Novembro/2015. Rio de Janeiro - RJ

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Novembro/2015. Rio de Janeiro - RJ"

Transcrição

1 Novembro/2015 Rio de Janeiro - RJ

2 TOTAL DE EMPREGADOS* EMPREGADOS FORMAIS EMPREGADOS INFORMAIS CONTRIBUINTES PARA PREVIDENCIA MULHERES Segundo dados da RFB, até 06/11/2015, 1,18 milhão de Empregadores estavam cadastrados no portal do e-social. * DADOS DO PNAD 2013

3 Empregado Domestico: aquele que presta serviço de natureza não econômica à pessoa ou à família no âmbito residencial destas (art. 7º alínea a da CLT) Empregador Domestico: pessoa da família que admita, a seu serviço, empregado domestico (art. 3º Decreto /1973)

4 Garantias constitucionais (artigo 7º): salário mínimo irredutibilidade salarial 13º salário repouso semanal remunerado (preferência aos domingos) férias anuais com 1/3 aviso prévio aposentadoria licença gestante de 120 dias licença paternidade FGTS OPCIONAL

5 NOVA DEFINIÇÃO DO EMPREGADO DOMESTICO: aquele que presta serviços de forma continua, subordinada, onerosa e pessoal, e de finalidade não lucrativa à pessoa ou à família, no âmbito residencial destas, por mais de 02 dias por semana. Com vedação especifica ao trabalho de menores de 18 anos. (Artigo 1º e u)

6 DOMESTICO X DIARISTA Continuidade Mais de 2x semana Salário mensal Dependência (subordinação) Segurado obrigatório para a previdência Não continuo Até 2 x semana Pagamento por dia de serviço Independência Segurado facultativo para a previdência (modalidade: autônomo ou mei)

7 Quem se enquadra (exemplos): - Domestica / Cozinheira/ Copeira; - Faxineira / Lavadeira / Passadeira; - Caseiro / Jardineiro; - Cuidador/ Acompanhante; - Enfermeiro; - Baba; - Motorista; - Mordomo; - Marinheiro

8

9 Salário (piso regional RJ R$ 953,47) e acréscimos INSS empregador 8% FGTS 8% Provisão de multa rescisória 3,2% Seguro acidente de trabalho 0,8% Recolhido em Guia Única (DAE) Vale Transporte limite de desconto de 6% do empregado Salário família filho até 14 anos ou inválidos e com remuneração até R$ 1.089,72 (2015) SUGESTÃO: Provisionamento mensal de férias; 1/3 de férias; 13º salário (1 avo ao mês)

10 Desde 02/06/ Adicional noturno; - Adicional de viagem; - Controle obrigatório de ponto; - Utilização do banco de horas. Desde 01/10/ Redução da alíquota do INSS do empregador; - FGTS; - Seguro Acidente de Trabalho; - Antecipação da Multa de 40% do FGTS; - Seguro Desemprego; - Salário Família

11 - Sempre por escrito - Ficha de admissão com dados - Copia da ID, CPF, CTPS, comprovante residência, dependentes - Anotação CTPS (sujeição as mesmas regras de multa) - Exame admissional (precaução) * REGRAS DA BOA CONVIVENCIA

12 Indeterminado Prazo determinado (Art. 4º) Experiência (90 dias) Substituição (maximo 2 anos) Na Rescisão do contrato por prazo determinado: Dispensa a formalidade do aviso previo (Art. 8º) Motivada pelo Empregador (Art. 6º): justa causa ou indenização da metade da remuneração a que teria direito até o final do contrato; Motivada pelo Empregado (Art. 7º): justa causa ou indenização do prejuízo até o limite da metade da remuneração a que teria direito até o final do contrato

13 CARGA HORARIA (máxima) 8 horas/dia 44 horas/semana Hora extra - 50% superior a HN Hora noturna adicional de 20% sobre o valor da HN hora noturna = 52m e 30s entre 22:00 e 05:00 trabalho exclusivo noturno = acréscimo direto sobre o salário contratual e com anotação na CTPS ( 3º art 14º)

14 Jornadas reduzidas tempo parcial (Art. 3º) Até 25 horas por semana - salário proporcional a jornada - acréscimo de, no máximo, 1 hora extra diária - férias proporcionais a carga semanal - mínima de 8 e máxima de 18 dias ( 3º do art. 3º) Jornadas de 12 x 36 (Art. 10º) - inserido no salário o descanso semanal remunerado e em feriados, compensações de feriados, prorrogações de trabalho noturno - intervalo para refeição inserido no computo do horário

15 Empregado que acompanha em viagem - Salário/hora com acréscimo de 25%, no mínimo - Computo somente das horas trabalhadas - Possibilidade de conversão do acréscimo salarial em horas no banco de horas - Previsão em contrato ou acordo especifico em cada viagem Lembrete: custos de hospedagem e alimentação pelo empregador

16 Lembretes importantes: - Intervalo para almoço/jantar de, no mínimo, 1 hora (para jornadas acima de 8 horas) - Possibilidade de redução para 30 minutos (acordo por escrito) - Empregado residente: particionamento do intervalo em 2 etapas, sendo uma de 1 hora (com anotação no ponto + previsão contratual) - Intervalo entre duas jornadas 11 horas (Art. 15º) - Preservar que ao menos um domingo ao mês seja de folga (Art. 16º) - Apuração e anotação de faltas e atrasos para computo * SEMPRE PREENCHER A FOLHA DE PONTO

17 - primeiras 40 (quarenta) horas excedentes: pagas ao empregado com possibilidade de dedução das horas não trabalhadas no mês (faltas ou atrasos); - acima das 40 horas excedentes: compensado no período de um ano; - domingos e feriados não compensados pagamento em dobro * Sempre com acordo escrito entre empregador e empregado, dentro do próprio contrato de trabalho ou em acordo em separado.

18 - CARGA HORARIA ATÉ 25 HORAS SEMANAIS (artigo 3º) - DEMAIS CASOS (artigo 17º) - 30 dias - Parcelamento 2 períodos (mínimo 14) - Conversão 1/3 em remuneração(10 dias), requerido 30 dias antes do termino do período aquisitivo - Concessão nos 12 meses após aquisição do direito ATENÇÃO: vedação de parcelamento e conversão para maiores de 50 anos (artigo 134 CLT e manual do e- social)

19 13º salario - primeira parcela entre fevereiro e novembro de cada ano - segunda parcela até 20/12 (com descontos de INSS e IR) Vale transporte ou em espécie - pagamento mediante recibo (Art. 19 u) Sujeita-se as mesmas regras de advertência, suspensão e demissão de um empregado celetista, inclusive comunicado em jornal (perspectiva do conflito)

20 NÃO PODE vestuário higiene moradia viagem (transporte, hospedagem, alimentação)

21 PODE (sempre previsto no contrato limite de 20%) : Adiantamento salarial Assistência medica / odontológica Seguro de vida / previdência Moradia (se diversa do local de trabalho limite omisso) Faltas não justificadas *ATENÇÃO: definição expressa sobre natureza salarial dos benefícios e direito de posse (Art. 18, 3º e 4º)

22 - Artigo 473 da CLT - sem desconto de salário (casamento, falecimento, nascimento, etc) - Serviço Militar - A pedido - Previdenciários - Acidentário - Doença - Maternidade - Reclusão

23 - Gestante (inclusive no curso do aviso previo) - Empregado em auxilio acidente - Decorrentes de norma coletiva Caso a parte: Empregado preso não é estável, mas tem garantia de demissão somente após sentença transitada em julgado (art. 482, d CLT e 27 IV da LC)

24 - Aviso Prévio : 30 dias - Regra de proporcionalidade de 3 dias por ano, até totalizar 90 dias (somente devido ao empregado) - Desconto do salário em caso de ausência de aviso pelo empregado - Redução do horário em 2 horas ou falta de 7 dias - Prazos de pagamento = CLT - Casos de justa causa (Art. 27º) levantamento da indenização compensatória conforme o caso (Art. 22º).

25 CUIDADOS: - Exame demissional - Apuração das horas em banco de horas - Sinalizar no comunicado de dispensa se será aviso cumprido ou indenizado, bem como a opção pela redução ou indenização - Descontos na rescisão (artigo 477 5º - limite 1 mês de remuneração) - Local de homologação mantém isenção de homologação na DRT e sindicato(embora não prescrito na lei)

26 SITUAÇÕES DE ATENÇÃO: - Gestante (período a ser indenizado) - Abandono (consignação em pagamento) - Aposentadoria (padrão) - Morte (padrão sem justa causa prazo de 10 dias) Para reflexão: Será aplicável ao domestico a regra do trintidio de convenção coletiva, nos estados onde houver norma coletiva celebrada?

27 - Segurança do local de trabalho novo foco na saúde do trabalhador - Responsabilidade pela guarda de documentos - Direito de ação 2 anos após recisão, retroação a 5 anos - Fiscalização do local de trabalho mediante prévio agendamento e de caráter orientador (dupla visita)

28 - Prazo de adesão findo em 30/09/ Regulamentado pela Portaria RFB 1302/ Parcelamento em até 120 meses ou redução de 100% das multas, 60% dos juros de mora e 100% sobre encargos legais e advocaticios * Tese jurídica sobre o prazo da regulamentação

29 E-social

30 O esocial é o instrumento de unificação da prestação das informações referentes à escrituração das obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas e tem por finalidade padronizar sua transmissão, validação, armazenamento e distribuição, constituindo um ambiente nacional. Decreto 8373/2014

31 Cenário ideal Os empregadores prestam as informações de forma unificada, simples e padronizada, eliminando erros e reduzindo os custos operacionais!

32 E-social Domestico CADASTRO

33 ANTES DE INICIAR Verificação da validade do NIS do Empregado Consulta Qualificação Cadastral, localizado no lado inferior esquerdo da tela Nesta tela, deverão ser informados nome, data de nascimento, número de CPF e NIS do trabalhador. Em caso de divergência: - relativas ao CPF (situação "suspenso", "nulo" ou "cancelado", nome ou data de nascimento divergente) - o aplicativo apresentará a mensagem orientativa de onde deverá requisitar a alteração dos dados; - relativas ao NIS (CPF ou data de nascimento divergentes) - o usuário deverá estar atento, pois a orientação será dada de acordo com o ente responsável pelo cadastro do NIS (INSS, CAIXA ou BANCO DO BRASIL).

34 ANTES DE INICIAR Consulta Qualificação Cadastral

35 ANTES DE INICIAR Consulta Qualificação Cadastral

36 ANTES DE INICIAR Consulta Qualificação Cadastral

37 ANTES DE INICIAR Consulta Qualificação Cadastral

38 ACESSO AO SISTEMA Cadastro Empregador: - Certificado digital - Código de acesso Para gerar o código de acesso será necessário informar: - Data de nascimento - CPF - Números dos recibos de entrega: - IRPF (dois últimos exercícios) - DIRPF (ultimo exercício) - Titulo de eleitor (para não declarantes de IRPF)

39 CADASTRO DO EMPREGADO Número do CPF; Data de nascimento; País de nascimento; Número do NIS (NIT/PIS/PASEP/SUS); Raça/Cor; Escolaridade; Número, série e UF (Estado) da CTPS; Endereço residencial; Endereço do local de trabalho; Data da admissão; Data da opção pelo FGTS; Valor do Salário Contratual; Número do Telefone (Preferencialmente celular); de contato.

40 ACESSO AO PORTAL E LANÇAMENTO DE REGISTROS

41 Passo 1 - Acesse o site Melhores navegadores: IE 9 ou superior, Chrome, Firefox e Safari.

42 Passo 2 Cadastrar empregador Preencher os campos de CPF, data de nascimento, e clicar em Avançar.

43 Passo 2.1 Cadastrar empregador Na tela seguinte o empregador precisará incluir os recibos do Imposto de Renda de Pessoa Física dos dois últimos anos e criar uma senha. O código do e-social não é o mesmo código utilizado pelo portal e-cac da Receita Federal do Brasil RFB.

44 Passo 3 Informar contato do empregador No primeiro acesso, o sistema trará informações de CPF e nome vinculados ao código de acesso gerado e solicitará que o empregador informe telefone e para contato. Clicar no botão Salvar, após inserir todos os dados.

45 Passo 3.1 Alterar dados cadastrais do empregador Caso seja necessário, o empregador poderá alterar seus dados cadastrais ao clicar no botão alterar localizado na parte inferior direita da tela dados do empregador. Serão exibidos os campos de telefone e para alteração. Marcar a opção informações complementares (opcional) para exibição e alteração de outros campos.

46 Passo 4 - Cadastrar trabalhador O empregador deverá clicar na opção trabalhador, no canto superior esquerdo da tela. Aparecerá a opção Filtrar empregados em seguida clicar no botão cadastrar/admitir para registrar trabalhadores.

47 Passo 4- Cadastrar trabalhador O empregador será encaminhado para uma tela em que deverá inserir o CPF e a data de nascimento do trabalhador e confirmar.

48 Passo 4- Cadastrar trabalhador O empregador deverá complementar o cadastro do empregado informando a data de admissão. O grupo e a categoria em que o empregado se enquadra vem preenchidos. Após preencher deverá clicar em continuar para prosseguir.

49 Passo 4.1- Identificação do trabalhador Nesta página o empregador deverá fornecer informações de identificação do trabalhador.

50 Passo Dados pessoais do trabalhador: Nesta etapa o empregador precisará fornecer os dados relativos ao histórico trabalhista do empregado, como número da carteira de trabalho, informar aposentadoria (caso haja) e informações de contato por telefone e .

51 Passo Endereço residencial do trabalhador O empregador precisará informar os dados de residência do trabalhador

52 Passo Cadastrar dependentes do trabalhador O empregador deverá preencher os campos com os dados de dependentes: CPF (obrigatório para maiores de 18 anos), nome, tipo de dependente e se será deduzido ou não do IRPF e se o dependente em questão dá ou não direito ao recebimento de Salário-Família.

53 Passo Dados contratuais Informar o tipo do contrato, se por prazo determinado ou indeterminado, além da data de admissão, categoria, cargo, valor do salário fixo e a frequência do pagamento da parte fixa do salário (mensal, quinzenal, semanal, diária).

54 Passo Local de trabalho Informar os dados do imóvel em que a atividade profissional do trabalhador se dará.

55 Passo Jornada de trabalho Por fim, o empregador deverá informar a jornada de trabalho de cada dia da semana e atribuir também o dia de folga.

56 Passo Jornada de trabalho A seleção é feita com a marcação da jornada diária para cada dia da semana. Se a jornada for igual basta clicar repetir o primeiro horário preenchido para todos os dias

57 Passo Jornada de trabalho Após a seleção da jornada semanal e dias de folga, o sistema mostrará a quantidade media de horas da jornada semanal (que não pode ser superior a 44h/semanais) Atenção com jornadas aos sábados!

58 Passo Jornada de trabalho diferenciada (opção avançada do sistema) São as de horário misto, turnos de revezamento, jornada 12 x 36, escalas, dentre outras. A jornada 12 x 36 já vem com preenchimento definido. Nos demais casos a inclusão das jornadas é feita na aba incluir horário de trabalho.

59 Passo Jornada de trabalho diferenciada (cont.) Na aba de inclusão de horário, selecionar entrada/saída/intervalo, e clicar em continuar para a inclusão no sistema. ATENÇÃO: Jornadas iniciadas ou findas a meia noite são informadas como 00:00 e cuidado com jornadas de 24 horas (parametrizar lembrando da hora noturna e citar intervalo)

60 Passo Jornada de trabalho diferenciada (cont.) A inclusão dos dias e horários da jornada semanal são feitos clicando no botão amarelo (+). Os campos Qtde media de horas e Tipo de Jornada também devem ser preenchidos. Ao final clicar em Concluir.

61 Passo 5 Alterações de dados (cadastrais ou contratuais) O acesso é feito a partir da aba de Gestão de Trabalhadores. Link para consulta/alteração de dados contratuais Link para consulta/alteração de dados cadastrais

62 Passo 5.1 Alterações de dados cadastrais (cont.) Nesta opção é possível alterar, retificar ou excluir informações sobre o trabalhador (nome, endereço, estado civil, dependentes, etc). Deverá ser informado o inicio da vigência da modificação. Informar data e clicar em Confirmar para inclusão de novas alterações contratuais. Opção para exclusão de uma alteração registrada anteriormente. Link para corrigir (retificar) uma informação registrada anteriormente.

63 Passo 5.2 Alterações de dados contratuais (cont.) Nesta aba poderá haver inclusão/retificação/exclusão de dados relativos ao contrato de trabalho, como salário, jornada, local de trabalho, dentre outros. Do mesmo modo que ocorre nas inclusões de alterações cadastrais, deverá ser informado o inicio da vigência da alteração. A seleção deve ser feita a partir da seleção do trabalhador na tela, e após em Dados cadastrais. ATENÇÃO: i) alterações de data de admissão o sistema não permite alterar data de CT de antes de 10/2015 para depois; ii) alteração de salário em data anterior a da alteração, geram a necessidade de retificação das folhas e recolhimento de diferença do simples domestico.

64 Passo 6 Movimentações Trabalhistas É o histórico de todas as movimentações feitas no contrato de trabalho do empregado, inclusive nos casos de contratos anteriores (casos de readmissão). Possui duas formas de acesso: a) Dentro da própria aba de gestão do trabalhador, clicar no nome do empregado, após no link Evento trabalhista e selecionar o o botão Visualizar Movimentações Trabalhistas. b) Na aba Registrar Evento Trabalhista, selecionar o empregado (clicando na matrícula gerada pelo sistema) e clicar em Visualizar Movimentações Trabalhistas

65 Passo 6 Movimentações Trabalhistas (cont.)

66 Passo 7 AFASTAMENTOS O sistema compreende como afastamentos as seguintes situações: - Férias - Doença - Acidente de trabalho Afastamentos - Maternidade temporários - outros O lançamento deverá ser feito dentro do modulo de registro de evento trabalhista

67 Passo 7 AFASTAMENTOS (cont.) Links para registro e alteração de Férias e Afastamentos Temporários

68 Passo 7.1 AFASTAMENTOS - Férias (cont.) O acesso é feito pela aba registro de eventos trabalhistas. Após selecionar o nome do empregado, clicar em férias e após em registrar férias

69 Passo 7.1 AFASTAMENTOS - Férias (cont.) O aviso de férias deve ser feito com 30 dias de antecedência, nos termos da CLT, porem o sistema aceita registros em até 01 dia antes do inicio. Nesta tela deverão ser informados: - Período aquisitivo; - Se haverá conversão de 1/3 em abono; - Se haverá parcelamento das férias: - Em caso positivo deverá serão ser inseridos os dois períodos de gozo (data de inicio e fim). Não esquecer de salvar o aviso. ATENÇÃO: Se o período aquisitivo tiver vencido, o sistema já esta parametrizado para efetuar o calculo das férias em dobro.

70 Passo 7.1 AFASTAMENTOS - Férias (cont.)

71 Passo 7.1 AFASTAMENTOS - Férias (cont.) Deverá haver o registro da data do inicio das férias no sistema, registrado na própria data de inicio ou no dia posterior ao afastamento, que será feito na tela da programação das férias. A impressão do aviso de férias, assim como o recibo de férias, estará disponível após o salvamento dos dados do aviso de férias, dentro da própria ficha do período aquisitivo. O registro do retorno das férias é obrigatório para liberar os demais registros de remuneração. E deve ser feito no dia do retorno ou no dia posterior. O período de férias poderá ser alterado antes ou durante seu curso, sendo que no segundo caso a alteração é feita na aba de registro de saída de férias.

72 Passo 7.2 AFASTAMENTOS - Temporários (cont.) Deverão ser informados a data do afastamento e motivo, como regra geral. Caso, na data do registro, já tenha ocorrido o retorno, poderá ser informado, na mesma aba, a data do retorno.

73 Passo 7.2 AFASTAMENTOS - Temporários (cont.) O retorno do afastamento é informação obrigatória, pois influencia no registro da remuneração e de outros afastamentos. Caso não tenha sido informado quando do inicio do afastamento, deve ser realizado no dia do retorno, através do link retorno de afastamento temporário, dentro da aba de movimentação trabalhista

74 Passo 7.2 AFASTAMENTOS - Temporários Doença ou Acidente do Trabalho (cont.) Não pode ser confundido com o afastamento por motivo de doença não relacionada ao trabalho. Obrigatório preenchimento da CAT, cujo link encontrase disponível dentro da aba de informações do afastamento. Deve ser comunicado no primeiro dia útil seguinte ao afastamento. O empregador deverá prestar informações sobre o atestado medico de afastamento. Deverá ser sinalizado se foi acidente de transito. Caso haja necessidade de alteração do motivo de afastamento (p.ex.: se a doença foi considerada como de trabalho ), a alteração é feita na aba de movimentações trabalhistas

75 Passo 7.2 AFASTAMENTOS - Temporários Doença ou Acidente do Trabalho (cont.) TELA INICIAL DO REGISTRO Link para a CAT Atenção: para afastamentos anteriores a 01/10/2015, o sistema trava a inserção. Nestes casos recomenda-se a inserção a partir de 01/10/2015, com anotação, no campo de observação do tipo de afastamento a data efetiva de inicio.

76 Passo 7.2 AFASTAMENTOS - Temporários Doença ou Acidente do Trabalho (cont.) ALTERAÇÃO DE MOTIVO DE AFASTAMENTO Link para registro do retorno

77 Passo 7.2 AFASTAMENTOS - Temporários Doença ou Acidente do Trabalho (cont.) ALTERAÇÃO DE MOTIVO DE AFASTAMENTO Atenção para sinalizar nova data Atenção para sinalizar se tem efeito retroativo

78 Passo 7.3 AFASTAMENTOS (cont.) A exclusão de um afastamento (independente do fato gerador), impacta a folha de pagamento do empregado, e não pode ser relacionada a outro tipo de afastamento. Sua exclusão é feita na aba de registro de evento trabalhista, botão visualizar evento trabalhista, excluindo-se o evento necessário. Nos casos de afastamento onde a data de retorno tenha sido informada na mesma tela, ambos os eventos serão excluídos; caso a data de retorno tenha sido informada em evento em separado a exclusão deve ser feita para ambos os eventos, iniciando pelo de inicio do afastamento.

79 Passo 8 - DEMISSÃO A rescisão de contrato de trabalho será feita em modulo especifico, com previsão a partir de novembro/2015. Para rescisões até 31/10/2015: 1 gerar TRCT padrão; 2 gerar guia da GRRF do FGTS (pelo site do e-social ou pelo site da CEF) 2.1 para opção de recolhimento anterior a obrigatoriedade (out/2015) gerar a guia no ambiente da CEF (GRF de empregador domestico) 3 Gerar documento de arrecadação de fechamento de folha no modulo do e-social, para as demais obrigações ATENÇÃO: não confundir desligamento com função exclusão da aba gestão de trabalhadores, pois esta é para excluir informações incorretas quando ainda não houve movimentação do empregado no sistema.

80 MODULOS EM PRODUÇÃO Encontram-se em fase de produção os seguintes módulos: Folha de pagamento (em aprimoramento) Aviso prévio TRCT

81 SIMPLES DOMÉSTICO GERAÇÃO DA DAE

82 É a guia única de recolhimento desenvolvida para o emprego doméstico em substituição das guias de FGTS e INSS. O documento reunirá todos os encargos trabalhistas: INSS - do empregado e do empregador, FGTS, seguro acidente de trabalho, salário família, IRPF - caso haja e multa compensatória. Até o presente momento ainda não identifica o trabalhador, somente o empregador.

83 O prazo para pagamento é dia 07 do mês seguinte ao da competência do fato gerador, devendo ser antecipado se cair em fim de semana. Excepcionalmente a competência outubro teve seu vencimento prorrogado para 30/11/2015 (Portaria Interministerial 866/2015). Não há previsão de alteração do vencimento da competência novembro/2015.

84 DO MODULO DE GERAÇÃO DA FOLHA Ainda não esta parametrizado para efetuar automaticamente os abatimentos e acréscimos da folha de pagamento para calculo da guia. Mensalmente, antes de gerar a guia, o empregador deverá acessar o modulo Folha/Recebimentos e Pagamentos para parametrizar manualmente o valor da remuneração mensal de cada empregado.

85 Depois de selecionado o trabalhador deverá ser selecionada a competência do mês de geração

86 Atenção, na seleção, para a situação da folha de pagamento Atenção: para trabalhadores afastados, selecione a aba sem movimentação / filtrar, para então seguir nos procedimentos. Neste caso a data de vencimento a ser informada é a do vencimento do tributo.

87 Apuração manual da remuneração

88 É recomendável a verificação da correção incidência das alíquotas

89

90 CORREÇÃO DE DADOS DA FOLHA, IMPRESSÃO DE RECIBO E RELATORIO Essa operação permitira novo somatório dos valores, reiniciando o procedimento

91 RECIBO DE PAGAMENTO

92 RELATORIO CONSOLIDADO DO TRABALHADOR

93 TELA DE VERIFICAÇÃO DA DAE Nesta tela, caso haja afastamento do trabalhador deverá ser selecionado manualmente, os tributos incidentes. Neste exemplo, afastamento por auxilio doença, portanto sem a incidência previdenciária patronal e laboral.

94

95 Se você pensa que pode ou se pensa que não pode, de qualquer forma você está certo. (Henry Ford)

96 OBRIGADA! Cândida Machado Advogada Contato: (21)

Outubro/2015. Rio de Janeiro - RJ

Outubro/2015. Rio de Janeiro - RJ Outubro/2015 Rio de Janeiro - RJ TOTAL DE EMPREGADOS* 6.423.000 EMPREGADOS FORMAIS 1.314.000 EMPREGADOS INFORMAIS 5.109.000 CONTRIBUINTES PARA PREVIDENCIA 2.618.000 MULHERES 5.950.000 Segundo dados da

Leia mais

Legislação. Lei Complementar n 150/2015. Art. 7, parágrafo único, da Constituição Federal

Legislação. Lei Complementar n 150/2015. Art. 7, parágrafo único, da Constituição Federal Simples Doméstico Legislação Lei Complementar n 150/2015 Art. 7, parágrafo único, da Constituição Federal Quem é empregado doméstico? Art. 1 o da LC n 150/2015 Ao empregado doméstico, assim considerado

Leia mais

Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico

Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico Versão 1.0 29/09/2015 Alterações em relação à versão anterior Não se aplica Simples Doméstico esocial 1. O que é o SIMPLES Doméstico? Vivemos um momento

Leia mais

ATUALIZAÇÃ ÇÃO TRABALHISTA. Alexandre Corrêa

ATUALIZAÇÃ ÇÃO TRABALHISTA. Alexandre Corrêa ATUALIZAÇÃ ÇÃO TRABALHISTA Alexandre Corrêa ATUALIZAÇÃ ÇÃO O TRABALHISTA PROGRAMA EMPREGADO DOMÉSTICO (Aspectos Legais) EMPREGADO DOMÉSTICO A Lei 5859/72 regulamentada pelo Decreto 71885/73 tornou reconhecida

Leia mais

Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico

Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico Versão 2.0 21/10/2015 Alterações em relação à versão anterior Alterado: itens 11, 13, 22, 29, 30, 33, 34, 40, 45, 47 e 50 Incluído: itens 12, 14, 15,

Leia mais

MÓDULO EMPREGADOR DOMÉSTICO. Manual de orientação do esocial para o Empregador Doméstico

MÓDULO EMPREGADOR DOMÉSTICO. Manual de orientação do esocial para o Empregador Doméstico MÓDULO EMPREGADOR DOMÉSTICO Manual de orientação do esocial para o Empregador Doméstico Versão 1.0 Setembro de 2015 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 CONSULTA QUALIFICAÇÃO CADASTRAL DO EMPREGADO (CPF x NIS)... 3

Leia mais

CARTILHA PARA EMPREGADORES E TRABALHADORES DIREITOS E DEVERES COM A PEC DAS DOMÉSTICAS

CARTILHA PARA EMPREGADORES E TRABALHADORES DIREITOS E DEVERES COM A PEC DAS DOMÉSTICAS DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DO EMPREGADOR DOMÉSTICO = MENOS DEMISSÕES E MAIS FORMALIDADE Dê seu voto em www.domesticalegal.org.br CARTILHA PARA EMPREGADORES E TRABALHADORES DIREITOS E DEVERES COM

Leia mais

CARTILHA DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR DOMÉSTICO E DA EMPREGADA DOMÉSTICA NO ESTADO DE PERNAMBUCO

CARTILHA DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR DOMÉSTICO E DA EMPREGADA DOMÉSTICA NO ESTADO DE PERNAMBUCO Projeto Legalize sua doméstica e pague menos INSS = Informalidade ZERO CARTILHA DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR DOMÉSTICO E DA EMPREGADA DOMÉSTICA NO ESTADO DE PERNAMBUCO Realização Jornal Diario de Pernambuco

Leia mais

Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico

Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico Perguntas e Respostas do esocial Empregador Doméstico Versão 2.1 12/11/2015 Alterações em relação à versão anterior Alterado: itens 23, 25, 30, 31, 34, 35, 37, 46, 47 e 48 Incluído: itens 14, 40, 41 e

Leia mais

INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS

INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Data do boletim informativo Volume 1, Edição 1 Digite o título aqui INFORMATIVO 14/2015 LEI COMPLEMENTAR REGULAMENTA DIREITO DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Lei Complementar nº 150, de 1º de junho de 2015 -

Leia mais

MÓDULO EMPREGADOR DOMÉSTICO. Manual de Orientação do esocial para o Empregador Doméstico

MÓDULO EMPREGADOR DOMÉSTICO. Manual de Orientação do esocial para o Empregador Doméstico MÓDULO EMPREGADOR DOMÉSTICO Manual de Orientação do esocial para o Empregador Doméstico Versão 1.1 Outubro de 2015 SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 2 CONSULTA QUALIFICAÇÃO CADASTRAL DO EMPREGADO (CPF x NIS)... 3

Leia mais

EMPREGADO DOMÉSTICO (Aspectos Legais)

EMPREGADO DOMÉSTICO (Aspectos Legais) Le f is c L e g i s l a c a o F i s c a l CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL MINÁRIO DE ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE

Leia mais

Está em vigor a Lei Complementar n. 150, de 1º de junho de 2015, que dispõe sobre o trabalho doméstico.

Está em vigor a Lei Complementar n. 150, de 1º de junho de 2015, que dispõe sobre o trabalho doméstico. RESUMO INFORMATIVO SOBRE TRABALHO DOMÉSTICO Está em vigor a Lei Complementar n. 150, de 1º de junho de 2015, que dispõe sobre o trabalho doméstico. Lei Complementar n. 150/2015 Jul 2015 Este resumo informativo

Leia mais

MÓDULO EMPREGADOR DOMÉSTICO. Manual de Orientação do esocial para o Empregador Doméstico

MÓDULO EMPREGADOR DOMÉSTICO. Manual de Orientação do esocial para o Empregador Doméstico MÓDULO EMPREGADOR DOMÉSTICO Manual de Orientação do esocial para o Empregador Doméstico Versão 1.3 Dezembro de 2015 SUMÁRIO NOVIDADES DESTA VERSÃO DO MANUAL... 3 INTRODUÇÃO... 4 CONSULTA QUALIFICAÇÃO CADASTRAL

Leia mais

Departamento pessoal do Empregador doméstico PEC 66/2012 EC 72 /2013

Departamento pessoal do Empregador doméstico PEC 66/2012 EC 72 /2013 Departamento pessoal do Empregador doméstico PEC 66/2012 EC 72 /2013 A PEC n 66 de 2012 Veio com O OBJETIVO de alterar a redação do parágrafo único do art. 7º da Constituição Federal para estabelecer a

Leia mais

Direitos do Empregado Doméstico

Direitos do Empregado Doméstico Direitos do Empregado Doméstico Com a aprovação da Emenda Constitucional n 72, que ocorreu em 02/04/2013, o empregado doméstico passou a ter novos direitos. Alguns deles independem de regulamentação e,

Leia mais

Auxiliar Jurídico. Módulo IV. Aula 01

Auxiliar Jurídico. Módulo IV. Aula 01 Auxiliar Jurídico Módulo IV Aula 01 1 CÁLCULOS TRABALHISTAS Neste módulo você irá aprender a realizar os cálculos de verbas rescisórias e Liquidação de Sentença. I. VERBAS RESCISÓRIAS Podemos entender

Leia mais

TRABALHADORES DOMÉSTICOS

TRABALHADORES DOMÉSTICOS Trabalho realizado pela advogada dra. Marília Nascimento Minicucci, do escritório do conselheiro prof. Cássio de Mesquita Barros Júnior TRABALHADORES DOMÉSTICOS Foi publicado, no Diário Oficial da União

Leia mais

RELAÇÃO DE EMPREGO DOMÉSTICO

RELAÇÃO DE EMPREGO DOMÉSTICO RELAÇÃO DE EMPREGO DOMÉSTICO FELIPE VASCONCELLOS CAVALCANTE Universidade Federal de Goiás UFG Pró-Reitoria de Desenvolvimento Institucional e Recursos Humanos Departamento de Desenvolvimento de Recursos

Leia mais

Manual Prático Trabalhista e Previdenciário

Manual Prático Trabalhista e Previdenciário Manual Prático Trabalhista e Previdenciário Qual é o prazo para pagamento dos salários dos empregados? R: O pagamento deve ser realizado até o 5º dia útil do mês seguinte. Esta deve ser a data em que deve

Leia mais

Pessoa ou família que admite a seu serviço empregado doméstico (Decreto nº 71.885/1973, art. 3º, II).

Pessoa ou família que admite a seu serviço empregado doméstico (Decreto nº 71.885/1973, art. 3º, II). FONTE: www.iobonlineregulatorio.com.br EMPREGADO DOMÉSTICO: Considera-se doméstico o empregado que presta serviços de natureza contínua e de finalidade não lucrativa a pessoa ou família, no âmbito residencial

Leia mais

ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL. DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE www.departamentopessoalonline.com - 3 -

ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL. DEPARTAMENTO PESSOAL ONLINE www.departamentopessoalonline.com - 3 - ÍNDICE CURSO DE DEPARTAMENTO PESSOAL INTRODUÇÃO... 008 DISPOSIÇÕES GERAIS... 009 Conceito de empregador... 009 Conceito de empregado... 009 Direitos do empregado... 010 ASSÉDIO MORAL E SEXUAL NO TRABALHO...

Leia mais

Saiba como fazer o cadastro no Simples Doméstico

Saiba como fazer o cadastro no Simples Doméstico Saiba como fazer o cadastro no Simples Doméstico Sistema exige habilidades mínimas com computador e internet. Contadores podem orientar empregadores O mês de outubro será de adaptações na rotina de quem

Leia mais

EMPREGADO DOMÉSTICO INOVAÇÕES LEGISLATIVAS DA LEI COMPLEMENTAR 150 CAPÍTULO I PRINCIPAIS EVOLUÇÕES LEGISLATIVAS A categoria dos empregados domésticos tem como principais regulamentações legislativas, por

Leia mais

SEÇÃO DE RELAÇÕES DO TRABALHO SETOR DE HOMOLOGAÇÃO TREINAMENTO SISTEMA HOMOLOGNET

SEÇÃO DE RELAÇÕES DO TRABALHO SETOR DE HOMOLOGAÇÃO TREINAMENTO SISTEMA HOMOLOGNET SEÇÃO DE RELAÇÕES DO TRABALHO SETOR DE HOMOLOGAÇÃO TREINAMENTO SISTEMA HOMOLOGNET ACESSO AO HOMOLOGNET Para utilizar o HomologNet é necessário acessar o Portal do Trabalho e Emprego na Internet, no endereço

Leia mais

2 - Quais são os direitos que entraram em vigor imediatamente após a publicação da Emenda Constitucional n.º 72, de 2013?

2 - Quais são os direitos que entraram em vigor imediatamente após a publicação da Emenda Constitucional n.º 72, de 2013? TRABALHADOR DOMÉSTICO 1 - Quem pode ser considerado trabalhador doméstico? Resposta: É considerado trabalhador doméstico aquele que presta serviços de natureza contínua e de finalidade não lucrativa à

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO TÉCNICO LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO - CORDILHEIRA VERSÃO 2

BOLETIM INFORMATIVO TÉCNICO LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO - CORDILHEIRA VERSÃO 2 BOLETIM INFORMATIVO TÉCNICO LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO - CORDILHEIRA VERSÃO 2 CORDILHEIRA RECURSOS HUMANOS 2.93A 1- Adequada a rotina Módulos\ Férias\ Férias Normais para calcular as férias em dobro quando

Leia mais

esocial: Integração no Ambiente Sped SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL

esocial: Integração no Ambiente Sped SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL esocial: Integração no Ambiente Sped SISTEMA PÚBLICO DE ESCRITURAÇÃO DIGITAL NF-e Abrangência ECD esocial EFD EFD - IRPJ CT-e NFS-e E-Lalur FCont O esocial é um projeto do governo federal que vai unificar

Leia mais

TREINAMENTO: DEPARTAMENTO PESSOAL COMPLETO-ATENÇÃO AS RECENTES ALTERAÇÕES

TREINAMENTO: DEPARTAMENTO PESSOAL COMPLETO-ATENÇÃO AS RECENTES ALTERAÇÕES TREINAMENTO: DEPARTAMENTO PESSOAL COMPLETO-ATENÇÃO AS RECENTES ALTERAÇÕES PROGRAMA Módulo I - Processo Admissional Providências da Empresa, Documentação Exigida, Exame Médico na Admissão, CAGED, Registro

Leia mais

13º SALARIO Posteriormente, a Constituição Federal de 1988, em seu art. 7º,

13º SALARIO Posteriormente, a Constituição Federal de 1988, em seu art. 7º, 13º SALARIO Trabalhadores beneficiados Farão jus ao recebimento do 13º salário os seguintes trabalhadores: a) empregado - a pessoa física que presta serviços de natureza urbana ou rural à empresa, em caráter

Leia mais

Módulo de Rescisão. Passaremos a explicar abaixo os campos da tela do cálculo da rescisão:

Módulo de Rescisão. Passaremos a explicar abaixo os campos da tela do cálculo da rescisão: Módulo de Rescisão Para calcular a rescisão, é necessário informar para quem se deseja calcular (Código, Divisão, Tomador), depois informar tipo de dispensa, data de aviso prévio, data de pagamento, dias

Leia mais

DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 3 OUTROS TIPOS DE CONTRATOS DE TRABALHO

DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 3 OUTROS TIPOS DE CONTRATOS DE TRABALHO DIREITO NAS ORGANIZAÇÕES MÓDULO 3 OUTROS TIPOS DE CONTRATOS DE TRABALHO Índice 1. Outros Tipos de Contratos de Trabalho...3 1.1. Trabalho Rural... 3 1.2. Estagiário... 4 1.3. Trabalho Temporário... 5 1.4.

Leia mais

Desde 2013, nove direitos já estavam valendo, como hora extra e jornada de trabalho de 8 horas diárias (veja mais detalhes abaixo).

Desde 2013, nove direitos já estavam valendo, como hora extra e jornada de trabalho de 8 horas diárias (veja mais detalhes abaixo). 02/06/2015 07h40 - Atualizado em 02/06/2015 13h01 Regulamentação dos direitos das domésticas é publicada Trabalhadoras terão adicional noturno, seguro-desemprego e mais 5 direitos. Emenda constitucional

Leia mais

CARTILHA SOBRE A EMENDA CONSTITUCIONAL DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS

CARTILHA SOBRE A EMENDA CONSTITUCIONAL DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS 2 de abril de 2013 CARTILHA SOBRE A EMENDA CONSTITUCIONAL DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Hoje foi promulgada uma Emenda Constitucional que amplia os direitos trabalhistas dos empregados domésticos. Alguns direitos

Leia mais

DEPARTAMENTO PESSOAL

DEPARTAMENTO PESSOAL DEPARTAMENTO PESSOAL DÚVIDAS MAIS FREQUENTES 1 1. Documentos necessários para admissão Para o processo de admissão, o novo funcionário deverá apresentar a relação de documentos abaixo: *Carteira de Trabalho

Leia mais

VARGAS CONTABILIDADE atendimento@vargascontabilidaders.com.br ORIENTAÇÃO

VARGAS CONTABILIDADE atendimento@vargascontabilidaders.com.br ORIENTAÇÃO VARGAS CONTABILIDADE atendimento@vargascontabilidaders.com.br ORIENTAÇÃO PREVIDÊNCIA SOCIAL Décimo Terceiro Salário Nesta orientação, vamos apresentar como deve ser preenchida a declaração do SEFIP Sistema

Leia mais

Características do Sistema

Características do Sistema SISTEMA FOLHA DE PAGAMENTO ADVANCED Características do Sistema Sistema multiusuário pleno. Sistema multiempresa sem limitações. Recursos e facilidades operacionais com eficiência, segurança e exatidão.

Leia mais

Base Legal (Perguntas e Respostas 02.01)

Base Legal (Perguntas e Respostas 02.01) HOMOLOGNET Base Legal (Perguntas e Respostas 02.01) Portaria Nº 1.620, de 14/07/2010: Institui o sistema Homolognet; Portaria Nº 1.621, de 14/07/2010: Aprova modelos de TRCT e Termos de Homologação; Instrução

Leia mais

Gestão de Pessoas - Windows

Gestão de Pessoas - Windows P á g i n a 1 Gestão de Pessoas - Windows Módulo Administração de Pessoal (Rubi) Processo: 13º Salário Senior Sistemas S.A Rua São Paulo, 825 - Bairro Victor Konder - CEP 89012.001 - Blumenau/SC Fone:

Leia mais

FAQ - PERGUNTAS E RESPOSTAS

FAQ - PERGUNTAS E RESPOSTAS FAQ - PERGUNTAS E RESPOSTAS ESCRITA FISCAL A nota eletrônica é melhor do que a nota em papel? Sim a nota eletrônica não possui custo para emissão, necessitando apenas de um computador, um certificado digital

Leia mais

Diário Oficial da União - Seção 1-3/4/2013, Página 6 (Publicação Original)

Diário Oficial da União - Seção 1-3/4/2013, Página 6 (Publicação Original) Diário Oficial da União - Seção 1-3/4/2013, Página 6 (Publicação Original) Proposição Originária: PEC 478/2010 PODER LEGISLATIVO Título EMC 72 de 02/04/2013 - EMENDA CONSTITUCIONAL Data 02/04/2013 Ementa

Leia mais

Manual da Rescisão Complementar

Manual da Rescisão Complementar Manual da Rescisão Complementar Atualizado em Abril/2009 Pág 1/16 Sumário Rescisão Complementar... 2 Reajuste salarial para funcionários demitidos... 3 Novos Campos cadastro de Sindicato... 4 Recálculo

Leia mais

Módulo Recursos Humanos

Módulo Recursos Humanos Módulo Recursos Humanos Folha de Pagamento Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre o Módulo Recursos Humanos Folha de Pagamento. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas

Leia mais

Empregado Doméstico Normatização da Profissão

Empregado Doméstico Normatização da Profissão Empregado Doméstico Normatização da Profissão 3 DE JUNHO DE 2015 CONTSUL A Lei complementar nº150, publicada no DOU de 02.06.2015, dispôs sobre o trabalho doméstico no que tange ao contrato de trabalho,

Leia mais

NORMA DE PROCEDIMENTOS. Férias

NORMA DE PROCEDIMENTOS. Férias pág.: 1/6 1 Objetivo Estabelecer critérios e procedimentos para programação, concessão e pagamento de férias aos empregados da COPASA MG. 2 Referências Para aplicação desta norma poderá ser necessário

Leia mais

INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS

INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS INSS/FGTS/IRRF TABELA DE INCIDÊNCIAS Abonos de qualquer natureza Evento Descrição INSS FGTS IRRF Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença Laboral Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença

Leia mais

INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências

INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências INSS/FGTS/IRRF - TABELA DE INCIDÊNCIAS Tabela de incidências Evento Descrição INSS FGTS IRRF Abonos de qualquer natureza Acidente de Trabalho - Típico - Trajeto - Doença Laboral Acidente de Trabalho -

Leia mais

ROTEIRO BÁSICO PARA GERAR FOLHA DE PAGAMENTO

ROTEIRO BÁSICO PARA GERAR FOLHA DE PAGAMENTO ROTEIRO BÁSICO PARA GERAR FOLHA DE PAGAMENTO Nas páginas seguintes, você terá uma visão geral dos recursos disponíveis e das funções que o Persona pode automatizar. Sem entrar em detalhes, você saberá

Leia mais

DEPARTAMENTO JURÍDICO TRABALHISTA BOLETIM 091/2015

DEPARTAMENTO JURÍDICO TRABALHISTA BOLETIM 091/2015 DEPARTAMENTO JURÍDICO TRABALHISTA ADM 223/2015-29/09/2015 BOLETIM 091/2015 Fixados os critérios sobre o recolhimento obrigatório do FGTS pelo empregador doméstico e divulgada a versão 2 do manual de recolhimento

Leia mais

Copyright 2004/2014 - VLC

Copyright 2004/2014 - VLC Escrituração Fiscal Manual do Usuário Versão 7.2 Copyright 2004/2014 - VLC As informações contidas neste manual são de propriedade da VLC Soluções Empresariais Ltda., e não poderão ser usadas, reproduzidas

Leia mais

TÓPICO (em ordem alfabética) PÁGINA Nº

TÓPICO (em ordem alfabética) PÁGINA Nº ÍNDICE DO MANUAL DE ROTINAS TRABALHISTAS TÓPICO (em ordem alfabética) PÁGINA Nº INTRODUÇÃO 6 SIGLAS UTILIZADAS 7 ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL E GERÊNCIA DE REC HUMANOS 8 ABANDONO DE EMPREGO 19 ACIDENTE NO

Leia mais

Empregados Domésticos

Empregados Domésticos Empregados Domésticos O que está valendo hoje? Dos direitos em vigor, destacamos: Salário mínimo: O salário mínimo nacional atual é de R$ 678,00. Há Estados em que existem leis estaduais garantindo um

Leia mais

PRIMEIROS APONTAMENTOS SOBRE A LEI COMPLEMENTAR 150/2015: A NOVA LEI DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS

PRIMEIROS APONTAMENTOS SOBRE A LEI COMPLEMENTAR 150/2015: A NOVA LEI DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS PRIMEIROS APONTAMENTOS SOBRE A LEI COMPLEMENTAR 150/2015: A NOVA LEI DOS EMPREGADOS DOMÉSTICOS Karime Antunes de Souza Advogada em São Paulo karime@silvaribeiro.com.br Aprovada recentemente, a Lei Complementar

Leia mais

Direitos do(a) Empregado(a) Doméstico(a)

Direitos do(a) Empregado(a) Doméstico(a) Direitos do(a) Empregado(a) Doméstico(a) Carteira de Trabalho e Previdência Social, devidamente anotada Devidamente anotada, especificando- se as condições do contrato de trabalho (data de admissão, salário

Leia mais

Gestão de Pessoas - 4w

Gestão de Pessoas - 4w P á g i n a 1 Gestão de Pessoas - 4w Modulo Administração de Pessoal (Rubi) Processo: Férias P á g i n a 2 Sumário 1 Conceito... 3 1.1 Parametrizações no Sistema... 3 1.1.1 - Sindicato... 3 1.1.2 - Situações...

Leia mais

Infor-Pag. Importa lançamentos de outros Sistemas (Ponto Eletrônico, Convênios,...).

Infor-Pag. Importa lançamentos de outros Sistemas (Ponto Eletrônico, Convênios,...). Cálculos Infor-Pag CLT, Estagiários, Autônomos e Pró-Labore. Geral ou por Centro de Custos. Recálculo. Com o mesmo código de evento pode-se ter 3 tipos de movimento; Normal, diferença ou estorno. Permite

Leia mais

Seguro Desemprego : art. 7º, II da CRFB

Seguro Desemprego : art. 7º, II da CRFB AULA 10: Seguro Desemprego : art. 7º, II da CRFB Amparo legal: art. 7º, II da CRFB. * urbanos e rurais: Lei nº 7.998/90, Lei nº 8.900/94 e Resolução do CODEFAT 467/05. * domésticos: artigo 6º-A da Lei

Leia mais

NORMA CORPORATIVA DEPARTAMENTO PESSOAL

NORMA CORPORATIVA DEPARTAMENTO PESSOAL 1. OBJETIVO Estabelecer a sistemática para rotinas de Departamento Pessoal. 2. DEFINIÇÕES TRCT: Termo de Rescisão de Contrato de Trabalho. DP: Departamento Pessoal; DP Central: Departamento Pessoal de

Leia mais

CONTRATO DE TRABALHO. Empregado Preso

CONTRATO DE TRABALHO. Empregado Preso CONTRATO DE TRABALHO Empregado Preso Muitas dúvidas surgem quando o empregador toma conhecimento que seu empregado encontra-se preso. As dúvidas mais comuns são no sentido de como ficará o contrato de

Leia mais

ÍNDICE. Capítulo XI Subsistema Folha de Pagamentos

ÍNDICE. Capítulo XI Subsistema Folha de Pagamentos ÍNDICE Capítulo XI Subsistema Folha de Pagamentos COMO INCLUIR PENSÃO ALIMENTÍCIA...2 COMO CONSULTAR PENSÃO ALIMENTÍCIA...4 COMO INCLUIR PENSÃO ALIMENTÍCIA INFORMADA...4 COMO CONSULTAR PENSÃO ALIMENTÍCIA

Leia mais

5 MILHÕES LEGAIS EM 2010 WWW.DOMESTICALEGAL.ORG.BR/VOTE SÓ FALTAM OS DEPUTADOS FEDERAIS, O PRESIDENTE LULA E VOCÊ!

5 MILHÕES LEGAIS EM 2010 WWW.DOMESTICALEGAL.ORG.BR/VOTE SÓ FALTAM OS DEPUTADOS FEDERAIS, O PRESIDENTE LULA E VOCÊ! CARTILHA DIREITOS E DEVERES DO EMPREGADOR DOMÉSTICO E DA EMPREGADA DOMÉSTICA OS SENADORES APROVARAM 5 MILHÕES DE DOMÉSTICAS LEGAIS EM 2010 Sem carteira assinada Com carteira assinada 4.8 milhões de domésticas

Leia mais

esocial esocial Diminuir o custo de produção, o controle e disponibilização das informações trabalhistas, previdenciárias e fiscais;

esocial esocial Diminuir o custo de produção, o controle e disponibilização das informações trabalhistas, previdenciárias e fiscais; Ref.: nº 26/2015 esocial 1. Conceito O esocial é um projeto do Governo Federal que vai coletar as informações descritas em seu objeto, armazenando-as em Ambiente Nacional, possibilitando aos órgãos participantes,

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTO DA ROTINA DA RESCISÃO COMPLEMENTAR

MANUAL DE PROCEDIMENTO DA ROTINA DA RESCISÃO COMPLEMENTAR MANUAL DE PROCEDIMENTO DA ROTINA DA RESCISÃO COMPLEMENTAR INTRODUÇÃO Trata-se de um recurso exclusivo para atender a necessidade de cálculos complementares de verbas rescisórias decorrentes de reajustes

Leia mais

Trabalho Doméstico: as mudanças e os impactos da nova lei. Zilma Aparecida da Silva Ribeiro Abril de 2013

Trabalho Doméstico: as mudanças e os impactos da nova lei. Zilma Aparecida da Silva Ribeiro Abril de 2013 Trabalho Doméstico: as mudanças e os impactos da nova lei Zilma Aparecida da Silva Ribeiro Abril de 2013 Legislação Aplicável * LEI Nº 5.859, DE 11 DE DEZEMBRO DE 1972 * CONSTITUIÇÃO FEDERAL ART. 7º, PARÁGRAFO

Leia mais

A NOVA REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DOMÉSTICO

A NOVA REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DOMÉSTICO A NOVA REGULAMENTAÇÃO DO TRABALHO DOMÉSTICO Sara Costa Benevides 1 Advogada Sócia de Homero Costa Advogados Lorena Efigênia da Cruz Silva Estagiária de Homero Costa Advogados INTRODUÇÃO No Diário Oficial

Leia mais

Instruções Folha de Pagamento Rotina 21 Instruções RAIS

Instruções Folha de Pagamento Rotina 21 Instruções RAIS Instruções Folha de Pagamento Rotina 21 Instruções RAIS Informações Iniciais (Portaria Nº 7, de 3 Janeiro de 2012) o O prazo para a entrega da declaração da RAIS inicia-se no dia 17 de janeiro de 2012

Leia mais

Menu Contratos. Há também a opção de Contrato de Experiência Modelo Antigo com alteração de algumas cláusulas.

Menu Contratos. Há também a opção de Contrato de Experiência Modelo Antigo com alteração de algumas cláusulas. Contratos de Trabalho Emissão de Contratos de Trabalho e Outros Experiência Este item tem como objetivo emitir Contrato de Experiência para o recrutamento dos funcionários na empresa. A emissão necessita

Leia mais

Mini Curso de Setor de Recursos Humanos

Mini Curso de Setor de Recursos Humanos Mini Curso de Setor de Recursos Humanos Carlos Antônio Maciel Luciano Nóbrega Cerqueira Maio/Junho 2009 1 SUMÁRIO 1 Admissões 2 Elaboração da Folha de Pagamento 3 Rescisões Contratuais 4 Obrigações Acessórias

Leia mais

PRAZOS DE GUARDA E MANUTENÇÃO DE LIVROS E DOCUMENTOS

PRAZOS DE GUARDA E MANUTENÇÃO DE LIVROS E DOCUMENTOS PRAZOS DE GUARDA E MANUTENÇÃO DE LIVROS E DOCUMENTOS Regra geral Regra geral, o prazo de guarda e manutenção de livros e documentos fiscais, seja de competência federal, estadual ou municipal, tem ligação

Leia mais

EXACTUS SOFTWARE LTDA

EXACTUS SOFTWARE LTDA Instruções para Geração do 13º Salário EXACTUS SOFTWARE LTDA SISTEMA - WINNER Edição 2009 Página 1 de 24 Londrina Paraná Edição 10/2009 COPYRIGHT Todos os direitos são reservados à Exactus Software Ltda.

Leia mais

Apostila de 13 Salário. Capacitação e Treinamento 1

Apostila de 13 Salário. Capacitação e Treinamento 1 Apostila de 13 Salário Capacitação e Treinamento 1 Conteúdo 1. DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO... 3 1.1. Contagem de Avos... 3 1.2. Primeira Parcela Pagamento até 30/11... 3 1.3. Empregados não disponíveis durantes

Leia mais

Cargos/Funções necessárias no desenvolvimento das atividades: GERENTE DE ATIVIDADE, ASSISTENTE TÉCNICO ESPECIALIZADO E ASSISTENTE OPERACIONAL

Cargos/Funções necessárias no desenvolvimento das atividades: GERENTE DE ATIVIDADE, ASSISTENTE TÉCNICO ESPECIALIZADO E ASSISTENTE OPERACIONAL Cargos/Funções necessárias no desenvolvimento das atividades: GERENTE DE ATIVIDADE, ASSISTENTE TÉCNICO ESPECIALIZADO E ASSISTENTE OPERACIONAL MACRO FUNÇÃO ATIVIDADE TAREFA Verificar Tabela de Bancos, Analisar

Leia mais

SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO ANTECIPACÃO DE ICMS MANUAL DO USUÁRIO - CONTRIBUINTE

SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO ANTECIPACÃO DE ICMS MANUAL DO USUÁRIO - CONTRIBUINTE SECRETARIA DE ESTADO DA FAZENDA DIRETORIA DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO DIRETORIA DE FISCALIZAÇÃO ANTECIPACÃO DE ICMS MANUAL DO USUÁRIO - CONTRIBUINTE Versão 1.0 Belém PA - Maio 2014 Sumário 1. Introdução...

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2015/2016 NÚMERO DE REGISTRO NO MTE: SC002716/2015 DATA DE REGISTRO NO MTE: 16/11/2015 NÚMERO DA SOLICITAÇÃO: MR064091/2015 NÚMERO DO PROCESSO: 46220.006426/2015-78 DATA DO

Leia mais

ANEXO I CHECKLIST PARA O INÍCIO DA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS. ITEM VERIFICADO SIM NÃO Anotações em Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS)

ANEXO I CHECKLIST PARA O INÍCIO DA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS. ITEM VERIFICADO SIM NÃO Anotações em Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) 1689/2015 - Sexta-feira, 20 de Março de 2015 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região 1 ANEXO I CHECKLIST PARA O INÍCIO DA PRESTAÇÃO DOS SERVIÇOS ITEM VERIFICADO SIM NÃO Anotações em Carteira de Trabalho

Leia mais

Nota Fiscal de Serviços eletrônica NFS-e. Introdução. Apresentação

Nota Fiscal de Serviços eletrônica NFS-e. Introdução. Apresentação Nota Fiscal de Serviços eletrônica NFS-e Manual do Usuário Prestador Introdução Este manual tem como objetivo apresentar a Nota Fiscal de Serviços Eletrônica (NFS-e) que será utilizado pelos contribuintes

Leia mais

Treinamento Sistema Folha Union Módulo III

Treinamento Sistema Folha Union Módulo III FOLHA DE PAGAMENTO MÓDULO III - MOVIMENTOS Folha Union> Vale transporte> Cadastro de tarifas Valor - Insira o valor atual e a data de vigência. Cadastre ou altere os tipos de transportes utilizados de

Leia mais

CAPÍTULO I - VIGÊNCIA E ABRANGÊNCIA CAPÍTULO II - REMUNERAÇÃO E PAGAMENTO

CAPÍTULO I - VIGÊNCIA E ABRANGÊNCIA CAPÍTULO II - REMUNERAÇÃO E PAGAMENTO CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO, QUE ENTRE SI FAZEM, DE UM LADO O SINDICATO DOS CONDUTORES DE VEÍCULOS RODOVIÁRIOS E TRABALHADORES EM TRANSPORTES DE CARGAS EM GERAL E PASSAGEIROS NO MUNICÍPIO DO RIO DE

Leia mais

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES MENSAIS

CALENDÁRIO DE OBRIGAÇÕES MENSAIS Data Vencimento 07 Obrigação Salário Mensal Fato Gerador e Fundamento Legal Pagamento mensal da remuneração. (ver nota 1) Salário-Mínimo Valor atual de R$ 788,00 - Decreto nº 8.381/14. Pró-labore Código

Leia mais

CÁLCULOS TRABALHISTAS

CÁLCULOS TRABALHISTAS CÁLCULOS TRABALHISTAS Remuneração - Salário acrescido da média das variáveis (exemplo: comissões) dos últimos 12 meses. - Média: soma das 6 maiores parcelas variáveis mês a mês, divididas por 6, dentro

Leia mais

CONTRATAÇÃO DE APRENDIZES

CONTRATAÇÃO DE APRENDIZES CONTRATAÇÃO DE APRENDIZES OBRIGATORIEDADE DA CONTRATAÇÃO Estabelecimentos de qualquer natureza são obrigados a contratar aprendizes. Estabelecimento é todo complexo de bens organizado para o exercício

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA REMESSA DE DOCUMENTOS PARA CONTABILIZAÇÃO

MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA REMESSA DE DOCUMENTOS PARA CONTABILIZAÇÃO MANUAL DE INSTRUÇÕES PARA REMESSA DE DOCUMENTOS PARA CONTABILIZAÇÃO Através deste manual, a Tecnicont pretende orientar seus clientes e facilitar os procedimentos a serem realizados no envio de documentos

Leia mais

TRABALHADOR DOMÉSTICO

TRABALHADOR DOMÉSTICO TRABALHADOR DOMÉSTICO Guia SESI-FIEMG dos Direitos e Deveres do Trabalhador Doméstico Edição 1.0 Outubro de 2015 1 SUMÁRIO O EMPREGADO DOMÉSTICO... 3 DIREITOS DO EMPREGADO DOMÉSTICO... 3 PRINCIPAIS PONTOS

Leia mais

MANUAL DOS DIREITOS DOS COMERCIÁRIOS

MANUAL DOS DIREITOS DOS COMERCIÁRIOS 11. DIREITOS NA HORA DA DEMISSÃO É de fundamental importância saber quais os direitos dos trabalhadores na hora da rescisão do contrato de trabalho. Devese ter especial atenção no caso de demissões sem

Leia mais

Passo a passo de consolidação da modalidade Pagamento à Vista com utilização de Prejuízo Fiscal ou de Base de Cálculo Negativa da CSLL

Passo a passo de consolidação da modalidade Pagamento à Vista com utilização de Prejuízo Fiscal ou de Base de Cálculo Negativa da CSLL SUMÁRIO Data, local e prazo para consolidação de modalidade para Pagamento à Vista com 03 Acessar sítio da RFB ou PGFN para efetuar consolidação 03 Confessar débitos não previdenciários 07 Excluir débitos

Leia mais

Neste bip. Participação nos Lucros e Resultados. Você Sabia? Rescisão Complementar. Edição 54 Fevereiro de 2015

Neste bip. Participação nos Lucros e Resultados. Você Sabia? Rescisão Complementar. Edição 54 Fevereiro de 2015 Neste bip Participação nos Lucros e Resultados... Rescisão Complementar... 1 DIRF 2015... 2 Novas Alterações Trabalhistas e Previdenciárias... 3 EFD ICMS-IPI... 4 Nova Tabela de INSS e Salário Família...

Leia mais

Instruções Folha de Pagamento

Instruções Folha de Pagamento Instruções Folha de Pagamento Rotina 20 Instruções DIRF Informações Iniciais Entrega da Declaração (Instrução Normativa RFB. 1.216 15/12/2011) o A DIRF deverá ser entregue até as 23h59min59s (horário de

Leia mais

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2004/2005 S A N T U R

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2004/2005 S A N T U R ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2004/2005 S A N T U R Termo de Acordo Coletivo de Trabalho, que entre si celebram o SINDICATO DOS TRABALHADORES EM EMPRESAS DE ASSESSORAMENTO, PERÍCIA, PESQUISA E INFORMAÇÕES

Leia mais

Manual de Procedimentos Sistemas Integrados Wsolução Módulo WFolha Geração do Arquivo da RAIS/2012

Manual de Procedimentos Sistemas Integrados Wsolução Módulo WFolha Geração do Arquivo da RAIS/2012 Indice Introdução...2 Conferindo os cadastros...2 Parâmetros Empresa...2 Cadastro de eventos...3 Centros de Custo (Obras)...3 Sindicatos...3 Funcionários...5 Gerando o arquivo para Rais...5 Outras informações

Leia mais

PAUTA DE REIVINDICAÇÃO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DE CAMPINAS, PAULÍNIA, VALINHOS, SUMARÉ e HORTOLÂNDIA

PAUTA DE REIVINDICAÇÃO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DE CAMPINAS, PAULÍNIA, VALINHOS, SUMARÉ e HORTOLÂNDIA PAUTA DE REIVINDICAÇÃO DO SINDICATO DOS TRABALHADORES DOMÉSTICOS DE CAMPINAS, PAULÍNIA, VALINHOS, SUMARÉ e HORTOLÂNDIA CAMPINAS JANEIRO/2014 1 PAUTA DE REIVINDICAÇÃO CLÁUSULA 1ª - PISO SALARIAL Fica estipulado

Leia mais

ÍNDICE. ISS Online. Guia do Usuário ÍNDICE

ÍNDICE. ISS Online. Guia do Usuário ÍNDICE Guia do Usuário ÍNDICE ÍNDICE Setembro /2009 www.4rsistemas.com.br 15 3262 8444 IDENTIFICAÇÃO E SENHA... 3 Sou localizado no município... 4 Não sou localizado no município... 4 ACESSO AO SISTEMA... 5 Tela

Leia mais

Instruções Folha de Pagamento Rotina 19 13º Salário

Instruções Folha de Pagamento Rotina 19 13º Salário Instruções Folha de Pagamento Rotina 19 13º Salário Instruções Iniciais Antes de iniciar a geração do 13º salário é necessário verificar com atenção as dicas iniciais. Efetue a parametrização da Tabela

Leia mais

A Lei 6.019/74 que trata da contratação da mão de obra temporária abrange todos os segmentos corporativos ou há exceções?

A Lei 6.019/74 que trata da contratação da mão de obra temporária abrange todos os segmentos corporativos ou há exceções? LUANA ASSUNÇÃO ALBUQUERK Especialista em Direito do Trabalho Advogada Associada de Cheim Jorge & Abelha Rodrigues - Advogados Associados O CONTRATO TEMPORÁRIO DE TRABALHO São as conhecidas contratações

Leia mais

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2006 / 2007

CONVENÇÃO COLETIVA DE TRABALHO 2006 / 2007 2006 / 2007 O SINDICATO NACIONAL DAS EMPRESAS DE AVIAÇÃO AGRÍCOLA SINDAG e o SINDICATO DOS TÉCNICOS AGRÍCOLAS DE NÍVEL MÉDIO NO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL SINTARGS, firmam a presente CONVENÇÃO COLETIVA

Leia mais

Breve contextualização

Breve contextualização Breve contextualização O esocial é o instrumento de unificação da prestação das informações referentes à escrituração das obrigações fiscais, previdenciárias e trabalhistas e tem por finalidade padronizar

Leia mais

PARTE I ROTINAS TRABALHISTAS

PARTE I ROTINAS TRABALHISTAS PARTE I ROTINAS TRABALHISTAS Capítulo 1 Recrutamento... 3 1.1 Possíveis ocorrências de recrutamento... 4 1.1.1 Ampliação do quadro de pessoal... 4 1.1.2 Desligamento de empregado... 5 1.1.3 Promoção...

Leia mais

Carência para o recebimento do benefício pensão por morte?

Carência para o recebimento do benefício pensão por morte? 1 Carência para o recebimento do benefício pensão por morte? A MP 664 de dezembro de 2014 previu uma carência de 24 meses para a obtenção do benefício pensão por morte. Depois de muita discussão no Congresso

Leia mais