ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DO CARGO DE PROGRAMADOR

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DO CARGO DE PROGRAMADOR"

Transcrição

1 ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA CONCURSO PÚBLICO PARA PROVIMENTO DO CARGO DE PROGRAMADOR Parte 1 Língua Portuguesa Parte 2 Conhecimentos Específicos Parte 3 Inglês Parte 4 Tópicos de Legislação Nome: N o de Inscrição: Instruções Leia cuidadosamente cada uma das questões, escolha a resposta correta (A, B, C, D ou E) e assinale-a à tinta na folha de respostas. Iniciada a prova, não faça mais qualquer tipo de consulta. Reclamações a respeito das instruções ou do conteúdo das questões serão possíveis somente após a realização da prova, pela via adequada, à autoridade competente. Observe que o tempo de duração da prova é de 5 horas. Verifique se este caderno contém 68 questões. Caso contrário, solicite ao fiscal da sala outro caderno completo. Não serão aceitas reclamações posteriores DIREITOS AUTORAIS RESERVADOS. PROIBIDA A REPRODUÇÃO, AINDA QUE PARCIAL, SEM AUTORIZAÇÃO PRÉVIA.

2 Instrução: Para responder às questões de números 01 a 16, leia o texto abaixo. A Grande Viagem Cada vez fica mais fácil deslocar-se de um ponto a outro do globo. No mundo antigo, mesmo a viagem mais curta transformava-se numa aventura de contornos imprevisíveis; hoje, ao contrário, visitamos com facilidade os lugares mais distantes, já informados de tudo que vamos encontrar o clima, a comida, o caráter dos nativos e as coisas que devemos fotografar. A não ser pelo capricho de algum vulcão intrometido, tudo está previsto menos, é claro, o que vamos descobrir sobre nós mesmos. O pior é que podemos partir sem partir. Há os que percorrem longos trajetos de ida e de volta sem acrescentar uma gota à experiência ou ao conhecimento saíram de casa; para eles vale o comentário de Sócrates, quando foram lhe dizer que alguém, apesar das inúmeras viagens que fazia, não tinha melhorado em nada: Nem poderia, pois ele sempre leva a si mesmo consigo. Não se trata, é claro como se fosse possível! de deixar para trás aquilo que somos, assim como deixamos com o vizinho nosso gato ou nossa samambaia, mas de abrandar nossos preconceitos, a fim de enxergar com um jeito novo aquilo que for oferecido a nossos olhos. Esta é a verdadeira arte de viajar abrir-se para o mundo, adotar uma atitude atenta e receptiva para o espetáculo do universo. Os pensadores gregos, por exemplo, visitavam o Egito sempre dispostos a aprender; o contato com uma civilização muito mais antiga do que a sua constituía, para eles, uma salutar lição de humildade e modéstia, virtudes que consideravam indispensáveis para atingir a sabedoria. Foi com esse mesmo espírito que os jovens aristocratas britânicos, do século 18 em diante, passaram a completar sua educação com uma peregrinação cultural através do continente europeu especialmente da Itália, por causa do legado clássico e.... Dependendo das posses e do tempo disponíveis, esta viagem significativamente denominada de Grand Tour durava de um a vários anos e era vista como um fator indispensável para o crescimento interior dos jovens..., futuros dirigentes do império que dominava o planeta. Nunca sabemos o que a viagem vai fazer de nós. Ela pode formar, pode transformar, pode apontar um caminho que não tínhamos percebido, como fez com Zênon, filósofo estoico. Aos 30 anos, trabalhava com o pai, transportando mercadorias entre a Ásia e a Grécia, numa rotina deprimente. Um dia, seu navio naufragou já perto de Atenas; nadando, Zênon conseguiu chegar à cidade e subitamente se viu numa livraria, a... o livro que Xenofonte escreveu sobre a vida de Sócrates. Encantado, exclamou: Como eu gostaria de conhecer um homem assim!. Pois então segue aquele lá, disse o livreiro, apontando um filósofo que passava por ali. Esse encontro mudou para sempre a vida de Zênon, que costumava dizer e não estava brincando: Tive uma péssima travessia, mas um excelente naufrágio. (Adaptado de MORENO, Cláudio. Zero Hora, junho de 2010) 01. Assinale a alternativa que preenche corretamente a lacuna com traço contínuo da linha 07. que de que cujo com que sem que 02. Assinale a alternativa que preenche, correta e respectivamente, as lacunas pontilhadas do texto (linhas 17, 19 e 23). renacentista cavalheiros folhear renascentista cavalheiros folhear renascentista cavaleiros folhiar renacentista cavaleiros folhear renacentista cavaleiros folhiar 04. Considere as assertivas abaixo. I - A facilitação dos deslocamentos de um lugar a outro da Terra propiciou o aperfeiçoamento do que é considerado a verdadeira arte de viajar. II - A experiência de viajar como uma forma de aprendizagem não se restringe a um único lugar e época histórica. III - Ainda que se possa pensar o contrário, nenhuma viagem mesmo as que se efetuam na atualidade é totalmente previsível. Quais delas estão de acordo com o texto? I e III 03. As palavras nativos (linha 03) e legado (linha 17), conforme seu uso no texto, estão relacionadas, respectivamente, às ideias de região de origem e arte em geral. cultura indígena e arquitetura. região de origem e herança. cultura indígena e herança. alteridade e arte em geral. 05. Se a palavra viagem (linha 18) fosse substituída por percurso, quantas outras palavras da frase deveriam necessariamente sofrer ajustes para fins de concordância? Uma palavra Duas palavras Três palavras Quatro palavras Cinco palavras 2 TJ/Programador

3 06. Assinale a alternativa em que todas as palavras contêm grafias para o som representado por s em sabedoria (linha 15). imprevisíveis (linha 02) visitavam (linha 13) excelente (linha 26) facilidade (linha 02) apesar (linha 08) clássico (linha 17) experiência (linha 07) salutar (linha 14) crescimento (linha 19) consigo (linha 09) exemplo (linha 13) causa (linha 17) pensadores (linha 13) peregrinação (linha 16) filósofo (linha 25) 07. Qual das palavras abaixo poderia substituir apesar (linha 08), conservando a estrutura frasal e o significado contextual? a despeito em função embora em consequência acerca 08. Ao longo do texto, o autor faz algumas aproximações entre as viagens dos pensadores gregos e as peregrinações dos jovens britânicos. Considerando a totalidade do texto, que aspecto não é comum aos dois tipos de viagem? Busca de enriquecimento pessoal Valorização de cultura e civilização mais antigas Deslocamento de seu país ou região de origem Manifestação de postura de humildade Local preferencial de visitação 09. Assinale a alternativa em que se estabelece uma relação incorreta entre o pronome e o segmento por ele retomado. lhe (linha 08) Sócrates (linha 07) que (segunda ocorrência da linha 08) (d)as inúmeras viagens (linha 08) sua (linha 14) Os pensadores gregos (linha 13) que (linha 19) futuros dirigentes (linha 19) seu (linha 22) Zênon (linha 21) 10. A vírgula da linha 12 e a segunda da linha 21 têm, respectivamente, as funções de separar orações e isolar aposto. separar adjunto adverbial deslocado e isolar vocativo. separar adjunto adverbial deslocado e isolar aposto. separar orações e separar adjunto adverbial deslocado. isolar aposto e isolar vocativo. 11. Qual das formas verbais abaixo expressa uma ação continuada que ocorreu no passado? transformava-se (linha 02) saíram (linha 07) tinha melhorado (linha 08) deixamos (linha 10) disse (linha 25) 12. Considere as sugestões de alteração em frases do texto. I - Substituição de A não ser pelo (linha 04) por Salvo o II - Acréscimo de melhorar após poderia (linha 08) III - Acréscimo de evitar entre de e abrandar (linha 10) Quais delas mantêm o significado das frases correspondentes? I e II 13. Assinale a forma verbal que preenche corretamente a lacuna da frase abaixo, inspirada no texto. Desejamos que, para eles,... o comentário de Sócrates sobre a conexão entre aperfeiçoamento interior e experiência de viagem. vale valha valhe valeria valia 14. Assinale a alternativa em que se estabelece uma relação incorreta entre a preposição (ou combinação de preposição com artigo) e a construção que a exige. de (linha 10) se trata (linha 09) a (segunda ocorrência da linha 11) for oferecido (linha 11) para (linha 15) indispensáveis (linha 15) do (segunda ocorrência da linha 17) Dependendo (linha 17) para (linha 19) fator (linha 18) 15. Assinale a alternativa em que ambas as palavras apresentam o sufixo que ocorre em subitamente (linha 23). continente (linha 16) e especialmente (linha 17) continente (linha 16) e significativamente (linha 18) especialmente (linha 17) e significativamente (linha 18) especialmente (linha 17) e dirigentes (linha 19) dirigentes (linha 19) e deprimente (linha 22) 16. Os nexos pois (linha 08), mas (linha 10) e como (linha 21) introduzem, respectivamente, ideias de explicação, adição e comparação. causa, conclusão e comparação. explicação, conclusão e comparação. causa, alternância e conformidade. explicação, oposição e conformidade. TJ/Programador 3

4 17. As chamadas Metodologias Ágeis se caracterizam por um conjunto de práticas para o desenvolvimento de software que promove adaptação, fortalecimento do trabalho em equipe, auto-organização e entregas rápidas de alta qualidade, alinhando o desenvolvimento com as necessidades das empresas. Dentre as Metodologias Ágeis, uma das mais conhecidas atualmente é a XP (do original extreme Programming). Qual das alternativas abaixo não constitui uma prática de XP? Programação em pares (pair programming) Padrão de codificação (coding standard) Propriedade individual do código (individual ownership) Desenvolvimento guiado por testes (test-driven development) Jogo de planejamento (planning game) 18. Considere as assertivas abaixo sobre conceitos básicos de Engenharia de Software. I - O termo software não se refere apenas aos programas de computador, mas inclui também os modelos, a documentação e os dados de configuração necessários para estes programas operarem. II - A expressão processo de software é empregada para designar um conjunto de atividades cujo objetivo é o desenvolvimento ou a evolução de software. III - Ferramentas CASE (Computer Aided Software Engineering) são sistemas de software projetados para dar suporte a atividades rotineiras no desenvolvimento de software, tais como edição de diagramas e verificação de propriedades e consistência dos diagramas. I e II 20. Sobre a linguagem UML, assinale a assertiva correta. É uma linguagem de modelagem baseada numa extensão de HTML. É uma linguagem de modelagem usada geralmente na análise e no projeto de sistemas orientados a objeto. É uma linguagem orientada a objetos baseada numa extensão de XML. É um processo de software orientado a objetos. É uma metodologia de desenvolvimento de software orientado a objetos. 21. Um programa possui o seguinte comando de teste: IF (X NOT = 5) AND (Y < 7) AND (Z > 4) OR (X NOT = 5) AND (Y NOT < 7) AND (Z > 4) OR (X NOT = 5) AND (Y < 7) AND (Z NOT > 4) OR (X = 5) AND (Y NOT < 7) AND (Z > 4) THEN... Este comando pode ser simplificado para (X NOT = 5) AND (Y NOT < 7) OR (X = 5) AND (Z > 4) THEN... (X NOT = 5) AND (Z > 4) OR (X = 5) AND (Y < 7) THEN... (X NOT = 5) AND (Y < 7) OR (Y NOT < 7) AND (Z > 4) THEN... (Y < 7) AND (Z > 4) OR (X NOT = 5) AND (Y < 7) THEN... (X = 5) AND (Z > 4) OR (Y < 7) AND (Z > 4) THEN As linguagens de programação atuais descrevem determinados segmentos de programas, seguindo regras de Programação Estruturada. Qual a melhor estrutura para representar o fluxograma abaixo? sequência de Ifs SWITCH/CASE DO WHILE FOR DO UNTIL 19. A linguagem de modelagem UML é hoje uma notação padrão usada tanto no meio acadêmico quanto no mercado. Qual dos elementos abaixo não possui representação nos Diagramas de Casos de Uso de UML? Fluxos de controle entre casos de uso Relacionamentos de generalização entre casos de uso e atores Relacionamentos de inclusão e extensão entre casos de uso Nomes dos casos de uso Atores 23. Na técnica de pesquisa binária, busca-se, em uma tabela classificada por ordem crescente da chave de busca contendo N elementos, um elemento. O número máximo de buscas na tabela, até se encontrar o elemento procurado ou até se descobrir que ele não existe, é um número igual ou um inteiro imediatamente acima de 2 N-1 Ln 10 N Ln 2 N Ln 2 (N-1) 2 N 4 TJ/Programador

5 24. Dispõe-se de uma tabela com a estrutura de uma pilha, conforme representada abaixo. Canoas Ijuí Taquara Como ficará a estrutura após serem executadas as operações excluir o elemento do topo da pilha e, a seguir, inserir um elemento na pilha: Marau? Ijuí Taquara Marau Marau Ijuí Taquara Marau Canoas Ijuí Um programa precisa implementar o cálculo de uma das raízes reais da equação de segundo grau, usando a fórmula de Báskara: - B + B 2-4*A*C X1 = 2*A Qual das alternativas abaixo realiza o cálculo correto de uma destas raízes, considerando que SQRT é a função que calcula a raiz quadrada? X1=-B+SQRT(B*B-4*A*C)/(2*A); X1=(-B+SQRT(B*B-4*A*C))/2*A; NUM=-B+SQRT(B*B-4*A*C); DENOM=2*A; X1=NUM/DENOM; Ijuí Taquara Marau DELTA=B*B-4*A*C; X1=(-B+SQRT(DELTA))/2*A; Canoas Ijuí Marau Que método de ordenação, dentre os abaixo, seleciona um elemento para pivô, divide os elementos a ordenar em dois subconjuntos em que todos os elementos são menores ou iguais ao valor de pivô no primeiro subconjunto e todos os elementos são maiores ou iguais ao valor de pivô no segundo subconjunto (repetindo o processo sucessivamente)? K=B*B-4*A*C; L=2*A; M=SQRT(K); X1=-B+M/L; 28. Analise o fluxograma abaixo. Quick Sort Radix Sort Comb Sort Bubble Sort Shell Sort 26. No paradigma da Orientação a Objetos, o mecanismo pelo qual uma classe (subclasse) pode estender outra classe (superclasse), aproveitando seus comportamentos (métodos) e variáveis possíveis (atributos), chamase encapsulamento. polimorfismo. herança. associação. atributo. Quais os valores iniciais de S e I para imprimir a série ? S = 0 I = 0 S = 0 I = 1 S = 1 I = 0 S = 1 I = 1 S = 2 I = -1 TJ/Programador 5

6 29. Na estrutura abaixo, constam nomes e idades de pessoas. ELO_N[1] contém o endereço do primeiro registro a ser acessado de acordo com um critério, e ELO_I[1], de acordo com outro critério. A partir destes primeiros registros, buscam-se os próximos registros segundo os mesmos critérios indicados em ELO_N e ELO_I. 31. Analise a imagem abaixo, reproduzida do programa Microsoft Excel versão 2003, que mostra uma planilha sendo editada. NOME IDADE ELO_N ELO_I Marcos Ana Renato Carla Luís Com base nestas informações, pode-se afirmar que a estrutura é duplamente encadeada e ELO_N permite acesso aos registros por ordem alfabética crescente, e ELO_I, por ordem decrescente de idade. duplamente encadeada e ELO_N permite acesso aos registros por ordem alfabética crescente, e ELO_I, por ordem crescente de idade. simplesmente encadeada e ELO_N permite acesso aos registros por ordem alfabética crescente, e ELO_I, por ordem decrescente de idade. simplesmente encadeada e ELO_N permite acesso aos registros por ordem alfabética crescente, e ELO_I, por ordem crescente de idade. indexada e ELO_N é usada como chave primária para acesso aos registros, e ELO_I, como chave secundária de acesso. 30. Deseja-se construir uma tabela que armazene os dados do número de processos abertos no Tribunal a cada trimestre, a partir de setembro de A cada trimestre corresponde uma posição sucessiva na tabela. O operador DIV devolve o quociente inteiro da divisão. Posição Trimestre/ Número de Ano Processos 1 3/ / / / / /2010 Que expressão deve ser usada para localizar determinada posição existente na tabela, a partir de um mês e ano? POSICAO=(ANO-1997) * 4 + ((MÊS-1) DIV 3) - 3 POSICAO=(ANO-1997) * 4 + ((MÊS-1) DIV 3 +1) - 2 POSICAO=(ANO-1997) * 4 + (MÊS DIV 3 +1) - 2 POSICAO=(ANO-1997) * 3 + ((MÊS-1) DIV 4 +1) - 3 POSICAO=(ANO-1997)* 3 + (MÊS DIV 3 +1) - 2 Ao se inserir a fórmula =SE(CONT.SE(A2:L2;N1)=0;M2;CONT.SE(A2:L2;N1)) em N2, qual o resultado para esta célula? A No desenvolvimento de um programa, o Delphi cria uma série de arquivos. O arquivo fonte do projeto, que contém o programa principal, inicia com a palavra chave Class. Main. Program. Project. Source. 33. Considere as assertivas abaixo sobre o ambiente de desenvolvimento Delphi. I - O Delphi permite isolar a camada de regras de negócio da camada de apresentação em programas diferentes. II - No ambiente Delphi, Object Inspector é uma ferramenta que permite inserir pontos de depuração no código-fonte do programa. Durante sua execução, o programa é interrompido nestes pontos, permitindo que o programador verifique o conteúdo ou o valor das variáveis. III - Em uma definição de classe, na criação de um novo componente, quando se pretende permitir a edição de determinada propriedade, em tempo de projeto, ela deve ser definida na seção Public. I e III 6 TJ/Programador

7 34. A declaração das units a serem utilizadas em um programa desenvolvido no ambiente Delphi é feita na cláusula FORMS. PRIVATE. PUBLIC. UNITS. USES. 35. A NBR ISO trata, dentre vários outros aspectos, do controle de acesso ao código-fonte de programas. Neste sentido, considere os procedimentos propostos abaixo. I - O pessoal de suporte deve ter acesso irrestrito às bibliotecas de código-fonte. II - A atualização das bibliotecas de código-fonte somente deve ser efetuada após o recebimento da autorização pertinente. III - A manutenção das bibliotecas de código-fonte deve estar sujeita a procedimentos estritos de controle de mudanças. Quais deles são recomendados pela norma? 36. Analise a seguinte consulta na linguagem SQL: SELECT DNO, COUNT(*), AVG(SALARIO) FROM EMPREGADO GROUP BY DNO; Sobre esta consulta, assinale a assertiva correta. Para cada empregado, a consulta retorna o número do seu departamento, o número de empregados que trabalham com ele e o somatório de seus salários. Para cada empregado, a consulta retorna o número do seu departamento, o número de empregados que trabalham com ele e a média de seus salários. Para cada departamento, a consulta retorna o número do departamento, o número de empregados que nele trabalham e o somatório de seus salários. Para cada departamento, a consulta retorna o número do departamento, o número de empregados que nele trabalham e a média de seus salários. Para cada departamento, a consulta retorna o número dos empregados, o número total de empregados que nele trabalham e a média de seus salários. I e III Instrução: Para responder às questões de números 37, 38 e 39, analise apenas o seguinte comando SQL CREATE TABLE para a definição da tabela DEPARTAMENTO: Instrução: Para responder às questões de números 36, 37, 38 e 39, considere o esquema de um banco de dados relacional EMPRESA, proposto abaixo. As setas indicam as chaves estrangeiras, e o sublinhado, a chave primária. CREATE TABLE DEPARTAMENTO (DNOME VARCHAR(20) NOT NULL, DNUMERO INT NOT NULL, GERSSN CHAR(9) NOT NULL, PRIMARY KEY (DNUMERO), CHECK (DNUMERO > 0 AND DNUMERO < 21)); EMPREGADO PNOME SSN DATANASC SALARIO DNO Agora, analise os comandos, submetidos ao banco de dados, nesta ordem: DEPARTAMENTO DNOME DNUMERO GERSSN PROJETO PJNOME PNUMERO DNUM TRABALHA_EM ESSN PNO HORAS DEPENDENTE ESSN NOME_DEPENDENTE SEXO DATANASC I INSERT INTO DEPARTAMENTO(DNOME, DNUMERO,GERSSN) VALUES ( Recursos Humanos, 1, 025 ); II INSERT INTO DEPARTAMENTO(DNOME, DNUMERO,GERSSN) VALUES ( Informática, 2, 003 ); III INSERT INTO DEPARTAMENTO(DNOME, DNUMERO,GERSSN) VALUES ( Engenharia, 3, 003 ); TJ/Programador 7

8 37. Após a execução dos comandos, a execução de um comando INSERT INTO DEPARTAMENTO(DNOME, DNUMERO,GERSSN) VALUES ( Recursos Humanos, 20, 003 ); tem como resultado erro, porque já há uma tupla com DNOME = Recursos Humanos na tabela DEPARTAMENTO. erro, porque já há duas tuplas com GERSSN = 003 na tabela DEPARTAMENTO. a inclusão de um novo departamento chamado Recursos Humanos com DNUMERO = 20 e GERSSN contendo o string 003. a troca do valor de DNUMERO para 20 para a tupla com DNOME = Recursos Humanos e GERSSN = 003. o registro de mais um valor para o atributo multivalorado DNUMERO na tupla com DNOME= Recursos Humanos. 38. Após a execução dos comandos, seguida da execução dos seguintes comandos, nesta ordem: UPDATE DEPARTAMENTO SET GERSSN = 004 WHERE GERSSN = 003 ; DELETE DEPARTAMENTO WHERE GERSSN = 003 OR 004 ; a tabela DEPARTAMENTO contém as tuplas ( Recursos Humanos, 1, 025). ( Recursos Humanos, 1, 025 ) e ( Informatica, 2, 004 ). ( Recursos Humanos, 1, 025 ) e ( Engenharia, 3, 004 ). ( Recursos Humanos, 1, 025 ), ( Informatica, 2, 004 ) e ( Engenharia, 3, 004 ). ( Recursos Humanos, 1, 025 ), ( Informatica, 2, 004 ) e ( Engenharia, 3, 003 ). 39. A execução do comando de definição CREATE DOMAIN NOME AS VARCHAR(20); antes do comando CREATE TABLE para DEPARTAMENTO equivale a um DEFINE, exigindo que todas as ocorrências de VARCHAR(20) no esquema sejam alteradas para NOME. permite que seja usado NOME no lugar de qualquer declaração de atributo VARCHAR(20). exige que seja usado NOME no lugar de qualquer declaração de atributo VARCHAR(n), não importando o valor de n. cria um domínio para todos os atributos que tenham NOME como parte de sua identificação. equivale à declaração de um atributo genérico NOME para todas as entidades mapeadas no esquema. 40. Sobre visões (views), assinale a assertiva incorreta. Uma visão em SQL é definida com o uso do comando CREATE TABLE NEW VIEW <nome da visão> DEFINED AS <consulta>. Para isto, é preciso atribuir um nome à visão e especificar uma consulta para recuperar os dados que farão parte da visão. As visões permitem que os mesmos dados sejam vistos por usuários diferentes, de modos diferentes e ao mesmo tempo. Isto significa que as visões permitem efetivamente que os usuários se concentrem apenas na parte do banco de dados que lhes interessa e ignorem o restante. As visões fornecem segurança automática para dados ocultos, ou seja, dados não visíveis através de uma determinada visão (por exemplo, nomes de fornecedores, no caso de bons fornecedores ). Assim, forçar usuários a acessar dados através de visões é um mecanismo simples e eficiente de segurança. Em qualquer momento, o conjunto de tuplas na relação da visão é o resultado da avaliação da expressão da consulta que define a visão nesse momento. Portanto, se uma relação de visão é calculada e armazenada, ela pode se tornar desatualizada se as relações usadas para defini-las forem alteradas. Certos sistemas de banco de dados permitem armazenar relações de visões, mas eles se certificam de que, se as relações reais usadas na definição de uma visão mudarem, esta será mantida atualizada. Estas visões são chamadas de visões materializadas. 41. Analise a especificação de função na linguagem SQL, proposta abaixo. create function contagem_conta( nome_cliente varchar(20)) returns integer begin declare contagem_c integer select count(*) into contagem_c from depositante where depositante.nome_cliente=nome_cliente return contagem_c end Sobre esta especificação, assinale a assertiva correta. Dado o total de contas de um cliente, a função retorna o nome dos clientes que possuem mais de uma conta no banco. Dado o total de contas de um cliente, a função retorna o nome dos clientes que efetuaram depósito pelo menos uma vez. Dado o nome de um cliente, a função retorna o histórico de depósitos deste cliente. Dado o nome de um cliente, a função retorna a média de depósitos efetuados por este cliente. Dado o nome de um cliente, a função retorna a contagem do número de contas pertencentes a este cliente. 8 TJ/Programador

9 42. No sistema operacional Windows Vista edição Business, o programa Gerenciamento do computador possui um conjunto de Ferramentas do sistema que servem para a administração do sistema. Sobre estas ferramentas, considere as assertivas abaixo. I - A ferramenta Visualizar Eventos permite gerenciar serviços que estejam funcionando no computador, como, por exemplo, interromper ou iniciar um serviço. II - A ferramenta Pastas compartilhadas permite gerenciar centralmente compartilhamentos de arquivo em um computador. Ela possibilita a criação de compartilhamentos de arquivo e a definição de permissões, assim como a exibição e o gerenciamento de arquivos abertos e usuários conectados a compartilhamentos de arquivo no computador. III - A ferramenta Gerenciador de dispositivos permite instalar e atualizar os drivers dos dispositivos de hardware, alterar as configurações de hardware destes dispositivos e solucionar problemas. I e III 43. Considere as assertivas abaixo sobre programas disponíveis no sistema operacional Windows XP e suas respectivas funções. I - O programa Conexão de área de trabalho remota permite que um computador seja conectado a um computador remoto situado em um local diferente. Por exemplo, pode-se conectar o computador do trabalho usando o computador residencial e acessar todos os programas, arquivos e recursos de rede como se se estivesse usando o computador do trabalho. II - O programa Desfragmentador de disco é um utilitário do sistema para analisar volumes locais, além de localizar e consolidar arquivos e pastas fragmentados. O processo de regravação de partes de um arquivo em setores contíguos de um disco rígido a fim de aumentar a velocidade de acesso e recuperação é conhecido como desfragmentação. III - O sistema operacional Windows XP possui uma ferramenta que rastreia as alterações feitas no computador e cria um ponto de restauração quando detecta o início de uma alteração. Através do programa assistente Restauração do sistema, pode-se selecionar um ponto de restauração a fim de restaurar um estado anterior do computador no qual ele funcionava da maneira desejada. I e III 44. No programa Microsoft Word 2007, o símbolo, na régua horizontal, refere-se a uma marca de tabulação do tipo Barra. Centralizado. Decimal. Direito. Esquerdo. 45. Assinale a assertiva correta sobre configuração IP de uma estação conectada a uma rede IP. O servidor de DNS e o de DHCP devem estar na mesma rede lógica do endereço IP das suas estações clientes. O endereço IP de uma máquina deve estar na mesma rede lógica do IP dos gateways para as outras redes. Na API de programação JAVA.Sockets, a interface da aplicação com a camada de transporte deve especificar se a comunicação será realizada através de uma rede com fio ou sem fio. Uma estação de trabalho com uma única interface de rede pode ser configurada com apenas um único endereço IP por vez. Para que um programa servidor seja executado em uma máquina com várias interfaces de rede, todas elas devem ser configuradas com o mesmo endereço IP. 46. O Gerenciamento de Liberação (Release Management) no ITIL v. 3 inicia o processo de construir, testar e implementar a mudança depois que a Requisição de Mudança (Request for Change - RFC) foi formalmente autorizada e agendada. os membros do Comitê Consultivo de Mudanças (Change Advisory Board - CAB) discutiram a análise de impacto. o Plano de Qualidade de Serviço (Service Quality Plan) foi realizado para que a qualidade seja garantida após sua implementação. o Gerenciamento de Problema (Problem Management) submeteu a RFC à análise. o Acordo de Nível de Serviço (Service Level Agreement - SLA) foi definido e registrado. TJ/Programador 9

10 47. O algoritmo de criptografia DES não é mais recomendado para a proteção de informação crítica ou sensível porque o avanço tecnológico das últimas décadas permite construir um hardware específico que quebra o DES em menos de uma semana. o método de criptoanálise diferencial quebra uma chave DES em menos de uma hora. o DES nunca foi um padrão de segurança; as normas sempre recomendaram o 3DES, que corresponde ao DES aplicado 3 vezes seguidas sobre os mesmos dados. utiliza uma chave curta de 40 bits, facilmente quebrada pelos processadores atuais. o algoritmo utilizado pelo DES vazou para o conhecimento público na década de A NBR ISO trata, dentre vários outros aspectos, da segurança do desenvolvimento de programas e sistemas. Neste sentido, considere os seguintes procedimentos. I - Software em desenvolvimento e software em produção devem ser executados em ambientes separados, para impedir que modificações não intencionais no desenvolvimento afetem a produção. II - Ambientes de teste devem utilizar os mesmos dados do ambiente de produção, para poder garantir que os testes detectem todos os erros possíveis. III - Compiladores, editores e outras ferramentas de desenvolvimento ou utilitários de sistemas não devem ser disponibilizados em todos os computadores, para evitar modificações não aprovadas. Quais deles são recomendados pela norma? I e III Instrução: Para responder às questões de números 49 a 52, leia o texto abaixo Charles Babbage is often called the father of computing for his detailed plans for mechanical Calculating Engines, both the table-making Difference Engines (1821) and the far more ambitious Analytical Engines (1837), which were flexible and powerful, punched-card controlled general purpose calculators, embodying many features which later reappeared in the modern computer. He is widely regarded as the first computer pioneer and the great ancestral figure in the history of computing. Babbage excelled in a variety of scientific and philosophical subjects though his present-day reputation rests largely on the invention and design of his vast mechanical calculating engines. Babbage was born in London on December 26, 1791, the son of Benjamin Babbage, a London banker. As a youth Babbage was his own instructor in algebra, of which he was passionately fond, and was well read in the continental mathematics of his day. Upon entering Trinity College, Cambridge, in 1811, he found himself far in advance of his tutors in mathematics. Babbage co-founded the Analytical Society for promoting continental mathematics and reforming the mathematics of Newton then taught at the university. (Adaptado de 49. Assinale a assertiva correta de acordo com o texto. 50. Assinale a assertiva correta de acordo com o texto. In his youth, Charles Babbage taught his own algebra tutor. When Babbage entered university, he realized he was better prepared than his mathematic tutors. Babbage was born in London to poor parents. Babbage was the sole founder of the Analytical Society for the promotion of continental mathematics. The main purpose of the Analytical Society was to promote the teaching of the traditional Newtonian mathematics. O interesse de Babbage pela matemática despontou ao ingressar na Universidade de Cambridge. Babbage destacou-se apenas como o grande inventor dos computadores. Babbage era, primordialmente, um mecânico. Da fama de Babbage, restam apenas os minuciosos desenhos de suas máquinas de calcular. Babbage distinguiu-se em várias áreas do conhecimento científico e filosófico. 10 TJ/Programador

11 51. A expressão of which (linha 09) refere-se a Benjamin Babbage (linha 08). As a youth (linha 08). his own instructor (linha 09). algebra (linha 09). passionately fond (linha 09). 52. Qual o sinônimo mais adequado para rests (linha 06)? figures relaxes is based depends finds out Instrução: Para responder às questões de números 53 a 57, leia o texto abaixo Even though it s said that necessity is the mother of invention, women s contribution to inventing and science has been, in the past, often overlooked. It s likely that women have been using their creativity and intelligence to engineer new ideas and products since the beginning of human experience, but nobody really kept track of such things until a few years ago. It is easy to assemble a long list of favorite daring women inventors, scientists, and doctors from Nobel Prize winners to crafters of practical devices, from women who revolutionized the way diapers were changed to women whose revolutionary ideas changed the world. Among these women is the Mathematician and U.S. naval officer Rear Admiral Grace Murray Hopper, who invented the computer compiler, which revolutionized computer programming. She and her team also developed the first user-friendly business computer programming language, COBOL (Common Business- Oriented Language). (Adaptado de 53. Assinale a assertiva correta com base no texto. Atualmente, a contribuição das mulheres para a ciência é mais reconhecida do que há alguns anos. As mulheres se destacam mais em áreas do conhecimento voltadas à praticidade, como a tecnologia de fraldas descartáveis. As mulheres recentemente passaram a aplicar sua criatividade e inteligência para o incremento da produção científica. Embora exista um ditado que afirma que a necessidade é a mãe da invenção, a contribuição das mulheres para a criação científica é muito pequena. Não é fácil encontrar mulheres que tenham revolucionado a história da ciência. 54. A melhor tradução para a palavra assemble (linha 04) é assistir. elaborar. assessorar. percorrer. examinar. 56. Qual a melhor tradução para It s likely that women have been using their creativity and intelligence (linha 02)? É provável que as mulheres estejam usando sua criatividade e inteligência. As mulheres gostam de usar sua criatividade e inteligência. A criatividade e a inteligência das mulheres são admiradas. Eles gostam de que as mulheres façam uso de sua inteligência e criatividade. A criatividade e a inteligência das mulheres geralmente são usadas. 57. A palavra overlooked (linha 02) expressa profissionalismo. simpatia. solidariedade. semelhança. desconsideração. 58. Assinale a alternativa que preenche corretamente a lacuna da frase abaixo. 55. Que palavra, dentre as abaixo, pertence à mesma classe gramatical de engineer (linha 02), no sentido que possui no texto? teacher inventor discover producer creator Have you spent too much time waiting for large files to crawl between a computer and an external hard drive? Don t fret - USB 3.0 has arrived. Not only can it move data faster and provide more power, but it s... with USB 2.0 devices. inclusive compatible related useless reported TJ/Programador 11

12 59. Considere as assertivas abaixo referentes ao ato administrativo. I - O ato administrativo nulo opera ex nunc. II - Por ato administrativo discriminatório entende-se aquele praticado com inteira liberdade pela Administração, podendo ser caracterizado também como ato arbitrário. III - Ato jurídico alienatório é aquele que opera transferência de bens ou direitos de um titular para outro. I e III 60. Um servidor do Estado do Grande do Sul foi demitido por cometimento de falta grave. Posteriormente, obteve do Judiciário uma decisão, que transitou em julgado, anulando a demissão em decorrência de nulidade processual verificada no processo administrativo. Seu retorno ao serviço público dar-se-á por reintegração. recondução. reversão. readaptação. aproveitamento. 61. Considere as assertivas abaixo quanto à composição e competência dos órgãos judiciários no Rio Grande do Sul. I - O Tribunal de Justiça do Estado é formado por 140 (cento e quarenta) Desembargadores. II - A Justiça Militar integra o Poder Judiciário do Estado. III - O Conselho da Magistratura é o órgão maior de inspeção e disciplina na primeira instância, e de planejamento da organização e da administração judiciárias em primeira e segunda instâncias. I e III 62. Assinale a assertiva incorreta segundo o Estatuto e Regime Jurídico Único dos Servidores Públicos Civis do Estado do Rio Grande do Sul (Lei n o /1994). É vedada a contagem cumulativa de tempo de serviço prestado, concomitantemente, em mais de um cargo ou função em órgão ou entidade dos Poderes da União, estados, municípios, autarquias, fundações, sociedades de economia mista e empresas públicas. Quando o deslocamento não exigir pernoite fora da sede, o servidor terá direito a meia diária. É vedada a posse em cargo público mediante procuração, ainda que específica. A ajuda de custo paga a um servidor do Estado não poderá exceder a 3 (três) meses de remuneração. Para efeito de aposentadoria, o servidor do Estado do Rio Grande do Sul aproveita o tempo de serviço prestado como servidor efetivo de um município. 63. Sobre as normas estatutárias e legais que regem a responsabilidade do servidor público civil do Estado, considere as assertivas abaixo. I - Se, por uma determinada infração funcional, o servidor for condenado criminalmente, não caberá punição administrativa, pois esta estará absorvida por aquela. II - A responsabilidade civil-administrativa resulta de ato omissivo ou comissivo praticado no desempenho do cargo ou função. III - Somente se o servidor agiu de forma dolosa, ao praticar dano a terceiro, no exercício do cargo ou função, responderá perante a Fazenda Pública, em ação regressiva. I e III 64. Assinale a assertiva correta de acordo com o previsto na Lei n o /1994. É defeso ao servidor sindicalizar-se. É proibido ao servidor praticar usura, sob qualquer de suas formas. Em função do exercício do cargo ou função, o servidor somente poderá receber comissões ou presentes de contribuintes quando de pequeno valor, considerando-se como tal os que não atingem valor correspondente a meio salário mínimo nacional. Ainda que a ordem hierarquicamente superior seja manifestamente ilegal, o servidor é obrigado a cumpri-la, sob pena de demissão. É assegurado ao servidor o direito de requerer, administrativamente, em defesa de legítimo interesse próprio, após aquiescência escrita de seu imediato superior hierárquico. 12 TJ/Programador

13 65. Considere as assertivas abaixo referentes à vida funcional dos servidores públicos civis do Estado. 67. Assinale a assertiva correta de acordo com a Lei n o /1994. I - O servidor processado criminalmente e, por isso, afastado do cargo, sendo a final absolvido, terá considerado como de efetivo exercício o tempo de afastamento, com direito ao ressarcimento das diferenças pecuniárias a que fizer jus. II - Será considerado como de efetivo exercício do cargo o afastamento do servidor para atuar como jurado, no Tribunal do Júri, durante os dias em que se desenvolver a Reunião do Tribunal. III - No caso de ambos os cônjuges serem servidores, o direito ao recebimento de abono familiar por um deles exclui o direito do outro. Quais estão de acordo com o estabelecido na Lei n o /1994? I e II O servidor tem o direito de perceber as gratificações de insalubridade, periculosidade e penosidade, de forma cumulativa, se agentes específicos de cada atividade se fizerem presentes no exercício das funções. Por adoção de filho, o servidor terá direito à licençapaternidade de 30 (trinta) dias consecutivos. No processo administrativo, a prescrição é de ordem pública, podendo somente ser relevada pelo Secretário de Estado em cuja secretaria o servidor indiciado for lotado. O servidor que sofrer condenação por infração funcional à pena de repreensão terá automaticamente cancelado o registro funcional alusivo após 10 (dez) anos, desde que nesse período não tenha praticado nova infração. O servidor tem o direito a negar-se à prestação de serviço extraordinário, ainda que sem justo motivo. 68. Considere as assertivas abaixo. 66. O Estatuto dos Servidores da Justiça impõe algumas responsabilidades e limitações específicas ao servidor da Justiça. Sobre esta matéria, considere as assertivas abaixo. I - O servidor deverá residir na comarca onde for classificado e dela não se poderá ausentar, sem ser substituído e sem licença do Diretor do Foro. II - O servidor deverá exercer suas funções pessoalmente. III - É defeso ao servidor discutir política partidária no local de trabalho e nas horas de expediente, com colegas ou terceiros. I - Dentre as formas de provimento de cargo público, incluem-se a readaptação, a avulsão e a recondução. II - No processo administrativo, instaurado contra servidor, é assegurada a vista do processo, na repartição, tanto ao servidor indiciado como a seu procurador. III - Não será concedida nova licença para tratar de interesse particular antes de decorridos 2 (dois) anos do término da anterior, contados desde a data em que o servidor tenha reassumido o exercício do cargo. Quais estão de acordo com o estabelecido na Lei n o /1994? I e II I e III TJ/Programador 13

2008.1. A linguagem SQL

2008.1. A linguagem SQL SQL 2008.1 A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua primeira versão

Leia mais

C A D E R N O D E P R O V A S

C A D E R N O D E P R O V A S CONCURSO PÚBLICO ASSEMBLEIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE MINAS GERAIS C A D E R N O D E P R O V A S CADERNO 3 ESPECIALIDADE: ANALISTA DE SISTEMAS/ÁREA III (SUPORTE TÉCNICO) PROVA: CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS

Leia mais

Hardware (Nível 0) Organização. Interface de Máquina (IM) Interface Interna de Microprogramação (IIMP)

Hardware (Nível 0) Organização. Interface de Máquina (IM) Interface Interna de Microprogramação (IIMP) Hardware (Nível 0) Organização O AS/400 isola os usuários das características do hardware através de uma arquitetura de camadas. Vários modelos da família AS/400 de computadores de médio porte estão disponíveis,

Leia mais

SQL Structured Query Language

SQL Structured Query Language Janai Maciel SQL Structured Query Language (Banco de Dados) Conceitos de Linguagens de Programação 2013.2 Structured Query Language ( Linguagem de Consulta Estruturada ) Conceito: É a linguagem de pesquisa

Leia mais

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita:

SQL. SQL (Structured Query Language) Comando CREATE TABLE. SQL é uma linguagem de consulta que possibilita: SQL Tópicos Especiais Modelagem de Dados Prof. Guilherme Tavares de Assis Universidade Federal de Ouro Preto UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas ICEB Mestrado Profissional em Ensino de Ciências

Leia mais

2008.1 SQL. Autor: Renata Viegas

2008.1 SQL. Autor: Renata Viegas SQL Autor: Renata Viegas A linguagem SQL SQL - Structured Query Language. Foi definida nos laboratórios de pesquisa da IBM em San Jose, California, em 1974. Teve seus fundamentos no modelo relacional Sua

Leia mais

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível

Leia mais

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível de independência do

Leia mais

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Programação com acesso a BD Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br 1 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias 2 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias Modelo de dados: Conjunto de conceitos

Leia mais

Banco de Dados. Um momento crucial na organização dos dados é a forma com que cadastramos estes dados, a estrutura de armazenamento que criamos.

Banco de Dados. Um momento crucial na organização dos dados é a forma com que cadastramos estes dados, a estrutura de armazenamento que criamos. Banco de Dados O que é um Banco de Dados? Este assunto é muito vasto, tentaremos resumi-lo para atender as questões encontradas em concursos públicos. Já conhecemos o conceito de dado, ou seja, uma informação

Leia mais

Como posso usar o HP Easy Printer Care através de USB ou conexão paralela?

Como posso usar o HP Easy Printer Care através de USB ou conexão paralela? HP Easy Printer Care Perguntas freqüentes Como posso usar o HP Easy Printer Care através de USB ou conexão paralela? O HP Easy Printer Care só pode ser usado através de USB ou de uma conexão paralela se

Leia mais

SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável.

SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável. SQL (Structured Query Language) SQL é uma linguagem de consulta que implementa as operações da álgebra relacional de forma bem amigável. Além de permitir a realização de consultas, SQL possibilita: definição

Leia mais

SQL. Prof. Márcio Bueno. {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com

SQL. Prof. Márcio Bueno. {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com SQL Prof. Márcio Bueno {bd2tarde,bd2noite}@marciobueno.com Material dos professores Ana Carolina Salgado, Fernando Foncesa e Valéria Times (CIn/UFPE) SQL SQL - Structured Query Language Linguagem de Consulta

Leia mais

Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados. / NT Editora. -- Brasília: 2013. 94p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm.

Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados. / NT Editora. -- Brasília: 2013. 94p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm. Autor Ismael Sousa Araujo Pós-graduado em Gerência de Projetos PMBOK UNICESP. Graduado em Tecnologia em Segurança da Informação UNICESP. Professor de concurso da área de informática e consultor em EAD.

Leia mais

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1

PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 INTRODUÇÃO PHP INTEGRAÇÃO COM MYSQL PARTE 1 Leonardo Pereira leonardo@estudandoti.com.br Facebook: leongamerti http://www.estudandoti.com.br Informações que precisam ser manipuladas com mais segurança

Leia mais

Banco de Dados. Prof. Dr. Rogério Galante Negri

Banco de Dados. Prof. Dr. Rogério Galante Negri Banco de Dados Prof Dr Rogério Galante Negri Tradicionalmente O armazenamento dos dados utilizava arquivos individuais, sem nenhum relacionamento Cada programa utilizava seu próprio sistema de arquivo

Leia mais

Parte II Introdução a Linguagens de Programação

Parte II Introdução a Linguagens de Programação Programação de Computadores III Aula 1 Professor Leandro Augusto Frata Fernandes laffernandes@ic.uff.br Material disponível em http://www.ic.uff.br/~laffernandes/teaching/2011.1/tcc-03.063 Roteiro da Aula

Leia mais

CONCORRÊNCIA. 1. Introdução. Recursos exclusivos. Não necessita controle. Abundância de recursos compartilhados. Controle necessário mas mínimo

CONCORRÊNCIA. 1. Introdução. Recursos exclusivos. Não necessita controle. Abundância de recursos compartilhados. Controle necessário mas mínimo CONCORRÊNCIA 1. Introdução Recursos exclusivos Não necessita controle Abundância de recursos compartilhados Controle necessário mas mínimo Harmonia, provavelmente não haverá conflito Recursos disputados

Leia mais

FAT32 ou NTFS, qual o melhor?

FAT32 ou NTFS, qual o melhor? FAT32 ou NTFS, qual o melhor? Entenda quais as principais diferenças entre eles e qual a melhor escolha O que é um sistema de arquivos? O conceito mais importante sobre este assunto, sem sombra de dúvidas,

Leia mais

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador.

O programa Mysql acompanha o pacote de instalação padrão e será instalado juntamente com a execução do instalador. INTRODUÇÃO O Programa pode ser instalado em qualquer equipamento que utilize o sistema operacional Windows 95 ou superior, e seu banco de dados foi desenvolvido em MySQL, sendo necessário sua pré-instalação

Leia mais

Sistema Operacional. Processo e Threads. Prof. Dr. Márcio Andrey Teixeira Sistemas Operacionais

Sistema Operacional. Processo e Threads. Prof. Dr. Márcio Andrey Teixeira Sistemas Operacionais Sistema Operacional Processo e Threads Introdução a Processos Todos os computadores modernos são capazes de fazer várias coisas ao mesmo tempo. Enquanto executa um programa do usuário, um computador pode

Leia mais

Programação de Computadores III

Programação de Computadores III Programação de Computadores III Introdução a Linguagens de Programação Professor Leandro Augusto Frata Fernandes laffernandes@ic.uff.br Material disponível em http://www.ic.uff.br/~laffernandes/teaching/2013.1/tcc-00.157

Leia mais

Introdução ao SQL. Aécio Costa

Introdução ao SQL. Aécio Costa Aécio Costa A linguagem SQL é um padrão de linguagem de consulta comercial e possui as seguintes partes: Linguagem de definição de dados (DDL) Linguagem interativa de manipulação de dados (DML) Definição

Leia mais

Programação I. Departamento de Engenharia Rural Centro de Ciências Agrárias

Programação I. Departamento de Engenharia Rural Centro de Ciências Agrárias Departamento de Engenharia Rural Centro de Ciências Agrárias Programação I Prof. Bruno Vilela Oliveira bruno@cca.ufes.br http://www.brunovilela.webnode.com.br Programas e Linguagens Para executar uma tarefa

Leia mais

PROVA DE NÍVEL SUPERIOR. CARGO: Técnico de Nível Superior Júnior II - TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO

PROVA DE NÍVEL SUPERIOR. CARGO: Técnico de Nível Superior Júnior II - TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO PROVA DE NÍVEL SUPERIOR CARGO: Técnico de Nível Superior Júnior II - TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1. O ambiente Delphi suporta o desenvolvimento de aplicações orientadas a objetos por meio da linguagem Object

Leia mais

Projeto de Banco de Dados

Projeto de Banco de Dados Projeto de Banco de Dados Prof. Marcelo Siedler Objetivos do documento: Apresentar os conceitos de stored procedutes e funções. Exercícios. Referência: http://dev.mysql.com/doc/refman/4.1/pt/stored-procedures.html

Leia mais

Kaseya 2. Dados de exibição rápida. Version R8. Português

Kaseya 2. Dados de exibição rápida. Version R8. Português Kaseya 2 Using StorageCraft Recovery Environment Dados de exibição rápida Version R8 Português Outubro 23, 2014 Agreement The purchase and use of all Software and Services is subject to the Agreement as

Leia mais

BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE. C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03)

BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE. C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03) MBA em Gestão de TI MÓDULO: BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03) PROFESSOR: Edison Andrade Martins Morais prof@edison.eti.br http://www.edison.eti.br

Leia mais

Modelo de Dados Relacional Restrições de um Banco de Dados Relacional

Modelo de Dados Relacional Restrições de um Banco de Dados Relacional Modelo de Dados Relacional e as Restrições de um Banco de Dados Relacional Modelo de Dados Relacional Conceitos do Modelo Relacional Representa o banco de dados como uma coleção de relações. Comparação

Leia mais

Aula 02 Modelagem de Dados. Banco de Dados. Aula 02 Modelagem de Dados. Superior /2011 Redes Computadores - Disciplina: Banco de Dados -

Aula 02 Modelagem de Dados. Banco de Dados. Aula 02 Modelagem de Dados. Superior /2011 Redes Computadores - Disciplina: Banco de Dados - Banco de Dados Aula 02 Modelagem de Dados Roteiro Definição Evolução Projeto de BD Abstração Esquema e Instância Definição É uma representação, normalmente gráfica, de estruturas de dados reais. Auxilia

Leia mais

Introdução à Programação de Computadores

Introdução à Programação de Computadores 1. Objetivos Introdução à Programação de Computadores Nesta seção, vamos discutir os componentes básicos de um computador, tanto em relação a hardware como a software. Também veremos uma pequena introdução

Leia mais

Professor: Macêdo Firmino Configuração TCP/IP no Windows 7

Professor: Macêdo Firmino Configuração TCP/IP no Windows 7 Professor: Macêdo Firmino Configuração TCP/IP no Windows 7 Se você tem mais que um computador ou outros dispositivos de hardware, como impressoras, scanners ou câmeras, pode usar uma rede para compartilhar

Leia mais

Word e Excel. Marque Certo ou Errado

Word e Excel. Marque Certo ou Errado A figura acima mostra uma janela do Word 2002, com um texto em processo de edição. Nesse texto, a expressão União Européia é o único trecho formatado como negrito e a palavra continente está selecionada.

Leia mais

SISTEMAS DE BANCO DE DADOS. Prof. Adriano Pereira Maranhão

SISTEMAS DE BANCO DE DADOS. Prof. Adriano Pereira Maranhão SISTEMAS DE BANCO DE DADOS Prof. Adriano Pereira Maranhão 1 REVISÃO BANCO DE DADOS I O que é banco de dados? Ou seja afinal o que é um SGBD? REVISÃO BD I REVISÃO DE BD I Um Sistema de Gerenciamento de

Leia mais

Exercícios de Lógica Exercícios de Fixação 08

Exercícios de Lógica Exercícios de Fixação 08 Exercícios Exercícios de Lógica Exercícios de Fixação 08 1. A linguagem SQL apresenta uma série de comandos que permitem a definição dos dados, chamada de DDL (Data Definition Language). Assinale a alternativa

Leia mais

Manual do Teclado de Satisfação Online Web Opinião Versão 1.0.5

Manual do Teclado de Satisfação Online Web Opinião Versão 1.0.5 Manual do Teclado de Satisfação Online Web Opinião Versão 1.0.5 09 de julho de 2015 Departamento de Engenharia de Produto (DENP) SEAT Sistemas Eletrônicos de Atendimento 1. Introdução O Teclado de Satisfação

Leia mais

Principais Comandos SQL Usados no MySql

Principais Comandos SQL Usados no MySql Principais Comandos SQL Usados no MySql O que é um SGBD? Um Sistema Gerenciador de Banco de Dados (como no Brasil) ou Sistema Gestor de Base de Dados (SGBD) é o conjunto de programas de computador (softwares)

Leia mais

Resumo da Introdução de Prática de Programação com C. A Linguagem C

Resumo da Introdução de Prática de Programação com C. A Linguagem C Resumo da Introdução de Prática de Programação com C A Linguagem C O C nasceu na década de 70. Seu inventor, Dennis Ritchie, implementou-o pela primeira vez usando um DEC PDP-11 rodando o sistema operacional

Leia mais

Comandos de Manipulação

Comandos de Manipulação SQL - Avançado Inserção de dados; Atualização de dados; Remoção de dados; Projeção; Seleção; Junções; Operadores: aritméticos, de comparação,de agregação e lógicos; Outros comandos relacionados. SQL SQL

Leia mais

TÉCNICO EM ELETRÔNICA

TÉCNICO EM ELETRÔNICA ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL PODER JUDIIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA ONURSO PÚBLIO PARA PROVIMENTO DO ARGO DE TÉNIO EM ELETRÔNIA Parte 1 Língua Portuguesa 01-16 Parte 2 onhecimentos Específicos 17-48 Parte

Leia mais

Faculdade Lourenço Filho - ENADE 2011-1

Faculdade Lourenço Filho - ENADE 2011-1 1. Quando se constrói um banco de dados, define-se o modelo de entidade e relacionamento (MER), que é a representação abstrata das estruturas de dados do banco e seus relacionamentos. Cada entidade pode

Leia mais

GABARITO - B. manuel@carioca.br

GABARITO - B. manuel@carioca.br NOÇÕES DE INFORMÁTICA EDITORA FERREIRA PROVA MPRJ -TÉCNICO ADMINISTRATIVO - TADM NCE-UFRJ CORREÇÃO - GABARITO COMENTADO Considere que as questões a seguir referem-se a computadores com uma instalação padrão

Leia mais

16/09/2012. Agenda. Introdução. Introdução. Tipos de Software (Básico) Tipos de Software. Curso Conexão Noções de Informática

16/09/2012. Agenda. Introdução. Introdução. Tipos de Software (Básico) Tipos de Software. Curso Conexão Noções de Informática Curso Conexão Noções de Informática Aula 2 Arquitetura de Computadores (Software) Agenda Introdução; Tipos de Software; Básico; Aplicativo; Livre; Proprietário. Pirataria de Software; Demos, Freewares

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 24

PROVA ESPECÍFICA Cargo 24 17 PROVA ESPECÍFICA Cargo 24 QUESTÃO 36 Considere que, no algoritmo em alto nível a seguir, V seja um vetor de inteiros contendo 10 posições indexadas de 0 a 9, e as demais variáveis sejam inteiras. 1.

Leia mais

Programação com acesso a BD. Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br

Programação com acesso a BD. Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Programação com acesso a BD Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br 1 Agenda Linguagem SQL: Introdução; Construção/Definição de tabelas. 2 Linguagem SQL SQL - Structured Query Language;

Leia mais

Rotina de Discovery e Inventário

Rotina de Discovery e Inventário 16/08/2013 Rotina de Discovery e Inventário Fornece orientações necessárias para testar a rotina de Discovery e Inventário. Versão 1.0 01/12/2014 Visão Resumida Data Criação 01/12/2014 Versão Documento

Leia mais

SOA Introdução. SOA Visão Departamental das Organizações

SOA Introdução. SOA Visão Departamental das Organizações 1 Introdução A Organização é a forma pela qual nós coordenamos nossos recursos de todos os tipos para realizar o trabalho que nos propusemos a fazer. A estrutura de nossas organizações manteve-se basicamente

Leia mais

SQL DDL. Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br

SQL DDL. Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br Banco de Dados I SQL DDL Frederico D. Bortoloti freddb@ltc.ufes.br Introdução Modelo relacional encontra-se padronizado pela indústria de informática. Ele é chamado de padrão SQL (Structured Query Language)

Leia mais

APOSTILA BANCO DE DADOS INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL

APOSTILA BANCO DE DADOS INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL 1. O que é Linguagem SQL 2. Instrução CREATE 3. CONSTRAINT 4. ALTER TABLE 5. RENAME TABLE 6. TRUCANTE TABLE 7. DROP TABLE 8. DROP DATABASE 1 1. O que é Linguagem SQL 2. O SQL (Structured Query Language)

Leia mais

Tecnologia da Informação. Visão Geral sobre Informática

Tecnologia da Informação. Visão Geral sobre Informática 9/18/2014 1 Tecnologia da Informação Visão Geral sobre Informática Trabalho compilado da internet Prof. Claudio Passos 9/18/2014 2 PROBLEMAS ADMINISTRATIVOS Volume de Informação Tempo de Resposta Aumento

Leia mais

Preparando o Ambiente e Instalando o System Center Configuration Manager 2012 R2

Preparando o Ambiente e Instalando o System Center Configuration Manager 2012 R2 Preparando o Ambiente e Instalando o System Center Configuration Manager 2012 R2 Artigo escrito por Walter Teixeira wteixeira.wordpress.com Sumário Cenário Proposto... 3 Preparação do Servidor SQL Server

Leia mais

Disciplina de Banco de Dados Parte V

Disciplina de Banco de Dados Parte V Disciplina de Banco de Dados Parte V Prof. Elisa Maria Pivetta CAFW - UFSM Modelo de Dado Relacional O Modelo Relacional O Modelo ER é independente do SGDB portanto, deve ser o primeiro modelo gerado após

Leia mais

Tipos de dados complexos e objectos Tipos de dados estruturados e herança em SQL Herança de tabelas Matrizes e multi-conjuntos em SQL Identidade de

Tipos de dados complexos e objectos Tipos de dados estruturados e herança em SQL Herança de tabelas Matrizes e multi-conjuntos em SQL Identidade de Capítulo 8: BDs Objecto-Relacional Tipos de dados complexos e objectos Tipos de dados estruturados e herança em SQL Herança de tabelas Matrizes e multi-conjuntos em SQL Identidade de Objectos e Referência

Leia mais

O conjunto é composto por duas seções: o App Inventor Designer e o App Inventor Blocks Editor, cada uma com uma função específica.

O conjunto é composto por duas seções: o App Inventor Designer e o App Inventor Blocks Editor, cada uma com uma função específica. Google App Inventor: o criador de apps para Android para quem não sabe programar Por Alexandre Guiss Fonte: www.tecmundo.com.br/11458-google-app-inventor-o-criador-de-apps-para-android-para-quem-naosabe-programar.htm

Leia mais

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09 ÍNDICE Sobre o SabeTelemarketing 03 Ícones comuns à várias telas de gerenciamento Contato Verificar registros 09 Telas de cadastro e consultas 03 Menu Atalho Nova pessoa Incluir um novo cliente 06 Novo

Leia mais

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD

Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD Structured Query Language (SQL) Ambiente Simplificado de um SGBD 2 1 Características dos SGBDs Natureza auto-contida de um sistema de banco de dados: metadados armazenados num catálogo ou dicionário de

Leia mais

Programação WEB II. PHP e Banco de Dados. progweb2@thiagomiranda.net. Thiago Miranda dos Santos Souza

Programação WEB II. PHP e Banco de Dados. progweb2@thiagomiranda.net. Thiago Miranda dos Santos Souza PHP e Banco de Dados progweb2@thiagomiranda.net Conteúdos Os materiais de aula, apostilas e outras informações estarão disponíveis em: www.thiagomiranda.net PHP e Banco de Dados É praticamente impossível

Leia mais

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS

AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS AULA 2 INTERAÇÃO COM O BANCO DE DADOS BANCO DE DADOS POSTGRESQL O PostgreSQL é um sistema gerenciador de banco de dados dos mais robustos e avançados do mundo. Seu código é aberto e é totalmente gratuito,

Leia mais

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP

Os objetivos indicados aplicam-se a duas linguagens de programação: C e PHP AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SANTA COMBA DÃO CURSO PROFISSIONAL DE TÉCNICO DE GESTÃO E PROGRAMAÇÃO DE SISTEMAS INFORMÁTICOS 2012-2015 PROGRAMAÇÃO E SISTEMAS DE INFORMAÇÃO MÓDULO 2 Mecanismos de Controlo de

Leia mais

Banco de Dados. Arquitetura e Terminologia. Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.

Banco de Dados. Arquitetura e Terminologia. Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo. Banco de Dados Arquitetura e Terminologia Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2015 Modelo de Dados e Esquemas O modelo de Banco de Dados é como um detalhamento

Leia mais

Gabarito - Banco de Dados SQL - 30/07/2013 AULA 01

Gabarito - Banco de Dados SQL - 30/07/2013 AULA 01 Gabarito - Banco de Dados SQL - 30/07/2013 AULA 01 1 1- Bancos de dados compreendem desde agendas telefônicas até sistemas computadorizados. (Sim) 2- Só podemos instalar o SQL Server Express se tivermos

Leia mais

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício

Introdução à Banco de Dados. Nathalia Sautchuk Patrício Introdução à Banco de Dados Nathalia Sautchuk Patrício Histórico Início da computação: dados guardados em arquivos de texto Problemas nesse modelo: redundância não-controlada de dados aplicações devem

Leia mais

SQL DDL Criando Tabelas e Restrições Instituto Militar de Engenharia IME Material extraido parcialmente de notas de aula de Maria Luiza Campos e Arnaldo Vieira Comandos de Definição de Dados Aplicação

Leia mais

TRE/MG (15/03/2008) CESPE QUESTÃO 6

TRE/MG (15/03/2008) CESPE QUESTÃO 6 TRE/MG (15/03/2008) CESPE QUESTÃO 6 Considerando a janela do Word 2003 ilustrada acima, que contém um documento em processo de edição no qual o título está selecionado, assinale a opção correta. A O parágrafo

Leia mais

Tópicos. Atualizações e segurança do sistema. Manutenção Preventiva e Corretiva de Software (utilizando o MS Windows XP)

Tópicos. Atualizações e segurança do sistema. Manutenção Preventiva e Corretiva de Software (utilizando o MS Windows XP) teste 1 Manutenção Preventiva e Corretiva de Software (utilizando o MS Windows XP) Rafael Fernando Diorio www.diorio.com.br Tópicos - Atualizações e segurança do sistema - Gerenciamento do computador -

Leia mais

Engenharia de Software I

Engenharia de Software I Engenharia de Software I Rogério Eduardo Garcia (rogerio@fct.unesp.br) Bacharelado em Ciência da Computação Aula 05 Material preparado por Fernanda Madeiral Delfim Tópicos Aula 5 Contextualização UML Astah

Leia mais

EXERCÍCIOS PRÁTICOS. Banco de Dados

EXERCÍCIOS PRÁTICOS. Banco de Dados EXERCÍCIOS PRÁTICOS Banco de Dados Introdução ao uso do SQL Structured Query Language, considerando tanto DDL Data Definition Language quanto DML Data Manipulation Language. Banco de Dados selecionado:

Leia mais

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL

PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL PÓS-GRADUAÇÃO EM MATEMÁTICA COMPUTACIONAL INFORMÁTICA INSTRUMENTAL Introdução Aula 03: Pacote Microsoft Office 2007 O Pacote Microsoft Office é um conjunto de aplicativos composto, principalmente, pelos

Leia mais

Informática. Informática. Valdir. Prof. Valdir

Informática. Informática. Valdir. Prof. Valdir Prof. Valdir Informática Informática Valdir Prof. Valdir Informática Informática PROVA DPF 2009 Julgue os itens subseqüentes, a respeito de Internet e intranet. Questão 36 36 - As intranets, por serem

Leia mais

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM SQL CRIAÇÃO DE BANCO DE DADOS E OTIMIZAÇÃO DE CONSULTAS

INTRODUÇÃO À LINGUAGEM SQL CRIAÇÃO DE BANCO DE DADOS E OTIMIZAÇÃO DE CONSULTAS Esclarecimento Licenciamento de Uso Este documento é propriedade intelectual 2012 da NRSYSTEM COMÉRCIO E SERVIÇOS DE INFORMÁTICA LTDA-ME, consiste de uma compilação de diversos materiais entre livros,

Leia mais

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS

UNIVERSIDADE VEIGA DE ALMEIDA CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS BANCO DE DADOS CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM PROCESSAMENTO DE DADOS CLAUDIO RIBEIRO DA SILVA MARÇO 1997 2 1 - CONCEITOS GERAIS DE 1.1 - Conceitos Banco de Dados - Representa

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA. Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA. Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO DE JANEIRO ESCOLA DE ENGENHARIA DEPARTAMENTO DE ELETRÔNICA Sistema de Gerenciamento Eletrônico de Documentos Autor: Evandro Bastos Tavares Orientador: Antônio Claudio Gomez

Leia mais

Sistemas Operacionais

Sistemas Operacionais Sistemas Operacionais SISTEMAS DE ARQUIVOS MACHADO/MAIA: CAPÍTULO 11 Prof. Pedro Luís Antonelli Anhanguera Educacional SISTEMAS DE ARQUIVOS - INTRODUÇÃO O armazenamento e a recuperação de informações é

Leia mais

Programação Orientada a Objetos Prof. Rone Ilídio UFSJ/CAP

Programação Orientada a Objetos Prof. Rone Ilídio UFSJ/CAP Programação Orientada a Objetos Prof. Rone Ilídio UFSJ/CAP 1) Introdução Programação Orientada a Objetos é um paradigma de programação bastante antigo. Entretanto somente nos últimos anos foi aceito realmente

Leia mais

O que são Bancos de Dados?

O que são Bancos de Dados? SQL Básico Liojes de Oliveira Carneiro professor.liojes@gmail.com www.professor-liojes.blogspot.com O que são Bancos de Dados? É o software que armazena, organiza, controla, trata e distribui os dados

Leia mais

PROGRAMAÇÃO AVANÇADA -CONCEITOS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br

PROGRAMAÇÃO AVANÇADA -CONCEITOS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br PROGRAMAÇÃO AVANÇADA -CONCEITOS DE ORIENTAÇÃO A OBJETOS Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. frozza@ifc-camboriu.edu.br ROTEIRO 1. Conceitos de Orientação a Objetos Introdução O paradigma da POO Classes

Leia mais

1 - Processamento de dados

1 - Processamento de dados Conceitos básicos sobre organização de computadores 2 1 - Processamento de dados O que é processamento? O que é dado? Dado é informação? Processamento é a manipulação das informações coletadas (dados).

Leia mais

Banco de Dados I. Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011

Banco de Dados I. Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011 Banco de Dados I Aula 12 - Prof. Bruno Moreno 04/10/2011 Plano de Aula SQL Definição Histórico SQL e sublinguagens Definição de dados (DDL) CREATE Restrições básicas em SQL ALTER DROP 08:20 Definição de

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM COLÉGIO AGRÍCOLA DE FREDERICO WESTPHALEN BANCO DE DADOS II

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM COLÉGIO AGRÍCOLA DE FREDERICO WESTPHALEN BANCO DE DADOS II UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA MARIA - UFSM COLÉGIO AGRÍCOLA DE FREDERICO WESTPHALEN BANCO DE DADOS II BANCO DE DADOS II AULA 1 Linguagem SQL Linguagem de definição de dados (DDL) DISCIPLINA: Banco de Dados

Leia mais

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5 Para entender bancos de dados, é útil ter em mente que os elementos de dados que os compõem são divididos em níveis hierárquicos. Esses elementos de dados lógicos constituem os conceitos de dados básicos

Leia mais

Segurança de Acesso a Banco de Dados no MS SQL Server

Segurança de Acesso a Banco de Dados no MS SQL Server Segurança de Acesso a Banco de Dados no MS SQL Server Para efetuar com sucesso os exemplos que serão mostrados a seguir é necessário que exista no SQL Server uma pessoa que se conecte como Administrador,

Leia mais

Introdução ao Uso dos Computadores. / NT Editora. -- Brasília: 2013. 51p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm.

Introdução ao Uso dos Computadores. / NT Editora. -- Brasília: 2013. 51p. : il. ; 21,0 X 29,7 cm. Autor José Ricardo Moreira Pós graduado em Literatura e autor de literatura para jovens de todas as idades, como prefere classificar as narrativas alinhadas com os grandes temas da atualidade. Em meados

Leia mais

INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++

INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO SEMI-ÁRIDO CURSO: Bacharelado em Ciências e Tecnologia INFORMÁTICA APLICADA AULA 02 LINGUAGEM DE PROGRAMAÇÃO C++ Profª ª Danielle Casillo COMPILADORES Toda linguagem de programação

Leia mais

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO ÍNDICE Relatórios Dinâmicos... 3 Requisitos de Sistema... 4 Estrutura de Dados... 5 Operadores... 6 Tabelas... 7 Tabelas x Campos... 9 Temas... 13 Hierarquia Relacionamento...

Leia mais

Conexões e Protocolo Internet (TCP/IP)

Conexões e Protocolo Internet (TCP/IP) "Visão geral da configuração da rede" na página 3-2 "Escolhendo um método de conexão" na página 3-3 "Conectando via Ethernet (recomendado)" na página 3-3 "Conectando via USB" na página 3-4 "Configurando

Leia mais

Windows. Introdução. Introdução Sistema Operacional. Introdução Sistema Operacional. Introdução Sistema Operacional. Introdução Sistema Operacional

Windows. Introdução. Introdução Sistema Operacional. Introdução Sistema Operacional. Introdução Sistema Operacional. Introdução Sistema Operacional Windows Prof. Leandro Tonietto Cursos de Informática Unisinos Março-2008 O que é Sistema operacional? O que é Windows? Interface gráfica: Comunicação entre usuário e computador de forma mais eficiente

Leia mais

Unidade 1: O Painel de Controle do Excel *

Unidade 1: O Painel de Controle do Excel * Unidade 1: O Painel de Controle do Excel * material do 2010* 1.0 Introdução O Excel nos ajuda a compreender melhor os dados graças à sua organização em células (organizadas em linhas e colunas) e ao uso

Leia mais

Representação de Algoritmos - Linguagens de Programação

Representação de Algoritmos - Linguagens de Programação Representação de Algoritmos - Linguagens de Programação A representação de algoritmos em uma pseudo-linguagem mais próxima às pessoas é bastante útil principalmente quando o problema a ser tratado envolve

Leia mais

FUNCTION ) RETURNS INTEGER AS $$ DECLARE

FUNCTION ) RETURNS INTEGER AS $$ DECLARE PERFORM O comando PERFORM permite a execução de um comando SELECT desprezando o resultado do comando. PERFORM query; A variável especial FOUND é definida como verdadeiro se a instrução produzir pelo menos

Leia mais

Sumário. 1 Introdução à administração do Windows Vista...27. 2 Gerenciando sistemas Windows Vista...51

Sumário. 1 Introdução à administração do Windows Vista...27. 2 Gerenciando sistemas Windows Vista...51 Sumário 1 Introdução à administração do Windows Vista...27 Começando a usar o Windows Vista... 28 Instalando e executando o Windows Vista... 30 Instalando o Windows Vista...30 Utilizando o Centro de Boas-vindas

Leia mais

Guia de Introdução ao Symantec Protection Center. Versão 2.0

Guia de Introdução ao Symantec Protection Center. Versão 2.0 Guia de Introdução ao Symantec Protection Center Versão 2.0 Guia de Introdução ao Symantec Protection Center O software descrito neste documento é fornecido sob um contrato de licença e pode ser usado

Leia mais

DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9

DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9 DESENVOLVENDO SOLUÇÕES COM VISUAL FOXPRO 8 E 9 Í N D I C E Capítulo 1 - O Início de Tudo 1 Reunindo todas as informações necessárias 2 Instalando o Visual FoxPro 2 Configurando o Visual FoxPro 7 Capítulo

Leia mais

Universidade Federal da Fronteira Sul Campus Chapecó Sistema Operacional

Universidade Federal da Fronteira Sul Campus Chapecó Sistema Operacional Universidade Federal da Fronteira Sul Campus Chapecó Sistema Operacional Elaboração: Prof. Éverton Loreto everton@uffs.edu.br 2010 Objetivo Conhecer as características e recursos do Sistema Operacional

Leia mais

Roteiro 2 Conceitos Gerais

Roteiro 2 Conceitos Gerais Roteiro 2 Conceitos Gerais Objetivos: UC Projeto de Banco de Dados Explorar conceitos gerais de bancos de dados; o Arquitetura de bancos de dados: esquemas, categorias de modelos de dados, linguagens e

Leia mais

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual Aplicativo da Manifestação do Destinatário Manual Novembro de 2012 1 Sumário 1 Aplicativo de Manifestação do Destinatário...4 2 Iniciando o aplicativo...4 3 Menus...5 3.1 Manifestação Destinatário...5

Leia mais

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica

Tutorial. O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Tutorial O Trade e a Nota Fiscal Eletrônica Este tutorial explica como configurar o Trade Solution e realizar as principais atividades relacionadas à emissão e ao gerenciamento das Notas Fiscais Eletrônicas

Leia mais

1. Introdução a Microsoft Excel

1. Introdução a Microsoft Excel Introdução a Microsoft Excel 1. Introdução a Microsoft Excel 1.1. O que é Microsoft Excel Microsoft Excel é um software de planilha eletrônica produzido pela Microsoft Corporation, para o sistema operacional

Leia mais

7 Utilização do Mobile Social Gateway

7 Utilização do Mobile Social Gateway 7 Utilização do Mobile Social Gateway Existem três atores envolvidos na arquitetura do Mobile Social Gateway: desenvolvedor do framework MoSoGw: é o responsável pelo desenvolvimento de novas features,

Leia mais