Carrinho de Compras Automatizado

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Carrinho de Compras Automatizado"

Transcrição

1 Centro Universitário Positivo - UnicenP Núcleo de Ciências Exatas e Tecnológicas NCET Engenharia da Computação Kielse Nodari Carrinho de Compras Automatizado Curitiba 2004

2 Centro Universitário Positivo - UnicenP Núcleo de Ciências Exatas e Tecnológicas NCET Engenharia da Computação Kielse Nodari Carrinho de Compras Automatizado Monografia apresentada à disciplina de Projeto Final, como requisito parcial à conclusão do Curso de Engenharia da Computação. Orientador: Prof. Laerte Cleto. Curitiba 2004 ii

3 TERMO DE APROVAÇÃO Kielse Nodari Monografia do Projeto Carrinho de Compras Automatizado Monografia aprovada como requisito parcial à conclusão do curso de Engenharia da Computação do Centro Universitário Positivo, pela seguinte banca examinadora: Laerte Cleto (Orientador) Maurício Schafranski José Carlos da Cunha Curitiba, 16 de Novembro de iii

4 AGRADECIMENTOS À minha querida família que me apoiou e cuidou de mim no desenvolvimento deste projeto. Aos meus caros colegas que ajudaram cada um da sua maneira. À PSmi por disponibilizar os equipamentos para estudos e testes. E aos professores da banca pela flexibilidade na apresentação de cada etapa do projeto. iv

5 SUMÁRIO 1. Introdução Introdução ao tema do projeto Motivação do desenvolvimento Situação do Projeto no contexto geral em que está inserido Metas a serem alcançadas Descrição Descrição geral do sistema Módulo Carrinho Módulo Servidor Componentes externos Estudo Teórico Técnicas e aspectos teóricos associadas aos módulos Carrinho TCP/IP Redes Softwares Placa com microcontrolador Servidor Redes DNS DHCP Access Point WEP Carregador de bateria Justificativa das especificações dos módulos escolhidos Carrinho Servidor Access Point Carregador de baterias Especificação do Hardware Funções do Sistema Requisitos de Hardware Componentes mais importantes Diagrama em blocos Ambiente de desenvolvimento...11 v

6 5. Especificação do Software Ambiente de desenvolvimento Linguagens e ferramentas de software Interface com o usuário Funções a serem providas Requisitos de software exigidos Diagrama em blocos do sistema Desenvolvimento de software Cliente / Servidor Módulo do display digital Especificação da validação do projeto Descrição e especificação dos procedimentos de hardware e software para validação Testes e simulações Desenvolvimento do Projeto Cronograma do Projeto Desenvolvimento de Software Carrinho de compras Servidor Banco de Dados Intranet Desenvolvimento de Hardware Carrinho de compra Computador Microcontrolador 8031 com Display digital Bateria Servidor Módulos externos Access Point Carregador de baterias Bibliografia...35 vi

7 LISTA DE FIGURAS Figura 1 Access Point...4 Figura 2 Diagrama do sistema...11 Figura 3 Diagrama do sistema...11 Figura 4 Diagrama em blocos dos softwares...13 Figura 5 Cronograma de atividades...17 Figura 6 Diagrama de atividades do carrinho...18 Figura 7 Diagrama de classes do carrinho...19 Figura 8 Diagrama de atividades do servidor...20 Figura 9 Diagrama de classes do servidor...21 Figura 10 Modelo de Entidade e Relacionamento do Banco de Dados...22 Figura 11 Página inicial do sistema de vendas...24 Figura 12 Página de estoque do sistema de vendas...25 Figura 13 Página com informações dos carrinhos de compras...27 Figura 14 Página com informações das compras...28 Figura 15 Página com informações das compras em andamento...29 Figura 16 Diagrama do módulo do Figura 17 Diagrama do módulo de interface do display...32 Figura 18 Display LCD...32 Figura 19 Pinagem do display LCD...33 Figura 20 Pinagem da ligação da fonte na placa mãe...33 vii

8 LISTA DE SIGLAS AMD Advanced Micro Devices bps bits por segundo C++ Linguagem de programação CI Circuito Integrado DHCP Dynamic Host Configuration Protocol EUA Estados Unidos da América G Giga GCC GNU C-Compiler [Unix] Hz Hertz IP Internet Protocol k Kilo Lan Local Area Network M Mega MAC Media Access Control NCET Núcleo de Ciências Exatas e Tecnológicas PCI Peripheral Component Interconnect PCMCIA Personal Computer Memory Card International Association RFID s Radio Frequency Identification SQL Structure Query Language TCP Transmission Control Protocol UNICENP Centro Universitário Positivo UTP Unshielded twisted pair V Volts WEP Wired Equivalent Privacy viii

9 LISTA DE SÍMBOLOS - Registered ix

10 RESUMO Este projeto trata de um carrinho de compras automatizado que calcula o valor acumulados dos itens de compra que são colocados dentro dele e disponibiliza a informação para o cliente em um display digital. Quando um item é colocado no carrinho, este se comunica com a base de dados da loja, mostra a descrição, o valor do item e o valor acumulado da compra. O carrinho se comunica com o servidor por uma rede wireless i, sem fio. Os itens são lançados automaticamente no sistema de compras. Quando o cliente termina de escolher seus itens ele se dirige ao caixa e paga suas compras. O caixa entra em uma página da intranet onde ele vê a lista de produtos que estão dentro do carrinho e o valor total. x

11 ABSTRACT This project deals with an automated shopping cart that calculates the amount and value of items that were bought and stored inside it. Right after, the cart shows this information in a digital display. When an item is put in the shopping cart, its electronic system communicates with the store s database. Then the description, value of each item and the total value are showed in the display. The shopping cart communicates to the server through wireless network. Data is automatically computed on the purchasing system. When a customer finishes choosing the items he goes to the cashier and pays his purchasing. The cashier goes to an intranet page where he is able to see the list of products that are inside of the cart and the total value. xi

12 1. INTRODUÇÃO 1.1. Introdução ao tema do projeto Praticidade e conforto. Qualidades que as pessoas procuram quando estão desempenhando atividades corriqueiras. Quão prático seria se não houvesse filas em supermercados na hora de efetuar o pagamento das compras? A resposta é óbvia, seria muito bom. As soluções possíveis são várias. Uma delas é aumentar o número de caixas, o que aumenta também os custos. Uma outra solução é utilizar o sistema de Carrinhos de Compras Automatizados (Automated Shopping Cart). Um carrinho de compras automatizado que calcula a quantidade e o valor acumulados dos itens de compra que são colocados dentro dele e disponibiliza a informação para o cliente em um display digital. Quando um item é colocado no carrinho, este se comunica com a base de dados da loja, mostra a descrição, o valor do item e o valor acumulado da compra. O carrinho se comunica com o servidor por uma rede wireless, sem fio. Os itens são lançados automaticamente no sistema de compras. Quando o cliente terminar de escolher seus itens ele se dirige ao caixa e paga suas compras. O caixa entra em uma página da intranet onde ele vê a lista de produtos que estão dentro do carrinho e o valor total Motivação do desenvolvimento Este projeto prioriza a praticidade, agilidade e conforto dos clientes de um supermercado ou ponto comercial semelhante durante a escolha dos produtos e o pagamento da compra. Com este sistema de compras não há a necessidade de vários caixas no supermercado. Apenas um caixa é suficiente para atender todos os clientes. Os demais caixas devem ser recolocados em outras funções. A praticidade ocorre pelo simples motivo de não ser necessário passar todos os produtos do cliente pelo leitor de códigos de barras do caixa. O cliente simplesmente vai ao caixa para efetuar o pagamento das compras que já estão computadas no sistema. 1

13 1.3. Situação do Projeto no contexto geral em que está inserido Um carrinho de compras semelhante existe em alguns supermercados japoneses. O carrinho japonês mostra as informações do produto quando este é passado por um leitor de códigos de barras. Porém, o carrinho japonês se limita apenas a mostrar as informações de cada produto. Existem muitos estudos sobre sistemas de vendas com RFID s ii, Radio Frequency Identification (Identificação por Rádio Freqüência) Metas a serem alcançadas A principal meta é aumentar a praticidade e o conforto das compras para os clientes eliminando as filas nos supermercados, além de mostrar as informações dos produtos e da compra para o cliente durante o processo de escolha. O cliente não precisa calcular os custos das compras, esta e outras informações são mostradas no display digital. Há uma nova tecnologia que foi lançada no mercado há pouco tempo. RFID s, Radio Frequency Identification (Identificação por Rádio Freqüência). Esta tecnologia identifica cada produto como sendo único. A identificação ocorre por meio de um leitor de etiquetas RFID s. Este sistema de identificação está em estudo e já foi solicitado pelas grandes redes de supermercados dos EUA. Em poucos anos a previsão é que cada item de um supermercado seja provido de uma etiqueta RFID. A intenção é utilizar um sistema de etiquetas RFID no carrinho de compras, assim substituindo o leitor de códigos de barras e o sensor eletromagnético. Hoje não há disponível um leitor de etiquetas RFID para estudo e implementação no projeto. Porém, se até o fim do projeto um leitor for adquirido, poderá ser inserido no sistema. A idéia original do projeto previa a utilização de um leitor de etiquetas RFID. Sem o leitor, algumas funcionalidades do sistema não podem ser implementadas com total confiabilidade. 2

14 2. DESCRIÇÃO 2.1. Descrição geral do sistema O projeto consiste em dois grandes módulos: o carrinho e o servidor. Cada módulo sendo inteiramente dependente um do outro no sistema. Alguns componentes externos também são necessários. Todos os detalhes estão descritos logo abaixo: 2.2. Módulo Carrinho O carrinho de compras é um carrinho comum, semelhante a estes encontrados em supermercados. Na parte interior do carrinho é instalada uma bateria de moto de 12 Volts para alimentar o módulo. Ao lado da bateria fica instalado um microcomputador com um microprocessador Pentium iii 200 MHz, um disco rígido Quantum de 4 G bytes, uma placa PCI de cartões PCMCIA Ricoh, um cartão Orinoco Wireless Lan chipset b, um leitor de código de barras Symbal, um módulo microcontrolado com 8031 e um display digital de 16 colunas por 2 linhas. Na bateria serão instalados cabos de alimentação para os demais componentes do carrinho. Será instalada uma placa de circuito para as tensões necessárias ao módulo. Para a tensão de 12 V será utilizado um circuito integrado (CI) 4812, para -12 V o CI 4912, para a tensão de 5 V será utilizado um CI 4805 e para tensão de -5 V um CI No computador está instalado o sistema operacional Linux Debian iv 3.0 r2 com o kernel compilado apenas com os módulos necessários ao conjunto de hardware e comunicação wireless. A rede wireless entre o carrinho e o computador é dinâmica. O computador recebe um endereço IP do servidor DHCP. Foi desenvolvido um software em linguagem C++, padrão Unix, para a comunicação entre o carrinho e o servidor utilizando socket v. O software, assim que entra em execução, tenta se conectar ao servidor pelo hostname e porta via TCP/IP. Estabelecida a conexão, o carrinho entra em estado disponível, e fica aguardando uma leitura de códigos de barra. Se o produto for passado no leitor de código de barras, o código do produto detectado é enviado para o servidor que responde com as informações do produto e da compra deste carrinho. Pela porta serial estas informações são mostradas no display digital ligado a uma placa com um microcontrolador 8031 e outros componentes. 3

15 2.3. Módulo Servidor O servidor é um microcomputador com um microprocessador AMD Duron vi 1,3 GHz, um disco rígido Seagate de 40 GB e uma placa de rede RealTek /100 Mbps. No computador está instalado o sistema operacional Linux Debian 3.0 r2 com o kernel compilado apenas com os módulos necessários ao conjunto de hardware e comunicação de rede incluindo firewall. O servidor distribui IP s por um serviço de DHCP para os carrinhos. Apenas os endereços MAC dos cartões instalados nos carrinhos terão acesso à rede wireless para evitar que outros computadores entrem na rede. Está instalado um serviço de banco de dados POSTGRES vii para armazenar as informações pertinentes ao sistema de vendas. Foi desenvolvido um software em linguagem C++, padrão Unix, para a comunicação entre o servidor e o carrinho utilizando socket. O software, assim que entra em execução, fica ouvindo a rede por TCP/IP esperando os carrinhos se conectarem. Um carrinho envia um código de produto para o servidor, o servidor procura pela compra atual neste carrinho, se a compra ainda não foi iniciada, o servidor a inicia com o produto que foi passado. O servidor envia para o carrinho a descrição, o valor do produto e o valor da compra Componentes externos Este módulo consiste de dois componentes essenciais ao sistema como um todo. O Accesss point e o carregador de baterias. O access point utilizado é o D- Link viii Wireless 2.4 GHz (802.11b) Access Point DWL-700AP que pode ser visto na figura abaixo: Figura 1 Access Point E o carregador que pode ser utilizado é um mini-carregador de baterias Nevada modelo 11. O Access point, é conectado ao servidor via cabo UTP (Unshielded Twisted Pair) e é configurado para conectar apenas os cartões wireless PCMCIA conhecidos. Em uma loja ou supermercado, vários Access point`s devem ser 4

16 instalados para cobrir toda a área que os carrinhos podem percorrer. Evitando áreas de sombra. 5

17 3. ESTUDO TEÓRICO 3.1. Técnicas e aspectos teóricos associadas aos módulos Carrinho TCP/IP Para que os computadores de uma rede possam trocar informações é necessário que todos adotem as mesmas regras para o envio e o recebimento de informações. Este conjunto de regras é conhecido como Protocolo de comunicação. Falando de outra maneira podemos afirmar: "Para que os computadores de uma rede possam trocar informações entre si é necessário que todos estejam utilizando o mesmo protocolo". No protocolo de comunicação estão definidas todas as regras necessárias para que o computador de destino, "entenda" as informações no formato que foram enviadas pelo computador de origem. Dois computadores com protocolos diferentes instalados, não serão capazes de estabelecer uma comunicação e trocar informações Redes O carrinho será conectado á uma rede wireless por meio de uma interface de rede chamada de eth0. A configuração de rede escolhida obtém um endereço IP dinamicamente através do arquivo /etc/network/interfaces que é mostrado abaixo: auto eth0 iface eth0 inet dhcp Softwares Alguns pacotes de software são essenciais para o funcionamento da rede no carrinho. Estes pacotes, assim como uma breve descrição, são mostrados abaixo: - pcmcia-cs: configura interfaces PCMCIA - wireless-tools: configura interfaces de redes wireless - hotplug: detecta cartões PCMCIA instalados Placa com microcontrolador 8031 Foi montada uma placa com um microcontrolador 8031, componentes básicos de funcionamento e um display digital. Esta placa é ligada por um cabo, que foi devidamente confeccionado, na porta serial do computador. Foi desenvolvido um software em assembly para receber os dados enviados pela porta serial e mostrá-los no display digital. Leitor de códigos de barras 6

18 O leitor de códigos de barras utilizado é um leitor SYMBOL 61390T, devidamente configurado para ler o código de barras e enviar o caracter correspondente a quebra de linha no final (enter) Servidor Redes O servidor será conectado a uma rede de Access Point s pela interface eth0. A configuração de rede escolhida distribui endereços IP dinamicamente para os Access Point s através do arquivo /etc/network/interfaces que é mostrado abaixo: iface eth0 inet static address network broadcast netmask gateway DNS DNS é a abreviatura de Domain Name System. O DNS é um serviço de resolução de nomes. Toda comunicação entre os computadores e demais equipamentos de uma rede baseada no protocolo TCP/IP é feita através do número IP. Número IP do computador de origem e número IP do computador de destino. Porém não seria nada produtivo se os usuários tivessem que decorar, ou mais realisticamente, consultar uma tabela de números IP toda vez que tivessem que acessar um recurso da rede. Resolver um nome significa descobrir e retornar o número IP associado com o nome DHCP O DHCP é a abreviatura de Dynamic Host Configuration Protocol é um serviço utilizado para automatizar as configurações do protocolo TCP/IP nos dispositivos de rede (computadores, impressoras, hubs, switchs, ou seja, qualquer dispositivo conectado à rede e que esteja utilizando o protocolo TCP/IP). Sem o uso do DHCP, o administrador e sua equipe teriam que configurar, manualmente, as propriedades do protocolo TCP/IP em cada dispositivo de rede (genericamente denominados hosts). Com o uso do DHCP esta tarefa pode ser completamente automatizada O serviço de DHCP disponibilizado para os Access Point s localizado no arquivo /etc/dhcp.conf é mostrado abaixo: subnet netmask { 7

19 } range ; default-lease-time ; max-lease-time ; option subnet-mask ; option broadcast-address ; option routers ; option domain-name "asc.intranet"; option domain-name-servers ; option ip-forwarding off; option netbios-name-servers ; option netbios-dd-server ; option netbios-node-type 8; Access Point Os Access Point s são configurados com algoritmos de segurança WEP ix (Wired Equivalent Privacy) definido nos padrões de rede Este algoritmo se baseia numa chave secreta k compartilhada entre os pontos de conexão para proteger os pacotes enviados pela rede. Estudos de casos comprovam que o protocolo WEP contém algumas falhas de segurança. Estas falhas podem ser contornadas utilizando o método de permissão pelo endereço MAC. O que não é definido nos padrões mas permite a confiabilidade e segurança da rede WEP A função do WEP é criptografar os pacotes sem fio para que os invasores não possam lê-los facilmente. O WEP b oferece duas formas de criptografia: 40 bits e 128 bits (802.11a e g incluem uma terceira variante, 152 bits). No entanto, devido à lentidão por parte de alguns fabricantes de hardware sem fio, o WEP nem sempre é ativado por padrão, e alguns fabricantes (notavelmente a Apple) não oferecem suporte total à versão mais segura de 128 bits do WEP. Quando o WEP está ativo, falhas na definição do WEP significam que um invasor com conhecimento médio é capaz de violar a criptografia e ler ou forjar o tráfego. Várias ferramentas gratuitas amplamente distribuídas analisam e analisam o tráfego da WLAN para recuperar a chave WEP; como o requer alterações manuais no segredo compartilhado WEP, significa que você tem que alterar sua senha freqüentemente ou viver com o risco de que alguém vai recuperá-la Carregador de bateria O carregador de baterias é alimentado numa tensão de 110 a 220 Volts e carrega baterias de 6 a 12 Volts. As baterias de moto funcionam a 12 Volts. 8

20 3.2. Justificativa das especificações dos módulos escolhidos Carrinho O computador foi escolhido por estar disponível e suprir todas as necessidades do projeto. A placa PCMCIA e o cartão wireless foram escolhidos pelo fácil acesso aos mesmos dentro da empresa Psmi, onde trabalho o projetista Servidor Como no caso do computador do carrinho, no servidor foi escolhido um computador disponível que supre todas as necessidades Access Point O Access Point utilizado é o mesmo que o projetista trabalha na empresa Psmi Carregador de baterias Foi escolhido através de um estudo de custo/ benefício, sendo o mais barato no mercado e suprindo a necessidade de recarregar uma bateria rapidamente. No caso de um supermercado, onde vários carrinhos teriam de ser recarregados, há a necessidade de adquirir um carregador de grande escala. 9

21 4. ESPECIFICAÇÃO DO HARDWARE 4.1. Funções do Sistema O servidor disponibiliza as informações necessárias aos carrinhos e faz a venda dos produtos. Para tanto, está conectado a vários Access Point s que estarão fazendo uma rede wireless na área onde os carrinhos de compras transitam. O carrinho mostrará as informações de compra em um display digital para o cliente. Através da mesma rede wireless ele obterá as informações do servidor. Para tanto, é necessário um leitor de códigos de barras para enviar o código numérico ao servidor Requisitos de Hardware Os Access Point s devem trabalhar numa freqüência mínima de 2.4GHz, freqüência normal de operação. Com esta freqüência obtém-se uma velocidade de 11Mbps na rede wireless. Velocidade suficiente para o bom funcionamento do sistema. Esta taxa de transmissão pode ser analisada direto dos carrinhos pelo arquivo /proc/net/wireless pelo comando abaixo: watch tail /proc/net/wireless 4.3. Componentes mais importantes Tanto o Access Point quanto o cartão de rede wireless são vitais para o desenvolvimento do projeto. Não há como implementar tal estrutura com cabos. Foram escolhidos os modelos citados por serem de baixo custo e por estarem ao alcance do projetista sem haver a necessidade de aquisição. Os computadores utilizados suprem todas as necessidades, tendo em vista que o fator determinante de desempenho é a rede, não havendo muito processamento do lado do carrinho (cliente) e do servidor. Os computadores pertencem ao projetista Diagrama em blocos sistema. Os diagramas em blocos representam os módulos e toda funcionalidade do 10

22 No carrinho de compras está instalado um leitor de códigos de barras, um sensor eletromagnético, uma bateria de moto, um display digital e um microcomputador. Como podemos ver no diagrama abaixo: Figura 2 Diagrama do sistema O diagrama abaixo representa o sistema como um todo: Supermercado Rede ethernet (TCP) servidor Rede wireless carrinho Figura 3 Diagrama do sistema 4.5. Ambiente de desenvolvimento Todos os módulos serão desenvolvidos na casa do projetista, na empresa PSmi onde trabalha e nos laboratórios do UnicenP. 11

23 5. ESPECIFICAÇÃO DO SOFTWARE 5.1. Ambiente de desenvolvimento Os softwares foram desenvolvidos na casa do projetista, nos horários de folga no trabalho e na faculdade Linguagens e ferramentas de software A linguagem utilizada é C++ padrão Unix. Os programas serão redigidos utilizando o editor de textos VI, por ser de familiaridade do projetista. Serão utilizadas as bibliotecas de comunicação de rede SOCKET e as bibliotecas de manipulação de bancos de dados POSTGRES. Será utilizada a última versão estável do GCC (3.3.3) para compilar os programas. Para o módulo do display digital será utilizado o Riegel para programar em assembly Interface com o usuário No carrinho de compras a interface se dará pelo leitor de códigos de barras. No servidor será possível visualizar as compras utilizando o teclado para entrar com os comandos do sistema. Os resultados serão mostrados no monitor ligado ao servidor Funções a serem providas Toda comunicação entre os clientes e o servidor foi implementada. Isto, sendo utilizado um protocolo a ser criado. Protocolo este que define todas as atividades do servidor em comunicação com o carrinho e vice-versa Requisitos de software exigidos Não há necessidade de grande processamento no sistema. Portanto, não é necessário equipamento muito rápido em nenhum dos módulos. Sendo que os escolhidos suprem as necessidades de comunicação e interface. 12

24 5.6. Diagrama em blocos do sistema O sistema está dividido em dois programas. O software cliente e o software servidor. Ambos são representados abaixo: Servidor Controlador Carrinho Controlador Acesso a dados Interface Negócios Negócios Interface database socket Figura 4 Diagrama em blocos dos softwares 5.7. Desenvolvimento de software Cliente / Servidor No desenvolvimento do software cliente / servidor são utilizadas as bibliotecas padrão de socket para comunicação entre os clientes e o servidor. Abaixo segue a relação de arquivos do projeto: ClientSocket.cpp Makefile ServerSocket.o Socket.o simple_client_main.cpp simple_server_main.cpp ClientSocket.h ServerSocket.cpp Socket.cpp SocketException.h server.sh simple_client_main.o simple_server_main.o 13

25 ClientSocket.o ServerSocket.h Socket.h client.sh simple_client simple_server Abaixo segue parte da função que envia do cliente a informação do código do produto que acabou de passar pelo código de barras:... std::string strcom; try { std::cin >> strcom; client_socket << strcom; client_socket >> reply; } catch ( SocketException& ) {}... Abaixo segue parte da função que recebe o código do cliente, conecta-se ao banco de dados e envia a informação ao cliente:... try { while ( true ) { std::string data; new_sock >> data; sql_str = "SELECT * FROM produtos where codproduto ='"; cstring: strcat (sql_str, data.c_str()); cstring: strcat (sql_str, "'"); result = PQexec(conn, sql_str); memset(&print_options, '\0', sizeof(print_options)); print_options.header = 1; print_options.align = 1; print_options.html3 = 0; print_options.fieldsep = " "; print_options.fieldname = NULL; 14

26 PQprint(output_stream, result, &print_options); new_sock << output_stream; std::cout << data << "\n"; } } catch ( SocketException& ) {} Módulo do display digital Para mostrar as informações no display digital é utilizado um programa em assembly para o módulo do microcontrolador Abaixo segue parte do código em assembly que mostra os caracteres enviados pela saída serial do computador no display digital:... MOV R4,#'P' ;escreve letra "P" ACALL LCDHR LCDHR: MOV DPTR,#08002h ;24 pulsos de clock //habilita barramento de dados BUSY_CHR: ;para leitura do display MOVX ;24 pulsos de clock JB ACC.7, BUSY_CHR ;24 pulsos de clock //passa para a proxima execucao ;quando o busy flag estiver em 0 MOV DPTR,#08001h ;24 pulsos de clock //habilita barramento de dados MOV A, R4 ;12 pulsos de clock ;para escrita de dados no display A ;24 pulsos de clock //escreve conteudo de R2 no lcd RET 15

27 6. ESPECIFICAÇÃO DA VALIDAÇÃO DO PROJETO 6.1. Descrição e especificação dos procedimentos de hardware e software para validação Para validar o carrinho é utilizado um agrupamento de produtos diversos, os quais conterão cada um o seu próprio código de barras. Os códigos numéricos destes produtos serão cadastrados no banco de dados do servidor. Quando um produto for passado pelo leitor de códigos de barra, devidamente posicionado, o carrinho será 100 % validado se enviar o código numérico correto para o servidor e ao receber as informações, mostrá-las no display digital. Para validar o servidor, assim como o carrinho, será utilizada a base de dados. O servidor será 100 % validado se ao receber um código numérico do carrinho, enviar as informações do produto e da compra ao carrinho Testes e simulações Os testes serão realizados em uma área aberta semelhante a um supermercado. Com todos os módulos em funcionamento, será feita a simulação de uma compra de vários produtos e espera-se obter todas as informações da compra no display digital no carrinho. 16

28 7. DESENVOLVIMENTO DO PROJETO 7.1. Cronograma do Projeto O projeto foi desenvolvido com base no cronograma de atividades abaixo: Figura 5 Cronograma de atividades 7.2. Desenvolvimento de Software Carrinho de compras O módulo do carrinho de compras é gerenciado por um software que se comunica com o módulo servidor. O software cliente também é responsável por detectar quando um produto é colocado no carrinho. E disponibiliza as informações do produto e da compra no display digital. 17

29 Abaixo segue o diagrama em blocos do software do módulo carrinho. Figura 6 Diagrama de atividades do carrinho 18

30 O software foi desenvolvido a partir do diagrama de classes abaixo. Figura 7 Diagrama de classes do carrinho Servidor O módulo do servidor é gerenciado por um software que se comunica com todos os carrinhos. O software servidor disponibiliza as informações dos produtos e das compra de cada carrinho. Essas informações são obtidas diretamente do banco de dados. 19

31 Abaixo segue o diagrama em blocos do software do módulo servidor. Figura 8 Diagrama de atividades do servidor 20

32 O software foi desenvolvido a partir do diagrama de classes abaixo. Figura 9 Diagrama de classes do servidor 21

33 Banco de Dados Foi instalado um serviço de bancos de dados POSTGRESQL para administração dos dados do sistema de compras. Neste banco de dados foi criado o banco de dados carrinho. Abaixo segue o modelo de entidade e relacionamento do banco: Figura 10 Modelo de Entidade e Relacionamento do Banco de Dados abaixo: Os comandos de SQL () utilizados para criação das tabelas podem ser vistos -- Name: produto Type: TABLE Owner: postgres -- CREATE TABLE "produto" ( "codproduto" character varying(256), "dsproduto" character varying(256), "valor" double precision, "estoque" double precision ); -- Name: carrinho Type: TABLE Owner: postgres -- CREATE TABLE "carrinho" ( "mac" character varying(256), "codcarrinho" integer, "status" integer, "ip" character varying(15) ); -- Name: compras_codcompra_seq Type: SEQUENCE Owner: postgres -- CREATE SEQUENCE "compras_codcompra_seq" start 1 increment 1 maxvalue minvalue 1 cache 1; 22

Linux Network Servers

Linux Network Servers DHCP Podemos configurar a rede de um cliente para obter IP dinamicamente ou configurar um IP estático. Encontramos configuração dinâmica em modems de banda larga, redes Wi-Fi etc, pois é mais prático para

Leia mais

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial

INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial INSTALAÇÃO PRINTERTUX Tutorial 2 1. O Sistema PrinterTux O Printertux é um sistema para gerenciamento e controle de impressões. O Produto consiste em uma interface web onde o administrador efetua o cadastro

Leia mais

Configurações do adaptador W-U3300nL

Configurações do adaptador W-U3300nL Configurações do adaptador W-U3300nL Introdução Obrigado por adquirir o adaptador para rede sem fio C3 Tech. Apresentando o que há de melhor em Tecnologia Wireless, o Adaptador para Rede Sem Fio C3 Tech

Leia mais

O que é uma rede de computadores?

O que é uma rede de computadores? O que é uma rede de computadores? A rede é a conexão de duas ou mais máquinas com objetivo de compartilhar recursos entre elas. Os recursos compartilhados podem ser: Compartilhamento de conteúdos do disco

Leia mais

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross

Redes. Pablo Rodriguez de Almeida Gross Redes Pablo Rodriguez de Almeida Gross Conceitos A seguir serão vistos conceitos básicos relacionados a redes de computadores. O que é uma rede? Uma rede é um conjunto de computadores interligados permitindo

Leia mais

DHCP. Definindo DHCP: Fundamentação teórica do DHCP. Esquema visual

DHCP. Definindo DHCP: Fundamentação teórica do DHCP. Esquema visual Definindo DHCP: DHCP O DHCP é a abreviatura de Dynamic Host Configuration Protocol é um serviço utilizado para automatizar as configurações do protocolo TCP/IP nos dispositivos de rede (computadores, impressoras,

Leia mais

TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO, responsável pela confiabilidade da entrega da informação.

TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO, responsável pela confiabilidade da entrega da informação. Protocolo TCP/IP PROTOCOLO é um padrão que especifica o formato de dados e as regras a serem seguidas para uma comunicação a língua comum a ser utilizada na comunicação. TCP é um protocolo de TRANSMISSÃO,

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede

Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede Professor: Macêdo Firmino Disciplina: Sistemas Operacionais de Rede Uma Rede de Computadores consistem em dois ou mais dispositivos, tais como computadores, impressoras e equipamentos relacionados, os

Leia mais

Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O

Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O Guia de Conectividade Worldspan Go Res! A V A N Ç A D O Í n d i c e Considerações Iniciais...2 Rede TCP/IP...3 Produtos para conectividade...5 Diagnosticando problemas na Rede...8 Firewall...10 Proxy...12

Leia mais

Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto

Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto Sistema Operacional Unidade 12 Comandos de Rede e Acesso Remoto Curso Técnico em Informática SUMÁRIO INTRODUÇÃO... 3 Protocolo de rede... 3 Protocolo TCP/IP... 3 Máscara de sub-rede... 3 Hostname... 3

Leia mais

MOR600 - Guia de Instalação Rapida

MOR600 - Guia de Instalação Rapida MOR600 - Guia de Instalação Rapida 1. Conteúdo O Roteador portatil MOR600 deve conter os itens relacionados abaixo. Caso se verifique alguma falta, favor contatar a revenda que lhe forneceu oproduto. Roteador

Leia mais

UM PBX GENUINAMENTE BRASILEIRO

UM PBX GENUINAMENTE BRASILEIRO UM PBX GENUINAMENTE BRASILEIRO MANUAL DE INSTALAÇÃO COM IMAGEM ISO Revisão: Seg, 21 de Março de 2011 www.sneplivre.com.br Índice 1. Instalação...4 1.1. Pré Requisitos...4 1.2. Na Prática...4 1.2.1. Download...4

Leia mais

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS. Professor Carlos Muniz

SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS. Professor Carlos Muniz SISTEMAS OPERACIONAIS LIVRES GERENCIAMENTO DE SERVIÇOS NO WINDOWS Se todos os computadores da sua rede doméstica estiverem executando o Windows 7, crie um grupo doméstico Definitivamente, a forma mais

Leia mais

CPU Fundamentos de Arquitetura de Computadores. Prof. Pedro Neto

CPU Fundamentos de Arquitetura de Computadores. Prof. Pedro Neto Fundamentos de Arquitetura de Computadores Prof. Pedro Neto Aracaju Sergipe - 2011 Conteúdo 4. i. Introdução ii. O Trabalho de um Processador iii. Barramentos iv. Clock Interno e Externo v. Bits do Processador

Leia mais

FACSENAC. Versão:1.5. Identificador do documento: Projeto Lógico de Redes. Versão do Template Utilizada na Confecção: 1.0. Histórico de revisões

FACSENAC. Versão:1.5. Identificador do documento: Projeto Lógico de Redes. Versão do Template Utilizada na Confecção: 1.0. Histórico de revisões FACSENAC ECOFROTA Documento de Projeto Lógico de Rede Versão:1.5 Data: 21/11/2013 Identificador do documento: Projeto Lógico de Redes Versão do Template Utilizada na Confecção: 1.0 Localização: FacSenac

Leia mais

Manual ETHERNET - WIRELESS. Configuração de redes - wireless. Produzido por: Sergio Graças Giany Abreu Desenvolvedores do Projeto GNU/Linux VRlivre

Manual ETHERNET - WIRELESS. Configuração de redes - wireless. Produzido por: Sergio Graças Giany Abreu Desenvolvedores do Projeto GNU/Linux VRlivre Manual Configuração de Rede ETHERNET - WIRELESS Configuração de redes - wireless Produzido por: Sergio Graças Giany Abreu Desenvolvedores do Projeto GNU/Linux VRlivre Manual Configuração de Rede ETHERNET

Leia mais

Manual Operacional Verificador de Preço VP240 / VP630 VP240W / VP630W

Manual Operacional Verificador de Preço VP240 / VP630 VP240W / VP630W Manual Operacional Verificador de Preço VP240 / VP630 VP240W / VP630W APRESENTAÇÃO Verificador de Preço da Tanca é o melhor equipamento para consulta do preço de produtos através dos códigos de barras.

Leia mais

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO

PARANÁ GOVERNO DO ESTADO PROTOCOLOS DA INTERNET FAMÍLIA TCP/IP INTRODUÇÃO É muito comum confundir o TCP/IP como um único protocolo, uma vez que, TCP e IP são dois protocolos distintos, ao mesmo tempo que, também os mais importantes

Leia mais

Configurando um servidor DHCP

Configurando um servidor DHCP Configurando um servidor DHCP OBS.: Esse documento retrata uma configuração em uma rede do tipo rede local (192.168.xx.xx), onde existe um servidor contendo duas interfaces de rede, eth0 e eth1. Hoje em

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1

MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1 MANUAL DE INSTALAÇÃO E PROGRAMAÇÃO CONVERSOR - IP / USB / SERIAL - 317 RV1 SÃO CAETANO DO SUL 06/06/2014 SUMÁRIO Descrição do Produto... 3 Características... 3 Configuração USB... 4 Configuração... 5 Página

Leia mais

Capítulo 8 Introdução a redes

Capítulo 8 Introdução a redes Linux Essentials 450 Slide - 1 Capítulo 8 Quando falamos de redes de computadores, estamos falando de muitos hosts interconectados por alguns aparelhos especiais chamados roteadores. Vamos aprender um

Leia mais

O que se tem, na prática, é a utilização do protocolo TCP/IP na esmagadora maioria das redes. Sendo a sua adoção cada vez maior.

O que se tem, na prática, é a utilização do protocolo TCP/IP na esmagadora maioria das redes. Sendo a sua adoção cada vez maior. Introdução ao TCP/IP(TCP (Transmission Control Protocol) e IP(InternetProtocol) ) Objetivo Para que os computadores de uma rede possam trocar informações entre si é necessário que todos os computadores

Leia mais

Manual de Instalação de Telecentros Comunitários. Ministério das Comunicações

Manual de Instalação de Telecentros Comunitários. Ministério das Comunicações Manual de Instalação de Telecentros Comunitários Ministério das Comunicações As informações contidas no presente documento foram elaboradas pela International Syst. Qualquer dúvida a respeito de seu uso

Leia mais

Com o DPR-1260 podem ser utilizadas até 4 impressoras USB. Segue um exemplo de topologia a que o equipamento atende:

Com o DPR-1260 podem ser utilizadas até 4 impressoras USB. Segue um exemplo de topologia a que o equipamento atende: Com o DPR-1260 podem ser utilizadas até 4 impressoras USB. Segue um exemplo de topologia a que o equipamento atende: 1 1- Para configurar o DPR-1260 conecte um cabo de rede na porta LAN do DPR-1260 até

Leia mais

Conceitos sobre TCP/IP. Endereços IP (Internet Protocol) Introdução

Conceitos sobre TCP/IP. Endereços IP (Internet Protocol) Introdução Conceitos sobre TCP/IP Endereços IP (Internet Protocol) Introdução O uso de computadores em rede e, claro, a internet, requer que cada máquina tenha um identificador que a diferencie das demais. Para isso,

Leia mais

1. CAPÍTULO COMPUTADORES

1. CAPÍTULO COMPUTADORES 1. CAPÍTULO COMPUTADORES 1.1. Computadores Denomina-se computador uma máquina capaz de executar variados tipos de tratamento automático de informações ou processamento de dados. Os primeiros eram capazes

Leia mais

Interface Ethernet SIEMENS 828D T60542A

Interface Ethernet SIEMENS 828D T60542A Interface Ethernet SIEMENS 828D T60542A ÍNDICE 1. INTRODUÇÃO... 3 2. INSTALAÇÃO... 3 2.1 CNC...3 2.1.1. Configuração...3 2.2 PC...6 2.2.1 Configurar a rede Microsoft...6 2.2.2. Inibir o Firewall da rede

Leia mais

3) Na configuração de rede, além do endereço IP, é necessário fornecer também uma máscara de subrede válida, conforme o exemplo:

3) Na configuração de rede, além do endereço IP, é necessário fornecer também uma máscara de subrede válida, conforme o exemplo: DIRETORIA ACADÊMICA DE EDUCAÇÃO E TECNOLOGIA COORDENAÇÃO DOS CURSOS DA ÁREA DE INFORMÁTICA! Atividade em sala de aula. 1) A respeito de redes de computadores, protocolos TCP/IP e considerando uma rede

Leia mais

Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços

Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços Curso de extensão em Administração de sistemas GNU/Linux: redes e serviços - italo@dcc.ufba.br Gestores da Rede Acadêmica de Computação Departamento de Ciência da Computação Universidade Federal da Bahia,

Leia mais

Centro de Inclusão Digital

Centro de Inclusão Digital Câmara Municipal de Ribeirão Preto Ishida TI Agradecimento CODERP (Amarildo e Jeová) GITEC (Todos) Interlegis ;-) LTPS LTPS Linux Terminal Server Project http://en.wikipedia.org/wiki/linux_terminal_server_project

Leia mais

PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE TÉCNICO DE INFORMÁTICA POR PRAZO DETERMINADO

PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE TÉCNICO DE INFORMÁTICA POR PRAZO DETERMINADO UNIVERSIDADE ESTADUAL DA PARAÍBA CENTRAL DE INFORMÁTICA PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE TÉCNICO DE INFORMÁTICA POR PRAZO DETERMINADO INFORMAÇÕES A) A prova consta de 20 questões de múltipla escolha,

Leia mais

UM PBX GENUINAMENTE BRASILEIRO MANUAL DE INSTALAÇÃO COM IMAGEM ISO

UM PBX GENUINAMENTE BRASILEIRO MANUAL DE INSTALAÇÃO COM IMAGEM ISO UM PBX GENUINAMENTE BRASILEIRO MANUAL DE INSTALAÇÃO COM IMAGEM ISO Criado por: Flavio Henrique Somensi flavio@opens.com.br Revisão: qui, 25 de abril de 2013 www.sneplivre.com.br Índice 1. Instalação...4

Leia mais

Processadores clock, bits, memória cachê e múltiplos núcleos

Processadores clock, bits, memória cachê e múltiplos núcleos Processadores clock, bits, memória cachê e múltiplos núcleos Introdução Os processadores (ou CPUs, de Central Processing Unit) são chips responsáveis pela execução de cálculos, decisões lógicas e instruções

Leia mais

Servidor Proxy. Firewall e proxy

Servidor Proxy. Firewall e proxy Curso: Gestão em Tecnologia da Informação - Matutino Professor: Marissol Martins Barros Unidade Curricular: Fundamentos de Serviços IP Alunos: Matheus Pereira de Oliveira, Tárik Araujo de Sousa, Romero

Leia mais

Capítulo 11: Redes de Computadores. Prof.: Roberto Franciscatto

Capítulo 11: Redes de Computadores. Prof.: Roberto Franciscatto Capítulo 11: Redes de Computadores Prof.: Roberto Franciscatto REDES - Introdução Conjunto de módulos de processamento interconectados através de um sistema de comunicação, cujo objetivo é compartilhar

Leia mais

Aula 2 Servidor DHCP. 2.1 dhcp

Aula 2 Servidor DHCP. 2.1 dhcp Aula 2 Servidor DHCP 2.1 dhcp DHCP é abreviação de Dynamic Host Configuration Protocol Protocolo de Configuração de Host (computadores) Dinâmico.Em uma rede baseada no protocolo TCP/IP, todo computador

Leia mais

Sistema Gerenciador de Locadora Glossário Versão 1.1

Sistema Gerenciador de Locadora Glossário Versão 1.1 GLOSSÁRIO Sistema Gerenciador de Locadora Glossário Versão 1.1 Responsável: Gustavo Teles GL01 Glossário 01 Página 1 de 7 A Aba - 1. Ficha com objetivo de separar ou agrupar em um mesmo contexto campos

Leia mais

AFRE. a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento, como o LILO ou o GRUB. a. ( ) Data Werehouse ; Internet ; Linux

AFRE. a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento, como o LILO ou o GRUB. a. ( ) Data Werehouse ; Internet ; Linux 1. De que forma é possível alterar a ordem dos dispositivos nos quais o computador procura, ao ser ligado, pelo sistema operacional para ser carregado? a. ( ) Instalando um programa gerenciador de carregamento,

Leia mais

Segurança em Redes e Sistemas Operacionais

Segurança em Redes e Sistemas Operacionais Segurança em Redes e Sistemas Operacionais Segurança - ale.garcia.aguado@gmail.com 1 Agenda Preparação do Ambiente Como é o Ambiente em que vamos trabalhar? Visão Macro Passos... Segurança - ale.garcia.aguado@gmail.com

Leia mais

Guia DIE-100 para Cable Modem e sistema operacional Windows 2000

Guia DIE-100 para Cable Modem e sistema operacional Windows 2000 Guia DIE-100 para Cable Modem e sistema operacional Windows 2000 O Express First Net Internet Kit da D-Link permitirá que você conecte seu escritório com o mundo, compartilhe o acesso à Internet com grande

Leia mais

SISGEP SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO

SISGEP SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO FACSENAC SISTEMA GERENCIADOR PEDAGÓGICO Projeto Lógico de Rede Versão: 1.2 Data: 25/11/2011 Identificador do documento: Documento de Visão V. 1.7 Histórico de revisões Versão Data Autor Descrição 1.0 10/10/2011

Leia mais

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS

TECNOLOGIA WEB INTERNET PROTOCOLOS INTERNET PROTOCOLOS 1 INTERNET Rede mundial de computadores. Também conhecida por Nuvem ou Teia. Uma rede que permite a comunicação de redes distintas entre os computadores conectados. Rede WAN Sistema

Leia mais

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO

MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO PÉGASUS (ETHERNET) STUDIO V2.02 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO Rua Coronel Botelho, 64 - Alto da Lapa - CEP: 05088-020 São Paulo - SP - Brasil +55 (11) 3832-6102 PÉGASUS (ETHERNET) STUDIO V2.02 - MANUAL

Leia mais

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Administração de Servidores de Rede AULA 02. Prof. Gabriel Silva

FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Administração de Servidores de Rede AULA 02. Prof. Gabriel Silva FTIN Formação Técnica em Informática Módulo de Administração de Servidores de Rede AULA 02 Prof. Gabriel Silva Temas da Aula de Hoje: Revisão da Aula 1. Redes LAN e WAN. Aprofundamento nos Serviços de

Leia mais

Intranets. FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO

Intranets. FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO Intranets FERNANDO ALBUQUERQUE Departamento de Ciência da Computação Universidade de Brasília 1.INTRODUÇÃO As intranets são redes internas às organizações que usam as tecnologias utilizadas na rede mundial

Leia mais

Wireless. Leandro Ramos www.professorramos.com

Wireless. Leandro Ramos www.professorramos.com Wireless Leandro Ramos www.professorramos.com Redes Wireless Interferências Access-Point / ROUTER Wireless Ponto de Acesso Numa rede wireless, o hub é substituído pelo ponto de acesso (access-point em

Leia mais

Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk. Camada Física: Redes Sem Fio. Equipamentos de Rede. O que já conhecemos.

Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk. Camada Física: Redes Sem Fio. Equipamentos de Rede. O que já conhecemos. Alan Menk Santos alanmenk@hotmail.com www.sistemasul.com.br/menk Camada Física: Redes Sem Fio Equipamentos de Rede O que já conhecemos. Cabos; Atenas; Tipos de transmissão; 1 O que vamos conhecer. Equipamentos

Leia mais

Configuração de Rede

Configuração de Rede Configuração de Rede Introdução Quando uma interface de rede comum, que utiliza o padrão de rede Ethernet, é reconhecida no sistema (seja na inicialização ou acionando o módulo desta interface), o sistema

Leia mais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais

02/03/2014. Conteúdo deste módulo. Curso de Preparatório para Concursos Públicos. Tecnologia da Informação REDES. Conceitos Iniciais Curso de Preparatório para Concursos Públicos Tecnologia da Informação REDES Conceitos Iniciais; Classificações das Redes; Conteúdo deste módulo Equipamentos usados nas Redes; Modelos de Camadas; Protocolos

Leia mais

Sistemas Operacionais de Rede. Configuração de Rede

Sistemas Operacionais de Rede. Configuração de Rede Sistemas Operacionais de Rede Configuração de Rede Conteúdo Programático! Interfaces de rede! Ethernet! Loopback! Outras! Configuração dos parâmetros de rede! Dinâmico (DHCP)! Manual! Configuração de DNS

Leia mais

Administração de Redes Redes e Sub-redes

Administração de Redes Redes e Sub-redes 1 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA CAMPUS SÃO JOSÉ SANTA CATARINA Administração de Redes Redes e Sub-redes Prof.

Leia mais

Access Point Router 150MBPS

Access Point Router 150MBPS Access Point Router 150MBPS Manual do Usuário Você acaba de adquirir um produto Leadership, testado e aprovado por diversos consumidores em todo Brasil. Neste manual estão contidas todas as informações

Leia mais

ProRAE Guardian V1.5 Guia de referência rápida

ProRAE Guardian V1.5 Guia de referência rápida ProRAE Guardian V1.5 Guia de referência rápida Para obter uma descrição completa das funções do programa, consulte o guia do usuário do ProRAE Guardian (incluso no CD de software). SUMÁRIO 1. Principais

Leia mais

DHCP. Administração de Redes de Computadores Prof.ª Juliana Camilo 6080822 Ângelo, Bryan, Carlos, Vinícius

DHCP. Administração de Redes de Computadores Prof.ª Juliana Camilo 6080822 Ângelo, Bryan, Carlos, Vinícius DHCP Administração de Redes de Computadores Prof.ª Juliana Camilo 6080822 Ângelo, Bryan, Carlos, Vinícius Histórico O termo DHCP significa Dynamic Host Configuration Protocol Começou a se tornar popular

Leia mais

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF

REDES ESAF. leitejuniorbr@yahoo.com.br 1 Redes - ESAF REDES ESAF 01 - (ESAF - Auditor-Fiscal da Previdência Social - AFPS - 2002) Um protocolo é um conjunto de regras e convenções precisamente definidas que possibilitam a comunicação através de uma rede.

Leia mais

CONFORTO COM SEGURANÇA CONFORTO COM SEGURANÇA. 0 P27070 - Rev

CONFORTO COM SEGURANÇA CONFORTO COM SEGURANÇA. 0 P27070 - Rev P27070 - Rev. 0 1. RESTRIÇÕES DE FUNCIONAMENTO RECEPTOR IP ÍNDICE 1. Restrições de Funcionamento... 03 2. Receptor IP... 03 3. Inicialização do Software... 03 4. Aba Eventos... 04 4.1. Botão Contas...

Leia mais

Guia DIE-100 para Cable Modem e sistema operacional Windows XP

Guia DIE-100 para Cable Modem e sistema operacional Windows XP Guia DIE-100 para Cable Modem e sistema operacional Windows XP O Express First Net Internet Kit da D-Link permitirá que você conecte seu escritório com o mundo, compartilhe o acesso à Internet com grande

Leia mais

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL. Curso Técnico em Informática

SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL. Curso Técnico em Informática SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL Curso Técnico em Informática Estrutura de Endereçamento IP e Mascara de Subrede Endereçamento IP e Classes Autoridade para Atribuição de Números da Internet http://www.iana.org/

Leia mais

LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS. PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO

LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS. PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO LABORATÓRIO DE SISTEMAS OPERACIONAIS PROFª. M.Sc. JULIANA HOFFMANN QUINONEZ BENACCHIO O Linux se refere aos itens de hardware como dispositivos (devices), e os referencia como arquivos. Os arquivos de

Leia mais

Procedimentos para configuração em modo WDS

Procedimentos para configuração em modo WDS Procedimentos para configuração em modo WDS 1- WDS (Wireless Distribution System) permite o acesso de um DAP-1353 com o outro DAP-1353 de um modo padronizado. Dessa forma pode simplificar a infraestrutura

Leia mais

6 - Gerência de Dispositivos

6 - Gerência de Dispositivos 1 6 - Gerência de Dispositivos 6.1 Introdução A gerência de dispositivos de entrada/saída é uma das principais e mais complexas funções do sistema operacional. Sua implementação é estruturada através de

Leia mais

CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA ELETRÔNICA IV - REDES 4 MÓDULO

CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA ELETRÔNICA IV - REDES 4 MÓDULO CURSO TÉCNICO DE ELETRÔNICA ELETRÔNICA IV - REDES 4 MÓDULO 2011 SUMÁRIO 1 PROTOCOLOS (CONTINUAÇÃO) ÇÃO)... 1 1.1 O que é DHCP...1 1.1.1 Funcionamento do DHCP...2 1.1.2 Breve histórico do DHCP...3 1.1.3

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

Aula 1 Windows Server 2003 Visão Geral

Aula 1 Windows Server 2003 Visão Geral Aula 1 Windows Server 2003 Visão Geral Windows 2003 Server Introdução Nessa Aula: É apresentada uma visão rápida e geral do Windows Server 2003. O Foco a partir da próxima aula, será no serviço de Diretórios

Leia mais

PÉGASUS (ETHERNET POCKET) STUDIO V1.00 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO

PÉGASUS (ETHERNET POCKET) STUDIO V1.00 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO PÉGASUS (ETHERNET POCKET) STUDIO V1.00 MANUAL DE INSTALAÇÃO E OPERAÇÃO Rua Coronel Botelho, 64 - Alto da Lapa - CEP: 05088-020 São Paulo - SP - Brasil +55 (11) 3832-6102 PÉGASUS (ETHERNET POCKET) STUDIO

Leia mais

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS POSTGRESQL O PostgreSQL é um sistema gerenciador de banco de dados dos mais robustos e avançados do mundo. Seu código é aberto e é totalmente gratuito,

Leia mais

Certifique-se de que você possui todas as informações necessárias e equipamento em mãos antes de iniciar a instalação.

Certifique-se de que você possui todas as informações necessárias e equipamento em mãos antes de iniciar a instalação. Este produto pode ser configurado utilizando qualquer navegador web atual, como por ex. Internet Explorer 6 ou Netscape Navigator 7 ou superior. DSL-2730B Roteador ADSL Wireless Antes de começar Certifique-se

Leia mais

Manual de Instalação LOCKSS IBICT Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia

Manual de Instalação LOCKSS IBICT Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia Manual de Instalação LOCKSS IBICT Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia Elaborado por: Alexandre Faria de Oliveira Março de 2013 1 P á g i n a Sumário 1. Introdução... 3 2. Visão Geral...

Leia mais

Redes Wireless. 26/1/07 Rui Santos

Redes Wireless. 26/1/07 Rui Santos Redes Wireless 26/1/07 Rui Santos Índice Introdução Classificação das redes sem fios Padrões Wi-Fi Equipamento necessário Segurança Links 05-02-2007 2 Introdução http://pt.wikipedia.org/wiki/rede_sem_fios

Leia mais

Estimativa. Unioeste 30809/2010 Cod. Fornecedor ClassificaçãoVlr.Un. Total. Setor Processo Item edital

Estimativa. Unioeste 30809/2010 Cod. Fornecedor ClassificaçãoVlr.Un. Total. Setor Processo Item edital Filtrado por ( : = '' ) E ( em haver: >= 1 ) E (Imprimir quantidades por setor de consumo = Sim) 06/05/2014:17:06 Página 1 de 1 Fornecedor ClassificaçãoVlr.Un. 23 7023 Backup - Agente Aplicação Exchange

Leia mais

Simplifique a complexidade do sistema

Simplifique a complexidade do sistema 1 2 Simplifique a complexidade do sistema Com o novo controlador de alto desempenho CompactRIO Rodrigo Schneiater Engenheiro de Vendas National Instruments Leonardo Lemes Engenheiro de Sistemas National

Leia mais

Kit de Demonstração MatchPort Início Rápido

Kit de Demonstração MatchPort Início Rápido Kit de Demonstração MatchPort Início Rápido Número de peça 900-486 Revisão F Maio 2010 Índice Introdução...3 Conteúdo do kit de demonstração...3 O que você precisa saber...3 Endereço de hardware... 3 Endereço

Leia mais

ALGUNS CONCEITOS. Rede de Computadores

ALGUNS CONCEITOS. Rede de Computadores ALGUNS CONCEITOS Rede de Computadores Prof. Airton Ribeiro de Sousa E-mail: airton.ribeiros@gmail.com 1 OBJETIVO 1. Compartilhar recursos computacionais disponíveis sem considerar a localização física

Leia mais

Antes da popularização da Internet existiam diferentes protocolos sendo utilizados nas redes das empresas. Os mais utilizados eram os seguintes:

Antes da popularização da Internet existiam diferentes protocolos sendo utilizados nas redes das empresas. Os mais utilizados eram os seguintes: Introdução ao TCP/IP Esta é a primeira parte de um total de 100 partes, deste tutorial de TCP/IP. Este curso de Introdução ao TCP/IP é formado pelas partes de 01 a 20. O objetivo da Parte 1 é apresentar

Leia mais

Formação Modular Certificada. Arquitetura interna do computador. Hardware e Software UFCD - 0769. Joaquim Frias

Formação Modular Certificada. Arquitetura interna do computador. Hardware e Software UFCD - 0769. Joaquim Frias Formação Modular Certificada Arquitetura interna do computador Hardware e Software UFCD - 0769 Joaquim Frias Computador É um conjunto de dispositivos eletrónicos capaz de aceitar dados e instruções, executa

Leia mais

Informática I. Aula 19. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/11/06 1

Informática I. Aula 19. http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/11/06 1 Informática I Aula 19 http://www.ic.uff.br/~bianca/informatica1/ Aula 19-20/11/06 1 Ementa Histórico dos Computadores Noções de Hardware e Software Microprocessadores Sistemas Numéricos e Representação

Leia mais

Informática. Técnico em Agronegócio 1º. Módulo Profa. Madalena Pereira da Silva madalena.silva@ifsc.edu.br

Informática. Técnico em Agronegócio 1º. Módulo Profa. Madalena Pereira da Silva madalena.silva@ifsc.edu.br Informática Técnico em Agronegócio 1º. Módulo Profa. Madalena Pereira da Silva madalena.silva@ifsc.edu.br Roteiro de Aula Introdução Computador Hardware, Software básico, Software Aplicativo Hardwares

Leia mais

OBJETIVOS 1 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 1 DISPOSIÇÃO ORGANIZACIONAL 2 PLANTA A 5 PLANTA B 6 DISTRIBUIÇÃO E CONFIGURAÇÃO DOS RACKS 7

OBJETIVOS 1 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 1 DISPOSIÇÃO ORGANIZACIONAL 2 PLANTA A 5 PLANTA B 6 DISTRIBUIÇÃO E CONFIGURAÇÃO DOS RACKS 7 ÍNDICES OBJETIVOS 1 JUSTIFICATIVAS 1 INFORMAÇÕES ADICIONAIS 1 SEGURANÇA - INTERNET 1 SISTEMA OPERACIONAL 2 PROTOCOLO TCP/IP 2 INTRANET 2 DISPOSIÇÃO ORGANIZACIONAL 2 ESTAÇÕES 2 MICROS 3 IMPRESSORAS 3 PLANTA

Leia mais

Microterminal MT 740. Manual do Usuário - versão 1.2

Microterminal MT 740. Manual do Usuário - versão 1.2 w Microterminal MT 740 Manual do Usuário - versão 1.2 1 2 ÍNDICE 1 INTRODUÇÃO 1 2 RECONHECENDO O MT 740 2 3 INSTALAÇÃO 3 4 FUNCIONAMENTO 4 4.1 DESCRIÇÃO DAS CONFIGURAÇÕES E DOS COMANDOS 6 4.2 COMUNICAÇÃO

Leia mais

Configuração de Rede

Configuração de Rede Configuração de Rede 1. Configuração de rede no Windows: A finalidade deste laboratório é descobrir quais são as configurações da rede da estação de trabalho e como elas são usadas. Serão observados a

Leia mais

HOWTO de LTSP v4.1 no Debian Sarge : * LTSP como Servidor de Terminais GNU/Linux:

HOWTO de LTSP v4.1 no Debian Sarge : * LTSP como Servidor de Terminais GNU/Linux: HOWTO de LTSP v4.1 no Debian Sarge : * LTSP como Servidor de Terminais GNU/Linux: O LTSP (Linux Terminal Server Project) é uma solução que agrega um conjunto de serviços, de forma que máquinas clientes

Leia mais

Resolução de Problemas de Rede. Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite

Resolução de Problemas de Rede. Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite Resolução de Problemas de Rede Disciplina: Suporte Remoto Prof. Etelvira Leite Ferramentas para manter o desempenho do sistema Desfragmentador de disco: Consolida arquivos e pastas fragmentados Aumenta

Leia mais

Tutorial de como configurar o Roteador DIR-600 Wireless 150

Tutorial de como configurar o Roteador DIR-600 Wireless 150 Tutorial de como configurar o Roteador DIR-600 Wireless 150 Para começar a configurar sua rede sem fio, conecte o cabo de rede do seu computador ao roteador em uma porta LAN, e outro cabo do seu modem

Leia mais

ATIVIDADE 1. Redes Windows. 1.1 Histórico do SMB

ATIVIDADE 1. Redes Windows. 1.1 Histórico do SMB ATIVIDADE 1 Redes Windows Falar sobre Samba e redes mistas Windows / Linux, sem antes explicar o conceito básico de uma rede não parece correto e ao mesmo tempo, perder páginas e mais páginas explicando

Leia mais

Universidade Tuiuti do Paraná UTP Faculdade de Ciências Exatas - FACET

Universidade Tuiuti do Paraná UTP Faculdade de Ciências Exatas - FACET Universidade Tuiuti do Paraná UTP Faculdade de Ciências Exatas - FACET Hardware de Computadores Questionário II 1. A principal diferença entre dois processadores, um deles equipado com memória cache o

Leia mais

Componentes de uma Rede. Aula 2. Prof. Wladimir da Costa

Componentes de uma Rede. Aula 2. Prof. Wladimir da Costa Componentes de uma Rede Aula 2 Prof. Wladimir da Costa Objetos de estudo: - NICs. - Nobreak. - Hub. - Switches - Repetidores. - Bridges (pontes). - Roteadores. - Estações de trabalho. - Servidores - Sistema

Leia mais

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO

MANUAL DE CONFIGURAÇÃO MANUAL DE CONFIGURAÇÃO CONTMATIC PHOENIX SUMÁRIO CAPÍTULO I APRESENTAÇÃO DO ACESSO REMOTO... 3 1.1 O que é o ACESSO REMOTO... 3 1.2 Como utilizar o ACESSO REMOTO... 3 1.3 Quais as vantagens em usar o PHOENIX

Leia mais

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO

Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Apresentação de REDES DE COMUNICAÇÃO Curso Profissional de Técnico de Gestão e Programação de Sistemas Informáticos MÓDULO VI Programação de Sistemas de Comunicação Duração: 30 tempos Conteúdos 2 Construção

Leia mais

DESEMBALANDO A IPCAM SECURE300R

DESEMBALANDO A IPCAM SECURE300R Símbolo para Coleta Separada nos Países Europeus Este símbolo indica que este produto deve ser coletado separadamente. O que segue se aplica somente a usuários em países da Europa: Este produto está designado

Leia mais

MODULO II - HARDWARE

MODULO II - HARDWARE MODULO II - HARDWARE AULA 01 O Bit e o Byte Definições: Bit é a menor unidade de informação que circula dentro do sistema computacional. Byte é a representação de oito bits. Aplicações: Byte 1 0 1 0 0

Leia mais

CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes. Capítulo1 - Introdução à Redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - Agosto de 2007 - Página

CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes. Capítulo1 - Introdução à Redes. Associação dos Instrutores NetAcademy - Agosto de 2007 - Página CCNA 1 Conceitos Básicos de Redes Capítulo1 - Introdução à Redes 1 Requisitos para Conexão à Internet Para disponibilizar o acesso de um computador à rede, devem ser levados em consideração 03 parâmetros:

Leia mais

Criando um Servidor Proxy com o SQUID. Roitier Campos

Criando um Servidor Proxy com o SQUID. Roitier Campos Criando um Servidor Proxy com o SQUID Roitier Campos Roteiro Redes de Computadores e Internet Arquitetura Cliente/Servidor e Serviços Básicos de Comunicação Componentes do Servidor e Configuração da VM

Leia mais

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION

GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION GUIA DE INSTALAÇÃO NETDEEP SECURE COM VMWARE WORKSTATION 1- Visão Geral Neste manual você aprenderá a instalar e fazer a configuração inicial do

Leia mais

Configuração de redes no Gnu/Linux

Configuração de redes no Gnu/Linux Configuração de redes no Gnu/Linux Comando ifconfig: É utilizado basicamente para configurar o ip, a mascara de rede e outras opções de placas de rede. Rodado sem opções ele retorna todas as placas de

Leia mais

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS Acerca das características da arquitetura dos computadores que Julgue os itens a seguir, acerca de sistemas operacionais. devem ser consideradas no projeto e na implantação de

Leia mais

Aula Prática 10 - Configuração Básica de Rede Wi-Fi

Aula Prática 10 - Configuração Básica de Rede Wi-Fi Aula Prática 10 - Configuração Básica de Rede Wi-Fi Equipamento: O equipamento utilizado nesta demonstração é um roteador wireless D-Link modelo DI-524, apresentado na figura abaixo. A porta LAN desse

Leia mais

Redes de Computadores Aula 01

Redes de Computadores Aula 01 No Caderno Responda as Questões abaixo 1 O que significa o termo Rede? 2 Porque utilizar um Ambiente de Rede? 3 Defina LAN. 4 Defina WAN. 5 O que eu preciso para Montar uma Rede? 6 - O que eu posso compartilhar

Leia mais