A Contribuição do Sistema de Informação Geográfica na Segmentação Mercadológica

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "A Contribuição do Sistema de Informação Geográfica na Segmentação Mercadológica"

Transcrição

1 A Contribuição do Sistema de Informação Geográfica na Segmentação Mercadológica André Francisco Alcântara Fagundes (UFU) Stella Naomi Moriguchi (UFU) Carlos Henrique Viola (UFU) Élcio Eduardo de Paula Santana (USP) Resumo Este artigo tem como objetivo avaliar a contribuição da utilização do geomarketing ferramenta que tem como base o Sistema de Informação Geográfica na segmentação de mercados. São apresentados exemplos da aplicação do geomarketing na tomada de decisões mercadológicas em uma indústria de produtos do setor alimentício que atua no estado de Minas Gerais. O estudo tem sua importância tanto pelo fato de abordar e investigar uma nova ferramenta tecnológica, que vem sendo desenvolvida e utilizada pelas empresas com uma freqüência cada vez maior, como também pelo fato do tema ser ainda pouco explorado no meio acadêmico, principalmente no Brasil. Os resultados indicam que o geomarketing pode contribuir efetivamente de forma prática e eficaz na definição dos segmentos de mercado das organizações. Palavras-chave: Sistema de Informação Geográfica; Geomarketing; Segmentação. 1. Introdução Nos mercados de grande concorrência, onde o consumidor encontra várias opções diferentes e eficazes para satisfazer suas necessidades e desejos, as empresas devem buscar conhecer profundamente seu público-alvo e desenvolver produtos e serviços que atendam às expectativas desses indivíduos. Faz-se necessário que a empresa saiba diferenciar grupos de consumidores que apresentem diferentes expectativas, necessidades, comportamentos e níveis de exigência, realizando uma segmentação de seu mercado, o que permitirá o desenvolvimento de ações de marketing mais adequadas para cada grupo de compradores, aumentando as suas chances de sucesso. O administrador dispõe de diferentes formas para segmentar os seus consumidores e assim definir seus clientes, sendo o geomarketing uma opção para auxiliar nesse processo. Vale destacar que o geomarketing é uma ferramenta que utiliza modernas técnicas computacionais e informações geográficas, que geram resultados dispostos em mapas digitalizados. A importância de se estudar o geomarketing baseia-se no fato de que várias empresas já o utilizam em suas operações, tornando-se necessária uma observação mais aproximada do fato para entender melhor suas possibilidades de atuação, assim como para poder sistematizar suas propriedades de aplicação, procurando consolidar este novo conhecimento acadêmico para a área de marketing. A pergunta a ser respondida por esse artigo é: como o geomarketing pode auxiliar na segmentação de mercados? Assim, o objetivo deste estudo é verificar como o geomarketing pode ser aplicado na segmentação de mercado, por meio das variáveis geográfica, demográfica, psicográfica, comportamental e por tipo de consumidor. 2. Sistema de Informação de Marketing ENEGEP 2005 ABEPRO 4399

2 No início da década de 60, Kotler (1968) chamou de MIAC Marketing Information and Analysis Center, a estrutura de atividades que davam suporte ao planejamento de marketing. Suas principais funções eram a reunião, o processamento e a utilização das informações. A partir do MIAC, a idéia evoluiu para o SIM Sistema de Informação de Marketing: conjunto de pessoas, equipamentos e procedimentos para a coleta, classificação, análise, avaliação e distribuição de informações necessárias de maneira precisa e oportuna para os que tomam decisões de marketing (Kotler, 2000). Cox e Good (1967 apud MATTAR, 1999, p. 30), definem o SIM da seguinte forma: É um complexo estruturado e interagente de pessoas, máquinas e procedimentos destinados a gerar um fluxo ordenado e contínuo de dados, coletados de fontes internas e externas à empresa, para uso como base para a tomada de decisões em áreas de responsabilidade específicas de marketing. Um SIM bem estruturado, com sistematização clara e objetiva, traz inúmeras vantagens para a empresa, algumas delas aqui destacadas, conforme Benson (1980 apud MATTAR, 1999, p. 30): proporciona informações mais rapidamente, ajudando na melhoria do desempenho da empresa; centraliza as informações, possibilitando uma distribuição mais eficiente e que atenda aos objetivos e necessidades da organização; possibilita o conhecimento mais rápido das tendências do mercado e dos consumidores; ajuda na utilização de informações importantes, que se não fossem bem elaboradas e encaminhadas corretamente poderiam se perder e valoriza e melhora a tomada de decisões dos gestores de marketing e da organização. 3. Sistema de Informação Geográfica O Federal Interagency Coordinating Comitee (1988 apud ANTENUCCI et alii, 1991, p. 7), define o Sistema de Informação Geográfica (SIG) como um sistema de hardware e software, com procedimentos de apoio para capturar, administrar, manipular, analisar, modular e apresentar informações espaciais para resolver problemas complexos de administração e planejamento. Hanigan (1988 apud ANTENUCCI et alii, 1991, p. 7), discorre sobre as seguintes possibilidades de utilização do SIG: coleta e armazenamento de dados baseados em localização espacial; identificação de localizações espaciais utilizando critérios específicos conforme as necessidades; análise de informações espaciais para a tomada de decisões; facilitação da análise de dados no impacto de diferentes escolhas no ambiente estudado; e, visualização gráfica e numérica do ambiente pesquisado. O SIG é constituído da integração de três diferentes aspectos da tecnologia: database management (administração de banco de dados), habilidade/capacidade gráfica e ferramentas de análise espaciais. As informações do banco de dados sobre o ambiente e seus elementos interagem com os mapas geográficos, localizando essas informações no espaço e possibilitando a produção de mapas digitalizados, por meio das ferramentas de análises gráficas (ANTENUCCI et alii, 1991). Segundo Ribeiro e Miranda (1998), o SIG vem sendo utilizado como sistema de apoio à decisão em muitas organizações, em tarefas operacionais, táticas e estratégicas. As informações geradas pelo sistema ajudam na exploração da dimensão geográfica com os dados relacionados ao espaço. Antenucci et alii (1991) afirma que o SIG pode ser utilizado por diversos setores como o universitário, o governamental e as organizações privadas. Dentro desta última opção, o autor faz a seguinte sub-divisão: óleo e gás, reflorestamento, transporte e, marketing e vendas. Como neste trabalho se aborda a utilização do SIG em marketing e vendas, apenas essa vertente será explorada. O autor afirma que a utilização de informações geográficas pode ser ENEGEP 2005 ABEPRO 4400

3 útil nas ações mercadológicas de qualquer empresa. Um exemplo dessa aplicação é a utilização dos dados dos CEPs dos clientes de uma organização para localizar onde estes se concentram, possibilitando a criação de estratégias promocionais específicas nessas áreas geográficas. 4. Geomarketing Aranha (1996) afirma que, embora as aplicações do SIG na área empresarial sejam amplas, os programas líderes de mercado são particularmente adaptados para o database marketing. O autor explica que o SIG proporciona a elaboração de mapas com a representação de diversos tipos de dados, além da realização de vários cálculos. Essas informações podem originar diferentes análises, como: potencial de mercado, análise de segmentação, localização da base de clientes atuais e potenciais, definição de ponto de venda, projeção e resposta de campanhas de marketing e outros estudos onde a localização é um elemento importante. Aranha (1996, p. 15) afirma que os SIGs permitem extrair informações dos dados de forma eficiente, produzindo compreensões que não estariam disponíveis de outra forma, já que relações espaciais dificilmente podem ser representadas, em gráficos ou tabelas, de maneira adequada. Essas informações mercadológicas geradas por meio do SIG, com a utilização de programas específicos para esse objetivo, representam o geomarketing, que é o objeto deste trabalho. Para Ribeiro e Miranda (1998), o SIG está se aprimorando cada vez mais para apoiar as decisões de marketing. Esses autores ainda constatam que o geomarketing representa uma importante ferramenta de decisão mercadológica e que seu uso será crescente nos próximos anos. Doyle (2001) sugere as seguintes aplicações do SIG em marketing: informação de dados sobre a localização geográfica dos clientes, podendo gerar mapas comparativos, possibilitando a análise de diferentes variáveis; análise da localização dos atuais clientes, com o objetivo de gerar ações de marketing para atrair mais clientes nessas mesmas regiões; definição da melhor localização para merchandising; divisão do território de vendas; segmentação geográfica dos clientes de acordo com o seu perfil; análise geo-demográfica dos clientes atuais e potenciais; previsão da demanda dos produtos e serviços em diferentes localizações geográficas; e, decisão de localização do ponto de venda. O mesmo autor conclui que o geomarketing tornou-se uma importante ferramenta nas organizações modernas, devido à necessidade das empresas em entender as dimensões geográficas dos seus mercados. A organização que conseguir interagir com eficiência seu banco de dados com as informações geográficas, gerando relatórios que mesclem mapas com informações mercadológicas, terá uma vantagem competitiva para agir no mercado frente aos concorrentes que não tiverem esse tipo de informação. As informações de marketing visualizadas espacialmente facilitam o reconhecimento de oportunidades, problemas e tendências de mercado. Essas ações são essenciais no marketing, que é o responsável pela interação entre a empresa e o cliente e por isso precisa do maior número possível de informações seguras e atualizadas. Para Reider (2003), uma das mais importantes contribuições do geomarketing é a facilidade de se compreender os dados apresentados. Esses dados são visualizados em mapas, que contêm as informações mercadológicas selecionadas pelo usuário, sendo assim mais facilmente compreendidas do que seriam por meio de tabelas e textos. Essas informações podem ser de diferentes tipos: idade, sexo, faixa de renda, profissão, localização residencial, estado civil, perfil de compra, tipo de cliente e diversas outras. A grande vantagem do ENEGEP 2005 ABEPRO 4401

4 geomarketing está na interação desses diferentes dados com um mapa geográfico, gerando uma informação de fácil visualização e compreensão. Para Black, Powers e Roche (1994), o geomarketing é uma ferramenta que auxilia a responder a diversas questões mercadológicas de grande importância para as organizações, gerando mapas com informações específicas para cada questão proposta. Contudo, para serem úteis, esses mapas dependem de uma constante atualização dos dados cartográficos, mercadológicos e do banco de dados da própria organização. 5. Segmentação Uma das atividades de marketing mais difundidas entre as empresas é a segmentação, que tem como objetivo maior a divisão dos mercados em grupos homogêneos para facilitar a atuação das empresas junto a esses consumidores (KOTLER, 2000). Sua relevância para este trabalho consiste na abordagem de como o geomarketing pode contribuir na definição desses segmentos. Kotler e Armstrong (2003) e McCarthy e Perreault (1997) definem os tipos de segmentação que mais se destacam: segmentação geográfica consiste em dividir um mercado global em grupos homogêneos com base em unidades geográficas, como países, regiões, estados, cidades, bairros etc; segmentação demográfica consiste em dividir os grupos consumidores de acordo com variáveis demográficas, como sexo, idade, raça, religião, renda, ocupação, grau de instrução, tamanho da família, estágio no ciclo da vida da família etc; segmentação psicográfica tipo de segmentação que se refere à separação pelos perfis de estilo de vida dos diferentes consumidores, assim como pela classe social e personalidade; segmentação comportamental realiza a divisão dos compradores considerando o conhecimento em relação aos produtos/serviços, as atitudes em relação a esses produtos e serviços e no uso que faz deles; e, segmentação por tipo de consumidor divisão dos compradores de acordo com o seu tipo, como: fabricante, órgão governamental, órgão militar, atacadista, varejista e consumidor final. Kotler e Armstrong (2003) também afirmam que para serem úteis, os segmentos de mercado precisam apresentar as seguintes características: mensurabilidade, acessibilidade, substancialidade e operacionalidade. 6. Aspectos metodológicos Realizou-se uma pesquisa qualitativa junto a uma indústria de produtos do setor alimentício, sediada em Uberlândia-MG, que utiliza o geomarketing como ferramenta para a tomada de decisões mercadológicas. Não se busca neste artigo medidas quantitativas de comportamento ou características e sim uma compreensão de significados e características situacionais (RICHARDSON, 1999). A abordagem do estudo é exploratória, visto que se está buscando uma maior compreensão dos fatos que cercam a aplicação do geomarketing na segmentação de mercado. Richardson (1999) afirma que se utiliza essa abordagem quando se quer conhecer o fenômeno e não se tem informação suficiente sobre o mesmo. A técnica de pesquisa empregada foi o estudo de caso, pois foi realizada uma investigação empírica, onde se pesquisou um fato dentro de seu contexto real. (YIN, 2001). Vale destacar que nesta pesquisa, foram coletados somente dados secundários, que se constituíram de documentos organizacionais. Os dados foram então qualitativamente analisados por meio da análise documental: pesquisaram-se os documentos e procurou-se estabelecer uma determinação fiel dos fenômenos que aconteciam na empresa, envolvendo a utilização do geomarketing. (RICHARDSON, 1999). ENEGEP 2005 ABEPRO 4402

5 7. Análise da contribuição do geomarketing para cinco tipos de segmentação Importa destacar que o componente primário do geomarketing é a localização geográfica por meio de mapas. Destarte, esse componente sempre estará presente nos relatórios (gráfico e mapa) confeccionados pela ferramenta, além de ser pertinente em qualquer análise para definição da segmentação. A seguir, aborda-se os cinco tipos de segmentação previamente indicados neste trabalho, sob a luz do geomarketing Segmentação geográfica Neste tipo de segmentação, a grande diferença e uma das maiores vantagens do geomarketing é o fato dele apresentar os dados por meio de mapas, que são mais facilmente visualizados e compreendidos do que se fossem apresentados por meio de gráficos, tabelas e textos. Os mapas podem ser divididos por países, regiões, estados, cidades, bairros ou qualquer outra unidade de localização geográfica. A Figura 1 apresenta um exemplo de segmentação geográfica por mesoregiões do estado de Minas Gerais; o exemplo mostra a facilidade de se visualizar cada cidade das diferentes regiões, além de mostrar o número de cidades por região. Esse estudo pode ser utilizado para a definição, por exemplo, da cobertura de vendas da empresa. Figura 1: Segmentação do estado de Minas Gerais em mesoregiões 7.2. Segmentação demográfica O geomarketing também relaciona variáveis demográficas, como sexo, raça, religião, renda, ocupação, tamanho da família etc., com a localização geográfica dos clientes. Dessa forma, é possível identificar qualquer grupo demográfico visualmente num mapa, independente da variável demográfica definida como padrão. Nesse caso, torna-se importante que o banco de dados da empresa tenha essas variáveis demográficas definidas e cadastradas para cada cliente da organização. Cumprida essa exigência, o software de geomarketing pode cruzar qualquer uma dessas informações e gerar o mapa, onde as diferentes variáveis demográficas selecionadas serão relacionadas com a região geográfica definida pelo usuário da ferramenta. Na Figura 2 pode-se visualizar um mapa que apresenta a seguinte segmentação demográfica: população de pessoas maiores de 18 anos, de ambos os sexos e com renda acima de 10 salários mínimos. Apresenta-se no mapa gerado o número de clientes potenciais (em faixas de quantidade) e o número de cidades (entre parênteses) onde se encontra esse tipo de cliente pré-definido. Também se visualiza em cada cidade no mapa qual a faixa de quantidade de clientes em potencial essa informação está representada pelas diferentes cores adotadas conforme a faixa de clientes potenciais. A partir dessa informação, a empresa adota estratégias mercadológicas distintas para cada cidade, analisando-se o número potencial de clientes nessas regiões. ENEGEP 2005 ABEPRO 4403

6 Figura 2 Segmentação demográfica do estado de Minas Gerais, considerando maiores de 18 anos, ambos os sexos e com renda acima de 10 salários mínimos 7.3. Segmentação Psicográfica Esse tipo de segmentação analisa o perfil do estilo de vida, a classe social e a personalidade dos consumidores da empresa dentro de uma área geográfica previamente definida. No exemplo apresentado na Figura 3, a empresa analisa uma cidade fazendo uma segmentação psicográfica tendo como variável a classe social, dividida em A, B e C. Nesse mapa os gestores de marketing visualizam claramente onde estão localizadas as classes sociais previamente definidas. A partir dessa informação, são definidas as diferentes táticas para cada classe social e região. A maior contribuição do geomarketing neste exemplo também é a fácil visualização, devido ao fato de que, por meio do mapa, pode-se definir o local em que se deve adotar cada estratégia para os diferentes públicos. Com a definição dos bolsões onde estão localizadas as diferentes classes sociais no mercado da empresa, as estratégias podem ser definidas de acordo com o tamanho e o perfil de cada região, o que melhora os resultados do plano de marketing proposto, através da utilização mais eficaz dos recursos investidos nesses planos, contribuindo também para um melhor resultado para as estratégias escolhidas, pois o público-alvo está claramente definido Segmentação comportamental Figura 3 Divisão de uma região por classe social Esse tipo de segmentação depende essencialmente dos dados coletados sobre os produtos e serviços comercializados pela empresa, podendo ser obtidos diretamente junto aos consumidores e também junto aos institutos de pesquisa que analisam o comportamento dos consumidores. O geomarketing também auxilia os tomadores de decisões que adotam a segmentação comportamental, informando não somente dados do comportamento do consumidor, mas também localizando onde estão os principais grupos referentes a cada comportamento no espaço geográfico. ENEGEP 2005 ABEPRO 4404

7 Visualiza-se na Figura 4 a contribuição do geomarketing, pois ela mostra o mapa do estado de Minas Gerais, onde as cidades foram classificadas de acordo com o consumo semanal por família do produto analisado. A partir dessa informação, os gestores da organização podem segmentar as diferentes cidades e elaborar estratégias distintas, considerando o consumo atual do produto comercializado. Salienta-se ainda que existem outras diversas possibilidades de análise de dados referentes ao comportamento dos consumidores que podem ser utilizados pelo geomarketing para contribuir na definição da segmentação da empresa. Figura 4 Média semanal de consumo de um produto por família em MG 7.5. Segmentação por tipo de consumidor Nesse tipo de segmentação, o geomarketing também contribui apontando graficamente as concentrações dos diferentes tipos de consumidor nas regiões geográficas correspondentes ao mercado da empresa. A Figura 5 mostra qual o tipo de consumidor, do produto analisado, que predomina em cada região do espaço geográfico estudado. Com essa informação, a empresa investe seus recursos em ações de marketing especificas para cada região, conforme o seu tipo de consumidor. Esse auxílio evita o desperdício de recursos que a empresa poderia ter ao focar seus esforços num tipo de consumidor que não é predominante na região geográfica onde se aplica o plano de marketing. 8. Conclusão Figura 5 Predominância dos diferentes tipos de consumidores em uma região A análise da utilização do geomarketing nos cinco tipos de segmentação sugere que a utilização do geomarketing facilita e melhora o trabalho dos gestores na definição dos segmentos de mercado das suas organizações. A utilização de mapas intercalados com informações mercadológicas, que é a base do geomarketing, representa uma nova forma de avaliar e entender os consumidores de uma empresa. Anteriormente ao advendo dessa ferramenta, era comum encontrar nas empresas mapas marcados com alfinetes para identificar ENEGEP 2005 ABEPRO 4405

8 onde estavam os seus consumidores. Atualmente, os gestores de marketing podem gerenciar seus mercados, no aspecto geográfico, de uma forma interativa e dinâmica. O geomarketing também proporciona uma análise mais ágil e precisa dos mercados, pois a partir dele a organização pode avaliar rapidamente diferentes informações referentes aos seus consumidores em diversas localidades, inclusive podendo analisar a evolução desses dados ao longo do tempo. As informações provenientes dessa ferramenta são consideradas de fácil leitura e interpretação, além de oferecer várias opções de cruzamento de dados com o database marketing da organização. A possibilidade de avaliar diferentes e múltiplas variáveis, inserindo-as no espaço geográfico visualizado por meio de mapas, é a grande inovação do geomarketing para a segmentação. Ela possibilita que o gestor avalie as informações visualizando o mapa onde está localizado o mercado em estudo, o que possibilita interpretações mais claras e abre novas possibilidades para a implementação de estratégias mercadológicas, que dificilmente seriam consideradas caso houvesse apenas relatórios tradicionais, na forma de textos, que não permitem uma compreensão clara das informações no espaço geográfico, possibilitando que o gestor relacione as informações referentes ao mercado e aos consumidores no seu espaço geográfico, contribuindo para uma segmentação mais real e eficiente. Referências ANTENUCCI, J. C.; BROWN, K.; CROSWELL, P. L.; KEVANY, M. J.; ARCHER, H. (1991) Geographic Information System: a guide to the technology. Chapman & Hall. New York. ARANHA, F. (1996) Sistemas de Informação Geográfica: uma arma estratégica para o database marketing. RAE Revista de Administração de Empresas. Vol.36, n.2, p BLACK, S.; POWERS, G.; ROCHE, M. (1994) A GIS-Based Approach to community analysis for targeted marketing. Economic Development Review. Vol.12, n.2, p DOYLE, S. (2001) Software review: How is geography supporting marketing in today s commercial organizations? Journal of Database Management. Vol.9, n.1, p KOTLER, P. (1968) A design for the firm s marketing nerve center. In SMITH, V. et alii. Readings in marketing information systems: a new era in marketing research. Houghton. Boston. KOTLER, P. (2000) Administração de Marketing. Prentice Hall.10ª Edição. São Paulo. KOTLER, P.; ARMSTRONG, G. (2003) Princípios de Marketing. Pearson Prentice Hall. 9ª Edição. Rio de Janeiro. MATTAR, F. N. (1999) Pesquisa de marketing: metodologia e planejamento. Atlas. 5ª Edição. Vol. 1. São Paulo. McCARTHY, E. J.; PERREAULT JR., W. D. (1997) Marketing Essencial: uma abordagem gerencial e global. Atlas. São Paulo. REIDER, S. (2003) Map your market with GIS. ABA Bank Marketing. Vol. 35, n.7. Washington. RIBEIRO, C. T.; MIRANDA, A. (1998) Geomarketing: uma nova ferramenta para vendedores, produtores e especificadores. Rochas de Qualidade. Edição 140, p RICHARDSON, R. J. e colaboradores (1999). Pesquisa social: métodos e técnicas. Atlas. São Paulo. YIN, ROBERT K (2001). Estudo de caso: planejamento e métodos. Bookman. 2ª Edição. Porto Alegre. ENEGEP 2005 ABEPRO 4406

A CONTRIBUIÇÃO DO GEOMARKETING PARA A ADMINISTRAÇÃO DE VENDAS: UM ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA DE TELECOMUNICAÇÕES

A CONTRIBUIÇÃO DO GEOMARKETING PARA A ADMINISTRAÇÃO DE VENDAS: UM ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA DE TELECOMUNICAÇÕES XXIX ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO. A CONTRIBUIÇÃO DO GEOMARKETING PARA A ADMINISTRAÇÃO DE VENDAS: UM ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA DE TELECOMUNICAÇÕES André Francisco Alcântara Fagundes

Leia mais

Geomarketing: Um Estudo de Caso de Uma Empresa de Telecomunicações

Geomarketing: Um Estudo de Caso de Uma Empresa de Telecomunicações Geomarketing: Um Estudo de Caso de Uma Empresa de Telecomunicações Autoria: André Francisco Alcântara Fagundes, Stella Naomi Moriguchi, Élcio Eduardo de Paula Santana, José Eduardo Ferreira Lopes RESUMO

Leia mais

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto

Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento. Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto Estratégia De Diferenciação Competitiva Através Do Marketing De Relacionamento Profa. Dra. Maria Isabel Franco Barretto CURRÍCULO DO PROFESSOR Administradora com mestrado e doutorado em engenharia de produção

Leia mais

FUNDAMENTOS PARA A ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA

FUNDAMENTOS PARA A ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA FUNDAMENTOS PARA A ADMINISTRAÇÃO ESTRATÉGICA Abordagem da estratégia Análise de áreas mais específicas da administração estratégica e examina três das principais áreas funcionais das organizações: marketing,

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO CORPORATIVA

SISTEMA DE INFORMAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO CORPORATIVA SISTEMA DE INFORMAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO SISTEMA DE INFORMAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO CORPORATIVA SISTEMA DE INFORMAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO SISTEMA DE INFORMAÇÕES Um Sistema de Informação não precisa ter essencialmente

Leia mais

Rua José de Alencar, 377/06 Menino Deus 90880.481 Porto Alegre RS Brasil fone/fax [51] 3012.1365

Rua José de Alencar, 377/06 Menino Deus 90880.481 Porto Alegre RS Brasil fone/fax [51] 3012.1365 Rua José de Alencar, 377/06 Menino Deus 90880.481 Porto Alegre RS Brasil fone/fax [51] 3012.1365 guilherme@2dayconsultoria.com patricia@2dayconsultoria.com www.2dayconsultoria.com A p r e s e n t a ç ã

Leia mais

RELATÓRIOS GERENCIAIS

RELATÓRIOS GERENCIAIS RELATÓRIOS GERENCIAIS Com base na estrutura organizacional de uma entidade, a parte gerencial é o processo administrativo, onde se traça toda a estrutura fundamental para elaboração do planejamento da

Leia mais

Marketing. Aula 06. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Marketing. Aula 06. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Marketing Aula 06 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia e

Leia mais

AULA 4 Marketing de Serviços

AULA 4 Marketing de Serviços AULA 4 Marketing de Serviços Mercado Conjunto de todos os compradores reais e potenciais de um produto ou serviço. Trata-se de um sistema amplo e complexo, que envolve: FORNECEDORES CONCORRENTES CLIENTES

Leia mais

10/7/2011 PLANEJAMENTO DE MARKETING

10/7/2011 PLANEJAMENTO DE MARKETING 1 PLANEJAMENTO DE MARKETING 2 CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1.Importância do Planejamento de Marketing 2. Considerações Organizacionais no Planejamento de Marketing 3.Planejamento de Database Marketing 4.Análise

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL (SIG) Conjunto integrado de pessoas, procedimentos, banco de dados e dispositivos que suprem os gerentes e os tomadores

Leia mais

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Material de Apoio Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações.

Leia mais

PALAVRAS CHAVE RESUMO

PALAVRAS CHAVE RESUMO ESIG2001 SPATIAL INTELLIGENCE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA COMO MEIO DE SUPORTE À DECISÃO João Machado Costa, Rui Marques Ferreira Novabase www.novabase.pt joao.machado@novabase.pt PALAVRAS CHAVE Spatial Information

Leia mais

MBA em Gestão Estratégica

MBA em Gestão Estratégica MBA em Gestão Estratégica Disciplina Extra Metodologia Científica Profa. Dra. Sonia Valle W. B. Oliveira Parte 1-23/03/2012 Parte 2-30/03/2012 1 Aula Extra Parte 2 Metodologia Científica 2 Agenda Dados

Leia mais

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes

Unidade IV. Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas. Prof a. Daniela Menezes Unidade IV Gerenciamento de Produtos, Serviços e Marcas Prof a. Daniela Menezes Tipos de Mercado Os mercados podem ser divididos em mercado de consumo e mercado organizacional. Mercado de consumo: o consumidor

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) « CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS» ADMINISTRAÇÃO (MARKETING) «21. É falacioso falar que o marketing é filho do capitalismo e, portanto, apenas ajudaria a concentrar a renda satisfazendo necessidades supérfluas

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG

OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG 1 OS 5 P S DO MARKETING NO SETOR HOTELEIRO NA CIDADE DE BAMBUÍ-MG Camila Alves Teles 1 Maria Solange dos Santos 2 Rodrigo Honório Silva 3 Romenique José Avelar 4 Myriam Angélica Dornelas 5 RESUMO O presente

Leia mais

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos

A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos A evolução da tecnologia da informação nos últimos 45 anos Denis Alcides Rezende Do processamento de dados a TI Na década de 1960, o tema tecnológico que rondava as organizações era o processamento de

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS

SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS 1 SISTEMAS DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS John F. Eichstaedt, Toni Édio Degenhardt Professora: Eliana V. Jaeger RESUMO: Este artigo mostra o que é um SIG (Sistema de Informação gerencial) em uma aplicação prática

Leia mais

INSTRUÇÃO DE TRABALHO PARA INFORMAÇÕES GERENCIAIS

INSTRUÇÃO DE TRABALHO PARA INFORMAÇÕES GERENCIAIS INSTRUÇÃO DE TRABALHO PARA INFORMAÇÕES GERENCIAIS Asia Shipping Transportes Internacionais Ltda. como cópia não controlada P á g i n a 1 7 ÍNDICE NR TÓPICO PÁG. 1 Introdução & Política 2 Objetivo 3 Responsabilidade

Leia mais

Estratégias em Tecnologia da Informação

Estratégias em Tecnologia da Informação Estratégias em Tecnologia da Informação Capítulo 6 Sistemas de Informações Estratégicas Sistemas integrados e sistemas legados Sistemas de Gerenciamento de Banco de Dados Material de apoio 2 Esclarecimentos

Leia mais

Aula 15. Tópicos Especiais I Sistemas de Informação. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr.

Aula 15. Tópicos Especiais I Sistemas de Informação. Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. 15 Aula 15 Tópicos Especiais I Sistemas de Informação Prof. Dr. Dilermando Piva Jr. Site Disciplina: http://fundti.blogspot.com.br/ Conceitos básicos sobre Sistemas de Informação Conceitos sobre Sistemas

Leia mais

2. Gerenciamento de projetos

2. Gerenciamento de projetos 2. Gerenciamento de projetos Este capítulo contém conceitos e definições gerais sobre gerenciamento de projetos, assim como as principais características e funções relevantes reconhecidas como úteis em

Leia mais

Como melhorar a tomada de decisão. slide 1

Como melhorar a tomada de decisão. slide 1 Como melhorar a tomada de decisão slide 1 P&G vai do papel ao pixel em busca da gestão do conhecimento Problema: grande volume de documentos em papel atrasavam a pesquisa e o desenvolvimento. Solução:

Leia mais

SISTEMA DE INFORMAÇÕES DE MARKETING

SISTEMA DE INFORMAÇÕES DE MARKETING SISTEMA DE INFORMAÇÕES DE MARKETING DESAFIOS PARA O SÉC. XXI A globalização, que obrigará a empresa a comparar-se com o que há de melhor no mundo. A necessidade de educar, treinar, motivar e liderar talentos.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CONFEDERAÇÃO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL TRABALHO DE AVALIAÇÃO MARKETING PARA A QUALIDADE

UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CONFEDERAÇÃO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL TRABALHO DE AVALIAÇÃO MARKETING PARA A QUALIDADE UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ CONFEDERAÇÃO NACIONAL DE APRENDIZAGEM INDUSTRIAL TRABALHO DE AVALIAÇÃO MARKETING PARA A QUALIDADE CURITIBA ABRIL - 2000 ODILIO SEPULCRI TRABALHO DE AVALIAÇÃO MARKETING PARA

Leia mais

Unidade IV SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Prof. Daniel Arthur Gennari Junior

Unidade IV SISTEMAS DE INFORMAÇÃO. Prof. Daniel Arthur Gennari Junior Unidade IV SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Daniel Arthur Gennari Junior Sobre esta aula Sistema de informação nos negócios Sistemas de informação no apoio ao processo de tomada de decisão Sistemas colaborativos

Leia mais

O uso da tecnologia CRM em uma empresa de pequeno porte no município de Bambuí-MG

O uso da tecnologia CRM em uma empresa de pequeno porte no município de Bambuí-MG O uso da tecnologia CRM em uma empresa de pequeno porte no município de Bambuí-MG Caroline Passatore¹, Dayvid de Oliveira¹, Gustavo Nunes Bolina¹, Gabriela Ribeiro¹, Júlio César Benfenatti Ferreira² 1

Leia mais

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING

Conceitos e tarefas da administração de marketing DESENVOLVIMENTO DE ESTRATEGIAS E PLANOS DE MARKETING Sumário Parte um Conceitos e tarefas da administração de marketing CAPITULO I MARKETING PARA 0 SÉCULO XXI A importância do marketing O escopo do marketing 0 que é marketing? Troca e transações A que se

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS

A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS A IMPORTÂNCIA DO SISTEMA DE INFORMAÇÃO GERENCIAL PARA AS EMPRESAS Gilmar da Silva, Tatiane Serrano dos Santos * Professora: Adriana Toledo * RESUMO: Este artigo avalia o Sistema de Informação Gerencial

Leia mais

ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING

ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CÂMPUS CANOAS ERP ENTERPRISE RESOURCE PLANNING RENAN ROLIM WALENCZUK Canoas, Agosto de 2014 SUMÁRIO 1 INTODUÇÃO...03 2 ERP (ENTERPRISE

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING CENÁRIO E TENDÊNCIAS DOS NEGÓCIOS 8 h As mudanças do mundo econômico e as tendências da sociedade contemporânea.

Leia mais

Análise da vantagem de adoção e uso de sistemas ERP código aberto em relação aos sistemas ERP código fechado

Análise da vantagem de adoção e uso de sistemas ERP código aberto em relação aos sistemas ERP código fechado Análise da vantagem de adoção e uso de sistemas ERP código aberto em relação aos sistemas ERP código fechado Louis Albert Araujo Springer Luis Augusto de Freitas Macedo Oliveira Atualmente vem crescendo

Leia mais

1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL Gestão do ciclo completo de relacionamento com o aluno SRM da Universidade Feevale

1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL Gestão do ciclo completo de relacionamento com o aluno SRM da Universidade Feevale RELATÓRIO DE AVALIAÇÃO 1. PRÁTICA EFICAZ DE GESTÃO EDUCACIONAL Gestão do ciclo completo de relacionamento com o aluno SRM da Universidade Feevale 1.1 Histórico da Prática Eficaz Por meio do Departamento

Leia mais

Tecnologias e Sistemas de Informação

Tecnologias e Sistemas de Informação Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 02 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

PROPOSTA METODOLÓGICA PARA O PLANEJAMENTO DE TRANSPORTE DE PRODUTOS ENTRE UMA FÁBRICA E SEUS CENTROS DE DISTRIBUIÇÃO

PROPOSTA METODOLÓGICA PARA O PLANEJAMENTO DE TRANSPORTE DE PRODUTOS ENTRE UMA FÁBRICA E SEUS CENTROS DE DISTRIBUIÇÃO PROPOSTA METODOLÓGICA PARA O PLANEJAMENTO DE TRANSPORTE DE PRODUTOS ENTRE UMA FÁBRICA E SEUS CENTROS DE DISTRIBUIÇÃO Umberto Sales Mazzei Bruno Vieira Bertoncini PROPOSTA METODOLÓGICA PARA O PLANEJAMENTO

Leia mais

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br

www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Outras Apostilas em: www.projetode redes.co m.br www.redesde com p uta dores. com. br Centro Universitário Geraldo di Biase 1. Sistemas, Processos e Informações Ao observarmos o funcionamento de um setor

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL 2015 Sabemos que as empresas atualmente utilizam uma variedade muito grande de sistemas de informação. Se você analisar qualquer empresa que conheça, constatará que existem

Leia mais

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 141 A LOGÍSTICA COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Douglas Fernandes 1, Josélia Galiciano Pedro 1 Docente do Curso Superior

Leia mais

Plano de Negócios PLANEJAMENTO DO PROJETO FINAL. Sumário

Plano de Negócios PLANEJAMENTO DO PROJETO FINAL. Sumário Plano de Negócios Plano de Negócios Sumário Introdução... 3 Plano de Negócios... 3 Etapas do Plano de Negócio... 3 Fase 1... 3 Fase 2... 8 Orientação para entrega da Atividade de Avaliação... 12 Referências

Leia mais

COLETA DE INFORMAÇÕES E PREVISÃO DE DEMANDA

COLETA DE INFORMAÇÕES E PREVISÃO DE DEMANDA COLETA DE INFORMAÇÕES E PREVISÃO DE DEMANDA 1) Quais são os componentes de um moderno sistema de informações de marketing? 2) Como as empresas podem coletar informações de marketing? 3) O que constitui

Leia mais

TIPOS DE PROCESSOS Existem três categorias básicas de processos empresariais:

TIPOS DE PROCESSOS Existem três categorias básicas de processos empresariais: PROCESSOS GERENCIAIS Conceito de Processos Todo trabalho importante realizado nas empresas faz parte de algum processo (Graham e LeBaron, 1994). Não existe um produto ou um serviço oferecido por uma empresa

Leia mais

REVISANDO O CONCEITO E A EVOLUÇÃO DO MARKETING

REVISANDO O CONCEITO E A EVOLUÇÃO DO MARKETING PROGRAMA PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA PRIME GESTÃO MERCADOLÓGICA 2009 REVISANDO O CONCEITO E A EVOLUÇÃO DO MARKETING Todo comprador poderá adquirir o seu automóvel da cor que desejar, desde que seja preto.

Leia mais

Inteligência Estratégica

Inteligência Estratégica Inteligência Estratégica Henrique Freitas & Raquel Janissek-Muniz PPGA/EA/UFRGS SPHINX Brasil E-mail: inteligencia@sphinxbrasil.com Pesquisa: http://gianti.ea.ufrgs.br Soluções: http://www.sphinxbrasil.com/inteligencia

Leia mais

Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO. Profa. Leonor Cordeiro Brandão

Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO. Profa. Leonor Cordeiro Brandão Unidade II GESTÃO DO CONHECIMENTO Profa. Leonor Cordeiro Brandão Relembrando Vimos alguns conceitos importantes: O que são dados; O que é informação; Quando uma informação se transforma em conhecimento;

Leia mais

Sistemas de Informação CEA460 - Gestão da Informação

Sistemas de Informação CEA460 - Gestão da Informação Sistemas de Informação CEA460 - Gestão da Informação Janniele Aparecida Conceitos Sistema de Informação Conjunto de componentes interrelacionados que coletam (ou recuperam), processam e armazenam e distribuem

Leia mais

- Buscar novos produtos que proporcionem vantagens em relação à concorrência

- Buscar novos produtos que proporcionem vantagens em relação à concorrência Administração de As responsabilidades da área de (MINADEO, 2008) - Investigar novos nichos de mercado - Identificar o perfil do cliente - Buscar novos produtos que proporcionem vantagens em relação à concorrência

Leia mais

Aula 03 Gestão de Marketing

Aula 03 Gestão de Marketing Aula 03 Gestão de Marketing Análise SWOT, Segmentação de Mercado e Mix de Marketing Prof. Marcopolo Marinho Prof. Esp. Marcopolo Marinho Segmentação é a identificação sistemática de conjuntos e subconjuntos

Leia mais

Gestão Estratégica de Marketing

Gestão Estratégica de Marketing Gestão Estratégica de Marketing A Evolução do seu Marketing Slide 1 O Marketing como Vantagem Competitiva Atualmente, uma das principais dificuldades das empresas é construir vantagens competitivas sustentáveis;

Leia mais

Coletividade; Diferenciais; Informação; Dado; Informação; Conhecimento. Coletar informação; e Identificar as direções.

Coletividade; Diferenciais; Informação; Dado; Informação; Conhecimento. Coletar informação; e Identificar as direções. Revisão 1 Coletividade; Diferenciais; Informação; Dado; Informação; Conhecimento Coletar informação; e Identificar as direções. Precisa; Clara; Econômica; Flexível; Confiável; Dirigida; Simples; Rápida;

Leia mais

Sistemas de Informação Empresarial

Sistemas de Informação Empresarial Sistemas de Informação Empresarial SAD Sistemas de Apoio à Decisão parte 1: a Tomada de Decisão Fontes: O Brien e Webaula Estácio Visão Integrada do Papel dos SI s na Empresa [ Problema Organizacional

Leia mais

Inteligência Organizacional, Inteligência Empresarial, Inteligência Competitiva, Infra-estrutura de BI mas qual é a diferença?

Inteligência Organizacional, Inteligência Empresarial, Inteligência Competitiva, Infra-estrutura de BI mas qual é a diferença? Inteligência Organizacional, Inteligência Empresarial, Inteligência Competitiva, Infra-estrutura de BI mas qual é a diferença? * Daniela Ramos Teixeira A Inteligência vem ganhando seguidores cada vez mais

Leia mais

ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ

ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ ESTUDO DA IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO PARA O COMÉRCIO VAREJISTA LUCIMEIRI CEZAR ANDRÉ Acadêmica de Administração Geral na Faculdade Metropolitana de Maringá /PR - 2005 RESUMO: A atividade comercial

Leia mais

IMPLANTAÇÃO E TREINAMENTO NO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ESTUDO DE CASO

IMPLANTAÇÃO E TREINAMENTO NO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ESTUDO DE CASO 503 IMPLANTAÇÃO E TREINAMENTO NO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ESTUDO DE CASO Christina Garcia(1); Franciane Formighieri(2); Taciana Tonial(3) & Neimar Follmann(4)(1) Acadêmica do 4º Ano do Curso de

Leia mais

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado

Departamento Comercial e Marketing. Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010. Técnicas de Secretariado Escola Secundaria de Paços de Ferreira 2009/2010 Técnicas de Secretariado Departamento Comercial e Marketing Módulo 23- Departamento Comercial e Marketing Trabalho realizado por: Tânia Leão Departamento

Leia mais

USO DA COMUNICAÇÃO ALINHADA A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E TOMADA DE DECISÃO

USO DA COMUNICAÇÃO ALINHADA A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E TOMADA DE DECISÃO USO DA COMUNICAÇÃO ALINHADA A TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E TOMADA DE DECISÃO Alexandra Lemos Ferraz 1 Evandro Oliveira da Silva 2 Edimar Luiz Bevilaqua 3 Fernando Nobre gomes da silva 4 Matheus Trindade

Leia mais

Apresentação, xix Prefácio à 8a edição, xxi Prefácio à 1a edição, xxiii. Parte I - Empresa e Sistemas, 1

Apresentação, xix Prefácio à 8a edição, xxi Prefácio à 1a edição, xxiii. Parte I - Empresa e Sistemas, 1 Apresentação, xix Prefácio à 8a edição, xxi Prefácio à 1a edição, xxiii Parte I - Empresa e Sistemas, 1 1 SISTEMA EMPRESA, 3 1.1 Teoria geral de sistemas, 3 1.1.1 Introdução e pressupostos, 3 1.1.2 Premissas

Leia mais

Sistemas de Informação para Apoio à Decisão Gerencial

Sistemas de Informação para Apoio à Decisão Gerencial Sistemas de Informação para Apoio à Decisão Gerencial Sistemas de Apoio à decisão (DSS) Os sistemas de apoio à decisão (Decision Support System, ou DSS) são uma das principais categorias de sistemas de

Leia mais

O SISTEMA DE QUALIDADE NA INDUSTRIA DE CONFECÇÃO

O SISTEMA DE QUALIDADE NA INDUSTRIA DE CONFECÇÃO 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 O SISTEMA DE QUALIDADE NA INDUSTRIA DE CONFECÇÃO Sandra Biégas 1, Patrícia Machado Mellero Cardoso 2 RESUMO: Com base em uma realidade onde indústrias

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Marketing. Conteúdo Programático. Administração Geral / 100h

Curso Superior de Tecnologia em Marketing. Conteúdo Programático. Administração Geral / 100h Administração Geral / 100h O CONTEÚDO PROGRAMÁTICO BÁSICO DESTA DISCIPLINA CONTEMPLA... Administração, conceitos e aplicações organizações níveis organizacionais responsabilidades Escola Clássica história

Leia mais

Existem três categorias básicas de processos empresariais:

Existem três categorias básicas de processos empresariais: PROCESSOS GERENCIAIS Conceito de Processos Todo trabalho importante realizado nas empresas faz parte de algum processo (Graham e LeBaron, 1994). Não existe um produto ou um serviço oferecido por uma empresa

Leia mais

TÍTULO: BIG DATA: UM DESAFIO DO MARKETING DE RELACIONAMENTO NO SETOR VAREJISTA

TÍTULO: BIG DATA: UM DESAFIO DO MARKETING DE RELACIONAMENTO NO SETOR VAREJISTA TÍTULO: BIG DATA: UM DESAFIO DO MARKETING DE RELACIONAMENTO NO SETOR VAREJISTA CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: CIÊNCIAS DA INFORMAÇÃO INSTITUIÇÃO: UNIVERSIDADE PRESBITERIANA

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Introdução à Unidade Curricular

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Introdução à Unidade Curricular SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Introdução à Unidade Curricular Material Cedido pelo Prof. Msc. Ângelo Luz Prof. Msc. André Luiz S. de Moraes 2 Materiais Mussum (187.7.106.14 ou 192.168.200.3) Plano de Ensino SISTEMAS

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

ASSUNTO DA APOSTILA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET

ASSUNTO DA APOSTILA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET AULA 02 ASSUNTO DA APOSTILA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET JAMES A. O BRIEN CAPÍTULO 01 continuação Páginas 03 à 25 1 COMPONENTES DE UM SISTEMA DE INFORMAÇÃO Especialistas

Leia mais

CST Marketing. O estudante deve redigir texto dissertativo, abordando os seguintes tópicos:

CST Marketing. O estudante deve redigir texto dissertativo, abordando os seguintes tópicos: CST Marketing Padrão de Resposta O estudante deve redigir texto dissertativo, abordando os seguintes tópicos: A A ideia de que desenvolvimento sustentável pode ser entendido como proposta ou processo que

Leia mais

a) SEGMENTAÇÃO (1) Introdução

a) SEGMENTAÇÃO (1) Introdução a) SEGMENTAÇÃO (1) Introdução Segmentação de mercado é o processo de dividir mercados em grupos de consumidores potenciais com necessidades e/ou características semelhantes e que provavelmente exibirão

Leia mais

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro.

Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. PLANO DE MARKETING Andréa Monticelli Um dos objetivos deste tema é orientar as ações sistemáticas na busca satisfazer o consumidor estimulando a demanda e viabilizando o lucro. 1. CONCEITO Marketing é

Leia mais

Visão Geral dos Sistemas de Informação

Visão Geral dos Sistemas de Informação Visão Geral dos Sistemas de Informação Existem muitos tipos de sistemas de informação no mundo real. Todos eles utilizam recursos de hardware, software, rede e pessoas para transformar os recursos de dados

Leia mais

FURB - Universidade Regional de Blumenau TCC - Trabalho de Conclusão de Curso Acadêmico: Fernando Antonio de Lima Orientador: Oscar Dalfovo

FURB - Universidade Regional de Blumenau TCC - Trabalho de Conclusão de Curso Acadêmico: Fernando Antonio de Lima Orientador: Oscar Dalfovo FURB - Universidade Regional de Blumenau TCC - Trabalho de Conclusão de Curso Acadêmico: Fernando Antonio de Lima Orientador: Oscar Dalfovo Roteiro Introdução Sistemas de Informação - SI Executive Information

Leia mais

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG

Sistemas Empresariais. Capítulo 3: Sistemas de Negócios. Colaboração SPT SIG Capítulo 3: Sistemas de Negócios Colaboração SPT SIG Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos, gerentes e profissionais de empresas.

Leia mais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais

Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Capítulo 3: Sistemas de Apoio Gerenciais Colaboração nas Empresas SPT SIG Aplicações Empresariais Objetivos do Capítulo Explicar como os SI empresariais podem apoiar as necessidades de informação de executivos,

Leia mais

O Geomarketing na fronteira da inteligência de negócios: fundamentos e tendências

O Geomarketing na fronteira da inteligência de negócios: fundamentos e tendências O Geomarketing na fronteira da inteligência de negócios: fundamentos e tendências Agenda O passado e presente As forças de transformação Dentro para Fora (internas) Fora para Dentro (externas) Cenários

Leia mais

1. COORDENAÇÃO ACADÊMICA. Prof. RONALDO RANGEL Doutor - UNICAMP Mestre PUC 2. APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA PÓS-MBA

1. COORDENAÇÃO ACADÊMICA. Prof. RONALDO RANGEL Doutor - UNICAMP Mestre PUC 2. APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA PÓS-MBA 1. COORDENAÇÃO ACADÊMICA SIGA: PMBAIE*08/00 Prof. RONALDO RANGEL Doutor - UNICAMP Mestre PUC 2. APRESENTAÇÃO DO PROGRAMA PÓS-MBA As grandes questões emergentes que permeiam o cenário organizacional exigem

Leia mais

PLANO DE ENSINO 2009

PLANO DE ENSINO 2009 PLANO DE ENSINO 2009 Fundamental I ( ) Fundamental II ( ) Médio ( ) Médio Profissionalizante ( ) Profissionalizante ( ) Graduação ( x ) Pós-graduação ( ) I. Dados Identificadores Curso Superior de Tecnologia

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA)

ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA) ADMINISTRAÇÃO PARTICIPATIVA (GESTÃO PARTICIPATIVA) A administração participativa é uma filosofia ou política de administração de pessoas, que valoriza sua capacidade de tomar decisões e resolver problemas,

Leia mais

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 11.1

Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 11.1 Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 11.1 11 OBJETIVOS OBJETIVOS APERFEIÇOAMENTO DO PROCESSO DE DECISÃO PARA A EMPRESA DIGITAL Como os sistemas de informação podem ajudar cada gerente a

Leia mais

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS

OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS OS PRINCIPAIS PROBLEMAS DA GESTÃO DA CADEIA DE SUPRIMENTOS Esta seção apresenta alguns dos problemas da gestão da cadeia de suprimentos discutidos em mais detalhes nos próximos capítulos. Estes problemas

Leia mais

4. Análise de Mercado

4. Análise de Mercado 4. Análise de Mercado Ações de Maturação e Aceleração 01.04.2014 Carla Machado Análise de Mercado Índice 1. Evolução Previsional do Setor Enquadre o negócio no setor de atividade, referindo oportunidades

Leia mais

Vanessa Nascimento. 5 vantagens. de usar pesquisas no marketing

Vanessa Nascimento. 5 vantagens. de usar pesquisas no marketing Vanessa Nascimento 5 vantagens de usar pesquisas no marketing Você já se perguntou? Quais eram as 5 vantagens de usar pesquisa no marketing? A pesquisa de marketing é a função que integra o consumidor,

Leia mais

PLANEJAMENTO DE MARKETING

PLANEJAMENTO DE MARKETING PLANEJAMENTO DE MARKETING A análise ambiental e o planejamento beneficiam os profissionais de marketing e a empresa como um todo, ajudando os gerentes e funcionários de todos os níveis a estabelecer prioridades

Leia mais

APERFEIÇOAMENTO DO PROCESSO DE DECISÃO PARA A EMPRESA DIGITAL

APERFEIÇOAMENTO DO PROCESSO DE DECISÃO PARA A EMPRESA DIGITAL Capítulo 11 APERFEIÇOAMENTO DO PROCESSO DE DECISÃO PARA A EMPRESA DIGITAL 11.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Como os sistemas de informação podem ajudar cada gerente a tomar as melhores decisões em caso

Leia mais

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING

Gestão de Negócios. Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING Gestão de Negócios Unidade III FUNDAMENTOS DE MARKETING 3.1- CONCEITOS DE MARKETING Para a American Marketing Association: Marketing é uma função organizacional e um Marketing é uma função organizacional

Leia mais

e-mail: professor@luisguilherme.adm.br / www.luisguilherme.adm.br FONE: (62) 9607-2031

e-mail: professor@luisguilherme.adm.br / www.luisguilherme.adm.br FONE: (62) 9607-2031 INSTITUTO UNIFICADO DE ENSINO SUPERIOR OBJETIVO - IUESO PLANO DE ENSINO CURSO: Administração PROF. Luis Guilherme Magalhães SÉRIE: 7º e 8º Período TURNO: Matutino DISCIPLINA: Gestão Mercadológica CARGA

Leia mais

Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3

Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3 Gestão de Mercados e Estratégia de Marketing Administrando o Composto de Marketing: Os 4P s Aula 3 Prof. Me. Dennys Eduardo Rossetto. Objetivos da Aula 1. O composto de marketing. 2. Administração do P

Leia mais

Passo 1 - Faça um diagnóstico da comunicação

Passo 1 - Faça um diagnóstico da comunicação Manual Como elaborar uma estratégia de comunicação Índice Introdução Passo 1 - Faça um diagnóstico da comunicação. Passo 2 - Defina os alvos da comunicação Passo 3 - Estabeleça os objetivos da comunicação

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA GESTÃO HOSPITALAR: ESTUDO DE CASO NO HOSPITAL SÃO LUCAS

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA GESTÃO HOSPITALAR: ESTUDO DE CASO NO HOSPITAL SÃO LUCAS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA GESTÃO HOSPITALAR: ESTUDO DE CASO NO HOSPITAL SÃO LUCAS Renata Pinto Dutra Ferreira Especialista Administração de Sistemas de Informação Instituto Presidente Tancredo de Almeida

Leia mais

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios

UNIMEP MBA em Gestão e Negócios UNIMEP MBA em Gestão e Negócios Módulo: Sistemas de Informações Gerenciais Aula 1 Tema 1: O novo papel da TI nas organizações Flávio I. Callegari 2010 Temas O Planejamento Estratégico nas Organizações

Leia mais

Relações mais harmoniosas de convívio com a natureza; O mundo como um modelo real que necessita de abstrações para sua descrição; Reconhecimento de

Relações mais harmoniosas de convívio com a natureza; O mundo como um modelo real que necessita de abstrações para sua descrição; Reconhecimento de Relações mais harmoniosas de convívio com a natureza; O mundo como um modelo real que necessita de abstrações para sua descrição; Reconhecimento de padrões espaciais; Controle e ordenação do espaço. Técnicas

Leia mais

Administração de Ativos de TI. Prof. André Montevecchi

Administração de Ativos de TI. Prof. André Montevecchi Administração de Ativos de TI Prof. André Montevecchi Introdução a ITIL Em um mundo altamente competitivo, de mudanças constantes e inesperadas, é preciso ter flexibilidade e agilidade suficientes para

Leia mais

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação UNIFEI Universidade Federal de Itajubá Prof. Dr. Alexandre Ferreira de Pinho 1 Componentes de uma empresa Organizando uma empresa: funções empresariais básicas Funções

Leia mais

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO * César Raeder Este artigo é uma revisão de literatura que aborda questões relativas ao papel do administrador frente à tecnologia da informação (TI) e sua

Leia mais

Pesquisa Mercadológica. Prof. Renato Resende Borges

Pesquisa Mercadológica. Prof. Renato Resende Borges Pesquisa Mercadológica Prof. Renato Resende Borges Definição de Pesquisa de Marketing É a identificação, coleta, análise e disseminação de informações de forma sistemática e objetiva e o uso de informações

Leia mais

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br

Corporativo. Transformar dados em informações claras e objetivas que. Star Soft. www.starsoft.com.br Corporativo Transformar dados em informações claras e objetivas que possibilitem às empresas tomarem decisões em direção ao sucesso. Com essa filosofia a Star Soft Indústria de Software e Soluções vem

Leia mais

ANALISANDO UM ESTUDO DE CASO

ANALISANDO UM ESTUDO DE CASO ANALISANDO UM ESTUDO DE CASO (Extraído e traduzido do livro de HILL, Charles; JONES, Gareth. Strategic Management: an integrated approach, Apêndice A3. Boston: Houghton Mifflin Company, 1998.) O propósito

Leia mais

TÍTULO: A IMPORTANCIA DA GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS PARA AS TOMADA DE DECISÕES

TÍTULO: A IMPORTANCIA DA GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS PARA AS TOMADA DE DECISÕES TÍTULO: A IMPORTANCIA DA GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS PARA AS TOMADA DE DECISÕES CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE JAGUARIÚNA

Leia mais

Princípios e Conceitos de Marketing. Prof. Felipe A. Pires

Princípios e Conceitos de Marketing. Prof. Felipe A. Pires Princípios e Conceitos de Marketing Prof. Felipe A. Pires O que é Marketing? É a execução de um conjunto de atividades comerciais, tendo como objetivo final a troca de produtos ou serviços entre produtores

Leia mais

Modelo para elaboração do Plano de Negócios

Modelo para elaboração do Plano de Negócios Modelo para elaboração do Plano de Negócios 1- SUMÁRIO EXECUTIVO -Apesar de este tópico aparecer em primeiro lugar no Plano de Negócio, deverá ser escrito por último, pois constitui um resumo geral do

Leia mais