Em ritmo acelerado. Governo altera regras do regime de proteção aos acidentes de trabalho. Índice. Acontece. Entrevista. Sindisider.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Em ritmo acelerado. Governo altera regras do regime de proteção aos acidentes de trabalho. Índice. Acontece. Entrevista. Sindisider."

Transcrição

1 Revista Brasileira do Aço - Ano 16 nº fev/15 mar 2007 Índice Acontece Estatísticas Análises Em ritmo acelerado O INDA está de malas prontas para sua mudança de sede. Em 26 de abril, será oficialmente inaugurado o novo espaço, no Edifício Ipiranga Offices II, localizado na rua Silva Bueno, nº º andar, no bairro do Ipiranga, Capital. A aquisição de um espaço com infra-estrutura adequada às suas atividades e de mais fácil acesso aos seus associados, facilitando a interação do Instituto com os representantes das empresas de distribuição, foi o grande desafio da 19ª Diretoria do INDA. Em 19 de março, realizam-se a Assembléia Geral Ordinária do INDA e a Assembléia Geral Ordinária do SINDISIDER. Na pauta, está a prestação de contas do exercício 2006, o plano de atividades e a proposta orçamentária para o ano de É importante a participação de todos os associados. O SINDISIDER depende basicamente da Contribuição Sindical para realizar suas atividades, dentre as quais a participação obrigatória em Acordos e Convenções Coletivas de Trabalho. Por isso, o Sindicato contratou uma empresa de cobrança, que está contatando as empresas inadimplentes de sua base de representação para a regularização da situação. Na área de eventos, está disponível no site o novo regulamento do Prêmio INDA de Ação Social; estão abertas as inscrições para os cursos, inclusive os realizados in company; e, no SINDISI- DER-BH, realizar-se-á a segunda edição do Curso de Especialização em Vendas de Aço. Boa leitura! Entrevista Sindisider Expediente Governo altera regras do regime de proteção aos acidentes de trabalho A segurança e a saúde do trabalhador no ambiente de trabalho é um dever do empregador, direito incluído na Constituição de 98. Dentre os mecanismos que asseguram o cumprimento desta obrigação, temos o Seguro de Acidente de Trabalho (SAT) e a Comunicação de Acidente de Trabalho (CAT). O Decreto 6.042, editado no último dia 12 de fevereiro pelo Presidente da República, introduziu alterações no regime de proteção aos acidentes de trabalho. A partir de 1º de março passou a vigorar o Nexo Técnico Epidemiológico, que estabelece de forma automática a relação entre as atividades econômicas e as doenças ocupacionais descritas no Código Internacional de Doenças (CID-10). O Nexo foi montado a partir da observação da incidência de agravos à saúde por atividade econômica, alcançando 99% de segurança estatística, e exigiu uma nova modificação na Classificação Nacional de Atividades Econômicas (CNAE). Os serviços de forjaria em aço, enquadrados na CNAE /01, estão relacionados a doenças do sistema oesteomuscular e do tecido conjuntivo, tais como as sinovites, tenossinovites, bursites, que são agravos à saúde em decorrência de posições forçadas, gestos repetitivos e ritmo de trabalho penoso. Já, no comércio atacadista de produtos siderúrgicos (CNAE /00), as doenças ocupacionais mais comuns são aquelas relacionadas com os transtornos articulares e dos tecidos moles. A nova regulamentação beneficia o trabalhador, tornando dispensável a emissão da CAT para que o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) conceda-lhe um benefício acidentário, quer por acidente de trabalho quer por doença ocupacional. O perito médico, baseado no Nexo Epidemiológico, é quem estabelece a existência ou não da relação entre a doença e a atividade econômica. A empresa, se julgar que a doença do empregado não tem relação com o tipo de trabalho que desenvolve, precisará juntar as provas dessa argumentação. A nova metodologia reviu também o enquadramento das empresas em relação às contribuições para o SAT. As empresas pagam de 1 a 3% sobre a folha de pagamento de seus funcionários, de acordo com o nível de risco de acidente de trabalho em seu ramo de atividade, agora estabelecido com base no Nexo Epidemiológico. Produção de laminados planos de aço comum revestidos ou não, de laminados planos de aços especiais, de laminados não-planos, de semi-acabados, de tubos, de arames, de relaminados, trefilados e perfilados de aço, dentre outros, pagam 3% de alíquota. O comércio atacadista de produtos siderúrgicos paga 1% da folha de seus funcionários ao SAT. Mas, o valor final pago pela empresa dependerá da quantidade de acidentes de trabalho registrados. Isto porque o decreto estabelece, a partir de agosto de 2007, o Fator Acidentário de Prevenção (FAP). Tal fator poderá reduzir pela metade ou dobrar as alíquotas estabelecidas por ramo de atividade, dependendo da situação da empresa em relação ao seu segmento econômico e da morbidade apresentada pelos seus trabalhadores. Assim, uma empresa classificada em atividade de alto risco (3%), mas com a mais baixa morbidade do setor (FAP= 0,5), terá sua alíquota para o SAT reduzida para 1,5%. Situação oposta ocorre na empresa que tem um FAP= 2. A fiscalização para definição do FAP será feita pelo INSS anualmente.

2 Acontece no setor 02 Mineração mantém alta O Brasil exportou 19,1 milhões de toneladas de minério de ferro em fevereiro, 10% mais que em igual mês do ano anterior, segundo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Em janeiro, o Brasil exportou 22,1 milhões de toneladas do produto. A Companhia Vale do Rio Doce (CVRD) responde pela maior parte dos embarques brasileiros. Grupos de mineração de todo o mundo bateram recordes no ano de A Rio Tinto, a BHP Billiton e a CVRD, que dominam amplamente o mercado do minério de ferro tiveram, no entanto, de reduzir suas exigências este ano. Depois de impor a seus clientes um aumento dos preços de 71,5%, em 2005 e 19%, em 2006, tiveram de se contentar este ano com uma alta de 9,5%. Boas perspectivas para o segmento de chapas grossas e laminados a quente Linha branca superou previsões de crescimento em 2006 O desempenho da linha branca superou as previsões dos fabricantes, com um incremento de vendas duas vezes superior ao esperado. O segmento comercializou 13,74% mais do que em 2005, em comparação a uma estimativa de crescimento de 6,53% Os produtos que puxaram o desempenho deste segmento foram os refrigeradores, com vendas 17,89% superiores a As lavadoras automáticas tiveram crescimento de 14,9% e os fogões, de 10,6%. A queda nas taxas de juros, a ampliação dos prazos dos crediários, a maior estabilidade no emprego e a melhoria na massa salarial foram os fatores que favoreceram o crescimento da linha branca, segundo a Eletros. Crédito: Burson-Marsteller Crédito: Roberto Smera As encomendas de 26 navios pela Transpetro vão triplicar a demanda por aço da indústria naval em A Usiminas estima que a demanda por chapas grossas e laminados a quente para o segmento chegue a 100 mil toneladas este ano, ante 34 mil toneladas consumidas em O volume representará um pico no período. A Transpetro projeta um consumo de 216 mil toneladas de chapas e perfis de aço até A Usiminas e a Arcelor Brasil são as únicas fornecedoras de chapas grossas de aço e laminados para a construção naval no Brasil. Como a Transpetro visa atingir 65% de nacionalização dos componentes, a expectativa das siderúrgicas é que a demanda seja suprida pelo mercado interno. O único empecilho para a realização da meta são os preços dos produtos siderúrgicos no mercado interno, 10 a 15% maiores em relação aos internacionais. Fundição mantém exportações A produção de fundidos em 2006 atingiu 3,08 milhões de toneladas, crescimento de 3,9% em relação ao ano passado. Deste total, 79,4% foram consumidos pelos setores automotivo (53,3%), de bens de capital (13,3%), siderúrgico (4,7%) e de infra-estrutura (3,1%). Os outros 20,6% foram exportados, apesar do câmbio desfavorável e representaram um crescimento de 18,8% sobre os embarques de fundidos em Inscrições abertas para os cursos da ABM Mais de 70 cursos para o aperfeiçoamento dos profissionais das áreas de metalurgia e de materiais integram o calendário 2007 da Coordenadoria de Educação Continuada da ABM. A meta é disponibilizar aproximadamente 100 cursos até o final do ano, incluindo os treinamentos in company e outros que podem ser programados no decorrer do ano, atendendo à demanda das empresas associadas. A maioria dos cursos abertos será realizada na sede da entidade, em São Paulo, mas já têm cursos agendados para os estados de Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul e Pará. Informações:

3 Vendas em alta O INDA solicitou aos seus associados a recontagem de seus estoques, com vistas a obter um número que melhor espelhasse a realidade da rede de distribuição. Conforme já sondado por pesquisa de sentimento com os associados, os valores dos estoques subiram numa proporção que indica o acerto do Instituto no realinhamento da pesquisa. Estatísticas 03

4 Mercado interno permanece aquecido para alguns setores consumidores de aço Análise 04 O mercado da construção civil tem boas perspectivas para 2007 e espera o crescimento dos investimentos em obras de infra-estrutura até 2010, por conta do recente Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), lançado pelo Governo Federal. O Sindicato da Indústria da Construção Civil de São Paulo Sinduscon-SP prevê que PIB do setor deve ficar em torno de 8% ao ano. Se este dado for confirmado, as vendas de perfis devem crescer acima da média dos demais aços planos, projeta Fábio de Araújo, analista de mercado do INDA. No conjunto, a produção doméstica de aços planos teve um crescimento físico positivo de 1,9%. Já, o setor de aços longos, por conta do bom desempenho do setor imobiliário, impulsionado pela maior disponibilidade dos financiamentos, experimentou um aumento de 7,5% em sua produção. O segmento de aços longos deve experimentar forte crescimento em 2007 e 2008, estimulado pelo investimento em moradias, em especial as de baixa renda, arrisca Araújo, para completar: Até as grandes construtoras já estão se voltando para o mercado de média e baixa renda, atraídas pela perspectiva de maior rentabilidade em relação ao mercado de alta renda e por ser um nicho ainda não explorado em larga escala. Automóveis, autopeças e motocicletas As previsões são favoráveis também para o setor automobilístico. No mês de janeiro, a produção alcançou novo recorde com 204 mil veículos. Por conta dos recordes de vendas de veículos vendidos em 2006 o número de unidades licenciadas atingiu 1,93 milhão, aumento de 12,7% sobre 2005 e da produção de apenas 2,61 milhões (crescimento de 3,2%), os estoques das montadoras estão baixos. A Associação dos Fabricantes de Veículos Automotores Anfavea projeta um crescimento de 4%, mas é provável um número próximo de 5,5%, de acordo com projeções de vários analistas do setor, pondera Araújo. O segmento de autopeças experimentou também crescimento em janeiro. Segundo o Sindicato da Indústria de Peças Sindipeças, o faturamento foi 1,3% maior em relação a janeiro de Em Minas Gerais, os associados do Sindipeças venderam 10,3% mais sobre janeiro do ano passado. Por ser um setor com ampla variedade de produtos e, conseqüentemente, mais suscetível à concorrência externa, ele poderá em breve sofrer com a entrada no mercado nacional de produtos chineses e coreanos. O Presidente Luís Inácio Lula da Silva, em sua visita recente ao Uruguai, sinalizou em estimular a importação de autopeças daquele país, como forma de evitar um acordo bilateral entre o Uruguai e os Estados Unidos, mantendo em pé o Mercosul. Há intenção do grupo coreano Hyunday de se associar com a empresa CAOA no Brasil para a produção de caminhões. Isto pode ampliar o mercado local de aços planos, de aços especiais e de forjados. Porém, por ser um grupo asiático de presença internacional, a Hyunday pode ter interesse em ter como fornecedores os fabricantes de autopeças de seu país, esclarece Araújo. O crescimento também é forte no setor de motocicletas. Em janeiro de 2007, a produção atingiu 149 mil unidades, 46% superior ao mesmo mês de 2006, com destaque para os modelos populares. O setor espera um crescimento físico da ordem de 11% para 2007, alcançando a marca de 1,6 milhão de unidades. Preços dos aços planos Por conta da forte demanda da China por aço, a Companhia Vale do Rio Doce conseguiu logo em 2007 um aumento de 9,5% para o preço do minério de ferro. Esse custo maior na produção de aço deverá ser repassado para o produto no mercado interno já no segundo trimestre, o que foi sinalizado pela Usiminas e pela Companhia Siderúrgica Nacional.

5 Série: Distribuição de Aço pelo Mundo Divulgação PMX Distribuição de aço Terceira parada: Estados Unidos O Nafta, bloco econômico formado pelos Estados Unidos, Canadá e México, é responsável apenas por 11% da produção mundial de aço. Entre 2000 e 2005, o consumo aparente de aço no bloco caiu 1,5%, de 147 milhões para 136 milhões de toneladas. Mais um dado: as importações líquidas de aço dos Estados Unidos são, em média, 20,8 milhões de toneladas por ano. Os números confirmam o que já é senso comum: as economias do bloco estão consolidadas e o crescimento do PIB é puxado preponderantemente pelo setor de serviços; o mercado emergente no setor siderúrgico é o bloco do Pacífico, liderado pela China e pela Índia; no mercado globalizado, as siderúrgicas, na busca de competitividade, estão se deslocando para os países com mão-de-obra mais barata, com recursos naturais e energéticos abundantes e onde há maior demanda por aço (o bloco do Pacífico fica com 66% do aço consumido no mundo). Neste contexto, um aumento de 2,4% nas vendas da rede de distribuição de aço nos Estados Unidos e Canadá em 2006, relativamente ao ano anterior, é comemorado como um novo recorde. O volume de vendas atingiu 56 milhões de toneladas no ano, apesar da queda de 10% nas vendas de dezembro sobre as vendas do mesmo mês de A recomposição dos estoques tem sido gradual, refletindo a baixa atividade da economia norte-americana, atingindo, em dezembro de 2006, 16,5 milhões de toneladas, 28% acima da de dezembro de 2005, o que representa 4,7 meses de capacidade de suprimento. Distribuidores do Nafta Os dados são do Metals Service Center Institute (MSCI), associação fundada em 1909, com 420 membros operando de 1200 locais nos Estados Unidos, Canadá e México. Além dos distribuidores de aço, o Instituto congrega os que operam com alumínio e outros metais, representando um montante de 75 milhões de tonela- das distribuídas para mais de 300 mil empresas. Calcula-se que existam mais de 5 mil centros de serviço nos Estados Unidos, a maior parte concentrada na região dos Grandes Lagos, nos estados de Nova Iorque, Pensilvânia, Ohio, Indiana, Illinois, Michigan e Wisconsin, além de Ontário, no Canadá. É aí que se concentram as indústrias siderúrgicas e onde está o maior mercado consumidor de metais. A segunda maior concentração está no sudeste, nos estados de Kentucky, Oeste Virgínia, Flórida, Mississipi, dentre outros. As principais indústrias atendidas por estes centros de serviço são: fabricantes de autopeças; companhias aeroespaciais; empresas de segurança; produtores têxteis; estaleiros; empresas de eletroeletrônicos; processadores de alimentos; fabricantes de eletrodomésticos; produtores de máquinas e equipamentos; construção civil; dentre outros. A maioria dos distribuidores de aço no Nafta caracteriza-se por ser provedores de processamento de alta precisão do aço, com reduzidas margens de tolerância, através de um rigoroso controle de qualidade. O produto chega nas linhas de produção das empresas pronto para ser usado, prescindindo de uma inspeção mais detalhada. Essa particularidade veio em decorrência do crescimento da terceirização no processamento e na estocagem: para os fabricantes e montadoras de produtos, assim como para as siderúrgicas, é menos custoso pagar para que terceiros cuidem de seus estoques e forneça a matéria-prima pré-processada. Outra tendência que afeta os centros de serviços e complementar ao movimento de terceirização é a consolidação da rede de distribuição. Os distribuidores de aço norte-americanos, buscando melhorar suas relações com os clientes, aumentar suas margens de lucro e os dividendos aos acionistas, têm feito esforços para aquisição e fusão com os concorrentes. De 1996 a 2005, os associados do MSCI caíram 70% em razão do movimento de consolidação na rede. 05

6 Renato Bernhoeft Fundador e Presidente da Bernhoeft Consultoria Societária, fundada em 1975 para apoiar sociedades empresariais e famílias empresárias a perpetuar seu conjunto de valores e seu patrimônio. Conferencista internacional e consultor de empresas nas áreas de profissionalização e sucessão de empresas familiares e formação de sucessores. Já atendeu, no Brasil, centenas de empresas como consultor, atuando também na Espanha, Portugal, México, Chile, Peru, Colômbia e Paraguai. Entrevista Autor de treze livros nas áreas de administração e sociedades familiares. Desde 2002, é membro da rede mundial de consultores FBCGi Family Business Consulting Group International. 06 Quais as vantagens competitivas das empresas familiares? As empresas familiares podem ter inúmeras vantagens sobre as chamadas não-familiares. Conseguem maior lealdade dos funcionários pela proximidade com os detentores do poder. O processo decisório - enquanto houver entendimento entre os familiares sócios - pode ser muito mais rápido e ágil. Adaptam-se de forma ágil às mudanças do mercado. Podem criar sistemas de incentivos e remuneração mais flexíveis. Apresentam visão e estratégias de longo prazo. Existem ramos de negócios onde a gestão familiar é mais eficiente? Não existem ramos onde a gestão familiar é mais competente. As empresas familiares estão presentes em todos os segmentos. Todas as empresas - exceção às estatais - iniciam como familiares ou multi-familiares. Ao longo do tempo, elas podem se tornar empresas de: Controle familiar e gestão familiar; Controle familiar e gestão não familiar; Controle familiar e gestão mista (executivos familiares e não-familiares). Esta última é a maioria no mundo. Quais são os principais conflitos que apresenta a empresa familiar? Os principais conflitos são: A mistura entre questões afetivas familiares e de negócios, repercutindo negativamente na empresa. Um grupo e, principalmente, uma sociedade, se fortalece na medida em que desenvolve formas, mecanismos e posturas para administrar seus conflitos. Numa sociedade familiar, estes nascem na família, nas relações pessoais e nas divergências ou lutas pelo poder na empresa. A falta de clareza dos herdeiros de que vão herdar um pedaço de uma sociedade com sócios que não tiveram a liberdade de escolherem. O modelo de sociedade da primeira geração é uma sociedade de trabalho, pois este gera e divide o capital; mas, na segunda geração, o modelo se inverte: é uma sociedade do capital, onde há a pulverização dos sócios-herdeiros e não necessariamente todos irão trabalhar nas empresas. O fundador não tratar do assunto sucessão em vida. Após o velório é mais difícil encontrar soluções, devido ao forte envolvimento emocional das pessoas. Como resolvê-los? A solução dos conflitos e interesses na empresa familiar tem pelos seguintes passos: Procurar tratar deste assunto, preferencialmente, com os fundadores em vida; Permitir aos herdeiros a possibilidade de optarem por serem apenas sócios, sócios conselheiros ou sócios gestores; Estabelecer um modelo para o funcionamento da sociedade especificando uma estrutura de poder que separe a propriedade da gestão; Fixar, de forma participativa, para gerar compromissos, um Acordo Societário que contemple todas as questões que poderão dificultar a continuidade da sociedade e da empresa; Implementar um modelo de gestão que tenha clara sua subordinação ao capital. Quais são as perspectivas para a empresa familiar numa economia globalizada? A empresa familiar tem muito futuro. Cada vez mais. Ele depende não apenas das condições de mercado e da economia. Parte das soluções tem relação direta com a capacidade de profissionalizar tanto o controle do capital como a gestão dos negócios. Por isso, é um mercado emergente para executivos não familiares. O que existe é o grande desafio de crescer com investimentos e internacionalizar as empresas familiares.

7 Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Produtos Siderúrgicos Sindisider BH abre inscrições para o curso de vendas de aço As inscrições para a 2ª turma do Curso de Especialização em Vendas de Aço do SINDISIDER em Belo Horizonte estão abertas. As aulas acontecerão de 9 a 14 de abril, na Rua Maranhão, 1.642, Funcionários. O curso é voltado aos profissionais de vendas e de marketing, em especial aos profissionais que já atuam na rede de distribuição de aço. A 2ª edição do Curso vai ter novo formato com o objetivo de otimizar sua realização. De acordo com pesquisa realizada com os alunos da 1ª edição, ministrada aos sábados, o formato abria grande intervalo entre uma e outra aula, quebrando um pouco seu ritmo. A partir desta constatação, a administração do Sindisider optou por remanejar a carga horária, que foi distribuída durante a semana, ocupando apenas um sábado, totalizando 28 horas-aula. O diferencial do Curso de Especialização em Vendas de Aço é a transmissão de conhecimentos que podem e devem ser usados na vida prática do profissional. O conteúdo é transmitido mesclandose as aulas expositivas com as dinâmicas de grupo, que simulam situações do cotidiano dos funcionários empregados nas distribuidoras de aço, oferecendo maior visibilidade para o aluno. O especialista em vendas de aço passa a valorizar outros fatores fundamentais da venda, além do preço do produto, tais como: a logística, o prazo de atendimento, a garantia de entrega, a assistência técnica, o acompanhamento das necessidades dos clientes, entre outros aspectos. As inscrições para o Curso de Especialização em Vendas de Aço do Sindisider BH podem ser feitas pelo telefone: com Alina ou Mateus ou pelo 07 Contribuição Sindical Patronal é obrigatória De acordo com a Constituição, os sindicatos são obrigados a participar dos Acordos e das Convenções Coletivas de Trabalho. Esses são instrumentos de negociação entre a classe patronal e a classe profissional, com força de lei. Para cumprir seu dever constitucional, assim como oferecer serviços que fortaleçam o segmento econômico que representa nos tempos de intensa competitividade, os sindicatos patronais dependem basicamente do recolhimento da contribuição sindical. Esta é devida por todas as empresas de sua base de representação. Do montante recebido, o sindicato retém 60%, sendo o restante distribuído entre o Ministério do Trabalho (20%), a Federação Estadual (15%) e a Confederação Nacional (5%). Para fazer valer seu direito constitucional, o Sindisider contratou uma empresa de cobrança, que estará nos próximos meses entrando em contato com as empresas inadimplentes de sua base para a regularização de sua situação. Assembléia Geral Ordinária SINDISIDER No dia 19 de março de 2007 acontecerá a Assembléia Geral Ordinária do SINDISIDER para deliberar sobre as contas de 2006 e sobre o plano de atividades e a proposta orçamentária para o exercício do ano de Estão convocados todos os associados do Sindicato em pleno gozo de seus direitos sindicais. A primeira chamada será feita às 13:00h e a segunda, às 14:00h. Solicita-se aos associados que credenciem seus representantes através do instrumento de mandato de poderes específicos, que será apresentado no ato de assinatura da lista de presença. A Assembléia ocorrerá na sede do SINDISIDER, na rua Cardeal Arcoverde, 1745, bloco A, 7º andar, em Pinheiros, São Paulo, Capital.

8 Expediente Diretoria executiva Presidente André Zinn Diretor administrativo e finaceiro Walter Roberto Areias Diretor para assuntos extraordinários Heuler de Almeida Conselho diretor Alberto Piñera Graña Newton Roberto Longo Paulo Musetti Valdecir Bersaghi Superintendente Gilson Santos Bertozzo Revista brasileira do aço Fone: Editor Fábio Luís Pedroso (Mtb 41728) Projeto gráfico, diagramação e editoração criatura.com.br Impressão Via Print Distribuição exclusiva para Associados ao Inda. Os artigos e opiniões publicados não refletem necessariamente a opinião da Revista Brasileira do Aço e são de inteira responsabilidade de seus autores Regulamento do Prêmio de Ação Social 2007 está no ar 08 O Regulamento da edição 2007 do Prêmio INDA de Ação Social já está no site O Prêmio é uma certificação concedida aos projetos sociais desenvolvidos ou apoiados pelas empresas do setor siderúrgico e da rede de distribuição de aço no país. A premiação objetiva destacar a importância da responsabilidade social no setor siderúrgico e de distribuição, estimulando a participação crescente das empresas em projetos de interesse social. Na última edição do Prêmio, durante o Jantar de Confraternização, ocasião em que se encontram mais de 200 representantes de empresas do setor, foram inscritos 26 projetos e seis foram certificados. Cursos Cursos de atualização profissional in company O INDA oferece cursos de atualização profissional personalizados, em qualquer lugar do país, para um grupo fechado de funcionários de uma empresa. Os cursos podem inclusive acontecer nos finais de semana. Os cursos são coordenados pelo professor de graduação e do MBA em Gestão de Processos da ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing), Dr. Paulo Barreto. Informações com Sílvia (11) Veja a seguir os dois cursos formatados para serem oferecidos in company. Curso de Especialização em Vendas de Aço Objetivo: Atuar no mercado de aço com visão estratégica, por meio do uso de ferramentas de marketing que auxiliem a traçar o perfil do cliente e a adequar os produtos do portfólio da empresa. Público: profissionais da área comercial Metodologia: Aulas expositivas, discussão de casos reais, dinâmicas de grupo, visitas às usinas Curso de Negociação Objetivo: Dotar o aluno das habilidades teóricas e práticas da negociação de sucesso em qualquer situação, capacitando-o a analisar a situação, a desenvolver um plano, a perceber e capitalizar comportamentos, a desenvolver estratégias de relacionamento interpessoal e a ganhar confiança como negociador. Público: profissionais de vendas, profissionais de compra e profissionais em posição de liderança. Metodologia: série de dinâmicas e exercícios de negociação nos quais o aluno tem a oportunidade de aplicar o que aprendeu nas aulas e em discussões em classe. Assembléia Geral Ordinária INDA No dia 19 de março de 2007 acontecerá a Assembléia Geral Ordinária do INDA para deliberar sobre as contas de 2006 e sobre o plano de atividades e a proposta orçamentária para o exercício do ano de Estão convocados todos os associados do Instituto. A primeira chamada será feita às 15:30h; a segunda, às 16:30h; e a última, às 17:30h. Solicita-se aos associados que credenciem seus representantes através do instrumento de mandato de poderes específicos, que será apresentado no ato de assinatura da lista de presença. A Assembléia ocorrerá na sede do INDA, na rua Cardeal Arcoverde, 1745, bloco A, 7º andar, em Pinheiros, São Paulo, Capital.

Açotubo anuncia fusão com Incotep e Artex Aços Inoxidáveis

Açotubo anuncia fusão com Incotep e Artex Aços Inoxidáveis Açotubo anuncia fusão com Incotep e Artex Aços Inoxidáveis Ter, 02 de Agosto de 2011 07:13 Com base nos movimentos de mercado e da companhia alinhados ao aquecimento da indústria e economia brasileiras,

Leia mais

SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER

SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER 4ª SEMANA DE MARÇO A entrevista do presidente Carlos Loureiro para a Reuters sobre a reunião no MDIC continua recebendo destaque da mídia. Reproduções da reportagem

Leia mais

SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER

SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER SINOPSE DE CLIPPING SEMANAL SINDISIDER SEMANA DE 29 DE OUTUBRO A 1º DE NOVEMBRO Um dos destaques desta semana é a reportagem do UOL sobre o recuo de 1% na produção industrial brasileira, entre setembro

Leia mais

CONSUMO APARENTE DE AÇO NO BRASIL DEVE VOLTAR AO PATAMAR DE

CONSUMO APARENTE DE AÇO NO BRASIL DEVE VOLTAR AO PATAMAR DE Aço AÇO BRASIL ABRIL I N F O R M A 28ª 28EDIÇÃO ABRIL 2015 CONSUMO APARENTE DE AÇO NO BRASIL DEVE VOLTAR AO PATAMAR DE 2007 O consumo aparente de aço no País deve fechar o ano de 2015 com queda de 7,8%

Leia mais

Negócios. Gerdau aprimora gestão para ampliar resultados operacionais. 18,5 milhões de toneladas

Negócios. Gerdau aprimora gestão para ampliar resultados operacionais. 18,5 milhões de toneladas Negócios Gerdau inicia produção própria de bobinas a quente na usina Ouro Branco (MG). DESEMPENHO DAS OPERAÇÕES Gerdau aprimora gestão para ampliar resultados operacionais Ao longo de 2013, as vendas físicas

Leia mais

3 O Cimento no Brasil. 10 Características da Indústria Cimenteira. 12 O Cimento no Custo da Construção. 13 Carga Tributária. 15 Panorama Internacional

3 O Cimento no Brasil. 10 Características da Indústria Cimenteira. 12 O Cimento no Custo da Construção. 13 Carga Tributária. 15 Panorama Internacional 3 O Cimento no Brasil 3 Processo produtivo 4 Histórico 5 Indústria 6 Produção 7 Consumo 8 Produção e consumo aparente regional 9 Vendas internas e exportação 10 Características da Indústria Cimenteira

Leia mais

Destaque Setorial - Bradesco

Destaque Setorial - Bradesco Siderurgia 12 de maio de 2015 Demanda externa deve compensar parcialmente retração doméstica de produtos siderúrgicos Leandro de Oliveira Almeida Departamento de Pesquisas e Estudos Econômicos A retração

Leia mais

Vendas e Mercados. Capacidade para atender à crescente demanda do mercado. Vendas Físicas por Região Geográfica (em milhares de toneladas)

Vendas e Mercados. Capacidade para atender à crescente demanda do mercado. Vendas Físicas por Região Geográfica (em milhares de toneladas) Vendas e Mercados Capacidade para atender à crescente demanda do mercado Vendas Físicas por Região Geográfica (em milhares de toneladas) BRASIL 12.144 6.587 5.141 416 2003 12.561 6.630 520 2004 CANADÁ

Leia mais

Romi registra lucro líquido de R$ 83 milhões em 2006, o maior resultado de sua história

Romi registra lucro líquido de R$ 83 milhões em 2006, o maior resultado de sua história Resultados do 4 o Trimestre de 2006 Cotações (28/12/06) ROMI3 - R$ 158,00 ROMI4 - R$ 146,50 Valor de Mercado R$ 999,0 milhões Quantidade de Ações Ordinárias: 3.452.589 Preferenciais.: 3.092.882 Total:

Leia mais

Desempenho de vendas do setor segue forte

Desempenho de vendas do setor segue forte Macro Setorial segunda-feira, 20 de maio de 2013 Veículos Desempenho de vendas do setor segue forte Depois de obter recorde na venda de automóveis e comerciais leves em 2012, impulsionado por incentivos

Leia mais

ANÁLISE DE COMPETITIVIDADE EMBALAGENS

ANÁLISE DE COMPETITIVIDADE EMBALAGENS ANÁLISE DE COMPETITIVIDADE EMBALAGENS Jun/15 Análise de Competitividade Embalagens Resumo da Cadeia de Valores Painel de Indicadores de Monitoramento da Competitividade Setorial Percepção empresarial da

Leia mais

Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais

Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais Perspectivas para o desenvolvimento brasileiro e a indústria de commodities minerais João Carlos Ferraz BNDES 31 de agosto de 2008 Guia Contexto macroeconômico Políticas públicas Perpectivas do investimento

Leia mais

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico

Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Boletim Econômico Edição nº 89 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Crise não afeta lucratividade dos principais bancos no Brasil 1 Lucro dos maiores bancos privados

Leia mais

APIMEC São Paulo Rômel Erwin de Souza CEO. Apresentação Usiminas 2T11 - APIMEC. 12 de novembro de 2015 Classificação da Informação: Pública

APIMEC São Paulo Rômel Erwin de Souza CEO. Apresentação Usiminas 2T11 - APIMEC. 12 de novembro de 2015 Classificação da Informação: Pública APIMEC São Paulo Rômel Erwin de Souza CEO Apresentação Usiminas 2T11 - APIMEC 12 de novembro de 2015 Classificação da Informação: Pública Agenda Usiminas em linhas gerais Informações de Mercado Usiminas

Leia mais

Siderurgia no Brasil

Siderurgia no Brasil www.pwc.com.br Siderurgia no Brasil Um panorama do setor siderúrgico brasileiro SICETEL Sindicato Nacional da Indústria de Trefilação e Laminação de Metais Ferrosos IABR Instituto Aço Brasil 1 Setor de

Leia mais

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010

Metodologia. Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Público Alvo: Amostra: 500 entrevistas realizadas. Campo: 16 a 29 de Setembro de 2010 Metodologia Pesquisa Quantitativa Coleta de dados: Através de e-survey - via web Público Alvo: Executivos de empresas associadas e não associadas à AMCHAM Amostra: 500 entrevistas realizadas Campo: 16

Leia mais

No que diz respeito à siderurgia em nível mundial, podemos destacar como principais pontos:

No que diz respeito à siderurgia em nível mundial, podemos destacar como principais pontos: Setor Siderúrgico 1 O setor siderúrgico brasileiro passou por profundas transformações na década de 90, tendo como principal elemento de mudança o processo de privatização do setor, que desencadeou, num

Leia mais

com produtos chineses perderam mercado no exterior em 2010. China Sendo que, esse percentual é de 47% para o total das indústrias brasileiras.

com produtos chineses perderam mercado no exterior em 2010. China Sendo que, esse percentual é de 47% para o total das indústrias brasileiras. 73% das indústrias gaúchas exportadoras que concorrem com produtos chineses perderam mercado no exterior em 2010. 53% das indústrias gaúchas de grande porte importam da China Sendo que, esse percentual

Leia mais

Plataforma da Informação. Finanças

Plataforma da Informação. Finanças Plataforma da Informação Finanças O que é gestão financeira? A área financeira trata dos assuntos relacionados à administração das finanças das organizações. As finanças correspondem ao conjunto de recursos

Leia mais

Segundo Helen Deresky, (2004, p. 55), as alianças estratégicas não acionárias ocorrem:

Segundo Helen Deresky, (2004, p. 55), as alianças estratégicas não acionárias ocorrem: O modelo supply chain As empresas de hoje atuam segundo algumas correntes, ou modelos econômicos. Dentre estes se pode citar a cadeia de suprimentos ou supply chain, modelo das grandes corporações, e a

Leia mais

A CRISE INTERNACIONAL E A REPERCUSSÃO NO BRASIL

A CRISE INTERNACIONAL E A REPERCUSSÃO NO BRASIL A CRISE INTERNACIONAL E A REPERCUSSÃO NO BRASIL ANÁLISE ECONÔMICA DA CSN DE SETEMBRO DE 2011 Cenário Internacional 2011 foi marcado por um ambiente econômico de instabilidade, agravamento da crise européia.

Leia mais

BOLETIM EMPREGO Setembro 2014

BOLETIM EMPREGO Setembro 2014 Introdução A seguir são apresentados os últimos resultados disponíveis sobre o emprego no Brasil, com foco no ramo Metalúrgico. Serão utilizadas as bases de dados oficiais, são elas: a RAIS (Relação Anual

Leia mais

Relatório de Análise. CSN: Boas perspectivas operacionais, mas duas incertezas. 4T12 Preços melhores e maior volume de minério

Relatório de Análise. CSN: Boas perspectivas operacionais, mas duas incertezas. 4T12 Preços melhores e maior volume de minério CSN: Boas perspectivas operacionais, mas duas incertezas A CSN teve um ano difícil em 2012, com perdas contábeis elevadas em seu investimento na Usiminas, expressiva redução na geração de caixa, aumento

Leia mais

Rio de Janeiro poderá ser o primeiro na produção de aço no Brasil

Rio de Janeiro poderá ser o primeiro na produção de aço no Brasil Revista brasileira do aço - Ano 15 nº79-15 mai/15 jun - 2006 Editorial Um dos pilares do INDA é o setor de Inteligência Competitiva. Este objetiva a coleta e interpretação dos dados junto às usinas, aos

Leia mais

Apresentação para Investidores. Novembro de 2014

Apresentação para Investidores. Novembro de 2014 Apresentação para Investidores Novembro de 2014 1 Agenda Diferenciais Gerdau Estratégia Destaques Operacionais e Financeiros Perspectivas Diferenciais Gerdau Mais de 110 anos de atuação no mercado do aço

Leia mais

NOTA CEMEC 03/2015 FATORES DA QUEDA DO INVESTIMENTO 2010-2014

NOTA CEMEC 03/2015 FATORES DA QUEDA DO INVESTIMENTO 2010-2014 NOTA CEMEC 03/2015 FATORES DA QUEDA DO INVESTIMENTO 2010-2014 Março 2015 1 NOTA CEMEC 03/2015 SUMÁRIO Os dados de Contas Nacionais atualizados até o terceiro trimestre de 2014 revelam a continuidade da

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro Educação a Distância Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. A única diferença é a sala de aula que fica em suas

Leia mais

COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002

COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002 COMENTÁRIOS DO DESEMPENHO NO 3º TRIMESTRE E 9 MESES DE 2002 Desempenho Em ambiente de queda da atividade na indústria automobilística, a Iochpe-Maxion apresentou um crescimento de 8,4% nas vendas no terceiro

Leia mais

ORÇAMENTO ESTÁTICO x ORÇAMENTO FLEXÍVEL ORÇAMENTO

ORÇAMENTO ESTÁTICO x ORÇAMENTO FLEXÍVEL ORÇAMENTO ORÇAMENTO ESTÁTICO x ORÇAMENTO FLEXÍVEL ORÇAMENTO É a etapa do processo do planejamento estratégico em que se estima (projeta) e determina a melhor relação entre resultados e despesas para atender às necessidades

Leia mais

Conduspar. Resumo. de empresa familiar à multinacional

Conduspar. Resumo. de empresa familiar à multinacional Conduspar de empresa familiar à multinacional por Andrea Bier Serafim Mestre em Administração pela Universidade Federal do Paraná - UFPR (2003). Graduada em Administração pela Faculdade Católica de Administração

Leia mais

Menores, mas com potencial de gigantes

Menores, mas com potencial de gigantes Menores, mas com potencial de gigantes 12 KPMG Business Magazine Empresas do mercado empreendedor ganham força com a expansão do consumo nos países emergentes O ano de 2008 foi um marco na história econômica

Leia mais

ÊNFASE EM GESTÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA

ÊNFASE EM GESTÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA MBA DESENVOLVIMENTO AVANÇADO DE EXECUTIVOS ÊNFASE EM GESTÃO ECONÔMICO-FINANCEIRA O MBA Desenvolvimento Avançado de Executivos possui como característica atender a um mercado altamente dinâmico e competitivo

Leia mais

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO

DADOS DE IDENTIFICAÇÃO 1 BUSINESS GAME UGB Eduardo de Oliveira Ormond Especialista em Gestão Empresarial Flávio Pires Especialista em Gerencia Avançada de Projetos Luís Cláudio Duarte Especialista em Estratégias de Gestão Marcelo

Leia mais

Grandes empresas familiares brasileiras Uma análise da publicação VALOR 1000

Grandes empresas familiares brasileiras Uma análise da publicação VALOR 1000 Grandes empresas familiares brasileiras Uma análise da publicação VALOR 1000 VALOR 1000 é uma publicação anual do jornal Valor Econômico Copyright 2004 Prosperare SUMÁRIO EXECUTIVO INTRODUÇÃO PANORAMA

Leia mais

GOVERNANÇA CORPORATIVA CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO CONSELHO CONSULTIVO

GOVERNANÇA CORPORATIVA CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO CONSELHO CONSULTIVO GOVERNANÇA CORPORATIVA CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO CONSELHO CONSULTIVO O QUE É GOVERNANÇA CORPORATIVA? Conselho de Família GOVERNANÇA SÓCIOS Auditoria Independente Conselho de Administração Conselho Fiscal

Leia mais

A Construção na Ótica da Indústria de Materiais. Walter Cover 27/08/2014

A Construção na Ótica da Indústria de Materiais. Walter Cover 27/08/2014 A Construção na Ótica da Indústria de Materiais Walter Cover 27/08/2014 Representatividade ABRAMAT 10% Do PIB Nacional Cadeia da Construção 5,5 Milhões de trabalhadores formais (3,5 na construção Civil)

Leia mais

A locomotiva de concreto

A locomotiva de concreto A locomotiva de concreto 16 KPMG Business Magazine Construção civil supera período de estagnação, mas ainda há gargalos que podem comprometer o ritmo de investimentos A construção civil no Brasil não para

Leia mais

SÉRIE IPO s: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ABERTURA DE CAPITAL. Parte 4: Como tornar sua Empresa uma Companhia de Capital Aberto

SÉRIE IPO s: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ABERTURA DE CAPITAL. Parte 4: Como tornar sua Empresa uma Companhia de Capital Aberto SÉRIE IPO s: TUDO O QUE VOCÊ PRECISA SABER SOBRE ABERTURA DE CAPITAL Parte 4: Como tornar sua Empresa uma Companhia de Capital Aberto o O que é Abertura de Capital o Vantagens da abertura o Pré-requisitos

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto. (Versão 4.0 - Março/2015)

Política de Exercício de Direito de Voto. (Versão 4.0 - Março/2015) Política de Exercício de Direito de Voto (Versão 4.0 - Março/2015) 1. Objeto e Aplicação 1.1. Esta Política de Exercício de Direito de Voto ( Política de Voto ), em conformidade com as disposições do Código

Leia mais

Apresentação para Investidores. Março, 2009

Apresentação para Investidores. Março, 2009 Apresentação para Investidores Março, 2009 1 Filosofia Gerdau VISÃO Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. MISSÃO O Grupo Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que

Leia mais

Especial Lucro dos Bancos

Especial Lucro dos Bancos Boletim Econômico Edição nº 90 novembro de 2014 Organização: Maurício José Nunes Oliveira Assessor econômico Especial Lucro dos Bancos 1 Tabela dos Lucros em 2014 Ano Banco Período Lucro 2 0 1 4 Itaú Unibanco

Leia mais

2013 Inventta Todos os direitos reservados.

2013 Inventta Todos os direitos reservados. Agenda Quem Somos Gerindo a Inovação nas Empresas Estímulos Governamentais à Inovação Resultados da pesquisa FDC/Inventta Conclusões O GRUPO A Inventta é uma consultoria especializada em gestão da inovação,

Leia mais

INFORME MINERAL DNPM JULHO DE 2012

INFORME MINERAL DNPM JULHO DE 2012 INFORME MINERAL DNPM JULHO DE 2012 A mineração nacional sentiu de forma mais contundente no primeiro semestre de 2012 os efeitos danosos da crise mundial. Diminuição do consumo chinês, estagnação do consumo

Leia mais

Northern Telecom Ltd (Nortel). Isto devido ao seu atraso na substituição da tecnologia analógica pela digital.

Northern Telecom Ltd (Nortel). Isto devido ao seu atraso na substituição da tecnologia analógica pela digital. MOTOROLA A empresa alcançou um faturamento global da ordem de US$ $37.6 bilhões em 2000. É líder mundial em sistemas e serviços eletrônicos avançados. Atuando de maneira globalizada em 45 países, mais

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Gestão Estratégica de Negócios Apresentação O programa de Pós-graduação Lato Sensu em Gestão Estratégica de Negócios tem por objetivo desenvolver a

Leia mais

Seguro de Acidente de Trabalho. Seguro de Acidente de Trabalho (SAT) Mais encargos em 2010

Seguro de Acidente de Trabalho. Seguro de Acidente de Trabalho (SAT) Mais encargos em 2010 Seguro de Acidente de Trabalho (SAT) Mais encargos em 2010 Cálculo do Seguro de Acidente de Trabalho até 2009 Valor do Seguro = Folha de Pagamentos X Alíquota SAT SAT - Seguro de Acidente de Trabalho -

Leia mais

Relatório Analítico 27 de março de 2012

Relatório Analítico 27 de março de 2012 VENDA Código de Negociação Bovespa TGM A3 Segmento de Atuação Principal Logística Categoria segundo a Liquidez 2 Linha Valor de M ercado por Ação (R$) 29,51 Valor Econômico por Ação (R$) 32,85 Potencial

Leia mais

BNDES Prosoft. Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação

BNDES Prosoft. Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação BNDES Prosoft Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação Objetivo - Contribuir para o desenvolvimento da indústria nacional de software

Leia mais

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016

Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 COMUNICADO No: 58 Empresas aéreas continuam a melhorar a rentabilidade Margem de lucro líquida de 5,1% para 2016 10 de dezembro de 2015 (Genebra) - A International Air Transport Association (IATA) anunciou

Leia mais

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008

Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Boletim de Conjuntura Econômica Dezembro 2008 Crise Mundo Os EUA e a Europa passam por um forte processo de desaceleração economica com indicios de recessão e deflação um claro sinal de que a crise chegou

Leia mais

As principais alterações trazidas pela Instrução CVM 571 encontram-se resumidas abaixo.

As principais alterações trazidas pela Instrução CVM 571 encontram-se resumidas abaixo. MERCADO DE CAPITAIS 01/12/2015 CVM ALTERA INSTRUÇÃO QUE DISPÕE SOBRE A CONSTITUIÇÃO, A ADMINISTRAÇÃO, O FUNCIONAMENTO, A OFERTA PÚBLICA DE DISTRIBUIÇÃO E A DIVULGAÇÃO DOS FUNDOS DE INVESTIMENTO IMOBILIÁRIO

Leia mais

POR QUE SER ASSOCIADO ABESE? CONHEÇA TODOS OS BENEFÍCIOS

POR QUE SER ASSOCIADO ABESE? CONHEÇA TODOS OS BENEFÍCIOS POR QUE SER ASSOCIADO ABESE? CONHEÇA TODOS OS BENEFÍCIOS Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança - ABESE Entidade que representa, nacionalmente, as empresas de sistemas

Leia mais

Perspectiva da Indústria de Autopeças no contexto do Inovar-Auto

Perspectiva da Indústria de Autopeças no contexto do Inovar-Auto Perspectiva da Indústria de Autopeças no contexto do Inovar-Auto Apresentação Paulo Butori Presidente do Sindipeças Elaboração: Assessoria Econômica do Sindipeças São Paulo, novembro de 2013 Números do

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS POLO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade

POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS POLO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade Versão 10-Set-15 POLÍTICA DE EXERCÍCIO DE DIREITO DE VOTO EM ASSEMBLEIAS GERAIS POLO CAPITAL GESTÃO DE RECURSOS LTDA. CAPÍTULO I Definição e Finalidade Artigo 1º A presente Política de Exercício de Direito

Leia mais

Associativismo a modernização do sindicalismo nacional

Associativismo a modernização do sindicalismo nacional A união faz a força O dito popular encaixa-se como uma luva quando o assunto é associativismo o assunto em pauta no meio sindical. As principais confederações patronais do País estão investindo nessa bandeira

Leia mais

Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global

Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global Copersucar completa 50 anos de liderança em açúcar e etanol com planos para aumentar ainda mais sua atuação global Exportações de açúcar da empresa devem aumentar 86% na safra 2009/2010 A Copersucar completa

Leia mais

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9

Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos Disciplina: Constituição de Novos Empreendimentos AULA 9 AULA 9 Assunto: Plano Financeiro (V parte) Prof Ms Keilla Lopes Mestre em Administração pela UFBA

Leia mais

Apresentação Institucional BNDES Departamento de Bens de Capital ABIMAQ

Apresentação Institucional BNDES Departamento de Bens de Capital ABIMAQ Apresentação Institucional BNDES Departamento de Bens de Capital ABIMAQ Fevereiro de 2015 Os indicadores demonstram as dificuldades que as empresas de BK vêm encontrando... 2 3 Em um cenário adverso no

Leia mais

Análise econômica das novas regras de solvência das seguradoras brasileiras Francisco Galiza 1 Outubro/2007

Análise econômica das novas regras de solvência das seguradoras brasileiras Francisco Galiza 1 Outubro/2007 Análise econômica das novas regras de solvência das seguradoras brasileiras Francisco Galiza 1 Outubro/2007 1) Introdução Nos últimos dias úteis de 2006, o Conselho Nacional de Seguros Privados (CNSP)

Leia mais

Panorama Mundial (2013)

Panorama Mundial (2013) Panorama Mundial (2013) Produção mundial alcançou US$ 444 bilhões em 2013; Mesmo com os efeitos da crise internacional, registra 85% de crescimento desde 2004, a uma taxa média de 7% ao ano; 54% da produção

Leia mais

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu. MBA em Estratégia e Liderança Empresarial

Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu. MBA em Estratégia e Liderança Empresarial Programa do Curso de Pós-Graduação Lato Sensu MBA em Estratégia e Liderança Empresarial Apresentação O programa de MBA em Estratégia e Liderança Empresarial tem por objetivo preparar profissionais para

Leia mais

Grupo da Qualidade. Grupos de Trabalho

Grupo da Qualidade. Grupos de Trabalho Grupos de Trabalho Grupo da Qualidade A finalidade do Grupo da Qualidade é promover ações para discussão e melhoria do sistema de gestão da qualidade das empresas associadas ao Sindipeças. Coordenador:

Leia mais

40.000 empregados Em mais de 250 municípios Brasileiros Presença em mais de 20 países

40.000 empregados Em mais de 250 municípios Brasileiros Presença em mais de 20 países 42º SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE ACIARIA 42º STEELMAKING SEMINAR - INTERNATIONAL NOVOS PROJETOS SIDERÚRGICOS Iran Oliveira de Medeiros GRUPO VOTORANTIM 1918 2010 Canadá Estados Unidos México Bahamas Colômbia

Leia mais

MBA EM GESTÃO DE NEGÓCIOS

MBA EM GESTÃO DE NEGÓCIOS MBA EM GESTÃO DE NEGÓCIOS Manual do Curso São Paulo Educação Executiva 2014 MBA em Gestão de Negócios 1 Apresentação O MBA em Gestão de Negócios visa preparar empresários e profissionais do Mato Grosso

Leia mais

Bovespa Mais: propiciando o crescimento sustentável das empresas

Bovespa Mais: propiciando o crescimento sustentável das empresas Bovespa Mais: propiciando o crescimento sustentável das empresas O Bovespa Mais, um dos segmentos especiais de listagem administrados pela BM&FBOVESPA, foi idealizado para tornar o mercado acionário brasileiro

Leia mais

PROJETO INTERNACIONAL

PROJETO INTERNACIONAL PROJETO INTERNACIONAL EM 10 PASSOS Ubirajara Marques Direitos: Todos os direitos reservados para Center Group International Duração: 1 hora Apresentação: Linguagem simples, para micros e médios empresários

Leia mais

NUTRIPLANT ON (NUTR3M)

NUTRIPLANT ON (NUTR3M) NUTRIPLANT ON (NUTR3M) Cotação: R$ 1,79 (18/06/2014) Preço-Alvo (12m): R$ 2,10 Potencial de Valorização: 18% 4º. Relatório de Análise de Resultados (1T14) Recomendação: COMPRA P/L 14: 8,0 Min-Máx 52s:

Leia mais

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia

Descrição do Sistema de Franquia. Histórico do Setor. O Fórum Setorial de Franquia Descrição do Sistema de Franquia Franquia é um sistema de distribuição de produtos, tecnologia e/ou serviços. Neste sistema uma empresa detentora de know-how de produção e/ou distribuição de certo produto

Leia mais

Seguro de Acidente de Trabalho. Seguro de Acidente de Trabalho (SAT) Mais encargos em 2010

Seguro de Acidente de Trabalho. Seguro de Acidente de Trabalho (SAT) Mais encargos em 2010 Seguro de Acidente de Trabalho (SAT) Mais encargos em 2010 Cálculo do Seguro de Acidente de Trabalho até 2009 Para 2010 Surge o FAP! "! #$% &!'( )*+,-./, Previdência divulgou que 92% das empresas serão

Leia mais

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação

Pesquisa realizada com os participantes do 12º Seminário Nacional de Gestão de Projetos. Apresentação Pesquisa realizada com os participantes do de Apresentação O perfil do profissional de Projetos Pesquisa realizada durante o 12 Seminário Nacional de, ocorrido em 2009, traça um importante perfil do profissional

Leia mais

Paraná se destaca no cenário brasileiro de sistemas de segurança eletrônica

Paraná se destaca no cenário brasileiro de sistemas de segurança eletrônica Rogério Reis Paraná se destaca no cenário brasileiro de sistemas de segurança eletrônica CRESCIMENTO ECONÔMICO DA REGIÃO SUL IMPULSIONA MERCADO PARANAENSE POR ADRIANE DO VALE redacao@cipanet.com.br FOTOS

Leia mais

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada.

As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. Anexo A Estrutura de intervenção As ações de formação ação no âmbito do presente Aviso têm, obrigatoriamente, de ser desenvolvidas com a estrutura a seguir indicada. 1. Plano de ação para o período 2016

Leia mais

1 Introdução 1.1 Contextualização do Problema

1 Introdução 1.1 Contextualização do Problema 1 Introdução 1.1 Contextualização do Problema O papel do líder é muito relevante numa pequena empresa familiar. Isso se dá devido a vários fatores, dentre outros, deve-se enfatizar a dificuldade de criação

Leia mais

Resultados do 2T08 PSSA3

Resultados do 2T08 PSSA3 Resultados do PSSA3 Perspectivas Perspectivas para o para segundo 2008 semestre de 2008 A Aumento criação de de empregos 31,6% no formais número até de empregos junho foi o formais maior desde em relação

Leia mais

Estudo do mercado brasileiro de reposição automotivo

Estudo do mercado brasileiro de reposição automotivo Estudo do mercado brasileiro de reposição automotivo Novo estudo da Roland Berger São Paulo, março de 2015 O mercado de reposição oferece grande potencial, mas empresários do setor precisam de suporte

Leia mais

Apimec Florianópolis. Dezembro 2013

Apimec Florianópolis. Dezembro 2013 Apimec Florianópolis Dezembro 2013 Exoneração de Responsabilidades Esta apresentação não constitui uma oferta, convite ou pedido de qualquer forma, para a subscrição ou compra de ações ou qualquer outro

Leia mais

Teleconferência de Resultados. Desempenho do 4T 2013 e de 2013. MAHLE Metal Leve S.A. 20 de março de 2014 12h00 (horário de Brasília) 1 MAHLE

Teleconferência de Resultados. Desempenho do 4T 2013 e de 2013. MAHLE Metal Leve S.A. 20 de março de 2014 12h00 (horário de Brasília) 1 MAHLE Teleconferência de Resultados Desempenho do 4T 2013 e de 2013 MAHLE Metal Leve S.A. 20 de março de 2014 12h00 (horário de Brasília) 1 Destaques 2013 Receita Líquida de Vendas de R$ 2.393,8 milhões em 2013,

Leia mais

A GP no mercado imobiliário

A GP no mercado imobiliário A GP no mercado imobiliário A experiência singular acumulada pela GP Investments em diferentes segmentos do setor imobiliário confere importante diferencial competitivo para a Companhia capturar novas

Leia mais

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo.

MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V. Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo. 1 MERCADO DE MEIOS ELETRÔNICOS DE PAGAMENTO POPULAÇÃO E COMÉRCIO - ANO V Indicador de atividade da micro e pequena indústria de São Paulo Maio/ 2014 Metodologia 2 Metodologia 3 Técnica Pesquisa quantitativa,

Leia mais

Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda

Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda Perspectivas da economia em 2012 e medidas do Governo Guido Mantega Ministro da Fazenda Comissão de Assuntos Econômicos do Senado Federal Brasília, 22 de maio de 2012 1 A situação da economia internacional

Leia mais

Política de Exercício de Direito de Voto. (Versão 3.0 - Julho/2014)

Política de Exercício de Direito de Voto. (Versão 3.0 - Julho/2014) Política de Exercício de Direito de Voto (Versão 3.0 - Julho/2014) 1. Objeto e Aplicação 1.1. Esta Política de Exercício de Direito de Voto ( Política de Voto ), em conformidade com as disposições do Código

Leia mais

3.2 Madeira e Móveis. Diagnóstico

3.2 Madeira e Móveis. Diagnóstico 3.2 Madeira e Móveis Diagnóstico Durante a década de 90, a cadeia produtiva de madeira e móveis sofreu grandes transformações em todo o mundo com conseqüentes ganhos de produtividade, a partir da introdução

Leia mais

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 2 SUMÁRIO Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita de

Leia mais

Indústria brasileira de bens de capital mecânicos. Janeiro/2011

Indústria brasileira de bens de capital mecânicos. Janeiro/2011 AGENDA DE TRABALHO PARA O CURTO PRAZO Indústria brasileira de bens de capital mecânicos Janeiro/2011 UMA AGENDA DE TRABALHO (para o curto prazo) A. Financiamento A1. Taxa de juros competitiva face a nossos

Leia mais

EQ PS -Fortaleza. Program as de incentivo do BN D ES à Indústria Nacionalde Software. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social

EQ PS -Fortaleza. Program as de incentivo do BN D ES à Indústria Nacionalde Software. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social EQ PS -Fortaleza Program as de incentivo do BN D ES à Indústria Nacionalde Software Marcio Wegmann masil@bndes.gov.br Depto. Indústria Eletrônica Área Industrial Princípios Norteadores da Atuação do BNDES

Leia mais

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010 Apresentação da Companhia Setembro de 2010 Comprovada capacidade de execução Visão geral da Inpar Empreendimentos por segmento (1) Modelo de negócios integrado (incorporação, construção e venda) Comercial

Leia mais

Gráfico nº 1 - Variação do Nível de Atividade 1T/08-1T/07 Elaboração Núcleo de Pesquisa Industrial da FIEA 52,08

Gráfico nº 1 - Variação do Nível de Atividade 1T/08-1T/07 Elaboração Núcleo de Pesquisa Industrial da FIEA 52,08 Resumo Executivo A Sondagem Industrial procura identificar a percepção dos empresários sobre o presente e as expectativas sobre o futuro. Os dados apresentados servem como parâmetro capaz de mensurar o

Leia mais

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br

Sárgom Ceranto Marketing e Soluções Corporativas comercial@trecsson.com.br PREZADO (A) SENHOR (A) Agradecemos seu interesse em nossos programas de ensino e lhe cumprimentamos pela iniciativa de buscar o seu aperfeiçoamento profissional. Você está recebendo o programa do curso

Leia mais

SINCOR-SP 2015 AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS

SINCOR-SP 2015 AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS AGOSTO 2015 CARTA DE CONJUNTURA DO SETOR DE SEGUROS 1 Sumário Palavra do presidente... 3 Objetivo... 4 1. Carta de Conjuntura... 5 2. Análise macroeconômica... 6 3. Análise do setor de seguros 3.1. Receita

Leia mais

Relatório de Acompanhamento de Execução da Agenda de Ação Atualização: Maio/2008 Março/2010

Relatório de Acompanhamento de Execução da Agenda de Ação Atualização: Maio/2008 Março/2010 Programa Automotivo Relatório de Acompanhamento de Execução da Agenda de Ação Atualização: Maio/2008 Março/2010 Gestor: Paulo Sérgio Bedran Diretor do Departamento de Indústrias de Equipamentos de Transporte

Leia mais

Programa de Excelência em Atendimento aos Clientes

Programa de Excelência em Atendimento aos Clientes Programa de Excelência em Atendimento aos Clientes PROPOSTA TÉCNICA COMERCIAL Versão 2.0 Setembro de 2014 Agosto de 2008 Índice ÍNDICE...2 1. CONTEXTO...3 2. VISÃO, ESCOPO E ATIVIDADES DESTE PROJETO...5

Leia mais

Clipping Farmacêutico

Clipping Farmacêutico Clipping Farmacêutico 18 de Setembro de 2015. Índice - Mercosul fará compra conjunta de remédios - Sem marca definida - Brasileira Eurofarma compra fábrica da Sanofi na Argentina - Cade aprova venda de

Leia mais

ÊNFASE EM GESTÃO DE PESSOAS

ÊNFASE EM GESTÃO DE PESSOAS MBA DESENVOLVIMENTO AVANÇADO DE EXECUTIVOS ÊNFASE EM GESTÃO DE PESSOAS O MBA Desenvolvimento Avançado de Executivos possui como característica atender a um mercado altamente dinâmico e competitivo para

Leia mais

Panorama e Perspectivas 2011/2012. Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta e Capitalização

Panorama e Perspectivas 2011/2012. Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta e Capitalização Panorama e Perspectivas / Mercado de Seguros, Previdência Complementar Aberta e Capitalização 1. Sumário Executivo... 2 2. Seguradoras do grupo de seguros gerais... 2 2.1 Ramos do grupo de seguros gerais...

Leia mais

Indústria Automobilística: O Desafio da Competitividade Internacional

Indústria Automobilística: O Desafio da Competitividade Internacional Encontro Econômico Brasil-Alemanha Indústria Automobilística: O Desafio da Competitividade Internacional Jackson Schneider Presidente Anfavea Blumenau, 19 de novembro de 2007 1 Conteúdo 2 1. Representatividade

Leia mais

Scania Serviços. Serviços Scania.

Scania Serviços. Serviços Scania. Serviços Scania Scania Serviços. Serviços Scania. Tudo o que o você precisa para cuidar Tudo bem do o que seu o Scania, você precisa em um para só lugar. cuidar bem do seu Scania, em um só lugar. SERVIÇOS

Leia mais

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO

EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO L2 0 0 6 R E L AT Ó R I O A N U A EMPRESAS BRADESCO SEGUROS, PREVIDÊNCIA E CAPITALIZAÇÃO Prêmio de Seguros Participação no Mercado (em %) Mercado 74,2% Fonte: Susep e ANS Base: Nov/2006 Bradesco 25,8%

Leia mais

EMBRAER ANUNCIA PERSPECTIVAS DE LONGO PRAZO PARA AVIAÇÃO Estimativas de demanda mundial abrangem os mercados de jatos comerciais e executivos

EMBRAER ANUNCIA PERSPECTIVAS DE LONGO PRAZO PARA AVIAÇÃO Estimativas de demanda mundial abrangem os mercados de jatos comerciais e executivos EMBRAER ANUNCIA PERSPECTIVAS DE LONGO PRAZO PARA AVIAÇÃO Estimativas de demanda mundial abrangem os mercados de jatos comerciais e executivos São José dos Campos, 7 de novembro de 2008 A Embraer (BOVESPA:

Leia mais

Linha BNDES Exim Automático

Linha BNDES Exim Automático Linha BNDES Exim Automático Ajudando sua empresa a exportar mais através da rede de bancos credenciados do BNDES no exterior Como incrementar as exportações da minha empresa oferecendo mais prazo de pagamento

Leia mais