RESUMO. Palavras-chave: Biblioteconomia. Interdisciplinaridade. Ciência da Informação. Conhecimento. Recursos tecnológicos

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "RESUMO. Palavras-chave: Biblioteconomia. Interdisciplinaridade. Ciência da Informação. Conhecimento. Recursos tecnológicos"

Transcrição

1 UNIVERSIDADE FEDERAL DO MARANHÃO CENTRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS CURSO DE BIBLIOTECONOMIA DIRETÓRIO ACADÊMICO DE BIBLIOTECONOMIA XIV Encontro Regional de Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da informação Os novos campos da profissão da informação na contemporaneidade 16 a 22 de janeiro de 2011 AS RELAÇÕES INTERDISCIPLINARES ENTRE BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: o mercado de trabalho para o bibliotecário frente essas áreas de atuação profissional 1 Erik André de Nazaré Pires* RESUMO Apresenta as características da Biblioteconomia e Ciência da Informação com suas respectivas semelhanças, e como ambas atuam como catalisadoras de informação, visto que trabalham para acelerar a busca pelo conhecimento. O objetivo é analisar a importância da necessidade social e econômica da pesquisa para obtenção de informação com qualidade, no que tange as possibilidades de atuação frente ao mercado de trabalho para o bibliotecário, o que fez com que esse profissional utilize o auxílio de recursos tecnológicos referentes as Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC s) para obtenção de um alto grau de proficiência na sua qualificação, consequentemente sendo esse ramo um dos seus principais espaços de atuação na contemporaneidade, visto que a informação enquanto matéria prima para o desenvolvimento cientifico e tecnológico, passa pelo uso das TIC s como essencial para o aperfeiçoamento da capacitação profissional. A metodologia é caracterizada por uma pesquisa bibliográfica, com subsídios teóricos mostra os fundamentos de Le Coadic (2004), Davenport (1998) e Targino (1995), sem dispensar as contribuições de outros autores a respeito da temática abordada no trabalho. Conclui-se que a interdisciplinaridade é um elemento essencial para uma atuação satisfatória e com mais proficiência no ambiente profissional na qual o profissional da informação está inserido, principalmente com o uso da informática e suas ferramentas de auxílio com o intuito de agilizar a otimização do fluxo informacional. Palavras-chave: Biblioteconomia. Interdisciplinaridade. Ciência da Informação. Conhecimento. Recursos tecnológicos 1 INTRODUÇÃO No atual contexto social, no qual estamos inseridos a informação age como catalisadora de uma maior abrangência de conhecimento e os profissionais da informação, 1 Trabalho cientifico de comunicação oral apresentado ao GT 7 Temática Livre * Universidade Federal do Pará. Graduando de Biblioteconomia. Estagiário da Biblioteca da Procuradoria do Ministério Público Federal.

2 particularmente os bibliotecários de diferentes épocas e contextos, perceberam a necessidade de se organizar as informações aonde são armazenadas, tanto em suportes tradicionais como em meios eletrônicos, e o primeiro passo para que isto aconteça é através do tratamento técnico eficaz disponibilizando para os usuários mais comodidade e praticidade para a recuperação da informação. Os bibliotecários também conhecidos como profissionais da informação precisam dispor de melhores serviços informacionais no que diz respeito a qualidade na disponibilidade de recursos tecnológicos para recuperação da informação com qualidade, em virtude de atrair mais usuários, tanto na unidade física quanto na unidade digital, em que a unidade de informação está inserida. Para essa qualificação profissional, no âmbito da tecnologia da informação, faz-se necessário uma constante atualização no campo da informática, através de cursos de programação, treinamento ofertados por representantes das mais importantes bases de dados existentes no mercado, no qual está cada vez mais exigente perante a disponibilidade de acesso a informação por parte dos usuários que estão ficando bem informados utilizando principalmente da internet para a obtenção dessa gama de conhecimento. O desenvolvimento constante de Biblioteconomia e da Ciência da Informação (CI) estão em frequente atualização tecnológica, haja vista, a necessidade do profissional da informação estar apto a exercer funções ligadas as tecnologias existentes para uma maior produtividade e proficiência na qual o mercado de trabalho exige, com cada vez, maior amplitude e abrangência de conhecimento na utilização de fontes de informação por parte do bibliotecário, pois, este profissional precisa estar apto a desenvolver e disseminar uma maior abrangência científica com o auxílio das novas tecnologias da informação e comunicação. O percurso metodológico adotado para a elaboração desse trabalho valeu-se de um levantamento bibliográfico, com o intuito de fundamentar os alicerces teóricos para ajudar na produção textual e consequentemente ter base para fundamentar o que foi exposto durante as informações levantadas. Com referenciais teóricos utilizados na pesquisa são usados autores com alto grau de conhecimentos nessas áreas de estudo, dentre eles destacam-se Le Coadic (2004), Davenport (1998) e Targino (1995), sem dispensar as idéias de outros autores que colaboraram para o desenvolvimento desse trabalho acadêmico. O presente paper tem como objetivo geral mostrar a importância do desenvolvimento tecnológico em Biblioteconomia e CI desde os seus primórdios até a contemporaneidade. Pretendeu-se estudar como esse processo é indispensável para

3 organização e utilização da informação de forma precisa e adequada e consequentemente com um alto nível de proficiência. O respectivo trabalho está dividido e seis seções, na qual o primeiro aborda a introdução, depois faz-se um histórico de CI e suas origens, o seguinte trata da Biblioteconomia e CI com suas relações de interdisciplinaridades, o próximo aborda as TIC s para qualificação do profissional bibliotecário, o subseqüente fala a respeito do mercado de trabalho para o bibliotecário e por fim as considerações finais. 2 A CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO E SUAS ORIGENS Consiste em uma ciência social determinada por condições históricas e socioeconômicas que propiciaram seu desenvolvimento, a CI é de origem anglo-saxônica e surgiu da biblioteconomia, uma vez que teve como objeto de estudo a informação fornecida pelas bibliotecas, evoluindo para as informações científicas e tecnológicas (LE COADIC 2004). Uma rápida revisão histórica nos permite perceber que o advento da escrita provocou mudança na forma da comunicação oral para escrita, multiplicando a informação e baixando o custo energético, permitindo que a memória, uma das funções do cérebro humano, passasse a ser executada e exteriorizada através das bibliotecas eletrônicas e virtuais, dando à informação o impulso que revolucionou e provocou mudança dos hábitos e de vida do homem na sociedade. A base histórica desta ciência é a informação obtida inicialmente através da tradição oral, gravada em suportes diversos e depois escrita nos livros organizados nas bibliotecas, seguida pelas bibliografias, documentos e artigos de revistas especializadas dos centros de documentação, cujo crescimento cada vez maior demandou com a criação do Instituto Internacional de Bibliografia (IIB), da Federação Internacional de Documentação (FID) e outras instituições congêneres em âmbito nacional e internacional. De acordo com Wersing e Nevelling (1975, p. 130). O sistema de pesquisa da Ciência da Informação assemelha-se bastante ao sistema econômico, o que permite a representação do modelo econômico clássico: produção distribuição consumo. Vale observar que a analogia restringe-se aos fenômenos e não se estende aos conceitos, fazendo-se a distinção entre bens culturais e bens materiais. A Ciência da Informação trabalha com a produção e muito mais com a organização do conhecimento científico e tecnológico, razão pela qual a

4 representação do modelo informacional corresponde à organização comunicação uso, formando um ciclo sucessivo de alimentação recíproca. O objeto da CI é o estudo da informação e de suas propriedades, natureza, gênese e efeitos, enquanto a análise dos processos de construção, comunicação, utilização, bem como a concepção dos produtos, sistemas que permitem sua organização, armazenamento e uso constituem-se em seu objetivo. As origens da CI remontam ao ano de 1948, com o nascimento da primeira grande sociedade científica dos Estados Unidos, a American Society for Information Science (ASIS). Na segunda metade da década de 1950, as obras de Winer Cybernetics or controland comunication in the animal and machine e de Shannon e Wever The mathematical theory of comunication pronunciaram o advento desta nova ciência. Ao final da mesma década ocorre no Reino Unido, a fundação do Institute of Information Scientist (IIS), assinalado por Foskett (1969) e Ingwersen (1996) como marco na história da CI. Também esta é a época, indicada pela literatura, em que o termo é utilizado pela primeira vez para designar o estudo do conhecimento registrado e sua transferência, num sentido mais amplo. Há consenso entre autores ao admitir que as origens da CI encontrem-se na Biblioteconomia, em especial nas áreas de documentação e recuperação da informação, e que seu surgimento está intimamente ligado à revolução científica e técnica que seguiu à II Grande Guerra, em especial ao desenvolvimento das Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC s) (SERACEVIC, 1996; INGWERSEN, 1992; LE COADIC, 1996 apud ROZADOS, 2003). Mais tarde, afirmou-se que a Comunicação, a Epistemologia, a Sociologia, a Sociolinguística, a Psicolinguística, a Teoria da Informação, a Matemática, a Ciência da Computação e a Psicologia foram, e são, disciplinas que influenciaram e,ainda, influenciam a CI. 3 CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO E BIBLIOTECONOMIA E SUAS RELAÇÕES DE INTERDISCIPLINARIDADE Desvendar e compreender a natureza e seus fenômenos, através de métodos sistemáticos e seguros, é o que a busca a ciência, significando nos seus resultados a possibilidade de serem considerados conclusivos em determinadas circunstâncias. Isto é, esses sistemas explicativos não têm caráter definitivo e imutável, pois se inserem em um processo

5 ininterrupto de investigação, o que faz da ciência uma instituição social dinâmica, contínua, cumulativa. Acredita-se no qual. [...] a Ciência da Informação (CI) emergiu como decorrência natural do processo de evolução da Biblioteconomia e Documentação e configura-se, portanto, como o conjunto de conhecimentos relativos à origem, coleta, organização, armazenamento, recuperação. Interpretação, transferência, transformação e utilização da informação, ou seja, refere-se a todo o ciclo informacional (TARGINO, 1995, p. 12). Para isso, recorre,se à representação de informação em sistemas naturais ou artificiais, as técnicas e meios diversificados de processamento, com ênfase, nas novas tecnologias, e, mais especificamente no computador, a fim de garantir a otimização do fluxo de informação com qualidade, o que pressupõe rapidez, atualidade, consistência, confiabilidade e abrangência, aliados à facilidade de acesso ás fontes e os documentos primários. Logo, como resultante de seu próprio estudo a informção- presente em todas as áreas do conhecimento humano, a CI assume caráter interdisciplinar. A sociedade do conhecimento ou sociedade da informação na era pós-industrial, em que o eixo da economia passa a ser a produção, distribuição e difusão da informação, consolidando um novo setor do sistema produtivo, o quartenário, o qual incorpora as atividades relativas à indústria da informação e do conhecimento. Isso é fácil de perceber quando se analisa a força da informação no momento atual, a sociedade é submetida a uma grande quantidade de dados vindos de meios tradicionais, como o livro, a revista, o jornal, a TV ou de sofisticados recurso, como as redes eletrônicas de informação. No mais, segundo Targino (1995, p. 13). É possível estabelecer a distinção entre informação e conhecimento, em que a primeira atua como matéria-prima do segundo. Em outras palavras, o conhecimento é um corpo sistemático de informações adquiridas e organizadas, que permite ao indivíduo compreender a natureza, de sorte é através da compreensão que o ser humano transmuta informação em conhecimento. Entretanto, em qualquer circunstância, a informação atua como instrumento propulsor do desenvolvimento dos vários ramos do conhecimento humano, das nações e povos. E mais do que isto. Aflora como elemento de unificação das relações inter e transdisciplinares da CI. Interdisciplinaridade, no sentido de interação entre as disciplinas e transdisciplinaridade, como percepção dos fatos e fenômenos mediante movimento de

6 transcendência, ou seja, de ruptura com os limites preestabelecidos de uma única disciplina. Na realidade, a interdisciplinaridade fundamenta o avanço das ciências, pois o conhecimento científico subentende transformações, passagens de uma teoria para outra, ressaltando o caráter evolutivo das ciências e seu estado de permanente ebulição. Conseqüentemente, mais do que qualquer outra área, a CI relaciona-se com muitos outros campos, Lingüística, Matemática Sociologia, Psicologia, Política, Comunicação Social, Economia, Informática e, mais intimamente, com a Biblioteconomia e a Documentação. Estas mais conhecidas do grande público, são também, irremediavelmente interdisciplinares, por conservarem como objeto de estudo a informação. A Biblioteconomia compete à organização e administração das bibliotecas, além da seleção, aquisição, organização e disseminação de publicações primárias sob diferentes suportes físicos. Documentação limita-se à indexação, ao resumo, à tradução e reprodução dessas publicações, bem como à elaboração de obras secundárias e terciárias, recorrendo ao processamento de dados, à reprografia e às microformas para o tratamento da informação. Assim, diante dessa interdisciplinaridade irrefutável, a CI emerge como metaciência ou supraciência, no sentido de não lidar com segmentos específicos da informação informação jurídica, informação tecnológica, informação científica etc. mas com a metainformação, na qual ultrapassa fronteiras rigidamente demarcadas para interagir com outras áreas. Isto significa que detém um manancial inesgotável de possibilidades de investigação científica. Por fim, tornar-se útil reforçar que a relação de ciência com a sociedade é fundamental dialética e interativa. Nenhuma ciência figura como corpus autônomo. Em suma compete ao cientista da informação, através de atuação inter e transdisciplinar, combinar conhecimentos específicos com uma sólida formação generalista, a fim de romper as barreiras outrora rígidas entre as ciências humanas, exatas e biológicas, através da pesquisa científica como elemento de desvelamento e adentramento da vida, trazendo à tona a essência da CI. 4 O USO DE NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO PARA QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL BIBLIOTECÁRIO Quando a tecnologia a partir dos anos 1960, e no Brasil a partir dos anos 1980 entrou na Biblioteconomia realizou uma verdadeira revolução nas técnicas desta profissão, nesse período um razoável avanço técnico dos equipamentos, melhoria da arquitetura interna dos computadores e a implantação de novas linguagens de computação, possibilitaram mudar

7 dois grandes aspectos das atividades desta profissão, as de controle de inventário (circulação e serviços técnicos) e as de recuperação da informação. A partir de então, não é possível imaginar estas atividades sem uso desta ferramenta, pois as rotinas do fazer bibliotecário estão extremamente ligadas a elas, no sentido de melhorar, agilizar e aperfeiçoar as técnicas de tratamento da informação, levando a uma mudança no perfil deste profissional, agora seria necessário mais uma ferramenta, além das já utilizadas para facilitar o acesso à informação. Percebemos, também, a inserção do computador nas técnicas bibliotecárias permitiu que o mesmo pudesse ter acesso à rede mundial de computadores, e com a toda gama de informação contida nas chamadas bibliotecas virtuais, dando uma nova perspectiva ao usuário que não mais estava limitado ao acervo contido no espaço físico, hoje os usuários possuem mais ferramentas para a recuperação da informação, que consequentemente moderniza o aprendizado informacional, cultural, profissional e científico. A relação da informática com a sociedade mudou por completo, pois a produção cientifica faz parte da influência economicamente nos padrões tecnológicos, traz perspectivas novas, gera emprego, melhora a educação. A todo um ciclo de mudanças acontecendo, mas para que esse ciclo não pare é necessário um profissional da informação adaptado aos novos padrões de tecnologias no qual surgem a todo o momento. Outra mudança observada na utilização da informática, foi a ruptura do seu estilo em lidar com a sua principal ferramenta de trabalho a informação, pois a partir de então a catalogação solidária começou a existir e a ser feita de forma coletiva, em rede. Permitindo que o conhecimento produzido fosse disseminado de maneira tão rápida quanto a sua produção, desta maneira a informática permitiu um casamento perfeito produção x agilidade na busca da informação. Portanto, é possível vislumbrar um futuro promissor para a biblioteconomia e CI se elas se fizerem presente no uso das novas tecnologias, visto que hoje seria impossível imaginar o trabalho de disseminação da informação, sem o uso desta ferramenta imprescindível não só para a biblioteconomia e CI, como também para a maioria das outras profissões, seria desastroso se os profissionais da informação não valorizassem a importância dos avanços tecnológicos, e as mudanças proporcionadas por elas ao seu redor. Em meio a esse processo de transição e mudanças mundiais, onde tecnologia, informação conhecimento e comunicação interagem e provocam uma sociedade extremamente competitiva, a capacitação e qualificação profissional torna-se condição indispensável para um desenvolvimento socioeconômico global (ARARIPE, 2008, p. 105).

8 Entra aqui uma função muito importante para qualquer atividade profissional, transformação direta na sociedade, no caso deste novo perfil do profissional em questão, encontramos a universalização da informação e a democratização do saber. 5 MERCADO DE TRABALHO PARA O BIBLIOTECÁRIO O mercado de trabalho, hoje, está muito dinâmico, não podemos imaginar um profissional não atualizado, que não seja na mesma proporção dinâmico, devido a algumas características próprias do profissional da informação, como a ideia pejorativa da profissão vista pela sociedade a respeito do bibliotecário x livro, pensamento completamente ultrapassado, pois a produção intelectual hoje passa pelo uso de tecnologias para a sua difusão. Os nomes das profissões refletem o que seus profissionais fazem. Por exemplo, os administradores gerenciam organizações, os psicólogos lidam com o comportamento humano, os sociólogos analisam aspectos da sociedade. E o bibliotecário faz o quê? Lida com livros em bibliotecas? Claro que esta visão não mais reflete o que vem ocorrendo dentro das bibliotecas (BARBOSA, 1998, p. 54). Usando esse parâmetro uma das características do profissional da informação é justamente a utilização dos meios tecnológicos, portanto não podemos simplesmente aceitar apenas a associação do bibliotecário ao livro, as dimensões da profissão vão muito mais além. Chamamos de "miopia mercadológica" a concepção equivocada por parte de alguns administradores a respeito do negócio de suas empresas. Esse autor utilizou como principal exemplo de seu argumento as ferrovias americanas, que, no final do século passado e no início deste século, não deram a devida importância à concorrência dos automóveis, caminhões, aeronaves e mesmo telefones, porque elas se viam como atores no setor de rodovias, e não no setor de transportes (LEVITT, 1975 apud BARBOSA, 1998, p. 55). O papel do bibliotecário, enquanto as técnicas da Biblioteconomia continua existindo, porém o mesmo deve enxergar o mercado chamado de emergente onde surgem, justamente as novas habilidades do profissional da informação que não pode ser visto em separado do mercado chamado tradicional, pois um influência no outro. Com um mercado cada vez mais competitivo o profissional dever estar apto a lidar com várias competências. Eis aí uma nova exigência da profissão a interdisciplinaridade, pois quanto as suas habilidades emergentes, não é possível adquiri-las senão através de conhecimento aprendido em outras áreas do saber.

9 As empresas baseadas em informação requerem muito mais especialistas gerais do que as tradicionais, pois, para lidar com informação relevante para os objetivos organizacionais, as pessoas necessitarão de mais conhecimento, pois o papel do conhecimento no trabalho começa a ser reconhecido (DAVENPORT, 1998 apud FERREIRA, 2003, p. 45). O conhecimento é fundamental para se adquirir uma boa qualificação profissional, pois, o mesmo está exercendo economicamente um papel central no desempenho das funções, podendo elevar uma empresa ao domínio do mercado simplesmente se a sua organização se basear em informação e conhecimento, essa característica, elevaram o patamar de importância do profissional de informação, devido às várias habilidades que o mesmo adquiriu. Fazendo com que a literatura existente encontrasse várias definições, porque o mesmo passou a possuir inúmeras denominações de suas funções, com o surgimento de um número considerável de especializações na área da informação, entre elas: gerente de informação, gerência de recursos informacionais, gerência de redes de telecomunicações, entre outros, o que ocasionou em uma gama alta de títulos para o profissional da informação, como mestre em gerencia de recursos informacionais, especialista em informação geográfica, entre outros. Gerando uma espécie de confusão para o público externo entender o que realmente o profissional desta área faz, com o surgimento destes novos mercados profissionais, a atividade do profissional da informação não fica mais restrito ao seu espaço físico, a coleção de uma biblioteca, agora com inserção de tecnologias a serviço da informação, as barreiras físicas e institucionais deixam de existir. O mercado da informação gera competição, o usuário passivo deixa de existir e agora temos o usuário interativo que exige mudança comportamental do bibliotecário, surge aqui o moderno profissional da informação. Moderno profissional da informação é um termo amplo, mas segundo Guimarães (apud ARARIPE, 1998) devemos ter todas as qualidades do profissional da informação que se tem conhecimento, porém o que devemos ser realmente é moderno, pois quando adquirimos estas características nossas funções se multiplicam e nos tornam profissionais capazes de atuar em qualquer área do conhecimento, claro dentro das novas perspectivas que se põem aqui. Aqui podemos destacar o papel do profissional da informação dentro das empresas privadas, onde o mesmo começa a se destacar através da contribuição relativa aos interesses das empresas, aonde destacam-se os detalhes técnicos, um mercado a ser atingido e contribuição nos projetos de inovação tecnológicas.

10 Desta maneira observamos a importância do conhecimento deste profissional na área da informática, pois sua contribuição não deve ser apenas em saber manusear as tecnologias, mas, também trazer contribuição de arquitetura através de seus conhecimentos adquiridos em cursos, com uma educação continuada tornando-se cada vez mais um profissional de importante interesse para a empresa. Diante do exposto podemos dizer que o profissional da informação entra numa vantagem em relação aos demais profissionais que possuem o objeto de trabalho a informação, pois o mesmo sabe onde encontrar as ferramentas necessárias ao desempenho de suas funções numa empresa, por exemplo, dominando as técnicas de recuperação do conhecimento, conhecimento hoje que tem valor econômico. Na sociedade do conhecimento, o real valor dos produtos está no conhecimento neles embutido, em que a economia adota uma estrutura mais diversa, alterando-se contínua e rapidamente. Nos países mais avançados, o acúmulo de informações e a sua reunião para estruturar esquemas de conhecimentos cada vez maiores e mais sofisticados permitiu mudanças qualitativas no setor econômico. Hoje, o poderio econômico internacional de um país está diretamente relacionado ao fator conhecimento (BORGES, 1995, p. 104). A sociedade do conhecimento traz uma mudança considerável para o profissional da informação por que, o papel principal deste profissional é a informação, que tratada, codificada, planejada torna-se conhecimento, que permeia todos os campos da atual sociedade, e a mesma traz também a geração de empregos cada vez mais desafiadores, exigindo um alto grau de competências, com capacidade de pensamento critico e de planejamento estratégico e uma grande adaptação a mudanças. Pois a base da sociedade atual será a produção de valores informacionais, e não em sociedade, nem capitalista e anti-capitalista, ela utilizará o mercado como instrumento de integração econômica, um ponto importante a se lembrado que o conhecimento produzido não tem limite, pois produz riquezas refinando e ideias. Esta pode ser uma característica muito importante do profissional da informação, gerar conhecimento que não tem limites, e permanece na fonte trazendo mudanças sociais fortes, marcantes, mas vale lembrar,também, que informação não é sinônimo de conhecimento, para obter conhecimento a informação precisa ser trabalhada, com o intuito de obtenção de valor econômico, social e intelectual. Além de que precisa também ter a aprovação da comunidade cientifica, pois a divulgação de determinado conhecimento faz-se necessário ter qualidade, confiabilidade e credibilidade.

11 6 CONSIDERAÇÕES FINAIS Diante das abordagens do trabalho, é possível vislumbrar o profissional da informação, voltado exclusivamente sua atenção para aperfeiçoamento na sua qualificação no seu âmbito de trabalho, dando destaque as novas tecnologias da informação e comunicação, que em si trazem mudanças no mercado de trabalho, sendo necessário, a exigência do aperfeiçoamento sob a sentença de exclusão do mercado de trabalho, as perspectivas são inovadoras, mas é muito claro as dificuldades sofridas e as que ainda irão sofrer, pois o mercado abre-se para quem quiser e estiver capacitado para as suas exigências. É importante lembrar a interdisciplinaridade da Biblioteconomia e CI suas mudanças e oportunidades, trazendo novas perspectivas para a profissão, sendo uma espécie de fio condutor para caracterizar seus profissionais. Buscando a pretensão de se estudar as interdisciplinaridades encontramos uma análise do que é a informação, sua produção, distribuição e difusão da mesma, no eixo da economia pós-industrial, gerando um novo setor o quartenário. Mesmo por que a graduação sozinha não consegue bapacitar o profissional da informação para enfrentar o mercado de trabalho cada vez mais competitivo. Não podemos deixar de dar relevância ao papel deste profissional dentro das suas áreas de atuação, sua importância para o desenvolvimento das unidades de informação e possibilidades de crescimento profissional frente outros profissionais que atuam na mesma área, claro que o mesmo tem fazer-se presente e atuante, pois sem as características observadas o espaço para o desenvolvimento profissional fica mais restrito.

12 THE RELATIONS INTERDISCIPLINARITY BETWEEN LIBRARY SCIENCE AND SCIENCE OF THE INFORMATION: the work s market for the librarian front these areas of professional performance ABSTRACT It presents the characteristics of the Library Science and Science of the Information with its respective similarities, and as both act as catalytic of information, since they work to speed up the search for the knowledge. The present work has as objective to analyze the importance of the social necessity and economic of the research for attainment of information with quality in what it refers to the performance possibilities front to the market of work for the librarian, what consequentemente made with that this professional uses the aid of referring technological resources the Technology of the Information for attainment of one high degree of proficiency in its qualification, being this branch the one of its main spaces of performance in the contemporaneity, since information while substance cousin for the scientific and technological development, passes for the use of essential computer science as tool for the development of the current societies. The methodology is characterized by a bibliographical research, with theoretical subsidies shows the beddings of Le Coadic (2004), Davenport (1998) and Targino (1995), without excusing the contributions of other authors regarding thematic the boarded one in the work, as resulted to evidence current literature in the elaboration of this research. One concludes that the interdisciplinarity is an essential element for a satisfactory performance and with more proficiency in the professional environment in which the professional of the information is inserted, mainly together computer science and with the use of its tools of aid to speed the optimization of the informational flow. Keywords: Library Science. Interdisciplinarity. Science of the Information. Knowledge. Technological resources REFERÊNCIAS ARARIPE, Fátima Maria Alencar. Bibliotecário - profissional da informação (re) desenhando o perfil a partir da realidade brasileira: proposta para os países do Mercosul. In: TERCER ENCUENTRO DE DIRECTORES Y SEGUNDO DE DOCENTES DELAS ESCUELAS DE BIBLIOTECOLOGÍA DEL MERCOSUR, , Anais eletrônicos... Santiago. universidad tecnológica metropolitana, Disponível em: < Acesso em: 13 maio BARBOSA, Ricardo Rodrigues. Perspectivas profissionais e educacionais em biblioteconomia e ciência da informação. Ciência da Informação, Brasília, v. 27, n. 1, p , jan./abr Disponível em: <http://www.cionline.com.br> Acesso em: 5 jun BORGES, Mônica Erichsen Nassif. A informação como recurso gerencial das organizações na sociedade do conhecimento. Ciência da Informaçâo, Brasília, DF, v. 24, n. 2, p , jan./jun Disponível em: <http://www.cionline.com.br> Acesso em: 15 maio DAVENPORT, Thomas H. Ecologia da informação: porque só a tecnologia não basta para o sucesso na era da informação. São Paulo: Futura, 1998.

13 FERREIRA, Danielle Thiago. Profissional da informação: perfil de habilidades demandadas pelo mercado de trabalho. Ciência da informação, Brasília, DF, v. 32, n. 1, p , jan./abr Disponível em:<http://www.cionline.com.br> Acesso em: 12 maio FOSKETT, D. J. Serviços de Informação em Bibliotecas. São Paulo: Polígono, INGWERSEN, Peter. Cognitive Perspective of Information Retrieval Interaction: elements of a cognitive IR theory. Journal of Documentation, London, v. 42, n. 1, p. 350, mar Information and Information Science in Context. Líbrí, München, v. 42, n. 2, p , LE COADIC, Yves-François. A Ciência da Informação. Brasília: Briquet de Lemos, ROZADOS, Helen Beatriz Frota. A Ciência da Informação em sua Aproximação com as Ciências Cognitivas. Em Questão, Porto Alegre, v. 9, n. 1, p , jan./jun SERACEVIC, Tefko. Ciência da Informação: origem, evolução e relações. Perspectivas em Ciência da Informação, Belo Horizonte, v. 1, n. 1, p , jan./jun TARGINO, Maria das Graças. A interdisciplinaridade da ciência da informação como área de pesquisa. Informação & Sociedade, v.5, n.1, p.12-17, jan./dez WERSING, Gernor; NEVELLING, Ulrich. The phenomena of interst to information science. Information Scientist, v. 9, n. 4, p , dec

A disciplina de Gestão do Conhecimento no currículo do Curso de Biblioteconomia: a experiência da UFRGS/BRASIL.

A disciplina de Gestão do Conhecimento no currículo do Curso de Biblioteconomia: a experiência da UFRGS/BRASIL. A disciplina de Gestão do Conhecimento no currículo do Curso de Biblioteconomia: a experiência da UFRGS/BRASIL. Profa. Maria do Rocio F. Teixeira DCI/FABICO/UFRGS IX Encuentro de Directores y VIII de Docentes

Leia mais

Gestão do Conhecimento e Arquivologia:

Gestão do Conhecimento e Arquivologia: Gestão do Conhecimento e Arquivologia: entrelaçamentos e possibilidades na formação do profissional arquivista. Profa. Dra. Maria do Rocio F. Teixeira DCI/FABICO/UFRGS Arquivologia Salvador, 2013. Apresentação

Leia mais

CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: O QUE É ISTO? RESUMO

CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: O QUE É ISTO? RESUMO CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: O QUE É ISTO? Harold Borko Equipe de Tecnologia e Sistemas de Informação System Development Corp. Santa Monica, California RESUMO Buscando um novo consenso quanto à identidade, questionamos,

Leia mais

POLÍTICA DE EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FAIP

POLÍTICA DE EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FAIP POLÍTICA DE EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FAIP 1. POLÍTICA DE EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FAIP 1.1. Objetivos Nas últimas décadas as bibliotecas passaram por mudanças

Leia mais

A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino INTRODUÇÃO

A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino INTRODUÇÃO A Interdisciplinaridade como Metodologia de Ensino O bom professor é o que consegue, enquanto fala trazer o aluno até a intimidade do movimento de seu pensamento. Paulo Freire INTRODUÇÃO A importância

Leia mais

IX Encuentro de Directores y VIII de Docentes de Escuelas de Bibliotecología y. Ciencia de la Información del Mercosur

IX Encuentro de Directores y VIII de Docentes de Escuelas de Bibliotecología y. Ciencia de la Información del Mercosur IX Encuentro de Directores y VIII de Docentes de Escuelas de Bibliotecología y Ciencia de la Información del Mercosur Montevideo, 3,4 y 5 de octubre de 2012 A Disciplina de Gestão do Conhecimento no Currículo

Leia mais

AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO

AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO MÁRCIA MARIA PALHARES (márcia.palhares@uniube.br) RACHEL INÊS DA SILVA (bcpt2@uniube.br)

Leia mais

Acesso aberto e repositórios institucionais: repensando a comunicação e a gestão da informação científica

Acesso aberto e repositórios institucionais: repensando a comunicação e a gestão da informação científica Acesso aberto e repositórios institucionais: repensando a comunicação e a gestão da informação científica Fernando César Lima Leite fernandodfc@gmail.com 1. A comunicação científica e sua importância Qualquer

Leia mais

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO GESTÃO EMPRESARIAL E TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO * César Raeder Este artigo é uma revisão de literatura que aborda questões relativas ao papel do administrador frente à tecnologia da informação (TI) e sua

Leia mais

Sandra Lopes Coelho (UFF. SDC. Coordenadora de Bibliotecas)

Sandra Lopes Coelho (UFF. SDC. Coordenadora de Bibliotecas) Projeto de modernização do sistema de automação das bibliotecas da Universidade Federal Fluminense: uma questão de oportunidade... 1 INTRODUÇÃO Sandra Lopes Coelho (UFF. SDC. Coordenadora de Bibliotecas)

Leia mais

FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM SERVIÇO E A DISTÂNCIA: O CASO VEREDAS BRANCO,

FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM SERVIÇO E A DISTÂNCIA: O CASO VEREDAS BRANCO, FORMAÇÃO DE PROFESSORES EM SERVIÇO E A DISTÂNCIA: O CASO VEREDAS BRANCO, Juliana Cordeiro Soares Branco CEFET MG Juliana.b@ig.com.br OLIVEIRA, Maria Rita Neto Sales CEFET MG mariarita2@dppg.cefetmg.br

Leia mais

SOCIEDADE CULTURAL E EDUCACIONAL DE ITAPEVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA

SOCIEDADE CULTURAL E EDUCACIONAL DE ITAPEVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA SOCIEDADE CULTURAL E EDUCACIONAL DE ITAPEVA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS E AGRÁRIAS DE ITAPEVA POLÍTICA DE EXPANSÃO E ATUALIZAÇÃO DO ACERVO DA BIBLIOTECA DA FAIT ITAPEVA, 2015 1 SUMÁRIO 1. POLÍTICA DE

Leia mais

A Arquivologia como campo de pesquisa: desafios e perspectivas. José Maria Jardim Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO

A Arquivologia como campo de pesquisa: desafios e perspectivas. José Maria Jardim Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO A Arquivologia como campo de pesquisa: desafios e perspectivas José Maria Jardim Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro - UNIRIO A indissociabilidade entre ensino/produção/difusão do conhecimento

Leia mais

A atuação do educador e as tecnologias: uma relação possível?

A atuação do educador e as tecnologias: uma relação possível? 1 A atuação do educador e as tecnologias: uma relação possível? Natália Regina de Almeida (UERJ/EDU/CNPq) Eixo Temático: Tecnologias: Pra que te quero? Resumo As novas tecnologias estão trazendo novos

Leia mais

UTILIZAÇÃO DO AMBIENTE COLABORATIVO TIDIA-AE PELO GRUPO DE GERENCIAMENTO DO VOCABULÁRIO CONTROLADO DO SIBiUSP - BIÊNIO 2011-2013

UTILIZAÇÃO DO AMBIENTE COLABORATIVO TIDIA-AE PELO GRUPO DE GERENCIAMENTO DO VOCABULÁRIO CONTROLADO DO SIBiUSP - BIÊNIO 2011-2013 UTILIZAÇÃO DO AMBIENTE COLABORATIVO TIDIA-AE PELO GRUPO DE GERENCIAMENTO DO VOCABULÁRIO CONTROLADO DO SIBiUSP - BIÊNIO 2011-2013 Adriana Nascimento Flamino 1, Juliana de Souza Moraes 2 1 Mestre em Ciência

Leia mais

Aula 09 - Remuneração por competências: uma alavanca para o capital intelectual

Aula 09 - Remuneração por competências: uma alavanca para o capital intelectual Aula 09 - Remuneração por competências: uma alavanca para o capital intelectual Objetivos da aula: Estudar a remuneração por habilidades; Sistematizar habilidades e contrato de desenvolvimento contínuo.

Leia mais

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC

Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC Campanha Nacional de Escolas da Comunidade CNEC Regulamento de Projeto Integrador dos Cursos Superiores de Tecnologia em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, Segurança da Informação e Sistemas para Internet

Leia mais

A FORMAÇÃO DO BIBLIOTECÁRIO ESCOLAR

A FORMAÇÃO DO BIBLIOTECÁRIO ESCOLAR A FORMAÇÃO DO BIBLIOTECÁRIO ESCOLAR GLEICE PEREIRA (UFES). Resumo Com o objetivo de apresentar considerações sobre a formação do bibliotecário escolar, esta pesquisa analisa o perfil dos alunos do Curso

Leia mais

Educação técnica e desenvolvimento humano e social

Educação técnica e desenvolvimento humano e social Educação técnica e desenvolvimento humano e social Nacim Walter Chieco(*) 1. Educação e desenvolvimento social A partir de 1996 teve início, no Brasil, um processo de ampla e profunda reforma educacional.

Leia mais

EDUCAÇÃO CORPORATIVA EM EAD: Benefícios da modalidade e-learning.

EDUCAÇÃO CORPORATIVA EM EAD: Benefícios da modalidade e-learning. EDUCAÇÃO CORPORATIVA EM EAD: Benefícios da modalidade e-learning. Autor(a): Gliner Dias Alencar Coautor(es): Joaquim Nogueira Ferraz Filho, Marcelo Ferreira de Lima, Lucas Correia de Andrade, Alessandra

Leia mais

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva. Resposta do Exercício 1

Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva. Resposta do Exercício 1 Respostas da Lista de Exercícios do Módulo 2: Vantagem Competitiva 1 Resposta do Exercício 1 Uma organização usa algumas ações para fazer frente às forças competitivas existentes no mercado, empregando

Leia mais

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO

FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO FACULDADE REDENTOR NUCLEO DE APOIO EMPRESARIAL CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Justificativa: As transformações ocorridas nos últimos anos têm obrigado as organizações a se modificarem constantemente e de forma

Leia mais

PROJETO FEDERAÇÃO LUSÓFONA DE BIBLIOTECAS DIGITAIS EM CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO

PROJETO FEDERAÇÃO LUSÓFONA DE BIBLIOTECAS DIGITAIS EM CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO PROJETO FEDERAÇÃO LUSÓFONA DE BIBLIOTECAS DIGITAIS EM CIÊNCIAS DA COMUNICAÇÃO Ferreira, S. M. S.P. 1 Universidade de São Paulo, Escola de Comunicações de Artes Weitzel, S. R. 2 Universidade Federal do

Leia mais

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO*

ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* ERP & BI ENTENTENDO A BUSCA CONSTANTE DAS EMPRESAS POR UM SISTEMA QUE FORNEÇA INFORMAÇÕES CONFIÁVEIS PARA TOMADA DE DECISÃO* RESUMO Marilia Costa Machado - UEMG - Unidade Carangola Graciano Leal dos Santos

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*)

CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*) CONSELHO NACIONAL DE EDUCAÇÃO CÂMARA DE EDUCAÇÃO SUPERIOR RESOLUÇÃO Nº 8, DE 7 DE MAIO DE 2004. (*) Institui as Diretrizes Curriculares Nacionais para os cursos de graduação em Psicologia. O Presidente

Leia mais

INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL

INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL INTRODUÇÃO AO PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO ORGANIZACIONAL ZAROS, Raíssa Anselmo. Discente da Faculdade de Ciências Jurídicas e Gerenciais/ACEG E-mail: raissa_zaros@hotmail.com LIMA, Sílvia Aparecida Pereira

Leia mais

A Utilização de Softwares Livres no Desenvolvimento de Cursos de Educação a Distância (EAD) nas Universidades e a Inclusão Digital² RESUMO

A Utilização de Softwares Livres no Desenvolvimento de Cursos de Educação a Distância (EAD) nas Universidades e a Inclusão Digital² RESUMO 1 A Utilização de Softwares Livres no Desenvolvimento de Cursos de Educação a Distância (EAD) nas Universidades e a Inclusão Digital² Bruna Barçante¹ Aylla Barbosa Ribeiro¹ Fernanda Teixeira Ferreira Leite¹

Leia mais

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO

1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO 1. IDENTIFICAÇÃO DO CURSO O Curso de Secretariado Executivo das Faculdades Integradas de Ciências Exatas Administrativas e Sociais da UPIS, reconhecido pelo MEC desde 1993, pela Portaria 905, de 24.06,1993,

Leia mais

A UNIMONTES E A EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR EM MONTES CLAROS

A UNIMONTES E A EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR EM MONTES CLAROS A UNIMONTES E A EXPANSÃO DO ENSINO SUPERIOR EM MONTES CLAROS ROMANA DE FÁTIMA CORDEIRO LEITE UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MONTES CLAROS-UNIMONTES romanafl@hotmail.com Introdução As transformações oriundas

Leia mais

PROPOSTA DE CRIAÇÃO DE UM CENTRO DE EXTENSÃO NA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA / SISTEMA DE BIBLIOTECAS UFMG

PROPOSTA DE CRIAÇÃO DE UM CENTRO DE EXTENSÃO NA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA / SISTEMA DE BIBLIOTECAS UFMG TRABALHO ORAL EMPREENDEDORISMO EM BIBLIOTECAS UNIVERSITÁRIAS Desenvolvimento de serviços inovadores em bibliotecas PROPOSTA DE CRIAÇÃO DE UM CENTRO DE EXTENSÃO NA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA / SISTEMA DE

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO OESTE UNICENTRO CURSO DE MÍDIAS NA EDUCAÇÃO KARINA DE NAZARÉ DA COSTA MARTINS PROFESSOR: PAULO GUILHERMITE

UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO OESTE UNICENTRO CURSO DE MÍDIAS NA EDUCAÇÃO KARINA DE NAZARÉ DA COSTA MARTINS PROFESSOR: PAULO GUILHERMITE UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CENTRO OESTE UNICENTRO CURSO DE MÍDIAS NA EDUCAÇÃO KARINA DE NAZARÉ DA COSTA MARTINS PROFESSOR: PAULO GUILHERMITE O USO DA INTERNET NO PROCESSO EDUCACIONAL: O DESAFIO PARA OS PROFESSORES

Leia mais

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu

UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Coordenadoria Geral de Pós-Graduação Lato Sensu PORTFÓLIO ESPECIALIZAÇÃO / MBA UNIVERSIDADE PRESBITERIANA MACKENZIE Sumário ÁREA: CIÊNCIAS DA SAÚDE... 2 CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO: PSICOLOGIA ORGANIZACIONAL E DO TRABALHO... 2 ÁREA: COMUNICAÇÃO E LETRAS...

Leia mais

PROFESSORES DO CURSO DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA: CONHECENDO A CONSTITUIÇÃO DE SEUS SABERES DOCENTES SILVA

PROFESSORES DO CURSO DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA: CONHECENDO A CONSTITUIÇÃO DE SEUS SABERES DOCENTES SILVA PROFESSORES DO CURSO DE TECNOLOGIA EM HOTELARIA: CONHECENDO A CONSTITUIÇÃO DE SEUS SABERES DOCENTES SILVA, Daniela C. F. Barbieri Programa de Pós-Graduação em Educação Núcleo: Formação de professores UNIMEP

Leia mais

Razões que contribuíram para o processo de automação das bibliotecas, citado por Cardoso (2003):

Razões que contribuíram para o processo de automação das bibliotecas, citado por Cardoso (2003): No que diz respeito ao mundo do trabalho, profundas transformações aconteceram (e acontecem!) tanto no nível estrutural transformação de postos de trabalho, surgimento, extinção e transformação de profissões,

Leia mais

EDITORAÇÃO ELETRÔNICA DE PERIÓDICOS DA ÁREA DE BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: A UTILIZAÇÃO DE SOFTWARE LIVRE

EDITORAÇÃO ELETRÔNICA DE PERIÓDICOS DA ÁREA DE BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: A UTILIZAÇÃO DE SOFTWARE LIVRE EDITORAÇÃO ELETRÔNICA DE PERIÓDICOS DA ÁREA DE BIBLIOTECONOMIA E CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO: A UTILIZAÇÃO DE SOFTWARE LIVRE Eliane Apolinário Vieira Priscila Marylin de Almeida Arlete Inocencia Menezes Roni

Leia mais

Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior.

Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior. Fragmentos do Texto Indicadores para o Desenvolvimento da Qualidade da Docência na Educação Superior. Josimar de Aparecido Vieira Nas últimas décadas, a educação superior brasileira teve um expressivo

Leia mais

IMPLANTAÇÃO E TREINAMENTO NO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ESTUDO DE CASO

IMPLANTAÇÃO E TREINAMENTO NO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ESTUDO DE CASO 503 IMPLANTAÇÃO E TREINAMENTO NO SISTEMA DE INFORMAÇÕES GERENCIAIS ESTUDO DE CASO Christina Garcia(1); Franciane Formighieri(2); Taciana Tonial(3) & Neimar Follmann(4)(1) Acadêmica do 4º Ano do Curso de

Leia mais

EIXO TECNOLÓGICO: DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL E SOCIAL FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA CAPACITAÇÃO

EIXO TECNOLÓGICO: DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL E SOCIAL FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA CAPACITAÇÃO EIXO TECNOLÓGICO: DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL E SOCIAL FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA CAPACITAÇÃO Cursos destinados a pessoas com escolaridade variável, que objetivam desenvolver competências necessárias

Leia mais

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação

ü Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Curso - Bacharelado em Sistemas de Informação Nome e titulação do Coordenador: Coordenador: Prof. Wender A. Silva - Mestrado em Engenharia Elétrica (Ênfase em Processamento da Informação). Universidade

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES DA ANÁLISE DE REDES SOCIAIS PARA GESTÃO DA INFORMAÇÃO

CONTRIBUIÇÕES DA ANÁLISE DE REDES SOCIAIS PARA GESTÃO DA INFORMAÇÃO 1 REDES SOCIAIS CONTRIBUIÇÕES DA ANÁLISE DE REDES SOCIAIS PARA GESTÃO DA INFORMAÇÃO Eixo temático: Gestão e Políticas da Informação Modalidade: Apresentação Oral Eduardo Alves Silva Dalton Lopes Martins

Leia mais

PALAVRAS-CHAVE: compartilhamento de conhecimento; gestão do conhecimento; responsabilidade social.

PALAVRAS-CHAVE: compartilhamento de conhecimento; gestão do conhecimento; responsabilidade social. PROGRAMA DE VALORIZAÇÃO DOS SERVIDORES DA UNICENTRO, PROVARS: COMPARTILHANDO CONHECIMENTOS PARA A EFETIVAÇÃO DE UMA POLÍTICA DE RESPONSABILIDADE SOCIAL. RESUMO: O presente trabalho pretendeu verificar

Leia mais

ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1

ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1 ANEXO AO MODELO DO PLANO DE AULA DO PROCESSO SELETIVO DOCENTE GERAL (PSD-G) 2015.1 ARQUITETURA E URBANISMO Graduar arquitetos e urbanistas com uma sólida formação humana, técnico-científica e profissional,

Leia mais

**Graduandas em Turismo - Universidade Federal de Minas Gerais babicddelgado@gmail.com; carinafneves@hotmail.com; nilleeee@hotmail.

**Graduandas em Turismo - Universidade Federal de Minas Gerais babicddelgado@gmail.com; carinafneves@hotmail.com; nilleeee@hotmail. EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA: OS SOFTWARES LIVRES COMO MEIOS DE ACESSO À GRADUAÇÃO DE TURISMO* Bárbara Cardoso Delgado Carina Fernandes Neves Janille de Oliveira Morais RESUMO Pretende-se delinear uma análise

Leia mais

Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues.

Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues. Lider coach: Uma nova abordagem para a gestão de pessoas. Orlando Rodrigues. Ao longo da historia da Administração, desde seus primórdios, a partir dos trabalhos de Taylor e Fayol, muito se pensou em termos

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

PARTE 9. Capítulo 25 GESTÃO DO CONHECIMENTO

PARTE 9. Capítulo 25 GESTÃO DO CONHECIMENTO PARTE 9 Capítulo 25 GESTÃO DO CONHECIMENTO ATIVO INTANGÍVEL Ativos que não têm substância física, mas proporcionam benefícios econômicos, como: competência dos gerentes, sua experiência e conhecimento

Leia mais

PORTARIA Nº 412, DE 5 DE SETEMBRO DE 2012

PORTARIA Nº 412, DE 5 DE SETEMBRO DE 2012 PORTARIA Nº 412, DE 5 DE SETEMBRO DE 2012 Estabelece diretrizes para a implementação da política de Gestão da Informação Corporativa no âmbito do Ministério da Previdência Social e de suas entidades vinculadas

Leia mais

REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO OBIGATÓRIO CURRICULAR NA BIBLIOTECA SETORIAL DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIAS, CONTÁBEIS E SECRETARIADO

REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO OBIGATÓRIO CURRICULAR NA BIBLIOTECA SETORIAL DA FACULDADE DE ECONOMIA, ADMINISTRAÇÃO, ATUÁRIAS, CONTÁBEIS E SECRETARIADO XIV Encontro Regional dos Estudantes de Biblioteconomia, Documentação, Ciência da Informação e Gestão da Informação - Região Sul - Florianópolis - 28 de abril a 01 de maio de 2012 REALIZAÇÃO DE ESTÁGIO

Leia mais

6. Considerações finais

6. Considerações finais 84 6. Considerações finais Nesta dissertação, encontram-se registros de mudanças sociais que influenciaram as vidas de homens e mulheres a partir da chegada das novas tecnologias. Partiu-se da Revolução

Leia mais

Sistemas de Informação I

Sistemas de Informação I + Sistemas de Informação I Dimensões de análise dos SI Ricardo de Sousa Britto rbritto@ufpi.edu.br + Introdução n Os sistemas de informação são combinações das formas de trabalho, informações, pessoas

Leia mais

A GESTÃO DE DOCUMENTOS COMO UM DOS FUNDAMENTOS PARA A INTELIGÊNCIA COMPETITIVA

A GESTÃO DE DOCUMENTOS COMO UM DOS FUNDAMENTOS PARA A INTELIGÊNCIA COMPETITIVA A GESTÃO DE DOCUMENTOS COMO UM DOS FUNDAMENTOS PARA A INTELIGÊNCIA COMPETITIVA Renato Tarciso Barbosa de Sousa Universidade de Brasília renasou@unb.br A organização 1. Os fatos 2. O Discurso 3. As considerações

Leia mais

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS

GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS GESTÃO DE TI NAS ORGANIZAÇÕES CONTEMPORÂNEAS WALLACE BORGES CRISTO 1 JOÃO CARLOS PEIXOTO FERREIRA 2 João Paulo Coelho Furtado 3 RESUMO A Tecnologia da Informação (TI) está presente em todas as áreas de

Leia mais

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida

Apresentação Institucional. Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida Apresentação Institucional Metodologia com alta tecnologia para soluções sob medida A empresa que evolui para o seu crescimento A VCN Virtual Communication Network, é uma integradora de Soluções Convergentes

Leia mais

1. Introdução: 2. Desafios da automação no Brasil

1. Introdução: 2. Desafios da automação no Brasil A automação no processo produtivo: desafios e perspectivas Bruciapaglia, A. H., Farines, J.-M.; e Cury, J. E. R. Departamento de Automação e Sistemas Universidade Federal de Santa Catarina 1. Introdução:

Leia mais

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração

CURSO DE ADMINISTRAÇÃO. Concepção do Curso de Administração CURSO DE ADMINISTRAÇÃO Concepção do Curso de Administração A organização curricular do curso oferece respostas às exigências impostas pela profissão do administrador, exigindo daqueles que integram a instituição

Leia mais

Formação do Engenheiro de Produção: Competências Acadêmicas e Profissionais

Formação do Engenheiro de Produção: Competências Acadêmicas e Profissionais Formação do Engenheiro de Produção: Competências Acadêmicas e Profissionais Propriedade Intelectual e seu impacto nos programas de pós-graduação XVI ENCEP Encontro Nacional de Coordenadores de Cursos de

Leia mais

Estudo do processo de comunicação, de construção e de uso da informação no contexto da Ciência da Informação

Estudo do processo de comunicação, de construção e de uso da informação no contexto da Ciência da Informação Estudo do processo de comunicação, de construção e de uso da informação no contexto da Ciência da Informação Andressa Mello Davanso Faculdade de Biblioteconomia Centro de Ciências Humanas Sociais Aplicadas

Leia mais

EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor

EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor EDUCAÇÃO DO CAMPO: Interfaces teóricas e políticas na formação do professor Juliana Graciano Parise 1 Eliane de Lourdes Felden 2 Resumo: O trabalho apresenta uma experiência de ensino articulado à pesquisa

Leia mais

CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO DE ARQUIVO: O ARQUIVISTA FRENTE AOS DESAFIOS DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO

CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO DE ARQUIVO: O ARQUIVISTA FRENTE AOS DESAFIOS DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO CAPACITAÇÃO EM SERVIÇO DE ARQUIVO: O ARQUIVISTA FRENTE AOS DESAFIOS DAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO Andresa Léia de Andrade 1 e Daniela Pereira dos Reis de Almeida 2 1 Aluna do Curso de Arquivologia

Leia mais

Indicadores e Padrões de Qualidade para Cursos de Graduação da área de CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO

Indicadores e Padrões de Qualidade para Cursos de Graduação da área de CIÊNCIA DA INFORMAÇÃO DEPARTAMENTO DE POLÍTICAS DO ENSINO SUPERIOR COORDENAÇÃO DAS COMISSÕES DE ESPECIALISTAS DE ENSINO COMISSÃO DE ESPECIALISTAS DE ENSINO DE CIÊNCIA DA INFORAMÇÃO-CEECInfo Indicadores e Padrões de Qualidade

Leia mais

Título I. Das Finalidades

Título I. Das Finalidades REGIMENTO INTERNO DA BIBLIOTECA VISCONDE DE SÃO LEOPOLDO Título I Das Finalidades Art. 1º - A biblioteca foi criada em 13 de maio de 1961. A missão é contribuir para a melhoria do ensino, da pesquisa e

Leia mais

Artigo Publicado na revista Eletrônica F@pciência, Apucarana-PR, v.1, n.1, 61-66, 2007. INCLUSÃO DIGITAL

Artigo Publicado na revista Eletrônica F@pciência, Apucarana-PR, v.1, n.1, 61-66, 2007. INCLUSÃO DIGITAL Artigo Publicado na revista Eletrônica F@pciência, Apucarana-PR, v.1, n.1, 61-66, 2007. Resumo INCLUSÃO DIGITAL Leandro Durães 1 A inclusão digital que vem sendo praticada no país tem abordado, em sua

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Publicitária Área de Comunicação Tecnologia em Produção Publicitária Curta Duração Tecnologia em Produção Publicitária CARREIRA EM PRODUÇÃO PUBLICITÁRIA Nos últimos anos, a globalização da economia e a estabilização

Leia mais

Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias

Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias Mesa Redonda Novas agendas de atuação e os perfis profissionais em bibliotecas universitárias Profa. Dra. Lillian Maria Araújo de Rezende Alvares Coordenadora-Geral de Pesquisa e Manutenção de Produtos

Leia mais

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr.

Gestão do Conhecimento A Chave para o Sucesso Empresarial. José Renato Sátiro Santiago Jr. A Chave para o Sucesso Empresarial José Renato Sátiro Santiago Jr. Capítulo 1 O Novo Cenário Corporativo O cenário organizacional, sem dúvida alguma, sofreu muitas alterações nos últimos anos. Estas mudanças

Leia mais

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br

Docente do Curso Superior de Tecnologia em Gestão Comercial UNOESTE. E mail: joselia@unoeste.br Encontro de Ensino, Pesquisa e Extensão, Presidente Prudente, 22 a 25 de outubro, 2012 141 A LOGÍSTICA COMO DIFERENCIAL COMPETITIVO Douglas Fernandes 1, Josélia Galiciano Pedro 1 Docente do Curso Superior

Leia mais

AS PERSPECTIVAS DA ECONOMIA CRIATIVA NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA

AS PERSPECTIVAS DA ECONOMIA CRIATIVA NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA AS PERSPECTIVAS DA ECONOMIA CRIATIVA NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE EMPREGO E RENDA Miranda Aparecida de Camargo luckcamargo@hotmail.com Acadêmico do Curso de Ciências Econômicas/UNICENTRO Luana Sokoloski sokoloski@outlook.com

Leia mais

Introdução à Curadoria Digital

Introdução à Curadoria Digital 2º Curso técnico de Preservação Digital MSc. Thayse Natália Cantanhede Santos Introdução à Curadoria Digital INTRODUÇÃO Na Ciência da Informação, o fundamental é a existência do conhecimento registrado,

Leia mais

Capítulo 1 - Introdução à abordagem administrativa da gestão por processos 3

Capítulo 1 - Introdução à abordagem administrativa da gestão por processos 3 S u m á r i o INTRODUÇÃO XIX PARTE I - DEFINIÇÃO DE PROCESSOS DE NEGÓCIOS E SUA GESTÃO Capítulo 1 - Introdução à abordagem administrativa da gestão por processos 3 1.1 Sua fundamentação teórica: a teoria

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Educação que valoriza o seu tempo: presente e futuro Educação a Distância Os mesmos professores. A mesma aula. O mesmo diploma. A única diferença é a sala de aula que fica em suas

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA CONSELHO SUPERIOR DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO RESOLUÇÃO N 72/2009 Aprova o Projeto Político-Pedagógico do Curso de Sistemas de Informação, modalidade

Leia mais

OS DESAFIOS DA INCLUSÃO ESCOLAR: O método avaliativo do aluno com deficiência intelectual

OS DESAFIOS DA INCLUSÃO ESCOLAR: O método avaliativo do aluno com deficiência intelectual OS DESAFIOS DA INCLUSÃO ESCOLAR: O método avaliativo do aluno com deficiência intelectual Tuane Telles Rodrigues 1 Letícia Ramires Corrêa 2 Resumo: Durante nossa vida acadêmica estamos em constante aperfeiçoamento,

Leia mais

Gestão do Conhecimento na área jurídica. Cátia Martins Jorge Murata 31/03/2012

Gestão do Conhecimento na área jurídica. Cátia Martins Jorge Murata 31/03/2012 Gestão do Conhecimento na área jurídica Cátia Martins Jorge Murata 31/03/2012 Ciclo de Palestras Parceria: E Ciclo de Palestras Programação 2012 28/04/2012 - Entendendo a linguagem jurídica - Andréia Gonçalves

Leia mais

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia

Área de Comunicação. Tecnologia em. Produção Multimídia Área de Comunicação Produção Multimídia Curta Duração Produção Multimídia Carreira em Produção Multimídia O curso superior de Produção Multimídia da FIAM FAAM forma profissionais preparados para o mercado

Leia mais

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE PESSOAS Comparativo entre idéias

INTRODUÇÃO À GESTÃO DE PESSOAS Comparativo entre idéias FACULDADE GOVERNADOR OZANAM COELHO PÓS-GRADUAÇÃO EM GESTÃO DE PESSOAS INTRODUÇÃO À GESTÃO DE PESSOAS Comparativo entre idéias ALINE GUIDUCCI UBÁ MINAS GERAIS 2009 ALINE GUIDUCCI INTRODUÇÃO À GESTÃO DE

Leia mais

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA UFMG: EAD E O CURSO DE LETRAS

EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA UFMG: EAD E O CURSO DE LETRAS Aline Passos Amanda Antunes Ana Gabriela Gomes da Cruz Natália Neves Nathalie Resende Vanessa de Morais EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NA UFMG: EAD E O CURSO DE LETRAS Trabalho apresentado à disciplina online Oficina

Leia mais

OS PROCESSOS DE TRABALHO DO SERVIÇO SOCIAL EM UM DESENHO CONTEMPORÂNEO

OS PROCESSOS DE TRABALHO DO SERVIÇO SOCIAL EM UM DESENHO CONTEMPORÂNEO OS PROCESSOS DE TRABALHO DO SERVIÇO SOCIAL EM UM DESENHO CONTEMPORÂNEO Karen Ramos Camargo 1 Resumo O presente artigo visa suscitar a discussão acerca dos processos de trabalho do Serviço Social, relacionados

Leia mais

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO

MATRIZ CURRICULAR CURRÍCULO PLENO MATRIZ CURRICULAR Curso: Graduação: Habilitação: Regime: Duração: PEDAGOGIA LICENCIATURA FORMAÇÃO PARA O MAGISTÉRIO EM EDUCAÇÃO INFANTIL SERIADO ANUAL - NOTURNO 4 (QUATRO) ANOS LETIVOS Integralização:

Leia mais

18º Congresso de Iniciação Científica GESTÃO DE PESSOAS E SUAS RELAÇÕES COM A ESTRATÉGIA ORGANIZACIONAL: UM ESTUDO EXPLORATIVO

18º Congresso de Iniciação Científica GESTÃO DE PESSOAS E SUAS RELAÇÕES COM A ESTRATÉGIA ORGANIZACIONAL: UM ESTUDO EXPLORATIVO 18º Congresso de Iniciação Científica GESTÃO DE PESSOAS E SUAS RELAÇÕES COM A ESTRATÉGIA ORGANIZACIONAL: UM ESTUDO EXPLORATIVO Autor(es) ALINE MOREIRA Orientador(es) ARSÊNIO FIRMINO DE NOVAES NETTO Apoio

Leia mais

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período

DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE PEDAGOGIA - 2008. Disciplinas Teórica Prática Estágio Total. 1º Período MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Universidade Federal de Alfenas. UNIFAL-MG Rua Gabriel Monteiro da Silva, 700. Alfenas/MG. CEP 37130-000 Fone: (35) 3299-1000. Fax: (35) 3299-1063 DINÂMICA CURRICULAR DO CURSO DE

Leia mais

Introdução. Gestão do Conhecimento GC

Introdução. Gestão do Conhecimento GC Introdução A tecnologia da informação tem um aspecto muito peculiar quanto aos seus resultados, uma vez que a simples disponibilização dos recursos computacionais (banco de dados, sistemas de ERP, CRM,

Leia mais

05/05/2015. Recuperação de Informação

05/05/2015. Recuperação de Informação Recuperação de Informação Recuperação de Informação Recuperar consiste em identificar, em um conjunto de documentos (corpus), quais atendem à necessidade de do usuário. O usuário de um sistema de recuperação

Leia mais

AS BASES DE DADOS EM SAÚDE COMO FERRAMENTAS DE BUSCA DA INFORMAÇÃO: um relato de experiência da Biblioteca Central Julieta Carteado

AS BASES DE DADOS EM SAÚDE COMO FERRAMENTAS DE BUSCA DA INFORMAÇÃO: um relato de experiência da Biblioteca Central Julieta Carteado PÔSTER IMPACTO DAS TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO NA GESTÃO DA BIBLIOTECA UNIVERSITÁRIA Uso estratégico das tecnologias em informação documentária AS BASES DE DADOS EM SAÚDE COMO FERRAMENTAS DE BUSCA DA INFORMAÇÃO:

Leia mais

Diretoria de Informática

Diretoria de Informática Diretoria de Informática Estratégia Geral de Tecnologias de Informação para 2013-2015 EGTI 2013-2015 Introdução: Este documento indica quais são os objetivos estratégicos da área de TI do IBGE que subsidiam

Leia mais

ESTRUTURA E TENDÊNCIAS DO MERCADO DE TRABALHO

ESTRUTURA E TENDÊNCIAS DO MERCADO DE TRABALHO ESTRUTURA E TENDÊNCIAS DO MERCADO DE TRABALHO Colombo, 06 de abril de 2010. Instrutora: Amanda G. Gagliastri Formação: Administradora de Empresas O momento em que vivemos Processo acelerado de mudanças

Leia mais

O papel do bibliotecário na Gestão do Conhecimento. Profª Dr a Valéria Martin Valls Abril de 2008

O papel do bibliotecário na Gestão do Conhecimento. Profª Dr a Valéria Martin Valls Abril de 2008 O papel do bibliotecário na Gestão do Conhecimento Profª Dr a Valéria Martin Valls Abril de 2008 Apresentação Doutora e Mestre em Ciências da Comunicação / Bibliotecária (ECA/USP); Docente do curso de

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: 4001 Publicidade e Propaganda MISSÃO DO CURSO O curso de Publicidade e Propaganda do Centro Universitário Estácio Radial de São Paulo tem como missão formar

Leia mais

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO

CENTRO UNIVERSITÁRIO ESTÁCIO RADIAL DE SÃO PAULO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 MISSÃO DO CURSO SÍNTESE DO PROJETO PEDAGÓGICO DE CURSO 1 CURSO: EDUCAÇÃO FÍSICA LICENCIATURA MISSÃO DO CURSO O Curso de Licenciatura em Educação Física do Centro Universitário Estácio Radial de São Paulo busca preencher

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING CENÁRIO E TENDÊNCIAS DOS NEGÓCIOS 8 h As mudanças do mundo econômico e as tendências da sociedade contemporânea.

Leia mais

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS

Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Administração de Pessoas por COMPETÊNCIAS Adm.Walter Lerner 1.Gestão,Competência e Liderança 1.1.Competências de Gestão Competências Humanas e Empresariais são Essenciais Todas as pessoas estão, indistintamente,

Leia mais

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS

SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS SIMPLIFICAÇÃO DE PROCESSOS 1 FINALIDADE DO PROJETO ESTRATÉGICO Simplificar e padronizar os processos internos, incrementando o atendimento ao usuário. Especificamente o projeto tem o objetivo de: Permitir

Leia mais

Gestão do Conhecimento e Dasenvolvimento de Software

Gestão do Conhecimento e Dasenvolvimento de Software Gestão do Conhecimento e Dasenvolvimento de Software Gabriel Gavasso 1 Anderson R. Yanzer Cabral 2 Resumo: Gerenciar o conhecimento nas organizações tem se tornado um grande desafio, visto a grande importância

Leia mais

BALANÇO DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA: A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO FERRAMENTA DE PESQUISA ACADÊMICA

BALANÇO DE PRODUÇÃO CIENTÍFICA: A UTILIZAÇÃO DAS TIC COMO FERRAMENTA DE PESQUISA ACADÊMICA MILHOMEM, André Luiz Borges; GENTIL, Heloisa Salles; AYRES, Sandra Regina Braz. Balanço de Produção Científica: A utilização das TICs como ferramenta de pesquisa acadêmica. SemiEdu2010 - ISSN:1518-4846

Leia mais

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing

PROJETO PEDAGÓGICO. Curso de Graduação Tecnológica em Marketing PROJETO PEDAGÓGICO Curso de Graduação Tecnológica em Marketing Porto alegre, 2011 1 1. Objetivos do Curso O projeto do curso, através de sua estrutura curricular, está organizado em módulos, com certificações

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DA EMPRESA DIGITAL

ADMINISTRAÇÃO DA EMPRESA DIGITAL Laudon & Laudon Essentials of MIS, 5th Edition. Pg. 1.1 Capítulo 1 ADMINISTRAÇÃO DA EMPRESA DIGITAL 1.1 2003 by Prentice Hall Sistemas de Informação Gerencial Capítulo 1 Administra,cão da Empresa Digital

Leia mais

Valores diferenciados para associados/funcionários do Sinduscon/RS

Valores diferenciados para associados/funcionários do Sinduscon/RS MBA Contabilidade & Direito Tributário. Parceria: IPOG/Sinduscon-RS O IPOG em parceria com o CRC-RS, traz à Porto Alegre o MBA em Contabilidade & Direito Tributário, que já é sucesso, com mais de 20 turmas

Leia mais

Um Assistente Virtual Inteligente Dirigido por Várias Metodologias Educacionais no Ensino em Informática

Um Assistente Virtual Inteligente Dirigido por Várias Metodologias Educacionais no Ensino em Informática Um Assistente Virtual Inteligente Dirigido por Várias Metodologias Educacionais no Ensino em Informática Abstract. This work shows the evolution of Intelligent Teaching Assistant SAE that include and provide

Leia mais

ATRIBUIÇÕES ESPECÍFICAS POR DISCIPLINA / FORMAÇÃO. a) Administração

ATRIBUIÇÕES ESPECÍFICAS POR DISCIPLINA / FORMAÇÃO. a) Administração Anexo II a que se refere o artigo 2º da Lei nº xxxxx, de xx de xxxx de 2014 Quadro de Analistas da Administração Pública Municipal Atribuições Específicas DENOMINAÇÃO DO CARGO: DEFINIÇÃO: ABRANGÊNCIA:

Leia mais