IX Congresso Internacional de Turismo Rural e Desenvolvimento Sustentável CITURDES

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "IX Congresso Internacional de Turismo Rural e Desenvolvimento Sustentável CITURDES"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA DE COMUNICAÇÕES E ARTES PROPOSTA DE TRABALHO IX Congresso Internacional de Turismo Rural e Desenvolvimento Sustentável CITURDES Coordenação:: Profa. Dra. Karina Toledo Solha (USP) SÃO PAULO, SP Abril de

2 SUMÁRIO 1. Apresentação 3 2. Objetivos do evento 4 3. Estrutura do evento 5 4. Definição do Tema 6 5. Público alvo 7 6. Data e local de realização 7 7. Programação Preliminar 7 8. Recursos Humanos, Financeiros e Infra-estrutura 9 9. Parcerias, patrocínio e apoio 10 2

3 1. APRESENTAÇÃO Considerado uma alternativa de renda, diversificação econômica e de conquista de mercados para os produtores rurais que encontram dificuldades financeiras com suas atividades agrícolas tradicionais, mas também uma válvula de escape da vida estressante vivida pelos habitantes dos centros urbanos, o turismo rural cresceu a partir dos anos 1960 na Europa e emergiu como um setor significativo da atividade turística global. Esse aspecto se associa ao fato de a estrutura socioeconômica do espaço rural, bem como sua relação com o turismo, terem sido objeto de profundas transformações. O espaço rural tradicional, o qual se caracterizava por um setor agrícola dominante em termos políticos, econômicos e sociais e respectivos modelos de fixação de populações, têm sido remodelados, em geral pela fragmentação dos sistemas rurais e, em particular, pela perda de protagonismo da economia agrária. Ao mesmo tempo, no âmbito deste novo espaço rural, o turismo assumiu um papel mais importante. A novidade é a vontade de desenvolver e de estruturar o turismo no meio rural, reconhecendo a sua importância sócioeconômica para as regiões, como se constata pelo surgimento de políticas de desenvolvimento adequadas, pelo aumento na quantidade de dissertações e teses sobre a temática, pela mobilização dos empreendedores rurais e pelo incremento da demanda por esta modalidade de turismo. Em consequência desta expansão que vem se consolidando nos últimos dez anos, foram criados diferentes fóruns para promover o intercâmbio entre os profissionais que vêm estudando o turismo rural. Entre estes destaca-se o CITURDES Congresso Internacional de Turismo Rural e Desenvolvimento Sustentável, que vem sendo realizado, ininterruptamente desde 1998, sempre com o objetivo de contribuir para a compreensão de diferentes realidades, onde o turismo rural é compreendido como um dos pilares para o desenvolvimento rural. A 1ª edição do evento realizou-se no período de 27 a 29 de maio de 1998, na cidade de Santa Maria, no Estado do Rio Grande do Sul. O congresso foi promovido pelo Departamento de Educação Agrícola e Extensão Rural e pelo Curso de Pós- Graduação em Extensão Rural da Universidade Federal de Santa Maria. Esta primeira edição do CITURDES proporcionou aos participantes discutir as experiências alcançadas com o turismo rural. O debate serviu para sensibilizar os empreendedores, os acadêmicos e os administradores públicos a respeito dos benefícios advindos da atividade e as dificuldades que necessitavam ser enfrentadas para a consolidação da mesma. O evento teve como foco principal, analisar o turismo como uma das estratégias de dinamização e transformação do meio rural, debatendo experiências de turismo rural local, regional e nacional, comparando-as com as iniciativas dos países do MERCOSUL e Europa. O congresso reuniu palestrantes e público que trocaram experiências e dinamizaram contatos para futuros empreendimentos no que se refere a esta atividade. Esta primeira edição foi marcada pela elaboração da Carta de Santa Maria, um dos principais documentos que serviu como parâmetro de elaboração de políticas públicas para o turismo rural no Brasil. 3

4 As edições seguintes deste Congresso, que tem caráter bianual, foram organizadas por diferentes universidades do Brasil e do exterior, sempre abordando temáticas relevantes para o período, tanto para os investigadores quando para os vários segmentos que atuam no turismo rural, como segue: A 2ª edição do CITURDES ocorreu de 09 a 12 de maio de 2000, sob a promoção da Universidade Federal de Santa Maria e o Departamento de Educação Agrícola e Extensão Rural e Programa de Pós-graduação em Extensão Rural e do Grupo de Pesquisa Turismo e Desenvolvimento. Teve como co-promotores, a Universidade de Santa Cruz do Sul e a Secretaria de Turismo do Estado do Rio Grande do Sul. Contou também com o apoio de várias entidades, entre elas: Assembléia Legislativa do Estado do Rio Grande do Sul, EMBRATUR, Prefeitura Municipal de Santa Maria, Casa Zero Hora Santa Maria, CNPq, CAPES, FAPERGS, RBS TV Santa Maria e Assessoria de Comunicação do Centro de Ciências Rurais. O 3º CITURDES foi realizado na Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC), no período de 14 a 16 de maio de O tema central do congresso foi O rural como nova opção de oferta para o Turismo. O crescimento do interesse se refletiu na quantidade e qualidade de trabalhos recebidos e que estão transcritos nos anais do evento. Naquela edição do congresso, a quantidade duplicou em relação ao congresso anterior e a qualidade dos estudos representou relatos de projetos concluídos, projetos em andamentos e propostas de projetos. A 4ª edição do CITURDES foi realizada em Joinville SC, no período de 12 a 15 de maio de 2004, promovida pelo Instituto Superior e Centro Educacional Luterano Bom Jesus/IELUSC. O evento contou com a participação de representantes dos poderes público municipal, estadual e nacional, de membros da academia, de agricultores e empreendedores, de pesquisadores da Argentina, Brasil, Chile, Costa Rica, Cuba, França e Uruguai, atingindo mais de quinhentos participantes. Na sua 5ª edição o Congresso foi novamente realizado na cidade de Santa Maria RS, no período de 10 a 13 de maio de 2006 e foi uma promoção conjunta da Universidade Federal de Santa Maria (UFSM) e o Centro Universitário Franciscano (UNIFRA). Naquela oportunidade o evento teve como temática central Ordenamento, Segmentação e Regionalização do Turismo em Áreas Rurais. O tema escolhido justificava-se no fato de que essa atividade (turismo rural) estava em suas primeiras fases de desenvolvimento e encontrava na legislação um grande desafio, que ainda conduz parte da atividade turística rural para a informalidade. A 6ª edição do Congresso foi realizada na cidade de Toluca, Estado do México, no período de 18 a 20 de junho de O evento foi organizado pela Facultad de Turismo e o Centro de Investigación en Ciencias Agropecuárias (CICA) da Universidad Autónoma del Estado de México (UAEMex). Nesta oportunidade o congresso experimentou o seu caráter internacional dando maior visibilidade a produção acadêmica realizada no Brasil e ampliando as relações institucionais anteriormente existentes. As diversas publicações originárias deste e das outras edições do congresso constituem-se em referências na área de turismo rural e são citadas nos documentos elaborados com a finalidade de proposição e implementação de políticas públicas no âmbito dos Ministérios do Turismo (MTur) e também do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA). 4

5 A 7ª edição, foi realizada em Porto Alegre, pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul, no período de maio de 2010, contou com a participação de aproximadamente 250 pesquisadores nacionais e internacionais. Em sua 8ª edição, realizada no período de 2012, foi organizada pela Universidade de Trás Os Montes e Alto Douro, em Chavez, Portugal, A temática do evento estava fortemente relacionada à uma nova dinâmica observada no turismo rural europeu denominada de neorularidades. Foi uma oportunidade para fortalecer e aprofundar as articulações entre os pesquisadores brasileiros e europeus. Em 2014, a 9ª edição está sob a responsabilidade da Universidade de São Paulo, numa ação conjunta da Escola de Comunicações e Artes e da Escola de Artes, Ciências e Humanidades, a temática e a estrutura do evento estão em processo de definição. 2. OBJETIVOS DO EVENTO O objetivo geral do evento é congregar especialistas para discutir questões que aportem novos conhecimentos e aprofundem o conhecimento sobre o tema, a fim de garantir a relevância do tema principal do evento, está em processo uma consulta aos principais especialistas e pesquisadores da área. De modo geral pretende-se: - Congregar pesquisadores, especialistas, gestores institucionais e empreendedores para discutir a temática prioritárias que possam aportar novos conhecimentos e aprimorar os processos inerentes ao desenvolvimento do turismo rural; - Reunir experiências de empreendedorismo e inovação em turismo rural de caráter internacional, nacional e regional; - Promover intercâmbios entre as instituições públicas e privadas voltadas à pesquisa dos processos de inovação e empreendedorismo direcionadas ao desenvolvimento do turismo rural; - Propor ações que viabilizem a elaboração e definição de políticas públicas para a promoção da inovação e do empreendedorismo no turismo rural vinculado à agricultura familiar; - Difundir os conhecimentos e as novidades na área de pesquisa através da apresentação de trabalhos, palestras, a publicação do anais e de um livro com os textos das conferências do congresso; - Preparar jovens alunos de graduação e pós-graduação para que possam adquirir experiência na organização de eventos, especialmente com ênfase na temática do turismo rural. 3. ESTRUTURA DO EVENTO O evento reunirá um conjunto de atividades, entre elas: palestras, relatos de experiências (nacional e internacional), apresentações artísticas, mini-cursos, mostra de produtos e serviços de turismo rural, lançamento de publicações e apresentações de 5

6 trabalhos científicos. A apresentação de trabalhos científicos ocorrerá nos chamados Grupos de Trabalhos no âmbito do IX CITURDES e tem duplo objetivo: dar espaço para a divulgação científica (trabalhos de pesquisa) e da produção técnica (projetos em andamento e realizados) que sirva de orientação para estudos futuros. Assim, os trabalhos deverão estar enquadrados em uma das duas categorias seguintes: Estudos e Projetos. 1. Projetos : trabalhos que se encontrem na fase de elaboração ou idealização. Os autores deverão encaminhar o trabalho na íntegra. 2. Estudos : destinado a trabalhos concluídos com resultados devidamente analisados e interpretados. Os autores deverão encaminhar o texto na íntegra.. Propõem-se para o IX CITURDES os seguintes Grupos de Trabalho: GT1 Inovação e Empreendedorismo no Turismo Rural Abrangência temática: Empreendedorismo. Inovação em produtos e serviços turísticos. Oportunidades e negócios no turismo rural. Aspectos legais na constituição de empresas turísticas nas áreas rurais. GT2 Políticas Públicas, Desenvolvimento e Turismo Rural Abrangência temática: Políticas públicas e marco regulatório do turismo rural. Planejamento turístico. Desenvolvimento local e sustentável. Impactos socioeconômicos. Assentamentos rurais, produção agroecológica, pequena agroindústria, multifuncionalidade da agricultura. GT3 Associativismo e Redes no Turismo Rural Abrangência temática: Gestão do turismo rural. Associatividade estratégica. Redes sociais e desenvolvimento turístico rural. Habilidades associativas. GT4 Meio Ambiente e Turismo Rural Abrangência temática: turismo de aventura, esportes radicais, meio ambiente, natureza, unidades de conservação. Educação ambiental e turismo rural. Ecoturismo em áreas rurais. GT5 Demanda e Marketing Turísticos em Áreas Rurais Abrangência temática: perfil do turista, produto turístico, propaganda, estratégias de divulgação. Expectativas do consumidor. Oferta e demanda. Novas tecnologias da informação, na proteção e na captação dos clientes. GT6 - Patrimônio, Paisagem e Cultura no Turismo Rural Abrangência temática: legado material e espiritual. Etnias e identidades. Paisagem. Patrimônio histórico. Artesanato, folclore, dança, gastronomia. Lazer e vivências. Patrimônio natural. Paisagem rural. GT7 Temáticas emergentes em Turismo Rural Abrangência temática: Turismo solidário. Turismo em aldeias indígenas e em comunidades de pescadores. Turismo paleobotânico. Gênero e Turismo Rural. Turismo rural pedagógico. 6

7 4. DENIFIÇÃO DO TEMA A definição da temática do evento será realizada a partir da consulta eletrônica aos participantes de edições anteriores do evento, assim como aos pesquisadores da área e representantes de organizações e do setor público envolvidos com o segmento. 5. PÚBLICO ALVO O público alvo do congresso é constituído de estudantes de graduação e pós- graduação, pesquisadores, professores, empreendedores, gestores de políticas públicas e profissionais ligados ao desenvolvimento rural e do turismo. O evento é dirigido a estudantes de graduação em Turismo, Geografia, Sociologia, Antropologia, Administração, Arquitetura, Engenharia Civil, Ciências Sociais e aqueles vinculados à grande área de Ciências Agrárias. Abaixo segue uma estimativa dos participantes, considerando as últimas edição. Quadro 1 Perfil do público esperado Perfil São Paulo Outros Estados Exterior Total Professores/ Pesquisadores Alunos de graduação Alunos de Pós-graduação Profissionais Total DATA E LOCAL DA REALIZAÇÃO DO EVENTO Pretende-se que a 9ª edição do Congresso ocorra no período de 03 a 05 de setembro de 2014, logo após a Copa do Mundo. O local do evento, ainda não definido, uma vez que é necessário avaliar questões relacionadas à disponibilidade de espaço para sua realização, disponibilidade e acessibilidade de infra-estrutura turística, facilidade de acesso como aeroportos e rodovias, apoio instituticional do poder público e de suas instituições da localidade que receberá evento, e principalmente o envolvimento com as questões relativas ao desenvolvimento agrário e ao turismo rural. 7. PROGRAMAÇÃO DO EVENTO (PRELIMINAR) ATIVIDADES PREVISTAS: Apresentação de estudos os trabalhos aprovados serão apresentados nas sessões dos GT s. Apresentação de pôsteres os pôsteres de projetos de pesquisa em andamento deverão ser expostos numa área aberta durante todo o evento 7

8 Conferência de abertura será realizada no primeiro dia do evento, contando com a participação de um convidado nacional/internacional reconhecido pela sua atuação na área temática do evento. Mesa redonda será realizada no segundo dia do evento, caracterizada pela apresentação de experiências de desenvolvimento do turismo rural, tanto nacional quanto internacional. Em princípio, pretende-se contar com a presença de representantes do turismo rural de 3 países; com a moderação de um pesquisador/profissional brasileiro. Conferência de encerramento tem como objetivo discutir os principais resultados do evento e definir o conteúdo de um documento final do evento, além de apresentar a proposta para a próxima edição. Apresentação artística serão organizadas apresentações curtas de artistas locais que reflitam a cultura e as características do turismo rural da região. Deverá ocorrer antes do início das atividades noturnas. Coquetel de abertura espaço para integração dos participantes deverá ocorrer no primeiro dia, no final da Conferência de Abertura. Visitas técnicas consiste no oferecimento de visitas técnicas a propriedades e roteiros de turismo rural em Campinas e região, a fim de divulgar o trabalho que está sendo realizado. Mostra de produtos e serviços atividade associada desde as primeiras edições do evento, tem como objetivo promover conexões entre os investigadores da área e os diferentes setores que atuam no desenvolvimento do turismo rural, buscando valorizar as iniciativas e experiências de turismo rural da região ou estado que acolhem o evento. A ABRATURR São Paulo, representada pela Andreia Roque, já mostrou interesse na parceria com o evento, propondo a realização simultânea da Vitrine Rural Paulista, evento realizado anualmente, que tem como objetivo oferecer um espaço para discussão sobre os desafios do turismo rural no estado, e apresentação de propriedades, roteiros, produtos e serviços associados. (http://www.abraturrsp.org.br/noticias/167-programacao-do-3-encontro-paulista-de-turismo-rural-em ) Programação preliminar Dia 03 de setembro (Quarta-Feira) 11:00 às 14:00 - Credenciamento 14:00 às 16:00 - Apresentação de trabalhos nos GT S 16:00 às 16:15 Intervalo 16:15 às 18:00 Apresentação de trabalhos nos GT s 18:00 às 18:30 Coffee break 18:30 às 19:00 Apresentação artística 19:00 às 19:30 Cerimônia de Abertura 19:30 às 21:00 Conferência de Abertura 21:00 às 21:30 - Coquetel 8

9 Dia 04 de setembro (Quinta-Feira) 08:00 às 12:00 Visitas técnicas 09:00 às 12:00 - Mini-oficinas 13:00 às 14:00 Exposição dos Posteres de Projetos 14:00 às 16:00 - Apresentação de trabalhos nos GT S 16:00 às 16:15 Intervalo 16:15 às 18:00 Apresentação de trabalhos nos GT s 18:00 às 18:30 Coffee break 18:30 às 19:00 Apresentação artística 19:00 às 21:00 Mesa redonda Dia 05 de setembro 08:00 às 12:00 Visitas técnicas 09:00 às 12:00 - Mini-oficinas 13:00 às 14:00 Exposição dos Posteres de Projetos 14:00 às 16:00 - Apresentação de trabalhos nos GT S 16:00 às 16:15 Intervalo 16:15 às 18:00 Apresentação de trabalhos nos GT s 18:00 às 18:30 Coffee break 18:30 às 19:00 Apresentação artística 19:00 às 20:30 Conferência de Encerramento Dia 06 de setembro Roteiros de Turismo Rural - (Opcionais) Livre 8. RECURSOS HUMANOS E FINANCEIROS E INFRA-ESTRUTURA DE APOIO Por tratar-se de um evento de caráter técnico científico, organizado por uma universidade pública, será necessário buscar junto aos setores interessados na temática os recursos financeiros, humanos e de infra-estrutura que deverão garantir a realização do evento. De modo geral as atividades diretamente relacionadas às questões científicas do evento (despesas de deslocamento e diárias para palestrantes), podem receber pequenos aportes das agências de fomento à pesquisa como CAPES, CNPq e FAPESP. No entanto, as demais devem ser custeadas por outras fontes de recursos, seja na forma de patrocínio, de apoio com oferecimento de serviços, de apoio facilitando o contato com os prestadores de serviços da localidade. As estimativas de custo consideraram somente as atividades inerentes ao Congresso, as necessidades da Mostra de Produtos e Serviços, assim como sua organização e operação estarão sob a responsabilidade da ABRATURR, uma vez que se trata de um evento complementar e paralelo. Para esta edição do Congresso estão previstos custos relacionados à: Apoio aos participantes/convidados o Despesas de transporte e diárias dos convidados o Traslado dos participantes do hotel para o local do evento 9

10 o Hospedagem/diária equipe organização Serviços gráficos e de impressão o Desenvolvimento da identidade visual do evento, com a criação de logo e da arte final dos materiais impressos o Crachás, programas, sacolas, cartazes, banners, brindes, blocos de anotação o Desenvolvimento do site do evento o Manutenção da plataforma de gerenciamento da parte científica do evento (anual) o Organização, edição, tradução, formatação dos Anais do evento, no formato eletrônico, para ser disponibilizado on line e distribuído aos participantes no formato de CD. Recursos humanos o Suporte às atividades científicas, sob responsabilidade dos docentes e professores da USP. o Serviço de tradução (português/espanhol) para o material de divulgação do evento o Serviço de gravação e edição da Conferência de Abertura e Mesa Redonda o Equipamentos de tradução simultânea para a Conferência de Abertura o Serviço de tradução simultânea para a Conferencia de Abertura o Serviço de secretaria e recepção do evento o Assessoria de imprensa Infra-estrutura e equipamentos o 1 auditório para 250 pax o 10 salas para 30 pax o 3 salas de apoio o Espaço para exposição dos posteres o Computadores, impressoras, rede internet nas salas de apoio o Equipamento áudio visual nas salas de apresentação dos trabalhos o Segurança, limpeza e serviço médico o Decoração do auditório (flores, púlpito, crachás de mesa) o Cerimonial de Abertura do evento o Suporte para banner (pôsteres) Serviços de alimentação o Coffee-break (1 coffee/3 dias/250 pax) o Coquetel 9. PARCERIAS, PATROCÍNIOS E APOIO A realização ininterrupta do evento deste 1998, garantiu o seu reconhecimento junto às agências de fomento a pesquisa, desta forma conta-se com o apoio das mesmas (mesmo que parcial) para suportar as despesas de transporte e hospedagem dos convidados. Em função da característica e das temáticas abordadas no Congresso, considera-se que haverá uma interesse intrínseco das Instituições ligadas direta ou indiretamente às questões relativas do desenvolvimento agrícola, a agricultura familiar e ao turismo rural, no Estado de São Paulo. Dentre elas destacam-se como possíveis apoiadores do evento o IAC Instituto Agronômico de Campinas, CATI Coordenadoria de Assistência Técnica Integral, ITAL Instituto de Tecnologia de Alimentos. Também conta-se com o apoio da ABRATURR-SP Associação Brasileira de Turismo Rural, do IDESTUR Instituto de Desenvolvimento do Turismo 10

11 Rural, SESCOOP - Serviço Nacional de Aprendizagem de Cooperativismo. Além destes de caráter nacional, serão contatados outros organizações como o IICA Instituto Interamericano de Cooperação para a Agricultura, Unesco FAO e a OMT Organização Mundial do Turismo. Na esfera pública espera-se o apoio da Secretaria da Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, Camara Setorial de Turismo Rural, da Frente Parlamentar de Turismo, da Assembléia Legistativa do Estado de São Paulo. Além destas instituições serão contatadas aquelas que tratam das questões do turismo de forma mais geral como a Secretaria de Turismo do Estado, o CT2 Circuito Turístico de Ciência e Tecnologia, No âmbito federal deverão ser contatados o Ministério do Desenvolvimento Agrário, que desenvolve vários projetos de promoção da Agricultura Familiar e o Ministério do Turismo, que tem atuado no aprimoramento do segmento de Turismo Rural. Também percebe-se a oportunidade de contar com a colaboração do Centro de Memória da Unicamp, que desenvolveu um projeto relevante estudando as fazendas históricas paulistas e o turismo rural e o curso de Turismo da PUC-Campinas, pela excelência na formação de profissionais de turismo. 11

Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural

Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural Carta de São Paulo 1º FEIRATUR Feira Nacional de Turismo Rural No período compreendido entre os dias 16 e 19 do mês de setembro de 2004, realizou-se a Primeira Feira Nacional do Turismo Rural - 1º FEIRATUR,

Leia mais

Projeto de Patrocínio. Curitiba - PR. 7 Fórum de Tecnologia em Software Livre

Projeto de Patrocínio. Curitiba - PR. 7 Fórum de Tecnologia em Software Livre Projeto de Patrocínio Curitiba - PR 2015 2014 VI FÓRUM TECNO SOFTW LIVRE VI Fó Te So Liv 16 a 18 de setembro de 2015 Curitiba PR Brasil Sumário 1 Apresentação...1 2 Local, data e site...1 3 Público alvo...1

Leia mais

MERCOCIUDADES / UNIDADE TEMÁTICA DE TURISMO / ATA Nº 02/2011 REUNIÃO DA UNIDADE TEMÁTICA DE TURISMO DA REDE MERCOCIDADES

MERCOCIUDADES / UNIDADE TEMÁTICA DE TURISMO / ATA Nº 02/2011 REUNIÃO DA UNIDADE TEMÁTICA DE TURISMO DA REDE MERCOCIDADES MERCOCIUDADES / UNIDADE TEMÁTICA DE TURISMO / ATA Nº 02/2011 REUNIÃO DA UNIDADE TEMÁTICA DE TURISMO DA REDE MERCOCIDADES Celebrou-se na cidade de Porto Alegre, RS, Brasil, entre os dias 03 e 04 do mês

Leia mais

PRÓ-DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - PROPESP POLÍTICA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU

PRÓ-DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - PROPESP POLÍTICA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU PRÓ-DIRETORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU - PROPESP POLÍTICA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO STRICTO SENSU A Pesquisa e a Pós-Graduação Stricto Sensu são atividades coordenadas por uma mesma

Leia mais

VAMOS JUNTOS POR UMA ODONTOLOGIA MELHOR!

VAMOS JUNTOS POR UMA ODONTOLOGIA MELHOR! Eleições 2014 Faculdade de Odontologia UFRJ VAMOS JUNTOS POR UMA ODONTOLOGIA MELHOR! PLANO DE TRABALHO EQUIPE - CHAPA 1: Diretor - Maria Cynésia Medeiros de Barros Substituto Eventual do Diretor - Ednilson

Leia mais

7 e 8 / dezembro / 2014 São Paulo - SP. Projeto comercial. Promoção:

7 e 8 / dezembro / 2014 São Paulo - SP. Projeto comercial. Promoção: 7 e 8 / dezembro / 2014 São Paulo - SP Projeto comercial Promoção: mensagem da PRESIDENTE DA ABEOC BRASIL Para conseguir melhores resultados, não adianta permanecer fazendo as mesmas coisas. Por isso gostaríamos

Leia mais

PRIMEIRA CIRCULAR. Introdução

PRIMEIRA CIRCULAR. Introdução PRIMEIRA CIRCULAR Introdução A Universidade de Santa Cruz do Sul UNISC, através do Pólo de Modernização Tecnológica Vale do Rio Pardo - e do Programa de Pós-Graduação em Tecnologia Ambiental, sediará o

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Código: CONS AI01/2008. Nº de vagas: 01

TERMO DE REFERÊNCIA. Código: CONS AI01/2008. Nº de vagas: 01 TERMO DE REFERÊNCIA Denominação: Consultor(a) para atuação na área de desenvolvimento, aprofundamento e ampliação de ações e estudos relacionados à análise de tratados de direito econômico internacional

Leia mais

A cooperação Canadá - Brasil: INTERNACIONALIZAÇÃO PARA A INOVAÇÃO

A cooperação Canadá - Brasil: INTERNACIONALIZAÇÃO PARA A INOVAÇÃO OUI- IOHE MISSÃO OUI DE UNIVERSIDADES CANADENSES NO BRASIL 28 de novembro a 2 de dezembro de 2011 Programa preliminar A cooperação Canadá - Brasil: INTERNACIONALIZAÇÃO PARA A INOVAÇÃO À luz dos excelentes

Leia mais

Cultura Oficina Litoral Sustentável

Cultura Oficina Litoral Sustentável Cultura Oficina Litoral Sustentável 1 ESTRUTURA DA AGENDA REGIONAL E MUNICIPAIS 1. Princípios 2. Eixos 3. Diretrizes 4. Ações 4.1 Natureza das ações (planos, projetos, avaliação) 4.2 Mapeamento de Atores

Leia mais

PROGRAMA DE PROMOÇÃO DA

PROGRAMA DE PROMOÇÃO DA UNIVERSIDADE DO PORTO PROGRAMA DE PROMOÇÃO DA LITERACIA FINANCEIRA DA U.PORTO Outubro de 2012 Enquadramento do programa na Estratégia Nacional de Formação Financeira Plano Nacional de Formação Financeira

Leia mais

1. Apresentação. 2. Pontos Fixos de Comercialização Solidária

1. Apresentação. 2. Pontos Fixos de Comercialização Solidária Edital de Seleção de Pontos Fixos de Comercialização Solidária Candidatos para Participar da Rede Brasileira de Comercialização Solidária - Rede Comsol (Edital - Ubee/Ims N. 01/2014) 1. Apresentação A

Leia mais

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES

PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES Organizador Patrocínio Apoio PANORAMA EMPRESARIAL DO TURISMO RURAL BRASILEIRO 2010 O Turismo é uma das maiores fontes de

Leia mais

Colóquio Internacional Democracia e interfaces digitais para a participação

Colóquio Internacional Democracia e interfaces digitais para a participação Colóquio Internacional Democracia e interfaces digitais para a participação pública (Projeto) PPG-AU/UFBA Programa de Pós-Graduação em Arquitetura e Urbanismo 1 Contexto e justificativa Odesenvolvimento

Leia mais

NÚCLEOS DE EXTENSÃO EM DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL. PARCERIA MDA / CNPq. Brasília, 13 de maio de 2014

NÚCLEOS DE EXTENSÃO EM DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL. PARCERIA MDA / CNPq. Brasília, 13 de maio de 2014 NÚCLEOS DE EXTENSÃO EM DESENVOLVIMENTO TERRITORIAL PARCERIA MDA / CNPq Brasília, 13 de maio de 2014 A política de desenvolvimento territorial Desde 2004 a SDT implementa a estratégia de desenvolvimento

Leia mais

Planejamento CPA Metropolitana 2013

Planejamento CPA Metropolitana 2013 Planejamento CPA Metropolitana 2013 1 Planejamento CPA Metropolitana Ano 2013 Denominada Comissão Própria de Avaliação, a CPA foi criada pela Legislação de Ensino Superior do MEC pela Lei 10.861 de 10

Leia mais

PROJETO DE PATROCÍNIO EMPRESAS E INSTITUIÇÕES

PROJETO DE PATROCÍNIO EMPRESAS E INSTITUIÇÕES PROJETO DE PATROCÍNIO EMPRESAS E INSTITUIÇÕES ÍNDICE PATROCINADOR 04 APRESENTAÇÃO 05 ATIVIDADES DO EVENTO 06 PÚBLICO ALVO 07 PERÍODOS 08 LOCAL DO EVENTO 09 REALIZAÇÃO 11 COORDENAÇÃO GERAL 14 PROGRAMAÇÃO

Leia mais

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS

SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS SERVIÇO BRASILEIRO DE APOIO ÀS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS PEQUENOS negócios no BRASIL 99% 70% 40% 25% 1% do total de empresas brasileiras da criação de empregos formais da massa salarial do PIB das exportações

Leia mais

POLÍTICAS DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS APRESENTAÇÃO

POLÍTICAS DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS APRESENTAÇÃO POLÍTICAS DE EXTENSÃO E ASSUNTOS COMUNITÁRIOS APRESENTAÇÃO A universidade vivencia, em seu cotidiano, situações de alto grau de complexidade que descortinam possibilidades, mas também limitações para suas

Leia mais

INED PROJETO EDUCATIVO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO MAIA

INED PROJETO EDUCATIVO INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO MAIA INED INSTITUTO DE EDUCAÇÃO E DESENVOLVIMENTO PROJETO EDUCATIVO MAIA PROJETO EDUCATIVO I. Apresentação do INED O Instituto de Educação e Desenvolvimento (INED) é uma escola secundária a funcionar desde

Leia mais

Projeto Execução Expositores

Projeto Execução Expositores Projeto Execução Expositores Realização: Cooperativa Agropecuária Petrópolis PIA EMATER RS ASCAR Prefeitura Municipal de Nova Petrópolis A ENTIDADE PROMOTORA DO RURALSHOW 2014. COOPERATIVA AGROPECUÁRIA

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária

FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA. Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária FACULDADES INTEGRADAS TERESA D ÁVILA NÚCLEO DE EXTENSÃO UNIVERSITÁRIA Formulário para Registro de Projetos de Extensão Universitária Ano 2015 Título do Projeto: Observatório Juventudes Tipo de Projeto:

Leia mais

PLANO COMERCIAL. 03 a 06. de Agosto de 2015. Centro de Convenções Goiânia - GO. Realização: Promoção:

PLANO COMERCIAL. 03 a 06. de Agosto de 2015. Centro de Convenções Goiânia - GO. Realização: Promoção: PLANO COMERCIAL O melhoramento de plantas, o futuro da agricultura e a soberania nacional 03 a 06 de Agosto de 2015 Centro de Convenções Goiânia - GO Realização: Promoção: APRESENTAÇÃO A Associação Brasileira

Leia mais

Rede de Produção de Plantas Medicinais, Aromáticas e Fitoterápicos

Rede de Produção de Plantas Medicinais, Aromáticas e Fitoterápicos Rede de Produção de Plantas Medicinais, Aromáticas e Fitoterápicos Atores envolvidos Movimentos Sociais Agricultura Familiar Governos Universidades Comunidade Científica em Geral Parceiros Internacionais,

Leia mais

TURISMO. o futuro, uma viagem...

TURISMO. o futuro, uma viagem... TURISMO o futuro, uma viagem... PLANO NACIONAL DO TURISMO 2007-2010 OBJETIVOS Desenvolver o produto turístico brasileiro com qualidade, contemplando nossas diversidades regionais, culturais e naturais.

Leia mais

GRUPO DE TRABALHO CONTECC - CONGRESSO TÉCNICO-CIENTÍFICO DA ENGENHARIA E DA AGRONOMIA DO CONFEA

GRUPO DE TRABALHO CONTECC - CONGRESSO TÉCNICO-CIENTÍFICO DA ENGENHARIA E DA AGRONOMIA DO CONFEA ANEXO DE DECISÃO PL0261/ GRUPO DE TRABALHO CONTECC - CONGRESSO TÉCNICO-CIENTÍFICO DA ENGENHARIA E DA AGRONOMIA DO Inovação: Indispensável para a Geração de Riqueza e Desenvolvimento Nacional PLANO DE TRABALHO

Leia mais

Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB

Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB Salvador, 21 de setembro de 2015 Carta Documento: pela construção e implementação de uma Política de Educação do Campo na UNEB Nos dias 19, 20 e 21 de agosto de 2015 realizou-se no Hotel Vila Velha, em

Leia mais

Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas

Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas Minuta do Capítulo 10 do PDI: Relações Externas Elaborada pela Diretoria de Extensão e pela Pró-Reitoria de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação 1 1 Esta minuta será apreciada pelo Colegiado de Ensino, Pesquisa

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS RESOLUÇÃO Nº xx/xxxx CONSELHO UNIVERSITÁRIO EM dd de mês de aaaa Dispõe sobre a criação

Leia mais

BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA. Programa Setorial Integrado de Promoção às Exportações da Arte Contemporânea Brasileira.

BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA. Programa Setorial Integrado de Promoção às Exportações da Arte Contemporânea Brasileira. 1 PROJETO SETORIAL INTEGRADO BRASIL ARTE CONTEMPORÂNEA Programa Setorial Integrado de Promoção às Exportações da Arte Contemporânea Brasileira. 2 Introdução O Ministério da Cultura, sugeriu a Fundação

Leia mais

29 e 30 de maio de 2014

29 e 30 de maio de 2014 29 e 30 de maio de 2014 PARQUE TECNOLÓGICO DE ITAIPU FOZ DO IGUAÇU Secretaria de Relações Institucionais REALIZAÇÃO APOIO REALIZAÇÃO Secretaria de Relações Institucionais da Presidência da República Secretaria

Leia mais

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL

METODOLOGIA SEBRAE BAHIA PARA PÓLOS DE EMPREENDEDORISMO CULTURAL Trabalho apresentado no III ENECULT Encontro de Estudos Multidisciplinares em Cultura, realizado entre os dias 23 a 25 de maio de 2007, na Faculdade de Comunicação/UFBa, Salvador-Bahia-Brasil. METODOLOGIA

Leia mais

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Faço saber que a Assembléia Legislativa do Estado do Tocantins decreta e eu sanciono a seguinte Lei: LEI Nº 1.374, DE 08 DE ABRIL DE 2003. Publicado no Diário Oficial nº 1.425. Dispõe sobre a Política Estadual de Educação Ambiental e adota outras providências. O Governador do Estado do Tocantins Faço

Leia mais

1 a MOSTRA NACIONAL DE SAÚDE DA CRIANÇA APRESENTAÇÃO

1 a MOSTRA NACIONAL DE SAÚDE DA CRIANÇA APRESENTAÇÃO 1 1 a MOSTRA NACIONAL DE SAÚDE DA CRIANÇA APRESENTAÇÃO O compromisso do Brasil com os Objetivos do Milênio, de redução da mortalidade infantil, coloca como prioritárias as ações que se dirigem à saúde

Leia mais

De 22 a 25 de março de 2010 Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília DF

De 22 a 25 de março de 2010 Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília DF De 22 a 25 de março de 2010 Centro de Convenções Ulysses Guimarães Brasília DF Foto: Leonardo Melgarejo/RS Produções e Comunicação Espaço de diversidade e de afirmação de identidade Em um ano cujas atenções

Leia mais

- ENLAGRO Encontro Nacional de Laboratórios da Área da Agricultura, Pecuária e Abastecimento

- ENLAGRO Encontro Nacional de Laboratórios da Área da Agricultura, Pecuária e Abastecimento Projeto Captação de Recursos - ENLAGRO Encontro Nacional de Laboratórios da Área da Agricultura, Pecuária e Abastecimento 07, 08 e 09 de junho de 2016. Macro Office Centro de Eventos, Porto Alegre, RS,

Leia mais

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção

Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento. (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção Estratégia Nacional de Educação para o Desenvolvimento (2010-2015) ENED Plano de Acção 02 Estratégia Nacional de

Leia mais

RESOLUÇÃO N.º 36, DE 04 DE ABRIL DE 2005. Dispõe sobre alterações à Resolução CONSEPE n. 57, de 14 de maio de 2001. R E S O L V E: I DA CONCEITUAÇÃO

RESOLUÇÃO N.º 36, DE 04 DE ABRIL DE 2005. Dispõe sobre alterações à Resolução CONSEPE n. 57, de 14 de maio de 2001. R E S O L V E: I DA CONCEITUAÇÃO RESOLUÇÃO N.º 36, DE 04 DE ABRIL DE 2005. Dispõe sobre alterações à Resolução CONSEPE n. 57, de 14 de maio de 2001. O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO, no

Leia mais

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS

EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA EIXO III CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO E DE CADA UM DE SEUS CURSOS EIXO III - CRONOGRAMA DE IMPLANTAÇÃO E DESENVOLVIMENTO DA INSTITUIÇÃO

Leia mais

oportunidades de investimento 9 de abril

oportunidades de investimento 9 de abril oportunidades de investimento Fórum 2015 da ASAP 9 de abril 1 QUEM SOMOS A Aliança para a Saúde Populacional - ASAP, é uma entidade sem fins econômicos, cuja meta é estimular ações de Gestão de Saúde Populacional

Leia mais

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014

RELATÓRIO SÍNTESE DA CPA (COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO) - 2014 A CPA (Comissão Própria De Avaliação) apresentou ao MEC, em março de 2015, o relatório da avaliação realizada no ano de 2014. A avaliação institucional, realizada anualmente, aborda as dimensões definidas

Leia mais

Assistência Técnica e Extensão Rural

Assistência Técnica e Extensão Rural Assistência Técnica e Extensão Rural A EXTENSÃO RURAL CONTEMPORÂNEA DA CEPLAC Concepção, Estrutura e Projetos Sergio Murilo Correia Menezes Ceplac / Cenex Base - Fundamentos ANATER Agenda Estratégica da

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO CURSO: TURISMO ( bacharelado) Missão Formar profissionais humanistas, críticos, reflexivos, capacitados para planejar, empreender e gerir empresas turísticas, adaptando-se ao

Leia mais

1ª Retificação do Edital Nº 024/2015

1ª Retificação do Edital Nº 024/2015 1ª Retificação do Edital Nº 024/2015 O Diretor Geral do Câmpus Juiz de Fora do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sudeste de Minas Gerais (IF Sudeste MG), no uso de suas atribuições

Leia mais

X Encontro Nacional de Escolas de Governo

X Encontro Nacional de Escolas de Governo X Encontro Nacional de Escolas de Governo Painel Cursos de pós-graduação nas escolas de governo A experiência da Enap na oferta de cursos de pós-graduação lato sensu Carmen Izabel Gatto e Maria Stela Reis

Leia mais

Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia

Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia ANEXO XIII XXXIII REUNIÓN ESPECIALIZADA DE CIENCIA Y TECNOLOGÍA DEL MERCOSUR Asunción, Paraguay 1, 2 y 3 de junio de 2005 Gran Hotel del Paraguay Projeto: Rede MERCOSUL de Tecnologia Anexo XIII Projeto:

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária Área de Comunicação Tecnologia em Produção Publicitária Curta Duração Tecnologia em Produção Publicitária CARREIRA EM PRODUÇÃO PUBLICITÁRIA Nos últimos anos, a globalização da economia e a estabilização

Leia mais

A Produção Animal Frente as Mudanças Climáticas e Tecnológicas

A Produção Animal Frente as Mudanças Climáticas e Tecnológicas A Produção Animal Frente as Mudanças Climáticas e Tecnológicas Prodigy Beach Resort & Conventions Aracaju Barra dos Coqueiros-SE, 29 de julho a 01 de agosto de 2014 www.sbz2014.org.br PLANO DE NEGÓCIOS

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Local de atuação: Brasília/DF com disponibilidade para viagens em todo o território nacional.

TERMO DE REFERÊNCIA. Local de atuação: Brasília/DF com disponibilidade para viagens em todo o território nacional. TERMO DE REFERÊNCIA Denominação: Consultor(a) especializado(a) para atuação na área de suporte técnico e avaliação das políticas de fortalecimento da agricultura familiar, com enfoque nos princípios da

Leia mais

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS

RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS RESOLUÇÃO n o 35 de 16/12/2011- CAS Estabelece a política de pesquisa, desenvolvimento, inovação e extensão da Universidade Positivo (UP). O CONSELHO ACADÊMICO SUPERIOR (CAS), órgão da administração superior

Leia mais

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração

INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE. Palestra para o Conselho Regional de Administração INSTRUMENTOS DE DESENVOLVIMENTO DAS MPEs OFERTADOS PELO SEBRAE Palestra para o Conselho Regional de Administração 1 O QUE É O SEBRAE? 2 O Sebrae O Serviço de Apoio às Micros e Pequenas Empresas da Bahia

Leia mais

CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIAS INTELIGENTES E FEIRA TECNOLÓGICA EDIÇÃO 2015

CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIAS INTELIGENTES E FEIRA TECNOLÓGICA EDIÇÃO 2015 CONFERÊNCIA INTERNACIONAL DE ENERGIAS INTELIGENTES E FEIRA TECNOLÓGICA EDIÇÃO 2015 SUMÁRIO EXECUTIVO Data do Evento: 19 a 21 de outubro de 2015 Local: Hotel Bourbon Cataratas Convention & Spa / Foz do

Leia mais

Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE

Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE IV. CÂMARA TEMÁTICA DA EDUCACÃO, CULTURA E DESPORTOS Diretrizes: 1. Cumprir as metas do Compromisso Todos Pela Educação- TPE Meta 1 Toda criança e jovem de 4 a 17 anos na escola; Meta 2 Até 2010, 80% e,

Leia mais

ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS

ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS ENCONTRO DA COMISSÃO SECTORIAL PARA A EDUCAÇÃO E FORMAÇÃO CS/11 ANÁLISE SWOT DO ENSINO SUPERIOR PORTUGUÊS OPORTUNIDADES, DESAFIOS E ESTRATÉGIAS DE QUALIDADE APRESENTAÇÃO DO TRABALHO GT2 - Ensino Superior

Leia mais

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI

CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI CRONOGRAMA DE IMPLEMENTAÇÃO DO PDI A implementação do Plano de Desenvolvimento Institucional, envolve além dos objetivos e metas já descritos, o estabelecimento de indicadores, como forma de se fazer o

Leia mais

Como sempre, e de acordo com a nossa missão, continuaremos a dar a conhecer a Síndrome de Asperger e a APSA à sociedade em geral.

Como sempre, e de acordo com a nossa missão, continuaremos a dar a conhecer a Síndrome de Asperger e a APSA à sociedade em geral. Plano de Atividades 2016 INTRODUÇÃO O Plano de Atividades para 2016 agora apresentado tem como mote central DAR SENTIDO. Dar Sentido a tudo o que fazemos, o que nos envolve e o que envolve os outros. Centrarse-á

Leia mais

(Publicada no D.O.U em 30/07/2009)

(Publicada no D.O.U em 30/07/2009) MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DE RECURSOS HÍDRICOS RESOLUÇÃO N o 98, DE 26 DE MARÇO DE 2009 (Publicada no D.O.U em 30/07/2009) Estabelece princípios, fundamentos e diretrizes para a educação,

Leia mais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais

Especialização em Gestão Estratégica de Projetos Sociais Especialização em Gestão Estratégica de Apresentação CAMPUS COMÉRCIO Inscrições Abertas Turma 02 --> Início Confirmado: 07/06/2013 últimas vagas até o dia: 05/07/2013 O curso de Especialização em Gestão

Leia mais

UCLEO DE ATIVIDADES, ESTUDOS E PESQUISA SOBRE EDUCAÇÃO, AMBIE TE E DIVERSIDADE CAPÍTULO I. DA NATUREZA E FINALIDADE(Vínculo)

UCLEO DE ATIVIDADES, ESTUDOS E PESQUISA SOBRE EDUCAÇÃO, AMBIE TE E DIVERSIDADE CAPÍTULO I. DA NATUREZA E FINALIDADE(Vínculo) Regimento Interno UCLEO DE ATIVIDADES, ESTUDOS E PESQUISA SOBRE EDUCAÇÃO, AMBIE TE E DIVERSIDADE CAPÍTULO I DA NATUREZA E FINALIDADE(Vínculo) Artigo 1º - O NEED, Núcleo de atividades, estudos e pesquisa

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDO NACIONAL DE DESENVOLVIMENTO DA EDUCAÇÃO TERMO DE REFERÊNCIA PARA AVALIAÇÃO EXTERNA DO PROJETO EDUCANDO COM A HORTA ESCOLAR 1. Breve Histórico do Projeto de Cooperação Técnica

Leia mais

Políticas Públicas do MAPA para o

Políticas Públicas do MAPA para o Engenheiro Agrônomo ERIKSON CHANDOHA Diretor do Departamento de Cooperativismo e Associativismo DENACOOP Secretaria de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo - SDC Ministério da Agricultura Pecuária

Leia mais

ORIENTAÇÕES: NORMAS E PRAZOS PARA INSCRIÇÃO DE PROJETOS PARA A IV MOSTRA REGIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA REDE ESTADUAL DE ENSINO

ORIENTAÇÕES: NORMAS E PRAZOS PARA INSCRIÇÃO DE PROJETOS PARA A IV MOSTRA REGIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA REDE ESTADUAL DE ENSINO ORIENTAÇÕES: NORMAS E PRAZOS PARA INSCRIÇÃO DE PROJETOS PARA A IV MOSTRA REGIONAL DE EDUCAÇÃO AMBIENTAL DA REDE ESTADUAL DE ENSINO 1 INTRODUÇÃO A Política Estadual de Educação Ambiental tem como princípios

Leia mais

VII Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão

VII Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão UNIVERSIDADE FEDERAL DO PAMPA VII Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão 24-26 de Novembro de 2015 Alegrete, RS Saberes que movem o Pampa Plano de Apoiadores Saberes que movem o Pampa O conhecimento

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Local de atuação: Brasília/DF com disponibilidade para viagens.

TERMO DE REFERÊNCIA. Local de atuação: Brasília/DF com disponibilidade para viagens. TERMO DE REFERÊNCIA Denominação: Consultor(a) para atuação na área de política internacional, intercâmbio internacional de experiências em políticas de desenvolvimento rural e atividades de cooperação

Leia mais

Natal, 15 de setembro de 2015. Assunto: Colaboração e Patrocínio - Feira de Ciências e Tecnologia em Natal

Natal, 15 de setembro de 2015. Assunto: Colaboração e Patrocínio - Feira de Ciências e Tecnologia em Natal GOVERNO DO ESTADO DO RIO GRANDE DO NORTE SECRETARIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO E DA CULTURA SEEC/RN 1ª DIRETORIA REGIONAL DE EDUCAÇÃO, CULTURA E DESPORTOS DIRED. Natal, 15 de setembro de 2015. Assunto: Colaboração

Leia mais

Mobilização e Participação Social no

Mobilização e Participação Social no SECRETARIA-GERAL DA PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO SOCIAL E COMBATE À FOME Mobilização e Participação Social no Plano Brasil Sem Miséria 2012 SUMÁRIO Introdução... 3 Participação

Leia mais

Projeto de Patrocínio

Projeto de Patrocínio Projeto de Patrocínio Software Freedom Day 19 de Setembrol de 2015 Faculdade de Tecnologia de Curitiba (FATECPR) Curitiba PR Brasil Sumário 1 Apresentação...1 2 Local, data e site...1 3 Público alvo...1

Leia mais

Melhor Prática vencedora: Monitoramento (Capital) Observatório do Turismo da Cidade de São Paulo

Melhor Prática vencedora: Monitoramento (Capital) Observatório do Turismo da Cidade de São Paulo 1 Melhor Prática vencedora: Monitoramento (Capital) Observatório do Turismo da Cidade de São Paulo DESTINO: São Paulo/SP INSTITUIÇÃO PROMOTORA: São Paulo Turismo S/A RESPONSÁVEL: Tasso Gadzanis Luiz Sales

Leia mais

PERFIL DOS ESTADOS E DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS: INCLUSÃO PRODUTIVA.

PERFIL DOS ESTADOS E DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS: INCLUSÃO PRODUTIVA. PERFIL DOS ESTADOS E DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS: INCLUSÃO PRODUTIVA. FICHA TÉCNICA Coordenação de População e Indicadores Sociais: Bárbara Cobo Soares Gerente de Pesquisas e Estudos Federativos: Antônio

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS CUL 07-09 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS CUL 07-09 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS CUL 07-09 01 Vaga 1 IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria de pessoa física para realizar ações e organizar atividades

Leia mais

PATROCÍNIO. 21 de setembro de 2015. Hard skills impulsionando seus projetos OPORTUNIDADES EM TEMPOS DE CRISE: OURO MINAS PALACE HOTEL PROPOSTA DE

PATROCÍNIO. 21 de setembro de 2015. Hard skills impulsionando seus projetos OPORTUNIDADES EM TEMPOS DE CRISE: OURO MINAS PALACE HOTEL PROPOSTA DE OPORTUNIDADES EM TEMPOS DE CRISE: Hard skills impulsionando seus projetos PROPOSTA DE PATROCÍNIO 21 de setembro de 2015 OURO MINAS PALACE HOTEL BELO HORIZONTE MG REALIZAÇÃO Rua Tomé de Souza, 67, 3º andar,

Leia mais

I SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA CPLP CARTA DE PORTO ALEGRE

I SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA CPLP CARTA DE PORTO ALEGRE I SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE EDUCAÇÃO SUPERIOR NA COMUNIDADE DE PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA CPLP CARTA DE PORTO ALEGRE O I Seminário Internacional de Educação Superior na Comunidade de Países de Língua

Leia mais

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes

Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes Plano Decenal dos Direitos Humanos de Crianças e Adolescentes EIXO 1 PROMOÇÃO DOS DIREITOS DE CRIANÇAS E ADOLESCENTES Diretriz 01 - Promoção da cultura do respeito e da garantia dos direitos humanos de

Leia mais

Não fique para trás! Submeta seu projeto. Fonte de recursos para projetos julho 2012

Não fique para trás! Submeta seu projeto. Fonte de recursos para projetos julho 2012 Não fique para trás! Submeta seu projeto. Fonte de recursos para projetos julho 2012 1. Patrocínios 1.1 Patrocínio a Eventos e Publicações Data limite: 60 dias de antecedência da data de início do evento

Leia mais

SESI. Empreendedorismo Social. Você acredita que sua idéia pode gerar grandes transformações?

SESI. Empreendedorismo Social. Você acredita que sua idéia pode gerar grandes transformações? SESI Empreendedorismo Social Você acredita que sua idéia pode gerar grandes transformações? REGULAMENTO SESI Empreendedorismo Social A inovação social é o ponto de partida para um novo modelo que atende

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia Área de Comunicação Produção Multimídia Curta Duração Produção Multimídia Carreira em Produção Multimídia O curso superior de Produção Multimídia da FIAM FAAM forma profissionais preparados para o mercado

Leia mais

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga

INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA. TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga INSTITUTO INTERAMERICANO DE COOPERAÇÃO PARA A AGRICULTURA TERMO DE REFERÊNCIA CONS - OPE 03 01 Vaga 1. IDENTIFICAÇÃO DA CONSULTORIA Consultoria para promover estudos, formular proposições e apoiar as Unidades

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 010/2006

RESOLUÇÃO Nº 010/2006 Confere com o original RESOLUÇÃO Nº 010/2006 CRIA o Curso de Pós-Graduação Lato Sensu de Educação Ambiental, em nível de Especialização. O REITOR DA UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONAS e PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

Departamento de Qualificação e Certificação e Produção Associada ao Turismo

Departamento de Qualificação e Certificação e Produção Associada ao Turismo Ministério do Turismo Ministério do Turismo Departamento de Qualificação e Certificação e Produção Associada ao Turismo Funções e Objetivos Coordenar as ações voltadas à qualificação profissional e à melhoria

Leia mais

PESQUISA AGROPECUÁRIA. Gian Terres Jessica Freitas Luana de Lemos Sandra Vargas

PESQUISA AGROPECUÁRIA. Gian Terres Jessica Freitas Luana de Lemos Sandra Vargas PESQUISA AGROPECUÁRIA Gian Terres Jessica Freitas Luana de Lemos Sandra Vargas Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) Vinculada ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, foi

Leia mais

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019

PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 PLANO DE TRABALHO CAMPUS DE FRANCISCO BELTRÃO QUATRIÊNIO 2016-2019 Candidato Gilmar Ribeiro de Mello SLOGAN: AÇÃO COLETIVA Página 1 INTRODUÇÃO Considerando as discussões realizadas com a comunidade interna

Leia mais

CADASTRAMENTO DE PROJETOS DE EXTENSÃO

CADASTRAMENTO DE PROJETOS DE EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA GOIANO CÂMPUS MORRINHOS CADASTRAMENTO DE PROJETOS DE

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA DADOS DA CONSULTORIA

TERMO DE REFERÊNCIA DADOS DA CONSULTORIA TERMO DE REFERÊNCIA DADOS DA CONSULTORIA Função no Projeto: Contratação de consultoria especializada para desenvolver e implementar estratégias de impacto e sustentabilidade da Campanha Coração Azul no

Leia mais

Plano de Ação do Centro de Educação e Letras 2012-2015

Plano de Ação do Centro de Educação e Letras 2012-2015 Plano de Ação do Centro de Educação e Letras 2012-2015 Apresentação: O presente plano de trabalho incorpora, na totalidade, o debate e indicativo do coletivo docente e discente do Centro de Educação e

Leia mais

NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME)

NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME) NÚCLEO DE APOIO DIDÁTICO E METODOLÓGICO (NADIME) Palmas 2010 1. Apresentação O Núcleo de Apoio Didático e Metodológico NADIME é o órgão da Faculdade Católica do Tocantins responsável pela efetivação da

Leia mais

Reunião do Fórum das Entidades Empresariais de Santa Maria

Reunião do Fórum das Entidades Empresariais de Santa Maria Reunião do Fórum das Entidades Empresariais de Santa Maria Santa Maria, 15 de Outubro de 2012 Pauta: 1) Contexto da Economia Criativa no Brasil de acordo com o Plano da Secretaria da Economia Criativa

Leia mais

EDITAL PARA SELEÇÃO DE TÉCNICOS BOLSISTAS PROJETO CVDS

EDITAL PARA SELEÇÃO DE TÉCNICOS BOLSISTAS PROJETO CVDS EDITAL PARA SELEÇÃO DE TÉCNICOS BOLSISTAS PROJETO CVDS Manaus, 04 de Dezembro de 2014. 1. CONTEXTUALIZAÇÃO O Centro Vocacional para o Desenvolvimento Sustentável (CVDS), trata-se de um projeto piloto que

Leia mais

VII CONGRESSO LATINO AMERICANO DE DIREITO FLORESTAL AMBIENTAL 11-14 AGOSTO/2009 CURITIBA - PARANÁ - BRASIL [APRESENTAÇÃO]

VII CONGRESSO LATINO AMERICANO DE DIREITO FLORESTAL AMBIENTAL 11-14 AGOSTO/2009 CURITIBA - PARANÁ - BRASIL [APRESENTAÇÃO] VII CNGRESS LATIN AMERICAN DE DIREIT FLRESTAL AMBIENTAL 11-14 AGST/2009 CURITIBA - PARANÁ - BRASIL APRESENTAÇÃ CNGRESS LATIN AMERICAN DE DIREIT FLRESTAL AMBIENTAL, será realizado na cidade de Curitiba

Leia mais

negócios agroindustriais

negócios agroindustriais graduação administração linha de formação específica negócios agroindustriais Características gerais A Linha de Formação Específica de Negócios Agroindustriais da Univates visa ao desenvolvimento de competências

Leia mais

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação;

V - promover a cooperação internacional na área de ciência, tecnologia e inovação; DECRETO Nº 7.642, DE 13 DE DEZEMBRO DE 2011 * Programa Ciência sem Fronteiras. * Institui o Programa Ciência sem Fronteiras. A Presidenta da República, no uso das atribuições que lhe confere o art. 84,

Leia mais

Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias

Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias Profa. Dra. Lillian Maria Araújo de Rezende Alvares Coordenadora-Geral de Pesquisa e Manutenção de Produtos

Leia mais

Anexo V - A. Proposta de um Novo Programa de Trabalho e Funcionamento da RECYT

Anexo V - A. Proposta de um Novo Programa de Trabalho e Funcionamento da RECYT Anexo V - A Proposta de um Novo Programa de Trabalho e Funcionamento da RECYT Breve Histórico A Reunião Especializada em Ciência e Tecnologia do MERCOSUL RECYT, criada em 1992, realizou a sua primeira

Leia mais

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DIREÇÃO CIENTÍFICA - CBCE (Em desenvolvimento Versão 1.0 Nov/2011) GESTÃO 2011-2013

PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DIREÇÃO CIENTÍFICA - CBCE (Em desenvolvimento Versão 1.0 Nov/2011) GESTÃO 2011-2013 I. IDENTIDADE INSTITUCIONAL DA DO CBCE / DIREÇÃO CIENTÍFICA - DC PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO DIREÇÃO CIENTÍFICA - CBCE (Em desenvolvimento Versão 1.0 Nov/2011) GESTÃO 2011-2013 1.1 Avaliar e divulgar a DC

Leia mais

APRESENTAÇÃO. DATA E LOCAL De 20 a 22 de agosto de 2008. Hotel Dall Onder Bento Gonçalves/ RS

APRESENTAÇÃO. DATA E LOCAL De 20 a 22 de agosto de 2008. Hotel Dall Onder Bento Gonçalves/ RS APRESENTAÇÃO A SBCTA - Sociedade Brasileira de Ciência e Tecnologia de Alimentos é uma sociedade multi-profissional, sem fins lucrativos, que tem por objetivo promover o avanço da pesquisa da área de alimentos

Leia mais

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL

TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL TEXTO BASE PARA UM POLÍTICA NACIONAL NO ÂMBITO DA EDUCAÇÃO PATRIMONIAL Eixos Temáticos, Diretrizes e Ações Documento final do II Encontro Nacional de Educação Patrimonial (Ouro Preto - MG, 17 a 21 de julho

Leia mais

O Dia D. 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE. e a culturalização de um. posicionamento estratégico

O Dia D. 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE. e a culturalização de um. posicionamento estratégico O Dia D e a culturalização de um posicionamento estratégico 12º Prêmio Destaque em Comunicação SINEPE Centro Universitário Franciscano uma universidade para suas aspirações Santa Maria é um polo educacional

Leia mais

POLÍTICAS PÚBLICAS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA

POLÍTICAS PÚBLICAS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA POLÍTICAS PÚBLICAS DE ECONOMIA SOLIDÁRIA 1. Concepções e diretrizes políticas para áreas; Quando falamos de economia solidária não estamos apenas falando de geração de trabalho e renda através de empreendimentos

Leia mais

Exponha sua marca à comunidade nacional e internacional, estabelecendo contatos e criando novas possibilidades de negócios para sua empresa.

Exponha sua marca à comunidade nacional e internacional, estabelecendo contatos e criando novas possibilidades de negócios para sua empresa. Prezado(a) Senhor(a), Ao cumprimentá-lo(a) respeitosamente, a Associação Software Livre.Org ASL e o Projeto Software Livre Brasil têm a honra de convidar V. Sª para participar do 10º Fórum Internacional

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA)

TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) TERMO DE REFERÊNCIA PARA CONTRATAÇÃO DE CONSULTORIA ESPECIALIZADA (PESSOA FÍSICA) Contrato por Produto Nacional CONSULTOR JÚNIOR Número e Título do Projeto: BRA/09/004 Fortalecimento da CAIXA no seu processo

Leia mais

EDITAL 2012 PARA APOIO À REALIZAÇÃO DE ATIVIDADES ARTÍSTICO - CULTURAIS NA UFSCar - CCult

EDITAL 2012 PARA APOIO À REALIZAÇÃO DE ATIVIDADES ARTÍSTICO - CULTURAIS NA UFSCar - CCult EDITAL 2012 PARA APOIO À REALIZAÇÃO DE ATIVIDADES ARTÍSTICO - CULTURAIS NA UFSCar - CCult JUSTIFICATIVA O estatuto da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) no Capítulo 1, artigo 3º. define como finalidade

Leia mais