8 Tecnologia da informação e comunicação

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "8 Tecnologia da informação e comunicação"

Transcrição

1 Tabelas de resultados - Indicadores de 2011 a Tecnologia da informação e comunicação Tabela Percentual das pessoas que tinham telefone móvel celular para uso pessoal na população de 10 anos ou mais de idade, por Grandes Regiões, segundo o sexo e os grupos de idade Sexo e grupos de idade Brasil Percentual das pessoas que tinham telefone móvel celular para uso pessoal na população de 10 anos ou mais de idade (%) Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste 2011 Grandes Regiões (continua) Total 69,1 60,5 59,4 73,8 73,3 78,7 10 a 14 anos 41,9 28,8 32,6 48,8 48,4 51,3 15 a 17 anos 67,5 56,2 55,9 75,7 74,6 77,6 18 ou 19 anos 77,5 65,5 66,7 84,1 85,5 87,8 20 a 24 anos 82,3 70,5 72,9 88,7 86,1 89,3 25 a 29 anos 83,1 73,7 74,3 88,1 88,4 89,8 30 a 39 anos 82,0 72,9 72,7 86,9 85,9 88,5 40 a 49 anos 77,0 69,3 67,2 81,3 80,4 85,7 50 a 59 anos 68,7 61,7 59,6 72,3 70,6 78,4 60 anos ou mais 43,9 41,7 35,2 46,0 48,8 55,5 Homens 68,7 58,4 57,4 74,3 74,3 78,2 10 a 14 anos 36,5 23,9 27,3 43,4 42,9 44,3 15 a 17 anos 63,0 50,7 51,5 71,4 70,0 73,8 18 ou 19 anos 74,0 60,8 62,2 80,5 83,3 85,4 20 a 24 anos 80,3 68,6 69,9 86,9 85,0 88,1 25 a 29 anos 81,8 71,6 71,7 87,2 87,5 89,2 30 a 39 anos 81,7 71,6 70,9 86,9 87,7 88,7 40 a 49 anos 77,6 69,5 66,5 82,1 83,2 86,0 50 a 59 anos 70,7 60,1 59,9 75,4 73,7 79,9 60 anos ou mais 47,4 42,3 35,6 51,2 52,9 59,2 Mulheres 69,5 62,7 61,2 73,4 72,5 79,2 10 a 14 anos 47,5 33,7 38,1 54,3 54,1 58,2 15 a 17 anos 72,2 61,8 60,5 80,2 79,3 81,5 18 ou 19 anos 81,2 70,4 71,1 88,1 88,0 90,4 20 a 24 anos 84,3 72,4 75,7 90,5 87,1 90,4 25 a 29 anos 84,5 75,7 76,7 88,9 89,2 90,3 30 a 39 anos 82,3 74,1 74,3 87,0 84,2 88,3 40 a 49 anos 76,4 69,1 67,8 80,6 77,8 85,5 50 a 59 anos 66,9 63,3 59,3 69,5 67,7 77,1 60 anos ou mais 41,2 41,1 34,9 41,9 45,5 52,2

2 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Síntese de indicadores Tecnologia da informação e comunicação Tabela Percentual das pessoas que tinham telefone móvel celular para uso pessoal na população de 10 anos ou mais de idade, por Grandes Regiões, segundo o sexo e os grupos de idade Sexo e grupos de idade Brasil Percentual das pessoas que tinham telefone móvel celular para uso pessoal na população de 10 anos ou mais de idade (%) Norte Nordeste Sudeste Sul Centro-Oeste 2012 Grandes Regiões (conclusão) Total 72,7 64,6 63,5 77,1 77,2 81,6 10 a 14 anos 45,9 33,3 36,9 51,8 54,1 55,5 15 a 17 anos 73,3 62,3 63,0 79,4 81,7 83,7 18 ou 19 anos 81,4 72,2 71,8 87,7 86,1 90,8 20 a 24 anos 84,9 74,1 76,9 89,9 90,1 91,3 25 a 29 anos 86,0 77,1 76,7 91,6 90,9 91,1 30 a 39 anos 84,7 75,5 76,5 89,1 88,7 90,6 40 a 49 anos 80,4 72,1 70,7 84,9 83,9 88,0 50 a 59 anos 73,4 66,8 63,7 77,1 76,2 82,3 60 anos ou mais 48,7 46,3 39,7 51,0 53,7 59,0 Homens 72,1 62,6 61,0 77,5 78,1 81,1 10 a 14 anos 40,6 29,4 32,0 45,9 49,3 49,2 15 a 17 anos 69,2 57,6 57,2 76,1 79,9 81,2 18 ou 19 anos 78,8 68,8 68,5 85,3 84,1 89,0 20 a 24 anos 83,4 73,3 74,2 88,4 89,9 91,0 25 a 29 anos 84,7 75,7 74,7 90,7 90,7 89,7 30 a 39 anos 83,9 73,3 74,0 88,9 90,0 90,1 40 a 49 anos 80,2 71,4 68,8 85,5 84,7 87,8 50 a 59 anos 74,4 66,2 62,5 78,9 78,4 84,7 60 anos ou mais 51,7 46,3 39,2 55,9 57,7 62,4 Mulheres 73,3 66,6 65,7 76,8 76,3 82,0 10 a 14 anos 51,3 37,5 42,0 57,8 59,1 62,1 15 a 17 anos 77,5 67,6 69,1 82,9 83,4 86,4 18 ou 19 anos 84,1 75,5 75,2 90,0 88,4 92,5 20 a 24 anos 86,3 74,9 79,5 91,5 90,3 91,7 25 a 29 anos 87,2 78,4 78,7 92,5 91,1 92,6 30 a 39 anos 85,4 77,7 78,7 89,3 87,5 91,1 40 a 49 anos 80,6 72,8 72,5 84,4 83,2 88,1 50 a 59 anos 72,5 67,4 64,8 75,5 74,3 80,0 60 anos ou mais 46,4 46,4 40,2 47,2 50,5 56,0 Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Trabalho e Rendimento, Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios

3 Referências BRASIL. Decreto n o 7.655, de 23 de dezembro de Regulamenta a Lei n o , de 25 de fevereiro de 2011, que dispõe sobre o valor do salário mínimo e a sua política de valorização de longo prazo. Diário Oficial da União, Brasília, DF, ano 148, n. 247, 26 dez Seção 1, p. 5. Disponível em: <http://www.presidencia.gov.br/legislacao>. Acesso em: ago Lei n o , de 6 de fevereiro de Altera a redação dos artigos 29, 30, 32 e 87 da Lei n o 9.394, de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional, dispondo sobre a duração de 9 (nove) anos para o ensino fundamental, com matrícula obrigatória a partir dos 6 (seis) anos de idade. Diário Oficial da União, Brasília, DF, ano 143, n. 27, 7 fev Seção 1, p Disponível em: <http://www.presidencia.gov.br/legislacao>. Acesso em: ago Ministério do Desenvolvimento Social e Combate à Fome. Assistência social. Brasília, DF, [2010?]. Disponível em: <http://www. mds.gov.br/assistenciasocial>. Acesso em: ago CANCEIS user s guide: Canadian census edit and imputation system. Version 4.5. Ottawa: Statistics Canada, Social Survey Methods Division, CLASIFICACIÓN industrial internacional uniforme de todas las actividades económicas - CIIU. Rev. 3. Nueva York: Naciones Unidas, Departamento de Asuntos Económicos y Sociales Internacionales, Disponível em: <http://concla.ibge.gov.br/classificacoes/por-tema>.acesso em: ago CLASIFICACIÓN internacional uniforme de ocupaciones - CIUO-88. Ginebra: Organización Internacional del Trabajo - OIT, Disponível

4 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Síntese de indicadores 2012 em: <http://www.ilo.org/public/spanish/bureau/stat/isco/isco88/index.htm>. Acesso em: ago CLASSIFICAÇÃO brasileira de ocupações - CBO. 2. ed. Brasília, DF: Ministério do Trabalho e Emprego - MTE, Disponível em: <http://concla.ibge.gov.br/classificacoes/portema>. Acesso em: ago CLASSIFICAÇÃO nacional de atividades econômicas - CNAE. Rio de Janeiro: IBGE, p. Acompanha 1 CD-ROM. Disponível em: <http://concla.ibge.gov.br/classificacoes/ por-tema/>. Acesso em: ago CLASSIFICAÇÃO nacional de atividades econômicas domiciliar - CNAE-Domiciliar. Rio de Janeiro: IBGE, Disponível em: <http://concla.ibge.gov.br/classificacoes/portema/>. Acesso em: ago GARCÍA RUBIO, E.; VILLÁN CRIADO, I. Dia: descripción del sistema. In:. Sistema DIA: sistema de detección e imputación automática de errores para datos cualitativos. Madrid: Instituto Nacional de Estadística - INE, v. 1. ÍNDICE nacional de preços ao consumidor - INPC: séries históricas. Rio de Janeiro: IBGE, Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/indicadores/precos/ inpc_ipca/defaultserieshist.shtm>. Acesso em: ago INTERNATIONAL LABOUR ORGANIZATION. Resolution concerning statistics of the economically active population, enployment, unemployment and underemployment. Geneva: ILO, p. Adotada pela 13 a International Conference of Labour Statisticians, Disponível em: <http://www.ilo.org/global/statistics-and-databases/standardsand-guidelines/resolutions-adopted-by-international-conferences-of-labour-statisticians/ WCMS_087481/lang--en/index.htm>. Acesso em: ago INTERNATIONAL standard classification of occupations - ISCO-88. Geneva: International Labour Organization - ILO, Disponível em: <http://www.ilo.org/public/english/ bureau/stat/isco/isco88/index.htm>. Acesso em: ago INTERNATIONAL standard industrial classification of all economic activities - ISIC. Rev. 3. New York: United Nations, Department of International Economic and Social Affairs, Disponível em: <http://concla.ibge.gov.br/classificacoes/por-tema/>. Acesso em: ago METODOLOGIA das estimativas das populações residentes nos municípios brasileiros para 1 o de julho de 2008: uma abordagem demográfica para estimar o padrão histórico e os níveis de subenumeração de pessoas nos censos demográficos e contagens de população. Rio de Janeiro: IBGE, p. Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/ home/estatistica/populacao/estimativa2008/metodologia.pdf>. Acesso em: ago PRINCIPLES and recommendations for population and housing censuses. Rev. 2. New York: United Nations, Department of Economic and Social Affairs, p. (Statistical papers. Series M, n. 67/rev. 2). Disponível em: <http://unstats.un.org/unsd/ demographic/sources/census/docs/p&r_rev2.pdf>. Acesso em: ago PROGRAMA sociedad de la información. Observatorio para la sociedad de la información em Latinoamérica y el Caribe - Osilac. Santiago: Comisión Económica para América Latina y el Caribe - Cepal, [2007]. Disponível em: <http://www.cepal.org/cgi-bin/getprod. asp?xml=/socinfo/noticias/paginas/5/44765/p44765.xml&xsl=/socinfo/tpl/p18f-st. xsl&base=/socinfo/tpl/top-bottom.xsl>. Acesso em: set

5 Referências PROJEÇÃO da população do Brasil por sexo e idade : revisão Rio de Janeiro: IBGE, p. (Estudos e pesquisas. Informação demográfica e socioeconômica, n. 24). Disponível em: <http://www.ibge.gov.br/home/estatistica/ populacao/projecao_da_populacao/2008/default.shtm>. Acesso em: ago REGIONAL literacy rates for youths (15-24) and adults (15+). Montreal: United Nations Organization for Education, Science and Culture - Unesco, Institute for Statistis, Disponível em: <http://stats.uis.unesco.org/unesco/tableviewer/tableview. aspx?reportid=201&if_language=eng>. Acesso em: ago VILLÁN CRIADO, I.; BRAVO CABRIA, M. S. Procedimiento de depuración de datos estadísticos. Vitoria-Gasteiz [Espanha]: Euskal Estatistika-Erakundea [Instituto Vasco de Estadística] - Eustat, p. Disponível em: <http://www.eustat.es/ productosservicios/datos/vol0020.pdf>. Acesso em: ago WSIS THEMATIC MEETING ON MEASURING THE INFORMATION SOCIETY, 2005, Geneva. Final conclusions. Geneva: World Summit on the Information Society - WSIS, p. Disponível em: <http://new.unctad.org/upload/docs/wsis%20 Indicators%20Meeting%20Conclusions%20FINAL.pdf>. Acesso em: ago

6 Apêndice Tópicos investigados na PNAD desde 1992

7 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Síntese de indicadores 2012 Tópicos investigados na PNAD desde 1992 Características da unidade domiciliar Espécie do domicílio Esgotamento sanitário Tipo do domicílio Destino do lixo Material predominante das paredes Forma de iluminação Material predominante da cobertura Telefone (até 1999) Número de cômodos Telefone fixo (a partir de 2001) Número de cômodos servindo de dormitório Telefone móvel celular (a partir de 2001) Condição de ocupação - próprio/alugado/cedido Existência de fogão Valor do aluguel mensal Combustível utilizado no fogão Valor da prestação mensal Existência de filtro de água Posse do terreno Existência de rádio Existência de garagem ou vaga para automóvel Existência de TV (2002 e 2003) Existência de DVD (a partir de 2008) Área construída do domicílio em m² (2002 e 2003) Existência de geladeira Valor do domicílio (2002 e 2003) Existência de freezer Existência de água canalizada para, pelo menos, Existência de máquina de lavar roupa um cômodo Existência de microcomputador (a partir de 2001) Proveniência da água Existência de microcomputador com acesso à Existência de banheiro ou sanitário Internet (a partir de 2001) Exclusividade na utilização da instalação sanitária Existência de carro ou motocicleta (a partir de 2009) Número de banheiros ou sanitários (a partir de 2002) Características gerais dos moradores Condição na unidade domiciliar A posse de registro de nascimento Condição na família Motivo da coabitação (a partir de 2007) Cor ou raça Intenção de mudar e constituir domicílio (a partir de 2007) Se o morador tem mãe viva Se a mãe mora no domicílio Estado civil (de 1992 a 1995 e a partir de 2009) Estado conjugal (incluído em 2011) Migração Se o morador reside no município de nascimento Local de moradia há 5 anos da data de referência Se o morador reside na Unidade da Federação de Local de residência anterior ao atual nascimento Período de residência na Unidade da Federação e Local de nascimento no município atual Tempo de residência na atual Unidade da Período de residência na Unidade da Federação e Federação no município anterior Educação Sabe ler e escrever O curso mais elevado que frequentou Frequência a escola ou creche Duração do ensino fundamental que frequentou Para quem frequenta escola ou creche anteriormente Rede de ensino - pública ou privada Tipo de curso: seriado Área de subordinação da escola pública - Conclusão de, pelo menos, a 1ª série deste curso municipal, estadual ou federal (a partir de 2009) A última série concluída com aprovação Curso que frequenta Conclusão do curso Duração do ensino fundamental (8 ou 9 anos) Tecnologia da informação (10 anos ou mais de idade) Tipo de curso: seriado Utilização da Internet nos últimos três meses (a Última série frequentada partir de 2009) Para quem não frequenta escola ou creche Posse de telefone móvel celular para uso pessoal Frequentou anteriormente a escola ou creche (a partir de 2009)

8 Apêndice Trabalho das crianças de 5 a 9 anos de idade Se a criança trabalhou, incluindo atividades Posição na ocupação relacionadas com produção para o próprio consumo Forma de remuneração e construção para o próprio uso, no período de Valor do rendimento 365 dias Número de horas trabalhadas por semana Se a criança trabalhou na semana de referência Execução de afazeres domésticos Ocupação e atividade exercida no período de Horas dedicadas aos afazeres domésticos referência de 358 dias Trabalho e rendimento Condição de ocupação Para trabalhadores domésticos Número de trabalhos na semana de referência Quantidade de domicílios em que prestava serviço Ocupação e atividade doméstico Atividade agrícola Se habitualmente exercia esse trabalho pelo Posição na ocupação menos uma vez por semana Empregado permanente Número de dias semanais e mensais que exercia a Se recebia do empregador alguma área para atividade produção particular Para empregados e trabalhadores domésticos Existência de parceria com o empregador Número de pessoas ocupadas nesse emprego Empregado temporário Se tinha carteira de trabalho assinada Forma de contratação do empregado Recebimento de auxílios: moradia; educação; Empregado alimentação; transporte; e saúde ou reabilitação Quantitativo de pessoas não remuneradas Para empregadores moradoras do domicílio que ajudaram nesse emprego Número de empregados que ocupava nesse trabalho Para o empregador e conta própria Para conta própria e empregadores Área total do empreendimento Número de sócios ocupados que tinha nesse trabalho Quantitativo de empregados temporários e Atividade agrícola e não agrícola permanentes que tinham nesse trabalho (somente Para conta própria e empregadores para o empregador) Número de trabalhadores não remunerados que Se era parceiro, arrendatário, posseiro, ocupou nesse trabalho cessionário, proprietário ou outra condição Para todas as pessoas ocupadas Qual era o tipo de parceria contratada Remuneração recebida Forma de pagamento do arrendamento Existência de registro no Cadastro Nacional de Existência de compromisso prévio de venda à Pessoa Jurídica do empreendimento em que produção trabalhava (a partir de 2009) Venda de alguma parte da produção Tipo e local do estabelecimento Comprador da produção Deslocamento para o trabalho Consumo, por moradores, da produção de algum Horas trabalhadas tipo e a parcela Contribuição para Instituto de Previdência Atividade não agrícola Tempo no trabalho Posição na ocupação Características do trabalho anterior Para empregado Tempo de permanência no trabalho anterior Horário da jornada de trabalho (entre 5:00h e Recebimento de Seguro-desemprego do trabalho 22:00h ou entre 22:00h e 5:00h) anterior Setor do emprego - público ou privado Características de outros trabalhos Área de subordinação do emprego - federal, Para todas as pessoas de 10 anos ou mais estadual ou municipal Procura de trabalho Se era militar das forças armadas Previdência privada Se era funcionário público estatutário Afazeres domésticos Rendimentos não provenientes de trabalho aposentadoria, programas sociais, pensão, abono permanência, aluguel, doação e outros Fecundidade Se teve filho até a data de referência O sexo do último filho nascido vivo Número de filhos tidos, por sexo, que moravam Mês e ano do nascimento do último filho nascido no domicílio vivo Número de filhos tidos, por sexo, que moravam O último filho nascido vivo ainda estava vivo na em outro local data de referência Número de filhos tidos, por sexo, que morreram Número de filhos nascidos mortos

9 Anexos 1 - Grupamentos e subgrupos principais ocupacionais 2 - Grupamentos e divisões de atividade

10 Anexos Anexo 1 Grupamentos e subgrupos principais ocupacionais Dirigentes em geral Membros superiores e dirigentes do poder público Dirigentes de empresas e organizações (exceto de interesse público) Gerentes Profissionais das ciências e das artes Profissionais policientíficos Profissionais das ciências exatas, físicas e da engenharia Profissionais das ciências biológicas, da saúde e afins Profissionais do ensino (com formação de nível superior) Profissionais das ciências jurídicas Profissionais das ciências sociais e humanas Comunicadores, artistas e religiosos Técnicos de nível médio Técnicos polivalentes Técnicos de nível médio das ciências físicas, químicas, engenharia e afins Técnicos de nível médio das ciências biológicas, bioquímicas, da saúde e afins Professores leigos e de nível médio Técnicos de nível médio em serviços de transportes Técnicos de nível médio nas ciências administrativas Técnicos em nível médio dos serviços culturais, das comunicações e dos desportos Outros técnicos de nível médio Trabalhadores de serviços administrativos Escriturários Trabalhadores de atendimento ao público Trabalhadores dos serviços Trabalhadores dos serviços Vendedores e prestadores de serviços do comércio Vendedores e prestadores de serviços do comércio

11 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Síntese de indicadores 2012 Trabalhadores agrícolas Produtores na exploração agropecuária Trabalhadores na exploração agropecuária Pescadores, caçadores e extrativistas florestais Trabalhadores da mecanização agropecuária e florestal Trabalhadores da produção de bens e serviços de reparação e manutenção Trabalhadores da indústria extrativa e da construção civil Trabalhadores da transformação de metais e de compósitos Trabalhadores da fabricação e instalação eletroeletrônica Montadores de aparelhos e instrumentos de precisão e musicais Joalheiros, vidreiros, ceramistas e afins Trabalhadores das indústrias têxteis, do curtimento, do vestuário e das artes gráficas Trabalhadores das indústrias de madeira e do mobiliário Trabalhadores de funções transversais Trabalhadores das indústrias de processos contínuos e outras indústrias Trabalhadores de instalações siderúrgicas e de materiais de construção Trabalhadores de instalações e máquinas de fabricação de celulose, papel, papelão e artefatos Trabalhadores da fabricação de alimentos, bebidas e fumo Operadores de instalações de produção e distribuição de energia, utilidades, captação, tratamento e distribuição de água Outros trabalhadores elementares industriais Trabalhadores de reparação e manutenção mecânica Polimantenedores Outros trabalhadores da conservação, manutenção e reparação Membros das forças armadas e auxiliares Militares da aeronáutica Militares do exército Militares da marinha Policiais militares Bombeiros militares Ocupações maldefinidas Ocupações maldefinidas

12 Anexos Anexo 2 Grupamentos e divisões de atividade Agrícola Agricultura, pecuária e serviços relacionados com estas atividades Silvicultura, exploração florestal e serviços relacionados com estas atividades Pesca, aquicultura e atividades dos serviços relacionados com estas atividades Indústria Indústria de transformação Fabricação de produtos alimentícios e bebidas Fabricação de produtos do fumo Fabricação de produtos têxteis Confecção de artigos do vestuário e acessórios Preparação de couros e fabricação de artefatos de couro, artigos de viagem e calçados Fabricação de produtos de madeira Fabricação de celulose, papel e produtos de papel Edição, impressão e reprodução de gravações Fabricação de coque, refino de petróleo, elaboração de combustíveis nucleares e produção de álcool Fabricação de produtos químicos Fabricação de produtos de borracha e plástico Fabricação de produtos de minerais não metálicos Metalurgia básica Fabricação de produtos de metal - exclusive máquinas e equipamentos Fabricação de máquinas e equipamentos Fabricação de máquinas para escritório e equipamentos de informática Fabricação de máquinas, aparelhos e materiais elétricos Fabricação de material eletrônico e de aparelhos e equipamentos de comunicações Fabricação de equipamentos de instrumentação médico-hospitalares, instrumentos de precisão e ópticos, equipamentos para automação industrial, cronômetros e relógios Fabricação e montagem de veículos automotores, reboques e carrocerias Fabricação de outros equipamentos de transporte Fabricação de móveis e indústrias diversas Reciclagem

13 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Síntese de indicadores 2012 Outras atividades industriais Extração de carvão mineral Extração de petróleo e serviços correlatos Extração de minerais radioativos Extração de minerais metálicos Extração de minerais não metálicos Eletricidade, gás e água quente Captação, tratamento e distribuição de água Construção Construção Comércio e reparação Comércio e reparação de veículos automotores e motocicletas; e comércio a varejo de combustíveis Intermediários do comércio, comércio e reparação de objetos pessoais e domésticos Alojamento e alimentação Alojamento e alimentação Transporte, armazenagem e comunicação Transporte terrestre Transporte aquaviário Transporte aéreo Atividades anexas e auxiliares do transporte e agências de viagem Correios e telecomunicações Administração pública Administração pública, defesa e seguridade social Educação, saúde e serviços sociais Educação Saúde e serviços sociais Outros serviços coletivos, sociais e pessoais Limpeza urbana e esgoto; e atividades conexas Atividades associativas

14 Anexos Atividades recreativas, culturais e desportivas Serviços pessoais Serviços domésticos Serviços domésticos Outras atividades Intermediação financeira, exclusive de seguros e previdência privada Seguros e previdência privada Atividades auxiliares da intermediação financeira Atividades imobiliárias Aluguel de veículos, máquinas e equipamentos sem condutores ou operadores e de objetos pessoais e domésticos Atividades de informática e conexas Pesquisa e desenvolvimento Serviços prestados principalmente às empresas Organismos internacionais e outras instituições extraterritoriais Atividades maldefinidas Atividades maldefinidas

15 Equipe técnica Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento Cimar Azeredo Pereira Gerência da Integração da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios - PNAD Maria Lucia França Pontes Vieira Planejamento Cimar Azeredo Pereira Maria Lucia França Pontes Vieira Robson da Silva Pereira Controle Genilda da Silva Rodrigues Hilton do Espirito Santo Amendoeira Filho Janete Rodrigues da Silva Luiz Carlos Ferrer Cardoso Marcia Barbosa de Almeida Vargas Marcus Marcello Gullo Maria da Glória Dias Freitas Maria do Socorro Bento Maria Teresa Cristina Dalla Riva da Nobrega Bastos Nilciléa Martins Moulin Rosângela Lago de Souza Barbosa Crítica centralizada Fabiane Cirino de Oliveira Santos Maira Bonna Lenzi Marcel Frederico de Lima Taga Marcus Vinícius Morais Fernandes

16 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Síntese de indicadores 2012 Seleção, controle e expansão da amostra e cálculo dos coeficientes de variação Marcus Paulo Soares de Freitas Rosângela Magalhães A. Pereira (Consultora) Tabulação dos resultados e gráficos Fabiane Cirino de Oliveira Santos Marcus Vinicius Morais Fernandes Elaboração de textos e análises Adriana Araujo Beringuy Angela Maria Broquá Mello Maira Bonna Lenzi Maria Teresa Cristina Dalla Riva da Nobrega Bastos William Araújo Kratochwill Revisão e preparo de originais Márcia Barbosa de Almeida Vargas Maria Lucia França Pontes Vieira Rosangela Lago de Souza Barbosa William Araújo Kratochwill Apoio administrativo Sandra Helena de Souza Barros (Assistente da Coordenação) Sonia Regina da Silva Dantas (Secretária da Coordenação) Colaboradores Diretoria de Pesquisas Coordenação de População e Indicadores Sociais Luiz Antônio Pinto de Oliveira Gerência de Estudos e Análise da Dinâmica Demográfica André Alves Gandolpho Claudia Bahia de Araújo Juarez de Castro Oliveira Leila Regina Ervatti Luciano Gonçalves de Castro e Silva Gerência de Estatísticas Vitais Estimativas Populacionais Claudio Dutra Crespo Fernando Roberto P. de C. e Albuquerque Diretoria de Informática Coordenação de Projetos Especiais Claudio Mariano Fernandes Gerência de Desenvolvimento e Suporte a Projetos Especiais e Produtos Especialistas Luigino Ítalo Palermo Carlos Brandão Fernandes da Silva Eduardo da Costa Romero Dulce Maria Rocha Barbosa Ronaldo Rodrigues Raposo Junior

17 Equipe técnica Said Jorge Miguel Passos Filho Gerência de Desenvolvimento de Sistema de Censos Ataide José de Oliveira Venâncio Carlos Emilio de Mattos Strauch Davi Faria Rocha Edson Orofino de Souza Marcos Rodrigues Pinto Gerência de Suporte e Desenvolvimento de Sistemas de Microdados Bianca Fernandes Sotelo Marcello Willians Messina Ribeiro Gerência de Suporte e Desenvolvimento de Sistemas de Dados Agregados Luiz Antonio Gauziski de Araujo Figueredo Anderson Almeida França José Masello Gerência de Sistemas Populacionais e Sociais Solange Ferreira Pinto Vania da Silva Boquimpani André Bruno de Oliveira Humberto Lopes Chapouto Dilcar Almeida da Silva Coordenação de Operações e Serviços de Informática Bruno Gonçalves Santos Gerência de Implantação e Administração dos Serviços em Produção Georgia de Souza Assumpção - Gerente de área Sergio Luiz de Pinho Barbosa - Gerente de projeto Eric Alves Buhr - Técnico em Informática Diretoria de Geodésia Coordenação de Geografia Maria Luiza Gomes Castello Branco Gerência de Atlas Adma Haman de Figueiredo Elaboração de mapas Jorge Kleber Teixeira Silva Unidades Estaduais Supervisores Estaduais RO - Jurandir Soares da Silva AC - Felippe Ferreira Nery AM - Fernando José Herkrtah RR - Guilherme Ferreira Cornely PA - Max Elias Calil Gomes AP - Ananias do Carmo Picanço TO - Raimundo Costa Barbosa MA - Patrícia de Oliveira Borges e Souza PI - Eurípedes Ferreira Sobrinho

18 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Síntese de indicadores 2012 CE - João Batista Canário Neto RN - Rogério Henrique de C. Campelo PB - Jose Reginaldo Goncalves Madruga PE - Karla Valeria Annes de Sa Leitão AL - Marcos Maranhão Lima SE - Ewerton Fernando Santana Coelho BA - Artur Constantino F. Machado MG - Maria das Graças Oliveira Souza ES - Carlos Magno Rocha Leitão RJ - Alberto Azemiro Martins de Carvalho SP - Josué Pinto PR - Laura Castegnaro SC - Valmir Jose Leal RS - André Pacheco Rocha MS - Jorge Miranda Quevedo MT - Rodrigo Grotti Nascimento GO - Valperino Gomes Oliveira Filho DF - Gisella Colares Gomes Coordenadores de Informática das Unidades Estaduais RO - Carlos Souza Menandro AC - Raphael Lopes Dias AM - Darlan Viana Cavalcante RR - José Carlos Ramires PA - Sílvio Costa de Souza AP - Fabrício Alves Reis TO - Manuela Almeida Bittencourt MA - Wellington Luis Mineiro Franca PI - João José de Sousa Santos CE - Manuel Ozanan Rodrigues Filho RN - Edson Moreira de Aguiar PB - Haroldo Paulino de Medeiros PE - Edilson Bronzeado Quirino AL - Plínio José Medeiros C. de Araújo SE - Muciano Menezes Junqueira BA - André Luiz Ferreira Urpia MG - Diva de Souza e Silva Rodrigues ES - Sidney Henrique Dalmaso RJ - Carlos Eduardo Portela SP - Wlamir Almeida Pinheiro PR - Luciano Lopes Martins SC - Luis Augusto de Souza Bevacqua RS - Octavio Jose Dedavid Filho MS - Herben Kally de Almeida Rex MT - Camilo Gonçalves Stabilito GO - Rogerio Arantes Gaioso DF - Cilmar Ribeiro Mendonça

19 Equipe técnica Projeto Editorial Centro de Documentação e Disseminação de Informações Coordenação de Produção Marise Maria Ferreira Gerência de Editoração Estruturação textual, tabular e de gráficos Katia Vaz Cavalcanti Leonardo Martins Neuza Damásio Sônia Rocha Diagramação tabular e de gráficos LGonzaga Neuza Damásio Sônia Rocha Copidesque e revisão Anna Maria dos Santos Cristina R. C. de Carvalho Kátia Domingos Vieira Diagramação textual Mônica Pimentel Cinelli Ribeiro Programação visual da publicação Luiz Carlos Chagas Teixeira Sebastião Monsores Tratamento de arquivos e mapas Evilmerodac Domingos da Silva Produção de multimídia Alberto Guedes da Fontoura Neto LGonzaga Márcia do Rosário Brauns Marisa Sigolo Mônica Pimentel Cinelli Ribeiro Roberto Cavararo Gerência de Documentação Pesquisa e normalização bibliográfica Ana Raquel Gomes da Silva Carla de Castro Palmieri (Estagiária) Elizabeth de Carvalho Faria Lioara Mandoju Maria Beatriz Machado Santos Soares (Estagiária) Maria Socorro da Silva Araújo Solange de Oliveira Santos Padronização de glossários Ana Raquel Gomes da Silva Elaboração de quartas capas Ana Raquel Gomes da Silva

20 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Síntese de indicadores 2012 Gerência de Gráfica Impressão e acabamento Maria Alice da Silva Neves Nabuco Gráfica Digital Impressão Ednalva Maia do Monte

Perfil Econômico Municipal

Perfil Econômico Municipal indústria Extração de carvão mineral Extração de petróleo e gás natural Extração de minerais metálicos Extração de minerais não-metálicos Fabricação de alimentos e bebidas Fabricação de produtos do fumo

Leia mais

Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal

Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Ministério das Comunicações Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD Suplementar 2013 Acesso à Internet e à televisão e posse de telefone móvel celular

Leia mais

taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Abril 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE

taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Abril 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Abril 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Nelson

Leia mais

PERFIL DAS EMPRESAS APOIADAS PELO PROGRAMA DE SUBVENÇÃO ECONÔMICA 2006 A 2009

PERFIL DAS EMPRESAS APOIADAS PELO PROGRAMA DE SUBVENÇÃO ECONÔMICA 2006 A 2009 2011 Financiadora de Estudos e Projetos (FINEP) Diretoria de Inovação (DRIN) Departamento de Acompanhamento (DAC) PERFIL DAS EMPRESAS APOIADAS PELO PROGRAMA DE SUBVENÇÃO ECONÔMICA 2006 A 2009 Janeiro/2011

Leia mais

taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Junho 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE

taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Junho 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE taxa Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Junho 2015 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidenta da República Dilma Rousseff Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Nelson

Leia mais

Conceitos. Empreendedor M E T O D O L O G I A. Atividade Empreendedora. Empreendedorismo. * Fonte: OCDE

Conceitos. Empreendedor M E T O D O L O G I A. Atividade Empreendedora. Empreendedorismo. * Fonte: OCDE METODOLOGIA M E T O D O L O G I A Conceitos Empreendedor Atividade Empreendedora Empreendedorismo * Fonte: OCDE M E T O D O L O G I A Conceitos Empreendedor Indivíduo que tenciona gerar valor através da

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios IBGE Gustavo Leal Laboratório de Economia da UFJF Introdução O sistema de pesquisas domiciliares foi implantado progressivamente no Brasil, a partir de 1967,

Leia mais

Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Março 2005

Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Março 2005 Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Março 2005 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro de Estado do Planejamento, Orçamento

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego Dezembro 2005

Pesquisa Mensal de Emprego Dezembro 2005 Indicadores IBGE Pesquisa Mensal de Emprego Dezembro 2005 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro de Estado do Planejamento, Orçamento

Leia mais

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005

Dados gerais referentes às empresas do setor industrial, por grupo de atividades - 2005 Total... 147 358 6 443 364 1 255 903 923 1 233 256 750 157 359 927 105 804 733 1 192 717 909 681 401 937 511 315 972 C Indústrias extrativas... 3 019 126 018 38 315 470 32 463 760 4 145 236 2 657 977 35

Leia mais

Evolução demográfica 1950-2010

Evolução demográfica 1950-2010 Evolução demográfica 195-1 37 A estrutura etária da população brasileira em 1 reflete as mudanças ocorridas nos parâmetros demográficos a partir da segunda metade do século XX. Houve declínio rápido dos

Leia mais

Unidade de Gestão Estratégica. Perfil Socioeconômico. Regional Centro

Unidade de Gestão Estratégica. Perfil Socioeconômico. Regional Centro Unidade de Gestão Estratégica Perfil Socioeconômico Regional Centro Sebrae em Conselho Deliberativo Pedro Alves de Oliveira Presidente Diretoria Executiva Igor Montenegro Diretor Superintendente Wanderson

Leia mais

DPE DIRETORIA DE PESQUISAS COREN COORDENAÇÃO DE TRABALHO E RENDIMENTO GEPME GERÊNCIA DE PESQUISA MENSAL. Pesquisa Mensal de Emprego DPE/COREN/GEPME

DPE DIRETORIA DE PESQUISAS COREN COORDENAÇÃO DE TRABALHO E RENDIMENTO GEPME GERÊNCIA DE PESQUISA MENSAL. Pesquisa Mensal de Emprego DPE/COREN/GEPME DPE DIRETORIA DE PESQUISAS COREN COORDENAÇÃO DE TRABALHO E RENDIMENTO GEPME GERÊNCIA DE PESQUISA MENSAL DPE DIRETORIA DE PESQUISAS COREN COORDENAÇÃO DE TRABALHO E RENDIMENTO GEPME GERÊNCIA DE PESQUISA

Leia mais

Tabelas anexas Capítulo 7

Tabelas anexas Capítulo 7 Tabelas anexas Capítulo 7 Tabela anexa 7.1 Indicadores selecionados de inovação tecnológica, segundo setores das indústrias extrativa e de transformação e setores de serviços selecionados e Estado de São

Leia mais

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2011

Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2011 Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios PNAD 2011 Rio de Janeiro, 21/09/2012 1 Abrangência nacional Temas investigados: Características Características gerais dos moradores Educação Migração Trabalho

Leia mais

Desoneração da Folha de Pagamento Estimativa de Renúncia e Metodologia de Cálculo.

Desoneração da Folha de Pagamento Estimativa de Renúncia e Metodologia de Cálculo. SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Carlos Alberto Freitas Barreto CHEFE DO CENTRO DE ESTUDOS TRIBUTÁRIOS E ADUANEIROS Claudemir Rodrigues Malaquias COORDENADOR DE PREVISÃO E ANÁLISE Raimundo Eloi

Leia mais

Inovações organizacionais e de marketing

Inovações organizacionais e de marketing e de marketing Pesquisa de Inovação 2011 Tabela 1.1.22 -, total e as que não implementaram produto ou processo e sem projetos, com indicação das inovações e gás - Brasil - período 2009-2011 (continua)

Leia mais

A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO PARANAENSE

A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO PARANAENSE 1 Março 2008 A MULHER NO MERCADO DE TRABALHO PARANAENSE Ângela da Matta Silveira Martins * Esta nota técnica apresenta algumas considerações sobre a inserção da mão-de-obra feminina no mercado de trabalho

Leia mais

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais.

Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Maio/2014 OBJETIVO Estruturar informações econômicas básicas sobre a caracterização da indústria mineira no Estado de Minas Gerais e em suas Regionais. Permitir ainda, uma análise comparativa da evolução

Leia mais

Caracterização das Atividades de Software e Serviços de TI Realizadas na NIBSS

Caracterização das Atividades de Software e Serviços de TI Realizadas na NIBSS CAPÍTULO 5 Caracterização das Atividades de Software e Serviços de TI Realizadas na NIBSS Apresentação Neste capítulo, avaliam-se a importância e o crescimento, ao longo do período 2003 a 2010, das atividades

Leia mais

PNAD 2011. Acesso à Internet e Posse de Telefone Móvel Celular para Uso Pessoal

PNAD 2011. Acesso à Internet e Posse de Telefone Móvel Celular para Uso Pessoal PNAD 2011 Acesso à Internet e Posse de Telefone Móvel Celular para Uso Pessoal Rio de Janeiro, 16/05/2013 1 Características Em 2011 foram visitados 146 mil domicílios e entrevistadas 359 mil pessoas. 2

Leia mais

Pesquisa Mensal de Emprego

Pesquisa Mensal de Emprego Pesquisa Mensal de Emprego EVOLUÇÃO DO EMPREGO COM CARTEIRA DE TRABALHO ASSINADA 2003-2012 Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE 2 Pesquisa Mensal de Emprego - PME I - Introdução A Pesquisa

Leia mais

PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA

PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA ( 44.ª EDIÇÃO ) AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES - ANATEL PANORAMA DOS SERVIÇOS DE TV POR ASSINATURA PRESIDENTE Ronaldo Mota Sardenberg CONSELHEIROS Emília

Leia mais

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Diretoria de Pesquisas

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Diretoria de Pesquisas Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística IBGE Diretoria de Pesquisas Investimento em Controle Ambiental das Indústrias no Brasil 1997/2002 Rio de Janeiro

Leia mais

COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA

COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA COMÉRCIO INTERNACIONAL CURSO DE ECONOMIA CLASSIFICAÇÕES DO SEGUNDO TESTE E DA AVALIAÇÃO CONTINUA Classificações Classificação Final Alex Santos Teixeira 13 13 Alexandre Prata da Cruz 10 11 Aleydita Barreto

Leia mais

PESQUISA NACIONAL POR AMOSTRA DE DOMICÍLIOS

PESQUISA NACIONAL POR AMOSTRA DE DOMICÍLIOS Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento Gerência de Pesquisa Anual PESQUISA NACIONAL POR AMOSTRA DE DOMICÍLIOS PNAD DE 00 Número do setor Situação IDENTIFICAÇÃO E CONTROLE Número de

Leia mais

MFIG - TRABALHO Codigo Nome turma Nota Trabalho 110402106 Adriana Castro Valente 2 15,0 110402107 Alex da Silva Carvalho 3 14,9 70402122 Alexandre

MFIG - TRABALHO Codigo Nome turma Nota Trabalho 110402106 Adriana Castro Valente 2 15,0 110402107 Alex da Silva Carvalho 3 14,9 70402122 Alexandre MFIG - TRABALHO Codigo Nome turma Nota Trabalho 110402106 Adriana Castro Valente 2 15,0 110402107 Alex da Silva Carvalho 3 14,9 70402122 Alexandre Jorge Costelha Seabra 2 18,2 110402182 Ana Catarina Linhares

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL Sorocaba 3 o trimestre de 2014 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de São Paulo,

Leia mais

Análise dos resultados Panorama geral

Análise dos resultados Panorama geral Análise dos resultados Panorama geral Durante o período de 2005 a 2008, o Produto Interno Bruto - PIB brasileiro passou de cerca de R$ 2,2 trilhões para R$ 3,0 trilhões, a valores correntes, com uma taxa

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Paulo Bernardo Silva INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente Eduardo Pereira Nunes

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL Campinas 2 o trimestre de 2015 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de São Paulo,

Leia mais

PALESTRA 1 DINÂMICA E ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA DE DOCUMENTAÇÃO E DAS BIBLIOTECAS DO CPII. VAGAS: 60

PALESTRA 1 DINÂMICA E ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA DE DOCUMENTAÇÃO E DAS BIBLIOTECAS DO CPII. VAGAS: 60 PALESTRA 1 DINÂMICA E ORGANIZAÇÃO DO SISTEMA DE DOCUMENTAÇÃO E DAS BIBLIOTECAS DO CPII. VAGAS: 60 Professor Responsável: MARTA REGINA DE JESUS Dias / Hora / Local: 6a. Feira - 09/08 das 9:00 às 12:00h

Leia mais

CONTAS REGIONAIS DO AMAZONAS 2009 PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DO AMAZONAS

CONTAS REGIONAIS DO AMAZONAS 2009 PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DO AMAZONAS CONTAS REGIONAIS DO AMAZONAS 2009 PRODUTO INTERNO BRUTO DO ESTADO DO AMAZONAS APRESENTAÇÃO A Secretaria de Estado de Planejamento e Desenvolvimento Econômico SEPLAN em parceria com a SUFRAMA e sob a coordenação

Leia mais

Por que fazer o Censo de 2010?

Por que fazer o Censo de 2010? Por que fazer o Censo de 2010? Diretoria de Pesquisas 18.08.2010 Introdução...2 Para acompanhar evolução da ocupação do território e planejar o seu desenvolvimento sustentável....2 Para avaliar, planejar

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Paulo Bernardo Silva INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente Eduardo Pereira Nunes

Leia mais

Fundação de Economia e Estatística Centro de Informações Estatísticas Núcleo de Contabilidade Social

Fundação de Economia e Estatística Centro de Informações Estatísticas Núcleo de Contabilidade Social Fundação de Economia e Estatística Centro de Informações Estatísticas Núcleo de Contabilidade Social COMENTÁRIOS ACERCA DOS NÚMEROS FINAIS DO PIB DO RS E DAS DEMAIS UNIDADES DA FEDERAÇÃO EM 2010 Equipe

Leia mais

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015

DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015 DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos RORAIMA OUTUBRO DE 2015 DADOS GERAIS DO ESTADO DA RORAIMA Total Part % Brasil Part % Região Área Total - km² 224.118 2,64% 5,82% População - mil (1)

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL Estado de São Paulo 2 o trimestre de 2014 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado

Leia mais

Análise Demográfica das Empresas da IBSS

Análise Demográfica das Empresas da IBSS CAPÍTULO 4 Análise Demográfica das Empresas da IBSS Apresentação A demografia de empresas investiga a estrutura do estoque de empresas em dado momento e a sua evolução, como os movimentos de crescimento,

Leia mais

Corrida da Saúde. Infantis A - Feminino

Corrida da Saúde. Infantis A - Feminino Corrida da Saúde Classificação geral do corta-mato, realizado no dia 23 de Dezembro de 2007, na Escola E.B. 2,3 de Valbom. Contou com a participação dos alunos do 4º ano e do 2º e 3º ciclos do Agrupamento

Leia mais

PESQUISA NACIONAL POR AMOSTRA DE DOMICÍLIOS

PESQUISA NACIONAL POR AMOSTRA DE DOMICÍLIOS Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento Gerência de Pesquisa Anual PESQUISA NACIONAL POR AMOSTRA DE DOMICÍLIOS PNAD DE 00 Número do setor Situação IDENTIFICAÇÃO E CONTROLE Número de

Leia mais

Censo Nacional das Bibliotecas Públicas P

Censo Nacional das Bibliotecas Públicas P Ministério da Cultura Secretaria de Articulação Institucional Diretoria de Livro, Leitura e Literatura Fundação Biblioteca Nacional Sistema Nacional de Bibliotecas PúblicasP Censo Nacional das Bibliotecas

Leia mais

O SISTEMA DE AQUECIMENTO SOLAR NO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA. Mara Luísa Alvim Motta Gerente Executiva GERÊNCIA NACIONAL DE MEIO AMBIENTE

O SISTEMA DE AQUECIMENTO SOLAR NO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA. Mara Luísa Alvim Motta Gerente Executiva GERÊNCIA NACIONAL DE MEIO AMBIENTE O SISTEMA DE AQUECIMENTO SOLAR NO PROGRAMA MINHA CASA MINHA VIDA Mara Luísa Alvim Motta Gerente Executiva GERÊNCIA NACIONAL DE MEIO AMBIENTE Crédito Imobiliário 2003 a 2010 75,92 47,05 275.528 MCMV 660.980

Leia mais

Grupo de Trabalho para Mensuração da Sociedade da Informação no Brasil - IBGE

Grupo de Trabalho para Mensuração da Sociedade da Informação no Brasil - IBGE Grupo de Trabalho para Mensuração da Sociedade da Informação no Brasil - IBGE Cuarto Taller Regional sobre la medición de la Sociedad de la Información en América Latina y el Caribe Roberto Neves Sant

Leia mais

TURMA 10 H. CURSO PROFISSIONAL DE: Técnico de Multimédia RELAÇÃO DE ALUNOS

TURMA 10 H. CURSO PROFISSIONAL DE: Técnico de Multimédia RELAÇÃO DE ALUNOS Técnico de Multimédia 10 H 7536 Alberto Filipe Cardoso Pinto 7566 Ana Isabel Lomar Antunes 7567 Andreia Carine Ferreira Quintela 7537 Bruno Manuel Martins Castro 7538 Bruno Miguel Ferreira Bogas 5859 Bruno

Leia mais

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015. Perspectivas da economia / Comprometimento de renda. Novembro/2015. Copyright Boa Vista SCPC 1

Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015. Perspectivas da economia / Comprometimento de renda. Novembro/2015. Copyright Boa Vista SCPC 1 Hábitos de Consumo e Compras Fim de ano e Natal 2015 Perspectivas da economia / Comprometimento de renda Novembro/2015 Copyright Boa Vista SCPC 1 Objetivo, metodologia e amostra o Objetivo: Pesquisa para

Leia mais

Taxa de desocupação foi de 9,3% em janeiro

Taxa de desocupação foi de 9,3% em janeiro Taxa de desocupação foi de 9,3% em janeiro A taxa de desocupação registrada pela Pesquisa Mensal de Emprego do IBGE, nas seis principais Regiões Metropolitanas do país (Recife, Salvador, Belo Horizonte,

Leia mais

Número 24. Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no Brasil

Número 24. Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no Brasil Número 24 Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no 29 de julho de 2009 COMUNICADO DA PRESIDÊNCIA Carga horária de trabalho: evolução e principais mudanças no 2 1. Apresentação Este

Leia mais

Comentários gerais. desta publicação. 5 O âmbito de atividades da pesquisa está descrito com maior detalhamento nas Notas técnicas

Comentários gerais. desta publicação. 5 O âmbito de atividades da pesquisa está descrito com maior detalhamento nas Notas técnicas Comentários gerais Pesquisa Anual de Comércio - PAC investiga a estrutura produtiva do A segmento empresarial do comércio brasileiro, sendo os resultados referentes a 2012 divulgados neste volume. A pesquisa

Leia mais

Panel I - Formación e innovación para la mejora de la productividad y la competitividad. 42ª Reunión de la Comisión Técnica (OIT/Cinterfor)

Panel I - Formación e innovación para la mejora de la productividad y la competitividad. 42ª Reunión de la Comisión Técnica (OIT/Cinterfor) Panel I - Formación e innovación para la mejora de la productividad y la competitividad 42ª Reunión de la Comisión Técnica (OIT/Cinterfor) Principais obstáculos à ampliação da produtividade do trabalho

Leia mais

Escola sede: Escola Secundária de S. Pedro do Sul Alunos Matriculados - 2015/2016

Escola sede: Escola Secundária de S. Pedro do Sul Alunos Matriculados - 2015/2016 13948 5 A 2.º Ciclo do Ensino Básico Ana Gabriela Pedro Fernandes Escola Básica n.º 2 de São Pedro do Sul 13933 5 A 2.º Ciclo do Ensino Básico Ana Júlia Capela Pinto Escola Básica n.º 2 de São Pedro do

Leia mais

SENAI. Historia Criado em 1942, para apoiar o lançamento da indústria brasileira. Necessidade de mão-de-obra qualificada.

SENAI. Historia Criado em 1942, para apoiar o lançamento da indústria brasileira. Necessidade de mão-de-obra qualificada. SENAI Missão Promover a educação profissional e tecnológica, a inovação e a transferência de tecnologias industriais, contribuindo para elevar a competitividade da indústria brasileira. Historia Criado

Leia mais

Os efeitos da valorização do real na indústria brasileira

Os efeitos da valorização do real na indústria brasileira Os efeitos da valorização do real na indústria brasileira !"#"#!$%&"'()* * " + # (, " - --.&"- "/"& 0+- &#"./" - "0 - () " 1 # 2- (, - 34/ % - &5"() #-6 $ 7-" &"'()"" (,8 32- )-" 8 7- & () 98 % ) #- 2-

Leia mais

ANEXO 1 COMPOSIÇÃO DAS SEÇÕES DE ATIVIDADE DA CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS DOMICILIAR 2.0 - CNAE- DOMICILIAR 2.

ANEXO 1 COMPOSIÇÃO DAS SEÇÕES DE ATIVIDADE DA CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS DOMICILIAR 2.0 - CNAE- DOMICILIAR 2. ANEXO 1 COMPOSIÇÃO DAS SEÇÕES DE ATIVIDADE DA CLASSIFICAÇÃO NACIONAL DE ATIVIDADES ECONÔMICAS DOMICILIAR 2.0 - CNAE- DOMICILIAR 2.0 AGRICULTURA, PECUÁRIA, PRODUÇÃO FLORESTAL, PESCA E AQUICULTURA AGRICULTURA,

Leia mais

INVESTIMENTOS ANUNCIADOS PARA O ESPÍRITO SANTO -2010-2015

INVESTIMENTOS ANUNCIADOS PARA O ESPÍRITO SANTO -2010-2015 INVESTIMENTOS ANUNCIADOS PARA O ESPÍRITO SANTO -2010-2015 Ana Paula Vitali Janes Vescovi Abril/2011 VALOR DA CARTEIRA DE PROJETOS DE INVESTIMENTOS ANUNCIADOS PARA O ESPÍRITO SANTO, ACIMA DE R$ 1 MILHÃO,

Leia mais

NOTA TÉCNICA TERCEIRIZAÇÃO

NOTA TÉCNICA TERCEIRIZAÇÃO NOTA TÉCNICA TERCEIRIZAÇÃO Abril de 2015 1 Sumário Executivo O trabalho utiliza a mesma base de dados e metodologia que o elaborado pela CUT/DIEESE, ou seja, agregações de setores terceirizados e contratantes

Leia mais

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - MAIO/2015

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - MAIO/2015 ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA - MAIO/2015 O COMÉRCIO VAREJISTA NO BRASIL A Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) tem

Leia mais

PROJEÇÃO DA POPULAÇÃO DO BRASIL PROJEÇÃO DA POPULAÇÃO DAS UNIDADES DA FEDERAÇÃO POR SEXO E IDADE PARA O PERÍODO 2000/2030

PROJEÇÃO DA POPULAÇÃO DO BRASIL PROJEÇÃO DA POPULAÇÃO DAS UNIDADES DA FEDERAÇÃO POR SEXO E IDADE PARA O PERÍODO 2000/2030 PROJEÇÃO DA POPULAÇÃO DO BRASIL POR SEXO E IDADE PARA O PERÍODO 2000/2060 PROJEÇÃO DA POPULAÇÃO DAS UNIDADES DA FEDERAÇÃO POR SEXO E IDADE PARA O PERÍODO 2000/2030 Agosto de 2013 1 Presidenta da República

Leia mais

Mensal. Produto Interno Bruto. Produto Interno Bruto. Mensal. Metodologia

Mensal. Produto Interno Bruto. Produto Interno Bruto. Mensal. Metodologia Metodologia 1 SEADE Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados Considerações gerais O PIB mensal é um índice de acompanhamento da economia paulista e tem como propósito principal oferecer uma visão

Leia mais

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul

Emprego Industrial em Mato Grosso do Sul Comportamento do emprego formal na Indústria em Mato Grosso do Sul O emprego formal na Indústria sul-mato-grossense encerrou mais um mês com redução liquida de postos de trabalho. Em maio, o conjunto das

Leia mais

RAIS Relação Anual de Informações Sociais do segmento da Arquitetura e Engenharia no ano de 2008

RAIS Relação Anual de Informações Sociais do segmento da Arquitetura e Engenharia no ano de 2008 RAIS Relação Anual de Informações Sociais do segmento da Arquitetura e Engenharia no ano de 2008 São Paulo 2009 Conteúdo 1. ESTOQUE DE PESSOAS NACIONAL COM BASE NA RAIS RELAÇÃO DE INFORMAÇÕES SOCIAIS DO

Leia mais

Gráfico 01: Estados brasileiros - Evolução do emprego formal - primeiro semestre de 2014 Variação relativa (%)

Gráfico 01: Estados brasileiros - Evolução do emprego formal - primeiro semestre de 2014 Variação relativa (%) 1,96 1,96 1,76 1,73 1,54 1,47 1,37 0,92 0,85 0,74 0,50 0,46 0,31 Nº 17 / 14 Embora o cenário macroeconômico aponte perda de dinamismo para setores importantes da economia brasileira, os resultados do emprego

Leia mais

RAIS DO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA 2010

RAIS DO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA 2010 RAIS DO SETOR DA ARQUITETURA E ENGENHARIA CONSULTIVA 2010 São Paulo Agosto de 2011 INTRODUÇÃO As informações constantes na RAIS Relação Anual de Informações Sociais são prestadas anualmente, de caráter

Leia mais

REPRESENTANTES - 5ª CCR

REPRESENTANTES - 5ª CCR REPRESENTANTES - 5ª CCR Unidade Procurador(a) E-mail Telefones 5ªCCR Composição 5ª CCR Denise Vinci Túlio Coordenadora Rodrigo Janot Monteiro de Barros Membro-Titular Valquíria Oliveira Quixadá Nunes Membro-Titular

Leia mais

ENDEREÇOS DAS DIVISÕES DE CONVÊNIOS E GESTÃO ESTADUAIS

ENDEREÇOS DAS DIVISÕES DE CONVÊNIOS E GESTÃO ESTADUAIS ENDEREÇOS DAS DIVISÕES DE CONVÊNIOS E GESTÃO ESTADUAIS AC - Divisão de Convênios do Núcleo Estadual - DICON Rua Antonio da Rocha Viana S/Nº- Vila Ivone Rio Branco - AC - 69.908-560 Telefone : 68 3224-6283

Leia mais

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados

Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados EMPREGO FORMAL São Paulo 2 o trimestre de 2015 Segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), os empregos formais celetistas no Estado de São

Leia mais

Sistema PED. Divulgação dos dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego PED segundo a Classificação CNAE domiciliar versão 2.0.

Sistema PED. Divulgação dos dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego PED segundo a Classificação CNAE domiciliar versão 2.0. Sistema PED Maio 2012 Divulgação dos dados da Pesquisa de Emprego e Desemprego PED segundo a Classificação CNAE domiciliar versão 2.0 SECRETARIA DE PLANEJAMENTO E DESENVOLVIMENTO REGIONAL Governador do

Leia mais

Inter-regional sistem south-rest of Brazil: income generation and regional interdependence

Inter-regional sistem south-rest of Brazil: income generation and regional interdependence MPRA Munich Personal RePEc Archive Inter-regional sistem south-rest of Brazil: income generation and regional interdependence Umberto Antonio Sesso Filho and Joaquim José Martins Guilhoto and Antonio Carlos

Leia mais

LAJES PINTADAS 1 DADOS GERAIS 2 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS

LAJES PINTADAS 1 DADOS GERAIS 2 PERFIL DOS EMPREENDIMENTOS 1 DADOS GERAIS - Data de emancipação: 31/12/1958 - Distância da capital: 128 km - Área: 130 Km 2 - Localização Mesorregião: Agreste Potiguar Microrregião: Borborema Potiguar - População: 4.217 (IBGE/2007)

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Paulo Bernardo Silva INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente Eduardo Pereira Nunes

Leia mais

DIRETORIA DE PESQUISAS - DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC. Nova Série do Produto Interno Bruto dos Municípios referência 2002

DIRETORIA DE PESQUISAS - DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC. Nova Série do Produto Interno Bruto dos Municípios referência 2002 DIRETORIA DE PESQUISAS - DPE COORDENAÇÃO DE CONTAS NACIONAIS CONAC Nova Série do Produto Interno Bruto dos Municípios referência 2002 (versão para informação e comentários) Versão 1 Apresentação O Instituto

Leia mais

Institutos SENAI de Tecnologia e Inovação

Institutos SENAI de Tecnologia e Inovação Institutos SENAI de Tecnologia e Inovação AS INDÚSTRIAS NECESSITAM IN O VAR PARA SEREM MAIS COMPETITIVAS + Educação Tecnologia + Inovação = Competitividade INSTITUTOS SENAI DE TECNOLOGIA (60) MA Construção

Leia mais

informe TÉCNICO Mercado de Trabalho MAIO 2015 Fapespa Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas do Pará

informe TÉCNICO Mercado de Trabalho MAIO 2015 Fapespa Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas do Pará informe TÉCNICO Mercado de Trabalho MAIO 2015 Fapespa GOVERNO DO ESTADO DO PARÁ Simão Robison Oliveira Jatene Governador do Estado do Pará José da Cruz Marinho Vice-Governador do Estado do Pará Fapespa

Leia mais

Técnicos Especializados

Técnicos Especializados Nome da Escola : Data final da candidatura : Disciplina Projeto: Agrupamento de Escolas Alexandre Herculano, Porto Nº Escola : 153000 2015-09-03 Nº Horário : 75 Escola de Referência para a Educação Bilingue

Leia mais

2 - Esta deliberação entra em vigor na data de sua publicação.

2 - Esta deliberação entra em vigor na data de sua publicação. PROCESSO INTERESSADO ASSUNTO CAU/BR PROJETO DE RESOLUÇÃO QUE TRATA DA 1ª REPROGRAMAÇÃO DO PLANO DE AÇÃO E ORÇAMENTO DO CAU/BR - 2016 DELIBERAÇÃO PLENÁRIA DPOBR Nº 0051-06/2016 Aprova o Projeto de Resolução

Leia mais

Ministério da Educação e Ciência

Ministério da Educação e Ciência 14827117ANA CATARINA DA SILVA LOUREIRO 14848155ANA MARGARIDA MIRANDA FERREIRA DA Colocada em 110Universidade do SILVA 920Línguas, Literaturas e Culturas 14853122ANA MARISA DE SOUSA NETO Colocada em 111Universidade

Leia mais

Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008

Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008 Avaliação das Contas Regionais do Piauí 2008 A economia piauiense, em 2008, apresentou expansão em volume do Produto Interno Bruto (PIB) de 8,8% em relação ao ano anterior. Foi a maior taxa de crescimento

Leia mais

EMPRESÁRIOS DA INDÚSTRIA, CONSTRUÇÃO, COMÉRCIO E SERVIÇOS NO BRASIL (2002-2012)

EMPRESÁRIOS DA INDÚSTRIA, CONSTRUÇÃO, COMÉRCIO E SERVIÇOS NO BRASIL (2002-2012) DA INDÚSTRIA, CONSTRUÇÃO, COMÉRCIO E SERVIÇOS NO BRASIL (2002-2012) EMPRESÁRIOS DA INDÚSTRIA, CONSTRUÇÃO, COMÉRCIO E SERVIÇOS NO BRASIL (2002-2012) Março/2014 Estudos e Pesquisas 1 SEBRAE 2 Estudos e Pesquisas

Leia mais

março de 2014 Fundação Perseu Abramo - Partido dos Trabalhadores A DINÂMICA RECENTE DO MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO: O EMPREGO

março de 2014 Fundação Perseu Abramo - Partido dos Trabalhadores A DINÂMICA RECENTE DO MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO: O EMPREGO 12 março de 2014 Fundação Perseu Abramo - Partido dos Trabalhadores A DINÂMICA RECENTE DO MERCADO DE TRABALHO BRASILEIRO: O EMPREGO Expediente Esta é uma publicação da Fundação Perseu Abramo. Diretoria

Leia mais

Acesso à Internet e Posse de Telefone Móvel Celular para Uso Pessoal

Acesso à Internet e Posse de Telefone Móvel Celular para Uso Pessoal Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Instituto eiro de Geografia e Estatística - IBGE Diretoria de Pesquisas Coordenação de Trabalho e Rendimento Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Acesso

Leia mais

V Pedreiros e Vendedores. 1 Introdução

V Pedreiros e Vendedores. 1 Introdução V Pedreiros e Vendedores 1 Introdução No contexto da análise dos trabalhadores por conta própria, tendo em vista a destacada participação nos grupamentos de atividades da construção (17,4%) e do comércio

Leia mais

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará

Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais. 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará IPECE Informe nº 38 Perfil Municipal de Fortaleza Tema V: Aspectos Educacionais 23 de Agosto/2012 Fortaleza - Ceará 1. INTRODUÇÃO O Neste documento serão analisados os aspectos educacionais da capital

Leia mais

Pesquisas de Orçamentos Familiares POF:

Pesquisas de Orçamentos Familiares POF: Número 107 Fevereiro de 2012 Pesquisas de Orçamentos Familiares POF: A necessária atualização e as mudanças de pesos em um índice de preços Pesquisas de Orçamentos Familiares - POF: a necessária atualização

Leia mais

Lista de Contactos do Departamento de Engenharia Informática

Lista de Contactos do Departamento de Engenharia Informática Lista de Contactos do Departamento de Engenharia Informática Gabinete/Cargo Nome Extensão E-mail Diretor Luiz Felipe Rocha de Faria 1450 lef@isep.ipp.pt Sub-diretor(es) António Constantino Lopes 1462 acm@isep.ipp.pt

Leia mais

Perfil Municipal de Fortaleza. Tema X: A Dinâmica das Classes Sociais na Última Década. Edição Especial. Nº 45 Novembro 2012

Perfil Municipal de Fortaleza. Tema X: A Dinâmica das Classes Sociais na Última Década. Edição Especial. Nº 45 Novembro 2012 Nº 45 Novembro 2012 Edição Especial Perfil Municipal de Fortaleza Tema X: A Dinâmica das Classes Sociais na Última Década 4 1 GOVERNO DO ESTADO DO CEARÁ Cid Ferreira Gomes Governador Domingos Gomes de

Leia mais

População residente, por situação do domicílio Brasil, 2000 Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2000 Resultados do Universo

População residente, por situação do domicílio Brasil, 2000 Fonte: IBGE, Censo Demográfico 2000 Resultados do Universo Material elaborado pelo Ético Sistema de Ensino Ensino fundamental Publicado em 2012 Prova bimestral 3o Bimestre 5o ano Geografia Data: / / Nível: Escola: Nome: 1. Leia os dados e o gráfico do censo do

Leia mais

ESCOLA E.B. 2,3 DE LAMAÇÃES 2013-2014

ESCOLA E.B. 2,3 DE LAMAÇÃES 2013-2014 5º1 1 ANA CATARINA R FREITAS SIM 2 BEATRIZ SOARES RIBEIRO SIM 3 DIOGO ANTÓNIO A PEREIRA SIM 4 MÁRCIO RAFAEL R SANTOS SIM 5 MARCO ANTÓNIO B OLIVEIRA SIM 6 NÁDIA ARAÚJO GONÇALVES SIM 7 SUNNY KATHARINA G

Leia mais

AGETRAB Agencia de Trabalho, Educação Profissional e Renda Setembro-2015

AGETRAB Agencia de Trabalho, Educação Profissional e Renda Setembro-2015 Análise Emprego Formal Macaé AGETRAB Agencia de Trabalho, Educação Profissional e Renda Setembro-2015 Os números do mês de agosto - Macaé De acordo com os dados do CAGED em setembro de 2015, foram suprimidos

Leia mais

Escola Secundária de S. Pedro do Sul (AESPS)

Escola Secundária de S. Pedro do Sul (AESPS) Sala B5 KFS ALEXANDRE DE ALMEIDA SILVA ALEXANDRE HENRIQUE DA ROCHA OLIVEIRA ALEXANDRE MIGUEL DE ALMEIDA PEREIRA ALEXANDRE SILVA FIGUEIREDO ANA CATARINA GOMES MOREIRA ANA CATARINA MARQUES GOMES ANA MARGARIDA

Leia mais

Relatório de Resultado por Curso 3,00 54,00 56,00 60,00 70,00 58,00 9,00 10,00 11,00 12,00 21,00

Relatório de Resultado por Curso 3,00 54,00 56,00 60,00 70,00 58,00 9,00 10,00 11,00 12,00 21,00 Av. Professor Mário Werneck, 25 Buritis 3050 Belo Horizonte/MG 1º Vestibular e Exame de Seleção de 15 do IFMG Campus Santa Luzia Bacharelado em Arquitetura e Urbanismo 54 139 13 5423 3 57 191 117 2 2 172

Leia mais

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva Ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão Paulo Bernardo Silva INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA - IBGE Presidente Eduardo Pereira Nunes

Leia mais

Região Zona da Mata. Regional Agosto 2013

Região Zona da Mata. Regional Agosto 2013 O mapa mostra a divisão do estado de Minas Gerais para fins de planejamento. A região de planejamento Zona da Mata engloba a Fiemg Regional Zona da Mata. Região Zona da Mata GLOSSÁRIO Setores que fazem

Leia mais

DESPACHO DIGES 1066 DESPACHO

DESPACHO DIGES 1066 DESPACHO 1 de 5 11/06/2015 18:57 TRIBUNAL REGIONAL FEDERAL DA 1ª REGIÃO DESPACHO DIGES 1066 DESPACHO PROCESSO SELETIVO PARA CONCESSÃO DE BOLSA DE ESTUDOS PARA CURSOS DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO E STRICTO SENSU RESULTADO

Leia mais

I - CURSOS DO CENTRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA (CCT/UENF)

I - CURSOS DO CENTRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA (CCT/UENF) I - CURSOS DO CENTRO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA (CCT/UENF) 0730087434 JEAN TAVARES PINTO 0730117621 SÉRGIO HERMAN BASTOS LIMA 0730324673 LARISSA DILLEM VIEIRA 0730364301 LUIZA ARTILLES DE ABREU ÁVILA 0730064510

Leia mais

Contas Regionais do Brasil 2010

Contas Regionais do Brasil 2010 Diretoria de Pesquisas Contas Regionais do Brasil 2010 Coordenação de Contas Nacionais frederico.cunha@ibge.gov.br alessandra.poca@ibge.gov.br Rio, 23/11/2012 Contas Regionais do Brasil Projeto de Contas

Leia mais

RESULTADOS. Nome Global ( /100) PT1840719 ADÃO AZEVEDO MALHEIRO MATOS BARBOSA 94 B1 PT1840720 ADRIANA MORAIS SOUSA 52 A1

RESULTADOS. Nome Global ( /100) PT1840719 ADÃO AZEVEDO MALHEIRO MATOS BARBOSA 94 B1 PT1840720 ADRIANA MORAIS SOUSA 52 A1 PT1840719 ADÃO AZEVEDO MALHEIRO MATOS BARBOSA 94 B1 PT1840720 ADRIANA MORAIS SOUSA 52 A1 PT1840721 ADRIANA XAVIER DA SILVA FERNANDES 38 Pré-A1 PT1840722 ALEXANDRA FILIPA AZEVEDO SANTOS 52 A1 PT1840723

Leia mais

N : PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA. Entrevistador: Nome do entrevistado: (xx)xxxxxxxx. Endereço: Cidade: Situação do domicílio: 1.Urbano 2.

N : PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA. Entrevistador: Nome do entrevistado: (xx)xxxxxxxx. Endereço: Cidade: Situação do domicílio: 1.Urbano 2. Entrevistador: Nome do entrevistado: Telefone: (xx)xxxxxxxx N : Endereço: Cidade: Situação do domicílio: 1.Urbano 2.Rural Estado: AC AP DF MA MT PE RJ RR SE AL BA ES MG PA PI RN RS SP AM CE GO MS PB PR

Leia mais

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA FEV/2015

ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA FEV/2015 ANÁLISE DO VOLUME DE VENDAS DO COMÉRCIO VAREJISTA FEV/015 O COMÉRCIO VAREJISTA NO BRASIL APRESENTA RETRAÇÃO NAS VENDAS EM FEVEREIRO A Pesquisa Mensal de Comércio (PMC) realizada pelo Instituto Brasileiro

Leia mais

SÍNTESE DE INDICADORES SOCIAIS

SÍNTESE DE INDICADORES SOCIAIS ESTUDOS & pesquisas INFORMAÇÃO DEMOGRÁFICA E SOCIoeconômica 5 SÍNTESE DE INDICADORES SOCIAIS 2000 IBGE Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística Presidente da República Fernando Henrique Cardoso

Leia mais

AMIGOS DO PROJECTO. Ler é sonhar pela mão de outrem. Fernando Pessoa, Livro do Desassossego

AMIGOS DO PROJECTO. Ler é sonhar pela mão de outrem. Fernando Pessoa, Livro do Desassossego Ler é sonhar pela mão de outrem. Fernando Pessoa, Livro do Desassossego AMIGOS DO PROJECTO O projecto Ler Mais e Escrever Melhor nasceu a 17 de Julho de 2008. Encontra-se numa fase de vida a infância que

Leia mais