PLANO MUNICIPAL PROTEÇÃO CIVIL DE EMERGÊNCIA DE CÂMARA MUNICIPAL DE VILA FRANCA DE XIRA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PLANO MUNICIPAL PROTEÇÃO CIVIL DE EMERGÊNCIA DE CÂMARA MUNICIPAL DE VILA FRANCA DE XIRA"

Transcrição

1 PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL CÂMARA MUNICIPAL DE VILA FRANCA DE XIRA

2 Página 2 de ENQUADRAMENTO GERAL DO PLANO INTRODUÇÃO ÂMBITO DE APLICAÇÃO OBJETIVOS GERAIS ENQUADRAMENTO LEGAL ANTECEDENTES DO PROCESSO DE PLANEAMENTO ARTICULAÇÃO COM INSTRUMENTOS DE PLANEAMENTO E ORDENAMENTO DO TERRITÓRIO ATIVAÇÃO DO PLANO Competência para a ativação do PMEPC Critérios para a ativação do PMEPC PROGRAMA DE EXERCÍCIOS ORGANIZAÇÃO DA RESPOSTA CONCEITO DE ATUAÇÃO Comissão Municipal de Proteção Civil (CMPC) Estrutura das Operações de Emergência EXECUÇÃO DO PLANO Fases da Emergência Fases da Reabilitação ARTICULAÇÃO E ATUAÇÃO DE AGENTES, ORGANISMOS E ENTIDADES Missão dos serviços de Proteção Civil Missão dos Agentes de Proteção Civil Missão dos Organismos e Entidades de Apoio ÁREAS DE INTERVENÇÃO ÁREA DE ADMINISTRAÇÃO DE MEIOS E RECURSOS ÁREA DE APOIO LOGÍSTICO ÀS OPERAÇÕES Apoio Logístico às Operações Apoio Logístico às Populações ÁREA DE COMUNICAÇÕES ÁREA DE GESTÃO DA INFORMAÇÃO DE APOIO ÀS OPERAÇÕES Área de Gestão da Informação de Apoio às Operações Área de Gestão da Informação Pública ÁREA DE PROCEDIMENTOS DE EVACUAÇÃO ÁREA DE MANUTENÇÃO DA ORDEM PÚBLICA ÁREA DE SERVIÇOS MÉDICOS E TRANSPORTE DE VÍTIMAS ÁREA DE SOCORRO E SALVAMENTO ÁREA DE SERVIÇOS MORTUÁRIOS PROTOCOLOS INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR SECÇÃO I ORGANIZAÇÃO DA PROTEÇÃO CIVIL EM PORTUGAL Estrutura da Proteção Civil Estruturas das Operações Mecanismos da Estrutura de Proteção Civil Composição, Convocação e Competências da Comissão de Proteção Civil Critérios e Âmbito Para a Declaração de Situações de Alerta Sistema de Monitorização, Alerta e Aviso SECÇÃO II CARACTERIZAÇÃO GERAL DO MUNICÍPIO Caracterização Geral Caracterização Física

3 Página 3 de Caracterização Socioeconómica Caracterização das Infraestruturas Físicas do Município Caracterização do risco Avisos e informação pública por via sonora Cenários Cartografia e plantas Frequências Rádio SECÇÃO III INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR - DIVERSOS Inventário de Meios e Recursos Lista de Contactos Modelos de Relatórios e Requisições Modelo de Comunicado Lista de Controlo de Atualizações do Plano Lista de Registo de Exercícios do Plano Lista de Distribuição do Plano Legislação Bibliografia Glossário Lista de Acrónimos

4 Página 4 de 217 Figura 1 - Enquadramento geográfico das Freguesias e do Município de Vila Franca de Xira (Fonte: PMDFCI)... 9 Figura 2 Estrutura Operacional de Emergência Figura 3 - Organização do Teatro de Operações / Posto de Comando Municipal (Fonte: Resolução nº 22/2009) Figura 4 - Procedimentos e instruções de coordenação: área de apoio social Figura 5 - Diagrama de Comunicações Figura 6 - Organização do Teatro de Operações Figura 7 - Diagrama de Evacuação Figura 8 - Diagrama Socorro, Busca e Salvamento Figura 9 - Procedimentos e instruções de coordenação: área de apoio psicológico Figura 10 - Procedimentos e instruções de coordenação Figura 11 - Procedimentos e instruções de coordenação: área de controlo de matérias perigosas Figura 12 - Procedimentos e instruções de coordenação: área de avaliação de estruturas Figura 13 - Procedimentos e instruções de coordenação: serviços mortuários Figura 14 - Diagrama da estrutura municipal de proteção civil Figura 15 - Área do município de Vila Franca de Xira (fonte: PMDFCI) Figura 16 - Hipsometria do município de Vila Franca de Xira (Fonte: PMDFCI) Figura 17 - Declives do município de Vila Franca de Xira (Fonte: PMDFCI) Figura 18 - Precipitação Mensal no município de Vila Franca de Xira. Média e Máxima entre 1961 e Estação Meteorológica de Alverca / Base Aérea (Fonte: PMDFCI) Figura 19 - Temperatura Mensal. Média, Média das Máximas e Valores Máximos no Município de Vila Franca de Xira. Estação Meteorológica de Alverca / Base Aérea (Fonte: PMDFCI) Figura 20 - Humidade relativa mensal no Município de Vila Franca de Xira às 9h e às 15h. Estação Meteorológica de Alverca / Base Aérea (Fonte: PMDFCI) Figura 21 - Médias mensais da frequência e velocidade do vento no município de Vila Franca de Xira (Fonte: PMDFCI) Figura 22 - Exposições do município de Vila Franca de Xira (Fonte: PMDFCI) Figura 23 - Hidrografia do município de Vila Franca de Xira (Fonte: PMDFCI) Figura 24 - Espaços Florestais do município de Vila Franca de Xira (Fonte: PMDFCI) Figura 25 - Ocupação do Solo do município de Vila Franca de Xira (Fonte: PMDFCI) Figura 26 - Áreas Protegidas do RNET e Rede Natura 2000 do município de Vila Franca de Xira (Fonte: PMDFCI) Figura 27 - Instrumentos de Gestão Florestal do município de Vila Franca de Xira (Fonte: PMDFCI) Figura 28 - Índice de Envelhecimento e sua evolução do Município de Vila Franca de Xira (Fonte: PMDFCI INE) Figura 29 - Taxa de Analfabetismo do Município de Vila Franca de Xira (Fonte: PMDFCI INE) Figura 30 - Distribuição da população ativa por setor de atividade / freguesias do Município de Vila Franca de Xira (Fonte: PMDFCI, INE) Figura 31 - Rede Viária do município de Vila Franca de Xira (Fonte: PMDFCI) Figura 32 - Enquadramento da Linha Ferroviária Vila Franca de Xira (Fonte: C.M. Vila Franca de Xira) Figura 33 - Risco de Incêndio Florestal (Fonte: PMDFCI) Figura 34 - Isossistas de Intensidades Máximas (Fonte: INMG) Figura 35 - Mapa da Rede de Pontos de Água do município de Vila Franca de Xira (Fonte: INMG) Figura 36 - Enquadramento da Linha Ferroviária (Fonte: C.M. Vila Franca de Xira)

5 Página 5 de 217 Tabela 1 Antecedentes do processo de planeamento Tabela 2 - Registo de Simulacros Tabela 3 - Constituição dos Elementos Tabela 4 - Responsabilidades das principais ações a realizar em Emergência Tabela 5 - Fases da Reabilitação Tabela 6 - Missão dos Agentes da Proteção Civil Tabela 7 Missão dos Organismos e Entidades de Apoio Tabela 8 - Área de Administração de Meios e Recursos Tabela 9 - Área de Apoio Logístico às Operações Tabela 10 - ZRR Tabela 11 - Área de Apoio social Tabela 12 - Área de Comunicações Tabela 13 - Frequências disponíveis da Rede de Comunicações da ANPC (Fonte: CMVFXira) Tabela 14 - Área de Gestão da Informação de Apoio às Operações Tabela 15 - Área de Gestão da Informação Pública Tabela 16 Informação Pública: Rádios Locais Tabela 17 - Informação Pública: Jornais Tabela 18 - Área de procedimentos de evacuação Tabela 19 - Área de Manutenção da Ordem Pública Tabela 20 - Área de serviços médicos e transporte de vítimas Tabela 21 - Área de busca, socorro e salvamento Tabela 22 - Área de serviços mortuários Tabela 23 - Localização das ZRnM e os NecPro Tabela 24 Estrutura da Proteção Civil Tabela 25 - Estruturas das operações Tabela 26 - Composição, convocação e competências da comissão de proteção civil Tabela 27 Áreas das freguesias do município de Vila Franca de Xira (fonte: PMDFCI) Tabela 28 - Distribuição da área do município de Vila Franca de Xira por classes de declive (Fonte: PMDFCI) Tabela 29 - Distribuição das espécies florestais no Município de Vila Franca de Xira (Fonte: PMDFCI) Tabela 30 - Ocupação do Solo (hectares) do município de Vila Franca de Xira (Fonte: PMDFCI) Tabela 31 - População residente nas freguesias do Município de Vila Franca de Xira ( ) (Fonte: INE) Tabela 32 - Densidade populacional nas freguesias do Município de Vila Franca de Xira (2011) (Fonte: INE) Tabela 33 - Índice Demográficos do Município de Vila Franca de Xira (Fonte: INE, Indicadores Demográficos 2010) Tabela 34 - Romarias e Festas do Município de Vila Franca de Xira (Fonte: PMDFCI) Tabela 35 - Distância / Tempo à cidade de Lisboa Tabela 36 - Localização e denominação dos Postos de Abastecimentos de Combustíveis do município de Vila Franca de Xira (Fonte: Câmara Municipal de Vila Franca de Xira) Tabela 37 - Localização e denominação das indústrias de nível inferior e superior de perigosidade do município de Vila Franca de Xira (Fonte: Câmara Municipal de Vila Franca de Xira) Tabela 38 - Património arquitetónico do município de Vila Franca de Xira (Fonte: Câmara Municipal de Vila Franca de Xira) Tabela 39 - Património arqueológico do município de Vila Franca de Xira (Fonte: Câmara Municipal de Vila Franca de Xira) Tabela 40 - Serviços de Saúde do Município de Vila Franca de Xira (Fonte: Agrupamento de Centros de Saúde da Grande Lisboa XII Vila Franca de Xira) Tabela 41 - Rede escolar de Vila Franca de Xira Tabela 42 - Estabelecimentos de ensino privados Tabela 43 - Ocorrências registadas nas onze freguesias do município de Vila Franca de Xira nos anos de (Fonte: Câmara Municipal de Vila Franca de Xira / CDOS Lisboa) Tabela 44 - Tabela de gravidade escala de intensidade das consequências negativas das ocorrências Tabela 45 - Tabela de probabilidade probabilidade/frequência de consequências negativas das ocorrências Tabela 46 - Matriz de Risco Relação entre a gravidade das consequências e a probabilidade de ocorrência Tabela 47 - Matriz dos níveis do estado de alerta especial versus grau de risco

6 Página 6 de 217 Tabela 48 - Grau de prontidão e de mobilização de meios e recursos Tabela 49 - Ocorrências relacionadas com cheias e inundações de 2006 a Tabela 50 - Avaliação de Risco: Cheias e Inundações Tabela 51 Incêndios Florestais: Ocorrências entre 2006 a Tabela 52 - Avaliação de Risco: Incêndio Florestal Tabela 53 - Avaliação de Risco: Sismos Tabela 54 Registo de ocorrências: aluimentos de solos e derrocadas Tabela 55 - Avaliação de riscos: aluimentos de solos e derrocadas Tabela 56 - Avaliação de riscos: ciclones e ventos ciclónicos Tabela 57 - Avaliação de riscos: Secas Tabela 58 Registo de Ocorrências ao nível da indústria, oficinas e armazéns Tabela 59 - Avaliação de riscos: Acidentes Industriais Tabela 60 Registo de Ocorrências: Incêndios Urbanos entre os anos de 2006 e Tabela 61 - Avaliação de Riscos: Incêndios Urbanos Tabela 62 Registo de Ocorrências: Acidentes Rodoviários Tabela 63 - Avaliação de Riscos: Incêndios Urbanos Tabela 64 - Avaliação de Riscos: Acidente Ferroviário Tabela 65 Registo de Ocorrências: Acidentes Aquáticos Tabela 66 - Avaliação de Riscos: Acidentes Aquáticos Tabela 67 - Apoio aéreo a operações de emergência de Proteção Civil Tabela 68 Registo de Ocorrências: Acidentes aéreos Tabela 69 - Avaliação de Risco: Acidentes Aéreos Tabela 70 Registo de ocorrências: fuga de gás Tabela 71 - Avaliação de Risco: Fuga de Gás Tabela 72 Registo de Ocorrências: matérias perigosas Tabela 73 - Avaliação de Risco: Matérias perigosas Tabela 74 Análise de Riscos: Quadro Resumo Tabela 75 - Planos Prévios de Intervenção Tabela 76 Rede Rádio

7 Página 61 de 217 PARTE IV INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR

8 Página 62 de INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR 4.1 SECÇÃO I 4.2 ORGANIZAÇÃO DA PROTEÇÃO CIVIL EM PORTUGAL Apresenta-se nesta secção uma caracterização da organização geral da Proteção Civil em Portugal, de acordo com a Lei de Bases da Proteção Civil (Lei nº. 27/2006). Ao nível municipal o enquadramento institucional e operacional da proteção civil encontra-se definido na Lei nº 65/2007 de 12 de novembro Estrutura da Proteção Civil Apresenta-se na tabela seguinte a estrutura e organização da Proteção Civil de acordo com o âmbito territorial de intervenção. ÂMBITO TERRITORIAL DIREÇÃO CONSTITUIÇÃO Distrital Ministro da Administração Interna CDPC Municipal Presidente da Câmara Tabela 24 Estrutura da Proteção Civil CMPC SMPC Apresenta-se em diagrama a estrutura municipal de proteção civil. Figura 14 - Diagrama da estrutura municipal de proteção civil

9 Página 63 de Estruturas das Operações No quadro seguinte apresentam-se os responsáveis pela estrutura das operações a desenvolver em situações de emergência e de acordo com o âmbito de intervenção territorial (Distrital e Municipal). ÂMBITO TERRITORIAL COMANDO OPERACIONAL COORDENAÇÃO INSTITUCIONAL Nacional CONAC CCON Distrital CODIS CCOD CDOS Municipal COM SMPC Tabela 25 - Estruturas das operações SISTEMA INTEGRADO DE OPERAÇÕES DE PROTEÇÃO SOCORRO (SIOPS) O objetivo do SIOPS é definir um conjunto de estruturas, normas e procedimentos, para que todos os agentes de Proteção Civil atuem de uma forma articulada e sob um comando único, sem prejuízo da respetiva dependência hierárquica e funcional. O SIOPS foi desenvolvido com base em estruturas de coordenação operacional, de âmbito nacional e distrital, onde se compatibilizam todas as instituições necessárias para fazer face a acidentes graves e catástrofes. Neste sentido é importante que a estrutura de intervenção definida neste PMEPC tenha em consideração este Sistema, dando-se especial atenção ao nível de coordenação distrital. ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DE OPERAÇÕES O Sistema de Gestão de Operações é a forma de organização operacional que se desenvolve modularmente de acordo com a importância e o tipo de ocorrência. De seguida apresentam-se alguns procedimentos relacionados com este Sistema de Gestão: Sempre que uma força de socorro de uma qualquer organização seja acionada para uma ocorrência, o chefe da 1ª força a chegar ao local assume de imediato o comando das operações e garante a construção de um sistema evolutivo de comando e controlo das operações até à chegada do COM; A decisão do desenvolvimento da organização existente no teatro de operações é da responsabilidade do comandante das operações, que a deve tomar sempre que os meios disponíveis no ataque inicial se revelem insuficientes; O comando das operações deve ter em conta a adequação técnica dos agentes presentes no teatro de operações e a sua competência legal. CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA DE GESTÃO DE OPERAÇÕES O sistema de gestão de operações configura-se nos níveis estratégico, tático e de manobra. NÍVEL ESTRATÉGICO: Determinação da estratégia adequada face à ocorrência; Estabelecimento dos objetivos gerais da operação;

10 Página 64 de 217 Definição de prioridades; Elaboração e atualização periódica do plano estratégico de ação; Receção e colocação de meios de reforço; Previsão e planeamento de resultados; Fixação de objetivos específicos a nível tático. NÍVEL TÁTICO: Dirigir as atividades operacionais tendo em consideração os objetivos a alcançar de acordo com a estratégia definida. NÍVEL DE MANOBRA: Determinar as tarefas específicas de acordo com os objetivos táticos definidos. Estas tarefas são normalmente realizadas e desenvolvidas com meios humanos e com o apoio de meios técnicos.

11 Página 65 de Mecanismos da Estrutura de Proteção Civil Composição, Convocação e Competências da Comissão de Proteção Civil No quadro seguinte apresenta-se a composição, convocação e competências da Comissão Municipal de Proteção Civil, assim como o elemento responsável pela sua convocação. ENTIDADE/NOME CONVOCAÇÃO COMPOSIÇÃO COMPETÊNCIAS Comissão Municipal de Proteção Civil (CMPC) Presidente da Câmara Municipal Comandante Operacional Municipal; Autoridade de Saúde Representante da PSP Representante da GNR Elemento de Comando do Corpo de Bombeiros de Alhandra Elemento de Comando do Corpo de Bombeiros de Alverca Elemento de Comando do Corpo de Bombeiros da Castanheira Elemento de Comando do Corpo de Bombeiros da Póvoa de Santa Iria Elemento de Comando do Corpo de Bombeiros de Vialonga Elemento de Comando do Corpo de Bombeiros de Vila Franca de Xira Diretor do Hospital Reynaldo dos Santos Representante do Agrupamento dos Centros de Saúde da Grande Lisboa Vila Franca de Xira Representante do Agrupamento de Escolas Delegação Marítima Depósito Geral de Material da Força Aérea Representante do Centro Regional de Segurança Social Representante das IPSS do Município Representante dos Escuteiros Representante das Associações Humanitárias Representantes das Juntas de Freguesia Representantes de outras entidades ou serviços do município, cujas atividades e áreas funcionais possam, de acordo com os riscos existentes e as características da região, contribuírem para o desenvolvimento e implementação de ações de Proteção Civil. Tabela 26 - Composição, convocação e competências da comissão de proteção civil Garantir a elaboração do Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil, remetêlo para aprovação pela CNPC e acompanhar a sua execução; Determinar o acionamento dos planos, quando tal se justifique. Os representantes nomeados em sede da CMPC pelas diversas entidades intervenientes, são convocados por ordem do Presidente da Câmara.

12 Página 66 de 217 Para o efeito são considerados três formatos de convocação: Contacto telefónico com a entidade que o superintende, que posteriormente fará o contacto com o seu representante; Contacto telefónico com o próprio; Deslocação de viaturas da CMVFX e/ou outra entidade disponível para aviso e eventual transporte. Em encontra-se a lista de contactos da CMPC Critérios e Âmbito Para a Declaração de Situações de Alerta A declaração de situações de alerta, é um mecanismo à disposição da autoridade política de proteção civil para potenciar a adoção de medidas a desencadear na ocorrência de um acidente grave ou catástrofe. Tal declaração é realizada de acordo com a natureza dos acontecimentos a enfrentar e atendendo à gravidade e extensão dos seus efeitos. CRITÉRIOS: A situação de alerta pode ser declarada quando, face à ocorrência ou eminência de ocorrência de acidente grave ou catástrofe, é reconhecida a necessidade de adotar medidas preventivas e/ou medidas especiais de reação. Compete ao Presidente da Câmara Municipal (Diretor do Plano) declarar a situação de alerta. ATO DE DECLARAÇÃO: No ato de declaração de alerta são mencionados expressamente: A natureza do acontecimento que originou a situação declarada; O âmbito temporal e territorial; A estrutura de coordenação e controlo dos meios e recursos a disponibilizar. ÂMBITO: Para além das medidas especialmente determinadas pela natureza da ocorrência, a declaração de situação de alerta dispõe expressamente sobre: A obrigatoriedade de convocação da CMPC; O estabelecimento dos procedimentos adequados à coordenação técnica e operacional dos serviços e agentes de Proteção Civil, bem como dos recursos a utilizar; O estabelecimento das orientações relativas aos procedimentos de coordenação da intervenção das forças e serviços de segurança; A adoção de medidas preventivas adequadas à ocorrência. A declaração da situação de alerta determina uma obrigação especial de colaboração dos meios de comunicação social, em particular das rádios e das televisões, visando a divulgação das informações relevantes relativas à situação Sistema de Monitorização, Alerta e Aviso O sistema de monitorização, alerta e aviso em uso na área geográfica coberta pelo presente Plano destina-se a assegurar que na ocorrência de uma emergência, tanto as entidades intervenientes no Plano como as populações expostas tenham a capacidade de agir de modo a salvaguardar vidas e a

13 Página 67 de 217 proteger bens. Como tal, nas suas três vertentes, visa proporcionar uma eficaz vigilância do risco, um rápido alerta aos agentes de proteção civil e entidades envolvidas no Plano e um adequado aviso à população SISTEMA DE MONITORIZAÇÃO Existem diversos sistemas de monitorização para as diferentes tipologias de risco: Sistema de Avisos Meteorológicos do Instituto de Meteorologia (situações meteorológicas adversas); Sistema de Vigilância e Alerta de Recursos Hídricos do Instituto da Água (cheias); Índice Ícaro (ondas de calor); Sistema de Vigilância de Emergências Radiológicas da Agência Portuguesa do Ambiente (emergências radiológicas); Monitorização da Atividade Sísmica (Instituto de Meteorologia); Monitorização e Vigilância de Incêndios Florestais (PMDFCI de Vila Franca de Xira). No município de Vila Franca de Xira a monitorização será efetuada com base nos sistemas nacionais referidos, na cartografia existente para o efeito e através do conhecimento dos dados históricos de ocorrências recolhidos ao longo dos últimos anos, nomeadamente em situações de cheia e de incêndios florestais SISTEMA DE ALERTA Face aos dados disponibilizados pelos diversos sistemas de monitorização, a ANPC através do CNOS, notifica imediatamente as autoridades de proteção civil de nível nacional, os agentes de proteção civil e os CDOS. Os CDOS notificam de imediato os SMPC e os agentes de proteção civil de nível distrital. Por sua vez os SMPC notificam de imediato os agentes de proteção a nível municipal e as diversas entidades de apoio, através de telefone e/ou rádio SISTEMA DE AVISO No que respeita aos sistemas de aviso, existem diversos dispositivos para o efeito (sirenes, telefones, viaturas com megafones, estações de rádio locais, televisão, etc.) pelo que a decisão do meio a adotar terá que ser baseada na extensão da zona afetada, no tipo, dimensão e dispersão geográfica da população a avisar (pequenas povoações rurais, grandes aglomerados urbanos, quintas dispersas, etc.), na proximidade geográfica dos agentes de Proteção Civil e nos meios e recursos disponíveis. Deve ainda ser tido em conta que uma situação pode ocorrer durante o dia útil de trabalho, à noite ou durante os fins de semana, o que não só faz variar a localização da população aquando de um possível acidente, mas também a forma de poderem receber o aviso, pelo que diferentes procedimentos de aviso devem ser contemplados para diferentes períodos do dia e da semana.

14 Página 68 de 217 Para populações de pequena dimensão pode utilizar-se o aviso automático através da rede telefónica, o que requer que listas de residências e empregos com a respetiva localização e números de telefones sejam elaboradas e mantidas atualizadas. Porém, haverá que considerar formas de aviso (por exemplo, emissão de mensagens escritas ou difusão celular para telemóveis) para a população em movimento que não está nas suas residências ou nos seus locais de emprego. Outro meio de aviso à população é o uso de megafones, em que a utilização de carros auxilia à cobertura de maiores áreas num menor espaço de tempo. Estações de rádio locais, ou mesmo de televisão, podem também ser utilizadas para uma rápida difusão do aviso. Dado que o aviso à população é uma ação crucial para minorar o número de vítimas, e que é difícil que qualquer dos meios selecionados abranja toda a população potencialmente afetada, deverá ser prevista a redundância de meios de aviso. No município de Vila Franca de Xira, a emissão de avisos à população, poderá utilizar os seguintes dispositivos: Sirene dos quartéis de bombeiros; Utilização de altifalantes das viaturas das forças de segurança e dos corpos de bombeiros; Megafones; Sinos das Igrejas; Responsáveis das Juntas de Freguesia, através do método passa a palavra ; Telefones e telemóveis; Estações de rádio regionais; Televisão (RTP, SIC e TVI). Durante a operacionalização e divulgação do PMEPC serão definidos os tipos de toques a utilizar em situação de emergência junto da população.

Plano de Emergência Externo do Estabelecimento de Armazenagem de Produtos Explosivos da MaxamPor, S.A.

Plano de Emergência Externo do Estabelecimento de Armazenagem de Produtos Explosivos da MaxamPor, S.A. Plano de Emergência Externo do Estabelecimento de Armazenagem de Produtos Explosivos da MaxamPor, S.A. CÂMARA MUNICIPAL DE VILA POUCA DE AGUIAR SERVIÇO MUNICIPAL DE PROTECÇÃO CIVIL SETEMBRO DE 2010 ÍNDICE

Leia mais

Plano de Emergência Externo de Ílhavo

Plano de Emergência Externo de Ílhavo Plano de Emergência Externo de Ílhavo 2012 Conteúdo Parte I Enquadramento Geral do Plano... 12 1. Introdução... 12 2. Âmbito de aplicação... 14 3. Objetivos gerais... 15 4. Enquadramento legal... 16 5.

Leia mais

Plano Geral Municipal de Emergência de Proteção Civil 2012

Plano Geral Municipal de Emergência de Proteção Civil 2012 ÍNDICE PARTE I ENQUADRAMENTO GERAL DO PLANO... 7 1. Introdução... 7 2 2. Âmbito de Aplicação... 7 3. Objetivos Gerais... 8 4. Enquadramento Legal... 9 5. Antecedentes do processo de planeamento... 9 6.

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DO MUNICÍPIO DE CASTRO DAIRE PARTE I, II, III, IV (Secção I) PARTE PÚBLICA Setembro de 2010 INDICE PARTE I ENQUADRAMENTO GERAL DO PLANO... 2 1. INTRODUÇÃO...2

Leia mais

Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil de Redondo

Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil de Redondo Serviço Municipal de Proteção Civil de Redondo i Índice Geral Parte I Enquadramento Geral do Plano 1. Introdução....1 2. Âmbito de aplicação.....2 3. Objetivos gerais......3 4. Enquadramento legal....4

Leia mais

Câmara Municipal de Matosinhos Plano de Emergência Externo REFINARIA DO PORTO Petrogal

Câmara Municipal de Matosinhos Plano de Emergência Externo REFINARIA DO PORTO Petrogal Câmara Municipal de Matosinhos Plano de Emergência Externo REFINARIA DO PORTO Petrogal MAIO 2011 4. Informação complementar 4.1 Secção I 4.1.1 Mecanismos da estrutura de Protecção Civil Estrutura de Operações

Leia mais

CEPSA Portuguesa Petróleos, SA

CEPSA Portuguesa Petróleos, SA Câmara Municipal de Matosinhos Plano de Emergência Externo CEPSA Portuguesa Petróleos, SA MARÇO 2011 PEE Cepsa Pág. i de 57 Índice NOTA PRÉVIA... ERRO! MARCADOR NÃO DEFINIDO. 1 ENQUADRAMENTO GERAL DO PLANO...

Leia mais

Sistema Integrado de Operações de Protecção e Socorro (SIOPS)

Sistema Integrado de Operações de Protecção e Socorro (SIOPS) Anteprojecto de decreto-lei Sistema Integrado de Operações de Protecção e Socorro (SIOPS) As acções de protecção civil integram, obrigatoriamente, agentes e serviços que advêm de organismos do Estado,

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL

PLANO NACIONAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL PLANO NACIONAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL PROJETO COFINANCIADO PLANO NACIONAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL COMPONENTES PÚBLICAS ( I, II, III, IV-I) PROJETO COFINANCIADO ÍNDICE PARTE I ENQUADRAMENTO

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE VENDAS NOVAS

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE VENDAS NOVAS PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE VENDAS NOVAS PARTE IV INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR Secção I. Sistema nacional de proteção civil Julho 2012 Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DO SABUGAL

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DO SABUGAL PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DO SABUGAL PARTE IV INFORMAÇÃO COMPLEMENTAR Secção I. Sistema nacional de proteção civil Maio 2012 Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil do Sabugal

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE CAMPO MAIOR

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE CAMPO MAIOR PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE CAMPO MAIOR ÍNDICE ÍNDICE... 2 ÍNDICE DE FIGURAS... 5 ÍNDICE DE QUADROS... 7 PARTE I ENQUADRAMENTO GERAL DO PLANO... 8 1 INTRODUÇÃO... 8 2 ÂMBITO DE

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE ELVAS

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE ELVAS PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE ELVAS ELABORADO POR: SERVIÇO MUNICIPAL DE PROTECÇÃO CIVIL DO MUNICÍPIO DE ELVAS PMEPC DE ELVAS Parte I ENQUADRAMENTO GERAL ÍNDICE Parte I ENQUADRAMENTO

Leia mais

Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil de Serpa

Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil de Serpa Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil de Serpa ÍNDICE PARTE I ENQUADRAMENTO GERAL DO PLANO ----------------------------------------- 8 1. Introdução --------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA

MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL CÂMARA MUNICIPAL DE VILA FRANCA DE XIRA Página 2 de 63 WWW..PT Página 3 de 63 1 ENQUADRAMENTO GERAL DO... 7 1.1 INTRODUÇÃO... 7 1.2 ÂMBITO DE APLICAÇÃO...... 7

Leia mais

Plano de Emergência Externo do Estabelecimento de Armazenagem de Produtos Explosivos da MaxamPor, S.A.

Plano de Emergência Externo do Estabelecimento de Armazenagem de Produtos Explosivos da MaxamPor, S.A. Plano de Externo do Estabelecimento de Armazenagem de Produtos Explosivos da MaxamPor, S.A. CÂMARA MUNICIPAL DE VILA POUCA DE AGUIAR SERVIÇO MUNICIPAL DE PROTECÇÃO CIVIL SETEMBRO DE 2010 ÍNDICE GERAL

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DE PENAMACOR

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DE PENAMACOR PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DE PENAMACOR PARTE I ENQUADRAMENTO GERAL DO PLANO Parte I Enquadramento geral do plano julho 2012 Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil de Penamacor

Leia mais

Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil de Vila Viçosa. Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil de Vila Viçosa

Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil de Vila Viçosa. Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil de Vila Viçosa Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil de Vila Viçosa 1 Índice PARTE I - ENQUADRAMENTO GERAL DO PLANO 3 1 INTRODUÇÃO 4 2 - AMBITO DE APLICAÇÃO 5 3 - OBJETIVOS GERAIS 6 4 - ENQUADRAMENTO LEGAL

Leia mais

Plano.Municipal de. Emergência de.proteção.civil

Plano.Municipal de. Emergência de.proteção.civil Plano.Municipal de. Emergência de.proteção.civil alenquer 2014 INDÍCE Plano Municipal de Emergência PARTE I Enquadramento Geral do Plano Pág. 1. Introdução 1 2. Âmbito de aplicação 2 3. Objetivos gerais

Leia mais

II COLÓQUIO - GESTÃO DO RISCO E CULTURA DE SEGURANÇA 30/11/2015 II COLÓQUIO - GESTÃO DO RISCO E CULTURA DE SEGURANÇA - MADEIRA TECNOPOLO FUNCHAL 1

II COLÓQUIO - GESTÃO DO RISCO E CULTURA DE SEGURANÇA 30/11/2015 II COLÓQUIO - GESTÃO DO RISCO E CULTURA DE SEGURANÇA - MADEIRA TECNOPOLO FUNCHAL 1 II COLÓQUIO - GESTÃO DO RISCO E CULTURA DE SEGURANÇA 30/11/2015 II COLÓQUIO - GESTÃO DO RISCO E CULTURA DE SEGURANÇA - MADEIRA TECNOPOLO FUNCHAL 1 30/11/2015 II COLÓQUIO - GESTÃO DO RISCO E CULTURA DE

Leia mais

GOVERNO CIVIL DE CASTELO BRANCO

GOVERNO CIVIL DE CASTELO BRANCO Título Página Parte I Enquadramento Geral do Plano 1. Introdução 4 2. Âmbito de Aplicação 5 3. Objectivos Gerais 5 4. Enquadramento Legal 6 5. Antecedentes do processo de planeamento 6 6. Articulação com

Leia mais

Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil

Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil Câmara Municipal de Oeiras Outubro 2010 (Esta página foi deliberadamente deixada em branco) Serviço Municipal de Protecção Civil INDICE DO PLANO INDICE

Leia mais

Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil de Ílhavo

Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil de Ílhavo 2012 Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil de Ílhavo Conteúdo Parte I Enquadramento Geral do Plano... 7 1. Introdução... 7 2. Âmbito de aplicação... 8 3. Objetivos gerais... 9 4. Enquadramento

Leia mais

O Portal da Construção Segurança e Higiene do Trabalho

O Portal da Construção Segurança e Higiene do Trabalho Guia Técnico Segurança e Higiene do Trabalho Volume XVIII Plano de Emergência um Guia Técnico de Copyright, todos os direitos reservados. Este Guia Técnico não pode ser reproduzido ou distribuído sem a

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE ELVAS

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE ELVAS PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE ELVAS ELABORADO POR: SERVIÇO MUNICIPAL DE PROTECÇÃO CIVIL DO MUNICÍPIO DE ELVAS PMEPC DE ELVAS Parte I ENQUADRAMENTO GERAL ÍNDICE Parte I ENQUADRAMENTO

Leia mais

Plataforma Integrada de Gestão e Accionamento de Cenários

Plataforma Integrada de Gestão e Accionamento de Cenários , Plataforma Integrada de Gestão e Accionamento de Cenários Cláudia Paixão A Ilha da Madeira apresenta um conjunto de riscos específicos entre os quais se destacam: Movimentação de Massas Cheias Rápidas

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE ALVAIÁZERE

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE ALVAIÁZERE PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE ALVAIÁZERE PARTE II Índice 1. CONCEITO DE ACTUAÇÃO...3 1.1. COMISSÕES DE PROTECÇÃO CIVIL...3 1.1.1 Missão...3 1.1.2 Competências da Comissão Municipal

Leia mais

Resposta Hospitalar à Catástrofe Externa e Emergência Interna. Abílio Casaleiro

Resposta Hospitalar à Catástrofe Externa e Emergência Interna. Abílio Casaleiro Resposta Hospitalar à Catástrofe Externa e Emergência Interna 27.02.2015 Apresentação do Hospital de Cascais Plano de Catástrofe Externa Plano de Emergência Interna Hospital de Cascais - Caracterização

Leia mais

Etapas do Manual de Operações de Segurança

Etapas do Manual de Operações de Segurança OPERAÇÕES www.proteccaocivil.pt DE SEGURANÇA CARACTERIZAÇÃO DO ESPAÇO IDENTIFICAÇÃO DE RISCOS ETAPAS LEVANTAMENTO DE MEIOS E RECURSOS ESTRUTURA INTERNA DE SEGURANÇA PLANO DE EVACUAÇÃO PLANO DE INTERVENÇÃO

Leia mais

SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO MEDIDAS DE AUTOPROTECÇÃO

SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO MEDIDAS DE AUTOPROTECÇÃO IV JORNADAS TÉCNICAS DE SEGURANÇA E HIGIENE DO TRABALHO DA ESCOLA PROFISSIONAL DE AVEIRO SEGURANÇA CONTRA INCÊNDIO MEDIDAS DE AUTOPROTECÇÃO Manuela Mil-Homens Comando Distrital de Operações de Socorro

Leia mais

O Voluntariado e a Protecção Civil. 1. O que é a Protecção Civil

O Voluntariado e a Protecção Civil. 1. O que é a Protecção Civil O Voluntariado e a Protecção Civil 1. O que é a Protecção Civil A 03 de Julho de 2006, a Assembleia da Republica publica a Lei de Bases da Protecção Civil, que no seu artigo 1º dá uma definição de Protecção

Leia mais

MODERNIZAÇÃO E OPERACIONALIZAÇÃO DAS ESTAÇÕES AUTOMÁTICAS DAS REDES DE MONITORIZAÇÃO HIDRO METEOROLÓGICA

MODERNIZAÇÃO E OPERACIONALIZAÇÃO DAS ESTAÇÕES AUTOMÁTICAS DAS REDES DE MONITORIZAÇÃO HIDRO METEOROLÓGICA MODERNIZAÇÃO E OPERACIONALIZAÇÃO DAS ESTAÇÕES AUTOMÁTICAS DAS REDES DE MONITORIZAÇÃO HIDRO METEOROLÓGICA Lisboa, 18 de julho de 2014 Cláudia Brandão APA Missão Propor, desenvolver e acompanhar a gestão

Leia mais

Figueira da Foz PMEPC. Município PLANO MUNICIPAL DE E M E R G Ê N C I A D E REVISÃO DEZEMBRO 2014 DEZEMBRO DE 2014

Figueira da Foz PMEPC. Município PLANO MUNICIPAL DE E M E R G Ê N C I A D E REVISÃO DEZEMBRO 2014 DEZEMBRO DE 2014 Figueira da Foz Município REVISÃO DEZEMBRO 2014 PMEPC 2014 PLANO MUNICIPAL DE E M E R G Ê N C I A D E P R O T E C Ç Ã O C I V I L DEZEMBRO DE 2014 Ficha Técnica Realização Faculdade de Letras da Universidade

Leia mais

Atuação em Situações de Crise

Atuação em Situações de Crise 1 Atuação em Situações de Crise Enf. José Magalhães INEM Delegação Regional do Porto Porto, 11 de Abril de 2014 2 INEM O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) é o organismo do Ministério da Saúde

Leia mais

2 Organização da resposta

2 Organização da resposta 2 Organização da resposta 2.1 Conceito de actuação No exercício de funções de responsável municipal da política de protecção civil, o Presidente da Câmara Municipal, para cumprimento da sua missão, deverá

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO. Título: Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil Plano Geral. Versão: Versão 2.1

IDENTIFICAÇÃO. Título: Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil Plano Geral. Versão: Versão 2.1 Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil do Concelho do Seixal Plano Geral ANEOXAS IDENTIFICAÇÃO Título: Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil Plano Geral Versão: Versão 2.1 (folha em

Leia mais

Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil da Póvoa de Lanhoso

Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil da Póvoa de Lanhoso 2011 Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil da Póvoa de Lanhoso Documento produzido ao abrigo do novo acordo ortográfico Índice Parte I - Enquadramento Geral do Plano... 8 1. Introdução... 9 2.

Leia mais

PUBLICAÇÕES: TECNOMETAL n.º 141 (Julho/Agosto de 2002) KÉRAMICA N.º 256 (Novembro/Dezembro de 2002)

PUBLICAÇÕES: TECNOMETAL n.º 141 (Julho/Agosto de 2002) KÉRAMICA N.º 256 (Novembro/Dezembro de 2002) TÍTULO: Planos de Emergência na Indústria AUTORIA: Factor Segurança, Lda PUBLICAÇÕES: TECNOMETAL n.º 141 (Julho/Agosto de 2002) KÉRAMICA N.º 256 (Novembro/Dezembro de 2002) 1. INTRODUÇÃO O Plano de Emergência

Leia mais

2011 PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL

2011 PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL Capítulo: 2011 PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL Câmara Municipal de Barrancos Serviços Municipais de Protecção Civil 30-05-2011 1 TÉCNICAS RESPONSÁVEIS PELA ELABORAÇÃO DO PLANO: Margarida

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DA RIBEIRA GRANDE

CÂMARA MUNICIPAL DA RIBEIRA GRANDE CÂMARA MUNICIPAL DA RIBEIRA GRANDE Proposta de Regulamento do Serviço Municipal de Protecção Civil do Concelho da Ribeira Grande Preâmbulo Atendendo que: A Protecção Civil é, nos termos da Lei de Bases

Leia mais

PLANO ESPECIAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL PARA RISCOS QUÍMICOS GRAVES EM ARCOS DE VALDEVEZ

PLANO ESPECIAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL PARA RISCOS QUÍMICOS GRAVES EM ARCOS DE VALDEVEZ PLANO ESPECIAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL PARA RISCOS QUÍMICOS GRAVES EM ARCOS DE VALDEVEZ PLANO DE EMERGÊNCIA EXTERNO (PEE) DE ESTABELECIMENTO SEVESO SARRELIBER Março, 2013 M UNICÍPIO DE ARCOS DE

Leia mais

PLANO DE EMERGÊNCIA EXTERNO PARA A CENTRAL TERMOELÉCTRICA DE TUNES(PEECTT) Partes I, II, III e IV Secção I

PLANO DE EMERGÊNCIA EXTERNO PARA A CENTRAL TERMOELÉCTRICA DE TUNES(PEECTT) Partes I, II, III e IV Secção I PLANO DE EMERGÊNCIA EXTERNO PARA A CENTRAL TERMOELÉCTRICA DE TUNES(PEECTT) Partes I, II, III e IV Secção I Plano de Emergência Externo para a Central Termoeléctrica de Tunes (PEECTT) Câmara Municipal de

Leia mais

Plano de Emergência Externo

Plano de Emergência Externo Plano de Emergência Externo Sociedade de Explosivos Civis, S.A. Fevereiro de 2010 Índice Parte I Enquadramento Geral do Plano... 6 1.Introdução... 6 2. Âmbito de Aplicação... 7 3.Objectivos Gerais do Plano...

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE ANGRA DO HEROÍSMO

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE ANGRA DO HEROÍSMO CÂMARA MUNICIPAL DE ANGRA DO HEROÍSMO PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE ANGRA DO HEROÍSMO ILHA TERCEIRA 2008 SERVIÇO MUNICIPAL DE PROTECÇÃO CIVIL DA CÂMARA MUNICIPAL DE ANGRA DO HEROÍSMO

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA EXPOSIÇÃO PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA De 6 a 17 de Maio 2008 MUNICÍPIO DO SEIXAL CÂMARA MUNICIPAL PROTECÇÃO CIVIL MUNICIPAL É a actividade desenvolvida pelas autarquias locais, com a colaboração dos

Leia mais

PLANO DE EMERGÊNCIA EXTERNO PARA A SOCIEDADE AÇOREANA DE ARMAZENAMENTO DE GÁS (SAAGA) - PARQUE DE GPL DA HORTA PARTES PÚBLICAS

PLANO DE EMERGÊNCIA EXTERNO PARA A SOCIEDADE AÇOREANA DE ARMAZENAMENTO DE GÁS (SAAGA) - PARQUE DE GPL DA HORTA PARTES PÚBLICAS PLANO DE EMERGÊNCIA EXTERNO PARA A SOCIEDADE AÇOREANA DE ARMAZENAMENTO DE GÁS (SAAGA) - PARQUE DE GPL DA HORTA PARTES PÚBLICAS Partes I, II, III e IV Secção I Plano de Emergência Externo para a Sociedade

Leia mais

PLANO DE EMERGÊNCIA: FASES DE ELABORAÇÃO

PLANO DE EMERGÊNCIA: FASES DE ELABORAÇÃO PLANO DE EMERGÊNCIA: FASES DE ELABORAÇÃO www.zonaverde.pt Página 1 de 10 INTRODUÇÃO Os acidentes nas organizações/estabelecimentos são sempre eventos inesperados, em que a falta de conhecimentos/formação,

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DE VENDAS NOVAS

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DE VENDAS NOVAS PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DE VENDAS NOVAS PARTE I ENQUADRAMENTO GERAL DO PLANO Julho 2012 Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil de Vendas Novas Parte I Enquadramento geral

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO. Título: Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil Plano Geral. Versão: Versão 2.1

IDENTIFICAÇÃO. Título: Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil Plano Geral. Versão: Versão 2.1 Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil do Concelho do Seixal Plano Geral IDENTIFICAÇÃO Título: Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil Plano Geral Versão: Versão 2.1 (folha em branco)

Leia mais

SERVIÇO MUNICIPAL DE VALE DE CAMBRA PLANO ESPECIAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL PARA RISCOS QUÍMICOS GRAVES EM VALE DE CAMBRA

SERVIÇO MUNICIPAL DE VALE DE CAMBRA PLANO ESPECIAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL PARA RISCOS QUÍMICOS GRAVES EM VALE DE CAMBRA SERVIÇO MUNICIPAL DE VALE DE CAMBRA PLANO ESPECIAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL PARA RISCOS QUÍMICOS GRAVES EM VALE DE CAMBRA PLANO DE EMERGÊNCIA EXTERNO DA COLEPCCL PLANO DE EMERGÊNCIA EXTERNO ÍNDICE

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL Versão para consulta pública PLANO NACIONAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL

PLANO NACIONAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL Versão para consulta pública PLANO NACIONAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL PLANO NACIONAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL VERSÃO PARA CONSULTA PÚBLICA Maio 2012 1 ÍNDICE PARTE I ENQUADRAMENTO GERAL DO PLANO 1. Introdução... 6 2. Âmbito de aplicação... 8 3. Objetivos gerais...

Leia mais

DOCUMENTO DE TRABALHO

DOCUMENTO DE TRABALHO Página 1 de 1 Oferta formativa 1. Escola Nacional de Bombeiros O Regulamento dos Cursos de Formação do Bombeiro, é o normativo legal que regulamenta os cursos de formação dos elementos do Quadro de Comando

Leia mais

Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil

Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil 2011 PROTECÇÃO CIVIL DA COVILHÃ INDICE GERAL Nota Introdutória...3 Parte I Enquadramento geral do Plano 1. Introdução...6 2. Âmbito de aplicação...6 3.

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL

PLANO NACIONAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL PLANO NACIONAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL PROJETO COFINANCIADO PLANO NACIONAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL COMPONENTES PÚBLICAS ( I, II, III, IV-I) PROJETO COFINANCIADO ÍNDICE PARTE I ENQUADRAMENTO

Leia mais

2. MISSÃO COMUM A TODAS AS ENTIDADES E ORGANISMOS DE APOIO IMPLANTADOS NO CONCELHO DE SINES

2. MISSÃO COMUM A TODAS AS ENTIDADES E ORGANISMOS DE APOIO IMPLANTADOS NO CONCELHO DE SINES 2. MISSÃO COMUM A TODAS AS ENTIDADES E ORGANISMOS DE APOIO IMPLANTADOS NO CONCELHO DE SINES Colaboram com o SMPC ou o CMOEPC (se estiver activado) na actualização do inventário dos seus meios e recursos.

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO. Titulo: Sistema de Gestão da Qualidade CMSeixal MANUAL DE GESTÃO V09. Sistema de Gestão da Qualidade

IDENTIFICAÇÃO. Titulo: Sistema de Gestão da Qualidade CMSeixal MANUAL DE GESTÃO V09. Sistema de Gestão da Qualidade IDENTIFICAÇÃO Titulo: Sistema de Gestão da Qualidade CMSeixal MANUAL DE GESTÃO V09 Código: CMSeixalSGQ_2600204_ManualGestaoV09 Destinatários: Trabalhadores, Munícipes e Utentes da CMSeixal Campo de aplicação:

Leia mais

CADERNOS TÉCNICOS PROCIV. 3 Manual de apoio à elaboração e operacionalização de Planos de Emergência de Protecção Civil

CADERNOS TÉCNICOS PROCIV. 3 Manual de apoio à elaboração e operacionalização de Planos de Emergência de Protecção Civil CADERNOS TÉCNICOS PROCIV 3 Manual de apoio à elaboração e operacionalização de Planos de Emergência de Protecção Civil EDIÇÃO: AUTORIDADE NACIONAL DE PROTECÇÃO CIVIL SETEMBRO DE 2008 02 Cadernos Técnicos

Leia mais

EIXO PRIORITÁRIO II SISTEMAS AMBIENTAIS E DE PREVENÇÃO, GESTÃO E MONITORIZAÇÃO DE RISCOS (FUNDO DE COESÃO)

EIXO PRIORITÁRIO II SISTEMAS AMBIENTAIS E DE PREVENÇÃO, GESTÃO E MONITORIZAÇÃO DE RISCOS (FUNDO DE COESÃO) CONVITE PARA APRESENTAÇÃO DE CANDIDATURAS EM REGIME DE OVERBOOKING EIXO PRIORITÁRIO II SISTEMAS AMBIENTAIS E DE PREVENÇÃO, GESTÃO E MONITORIZAÇÃO DE RISCOS (FUNDO DE COESÃO) DOMÍNIO DE INTERVENÇÃO PREVENÇÃO

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE OLIVEIRA DO HOSPITAL

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE OLIVEIRA DO HOSPITAL PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE OLIVEIRA DO HOSPITAL PARTE I ENQUADRAMENTO GERAL DO PLANO Outubro 2011 Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil de Oliveira do Hospital Parte

Leia mais

Plano Especial Emergência

Plano Especial Emergência Plano Especial Emergência Neve Nevões e gelo no Serra distrito da Estrela da Guarda Ministério Administração Interna Autoridade Nacional Proteção Civil Comando Distrital Operações Socorro Guarda VERSÃO

Leia mais

ANEXO 7 FORMAÇÃO PROFISSIONAL

ANEXO 7 FORMAÇÃO PROFISSIONAL ANEXO 7 FORMAÇÃO PROFISSIONAL A profissionalização dos membros da Organização, enquanto factor determinante da sua eficácia na prevenção e no combate aos incêndios florestais, requer a criação de um programa

Leia mais

GUIA DE BOLSO SEGURANÇA NO COMBATE A INCÊNDIOS FLORESTAIS COMANDO NACIONAL DE OPERAÇÕES DE SOCORRO

GUIA DE BOLSO SEGURANÇA NO COMBATE A INCÊNDIOS FLORESTAIS COMANDO NACIONAL DE OPERAÇÕES DE SOCORRO GUIA DE BOLSO SEGURANÇA NO COMBATE A INCÊNDIOS FLORESTAIS COMANDO NACIONAL DE OPERAÇÕES DE SOCORRO Liderança Operacional Um bom líder, mesmo numa situação confusa e incerta: Encarrega-se dos recursos atribuídos;

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE SOURE

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE SOURE PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE SOURE PARTE I ENQUADRAMENTO GERAL DO PLANO Setembro 2010 Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil de Soure Parte I Enquadramento geral do plano

Leia mais

regras aplicáveis ao controlo de gestão na APSS de forma a assegurar que:

regras aplicáveis ao controlo de gestão na APSS de forma a assegurar que: Controlo Interno e Gestão de Riscos 1. Informação sobre a existência de um sistema de controlo interno (SCI) compatível com a dimensão e complexidade da empresa, de modo a proteger os investimentos e os

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DE PENAMACOR

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DE PENAMACOR PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DE PENAMACOR PARTE III ÁREAS DE INTERVENÇÃO Plano Municipal de Emergência de Proteção civil de Penamacor Câmara Municipal de Penamacor Data: 20 de julho

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DE LAGOA

CÂMARA MUNICIPAL DE LAGOA Lquadro 31 CÂMARA MUNICIPAL DE LAGOA PLANO DE EMERGÊNCIA MUNICIPAL DE LAGOA Plano Emergência Municipal do Concelho de Lagoa Equipa Técnica Relatório Fase 1 - Anexos 1 Realização Página 1 de 241 2013 EQUIPA

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE OVAR

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE OVAR PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE OVAR PARTE I ENQUADRAMENTO GERAL DO PLANO Outubro 2012 Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil de Ovar Parte I Enquadramento geral do plano

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE VILA NOVA DE GAIA

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE VILA NOVA DE GAIA PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL VERSÃO PARA CONSULTA PÚBLICA PARTE NÃO RESERVADA Jun. 2010 VERSÃO 3 ÍNDICE PARTE I ENQUADRAMENTO GERAL DO PLANO 1. INTRODUÇÃO... 1 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO...

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS LABORATÓRIO DE ANÁLISE AMBIENTAL E GEOESPACIAL

UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS LABORATÓRIO DE ANÁLISE AMBIENTAL E GEOESPACIAL UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS LABORATÓRIO DE ANÁLISE AMBIENTAL E GEOESPACIAL PLANO DE CONTINGÊNCIA DE PROTEÇÃO E DEFESA CIVIL Dezembro/2014 Sumário 1. INTRODUÇÃO... 3 2. OBJETIVO... 4 3. ESTRUTURA...

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE PONTE DE LIMA

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE PONTE DE LIMA PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE PONTE DE LIMA OUTUBRO, 2014 FINANCIADO POR: Plano Municipal de Emergência Município de Ponte de Lima 1 ÍNDICE PARTE I - ENQUADRAMENTO GERAL DO PLANO...

Leia mais

Proteção Civil e Autoridade de Saúde

Proteção Civil e Autoridade de Saúde Proteção Civil e Autoridade de Saúde estrutura, articulação e atribuições Departamento de Saúde Pública Proteção Civil e Autoridade de Saúde: estrutura, articulação e atribuições Administração Regional

Leia mais

PMEPC Município de Porto Moniz

PMEPC Município de Porto Moniz PMEPC Município de Porto Moniz Versão Final Fevereiro de 2014 Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil Promovido Por: Financiado por: Elaborado por: 2 Índice PARTE I ENQUADRAMENTO GERAL DO PLANO...

Leia mais

Edição Autoridade Nacional de Protecção Civil. Proposta e validação Comandante Operacional Nacional Paulo Gil Martins

Edição Autoridade Nacional de Protecção Civil. Proposta e validação Comandante Operacional Nacional Paulo Gil Martins Edição Autoridade Nacional de Protecção Civil Proposta e validação Comandante Operacional Nacional Paulo Gil Martins Elaboração Comando Nacional de Operações de Socorro Gabinete do Presidente Autoridade

Leia mais

1. INTRODUÇÃO 2. ANÁLISE ESTRATÉGICA

1. INTRODUÇÃO 2. ANÁLISE ESTRATÉGICA CADERNO FICHA 11. RECUPERAÇÃO 11.4. OBJECTIVOS ESTRATÉGICOS O presente documento constitui uma Ficha que é parte integrante de um Caderno temático, de âmbito mais alargado, não podendo, por isso, ser interpretado

Leia mais

Disciplina Objectivos Conteúdos Programáticos

Disciplina Objectivos Conteúdos Programáticos Disciplina Objectivos Conteúdos Programáticos Legislação para Operações Turísticas Análise do quadro legal aplicável no contexto da atividade das agências de viagens. Caracterização dos organismos Institucionais

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA PROTECÇÃO CIVIL VERSÃO PARA CONSULTA PÚBLICA

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA PROTECÇÃO CIVIL VERSÃO PARA CONSULTA PÚBLICA PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA PROTECÇÃO CIVIL VERSÃO PARA CONSULTA PÚBLICA SETEMBRO DE 2010 ÍNDICE GERAL PARTE I ENQUADRAMENTO GERAL DO PLANO 1. INTRODUÇÃO 5 2. ÂMBITO DE APLICAÇÃO 6 3. OBJECTIVOS GERAIS

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DE VENDAS NOVAS

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DE VENDAS NOVAS PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DE VENDAS NOVAS PARTE II ORGANIZAÇÃO DA RESPOSTA Julho 2012 Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil de Vendas Novas Parte II Organização da resposta

Leia mais

CÂMARA MUNICIPAL DA AZAMBUJA ÍNDICE

CÂMARA MUNICIPAL DA AZAMBUJA ÍNDICE PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA CÂMARA MUNICIPAL DE NOVEMBRO 2010 ÍNDICE I 1 ENQUADRAMENTO GERAL DO PLANO... 1-1 1.1 INTRODUÇÃO... 1-1 1.2 ÂMBITO DE APLICAÇÃO... 1-1 1.3 OBJECTIVOS GERAIS... 1-2 1.4 ENQUADRAMENTO

Leia mais

PROTEKTO ACTFAST. Soluções para Segurança Pública. Porque todos os segundos contam

PROTEKTO ACTFAST. Soluções para Segurança Pública. Porque todos os segundos contam PROTEKTO Porque todos os segundos contam Soluções para Segurança Pública A resposta às ocorrências no âmbito da segurança pública, têm de ser imediatas, eficientes e eficazes. Cada resposta operacional,

Leia mais

Autoridade Nacional Protecção Civil

Autoridade Nacional Protecção Civil Autoridade Nacional Protecção Civil Directiva Operacional Nacional Dispositivo Especial de Protecção e Socorro à Visita Papal (DEVIP) Abril de 2010 Índice 1) PRINCIPAIS REFERÊNCIAS LEGISLATIVAS... 3 2)

Leia mais

Câmara Municipal de Odivelas

Câmara Municipal de Odivelas Câmara Municipal de Odivelas Serviço Municipal de Protecção Civil Agosto de 2009 1 / 44 ÍNDICE PARTE I ENQUADRAMENTO GERAL DO PLANO... 4 1. Introdução... 4 2. Âmbito de Aplicação... 4 3. Objectivos Gerais...

Leia mais

COORDENADORIA ESTADUAL DE DEFESA CIVIL

COORDENADORIA ESTADUAL DE DEFESA CIVIL COORDENADORIA ESTADUAL DE DEFESA CIVIL Roteiro para montagem de um Plano Preventivo de Defesa Civil Apresentamos o presente roteiro com conteúdo mínimo de um Plano Preventivo de Defesa Civil ou Plano de

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DO CONCELHO DA BATALHA

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DO CONCELHO DA BATALHA PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DO CONCELHO DA BATALHA Abril 2010 MUNICÍPIO DA BATALHA SERVIÇO MUNICIPAL DA PROTECÇÃO CIVIL PARTE I - ENQUADRAMENTO GERAL DO PLANO... 1 1. INTRODUÇÃO NTRODUÇÃO...... 1 2.

Leia mais

PLANO DISTRITAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DE PORTALEGRE

PLANO DISTRITAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DE PORTALEGRE PLANO DISTRITAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DE PORTALEGRE VERSÃO PARA CONSULTA PÚBLICA junho 2015 1 ÍNDICE Lista de acrónimos Referências legislativas Registo de atualizações e exercícios Índice de

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DE VINHAIS

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DE VINHAIS PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DE VINHAIS PARTE I ENQUADRAMENTO GERAL DO PLANO Serviço Municipal de Proteção Civil 2 Plano Municipal de Emergência de Proteção Civil de Vinhais Parte I

Leia mais

World Disaster Reduction Campaign 2010-2011 Making Cities Resilient: Amadora is Getting Ready!

World Disaster Reduction Campaign 2010-2011 Making Cities Resilient: Amadora is Getting Ready! Parceiros: Câmara Municipal da Amadora Serviço Municipal de Protecção Civil Tel. +351 21 434 90 15 Tel. +351 21 494 86 38 Telm. +351 96 834 04 68 Fax. +351 21 494 64 51 www.cm-amadora.pt www.facebook.com/amadora.resiliente

Leia mais

CADERNOS TÉCNICOS PROCIV. 5 Guia de Orientação para Elaboração de Planos de Emergência Internos de Barragens

CADERNOS TÉCNICOS PROCIV. 5 Guia de Orientação para Elaboração de Planos de Emergência Internos de Barragens CADERNOS TÉCNICOS PROCIV 5 Guia de Orientação para Elaboração de Planos de Emergência Internos de Barragens EDIÇÃO: AUTORIDADE NACIONAL DE PROTECÇÃO CIVIL INSTITUTO DA ÁGUA JUNHO DE 2009 02 Cadernos Técnicos

Leia mais

Janeiro 2012. Instruções de Segurança. Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores

Janeiro 2012. Instruções de Segurança. Serviço Regional de Proteção Civil e Bombeiros dos Açores Cenário 1 Alarme de reconhecimento Responsável Bloco faz o reconhecimento Atuação Equipa 1ª Intervenção Alarme Parcial Bloco A Atuação Equipa Evacuação Bloco A Situação Controlada? Sinistro? Sim Não Reposição

Leia mais

1. Promover a melhoria das condições de vida das população das áreas susceptíveis

1. Promover a melhoria das condições de vida das população das áreas susceptíveis CNCCD -PROPOSTA DE PROGRAMA DE ACÇÃO NACIONAL DE COMBATE À DESERTIFICAÇÃO 2011 / 2020 1. Promover a melhoria das condições de vida das população das áreas susceptíveis 1- Promover a melhoria das condições

Leia mais

PLANO DISTRITAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DE ÉVORA PLANO DISTRITAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DE ÉVORA

PLANO DISTRITAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DE ÉVORA PLANO DISTRITAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DE ÉVORA PLANO DISTRITAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DE ÉVORA VERSÃO PARA CONSULTA PÚBLICA junho 2015 ÍNDICE Lista de acrónimos Referências legislativas Registo de atualizações e exercícios Índice de Tabelas...

Leia mais

REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. 4220 Diário da República, 1.ª série N.º 124 30 de Junho de 2009. b) A requerimento do titular do complemento solidário

REGIÃO AUTÓNOMA DA MADEIRA. 4220 Diário da República, 1.ª série N.º 124 30 de Junho de 2009. b) A requerimento do titular do complemento solidário 4220 Diário da República, 1.ª série N.º 124 30 de Junho de 2009 b) A requerimento do titular do complemento solidário para idosos. 2 Há ainda lugar à renovação da prova de recursos sempre que: a) Seja

Leia mais

PLANO NACIONAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL

PLANO NACIONAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL PLANO NACIONAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL PROJETO COFINANCIADO PLANO NACIONAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL COMPONENTES PÚBLICAS ( I, II, III, IV-I) PROJETO COFINANCIADO ÍNDICE PARTE I ENQUADRAMENTO

Leia mais

Modelo básico para Plano Diretor de Defesa Civil CASA MILITAR COORDENADORIA ESTADUAL DE DEFESA CIVIL

Modelo básico para Plano Diretor de Defesa Civil CASA MILITAR COORDENADORIA ESTADUAL DE DEFESA CIVIL Modelo básico para Plano Diretor de Defesa Civil CASA MILITAR COORDENADORIA ESTADUAL DE DEFESA CIVIL TERMO DE REFERÊNCIA PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DIRETOR DE DEFESA CIVIL INTRODUÇÃO 1. O presente Termo

Leia mais

PLANO ESPECIAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL PARA RISCOS QUÍMICOS DE FARO

PLANO ESPECIAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL PARA RISCOS QUÍMICOS DE FARO PLANO ESPECIAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL PARA RISCOS QUÍMICOS DE FARO PLANO DE EMERGÊNCIA EXTERNO BP FARO VOLUME I Partes não reservadas JUNHO 2010 Plano Especial de Emergência de Protecção Civil

Leia mais

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE VILA DO BISPO

PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE VILA DO BISPO PLANO MUNICIPAL DE EMERGÊNCIA DE PROTECÇÃO CIVIL DE VILA DO BISPO PARTE I ENQUADRAMENTO GERAL DO PLANO Janeiro 2011 Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil de Vila do Bispo Parte I Enquadramento

Leia mais

Metas Curriculares Ensino Básico Geografia

Metas Curriculares Ensino Básico Geografia Metas Curriculares Ensino Básico Geografia 9.º ano Versão para discussão pública Novembro de 2013 Autores Adelaide Nunes António Campar de Almeida Cristina Nolasco Geografia 9.º ano CONTRASTES DE DESENVOLVIMENTO

Leia mais

PLANO DISTRITAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DE SETÚBAL

PLANO DISTRITAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DE SETÚBAL PLANO DISTRITAL DE EMERGÊNCIA DE PROTEÇÃO CIVIL DE SETÚBAL VERSÃO PARA CONSULTA PÚBLICA junho 2015 ÍNDICE Lista de acrónimos Referências legislativas Registo de atualizações e exercícios PARTE I - Enquadramento

Leia mais

ESTABELECIMENTOS DE APOIO SOCIAL A PESSOAS IDOSAS

ESTABELECIMENTOS DE APOIO SOCIAL A PESSOAS IDOSAS ESTABELECIMENTOS DE APOIO SOCIAL A PESSOAS IDOSAS PLANOS DE SEGURANÇA A sociedade é feita por todas as pessoas, em todas as idades NÚCLEO DE CERTIFICAÇÃO E FISCALIZAÇÃO ALEXANDRA SANTOS E MARIA ANDERSON

Leia mais

Incêndio. quilómetros, devido aos seus fumos negros e densos

Incêndio. quilómetros, devido aos seus fumos negros e densos Incêndio A propagação de um incêndio depende das condições meteorológicas (direcção e intensidade do vento, humidade relativa do ar, temperatura), do grau de secura e do tipo do coberto vegetal, orografia

Leia mais

Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil de Leiria Índice Geral

Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil de Leiria Índice Geral Plano Municipal de Emergência de Protecção Civil de Leiria Município de Leiria, Junho de 2010 Índice Geral Parte I ENQUADRAMENTO GERAL DO PLANO... 4 1. Introdução... 4 2. Âmbito de Aplicação... 5 3. Objectivos

Leia mais