IMPLEMENTAÇÃO DA MEDIDA DE LIQUIDEZ DA EMPRESA RESTAURANTE E LANCHONETE MARROM GLACÊ

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "IMPLEMENTAÇÃO DA MEDIDA DE LIQUIDEZ DA EMPRESA RESTAURANTE E LANCHONETE MARROM GLACÊ"

Transcrição

1 CENTRO UNIVERSITÁRIO NEWTON PAIVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS - FACISA GRADUAÇÃO EM ADMINISTRAÇÃO DE EMPRESAS ALINE RODRIGUES DA COSTA IMPLEMENTAÇÃO DA MEDIDA DE LIQUIDEZ DA EMPRESA RESTAURANTE E LANCHONETE MARROM GLACÊ BELO HORIZONTE 2012

2 ALINE RODRIGUES DA COSTA IMPLEMENTAÇÃO DA MEDIDA DE LIQUIDEZ DA EMPRESA RESTAURANTE E LANCHONETE MARROM GLACÊ Relatório de Estágio Supervisionado apresentado ao curso de Administração de Empresas, da Faculdade de Ciências Sociais Aplicadas, do Centro Universitário Newton Paiva, como requisito parcial para a obtenção do título de Bacharel em Administração. Orientadores: Nome Rosane Catarina de Castro Nome Sérgio Rafacho BELO HORIZONTE 2012

3 À minha família pela paciência, carinho e investimento despendidos durante esses quatro anos.

4 AGRADECIMENTOS Quatro anos se passaram, conhecimentos foram adquiridos, desafios foram superados. Posso dizer que, após todo esse período desdobrando-se entre família, universidade e trabalho, com muito esforço e dedicação consegui realizar um grande sonho pessoal. Primeiramente agradeço a Deus, fonte de todo conhecimento, que sempre se fez presente ao meu lado, transformando a fraqueza em força e a derrota em vitória. Agradeço a todos que de alguma forma contribuíram para essa realização, em especial aos meus amados pais, alicerces de minha vida, Miralda Francisca da Costa e Isaías Rodrigues da Costa, sou eternamente grata por todos os seus ensinamentos de vida, grandes conselheiros, amigos, luzes que se acendem em cada momento de escuridão, por todo o incentivo, dedicação, amor e carinho. Agradeço também aos meus amigos e colegas, aos que fizeram parte desta história e também aqueles que ficaram na torcida pelo meu sucesso.

5 Sonhe com o que você quiser. Vá para onde você queira ir. Seja o que você quer ser, porque você possuiu apenas uma vida e nela só temos uma chance de fazer aquilo que queremos. Tenha felicidade bastante para fazê-la doce. Dificuldades para fazê-la forte. Tristeza para fazê-la humana. E esperança suficiente para fazê-la feliz. Clarice Lispector

6 RESUMO Este trabalho apresenta a implementação de um sistema de controle de fluxo de caixa na empresa Restaurante e Lanchonete Marrom Glacê, e tem por objetivo apresentar o quanto a utilização de ferramentas de gestão adequadas são importantes para a administração bem sucedida de uma empresa. Diante de um contexto cada vez mais acirrado, faz-se essencial que as organizações tenham um controle eficaz de seus recursos internos para melhor gerir os externos. Desta forma, com o trabalho desenvolvido, demonstrou-se para a empresa especificamente à sua área financeira, a necessidade de realizar controles adequados a sua realidade. Inicialmente foi feita uma coleta de dados através de entrevistas formais e informais, análises de documentos e pesquisas bibliográficas. Após a análise dos dados foi proposto um novo método de controle financeiro por meio da inserção de planilhas, que passaram por aprovação do gestor, em seguida já aprovado foi fornecido um treinamento instrutivo da maneira correta do preechimento das planilhas. Com a implementação do fluxo de caixa, foi possível perceber uma melhoria no processo de controle dos embolsos e desembolsos, as informações passaram a ser rápidas e seguras, auxiliando nas tomadas de decisões da organização. Palavras-chave: Fluxo de caixa. Setor financeiro. Embolsos. Desembolsos.

7 LISTA DE FIGURAS FIGURA 1 Registros antigos Contas a Receber FIGURA 2 Registros antigos Contas a Pagar FIGURA 3 Fluxograma arquivamento de documentos FIGURA 4 Fluxograma Vendas Cliente vai até a empresa FIGURA 5 Fluxograma Vendas Cliente faz pedido por telefone FIGURA 6 Fluxograma Verificação de produtos em estoque FIGURA 7 Fluxograma Produtos específicos - desembolsos no ato FIGURA 8 5W1H Restaurante e Lanchonete Marrom Glacê FIGURA 9 Diagrama de Ishikawa FIGURA 10 Fluxograma de funcionamento do fluxo de caixa FIGURA 11 Planilha de Classificação de Contas FIGURA 12 Planilha de contas a pagar FIGURA 13 Planilha de contas a receber FIGURA 14 Planilha Relatório de movimento financeiro diário FIGURA 15 Planilha de fluxo de caixa FIGURA 16 Planilha de Previsto X Realizado FIGURA 17 Novo Fluxograma Vendas cliente vai até a empresa FIGURA 18 Novo Fluxograma Vendas cliente faz pedido por telefone FIGURA 19 Novo Fluxograma Verificação de produtos em estoque FIGURA 20 Novo Fluxograma Contas a Pagar produtos específicos FIGURA 21 Classificação das contas a pagar e a receber feitas pelo gestor FIGURA 22 Lançamento na planilha contas a pagar FIGURA 23 Lançamento na planilha contas a receber FIGURA 24 Lançamento Relatório Movimento Financeiro FIGURA 25 Planilha Fluxo de caixa FIGURA 26 Previsto FIGURA 27 Treinamento com o gestor da empresa FIGURA 28 Previsto X Realizado... 46

8 LISTA DE TABELA TABELA 1 Embolsos e Desembolsos TABELA 2 Movimento Abril - Contas a receber TABELA 3 Movimento Maio - Contas a receber TABELA 4 Movimento Junho - Contas a receber TABELA 5 Movimento Abril - Contas a pagar TABELA 6 Movimento Maio- Contas a pagar TABELA 7 Movimento Junho - Contas a pagar... 45

9 LISTA DE GRAFICOS GRAFICO 1 Embolsos do Restaurante e Lanchonete Marrom Glacê GRAFICO 2 Desembolsos do Restaurante e Lanchonete Marrom Glacê GRAFICO 3 Embolsos X Desembolsos do Rest. e Lanchonete Marrom Glacê GRAFICO 4 Embolsos Abril GRAFICO 5 Embolsos Maio GRAFICO 6 Embolsos Junho GRAFICO 7 Desembolsos Abril GRAFICO 8 Desembolsos Maio GRAFICO 9 Desembolsos Junho... 45

10 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO METODOLOGIA DESENVOLVIMENTO DAS ATIVIDADES Análise do atual processo de gestão de caixa Iniciação do processo de coleta das informações Arquivamento dos documentos Funcionamento dos setores contas a pagar e contas a receber Mapeamento Identificação de pontos críticos Proposta da reorganização do fluxo de caixa na Empresa Implementação do sistema proposto ANALISE DOS RESULTADOS OBTIDOS CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS... 50

11 10 1 INTRODUÇÃO Atualmente, no cenário em que as empresas se encontram, ser competitivo é essencial para a sobrevivência e crescimento no mercado. As organizações que possuem um diferencial estão mais aptas a esse crescimento, aprimorando seus processos e atividades. As pequenas empresas nem sempre possuem potencial suficiente para competir com grandes organizações, porém, algumas conseguem se sobressair e sobreviver às oscilações e mudanças do mundo empresarial. Desta forma, será apresentado a seguir o trabalho de implementação de um sistema de controle de fluxo de caixa na empresa Restaurante e Lanchonete Marrom Glacê, que foi realizado no período de dois semestres, começando no dia 09/02/2012 e finalizando em 15/12/2012. A organização é de pequeno porte, encontra se situada na cidade de Paineiras/MG (349 km da capital de Belo Horizonte) e trabalha com a comercialização de fornecimento de refeições (somente almoços) diariamente. Diagnosticou-se que na empresa havia carência de informações precisas e certas em tempo hábil quanto aos recursos financeiros, e que esse fator gerava prejuízos para a organização. Desta forma, foram levantadas informações sobre ferramentas que poderiam contribuir para a gestão do Restaurante e Lanchonete Marrom Glacê. Após análises de dados apurados pelas visitas ficou evidente que o problema maior da empresa poderia ser sanado com a implementação de sistema de controle de fluxo de caixa. Para uma mudança na gestão, a fim de melhorar o setor financeiro, elaboraram-se alguns objetivos que a empresa deveria trabalhar. O objetivo principal é implementar o sistema de controle de fluxo de caixa nas suas operações, e (I) analisar o atual processo de gestão de caixa da empresa; (II) propor a reorganização do fluxo de caixa; (III) implementar o sistema proposto e (V) analisar os resultados. A expectativa que levou a implementação de sistema de controle de fluxo de caixa no Restaurante e Lanchonete Marrom Glacê foi a de que a empresa tornasse capaz de gerir suas contas, além de, ter novas alternativas de melhorias em seus processos, novas possibilidades de planejamento a curto e longo prazo e

12 11 capacidade para realizar investimentos. A utilização do fluxo de caixa bem como controle financeiro permite ao gestor articular melhor suas atividades e gerenciar de forma mais competitiva a organização, podendo obter vantagens e novas oportunidades de trabalho num mercado tão dinâmico. O presente trabalho também se configura como uma oportunidade única de realizar uma ação sustentada pela teoria e apoio de orientadores, tanto de metodologia como de conteúdo, permitindo ao estagiário iniciar sua carreira de forma ética e responsável.

13 12 2 METODOLOGIA A metodologia utilizada para o desenvolvimento do trabalho quanto aos meios de investigação foram pesquisas bibliográficas, documental e de campo e quanto aos fins: intervencionista. Documental porque foram realizadas diversas análises de materiais e documentos, que se encontravam dispostos no ambiente da organização (cartazes, informativos, caixa de sugestões, formulários de qualidade no atendimento) e também no arquivo (como contratos com fornecedores, fichas cadastrais de colaboradores, notas fiscais, contabilidade, dentre outros). As pesquisas bibliográficas basearam-se em autores especialistas na área de Administração Financeira e de Fluxo de Caixa. Pesquisou-se sobre a área financeira e o fluxo de caixa em termos gerais e específicos e como são utilizados nas empresas. Através da bibliografia estudada pôde-se ter uma visão mais clara sobre o controle de um fluxo de caixa e o que compõem exatamente a área financeira. Foram realizadas visitas na empresa para conhecer todas as suas operações, caracterizando assim a pesquisa de campo. Essa pesquisa geralmente baseia-se em experiências, coletas de dados e observações, foi selado um contato amigável com todos os colaboradores e com o gestor da organização, gerando diálogos diferenciados e confiança na transmissão das informações. A intervencionista é aquela que não se satisfaz somente com uma explicação, mas sim que pretende interferir de alguma maneira na realidade da organização. Ou seja, após todas as pesquisas, foi proposto uma intervenção sendo a implementação de sistema de controle de fluxo de caixa no processo financeiro da empresa. A metodologia é importante para a execução dos procedimentos e tarefas durante o desenvolvimento do trabalho, para que aconteça a intervenção nos processos da organização. As informações adquiridas serão tratadas, para que a empresa possa transformá-las em possibilidades de investimentos com as novas ferramentas de gestão, principalmente no controle de seu fluxo de caixa.

14 13 3 DESENVOLVIMENTO DAS ATIVIDADES Este capítulo apresenta uma decomposição detalhada das atividades que foram executadas durante o estágio, explorando-se os aspectos internos e externos, capazes de identificar os pontos positivos e negativos na empresa Restaurante e Lanchonete Marrom Glacê. O propósito do estágio foi normatizar o processo com a implementação de sistema de controle de fluxo de caixa, a fim de melhorar o gerenciamento de embolsos e desembolsos, de forma a proporcionar resultados benéficos à organização que sirvam de auxílio ás tomadas de decisões, elaboração de um planejamento financeiro eficiente e um melhor controle dos seus processos. 3.1 Análise do atual processo de gestão de caixa Esta atividade consiste na realização de observações dos atuais processos realizados pela organização. Os dados e informações coletados e apresentados foram obtidos através de visitas formais e informais com o gestor do Restaurante e Lanchonete Marrom Glacê, e proporcionaram análises precisas do atual funcionamento da organização, de seus registros diários, embolsos e desembolsos Iniciação do processo de coleta das informações A fim de obter informações certas e precisas a estagiária realizou na organização visitas formais e informais. As visitas informais tiveram início desde o dia 18 de fevereiro de 2012, que teve como objetivo fornecer um suporte ao gestor, servindo praticamente como um posso ajudar, sem agendamentos. No mesmo mês foram realizadas visitas de surpresa, sem formalização, somente para presenciar o andamento do plano de ação e incentivar o gestor no desenvolvimento do trabalho. A estagiária no dia 03 de março de 2012 realizou a primeira visita formal, definindo - se juntamente com o gestor os melhores horários e melhores dias para a realização das reuniões. Determinou-se que as visitas fossem realizadas conforme a necessidade da estagiária, ocorrendo de preferência nos finais de semana, a partir das 16h00min (momento em que a empresa possui menor fluxo de clientes), com duração máxima de 2 horas de prazo. As reuniões tiveram o objetivo de selar

15 14 transparência quanto à seriedade do trabalho proposto e também o momento certo para coletar informações reais do atual processo realizado pela organização. No dia 24 de março de 2012, a fim de analisar a administração da organização, a estagiária realizou uma visita informal ás 16h10min, no decorrer da conversa o gestor informou que procura controlar seus embolsos e desembolsos sem exceder seus recursos e sem desperdícios, que têm plena consciência da importância da separação do dinheiro empresarial com o pessoal. A organização possui uma estabilidade e o gestor mesmo que desprovido de informações precisas e em tempo hábil possui uma mente aberta e preocupa - se com seu setor financeiro. No dia 31 de março de 2012 a estagiária, focada em compreender melhor como realmente funciona o processo atual da empresa, fez uma visita formal ás 16h23min, onde foram realizadas diversas perguntas, mas todas tiveram um objetivo único: entender qual era o tipo de controle realizado na organização. Muito entusiasmado, o gestor explicou que todas as entradas e saídas eram documentadas, porém feito manualmente em folha de caderno. O gestor registrava as vendas realizadas no dia, e no final do mês somava todas as apurações feitas. Em outra folha anotava todos os gastos que a empresa teve durante o mês. No último dia do mês para chegar ao resultado final realizava uma subtração do valor total das vendas menos o valor total dos gastos. Para chegar ao valor da venda do dia o gestor explicou que vai anotando em um rascunho os produtos vendidos e no fim do dia soma tudo e passa para o caderno somente o total, o rascunho é jogado no lixo. Todo procedimento é realizado de forma manual redigidos à caneta e lápis em papel, as somas são efetuadas em calculadora, pois, a organização não detém de nenhum sistema de informações que permita um registro ágil e preciso e como comprovação da informação o gestor forneceu o documento apurado no mês de Fevereiro de 2012 conforme FIG. 1 e FIG. 2. Ao conversar com o gestor verificou-se que o mesmo não conhece as diversas ferramentas de gestão que estão a sua disposição, há certa rigidez no que diz respeito à obtenção de informações e mudanças nos processos.

16 15 FIGURA 1 Registros antigos Contas a Receber FIGURA 2 Registros antigos Contas a Pagar

17 Arquivamento dos documentos Com objetivo de analisar os processos de arquivamento dos documentos e os procedimentos realizados pela contabilidade, no dia 07 de abril de 2012, ás 16h34min, a estagiária novamente visitou a empresa para colher as informações dos principais procedimentos tomados pelo gestor. A respeito das contas fixas como água, luz e telefone, quando recebidas pelo gestor, são guardadas em uma gaveta de um armário, ficando dispersas e juntas no mesmo local até o dia do vencimento. O armário fica localizado no estoque juntamente com os congeladores, e uma das gavetas é destinada apenas ao arquivamento de documentos como as contas, impostos, e vias de notas fiscais. Em relação aos fornecedores, 70% das compras são pagas na hora, assim que recebe o produto assina o canhoto que volta com o fornecedor, e a nota fiscal é enviada para o setor de contabilidade. Já os 30% restantes, somente em casos de necessidade o gestor compra á prazo trabalhando com apenas 30 dias, o canhoto é assinado e devolvido ao fornecedor e a nota fiscal é guardada na gaveta do armário até o dia do vencimento. Após realizar os pagamentos das notas, o gestor envia definitivamente para a contabilidade. No que se diz respeito à folha de pagamento, tudo é feito pela contabilidade, o contador faz os cálculos, imprime e entrega todos os documentos ao gestor, e este passa os mesmos aos seus colaboradores para devidamente colher as assinaturas e realizar o pagamento. Uma via dos contra cheques são entregues aos funcionários e as outras voltam para a contabilidade para serem arquivadas definitivamente. Os impostos são apurados e emitidos pela contabilidade, que são entregues ao gestor para a realização dos pagamentos. Depois que realizado os pagamentos o gestor envia todas as vias novamente para a contabilidade, que faz o arquivamento. Assim que termina o mês o gestor junta todas as contas pagas guardadas na gaveta do armário, coloca em um envelope e as transfere definitivamente para uma caixa de arquivos que fica em sua residência. Após passar alguns anos elimina as contas

18 17 mais antigas, queimando-as. Referente às vias de impostos e notas fiscais caso o gestor precise ele solicita na contabilidade, porque todas ficam arquivadas com o contador. O processo de arquivamento é representado pela FIG. 3. FIGURA 3 Fluxograma arquivamento de documentos Funcionamento dos setores: contas a pagar e contas a receber No dia 11 de maio de 2012 a estagiária fez uma vista formal para analisar como funciona o atual processo de contas a pagar e contas a receber feitos na organização. Primeiramente será descrito as vendas que geram contas a receber e

19 18 que são realizadas de duas formas: pessoalmente quando o cliente vai até o restaurante e/ou por atendimento telefônico quando o cliente faz o pedido por telefone. a) Cliente vai até o Restaurante, FIG. 4: cliente chega ao estabelecimento; monta o seu prato de refeição conforme deseja; pesa na balança; o atendente anota em um bloco destacável o valor; cliente escolhe o local para se sentar; o mesmo atendente vai até a mesa oferecer bebida e demais serviços; se o cliente desejar um novo serviço (exemplo: bebida) é anotado no mesmo bloco que contém a refeição e é servido; após terminar a refeição o cliente vai até o caixa para fazer o pagamento; o atendente localiza no bloco e faz a soma do total do consumo; o cliente faz o pagamento que é através de dinheiro (em casos específicos é aceito cheques); o atendente confere o valor e agradece a sua presença; o cliente vai embora. FIGURA 4 Fluxograma Vendas Cliente vai até a empresa

20 19 b) O cliente realiza contato por telefone, representado pela FIG. 5: o atendente recebe o telefonema e anota o pedido em um rascunho conforme solicitação do cliente (tipo de carne e se desejar algum outro produto); anota o endereço; anota a forma de pagamento (atendente confere com o cliente se tem que dispor de algum troco); o pedido é passado para uma cozinheira que monta a marmitex no setor da cozinha e esta devolve ao atendente que recolhe a marmitex e termina a montagem do pedido; atendente desloca-se com o veículo até o endereço e faz a entrega ao cliente; cliente recebe e paga; o atendente volta à empresa e guarda o dinheiro no caixa. Observação: nesta modalidade é fornecida somente marmitex, com liberação de escolha apenas do tipo de carne a partir das 13h00min; FIGURA 5 Fluxograma Vendas Cliente faz pedido por telefone Será descrito a seguir o processo de compras que geram contas a pagar. De acordo com o gestor as compras para as refeições são feitas de acordo com o cardápio produzido que é elaborado semanalmente. Realiza o processo de duas formas: verificação de produtos em estoque e produtos específicos, desembolsos no ato.

21 20 a) Verificação de produtos em estoque: conforme FIG. 6, o gestor verifica quais produtos serão necessários durante a semana; se o produto estiver acabando realiza o contato por telefone fazendo o pedido e/ou aguarda o fornecedor passar na empresa (fornecedor passa semanalmente); o fornecedor anota o pedido; a central de distribuição entrega o produto à empresa; os produtos são recepcionados pelo gestor que confere se está correto, e se sim, encaminha para contabilidade a nota fiscal. Caso o pedido não esteja correto, o gestor entra em contato com o fornecedor e solicita a troca do produto. Quando o gestor compra a prazo a nota fiscal é guardada até o vencimento. Assim que faz o pagamento da nota envia para contabilidade que faz o arquivo definitivo. FIGURA 6 Fluxograma Verificação de produtos em estoque b) Produtos específicos, desembolsos no ato: se refere a compras de carnes e verduras, FIG. 7, o gestor realiza as compras diariamente e conforme a necessidade, sendo os pagamentos destas, feitos no ato. Ele

22 21 determina um horário na parte da tarde, que é mais tranqüilo e vai até os açougues e sacolão fazer as compras que sempre é realizada de acordo com o prato do dia seguinte, e também dependendo do dia aproveita o momento para quitar as contas, em relação às contas fixas como água, energia e telefone que são pagos em seus vencimentos. FIGURA 7 Fluxograma Produtos específicos - desembolsos no ato Mapeamento Utilizou-se a ferramenta 5W1H a fim de realizar uma checagem das atividades que precisam ser desenvolvidas dentro da organização. Esta ferramenta funciona como um mapeamento, onde se estabelece o que é feito, quem o fará, o quê, em qual período de tempo, em qual área da empresa e todos os motivos pelos quais esta atividade é realizada. A utilização desta ferramenta torna-se muito útil para as empresas, uma vez que elimina dúvidas que possam surgir sobre um processo ou sua atividade. Em um meio ágil e competitivo como é o ambiente corporativo, a ausência de dúvidas agiliza e muito as atividades a serem desenvolvidas pelos colaboradores de setores ou áreas diferentes. O plano de ação é uma ferramenta de grande utilidade na execução de um projeto, pois através dele fica definido o objetivo a alcançar, as medidas que devem ser tomadas, principais responsáveis por cada procedimento, os prazos, locais e a finalidade de cada medida estabelecida. Cada ação é demonstrada nos itens apresentados pela FIG. 8.

23 22 FIGURA 8-5W1H Restaurante e Lanchonete Marrom Glacê Após apresentar em forma de figura o 5W1H, é possível perceber com clareza que a maior parte de todos os processos desenvolvidos pela empresa são realizados pelo gestor o que gera uma concentração de poder de todas as decisões e mudanças a serem aplicadas em um única pessoa dentro da organização.

24 Identificação de pontos críticos Apresenta-se a seguir o Diagrama de Ishikawa, ferramenta que é utilizada para representar graficamente aspectos organizacionais, que permitem uma análise de diversos processos internos que podem impactar diretamente nos resultados organizacionais. Entende-se que o diagrama é muito utilizado na identificação dos direcionadores que possivelmente podem causar esses aspectos indesejáveis, porém, esses direcionadores, podem ser originados através de outras causas. A FIG. 9 representa o apontamento dos possíveis causadores de deficiência do atual processo de controle da área financeira. FIGURA 9 - Diagrama de Ishikawa Com a utilização do diagrama na empresa Restaurante e Lanchonete Marrom Glacê foi possível verificar situações com diversos problemas que estão impactando direta ou indiretamente nos principais objetivos da organização. Será descrito a seguir os pontos principais geradores das deficiências nos processos: a) Gestão Financeira: o foco do gestor é o resultado final, ou seja, atingir o lucro e rentabilidade esperados. Não há nenhum tipo de investimentos em ampliações do negócio, não existe a realização de balanços patrimoniais, os

25 24 pagamentos de fornecedores a maioria são feitos somente á vista, o gestor não faz nenhuma análise de seus recursos próprios e nem de terceiros, e não faz nenhum tipo de previsão financeira. b) Recursos Humanos: a empresa é desprovida de programas voltados para o desempenho profissional. Por se tratar de uma área com escassez de mão de obra, não há pré-requisitos para atuação na área, e os desligamentos procedem com aviso prévio indenizado e a correta prestação de serviços aos clientes. Não há aplicação de investimento em qualificação e desempenho profissional e não existe nenhum programa motivacional. c) Métodos: a empresa não possui nenhum software e nenhum planejamento estratégico para controle financeiro, ficando a cargo somente do gestor a responsabilidade pelas decisões de instituir toda e qualquer mudança. Todas as operações concentram-se apenas no gestor, gerando uma grande dependência e morosidade nos processos. Não há trocas, nem obtenção e nem aproveitamento de informações internas e nem externas. d) Medidas: todo processo é feito manual, regido á caneta em um caderno espiral, o que resulta em um processo moroso com informações carentes. Para acompanhar o consumo de uma mesa é feito as anotações dos produtos solicitados em um bloco de nota destacável, o qual é necessário somar na calculadora um a um no momento em que o cliente solicita o fechamento da mesa. Não há nenhum tipo de relatório contábil que auxilie e concretize os dados financeiros da organização, como por exemplo: balanços patrimoniais, DRE (Demonstração do Resultado do Exercício) e a Demonstração do Fluxo de Caixa. A seguir será demonstrada a próxima atividade que apresentará as propostas de melhorias sugeridas pela estagiária, estas têm por objetivo auxiliar o gestor em seus processos realizados, permitindo um melhor controle de suas movimentações diárias e mensais. Desta maneira, o gestor poderá ter uma visão de longo prazo possibilitando a fazer uma projeção de suas entradas e saídas por períodos pré - determinados.

26 Proposta da reorganização do fluxo de caixa na Empresa Após analisar o atual processo financeiro, esta atividade aborda a proposta de melhorias que a estagiária estagi fez ao o gestor da organização. organização Propôs-se a implementação de controle de fluxo de caixa por meio da reorganização do sistema de entradas e saídas das com a inserção de planilhas no Excel referentes referente aos embolsos e desembolsos, que serão descritas descritas detalhadamente no decorrer do trabalho. A seguir a FIG. 10 exemplifica o fluxo de funcionamento do sistema de gerenciamento do setor financeiro sugerido. Primeiramente é necessário classificar as contas, fazer o lançamento diário em planilhas distintas de contas a pagar e a receber, e essa planilha posteriormente alimentará a planilha de fluxo. fluxo Através da planilha de lançamento diário, será possível visualizar o Fluxo de caixa c e a partir do mesmo, fazer uma projeção dos embolsos e desembolsos da organização. organização FIGURA 10 Fluxograma de funcionamento do fluxo de caixa Fonte: Elaborado pelo professor Sérgio Rafacho,

27 26 A proposta da utilização deste sistema de planilhas em Excel tem por objetivo criar uma maneira de aprimorar os processos, permitindo que os registros dos embolsos e desembolsos possibilitem ao gestor uma visão geral de seu controle financeiro. Para o preenchimento correto das planilhas deverá ser seguido uma ordem de dados, portanto primeiramente preencher as planilhas de contas a pagar e a receber que posteriormente alimentarão a planilha de Lançamento diário que projetará logo em seguida a planilha de fluxo de caixa. Inicialmente devem-se classificar as contas, separando-se em embolsos e desembolsos, cada conta deverá ter uma numeração e nomenclatura determinada de maneira clara e objetiva, conforme FIG. 11. Desta forma, no fluxo de caixa as contas serão separadas de acordo com as numerações já determinadas. FIGURA 11 Planilha de Classificação de Contas Fonte: Elaborado pelo professor Sérgio Rafacho, Logo após, deve-se realizar o lançamento diário das contas a receber e a pagar diretamente nas planilhas de embolsos e desembolsos. A FIG. 12 representa a planilha de Contas a Pagar, onde deverão ser descritos todos os deveres e obrigações, também lançados todos os gastos realizados no mês, como impostos, pagamentos de funcionários, contas de consumo fixo (água, energia, telefone), dentre outros. Os valores deverão ser lançados na coluna de débito.

28 27 FIGURA 12 Planilha de contas a pagar Fonte: Elaborado pelo professor Sérgio Rafacho, Já na planilha de contas a receber FIG. 13 deverão ser lançados os recebimentos pela vendas de produtos e outros serviços oferecidos pela empresa, representando as entradas. Os valores deverão ser lançados na coluna de crédito. FIGURA 13 Planilha de contas a receber Fonte: Elaborado pelo professor Sérgio Rafacho, 2009.

29 28 Após o lançamento nas planilhas de contas a pagar e a receber, os resultados alimentarão a planilha de lançamento diário, FIG. 14. FIGURA 14 Planilha Relatório de movimento financeiro diário Fonte: Elaborado pelo professor Sérgio Rafacho, Após serem unificados os embolsos e desembolsos por meio dos lançamentos diários, a mesma alimentará a planilha de fluxo de caixa, FIG. 15 onde será possível observar se a empresa está operando com um saldo positivo ou negativo, possibilita ainda analisar mês a mês e avaliar a sazonalidade de valores. FIGURA 15 Planilha de fluxo de caixa Fonte: Elaborado pelo professor Sérgio Rafacho, 2009.

30 29 Após análise do fluxo mensal da empresa, propõe-se ainda uma planilha de projeções de futuros embolsos e desembolsos. Assim, a empresa poderá projetar suas saídas, de acordo com as demandas dos meses anteriores e fazer ainda uma projeção de suas entradas. Ao final de cada mês, será possível analisar se o planejamento foi feito de acordo com a realidade da empresa, se os embolsos e desembolsos apurados resultaram conforme o projetado, e também verificar as deficiências e processos que devem ser melhorados. A partir da análise do primeiro mês, a empresa poderá fazer projeções para os meses seguintes, de três em três meses ou até mesmo de seis em seis. A FIG. 16 ilustra a planilha de projeções do Previsto X Realizado. FIGURA 16 Planilha de Previsto X Realizado Fonte: Elaborado pelo professor Sérgio Rafacho, Com intuito em proporcionar uma melhor administração dos embolsos e desembolsos, a estagiária também propõe uma mudança nos processos atuais em relação ás vendas e compras realizadas pela organização. A FIG. 17 apresenta como sugestão alterações no Fluxograma das Vendas - cliente vai até a empresa. No momento em que o cliente pesar o prato e o atendente for registrar o valor no bloco, para não perder tempo é sugerido que o atendente já ofereça outros serviços, como bebidas por exemplo. A oferta de um novo serviço reduzirá o tempo gasto pelo atendente ao se deslocar e ir até a mesa para apenas verificar se o cliente deseja

31 30 mais alguma coisa. Em relação ao uso das planilhas, solicita-se ao gestor que com o novo processo inclua a atividade de registro no fluxograma descrito. FIGURA 17 Novo Fluxograma Vendas cliente vai até a empresa Em relação ao processo de vendas - contato do cliente é feito por telefone, a estagiária sugere que o gestor também inclua a atividade de registro no fluxograma descrito, FIG 18. FIGURA 18 Novo Fluxograma Vendas cliente faz pedido por telefone

32 31 Para aperfeiçoar os processos que geram as contas a pagar, a estagiária também propôs mudanças no fluxo atual. As FIG. 19 e FIG. 20 apresentam a sugestão da inserção dos registros nas planilhas. O gestor deverá lançar todos os valores pagos na planilha em Excel. FIGURA 19 Novo Fluxograma Verificação de produtos em estoque FIGURA 20 Novo Fluxograma Contas a Pagar produtos específicos

OTIMIZAÇÃO DA GESTÃO FINANCEIRA DA GLOBAL TECH POR MEIO DA IMPLANTAÇÃO DA FERRAMENTA DE CONTROLE DE FLUXO DE CAIXA RESUMO

OTIMIZAÇÃO DA GESTÃO FINANCEIRA DA GLOBAL TECH POR MEIO DA IMPLANTAÇÃO DA FERRAMENTA DE CONTROLE DE FLUXO DE CAIXA RESUMO OTIMIZAÇÃO DA GESTÃO FINANCEIRA DA GLOBAL TECH POR MEIO DA IMPLANTAÇÃO DA FERRAMENTA DE CONTROLE DE FLUXO DE CAIXA Karina Gomes Rodrigues 1,Sergio Rafacho 2, Rosane Catarina de Castro 3 RESUMO Este artigo

Leia mais

Estratégias para aumentar a rentabilidade. Indicadores importantes. Controle a produção. Reduza filas. Trabalhe com promoções.

Estratégias para aumentar a rentabilidade. Indicadores importantes. Controle a produção. Reduza filas. Trabalhe com promoções. Uma publicação: Estratégias para aumentar a rentabilidade 04 Indicadores importantes 06 Controle a produção 08 Reduza filas 09 Trabalhe com promoções 10 Conclusões 11 Introdução Dinheiro em caixa. Em qualquer

Leia mais

Controle Financeiro. 7 dicas poderosas para um controle financeiro eficaz. Emerson Machado Salvalagio. www.guiadomicroempreendedor.com.

Controle Financeiro. 7 dicas poderosas para um controle financeiro eficaz. Emerson Machado Salvalagio. www.guiadomicroempreendedor.com. Controle Financeiro 7 dicas poderosas para um controle financeiro eficaz Emerson Machado Salvalagio Quando abrimos uma empresa e montamos nosso próprio negócio ou quando nos formalizamos, após algum tempo

Leia mais

Prezado empreendedor,

Prezado empreendedor, Prezado empreendedor, Caderno do Empreendedor Este é o Caderno do Empreendedor, criado para facilitar o dia-a-dia da sua empresa. Com ele você poderá controlar melhor suas despesas, saber quanto está vendendo

Leia mais

CARGOS E PERFIS PROFISSIONAIS DOS FUNCIONÁRIOS DE A&B 1. GERENTE GERAL

CARGOS E PERFIS PROFISSIONAIS DOS FUNCIONÁRIOS DE A&B 1. GERENTE GERAL CARGOS E PERFIS PROFISSIONAIS DOS FUNCIONÁRIOS DE A&B GERENTE GERAL Sexo: Masculino ou Feminino Idade: entre 25 e 40 anos Escolaridade: ensino superior completo (Administração, contabilidade ou hotelaria)

Leia mais

ADIANTAMENTO E REEMBOLSO DE DESPESAS

ADIANTAMENTO E REEMBOLSO DE DESPESAS ADIANTAMENTO E REEMBOLSO DE DESPESAS NÚMERO CIR.FIN.MAT.0001 Elaborada em: 08/08/2011 Atualizada em: - Quant. Páginas DEPARTAMENTO DE ORIGEM Departamento Finanças 5 1 Objetivo Este documento tem como objetivo

Leia mais

ADMNINISTRAÇÃO FINANCEIRA: a importância de se controlar as finanças de uma empresa.

ADMNINISTRAÇÃO FINANCEIRA: a importância de se controlar as finanças de uma empresa. Helton Vieira ADMNINISTRAÇÃO FINANCEIRA: a importância de se controlar as finanças de uma empresa. Trabalho apresentado ao curso de Administração de Empresas do Centro Universitário Newton Paiva, na disciplina

Leia mais

Apresentaremos um diagrama de um processo de Vendas Consultivas que quando bem utilizado pode proporcionar :

Apresentaremos um diagrama de um processo de Vendas Consultivas que quando bem utilizado pode proporcionar : Pesquisa do professor Walter Brum Monteiro. Para conhecer nossos clientes e realizar negócios mais consistentes e duradouros, precisamos passar mais tempo interagindo e aproveitar o máximo possível deste

Leia mais

4 F E R R A M E N TA S E S S E N C I A I S

4 F E R R A M E N TA S E S S E N C I A I S como organizar as finanças da sua empresa 4 F E R R A M E N TA S E S S E N C I A I S AUTHOR NAME ROBSON DIAS Sobre o Autor Robson Dias é Bacharel em Administração de Empresas e Possui MBA em Gestão Estratégica

Leia mais

O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo

O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo O Oficina Integrada é um sistema completo para o controle e gerenciamento de oficinas mecânicas. É o primeiro e único software que controla o fluxo em sua oficina. O sistema foi desenvolvido para ser utilizado

Leia mais

Palavras-chave: Administração Financeira. Empresa Familiar. Fluxo de Caixa

Palavras-chave: Administração Financeira. Empresa Familiar. Fluxo de Caixa O FLUXO DE CAIXA COMO INSTRUMENTO DE GRANDE RELEVÂNCIA PARA UMA BOA ADMINISTRAÇÃO FINANCEIRA: UM ESTUDO DE CASO EM UMA EMPRESA FAMILIAR DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS NA CIDADE DE IPATINGA MG Lorena Nishio Alves

Leia mais

TÍTULO: A IMPORTANCIA DA GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS PARA AS TOMADA DE DECISÕES

TÍTULO: A IMPORTANCIA DA GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS PARA AS TOMADA DE DECISÕES TÍTULO: A IMPORTANCIA DA GESTÃO DO FLUXO DE CAIXA NAS EMPRESAS PARA AS TOMADA DE DECISÕES CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE JAGUARIÚNA

Leia mais

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO.

SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Workshop para empreendedores e empresários do Paranoá DF. SUPERE A CRISE E FORTALEÇA SEU NEGÓCIO. Dias 06 e 13 de Dezembro Hotel Bela Vista Paranoá Das 08:00 às 18:00 horas Finanças: Aprenda a controlar

Leia mais

CURSO DE FORMAÇÃO TESOUREIRO

CURSO DE FORMAÇÃO TESOUREIRO CURSO DE FORMAÇÃO TESOUREIRO ÍNDICE ÍNDICE 01 INTRODUÇÃO 02 A IMPORTÂNCIA DE UM TESOUREIRO 02 O QUE FAZ UM TESOUREIRO? 02 DESCRIÇÃO DA FUNÇÃO 02 ALGUMAS REGRAS PARA MANTER UMA BOA TESOURARIA 03 ALGUNS

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO. ASP Consultoria e Desenvolvimento de Softwares Ltda. SISTEMA DE GESTÃO COMERCIAL. Manual de Operação do SIMPLES 1

MANUAL DE OPERAÇÃO. ASP Consultoria e Desenvolvimento de Softwares Ltda. SISTEMA DE GESTÃO COMERCIAL. Manual de Operação do SIMPLES 1 Manual de Operação do SIMPLES 1 MANUAL DE OPERAÇÃO SISTEMA DE GESTÃO COMERCIAL ASP Consultoria e Desenvolvimento de Softwares Ltda. Manual de Operação do SIMPLES 2 A Empresa A ASP Desenvolvimento de Softwares

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM CNPJ: 10.793.118/0001-78 Projeto T2Ti ERP. Módulo Financeiro

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM CNPJ: 10.793.118/0001-78 Projeto T2Ti ERP. Módulo Financeiro Módulo Financeiro Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre todos os itens do Módulo Financeiro. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas no todo ou em partes do material

Leia mais

Um software de gestão é realmente capaz de atender as necessidades de cada profissional? Saiba mais e usufrua de benefícios que tornarão sua empresa

Um software de gestão é realmente capaz de atender as necessidades de cada profissional? Saiba mais e usufrua de benefícios que tornarão sua empresa Um software de gestão é realmente capaz de atender as necessidades de cada profissional? Saiba mais e usufrua de benefícios que tornarão sua empresa mais ágil, com menos papel e mais resultados. 2 ÍNDICE

Leia mais

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL

INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL INSTRUMENTO DE APOIO GERENCIAL 0401 01 IDENTIFICAÇÃO Título: CONTABILIDADE E EFICIÊNCIA NA ADMINISTRAÇÃO DO NEGÓCIO Atributo: ADMINISTRAÇÃO EFICIENTE Processo: ACOMPANHAMENTO CONTÁBIL O QUE É : Este é

Leia mais

Sistema CarOnline365 S I S T E M A D E O R Ç A M E N TA Ç Ã O E G E R E N C I A M E N T O PA R A O F I C I N A S E C O N C E S S I O N Á R I A S

Sistema CarOnline365 S I S T E M A D E O R Ç A M E N TA Ç Ã O E G E R E N C I A M E N T O PA R A O F I C I N A S E C O N C E S S I O N Á R I A S Sistema CarOnline365 S I S T E M A D E O R Ç A M E N TA Ç Ã O E G E R E N C I A M E N T O PA R A O F I C I N A S E C O N C E S S I O N Á R I A S Módulos do Sistema CarOnline365 Orçamentos Ordens de Serviço

Leia mais

Bloco Contábil e Fiscal

Bloco Contábil e Fiscal Bloco Contábil e Fiscal Contabilidade e Conciliação Contábil Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre os Módulos Contabilidade e Conciliação Contábil, que fazem parte do Bloco Contábil

Leia mais

Controles Financeiros - Básico-

Controles Financeiros - Básico- Controles Financeiros - Básico- Introdução Este material irá tratar de controles financeiros que sua empresa deve manter a fim de organizar todo o fluxo de informações que servirão de base para os relatórios.

Leia mais

Fluxo de caixa: organize e mantenha as contas no azul

Fluxo de caixa: organize e mantenha as contas no azul Fluxo de caixa: organize e mantenha as contas no azul O segredo do sucesso da sua empresa é conhecer e entender o que entra e o que sai do caixa durante um dia, um mês ou um ano. 1 Fluxo de caixa: organize

Leia mais

O GERENCIAMENTO DE ESTOQUE NUM HOTEL LOCALIZADO NO SERTÃO DE PERNAMBUCO

O GERENCIAMENTO DE ESTOQUE NUM HOTEL LOCALIZADO NO SERTÃO DE PERNAMBUCO ISSN 1984-9354 O GERENCIAMENTO DE ESTOQUE NUM HOTEL LOCALIZADO NO SERTÃO DE PERNAMBUCO Área temática: Gestão da Produção Jiceli de Souza Silva jiceli.silva2012@hotmail.com Ana Paula da Silva Farias ana_paula2778@hotmail.com

Leia mais

FLUXO DE CAIXA. Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante)

FLUXO DE CAIXA. Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante) FLUXO DE CAIXA Dinâmica: O que faço de diferente ou estranho. (Objetivo: Conhecer um pouco cada participante) Brainstorming: Chuva de ideias ou Toró de parpite: O QUE É FLUXO DE CAIXA? (Objetivo: Saber

Leia mais

Manual - Relatórios Gerenciais.

Manual - Relatórios Gerenciais. Manual - Relatórios Gerenciais. Perguntas que temos que responder quase que diariamente sobre: Vendas Financeiro Produção Emissão: 04/02/2014 Revisão: 28/05/2015 Revisado por: Juliana 1 Área de Vendas

Leia mais

Plataforma da Informação. Finanças

Plataforma da Informação. Finanças Plataforma da Informação Finanças O que é gestão financeira? A área financeira trata dos assuntos relacionados à administração das finanças das organizações. As finanças correspondem ao conjunto de recursos

Leia mais

Administrando o Fluxo de Caixa

Administrando o Fluxo de Caixa Administrando o Fluxo de Caixa O contexto econômico do momento interfere no cotidiano das empresas, independente do seu tamanho mercadológico e, principalmente nas questões que afetam diretamente o Fluxo

Leia mais

Guia Definitivo de Ferramentas para Micro Empreendedores Individuais

Guia Definitivo de Ferramentas para Micro Empreendedores Individuais Guia Definitivo de Ferramentas para Micro Empreendedores Individuais Introdução O Brasil já tem 4,7 milhões de microempreendedores individuais, segundo dados de janeiro de 2015 da Receita Federal. O incentivo

Leia mais

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO

ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO ANEXO I FICHA DE INSCRIÇÃO CATEGORIAS TÉCNICO TECNÓLOGO TEMAS LIVRE INCLUSÃO SOCIAL COOPERATIVISMO 1. DADOS DA INSTITUIÇÃO 1.1 Nome da Instituição 1.2 Nome do Reitor(a)/Diretor(a)-Geral/Diretor(a) 1.3

Leia mais

CMV Custo de Mercadoria Vendida

CMV Custo de Mercadoria Vendida CMV Custo de Mercadoria Vendida Guia para Food Service Restaurante & Pizzarias Apresentação Para manter sempre os parceiros alinhados com as informações do mercado, a PMG criou este guia falando um pouco

Leia mais

4 passos para uma Gestão Financeira Eficiente

4 passos para uma Gestão Financeira Eficiente 4 passos para uma Gestão Financeira Eficiente Saiba como melhorar a gestão financeira da sua empresa e manter o fluxo de caixa sob controle Ciclo Financeiro Introdução Uma boa gestão financeira é um dos

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DOS RELATÓRIOS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

NORMAS PARA ELABORAÇÃO DOS RELATÓRIOS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO NORMAS PARA ELABORAÇÃO DOS RELATÓRIOS DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO DO CURSO DE ADMINISTRAÇÃO SET / 2013. INTRODUÇÃO O presente documento visa proporcionar ao aluno inscrito no Estágio Supervisionado do Curso

Leia mais

FLUXO DE CAIXA INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO

FLUXO DE CAIXA INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO FLUXO DE CAIXA INSTRUMENTO DE PLANEJAMENTO E CONTROLE FINANCEIRO Lúcia de Fátima de Lima Lisboa RESUMO O presente artigo apresenta o fluxo de caixa como uma ferramenta indispensável para a gestão financeira

Leia mais

REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS

REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS REGULAMENTO GERAL DE ESTÁGIOS Dispõe sobre os estágios realizados pelos discentes do Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia de Minas Gerais - IFMG, em cumprimento da Lei nº 11.788, de 25 de setembro

Leia mais

Organizando e administrando o negócio

Organizando e administrando o negócio NEGÓCIO CERTO COMO CRIAR E ADMINISTRAR BEM SUA EMPRESA Organizando e administrando o negócio Manual Etapa 4/Parte 1 Boas vindas! Olá, caro empreendedor! É um prazer estar com você nesta etapa de sua viagem

Leia mais

ETEP TÉCNICO EM CONTABILIDADE MÓDULO 3 INFORMÁTICA 3 2012 PÓS MÉDIO

ETEP TÉCNICO EM CONTABILIDADE MÓDULO 3 INFORMÁTICA 3 2012 PÓS MÉDIO 2012 TÉCNICO EM CONTABILIDADE MÓDULO 3 INFORMÁTICA 3 PÓS MÉDIO 1 AULA 1 Verificação de Erros cometidos no Domínio Escrita Fiscal Para verificar o que já foi realizado no domínio escrita fiscal (e também

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG.

A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Bambuí/MG - 2008 A IMPORTÂNCIA DO PLANEJAMENTO GERENCIAL: UM ESTUDO DE CASO EM UMA PEQUENA EMPRESA DO SETOR AGRONEGÓCIO NO MUNICÍPIO DE BAMBUÍ/MG. Ana Cristina Teixeira AMARAL (1); Wemerton Luis EVANGELISTA

Leia mais

Unidade II. Melhoria contínua do Sistema de Gestão Administrativa. Sistema de Gestão. Responsabilidade da administração. Realização do produto

Unidade II. Melhoria contínua do Sistema de Gestão Administrativa. Sistema de Gestão. Responsabilidade da administração. Realização do produto Unidade II 3 IDENTIFICAÇÃO DOS PROCESSOS ORGANIZACIONAIS 3.1 Macroprocesso Tomando por referência a representação do Sistema de Gestão da Qualidade definida pela NBR ISO 9011:2008, observamos os principais

Leia mais

Comece o quanto antes! Logo que receber seu kit Mary Kay, experimente todos os produtos, pratique em você mesma. Inclua tudo na sua rotina diária.

Comece o quanto antes! Logo que receber seu kit Mary Kay, experimente todos os produtos, pratique em você mesma. Inclua tudo na sua rotina diária. POR ONDE COMEÇAR??? 1. Comece o quanto antes! Logo que receber seu kit Mary Kay, experimente todos os produtos, pratique em você mesma. Inclua tudo na sua rotina diária. Vai ganhar confiança, aprender

Leia mais

CARTILHA EDUCAÇÃO FINANCEIRA

CARTILHA EDUCAÇÃO FINANCEIRA CARTILHA EDUCAÇÃO FINANCEIRA ÍNDICE PLANEJANDO SEU ORÇAMENTO Página 2 CRÉDITO Página 12 CRÉDITO RESPONSÁVEL Página 16 A EDUCAÇÃO FINANCEIRA E SEUS FILHOS Página 18 PLANEJANDO SEU ORÇAMENTO O planejamento

Leia mais

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 AULA 9 Assunto: Plano Financeiro (V parte) Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA

Leia mais

08 Capital de giro e fluxo de caixa

08 Capital de giro e fluxo de caixa 08 Capital de giro e fluxo de caixa Qual o capital que sua empresa precisa para funcionar antes de receber o pagamento dos clientes? Como calcular os gastos, as entradas de dinheiro, e as variações de

Leia mais

jfinanç as Pessoal Versão 2.0 - Fevereiro/2015

jfinanç as Pessoal Versão 2.0 - Fevereiro/2015 jfinanças Pessoal Versão 2.0 - Fevereiro/2015 Índice 1 INTRODUÇÃO E VISÃO GERAL... 1 2 INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO INICIAL DO JFINANÇAS PESSOAL... 2 2.1 Download... 3 2.2 Instalação do jfinanças Pessoal...

Leia mais

Manual do Sistema TBZ OnLine - Entidade

Manual do Sistema TBZ OnLine - Entidade Manual do Sistema TBZ OnLine - Entidade DM003.0 Página 1 / 42 Índice 1 APRESENTAÇÃO... 4 DETALHAMENTO DOS LINKS DO TECBIZ ONLINE... 5 2 INICIAL... 5 3 ASSOCIADO... 5 3.1 SELECIONA ASSOCIADO... 5 3.2 ALTERAR

Leia mais

FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA

FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA FLUXO DE CAIXA COMO FERRAMENTA DE GESTÃO FINANCEIRA PARA MICROEMPRESA Laércio Dahmer 1 Vandersézar Casturino2 Resumo O atual mercado competitivo tem evidenciado as dificuldades financeiras da microempresa.

Leia mais

Como Fazer o seu Pedido

Como Fazer o seu Pedido 1 Como Fazer o seu Pedido Agora que você já está cadastrado e sabe como acessar o seu escritório virtual, é muito importante que saiba como enviar seus pedidos. No tutorial Como Fazer o seu Cadastro você

Leia mais

Seu cadastro na empresa! Para quem é esta oportunidade? O grande negócio! Administração Financeira Diretora Executiva Beth Filippelle Administração Financeira Você sabia? O mercado

Leia mais

BANRIDICAS FINANCEIRAS. A sua cartilha sobre Educação Financeira

BANRIDICAS FINANCEIRAS. A sua cartilha sobre Educação Financeira BANRIDICAS FINANCEIRAS A sua cartilha sobre Educação Financeira Planejando seu orçamento Traçar planos e colocar tudo na ponta do lápis - não é tarefa fácil, mas também não é impossível. O planejamento

Leia mais

Questionário de entrevista com o Franqueador

Questionário de entrevista com o Franqueador Questionário de entrevista com o Franqueador O objetivo deste questionário é ajudar o empreendedor a elucidar questões sobre o Franqueador, seus planos de crescimento e as diretrizes para uma parceria

Leia mais

www.icert.com.br / www.gestortotal.com.br

www.icert.com.br / www.gestortotal.com.br Empreendedorismo Pequeno empreendedor: Saiba como começar sua empresa 1. Como financiar um negócio 2. O MEI Microempreendedor Individual 3. Benefícios em formalizar sua empresa 4. Local para se formalizar

Leia mais

ORÇAMENTO FAMILIAR: UMA FERRAMENTA PARA GERIR OS RECURSOS FINANCEIROS DA ESFERA DOMÉSTICA

ORÇAMENTO FAMILIAR: UMA FERRAMENTA PARA GERIR OS RECURSOS FINANCEIROS DA ESFERA DOMÉSTICA 25 a 28 de Outubro de 2011 ISBN 978-85-8084-055-1 ORÇAMENTO FAMILIAR: UMA FERRAMENTA PARA GERIR OS RECURSOS FINANCEIROS DA ESFERA DOMÉSTICA Viviane da Silva Vieira Pereira 1 RESUMO: Este trabalho abordou

Leia mais

Prof. Cleber Oliveira Gestão Financeira

Prof. Cleber Oliveira Gestão Financeira Aula 2 Gestão de Fluxo de Caixa Introdução Ao estudarmos este capítulo, teremos que nos transportar aos conceitos de contabilidade geral sobre as principais contas contábeis, tais como: contas do ativo

Leia mais

PESM PROJETO EU SOU DE MINAS PROPOSTA DE PARCERIA

PESM PROJETO EU SOU DE MINAS PROPOSTA DE PARCERIA PESM PROJETO EU SOU DE MINAS PROPOSTA DE PARCERIA Prestação de Serviço de Configuração de Portal de Cidade VISÃO GERAL PESM Projeto Eu Sou de Minas tem a satisfação de enviar esta proposta de serviços

Leia mais

APOSTILA PARA O CURSO WFISCAL

APOSTILA PARA O CURSO WFISCAL TREINAMENTO Visão Estar posicionada entre as maiores e melhores provedoras de solução de gestão empresarial do Brasil Missão Desenvolvimento e fornecimento de soluções e serviços através de softwares para

Leia mais

PREPARAÇÃO DO SETOR DE SUPORTE TÉCNICO PARA CERTIFICAÇÃO ISO 9001: O CASO DE UMA EMPRESA DE OUTSOURCING DE IMPRESSÃO

PREPARAÇÃO DO SETOR DE SUPORTE TÉCNICO PARA CERTIFICAÇÃO ISO 9001: O CASO DE UMA EMPRESA DE OUTSOURCING DE IMPRESSÃO PREPARAÇÃO DO SETOR DE SUPORTE TÉCNICO PARA CERTIFICAÇÃO ISO 9001: O CASO DE UMA EMPRESA DE OUTSOURCING DE IMPRESSÃO Alisson Oliveira da Silva (FAHOR) as000699@fahor.com.br Matheus Weizenman (FAHOR) mw000944@fahor.com.br

Leia mais

REGULAMENTO ESCRITÓRIO DE PRÁTICAS DE GESTÃO CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE E DURAÇÃO

REGULAMENTO ESCRITÓRIO DE PRÁTICAS DE GESTÃO CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE E DURAÇÃO REGULAMENTO ESCRITÓRIO DE PRÁTICAS DE GESTÃO CAPÍTULO I DENOMINAÇÃO, SEDE, FINALIDADE E DURAÇÃO Artigo 1º A unidade acadêmico-gerencial modelo designado Escritório de Práticas de Gestão e com nome fantasia

Leia mais

O caixa é um dos itens mais importantes na administração de uma empresa. O controle é o primeiro passo para mantê-lo saudável e sempre no azul

O caixa é um dos itens mais importantes na administração de uma empresa. O controle é o primeiro passo para mantê-lo saudável e sempre no azul O caixa é um dos itens mais importantes na administração de uma empresa. O controle é o primeiro passo para mantê-lo saudável e sempre no azul Educação financeira. Esta é a palavra-chave para qualquer

Leia mais

FAQ- FACULDADE XV DE AGOSTO SISTEMA DE CONTROLE DO FLUXO DE CAIXA EM UMA FLORICULTURA INDRA FRANCO BOVI

FAQ- FACULDADE XV DE AGOSTO SISTEMA DE CONTROLE DO FLUXO DE CAIXA EM UMA FLORICULTURA INDRA FRANCO BOVI FAQ- FACULDADE XV DE AGOSTO SISTEMA DE CONTROLE DO FLUXO DE CAIXA EM UMA FLORICULTURA INDRA FRANCO BOVI SOCORRO 2011 FAQ- FACULDADE XV DE AGOSTO SISTEMA DE CONTROLE DO FLUXO DE CAIXA EM UMA FLORICULTURA

Leia mais

Finanças. Contas a Pagar e a Receber

Finanças. Contas a Pagar e a Receber 2 Dicas de Finanças Finanças Você pode achar que falar de finanças é coisa para grandes empresas. Talvez este assunto nem tenha sido tratado com a devida importância mesmo em sua informalidade. Contudo,

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA DIRETORIA DO CENTRO DE ESTUDOS DA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARÁ

MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA DIRETORIA DO CENTRO DE ESTUDOS DA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARÁ MANUAL DE PROCEDIMENTOS DA DIRETORIA DO CENTRO DE ESTUDOS DA DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARÁ SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO, 3 2 FUNCIONALIDADE ADMINISTRATIVA, 3 2 S ORGANIZACIONAIS DO CENTRO DE ESTUDOS, 3

Leia mais

FACULDADE DE SÃO VICENTE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO EMPRESA: SANTOS CONTAINER LTDA - EPP EDISANDRA ANDRADE DE OLIVEIRA

FACULDADE DE SÃO VICENTE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO EMPRESA: SANTOS CONTAINER LTDA - EPP EDISANDRA ANDRADE DE OLIVEIRA FACULDADE DE SÃO VICENTE BACHARELADO EM ADMINISTRAÇÃO RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO EMPRESA: SANTOS CONTAINER LTDA - EPP EDISANDRA ANDRADE DE OLIVEIRA DISCIPLINA: ESTÁGIO SUPERVISIONADO Prof.ª ORIENTADORA:

Leia mais

Os itens adicionados nesta lista serão retirados do estoque até que você os devolva.

Os itens adicionados nesta lista serão retirados do estoque até que você os devolva. Funções do Rackine. Será abordado aqui de forma simples e abreviada, as principais funções de cada tela do Rackine. Focando apenas em descrever o que cada parte do software faz. Para informações relativas

Leia mais

A Importância do Plano Financeiro no Plano de Negócios

A Importância do Plano Financeiro no Plano de Negócios A Importância do Plano Financeiro no Plano de Negócios Vanessa da Silva Sidônio vanessa_sidonio@hotmail.com Professor Heber Lavor Moreira heber@peritocontador.com.br Trabalho da Disciplina Administração

Leia mais

Sistema Gestão Comercial 2012

Sistema Gestão Comercial 2012 Sistema Gestão Comercial 2012 Charles Mendonça Analista de Sistemas Charles Informática Tecnologia & Sistemas Charles System Gestão Empresarial O Charles System é um software para empresas ou profissionais

Leia mais

FUNÇÃO FINANCEIRA DE UM EMPREENDIMENTO AGROPECUÁRIO

FUNÇÃO FINANCEIRA DE UM EMPREENDIMENTO AGROPECUÁRIO FUNÇÃO FINANCEIRA DE UM EMPREENDIMENTO AGROPECUÁRIO Odilio Sepulcri 1 Conforme ROSE 1, pode-se representar a administração de uma empresa, de uma forma geral, dividindo em três níveis: operações, estratégia

Leia mais

DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA: UM INSTRUMENTO AO PROCESSO DECISÓRIO

DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA: UM INSTRUMENTO AO PROCESSO DECISÓRIO DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA: UM INSTRUMENTO AO PROCESSO DECISÓRIO Priscila Rubbo 1 Paulo Roberto Pegoraro 2 Resumo: O demonstrativo do fluxo de caixa tem como finalidade a projeção das entradas e saídas

Leia mais

PLANO DE CARGOS & SALÁRIOS UNIMED ANÁPOLIS

PLANO DE CARGOS & SALÁRIOS UNIMED ANÁPOLIS PLANO DE CARGOS & SALÁRIOS UNIMED ANÁPOLIS 1 ÍNDICE APRESENTAÇÃO... 02 1 OBJETIVO DO MANUAL... 03 2 CONCEITOS UTILIZADOS... 04 3 POLÍTICA DE CARGOS E SALÁRIOS... 06 4 POLÍTICA DE CARREIRA... 07 5 AVALIAÇÃO

Leia mais

1 DESENVOLVIMENTO Conforme Tófoli (2008), o instrumento do fluxo de caixa é uma planilha que

1 DESENVOLVIMENTO Conforme Tófoli (2008), o instrumento do fluxo de caixa é uma planilha que FLUXO DE CAIXA Aline Angeli Gimenes - alineangeli@terra.com.br Dayane Fernandes Francisco - dayane_fernandes@hotmail.com Éric Tadeu Gimenes da Silva - ericofera@hotmail.com Irso Tófoli - irsotofoli@unisalesiano.edu.br

Leia mais

AVISO. O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

AVISO. O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida nem transmitida

Leia mais

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul

GESTÃO FINANCEIRA para FICAR NO Azul GESTÃO FINANCEIRA para ficar no azul índice 03 Introdução 04 Capítulo 1 O que é gestão financeira? 06 Capítulo 2 Gestão financeira e tomada de decisões 11 13 18 Capítulo 3 Como projetar seu fluxo financeiro

Leia mais

AUDITORIA INTERNA DA ATLAS

AUDITORIA INTERNA DA ATLAS AUDITORIA INTERNA DA ATLAS A auditoria interna serve à administração como meio de identificação de que todos os processos internos e políticas definido pela ATLAS, assim como sistemas contábeis e de controle

Leia mais

Determinação do Capital de Giro

Determinação do Capital de Giro Determinação do Capital de Giro Foco da Palestra Orientar e esclarecer os conceitos básicos para determinação e gerenciamento do Capital de Giro da empresa. Classificar e analisar as fontes e aplicações

Leia mais

FINANÇAS A B C D A R$ 24.000,00. B R$ 12.000,00. C R$ 2.000,00. D R$ 0,00.

FINANÇAS A B C D A R$ 24.000,00. B R$ 12.000,00. C R$ 2.000,00. D R$ 0,00. ESPE/Un SERE 2013 Nas questões a seguir, marque, para cada uma, a única opção correta, de acordo com o respectivo comando. Para as devidas marcações, use a Folha de Respostas, único documento válido para

Leia mais

Módulo Contábil e Fiscal

Módulo Contábil e Fiscal Módulo Contábil e Fiscal Contabilidade Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Contábil e Fiscal Contabilidade. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas no

Leia mais

Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital.

Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital. Esse programa visa a organização contínua e a efetividade do Processo Único de Federação, que contará com a inserção de um edital. Esse terá suas etapas e prazos muito bem definidos, garantindo um processo

Leia mais

Gestão Financeira. Caixa e Fluxo de Caixa. Diálogo Empresarial. Manual do Participante

Gestão Financeira. Caixa e Fluxo de Caixa. Diálogo Empresarial. Manual do Participante Gestão Financeira Caixa e Fluxo de Caixa Diálogo Empresarial Manual do Participante Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas Sebrae Unidade de Capacitação Empresarial MANUAL DO PARTICIPANTE

Leia mais

Manual Prático do Usuário

Manual Prático do Usuário Página 12 Saiba mais Em quanto tempo seu cliente recebe o produto Como é emitida a Nota fiscal e recolhido os impostos Pergunte ao Suporte Todos os pedidos serão enviados em até 24 horas úteis, após a

Leia mais

APLICATIVO EXCEL UMA FERRAMENTA ADEQUADA PARA AUXILIAR O GERENCIAMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS: UM ESTUDO DE CASO

APLICATIVO EXCEL UMA FERRAMENTA ADEQUADA PARA AUXILIAR O GERENCIAMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS: UM ESTUDO DE CASO APLICATIVO EXCEL UMA FERRAMENTA ADEQUADA PARA AUXILIAR O GERENCIAMENTO DAS MICRO E PEQUENAS EMPRESAS: UM ESTUDO DE CASO Fabiane Biava Sales (G-UEM) Rafael Pansanato (G-UEM) José Braz Hercos Junior (UEM)

Leia mais

CONTABILIDADE PARA PEQUENAS EMPRESAS: A Utilização da Contabilidade como Instrumento de Auxílio às Micro e Pequenas Empresas

CONTABILIDADE PARA PEQUENAS EMPRESAS: A Utilização da Contabilidade como Instrumento de Auxílio às Micro e Pequenas Empresas CONTABILIDADE PARA PEQUENAS EMPRESAS: A Utilização da Contabilidade como Instrumento de Auxílio às Micro e Pequenas Empresas Geovana Alves de Lima Fedato 1 Claiton Pazzini Goulart 2 Lyss Paula de Oliveira

Leia mais

INTRODUÇÃO. Sua consulta é muito fácil, abaixo daremos algumas dicas que facilitarão o seu dia a dia.

INTRODUÇÃO. Sua consulta é muito fácil, abaixo daremos algumas dicas que facilitarão o seu dia a dia. Referência Rápida INTRODUÇÃO Este manual de referência rápida foi criado com o objetivo de orientar de uma forma simples o caminho para as rotinas mais usadas no sistema Megga Fransys. Sua consulta é muito

Leia mais

Regulamento do Estágio Supervisonado do Curso de Administração - Grade Nova

Regulamento do Estágio Supervisonado do Curso de Administração - Grade Nova Autarquia Educacional do Vale do São Francisco AEVSF Faculdade de Ciências Aplicadas e Sociais de Petrolina FACAPE Centro Acadêmico de Ciências Humanas e Sociais CACHS Coordenação do Curso de Administração

Leia mais

Anexo II Termo de Referência

Anexo II Termo de Referência Anexo II Termo de Referência 1. Antecedentes O Projeto de Restauração e Manutenção de Estradas Federais PREMEF, registrado no PNUD com o código BRA 06/024, tem entre seus objetivos aprimorar a transparência

Leia mais

Apostila Coordenador

Apostila Coordenador Apostila Coordenador Índice Passo-a-passo para acessar... 5 Acesso aos dados do aluno... 6 Consultando o cadastro de alunos... 9 Consultando a matrícula de alunos... 10 Registrando e tratando ocorrências

Leia mais

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor

Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Agilizando o processo de compras para aumentar a eficiência e comprar melhor Toda empresa privada deseja gerar lucro e para que chegue com sucesso ao final do mês ela precisa vender, sejam seus serviços

Leia mais

PROCEDIMENTO GERENCIAL PADRÃO Ref.: FIN-PGP-001_00 Emissão: 22/05/2013 P. 1/14 CARTÃO CORPORATIVO

PROCEDIMENTO GERENCIAL PADRÃO Ref.: FIN-PGP-001_00 Emissão: 22/05/2013 P. 1/14 CARTÃO CORPORATIVO Ref.: FIN-PGP-001_00 Emissão: 22/05/2013 P. 1/14 CARTÃO CORPORATIVO Ref.: FIN-PGP-001_00 Emissão: 22/05/2013 P. 2/14 SUMÁRIO 1. RESUMO DO PROCESSO... 3 2. FLUXOGRAMA... 4 3. OBJETIVO... 5 4. APLICAÇÃO...

Leia mais

9 Plano de Marketing 9.1 Estratégias de Produto

9 Plano de Marketing 9.1 Estratégias de Produto 1 Sumário Executivo (O que é o plano de negócios) 2 Agradecimentos 3 Dedicatória 4 Sumário ( tópicos e suas respectivas páginas) 5 Administrativo - Introdução (O que foi feito no módulo administrativo)

Leia mais

Bolões CAIXA com Dezenas Combinadas APRESENTAÇÃO SOFTWARES

Bolões CAIXA com Dezenas Combinadas APRESENTAÇÃO SOFTWARES Bolões CAIXA com Dezenas Combinadas APRESENTAÇÃO SOFTWARES CRV Sistemas e Consultoria Comercializamos s, entregamos soluções, geramos otimização de lucros, somos pioneiros, inovadores e o mais importante:

Leia mais

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO

REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO REGULAMENTO DE ESTÁGIO OBRIGATÓRIO DO CURSO DE SERVIÇO SOCIAL I INTRODUÇÃO O estágio curricular do curso de Serviço Social é uma atividade obrigatória, em consonância com as Diretrizes Curriculares Nacionais

Leia mais

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE

UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE UNIVERSIDADE CANDIDO MENDES PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU INSTITUTO A VEZ DO MESTRE FLUXO DE CAIXA Por: Adriana Sant Anna dos Santos Orientador Profº.: Luiz Claudio Lopes Alves D.Sc. Rio de Janeiro 2009 2 UNIVERSIDADE

Leia mais

Contribuição Sindical dos empregados. Neste bip. Você sabia? edição 19 Março de 2012

Contribuição Sindical dos empregados. Neste bip. Você sabia? edição 19 Março de 2012 Neste bip Contribuição Sindical dos empregados... 1 Alterações no Aviso Prévio conforme Circular MTE 10/2011... 2 Formas de contabilização da Escrita Fiscal... 3 Importação de Notas Fiscais de Serviço...

Leia mais

Guia do Franqueado GESTÃO DO NEGÓCIO

Guia do Franqueado GESTÃO DO NEGÓCIO Por que a Contem1g existe? Para colaborar com a felicidade do maior número possível de pessoas. Esta é a nossa missão! 1 Guia do Franqueado GESTÃO DO NEGÓCIO Por que a Contem1g existe? Para colaborar com

Leia mais

[ GUIA ] GESTÃO FINANCEIRA PARA EMPREENDEDORES

[ GUIA ] GESTÃO FINANCEIRA PARA EMPREENDEDORES [ GUIA ] GESTÃO FINANCEIRA PARA EMPREENDEDORES D e s c u b r a c o m o m a n t e r o c a p i t a l d a e m p r e s a s o b c o n t r o l e p a r a f a z e r o n e g ó c i o c r e s c e r. Uma boa gestão

Leia mais

O QUE SE ESPERA DE UMA GERENTE BARRED S

O QUE SE ESPERA DE UMA GERENTE BARRED S O QUE SE ESPERA DE UMA GERENTE BARRED S Ela lidera a equipe, contrata, acompanha e desenvolve equipes, faz o plano de vendas, cuida do ponto de venda e da vitrine, controla o estoque, monitora e motiva

Leia mais

FLUXO DE CAIXA: UM EFICIENTE INSTRUMENTO AUXILIADOR

FLUXO DE CAIXA: UM EFICIENTE INSTRUMENTO AUXILIADOR FLUXO DE CAIXA: UM EFICIENTE INSTRUMENTO AUXILIADOR LUANA PARDINHO BOINA Discente do Curso de Tecnologia em Gestão Financeira das Faculdades Integradas de Três Lagoas AEMS. EDNA MARIA DA SILVA COGGO Docente

Leia mais

1.Introdução. 2. Posicionamento

1.Introdução. 2. Posicionamento 1.Introdução 1.1 Finalidade Este documento tem o objetivo de demonstrar as necessidades e problemas que a rede de clínicas de vacinação IMUNIZA encontra em seu dia a dia, propondo após um levantamento

Leia mais

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS

A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS A IMPORTÂNCIA DOS SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONTÁBIL COMO FONTE DE TOMADA DE DECISÕES GERENCIAS Linha de pesquisa: Sistema de informação gerencial Pâmela Adrielle da Silva Reis Graduanda do Curso de Ciências

Leia mais

COMO OTIMIZAR AS ATIVIDADES EM SEU CONSULTÓRIO

COMO OTIMIZAR AS ATIVIDADES EM SEU CONSULTÓRIO GUIA DEFINITIVO DE COMO OTIMIZAR AS ATIVIDADES EM SEU CONSULTÓRIO 10 DICAS DE COMO ORGANIZAR O DIA A DIA DE SEU CONSULTÓRIO INTRODUÇÃO O dia a dia de clínicas e consultórios, se não for organizado, pode

Leia mais

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.

AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA. Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com. AGENDA SEBRAE OFICINAS CURSOS PALESTRAS JUNHO A DEZEMBRO - 2015 GOIÂNIA Especialistas em pequenos negócios. / 0800 570 0800 / sebraego.com.br COM O SEBRAE, O SEU NEGÓCIO VAI! O Sebrae Goiás preparou diversas

Leia mais