Mestrado Profissional em Administração. Disciplina: Análise Multivariada Professor: Hedibert Freitas Lopes 1º trimestre de 2015

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Mestrado Profissional em Administração. Disciplina: Análise Multivariada Professor: Hedibert Freitas Lopes 1º trimestre de 2015"

Transcrição

1 Mestrado Profissional em Administração Disciplina: Análise Multivariada Professor: Hedibert Freitas Lopes º trimestre de 205

2 Modelagem de Equações Estruturais Análise Fatorial Confirmatória Análise de Caminhos HAIR et al., Cap. 2

3 Introdução No exemplo das bebidas, quantos constructos são esperados?. A marca tem um sabor refrescante. 2. A prefiro essa marca por ter menos calorias. 3. A marca elimina minha sede imediatamente. 4. Gosto do sabor adocicado da marca. 5. Prefiro consumir a marca após atividade física, pois me dá energia. 6. Prefiro a marca pois vem numa embalagem que não agride o meio ambiente. 7. A marca tem minerais e vitaminas que mantêm baixa a necessidade de água de meu corpo. 8. A marca tem um sabor único. 9. A marca possui uma mistura de minerais e vitaminas que é saudável para o meu corpo. 0. Eu prefiro a marca quando realmente estou com sede. 3

4 Introdução Constructo Sabor relacionado com:. A marca tem um sabor refrescante. 4. Gosto do sabor adocicado da marca. 8. A marca tem um sabor único. Constructo Saúde relacionado com 2. A prefiro essa marca por ter menos calorias. 5. Prefiro consumir a marca após atividade física, pois me dá energia. 9. A marca possui uma mistura de minerais e vitaminas que é saudável para o meu corpo. 4

5 Introdução Constructo Sede relacionado com 3. A marca elimina minha sede imediatamente. 7. A marca tem minerais e vitaminas que mantêm baixa a necessidade de água de meu corpo. 0. Eu prefiro a marca quando realmente estou com sede. Constructo Preocupação com o meioambiente relacionado com 6. Prefiro a marca pois vem numa embalagem que não agride o meio ambiente. 5

6 Solução Rotacionada Fatores Rotacionados Variável X2 0,95 0,2 0,05-0,02 X9 0,93 0,28 0,07-0,05 X5 0,93 0,26 0, -0,08 X7 0,23 0,92-0,23-0,03 X3 0,29 0,90-0,7-0,04 X0 0,27 0,90-0,20-0,02 X4 0,03-0,09 0,95 0,05 X8 0,06-0,22 0,93 0,05 X 0,3-0,22 0,9-0,04 X6-0,08-0,04 0,04 0,99 Fator = Saúde Fator 2 = Sede Fator 3= Sabor Fator 4 = Meio-ambiente Os fatores correspondem aos constructos esperados 6

7 e e4 e8 e3 X X4 X8 X3 y Diagrama de caminho de uma Análise Fatorial Exploratória e0 X0 y 2 e7 e2 e5 e9 X7 X2 X5 X9 y 3 Y : Sabor Y 2 : Sede Y 3 : Saúde Y 4 : Ambiente y e6 X6 4 7

8 e X e4 e8 e3 e0 X4 X8 X3 X0 y y 2 Diagrama de caminho de uma Análise Fatorial Confirmatória e7 X7 e2 e5 e9 X2 X5 X9 y 3 y e6 X6 4 Y : Sabor Y 2 : Sede Y 3 : Saúde Y 4 : Ambiente 8

9 Como medir os constructos? Análise fatorial exploratória: X ij = a j Saúde i + a j2 Sede i + a j3 Sabor i + a j4 Meio i + erro ij Ideal: (Análise fatorial confirmatória) X ij = a j Saúde i + erro ij se j = 2,5,9. X ij = a j2 Sede i + erro ij se j = 3,7,0. X ij = a j3 Sabor i + erro ij se j =,4,8. X i6 = a 64 Meio i + erro i6 9

10 Objetivos da Modelagem de Equações Estruturais Fornecer explicações das correlações observadas através de modelos de causa e efeito entre as variáveis. 0

11 ASPECTOS GERAIS É uma extensão da análise de regressão múltipla e da análise fatorial resultou da combinação da evolução da modelagem de multiequações desenvolvida principalmente na Econometria dos princípios de mensuração da Psicologia e Sociologia surgiu em 970 e foi inspirada no trabalho de Goldberger publicado na Psycometrica, 97

12 Modelagem de Modelagem de Equações Estruturais Equações Estruturais Modelo Estrutural Modelo de = + Mensuração Análise de regressão Análise fatorial 2

13 Diagrama de Caminho - transmite as idéias conceituais básicas do modelo - fonte para derivação das equações se : : variáveis observadas ; : variáveis latentes (não observadas) ; sem figura : erros -> : influência direta ; <-> : influência recíproca; lin: correlação - variáveis dependentes recebem flecha de sentido único - incluir todas as influências diretas - as relações causais são lineares 3

14 Tipos de variáveis Variáveis exógenas: constructo ou variável que tem ação somente de preditora ou causa para outros constructos ou variáveis do modelo. Num diagrama de caminho, as variáveis exógenas têm somente setas saindo delas. Variáveis endógenas: constructo ou variável que é dependente ou variável de saída de pelo menos uma relação causal. Num diagrama de caminho, as variáveis endógenas recebem pelo menos uma seta. 4

15 Modelo de Mensuração especifica como as variáveis latentes são mensuradas através das variáveis observadas (analogia: análise fatorial) razões de uso : dificuldade para medir o conceito diretamente atitudes, motivações, alegria 5

16 Exemplo (análise fatorial confirmatória) entrega rápida nível de preço flexibilidade preço ESTRATÉGIA qualidade produto imagem fabricante imagem vendedores IMAGEM 6

17 Exemplo (análise fatorial confirmatória) X =entrega rápida X 2 = nível de preço X 3 = flexibilidade preço b 2 b 3 b ESTRATÉGIA X 4 = qualidade produto b 4 X 5 = imagem fabricante X 6 = imagem vendedores b 5 b 6 2 IMAGEM 7

18 Exemplo - Modelo proposto Equações: Variáveis observadas Constructos Erro X = b + X 2 = b X 3 = b X 4 = b X 5 = b X 6 = b Correlação entre constructos exógenos: 8

19 Exemplo 2 - Modelo Estrutural X cooperação Y satisfação X 2 ambiente Y 3 rotatividade X 3 salário Y 2 compromisso Y = β X + β 2 X 2 + ζ Y 2 = θ 2 Y +θ 23 X 3 + ζ 2 Y 3 = θ 3 Y + θ 32 Y 2 + ζ 3 9

20 Exemplo 3: Papel de limpeza 20

21 Planejamento do Estudo 2

22 Teoria de Marketing 22

23 Teoria de Marketing 23

24 Atributos 24

25 Definição das variáveis 25

26 Coleta dos dados 26

27 Objetivo / Problema 27

28 Objetivo / Problema 28

29 Análise Fatorial Exploratória (usual) 29

30 30

31 Proposta inicial 3

32 Modelo ideal 32

33 Modelo ideal 33

34 34

35 35

36 Equações geradas pelo diagrama de caminho (análise fatorial confirmatória) 36

37 37

38 Equações geradas pelo diagrama de caminho (Modelo de equações estruturais) 38

39 Exemplo 4: Bebidas X. A marca tem um sabor refrescante. X2. A prefiro essa marca por ter menos calorias. X3. A marca elimina minha sede imediatamente. X4. Gosto do sabor adocicado da marca. X5. Prefiro consumir a marca após atividade física, pois me dá energia. X6. Prefiro a marca pois vem numa embalagem que não agride o meio ambiente. X7. A marca tem minerais e vitaminas que mantêm baixa a necessidade de água de meu corpo. X8. A marca tem um sabor único. X9. A marca possui uma mistura de minerais e vitaminas que é saudável para o meu corpo. X0. Eu prefiro a marca quando estou com muita sede. 39

40 Modelo proposto Fator (Sabor): X (sabor refrescante), X4 (sabor adocicado) e X8 (sabor único). Fator 2 (Sede): X3 (elimina a sede), X7 ( m i n e r a i s e v i t a m i n a s m i n i m i z a m necessidade de água) e X0 (muita sede). Fator 3 (Saúde): X2 (menos calorias), X5 (energia) e X9 (saudável) 40

41 Diagrama de caminho Sede Z3 Z7 Z0 Sabor Sau de Z Z4 Z8 Z2 Z5 Z Obs.: Entrar com as variáveis padronizadas: Z,..., Z0. 4

42 Diagrama de caminho com as estimativas dos parâmetros Sede Z3 -.8e-6 Z7.7e-6 Z0.2e-6 Sabor e Sau de Z -.8e-6 Z4-2.2e-6 Z8.7e-6 Z2.3e-6 Z5 5.8e-7 Z9 5.9e e e e e-02 Obs.: Usar estimativas padronizadas 42

43 AMOS Amos: é um programa do SPSS que roda equações estruturais (é necessário ter o SPSS) Obs: instalar versão demo contida na página Papers.cfm? ProductID=0000&Name=Amos 43

44 Pacote SEM do R Fox, J. (2006) Structural equation modeling with the sem package in R. Structural Equation Modeling 3: Raftery, A. E. (993) Bayesian model selection in structural equation models. In Bollen, K. A. and Long, J. S. (eds.) Testing Structural Equation Models, Sage. Raftery, A. E. (995) Bayesian model selection in social research (with discussion). Sociological Methodology 25,

Mestrado Profissional em Administração. Disciplina: Análise Multivariada Professor: Hedibert Freitas Lopes 1º trimestre de 2015

Mestrado Profissional em Administração. Disciplina: Análise Multivariada Professor: Hedibert Freitas Lopes 1º trimestre de 2015 Mestrado Profissional em Administração Disciplina: Análise Multivariada Professor: Hedibert Freitas Lopes 1º trimestre de 2015 Análise Fatorial MANLY, Cap. 7 HAIR et al., Cap. 3 2 Objetivos: Análise Fatorial!

Leia mais

Mestrado Profissional em Administração. Disciplina: Análise Multivariada Professor: Hedibert Freitas Lopes 1º trimestre de 2015

Mestrado Profissional em Administração. Disciplina: Análise Multivariada Professor: Hedibert Freitas Lopes 1º trimestre de 2015 Mestrado Profissional em Administração Disciplina: Análise Multivariada Professor: Hedibert Freitas Lopes 1º trimestre de 2015 Análise de Correlação Canônica MANLY, Cap. 10 HAIR et al., Cap. 8 2 Objetivos

Leia mais

7.1 APENDICE 1: TÉCNICAS DE ANÁLISE DE DADOS MULTIVARIADOS

7.1 APENDICE 1: TÉCNICAS DE ANÁLISE DE DADOS MULTIVARIADOS 7 APENDICES 150 71 APENDICE 1: TÉCNICAS DE ANÁLISE DE DADOS MULTIVARIADOS 711 ANÁLISE DE FATOR Como descrito na fundamentação teórica, a análise de fator é uma técnica de análise de dados multivariados

Leia mais

EC330 Tratamento da Informação

EC330 Tratamento da Informação EC330 Tratamento da Informação Prof. Dr. Maurício U. Kleinke PECIM PPG em Ensino de Ciências e Matemática Grupo de Ensino e Avaliação DFA/IFGW/Unicamp Visão além do alcance: uma introdução à análise fatorial

Leia mais

FUNDAMENTOS DA EMPRESA ENXUTA

FUNDAMENTOS DA EMPRESA ENXUTA FUNDAMENTOS DA EMPRESA ENXUTA Prof. Darli Rodrigues Vieira darli@darli.com.br O QUE ESTÁ POR TRÁS DA IDÉIA DE EMPRESA ENXUTA? ELIMINAÇÃO DE TODO TIPO DE DESPERDÍCIO NO SUPPLY VELOCIDADE FLEXIBILIDADE QUALIDADE

Leia mais

Diagnóstico em psicoterapia. Método psicoterapêutico e da avaliação dos seus resultados. Ética dos processos terapêuticos.

Diagnóstico em psicoterapia. Método psicoterapêutico e da avaliação dos seus resultados. Ética dos processos terapêuticos. COMUNS AO DOUTORADO ANÁLISE DE VARIÂNCIA E DE REGRESSÃO Análise de regressão múltipla. Tipos mais comuns de análise de regressão. Análise de variância para planos fatoriais (ANOVA). Análise de variância

Leia mais

LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE

LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA GESTÃO AMBIENTAL E DA QUALIDADE MUITOS DOS PROBLEMAS MAIS CRÍTICOS NÃO ESTÃO NO MUNDO DAS COISAS, MAS NO MUNDO DAS PESSOAS. DESENVOLVIMENTO: APTIDÕES TÉCNICAS >>> HABILIDADES SOCIAIS CIÊNCIAS BEM SUCEDIDAS X CIÊNCIAS MAL SUCEDIDAS. -

Leia mais

26/05 - Convergência de Métodos para Avaliação de Dados: Fatorial, Clusters e Testes Bivariados. 11 02/06 - Regressão Linear Simples e Múltipla

26/05 - Convergência de Métodos para Avaliação de Dados: Fatorial, Clusters e Testes Bivariados. 11 02/06 - Regressão Linear Simples e Múltipla PLANO DE ENSINO Universidade Positivo Curso: MESTRADO EM ADMINISTRAÇÃO Área de concentração: Organizações, Gestão e Sociedade Disciplina: Métodos Quantitativos Administração de Pesquisa Carga horária total:

Leia mais

4 Análise dos Resultados

4 Análise dos Resultados 55 4 Análise dos Resultados Este capítulo apresenta os resultados obtidos a partir de survey realizada com jovens universitários chilenos. Para compor a base de dados, foram utilizadas as respostas de

Leia mais

O Uso da Técnica de Modelagem em Equaçőes Estruturais na Área de Marketing: um Estudo Comparativo entre Publicaçőes no Brasil e no Exterior

O Uso da Técnica de Modelagem em Equaçőes Estruturais na Área de Marketing: um Estudo Comparativo entre Publicaçőes no Brasil e no Exterior O Uso da Técnica de Modelagem em Equaçőes Estruturais na Área de Marketing: um Estudo Comparativo entre Publicaçőes no Brasil e no Exterior Vinícius Andrade Brei Guilherme Liberali Neto RESUMO Este artigo

Leia mais

Uso de modelagem de equações estruturais para testar a validade de construto

Uso de modelagem de equações estruturais para testar a validade de construto Uso de modelagem de equações estruturais para testar a validade de construto Juliana Alvares Duarte Bonini Campos Paula Cristina Jordani Patrícia Petromilli Nordi Sasso Garcia João Maroco Introdução A

Leia mais

4 Análise de Dados. 4.1 Perfil dos Respondentes

4 Análise de Dados. 4.1 Perfil dos Respondentes 4 Análise de Dados 4.1 Perfil dos Respondentes A taxa de resposta foi de aproximadamente 8% de respostas na amostra de clientes que compram fora da loja (telefone e/ou Internet) e 3% na amostra de clientes

Leia mais

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Disciplina: Projeto de Implementação de Sistemas Arquivísticos. Profa.

Universidade de Brasília. Faculdade de Ciência da Informação. Disciplina: Projeto de Implementação de Sistemas Arquivísticos. Profa. Universidade de Brasília Faculdade de Ciência da Informação Disciplina: Projeto de Implementação de Sistemas Arquivísticos Profa. Lillian Alvares Produto É algo que pode ser oferecido para satisfazer um

Leia mais

Fulano de Tal. Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 FINXS 09.12.2014

Fulano de Tal. Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 FINXS 09.12.2014 Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 Este relatório baseia-se nas respostas apresentadas no Inventário de Análise Pessoal comportamentos observados através questionário

Leia mais

Expanda suas Capacidades Analíticas

Expanda suas Capacidades Analíticas Módulos IBM SPSS Statistics Expanda suas Capacidades Analíticas Um guia resumido dos módulos para o IBM SPSS Statistics Base Destaques Existem vários produtos IBM SPSS para te ajudar em cada fase do projeto

Leia mais

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO INDUSTRIAL

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO INDUSTRIAL DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO INDUSTRIAL EMENTA DAS DISCIPLINAS 1º Período GADM 7712-TGA - TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO (4.0.0) 4 Introdução; Antecedentes Históricos;

Leia mais

Palestra. Gestão e Planejamento Estratégico. 22/05/2014 14h20 às 15h20

Palestra. Gestão e Planejamento Estratégico. 22/05/2014 14h20 às 15h20 Palestra Gestão e Planejamento Estratégico 22/05/2014 14h20 às 15h20 Empreendedor, Professor e Consultor. Especialista em Gestão de Negócios pela Fundação Dom Cabral (FDC) Bacharel em Direito pelo Centro

Leia mais

Processos empresariais como preditores de maturidade organizacional: uma aplicação da análise multivariada

Processos empresariais como preditores de maturidade organizacional: uma aplicação da análise multivariada Processos empresariais como preditores de maturidade organizacional: uma aplicação da análise multivariada Adriano Rodrigues de Melo 1 Vanessa Ferreira Sehaber 2 Jair Mendes Marques 3 1 Introdução A permanente

Leia mais

Módulo 4 PREVISÃO DE DEMANDA

Módulo 4 PREVISÃO DE DEMANDA Módulo 4 PREVISÃO DE DEMANDA Conceitos Iniciais Prever é a arte e a ciência de predizer eventos futuros, utilizando-se de dados históricos e sua projeção para o futuro, de fatores subjetivos ou intuitivos,

Leia mais

FIB - FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU CURSO DE PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSU

FIB - FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU CURSO DE PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSU FIB - FACULDADES INTEGRADAS DE BAURU CURSO DE PÓS - GRADUAÇÃO LATO SENSU GESTÃO INTEGRADA: PESSOAS E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO TURMA V E EIXOS TEMÁTICOS PARA A MONOGRAFIA FINAL Professor Ms. Carlos Henrique

Leia mais

Modelagem de Equações Estruturais: Exemplo Comentado da Aplicação Mediante a Utilização do Software AMOS

Modelagem de Equações Estruturais: Exemplo Comentado da Aplicação Mediante a Utilização do Software AMOS Abril de 20, vol. 03, n o. 04 ISSN 984-693 Modelagem de Equações Estruturais: Exemplo Comentado da Aplicação Mediante a Utilização do Software AMOS Flávio Régio Brambilla

Leia mais

Investigação Sociológica

Investigação Sociológica Investigação Sociológica Analisar modelos com Equações Estruturais Rui Brites rui.brites@iscte.pt 1 Modelação de Equações Estruturais (MEE) (SEM structural equations modeling) com SPSS/AMOS O essencial

Leia mais

Cheguei! Que bom que você voltou. Ei! Espere um pouco! Já volto! Aaaarg! Não consegui emagrecer nada! Objetivo: Perder 2,5 quilos! Abaixo os quilos!

Cheguei! Que bom que você voltou. Ei! Espere um pouco! Já volto! Aaaarg! Não consegui emagrecer nada! Objetivo: Perder 2,5 quilos! Abaixo os quilos! Cheguei! Que bom que você voltou. Ei! Espere um pouco! Já volto! Aaaarg! Não consegui emagrecer nada! Objetivo: Perder 2,5 quilos! Abaixo os quilos! Preciso chegar a um peso saudável! Hã?! Hum... Olá?

Leia mais

O MARKETING, A RESPONSABILIDADE SOCIAL E O LIXO. Cláudia Nabarro Munhoz 1. A questão do lixo é cada vez mais premente e mostra-se como um

O MARKETING, A RESPONSABILIDADE SOCIAL E O LIXO. Cláudia Nabarro Munhoz 1. A questão do lixo é cada vez mais premente e mostra-se como um O MARKETING, A RESPONSABILIDADE SOCIAL E O LIXO Cláudia Nabarro Munhoz 1 A questão do lixo é cada vez mais premente e mostra-se como um problema de cada cidadão e algo que pede decisões e ações diárias,

Leia mais

FUNDAMENTOS DE MARKETING

FUNDAMENTOS DE MARKETING FUNDAMENTOS DE MARKETING Há quatro ferramentas ou elementos primários no composto de marketing: produto, preço, (ponto de) distribuição e promoção. Esses elementos, chamados de 4Ps, devem ser combinados

Leia mais

Marketing Global Plano de Marketing

Marketing Global Plano de Marketing Administração Prof. Eder Polizei Marketing Global Plano de Marketing Marketing Global Nike é Americano??? Made in Ganado Empresa Global é aquela que opera em mais de um país e obtém vantagem em pesquisa

Leia mais

AJEGROUP O QUE É? Está entre os dez maiores fabricantes de bebida e é a quarta maior de refrigerantes no mundo.

AJEGROUP O QUE É? Está entre os dez maiores fabricantes de bebida e é a quarta maior de refrigerantes no mundo. AJEGROUP AJEGROUP O QUE É? Está entre os dez maiores fabricantes de bebida e é a quarta maior de refrigerantes no mundo. Início da operação de vendas dos produtos feitos em casa Operação expande para outros

Leia mais

AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR

AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR KOTLER, 2006 AS DECISÕES REFERENTES AOS CANAIS DE MARKETING ESTÃO ENTRE AS MAIS CRÍTICAS COM QUE AS GERÊNCIAS PRECISAM LIDAR. OS CANAIS AFETAM TODAS AS OUTRAS DECISÕES DE MARKETING Desenhando a estratégia

Leia mais

5.1. Avaliação das propriedades psicométricas do modelo de mensuração

5.1. Avaliação das propriedades psicométricas do modelo de mensuração 5 Análise dos dados 5.1. Avaliação das propriedades psicométricas do modelo de mensuração Antes de avaliar os resultados encontrados através deste trabalho de pesquisa foi necessário validar o modelo proposto

Leia mais

Projeto de Sistemas I

Projeto de Sistemas I Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de São Paulo Projeto de Sistemas I Professora: Kelly de Paula Cunha E-mail:kellypcsoares@ifsp.edu.br Requisitos: base para todo projeto, definindo o

Leia mais

Como fazer pesquisa de mercado? MARCO ANTONIO LIMA

Como fazer pesquisa de mercado? MARCO ANTONIO LIMA Como fazer pesquisa de mercado? Por quê fazer pesquisa de mercado? Qual é o meu negócio? Qual a finalidade do meu produto/serviço? Por quê fazer pesquisa de mercado? Eu sei o que estou vendendo, mas...

Leia mais

BRANDING. (Gestão de Marca) Juarez Leal

BRANDING. (Gestão de Marca) Juarez Leal BRANDING (Gestão de Marca) Juarez Leal Conceituação (marca) Marca país Marca setorial Construção de marca DEFINIÇÃO DE MARCA Marca é um nome, termo, sinal, símbolo ou combinação dos mesmos, que tem o propósito

Leia mais

De Boas Ideias para Uma Gestão Baseada em Processos

De Boas Ideias para Uma Gestão Baseada em Processos De Boas Ideias para Uma Gestão Baseada em Processos O que você vai mudar em sua forma de atuação a partir do que viu hoje? Como Transformar o Conteúdo Aprendido Neste Seminário em Ação! O que debatemos

Leia mais

Meu foco de atuação nos últimos 10 anos foi à área de Integração de Sistemas e o meu objetivo principal é o segmento de Telecom.

Meu foco de atuação nos últimos 10 anos foi à área de Integração de Sistemas e o meu objetivo principal é o segmento de Telecom. MODELOS DE CARTAS Prezados Sr. (a), Sou um executivo com mais de 15 anos de experiência e sucesso na Direção de Unidade de Negócios, abrangendo áreas de Serviços de IT, Vendas e Marketing, em empresas

Leia mais

Exercícios Aula 2 (com gabarito)

Exercícios Aula 2 (com gabarito) Gestão dos Prazos e Custos do Projeto Prof. Sérgio Ricardo do Nascimento Aula 2 31 de outubro de 2013 1 Gestão dos Prazos e Custos do Projeto - Prof. Sérgio Ricardo do Nascimento Aula 2 (com gabarito)

Leia mais

Metodologias de Desenvolvimento de Sistemas. Analise de Sistemas I UNIPAC Rodrigo Videschi

Metodologias de Desenvolvimento de Sistemas. Analise de Sistemas I UNIPAC Rodrigo Videschi Metodologias de Desenvolvimento de Sistemas Analise de Sistemas I UNIPAC Rodrigo Videschi Histórico Uso de Metodologias Histórico Uso de Metodologias Era da Pré-Metodologia 1960-1970 Era da Metodologia

Leia mais

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO

TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO TÍTULO: O CRM NA FIDELIZAÇÃO DE CLIENTES EM UMA EMPRESA DE MATERIAL PARA CONSTRUÇÃO CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE AURIFLAMA AUTOR(ES):

Leia mais

LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA

LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA LIDERANÇA SITUACIONAL E EMPREENDEDORA MUITOS DOS PROBLEMAS MAIS CRÍTICOS NÃO ESTÃO NO MUNDO DAS COISAS, MAS NO MUNDO DAS PESSOAS. DESENOLIMENTO: APTIDÕES TÉCNICAS >>> HABILIDADES SOCIAIS CIÊNCIAS BEM SUCEDIDAS CIÊNCIAS MAL SUCEDIDAS. - - MUDANÇA:

Leia mais

Curso ISO 9001:2008 Qualidade em Serviços

Curso ISO 9001:2008 Qualidade em Serviços Curso ISO 9001:2008 Qualidade em Serviços Guia Fundamental para Gestão de Qualidade em Serviços Objetivo Capacitar os participantes a interpretarem os requisitos da Norma ISO 9001:2008, relacionados aos

Leia mais

Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3

Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3 Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3 Prof. Me. Dennys Eduardo Rossetto. Objetivos da Aula 1. O composto de marketing. 2. Administração do P

Leia mais

FORTIFIQUE O FUTURO. Pré-misturas personalizadas de nutrientes Fortitech

FORTIFIQUE O FUTURO. Pré-misturas personalizadas de nutrientes Fortitech FORTIFIQUE O FUTURO Pré-misturas personalizadas de nutrientes Fortitech A Fortitech foi pioneira, aperfeiçoou e continua avançando em pré-misturas personalizadas de nutrientes. Nos mercados de todo o mundo,

Leia mais

Disciplina: Unidade I: Prof.: E-mail: Período:

Disciplina: Unidade I: Prof.: E-mail: Período: Encontro 05 Disciplina: Planejamento Estratégico de Marketing Unidade I: Introdução ao Planejamento Estratégico Prof.: Mario Filho E-mail: pro@mariofilho.com.br Período: 4º. ADM 2. Visão, Valores, Políticas,

Leia mais

UML Linguagem de Modelagem Unificada

UML Linguagem de Modelagem Unificada Modelagem de Sistemas UML Linguagem de Modelagem Unificada Prof. Mauro Lopes 1-25 Objetivos Nesta aula iremos apresentar os elementos conceituais da Linguagem de Modelagem Unificada (UML). Boa aula a todos.

Leia mais

Elaboração de Plano de Negócio Leandro Lind 04.Jun.2013. Encontro de Capacitação sobre Projetos Sociais Capacitado, você pode mais!

Elaboração de Plano de Negócio Leandro Lind 04.Jun.2013. Encontro de Capacitação sobre Projetos Sociais Capacitado, você pode mais! Elaboração de Plano de Negócio Leandro Lind 04.Jun.2013 Encontro de Capacitação sobre Projetos Sociais Capacitado, você pode mais! O que é importante para você? O que é importante para você? Saúde! O que

Leia mais

Modelos de Equações Estruturais em Psicologia: Conceitos e Aplicações. Structural Equation Modeling in Psychology: Concepts and Applications

Modelos de Equações Estruturais em Psicologia: Conceitos e Aplicações. Structural Equation Modeling in Psychology: Concepts and Applications Psicologia: Teoria e Pesquisa Abr-Jun 2007, Vol. 23 n. 2, pp. 205-26 Modelos de Equações Estruturais em Psicologia: Conceitos e Aplicações Ronaldo Pilati Jacob Arie Laros Universidade de Brasília RESUMO

Leia mais

ORGANIZAÇÃO DESTINATÁRIOS

ORGANIZAÇÃO DESTINATÁRIOS APRESENTAÇÃO os módulos de análise de dados em IBM SPSS Statistics, organizados pelo Centro de Investigação em Ciências Sociais da Universidade do Minho (CICS), pretendem contribuir para a difusão da utilização

Leia mais

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques

Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Plano de Marketing e Vendas e a Análise Estratégica do Negócio Fabiano Marques Nada é mais perigoso do que uma idéia, quando ela é a única que temos. (Alain Emile Chartier) Neste módulo, faremos, a partir

Leia mais

Levando em conta decisões de investimento não-triviais.

Levando em conta decisões de investimento não-triviais. Levando em conta decisões de investimento não-triviais. Olivier Blanchard* Abril de 2002 *14.452. 2º Trimestre de 2002. Tópico 4. 14.452. 2º Trimestre de 2002 2 No modelo de benchmark (e na extensão RBC),

Leia mais

ÍNDICE... 1 DICAS DE INSTAGRAM... 4 QUEM É ANA TEX?... 5 CONTEÚDO DE ALTA QUALIDADE... 6 CONSISTÊNCIA NAS POSTAGENS... 7

ÍNDICE... 1 DICAS DE INSTAGRAM... 4 QUEM É ANA TEX?... 5 CONTEÚDO DE ALTA QUALIDADE... 6 CONSISTÊNCIA NAS POSTAGENS... 7 1 Índice ÍNDICE... 1 DICAS DE INSTAGRAM... 4 QUEM É ANA TEX?... 5 CONTEÚDO DE ALTA QUALIDADE... 6 QUAL É O VALOR QUE VOCÊ PODE OFERECER PARA A SUA AUDIÊNCIA?... 6 CONSISTÊNCIA NAS POSTAGENS... 7 VOCÊ PRECISA

Leia mais

GESTÃO DO NÍVEL DE SERVIÇO E SEGMENTAÇÃO DE MERCADO PARA DIFERENCIAÇÃO DOS SERVIÇOS DE RH. PROFa. EVELISE CZEREPUSZKO

GESTÃO DO NÍVEL DE SERVIÇO E SEGMENTAÇÃO DE MERCADO PARA DIFERENCIAÇÃO DOS SERVIÇOS DE RH. PROFa. EVELISE CZEREPUSZKO GESTÃO DO NÍVEL DE SERVIÇO E SEGMENTAÇÃO DE MERCADO PARA DIFERENCIAÇÃO DOS SERVIÇOS DE RH PROFa. EVELISE CZEREPUSZKO O QUE É NÍVEL DE SERVIÇO LOGÍSTICO? É a qualidade com que o fluxo de bens e serviços

Leia mais

Técnicas de Vendas de Produtos e Serviços financeiros no setor bancário: planejamento, técnicas; motivação para vendas. Professora Renata Lourdes.

Técnicas de Vendas de Produtos e Serviços financeiros no setor bancário: planejamento, técnicas; motivação para vendas. Professora Renata Lourdes. Técnicas de Vendas de Produtos e Serviços financeiros no setor bancário: planejamento, técnicas; motivação para vendas. Professora Renata Lourdes. Administração de Vendas Planejamento, direção e controle

Leia mais

NORMALIZAÇÃO DE PROCESSOS MÓDULO 15 ATIVIDADE PRÁTICA PARTE I

NORMALIZAÇÃO DE PROCESSOS MÓDULO 15 ATIVIDADE PRÁTICA PARTE I NORMALIZAÇÃO DE PROCESSOS MÓDULO 15 ATIVIDADE PRÁTICA PARTE I Índice 1. Atividade Prática Parte I...3 2 1. ATIVIDADE PRÁTICA PARTE I 1. Entre as alternativas abaixo, aquela que melhor caracteriza o termo

Leia mais

Ao saber destes aumentos por jornais (impressos e TV), estimulamos a pergunta de se isso impacta na forma que ele gasta seu dinheiro:

Ao saber destes aumentos por jornais (impressos e TV), estimulamos a pergunta de se isso impacta na forma que ele gasta seu dinheiro: PESQUISA: 2015 AMOSTRA: 525 pessoas da classe AB 13 de dezembro 5 capitais brasileiros: Curitiba, São Paulo, Belo Horizonte, Salvador e Brasília A ideia da pesquisa foi entender as expectativas do brasileiro

Leia mais

Como mudar comportamentos? A psicologia social do trânsito

Como mudar comportamentos? A psicologia social do trânsito Laboratório de Psicologia Social Como mudar comportamentos? A psicologia social do trânsito Prof. Dr. Fabio Iglesias Audiência CDH Senado Mobilidade urbana Brasil é anti-exemplo Campeão mundial de mortes

Leia mais

FACULDADE REDENTOR ITAPERUNA RJ

FACULDADE REDENTOR ITAPERUNA RJ RESULTADOS DA PESQUISA DE PERCEPÇÃO E SATISFAÇÃO DOS CURSOS DE: MBA - GESTÃO ESTRATÉGICA DOS NEGÓCIOS MBA - GESTÃO ESTRATÉGICA COM PESSOAS FACULDADE REDENTOR 2012 ITAPERUNA RJ MODELO DA PESQUISA DE SATISFAÇÃO

Leia mais

ANÁLISE DAS DIMENSÕES DO BRAND EQUITY BASEADO NO CLIENTE: UM ESTUDO EM MODELAGEM DE EQUAÇÕES ESTRUTURAIS.

ANÁLISE DAS DIMENSÕES DO BRAND EQUITY BASEADO NO CLIENTE: UM ESTUDO EM MODELAGEM DE EQUAÇÕES ESTRUTURAIS. ISSN 1984-9354 ANÁLISE DAS DIMENSÕES DO BRAND EQUITY BASEADO NO CLIENTE: UM ESTUDO EM MODELAGEM DE EQUAÇÕES ESTRUTURAIS. Eduardo de Paula e Silva Chaves (USP) Dirceu Tornavoi de Carvalho (USP) Resumo Neste

Leia mais

O QUE FUNCIONA EM PUBLICIDADE NO VAREJO. Paulo Secches Officina Sophia

O QUE FUNCIONA EM PUBLICIDADE NO VAREJO. Paulo Secches Officina Sophia O QUE FUNCIONA EM PUBLICIDADE NO VAREJO Paulo Secches Officina Sophia Realização organização O QUE FUNCIONA E O QUE NÃO FUNCIONA NA COMUNICAÇÃO DE VAREJO Julho / 2012 TRÊS QUESTÕES-CHAVE A Comunicação

Leia mais

Empresa de Informática e Informação do Município de Belo Horizonte S/A PRODABEL

Empresa de Informática e Informação do Município de Belo Horizonte S/A PRODABEL Empresa de Informática e Informação do Município de Belo Horizonte S/A PRODABEL Diretoria de Sistema - DS Superintendência de Arquitetura de Sistemas - SAS Gerência de Arquitetura de Informação - GAAS

Leia mais

Classificação dos candidatos ao vestibular da FECILCAM via técnicas estatísticas multivariadas

Classificação dos candidatos ao vestibular da FECILCAM via técnicas estatísticas multivariadas Anais do CNMAC v. ISSN 1984-80X Classificação dos candidatos ao vestibular da FECILCAM via técnicas estatísticas multivariadas Tatiane C. da Silva Faculdade Estadual de Ciências e Letras de Campo Mourão

Leia mais

Correlação Canônica. Outubro / 1998. Versão preliminar. Fabio Vessoni. fabio@mv2.com.br (011) 30642254. MV2 Sistemas de Informação

Correlação Canônica. Outubro / 1998. Versão preliminar. Fabio Vessoni. fabio@mv2.com.br (011) 30642254. MV2 Sistemas de Informação Correlação Canônica Outubro / 998 Versão preliminar Fabio Vessoni fabio@mv.com.br (0) 306454 MV Sistemas de Informação Introdução Existem várias formas de analisar dois conjuntos de dados. Um dos modelos

Leia mais

168 spectrum O MARKETING E A ANÁLISE DE DADOS PARA A TOMADA DE DECISÕES

168 spectrum O MARKETING E A ANÁLISE DE DADOS PARA A TOMADA DE DECISÕES 168 O MARKETING E A ANÁLISE DE DADOS PARA A TOMADA DE DECISÕES FERNANDO AUGUSTO DE SÁ NEVES DOS SANTOS * MARIA MANUELA CARIA FIGUEIRA DE SÁ NEVES ** Resumo As decisões de marketing que têm por objectivo

Leia mais

1. Avaliação de impacto de programas sociais: por que, para que e quando fazer? (Cap. 1 do livro) 2. Estatística e Planilhas Eletrônicas 3.

1. Avaliação de impacto de programas sociais: por que, para que e quando fazer? (Cap. 1 do livro) 2. Estatística e Planilhas Eletrônicas 3. 1 1. Avaliação de impacto de programas sociais: por que, para que e quando fazer? (Cap. 1 do livro) 2. Estatística e Planilhas Eletrônicas 3. Modelo de Resultados Potenciais e Aleatorização (Cap. 2 e 3

Leia mais

COLEÇÃO 100% 18% 51% Reciclável Conteúdo Reciclado. Natural

COLEÇÃO 100% 18% 51% Reciclável Conteúdo Reciclado. Natural COLEÇÃO 51% Natural 100% 18% Reciclável Conteúdo Reciclado 3683032 3683033 3675040 3675044 COLEÇÃO SET 24025672 24025673 24025674 24024001 24024002 Base antiderrapante presente em todas as cores da coleção

Leia mais

Perfil de Investimento Entenda como planejar o seu futuro e o quanto é importante avaliar sua opção de investimento.

Perfil de Investimento Entenda como planejar o seu futuro e o quanto é importante avaliar sua opção de investimento. Perfil de Investimento Entenda como planejar o seu futuro e o quanto é importante avaliar sua opção de investimento. Olá! Estou aqui para esclarecer as dúvidas que geralmente o participante do Plano C

Leia mais

PREVISÃO DE VENDAS DE CERVEJA PARA UMA INDÚSTRIA DE RIBEIRÃO PRETO

PREVISÃO DE VENDAS DE CERVEJA PARA UMA INDÚSTRIA DE RIBEIRÃO PRETO PREVISÃO DE VENDAS DE CERVEJA PARA UMA INDÚSTRIA DE RIBEIRÃO PRETO José Gilberto S. Rinaldi (UNESP/Presidente Prudente) Randal Farago (Faculdades Integradas FAFIBE) Resumo: Este trabalho aborda técnicas

Leia mais

OBJETIVO VISÃO GERAL SUAS ANOTAÇÕES

OBJETIVO VISÃO GERAL SUAS ANOTAÇÕES OBJETIVO Combinar peças de mala direta criativas, concisas e sistemáticas com telefonemas, como um meio de formular uma estratégia de exploração e qualificação de prospects (clientes potenciais) mais eficaz

Leia mais

Pós-Graduação Curso Disciplina Ementa Horário Aulas Titulação Mínima Pré-requisito Indispensável Consultor Responável

Pós-Graduação Curso Disciplina Ementa Horário Aulas Titulação Mínima Pré-requisito Indispensável Consultor Responável Planilha atualizada em 14/07/2015. Curso Disciplina Ementa Horário Aulas Titulação Mínima Pré-requisito Indispensável Consultor Responável Prazo para envio de currículos Campus Publicidade e Marketing

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO 2º.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO 2º. UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS ADMINISTRATIVAS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO 2º. SEMESTRE 2015 DISCIPLINA: Pesquisa Quantitativa com Análise de Dados PROFESSOR:

Leia mais

MESTRADO EM PESQUISA DE MERCADOS 2006 2007

MESTRADO EM PESQUISA DE MERCADOS 2006 2007 MESTRADO EM PESQUISA DE MERCADOS 2006 2007 PROGRAMA DAS DISCIPLINAS 1 1º trimestre PESQUISA DE MERCADOS Objectivos Pretende-se que os alunos: (a) adquiram os conceitos e semântica próprios do tema, (b)

Leia mais

com níveis ótimos de Brand Equity, os interesses organizacionais são compatíveis com as expectativas dos consumidores.

com níveis ótimos de Brand Equity, os interesses organizacionais são compatíveis com as expectativas dos consumidores. Brand Equity O conceito de Brand Equity surgiu na década de 1980. Este conceito contribuiu muito para o aumento da importância da marca na estratégia de marketing das empresas, embora devemos ressaltar

Leia mais

Profª. Carolina Perez Campagnoli

Profª. Carolina Perez Campagnoli Profª. Carolina Perez Campagnoli Já não basta simplesmente satisfazer clientes. É preciso encantá-los. Marketing Marketing não é propaganda e nem publicidade; Marketing não é vendas; Marketing não é espetáculo;

Leia mais

Cliocar Acessórios: A construção de um negócio. A história de um empresário que saiu da estaca zero e construiu uma loja virtual de sucesso.

Cliocar Acessórios: A construção de um negócio. A história de um empresário que saiu da estaca zero e construiu uma loja virtual de sucesso. Cliocar Acessórios: A construção de um negócio A história de um empresário que saiu da estaca zero e construiu uma loja virtual de sucesso. 2 Conteúdo Resumo executivo... 2 Conhecendo o mercado... 2 Loja

Leia mais

Modelagem da Venda de Revistas. Mônica Barros. Julho de 1999. info@mbarros.com 1

Modelagem da Venda de Revistas. Mônica Barros. Julho de 1999. info@mbarros.com 1 Modelagem da Venda de Revistas Mônica Barros Julho de 1999 info@mbarros.com 1 Modelagem Matemática e Previsão de Negócios Em todas as empresas, grandes e pequenas, é necessário fazer projeções. Em muitos

Leia mais

Minha lista de sonhos

Minha lista de sonhos Licença No: # 122314/LS Fone: +55-11 5539-4719 E mail: vagner@programavirandoojogo.com.br Web: www.programavirandoojogo.com.br 2015 Minha lista de sonhos Com visão 2025 PREPARADO POR VAGNER MOLINA Rua

Leia mais

Marca. Seu desenvolvimento começa aqui!

Marca. Seu desenvolvimento começa aqui! IDEIAS sem execução não passam de SONHOS. Por isso a és MARKETING E DESENVOLVIMENTO contribui com os seus clientes para transformar SONHOS EM REALIDADE! A és Com 5 anos de atuação, a és Marketing e desenvolvimento,

Leia mais

Saúde e produtividade: um olhar sobre o cenário brasileiro. Cesar Lopes Líder de Saúde e Benefícios em Grupo, Towers Watson

Saúde e produtividade: um olhar sobre o cenário brasileiro. Cesar Lopes Líder de Saúde e Benefícios em Grupo, Towers Watson Saúde e produtividade: o valor de uma força de trabalho saudável para o sucesso nos negócios Saúde e produtividade: um olhar sobre o cenário brasileiro Cesar Lopes Líder de Saúde e Benefícios em Grupo,

Leia mais

Alimentix 2. O teu jogo dos Alimentos. Jogar. Como Jogar?

Alimentix 2. O teu jogo dos Alimentos. Jogar. Como Jogar? Alimentix 2 O teu jogo dos Alimentos Jogar Como Jogar? Olá amigo! O Alimentix 2 é um jogo extraordinário onde vais poder explorar o fantástico mundo dos alimentos. Estás pronto? 1. O Alimentix 2 é composto

Leia mais

PASSO A PASSO: CRIAÇÃO DE PERSONAS

PASSO A PASSO: CRIAÇÃO DE PERSONAS PASSO A PASSO: CRIAÇÃO DE PERSONAS INTRODUÇÃO 1) INTRODUÇAO 2) PERGUNTAS O que é uma persona? Uma persona é a representação hipotética de um cliente ideal, com dados pertinentes sobre sua personalidade,

Leia mais

Modelos Logísticos e Hierárquicos

Modelos Logísticos e Hierárquicos 1 Modelos Logísticos e Hierárquicos Ernesto F. L. Amaral Magna M. Inácio 30 de setembro de 2010 Tópicos Especiais em Teoria e Análise Política: Problema de Desenho e Análise Empírica (DCP 859B4) REGRESSÃO

Leia mais

Estudos de Imagem e Notoriedade

Estudos de Imagem e Notoriedade Estudos de Imagem e Notoriedade 1- Enquadramento O Serviço: Relatórios Avaliação da Imagem e Notoriedade das organizações, bem como da força de marca e posicionamento face à concorrência. Para que Serve:

Leia mais

Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender Informações e Contatos

Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender Informações e Contatos FORMAR SEU PREÇO Ficha Técnica 2015 Mania de Empreender TODOS OS DIREITOS RESERVADOS Não é permitida a reprodução total ou parcial de qualquer forma ou por qualquer meio. Informações e Contatos Mania de

Leia mais

Competências essenciais para o sucesso profissional

Competências essenciais para o sucesso profissional Competências essenciais para o sucesso profissional INTRODUÇÃO Ensaio As 15 regras da competência, por Tom Coelho, publicado no site Canal da Estratégia. Ensaio baseado nos estudos do psicólogo David McClelland

Leia mais

MODELOS ESPACIAIS DE ACIDENTES DE TRÂNSITO COM ÓBITOS

MODELOS ESPACIAIS DE ACIDENTES DE TRÂNSITO COM ÓBITOS MODELOS ESPACIAIS DE ACIDENTES DE TRÂNSITO COM ÓBITOS Murilo Castanho dos Santos Cira Souza Pitombo MODELOS ESPACIAIS DE ACIDENTES DE TRÂNSITO COM ÓBITOS Murilo Castanho dos Santos Cira Souza Pitombo Universidade

Leia mais

FTAD. Formação Técnica em Administração de Empresas. Gestão da Qualidade

FTAD. Formação Técnica em Administração de Empresas. Gestão da Qualidade FTAD Formação Técnica em Administração de Empresas Gestão da Qualidade Aula 5 O PROCESSO DE CERTIFICAÇÃO Objetivo: Compreender os requisitos para obtenção de Certificados no Sistema Brasileiro de Certificação

Leia mais

Estratégias de Pesquisa

Estratégias de Pesquisa Estratégias de Pesquisa Ricardo de Almeida Falbo Metodologia de Pesquisa Departamento de Informática Universidade Federal do Espírito Santo Agenda Survey Design e Criação Estudo de Caso Pesquisa Ação Experimento

Leia mais

BOLSA DO EMPREENDEDORISMO 2015. Sara Medina saramedina@spi.pt. IDI (Inovação, Investigação e Desenvolvimento) - Algumas reflexões

BOLSA DO EMPREENDEDORISMO 2015. Sara Medina saramedina@spi.pt. IDI (Inovação, Investigação e Desenvolvimento) - Algumas reflexões BOLSA DO EMPREENDEDORISMO 2015 INSERIR IMAGEM ESPECÍFICA 1 I. Sociedade Portuguesa de Inovação (SPI) Missão: Apoiar os nossos clientes na gestão de projetos que fomentem a inovação e promovam oportunidades

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA CURSOS DE ESTATÍSTICA. Versão Final

DIRETRIZES CURRICULARES PARA CURSOS DE ESTATÍSTICA. Versão Final MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR DEPARTAMENTO DE POLÍTICAS DE ENSINO SUPERIOR COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE MATEMÁTICA E ESTATÍSTICA

Leia mais

MÉTODOS QUANTITATIVOS EM MARKETING. Prof.: Otávio Figueiredo e-mail: otavio@ufrj.br

MÉTODOS QUANTITATIVOS EM MARKETING. Prof.: Otávio Figueiredo e-mail: otavio@ufrj.br MÉTODOS QUANTITATIVOS EM MARKETING Prof.: Otávio Figueiredo e-mail: otavio@ufrj.br ESTATÍSTICA População e Amostra População Amostra Idéia Principal Resumir para entender!!! Algumas Técnicas Pesquisa de

Leia mais

Estratégias de marketing para serviços de alimentação Prof. Dr. Raul Amaral

Estratégias de marketing para serviços de alimentação Prof. Dr. Raul Amaral Estratégias de marketing para serviços de alimentação Prof. Dr. Raul Amaral 1) Estratégias de produtos e serviços. 2) Estratégias de preços. 3) Estratégias de promoção e vendas. 1) Estratégias de produtos

Leia mais

Teto da Complexidade. Tudo fica complicado, pouco é completado e a energia, satisfação de ser um empreendedor vai se apagando.

Teto da Complexidade. Tudo fica complicado, pouco é completado e a energia, satisfação de ser um empreendedor vai se apagando. Muitos executivos travam ao atingir certo nível de sucesso porque estão atolados em detalhes, demandas e atividades que sugam a energia, destruindo a confiança e a criatividade. Tudo fica complicado, pouco

Leia mais

1) Objetivos. 3) Estabelecer o Escopo do Software. 2) Principais Atividades

1) Objetivos. 3) Estabelecer o Escopo do Software. 2) Principais Atividades 1) Objetivos Tem como objetivo oferecer estimativas razoáveis de custo, recursos e cronogramas. Gera o plano do projeto de software. UNIDADE 4 100 2) Principais Atividades 1. Estabelecer o escopo do software.

Leia mais

Pretendemos também abordar as filosofias e os tipos de Marketing. Outro dos pontos abordados é o planeamento estratégico e o processo de Marketing.

Pretendemos também abordar as filosofias e os tipos de Marketing. Outro dos pontos abordados é o planeamento estratégico e o processo de Marketing. Universidade do Algarve Escola superior de Tecnologia Engenharia Elétrica e Eletrónica MARKETING Docente: Jaime Martins Discentes: Mário Sousa Nº25649 Mário Fontainhas Nº24148 Paulo Rodrigues Nº23615 Introdução

Leia mais

Modelos de mudanças comportamentais: da teoria à prática

Modelos de mudanças comportamentais: da teoria à prática Modelos de mudanças comportamentais: da teoria à prática Paula Marques Vidal Hospital São Camilo - Pompéia Modelos de Mudanças Comportamentais Team STEPPS - Christina Felsen CUSP - Linda Greene Positive

Leia mais

INTRODUÇÃO MARKETING

INTRODUÇÃO MARKETING Aula 2 INTRODUÇÃO AO MARKETING Prof. Fábio Guerra guerra@f12consultoria.com.br OBJETIVOS DA DISCIPLINA Objetivo da disciplina é demonstrar a importância do Marketing dentro da sociedade moderna, apresentando

Leia mais

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C

Mídias sociais como apoio aos negócios B2C Mídias sociais como apoio aos negócios B2C A tecnologia e a informação caminham paralelas à globalização. No mercado atual é simples interagir, aproximar pessoas, expandir e aperfeiçoar os negócios dentro

Leia mais

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília

Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília Rio de Janeiro São Paulo Belo Horizonte Brasília AVALIAÇÃO DA ADOÇÃO DE BPM NO BRASIL: ERROS, APRENDIZADOS E BOAS PRÁTICAS Leandro Jesus INVESTIR EM PROCESSOS:

Leia mais

DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES:

DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES: DISCIPLINAS TEORIA DAS ORGANIZAÇÕES: A Teoria das Organizações em seu contexto histórico. Conceitos fundamentais. Abordagens contemporâneas da teoria e temas emergentes. Balanço crítico. Fornecer aos mestrandos

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Logística Empresarial

Curso Superior de Tecnologia em Logística Empresarial PRIMEIRA FASE 01 CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL I Funções, gráficos e aplicações; cálculo diferencial e aplicações; funções de duas ou mais variáveis: derivadas parciais e aplicações; aplicação computacional

Leia mais

Como se tornar um líder de Sucesso!

Como se tornar um líder de Sucesso! Como se tornar um líder de Sucesso! Os 10 mandamentos do Como se tornar um líder de Sucesso! O líder é responsável pelo sucesso ou fracasso de uma organização. A liderança exige de qualquer pessoa, paciência,

Leia mais

SEBASTIÃO NELSON FREITAS MANUAL DE VENDAS. Um guia para o profissional de vendas

SEBASTIÃO NELSON FREITAS MANUAL DE VENDAS. Um guia para o profissional de vendas MANUAL DE VENDAS OBRAS DO AUTOR Como planejar suas vendas sem complicar dicas de estratégias e táticas, mais formulários práticos para o planejamento de vendas, coautoria de Abigail Felicciano. 2.ª ed.

Leia mais