Fundamentos de um Programa de Compliance: Responsabilidades da Auditoria, do RH e do Jurídico. Rogéria Gieremek

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fundamentos de um Programa de Compliance: Responsabilidades da Auditoria, do RH e do Jurídico. Rogéria Gieremek"

Transcrição

1 Fundamentos de um Programa de Compliance: Responsabilidades da Auditoria, do RH e do Jurídico Rogéria Gieremek 12 de Dezembro 2013

2 Fundamentos de um Programa de Compliance Compliance é uma palavra de origem inglesa, que significa conformidade... conformidade com as leis e com os regulamentos e/ou políticas internas da empresa. O Compliance tem por objetivos principais Prevenir danos à imagem e à reputação da empresa, dado que basta um ato isolado para destruir a imagem de uma empresa; Reduzir o número de ações judiciais e processos administrativos; Auxiliar na minimização de riscos e perdas financeiras (decorrentes, por exemplo, de danos à imagem; perda de valor da marca; ações judiciais/administrativas; fraudes e corrupção; dentre outros); e Agregar valor à empresa a ética nos negócios é um diferencial e proporciona mais segurança aos acionistas e aos próprios empregados, os quais terão orgulho de trabalhar em uma empresa ética. 2

3 Fundamentos de um Programa de Compliance A importância do Programa de Compliance nas empresas: O Compliance nas empresas estimula a observância de políticas internas e da legislação aplicável, faz com que a Companhia se fortaleça, reforce o seu modelo de gestão, as suas práticas de governança corporativa e, principalmente, assegure a observância de seus valores enquanto desenvolve a sua missão e persegue os seus objetivos estratégicos. Um dos pontos que demonstra claramente a importância do Compliance é a forma rotineira e permanente com que a área executa suas atividades, o que garante a possibilidade de monitoramento e de assegurar-se que todas as áreas estejam em conformidade com a legislação e com as políticas internas da empresa. 3

4 Implementação do Programa de Compliance: 07 Elementos Reporte Board Avaliação de Riscos Monitoramento e Teste dos Controles Treinamento e Conscientização Conhecimento das Políticas e Procedimentos Conhecimento do Ambiente Regulatório Responsabilidade de todos 4

5 A Gestão do Programa de Compliance é cíclica Políticas e Procedimentos Treinamento e Conscientização Comunicação Monitorament do Ambiente Regulatório Gestão de Questões de Compliance Envolvimento do Board - Tone at the Top Validação de Controles Testes e monitorament o Avaliação de Riscos 5

6 O que é essencial para implementar um Programa Compliance COMPONENTES Código de Conduta ou Ética que reflita a cultura da empresa Políticas e Procedimentos escritos: claros e simples/acessíveis Questõs de Compliance identificadas e recepcionadas/tratadas Recursos e Pessoas destinados à área Independência autonomia, Treinamento constante de Empregados e Terceiros/Parceiros Implementação de mudanças, sempre que necessário Auditoria Interna testando a efetividade dos controles e sugerindo melhorias, sempre que necessário Tone at the Top (Envolvimento do Board ) Canal de Denúncias (que permita o anonimato) 6

7 Responsabilidade da Auditoria Interna ou Externa dentro do Programa de Compliance Elemento: Monitoramento e Teste dos Controles A Auditoria testa a efetividade dos controles e sugere melhorias dos processos e controles, sempre que necessário; É uma atividade independente e de avaliação objetiva; Avalia a eficácia da gestão de riscos da empresa; Assim como Compliance, a Auditoria é um dos pilares da governança corporativa, por fortalecer os controles internos da empresa. 7

8 Responsabilidade da área de Recursos Humanos dentro do Programa de Compliance Elemento: Treinamento e Conscientização O RH é um importante parceiro de Compliance quanto ao desenvolvimento e direcionamento dos treinamentos e ações de comunicação e conscientização dos empregados quanto aos temas de compliance (i.e. jornais internos semanais, comunicados internos, treinamentos online, etc.); O RH é peça fundamental para a escolha dos profissionais da empresa que tenham o perfil atrelado aos seus valores e suas políticas internas; O RH também é responsável pela atração e seleção dos profissionais da área de Compliance. A seleção de bons profissionais para a área de Compliance é essencial para que o Programa de Compliance seja implementado e tenha sucesso! 8

9 O que é essencial para implementar um Programa Compliance: bons profissionais CARACTERISTICAS DO PROFISSIONAL DE COMPLIANCE Formação Acadêmica x Experiência; Rigidez e Acessibilidade: Duro com a aplicação das normas, mas amável com as pessoas - Wagner Giovanini, CCO da Siemens; Conhecimento do ambiente interno e externo da empresa; Desconfiança natural, mas com discrição; Identificação com os valores da empresa; Comunicação e confiabilidade; Atuação como exemplo de fazer o que é certo; Trabalho em em equipe bom trânsito nas diversas áreas da empresa. 9

10 Responsabilidade do Jurídico dentro do Programa de Compliance Elemento: Conhecimento do Ambiente Regulatório Objetivo comum: cumprimento das normas; O Juridico deve ser um importante parceiro de Compliance para o auxílio ao conhecimento e orientação quanto o ambiente regulatório que a empresa está inserida; Monitoramento de Leis e Projetos de Leis relevantes para a empresa; Avaliação de Legalidade; Desafio: funções ou responsabilidades similares ou complementares => necessidade de definição clara do escopo de cada área para que não haja sobreposições ou conflito de interesses. 10

11 Obrigada! Rogéria Gieremek, CCEP Compliance Latam Serasa Experian

A LEI ANTICORRUPÇÃO E AS POLÍTICAS DE COMPLIANCE. Agosto, 2014

A LEI ANTICORRUPÇÃO E AS POLÍTICAS DE COMPLIANCE. Agosto, 2014 A LEI ANTICORRUPÇÃO E AS POLÍTICAS DE COMPLIANCE Agosto, 2014 Lei Anticorrupção Brasileira: Lei 12.846/2013 Aspectos Gerais: Vigência: Entrou em vigor em 29/01/2014; Será regulamentada. Objetivo: Responsabilizar

Leia mais

FUNDAMENTOS DE UM PROGRAMA DE COMPLIANCE. (Art. 41 Decreto 8.420/15) 25/08/2015

FUNDAMENTOS DE UM PROGRAMA DE COMPLIANCE. (Art. 41 Decreto 8.420/15) 25/08/2015 FUNDAMENTOS DE UM PROGRAMA DE COMPLIANCE (Art. 41 Decreto 8.420/15) 25/08/2015 O PROGRAMA DE COMPLIANCE DEVE SER: - CLARO - OBJETIVO - DISPONÍVEL PALAVRAS FÁCEIS DE ENTENDER DIRETO AO PONTO RÁPIDO ACESSO

Leia mais

Seminário a Nova Lei Anticorrupção. Procedimentos Internos de combate a Corrupção e Gestão de Riscos. Rogéria Gieremek

Seminário a Nova Lei Anticorrupção. Procedimentos Internos de combate a Corrupção e Gestão de Riscos. Rogéria Gieremek Seminário a Nova Lei Anticorrupção Procedimentos Internos de combate a Corrupção e Gestão de Riscos Rogéria Gieremek Fevereiro 2014 Lei Anticorrupção Brasileira: Lei 12.846/2013 Aspectos Gerais: Vigência:

Leia mais

PROGRAMA COMPLIANCE VC

PROGRAMA COMPLIANCE VC Seguir as leis e regulamentos é ótimo para você e para todos. Caro Colega, É com satisfação que compartilho esta cartilha do Programa Compliance VC. Elaborado com base no nosso Código de Conduta, Valores

Leia mais

LEI ANTICORRUPÇÃO FLEXIBILIDADE ÉTICA & RISCOS DE PESSOAS QUAL O PAPEL DO RH? ÉTICA

LEI ANTICORRUPÇÃO FLEXIBILIDADE ÉTICA & RISCOS DE PESSOAS QUAL O PAPEL DO RH? ÉTICA LEI ANTICORRUPÇÃO FLEXIBILIDADE ÉTICA & RISCOS DE PESSOAS QUAL O PAPEL DO RH? 10 REVISTA RI Abril 2014 Dois meses após a entrada em vigor da Lei de Combate à Corrupção (no 12.846), pesquisas de mercado

Leia mais

Programa de Compliance da CCEE

Programa de Compliance da CCEE Programa de Compliance da CCEE O que é compliance São processos e procedimentos adotados pela empresa visando detectar, prevenir e combater fraudes e infrações às leis e regulamentos, bem como assegurar

Leia mais

Avenida Presidente Wilson, 231 11 andar 20030-905 Rio de Janeiro- RJ ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL

Avenida Presidente Wilson, 231 11 andar 20030-905 Rio de Janeiro- RJ ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL ESTRUTURA DE GERENCIAMENTO DE RISCO OPERACIONAL MARÇO, 2015 ÍNDICE OBJETIVO 3 ESCOPO 3 DEFINIÇÕES Risco Inerente 4 DEFINIÇÕES Risco Operacional 4 DEFINIÇÕES Evento de Risco Operacional 4 FUNÇÕES E RESPONSABILIDADES

Leia mais

14º Congresso de Auditoria Interna e Compliance

14º Congresso de Auditoria Interna e Compliance O Compliance e as metodologias para monitorar riscos de não conformidade 14º Congresso de Auditoria Interna e Compliance 11 de novembro 2014 14 horas Agenda Os principais objetivos do nosso encontro 1.

Leia mais

Compliance e a Valorização da Ética. Brasília, outubro de 2014

Compliance e a Valorização da Ética. Brasília, outubro de 2014 Compliance e a Valorização da Ética Brasília, outubro de 2014 Agenda 1 O Sistema de Gestão e Desenvolvimento da Ética Compliance, Sustentabilidade e Governança 2 Corporativa 2 Agenda 1 O Sistema de Gestão

Leia mais

Western Asset Management Company Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Limitada. Política de Gerenciamento de Risco Operacional

Western Asset Management Company Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Limitada. Política de Gerenciamento de Risco Operacional Western Asset Management Company Distribuidora de Títulos e Valores Mobiliários Limitada Política de Gerenciamento de Risco Operacional Ratificada pela Reunião de Diretoria de 29 de abril de 2014 1 Introdução

Leia mais

MAGAZINE LUIZA S.A. POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS CORPORATIVOS

MAGAZINE LUIZA S.A. POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS CORPORATIVOS MAGAZINE LUIZA S.A. POLÍTICA DE GERENCIAMENTO DE RISCOS CORPORATIVOS 1. OBJETIVO Estabelecer as diretrizes, os princípios e a estrutura a serem considerados no processo de gerenciamento de riscos do Magazine

Leia mais

RIO 2016 POLÍTICA DE COMPLIANCE

RIO 2016 POLÍTICA DE COMPLIANCE COMITÊ ORGANIZADOR DOS JOGOS OLÍMPICOS RIO 206 RIO 206 POLÍTICA DE 25/02/205 / 2 Sumário. OBJETIVO... 2 2. DEFINIÇÕES... 2 3. ATRIBUIÇÕES E RESPONSABILIDADES... 5 4. DIRETRIZES... 7 4. Programa Geral de...

Leia mais

I. PROGRAMA GLOBAL DE COMPLIANCE

I. PROGRAMA GLOBAL DE COMPLIANCE POLÍTICA DE COMPLIANCE Revisado em Março de 2013 I. PROGRAMA GLOBAL DE COMPLIANCE A The Warranty Group, Inc. (corporação) e suas empresas subsidiárias têm o compromisso de realizar seus negócios de modo

Leia mais

COMPLIANCE FUNÇÃO, CONSOLIDAÇÃO E. Vanessa Alessi Manzi 19/09/08

COMPLIANCE FUNÇÃO, CONSOLIDAÇÃO E. Vanessa Alessi Manzi 19/09/08 COMPLIANCE FUNÇÃO, CONSOLIDAÇÃO E DESAFIOS Vanessa Alessi Manzi 19/09/08 Agenda 1. Compliance conceito e missão 2. Atuação de Compliance nas instituições 3. Ferramentas de Compliance 4. Auditoria e Compliance

Leia mais

Índice de Sustentabilidade Empresarial - ISE Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno Público 1

Índice de Sustentabilidade Empresarial - ISE Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno Público 1 Confidencial Restrita Confidencial Uso Interno Público 1 Sustentabilidade em Bolsas de Valores Estímulo à transparência e ao desempenho socioambiental das empresas listadas Critérios mínimos de listagem.

Leia mais

Risco na medida certa

Risco na medida certa Risco na medida certa O mercado sinaliza a necessidade de estruturas mais robustas de gerenciamento dos fatores que André Coutinho, sócio da KPMG no Brasil na área de Risk & Compliance podem ameaçar a

Leia mais

RESUMO FUNÇÃO DO COMPLIANCE

RESUMO FUNÇÃO DO COMPLIANCE RESUMO FUNÇÃO DO COMPLIANCE O foco da Cartilha Função de Compliance é integrar as atividades de compliance com as boas práticas de governança corporativa e de Gestão de Riscos, os quais os bancos têm buscado

Leia mais

Risk Audit Summit 28/04. Luciano Bordon Sócio - Advisory Grant Thornton. 2015 Grant Thornton International Ltd. All rights reserved.

Risk Audit Summit 28/04. Luciano Bordon Sócio - Advisory Grant Thornton. 2015 Grant Thornton International Ltd. All rights reserved. Risk Audit Summit 28/04 Luciano Bordon Sócio - Advisory Grant Thornton Empresas americanas objetivo da pesquisa foi de identificar como os departamentos de auditoria interna de empresas de grande porte

Leia mais

www.highskills.pt geral@highskills.pt

www.highskills.pt geral@highskills.pt Compliance Conceitos gerais e Auditoria Objetivos Gerais: Já faz algum tempo que as Auditorias das organizações expandiram muito o escopo de seus trabalhos e a complexidade das suas atividades e, como

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Publicado em: 27/02/2015 Válido até: 26/02/2020 Política de Responsabilidade Socioambiental 1. SUMÁRIO 2 2. OBJETIVO 2 3. ABRANGÊNCIA 2 4. IMPLEMENTAÇÃO 2 5. DETALHAMENTO 2 5.1. Definições 3 5.2. Envolvimento

Leia mais

COMPLIANCE COMO BOA PRÁTICA DE GESTÃO NO ENSINO SUPERIOR PRIVADO

COMPLIANCE COMO BOA PRÁTICA DE GESTÃO NO ENSINO SUPERIOR PRIVADO Daniel Cavalcante Silva José Roberto Covac COMPLIANCE COMO BOA PRÁTICA DE GESTÃO NO ENSINO SUPERIOR PRIVADO A ORIGEM E OS PARCEIROS DA OBRA 1 A concepção e a ideia 2- A necessidade de inovar para novos

Leia mais

COMPLIANCE NO BRASIL

COMPLIANCE NO BRASIL COMPLIANCE NO BRASIL C OMPLIANCE NO A existência de um programa de compliance demonstra comprometimento com a ética e integridade na prática de negócios O Que É Compliance Compliance, termo em inglês muito

Leia mais

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes

POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes POLÍTICA DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE - SMS. Elaboração Luiz Guilherme D CQSMS 10 00 Versão Data Histórico Aprovação 00 20/10/09 Emissão de documento Aldo Guedes Avaliação da Necessidade de Treinamento

Leia mais

DESAFIOS DO EMPRESARIADO DIANTE DOS NOVOS RUMOS IMPOSTOS PELA LEI ANTICORRUPÇÃO EMPRESARIAL

DESAFIOS DO EMPRESARIADO DIANTE DOS NOVOS RUMOS IMPOSTOS PELA LEI ANTICORRUPÇÃO EMPRESARIAL DOS NOVOS RUMOS IMPOSTOS PELA LEI ANTICORRUPÇÃO EMPRESARIAL Paulo Wanick CFO / Head de Riscos & Compliance ArcelorMittal Brasil - Aços Planos Grupo ArcelorMittal: líder nos mercados mais atraentes do aço

Leia mais

Código Revisão Data Emissão Aprovação PPG 1.0 18/02/2016 HS - RC RCA SUMÁRIO

Código Revisão Data Emissão Aprovação PPG 1.0 18/02/2016 HS - RC RCA SUMÁRIO Código Revisão Data Emissão Aprovação PPG 1.0 18/02/2016 HS - RC RCA Título: Política de Controles Internos Riscos Corporativos SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 2 2. PRINCÍPIOS... 2 3. ABRANGÊNCIA... 2 4. DEFINIÇÕES...

Leia mais

Compliance e Gestão de Terceiros A Importância para as Organizações. São Paulo, 22/09/15

Compliance e Gestão de Terceiros A Importância para as Organizações. São Paulo, 22/09/15 Compliance e Gestão de Terceiros A Importância para as Organizações São Paulo, 22/09/15 Nossa Agenda 1. Preocupações atuais no ambiente corporativo 2. Gestão de riscos e controles internos 3. Terceiros

Leia mais

FRAUDES EM CONTABILIDADE

FRAUDES EM CONTABILIDADE AUDITORIA COM ENFOQUE EM FRAUDES. AUDITORIA COM ENFOQUE EM FRAUDES Prof. Cláudio Marcelo R Cordeiro 1 O Auditor não tem responsabilidade profissional por detecção de fraudes A administração e o público

Leia mais

ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. CNPJ. 60.872.504/0001-23 Companhia Aberta NIRE. 35300010230. Política Corporativa de Prevenção e Combate a Atos Ilícitos

ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. CNPJ. 60.872.504/0001-23 Companhia Aberta NIRE. 35300010230. Política Corporativa de Prevenção e Combate a Atos Ilícitos ITAÚ UNIBANCO HOLDING S.A. CNPJ. 60.872.504/0001-23 Companhia Aberta NIRE. 35300010230 Política Corporativa de Prevenção e Combate a Atos Ilícitos Estabelece os conceitos e as diretrizes do Itaú Unibanco

Leia mais

Política de Responsabilidade Socioambiental

Política de Responsabilidade Socioambiental Política de Responsabilidade Socioambiental SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO... 3 2 OBJETIVO... 3 3 DETALHAMENTO... 3 3.1 Definições... 3 3.2 Envolvimento de partes interessadas... 4 3.3 Conformidade com a Legislação

Leia mais

Código de Ética e Conduta do grupo Invepar

Código de Ética e Conduta do grupo Invepar Código de Ética e Conduta do grupo Invepar Edição: agosto/2014 1 ÍNDICE Visão, Missão e Valores 6 Fornecedores e prestadores de serviço 14 Objetivos 7 Brindes, presentes e entretenimento 15 Princípios

Leia mais

A Importância do Compliance para a Garantia da Ética e da Governança Corporativa Seminário de Controles Internos e Compliance

A Importância do Compliance para a Garantia da Ética e da Governança Corporativa Seminário de Controles Internos e Compliance A Importância do Compliance para a Garantia da Ética e da Governança Corporativa Seminário de Controles Internos e Compliance 7º CONSEGURO Setembro de 2015 Índice Planejamento para o Evento Painel de Notícias

Leia mais

Indicadores Gestão da Ética

Indicadores Gestão da Ética Indicadores Gestão da Ética Identificação Segmento: Diversos Resultados Sua Pontuação: 0 Sua Avaliação: INICIANTE Descrição: A empresa utiliza muito pouco ou praticamente nenhuma ferramenta de gestão de

Leia mais

Garrastazu Advogados

Garrastazu Advogados PROGRAMA DE INTEGRIDADE CORPORATIVA Garrastazu Advogados Constituída a partir de uma história profissional de trinta e cinco anos de experiência na advocacia, a Garrastazu Advogados foi criada em 1999

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais

Declaração de Posicionamento do IIA: AS TRÊS LINHAS DE DEFESA NO GERENCIAMENTO EFICAZ DE RISCOS E CONTROLES

Declaração de Posicionamento do IIA: AS TRÊS LINHAS DE DEFESA NO GERENCIAMENTO EFICAZ DE RISCOS E CONTROLES Declaração de Posicionamento do IIA: AS TRÊS LINHAS DE DEFESA NO GERENCIAMENTO EFICAZ DE RISCOS E CONTROLES JANEIRO 2013 ÍNDICE DE CONTEÚDOS Introdução...1 Antes das Três Linhas: Supervisão do Gerenciamento

Leia mais

Compliance nas Indústria Farmacêutica Aspectos relevantes para organização. Lílian Lustre Gerente de Compliance Schering-Plough Corporation Brasil

Compliance nas Indústria Farmacêutica Aspectos relevantes para organização. Lílian Lustre Gerente de Compliance Schering-Plough Corporation Brasil Compliance nas Indústria Farmacêutica Aspectos Lílian Lustre Gerente de Compliance Schering-Plough Corporation Brasil Significado de Compliance na organização: Tradução: conformidade Organizações: Compliance

Leia mais

Technology and Security Risk Services. Novembro, 2003

Technology and Security Risk Services. Novembro, 2003 Technology and Security Risk Services Novembro, 2003 1. Por que escrevemos o livro? 2. Objetivo do livro 3. Conteúdo do livro 4. Dúvidas Acesso aos sites financeiros cresceu 199% em dois anos; Os sites

Leia mais

GUIA DE RECEBIMENTO E OFERECIMENTO DE PRESENTES, BRINDES, HOSPITALIDADE E CONTRAPARTIDAS DE PATROCÍNIO

GUIA DE RECEBIMENTO E OFERECIMENTO DE PRESENTES, BRINDES, HOSPITALIDADE E CONTRAPARTIDAS DE PATROCÍNIO GUIA DE RECEBIMENTO E OFERECIMENTO DE PRESENTES, BRINDES, HOSPITALIDADE E CONTRAPARTIDAS DE PATROCÍNIO (Síntese adaptada do normativo interno PG-0V1-00034-0 Guia de Recebimento e Oferecimento de Presentes,

Leia mais

Atuação da Auditoria Interna na avaliação e na mensuração de riscos AUDITORIA INTERNA NO CONBRAI 2009.

Atuação da Auditoria Interna na avaliação e na mensuração de riscos AUDITORIA INTERNA NO CONBRAI 2009. IBC realizada em 18 de agosto de 2009. A sua circulação, cópia ou distribuição, total ou parcial, para outros fins deve ser previamente autorizada, por escrito, pela Claro. Atuação da Auditoria Interna

Leia mais

Governança Corporativa

Governança Corporativa Governança Corporativa POLÍTICA DE INTEGRIDADE A política de integridade (conformidade), parte integrante do programa de governança corporativa. Mais do que nunca as empresas necessitam de estruturas consistentes

Leia mais

O Impacto da Gestão da Cadeia de Fornecedores na Sustentabilidade das Organizações

O Impacto da Gestão da Cadeia de Fornecedores na Sustentabilidade das Organizações Webinar O Impacto da Gestão da Cadeia de Fornecedores na Sustentabilidade das Organizações Juliana Scalon 4 de Setembro de 2013 Aprimore o desempenho dos fornecedores Para se sobressair no mercado atual

Leia mais

Tema: Governança Corporativa e Compliance: como aplicar em empresas de médio porte. Palestrante: Carlos Alberto de Moraes Borges

Tema: Governança Corporativa e Compliance: como aplicar em empresas de médio porte. Palestrante: Carlos Alberto de Moraes Borges Tema: Governança Corporativa e Compliance: como aplicar em empresas de médio porte Palestrante: Carlos Alberto de Moraes Borges Estrutura da apresentação A visão de Governança Corporativa e Compliance

Leia mais

PUBLICADO EM 01/08/2015 VÁLIDO ATÉ 31/07/2020

PUBLICADO EM 01/08/2015 VÁLIDO ATÉ 31/07/2020 PUBLICADO EM 01/08/2015 VÁLIDO ATÉ 31/07/2020 INDICE POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 1. Objetivo...2 2. Aplicação...2 3. implementação...2 4. Referência...2 5. Conceitos...2 6. Políticas...3

Leia mais

POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO À FRAUDE E CORRUPÇÃO

POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO À FRAUDE E CORRUPÇÃO POLÍTICA CORPORATIVA DE PREVENÇÃO À FRAUDE E CORRUPÇÃO 1. OBJETIVO A Política Corporativa de Prevenção à Corrupção ( Política ) tem o objetivo de reforçar o compromisso da empresa Via Boleto de cooperar

Leia mais

Parece simples atender aos acionistas/quotistas e aos clientes: basta que as Empresas dêem lucros e que seus

Parece simples atender aos acionistas/quotistas e aos clientes: basta que as Empresas dêem lucros e que seus POLÍTICA DE CONTROLES INTERNOS Revisado em Março de 2013 1. INTRODUÇÃO Parece simples atender aos acionistas/quotistas e aos clientes: basta que as Empresas dêem lucros e que seus produtos e serviços atendam

Leia mais

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A.

SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. SETE BRASIL PARTICIPAÇÕES S.A. CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO REGIMENTO INTERNO DOS COMITÊS COMITÊ DE FINANÇAS E ORÇAMENTO APROVADO PELO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO EM 24 DE SETEMBRO DE 2014 SUMÁRIO I INTRODUÇÃO

Leia mais

Índice. Missão, Visão, Valores e Princípios Objetivo Aplicabilidade Organização Interna Relacionamento Externo

Índice. Missão, Visão, Valores e Princípios Objetivo Aplicabilidade Organização Interna Relacionamento Externo Código de Conduta Índice Missão, Visão, Valores e Princípios Objetivo Aplicabilidade Organização Interna Relacionamento Externo 3 4 5 6 9 Missão, Visão, Valores e Princípios Missão Visão Princípios Valores

Leia mais

POLÍTICA DE COMPLIANCE

POLÍTICA DE COMPLIANCE Informação Pública 13/05/2016 ÍNDICE 1 OBJETIVO... 3 2 ABRANGÊNCIA... 3 3 REFERÊNCIAS... 3 4 DEFINIÇÕES... 4 5 DIRETRIZES... 4 6 RESPONSABILIDADES... 5 7 DISPOSIÇÕES FINAIS... 7 8 INFORMAÇÕES DE CONTROLE...

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO

CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO CÓDIGO DE ÉTICA e CONDUTA GRUPO invepar índice Apresentação Visão, Missão, Valores Objetivos Princípios Básicos Pág. 4 Pág. 6 Pág. 7 Pág. 8 Abrangência / Funcionários Empresas do Grupo Sociedade / Comunidade

Leia mais

FRAMEWORK DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PARA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: Da Implementação à Conformidade. Marcelo Veloso

FRAMEWORK DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PARA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: Da Implementação à Conformidade. Marcelo Veloso FRAMEWORK DE SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO PARA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA: Da Implementação à Conformidade Marcelo Veloso O Desafio Fonte: UOL, 2013 2 Fórum Nacional Segurança da Informação Brasília/DF 2 O Desafio

Leia mais

Compliance e Legislação Tributária: Desafios para as empresas em 2015

Compliance e Legislação Tributária: Desafios para as empresas em 2015 Compliance e Legislação Tributária: Desafios para as empresas em 2015 Eduardo Nascimento (eduardo@morad.com.br) Antonio Carlos Morad (acmorad@morad.com.br) www.morad.com.br 2015 Outlook for Legal Issues

Leia mais

FÓRUM AMPLIAÇÃO DA INCLUSÃO SOCIAL ETNIA

FÓRUM AMPLIAÇÃO DA INCLUSÃO SOCIAL ETNIA FÓRUM AMPLIAÇÃO DA INCLUSÃO SOCIAL ETNIA A Experian Experiência global, inteligência e dedicação local No mundo líder de mercado Grupo de origem irlandesa, sede em Londres. Operação em 40 países. Clientes

Leia mais

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL

POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL 1/9 Sumário 1. Introdução... 3 2. Objetivo... 3 3. Princípios... 4 4. Diretrizes... 4 4.1. Estrutura de Governança... 4 4.2. Relação com as partes interessadas...

Leia mais

NORMAS DE CONDUTA. Apresentação

NORMAS DE CONDUTA. Apresentação NORMAS DE CONDUTA Apresentação Adequando-se às melhores práticas de Governança Corporativa, a TITO está definindo e formalizando as suas normas de conduta ( Normas ). Estas estabelecem as relações, comportamentos

Leia mais

Política de Responsabilidade So cio Ambiental

Política de Responsabilidade So cio Ambiental Política de Responsabilidade So cio Ambiental Sumário 1. FINALIDADE:... 4 2. ABRANGÊNCIA:... 4 3. DIVULAGAÇÃO... 4 4. IMPLEMENTAÇÃO... 4 5. SUSTENTABILIDADE EM NOSSAS ATIVIDADES... 4 6. REVISÃO DA POLÍTICA...

Leia mais

3.3 Deliberações do Conselho de Ética Pública do Estado de Minas Gerais.

3.3 Deliberações do Conselho de Ética Pública do Estado de Minas Gerais. 03/07/2013 Pág. 01 GESTÃO DA DECLARAÇÃO DE PRINCÍPIOS ÉTICOS E Substitui a IO-07 CÓDIGO DE CONDUTA PROFISSIONAL E DO CANAL de 03/04/2012 DE DENÚNCIA DA COMPANHIA ENERGÉTICA DE MINAS GERAIS 1. FINALIDADE

Leia mais

BRUNO AUGUSTO VIGO MILANEZ FELIPE FOLTRAN CAMPANHOLI COMPLIANCE CRIMINAL

BRUNO AUGUSTO VIGO MILANEZ FELIPE FOLTRAN CAMPANHOLI COMPLIANCE CRIMINAL BRUNO AUGUSTO VIGO MILANEZ FELIPE FOLTRAN CAMPANHOLI COMPLIANCE CRIMINAL TÉCNICAS CORPORATIVAS DE PREVENÇÃO DA RESPONSABILIDADE PENAL Compliance Criminal técnicas corporativas de prevenção da responsabilidade

Leia mais

Uma Nova Era da Sustentabilidade 13-05-2011. Protection notice / Copyright notice

Uma Nova Era da Sustentabilidade 13-05-2011. Protection notice / Copyright notice Uma Nova Era da Sustentabilidade 13-05-2011 Como concretizar então? ALTAMENT E CORRUPTO Page 2 Tone from the Top: Peter Loescher dá o exemplo Ser uma empresa responsável foi com base neste princípio que

Leia mais

UM ENSAIO SOBRE ADMINISTRAÇÃO. Marcos A. Perillo

UM ENSAIO SOBRE ADMINISTRAÇÃO. Marcos A. Perillo UM ENSAIO SOBRE ADMINISTRAÇÃO Marcos A. Perillo 26 anos de experiência em finanças, Ganhador do prêmio O Equilibrista 2012 dado pelo IBEF PR; VicePresidenteTécnicodoIBEFPR gestão2013 2015; Conselheiro

Leia mais

Diretrizes para a prevenção de conflitos de interesses e corrupção

Diretrizes para a prevenção de conflitos de interesses e corrupção 1. Princípios e validade Integridade e transparência são as chaves para atividades comerciais bem sucedidas e sustentáveis. Nossa imagem e reputação pública se baseiam em objetividade e honestidade. Imparcialidade

Leia mais

ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005

ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005 ABNT NBR ISO/IEC 27002:2005 Código de prática para a gestão da segurança da informação A partir de 2007, a nova edição da ISO/IEC 17799 será incorporada ao novo esquema de numeração como ISO/IEC 27002.

Leia mais

Rumo a novos patamares

Rumo a novos patamares 10Minutos Auditoria Estudo sobre a Situação da Profissão de Auditoria Interna Rumo a novos patamares Destaques Os stakeholders estão menos satisfeitos com a contribuição da auditoria interna em áreas de

Leia mais

NOSSA VIDA É FACILITAR A SUA.

NOSSA VIDA É FACILITAR A SUA. NOSSA VIDA É FACILITAR A SUA. SUMÁRIO Carta do Diretor / Conselho de Administração... 03 Diretrizes... 04 Introdução... 05 Missão e Visão... 06 Valores... 07 Princípios e Condutas... 08 Comitê de Conduta

Leia mais

Boletim Gestão & Governança

Boletim Gestão & Governança Boletim Gestão & Governança Edição 18 Ano III Junho 2015 SAVE THE DATE Primeiro encontro de controles internos na cidade do Rio de Janeiro 24 de Setembro 2015 Aguardem a agenda do evento! Vejam nesta edição:

Leia mais

Auditoria Externa e Avaliação de Ativos

Auditoria Externa e Avaliação de Ativos A IAUDIT é uma consultoria empresarial com sede em São Paulo e atuação em todo o território nacional, que se diferencia pelo atendimento personalizado e comprometido, identificando e solucionando as necessidades

Leia mais

GOVERNANÇA e SEGURANÇA

GOVERNANÇA e SEGURANÇA Forum de Pro-reitores de Planejamento FORPLAD - ANDIFES GOVERNANÇA e SEGURANÇA 19MAR2015 Edson Kowask Coordenador Acadêmico Governança e Segurança 1 Objetivos Apresentar o tema Governança e Segurança Apresentar

Leia mais

POLÍTICA DE GESTÃO DE IRREGULARIDADES

POLÍTICA DE GESTÃO DE IRREGULARIDADES POLÍTICA DE GESTÃO DE IRREGULARIDADES GEWISS Departamento de Auditoria Interna Corporate 8 de Maio de 2014 ÍNDICE 1. OBJECTIVO E ÂMBITO... 3 2. REGRAS DE REFERÊNCIA... 3 3. DEFINIÇÕES... 3 4. PRINCÍPIOS

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

Gestão profissional e sustentável

Gestão profissional e sustentável Gestão profissional e sustentável A governança corporativa pode ser entendida como o sistema pelo qual as organizações são dirigidas, monitoradas e incentivadas, envolvendo relacionamentos entre proprietários,

Leia mais

COMPLIANCE ANTICORRUPÇÃO IMPACTO E IMPORTÂNCIA AOS NEGÓCIOS

COMPLIANCE ANTICORRUPÇÃO IMPACTO E IMPORTÂNCIA AOS NEGÓCIOS COMPLIANCE ANTICORRUPÇÃO IMPACTO E IMPORTÂNCIA AOS NEGÓCIOS O QUE É COMPLIANCE COMPLIANCE Estar em conformidade e fazer cumprir regulamentos internos e externos CORRUPÇÃO É CONSEQUÊNCIA DA AUSÊNCIA DE

Leia mais

PRSA - POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Julho/2015

PRSA - POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Julho/2015 PRSA - POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIOAMBIENTAL Julho/2015 RELATÓRIO DE ACESSO PÚBLICO Este Manual/Relatório foi elaborado pela ATIVA com fins meramente informativos. É proibida a reprodução total ou

Leia mais

Código. de Conduta do Fornecedor

Código. de Conduta do Fornecedor Código de Conduta do Fornecedor 03/2014 Índice 1. Considerações... 03 2. Decisões... 04 3. Diretrizes... 05 3.1. Quanto à Integridade nos Negócios... 05 3.2. Quanto aos Direitos Humanos Universais... 06

Leia mais

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02

DELOITE TOUCHE TOHMATSU Código PO-SIGA POLITICA CORPORATIVA Revisão 02 Pagina 1/6 ÍNDICE 1. OBJETIVO...3 2. ABRANGÊNCIA / APLICAÇÃO...3 3. REFERÊNCIAS...3 4. DEFINIÇÕES...3 5. DIRETRIZES E RESPONSABILIDADES...4 5.1 POLITICAS...4 5.2 COMPROMISSOS...4 5.3 RESPONSABILIDADES...5

Leia mais

Política de Gestão de Riscos

Política de Gestão de Riscos Política de Gestão de Riscos 1 OBJETIVO Fornecer as diretrizes para a Gestão de Riscos da Fibria, assim como conceituar, detalhar e documentar as atividades a ela relacionadas. 2 ABRANGÊNCIA Abrange todas

Leia mais

programa anticorrupção

programa anticorrupção A importância de um programa anticorrupção Corrupção no mundo - percepção Corrupção no mundo - realidade Marcos anticorrupção: leis e pactos 1977 EUA 2000 OCDE 2002 ONU 2006 Inst. Ethos 2010 Reino Unido

Leia mais

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da

A Academia está alinhada também aos Princípios para Sustentabilidade em Seguros UNPSI, coordenados pelo UNEP/FI órgão da ONU dedicado às questões da - 1 - Prêmio CNSeg 2012 Empresa: Grupo Segurador BBMAPFRE Case: Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE Introdução A Academia de Sustentabilidade BBMAPFRE foi concebida em 2009 para disseminar o conceito

Leia mais

Governança Corporativa Por que as operadoras de saúde devem investir em Controles Internos?

Governança Corporativa Por que as operadoras de saúde devem investir em Controles Internos? Governança Corporativa Por que as operadoras de saúde devem investir em Controles Internos? Prof. Fábio Coimbra fabio.coimbra@trevisan.edu.br 15 de abril de 2013 Apresentação do Palestrante Experiência

Leia mais

Esclarecimentos sobre a demonstração dos itens do Questionário Avaliativo

Esclarecimentos sobre a demonstração dos itens do Questionário Avaliativo Esclarecimentos sobre a demonstração dos itens do Questionário Avaliativo MEDIDAS DE ÉTICA E CONDUTA 1 - A empresa se encontra em situação regular com a Fazenda Federal? A empresa deve apresentar documento

Leia mais

Corrupção, fraudes, desvios e má conduta são problemas graves que cada vez mais fazem parte da realidade empresarial brasileira.

Corrupção, fraudes, desvios e má conduta são problemas graves que cada vez mais fazem parte da realidade empresarial brasileira. Corrupção, fraudes, desvios e má conduta são problemas graves que cada vez mais fazem parte da realidade empresarial brasileira. Considerar o risco humano é um dos fatores primordiais quando se busca a

Leia mais

RELATÓRIO DE CONFORMIDADE

RELATÓRIO DE CONFORMIDADE RELATÓRIO DE CONFORMIDADE Consta no CEIS? Não (informação checada em 10/08/2011) Empresa Nome Fantasia Siemens Ltda. Siemens CNPJ 44013159000116 A empresa é É subsidiária? De qual empresa? Porte da empresa

Leia mais

Revisado em Agosto de 2015

Revisado em Agosto de 2015 Confidencial Este documento é propriedade intelectual da TWG/Virgínia, contém informações confidenciais e não deve ser lido por pessoas não autorizadas. Se você não está autorizado a lê-lo, devolva-o ao

Leia mais

Código de Conduta Ética da Hix Investimentos Ltda.

Código de Conduta Ética da Hix Investimentos Ltda. Código de Conduta Ética da Hix Investimentos Ltda. Objetivo O presente Código de Conduta Ética tem por objetivo estabelecer os aspectos e postura exigidos de administradores, colaboradores e funcionários

Leia mais

EDIÇÃO ESPECIAL PARA O COP COMMUNICATION ON PROGRESS PACTO GLOBAL :: Referência 2012/2013

EDIÇÃO ESPECIAL PARA O COP COMMUNICATION ON PROGRESS PACTO GLOBAL :: Referência 2012/2013 EDIÇÃO ESPECIAL PARA O COP COMMUNICATION ON PROGRESS PACTO GLOBAL :: Referência 2012/2013 CARTA DO CEO É com grande prazer que informamos nosso segundo COP ao Pacto Global, iniciativa à qual aderimos há

Leia mais

Mega-events and democracy: Risks and Opportunities

Mega-events and democracy: Risks and Opportunities Mega-events and democracy: Risks and Opportunities at Siemens A global turnaround Peter Andreas Gölitz Regional Office 24 de outubro 2012 Regional Office Brasil Página 1 O quê um escândalo de corrupção

Leia mais

Código de Princípios de Negócios e Ética BTG Pactual

Código de Princípios de Negócios e Ética BTG Pactual Código de Princípios de Negócios e Ética BTG Pactual Nossa Visão e Nossos Valores Compartilhar uma única ambição é a chave para a história de sucesso do BTG Pactual. Ela só poderá ser atingida através

Leia mais

Melhores práticas. Cada vez mais cientes das

Melhores práticas. Cada vez mais cientes das Número de empresas brasileiras que procuram se aprimorar em governança corporativa aumentou na última edição do estudo Melhores práticas Estudo aponta que as empresas investem mais no aprimoramento dos

Leia mais

Não existe recompensa sem riscos. Auditoria interna uma função em processo de consolidação e em transformação

Não existe recompensa sem riscos. Auditoria interna uma função em processo de consolidação e em transformação Não existe recompensa sem riscos Auditoria interna uma função em processo de consolidação e em transformação Power and utilities um setor em transformação Hoje Cenário de amanhã Mudanças Chaves Geração

Leia mais

Levantamento do Perfil de Governança e Gestão de Pessoas da Administração Pública Federal

Levantamento do Perfil de Governança e Gestão de Pessoas da Administração Pública Federal Fórum Gestão de Pessoas Levantamento do Perfil de Governança e Gestão de Pessoas da Administração Pública Federal Fabiano Nijelschi G. Fernandes Auditor Federal de Controle Externo Secretaria de Fiscalização

Leia mais

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES

NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES NOSSOS PRINCÍPIOS ORIENTADORES Por cerca de 50 anos, a série Boletim Verde descreve como a John Deere conduz os negócios e coloca seus valores em prática. Os boletins eram guias para os julgamentos e as

Leia mais

O futuro da área de finanças Simplificação, eficiência e produtividade. Othon de Almeida 1 de julho de 2015

O futuro da área de finanças Simplificação, eficiência e produtividade. Othon de Almeida 1 de julho de 2015 O futuro da área de finanças Simplificação, eficiência e produtividade Othon de Almeida 1 de julho de 2015 Os desafios da área de finanças Os desafios da área de finanças em um ambiente competitivo Acompanhamento

Leia mais

SUAS INFORMAÇÕES ESTÃO SEGURAS?

SUAS INFORMAÇÕES ESTÃO SEGURAS? SUAS INFORMAÇÕES ESTÃO SEGURAS? Treinamento ISO 27002 Foundation Presencial ou EAD A ISO 27002 é uma norma internacional que contém um código de práricas para a segurança da informação. Este tema sempre

Leia mais

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS PILAR 3 DISCIPLINA DE MERCADO

RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS PILAR 3 DISCIPLINA DE MERCADO RELATÓRIO DE GERENCIAMENTO DE RISCOS PILAR 3 DISCIPLINA DE MERCADO 3º TRIMESTRE - 2012 1 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. INSTITUCIONAL... 3 3. GERENCIAMENTO DE RISCOS... 4 4. TIPOS DE RISCOS FINANCEIROS...

Leia mais

Estrutura de Governança Corporativa

Estrutura de Governança Corporativa Estrutura de Governança Corporativa Conselho de Administração Composto de nove membros, sendo dois independentes (sem vínculos com os acionistas signatários do acordo de acionistas, na forma da regulamentação

Leia mais

Governança Tributária é tema de palestra na FIPECAFI

Governança Tributária é tema de palestra na FIPECAFI Governança Tributária é tema de palestra na FIPECAFI O Prof. Dr. Jorge de Souza Bispo realizou palestra de abertura do MBA Gestão Tributária da FIPECAFI (Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais

Leia mais

Tema: ÉTICA: Um Tema que NÃO pode sair da Moda Palestrante: ANTONIO CARLOS A. TELLES LRN Ethics & Compliance Solutions

Tema: ÉTICA: Um Tema que NÃO pode sair da Moda Palestrante: ANTONIO CARLOS A. TELLES LRN Ethics & Compliance Solutions Tema: ÉTICA: Um Tema que NÃO pode sair da Moda Palestrante: ANTONIO CARLOS A. TELLES LRN Ethics & Compliance Solutions LRN Ethics & Compliance Solutions Soluções em Integridade Corporativa Educação, Aconselhamento,

Leia mais

Governança. Sistemas de Informação 8º Período Prof: Mafran Oliveira

Governança. Sistemas de Informação 8º Período Prof: Mafran Oliveira Governança Sistemas de Informação 8º Período Prof: Mafran Oliveira 1 Definição de Governança Governança Corporativa: É a Estrutura que identifica os objetivos de uma organização e de que forma pode-se

Leia mais

Governação e Controlo Interno

Governação e Controlo Interno VIII FORUM DE AUDITORIA INTERNA Auditoria Desafios Futuros Instrumental Metodológico Governação e Controlo Interno Lisboa, 20 de Junho de 2013 SUMÁRIO 1. Corporate Governance 2. Corporate Governance e

Leia mais

Workshops de Revisão Abril 2014 Aron Belinky

Workshops de Revisão Abril 2014 Aron Belinky Workshops de Revisão Abril 2014 Aron Belinky Centro de Estudos em Sustentabilidade (GVces) Escola de Administração de Empresas da Fundação Getulio Vargas (FGV-EAESP) GVces Criado em 2003, o GVces é uma

Leia mais