Etapas de desenvolvimento do CliqCCEE. 29 de abril de 2013

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Etapas de desenvolvimento do CliqCCEE. 29 de abril de 2013"

Transcrição

1 Etapas de desenvolvimento do CliqCCEE 29 de abril de 2013

2 AGENDA 1. Modelo de release 2. Características CliqCCEE 3. Releases CliqCCEE 4. DRI / Site

3 AGENDA 1. Modelo de release 2. Características CliqCCEE 3. Releases CliqCCEE 4. DRI / Site

4 Gestão da Demanda A eficácia do processo de gestão das demandas e portfólio é fator crítico de sucesso para o negócio da CCEE Um novo modelo de gestão foi implementado para favorecer o planejamento das demandas e minimizar os desenvolvimentos adhoc As aplicações evoluem segundo cronograma pré-estabelecido de Releases, planejadas anualmente e priorizadas trimestralmente em conjunto com as áreas de negócio O planejamento dos Releases seguem as diretrizes do planejamento estratégico da organização e devem estar alinhados com a Agenda Regulatória da Aneel.

5 Gestão de Demanda e Portfólio Modelo de Releases O modelo assegura maior previsibilidade e estabilidade para o desenvolvimento Planejar Releases de Versão com calendários definidos Minimizar Releases de Modificação - desenvolvimentos sob demanda (adhoc) Reduzir eventos de migração para produção Gerir Projetos e Melhorias de forma integrada V Release de Correção Release de Modificação Release de Versão

6 Gerenciamento de Releases Gerenciamento de Release é um dos conceitos de maior alavancagem que um grupo de TI pode implementar para fazer sua organização correr mais suavemente. Essencialmente, a adoção do Gerenciamento de Releases significa tratar todos os trabalhos de manutenções e melhorias da mesma forma que os fornecedores de software fazem. Todas as melhorias são avaliadas como parte de um plano de longo prazo para o produto. Esforços de manutenção e melhoria consomem uma quantidade significativa de recursos de TI, e ainda muito do esforço atribuído a estas atividades geralmente produz pouco valor estratégico.... outra vantagem dessa abordagem é que ela reduz o número de projetos competindo por atenção na carteira e elimina grande parte do problema de pico de demanda em TI. Fonte: Gartner, 2008, How To Avoid the Seven Deadly Sins of a PMO

7 Gestão de Demanda e Portfólio Governança A Governança da TM conta com 2 comitês que se reúnem periodicamente para assegurar a melhor utilização dos recursos de tecnologia em alinhamento com a estratégia do negócio Tecnologia Priorização Participantes Objetivo Freqüência Diretor da TM Gerentes e Coordenadores da TM Discutir temas críticos de TM e deliberar sobre possíveis demandas Mensal Diretoria da CCEE Gerentes das áreas envolvidas Definir e priorizar o conteúdo dos Releases Definir Calendário dos Releases Trimestral Foco Garantir a operação integrada da TM Garantir a implementação das melhorias A priorização da DSS será baseada em critérios previamente acordados, como Disponibilidade de Recursos, Aspectos de Negócio, Regulação, Prazo de Entrega, Impacto nos sistemas de TI, Benefícios ao Agente e Ganho de Produtividade.

8 AGENDA 1. Modelo de release 2. Características CliqCCEE 3. Releases CliqCCEE 4. DRI / Site

9 Componentes do Sistema Interfaces com Sistemas Legados SCDE SOMA Agentes Desconto Alocação de Geração Própria Encargos Módulos Novo On Line SCL Cadastro Corporativo Energia de Reserva Calendário Corporativo Garantia Financeira Consolidação de Resultados Garantia Física Contratos Liquidações DRI Divulgação de Resultados e Informações Novo SGC 103% MCSD MCSD Ex-Post Medição Contábil Medição Física Penalidade de Energia Penalidade de Potência CPEN Aut. PLD Preços Ressarcimento RRV Tratamento de Exposições Votos Camada de Integração Batch - Motor de Cálculo Ajuste de Contab e Recontab Consolidação de Resultados Contratos Desconto Encargos Data Warehouse Energia de Reserva Garantia Financeira Garantia Física Liquidações MCSD MCSD Ex-Post Medição Contábil Medição Física MRE Penalidade de Energia Penalidade de Potência Ressarcimento RRV Tratamento de Exposições Votos

10 Negócio Sustentação MDS Framework Gerenciamento de Projetos Metodologia de Desenvolvimento de Software (MDS) Framework) Plano de Desenvolvimento de Software Análise de Requisitos Especificação (Visão Lógica) Desenho do Software (Visão Física) Construção (Codificação) Integração (testes e homologação) Implantação Gestão de Configuração Garantia da Qualidade Arquitetura de Soluções, Aplicações e Informação Medição de Software Papéis e Responsabilidades Termos do Framework

11 Qualidade Novo SCL Metodologia de Desenvolvimento de Sistemas Ciclo de Vida de Desenvolvimento dos Produtos de SW FASES Disciplinas (Guias) Concepção Elaboração Construção Transição Requisitos Análise e Design Implementação Testes Implantação Configuração O QUE deve ser feito. COMO deve ser feito. PRODUTO construído. Objetivos de cada fase da MDS.

12 AGENDA 1. Modelo de release 2. Características CliqCCEE 3. Releases CliqCCEE 4. DRI / Site

13 Macro Cronograma Hipotético - Release Etapa do release Mes 1 Mes 2 Mes 3 Mes 4 Mes 5 Mes 6 Mes 7 Mes 8 Mes 9 Mes 10 Mes 11 Mes 12 Aprovação da regra Motor de Cálculo (espec/ construção/ teste/ homologação) Camada de Integração (espec/ construção/ teste/ homologação) Online (espec/ construção/ teste/ homologação) DRI (espec/ construção/ teste/ homologação) Testes Integrados Certificação Implantação Operação assistida Próximos releases: v 2.0 julho/13 / v 3.0 janeiro/14 v 4.0 julho/14 / v 5.0 janeiro/15 v 6.0 julho/15 / v 7.0 janeiro/16

14 DRI - Volumes 18 malhas de carga 1450 programas de ETL para carga OLAP 906 tabelas (DW, DIM e Fatos) 270 arquivos para download 110 relatórios no OBIEE 2000 objetos mapeados (maioria acrônimos) 16

15 Timeline Releases do CliqCCEE Out/12 CliqCCEE v1.0 Jan, Fev, Mar/13 Abr, Mai/13 CliqCCEE v1.0 Leilão "A em 2013 CliqCCEE v1.0 MCSD ex-post / 103% CliqCCEE v1.1 Demandas Regulatórias Cessão de Energia de Reserva Penalidade de Energia de Resolução Reserva CNPE 03 Multa Anemométrica MP579 / Lei Sazonalização de Garantia Física de Cotas Criação de Nova Modalidade contratual Manutenção de Cadastro de Agentes Transferência do MCP para os Distribuidores Alteração de Metodologia de Penalidades Apuração e Liquidação do Regime de Cotas Angra Fase I CliqCCEE v1.1 CliqCCEE v1.2 CliqCCEE v1.2 Calculo e publicação de preços: Operacionalização do 2º LFA Ajustes da Contabilização do MCP Ajustes em Penalidade de Energia Ajustes no cálculo do RRV Jul/13 CliqCCEE v2.0 CliqCCEE v2.0/2.1 Leilão - 12º LEN (A ) Ajuste no relatório AGP001 Criação do Comercializador Varejista Melhorias de Regras Online MCSD retirado do escopo 1.0 Jan/14 CliqCCEE v3.0 CliqCCEE v3.0 Portaria Registro de contratos ex ante semanal, flexibilidade contratual e preço associado Nova Metodologia de Garantias Financeiras Fase II Angra Fase II Cessão de excedentes por Consumidores Livres e Especiais Regras Jan/14 Sem definição de data CNPE 03 fase definitiva

16 AGENDA 1. Modelo de release 2. Características CliqCCEE 3. Releases CliqCCEE 4. DRI / Site

17 Projeto de Estabilização da DRI DRI Divulgação de Relatórios e Informações Áreas envolvidas ogmim, GCTL, GLMR, GATE, GCGR, GSIN, GGAP e GARQ o15 pessoas full time occee > GP, 2 analistas de sistemas, 1 analista de negócios, 1 AD + equipe compartilhada com outros projetos 3 analistas de sistemas oinfostrategy > Líder técnico dedicado, 2 analistas OBIEE, 2 analistas ODI, 2 documentadores, 1 especialista ODI part time e 1 especialista OBIEE part time Gerente de Projeto dedicado Motivadores: Questionamentos sobre estabilidade e confiabilidade da ferramenta e da solução DRI Incidências em produção / demora atendimento Lentidão na utilização da ferramenta Implantação de funcionalidades da v1.0 Objetivos : Melhoria na qualidade da informação, Diminuição do tempo de resposta da aplicação Diminuição do tempo de carga de dados

18 O que estamos fazendo: Entregas pendentes da versão 1.0: orelatórios Certificados odownload ocamada Semântica Entregas 1.1, 1.2 e especificação da 2.0 Sustentação Performance orelatórios oprocessos de Carga Qualidade e Processos opapeis e Responsabilidades ovalidação com áreas Melhorias Estruturais Melhorias Funcionais O que já fizemos: Reuniões específicas com alguns agentes Otimização das informações de Contratos Relatórios de Recontabilização, MCSD Ex-post Sistema de liberação de dados para os agentes Redução das incidências (backlog 50 6) DRI Divulgação de Relatórios e Informações Estabilização da DRI

19 Site CCEE Frente de trabalho específica Motivadores: Páginas não atualizadas Lentidão Dificuldade de Publicação de conteúdo e arquivos Dificuldade de encontrar informações Instabilidade da aplicação O que estamos fazendo: Força tarefa junto a Oracle para ajustes: opublicação de informações obusca das informações oinstabilidade oconfiguração e Melhorias no Cluster do Portal Atividades internas: oajuste do servidor de aplicação para tratamento do cache das informações

20 Obrigado

21 Backup slides

22 DRI - Conteúdo Camada Semântica (Construção de Relatórios pelos Agentes / CCEE) Conjunto de acrônimos e dados cadastrais organizados em áreas de assunto, na sequência dos cadernos das regras de comercialização Possibilidade de construção de relatórios, a partir do cruzamento livre de dados, respeitando as dimensões dos acrônimos e dentro de cada área de assunto Acesso aos dados de entrada, intermediário e resultado que o processamento das regras armazenou. O agente não acessará as informações horárias, somente a CCEE Exportação de consultas em diversos formatos Relatórios (Painéis) Conjunto de 88 relatórios padronizados e 22 relatórios para o público, disponibilizados aos agentes após os processamentos contábeis (contabilização, energia de reserva, entre outros) Os relatórios padrão apresentam informações gerenciais (dados finais de processamentos contábeis) Especificações construídas e validadas pela CCEE, em conjunto com o grupo de representantes das associações de classe Exportação de relatórios em diversos formatos Download Conjunto de arquivos agrupados em dimensões de dados (ex: usinas) Arquivos em formato csv, distribuídos em contextos contábeis Acesso aos dados de entrada, intermediários e de resultados que o processamento da regra armazenou (inclusive dados horários) Permitir aos agentes utilizar os arquivos para carga em seus respectivos sistemas 24

23 DRI Modelagem de Dados Modelo de dados Relacional Modelo de dados normalizado com todos os assuntos do ambiente organizados e integrados. Camada exclusiva utilizada como fonte de informações para os data marts ou seja, não será permitida a extração dos dados do DW para carga nos sistemas transacionais e/ou sistemas fontes. O modelo de dados deve ser preferencialmente normalizado, em alguns casos para maior facilidade de uso. O DW possui característica de armazenamento histórico e não volátil no menor nível de granularidade, devendo considerar os requisitos de retenção e latência dos dados definidos pelas áreas de negócio. Utilizamos prioritariamente datas de vigências (atributos contendo data de inicio e data de fim de vigência do registro) para controle de alterações e armazenamento de informações históricas. Modelo de dados Dimensional Star Schema Esta camada é utilizada para a construção de Data Marts dependentes (que possuem como única fonte de informações a camada relacional do DW). A construção de data marts é feita com foco no atendimento a um conjunto de necessidades de informação específicas que não podem ser atendidas diretamente pela camada relacional devido a limitações físicas (facilidade de navegação, performance, limitações da ferramenta utilizada pelo usuário final, etc.). O modelo dimensional possui como sua única fonte de informações a camada relacional, obtida através do DW. É importante construir os modelos dimensionais com a menor granularidade possível (ou seja, não utilizar detalhamento excessivo de informações no dimensional). 25

24 Equipe e processos Dezembro / 2012 Frente: Operação Assistida e Final de projeto (desenvolvimento publisher) Equipe: CCEE > Líder técnico dedicado, 3 analistas de sistemas, 3 analistas de negócios TDWBI > Líder técnico dedicado, 3 analistas OBIEE, 5 analistas ODI Janeiro / 2013 Frente: Sustentação Equipe: CCEE > Coordenador compartilhado, 2 analistas de sistemas (ODI / OBIEE) Frente: Projeto Equipe: CCEE > GP, 2 analistas de sistemas, 1 analista de negócios, 1 AD + equipe compartilhada com outros projetos 3 analistas de sistemas Infostrategy > Líder técnico dedicado, 2 analistas OBIEE, 2 analistas ODI, 2 documentadores, 1 especialista ODI part time e 1 especialista OBIEE part time

25 DRI - Volumes 18 malhas de carga 1450 programas de ETL para carga OLAP 906 tabelas (DW, DIM e Fatos) 270 arquivos para download 110 relatórios no OBIEE 2000 objetos mapeados (maioria acrônimos) 27

Curso Data warehouse e Business Intelligence

Curso Data warehouse e Business Intelligence Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura Apresentação Os projetos de Data Warehouse e Business Intelligence são dos mais interessantes e complexos de desenvolver

Leia mais

Versão: 3 Início de Vigência: xx.xx.2006 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nºxxxx, de xxx de xxxxx de 2006

Versão: 3 Início de Vigência: xx.xx.2006 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nºxxxx, de xxx de xxxxx de 2006 Procedimento de Comercialização Versão: 3 Início de Vigência: xx.xx.2006 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nºxxxx, de xxx de xxxxx de 2006 ÍNDICE 1. APROVAÇÃO...3 2. HISTÓRICO DE REVISÕES...3 3.

Leia mais

Regras de Comercialização 2013. Apresentação no InfoPLD 25.02.2013

Regras de Comercialização 2013. Apresentação no InfoPLD 25.02.2013 Regras de Comercialização 2013 Apresentação no InfoPLD 25.02.2013 Agenda Alterações aprovadas Contribuições acatadas 2 Alterações Aprovadas 1) Regime de Cotas de Garantia Física 2) Sazonalização de Garantia

Leia mais

Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura

Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura Curso Data warehouse e Business Intelligence Fundamentos, Metodologia e Arquitetura Apresentação Os projetos de Data Warehouse e Business Intelligence são dos mais interessantes e complexos de desenvolver

Leia mais

Mercado de Energia: O Futuro dos Ambientes de Contratação Livre e Regulado Rui Altieri Presidente do Conselho de Administração da CCEE

Mercado de Energia: O Futuro dos Ambientes de Contratação Livre e Regulado Rui Altieri Presidente do Conselho de Administração da CCEE Richard Lee Hochstetler Instituto Acende Brasil Mercado de Energia: O Futuro dos Ambientes de Contratação Livre e Regulado Rui Altieri Presidente do Conselho de Administração da CCEE MERCADO DE ENERGIA:

Leia mais

ADMINISTRAÇÃO DE REDES E DATA CENTER 1º PERÍODO DE TECNOLOGIA DE REDES

ADMINISTRAÇÃO DE REDES E DATA CENTER 1º PERÍODO DE TECNOLOGIA DE REDES DESENHO DE SERVIÇO Este estágio do ciclo de vida tem como foco o desenho e a criação de serviços de TI cujo propósito será realizar a estratégia concebida anteriormente. Através do uso das práticas, processos

Leia mais

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC

Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA. Levantamento da Gestão de TIC Relatório de Consultoria PD.33.10.83A.0080A/RT-05-AA Levantamento da Gestão de TIC Cotação: 23424/09 Cliente: PRODABEL Contato: Carlos Bizzoto E-mail: cbizz@pbh.gov.br Endereço: Avenida Presidente Carlos

Leia mais

Ricardo Lima Conselheiro de Administração

Ricardo Lima Conselheiro de Administração XVII Simpósio Jurídico ABCE Riscos e Tendências do Ambiente de Contratação Livre Ricardo Lima Conselheiro de Administração 19 de setembro de 2011 Estrutura Legal da Comercialização Visão Geral das Operações

Leia mais

DATA WAREHOUSE. Introdução

DATA WAREHOUSE. Introdução DATA WAREHOUSE Introdução O grande crescimento do ambiente de negócios, médias e grandes empresas armazenam também um alto volume de informações, onde que juntamente com a tecnologia da informação, a correta

Leia mais

Riscos e Garantias para a Comercialização de Energia de PCHs Encontro Nacional de Operadores e Investidores em Pequenas Centrais Hidrelétricas

Riscos e Garantias para a Comercialização de Energia de PCHs Encontro Nacional de Operadores e Investidores em Pequenas Centrais Hidrelétricas Riscos e Garantias para a Comercialização de Energia de PCHs Encontro Nacional de Operadores e Investidores em Pequenas Centrais Hidrelétricas Luciano Macedo Freire Conselho de Administração 07 de abril

Leia mais

PROPOSTA DE NOVA VERSÃO DAS REGRAS

PROPOSTA DE NOVA VERSÃO DAS REGRAS PROPOSTA DE NOVA VERSÃO DAS REGRAS DE COMERCIALIZAÇÃO AP Nº 56/2014 VERSÃO 2015.1.0 Regras de Comercialização Versão 2015.1.0 Vigência a partir de Janeiro/2015 Audiência Pública nº 056/2014 Período de

Leia mais

TI Digital: Rede Social Corporativa alavancando produtividade em desenvolvimento de sistemas com modelo CMMI

TI Digital: Rede Social Corporativa alavancando produtividade em desenvolvimento de sistemas com modelo CMMI TI Digital: Rede Social Corporativa alavancando produtividade em desenvolvimento de sistemas com modelo CMMI Autores Caroline Donato Dario Almeida Marisa Fraga Apresentação Dario Almeida Gerente Executivo

Leia mais

REGISTRO, TRATAMENTO E APURAÇÃO DE INDISPONIBILIDADES DE USINAS HIDRÁULICAS NÃO DESPACHADAS CENTRALIZADAMENTE E PARTICIPANTES DO MRE

REGISTRO, TRATAMENTO E APURAÇÃO DE INDISPONIBILIDADES DE USINAS HIDRÁULICAS NÃO DESPACHADAS CENTRALIZADAMENTE E PARTICIPANTES DO MRE Procedimento de Comercialização REGISTRO, TRATAMENTO E APURAÇÃO DE INDISPONIBILIDADES DE USINAS HIDRÁULICAS NÃO DESPACHADAS CENTRALIZADAMENTE E PARTICIPANTES DO MRE Versão: 1 Início de Vigência: XX/XX/200X

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA TÍTULO: Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD. GECOQ Gerência de Controle e Qualidade 1/9

TERMO DE REFERÊNCIA TÍTULO: Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD. GECOQ Gerência de Controle e Qualidade 1/9 TÍTULO: ASSUNTO: GESTOR: TERMO DE REFERÊNCIA Termo de Referência para contratação de ferramenta case de AD DITEC/GECOQ Gerência de Controle e Qualidade ELABORAÇÃO: PERÍODO: GECOQ Gerência de Controle e

Leia mais

ANEXO II - Especificações Técnicas

ANEXO II - Especificações Técnicas ANEXO II - Especificações Técnicas Índice 1 CONTEXTUALIZAÇÃO DO ESCOPO... 24 1.1 OBJETIVO DESTE DOCUMENTO... 24 1.2 CARACTERÍSTICAS DAS SOLUÇÕES SAGER E SAAT... 24 1.3 COMPONENTES DO PROJETO PARA O DESENVOLVIMENTO

Leia mais

TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE

TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE TÓPICOS AVANÇADOS EM ENGENHARIA DE SOFTWARE Engenharia de Computação Professor: Rosalvo Ferreira de Oliveira Neto OLPT x OLAP Roteiro OLTP Datawarehouse OLAP Operações OLAP Exemplo com Mondrian e Jpivot

Leia mais

Banco do Brasil S.A. Consulta ao Mercado - RFP - Request for Proposa Aquisição de Ferramenta de Gestão de Limites Dúvida de Fornecedor

Banco do Brasil S.A. Consulta ao Mercado - RFP - Request for Proposa Aquisição de Ferramenta de Gestão de Limites Dúvida de Fornecedor 1. Em relação ao módulo para Atribuição de Limites, entendemos que Banco do Brasil busca uma solução para o processo de originação/concessão de crédito. Frente a essa necessidade, o Banco do Brasil busca

Leia mais

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar.

C O B I T. Gerenciamento dos Riscos Mitigação. Aceitação. Transferência. Evitar/Eliminar. C O B I T Evolução Estratégica A) Provedor de Tecnologia Gerenciamento de Infra-estrutura de TI (ITIM) B) Provedor de Serviços Gerenciamento de Serviços de TI (ITSM) C) Parceiro Estratégico Governança

Leia mais

Checklist de Projeto de Data Warehouse

Checklist de Projeto de Data Warehouse Checklist de Projeto de Data Warehouse Prof. Dr. Jorge Rady de Almeida Jr. Escola Politécnica da USP F/1 Revisão de Projeto Design Review Após uma área de interesse tenha sido projetada e posta em operação

Leia mais

Formação do Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) (Anexo)

Formação do Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) (Anexo) Formação do Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) Regras de Comercialização Formação do Preço de Liquidação das Diferenças (PLD) (Anexo) Versão 1.0 1 versão 1.0 Formação do Preço de Liquidação das Diferenças

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO IV PROJETO BÁSICO: PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS. Sumário

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO IV PROJETO BÁSICO: PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS. Sumário CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO IV PROJETO BÁSICO: PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS Sumário 1. DIRETRIZES PARA O PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS DE APLICATIVOS...172 1.1. INTRODUÇÃO...172

Leia mais

Data Warehousing. Leonardo da Silva Leandro. CIn.ufpe.br

Data Warehousing. Leonardo da Silva Leandro. CIn.ufpe.br Data Warehousing Leonardo da Silva Leandro Agenda Conceito Elementos básicos de um DW Arquitetura do DW Top-Down Bottom-Up Distribuído Modelo de Dados Estrela Snowflake Aplicação Conceito Em português:

Leia mais

Cartilha Operação Assistida CliqCCEE

Cartilha Operação Assistida CliqCCEE Cartilha Operação Assistida CliqCCEE Outubro/2012 Projeto financiado pela Financiadora de Estudos e Projetos - Finep Conteúdo Digital Não utilizar para impressão Detalhes da Operação Assistida O que é

Leia mais

Relação dos Dados e Informações a serem fornecidos pelo ONS à CCEE

Relação dos Dados e Informações a serem fornecidos pelo ONS à CCEE Anexo I ao Acordo Operacional entre o ONS e CCEE Relação dos Dados e Informações a serem fornecidos pelo ONS à CCEE 1. Objetivo O presente Anexo tem por objetivo estabelecer a relação dos dados e informações

Leia mais

Preço de Liquidação de Diferenças. Versão 1.0

Preço de Liquidação de Diferenças. Versão 1.0 Preço de Liquidação de Diferenças ÍNDICE PREÇO DE LIQUIDAÇÃO DE DIFERENÇAS (PLD) 4 1. Introdução 4 1.1. Lista de Termos 6 1.2. Conceitos Básicos 7 2. Detalhamento das Etapas da Formação do PLD 10 2.1.

Leia mais

PDS - DATASUS. Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS

PDS - DATASUS. Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS PDS - DATASUS Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS Coordenação Geral de Arquitetura e Engenharia Tecnológica Coordenação de Padronização e Qualidade de Software Gerência de Padrões e Software

Leia mais

Impactos e Adaptações do Mercado para. Alexandre Nunes Zucarato Gerente de Inteligência de Mercado Câmara de Comercialização de Energia Elétrica

Impactos e Adaptações do Mercado para. Alexandre Nunes Zucarato Gerente de Inteligência de Mercado Câmara de Comercialização de Energia Elétrica Impactos e Adaptações do Mercado para Implantação da Portaria MME 455/2012 Alexandre Nunes Zucarato Gerente de Inteligência de Mercado Câmara de Comercialização de Energia Elétrica Agenda Objetivos gerais

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani Planejamento Estratégico de TI Prof.: Fernando Ascani Data Warehouse - Conceitos Hoje em dia uma organização precisa utilizar toda informação disponível para criar e manter vantagem competitiva. Sai na

Leia mais

Governança de TI. Heleno dos Santos Ferreira

Governança de TI. Heleno dos Santos Ferreira Governança de TI Heleno dos Santos Ferreira Agenda Governança de TI Heleno dos Santos Ferreira ITIL Publicação dos Livros revisados 2011 ITIL Correções ortográficas e concordâncias gramaticais; Ajustes

Leia mais

Perspectivas da Contratação de Energia no Mercado Livre

Perspectivas da Contratação de Energia no Mercado Livre Perspectivas da Contratação de Energia no Mercado Livre 19 de Agosto de 2008 ABRACEEL www.abraceel.com.br Venda de Energia Leilão de Energia de Reserva Mercado Livre de Fontes Incentivadas CCEE O Papel

Leia mais

Gestão de Processos Estratégicos

Gestão de Processos Estratégicos Gestão de Processos Estratégicos Fevereiro/2014 DEFINIÇÕES Rede de Desenvolvimento Integrado Arranjos que estimulam e proporcionam um comportamento (em rede) cooperativo entre agentes governamentais e

Leia mais

Governança e Qualidade em Serviços de TI COBIT Governança de TI

Governança e Qualidade em Serviços de TI COBIT Governança de TI Governança e Qualidade em Serviços de TI COBIT Governança de TI COBIT Processos de TI Aplicativos Informações Infraestrutura Pessoas O que é o CObIT? CObIT = Control Objectives for Information and Related

Leia mais

Seminário Internacional Portugal Brasil Visão Geral das Operações da CCEE. Luiz Eduardo Barata Ferreira Presidente do Conselho de Administração

Seminário Internacional Portugal Brasil Visão Geral das Operações da CCEE. Luiz Eduardo Barata Ferreira Presidente do Conselho de Administração Seminário Internacional Portugal Brasil Visão Geral das Operações da CCEE Luiz Eduardo Barata Ferreira Presidente do Conselho de Administração Fevereiro de 2012 Visão Geral das Operações da CCEE Mercado

Leia mais

Submódulo 1.1 Adesão à CCEE. Módulo 6 Penalidades. Submódulo 6.1 Penalidades de medição e multas

Submódulo 1.1 Adesão à CCEE. Módulo 6 Penalidades. Submódulo 6.1 Penalidades de medição e multas Submódulo 1.1 Adesão à CCEE Módulo 6 Penalidades Submódulo 6.1 Penalidades de medição Revisão 1.0 Vigência 16/10/2012 1 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO 3. PREMISSAS 4. LISTA DE DOCUMENTOS 5. FLUXO DE

Leia mais

Módulo 3 Contratação de Energia e Potência

Módulo 3 Contratação de Energia e Potência Submódulo3.1 Contratos do ambiente livre Módulo 3 Contratação de Energia e Potência Submódulo 3.1 Contratos do Ambiente Livre Revisão 1.0 Vigência 12/11/2012 1 ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO 3. PREMISSAS

Leia mais

Consolidação de Resultados. Versão 2015.1.0

Consolidação de Resultados. Versão 2015.1.0 Consolidação de Resultados ÍNDICE CONSOLIDAÇÃO DE RESULTADOS 4 1. Introdução 4 1.1. Lista de Termos 5 1.2. Conceitos Básicos 6 2. Detalhamento das Etapas de Consolidação de Resultados 12 2.1. Determinação

Leia mais

REGISTRO, TRATAMENTO E APURAÇÃO DE INDISPONIBILIDADES DE USINAS HIDRÁULICAS NÃO DESPACHADAS CENTRALIZADAMENTE E PARTICIPANTES DO MRE

REGISTRO, TRATAMENTO E APURAÇÃO DE INDISPONIBILIDADES DE USINAS HIDRÁULICAS NÃO DESPACHADAS CENTRALIZADAMENTE E PARTICIPANTES DO MRE Procedimento de Comercialização REGISTRO, TRATAMENTO E APURAÇÃO DE INDISPONIBILIDADES DE USINAS HIDRÁULICAS NÃO DESPACHADAS CENTRALIZADAMENTE E PARTICIPANTES DO MRE Versão: 1 Início de Vigência: REGISTRO,

Leia mais

Projeto SAAT/SAGER. Reunião com os Proponentes 18/03/2015

Projeto SAAT/SAGER. Reunião com os Proponentes 18/03/2015 Projeto SAAT/SAGER Reunião com os Proponentes 1 18/03/2015 Agenda Visão Geral dos Sistemas SAGER SAAT Requisitos Contexto Plataforma Tecnológica Plano do Projeto Estrutura de Gestão Atividades de apoio

Leia mais

Caderno Algébrico Contratos Contratos Versão 1.0

Caderno Algébrico Contratos Contratos Versão 1.0 Caderno Algébrico Contratos Contratos Versão 1.0 Versão 1.0 ÍNDICE CONTRATOS 3 1. O Esquema Geral 3 2. Etapas dos Contratos no Ambiente de Contratação Livre 5 2.1. Contratos no Ambiente de Contratação

Leia mais

XDR. Solução para Big Data.

XDR. Solução para Big Data. XDR Solução para Big Data. ObJetivo Principal O volume de informações com os quais as empresas de telecomunicações/internet têm que lidar é muito grande, e está em constante crescimento devido à franca

Leia mais

Presidente do Quality Assurance Institute QAI Brasil Presidente do International Function Point Users Group IFPUG. Definindo e Alcançando Objetivos

Presidente do Quality Assurance Institute QAI Brasil Presidente do International Function Point Users Group IFPUG. Definindo e Alcançando Objetivos Derivação de Métricas para Projetos de BI Mauricio Aguiar ti MÉTRICAS Presidente do Quality Assurance Institute QAI Brasil Presidente do International Function Point Users Group IFPUG www.metricas.com.br

Leia mais

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO)

EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA OPERACIONAL (PTO) EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 CONCESSÃO PARA AMPLIAÇÃO, MANUTENÇÃO E EXPLORAÇÃO DOS AEROPORTOS INTERNACIONAIS BRASÍLIA CAMPINAS GUARULHOS EDITAL DO LEILÃO Nº 2/2011 ANEXO 9 DO CONTRATO PLANO DE TRANSFERÊNCIA

Leia mais

Sistema de Gestão dos Documentos da Engenharia [EDMS] O caminho para a Colaboração da Engenharia e Melhoria de Processos

Sistema de Gestão dos Documentos da Engenharia [EDMS] O caminho para a Colaboração da Engenharia e Melhoria de Processos Sistema de Gestão dos Documentos da Engenharia [EDMS] O caminho para a Colaboração da Engenharia e Melhoria de Processos O gerenciamento de informações é crucial para o sucesso de qualquer organização.

Leia mais

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4.

SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4. SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. O QUE É DATA WAREHOUSE?... 2 3. O QUE DATA WAREHOUSE NÃO É... 4 4. IMPORTANTE SABER SOBRE DATA WAREHOUSE... 5 4.1 Armazenamento... 5 4.2 Modelagem... 6 4.3 Metadado... 6 4.4

Leia mais

INFORMAÇÕES AO MERCADO

INFORMAÇÕES AO MERCADO Panorama 2014 1 índice Panorama 2014 Governança do setor elétrico brasileiro A comercialização de energia A CCEE A CCEE Principais atividades Conta-ACR A CCEE em números Quem pode se associar à CCEE? DADOS

Leia mais

TIControle. Governança Corporativa e Gestão Estratégica no Senado Federal. Doris Peixoto Diretora Geral

TIControle. Governança Corporativa e Gestão Estratégica no Senado Federal. Doris Peixoto Diretora Geral TIControle Governança Corporativa e Gestão Estratégica no Senado Federal Doris Peixoto Diretora Geral 11/04/2012 Tópicos para nossa conversa de hoje A migração da Governança de TI para o nível corporativo

Leia mais

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI

CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI CONCORRÊNCIA AA Nº 05/2009 BNDES ANEXO X PROJETO BÁSICO: DESCRIÇÃO DOS PROCESSOS DE TI 1. PI06 TI 1.1. Processos a serem Atendidos pelos APLICATIVOS DESENVOLVIDOS Os seguintes processos do MACROPROCESSO

Leia mais

Reduza custos. Potencialize o valor da TI em seus negócios.

Reduza custos. Potencialize o valor da TI em seus negócios. Reduza custos. Potencialize o valor da TI em seus negócios. Autor: Douglas Marcos da Silva 7 Sumário Executivo Nas últimas décadas, a evolução tecnológica, a interdependência dos mercados e a intensificação

Leia mais

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário

ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Dispõe sobre o Planejamento Estratégico de TIC no âmbito do Poder Judiciário e dá outras providências. ANEXO I A Estratégia de TIC do Poder Judiciário Planejamento

Leia mais

Leilões de Energia Elétrica Mercado Regulado Brasileiro Visão Panorâmica

Leilões de Energia Elétrica Mercado Regulado Brasileiro Visão Panorâmica Leilões de Energia Elétrica Mercado Regulado Brasileiro Visão Panorâmica Reunião Técnica da ABINEE Associação Brasileira da Indústria Elétrica e Eletrônica 19 de novembrode 2013 Alexandre Viana Gerência

Leia mais

Versão: 2 Início de Vigência: 27.11.2006 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 2.773, de 27 de novembro de 2006

Versão: 2 Início de Vigência: 27.11.2006 Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 2.773, de 27 de novembro de 2006 Procedimento de Comercialização Versão: 2 Início de Vigência: Instrumento de Aprovação: Despacho ANEEL nº 2.773, de 27 de novembro de 2006 ÍNDICE 1. APROVAÇÃO... 3 2. HISTÓRICO DE REVISÕES... 3 3. PROCESSO

Leia mais

TERMO DE REFERÊNCIA. Contratação de empresa para prestação de serviços de treinamento em Information Technology Infrastructure Library (ITIL)V3.

TERMO DE REFERÊNCIA. Contratação de empresa para prestação de serviços de treinamento em Information Technology Infrastructure Library (ITIL)V3. TERMO DE REFERÊNCIA Contratação de empresa para prestação de serviços de treinamento em 1. OBJETO Contratação de empresa para prestação de serviços de treinamento em conceitos da biblioteca ITIL V3 - Infrastructure

Leia mais

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade III GOVERNANÇA DE TI

Profa. Gislaine Stachissini. Unidade III GOVERNANÇA DE TI Profa. Gislaine Stachissini Unidade III GOVERNANÇA DE TI Information Technology Infrastructure Library ITIL Criado pelo governo do Reino Unido, tem como objetivo a criação de um guia com as melhores práticas

Leia mais

Módulo 2. Definindo Soluções OLAP

Módulo 2. Definindo Soluções OLAP Módulo 2. Definindo Soluções OLAP Objetivos Ao finalizar este módulo o participante: Recordará os conceitos básicos de um sistema OLTP com seus exemplos. Compreenderá as características de um Data Warehouse

Leia mais

Data Warehouse. Debora Marrach Renata Miwa Tsuruda

Data Warehouse. Debora Marrach Renata Miwa Tsuruda Debora Marrach Renata Miwa Tsuruda Agenda Introdução Contexto corporativo Agenda Introdução Contexto corporativo Introdução O conceito de Data Warehouse surgiu da necessidade de integrar dados corporativos

Leia mais

Seminário Sistema de Informação de Custos na Administração Pública

Seminário Sistema de Informação de Custos na Administração Pública Sistema de Informações de Custos do Governo Federal Apresentação: Miyuki Abe Abril/2009 Sistema de Informações de Custos do Governo Federal Ambiente que disponibiliza informações e funcionalidades para

Leia mais

ATO Nº 91/2015/GP/TRT 19ª, DE 1º DE JUNHO DE 2015

ATO Nº 91/2015/GP/TRT 19ª, DE 1º DE JUNHO DE 2015 PODER JUDICIÁRIO JUSTIÇA DO TRABALHO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA DÉCIMA NONA REGIÃO ATO Nº 91/2015/GP/TRT 19ª, DE 1º DE JUNHO DE 2015 O DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA

Leia mais

Acesse: www.eyenet.com.br ou ligue : (11) 5049-0441

Acesse: www.eyenet.com.br ou ligue : (11) 5049-0441 1 2 Tenha acesso fácil e rápido para que os clientes vejam melhor meus produtos e serviços de forma objetiva. Expresse o que de fato vendemos, o que de fato solucionamos. Seja fácil de atualizar com sistema

Leia mais

COBIT. Governança de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br

COBIT. Governança de TI. Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br COBIT Governança de TI Juvenal Santana, PMP tecproit.com.br Sobre mim Juvenal Santana Gerente de Projetos PMP; Cobit Certified; ITIL Certified; OOAD Certified; 9+ anos de experiência em TI; Especialista

Leia mais

PdC Versão 1 PdC Versão 2

PdC Versão 1 PdC Versão 2 Procedimento de Comercialização Controle de Alterações PdC Glossário de Termos da CCEE PdC Versão 1 PdC Versão 2 METODOLOGIA DO CONTROLE DE ALTERAÇÕES Texto em realce refere-se à inserção de nova redação.

Leia mais

3 Comercialização de energia elétrica

3 Comercialização de energia elétrica 3 Comercialização de energia elétrica As relações comerciais 4 entre os Agentes participantes da CCEE são regidas predominantemente por contratos de compra e venda de energia, e todos os contratos celebrados

Leia mais

Nota Técnica nº 140/2013 SEM/ANEEL. Em 31 de outubro de 2013.

Nota Técnica nº 140/2013 SEM/ANEEL. Em 31 de outubro de 2013. Nota Técnica nº 140/2013 SEM/ANEEL Em 31 de outubro de 2013. Processo: 48500.005357/2013-01 Assunto: Regulamentação das Portarias MME 455/2012 e 185/2013. I. DO OBJETIVO 1. Esta Nota Técnica tem por objetivo

Leia mais

Exame de Fundamentos da ITIL

Exame de Fundamentos da ITIL Exame de Fundamentos da ITIL Simulado A, versão 5.1 Múltipla escolha Instruções 1. Todas as 40 perguntas devem ser respondidas. 2. Todas as respostas devem ser assinaladas na grade de respostas fornecida.

Leia mais

IT SERVICES PORTFOLIO. SPEKTRUM IT Services Portfolio 1

IT SERVICES PORTFOLIO. SPEKTRUM IT Services Portfolio 1 IT SERVICES PORTFOLIO SPEKTRUM IT Services Portfolio 1 Ser a única no Brasil a ser certificada pela SAP, mostra como estamos à frente no que tange à transparência em todos os nossos processos e, especialmente,

Leia mais

Guia Básico de Processos Corporativos do Sistema Indústria. 1ª Versão

Guia Básico de Processos Corporativos do Sistema Indústria. 1ª Versão Guia Básico de Processos Corporativos do Sistema Indústria 1ª Versão 1 Guia Básico de Processos Corporativos do Sistema Indústria PROCESSO DE CONTAS A PAGAR 1ª Versão 2 ÍNDICE 1 - INTRODUÇÃO 2 - VISÃO

Leia mais

Transformação para uma TI empresarial Criando uma plataforma de geração de valor. Garanta a eficiência e a competitividade da sua empresa

Transformação para uma TI empresarial Criando uma plataforma de geração de valor. Garanta a eficiência e a competitividade da sua empresa Transformação para uma TI empresarial Criando uma plataforma de geração de valor Garanta a eficiência e a competitividade da sua empresa Transformação para uma TI empresarial Criando uma plataforma de

Leia mais

Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v3 Módulo 1 Conceitos básicos

Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v3 Módulo 1 Conceitos básicos Gerenciamento de Serviços de TI ITIL v3 Módulo 1 Conceitos básicos Referência: An Introductory Overview of ITIL v3 Livros ITIL v3 Novos Conceitos Serviço de TI: Meio para entregar valor aos clientes propicia

Leia mais

15/09/2015. Gestão e Governança de TI. Modelo de Governança em TI. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor

15/09/2015. Gestão e Governança de TI. Modelo de Governança em TI. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor. A entrega de valor Gestão e Governança de TI Modelo de Governança em TI Prof. Marcel Santos Silva PMI (2013), a gestão de portfólio é: uma coleção de projetos e/ou programas e outros trabalhos que são agrupados para facilitar

Leia mais

Submódulo 1.1 Adesão à CCEE. Módulo 6 Penalidades. Submódulo 6.2 Notificação e gestão do pagamento de penalidades

Submódulo 1.1 Adesão à CCEE. Módulo 6 Penalidades. Submódulo 6.2 Notificação e gestão do pagamento de penalidades Submódulo 1.1 Adesão à CCEE Módulo 6 Penalidades Submódulo 6.2 Notificação e gestão do Revisão 1.0 Vigência 16/10/2012 1 Submódulo 6.2 Notificação e gestão do ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO 2. OBJETIVO 3. PREMISSAS

Leia mais

Ciência da Computação. Gestão da Tecnologia da Informação ITIL Information Technology Infrastructure Library

Ciência da Computação. Gestão da Tecnologia da Informação ITIL Information Technology Infrastructure Library Ciência da Computação Gestão da Tecnologia da Informação ITIL Information Technology Infrastructure Library Agenda Histórico Conceitos básicos Objetivos Visão Geral do Modelo Publicações: Estratégia de

Leia mais

Ricardo Paulino Gerente de Processos e Estratégia

Ricardo Paulino Gerente de Processos e Estratégia Ricardo Paulino Gerente de Processos e Estratégia Agenda Sobre a Ferrettigroup Brasil O Escritório de Processos Estratégia Adotada Operacionalização do Escritório de Processos Cenário Atual Próximos Desafios

Leia mais

Acesse: www.eyenet.com.br ou ligue : (11) 5049-0441

Acesse: www.eyenet.com.br ou ligue : (11) 5049-0441 1 2 1) Proposta Comercial 2) Cases 3) Apresentação Eyenet 3 Objetivos do Projeto Construir uma intranet, oferecendo aos gestores, uma ferramenta web de fácil atualização de conteúdos, tornando-o um meio

Leia mais

A Evolução do Mercado Livre de Energia

A Evolução do Mercado Livre de Energia A Evolução do Mercado Livre de Energia 4º ENASE Antonio Carlos Fraga Machado Presidente do Conselho de Administração 13 de setembro de 2007 Agenda Evolução do Mercado Livre de Energia O Mercado de Energia

Leia mais

COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA NO MERCADO LIVRE

COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA NO MERCADO LIVRE COMERCIALIZAÇÃO DE ENERGIA NO MERCADO LIVRE AGENDA CARACTERISTICAS CONSUMIDOR LIVRE ESPECIAL; CUSTO DE OPORTUNIDADE ENTRE MERCADO LIVRE E MERCADO CATIVO; ESTUDOS DE CASO; HISTÓRICO E VOLATILIDADE DOS PREÇOS

Leia mais

Apresentação do Portfólio da ITWV Soluções Inteligentes em Tecnologia

Apresentação do Portfólio da ITWV Soluções Inteligentes em Tecnologia P ORTFÓ FÓLIO Apresentação do Portfólio da ITWV Soluções Inteligentes em Tecnologia versão 1.1 ÍNDICE 1. A EMPRESA... 3 2. BI (BUSINESS INTELLIGENCE)... 5 3. DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS... 6 3.1. PRODUTOS

Leia mais

Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) - Senado

Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) - Senado Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) - Senado DW OLAP BI Ilka Kawashita Material preparado :Prof. Marcio Vitorino Sumário OLAP Data Warehouse (DW/ETL) Modelagem Multidimensional Data Mining BI - Business

Leia mais

Grupo LWART: Case de migração JDE 9.0

Grupo LWART: Case de migração JDE 9.0 Grupo LWART: Case de migração JDE 9.0 » Grupo LWART: Case de migração 8.0 => 9.0 Quem é a MAXXICON? Quem é o Grupo LWART? Por que Migrar? A solução e os benefícios idealizados. O planejamento e execução

Leia mais

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Miriam Regina Xavier de Barros, PMP mxbarros@uol.com.br Agenda Bibliografia e Avaliação 1. Visão Geral sobre o PMI e o PMBOK 2. Introdução

Leia mais

SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português

SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português 1 de 7 28/10/2012 16:47 SIMULADO: Simulado 3 - ITIL Foundation v3-40 Perguntas em Português RESULTADO DO SIMULADO Total de questões: 40 Pontos: 0 Score: 0 % Tempo restante: 55:07 min Resultado: Você precisa

Leia mais

Visão Geral da Comercialização de Energia Elétrica no Brasil 2º Fórum de Bio Energias do Mercado Livre

Visão Geral da Comercialização de Energia Elétrica no Brasil 2º Fórum de Bio Energias do Mercado Livre Visão Geral da Comercialização de Energia Elétrica no Brasil 2º Fórum de Bio Energias do Mercado Livre Riomar Merino Jorge 21/11/2011 Agenda Comercialização de Energia no Brasil Adesão à CCEE Sistema de

Leia mais

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009

CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA RESOLUÇÃO Nº 99, DE 24 DE NOVEMBRO DE 2009 Institui o Planejamento Estratégico de Tecnologia da Informação e Comunicação no âmbito do Poder Judiciário. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. Descrição dos processos de gerenciamento das comunicações

PROJETO NOVAS FRONTEIRAS. Descrição dos processos de gerenciamento das comunicações PROJETO NOVAS FRONTEIRAS PLANO DE GERENCIAMENTO DAS COMUNICAÇÕES COMMUNICATIONS MANAGEMENT PLAN Preparado por Tarcísio Viana Tavares Membro do time Versão 2 Aprovado por Rodrigo Mendes Lemos Gerente do

Leia mais

INTERESSADOS DEVERÃO CADASTRAR CURRICULO NO SITE www.superato.com.br. TÉCNICO EM INFORMÁTICA

INTERESSADOS DEVERÃO CADASTRAR CURRICULO NO SITE www.superato.com.br. TÉCNICO EM INFORMÁTICA INTERESSADOS DEVERÃO CADASTRAR CURRICULO NO SITE www.superato.com.br. TÉCNICO EM INFORMÁTICA Estamos selecionando para CECRED - Cooperativa de Crédito de Blumenau. Cursando Sistemas da Informação ou Ciências

Leia mais

Documento de Visão. Sistema de Ponto Eletrônico A2MEPonto. Versão 1.0

Documento de Visão. Sistema de Ponto Eletrônico A2MEPonto. Versão 1.0 Documento de Visão Sistema de Ponto Eletrônico A2MEPonto Versão 1.0 HISTÓRICO DE REVISÕES Data Versão Descrição Autor 23/10/2010 #1 Elaboração do documento. Eduardo Neto Versão 1.0 Documento de Visão A2ME

Leia mais

Resultados. 2T14 Junho, 2014

Resultados. 2T14 Junho, 2014 Resultados Junho, 2014 Destaques Operacional & Comercial Rebaixamento da garantia física de 6,2%, em linha com as projeções da Companhia Comercialização de ~100 MWm com prazo e preço médios de 4,5 anos

Leia mais

Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan

Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia em Banco de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 4.3 2 1 BI BUSINESS INTELLIGENCE BI CARLOS BARBIERI

Leia mais

Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A

Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A Esperança_TI S.A S/A Contrato de Serviço (SLA) Para Hipermercados Extra Por Esperança_TI S.A 25/11/2014 Gerador do documento: Gerente de Negociação: Marcos Alves de Oliveira Marcos Antônio de Morais Aprovação

Leia mais

Palestra: Release de Projetos em TI.

Palestra: Release de Projetos em TI. Palestra: Release de Projetos em TI. Renato Servone Festa Coordenador de Sistemas Histórico Profissional MBA em Gestão Empresarial Bacharel em Administração de Empresas Experiência desde 1996 em programação,

Leia mais

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL

AGÊNCIA NACIONAL DE ENERGIA ELÉTRICA ANEEL GE Distributed Power Jose Renato Bruzadin Sales Manager Brazil T +55 11 2504-8829 M+55 11 99196-4809 Jose.bruzadini@ge.com São Paulo, 11 de Julho de 2014 NOME DA INSTITUIÇÃO: GE Distributed Power AGÊNCIA

Leia mais

Aline França a de Abreu, Ph.D

Aline França a de Abreu, Ph.D Aline França a de Abreu, Ph.D igti.eps.ufsc.br 07 / 10/ 04 Núcleo de estudos Criado em 1997 - UFSC/EPS Equipe multidisciplinar, com aproximadamente 20 integrantes OBJETIVO Gerar uma competência e uma base

Leia mais

Como posso gerenciar melhor os meus ativos de software e reduzir o risco de auditorias de conformidade?

Como posso gerenciar melhor os meus ativos de software e reduzir o risco de auditorias de conformidade? RESUMO DA SOLUÇÃO CA SERVICE MANAGEMENT - GERENCIAMENTO DE ATIVOS DE SOFTWARE Como posso gerenciar melhor os meus ativos de software e reduzir o risco de auditorias de conformidade? O CA Service Management

Leia mais

Conceitos Básicos e Implementação. Entrega de Serviços. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com)

Conceitos Básicos e Implementação. Entrega de Serviços. Professor Gledson Pompeu (gledson.pompeu@gmail.com) Conceitos Básicos e Implementação Pref. Mun. Vitória 2007 Analista de Suporte 120 A ITIL (information technology infrastructure library) visa documentar as melhores práticas na gerência, no suporte e na

Leia mais

IV PLANO DE GERENCIAMENTO DE TEMPO

IV PLANO DE GERENCIAMENTO DE TEMPO IV PLANO DE GERENCIAMENTO DE TEMPO 1 - Descrição do Plano de Gerenciamento detempo (PMBOK) O gerenciamento de tempo do projeto inclui os processos necessários para realizar o término do projeto no prazo.

Leia mais

Projeto real de implantação de metodologia de gerenciamento de projetos com apoio do ambiente Microsoft Enterprise Project Management (EPM)

Projeto real de implantação de metodologia de gerenciamento de projetos com apoio do ambiente Microsoft Enterprise Project Management (EPM) Projeto real de implantação de metodologia de gerenciamento de s com apoio do ambiente Microsoft Enterprise Project Management (EPM) Rodolfo Campos PMO da Presidência da TIM Líder do Projeto racampos@timbrasil.com.br

Leia mais

IT Service Management Foundation Bridge based on ISO/IEC 20000

IT Service Management Foundation Bridge based on ISO/IEC 20000 Exame simulado IT Service Management Foundation Bridge based on ISO/IEC 20000 Edição Novembro, 2013 Copyright 2013 EXIN All rights reserved. No part of this publication may be published, reproduced, copied

Leia mais

TERCEIRIZAÇÃO, OUTSOURCING, INFRAESTRUTURA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E SITES, AUDITORIAS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO.

TERCEIRIZAÇÃO, OUTSOURCING, INFRAESTRUTURA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E SITES, AUDITORIAS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. TERCEIRIZAÇÃO, OUTSOURCING, INFRAESTRUTURA DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E SITES, AUDITORIAS E SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO. OneIT A gente trabalha para o seu crescimento. Rua Bento Barbosa, n 155, Chácara Santo

Leia mais

Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor]

Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor] Contrato de Serviço (SLA) para [Cliente] por [Provedor] Data Gerador do documento: Gerente de Negociação: Versões Versão Data Revisão Autor Aprovação (Ao assinar abaixo, o cliente concorda com todos os

Leia mais

FORMULÁRIO RELATO DA INICIATIVA INOVADORA 1

FORMULÁRIO RELATO DA INICIATIVA INOVADORA 1 Nome da iniciativa inovadora: FORMULÁRIO RELATO DA INICIATIVA INOVADORA 1 Painel de BI (Inteligência nos negócios) para publicação dos dados associados ao controle estadual Responsável pela Iniciativa

Leia mais

Contrata Consultor na modalidade Produto

Contrata Consultor na modalidade Produto Contrata Consultor na modalidade Produto PROJETO 914BRA/1123 FNDE -EDITAL Nº 01/2009 1. Perfil: Consultor ESPECIALISTA EM PLANO DE METAS ANALISTA PROGRAMADOR DELPHI - Código 1 - CGETI. 2. Nº de vagas:

Leia mais

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS

CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS CobiT 4.01 OBJETIVOS DE CONTROLE PARA INFORMAÇÃO E TECNOLOGIAS RELACIONADAS METODOLOGIA DE AUDITORIA PARA AVALIAÇÃO DE CONTROLES E CUMPRIMENTO DE PROCESSOS DE TI NARDON, NASI AUDITORES E CONSULTORES CobiT

Leia mais