LEANDRO ZANCANARO LUIS CARLOS TESSARO JOEL HILLESHEIM LEONARDO VILELA

Save this PDF as:

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "LEANDRO ZANCANARO LUIS CARLOS TESSARO JOEL HILLESHEIM LEONARDO VILELA"

Transcrição

1 Fundação Mato Grosso RELATÓRIIO PARCIIAL Projeto Específico SOJA RCN AGRO LEANDRO ZANCANARO LUIS CARLOS TESSARO JOEL HILLESHEIM LEONARDO VILELA 2003//2004

2 ÍNDICE 1. OBJETIVOS MATERIAL E MÉTODOS LOCAL E CARACTERÍSTICAS DE SOLO DELINEAMENTO EXPERIMENTAL, DESCRIÇÃO DOS TRATAMENTOS E ADUBAÇÃO UTILIZADA VARIEDADE UTILIZADA, DATA DE PLANTIO, COLHEITA E TRATOS CULTURAIS REALIZADOS NO EXPERIMENTO PARÂMETROS AVALIADOS E ANÁLISE ESTATÍSTICA RESULTADOS... 9

3 1. OBJETIVOS O presente trabalho foi desenvolvido, na safra 2003/2004 em parceria entre a Fundação Mato Grosso - PMA e a empresa RCN AGRO COMERCIAL. LTDA. O objetivo do mesmo foi avaliar a eficiência agronômica do fertilizante S TOTAL como fonte de enxofre para a cultura da soja cultivada em solo arenoso de primeiro ano de cultivo. 3

4 2. MATERIAL E MÉTODOS 2.1 LOCAL E CARACTERÍSTICAS DE SOLO O experimento foi conduzido com a cultura da soja, durante a safra 2003/2004, em área de primeiro ano de cultivo, na Fazenda Ana Paula Grupo Polato, município de Itiquira - MT. O experimento foi conduzido em solo de textura arenosa. Os resultados de análises químicas e físicas de solo estão apresentados na Tabela 01. Tabela 01. Resultados de análises químicas e físicas de solo antes da implantação do experimento. Prof. ph P 1 K Ca+Mg Ca Mg Al H Mat. Org. Areia Silte Argila Água CaCl 2 Mg dm -3 cmol c/dm 3 g dm -3 g/kg Cmol c dm ,8 4,2 2,6 33 0,3 0,2 0,1 0,6 2,2 13, ,4 3, ,7 4,1 0,6 12 0,2 0,1 0,1 0,6 1,6 9, ,2 2,4 S. B. (S) CTC Prof. Sat.Bas es (V) Relações Saturação (%) por: Zn Cu Fe Mn S B % Ca/Mg Ca/K Mg/K Ca Mg Al K H mg dm ,1 1,3 1,7 1,4 4,7 3,6 59,8 2,7 70,0 0,3 0, ,5 3,8 0, ,5 1,2 3,2 2,7 4,1 3,4 73,0 1,3 65,0 0,2 0, ,0 4,6 0,18 1 P extraído em solução de HCl 0,05 N e H 2SO 4 0,025N (Mehlich). 2.2 DELINEAMENTO EXPERIMENTAL, DESCRIÇÃO DOS TRATAMENTOS E ADUBAÇÃO UTILIZADA O delineamento experimental utilizado foi de blocos ao acaso com quatro repetições. O tamanho das parcelas era de 202,5 m 2 (8,1 m de largura X 25 m de comprimento). O espaçamento utilizado foi de 0,45 m entre linhas, ou seja, cada parcela era constituída de 18 linhas. Para obtenção dos dados de produtividade, foram colhidas 4 amostras de soja em cada parcela. A média de produtividade das 4 amostras gerou a média de produtividade da parcela. A área de cada amostra colhida foi de 3,6 m 2, ou seja, 2 linhas de soja x 4 m lineares de comprimento. No experimento, foram avaliados os tratamentos, cuja descrição está apresentada na Tabela 02. Devido à necessidade de aplicação de grandes quantidades de nutrientes para o cultivo da soja nas condições experimentais deste trabalho, o total de nutrientes aplicados foi parcelado em pré-plantio incorporado, linha de plantio e cobertura. Na Tabela 03 estão apresentadas as quantidades de nutrientes e fertilizantes aplicados em pré-plantio e incorporados. 4

5 Tabela 02. Tratamentos, dose e modo de aplicação de S e quantidades dos demais nutrientes (kg/ha) aplicados no cultivo do experimento com S TOTAL. Safra 2003/2004. Trat. Fonte de Enxofre Dose S (kg/ha) Modo de aplicação P 2 O 5 K 2 O Mn Zn Cu B... kg/ha... 1 Testemunha 0,0-200,0 150,0 2,5 2,0 0,5 0,5 2 S TOTAL 30,0 Linha 200,0 150,0 2,5 2,0 0,5 0,5 3 S TOTAL 60,0 Linha 200,0 150,0 2,5 2,0 0,5 0,5 4 S TOTAL 60,0 Lanço no plantio 200,0 150,0 2,5 2,0 0,5 0,5 5 S TOTAL 60,0 Pré-plantio incorporado 200,0 150,0 2,5 2,0 0,5 0,5 6 SSP 30,0 Linha 200,0 150,0 2,5 2,0 0,5 0,5 7 SSP 60,0 Linha 200,0 150,0 2,5 2,0 0,5 0,5 8 SSP 60,0 Pré-plantio incorporado 200,0 150,0 2,5 2,0 0,5 0,5 Tabela 03. Tratamentos e quantidades de nutrientes e fertilizantes (kg/ha) aplicados em préplantio e incorporados no experimento com S TOTAL. Safra 2003/2004. Trat. Nutriente Fonte S P2O5 S Total SSP SPT... kg/ha ,0 90,0 0,0 0,0 195,7 2 0,0 90,0 0,0 0,0 195,7 3 0,0 90,0 0,0 0,0 195,7 4 0,0 90,0 0,0 0,0 195,7 5 60,0 90,0 63,2 0,0 195,7 6 0,0 90,0 0,0 0,0 195,7 7 0,0 90,0 0,0 0,0 195,7 8 60,0 90,0 0,0 500,0 0,0 A adubação descrita na Tabela 03 foi realizada em outubro de Nesta operação, foram aplicadas 1,5 t/ha de calcário dolomítico, além das 3,5 t/ha aplicadas em setembro de Após a aplicação do calcário, foi realizada a aplicação dos fertilizantes em pré-plantio. Em seguida o calcário e os fertilizantes foram incorporados com grade 28. A semeadura do milheto foi logo após esta operação, sendo as sementes distribuídas a lanço e incorporadas ao solo com uma passada de grade niveladora. Nas Tabela 04, 05 e 06, estão descritas as quantidades de nutrientes e fertilizantes aplicados na linha de plantio e/ou a lanço imediatamente após o plantio do experimento. 5

6 Tabela 04. Tratamentos e quantidades de nutrientes (kg/ha) aplicados no momento do plantio do experimento com S TOTAL. Safra 2003/2004. Nutriente Trat. S N P2O5 K2O* Mn Zn Cu B... kg/ha ,0 21,2 100,0 30,0 2,5 2,0 0,5 0,5 2 30,0 21,2 100,0 30,0 2,5 2,0 0,5 0,5 3 60,0 21,2 100,0 30,0 2,5 2,0 0,5 0, ,2 100,0 30,0 2,5 2,0 0,5 0,5 5 0,0 21,2 100,0 30,0 2,5 2,0 0,5 0,5 6 30,0 11,6 100,0 30,0 2,5 2,0 0,5 0,5 7 60,0 2,1 100,0 30,0 2,5 2,0 0,5 0,5 8 0,0 21,2 100,0 30,0 2,5 2,0 0,5 0,5 Tabela 05. Tratamentos e quantidades de fertilizantes (kg/ha) aplicados na linha de plantio do experimento com S TOTAL. Safra 2003/2004. Nutriente Trat. S S. MAP KCL Tecnomangan Zincodur Coopergran Produbor TOTAL TOTAL Simples... kg/ha ,0 0,0 192,3 50,0 12,5 8,0 4,8 4,8 272,4 2 31,6 0,0 192,3 50,0 12,5 8,0 4,8 4,8 304,0 3 63,2 0,0 192,3 50,0 12,5 8,0 4,8 4,8 335,6 4 0,0 0,0 192,3 50,0 12,5 8,0 4,8 4,8 272,4 5 0,0 0,0 192,3 50,0 12,5 8,0 4,8 4,8 272,4 6 0,0 250,0 105,8 50,0 12,5 8,0 4,8 4,8 435,9 7 0,0 500,0 19,2 50,0 12,5 8,0 4,8 4,8 599,3 8 0,0 0,0 192,3 50,0 12,5 8,0 4,8 4,8 272,4 Tabela 06. Tratamentos e quantidades de fertilizantes (kg/ha) aplicados a lanço imediatamente após o plantio do experimento com S TOTAL. Safra 2003/2004. Trat. Nutriente S TOTAL GESSO S Elem. Uréia... kg/ha ,0 0,0 0,0 0,1 2 0,0 0,0 0,0 0,1 3 0,0 0,0 0,0 0,1 4 63,2 0,0 0,0 0,1 5 0,0 0,0 0,0 0,1 6 0,0 0,0 0,0 21,3 7 0,0 0,0 0,0 42,4 8 0,0 0,0 0,0 0,1 A adubação com KCl em cobertura foi realizada aos 20 dias após o plantio com a aplicação de 200 kg/ha de KCl, ou seja, 120 kg/ha de K2O. 6

7 2.3 VARIEDADE UTILIZADA, DATA DE PLANTIO, COLHEITA E TRATOS CULTURAIS REALIZADOS NO EXPERIMENTO A variedade utilizada no experimento foi a FMT PERDIZ. O plantio foi realizado no dia 02 de dezembro de 2003 e a colheita no dia 04 de abril de O controle de invasoras de folha larga foi realizado manualmente pela equipe da Fundação MT. O controle de plantas invasoras gramíneas foi realizado com aplicação de herbicidas. Para as o controle de doenças, foram realizadas duas aplicações de fungicidas. Uma no início do florescimento, estádio R1 utilizando fungicida com princípio ativo a base de estrobilurina + triazol e a segunda aplicação, foi realizada no estádio de enchimento de grãos, R5.3, utilizando-se fungicida com principio ativo a base de triazol. 2.4 PARÂMETROS AVALIADOS E ANÁLISE ESTATÍSTICA Neste experimento foram avaliadas a produtividade (sc/ha), teor de S foliar e teor de S no solo após a colheita do experimento. Os dados de teor de S foliar e teor de S no solo ainda não constam neste relatório. Os dados foram analisados estatisticamente pelo programa SAS. A interpretação da resposta à aplicação dos tratamentos foi realizada através da análise de variância e teste de Duncan ao nível de 5 e 10% de probabilidade. 7

8

9 3. RESULTADOS Na Tabela 07, estão apresentados os resultados de produtividade obtidos no experimento. Tabela 07: Resultados de produtividade do experimento avaliando a fonte de enxofre S TOTAL. Fazenda Ana Paul, safra 2003/2004. Trat. Fonte de Dose S Modo de aplicação Produtividade Enxofre (kg/ha)...sc/ha... 1 Testemunha 0,0-45,7 b* 45,7 B** 2 S TOTAL 30,0 Linha 52,3 a 52,3 AB 3 S TOTAL 60,0 Linha 56,6 a 56,6 A 4 S TOTAL 60,0 Lanço no plantio 57,1 a 57,1 A 5 S TOTAL 60,0 Pré-plantio incorporado 58,2 a 58,2 A 6 SSP 30,0 Linha 54,7 a 54,7 A 7 SSP 60,0 Linha 57,2 a 57,2 A 8 SSP 60,0 Pré-plantio incorporado 55,7 a 55,7 A CV% 9,0 Média 54,8 * Médias seguidas de letras iguais não diferem estatisticamente entre si pelo Teste Duncan ao nível de 10% de significância. ** Médias seguidas de letras iguais não diferem estatisticamente entre si pelo Teste Duncan ao nível de 5% de significância. Os resultados obtidos mostram que a soja respondeu significativamente à aplicação de enxofre até a dose de 30 kg/ha. Não houve diferença quanto ao modo de aplicação. 9

10 Tabela 08: Resultados analíticos de enxofre no solo após a colheita do experimento nas profundidades 0-20 e cm e teor de enxofre nas folhas, de acordo com os tratamentos do experimento avaliando a fonte de enxofre S TOTAL. Fazenda Ana Paula, safra 2003/2004. Trat. Fonte de Enxofre Teor de S no Teor de S no Teor de S Dose S Modo de Solo (0-20 cm) Solo (20-40 cm) na Folha aplicação...(kg/ha) mg/dm g/kg... 1 Testemunha 0,0-9,1 cd* 8,1 de* 1,6 c* 2 S TOTAL 30,0 Linha 8,3 de 7,7 de 2,0 b 3 S TOTAL 60,0 Linha 8,5 de 8,1 de 2,1 ab 4 S TOTAL 60,0 Lanço no plantio 9,7 bc 8,9 d 2,1 ab 5 S TOTAL 60, Super fosfato simples Super fosfato simples Super fosfato simples Pré-plantio incorporado 10,9 a 11,8 b 2,1 ab 30,0 Linha 8,0 e 7,6 e 2,0 b 60,0 Linha 7,9 e 8,1 de 1,9 b 60,0 Pré-plantio incorporado 9,4 cd 13,7 a 2,2 a CV% 9,5 9,1 8,0 * Médias seguidas de letras iguais não diferem estatisticamente entre si pelo Teste Duncan ao nível de 10% de significância. Na avaliação do teor de S no solo após a colheita (Tabela 08), observa-se que os maiores teores foram encontrados para as fontes onde o modo de aplicação foi à lanço. Portanto na camada de 0-20 cm as fontes aplicadas na linha de plantio apresentaram os menores valores absolutos de enxofre, sendo diferentes estatisticamente em relação as mesmas fontes, porém aplicadas à lanço no plantio ou em pré-plantio incorporadas. Este resultado ocorre uma vez que as amostragens após o término da condução são realizadas somente nas entrelinhas. O comportamento na camada de cm de profundidade foi bastante semelhante. Na análise de enxofre na folha, a testemunha foi a que apresentou o menor teor médio de S, 1,6 g/kg, correlacionando-se com a produtividade. Nos demais tratamentos apresentaram teor de S semelhante, demonstrando que o teor de 2 g/kg de S no tecido, possibilitou obter produtividades de 52 à 58 sc/ha no experimento. Dentro destas considerações, propõe-se que o experimento seja conduzido por mais tempo para avaliar o efeito residual das fontes em estudo quanto à produtividade e teores de S no solo. 10

11 Considerações Finais Houve resposta em produtividade até a aplicação de 30 kg/ha de S; Não houve diferença estatística entre as fontes de enxofre avaliadas e nem quanto ao modo de aplicação; Os teores de enxofre no solo foram diferentes para as duas profundidades avaliadas, principalmente quando o enxofre foi aplicado à lanço no solo, esta diferença provavelmente é em função de que a amostragem após a colheita do experimento é realizada somente nas entrelinhas; Quanto ao enxofre foliar, apenas a testemunha apresentaram teores abaixo do nível considerado suficiente, os outros tratamentos apresentaram teores na média de 2 g/kg que é considerado suficiente. 11

12 AUTORES DO TRABALHO: Leandro Zancanaro Eng. Agrº MSc., Coordenador do Programa de Monitoramento de Adubação - PMA / Fundação MT Engº. Agrº. Msc., Luis Carlos Tessaro Pesquisador da Fundação MT Engº. Agrº. Joel Hillesheim Pesquisador da Fundação MT Leonardo C. Vilela Pesquisador da Fundação MT/PMA 12

A EXPERIÊNCIA DO AGRICULTOR/ PESQUISADOR NA BUSCA DA ALTA PRODUTIVIDADE

A EXPERIÊNCIA DO AGRICULTOR/ PESQUISADOR NA BUSCA DA ALTA PRODUTIVIDADE A EXPERIÊNCIA DO AGRICULTOR/ PESQUISADOR NA BUSCA DA ALTA PRODUTIVIDADE LEANDRO ZANCANARO Fundação MT, Rondonópolis-MT Fone: (65) 423-2041 E-mail: leandro.pma@fundacaomt.com.br SIMPÓSIO SOBRE ROTAÇÃO SOJA/MILHO

Leia mais

EFEITO DE FONTES E DOSE DE NITROGÊNIO APLICADOS NO MILHO SAFRINHA NA PRODUTIVIDADE DO MILHO SAFRINHA E NA SOJA SUBSEQUENTE 1

EFEITO DE FONTES E DOSE DE NITROGÊNIO APLICADOS NO MILHO SAFRINHA NA PRODUTIVIDADE DO MILHO SAFRINHA E NA SOJA SUBSEQUENTE 1 PARA PESQUISA E DIFUSÃO DE TECNOLOGIAS AGROPECUÁRIAS ESTRADA DA USINA VELHA KM 2 - CAIXA POSTAL 105 TEL/FAX(067)454-2631 MARACAJU/MS - CEP 79150-000 http://www.sidronet.com.br/fundacaoms E-mail: fundacao@sidronet.com.br

Leia mais

Protocolo. Dinâmica do K. Dinâmica do potássio em solo de textura arenosa

Protocolo. Dinâmica do K. Dinâmica do potássio em solo de textura arenosa Protocolo Dinâmica do K Dinâmica do potássio em solo de textura arenosa Set/ 2016 Out/ 2016 Nov/ 2016 Dez/ 2016 Jan/ 2017 Fev/ 2017 Mar/ 2017 Abr/ 2017 Mai/ 2017 Precipitação pluvial (mm) CAD Parecis O

Leia mais

Protocolo. Boro. Cultivo de soja sobre doses de boro em solo de textura média

Protocolo. Boro. Cultivo de soja sobre doses de boro em solo de textura média Protocolo Boro Cultivo de soja sobre doses de boro em solo de textura média Set/ 2016 Out/ 2016 Nov/ 2016 Dez/ 2016 Jan/ 2017 Fev/ 2017 Mar/ 2017 Abr/ 2017 Mai/ 2017 Precipitação pluvial (mm) CAD Parecis

Leia mais

Protocolo. Programas de Nutrição. Performance de programas de nutrição para incremento de produtividade em solo de textura leve

Protocolo. Programas de Nutrição. Performance de programas de nutrição para incremento de produtividade em solo de textura leve Protocolo Programas de Nutrição Performance de programas de nutrição para incremento de produtividade em solo de textura leve Set/ 2016 Out/ 2016 Nov/ 2016 Dez/ 2016 Jan/ 2017 Fev/ 2017 Mar/ 2017 Abr/

Leia mais

BPUFs para milho em Mato Grosso do Sul informações locais. Eng. Agr. M.Sc. Douglas de Castilho Gitti

BPUFs para milho em Mato Grosso do Sul informações locais. Eng. Agr. M.Sc. Douglas de Castilho Gitti BPUFs para milho em Mato Grosso do Sul informações locais Eng. Agr. M.Sc. Douglas de Castilho Gitti 1 PRODUÇÃO (1 t) ÁREA (1 ha) 18. 16. 15.465 14. 12. 1. 8.836 8. 6.629 6. 4. 2. 25 26 27 28 29 21 211

Leia mais

Experimento Correção de P (safra 2010/11 a 2015/16)

Experimento Correção de P (safra 2010/11 a 2015/16) Experimento Correção de P (safra 21/11 a 215/16) Fundação MT PMA Janeiro/217 Protocolo: Correção de P Modos e doses de aplicação de P no sistema soja/milho safrinha em diferentes níveis de correções iniciais

Leia mais

Protocolo Gessagem. Doses de gesso agrícola e seu residual para o sistema de produção soja/milho safrinha

Protocolo Gessagem. Doses de gesso agrícola e seu residual para o sistema de produção soja/milho safrinha Protocolo Gessagem Doses de gesso agrícola e seu residual para o sistema de produção soja/milho safrinha Set/ 2016 Out/ 2016 Nov/ 2016 Dez/ 2016 Jan/ 2017 Fev/ 2017 Mar/ 2017 Abr/ 2017 Mai/ 2017 Precipitação

Leia mais

Balanço de nutrientes em sistemas de produção soja-milho* Equipe Fundação MT Leandro Zancanaro

Balanço de nutrientes em sistemas de produção soja-milho* Equipe Fundação MT Leandro Zancanaro Balanço de nutrientes em sistemas de produção soja-milho* Equipe Fundação MT Leandro Zancanaro Sinop, 17 de agosto de 217 Estratégias de Adubação x Balanço de Nutrientes Fonte: adaptado de Gianello & Wiethölter

Leia mais

Protocolo. Parcelamento do K. Doses e parcelamento daadubação potássica para o cultivo da soja em solo arenoso

Protocolo. Parcelamento do K. Doses e parcelamento daadubação potássica para o cultivo da soja em solo arenoso Protocolo Parcelamento do K Doses e parcelamento daadubação potássica para o cultivo da soja em solo arenoso Set/ 2016 Out/ 2016 Nov/ 2016 Dez/ 2016 Jan/ 2017 Fev/ 2017 Mar/ 2017 Abr/ 2017 Mai/ 2017 Precipitação

Leia mais

Manejo da Fertilidade do Solo para implantação do sistema ILP

Manejo da Fertilidade do Solo para implantação do sistema ILP Manejo da Fertilidade do Solo para implantação do sistema ILP Eng. Agr. Dr. Douglas de Castilho Gitti Pesquisador de Fertilidade do Solo 1 Roteiro 1- Avaliação da Fertilidade do solo; 2- Calagem - Perfil

Leia mais

ATIVIDADES DE INSTALAÇÃO DO GLOBAL MAIZE PROJECT

ATIVIDADES DE INSTALAÇÃO DO GLOBAL MAIZE PROJECT Fundação de Apoio à Pesquisa Agropecuária de Mato Grosso Programa de Monitoramento de Adubação RELATÓRIO PARCIAL IPNI Brasil ATIVIDADES DE INSTALAÇÃO DO GLOBAL MAIZE PROJECT Leandro Zancanaro Eros Artur

Leia mais

Protocolo. Enxofre. Resposta da cultura da sojaa fontes e doses deenxofre

Protocolo. Enxofre. Resposta da cultura da sojaa fontes e doses deenxofre Protocolo Enxofre Resposta da cultura da sojaa fontes e doses deenxofre Set/ 2016 Out/ 2016 Nov/ 2016 Dez/ 2016 Jan/ 2017 Fev/ 2017 Mar/ 2017 Abr/ 2017 Mai/ 2017 Precipitação pluvial (mm) CAD Parecis O

Leia mais

16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE

16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE 16 EFEITO DA APLICAÇÃO DO FERTILIZANTE FARTURE EM RELAÇÃO AO FORMULADO PADRÃO O objetivo deste trabalho foi avaliar o desempenho do fertilizante Farture (00-12-12) em diferentes dosagens em relação ao

Leia mais

Resposta da Cultura do Algodão a Adubação com Zinco, Cobre, Manganês e Boro em Solos com Textura Média e Solos com Textura Arenosa.

Resposta da Cultura do Algodão a Adubação com Zinco, Cobre, Manganês e Boro em Solos com Textura Média e Solos com Textura Arenosa. FUNDAÇÃO MATO GROSSO - PMA Relatório Parcial Resposta da Cultura do Algodão a Adubação com Zinco, Cobre, Manganês e Boro em Solos com Textura Média e Solos com Textura Arenosa. LEANDRO ZANCANARO JOEL HILLESHEIM

Leia mais

RELATÓRIO DE PESQUISA 11 17

RELATÓRIO DE PESQUISA 11 17 AVALIAÇÃO DA RESPOSTA DA LINHA DE FERTILZIANTES FOLIARES BIOSUL NA PRODUTIVIDADE DA SOJA SAFRA 2017 / 2018 OBJETIVO: O manejo da adubação nos solos, é fundamental para alcançar altas produtividades na

Leia mais

Resposta das culturas à adubação potássica:

Resposta das culturas à adubação potássica: Simpósio sobre potássio na agricultura brasileira São Pedro, SP. 22-24 de setembro de 24. Resposta das culturas à adubação potássica: César de Castro Fábio Alvares de Oliveira Cultura da Soja Adilson de

Leia mais

ADUBAÇÃO DO SISTEMA SOJA-MILHO- ALGODÃO

ADUBAÇÃO DO SISTEMA SOJA-MILHO- ALGODÃO 64º SIMPAS Sistemas Integrados de Manejo na Produção Agrícola Sustentável Barra do Garças/MT 5/11/13 ADUBAÇÃO DO SISTEMA SOJA-MILHO- ALGODÃO Dr. Eros Francisco Dr. Valter Casarin Dr. Luís Ignácio Prochnow

Leia mais

18 PRODUTIVIDADE DA SOJA EM FUNÇÃO DA

18 PRODUTIVIDADE DA SOJA EM FUNÇÃO DA 18 PRODUTIVIDADE DA SOJA EM FUNÇÃO DA APLICAÇÃO DE MACRONUTRIENTES EM PÓS- EMERGÊNCIA DA CULTURA O objetivo neste trabalho foi avaliar a aplicação de macronutrientes de diversas fontes e épocas de aplicação

Leia mais

ADUBAÇÃO NPK DO ALGODOEIRO ADENSADO DE SAFRINHA NO CERRADO DE GOIÁS *1 INTRODUÇÃO

ADUBAÇÃO NPK DO ALGODOEIRO ADENSADO DE SAFRINHA NO CERRADO DE GOIÁS *1 INTRODUÇÃO Página 1495 ADUBAÇÃO NPK DO ALGODOEIRO ADENSADO DE SAFRINHA NO CERRADO DE GOIÁS *1 Maria da Conceição Santana Carvalho 1 ; Alexandre Cunha de Barcellos Ferreira 2 ; Ana Luiza Borin 2 1 Embrapa Arroz e

Leia mais

EFEITO DE ADUBAÇÃO NITROGENADA EM MILHO SAFRINHA CULTIVADO EM ESPAÇAMENTO REDUZIDO, EM DOURADOS, MS

EFEITO DE ADUBAÇÃO NITROGENADA EM MILHO SAFRINHA CULTIVADO EM ESPAÇAMENTO REDUZIDO, EM DOURADOS, MS EFEITO DE ADUBAÇÃO NITROGENADA EM MILHO SAFRINHA CULTIVADO EM ESPAÇAMENTO REDUZIDO, EM DOURADOS, MS Carlos Hissao Kurihara (1), Bruno Patrício Tsujigushi (2) Introdução A adubação da cultura do milho safrinha

Leia mais

13 AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS DE NUTRIÇÃO VIA

13 AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS DE NUTRIÇÃO VIA 13 AVALIAÇÃO DE PROGRAMAS DE NUTRIÇÃO VIA FOLIAR APLICADOS NA SOJA EM LUCAS DO RIO VERDE, MT O objetivo neste trabalho foi testar e avaliar o programa de nutrição foliar recomendado pela empresa Helena

Leia mais

FUNDAÇÃO MS PARA PESQUISA E DIFUSÃO DE TECNOLOGIAS AGROPECUÁRIAS

FUNDAÇÃO MS PARA PESQUISA E DIFUSÃO DE TECNOLOGIAS AGROPECUÁRIAS D.L. BROCH FMS, 2004 FUNDAÇÃO MS PARA PESQUISA E DIFUSÃO DE TECNOLOGIAS AGROPECUÁRIAS www.fundacaoms.com.br Fone: (67)454-2631 Eng o Agr o M.Sc.DIRCEU L.BROCH D.L. BROCH FMS, 2004 SISTEMA AGRÍCOLA SUSTENTÁVEL

Leia mais

EFICIÊNCIA AGRONÔMICA E VIABILIDADE TÉCNICA DO PROGRAMA FOLIAR KIMBERLIT EM SOJA

EFICIÊNCIA AGRONÔMICA E VIABILIDADE TÉCNICA DO PROGRAMA FOLIAR KIMBERLIT EM SOJA EFICIÊNCIA AGRONÔMICA E VIABILIDADE TÉCNICA DO PROGRAMA FOLIAR KIMBERLIT EM SOJA BONFADA, Élcio B. 1 ; FIORIN, Jackson E. 2 ; SILVA, Alieze N. da 3 ; WYZYKOWSKI, Tiago 4 Palavras-chave: Nutrição de Plantas.

Leia mais

Adubação de Sistema Integrado

Adubação de Sistema Integrado Adubação de Sistema Integrado Tangará, 22 de novembro de 216 Equipe PMA Leandro Zancanaro Adubação de Sistema e Implicações Práticas dos Sistemas de Produção de Grãos no MT Tangará, 22 de novembro de 216

Leia mais

CALAGEM SUPERFICIAL E INCORPORADA E SUA INFLUÊNCIA NA PRODUTIVIDADE DO MILHO SAFRINHA AO LONGO DE CINCO ANOS

CALAGEM SUPERFICIAL E INCORPORADA E SUA INFLUÊNCIA NA PRODUTIVIDADE DO MILHO SAFRINHA AO LONGO DE CINCO ANOS 13 CALAGEM SUPERFICIAL E INCORPORADA E SUA INFLUÊNCIA NA PRODUTIVIDADE DO MILHO SAFRINHA AO LONGO DE CINCO ANOS Fábio Benedito Ono (1), Claudinei Kappes (1), Leandro Zancanaro (2) e Táimon Diego Semler

Leia mais

17 EFEITO DA APLICAÇÃO DE MICRONUTRIENTES NA

17 EFEITO DA APLICAÇÃO DE MICRONUTRIENTES NA 17 EFEITO DA APLICAÇÃO DE MICRONUTRIENTES NA PRODUTIVIDADE DA SOJA O objetivo deste experimento foi avaliar a resposta do programa nutricional via foliar recomendado pela microquímica na cultura da soja

Leia mais

PP = 788,5 mm. Aplicação em R3 Aplicação em R5.1. Aplicação em Vn

PP = 788,5 mm. Aplicação em R3 Aplicação em R5.1. Aplicação em Vn Fabiano Andrei Bender da Cruz. Pesquisador/Consultor Fundação Bahia, Eng o. Agr o. Dr. CREA 40620232/MG. Aline Fabris. Estagiária, Acadêmica do Curso de Agronomia, convênio FAAHF/Fundação Bahia. Edimilson

Leia mais

MANEJO DE NUTRIENTES EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO MANEJO DE NUTRIENTES EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO. Manejo de nutrientes no algodoeiro nos solos de Mato Grosso

MANEJO DE NUTRIENTES EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO MANEJO DE NUTRIENTES EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO. Manejo de nutrientes no algodoeiro nos solos de Mato Grosso MANEJO DE NUTRIENTES EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO MANEJO DE NUTRIENTES EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO Manejo de nutrientes no algodoeiro nos solos de Mato Grosso Leandro Zancanaro FUNDAÇÃO MT Foz do Iguaçu, 03 de

Leia mais

Eng. Agr. MSc. Leandro Zancanaro Eng. Agr. Dr. Claudinei Kappes FUNDAÇÃO MT

Eng. Agr. MSc. Leandro Zancanaro Eng. Agr. Dr. Claudinei Kappes FUNDAÇÃO MT Eng. Agr. MSc. Leandro Zancanaro Eng. Agr. Dr. Claudinei Kappes FUNDAÇÃO MT Florianópolis, 30 de Julho de 2013 Eng. Agr. MSc. Leandro Zancanaro Eng. Agr. Dr. Claudinei Kappes FUNDAÇÃO MT Florianópolis,

Leia mais

Manejo Químico e Atributos de Fertilidade de Solos Arenosos. Equipe Fundação MT / PMA Leandro Zancanaro

Manejo Químico e Atributos de Fertilidade de Solos Arenosos. Equipe Fundação MT / PMA Leandro Zancanaro Manejo Químico e Atributos de Fertilidade de Solos Arenosos Equipe Fundação MT / PMA Leandro Zancanaro Maringá - PR, 23 de maio de 2017 Manejo Químico e Atributos de Fertilidade de Solos Arenosos Manejo?

Leia mais

Resposta de híbridos de milho ao nitrogênio. Eng. Agr. Dr. Douglas Gitti Pesquisador Manejo e Fertilidade do solo

Resposta de híbridos de milho ao nitrogênio. Eng. Agr. Dr. Douglas Gitti Pesquisador Manejo e Fertilidade do solo Resposta de híbridos de milho ao nitrogênio Eng. Agr. Dr. Douglas Gitti Pesquisador Manejo e Fertilidade do solo Roteiro da Palestra 1. N em cobertura - Resultados Milho 2015 2. Níveis de investimento

Leia mais

Recomendação de correção e adubação para tomate de mesa. Giulia Simioni Lívia Akasaka Patrick Oliveira Samara Barbosa

Recomendação de correção e adubação para tomate de mesa. Giulia Simioni Lívia Akasaka Patrick Oliveira Samara Barbosa Recomendação de correção e adubação para tomate de mesa Giulia Simioni Lívia Akasaka Patrick Oliveira Samara Barbosa 1 Sumário Introdução Produção no Brasil Tipos e grupos Fenologia Distúrbios fisiológicos

Leia mais

11 EFEITO DA APLICAÇÃO DE FONTES DE POTÁSSIO NO

11 EFEITO DA APLICAÇÃO DE FONTES DE POTÁSSIO NO 11 EFEITO DA APLICAÇÃO DE FONTES DE POTÁSSIO NO ESTÁDIO R3 DA SOJA EM LUCAS DO RIO VERDE, MT O objetivo neste trabalho foi avaliar o efeito da aplicação de diferentes fontes de potássio aplicados no estádio

Leia mais

15 AVALIAÇÃO DOS PRODUTOS SEED E CROP+ EM

15 AVALIAÇÃO DOS PRODUTOS SEED E CROP+ EM 15 AVALIAÇÃO DOS PRODUTOS SEED E CROP+ EM ASSOCIAÇÃO COM LOCKER NA CULTURA DA SOJA O objetivo neste trabalho foi avaliar o desempenho dos produtos (Seed e Crop+) e a sua associação com Locker em aplicação

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO SAFRA 2014/15

BOLETIM TÉCNICO SAFRA 2014/15 1 15 EFEITO DA APLICAÇÃO FOSFATADA VIA FOLIAR NA CULTURA DA SOJA Objetivo Avaliar o comportamento da cultura da soja mediante adubação complementar de fósforo via aplicação foliar através do produto Free

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO SAFRA 2014/15

BOLETIM TÉCNICO SAFRA 2014/15 1 10 EFEITO DE DOSES E FONTES DE ENXOFRE NA CULTURA DA SOJA Objetivo Avaliar o efeito de diferentes doses e fontes de enxofre na cultura da soja em Lucas do Rio Verde-MT na Safra 2014/15. BOLETIM TÉCNICO

Leia mais

Manejo de Nutrientes para Sistemas de Produção de Alta Produtividade. Dr. Eros Francisco IPNI Brasil

Manejo de Nutrientes para Sistemas de Produção de Alta Produtividade. Dr. Eros Francisco IPNI Brasil Manejo de Nutrientes para Sistemas de Produção de Alta Produtividade Dr. Eros Francisco IPNI Brasil IPNI missão O International Plant Nutrition Institute (IPNI) é uma organização nova, sem fins lucrativos,

Leia mais

Aincorporação das áreas de cerrado como instrumento

Aincorporação das áreas de cerrado como instrumento SÓCIOS: Instituto da Potassa e do Fosfato (EUA) Instituto da Potassa e do Fosfato (Canadá) Website: www.potafos.org DIRETOR: T. Yamada Eng o Agr o, Doutor em Agronomia INFORMAÇÕES AGRONÔMICAS N 0 98 JUNHO/2002

Leia mais

OBJETIVO SUBSTITUIÇÃO PARCIAL DA ADUBAÇÃO NPKS MINERAL (QUÍMICA) POR ORGÂNICA COM E. GALINHA MAIS PALHA DE CAFÉ

OBJETIVO SUBSTITUIÇÃO PARCIAL DA ADUBAÇÃO NPKS MINERAL (QUÍMICA) POR ORGÂNICA COM E. GALINHA MAIS PALHA DE CAFÉ ADUBAÇÃO ORGÂNICA NA FORMAÇÃO E PRODUÇÃO DO CAFEEIRO EM SOLO CERRADO LATOSSOLO VERMELHO DISTROFERICO COM DOSES CRESCENTES DE ESTERCO DE GALINHA POEDEIRA MAIS PALHA DE CAFÉ ASSOCIADAS Á ADUBAÇÃO MINERAL

Leia mais

431 - AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO EM SISTEMA ORGÂNICO DE PRODUÇÃO

431 - AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO EM SISTEMA ORGÂNICO DE PRODUÇÃO Manejo de Agroecosistemas Sustentaveis Monferrer 431 - AVALIAÇÃO DE VARIEDADES DE MILHO EM DIFERENTES DENSIDADES DE PLANTIO EM SISTEMA ORGÂNICO DE PRODUÇÃO José C. Cruz 1 ; Israel A. Pereira Filho 1 ;

Leia mais

Objetivo. Material e Métodos

Objetivo. Material e Métodos Relattórri io de ttrrabal lho 056/ /03 AVALIAÇÃO DE ENXOFRE EM DIFERENTES FONTES NA SEMEADURA DA SOJA EM LUCAS DO RIO VERDE MT Produtos em Teste: S TOTAL S TOTAL PLUS Responsáveis Técnicos: - Clayton Giani

Leia mais

IRRIGAÇÃO BRANCA NA FORMAÇÃO DO CAFEEIRO

IRRIGAÇÃO BRANCA NA FORMAÇÃO DO CAFEEIRO IRRIGAÇÃO BRANCA NA FORMAÇÃO DO CAFEEIRO A.V. Fagundes Eng o Agr o Mestre Fitotecnia Bolsista do PNP&D/Café. A.W.R. Garcia e J.B. Matiello Eng o Agr o MAPA/PROCAFÉ A utilização de gesso é indicada como

Leia mais

A melhor escolha em qualquer situação

A melhor escolha em qualquer situação Programa+ +MAYS A melhor escolha em qualquer situação yarabrasil.com.br 01 Adubação do Milho Safrinha Introdução A adubação do sistema de produção soja e milho safrinha em áreas que apresentam elevados

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO SAFRA 2014/15

BOLETIM TÉCNICO SAFRA 2014/15 1 12 AVALIAÇÃO DO UBYFOL N-32 NA CULTURA DA SOJA Objetivo Avaliar a eficiência do na cultura da soja em Lucas do Rio Verde MT. BOLETIM TÉCNICO SAFRA 2014/15 Lucas do Rio Verde, MT Agosto, 2015 Autores

Leia mais

AVALIAÇÃO DA CONCENTRAÇÃO DE METAIS PESADOS EM GRÃOS DE SOJA E FEIJÃO CULTIVADOS EM SOLO SUPLEMENTADO COM LODO DE ESGOTO

AVALIAÇÃO DA CONCENTRAÇÃO DE METAIS PESADOS EM GRÃOS DE SOJA E FEIJÃO CULTIVADOS EM SOLO SUPLEMENTADO COM LODO DE ESGOTO AVALIAÇÃO DA CONCENTRAÇÃO DE METAIS PESADOS EM GRÃOS DE SOJA E FEIJÃO CULTIVADOS EM SOLO SUPLEMENTADO COM LODO DE ESGOTO R. F. Vieira 1, D. Perez 2, C. M. M. S. Silva 1 1 Embrapa Meio Ambiente, Caixa Postal

Leia mais

AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DO FERTILIZANTE ORGANOMINERAL VALORIZA. VALORIZA/Fundação Procafé

AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DO FERTILIZANTE ORGANOMINERAL VALORIZA. VALORIZA/Fundação Procafé AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DO FERTILIZANTE ORGANOMINERAL VALORIZA VALORIZA/Fundação Procafé Franca - SP / 2017 1 AVALIAÇÃO DA EFICIÊNCIA DO FERTILIZANTE ORGANOMINERAL VALORIZA NO DESENVOLVIMENTO E DO CAFEEIRO

Leia mais

Adubação dos Sistemas de Produção de Grãos e Fibras

Adubação dos Sistemas de Produção de Grãos e Fibras P R O M O Ç Ã O E R E A L I Z A Ç Ã O O R G A N I Z A Ç Ã O Adubação dos Sistemas de Produção de Grãos e Fibras Eros Francisco IPNI Brasil Diretor Adjunto IPNI missão ü O International Plant Nutrition

Leia mais

Continente asiático maior produtor (80%) Arroz sequeiro perdendo área para milho e soja

Continente asiático maior produtor (80%) Arroz sequeiro perdendo área para milho e soja Alimento de importância mundial Continente asiático maior produtor (80%) Brasil 9º país produtor RS - 70% da produção nacional Arroz sequeiro perdendo área para milho e soja CONAB Nitrogênio é bastante

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO SAFRA 2014/15

BOLETIM TÉCNICO SAFRA 2014/15 1 08 DOSES E MÉTODOS DE APLICAÇÃO DE FÓSFORO NA CULTURA DA SOJA Objetivo Avaliar o efeito de diferentes doses e métodos de aplicação de fósforo na cultura da soja em Lucas do Rio Verde, MT. BOLETIM TÉCNICO

Leia mais

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 1687

8º Congresso Brasileiro de Algodão & I Cotton Expo 2011, São Paulo, SP 2011 Página 1687 Página 1687 RESPOSTA DO ALGODOEIRO À ADUBAÇÃO FOSFATADA COMPARANDO FERTILIZANTE DE LIBERAÇÃO LENTA COM FERTILIZANTE CONVENCIONAL Maria da Conceição Santana Carvalho 1 ; Alexandre Cunha de Barcellos Ferreira

Leia mais

Manejo da Adubação no Algodoeiro no Estado do Mato Grosso 1

Manejo da Adubação no Algodoeiro no Estado do Mato Grosso 1 Manejo da Adubação no Algodoeiro no Estado do Mato Grosso 1 Introdução O conceito de fertilidade do solo vai muito além das análises de solo. A fertilidade do solo une todos os conhecimentos da ciência

Leia mais

Adubação na Cultura de Milho

Adubação na Cultura de Milho Adubação na Cultura de Milho Integrantes: Diego Fiuza Lucas Baroncini Matheus Zampieri Mireille Matos Thiago Faria INTRODUÇÃO Características gerais: Planta C4 Ciclo de 120-150 dias Maturação Milho seco:

Leia mais

AVALIAÇÃO AGRONÔMICA DOS FOSFATOS NATURAIS DE ARAD, DE DAOUI E DE GAFSA EM RELAÇÃO AO SUPERFOSFATO TRIPLO. Resumo

AVALIAÇÃO AGRONÔMICA DOS FOSFATOS NATURAIS DE ARAD, DE DAOUI E DE GAFSA EM RELAÇÃO AO SUPERFOSFATO TRIPLO. Resumo AVALIAÇÃO AGRONÔMICA DOS FOSFATOS NATURAIS DE ARAD, DE DAOUI E DE GAFSA EM RELAÇÃO AO SUPERFOSFATO TRIPLO Peruzzo, G. 1 ; Wiethõlter, S.l Resumo Os fosfatos naturais reativos tornaram-se atrativos no mercado

Leia mais

A Cultura do Algodoeiro

A Cultura do Algodoeiro A Cultura do Algodoeiro Saul Carvalho 10. Calagem Aproximadamente 94% da área cultivada é cerrado É uma das práticas mais importantes na cultura do algodoeiro Altas produtividades estão relacionadas com

Leia mais

ESTRATÉGIAS DE APLICAÇÃO E FONTES DE FERTILIZANTES NA CULTURA DA SOJA 1

ESTRATÉGIAS DE APLICAÇÃO E FONTES DE FERTILIZANTES NA CULTURA DA SOJA 1 ESTRATÉGIAS DE APLICAÇÃO E FONTES DE FERTILIZANTES NA CULTURA DA SOJA 1 FIORIN, Jackson E. 2 ; VOGEL, Pedro Toigo 3 ; SILVA, Alieze N. da 4 ; WYZYKOWSKI, Tiago 5 Palavras chave: Fósforo, Modo de Colocação,

Leia mais

DOSES DE NITROGÊNIO EM COBERTURA NO MILHO SAFRINHA, FONTES E MODOS DE APLICAÇÃO DE FÓSFORO EM SISTEMA DE SUCESSÃO COM SOJA NO ESTADO DO MATO GROSSO

DOSES DE NITROGÊNIO EM COBERTURA NO MILHO SAFRINHA, FONTES E MODOS DE APLICAÇÃO DE FÓSFORO EM SISTEMA DE SUCESSÃO COM SOJA NO ESTADO DO MATO GROSSO 74 DOSES DE NITROGÊNIO EM COBERTURA NO MILHO SAFRINHA, FONTES E MODOS DE APLICAÇÃO DE FÓSFORO EM SISTEMA DE SUCESSÃO COM SOJA NO ESTADO DO MATO GROSSO Aildson Pereira Duarte (1) e Claudinei Kappes (2)

Leia mais

Doses e épocas de aplicação do nitrogênio no milho safrinha.

Doses e épocas de aplicação do nitrogênio no milho safrinha. Doses e épocas de aplicação do nitrogênio no milho safrinha. Douglas de Castilho Gitti (1) ; Andre Faleiros Lourenção (2) ; José Fernando Jurca Grigolli (3) ; Alex Marcel Melotto (4) ; Renato Roscoe (5).

Leia mais

o custo elevado dos fertilizantes fosfatados solúveis em água

o custo elevado dos fertilizantes fosfatados solúveis em água Avaliação da Eficiência Agronômica de Fosfatos Naturais, em Relação ao Superfosfato Triplo, na Cultivar de Cevada BR 2, em 1998 Peruzzo, G.' Introdução o custo elevado dos fertilizantes fosfatados solúveis

Leia mais

ADUBAÇÃO E NUTRIÇÃO DE PLANTAS

ADUBAÇÃO E NUTRIÇÃO DE PLANTAS ADUBAÇÃO E NUTRIÇÃO DE PLANTAS ITHAMAR PRADA DIRETOR DE PESQUISA E DESENVOLVIMENTO ADUBAÇÃO (PLANTA SOLO) X F Nutrientes Efficiência (%) Fator de Compensação N, S, B 50 70 1,5-2 x P. Zn, Mn, Cu 20 30 3-5

Leia mais

Potássio: um urgente problema do manejo nutricional das culturas. Adilson de Oliveira Junior Pesquisador Embrapa Soja

Potássio: um urgente problema do manejo nutricional das culturas. Adilson de Oliveira Junior Pesquisador Embrapa Soja Potássio: um urgente problema do manejo nutricional das culturas Adilson de Oliveira Junior Pesquisador Embrapa Soja K no Solo K na Planta Manejo da Adubação Correção Manutenção Reposição FAST-K Considerações

Leia mais

Adubação Foliar da Cultura do Milho Utilizando Produtos Multinutrientes. Antônio M. Coelho 1/ e Amélio C. Filho 2/

Adubação Foliar da Cultura do Milho Utilizando Produtos Multinutrientes. Antônio M. Coelho 1/ e Amélio C. Filho 2/ Adubação Foliar da Cultura do Milho Utilizando Produtos Multinutrientes Antônio M. Coelho 1/ e Amélio C. Filho 2/ 1/ Pesquisador da Embrapa Milho e Sorgo, Sete Lagoas, MG; CP 151, Email: amcoelho@cnpms.embrapa.br

Leia mais

A cultura da soja. Recomendação de correção e adubação

A cultura da soja. Recomendação de correção e adubação Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz LSO 526 - Adubos e Adubação A cultura da soja Recomendação de correção e adubação Piracicaba, Junho 2017 Eduardo de Castro Mattos

Leia mais

ADUBAÇÃO FOSFATADA NA CULTURA DO MILHO

ADUBAÇÃO FOSFATADA NA CULTURA DO MILHO ADUBAÇÃO FOSFATADA NA CULTURA DO MILHO Antônio M. Coelho Eng. Agr. Ph.D. Vera Maria Carvalho Alves Eng. Agr. Dr. Sete Lagoas - MG Tel.: 3779-1164 E-mail:amcoelho@cnpms.embrapa.br OBJETIVOS FORNECER INFORMAÇÕES

Leia mais

Recomendação de calagem e adubação

Recomendação de calagem e adubação Recomendação de calagem e adubação Na agricultura, a recomendação de calagem e adubação para as culturas é geralmente efetuada com base nas doses de corretivos e fertilizantes que assegurem entre 80% e

Leia mais

OBJETIVOS. Substituição parcial adubação mineral NPKS por orgânica com esterco de curral (Bacia leiteira confinamentos = Disponibiliade)

OBJETIVOS. Substituição parcial adubação mineral NPKS por orgânica com esterco de curral (Bacia leiteira confinamentos = Disponibiliade) ADUBAÇÃO ORGÂNICA NA FORMAÇÃO E PRODUÇÃO DO CAFEEIRO EM SOLO DE CERRADO- LATOSSOLO VERMELHO DISTROFEERICO COM DOSES CRESCENTES DE ESTERCO DE CURRAL CURTIDO, ASSOCIADAS Á ADUBAÇÃO MINERAL REDUZIDA PROPORCIONALMENTE

Leia mais

08 POTENCIAL PRODUTIVO DE CULTIVARES DE SOJA

08 POTENCIAL PRODUTIVO DE CULTIVARES DE SOJA 08 POTENCIAL PRODUTIVO DE CULTIVARES DE SOJA COM TECNOLOGIA INTACTA RR2 PRO EM DUAS ÉPOCAS DE SEMEADURA O objetivo deste trabalho foi avaliar o potencial produtivo de cultivares de soja disponíveis comercialmente

Leia mais

DOSES E FONTES DE NITROGÊNIO EM COBERTURA NO MILHO SAFRINHA

DOSES E FONTES DE NITROGÊNIO EM COBERTURA NO MILHO SAFRINHA 8 DOSES E FONTES DE NITROGÊNIO EM COBERTURA NO MILHO SAFRINHA Douglas de Castilho Gitti (1), André Luis Faleiros Lourenção (1), José Fernando Jurca Grigolli (1), Alex Marcel Melotto (2) e André Ricardo

Leia mais

Adubação do Milho Safrinha

Adubação do Milho Safrinha 01 Adubação do Milho Safrinha Introdução A adubação do sistema de produção soja e milho safrinha em áreas que apresentam elevados teores de nutrientes no solo pode ser realizada considerando a reposição

Leia mais

Eficiência agronômica de inoculante líquido composto de bactérias do gênero AzospirÜ!um

Eficiência agronômica de inoculante líquido composto de bactérias do gênero AzospirÜ!um 208 Embrapa Soja. Documentos, 276 Eficiência agronômica de inoculante líquido composto de bactérias do gênero AzospirÜ!um Lucas de Cássio Marques'; Rubens José Campo 2. UNIFIL; 2 Enibrapa Soja. 1Acadêmico

Leia mais

Recomendação de adubação e correção de solo para cultura da Cana-de-açúcar

Recomendação de adubação e correção de solo para cultura da Cana-de-açúcar Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Departamento de Ciências do Solo LSO 526 Adubos e Adubação Recomendação de adubação e correção de solo para cultura da Cana-de-açúcar

Leia mais

Eficiência Agronômica de Compostos de Aminoácidos Aplicados nas Sementes e em Pulverização Foliar na Cultura do Milho 1. Antônio M.

Eficiência Agronômica de Compostos de Aminoácidos Aplicados nas Sementes e em Pulverização Foliar na Cultura do Milho 1. Antônio M. Eficiência Agronômica de Compostos de Aminoácidos Aplicados nas Sementes e em Pulverização Foliar na Cultura do Milho 1 Antônio M. Coelho 2 1 Parcialmente financiado pela Sul Óxidos Industria e Comércio

Leia mais

AGRISUS - RELATÓRIO MARÇO DE 2012

AGRISUS - RELATÓRIO MARÇO DE 2012 AGRISUS - RELATÓRIO MARÇO DE 2012 PA 463/08 Título: Avaliação da Aplicação de Gesso Agrícola, Magnesita e Calcário na Cultura da Cana-de-Açucar Interessado: Ronaldo Alberto Duenhas Cabrera Tipo: Auxílio

Leia mais

A CULTURA DO MILHO: CORREÇÃO, ADUBAÇÃO E ESTUDO DE CASO

A CULTURA DO MILHO: CORREÇÃO, ADUBAÇÃO E ESTUDO DE CASO Universidade de São Paulo Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz Departamento de Ciência do Solo A CULTURA DO MILHO: CORREÇÃO, ADUBAÇÃO E ESTUDO DE CASO Angelo Spatti Canassa Felippe Hoffmann Silva

Leia mais

Anais do Congresso de Pesquisa, Ensino e Extensão- CONPEEX (2010)

Anais do Congresso de Pesquisa, Ensino e Extensão- CONPEEX (2010) Anais do Congresso de Pesquisa, Ensino e Extensão- CONPEEX (2010) 5771-5775 AVALIAÇÃO DE GENÓTIPOS DE ARROZ IRRIGADO NO USO DE NITROGÊNIO CARVALHO, Glaucilene Duarte 1 ; DE CAMPOS, Alfredo Borges 2 & FAGERIA,

Leia mais

Boas Práticas para Uso Eficiente de Fertilizantes na Cultura do Milho. Aildson Pereira Duarte Instituto Agronômico, Campinas (IAC)

Boas Práticas para Uso Eficiente de Fertilizantes na Cultura do Milho. Aildson Pereira Duarte Instituto Agronômico, Campinas (IAC) Boas Práticas para Uso Eficiente de Fertilizantes na Cultura do Milho Aildson Pereira Duarte Instituto Agronômico, Campinas (IAC) Sucessão Soja e Milho Safrinha em Sistema Plantio Direto Antecipar a semeadura

Leia mais

A EXPERIÊNCIA DA SLC NA BUSCA DA ALTA PRODUTIVIDADE

A EXPERIÊNCIA DA SLC NA BUSCA DA ALTA PRODUTIVIDADE A EXPERIÊNCIA DA SLC NA BUSCA DA ALTA PRODUTIVIDADE AURÉLIO PAVINATO SLC AGRÍCOLA LTDA. - HORIZONTINA-RS E-mail: pavinato@terra.com.br SIMPÓSIO SOBRE ROTAÇÃO SOJA/MILHO NO PLANTIO DIRETO Piracicaba-SP,

Leia mais

Manejo da Adubação de Sistemas voltado para Cultivos anuais

Manejo da Adubação de Sistemas voltado para Cultivos anuais Manejo da Adubação de Sistemas voltado para Cultivos anuais Equipe PMA Leandro Zancanaro Ribeirão Preto, SP, 18 de junho de 2015 Adubação de Sistemas voltado para Cultivos Anuais O que se entende por Sistema?

Leia mais

FERTILIDADE DO SOLO INTERPRETAÇÃO DA ANÁLISE DE SOLO E RECOMENDAÇÃO DA ADUBAÇÃO

FERTILIDADE DO SOLO INTERPRETAÇÃO DA ANÁLISE DE SOLO E RECOMENDAÇÃO DA ADUBAÇÃO FERTILIDADE DO SOLO INTERPRETAÇÃO DA ANÁLISE DE SOLO E RECOMENDAÇÃO DA ADUBAÇÃO Prof. JOSINALDO LOPES ARAUJO INTERPRETAÇÃO DA ANÁLISE DE SOLO Correlação e calibração da análise de solo Correlação: definição

Leia mais

BOLETIM TÉCNICO SAFRA 2014/15

BOLETIM TÉCNICO SAFRA 2014/15 1 09 INFLUÊNCIA DA ÉPOCA DE SEMEADURA NO POTENCIAL PRODUTIVO DA SOJA Objetivo Avaliar a influência de diferentes épocas de semeio na produtividade da cultivar de soja P98Y30 RR em Lucas do Rio Verde-MT

Leia mais

MANEJO DA FERTILIDADE DO SOLO EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO NO CERRADO

MANEJO DA FERTILIDADE DO SOLO EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO NO CERRADO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE RONDONÓPOLIS INSTITUTO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS E TECNOLÓGICAS MANEJO DA FERTILIDADE DO SOLO EM SISTEMAS DE PRODUÇÃO NO CERRADO Edicarlos Damacena

Leia mais

CONSTRUÇÃO DA FERTILIDADE E MANUTENÇÃO DE AMBIENTES DE ELEVADO POTENCIAL PRODUTIVO. Álvaro Resende

CONSTRUÇÃO DA FERTILIDADE E MANUTENÇÃO DE AMBIENTES DE ELEVADO POTENCIAL PRODUTIVO. Álvaro Resende CONSTRUÇÃO DA FERTILIDADE E MANUTENÇÃO DE AMBIENTES DE ELEVADO POTENCIAL PRODUTIVO Álvaro Resende ROTEIRO O solo: alicerce do potencial produtivo Importância da fertilidade no perfil Construindo ambientes

Leia mais

Recomendação de Correção de Solo e Adubação de Feijão Ac. Felipe Augusto Stella Ac. João Vicente Bragança Boschiglia Ac. Luana Machado Simão

Recomendação de Correção de Solo e Adubação de Feijão Ac. Felipe Augusto Stella Ac. João Vicente Bragança Boschiglia Ac. Luana Machado Simão UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DO SOLO LSO526 Adubos e Adubações Recomendação de Correção de Solo e Adubação de Feijão Ac. Felipe Augusto

Leia mais

Resultados da Rede de Validação de Híbridos de Milho Safrinha 2016

Resultados da Rede de Validação de Híbridos de Milho Safrinha 2016 Análise de Solo Resultados da Rede de Validação de Híbridos de Milho Safrinha 2016 Município Dourados / MS Responsável: Dr. André Luis F. Lourenção Pesquisador da Fundação MS Metodologia Local: Unidade

Leia mais

INTENSIFICAÇÃO ECOLÓGICA VISANDO SISTEMAS DE PRODUÇÃO INCLUINDO A CULTURA DO MILHO

INTENSIFICAÇÃO ECOLÓGICA VISANDO SISTEMAS DE PRODUÇÃO INCLUINDO A CULTURA DO MILHO IPNI Brasil Fundação de Apoio à Pesquisa Agropecuária de Mato Grosso RELATÓRIO TÉCNICO FINAL Safra 2014/2015 INTENSIFICAÇÃO ECOLÓGICA VISANDO SISTEMAS DE PRODUÇÃO INCLUINDO A CULTURA DO MILHO Luís Ignácio

Leia mais

Adubar a planta ou o sistema? Dr. Eros Francisco Diretor Adjunto IPNI Brasil

Adubar a planta ou o sistema? Dr. Eros Francisco Diretor Adjunto IPNI Brasil Adubar a planta ou o sistema? Dr. Eros Francisco Diretor Adjunto IPNI Brasil Bonito/MS 13 Agosto, 2014 IPNI O International Plant Nutrition Institute (IPNI) é uma organização nova, sem fins lucrativos,

Leia mais

MODOS E DOSES DE APLICAÇÃO DE FÓSFORO NA CULTURA DA SOJA E DO MILHO SAFRINHA EM DIFERENTES NÍVEIS DE CORREÇÕES INICIAIS DO SOLO

MODOS E DOSES DE APLICAÇÃO DE FÓSFORO NA CULTURA DA SOJA E DO MILHO SAFRINHA EM DIFERENTES NÍVEIS DE CORREÇÕES INICIAIS DO SOLO FUNDAÇÃO DE APOIO À PESQUISA AGROPECUÁRIA DE MATO GROSSO Programa de Monitoramento de Adubação RELATÓRIO TÉCNICO FINAL Safra 2014/2015 MODOS E DOSES DE APLICAÇÃO DE FÓSFORO NA CULTURA DA SOJA E DO MILHO

Leia mais

A Cultura da Cana-de-Açúcar

A Cultura da Cana-de-Açúcar A Cultura da Cana-de-Açúcar Saul Carvalho 11. Adubação Nutrição de plantas Noções gerais Fornecimento de nutrientes essenciais ao desenvolvimento completo das plantas Macronutrientes Primários: N, P, K

Leia mais

CAMPEÃO SUDESTE. Apresentador: MSc. Orlando Martins

CAMPEÃO SUDESTE. Apresentador: MSc. Orlando Martins v CAMPEÃO SUDESTE Apresentador: MSc. Orlando Martins Categoria Não Irrigado Primeira Participação no Desafio de Máxima Produtividade CESB A família Guimarães está a duas gerações na gestão da empresa.

Leia mais

CAMPEÃO SUDESTE. Apresentador: MSc. Orlando Martins

CAMPEÃO SUDESTE. Apresentador: MSc. Orlando Martins v CAMPEÃO SUDESTE Apresentador: MSc. Orlando Martins Categoria Não Irrigado Primeira Participação no Desafio de Máxima Produtividade CESB A família Guimarães está a duas gerações na gestão da empresa.

Leia mais

Resposta de Cultivares de Milho a Variação de Espaçamento Entrelinhas.

Resposta de Cultivares de Milho a Variação de Espaçamento Entrelinhas. XXIX CONGRESSO NACIONAL DE MILHO E SORGO - Águas de Lindóia - 26 a 30 de Agosto de 2012 Resposta de Cultivares de Milho a Variação de Espaçamento Entrelinhas Leonardo Melo Pereira da Rocha 1, Luciano Rodrigues

Leia mais

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 637

IV Congresso Brasileiro de Mamona e I Simpósio Internacional de Oleaginosas Energéticas, João Pessoa, PB 2010 Página 637 Página 637 DOSES E MODOS DE APLICAÇÃO DE NITROGÊNIO E SEUS EFEITOS SOBRE A PRODUÇÃO DO GERGELIM Tancredo Augusto Feitosa de Souza 1 ; Roberto Wagner Cavalcanti Raposo 2 ; Aylson Jackson de Araújo Dantas

Leia mais

Fundação de Apoio e Pesquisa e Desenvolvimento Integrado Rio Verde

Fundação de Apoio e Pesquisa e Desenvolvimento Integrado Rio Verde PARCERIIA FUNDAÇÃO RIIO VERDE - SN CENTRO Lucas do Rio, Outubro de 2007 PLANO DE PARCERIA FUNDAÇÃO RIIO VERDE - SN CENTRO TECNOLOGIAS DE NUTRIÇÃO DE SISTEMAS PRODUTIVOS LINHA DE PESQUISA: Avaliação de

Leia mais

Recomendação de correção e adubação para a cultura do milho

Recomendação de correção e adubação para a cultura do milho UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO ESCOLA SUPERIOR DE AGRICULTURA LUIZ DE QUEIROZ DEPARTAMENTO DE CIÊNCIA DO SOLO LSO 526 ADUBOS E ADUBAÇÃO Recomendação de correção e adubação para a cultura do milho Ac. Francisco

Leia mais

CAMPEÃO NORTE/NORDESTE

CAMPEÃO NORTE/NORDESTE v CAMPEÃO NORTE/NORDESTE Apresentador: Sérgio Abud Biólogo EMBRAPA Fonte: CESB/Produtor Categoria Não Irrigado A família Oliveira iniciou as atividades agrícolas em 1975. Participou de outras edições do

Leia mais

ESPAÇAMENTO ENTRE LINHAS E DENSIDADES DE SEMEADURA DE MILHO EM CONDIÇÕES DE SAFRINHA

ESPAÇAMENTO ENTRE LINHAS E DENSIDADES DE SEMEADURA DE MILHO EM CONDIÇÕES DE SAFRINHA ESPAÇAMENTO ENTRE LINHAS E DENSIDADES DE SEMEADURA DE MILHO EM CONDIÇÕES DE SAFRINHA Miguel Marques Gontijo Neto¹, Álisson Vanin², Alexandre Ferreira da Silva¹, Eduardo de Paula Simão³ Emerson Borghi¹,

Leia mais

Av. Ademar Diógenes, BR 135 Centro Empresarial Arine 2ºAndar Bom Jesus PI Brasil (89)

Av. Ademar Diógenes, BR 135 Centro Empresarial Arine 2ºAndar Bom Jesus PI Brasil (89) Av. Ademar Diógenes, BR 135 Centro Empresarial Arine 2ºAndar Bom Jesus PI Brasil (89) 3562-2274 Efeito do uso dos produtos da linha Celleron no tratamento de semente e na parte aérea, para o aumento do

Leia mais

RECOMENDAÇÃO DE CALAGEM PARA OS ESTADOS DO RS E SC

RECOMENDAÇÃO DE CALAGEM PARA OS ESTADOS DO RS E SC RECOMENDAÇÃO DE CALAGEM PARA OS ESTADOS DO RS E SC Critérios Recomendação de Calagem Recomendação para as culturas - Culturas de Grãos - Forrageiras - Hortaliças - Tubérculos e Raízes - Frutíferas - Essencias

Leia mais

Adubação orgânica do pepineiro e produção de feijão-vagem em resposta ao efeito residual em cultivo subsequente

Adubação orgânica do pepineiro e produção de feijão-vagem em resposta ao efeito residual em cultivo subsequente Seminário de Iniciação Científica e Tecnológica, 9., 2, Belo Horizonte 1 Adubação orgânica do pepineiro e produção de feijão-vagem em resposta ao efeito residual em cultivo subsequente Carlos Henrique

Leia mais

DESEMPENHO AGRONÔMICO DE GIRASSOL EM SAFRINHA DE 2005 NO CERRADO NO PLANALTO CENTRAL

DESEMPENHO AGRONÔMICO DE GIRASSOL EM SAFRINHA DE 2005 NO CERRADO NO PLANALTO CENTRAL DESEMPENHO AGRONÔMICO DE GIRASSOL EM SAFRINHA DE 2005 NO CERRADO NO PLANALTO CENTRAL Fernanda de Sousa Barbosa 1, Renato Fernando Amabile 2, Cláudio Guilherme Portela de Carvalho 3, Vitor Carlos Pereira

Leia mais