODM 3, 4 e 5 A partir dos esforços para melhorar a saúde materno-infantil, tais como: Programa de Humanização do Parto e Nascimento

Leia mais

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA

ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA ANEXO II ATRIBUIÇÕES DOS INTEGRANTES DO PROGRAMA DE SAÚDE DA FAMÍLIA ATRIBUIÇÕES DO MÉDICO I- Realizar consultas clínicas aos usuários de sua área adstrita; II- Participar das atividades de grupos de controle

Leia mais

MINISTÉRIO DA SAÚDE. GABINETE DO MINISTRO Portaria nº 572/GM Em 1 de junho de 2000

MINISTÉRIO DA SAÚDE. GABINETE DO MINISTRO Portaria nº 572/GM Em 1 de junho de 2000 MINISTÉRIO DA SAÚDE GABINETE DO MINISTRO Portaria nº 572/GM Em 1 de junho de 20 O Ministro de Estado da Saúde, no uso de suas atribuições legais, Considerando a Portaria GM/MS nº 569/GM, de 1º de junho

Leia mais

Termo de Consentimento Livre e Esclarecido

Termo de Consentimento Livre e Esclarecido 6. CONCLUSÕES Conclusões 49 Os resultados deste estudo indicam boa reprodutibilidade do exame de ressonância magnética, por meio da análise da variabilidade intra e interobservadores, na aferição do comprimento

Leia mais

PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE - PAS (ANO)

PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE - PAS (ANO) PROGRAMAÇÃO ANUAL DE SAÚDE - PAS (ANO) Mês e Ano de elaboração MODELO PARA ELABORAÇÃO DA PAS 2014: Gerência de Programação em Saúde- DEPLAN/SUSAM 1 SUMÁRIO IDENTIFICAÇÃO DO MUNICÍPIO...3 ELABORAÇÃO...4

Leia mais

Indicadores para avaliação de projetos sociais: os Projetos Comunitários FMCSV. Inês Mindlin Lafer gerente de programas

Indicadores para avaliação de projetos sociais: os Projetos Comunitários FMCSV. Inês Mindlin Lafer gerente de programas Indicadores para avaliação de projetos sociais: os Projetos Comunitários FMCSV Inês Mindlin Lafer gerente de programas 27 de maio de 2010 Agenda Apresentação FMCSV Os projetos Comunitários FMCSV A avaliação

Leia mais

ACOMPANHAMENTO DA PUÉRPERA HIV* Recomendações do Ministério da Saúde Transcrito por Marília da Glória Martins

ACOMPANHAMENTO DA PUÉRPERA HIV* Recomendações do Ministério da Saúde Transcrito por Marília da Glória Martins ACOMPANHAMENTO DA PUÉRPERA HIV* Puerpério Imediato Acompanhamento da puérpera HIV* 1. Inibir a lactação através do enfaixamento das mamas com ataduras ou comprimindo-as com um top e evitando, com isso,

Leia mais

Ficha Técnica dos indicadores de saúde disponibilizados por meio do aplicativo Statplanet. Mortalidade

Ficha Técnica dos indicadores de saúde disponibilizados por meio do aplicativo Statplanet. Mortalidade Secretaria Municipal da Saúde Coordenação de Epidemiologia e Informação - CEInfo Ficha Técnica dos indicadores de saúde disponibilizados por meio do aplicativo Statplanet Mortalidade Taxa ou Coeficiente

Leia mais

Orientações para a Implantação dos Testes Rápidos de HIV e Sífilis na Atenção Básica. Rede Cegonha

Orientações para a Implantação dos Testes Rápidos de HIV e Sífilis na Atenção Básica. Rede Cegonha Orientações para a Implantação dos Testes Rápidos de HIV e Sífilis na Atenção Básica Rede Cegonha SUMÁRIO Apresentação... 05 1. Introdução... 07 2. Implantação dos Testes Rápidos de HIV e sífilis e Aconselhamento

Leia mais

PESQUISA NASCER NO BRASIL Inquérito Nacional sobre Parto e Nascimento. Coordenação Maria do Carmo Leal

PESQUISA NASCER NO BRASIL Inquérito Nacional sobre Parto e Nascimento. Coordenação Maria do Carmo Leal Inquérito Nacional sobre Parto e Nascimento Coordenação Maria do Carmo Leal Financiamento: CNPq -Chamada/Edital MCT/CNPq/CT-Saúde/MS/SCTIE/DECIT nº 57/2009 -Parto Cesáreo Processo: 557366/2009-7 MS-SCTIES

Leia mais

Comitê de Especialistas em Enfermagem Obstétrica

Comitê de Especialistas em Enfermagem Obstétrica MINISTÉRIO DA SAÚDE Secretaria de Políticas de Saúde Área Técnica Saúde da Mulher Brasília, 10 de fevereiro de 2.000. Área Técnica da Saúde da Mulher Secretaria de Políticas de Saúde Comitê de Especialistas

Leia mais

Seminário Estadual. 4.ºRelatório Nacional de Acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM)

Seminário Estadual. 4.ºRelatório Nacional de Acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) Seminário Estadual 4.ºRelatório Nacional de Acompanhamento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio (ODM) Escola da Gestante DrªZilda Arns Apucarana João Carlos de Oliveira Prefeito Municipal Escola

Leia mais

Desigualdades em saúde - Mortalidade infantil. Palavras-chave: mortalidade infantil; qualidade de vida; desigualdade.

Desigualdades em saúde - Mortalidade infantil. Palavras-chave: mortalidade infantil; qualidade de vida; desigualdade. Desigualdades em saúde - Mortalidade infantil Ruth Rangel * Fernanda Azevedo * Palavras-chave: mortalidade infantil; qualidade de vida; desigualdade. Resumo A redução das desigualdades sociais tem sido

Leia mais

AVALIAÇÃO PRÉ-CONCEPCIONAL DE MULHERES COM IDADE FÉRTIL EM MUNICÍPIOS NO VALE PARAÍBA.

AVALIAÇÃO PRÉ-CONCEPCIONAL DE MULHERES COM IDADE FÉRTIL EM MUNICÍPIOS NO VALE PARAÍBA. AVALIAÇÃO PRÉ-CONCEPCIONAL DE MULHERES COM IDADE FÉRTIL EM MUNICÍPIOS NO VALE PARAÍBA. Mirielle Ravache Machado Dias; Vanessa Felix Da Hora ; Maria Conceição Furtado Lancia Faculdade de Ciências da Saúde

Leia mais

Plano de Qualificação das Linhas de Cuidados da Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis nos Estados do Semiárido e Amazônia Legal

Plano de Qualificação das Linhas de Cuidados da Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis nos Estados do Semiárido e Amazônia Legal Plano de Qualificação das Linhas de Cuidados da Transmissão Vertical do HIV e da Sífilis nos Estados do Semiárido e Amazônia Legal O que é Transmissão Vertical HIV e Sífilis? A transmissão vertical do

Leia mais

Pesquisador em Saúde Pública. Prova Discursiva INSTRUÇÕES

Pesquisador em Saúde Pública. Prova Discursiva INSTRUÇÕES Medicina Fetal Pesquisador em Saúde Pública Prova Discursiva 1. Você recebeu do fiscal o seguinte material: INSTRUÇÕES a) Este Caderno de Questões contendo o enunciado das 2 (duas) questões da prova discursiva.

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE Morte Fetal. Indicadores de Saúde. Assistência Perinatal. Epidemiologia.

PALAVRAS-CHAVE Morte Fetal. Indicadores de Saúde. Assistência Perinatal. Epidemiologia. 14. CONEX Apresentação Oral Resumo Expandido - ISSN 2238-9113 1 ISSN 2238-9113 ÁREA TEMÁTICA: (marque uma das opções) ( ) COMUNICAÇÃO ( ) CULTURA ( ) DIREITOS HUMANOS E JUSTIÇA ( ) EDUCAÇÃO ( ) MEIO AMBIENTE

Leia mais

Modelo de Atenção às Condições Crônicas. Seminário II. Laboratório de Atenção às Condições Crônicas EXPOSIÇÃO 4:

Modelo de Atenção às Condições Crônicas. Seminário II. Laboratório de Atenção às Condições Crônicas EXPOSIÇÃO 4: Modelo de Atenção às Condições Crônicas Seminário II Laboratório de Atenção às Condições Crônicas EXPOSIÇÃO 4: O MODELO DE ATENÇÃO ÀS CONDIÇÕES CRÔNICAS POR QUE UM MODELO DE ATENÇÃO ÀS CONDIÇÕES CRÔNICAS

Leia mais

INDICADORES DE SAÚDE II

INDICADORES DE SAÚDE II Universidade Federal do Rio de Janeiro Centro de Ciências da Saúde Faculdade de Medicina Departamento Medicina Preventiva Disciplina de Epidemiologia INDICADORES DE SAÚDE II 2005 Taxa de mortalidade infantil

Leia mais

BH - REDE ASSISTENCIAL

BH - REDE ASSISTENCIAL BH - REDE ASSISTENCIAL 2.300.000 habitantes 9 Distritos Sanitários 147 Centros de Saúde 544 ESF cobertura 80% 2.420 ACS CERSAM e UPA regionais 34 hospitais 7 maternidades SUS Assistência - Regulação -

Leia mais

CLASSIFICAÇÃO DE RISCO GESTACIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA

CLASSIFICAÇÃO DE RISCO GESTACIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA CLASSIFICAÇÃO DE RISCO GESTACIONAL NA ATENÇÃO BÁSICA Dra. Cássia Elena Soares Fluxograma de Pré-Natal Mulher com suspeita de gravidez Atraso menstrual Náusea Suspensão ou irregularidade do uso do contraceptivo

Leia mais

III CONGRESSO BRASILEIRO DE RELACIONAMENTO INTERPESSOAL E I ENCONTRO LATINO-AMERICANO SOBRE FAMILIA E RELACIONAMENTO INTERPESSOAL

III CONGRESSO BRASILEIRO DE RELACIONAMENTO INTERPESSOAL E I ENCONTRO LATINO-AMERICANO SOBRE FAMILIA E RELACIONAMENTO INTERPESSOAL III CONGRESSO BRASILEIRO DE RELACIONAMENTO INTERPESSOAL E I ENCONTRO LATINO-AMERICANO SOBRE FAMILIA E RELACIONAMENTO INTERPESSOAL De 19 a 22 de Julho de 2013 1) Tipo e título da atividade proposta: a)

Leia mais

Modelo GFACH - Anexo 1 Indicadores mais Utilizados na Gestão Hospitalar no Brasil

Modelo GFACH - Anexo 1 Indicadores mais Utilizados na Gestão Hospitalar no Brasil Gestão do Relacionamento Externo Posicionamento no Sistema de Saúde Coeficiente de Mortalidade Nº de Óbitos / Nº de Indivíduos da Amostra * 1.000 Geral (toda a amostra), por idade (ex: infantil), por sexo

Leia mais

Vigilância em Saúde. Perfil do Tétano em Alagoas de 2007 a 2014. Nesta Edição: ANO 4 Nº 01 ANUAL JANEIRO 15

Vigilância em Saúde. Perfil do Tétano em Alagoas de 2007 a 2014. Nesta Edição: ANO 4 Nº 01 ANUAL JANEIRO 15 Diretoria de Epidemiológica Gerência de Doenças Imunopreveníveis e Programa de Imunizações ANO 4 Nº 01 ANUAL JANEIRO 15 Nesta Edição: 1. Perfil do Tétano em Alagoas de 2007 a 2. Intensificação das Ações

Leia mais

Autoriza o Executivo Municipal a instituir o Projeto CASA DA GESTANTE, dando outras providências.

Autoriza o Executivo Municipal a instituir o Projeto CASA DA GESTANTE, dando outras providências. LEI N 2.210, DE 04 DE NOVEMBRO DE 1998. Autoriza o Executivo Municipal a instituir o Projeto CASA DA GESTANTE, dando outras providências. ANTONIO BRAZ GENELHU MELO, Prefeito Municipal de Dourados, Estado

Leia mais

Nota Técnica Conjunta n 02/2015

Nota Técnica Conjunta n 02/2015 Nota Técnica Conjunta n 02/2015 DVSCA/DAPS/SAS/SESA DVPcD/DACC/SAS/SESA Assunto: Esclarecimentos e orientações sobre a coleta obrigatória do Teste do Pezinho nos Hospitais/Maternidades, Públicos e Privados,

Leia mais

COMO USAR O CADASTRO REMOTO?

COMO USAR O CADASTRO REMOTO? COMO USAR O CADASTRO REMOTO? Este documento fornece um passo a passo explicativo e ilustrado das principais ferramentas de visualização das informações do Cadastro Remoto. APRESENTAÇÃO O cadastramento

Leia mais

PROGRAMAS DAS PROVAS NÍVEL E

PROGRAMAS DAS PROVAS NÍVEL E PARA TODOS OS CARGOS: PORTUGUÊS: 1. Compreensão de textos informativos e argumentativos e de textos de ordem prática (ordens de serviço, instruções, cartas e ofícios). 2. Domínio da norma do português

Leia mais

Mostra de Projetos 2011. Coleta de Leite Materno: Minimizando Agravos à Recém Nascidos e Salvando vidas diariamente.

Mostra de Projetos 2011. Coleta de Leite Materno: Minimizando Agravos à Recém Nascidos e Salvando vidas diariamente. Mostra de Projetos 2011 Coleta de Leite Materno: Minimizando Agravos à Recém Nascidos e Salvando vidas diariamente. Mostra Local de: Paranavaí Categoria do projeto: II - Projetos finalizados Nome da Instituição/Empresa:

Leia mais

UNIVERSIDADE DE STRABOURG

UNIVERSIDADE DE STRABOURG UNIVERSIDADE DE STRABOURG URP/SCLS Unidade de pesquisa em psicologia: Subjetividade, cognição e laço social EA 2071 Dir. Pr. S. LESOURD Faculdade de Psicologia 12, rue Goethe 67000, Strasbourg França Claude

Leia mais

HOSPITAL UNIVERSITÁRIO JULIO MULLER COMISSÃO DE ÓBITO NORMAS E ROTINAS

HOSPITAL UNIVERSITÁRIO JULIO MULLER COMISSÃO DE ÓBITO NORMAS E ROTINAS NORMAS E ROTINAS CUIABÁ - 2012 1 DO HUJM Apresentação: A Comissão de Óbito do Hospital Universitário Julio Muller tem as seguintes finalidades: - Normatizar e padronizar os procedimentos e as condutas

Leia mais

OBJETIVO REDUZIR A MORTALIDADE

OBJETIVO REDUZIR A MORTALIDADE pg44-45.qxd 9/9/04 15:40 Page 44 44 OBJETIVOS DE DESENVOLVIMENTO DO MILÊNIO BRASIL OBJETIVO REDUZIR A MORTALIDADE NA INFÂNCIA pg44-45.qxd 9/9/04 15:40 Page 45 45 4 " META 5 REDUZIR EM DOIS TERÇOS, ENTRE

Leia mais