Arquitecturas de Sistemas de Informação. Pedro Sousa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Arquitecturas de Sistemas de Informação. Pedro Sousa"

Transcrição

1 Arquitecturas de Sistemas de Informação

2 O caminho mais curto para a ASI Aplicações Existentes sumo do Processo de Definição da quitectura de Sistemas de Informação Arquitectura de Negócio Informação e Repositórios O quê? Como? Porquê? Arquitectura de Informação Arquitectura de Aplicações Arquitectura Tecnológica Caderno Encargos Desenho das Arquitecturas

3 Arquitectura de Processos Identificação dos processos com base em critérios de valor e de Qualidade Agregação das actividades (manuais ou automáticas) em processos Representação dos processos que discrimine as actividades, a informação necessária, entre outros (quem, quando, porquê). A Arquitectura de processos não deve ser dependente da estrutura orgânica, dos pacotes aplicacionais, dos intervenientes, etc. Reparações Serviço Central Exemplo da notação proposta (BPMN) Associa OpLog ao Artigo e Loja Operador Logístico Eventos Origem Transporte Artigo com Agendamento Automático? Identificação Artigo, Origem, Destino e Op Log Não Solicitar Operador Logístico para o transporte Actividades Sim Informar intervenientes no transporte e recepção Preparar Artigo para Levantamento Guia de transporte Informação usada Informação produzida Destino Transporte Ordem de Reparação Recepção do artigo Pontos de decisão Registo Recepção Artigo Intervenientes Operador Logístico Log Levantamento Fluxos entre actividades Regista o Levantamento do Artigo na Origem Confirma a entrega no Destino Fecho Recepção Artigo Log entrega (*) A notação BPMN é um resultado da Business Process Management Initiative BPMI.org Agendar Transporte

4 Reparações Serviço Central Origem Transporte Artigo com Agendamento Automático? Identificação Artigo, Origem, Destino e Op Log Não Sim Destino Transporte Operador Logístico transporte e recepção Agendar Transporte Log Levantamento Associa OpLog ao Artigo e Loja Solicitar Operador Logístico para o transporte Preparar Artigo para Levantamento Artigo na Origem Operador Logístico Guia de transporte Recepção do artigo Confirma a entrega no Destino Log entrega Artigo Fecho Recepção Artigo Arquitectura de Informação Define e estrutura a informação necessária à execução das entidades numa Arquitectura de Entidades Informacionais. Arquitectura de Informação Arquitectura de Processos de Negócio Arquitectura Tecnoló gica Arquitect de Aplica Reparações Serviço Central Associa OpLog ao Artigo e Loja Operador Logístico Origem Transporte Artigo com Agendamento Automático? Identificação Artigo, Origem, Destino e Op Log Não Solicitar Operador Logístico para o transporte Sim Guia de transporte Informar intervenientes no Destino Transporte Operador Logístico Regista o Levantamento do Informar intervenientes no transporte e recepção Ordem de Reparação Agendar Transporte Log Levantamento Preparar Artigo para Levantamento Regista o Levantamento do Artigo na Origem Registo Recepção Ordem de Reparação Recepção do artigo Confirma a entrega no Destino Logentrega Registo Recepção Artigo Fecho Recepção Artigo Entidade Informacional Cliente Entidade Informacional Serviço Caracterizada de forma a satisfazer as diferentes necessidades dos vários processos, quer ao nível da execução, da decisão e da gestão. Listagem da Informação necessária à execução de cada actividade Análise, Estruturação e Sistematização da Informação Arquitectura de Informação

5 Arquitectura de Aplicações Indetifica as Aplicações de faz sentido ter Nasce da relação entre os Processos e as Entidades Informacionais Ainda não se fala de tecnologia nem pacotes!!! Entidades de Negócio Aplicação Processos de Negócio Entidades Informacionais missão Informação Funcionalidades Necessidades de Integração e Interoperabilidade

6 Arquitectura de Aplicações Tópicos a abordar Nível de detalhe na descrição das aplicações Critérios para a agregação das Entidades. Critérios para a agregação de Funções Que características da informação tem que ser levadas em consideração? Que características dos Processos tem que ser levadas em consideração? Qual é a arquitectura de SI geral de uma Organização? Qual o impacto de uma solução global de um ERP / CRM 6

7 Arquitectura de Aplicações (Matriz de CRUD) 7

8 Arquitectura de Aplicações Descrição das Aplicações

9 Arquitectura de Aplicações Baptismo de Aplicações Sistema de Processamento de Encomendas Sistema de Publicidade e Promoção Sistema de Controlo de Produção Sistema de Benefícios de Empregados Sistema de Recebimentos Sistema de Treino e Desenvolvimento Sistema de Informação de Clientes Sistema de Administração de Equipamentos Sistema de Gestão de Veículos Sistema de Informação de Recursos Humanos Sistema de Gestão de Contas Sistema de Inventário de Materiais O nome deve cobrir o propósito da aplicação Evitar nomes iguais ao das aplicações existentes As aplicações podem focar-se numa certa entidade As aplicações podem focar-se numa certa função 9

10 Arquitectura de Aplicações Definição de Aplicações BUSINESS ANALYSIS SYSTEM (28) PURPOSE: SAMPLE APPLICATION Decision making and impact assessment for analyzing business opportunites. DESCRIPTION/CAPACITIES: 1. Access external and internal financial market, technical, and business information for analysis to assist the correct business decision. 2. It will also identify required business resources, functions, and government regulations. 3. The application will be able to perform what if analysis. BENEFITS: 1. Ability to perform what if analysis rapidly using various scenarios. 2. Provides electronic access to key business information. DETAILED BUSINESS FUNCTIONS SUPPORTED: 1. ANALYSE & IMPROVE EXISTING FUNCTION (224) 2. ANALYSE & IMPROVE EXISTING PRODUCTS & PROCESSES (221) 3. COORPORATE PRODUCT RATIONALIZATION (222) 4. DEFINE & DEVELOP NEW PRODUCT PROCESSES (226) 5. DETERMINE RESOURCE REQUIREMENTS (115) 6. ESTABLISH BUSINESS GOAL (13) CURRENT IRC APPLICATION AFFECTED: impact HEAD COUNT BY DEPARTMENT (282) R MANPOWER PLANNING ( P MATERIALS POPULATION (245) R ZERO-BASED RESOURCE BUDGET (252) C DATA ENTITY RELATIONSHIPS Data usage BUSINESS PROCESSR (19) DOCUMENT (32) EQUIPEMENT TYPE (28) FACILITY (38) GOODS AND SERVICES TYPE (27) INCIDENT (34) LOCATIONS (14) ORGANIZATION UNIT (2) PERFORMANCE MEASURES AND STANDARDS (224) PLAN (13) POSITION (18) PRODUCT TYPE (9) SKILL (4) SUPPLIER (25) R 10 R R R R R R R R R C R R R

11 Arquitectura de Aplicações Descrição de Aplicações APPLICATION ARCHITECTURE APPLICATION NAME: Production Control System APPLICATION NUMBER: 138 PURPOSE: To monitor and access real-time production information an performance indicators related to the manufacturing proce Management will use this information to oversee productio DESCRIPTION: 1. Report actual measurements as well as target in both graphical and text displays covering specific periods 2. Quality reports will include shipped product quality, internal an external quality measurements by work group, test results for a given period, incidents occurrences, quality history by product line, product item, and production process [Additional objectives will be listed] BENEFITS: 1. Enable organization units to track and easily report quality, service, and cost metrics 2. Efficient, timely management of manufacturing by access to rea time data [Additional benefits will be listed] 11

12 Arquitectura de Aplicações Critérios para a agregação de Processos e de Entidades

13 Análise de Afinidade de Entidades AFINIDADE de E1 para E2 = a(e1, E2) / a(e1) a(e1) = Nº de funções que usam a entidade E1 a(e1, E2) = Nº de funções que usam E1 e E2 Afinidade Pesada de E3 para o Cluster E1, E2 = ( a(e3, E1)*a(E1) + a(e3, E2)*a(E2) ) / ( a(e1) + a(e2) )

14 Que critérios devemos usar para agregar Processos e Entidades? Critérios de Agregação das Entidades Por afinidade entre Entidades Por afinidade de utilização com os processos (CRUD) Por criação em processos comuns Critérios de Agregação de Processos Por afinidade de utilização das entidades (CRUD) Por criação de dados comuns Processamento de Transações de negócio Comuns

15 ASI - Alinhamento

16 Dimensões do Alinhamento O alinhamento entre estas 4 Arquitecturas fundamenta-se em 5 dimensões, podendo cada uma delas estar alinhada/desalinhada independentemente das restantes Arquitectura de Negócio Alinhamento Arquitectura de Informação Arquitectura de Aplicações Arquitectura Tecnológica

17 Alinhamento entre o Negócio e a Informação de Negócio Foco na estruração da informação necessária à condução do negócio, tanto nas operações como na informação de gestão. Entidades de Negócio Um exemplo simples é a decisão de aprovação de uma ordem de encomenda num processo de procurement. Qual é a informação que o decisor vai usar para aprovar ou não a ordem de encomenda? Processos de Negócio O alinhamento entre os Processos de Negócio e a Informação de Negócio não implica necessariamente que haja um sistema que forneça a informação necessária com um simples click. Implica antes de mais a explicitação desta informação nas Entidades. Os sistemas de Suporte à Decisão e os Data Warehouses são projectos que obrigam as organizações a pensar e explicitar a informação necessária ao negócio, nomeadamente ao suporte às decisões de negócio. Ao nível do acesso à informação, existem várias famílias de sistemas focados na disponibilização da informação, que vão deste os Sistemas de Suporte à Decisão, até aos sistemas de Gestão Documental e os sistemas de Reporting.

18 Alinhamento entre o Negócio e as Aplicações Foco na automação das actividades dos Processos de Negócio. Quanto maior for o alinhamento menor é o esforço despendido em operações mecanizáveis. Entidades de Negócio Visa optimizar a relação (custo operação)/(investimento) para um determinado nível de serviço requerido. O alinhamento não é sinónimo da automação extensiva e obrigatória dos processos de negócio, devendo ser justificado pelo retorno (valor) para a organização. Os sistemas de workflow são exemplos de sistemas que promovem fundamentalmente este tipo de alinhamento. Estes motores de workflow podem ser aplicações autónomas ou integradas numa suites aplicacionas, como por exemplo um ERP ou uma suite de CRM. Conduto, não é assegurado a minimização da redudância da informação, nem a disponibilização da informação. Processos de Negócio

19 Alinhamento entre Informação e Aplicações Fundamenta-se na eficácia dos Sistemas de Informação na gestão Informação de Negócio. Entidades de Negócio A existência de várias réplicas da mesma informação em diversos sistemas é uma situação bem conhecida por todos. O problema é que cada réplica tem estrutura, sintaxe e semântica diferente em diferente sistemas, tornando muito difícil a sua integração ou compatibilização. As soluções de ERPs ou outras suites integradas são exemplos que asseguram este alinhamento. De facto, quem implementa um ERP a todo o negócio, deixa de ter problemas induzidos por incoerência de informação. O ERP pode não suportar os processos pretendidos, pode não disponibilizar a informação necessária ao negócio, mas garante que a informação que gere está sempre coerente. Processos de Negócio

20 Heurísticas de Alinhamento As heurísticas servem de guião para aferir o estado de alinhamento, pois evitam cair-se em cenários de implementação mais difícil. Se todas as heurísticas fossem cumpridas, o custo de implementação, operação e manutenção da IT era mínima. Têm o grande mérito de obrigar a pensar/justificar melhor as decisões que as contrariam. Em muitos casos, as heurísticas detectam situações de erro/omissão. Têm de ser ajustadas ao modelos e níveis de representação existentes em cada organização.

21 Alinhamento entre o Negócio e a Informação de Negócio Exemplos de heurístias genéricas: As Entidades contêm toda informação necessária ás actividades dos Processos (automática ou manuais). Entidades de Negócio Todos os Processos que partilham entidades de Negócio, concordam com os conceitos que lhe estão subjacentes. Processos de Negócio Todos os processos criam, actualizam/apagam entidades de informacionais. Os processos que criam entidades gerem todo o ciclo de vida das mesmas. Cada entidade é lida por pelo menos um processo. Para manter este alinhamento, tem de haver um responsável por assegurar a sua qualidade, disponibilidade, regras de disseminação, e segurança de cada entidade

22 Alinhamento entre o Negócio e as Aplicações Exemplos de heurístias genéricas: Todos os processos/actividades são suportados preferencialmente por uma única aplicação. Cada transacção de negócio não deve envolver mais do que uma aplicação. Todas as funcionalidades das aplicações suportam em exclusivo alguma actividade. As características das actividades devem corresponder às características das aplicações (escalabilidade/disponibilidade/..) Processos de Negócio Entidades de Negócio Por omissão, os processos diferentes devem ser suportados por aplicações computacionalmente independentes.

23 Alinhamento entre Informação e Aplicações Exemplos de heurístias genéricas Cada entidade é gerida por uma única aplicação. Gerir significa criar e identificar. Cada atributo de uma entidade não deve ser actualizado por mais do que uma aplicação. (diferentes atributos da mesma entidades podem ser actualizados por diferentes aplicações) Uma transação aplicacional não devem actualizar atributos de entidades diferentes. Processos de Negócio Entidades de Negócio As aplicações devem sempre aceder à informação directamente nas aplicações que as gerem, mas de forma a presenvarem a independência computacional. O acesso à informação não deve implicar uma dependência computacional entre as aplicações As características da informação deve estar em conformidade com as características da aplicação que a gerem. Cada aplicação deve disponibilizar interfaces para a disseminação/validação das Entidades que gerem

24 Arquitectura Ideal vs a melhor Arquitectura A Arquitectura Aplicacional ideial é apenas um objectivo a longo prazo. Mas o ponto de partida é á realidade existente na organização, quer em aplicações, quer em tecnologias quer em competências Cada Aplicação deverá ser equacionada no contexto das aplicações que: existem na organização existem no mercado são desenvolvidas à medida Cada aplicação deverá estar analisada quanto ao seu custo /benefício (de fazer ou não cada aplicação). Esta é uma decisão de planeamento Estratégico de Sistemas de Informação Mas a Matriz de CRUD e as Heurísticas são os instrumentos para aferirem o impacto das potenciais decisões (cenários aplicacionais).

25 Sistemas típicos das Organizações Clientes Portais A Organização ERPs Sistemas de Suporte à Decis Soluções CRM Extranets Data Stages Data Mar Data Warehouse Fornecedores Soluções B2B

26 Aplicacões Comerciais ERP s Arquitectura Componentes Data Warehouses Data Marts OLAP B2C Portais Empresariais Portais Intranets Portais Extranets B2B eprocurement SellSide Marketplaces Suply Chain Management Collaborative Planning Forecasting Replenishment (CPFR) Supply Chain Management (SCM) Catálogos Leilões B2E Gestão Documental Gestão do Conhecimento Sistemas de Arquivo CRM Força de Vendas Services ecare Marketing Automation GroupWare Worlflow Collaborative Systems

27 FIM

28 Padrões Arquitecturais App - 4 R 4 App - 1 App - 2 Repositório Integrado Common Data Interface App - 5 App - 6 R 5 R 6 App - 3 Suites Integradas (ERP, CRM, etc) Alta afinidade entre as entidades: a maioria das entidades criadas por uma aplicação são usadas pelas outras aplicações Data Warehouse EIS, DSS, etc App - 7 App - 8 App - 9 Forte indices de leitura de outras entidades e as eventuais entidades criadas não são lidas por nenhuma outra Pedro aplicação Sousa Outros SistemasOperacionais Baixa afinidade entre as entidades: a maioria das entidades criadas por uma aplicação não são usadas pelas outras aplicações

29 Padrões Arquitecturais App - 1 App - 2 App - 3 Repositório Integrado (ex ERP) Common Data Interface App - 4 App - 5 App - 6 R 4 R 5 R 6 App - 10 App - 11 App - 12 Repositório Integrado (ex CRM) Data Warehouse App - 7 App - 8 Outros SistemasOperacionais App - 9 Podem existir várias Suites Integradas (ERP, CRM, etc) EIS, DSS, etc

30 Padrões de Arquitectura

31 Aspectos Arquitecturais da Integração Information Bus As Aplicações acedem on-line aos dados das outras Os processos são ligados por MSQ Aspectos importantes Acesso à on-line

32 Aspectos Arquitecturais da Integração Common Data Interface Os Dados são Publicados num Base de Dados Os processos são ligados por MSQ Aspectos importantes 1. Independência Computacional 2. Segurança 3. Independência entre os produtores e consumidores da Informação

33 Um exemplo de uma Arquitectura App - 1 App - 4 R 4 App - 2 App - 3 Repositório Integrado Common Data Interface App - 5 App - 6 R 5 R 6 ERP Data Warehouse App - 7 App - 8 Outros Sistemas Operacionais App - 9 EIS, DSS, etc

34 Um exemplo de uma Arquitectura A Arquitectura de Integração deverá exibir de forma clara: As Interfaces pré-definidas, tanto do ponto de vista funcional como tecnológico. A Consolidação na holding. A visão de um DW corporativa As Integrações com os sistemas outras empresas, como por exemplo para as integrações B2B Clientes Fornecedores Holding Empresa Participadas

35 Um exemplo de uma Arquitectura App - 1 Clientes Fornecedores App - 4 R 4 Empresa participada Clientes Fornecedores App - 1 App - 4 R 4 App - 2 Repositóri o Integrado Common Data Interface App - 5 R 5 App - 2 Repositório Integrado Common Data Interface App - 5 R 5 App - 3 App - 6 R 6 App - 3 App - 6 R 6 App - 7 Data Warehous e App - 7 App - 8 Data Warehouse App - 8 App - 9 Empresa mãe App - 9 Empresa participada Clientes/ Fornecedores Corporate Data Warehouse App - 1 App - 2 App - 3 Repositório Integrado Common Data Interface App - 4 App - 5 App - 6 R 4 R 5 R 6 App - 7 Data Warehouse App - 8 App - 9

36 Dimensões do Alinhamento Business Goals Arquitectura de Negócio Business Strategies Business Information Application Data Business Information Arquitectura de Informação Business Processes Arquitectura de Aplicações Application Processes Application Functionalities Application Data Arquitectura Tecnológica Tecnologicas comuns (ex: motores de WF, Gestão Documental, Exploração de Dados, Sistema de Autenticação, Bases de Dados, Application Servers, etc) Arquitectura de Produtos (Pacotes vs Desenvolvimento à medida)

37 A correspondência com a arquitectura de Processos Arquitectura de Negócio Arqutectura de Informação Arquitectura de Aplicações

38 A correspondência com a arquitectura de Processos

Arquitecturas de Sistemas de Informação

Arquitecturas de Sistemas de Informação Arquitecturas de Sistemas de Informação Arquitectura Tecnológica Arquitectura Tecnológica O que é: É a escolha dos tipos de tecnologia que devem ser utilizados para dar suporte a cada um dos sistemas e

Leia mais

ILM e as Arquitecturas Empresariais por Pedro Sousa

ILM e as Arquitecturas Empresariais por Pedro Sousa ILM e as Arquitecturas Empresariais por Pedro Sousa Neste artigo clarifica-se os objectivos do ILM (Information Life Cycle Management) e mostra-se como estes estão dependentes da realização e manutenção

Leia mais

BPM (Business Process Management)

BPM (Business Process Management) Instituto Superior de Economia e Gestão Ano lectivo 2007/2008 Cadeira de Tecnologias de Informação BPM (Business Process Management) Planeamento e Controlo de Gestão Baseados nos Processos de Negócio José

Leia mais

Dados x Informações. Os Sistemas de Informação podem ser:

Dados x Informações. Os Sistemas de Informação podem ser: CONCEITOS INICIAIS O tratamento da informação precisa ser visto como um recurso da empresa. Deve ser planejado, administrado e controlado de forma eficaz, desenvolvendo aplicações com base nos processos,

Leia mais

Os Sistemas de Informação nas PME s. José Pinto

Os Sistemas de Informação nas PME s. José Pinto Os Sistemas de Informação nas PME s José Pinto José Ângelo Costa Pinto Licenciado em Gestão Empresas Pós-Graduação em Sistemas de Informação (PM) Pós Graduação em Economia e Gestão Mestre em Sistemas de

Leia mais

Conceito. As empresas como ecossistemas de relações dinâmicas

Conceito. As empresas como ecossistemas de relações dinâmicas Conceito As empresas como ecossistemas de relações dinâmicas PÁG 02 Actualmente, face à crescente necessidade de integração dos processos de negócio, as empresas enfrentam o desafio de inovar e expandir

Leia mais

Business Process Integration Architecture

Business Process Integration Architecture Business Process Integration Architecture Definição, Motivações e Conceitos Base 3/2/2005 José Alves Marques 1 Processo de Negócio A modelação de processos está focada em: Criar e optimizar modelos de

Leia mais

Sistemas de Informação no sector da Construção. João Poças Martins, FEUP/GEQUALTEC, 2011 1

Sistemas de Informação no sector da Construção. João Poças Martins, FEUP/GEQUALTEC, 2011 1 Sistemas de Informação no sector da Construção João Poças Martins, FEUP/GEQUALTEC, 2011 1 Sistemas de Informação no sector da Construção 1. SI na Construção. Introdução 2. ERP 3. BIM 4. Outras aplicações

Leia mais

GESTÃO. Gestão dos Processos e Operações Gestão de Sistemas e Tecnologias de Informação (dentro do capítulo 6) CLF

GESTÃO. Gestão dos Processos e Operações Gestão de Sistemas e Tecnologias de Informação (dentro do capítulo 6) CLF GESTÃO Gestão dos Processos e Operações Gestão de Sistemas e Tecnologias de Informação (dentro do capítulo 6) Informação e Decisões Gerir envolve tomar muitas e frequentes decisões Para decidir com eficácia

Leia mais

A Gestão de Configurações suporte dos Sistemas de Informação

A Gestão de Configurações suporte dos Sistemas de Informação A Gestão de Configurações suporte dos Sistemas de Informação O funcionamento dos sistemas e tecnologias de informação e comunicação têm nas organizações um papel cada vez mais crítico na medida em que

Leia mais

Cadeira de Tecnologias de Informação. Conceitos Fundamentais de Sistemas de Informação

Cadeira de Tecnologias de Informação. Conceitos Fundamentais de Sistemas de Informação Cadeira de Tecnologias de Informação Ano lectivo 2009/2010 Conceitos Fundamentais de Sistemas de Informação TI2009/10_ SI_1 Sistemas de Informação: para quê? It has been said that the purpose of information

Leia mais

CRM. Pedro Sousa. Pedro Sousa

CRM. Pedro Sousa. Pedro Sousa CRM O móbil do CRM - I Primary Activities Inbound Logistics Operations Outbound Logistics Marketing & Sales Sales Services Support Activities Procurement Infrastructure Human Resource Management Technological

Leia mais

Serviço Público Inteligente

Serviço Público Inteligente Serviço Público Inteligente Sistemas de BI, decidir com base em informação de qualidade 15 de maio de 2013 Auditório B, Reitoria UNL Patrocínio Prata Patrocinadores Globais APDSI Sistemas de Business Intelligence

Leia mais

Administração de Sistemas de Informação I

Administração de Sistemas de Informação I Administração de Sistemas de Informação I Prof. Farinha Aula 04 Conceito Sistema de Informação é uma série de elementos ou componentes inter-relacionados que coletam (entrada), manipulam e armazenam (processo),

Leia mais

Glossário BiSL. Bert Pranger / Michelle Hofland 28 Maio 2012 Versão 1.0-1 -

Glossário BiSL. Bert Pranger / Michelle Hofland 28 Maio 2012 Versão 1.0-1 - Glossário BiSL Bert Pranger / Michelle Hofland 28 Maio 2012 Versão 1.0-1 - 1. Glossário de Terminologia Terminologia em Inglês Terminologia em Português BiSL processes Processos de BiSL Business data management

Leia mais

Premier. Quando os últimos são os Primeiros

Premier. Quando os últimos são os Primeiros Premier Quando os últimos são os Primeiros Fundada em 1997 Especializada no desenvolvimento de soluções informáticas de apoio à Gestão e consultoria em Tecnologias de Informação. C3im tem como principais

Leia mais

Gestão de Processos de Negócio

<Insert Picture Here> Gestão de Processos de Negócio Gestão de Processos de Negócio Susana Santos Principal Sales Consultant Agenda Quais os Desafios Business Process Management Modelação Execução Interacção Humana Monitorização Resumo

Leia mais

Soluções de Gestão Integradas SENDYS ERP. Otimize a Gestão do Seu Negócio!

Soluções de Gestão Integradas SENDYS ERP. Otimize a Gestão do Seu Negócio! Soluções de Gestão Integradas SENDYS ERP Otimize a Gestão do Seu Negócio! Universo da Solução de Gestão SENDYS ERP SENDYS - Copyright 2007 SENDYS é uma marca proprietária da Readsystem, Lda. 2 Universo

Leia mais

Sistemas de Informação na Organização

Sistemas de Informação na Organização Sistemas de Informação na Organização Tipos de Sistemas de Informação TPS, KMS, MIS, DSS, ESS Perspectiva funcional dos SI Exemplos Perspectiva dos processos de negócio CRM SCM ERP Sistemas de Informação

Leia mais

Logística e Gestão da Distribuição

Logística e Gestão da Distribuição Logística e Gestão da Distribuição Logística integrada e sistemas de distribuição (Porto, 1995) Luís Manuel Borges Gouveia 1 1 Sistemas integrados de logística e distribuição necessidade de integrar as

Leia mais

PALAVRAS CHAVE RESUMO

PALAVRAS CHAVE RESUMO ESIG2001 SPATIAL INTELLIGENCE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA COMO MEIO DE SUPORTE À DECISÃO João Machado Costa, Rui Marques Ferreira Novabase www.novabase.pt joao.machado@novabase.pt PALAVRAS CHAVE Spatial Information

Leia mais

IT Governance e ISO/IEC 20000. Susana Velez

IT Governance e ISO/IEC 20000. Susana Velez IT Governance e ISO/IEC 20000 Susana Velez Desafios de TI Manter TI disponível Entregar valor aos clientes Gerir os custos de TI Gerir a complexidade Alinhar TI com o negócio Garantir conformidade com

Leia mais

Sistemas. ções Gerenciais

Sistemas. ções Gerenciais Sistemas Como elaborar seu currículo? de Informaçõ 04/2006 ções Gerenciais Um currículo bem feito não garante sua contratação mas um currículo mal elaborado elimina-o do processo seletivo. Novas Tecnologias...

Leia mais

APLICATIVOS CORPORATIVOS

APLICATIVOS CORPORATIVOS Sistema de Informação e Tecnologia FEQ 0411 Prof Luciel Henrique de Oliveira luciel@uol.com.br Capítulo 3 APLICATIVOS CORPORATIVOS PRADO, Edmir P.V.; SOUZA, Cesar A. de. (org). Fundamentos de Sistemas

Leia mais

SEO LINKEDIN FACEBOOK GOOGLE REDES SOCIAS E-COMMERCE TWITTER UNICRE PAY PAL 6.0 PLATAFORMA INTEGRADA DE NEGÓCIO E COMUNICAÇÃO ONLINE

SEO LINKEDIN FACEBOOK GOOGLE REDES SOCIAS E-COMMERCE TWITTER UNICRE PAY PAL 6.0 PLATAFORMA INTEGRADA DE NEGÓCIO E COMUNICAÇÃO ONLINE LINKEDIN FACEBOOK TWITTER GOOGLE REDES SOCIAS E-COMMERCE PAY PAL SEO UNICRE 6.0 PLATAFORMA INTEGRADA DE NEGÓCIO E COMUNICAÇÃO ONLINE ACTUALIZE O SEU SITE VENDAS ONLINE MARKETING ONLINE A PLATAFORMA GCM

Leia mais

Escritórios de Barcelona: 143 Sobreático 08011 Barcelona - Espanha Telefone +34 937 247 477

Escritórios de Barcelona: 143 Sobreático 08011 Barcelona - Espanha Telefone +34 937 247 477 Perfil Corporativo Configuração, Implementação e Integração de Sistemas Aplicacionais de Negócio: Fundada em 1989 Presença directa em Portugal e Espanha +100 Clientes de média/grande dimensão, em vários

Leia mais

Sistema Integrado de Gestão ERP Sistema Integrado de Gestão

Sistema Integrado de Gestão ERP Sistema Integrado de Gestão Sistema Integrado de Gestão ERP Sistema Integrado de Gestão ERP Prof: Edson Thizon ethizon@gmail.com Sistema ERP; Processos de Desenvolvimento, Seleção, Aquisição, Implantação de ERP; Aderência e divergência

Leia mais

BUSINESS INTELLIGENCE -Inteligência nos Negócios-

BUSINESS INTELLIGENCE -Inteligência nos Negócios- UNIVERSIDADE SÃO FRANCISCO CENTRO DE CIÊNCIAS JURÍDICAS, HUMANAS E SOCIAIS BUSINESS INTELLIGENCE -Inteligência nos Negócios- Curso: Administração Hab. Sistemas de Informações Disciplina: Gestão de Tecnologia

Leia mais

1 Descrição sumária. Varajão, Trigo e Barroso, O Gestor de Sistemas de Informação nas grandes empresas portuguesas, Computerworld, 2011.

1 Descrição sumária. Varajão, Trigo e Barroso, O Gestor de Sistemas de Informação nas grandes empresas portuguesas, Computerworld, 2011. O Gestor de Sistemas de Informação nas grandes empresas portuguesas João Varajão 1, António Trigo 2, João Barroso 1 1 Escola de Ciências e Tecnologia, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro 2 Instituto

Leia mais

B2C. Pedro Sousa. Pedro Sousa

B2C. Pedro Sousa. Pedro Sousa B2C Posicionamento dos Sistemas B2C Primary Activities Inbound Logistics Operations Outbound Logistics Marketing & Sales Services Support Activities Procurement Human Resource Management Infrastructure

Leia mais

CMDB no ITIL v3. Miguel Mira da Silva. mms@ist.utl.pt 919.671.425

CMDB no ITIL v3. Miguel Mira da Silva. mms@ist.utl.pt 919.671.425 CMDB no ITIL v3 Miguel Mira da Silva mms@ist.utl.pt 919.671.425 1 CMDB v2 Configuration Management IT components and the services provided with them are known as CI (Configuration Items) Hardware, software,

Leia mais

Tecnologia da Informação

Tecnologia da Informação Tecnologia da Informação Gestão Organizacional da Logística Sistemas de Informação Sistemas de informação ERP - CRM O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para

Leia mais

Sistemas de Informações. SCM Supply Chain Management

Sistemas de Informações. SCM Supply Chain Management Sistemas de Informações SCM Supply Chain Management Fontes Bozarth, C.; Handfield, R.B. Introduction to Operations and Supply Chain Management. Prentice Hall. 2nd. Edition Objetivos Fluxos de Informação

Leia mais

Sistemas de Apoio à Decisão. Vocabulário e conceitos Vista geral

Sistemas de Apoio à Decisão. Vocabulário e conceitos Vista geral Sistemas de Apoio à Decisão Vocabulário e conceitos Vista geral Decisão A escolha de uma entre várias alternativas Processo de tomada de decisão (decision making) Avaliar o problema Recolher e verificar

Leia mais

E-Business. Parte 2. Prof. Marcílio Oliveira marcilio.oliveira@gmail.com

E-Business. Parte 2. Prof. Marcílio Oliveira marcilio.oliveira@gmail.com Parte 2 Prof. Marcílio Oliveira marcilio.oliveira@gmail.com As dimensões do E-Commerce (Comércio Eletrônico). SCM - Supply Chain Management (Gerenciamento de Cadeia de Fornecimento) ERP - Enterprise Resourse

Leia mais

Implantação Oracle e-business Suite utilizando OBA-Oracle Business Accelerator

Implantação Oracle e-business Suite utilizando OBA-Oracle Business Accelerator Implantação Oracle e-business Suite utilizando OBA-Oracle Business Accelerator Roger Rocha Rinco Gerente de Projetos E-mail: roger.rinco@bertini.com.br Agenda Overview e-business Suite (EBS) Ferramenta

Leia mais

Índice. Logística e Gestão Logística. Gestão da Cadeia de Abastecimento. Introdução 17. Capítulo 1

Índice. Logística e Gestão Logística. Gestão da Cadeia de Abastecimento. Introdução 17. Capítulo 1 Índice Introdução 17 Capítulo 1 Logística e Gestão Logística 1. Introdução 23 2. Logística e Gestão Logística 24 3. Dimensões da Logística e da Gestão Logística 29 4. Características intrínsecas da Logística

Leia mais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais

ERP. Enterprise Resource Planning. Planejamento de recursos empresariais ERP Enterprise Resource Planning Planejamento de recursos empresariais O que é ERP Os ERPs em termos gerais, são uma plataforma de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa,

Leia mais

SAP Multinacional alemã de tecnologia, líder global em software de gestão de processos, contrata:

SAP Multinacional alemã de tecnologia, líder global em software de gestão de processos, contrata: SAP Multinacional alemã de tecnologia, líder global em software de gestão de processos, contrata: Vaga: Estagiário Área Jurídica Área: Legal Department O Departamento Jurídico é uma área dinâmica que possui

Leia mais

Dynamic Data Center. A infra-estrutura de suporte às SOA. Francisco Miller Guerra Senior Product Manager Fujitsu Siemens Computers

Dynamic Data Center. A infra-estrutura de suporte às SOA. Francisco Miller Guerra Senior Product Manager Fujitsu Siemens Computers Dynamic Data Center A infra-estrutura de suporte às SOA Francisco Miller Guerra Senior Product Manager Fujitsu Siemens Computers As necessidades do negócio pressionam continuamente as infra-estruturas

Leia mais

Objectivos de aprendizagem

Objectivos de aprendizagem 2 Objectivos de aprendizagem ƒ Dar exemplos de como a Internet e outras tecnologias da informação apoiam os processos de negócio nas seguintes funções empresariais: ƒ contabilidade; ƒ gestão financeira;

Leia mais

SISTEMAS DEGESTÃO EMPRESARIAL

SISTEMAS DEGESTÃO EMPRESARIAL SISTEMAS DEGESTÃO EMPRESARIAL Imagine um mundo onde a sua Empresa se desenvolve facilmente, onde a cooperação entre os seus funcionários, as suas filiais e o seu ambiente de negócio é simples e em que

Leia mais

Uma estrutura (framework) para o Business Intelligence (BI)

Uma estrutura (framework) para o Business Intelligence (BI) Uma estrutura conceitural para suporteà decisão que combina arquitetura, bancos de dados (ou data warehouse), ferramentas analíticas e aplicações Principais objetivos: Permitir o acesso interativo aos

Leia mais

Business Intelligence & Performance Management

Business Intelligence & Performance Management Como medir a evolução do meu negócio? Tenho informação para esta decisão? A medição da performance é uma dimensão fundamental para qualquer actividade de gestão. Recorrentemente, qualquer gestor vê-se

Leia mais

Politicas de Armazenagem Formador: João Matias TL02. Trabalho Realizado Por: Helena Pereira - Dora Costa - Armando Gonçalves Paulo Caiola

Politicas de Armazenagem Formador: João Matias TL02. Trabalho Realizado Por: Helena Pereira - Dora Costa - Armando Gonçalves Paulo Caiola Politicas de Armazenagem Formador: João Matias TL02 Trabalho Realizado Por: Helena Pereira - Dora Costa - Armando Gonçalves Paulo Caiola Introdução A informação sempre foi importante, essencial mesmo,

Leia mais

SISTRADE MOBILIDADE, INOVAÇÃO & TECNOLOGIA SisTrade Sistemas de Informação Angulusridet Informática, S.A. sistrade.pt BdoisB MIS ERP 100% WEB SISTRADE - Angulusridet Informática, S.A. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

Leia mais

Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e de Computadores

Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto. Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e de Computadores Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto Licenciatura em Engenharia Electrotécnica e de Computadores 4º Ano, 2º Semestre Planeamento e Controlo da Produção - 2000/2001 Relatório do trabalho Prático

Leia mais

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial Prof. Pedro Luiz de O. Costa Bisneto 14/09/2003 Sumário Introdução... 2 Enterprise Resourse Planning... 2 Business Inteligence... 3 Vantagens

Leia mais

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO NBR ISO/IEC 27002: 2005 (antiga NBR ISO/IEC 17799) NBR ISO/IEC 27002:2005 (Antiga NBR ISO/IEC 17799); 27002:2013. Metodologias e Melhores Práticas em SI CobiT; Prof. Me. Marcel

Leia mais

OGFI 2015 Group Project BAI07 Primeiro Relatório

OGFI 2015 Group Project BAI07 Primeiro Relatório Primeiro Relatório 62473 Pedro Vasconcelos 63563 Francisco Ferreira 73440 Filipe Correia 74211 Carolina Ferreirinha 82665 Nkusu Quivuna Sumário Este documento é o primeiro relatório de um projeto de análise

Leia mais

WORKFLOW. Mapeamento de Processos de Negócio 26/11/2009. Tadeu Cruz, Prof. M.Sc. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS

WORKFLOW. Mapeamento de Processos de Negócio 26/11/2009. Tadeu Cruz, Prof. M.Sc. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS WORKFLOW Mapeamento de Processos de Negócio Tadeu Cruz, Prof. M.Sc. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS É proibido a reprodução total ou parcial de qualquer forma ou por qualquer meio sem a expressa autorização

Leia mais

Sistemas de Informação I

Sistemas de Informação I + Sistemas de Informação I Tipos de SI Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br + Introdução 2 n As organizações modernas competem entre si para satisfazer as necessidades dos seus clientes de um modo

Leia mais

Business Process Management «A Era da Agilidade»

Business Process Management «A Era da Agilidade» Business Process Management «A Era da Agilidade» Carlos Vasconcelos Pre Sales Manager cvasconcelos@datacomp.pt www.datacomp.pt Lisboa, 30 de Setembro de 2008 Evento IDC: BPM & BI Centro Cultural de Belém

Leia mais

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Material de Apoio Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações.

Leia mais

administrar planejar executar acompanhar avaliar controlar motivar modelo de comunicação na organização a nível mensagens tomar decisões para agir

administrar planejar executar acompanhar avaliar controlar motivar modelo de comunicação na organização a nível mensagens tomar decisões para agir representação informação percepção real dado dados armazenamento processa mento transmissão dado interpretação mensagem tomada decisão escolha ação modelo de comunicação na organização administrar para

Leia mais

Sistemas de Informações

Sistemas de Informações Sistemas de Informações Prof. Marco Pozam- mpozam@gmail.com A U L A 0 5 Ementa da disciplina Sistemas de Informações Gerenciais: Conceitos e Operacionalização. Suporte ao processo decisório. ERP Sistemas

Leia mais

Informática. Estrutura e Funcionamento de Computadores Software. Aula 8. Tipos de Software. Aplicação Genérica. Aplicação Específica

Informática. Estrutura e Funcionamento de Computadores Software. Aula 8. Tipos de Software. Aplicação Genérica. Aplicação Específica Informática Aula 8 Estrutura e Funcionamento de Computadores Software Comunicação Empresarial 2º Ano Ano lectivo 2003-2004 Tipos de Software Software de Sistema Software Aplicacional Gestão do Sistema

Leia mais

Sistemas de Apoio à Inteligência do Negócio

Sistemas de Apoio à Inteligência do Negócio Sistemas de Apoio à Inteligência do Negócio http://www.uniriotec.br/~tanaka/sain tanaka@uniriotec.br Visão Geral de Business Intelligence Evolução dos Sistemas de Informação (computadorizados) 1950 s:

Leia mais

Gestão da Informação

Gestão da Informação Gestão da Informação Aplicações de suporte à Gestão da Informação na empresa Luis Borges Gouveia, lmbg@ufp.pt Aveiro, Fevereiro de 2001 Sistemas de informação para empresas Manutenção e exploração de sistemas

Leia mais

2 - Conceitos Fundamentais de Sistemas de Informação

2 - Conceitos Fundamentais de Sistemas de Informação ISEG - Instituto Superior de Economia e Gestão/ FMH - Instituto de Motricidade Humana 2 - Conceitos Fundamentais de Sistemas de Informação Conceitos SI II - 1 Agenda O Impacto do Computador na Sociedade

Leia mais

Arquitectura Tecnológica de. Sistemas de Informação Empresariais

Arquitectura Tecnológica de. Sistemas de Informação Empresariais Arquitectura Tecnológica de Sistemas de Informação Empresariais Plano da Disciplina Edição de Setembro 2003 Pedro Sousa (pedro.sousa@dei.ist.utl.pt) Ricardo Mendes (ricardo.mendes@dei.ist.utl.pt) Departamento

Leia mais

PROJECTO ÂNCORA QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO NO SECTOR DAS TICE. Qualificação e Certificação em Gestão de Serviços de TI

PROJECTO ÂNCORA QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO NO SECTOR DAS TICE. Qualificação e Certificação em Gestão de Serviços de TI Pólo de Competitividade das Tecnologias de Informação, Comunicação e Electrónica TICE.PT PROJECTO ÂNCORA QUALIFICAÇÃO E CERTIFICAÇÃO NO SECTOR DAS TICE Qualificação e Certificação em Gestão de Serviços

Leia mais

PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA

PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA PRIMAVERA BUSINESS SOFTWARE SOLUTIONS, SA Introdução Nesta edição do Catálogo de Serviços apresentamos os vários tipos de serviços que compõe a actual oferta da Primavera na área dos serviços de consultoria.

Leia mais

SUPPLY CHAIN MEETING 2015

SUPPLY CHAIN MEETING 2015 SUPPLY CHAIN MEETING 2015 Compras: De centro de custos à criação de valor Eduardo Branco Lisboa, 2015/04/07 Criação de Valor através de uma boa prática de Procurement O investimento numa boa prática da

Leia mais

Informática. Conceitos Básicos. Informação e Sistemas de Informação. Aula 3. Introdução aos Sistemas

Informática. Conceitos Básicos. Informação e Sistemas de Informação. Aula 3. Introdução aos Sistemas Informática Aula 3 Conceitos Básicos. Informação e Sistemas de Informação Comunicação Empresarial 2º Ano Ano lectivo 2003-2004 Introdução aos Sistemas A Teoria dos Sistemas proporciona um meio poderoso

Leia mais

Ficha da Unidade Curricular

Ficha da Unidade Curricular ESCOLA SUPERIOR DE TECNOLOGIA E GESTÃO DE FELGUEIRAS CURSO Licenciatura em Engenharia Informática U.C. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Ficha da Unidade Curricular Horas presenciais / Ano 56 Ano Lectivo 2010 / 2011

Leia mais

SAP Excelência Operacional & Inovação. Daniel Bio Setembro 2013

SAP Excelência Operacional & Inovação. Daniel Bio Setembro 2013 SAP Excelência Operacional & Inovação Daniel Bio Setembro 2013 Portfolio de informações atualmente Fragmentado, antigo e não orientado ao usuário Serviço ao Consumidor Gerente de Vendas Finanças e Operações

Leia mais

Organizações. Pedro Sousa

Organizações. Pedro Sousa Organizações Índice Introdução aos Tipos de Organizações Industriais Grossistas/Armazenistas Distribuição e Retalho Logística Serviços. Áreas das Organizações Financeira Recursos Humanos Produção Marketing

Leia mais

AberdeenGroup. O ABC dos ERP: Um Sumário Executivo. Agosto de 2004

AberdeenGroup. O ABC dos ERP: Um Sumário Executivo. Agosto de 2004 AberdeenGroup O ABC dos ERP: Um Sumário Executivo Agosto de 2004 Aberdeen Group, Inc. 260 Franklin Street Boston, Massachusetts 021103112 USA Telefone: 617 723 7890 Fax: 617 723 7897 www.aberdeen.com O

Leia mais

Conceitos. - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação. - Dados x Informações. Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com.

Conceitos. - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação. - Dados x Informações. Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com. Conceitos - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação - Dados x Informações Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com.br Definição de Sistema Uma coleção de objetos unidos por alguma forma

Leia mais

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Sistema Tipos de sistemas de informação Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Um sistema pode ser definido como um complexo de elementos em interação (Ludwig Von Bertalanffy) sistema é um conjunto

Leia mais

Soluções para o Negócio Back-Office e Front-Office.

Soluções para o Negócio Back-Office e Front-Office. Soluções para o Negócio Back-Office e Front-Office. 1 Back-Office e Front-Office. Soluções para o Negócio Back-Office e Front-Office. ESTRATÉGIA DO NEGÓCIO ANÁLISE ESTRATÉGICA Visão, missão, objectivos

Leia mais

4. Aplicações de Software

4. Aplicações de Software 1. Introdução 2. Sistemas de Fabrico 3. Actividades na Gestão do Processo Produtivo 4. Aplicações de Software 5. e-manufacturing 6. Conclusões Eduardo Tovar, Novembro 2002 20 Aplicações de Software (1)

Leia mais

01/12/2009 BUSINESS INTELLIGENCE. Agenda. Conceito. Segurança da Informação. Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento.

01/12/2009 BUSINESS INTELLIGENCE. Agenda. Conceito. Segurança da Informação. Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento. BUSINESS INTELLIGENCE Agenda BI Histórico Conceito Diferencial Competitivo Investimento Segurança da Objetivo Áreas Conceito O conceito de Business Intelligencenão é recente: Fenícios, persas, egípcios

Leia mais

Plug and play options, integrating systems Opções de plug and play, integrando sistemas Flavio de Nadai

Plug and play options, integrating systems Opções de plug and play, integrando sistemas Flavio de Nadai Plug and play options, integrating systems Opções de plug and play, integrando sistemas Flavio de Nadai Plug & Play Options Integrating Systems Flávio De Nadai Desenvolvimento de Negócios Utilities & Telecom

Leia mais

Seminário GVcev. Relacionamento Varejo e Indústria: desenvolvendo parcerias ganha-ganha

Seminário GVcev. Relacionamento Varejo e Indústria: desenvolvendo parcerias ganha-ganha Seminário GVcev Relacionamento Varejo e Indústria: desenvolvendo parcerias ganha-ganha Tecnologia como alavancador de relacionamentos Alejandro S. Padron padron@br.ibm.com No ciclo de vida de um produto,

Leia mais

Sistemas de Gestão de Arquivos

Sistemas de Gestão de Arquivos Sistemas de Gestão de Arquivos de acordo com o MoReq2010 Ricardo Vieira (rjcv@tecnico.ulisboa.pt) 6/14/2014 Workshop BAD - Sistemas de Gestão de Arquivos 1 De acordo com a ISO 15489 (NP4438) Terminologia

Leia mais

Portais Corporativos

Portais Corporativos Portal Corporativo ou Collaborative Portal ou Intranet Portais Corporativos Informação e Gestão do Conhecimento Organização dos canais de informação Acesso aos sistemas da empresa Interligação do portal

Leia mais

Business Process Management. A Gestão Colaborativa dos Processos e da sua Performance em QPR

Business Process Management. A Gestão Colaborativa dos Processos e da sua Performance em QPR Business Process Management A Gestão Colaborativa dos Processos e da sua Performance em QPR Quais são os desafios típicos das empresas na Gestão de Processos? > Criar e manter a informação associada aos

Leia mais

Arquitectura Departamento de Engenharia Informática Instituto Superior Técnico

Arquitectura Departamento de Engenharia Informática Instituto Superior Técnico www.ea-kye.com Comemoração do 10º Aniversário do POSI Professor Pedro Sousa Arquitectura Departamento de Engenharia Informática Instituto Superior Técnico Empresarial 13 OUTUBRO 2008 Arquitectura Empresarial

Leia mais

Por existir diferentes níveis em uma organização, existem diferentes tipos de sistemas servindo cada nível organizacional

Por existir diferentes níveis em uma organização, existem diferentes tipos de sistemas servindo cada nível organizacional Por existir diferentes níveis em uma organização, existem diferentes tipos de sistemas servindo cada nível organizacional Fonte: Tipos de Sistemas de Informação (Laudon, 2003). Fonte: Tipos de Sistemas

Leia mais

Business Intelligence: Desafios e Melhores Práticas

Business Intelligence: Desafios e Melhores Práticas Sucesu RJ - IV Congresso de Inteligência Competitiva Business Intelligence: Desafios e Melhores Práticas Eugenio Pedrosa Petrobras Roteiro Arquitetura de BI Evolução da BI nas Empresas Corporate Performance

Leia mais

Resumo dos principais conceitos. Resumo dos principais conceitos. Business Intelligence. Business Intelligence

Resumo dos principais conceitos. Resumo dos principais conceitos. Business Intelligence. Business Intelligence É um conjunto de conceitos e metodologias que, fazem uso de acontecimentos e sistemas e apoiam a tomada de decisões. Utilização de várias fontes de informação para se definir estratégias de competividade

Leia mais

Business Intelligence e ferramentas de suporte

Business Intelligence e ferramentas de suporte O modelo apresentado na figura procura enfatizar dois aspectos: o primeiro é sobre os aplicativos que cobrem os sistemas que são executados baseados no conhecimento do negócio; sendo assim, o SCM faz o

Leia mais

3. PLANEAMENTO DA PRODUÇÃO (NÍVEL 1)

3. PLANEAMENTO DA PRODUÇÃO (NÍVEL 1) 3. PLANEAMENTO DA PRODUÇÃO (NÍVEL 1) Neste ponto, são abordados os módulos de planeamento da produção do software BaaN. Este software dispõe dos seguintes três módulos complementares de planeamento: MPS

Leia mais

ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 versão DIS Principais alterações

ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 versão DIS Principais alterações ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 versão DIS Principais alterações Raquel Silva 02 Outubro 2014 ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 ISO 9001:2015 e ISO 14001:2015 PUBLICAÇÃO DIS: - Draft International Standard

Leia mais

Sistemas de Informações

Sistemas de Informações Sistemas de Informações Prof. Marco Pozam- mpozam@gmail.com A U L A 0 4 Ementa da disciplina Sistemas de Informações Gerenciais: Conceitos e Operacionalização. Suporte ao processo decisório. ERP Sistemas

Leia mais

BUSINESS PROCESS MAGANENT (BPMS): PADRONIZAÇÃO DE PROCESSOS CORPORATIVOS.

BUSINESS PROCESS MAGANENT (BPMS): PADRONIZAÇÃO DE PROCESSOS CORPORATIVOS. BUSINESS PROCESS MAGANENT (BPMS): PADRONIZAÇÃO DE PROCESSOS CORPORATIVOS. CASTRO, Gabriela Jorge; REIS, Luciana de Cássia; GIROTTO, Márcia; MARTINS, Murilo Mello; TAMAE,Rodrigo Yoshio RESUMO O artigo analisa

Leia mais

CEA439 - Gestão da Tecnologia da Informação

CEA439 - Gestão da Tecnologia da Informação CEA439 - Gestão da Tecnologia da Informação Janniele Aparecida Como uma empresa consegue administrar toda a informação presente nesses sistemas? Não fica caro manter tantos sistemas diferentes? Como os

Leia mais

ERP Enterprise Resource Planning. (Planejamento de Recursos Empresariais)

ERP Enterprise Resource Planning. (Planejamento de Recursos Empresariais) ERP Enterprise Resource Planning (Planejamento de Recursos Empresariais) ERP Os ERPs, em termos gerais, são plataformas de software desenvolvida para integrar os diversos departamentos de uma empresa;

Leia mais

Data Warehousing e OLAP

Data Warehousing e OLAP Data Warehousing e OLAP Jornadas de Engenharia Informática Instituto Politécnico da Guarda Henrique Madeira Departamento de Engenharia Informática Faculdade de Ciências e Tecnologia Universidade de Coimbra

Leia mais

Gestão do conhecimento

Gestão do conhecimento Gestão do Exemplos e aplicações Luis Manuel Borges Gouveia, lmbg@ufp.pt Janeiro de 2002 O SI, a GI e o Negócio Gestão e pessoas GESTÃO DA INFORMAÇÃO Organização e procedimentos SISTEMA DE INFORMAÇÃO missão

Leia mais

IDC Portugal: Av. António Serpa, 36 9º Andra, 1050-027 Lisboa, Portugal Tel. 21 796 5487 www.idc.com

IDC Portugal: Av. António Serpa, 36 9º Andra, 1050-027 Lisboa, Portugal Tel. 21 796 5487 www.idc.com CADERNO IDC Nº 49 IDC Portugal: Av. António Serpa, 36 9º Andra, 1050-027 Lisboa, Portugal Tel. 21 796 5487 www.idc.com Web Services OPINIÃO IDC Apesar de não constituírem uma alteração tecnológica radical,

Leia mais

Efficient Customer Response

Efficient Customer Response Efficient Customer Response Relatório Sistemas de Negócio Electrónico Bruno Silva ( ee96119@fe.up.pt ) Filipe Mendes ( ee96002@fe.up.pt ) Higino Costa ( ee95136@fe.up.pt ) Nuno Nunes ( ee99043@fe.up.pt

Leia mais

» apresentação. WORKFLOW que significa?

» apresentação. WORKFLOW que significa? » apresentação WORKFLOW que significa? WORKFLOW não é mais que uma solução que permite sistematizar de forma consistente os processos ou fluxos de trabalho e informação de uma empresa, de forma a torná-los

Leia mais

SpreadSheet Server Integração on-line com SAP

SpreadSheet Server Integração on-line com SAP SpreadSheet Server Integração on-line com SAP A Global Software Fundada em 1973, de capitais privados com larga experiência Financeira / ERP Fornecedor No. 1 mundial de automação para Microsoft Excel Sede

Leia mais

MicroStrategy Best in Business Intelligence

MicroStrategy Best in Business Intelligence MicroStrategy Best in Business Intelligence A Evolução do Business Intelligence e o seu valor nos Processos de Decisão Luis Pereira MicroStrategy Portugal, 30 de Setembro de 2008 Business Intelligence

Leia mais

EVOLUÇÃO DO CONCEITO DE MES

EVOLUÇÃO DO CONCEITO DE MES MAXMES EVOLUÇÃO DO CONCEITO DE MES White Paper Maxmes # 01 07/2009 MAXMES www.maxmes.com.br 1.0 Introdução A AMR Research conceituou o MES em 1990 como um sistema de informação que residia entre a automação

Leia mais

DCC133 Introdução à Sistemas de Informação. E-business global e colaboração

DCC133 Introdução à Sistemas de Informação. E-business global e colaboração Curso de Bacharelado em Sistemas de Informação DCC133 Introdução à Sistemas de Informação TÓPICO 2 E-business global e colaboração Prof. Tarcísio de Souza Lima OBJETIVOS DE ESTUDO Identificar e descrever

Leia mais

tendências e tecnologias

tendências e tecnologias aplicações e tecnologias avançadas de sistemas de informação Sistemas de Informação Luis Manuel Borges Gouveia lmbg@ufp.pt Novembro de 2001 tendências e tecnologias Tendências adaptabilidade convergência

Leia mais