Introdução ao MVNO. MVNO no mundo. MVNO no Brasil. Modelo de MVNO da ECT. Expectativas

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Introdução ao MVNO. MVNO no mundo. MVNO no Brasil. Modelo de MVNO da ECT. Expectativas"

Transcrição

1 1

2 Introdução ao MVNO 1 MVNO no mundo MVNO no Brasil 3 2 Modelo de MVNO da ECT 4 Expectativas 5 3

3 INTRODUÇÃO AO MVNO 4

4 Mobile Network Operator MNO Mobile Network Virtual Enabler MVNE Mobile Network Virtual Operator MVNO 5

5 São as empresas que possuem toda a cadeia desde a rede de acesso até a operação de venda ao usuário final 6

6 Brand Resseler 1 2 Service Provider Enhanced Service Provider 3 4 Full MVNO 7

7 Comparação entre os Modelos de MVNO 8

8 MVNO DE MVNOs Utiliza sua rede e seu contrato com a MNO para prover acesso a outros MVNOs Também é conhecido como Mobile Virtual Network Aggregator MVNA (nome mais utilizado para se referenciar à operação de integração de vendas entre MVNOs) MVNO 4 MVNE MVNO 1 MVNO 3 MVNO 2 9

9 MVNO no Mundo 10

10 Alemanha EUA Reino Unido Holanda França Australia 5 43 Brasil Fonte: GSMA Intelligence 11

11 MERCADO Maior mercado de MVNO do mundo Grande quantidade de Brand Resselers e Service Providers Os principais mercados-alvo são o financeiro e o de produtos ditos No-Frill A maior empresa MVNO alemã é a Freenet (Mobilcom Debitel), que trabalha com a revenda de voz e dados de todas as três grandes operadoras alemãs Fonte: 12

12 MERCADO Mercado considerado pequeno frente ao mercado de comunicação sem fio em geral Os principais nichos de mercado são: grupos religiosos, cafeterias, e empresas Pesquisas apontam previsão de aumento desse mercado Fonte: 13

13 MERCADO Possuem market share pequeno se comparado com outros países da Europa Focado, principalmente, na disponibilização de dados Virgin Mobile, Tesco Mobile, Lebara e Lycamobile são os principais players desse nicho de marcado 14

14 15

15 LGT RRV-SMP RSMP Lei Geral das Telecomunicações Regulamento sobre Exploração de SMP por meio de Rede Virtual Regulamento do Serviço Móvel Pessoal - SMP 16

16 REPRESENTAÇÃO DE SMP POR CREDENCIADO REPRESENTAÇÃO DE SMP POR AUTORIZADA DE REDE VIRTUAL Modelos de Prestação 17

17 Credenciado Autorizado Representante da prestadora Origem Contrato de representação Não pode deter contrato com mais de uma prestadora origem por AR Se utiliza da rede da prestadora origem Recursos de Numeração são os da prestadora origem 18

18 Credenciado Autorizado Interconexão deve ser feita entre a prestadora origem e as demais operadoras Os planos de serviço são os da prestadora origem Utiliza os acordos de Roaming da prestadora origem Utiliza os acordos de uso de Radiofrequências da prestadora origem 19

19 Credenciado Autorizado Autorizada do SMP (aplica-se a ela o Reg. SMP) Autorização de SMP de rede virtual + Contrato de Compartilhamento de Rede Pode deter contrato com mais de uma prestadora origem por AR Compartilha parte da rede da prestadora origem Recursos de Numeração próprios 20

20 OBRIGAÇÕES DEVERES PRESTADORA ORIGEM CREDENCIADO Manter cadastro atualizado de seus credenciados junto à Anatel Cumprir as condições acordadas Comunicar os usuários do credenciado de eventual rescisão Manter cadastro dos usuários do credenciado Assegurar o cadastro dos usuários tanto do ponto de vista de segurança quanto combate à fraude Encaminhar à Anatel relatórios relativo aos credenciados Permitir interceptação legal Coibir práticas destoantes ao regulamento Informar aos credenciados as futuras alterações na rede Ceder a base de usuários do credenciado em caso de migração Manter as condições para o encaminhamento de camadas dos usuários do credenciado Sempre que solicitado pela Anatel, deve fornecer, toda e qualquer informação requisitada, inclusive no tocante à prestação conjunta do Serviço e à relação com a Prestadora Origem. Deve fazer constar em seu contrato com o usuário o nome da prestadora origem, além do seu próprio 24

21 OBRIGAÇÕES DEVERES PRESTADORA ORIGEM AUTORIZADO Cumprir as condições acordadas no contrato Coibir práticas destoantes ao regulamento Licenciar as estações base Todas as obrigações decorrentes do Reg. do SMP Cumprir as metas de qualidade Reestabelecer a prestação do serviço caso o inadimplente efetue o pagamento de sua conta Elaborar balanço e demonstrações financeiras ao final de cada exercício Utilizar apenas equipamentos certificados Permitir interceptação legal Licenciar as estações móveis 25

22 Iniciar a Prestação do serviço Elaborar Modelo de Negócio Buscar prestadora para parceria Homologar Contrato junto à Anatel

23 Qualquer alteração no contrato homologado deve ser informada à Anatel em até 5 (cinco) dias úteis Iniciar a Prestação do serviço Elaborar Modelo de Negócio 01 Buscar prestadora para parceria 02 Homologar Contrato junto à Anatel Contrato (Anexo I do regulamento) deve ser submetido à Anatel em até 30 dias após sua celebração 04 27

24 1. Elaborar Modelo de Negócio 2. Buscar Prestadora(s) para parceria 4. Assinar o Termo de Autorização junto à Anatel 3. Juntar a documentação necessária e apresentar à Anatel 5. Iniciar a Prestação do serviço 28

25 Habilitação jurídica (art. 42, inciso I, alíneas a e b do RRV- SMP) Qualificação técnica (art. 42, inciso II, alíneas a, b e c do RRV-SMP) Qualificação econômico-financeira (art. 42, inciso III, alínea a do RRV-SMP) Regularidade fiscal (art. 42, inciso IV, alíneas a, b, c, e e do RRV-SMP) Contrato de compartilhamento de uso de rede com Prestadora Origem (art. 42, inciso V e Capítulo IV do RRV-SMP) 29

26 REPRESENTAÇÃO DE SMP POR CREDENCIADO REPRESENTAÇÃO DE SMP POR AUTORIZADA DE REDE VIRTUAL Estações Móveis Realizado pela Prestadora Origem Realizado pela Autorizada de Rede Virtual Estações Fixas Realizado pela Prestadora Origem Realizado pela Prestadora Origem 31

27 Primeira operadora móvel virtual a entrar em operação no Brasil A maior em market share Iniciou operação com prestação de serviços machine-to-machine (M2M) Já oferta pacotes de voz e dados Possui 368,3 mil acessos Utiliza a rede da Tim Celular S.A. Segunda empresa a entrar em operação Segunda em market share Especializada em serviços M2M de medição industrial, segurança patrimonial para smart meter, rastreamento de veículos, telemetria, entre outros Em 2013 passou a se chamar Vodafone Brasil Utiliza a rede da Tim Celular S.A. 33

28 Terapar Pertencente ao Grupo Telco Oferece conexões M2M focadas nas aplicações de telemetria, rastreamento e meios de pagamento Terceira em market share Utiliza a rede da Algar Celular S.A. Autorizada a atuar como Credenciado em janeiro de 2015 Presta serviços para clientes finais e também para empresas que queiram abrir suas próprias MVNOs Prestadora origem escolhida pela ECT para o seu MVNO credenciado Utiliza a rede da Tim Celular S.A. 34

29 PARCERIA ENTRE ECT E SURF TELECOM. 35

30 A ECT atuará, inicialmente, como credenciada da EUTV S.A. (Surf Telecom), embasada no Art. 53 do RRV-SMP: Art. 53. Na mesma região geográfica onde for Autorizada de Rede Virtual, esta apenas pode ser Prestadora Origem de Credenciados, não podendo ser Prestadora Origem de outras Autorizadas de Rede Virtual. Os Correios buscarão, em sua proposta para o novo negócio, atender nichos ainda não supridos pelas atuais operadoras, além de procurar oferecer serviços de valor agregado diferenciados aos seus clientes Informações disponíveis em: 36

31 Valores mínimos que seriam aceitos pelos Correios: R$ 4,00 por cada SIM Card vendido; 7,5% de comissão pela recarga realizada na rede de atendimento dos Correios; e 2,5% de comissão pelas recargas realizadas na rede da prestadora SMP parceira. Valores ofertados pela EUTV: Chip pré-pago vendido : R$ 4,50 para cada chip pré-pago vendido, 9% para recarga na rede de atendimento dos Correios, e 2,6% de comissão pelas de recargas na rede da parceira. 37

32 EXPECTATIVAS QUANTO AO MVNO DOS CORREIOS 38

33 TICs e Desenvolvimento do Brasil O brasil ocupa a 122ª posição em promoção de TICs pelo governo O brasil ocupa 121ª posição em importância das TICs na visão de futuro do governo Setor de telecomunicações possibilita ao Brasil obter os necessários ganhos de produtividade para a retomada do crescimento de forma duradoura e sustentável Mais acessos e soluções completas com TICs reduzem desigualdades e aceleram o crescimento econômico. Fonte: LCA Consultores 39

34 Crescimento da Penetração até 2020 Fonte: GSMA 40

35 Fonte: GSMA 41

36 Papel do Governo e das Operadoras na inclusão digital Fonte: GSMA 42

37 Banda Larga x Crescimento do PIB Fonte: WICT

38 Banda Larga x Geração de Empregos Fonte: WICT

39 Obrigado! Vitor Elisio Goes Menezes Superintendente de Outorga e Recursos à Prestação Agência Nacional de Telecomunicações 45

- Novo RUE: Resolução nº 671/2016 (DOU 07/11/16) Facilidade de acesso ao espectro: maior ocupação do espectro e aumento do número de prestadoras

- Novo RUE: Resolução nº 671/2016 (DOU 07/11/16) Facilidade de acesso ao espectro: maior ocupação do espectro e aumento do número de prestadoras 1 - Novo RUE: Resolução nº 671/2016 (DOU 07/11/16) Facilidade de acesso ao espectro: maior ocupação do espectro e aumento do número de prestadoras Simplificação do pedido de autorização de uso de RF (documentação)

Leia mais

Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. MVNO Correios. Correios Celular

Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos. MVNO Correios. Correios Celular Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos MVNO Correios Correios Celular Correios in Company - Novembro de 2016 Marca Forte Por que MVNO nos Correios? Aproveitamento da rede de atendimento presencial

Leia mais

Correios In Company - 4ª Edição

Correios In Company - 4ª Edição Correios In Company - 4ª Edição ainel 1 Tecnologias de Suporte: Operação Virtual de Telefonia Móvel - Mercado e Serviços Brasília, Novembro, 2016 Visão geral do setor de telefonia móvel O mercado de telefonia

Leia mais

Serviços Móveis ao Alcance dos Provedores Regionais. Revolução MVNE

Serviços Móveis ao Alcance dos Provedores Regionais. Revolução MVNE Serviços Móveis ao Alcance dos Provedores Regionais Revolução MVNE QUEM SOMOS Nascemos como uma resposta aos milhões de clientes que trocam de operadora anualmente à procura de melhores serviços, preços

Leia mais

Exploração de SMP por meio de Rede Virtual Credenciado & Autorizado. MVNO (Mobile Virtual Network Operator) Consulta Pública nº 50/2009

Exploração de SMP por meio de Rede Virtual Credenciado & Autorizado. MVNO (Mobile Virtual Network Operator) Consulta Pública nº 50/2009 Exploração de SMP por meio de Rede Virtual Credenciado & Autorizado MVNO (Mobile Virtual Network Operator) Consulta Pública nº 50/2009 março de 2010 Agenda Preâmbulo Conceitos Internacionais Princípios

Leia mais

Trabalho de Visão Geral de Telecomunicações, Radiodifusão e OTTs

Trabalho de Visão Geral de Telecomunicações, Radiodifusão e OTTs MBA em Serviços de Telecomunicações Trabalho de Visão Geral de Telecomunicações, Radiodifusão e OTTs Alexandre Maciel Diogo Escola Josemir Silva Julio Pina Jéssica Callegaro Marcel Almeida Marco Assanuma

Leia mais

MARCO REGULATÓRIO DA TELEFONIA EDUARDO LEVY AUDIÊNCIA PÚBLICA - CÂMARA DOS DEPUTADOS

MARCO REGULATÓRIO DA TELEFONIA EDUARDO LEVY AUDIÊNCIA PÚBLICA - CÂMARA DOS DEPUTADOS MARCO REGULATÓRIO DA TELEFONIA AUDIÊNCIA PÚBLICA - CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE DESENVOLVIMENTO URBANO COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO Brasília, 10 de dezembro de 2013 EDUARDO

Leia mais

I Forum Lusófono de Comunicações. Painel III A Regulação do Mercado de Telecomunicações Lusófonas

I Forum Lusófono de Comunicações. Painel III A Regulação do Mercado de Telecomunicações Lusófonas I Forum Lusófono de Comunicações Painel III A Regulação do Mercado de Telecomunicações Lusófonas Experiências Brasileiras de Sucesso na Regulação Nelson Mitsuo Takayanagi ANATEL 30 de abril de 2010 Experiências

Leia mais

Faixa de utilização, por minuto 100 a a a acima de CRITÉRIOS DE TARIFAÇÃO DOS MINUTOS

Faixa de utilização, por minuto 100 a a a acima de CRITÉRIOS DE TARIFAÇÃO DOS MINUTOS Adesão Mensalidade ANEXO I PLANO ALTERNATIVO DE LONGA DISTÂNCIA INTERNACIONAL MEUS PAÍSES Isento isento Utilização Valores Autorizados Valores praticados GRUPO DE TARIFAÇÃO GRUPO DE PAÍSES Qualquer dia

Leia mais

AGENDA: Panorama da internet no mundo. Panorama da internet no Brasil. Aplicações da internet no Brasil e no mundo. Mercados

AGENDA: Panorama da internet no mundo. Panorama da internet no Brasil. Aplicações da internet no Brasil e no mundo. Mercados 1 AGENDA: Panorama da internet no mundo Panorama da internet no Brasil Aplicações da internet no Brasil e no mundo Mercados O que a Anatel está fazendo por você? O que está por vir? 2 Panorama da internet

Leia mais

Resolução nº 550, de 22 de novembro de 2010

Resolução nº 550, de 22 de novembro de 2010 Resolução nº 550, de 22 de novembro de 2010 Aprova o Regulamento sobre Exploração de Serviço Móvel Pessoal SMP por meio de Rede Virtual (RRV- SMP). Observação: Este texto não substitui o publicado no DOU

Leia mais

- ORLE - SOR - ANATEL

- ORLE - SOR - ANATEL S e r v i ç o d e C o m u n i c a ç ã o M u l t i m í d i a - S C M Carlos Evangelista Gerência de Outorga e Licenciamento de Estações - ORLE Superintendência de Outorga e Recursos à Prestação - SOR Agência

Leia mais

NOVO MARCO LEGAL DAS TELECOMUNICAÇÕES

NOVO MARCO LEGAL DAS TELECOMUNICAÇÕES NOVO MARCO LEGAL DAS TELECOMUNICAÇÕES SÃO PAULO, 21 DE JULHO DE 2017 FIESP LGT 20 ANOS EDUARDO LEVY A Federação Brasileira de Telecomunicações é composta por 8 sindicatos, representando toda a cadeia dos

Leia mais

A ANATEL E O WIMAX Redes comunitárias e redes competitivas

A ANATEL E O WIMAX Redes comunitárias e redes competitivas A ANATEL E O WIMAX Redes comunitárias e redes competitivas PORTO ALEGRE WIRELESS Eduardo Ramires 1 Abordagem As novas tecnologias de acesso sem fio à INTERNET. Regulação da Internet e redes municipais

Leia mais

SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES AUDIÊNCIA PÚBLICA CÂMARA DOS DEPUTADOS EDUARDO LEVY BRASÍLIA, 09 DE ABRIL DE 2013

SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES AUDIÊNCIA PÚBLICA CÂMARA DOS DEPUTADOS EDUARDO LEVY BRASÍLIA, 09 DE ABRIL DE 2013 SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES AUDIÊNCIA PÚBLICA CÂMARA DOS DEPUTADOS EDUARDO LEVY BRASÍLIA, 09 DE ABRIL DE 2013 crescimento do setor de telecomunicações está acelerado 8% 10% telefonia móvel banda larga

Leia mais

Paulo Cesar Teixeira. VP Executivo de Operações COO 23/03/2010

Paulo Cesar Teixeira. VP Executivo de Operações COO 23/03/2010 Paulo Cesar Teixeira VP Executivo de Operações COO 23/03/2010 1. O Brasil 2. A Vivo 3. Soluções Móveis 2 4. Programa Soluções de Mobilidade 3 O BRASIL O crescimento do setor de telefonia móvel no Brasil

Leia mais

Telecomunicações no Brasil Oportunidades, Avanços e Desafios para o Novo Governo

Telecomunicações no Brasil Oportunidades, Avanços e Desafios para o Novo Governo Humberto Pontes Chefe da Assessoria Técnica - Anatel Junho/2019 Telecomunicações no Brasil Oportunidades, Avanços e Desafios para o Novo Governo Agenda 1 2 3 4 5 Anatel Panorama Setorial Desafios do Setor

Leia mais

IMPLANTAÇÃO DA TECNOLOGIA 4G NO BRASIL XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES

IMPLANTAÇÃO DA TECNOLOGIA 4G NO BRASIL XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES IMPLANTAÇÃO DA TECNOLOGIA 4G NO BRASIL XIV SEMINÁRIO NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES SÉRGIO KERN CURITIBA, 15 A 17 DE OUTUBRO DE 2013 crescimento do setor de telecomunicações está acelerado 8% 10% telefonia

Leia mais

Painel Telebrasil Novo modelo: Migração para autorizações e Novas regras para o espectro

Painel Telebrasil Novo modelo: Migração para autorizações e Novas regras para o espectro Painel Telebrasil 2017 Novo modelo: Migração para autorizações e Novas regras para o espectro Setembro/2017 Fonte: Smart Insights Demanda e Investimentos Fonte: The Boston Consulting Group, com adaptações.

Leia mais

Políticas de incentivo a provedores regionais

Políticas de incentivo a provedores regionais 14º Encontro Provedores Regionais Políticas de incentivo a provedores regionais Montes Claros, julho de 2015 Evolução da penetração do acesso domiciliar à Internet Fonte: IBGE, PNAD Acessos fixos e móveis

Leia mais

Cidadãos Inteligentes

Cidadãos Inteligentes Cidadãos Inteligentes Senador Walter Pinheiro Março/2015 Agenda O panorama brasileiro Oportunidades Smart People 2002 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 Panorama 8.00 6.00 4.00

Leia mais

NOVA POLÍTICA PÚBLICA DE TELECOMUNICAÇÕES. Secretaria de Telecomunicações

NOVA POLÍTICA PÚBLICA DE TELECOMUNICAÇÕES. Secretaria de Telecomunicações NOVA POLÍTICA PÚBLICA DE TELECOMUNICAÇÕES Secretaria de Telecomunicações PANORAMA STFC Declínio no interesse Fim das concessões Bens reversíveis Convergência tecnológica SMP e SCM: interesse e expansão

Leia mais

Edital de Licitação das Faixas de 450 MHz e de 2,5 GHz Proposta. Brasília/DF Janeiro/2012

Edital de Licitação das Faixas de 450 MHz e de 2,5 GHz Proposta. Brasília/DF Janeiro/2012 Edital de Licitação das Faixas de 450 MHz e de 2,5 GHz Proposta Brasília/DF Janeiro/2012 Aspectos gerais Implementação do Decreto 7.512, de 30 de junho de 2011 Art. 3º A ANATEL deverá, para fins de ampliação

Leia mais

MVNE: OPERADORA VIRTUAL:

MVNE: OPERADORA VIRTUAL: APRESENTAÇÃO Dada a disponibilidade de espectro, que após o leilão da banda H e das sobras de frequências 3G, o maior interesse das operadoras é de ter parcerias com MVNOs autorizadas, que arquem com parte

Leia mais

1) O que a Anatel tem feito para coibir a prática abusiva de preços como a denunciada acima?

1) O que a Anatel tem feito para coibir a prática abusiva de preços como a denunciada acima? 1) O que a Anatel tem feito para coibir a prática abusiva de preços como a denunciada acima? A Lei Geral de Telecomunicações LGT, Lei 9.472, de 16 de julho de 1997, prevê dois regimes jurídicos de prestação

Leia mais

700 MHZ EDUARDO LEVY SÃO PAULO, 21 DE AGOSTO DE 2013 CONVIVÊNCIA DA TV E DA BANDA LARGA CONGRESSO DA SET - SOCIEDADE DE ENGENHARIA DE TELEVISÃO

700 MHZ EDUARDO LEVY SÃO PAULO, 21 DE AGOSTO DE 2013 CONVIVÊNCIA DA TV E DA BANDA LARGA CONGRESSO DA SET - SOCIEDADE DE ENGENHARIA DE TELEVISÃO 700 MHZ CONVIVÊNCIA DA TV E DA BANDA LARGA CONGRESSO DA SET - SOCIEDADE DE ENGENHARIA DE TELEVISÃO EDUARDO LEVY SÃO PAULO, 21 DE AGOSTO DE 2013 crescimento do setor de telecomunicações está acelerado 8%

Leia mais

CONSULTA PÚBLICA Nº 50

CONSULTA PÚBLICA Nº 50 1 de 36 28/12/2009 16:38 Imprimir CONSULTA PÚBLICA Nº 50 Art. 1º REGULAMENTO SOBRE EXPLORAÇÃO DE SERVIÇO MÓVEL PESSOAL SMP POR MEIO DE REDE VIRTUAL (RRV-SMP) TÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS CAPÍTULO I

Leia mais

Compartilhamento de Frequência e Qualidade

Compartilhamento de Frequência e Qualidade TIM BRASIL Brasília, 06 de Dezembro de 2016 Regulatory, Institutional and Press Relations Compartilhamento de Frequência e Qualidade Carlos Eduardo Siqueira Por que o RAN Sharing é relevante? Cenário Macroeconômico

Leia mais

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL BRASÍLIA, 08 DE OUTUBRO DE elaborado pela

PREÇOS DOS SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL BRASÍLIA, 08 DE OUTUBRO DE elaborado pela PREÇOS DOS SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES NO BRASIL BRASÍLIA, 08 DE OUTUBRO DE 2014 elaborado pela Todo ano a UIT divulga relatório com os preços dos serviços de telecomunicações De acordo com o último relatório

Leia mais

Painel 2: Visão de futuro. E as reivindicações atuais?

Painel 2: Visão de futuro. E as reivindicações atuais? 52º ENCONTRO TELE.SÍNTESE O Bem Escasso: o que deve mudar na ocupação e nos limites do espectro? Painel 2: Visão de futuro. E as reivindicações atuais? VITOR ELÍSIO GÓES DE OLIVEIRA MENEZES Superintendente

Leia mais

Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado. Brasília-DF, 14 de Maio de 2015

Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado. Brasília-DF, 14 de Maio de 2015 Sistema de Negociação de Ofertas de Atacado Brasília-DF, 14 de Maio de 2015 1 2 3 4 5 6 7 Abertura O PGMC A ESOA Credenciamento Produtos SOIA FAQ e Treinamento 2 1 2 3 4 5 6 7 Abertura O PGMC A ESOA Credenciamento

Leia mais

60º PAINEL TELEBRASIL

60º PAINEL TELEBRASIL 60º PAINEL TELEBRASIL Painel: Os novos desafios ao mercado de satélite ANATEL Considerações Iniciais Número de autorizações para provimento de capacidade espacial: 34 satélites geoestacionários estrangeiros

Leia mais

Agosto/2018. Desafios de Infraestrutura de telecomunicações no Brasil: Aspectos Regulatórios

Agosto/2018. Desafios de Infraestrutura de telecomunicações no Brasil: Aspectos Regulatórios Agosto/2018 Desafios de Infraestrutura de telecomunicações no Brasil: Aspectos Regulatórios Crescimento Exponencial de Serviços e Tráfego de dados Demanda exponencial de Tráfego Necessidade de mais capacidade

Leia mais

WORKSHOP FIESP LGT: 20 ANOS. Novo Marco Legal das Telecomunicações

WORKSHOP FIESP LGT: 20 ANOS. Novo Marco Legal das Telecomunicações WORKSHOP FIESP LGT: 20 ANOS Novo Marco Legal das Telecomunicações Julho/2017 Fonte: Smart Insights Demanda e Investimentos Fonte: The Boston Consulting Group, com adaptações. No Ecossistema Digital Visão

Leia mais

Edital de Licitação de Autorização de Uso de RF nas faixas de MHz, MHz, MHz

Edital de Licitação de Autorização de Uso de RF nas faixas de MHz, MHz, MHz Edital de Licitação de Autorização de Uso de RF nas faixas de 1.800 MHz, 1.900 MHz, 2.500 MHz Novembro/2015 Política Pública e Diretrizes Gerais Portaria nº 275, de 17 de setembro de 2013, do Ministério

Leia mais

AJUSTES REGULATÓRIOS PARA O DESENVOLVIMENTO DA INTERNET DAS COISAS (IOT)

AJUSTES REGULATÓRIOS PARA O DESENVOLVIMENTO DA INTERNET DAS COISAS (IOT) AJUSTES REGULATÓRIOS PARA O DESENVOLVIMENTO DA INTERNET DAS COISAS (IOT) Agência Nacional de Telecomunicações Superintendência de Planejamento e Regulamentação Setembro de 2017 Evolução de Acessos IoT/M2M:

Leia mais

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Serviço Móvel Pessoal Pré-Pago (Celular Pré-pago)

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Serviço Móvel Pessoal Pré-Pago (Celular Pré-pago) O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Serviço Móvel Pessoal Pré-Pago (Celular Pré-pago) Documento preparado por solicitação da TELEBRASIL & FEBRATEL

Leia mais

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Banda Larga Móvel

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Banda Larga Móvel O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Banda Larga Móvel Documento preparado por solicitação da TELEBRASIL & FEBRATEL São Paulo, Outubro

Leia mais

Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática 08 de outubro de 2013

Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática 08 de outubro de 2013 Marco Regulatório Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática 08 de outubro de 2013 Panorama do Setor Em 1997, na corrida pelo usuário, a telefonia fixa era o destaque

Leia mais

DESAFIOS REGULATÓRIOS PARA O DESENVOLVIMENTO DA INTERNET DAS COISAS (IOT)

DESAFIOS REGULATÓRIOS PARA O DESENVOLVIMENTO DA INTERNET DAS COISAS (IOT) DESAFIOS REGULATÓRIOS PARA O DESENVOLVIMENTO DA INTERNET DAS COISAS (IOT) Agência Nacional de Telecomunicações Superintendência de Planejamento e Regulamentação Maio de 2018 Agenda Regulatória 2017-2018

Leia mais

ESTÍMULO À PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO EM TELECOMUNICAÇÕES

ESTÍMULO À PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO EM TELECOMUNICAÇÕES ESTÍMULO À PESQUISA, DESENVOLVIMENTO E INOVAÇÃO EM TELECOMUNICAÇÕES Conselheira Emília Maria Silva Ribeiro Curi Agência Nacional de Telecomunicações ANATEL IV Seminário TELCOMP 2011 São Paulo, 18/10/2011

Leia mais

Contratação remota de Serviços de Telecomunicações Carolina Lavorato Gerência de Regulamentação

Contratação remota de Serviços de Telecomunicações Carolina Lavorato Gerência de Regulamentação Superintendência de Planejamento e Regulamentação Contratação remota de Serviços de Telecomunicações Carolina Lavorato Gerência de Regulamentação Mais celulares do que gente: 257 milhões de acessos em

Leia mais

Ministério das Comunicações Políticas de incentivo a provedores regionais

Ministério das Comunicações Políticas de incentivo a provedores regionais Ministério das Comunicações Políticas de incentivo a provedores regionais Representatividade dos provedores regionais Grandes Médios Pequenos > 900 mil clientes de 20 mil a 900 mil clientes < 20 mil clientes

Leia mais

OBJETIVOS ESTRATÉGICOS AGENDA REGULATÓRIA DE 2007

OBJETIVOS ESTRATÉGICOS AGENDA REGULATÓRIA DE 2007 OBJETIVOS ESTRATÉGICOS AGENDA REGULATÓRIA DE 2007 José Leite Pereira Filho Conselheiro 2 de Junho de 2007 Conteúdo OBJETIVOS ESTRATÉGICOS 1. UNIVERSALIZAÇÃO 2. COMPETIÇÃO 3. QUALIDADE 4. EXCELÊNCIA REGULATÓRIA

Leia mais

AS MUDANÇAS NOS LIMITES DE FREQUÊNCIAS PARA A TELEFONIA CELULAR. Conselheiro OTAVIO LUIZ RODRIGUES JR. ANATEL

AS MUDANÇAS NOS LIMITES DE FREQUÊNCIAS PARA A TELEFONIA CELULAR. Conselheiro OTAVIO LUIZ RODRIGUES JR. ANATEL AS MUDANÇAS NOS LIMITES DE FREQUÊNCIAS PARA A TELEFONIA CELULAR Conselheiro OTAVIO LUIZ RODRIGUES JR. ANATEL As mudanças nos limites de frequências para a telefonia celular 1 Introdução 2 Comparação internacional

Leia mais

PROJETO DE LEI 465/11

PROJETO DE LEI 465/11 PROJETO DE LEI 465/11 CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA EDUARDO LEVY BRASÍLIA, 29 DE MAIO DE 2012 Fonte: Telebrasil mais de 328 milhões de clientes mais de

Leia mais

Regulamento para Exploração de SMP por meio de Rede Virtual (RRV-SMP) Resolução n.º 550, de 22 de novembro de 2010

Regulamento para Exploração de SMP por meio de Rede Virtual (RRV-SMP) Resolução n.º 550, de 22 de novembro de 2010 Regulamento para Exploração de SMP por meio de Rede Virtual (RRV-SMP) Resolução n.º 550, de 22 de novembro de 2010 Conselheira Emília Ribeiro Anatel São Paulo/SP 17/12/2010 Agenda Objetivos e Princípios

Leia mais

A REGULAÇÃO DO WIMAX. WIMAX BRASIL Conference & Expo 2007 Eduardo Ramires

A REGULAÇÃO DO WIMAX. WIMAX BRASIL Conference & Expo 2007 Eduardo Ramires A REGULAÇÃO DO WIMAX WIMAX BRASIL Conference & Expo 2007 Eduardo Ramires 1 Abordagem O que é o WIMAX? A Regulação dos serviços de Telecom. Administração do espectro. A Licitação do Wimax e a Competição

Leia mais

Qualidade dos Serviços de Telecomunicações

Qualidade dos Serviços de Telecomunicações Qualidade dos Serviços de Telecomunicações Senado Federal Comissão de Ciência, Tecnologia, Inovação, Comunicação e Informática 24 de setembro de 2013 Agenda Contextualização do Setor Qualidade Indicadores

Leia mais

REGULAMENTO DA OFERTA PLANOS POS PAGOS 2013

REGULAMENTO DA OFERTA PLANOS POS PAGOS 2013 REGULAMENTO DA OFERTA PLANOS POS PAGOS 2013 1. OBJETIVO: O presente Regulamento tem por objetivo estabelecer as relações entre a CTBC Celular S/A, denominada simplesmente ALGAR TELECOM detentora da marca

Leia mais

3 de março de Reunião com Investidores

3 de março de Reunião com Investidores 3 de março de 2016 Reunião com Investidores Em mercados mais maduros, as MVNOs tem conseguido alcançar +10% de Market share, particularmente nos Estados Unidos e Europa. A nova onda de Internet das Coisas

Leia mais

STFC UMA OPORTUNIDADE PARA SUA EMPRESA. Willian Prenzler de Souza

STFC UMA OPORTUNIDADE PARA SUA EMPRESA. Willian Prenzler de Souza STFC UMA OPORTUNIDADE PARA SUA EMPRESA Willian Prenzler de Souza 1 TELECOM NO BRASIL Com o crescimento do serviço de banda larga fixa no Brasil, nos últimos 10 anos, hoje os provedores regionais (ISP),

Leia mais

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Banda Larga Móvel

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Banda Larga Móvel O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Banda Larga Móvel Documento preparado por solicitação da TELEBRASIL & FEBRATEL São Paulo, Out

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES

AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES AGÊNCIA NACIONAL DE TELECOMUNICAÇÕES RESOLUÇÃO N o 557, DE 20 DE DEZEMBRO DE 2010. Aprova o Regulamento sobre Canalização e Condições de Uso de Radiofreqüências na Faixa de 380 MHz a 400 MHz. O CONSELHO

Leia mais

Diretrizes e programas prioritários do Ministério das Comunicações

Diretrizes e programas prioritários do Ministério das Comunicações Comissão de Ciência e Tecnologia, Comunicação e Informática (CCTCI) Diretrizes e programas prioritários do Ministério das Comunicações Paulo Bernardo Silva Ministro de Estado das Comunicações Brasília,

Leia mais

SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES

SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES AUDIÊNCIA PÚBLICA CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE DEFESA DO CONSUMIDOR ALEXANDER CASTRO BRASÍLIA, 13 DE NOVEMBRO DE 2013 crescimento do setor de telecomunicações está acelerado

Leia mais

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Serviço Móvel Pessoal Pré-Pago (Celular Pré-pago)

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Serviço Móvel Pessoal Pré-Pago (Celular Pré-pago) O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Serviço Móvel Pessoal Pré-Pago (Celular Pré-pago) Documento preparado por solicitação da TELEBRASIL & FEBRATEL

Leia mais

BANDA LARGA E POLÍTICAS PÚBLICAS

BANDA LARGA E POLÍTICAS PÚBLICAS BANDA LARGA E POLÍTICAS PÚBLICAS A PAUTA REGULATÓRIA E AS DEMANDAS DAS PEQUENAS PRESTADORAS Agência Nacional de Telecomunicações Superintendência de Planejamento e Regulamentação (SPR) Outubro de 2017

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 388, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2004

RESOLUÇÃO Nº 388, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2004 Agência Nacional de Telecomunicações RESOLUÇÃO Nº 388, DE 7 DE DEZEMBRO DE 2004 Aprova a Norma Sobre Condições de Prestação de Serviços de Telefonia para Chamadas Destinadas a "Assinante 0300". O PRESIDENTE

Leia mais

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Nº 093 - Oi Controle - Pacotes Flexíveis em Reais Requerimento de Homologação Nº 8804 1 - Aplicação Este Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço é aplicável pela

Leia mais

O PAPEL DO LEGISLATIVO NAS COMUNICAÇÕES SEMINÁRIO POLÍTICAS DE TELECOMUNICAÇÕES BRASÍLIA, 20 DE FEVEREIRO DE 2018 EDUARDO LEVY

O PAPEL DO LEGISLATIVO NAS COMUNICAÇÕES SEMINÁRIO POLÍTICAS DE TELECOMUNICAÇÕES BRASÍLIA, 20 DE FEVEREIRO DE 2018 EDUARDO LEVY O PAPEL DO LEGISLATIVO NAS COMUNICAÇÕES SEMINÁRIO POLÍTICAS DE TELECOMUNICAÇÕES BRASÍLIA, 20 DE FEVEREIRO DE 2018 EDUARDO LEVY 4.031 projetos que tramitam no Legislativo afetam direta ou indiretamente

Leia mais

20 anos de privatização e o começo de um novo ciclo

20 anos de privatização e o começo de um novo ciclo 20 anos de privatização e o começo de um novo ciclo Marina Cigarini Lider da prática de Telecomunicações, Mídia e Tecnologia PAINEL Telebrasil Brasília, 23 de maio de 2018 Marco de 20 anos da privatização

Leia mais

Fiscalização do Serviço de Comunicação Multimídia

Fiscalização do Serviço de Comunicação Multimídia Sumário Conceitos Relevantes Tipos básicos de estações do Serviço de Comunicação Multimídia(SCM). Caso típico de provedor de acesso sem fio à internet, utilizando radiação restrita. Dos contratos de prestação

Leia mais

A QUALIDADE DOS SERVIÇOS SOB OUTROS OLHARES

A QUALIDADE DOS SERVIÇOS SOB OUTROS OLHARES A QUALIDADE DOS SERVIÇOS SOB OUTROS OLHARES 46º Tele.Síntese Brasília ANIBAL DINIZ Conselheiro da Anatel e Presidente do CDUST 06/12/2016 Dimensão do setor 2 Mais celulares do que gente: 252 milhões de

Leia mais

O SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES

O SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES O SETOR DE TELECOMUNICAÇÕES AUDIÊNCIA PÚBLICA CÂMARA DOS DEPUTADOS COMISSÃO DE CIÊNCIA E TECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA EDUARDO LEVY BRASÍLIA, 15 DE MAIO DE 2012 Fonte: Telebrasil mais de 324 milhões

Leia mais

Trabalho: TE12 Atividade: Fazer um resumo do artigo abaixo e responder corretamente as 3 perguntas Data de Entrega: 28/03/2007

Trabalho: TE12 Atividade: Fazer um resumo do artigo abaixo e responder corretamente as 3 perguntas Data de Entrega: 28/03/2007 Trabalho: TE12 Atividade: Fazer um resumo do artigo abaixo e responder corretamente as 3 perguntas Data de Entrega: 28/03/2007 Autorização STFC: Teste seu entendimento 1) Você precisa de uma autorização

Leia mais

CENÁRIO REGULATÓRIO DAS MVNO NO BRASIL PARTE I

CENÁRIO REGULATÓRIO DAS MVNO NO BRASIL PARTE I CENÁRIO REGULTÓRIO DS NO BRSIL PRTE I Maria Luiza Kunert 09/11/2011 Conteúdo Parte I Introdução ao Cenário Regulatório das no Brasil Parte II Os Quatro Pilares das no Brasil Parte III Fatores CríJcos de

Leia mais

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Serviço Móvel Pessoal Pré-Pago (Celular Pré-pago)

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Serviço Móvel Pessoal Pré-Pago (Celular Pré-pago) O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Serviço Móvel Pessoal Pré-Pago (Celular Pré-pago) Documento preparado por solicitação da TELEBRASIL & FEBRATEL

Leia mais

Avaliação Trimestral do Plano Nacional de Ação de Melhoria da Prestação do Serviço Móvel Pessoal. Fevereiro/2013 a Abril/2013

Avaliação Trimestral do Plano Nacional de Ação de Melhoria da Prestação do Serviço Móvel Pessoal. Fevereiro/2013 a Abril/2013 Avaliação Trimestral do Plano Nacional de Ação de Melhoria da Prestação do Serviço Móvel Pessoal Fevereiro/2013 a Abril/2013 Evolução de acessos da Telefonia Móvel e indicação da evolução de tecnologias

Leia mais

Ministério das Comunicações

Ministério das Comunicações Ministério das Comunicações Acessos dez/2010 a mar/2014 Internet móvel (3G+4G) 454% Cidades com cobertura 3G de 824 para 3.253 295% 2 Crescimento da banda larga móvel por região Período: dez/2010 a mar/2014

Leia mais

Seminário FGV EPGE Modernização da Infraestrutura Brasileira. Novo modelo regulatório para o setor de Telecomunicações

Seminário FGV EPGE Modernização da Infraestrutura Brasileira. Novo modelo regulatório para o setor de Telecomunicações Seminário FGV EPGE Modernização da Infraestrutura Brasileira Novo modelo regulatório para o setor de Telecomunicações Outubro/2017 Causalidade entre Banda Larga e Crescimento Econômico Fonte: Smart Insights

Leia mais

TELEFONIA FIXA E MÓVEL

TELEFONIA FIXA E MÓVEL DEPEC Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos TELEFONIA FIXA E MÓVEL NOVEMBRO DE 2016 O DEPEC BRADESCO não se responsabiliza por quaisquer atos/decisões tomadas com base nas informações disponibilizadas

Leia mais

IX Seminário TelComp 2016 Perspectivas para as Telecomunicações em Momento Regulatório

IX Seminário TelComp 2016 Perspectivas para as Telecomunicações em Momento Regulatório IX Seminário TelComp 2016 Perspectivas para as Telecomunicações em 2017 Momento Regulatório Novembro/2016 Aspectos Constitucionais Constituição de 1988: Art. 21. Compete à União: (...) XI - explorar, diretamente

Leia mais

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Serviço Móvel Pessoal Pré-Pago (Celular Pré-pago)

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Serviço Móvel Pessoal Pré-Pago (Celular Pré-pago) O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Serviço Móvel Pessoal Pré-Pago (Celular Pré-pago) Documento preparado por solicitação da TELEBRASIL & FEBRATEL

Leia mais

Infraestrutura Passiva: A Base do Iceberg

Infraestrutura Passiva: A Base do Iceberg Infraestrutura Passiva: A Base do Iceberg Painel 1: Desafios no Escopo Federal Compartilhamento de Infraestrutura Bruno de Carvalho Ramos Superintendente de Serviços Privados São Paulo/SP 19 de junho de

Leia mais

É POSSÍVEL MEDIR A OCUPAÇÃO EFICIENTE DO ESPECTRO?

É POSSÍVEL MEDIR A OCUPAÇÃO EFICIENTE DO ESPECTRO? A OCUPAÇÃO DE ESPECTRO, O COMPARTILHAMENTO E OUTRAS QUESTÕES CONCEITUAIS É POSSÍVEL MEDIR A OCUPAÇÃO EFICIENTE DO ESPECTRO? SUPERINTENDÊNCIA DE OUTORGA E RECURSOS À PRESTAÇÃO 43º ENCONTRO TELE.SÍNTESE

Leia mais

REVISÃO DO MODELO DE TELECOM

REVISÃO DO MODELO DE TELECOM REVISÃO DO MODELO DE TELECOM 45º ENCONTRO TELE.SÍNTESE BRASÍLIA 06 DE SETEMBRO DE 2016 0 A perda da atratividade da concessão vêm sido evidenciada pelos principais indicadores do setor dos últimos anos

Leia mais

CORREIOS CELULAR PLANOS DE SERVIÇO - TERMO DE ADESÃO

CORREIOS CELULAR PLANOS DE SERVIÇO - TERMO DE ADESÃO CORREIOS CELULAR PLANOS DE SERVIÇO - TERMO DE ADESÃO 1. Descrição geral - Plano de Serviço Todos os Planos de Serviço dos Correios Celular são válidos para toda pessoa, doravante denominada CLIENTE, que

Leia mais

Desafios da ampliação da infraestrutura e serviços de Banda Larga

Desafios da ampliação da infraestrutura e serviços de Banda Larga Painel Telebrasil Brasília, 22 de Maio de 2018 Desafios da ampliação da infraestrutura e serviços de Banda Larga Leandro Guerra Diretor de Relações Institucionais O Desafio da Banda Larga no Brasil O Brasileiro

Leia mais

DESAFIOS PARA A IMPLANTAÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE TELECOMUNICAÇÕES EM

DESAFIOS PARA A IMPLANTAÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE TELECOMUNICAÇÕES EM DESAFIOS PARA A IMPLANTAÇÃO DE INFRAESTRUTURA DE TELECOMUNICAÇÕES EM PORTO ALEGRE AUDIÊNCIA PÚBLICA CÂMARA DE VEREADORES DE PORTO ALEGRE PORTO ALEGRE, 26 DE JUNHO DE 2014 EDUARDO LEVY Estádio Beira-Rio

Leia mais

Explorando as Oportunidades dos Serviços de Dados. Expo Money Brasília

Explorando as Oportunidades dos Serviços de Dados. Expo Money Brasília Explorando as Oportunidades dos Serviços de Dados Expo Money Brasília Conhecendo a TIM Aniversário de 15 anos de Listagem TIM: Uma Gigante Brasileira Crescimento Orgânico Receita Bruta (R$ Bi) 27,8 Base

Leia mais

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço

Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço 1 - Aplicação Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço Plano Nº 003 - Plano Brasil Controle Requerimento de Homologação Nº 11243 Este Plano Pós-Pago Alternativo de Serviço, é aplicável pela autorizatária

Leia mais

Projeto: GUGST 2015 Relevância de Temas. Fevereiro 2015

Projeto: GUGST 2015 Relevância de Temas. Fevereiro 2015 Projeto: GUGST 2015 Relevância de Temas Fevereiro 2015 Objetivos e método Objetivo Avaliar a relevância de temas para as reuniões de 2015 Coleta de dados Tamanho da amostra Realizada via questionário online

Leia mais

Audiência Pública nº 02/2017

Audiência Pública nº 02/2017 Audiência Pública nº 02/2017 Chamamento Público para celebração de contrato de cessão da capacidade satelital em Banda Ka do SGDC Brasília, 23 de Fevereiro de 2017 Horário: 10h Agenda Data: 23/02/2017

Leia mais

LEI GERAL DAS ANTENAS PL 5.013/2013

LEI GERAL DAS ANTENAS PL 5.013/2013 LEI GERAL DAS ANTENAS PL 5.013/2013 COMISSÃO ESPECIAL DESTINADA A PROFERIR PARECER AO PROJETO DE LEI Nº 5.013/ 2013 CÂMARA DOS DEPUTADOS Brasília, 30 de outubro de 2013 EDUARDO LEVY crescimento do setor

Leia mais

BANDA LARGA A PAUTA REGULATÓRIA E OS PROVEDORES REGIONAIS. Agência Nacional de Telecomunicações Gerência Regional no Estado de São Paulo (GR01)

BANDA LARGA A PAUTA REGULATÓRIA E OS PROVEDORES REGIONAIS. Agência Nacional de Telecomunicações Gerência Regional no Estado de São Paulo (GR01) BANDA LARGA A PAUTA REGULATÓRIA E OS PROVEDORES REGIONAIS Agência Nacional de Telecomunicações Gerência Regional no Estado de São Paulo (GR01) Fevereiro de 2018 - Cenário dos Provedores Regionais no País

Leia mais

O NOVO MODELO DE TELECOM - o que pode mudar para os provedores regionais -

O NOVO MODELO DE TELECOM - o que pode mudar para os provedores regionais - O NOVO MODELO DE TELECOM - o que pode mudar para os provedores regionais - Brasília, 23 de Março de 2017 Gerência de Monitoramento das Relações entre Prestadoras Superintendência de Competição PROCESSO

Leia mais

AlgarTelecom. Gente Servindo Gente. Assessoria de Comunicação, Marca e Sustentabilidade maio 2013

AlgarTelecom. Gente Servindo Gente. Assessoria de Comunicação, Marca e Sustentabilidade maio 2013 AlgarTelecom Gente Servindo Gente 2013 Grupo Algar (desde 1929) Negócios Algar Setor TI/Telecom Setor Agro Setor Serviços Turismo Solidez e presença Presença geográfica Destaques 2012 Algar Telecom Algar

Leia mais

A TECNOLOGIA 4G E A COMPETÊNCIA MUNICIPAL XLV FÓRUM NACIONAL DE PROCURADORES GERAIS

A TECNOLOGIA 4G E A COMPETÊNCIA MUNICIPAL XLV FÓRUM NACIONAL DE PROCURADORES GERAIS A TECNOLOGIA 4G E A COMPETÊNCIA MUNICIPAL XLV FÓRUM NACIONAL DE PROCURADORES GERAIS DAS CAPITAIS BRASILEIRAS PORTO ALEGRE, 26 DE ABRIL DE 2013 CARLOS DUPRAT índice quem é o Sinditelebrasil? o setor de

Leia mais

FÓRUM DA INTERNET NO BRASIL TIC DOMICÍLIOS Goiânia 05 de novembro de 2018

FÓRUM DA INTERNET NO BRASIL TIC DOMICÍLIOS Goiânia 05 de novembro de 2018 FÓRUM DA INTERNET NO BRASIL TIC DOMICÍLIOS 17 Goiânia 5 de novembro de 18 TIC DOMICÍLIOS OBJETIVO 17 Medir o acesso às TIC nos domicílios brasileiros e seu uso pela população. ABRANGÊNCIA GEOGRÁFICA Nacional

Leia mais

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Serviço Móvel Pessoal Pré-Pago (Celular Pré-pago)

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Serviço Móvel Pessoal Pré-Pago (Celular Pré-pago) O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Serviço Móvel Pessoal Pré-Pago (Celular Pré-pago) Documento preparado por solicitação da TELEBRASIL & FEBRATEL

Leia mais

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Serviço Móvel Pessoal Pré-Pago (Celular Pré-pago)

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Serviço Móvel Pessoal Pré-Pago (Celular Pré-pago) O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Serviço Móvel Pessoal Pré-Pago (Celular Pré-pago) Documento preparado por solicitação da TELEBRASIL & FEBRATEL

Leia mais

Instalação de Infraestrutura de Telecomunicações

Instalação de Infraestrutura de Telecomunicações Instalação de Infraestrutura de Telecomunicações Um desafio a ser vencido Conselho Consultivo da Anatel Francisco Carlos Monteiro Filho Brasília, 27 de abril de 2012 Telefones fixos 43 milhões Fonte: Telebrasil,

Leia mais

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Banda Larga Fixa

O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Banda Larga Fixa O Desempenho Comparado das Telecomunicações do Brasil Preços dos Serviços de Telecomunicações Utilização de Banda Larga Fixa Documento preparado por solicitação da TELEBRASIL & FEBRATEL São Paulo, Maio

Leia mais

COMISSÃO DECIÊNCIA ETECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA COMISSÃO DEINTEGRAÇÃONACIONAL, DESENVOLVIMENTO REGIONAL E DA AMAZÔNIA AUDIÊNCIA PÚBLICA

COMISSÃO DECIÊNCIA ETECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA COMISSÃO DEINTEGRAÇÃONACIONAL, DESENVOLVIMENTO REGIONAL E DA AMAZÔNIA AUDIÊNCIA PÚBLICA COMISSÃO DECIÊNCIA ETECNOLOGIA, COMUNICAÇÃO E INFORMÁTICA COMISSÃO DEINTEGRAÇÃONACIONAL, DESENVOLVIMENTO REGIONAL E DA AMAZÔNIA AUDIÊNCIA PÚBLICA DEBATE: OPERADORAS DE TELEFONIA MÓVEL EM DESTAQUE NOS RANKINGS

Leia mais

Qualidade da Telefonia Móvel (SMP) Relatório de Indicadores de Desempenho Operacional

Qualidade da Telefonia Móvel (SMP) Relatório de Indicadores de Desempenho Operacional Qualidade da Telefonia Móvel (SMP) Relatório de Indicadores de Desempenho Operacional 2014 Superintendência de Controle de Obrigações - SCO Gerência de Controle de Obrigações de Qualidade - COQL Brasília,

Leia mais

Compartilhamento de infraestrutura e de frequência Riscos e vantagens

Compartilhamento de infraestrutura e de frequência Riscos e vantagens TIM BRASIL Brasília, 21 de novembro de 2017 Compartilhamento de infraestrutura e de frequência Riscos e vantagens Leandro Guerra Diretor de Relações Institucionais A realidade do compartilhamento da infraestrutura

Leia mais