PORTAL COLABORATIVO PARA CONSTRUÇÃO DE MAPAS SOBRE EVOLUÇÃO DE DOENÇAS EPIDEMIOLÓGICAS 1

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PORTAL COLABORATIVO PARA CONSTRUÇÃO DE MAPAS SOBRE EVOLUÇÃO DE DOENÇAS EPIDEMIOLÓGICAS 1"

Transcrição

1 PORTAL COLABORATIVO PARA CONSTRUÇÃO DE MAPAS SOBRE EVOLUÇÃO DE DOENÇAS EPIDEMIOLÓGICAS 1 Robson Bresolin Jardim Stanley Loh - Orientador Universidade Luterana do Brasil (ULBRA) Curso de Sistemas de Informação Câmpus Canoas RESUMO Av. Farroupilha, Bairro São José CEP Canoas - RS 22 de junho de 2011 O presente trabalho tem por objetivo utilizar os conceitos de Sistemas de Informações Geográficas (SIG) para criar um portal colaborativo onde os usuários terão autonomia para criar pontos de referência para os principais focos de doenças epidemiológicas. Inicialmente serão apresentados alguns marcos históricos sobre SIG bem como definições que são seguidas nos dias atuais para criação de sistemas baseados em SIG, após serão apresentados os mapas mais robustos do mercado em suas principais características apresentando principalmente suas API's, estas são disponibilizadas a seus utilizadores a fim de popularizar e facilitar seu uso e distribuição. Serão apresentados ainda aplicações existentes no mercado que utilizam as API's destes mapas e também suas principais funcionalidades e beneficios. Com base na utilização de sistemas de informação será apresentado uma proposta de solução onde será construido um projeto de software para criação deste portal colaborativo. Na definição das macro atividades será possível dimensionar o tamanho do projeto bem como as metodologias para o desenvolvimento do sistema em destaque para Domain Driven Design que tem por objetivo auxiliar na criação de um modelo de negócio com linguagem ubíqua para aproximar o conhecimento técnico da linguagem utilizada pelos usuários do sistema. Para finalizar será apresentado o sistema com todos os recursos desenvolvidos. Palavras-chave: Sistemas de Informação Geográfica, Geoprocessamento, API. ABSTRACT Title: Collaborative Portal for constructing maps for the prevention of Epidemiological illnesses The present work has the objective of using the Geographic Information Systems (GIS) concepts to create a collaborative portal where users will have autonomy to create points of reference for the main focuses of epidemiological illnesses. Initially some historical landmarks will be presented about GIS as well as definitions that are followed in current times for creating the systems based on GIS, following will be presented the most robust maps of the market in their main characteristics presenting mainly their API`s,these are made available to their users to make popular and facilitate the use and distribution. Along with these will be presented existent applications in the market that use the API`s of these maps and also their functions and benefits. Based on the use of information systems there will be presented a solution proposal where there will be built a software project for the creation of this colaborative portal. In the definition of macro activities it will be possible to give the dimension of the size of the project as well as the methodologies for the development of the system in focus to Domain Driven Design which has as its objective to assist in the creation of a business model with ubiquitous language to proximate the technical 1 Proposta de Trabalho de Conclusão de Curso em Sistemas de Informação, submetida ao Curso de Sistemas de Informação da Universidade Luterana do Brasil, Câmpus Canoas.

2 knowledge of the the language used by the users of the system. In conclusion will be presented the system with all the resources developed. Key words: Geographic Information Systems, Geoprocessing, API. 1. INTRODUÇÃO Este trabalho apresenta o referencial teórico de um portal colaborativo utilizando sistemas de informação geográfica para criação de um mapa contendo informações de focos de doenças epidemiológicas. O projeto consiste em utilizar recursos disponiveis em API s de mapas conhecidos como Google Maps e OpenStreetMaps, estas permitem a seus consumidores incorporar os mapas em suas páginas web de forma fácil, ágil e robusta. O acesso as API s são realizados através de rotinas e funções que serão demontrados no decorrer do artigo. 2. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GEOGRÁFICA (SIG) 2.1. Conceitos O conceito SIG foi desenvolvido inicialmente na década de 60 como um meio de combinar diversos tipos de dados em um mesmo mapa. (Paredes, 1994, p.19). Anteriormente o conceito existente era apenas o de automatizar a função de desenho como no sistema CAD (Computer Aided Design). O sistema CAD possibilita a criação de desenhos, curvas e figuras em duas dimensões e três dimensões, em contrapartida o SIG associa atributos gráficos e não-gráficos destes recursos cartográficos tendo como resultado a exibição de mapas com dados demográficos, geográficos ou ambientais que podem ser separados ou ainda combinados para uma melhor visualização. Com a grande evolução da tecnologia de informações podemos afirmar que o processo de desenvolvimento de um SIG sofreu inúmeras mudanças para se adequar as atuais necessidades, porém alguns conceitos devem ser seguidos para a criação de um SIG e podem ser destacados a seguir:... conjunto de ferramentas para a coleta, o armazenamento, a recuperação, transformação e reprodução gráfica dos dados espaciais do mundo real para um conjunto particular de finalidades. (Clarke, 1986, p. 35).... Os SIGs são sistemas ou ferramentas assistidas por computador para captura, armazenamento, transformação, análise e reprodução gráfica de dados espaciais (Star e Estes, 1990, p. 56). Uma tecnologia de informação que armazena, analisa e mostra dados espaciais e/ou não espaciais. Entendendo-se por tecnologia, o conjunto de métodos e materiais usados para alcançar objetivos, e por sistema, o conjunto de componentes que interagem para alcançar um objetivo comum (Goodchild, Maguire e Rhind, 1991, p.28). Segundo Dias (1991) podemos definir os seguintes recursos básicos para um SIG, lembrando que novos recursos podem ser adicionados e/ou alterados constantemente Endereçamento

3 É a capacidade de ampliação de um mapa também conhecido com zoom este é o recurso mais utilizado do SIG, podemos, por exemplo, visualizar o mapa do Brasil em sua plenitude e a partir do zoom exibir a cidade de Porto Alegre Tematização Através da tematização podemos visualizar os mapas de SIG em diversas visões, produzindo assim um tema ideal com vários níveis de desenho, lembrando que continuaremos com nossa base completa e com todos os níveis existentes Medição Possibilitar aos recursos retirar dimensões lineares e coordenadas da área que está sendo analisada Edição Gráfica É a capacidade de edição dos dados armazenados no banco de dados de um SIG, possibilita o redesenho de mapas, criação de novas ruas, rotas Características Podemos destacar como macro características de um SIG: Aquisição É a conversão dos dados analógicos em digitais, estes podem ser resgatados de fontes como fotografias aéreas, levantamentos topográficos e imagens de satélite Gerenciamento Função de manipulação dos dados que são armazenados a partir de um Sistema Gerenciador de Banco de Dados Análise Processamento dos dados existentes a fim de gerar novas informações para o sistema como, por exemplo, extração de informações estatísticas Exibição de Resultados Representa a exibição dos resultados de todos os dados manipulados em dados não-gráficos. O SIG possibilita união de dados gráficos e dados não-gráficos para um melhor entendimento dos resultados extraídos. 3. SISTEMAS DE MAPAS E GEOPROCESSAMENTO NA WEB O Geoprocessamento é um termo amplo que engloba técnicas de tecnologia de tratamento e manipulação de dados geográficos através de programas computacionais. (Carvalho, Pina e Santos, 2000, p. 14). Utilizando técnicas de Geoprocessamento algumas empresas desenvolveram sistemas que utilizam mapas como base de informações. A importância destes sistemas é basicamente possibilitar ao usuário encontrar rapidamente o que procura e ainda sugerir rotas para chegar a algum lugar desejado sem a necessidade de um amplo conhecimento em cartografia Google Maps O Google Maps surgiu no ano de 2005 inicialmente nos EUA. Sua expansão deu-se posteriormente a várias localidades do globo inclusive no Brasil. Passou então a servir de referência para busca de endereços e principalmente como referência ponto a ponto, ou seja, chegar de um determinado local a outro por meio de

4 cálculo de rotas que são desenhadas no mapa. Com o passar do tempo novas funcionalidades foram agregadas ao produto como, por exemplo, visualização 3D de ruas, edificações, informações sobre tráfego e transporte público. Após o lançamento e o aceite por seus utilizadores foi lançada sua API sem custo para seus usuários, possibilitando assim, a inserção de mapas em suas aplicações web, contando ainda com a personalização e customização dos mapas OpenStreetMap O OpenStreetMap é um portal colaborativo para a criação de mapas que surgiu no ano de 2004, que com o decorrer dos tempos foi criando forma, atualmente o sistema possui 245 mil usuários que apóiam o projeto gerando um nível de detalhamento que mesmo portais como o Google Maps não conseguem alcançar. Com a colaboração do projeto do OpenStreetMap desenvolvedores não precisam esperar por empresas como o Google lançar novas versões de sua API do Google Maps para obter as mais diferenciadas funcionalidades o que torna o projeto muito mais atraente e requisitado pois quando um usuário contribui com o projeto suas informações são abertamente disponíveis para todos. O que torna o projeto mais interessante é que para colaborar com o OpenStreetMap o usuário não precisar ser um desenvolvedor com grandes conhecimentos em programação, nem um engenheiro com grandes conhecimentos em informação cartográficas e sim apenas um usuário comum que deseja colaborar enviando a comunidade apenas um ícone que possa ser usado como marcador do mapa, de ruas, de rodovias, entre outros. A empresa americana Cloud Made desenvolveu uma gama de API s para ser utilizado para desenvolvimento de aplicações com base nos dados inseridos no OpenStreetMap alguns projetos desenvolvidos pela empresa como o toolkit para IPhone que permite aos desenvolvedores criar uma aplicação com mapas personalizados e com funções de dirigir, caminhar e andar de bicicleta. Alguns dos aplicativos desenvolvidos são totalmente gratuitos, a empresa tem como meta apoiar o projeto OpenStreetMap para criar os melhores dados de Geoprocessamento do mundo. 4. DISPONIBILIZANDO SISTEMAS DE MAPAS ATRAVÉS DE API API é a sigla para Application Programming Interface, ou na sua versão traduzida Interface de Programação de Aplicativos, esta é um conjunto de funções e métodos que uma aplicação disponibiliza para manipulação de suas funcionalidades sem a necessidade de distribuição de seu código fonte. O modo mais comum de uso de API s é a utilização da API disponibilizada pelo sistema operacional do Windows XP que contém 6500 funções dentre elas gerência de memórias, criação de menus, pastas, arquivos, entre outros Google Maps API O Google Maps disponibiliza atualmente aos seus utilizadores uma API denominada Google Maps API V3, esta biblioteca contém todas as funções necessárias para incorporar um mapa a uma página da web.

5 Como o código da API não é carregado na aplicação do usuário se faz necessário o uso de referências, para acessar este serviço o Google disponibiliza a geração de uma chave de utilização. A chave gerada é única para o domínio onde está hospedado a aplicação e deve ser obtido por inscrição online. Depois de gerada a chave deve ser inserida no código fonte da aplicação, este é o único modo de utilizar a API do Google Maps atualmente. O utilizador da API do Google necessita principalmente de conhecimentos em Javascript e programação orientada a objetos para utilizar o máximo das funcionalidades oferecidas pela ferramenta. O Google disponibiliza uma documentação completa e detalhada para os desenvolvedores mostrando e ilustrando passo a passo as funcionalidades desta ferramenta Funcionalidades Basicamente podemos definir como principal funcionalidade do Maps a exibição de um mapa em nossa aplicação web, devemos para isso, sempre partir de uma coordenada que será exibida de forma centralizada na tela. A partir deste ponto podemos explorar diversas regiões do mapa utilizando de seus controladores, como por exemplo, mover para a esquerda, mover para direita, zoom, entre outros. Um dos recursos muito útil e que será bastante aplicado neste projeto é a utilização de Mashups (marcadores), esta funcionalidade permite ao usuário colocar ícones no mapa a partir de suas coordenadas, estes ícones podem ser customizados a fim de criar um mapa interativo para seus usuários. Através do DirectionsService, objeto disponibilizado pelo Google API também conhecido como serviço de cálculo de rotas, o desenvolvedor poderá traçar rotas de direcionamento entre pontos distintos para isto apenas é necessário informar as coordenadas do ponto inicial e final, na versão atual da API ainda podemos informar qual o meio de transporte que será utilizado que podem ser carro, bicicleta ou andando. O serviço de cálculo de rotas também permite ao desenvolvedor através do DirectionRequest definir rotas alternativas para o caminho a ser percorrido a fim de desviar de barreiras, pedágios, entre outros. Segundo o Google a visualização dos mapas pode ser obtida de dois modos. O modo cartográfico exibe ilustrações de ruas e quadras que são fornecidas pela TeleAtlas. O modo satélite exibe uma imagem área do local selecionado, este é obtido, em sua maioria pela DigitalGlobe e pela MDA Federal OpenStreetMap API O projeto OpenStreetMap a cada dia tenta criar uma poderosa e atualizada fonte de dados de geoprocessamento, por outro lado, empresas como Cloud Made adotam estas informações para criação de API s a fim de disponibilizar rotinas de fácil utilização para os seus usuários. As API s possibilitam aos seus usuários a personalização de mapas em um nível de detalhamento que nem mesmo o Google Maps API atinge na em sua atual versão V Funcionalidades A customização de mapas permite ao usuário alterar os estilos, cor de fundo, cor das linhas, estilo de rotas bem como a utilização do banco de imagens existente ou ainda a personalização das imagens. Através

6 da geocodificação é possível de forma prática a localização de endereços ou empresas que estão mapeados no projeto, permitindo também marcar no mapa a localização atual do usuário. A rotina para cálculo de rotas (turn-by-turn) pode ser utilizada para orientação de um ponto a outro no mapa, este serviço pode ser comparado com o DirectionService do Google Maps API. A ferramenta permite aos usuários verificar quais as rotas estão bloqueadas além de vias alternativas para desvios a fim de evitar engarrafamentos. O OpenStreetMaps possui diversas imagens para ser utilizada em suas aplicações. Estas imagens podem ser utilizadas como marcadores para criação de mapas interativos para seus utilizadores, além das imagens disponibilizadas é possível incluir imagens customizadas de acordo com a necessidade de cada usuário. Figura 1 Estilos do OpenStreetMaps A API pode ser utilizada através das linguagens de programação Ruby, Phiton, PHP e Java e suporta diversas plataformas com destaque para dispositivos móveis como IPhone e Android gerando mais facilidade e portabilidade para o usuário. 5. APLICAÇÕES BASEADAS EM APIS DE SISTEMAS DE MAPAS 5.1. Mappyfriends O projeto utiliza a API do Google Maps para criar uma comunidade onde são registradas as viagens feitas em todo o mundo por seus integrantes, assim todos compartilham suas experiências em pontos turísticos já visitados. A rede Mappyfriends oferece recomendações de viagens de seus amigos o que aumenta a confiabilidade das informações consultadas. Ao entrar na comunidade Mappyfriends o usuário deve criar seu perfil no mesmo padrão utilizado em redes de relacionamentos como Orkut e Facebook, após criar seu perfil o usuário ingressa na rede e poderá adicionar amigos e compartilhar experiências de viagens. O aplicativo permite integração com o Twitter, em apenas alguns cliques o usuário poderá importar os dados de seus amigos que também utilizam este aplicativo Mapa Crime

7 Mapacrime.com.br surgiu com a finalidade de gerar estatísticas acerca de furtos e roubos de bens pessoais, bem como de identificar a localização geográfica onde estes eventos ocorrem. (Mapa Crime) O sistema possibilita aos usuários registrar todas as ocorrências de crimes ocorridas em sua região através da API do Google Maps, o projeto é um portal colaborativo onde os usuários registram os fatos ocorridos sem a necessidade de um cadastro oficial. São disponibilizados aos usuários apenas oito tipos de objetos de furto/roubo são eles: Dinheiro, Celular, Carteiras, Veículo, Objetos, Estepe Automotivo, Som Automotivo e Bicicleta, cada um dos tipos de registro corresponde a um ícone personalizado WikiMapia O projeto do WikiMapia utiliza a API do Google Maps para criar um mapa colaborativo que pode ser atualizado ao redor do mundo. Com ele seus usuário podem realizar várias tarefas de manutenção do grande mapa, o sistema tem automia de criação de novos lugares, estradas e rios, com ele é possivel alterar lugares já cadastrados, o sistema possibilita também a exclusão de lugares já cadastrados. O Resultado final deste projeto é criar um mapa atualizado com informações de rodovias, cidades, hotéis, escolas, restaurantes, casas semelhante ao OpenStreetMaps, porém utilizando recursos disponibilizados pela API do Google Maps. Ao iniciar o sistema um mapa é exibido utilizando a função de marcadores da API para exibir os pontos já cadastrados, ao clicar sobre um marcador o sistema exibe uma janela de informações com detalhes do local selecionado, dentre estes detalhes podemos destacar latitude, longitude, população, área e referência para o local no Wikipédia. Esta janela de informações possibiliza aos seus utilizadores a criação de comentários sobre o local que está sendo visualizado e a data da última atualização destes locais. 6. APRESENTAÇÃO DO SISTEMA PROPOSTO A motivação deste trabalho foi a necessidade de se criar uma ferramenta de fácil utilização para o mapeamento de doenças em qualquer local do mapa mundial. Atualmente a falta de informações na evolução das doenças tem sido um problema principalmente na criação de campanhas para prevenção de doenças, a necessidade de um acompanhamento da evolução destas doenças se faz necessário para verificarmos geográficamente qual o caminho que infestações epidemiológicas estão seguindo. A principal caracteristica do sistema é a criação de um portal colaborativo onde seus utilizadores tem acesso as informações evolutivas das doenças epidemiológicas, com base em informações geográficas seus usuários compartilham os casos de doenças ocorridos em qualquer ponto do mapa através de coordenadas de latitude e longitude. Como o foco do sistema é um portal colaborativo qualquer pessoa pode incluir informações, estas podem ser adicionadas por usuários anônimos ou por usuários cadastrados no portal tendo em vista que as informações inseridas por usuário cadastrados tem maior relevância no momento da análise destes dados.

8 O sistema possibilita a extração de dados detalhados de cada doença, bem como a data em que esta foi incluída, a fim de ser criar um histórico evolutivo. Podemos gerar scores por tipo de doença, por sexo e por faixa etária com estas análises é possível criar campanhas de prevenção bem específicas para cada nível dos problemas existentes nas regiões acompanhadas. A proposta de criar um portal colaborativo é atrativo aos seus usuários, pois possibilita o acesso e criação desta base de dados por todos seus utilizadores. Com base em ferramentas já existentes no mercado, porém em outras áreas de atuação foram coletadas as informações necessárias para criação do projeto de software desenvolvido. Após a apresentação dos componentes de geoprocessamento existentes atualmente o projeto será centralizado na utilização do Google Maps API, este foi considerado o mais completo e com documentação mais abrangente que irá suprir todas as necessidades para desenvolvimento do sistema proposto Funcionamento do Sistema O acesso ao sistema pode ser efetuado através do link acessar esta URL o usuário é redirecinado para a tela inicial do sistema como podemos exemplificar na figura 2. Figura 2 - Tela Inicial No canto superior direito da tela inicial podemos identificar o usuário que está logado no sistema, se este usuário não se indentificar o sistema irá considerar como Anônimo. Usuários anônimos também poderão registrar ocorrências de doenças no sistema, por outro lado, estes usuários não terão acesso a alguns

9 módulos, como por exemplo a geração de gráficos e ainda não poderão excluir nenhuma ocorrência registrada. No canto inferior direito podemos identificar a legenda de todos os tipos de doenças cadastrados no sistema, estes são identificados pelo ícone presente na legenda Cadastros Básicos Os processos denominados básicos para o funcionamento do sistema devem ser incluídos por um usuário administrador, este é responsável pela manutenção destas informações a fim de registrar apenas o que realmente é de interesse de todos no portal Doenças Ao cadastrar uma doença o usuário deve acessar no menu a opção ILLNESS onde inicialmente serão exibidos todas as doenças cadastradas no portal, para incluir uma nova doença é necessário clicar sobre o botão New Record onde será exibida a tela de cadastro, apenas dois campos são necessários, o campo Description onde é armazenado o nome da doença e o campo Icon onde armazenamos o ícone de referência para esta doença no mapa, ao selecionar um ícone o sistema salva este arquivo no servidor para ser utilizado posteriormente Faixa Etária As faixas etárias podem ser acessadas da página de doenças no menu central direito clicamos sobre a opção Age, para incluir uma nova faixa etária é necessário clicar sobre o botão New Record, ao exibir a tela de cadastro é necessário apenas informar o campo Description Adicionando Ocorrências Ao clicar com o botão direito do mouse em qualquer local do mapa o sistema possibilita a inclusão de um registro de doença. A tela de cadastro de doenças (Figura 3) é exibida, após informar os campos obrigatórios Doença e Data é possível salvar os dados, para uma melhor identifição do caso cadastrados o sistema disponibiliza a entrade de informações como Faixa Etária, Sexo e Observações. Após salvar o ponto é exibido no mapa conforme as coordenadas (Latitude e Longitude) que foram clicadas. Ao instânciar um mapa podemos adicionar alguns eventos a este controle, dentre estes eventos utilizamos o evento mousemove que possibilita ao mover do mouser buscar as coordenadas do local, ao clicar com botão direito do mouse será exibido o menu "ADD" neste momento o sistema busca as coordenadas (latitude e longitude) em que está posicionado o cursor do mouse através da função "Google.maps.LatLng" e em seguida é exibida a tela de cadastro. Após o preenchimento dos campos na tela de cadastro o usuário deverá clicar em salvar neste momento o sistema chama o serviço que armazena os dados da doença no banco de dados, ao executar este método além dos dados selecionados na tela é necessário passar por parâmetro as coordenadas que foram selecionadas no mapa, estas coordenadas foram capturadas antes da abertura da tela de cadastro.

10 Figura 3 - Cadastro Para adicionar um marcador no mapa o sistema utiliza um serviço disponibilizado pela API do Google Maps chamado de Google.Maps.Marker. Dentre os parâmetros que devem ser passados para este serviço o sistema utiliza a Latitude e Longitude do ponto de interesse e ainda o ícone que deve ser exibido no mapa. Outro serviço utilizado no momento de criação de um registro é o Google.Maps.Geocoder este serviço permite a visualização estruturada do endereço, através da latitude e longitude podemos resgatar o pais, estado, bairro do ponto selecionado. Na figura 4 podemos visualizar os códigos que exemplificam a utilização das rotinas de Marcadores e Endereço disponiblizada pela API. A seguir duas rotinas que o sistema deve atualizar no momento em que o usuário clica em Salvar Buscando um Endereço (Geocoder) Na linha 1 devemos instanciar uma nova classe Geocoder, ao passarmos para linha 2 devemos passar o parâmetro location (Latitude e Longitude) do endereço que necessitamos localizar, caso o status for igual a OK significa que o endereço foi localizado, deste modo na linha 4 retornamos o endereço requisitado para salvar no banco de dados Adicionando Marcadores (Marker) Ao adicionar um novo marcador no mapa inicialmente devemos localizar o ícone de referência para esta doença, ao localizar este ícone no servidor, necessitamos criar um novo MarkerImage que retorna uma classe do típo Ícone. Na linha 2 devemos instanciar um novo LatLng com referência na latitude e longitude armazenadas no banco de dados, ao obtermos estas informações podemos criar um novo marcador conforme linha 3, os marcadores aceitam alguns parâmetros, como por exemplo, ID onde podemos acrescentar o identificador da classe de doenças na linha 4. Os marcadores aceitam eventos, na linha 5 adicionamos o evento click, ao clicar sobre algum ícone exibimos os detalhes da doença utilizando por base os ID cadastrado no parâmetro da linha 4.

11 Figura 4 - Exemplo de Codificação 6.4. Inicializando o Mapa e Ícones Na tela inicial do sistema inicialmente foi definida a região do Rio Grande Sul / Brasil como ponto inicial de visualização, as coordenadas utilizadas foram ( , ) em latitude e longitude respectivamente, ao inicializar o mapa o sistema exibe todas as ocorrências cadastradas no banco de dados exibindo seus ícones conforme os pontos de latitude e longitude salvos, na legenda são exibidos os dados de cada tipo de doença cadastrada bem como seu ícone de referência a fim de ilustrar cada doença em pontos do mapa. Após a abertura do mapa é possível navegar em qualquer parte do globo sendo possível adicionar ocorrências em qualquer local para visualizar o local atual do usuário é utilizado o serviço navigator.geolocation ao utilizar este serviço o browser exibe mensagem para o usuário se deseja compartilhar a localização atual, no momento da confirmação do usuário o sistema busca a latitude e longitude e centraliza o mapa neste ponto.

12 6.5. Overlay A opção Overlay permite ao usuário agrupar diversos ícones (pontos) que estão próximos a fim de criar uma melhor visualização dos pontos no mapa, esta opção possibilita unir diversos ícones próximos a apenas um ícone, este ícone identifica o número de ocorrências existentes naquela proximidade, a figura 5 exemplifica a utilização de Overlays, que podem ser acessados pela opção filters existente no centro direito da tela inicial. Figura 5 - Overlays 6.6. Relatório A extração de relatórios não necessita de registro no sistema, um usuário anônimo tem acesso total aos dados incluídos a fim de facilitar o acesso as informações disponibilizadas pelo software. Ao iniciar a tela de extração dos dados o usuário necessita selecionar dois pontos iniciais, após selecionar estes marcadores o sistema irá gerar um retângulo com base nas coordenadas de latitude e longitude marcadas. A classe Google.Maps.LatLngBounds é utilizada para a representação de um retângulo através de duas coordenadas uma noroeste e outra sudeste. A função para adicionar este retângulo no mapa é chamada de Google.Maps.Rectangle, ao arrastar os pontos selecionados no mapa podemos desenhar um retângulo ou ainda apenas ajustar suas coordenadas de modo que seja redesenhado no mapa, a figura 6 representa o retângulo que podemos selecionar para a geração do relatório, bem como o código utilizado para sua criação. Figura 6 - Retângulos Ao clicar sobre o botão de geração do relatório o sistema verifica quais coordenadas estão entre as coordenadas noroeste e sudeste selecionadas, a função utilizada para verificar se uma coordenada está contida neste retângulo é LatLngBounds.Contains que retorna verdadeiro se uma latitude e longitude está nos limites do retângulo. Para filtrar quais registros estão dentro dos limites do selecionado no relatório é

13 necessário comparar cada registro no banco de dados com as coordenadas LatLngBounds, ao comparar os registros o sistema retorna verdadeiro se a coordenada existir dentro dos limites e falso caso não exista, por fim o sistema exibe no relatórios todos os registros com status de verdadeiro Gráficos O sistema possibilita gerar gráficos que demonstram quantidades por região, as informações geradas são por Tipo de Doença, por Sexo e por Faixa Etária conforme figura 7, ao selecionar o país é possível verificar a quantidade total de registros conforme segue Modelo de Dados Figura 7 - Gráficos O modelo de dados apresentado a seguir foi desenvolvido utilizando a ferramenta de designer disponibilizado pelo SQL Server, este apresenta a estrutura dos dados que serão desenvolvidos conforme Figura 8 a seguir.

14 Figura 1 Modelo de Dados USUARIO A tabela de usuários é responsável por armazenar informações essenciais para o login no sistema, esta identificação é realizada através do e senha cadastrados no momento do registro. O campo Nome será utilizado na tela de boas-vindas e ainda na indentificação do usuário na extração dos dados. O campo IndAdm identifica permissões especiais para o usuário, entre elas está o cadastro de tipos de doenças e de faixas etárias, bem como a liberação para exclusão de todos os marcadores inseridos por qualquer usuário FAIXAETARIA A faixa etária é uma tabela simples de cadastro básico para classificação dos casos de doenças cadastrados, esta possibilita dividir os pacientes a fim de criar campanhas para prevenção das doenças por idade TIPODOENCA Permite a criação de todos os tipos de doenças que devem ser mapeados pelo sistema, ao criar um tipo de doença este já é disponibilizado para todos os usuários do sistema, o campo Icone identifica qual imagem deve ser exibida no mapa para ilustração deste tipo de doença DOENCAS Armazena os principais dados do sistema, esta tabela tem por finalidade cadastrar as ocorrências de todas as doenças cadastradas. O campo DataInclusao armazena a data em que o registro foi incluído no sistema por outro lado o campo DataColeta armazena a data em que aconteceu a ocorrência, o campos latitude e longitude exibem as coordenadas do ponto a ser marcado no mapa e estes são bases para qualquer informação sobre esta ocorrência, dentre elas a possibilidade de identificar o endereço do registro.

15 6.9. Estrutura e Implementação do Sistema Com base em orientação a objetos este projeto foi desenvolvimento utilizando técnicas de ORM (Object-relational mapping). Segundo Ambler esta técnica sugere como devemos persistir o estado de um objeto em tabelas de um banco de dados relacional. A utilização do Fluent NHibernate facilitou a geração dos códigos ao fato que oferece uma alternativa de mapeamento utilizando códigos C# uma vez que o Nhibernate utiliza como padrão o XML. O sistema utiliza como banco de dados o SQL Server 2008 R2 e foi desenvolvido utilizando o Microsoft Visual Studio 2010 com linguagem de programação C#, a manipulação da API do Google Maps foi desenvolvida utilizando códigos em Javascript. O projeto foi estruturado a fim de subdividir em várias camadas, com isto podemos criar níveis no desenvolvimento de um sistema, a camada de negócio pode ser criada por desenvolvedores de negócio e a camada de interfaces pode ser desenvolvidas por designers. O projeto atual foi subdivido em 11 projetos conforme segue: Maps.Consult As consultas do sistema em vários objetos do domínio são criadas neste projeto a fim de obtermos uma maior organização e facilidade no momento de manutenção e/ou alteração de uma regra de negócio Maps.DTO Ao executar uma consulta necessitamos retornar objetos que não fazem parte do domínio, ou seja, objetos que não agregam valor a regra de negócio que por sua vez são necessários principalmente na exibição de relatórios. A utilização do DTO (Data Transfer Object) é necessária para não criarmos estes objetos desnecessários na regra de negócio Maps.Services Os serviços são responsáveis pelo vínculo entre a regra de negócio e a interface final para o usuário, neste projeto podemos definir as chamadas para os repositórios existentes na aplicação. Para um melhor entendimento do funcionamento de serviços, podemos exemplificar da seguinte forma, ao salvar os dados existentes na classe de faixa etária devemos chamar um método existente no serviço chamado Save, ao passar a classe FaixaEtaria como parâmetro para este método o serviço será responsável por chamar todas as validações necessárias para que a classe seja criada Maps.Domain O domínio da aplicação onde estão contidas todas as classes do sistema, os objetos com suas propriedades e métodos são implementados neste projeto. Alguns métodos, como validações, podem ser adicionados em cada objeto que é responsável por persistir suas regras de negócio Maps.DomainMap O mapeamento do domínio que consiste em vincular o objeto com suas tabelas de referência na base de dados, ao utilizarmos uma propriedade de qualquer classe existente o ORM utilizará estes mapeamentos para identificar as colunas nas tabelas do banco de dados.

16 Maps.DataAccess Responsável pela conexão entre a aplicação e o banco de dados, mantém a sessão que está sendo utilizada no banco Maps.Framework O projeto agrega funções genéricas que podem ser utilizadas em toda a aplicação a fim de organizar e prevenir a repetição desnecessária de código Maps.IoC O projeto de Inversão de Controle é responsável por vincular uma Interface a um Service de implementação, por exemplo, se criarmos um serviço de Login o responsável pela chamada deste serviço apenas terá acesso a classe Interface e não a sua implementação Maps.NH.Repository Seguindo os conceitos de DDD(Domain Drive Design) os repositórios são responsáveis por persistir e destruir objetos, outra finalidade deste projeto é consultar e filtrar os objetos, retornando uma lista deste objeto, o repositório é utillizado para executar tarefas com um objeto que está presente no domínio, ou seja, por objetos que agregam valor ao negócio Maps.Tests Utilizando as técnicas de TDD (Test Driven Develpment) este projeto faz com que a toda a aplicação seja validada de modo que seja possível testar a regra de negócio antes mesmo de criar as interfaces para os usuários finais. Ao criar um teste podemos validas as regras da aplicação, no momento de manutenção ou alteração de escopo do projeto basta rodarmos todos os testes para saber se esta alteração não gerou inconsistência em pontos que possam ser esquecido no momento da definição. Quando utilizamos testes podemos codificar com mais segurança e a qualquer momento refatorar o código sem receios, em caso de dúvida apenas rodamos todos os testes para validar a aplicação Maps.Site O projeto final UI (User Interfaces) responsável em armazenar todas as interfaces (telas) que serão apresentadas para o usuário final, este projeto além das telas deve apenas possuir chamadas para os serviços, criando assim um desacoplamento entre a regra de negócio e a camada de apresentação. Podemos ainda agrupar estes onze projetos em cinco grupos. O responsável pela regra de negócio da aplicação tem accesso aos quatro primeiros grupos (Application, Domain, Infra, Tests), por outro lado o responsável pela camada de apresentação do sistema acessa somente dois destes grupos (Application e UI). 7. EVOLUÇÃO DE DOENÇAS Para acompanhar a evolução de doenças a partir da tela inicial podemos gerar filtros que facilitam a captação e acompanhamento destes dados, através da caixa Filters, conforme figura 9 podemos executar filtros no mapa principal por data da ocorrência e por tipo de doença.

17 Figura 9 - Filters Ao executar estes filtros podemos acompanhar a evolução de doenças, a figura 10 nos exemplifica hipotéticamente a evolução da doença H1N1 no estado do Rio Grande do Sul nos anos de 2010 e 2011 respectivamente. A comparação das imagens permite verificar a evolução das doenças tanto em número de casos quanto à deslocamento ou aparição geográfica. Figura 20 - Evolução 8. CONCLUSÃO O desenvolvimento de aplicações na área de geoprocessamento é um verdadeiro desafio, visto que os conceitos e metodologias utilizadas para manipulação de mapas não é usual como a maioria dos sistemas conhecidos. A criação de API`s para manipulação dos dados geográficos de mapas vem como grande aliado para o desenvolvimento destas aplicações de modo que, além de diminuir a curva de aprendizando, estabelece uma linguagem padrão para a criação destes sistemas de informação. O crescimento destas tecnologias é reconhecido por grandes empresas que buscam aperfeiçoar cada vez mais suas API`s a fim de adquirirem um nível competitivo e compatível com o mercado atual, o que é muito interessante para quem utiliza destas API`s, pois cada empresa disponibiliza atualizações constantes e ainda aperfeiçoamentos a cada atualização gerada, com isto, seus utilizadores conseguem criar aplicações ricas utilizando os novos recursos. Embasado no uso das interfaces disponibilizadas por estas empresas é possível criarmos este portal colaborativo onde os usuários poderão utilizar as informações disponibilizadas principalmente para prevenção bem como visualizar um mapa global de todas as doenças conhecidas. Ao utilizarmos um portal colaborativo para a criação de uma base de conhecimento disponibilizamos a seus usuários um grande controle e principalmente base para criação de campanhas focadas, a fim de diminuir custos com projetos muitos vezes realizados sem um adequado nível de maturidade nos locais em que estas ocorrem. Ao utilizarmos mapas para este controle também obtemos uma aceitação melhor de seus

18 utilizadores devido a disponibilizarmos uma visualização mais amigável e interativa. O sistema foi desenvolvido para atender a necessidade de mapeamentos de doenças, porém pode ser utilizado como via de comunicação para outras áreas, como por exemplo, área de marketing ao apontarmos os estabelecimentos de uma cidade, área criminal ao montarmos um mapa de criminalidade de uma determinada região ou ainda utilizarmos o mapa para demonstrar geograficamente pontos turísticos em todo o mundo. Durante o desenvolvimento e a maturidade deste projeto além de melhorias nos processos existentes podemos constatar a criação de novos módulos que podem facilitar a utilização e aceitação de seus usuários, destes processos podemos destacar a busca por determindados endereços a fim de agilizar o processo de inclusão de doenças, na extração de dados podemos adicionar a exportação de arquivos a fim de integrar os dados com outros sistemas já existentes no mercado. O nível de importância de sistemas focados em áreas da saúde é bastante satisfatório visto que a informação deve ser direcionada e de fácil acesso à população, de modo que, os meios de prevenção a estas doenças seja cada vez mais focados nas regiões emergenciais. O sistema foi desenvolvimento para ser utilizado pela populção em geral, tendo como princípio os conceitos de um portal colaborativo, ao ser utilizado por pessoas das áreas epidemiológicas é muito benéfico a fim de disponibilizar a informação de maneira simples e objetiva, além dos estudos geográficos da disseminação das doenças pode-se obter a evolução desta doença a nível de quantidade e deslocamento. As implementações futuras a serem desenvolvidas destacam-se a criação de busca por endereços para facilitar a localização por parte dos usuários, no módulo de gráficos podemos adicionar o modelo de barras para gerar indicadores de quantidade cruzando as informações de doenças por tipo, sexo ou faixa etária. No módulo de usuários podemos adicionar algumas informações que ajudem a identificar o perfil do usuário que está inserindo as informações. Com a realização deste estudo, percebe-se que este foi leal a seus objetivos, visto que utilizamos de forma satisfatória os recursos disponibilizados pela API do Google Maps a ainda foi possível demonstrar geograficamente a evolução das doenças. AGRADECIMENTOS Agradeço e dedico este trabalho à minha família que sempre me apoiaram em todos as minhas decisões, aos verdadeiros amigos que deixaram de estar comigo para que este trabalho fosse concluído. Agradeço especialmente a minha irmã que apesar da sua adolescência me ensina muitos valores que levarei para toda a vida, pelo seu carinho, amizade e cumplicidade. Um Muito Obrigado a todos que testaram o sistema e me ajudaram com suas dicas e conselhos também a meu orientador pela paciência, acompanhamento e direção nesta jornada.

19 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS CARVALHO, Marilia Sá PINA, Maria de Fátima SANTOS, Simone Maria. Conceitos básicos de sistemas de informação geográfica e cartografia aplicados à saúde. Brasilia, Ministério da Saúde, CLARKE, Keith.C. Analytical and Computer Cartography. Englewood Cliffs, NJ. Prentice Hall, CLOUD MADE. Makes maps Differently. Disponível em: < Acessado em Setembro de GOOGLE. Google Maps API Family. Disponível em:<http://code.google.com/intl/pt-br/apis/maps/> Acessado em Março de MAGUIRE, David J. & GOODCHILD, Michael F. e RHIND, David W. Geographical Information Systems. New York, Iogman Scientific & technical, Vol. 1. MAPA CRIME. Disponível em: <http://www.mapacrime.com.br/> Acessado em Setembro de MARTIN, Dias. Geographical Information Systems and socioeconomic applications. London, 1991 PAREDES, Evaristo Atencio. Sistemas de Informação Geográfica Princípios e Aplicações. São Paulo, STAR, Jeffrey ESTES, John. Geographic Information Systems. London, Prentice-Hall International, AMBLER, Scott W. Mapping Objects to Relational Databases. Disponível em: <http://www.agiledata.org/essays/mappingobjects.html> Acessado em março de 2011.

Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular

Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular Manual do Aplicativo - Rastreamento Veicular Sumário Apresentação... 2 Instalação do Aplicativo... 2 Localizando o aplicativo no smartphone... 5 Inserindo o link da aplicação... 6 Acessando o sistema...

Leia mais

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider

Ferramenta: Spider-CL. Manual do Usuário. Versão da Ferramenta: 1.1. www.ufpa.br/spider Ferramenta: Spider-CL Manual do Usuário Versão da Ferramenta: 1.1 www.ufpa.br/spider Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 14/07/2009 1.0 15/07/2009 1.1 16/07/2009 1.2 20/05/2010 1.3 Preenchimento

Leia mais

Introdução. Geral. Sumário Localização Trajetos Últimos registros Comandos Configurações. Relatórios

Introdução. Geral. Sumário Localização Trajetos Últimos registros Comandos Configurações. Relatórios Introdução Geral Sumário Localização Trajetos Últimos registros Comandos Configurações Relatórios Deslocamentos e paradas Velocidade Telemetria Acessos Falhas de comunicação Cadastro Cliente Subcliente

Leia mais

Volpe Enterprise Resource Planning

Volpe Enterprise Resource Planning Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado, reproduzido, traduzido ou reduzido a qualquer mídia eletrônica ou máquina de leitura, sem a expressa

Leia mais

MANUAL RASTREAMENTO 2013

MANUAL RASTREAMENTO 2013 MANUAL RASTREAMENTO 2013 Visão Geral O menu geral é o principal módulo do sistema. Através do visão geral é possível acessar as seguintes rotinas do sistema: Sumário, localização, trajetos, últimos registros.

Leia mais

1. Introdução pág.3 2. Apresentação do sistema Joomla! pág.4 3. Acessando a administração do site pág.4 4. Artigos 4.1. Criando um Artigo 4.2.

1. Introdução pág.3 2. Apresentação do sistema Joomla! pág.4 3. Acessando a administração do site pág.4 4. Artigos 4.1. Criando um Artigo 4.2. 1. Introdução pág.3 2. Apresentação do sistema Joomla! pág.4 3. Acessando a administração do site pág.4 4. Artigos 4.1. Criando um Artigo 4.2. Editando um Artigo 4.3. Excluindo um Artigo 4.4. Publicar

Leia mais

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09

ÍNDICE. Sobre o SabeTelemarketing 03. Contato. Ícones comuns à várias telas de gerenciamento. Verificar registros 09. Tela de relatórios 09 ÍNDICE Sobre o SabeTelemarketing 03 Ícones comuns à várias telas de gerenciamento Contato Verificar registros 09 Telas de cadastro e consultas 03 Menu Atalho Nova pessoa Incluir um novo cliente 06 Novo

Leia mais

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning

Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning Manual do Usuário Características e recursos básicos Enterprise Resource Planning www.pwi.com.br 1 Volpe Enterprise Resource Planning Este manual não pode, em parte ou no seu todo, ser copiado, fotocopiado,

Leia mais

Manual do Usuário Android Neocontrol

Manual do Usuário Android Neocontrol Manual do Usuário Android Neocontrol Sumário 1.Licença e Direitos Autorais...3 2.Sobre o produto...4 3. Instalando, Atualizando e executando o Android Neocontrol em seu aparelho...5 3.1. Instalando o aplicativo...5

Leia mais

Manual do Painel Administrativo

Manual do Painel Administrativo Manual do Painel Administrativo versão 1.0 Autores César A Miggiolaro Marcos J Lazarin Índice Índice... 2 Figuras... 3 Inicio... 5 Funcionalidades... 7 Analytics... 9 Cidades... 9 Conteúdo... 10 Referência...

Leia mais

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8

INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ÍNDICE INTRODUÇÃO 2 ACESSO AO SIGTECWEB 3 TEMPO DE CONEXÃO 5 NAVEGAÇÃO 7 BARRA DE AÇÕES 7 COMPORTAMENTO DOS BOTÕES 7 FILTROS PARA PESQUISA 8 ACESSO ÀS FERRAMENTAS 9 FUNÇÕES 12 MENSAGENS 14 CAMPOS OBRIGATÓRIOS

Leia mais

TRBOnet Standard. Manual de Operação

TRBOnet Standard. Manual de Operação TRBOnet Standard Manual de Operação Versão 1.8 NEOCOM Ltd ÍNDICE 1. TELA DE RÁDIO 3 1.1 COMANDOS AVANÇADOS 4 1.2 BARRA DE FERRAMENTAS 5 2. TELA DE LOCALIZAÇÃO GPS 6 2.1 MAPLIB 6 2.2 GOOGLE EARTH 7 2.3

Leia mais

Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br

Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br Autor: Júlio Battisti www.juliobattisti.com.br Livro: Aprenda com Júlio Battisti: Excel 2010 Avançado, Análise de Dados e Cenários, Tabelas e Gráficos Dinâmicos, Macros e Programação VBA - Através de Exemplos

Leia mais

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário

Centro de Computação - Unicamp Gerência de Atendimento ao Cliente (e-mail:apoio@turing.unicamp.br) Sumário Sumário Conceitos Microsoft Access 97... 01 Inicialização do Access... 02 Convertendo um Banco de Dados... 03 Criando uma Tabela... 06 Estrutura da Tabela... 07 Propriedades do Campo... 08 Chave Primária...

Leia mais

KalumaFin. Manual do Usuário

KalumaFin. Manual do Usuário KalumaFin Manual do Usuário Sumário 1. DICIONÁRIO... 4 1.1 ÍCONES... Erro! Indicador não definido. 1.2 DEFINIÇÕES... 5 2. DESCRIÇÃO DO SISTEMA... 7 3. ACESSAR O SISTEMA... 8 4. PRINCIPAL... 9 4.1 MENU

Leia mais

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1

Índice. Atualizado em: 01/04/2015 Página: 1 MANUAL DO USUÁRIO Índice 1. Introdução... 3 2. Acesso ao Sistema... 4 2.1. Instalação... 4 2.1.1. Servidor - Computador Principal... 4 2.1.2. Estação - Computador na Rede... 6 2.1.3. Estação - Mapeamento

Leia mais

Serviço de Consulta Versão: outubro/ 2010

Serviço de Consulta Versão: outubro/ 2010 Serviço de Consulta Versão: outubro/ 2010 1 Índice Portal CopaGIS...3 1 - Como se cadastrar...4 2 - Serviços do Portal de Geoprocessamento...8 3 - Serviço de Consulta...9 3.1 - Dados informativos... 10

Leia mais

USANDO O ROUNDCUBE WEBMAIL

USANDO O ROUNDCUBE WEBMAIL USANDO O ROUNDCUBE WEBMAIL ATENÇÃO! Para utilizar este tutorial não se esqueça: Onde estiver escrito seusite.com.br substitua pelo ENDEREÇO do seu site (domínio). Ex.: Se o endereço do seu site é casadecarnessilva.net

Leia mais

Universidade Católica de Pelotas. Centro Politécnico. Analise e Desenvolvimento de Sistema LET S RUNNING. Por. Guilherme Carvalho Gehling

Universidade Católica de Pelotas. Centro Politécnico. Analise e Desenvolvimento de Sistema LET S RUNNING. Por. Guilherme Carvalho Gehling Universidade Católica de Pelotas Centro Politécnico Analise e Desenvolvimento de Sistema LET S RUNNING Por Guilherme Carvalho Gehling Documento de conclusão da disciplina de Trabalho de Curso II Orientador.

Leia mais

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet.

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet. 1. Descrição Geral Este manual descreve as operações disponíveis no módulo VTWEB Client, cuja finalidade é gerenciar cadastros de funcionários, realização de pedidos e controle financeiro dos pedidos.

Leia mais

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA

FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA FERRAMENTAS DE COLABORAÇÃO CORPORATIVA Criação de Formulários no Google Drive Sumário (Clique sobre a opção desejada para ir direto à página correspondente) Criação de Formulários no Google Drive Introdução...

Leia mais

Sistema de informações geográficas sobre o trânsito a partir da colaboração entre as pessoas pelo Twitter

Sistema de informações geográficas sobre o trânsito a partir da colaboração entre as pessoas pelo Twitter Sistema de informações geográficas sobre o trânsito a partir da colaboração entre as pessoas pelo Twitter Marcos Wienandts Stanley Loh Orientador Universidade

Leia mais

COMO USAR O CADASTRO REMOTO?

COMO USAR O CADASTRO REMOTO? COMO USAR O CADASTRO REMOTO? Este documento fornece um passo a passo explicativo e ilustrado das principais ferramentas de visualização das informações do Cadastro Remoto. APRESENTAÇÃO O cadastramento

Leia mais

PRINCÍPIOS DE INFORMÁTICA PRÁTICA 08 1. OBJETIVO 2. BASE TEÓRICA. 2.1 Criando Mapas no Excel. 2.2 Utilizando o Mapa

PRINCÍPIOS DE INFORMÁTICA PRÁTICA 08 1. OBJETIVO 2. BASE TEÓRICA. 2.1 Criando Mapas no Excel. 2.2 Utilizando o Mapa PRINCÍPIOS DE INFORMÁTICA PRÁTICA 08 1. OBJETIVO Aprender a utilizar mapas, colocar filtros em tabelas e a criar tabelas e gráficos dinâmicos no MS-Excel. Esse roteiro foi escrito inicialmente para o Excel

Leia mais

PAV - PORTAL DO AGENTE DE VENDAS AGL Versão 2.0.6. Manual de Instalação e Demonstração AGL Sistemas Corporativos

PAV - PORTAL DO AGENTE DE VENDAS AGL Versão 2.0.6. Manual de Instalação e Demonstração AGL Sistemas Corporativos PAV - PORTAL DO AGENTE DE VENDAS AGL Versão 2.0.6 Manual de Instalação e Demonstração AGL Sistemas Corporativos Add-on responsável pela integração do SAP Business One com o setor comercial através da internet.

Leia mais

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO

MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO MANUAL DO ADMINISTRADOR DO MÓDULO ÍNDICE Relatórios Dinâmicos... 3 Requisitos de Sistema... 4 Estrutura de Dados... 5 Operadores... 6 Tabelas... 7 Tabelas x Campos... 9 Temas... 13 Hierarquia Relacionamento...

Leia mais

BI Citsmart Fornece orientações necessárias para instalação, configuração e utilização do BI Citsmart.

BI Citsmart Fornece orientações necessárias para instalação, configuração e utilização do BI Citsmart. 16/08/2013 BI Citsmart Fornece orientações necessárias para instalação, configuração e utilização do BI Citsmart. Versão 1.0 19/12/2014 Visão Resumida Data Criação 19/12/2014 Versão Documento 1.0 Projeto

Leia mais

2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO

2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO INDICE 1. INTRODUÇÃO 2. INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO 2.1. COMPARTILHANDO O DIRETÓRIO DO APLICATIVO 3. INTERFACE DO APLICATIVO 3.1. ÁREA DO MENU 3.1.2. APLICANDO A CHAVE DE LICENÇA AO APLICATIVO 3.1.3 EFETUANDO

Leia mais

Localização Geográfica no Google Maps com o Auxílio de Redes Wireless

Localização Geográfica no Google Maps com o Auxílio de Redes Wireless Localização Geográfica no Google Maps com o Auxílio de Redes Wireless Henrique G. G. Pereira 1, Marcos L. Cassal 1, Guilherme Dhein 1, Tarcízio R. Pinto 1 1 Centro Universitário Franciscano (UNIFRA) Rua

Leia mais

Índice de ilustrações

Índice de ilustrações Sumário 1Dez novos recursos do windows 8...2 1.1Interface Metro...2 1.2Internet Explorer 10...4 1.3Gerenciador de Tarefas...5 1.4Painel de Controle...5 1.5Interface Ribbon...6 1.6Menu Iniciar...7 1.7Windows

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO. Ferramenta de Fidelização Eletrônica ÁGUA DOCE - SABORES DO BRASIL

MANUAL DO USUÁRIO. Ferramenta de Fidelização Eletrônica ÁGUA DOCE - SABORES DO BRASIL MANUAL DO USUÁRIO Ferramenta de Fidelização Eletrônica ÁGUA DOCE - SABORES DO BRASIL Interface de Controle Franqueado http://abf.e-deploy.com.br/controle/ Versão 1.0 Conteúdo Sobre a e-deploy... 3 Sobre

Leia mais

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual

Aplicativo da Manifestação do Destinatário. Manual Aplicativo da Manifestação do Destinatário Manual Novembro de 2012 1 Sumário 1 Aplicativo de Manifestação do Destinatário...4 2 Iniciando o aplicativo...4 3 Menus...5 3.1 Manifestação Destinatário...5

Leia mais

Manual do usuário. Acesso ao GEFAU

Manual do usuário. Acesso ao GEFAU Manual do usuário Acesso ao GEFAU Fev/2015 GEFAU PORTAL DO EMPREENDEDOR Conteúdo Introdução... 2 1. Acesso ao GEFAU... 3 2. Cadastro de empreendimentos... 5 2.1. Consulta aos empreendimentos do usuário...

Leia mais

TUTORIAL PARA ATUALIZAÇÃO DO PORTAL DO TJRN

TUTORIAL PARA ATUALIZAÇÃO DO PORTAL DO TJRN Poder Judiciário do Estado do Rio Grande do Norte TUTORIAL PARA ATUALIZAÇÃO DO PORTAL DO TJRN Agosto/2012 Versão 1.0 1. ACESSANDO O PORTAL Acesse o site do TJ no endereço www.tjrn.jus.br Observação: utilize

Leia mais

M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r

M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r M a n u a l d o R e c u r s o Q m o n i t o r i t i l advanced Todos os direitos reservados à Constat. Uso autorizado mediante licenciamento Qualitor Porto Alegre RS Av. Ceará, 1652 São João 90240-512

Leia mais

ebook Guia Definitivo do Google Earth

ebook Guia Definitivo do Google Earth ebook Guia Definitivo do Google Earth #GoogleEarthFacts O Google Earth é um software cuja função é apresentar um modelo tridimensional do globo terrestre, construído a partir de um mosaico de imagens de

Leia mais

MANUAL DE UTILIZAÇÃO PROGRAMA PRO-ÍRIS (Controle Clínico e Irisdiagnose)

MANUAL DE UTILIZAÇÃO PROGRAMA PRO-ÍRIS (Controle Clínico e Irisdiagnose) MANUAL DE UTILIZAÇÃO PROGRAMA PRO-ÍRIS (Controle Clínico e Irisdiagnose) O Programa Pró Íris foi desenvolvido pela Castells, visando tornar-se uma valiosa ferramenta auxiliar de ajuda ao profissional da

Leia mais

MAPEAMENTO E LOCALIZAÇÃO DE REGIÕES DE INTERESSE UTILIZANDO REALIDADE AUMENTADA EM DISPOSITIVOS MÓVEIS COM PLATAFORMA ANDROID

MAPEAMENTO E LOCALIZAÇÃO DE REGIÕES DE INTERESSE UTILIZANDO REALIDADE AUMENTADA EM DISPOSITIVOS MÓVEIS COM PLATAFORMA ANDROID MAPEAMENTO E LOCALIZAÇÃO DE REGIÕES DE INTERESSE UTILIZANDO REALIDADE AUMENTADA EM DISPOSITIVOS MÓVEIS COM PLATAFORMA ANDROID Alessandro Teixeira de Andrade¹; Geazy Menezes² UFGD/FACET Caixa Postal 533,

Leia mais

SIGEP WEB - Gerenciador de Postagens dos Correios Manual do Usuário

SIGEP WEB - Gerenciador de Postagens dos Correios Manual do Usuário MANUAL DO USUÁRIO 2 ÍNDICE 1. PRÉ REQUISITOS PARA UTILIZAÇÃO DO SIGEP WEB 04 2. PROCEDIMENTOS PARA DOWNLOAD DO SISTEMA 04 3. INSTALANDO O SIGEP WEB 07 4. CONFIGURAÇÕES DO SISTEMA 09 COMPARTILHANDO O BANCO

Leia mais

ÍNDICE BLUELAB A UTILIZAÇÃO DO BLUELAB PELO PROFESSOR RECURSOS PARA PROFESSORES E ALUNOS...05 INICIANDO O BLUELAB PROFESSOR...06

ÍNDICE BLUELAB A UTILIZAÇÃO DO BLUELAB PELO PROFESSOR RECURSOS PARA PROFESSORES E ALUNOS...05 INICIANDO O BLUELAB PROFESSOR...06 ÍNDICE BLUELAB RECURSOS PARA PROFESSORES E ALUNOS...05 INICIANDO O BLUELAB PROFESSOR...06 ELEMENTOS DA TELA INICIAL DO BLUELAB PROFESSOR guia Meu Espaço de Trabalho...07 A INTERFACE DO BLUELAB...07 INICIANDO

Leia mais

Faturamento Eletrônico - CASSEMS

Faturamento Eletrônico - CASSEMS 1 Conteúdo 1. Informações Iniciais... 3 1.1. Sobre o documento... 3 1.2. Organização deste Documento... 3 2. Orientações Básicas... 3 2.1. Sobre o Faturamento Digital... 3 3. Instalação do Sistema... 4

Leia mais

Manual do Usuário Nextel Cloud. Manual do Usuário. Versão 1.0.0. Copyright Nextel 2014. http://nextelcloud.nextel.com.br

Manual do Usuário Nextel Cloud. Manual do Usuário. Versão 1.0.0. Copyright Nextel 2014. http://nextelcloud.nextel.com.br Manual do Usuário Versão 1.0.0 Copyright Nextel 2014 http://nextelcloud.nextel.com.br 1 Nextel Cloud... 4 2 Nextel Cloud Web... 5 2.1 Página Inicial... 6 2.1.1 Meu Perfil... 7 2.1.2 Meu Dispositivo...

Leia mais

DRIVE CONTÁBIL NASAJON

DRIVE CONTÁBIL NASAJON DRIVE CONTÁBIL NASAJON Módulo Gestão de Documentos Versão 1.0 Manual do Usuário 1 Sumário Os Módulos do Gerenciador de NFe: Informações Básicas Primeiro Acesso: Requisitos Acesso ao Drive Contábil Nasajon

Leia mais

ANDRÉ ALENCAR 1 INFORMÁTICA INTERNET EXPLORER 9

ANDRÉ ALENCAR 1 INFORMÁTICA INTERNET EXPLORER 9 ANDRÉ ALENCAR 1 INFORMÁTICA INTERNET EXPLORER 9 1. JANELA PADRÃO Importante: O Internet Explorer não pode ser instalado no Windows XP. 2. INTERFACE MINIMALISTA Seguindo uma tendência já adotada por outros

Leia mais

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização

WebEDI - Tumelero Manual de Utilização WebEDI - Tumelero Manual de Utilização Pedidos de Compra Notas Fiscais Relação de Produtos 1. INTRODUÇÃO Esse documento descreve o novo processo de comunicação e troca de arquivos entre a TUMELERO e seus

Leia mais

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa

Manual do Usuário. Sistema Financeiro e Caixa Manual do Usuário Sistema Financeiro e Caixa - Lançamento de receitas, despesas, gastos, depósitos. - Contas a pagar e receber. - Emissão de cheque e Autorização de pagamentos/recibos. - Controla um ou

Leia mais

ALUNES MANUAL DO USUÁRIO. Guia rápido Alunes

ALUNES MANUAL DO USUÁRIO. Guia rápido Alunes ALUNES MANUAL DO USUÁRIO Guia rápido Alunes 1 Manual de Instruções Versão 2.0 Alunes Informática 2 Sumário Introdução... 5 Pré-requisitos... 5 Principal/Home... 6 Como editar texto do home... 7 Desvendando

Leia mais

PROGRAMANDO ANDROID NA IDE ECLIPSE GABRIEL NUNES, JEAN CARVALHO TURMA TI7

PROGRAMANDO ANDROID NA IDE ECLIPSE GABRIEL NUNES, JEAN CARVALHO TURMA TI7 Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial do Rio Grande do Sul Informação e Comunicação: Habilitação Técnica de Nível Médio Técnico em Informática Programação Android na IDE Eclipse PROGRAMANDO ANDROID

Leia mais

Manual do Usuário. Sumário

Manual do Usuário. Sumário Manual do Usuário Sumário Login... 2 Tela inicial (Dashboard)... 3 Modelo Operacional... 4 Agrupamentos de Menus... 6 Conteúdos / Notícias / Eventos... 9 Capas... 14 Repositório de Arquivos... 17 Enquetes...

Leia mais

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS

CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO AGRÁRIO SUBSECRETARIA DE PLANEJAMENTO, ORÇAMENTO E ADMINISTRAÇÃO COORDENAÇÃO-GERAL DE MODERNIZAÇÃO E INFORMÁTICA CONTRA CONTROLE DE ACESSOS E MODULARIZADOR DE SISTEMAS MANUAL

Leia mais

TNT Radar Manual do Usuário Versão 2.1 Fevereiro 2015.

TNT Radar Manual do Usuário Versão 2.1 Fevereiro 2015. TNT Radar Manual do Usuário Versão 2.1 Fevereiro 2015. Sumário 1 - Objetivo deste manual.... 3 2 - Bem vindo ao TNT Radar.... 4 3 - Perguntas e respostas sobre a ferramenta TNT Radar.... 5 4 - Acesso a

Leia mais

Cetac - Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia Veterinária Manual Técnico do Sistema Administrativo do site Cetacvet.com.

Cetac - Centro de Ensino e Treinamento em Anatomia e Cirurgia Veterinária Manual Técnico do Sistema Administrativo do site Cetacvet.com. Manual Técnico do Sistema Administrativo do site Cetacvet.com.br SÃO PAULO - SP SUMÁRIO Introdução... 3 Autenticação no sistema administrativo... 4 Apresentação do sistema administrativo... 5 Gerenciamento

Leia mais

Excel 2010 Modulo II

Excel 2010 Modulo II Excel 2010 Modulo II Sumário Nomeando intervalos de células... 1 Classificação e filtro de dados... 3 Subtotais... 6 Validação e auditoria de dados... 8 Validação e auditoria de dados... 9 Cenários...

Leia mais

Desenvolvimento de um sistema web para a divulgação das empresas da cidade de São Sebastião do Paraíso - MG

Desenvolvimento de um sistema web para a divulgação das empresas da cidade de São Sebastião do Paraíso - MG Desenvolvimento de um sistema web para a divulgação das empresas da cidade de São Sebastião do Paraíso - MG Henrique de Oliveira Graduando em Sistemas de Informação Fernando Roberto Proença Mestre em Ciência

Leia mais

MÓDULO - I Manual Prático Microsoft Excel 2007

MÓDULO - I Manual Prático Microsoft Excel 2007 MÓDULO - I Manual Prático Microsoft Excel 2007 MÓDULO - I APRESENTAÇÃO... 1 AMBIENTE DE TRABALHO... 2 A folha de cálculo... 2 O ambiente de trabalho do Excel... 3 Faixas de Opções do Excel... 4 - Guia

Leia mais

Versão 1.15. Portal StarTISS. Portal de Digitação e Envio do Faturamento. Manual de Utilização. Versão 1.15 (Agosto/2014)

Versão 1.15. Portal StarTISS. Portal de Digitação e Envio do Faturamento. Manual de Utilização. Versão 1.15 (Agosto/2014) Versão 1.15 Portal StarTISS Portal de Digitação e Envio do Faturamento Manual de Utilização Versão 1.15 (Agosto/2014) Conteúdo 1. CONTATOS... 1 2. REQUISITOS NECESSÁRIOS... 1 3. ACESSANDO O PORTAL STARTISS...

Leia mais

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3. A série... 3

ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3. A série... 3 WORD 2007 E 2010 ÍNDICE ÍNDICE... 2 INTRODUÇÃO... 3 A série... 3 01 CAPTURAS DE TELA WORD 2010... 3 02 IMAGENS 2007/2010... 5 03 NOTAS DE RODAPÉ... 13 04 NUMERAÇÃO DE PÁGINAS... 15 05 CONTAR PALAVRAS...

Leia mais

PORTAL DE RELACIONAMENTO GROUP

PORTAL DE RELACIONAMENTO GROUP PORTAL DE RELACIONAMENTO GROUP MANUAL DO USUÁRIO Portal de Relacionamento - Manual do usuário... 1 SUMÁRIO 1. Informações gerais... 3 2. Sobre este documento... 3 3. Suporte técnico... 3 4. Visão Geral

Leia mais

Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor

Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor Ambiente Virtual de Aprendizagem C.S.G. M anual do Professor Sumário Pré-requisitos para o Moodle... Entrar no Ambiente... Usuário ou senha esquecidos?... Meus cursos... Calendário... Atividades recentes...

Leia mais

Linux. Educacional. Tutorial Buzzword

Linux. Educacional. Tutorial Buzzword Linux Educacional Tutorial Buzzword Para trabalhar com o programa Buzzword online, é necessário que crie uma conta no site. Para isso acesse o endereço - https://buzzword.acrobat.com/ Para criar uma conta

Leia mais

Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha

Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha Manual de instalação, configuração e utilização do Assinador Betha Versão 1.5 Histórico de revisões Revisão Data Descrição da alteração 1.0 18/09/2015 Criação deste manual 1.1 22/09/2015 Incluído novas

Leia mais

MANUAL DE INSTRUÇÕES SISTEMA OPERACIONAL MÉTODO QUANTUM 2014

MANUAL DE INSTRUÇÕES SISTEMA OPERACIONAL MÉTODO QUANTUM 2014 MANUAL DE INSTRUÇÕES SISTEMA OPERACIONAL MÉTODO QUANTUM 2014 ÍNDICE Apresentação Principais Botões Login Usúario Resultado Método Quantum Preencher Método Quantum Extrato On-Line Engenharia de Função Grupos

Leia mais

V.1.0 SIAPAS. Sistema Integrado de Administração ao Plano de Assistência à Saúde. Contas Médicas

V.1.0 SIAPAS. Sistema Integrado de Administração ao Plano de Assistência à Saúde. Contas Médicas 2014 V.1.0 SIAPAS Sistema Integrado de Administração ao Plano de Assistência à Saúde Contas Médicas SIAPAS Sistema Integrado de Administração ao Plano de Assistência à Saúde Módulos CONTAS MÉDICAS Capa

Leia mais

A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet.

A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet. Prezado Cliente, A CMNet disponibilizou no dia 24 de junho para download no Mensageiro a nova versão do Padrão dos Sistemas CMNet. No Padrão 9 você encontrará novas funcionalidades, além de alterações

Leia mais

Manual de utilização do. sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR

Manual de utilização do. sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR Manual de utilização do sistema integrado de controle médico WWW.ISA.NET.BR Sistema integrado de controle médico Acesso... 3 Menu principal... 4 Cadastrar... 6 Cadastro de pacientes... 6 Convênios... 10

Leia mais

Conheça o Projeto. Apresentação. Finalidade. Objetivo

Conheça o Projeto. Apresentação. Finalidade. Objetivo Manual do Usuário Índice Conheça o Projeto...3 Apresentação...3 Finalidade...3 Objetivo...3 Histórico...4 Usando o Portal...5 Efetuando o cadastro na biblioteca digital...5 Logando na Biblioteca Digital...6

Leia mais

A.S. Sistemas Rua Prof. Carlos Schlottfeldt, 10A Clélia Bernardes Viçosa MG CEP 36570-000 Telefax: (31) 3892 7700 dietpro@dietpro.com.

A.S. Sistemas Rua Prof. Carlos Schlottfeldt, 10A Clélia Bernardes Viçosa MG CEP 36570-000 Telefax: (31) 3892 7700 dietpro@dietpro.com. Sumário Principais Características...5 Configuração necessária para instalação...6 Conteúdo do CD de Instalação...7 Instruções para Instalação...8 Solicitação da Chave de Acesso...22 Funcionamento em Rede...26

Leia mais

Portal Contador Parceiro

Portal Contador Parceiro Portal Contador Parceiro Manual do Usuário Produzido por: Informática Educativa 1. Portal Contador Parceiro... 03 2. Acesso ao Portal... 04 3. Profissionais...11 4. Restrito...16 4.1 Perfil... 18 4.2 Artigos...

Leia mais

Índice 1. PORTAL DE VENDAS... 3 2. INTEGRAÇÃO PORTAL DE VENDAS X FOX... 4 3. CADASTRO DE VENDEDORES/SUPERVISORES... 5 4. CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA...

Índice 1. PORTAL DE VENDAS... 3 2. INTEGRAÇÃO PORTAL DE VENDAS X FOX... 4 3. CADASTRO DE VENDEDORES/SUPERVISORES... 5 4. CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA... Portal de Vendas Índice 1. PORTAL DE VENDAS... 3 2. INTEGRAÇÃO PORTAL DE VENDAS X FOX... 4 3. CADASTRO DE VENDEDORES/SUPERVISORES... 5 1.1. Guia Portal de Vendas... 7 4. CONFIGURAÇÃO DO SISTEMA... 8 5.

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE ESTADO DE GESTÃO E RECURSOS HUMANOS - SEGER. Manual do Usuário

GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE ESTADO DE GESTÃO E RECURSOS HUMANOS - SEGER. Manual do Usuário GOVERNO DO ESTADO DO ESPÍRITO SANTO SECRETARIA DE ESTADO DE GESTÃO E RECURSOS HUMANOS - SEGER SIGED Sistema de Gestão de Despesas Manual do Usuário MANUAL DO SISTEMA DE GESTÃO DE DESPESAS - SIGED SUMÁRIO

Leia mais

Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes)

Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes) Guia de Utilização do Microsoft Dynamics CRM (Gestão de Relacionamento com Clientes) 1. Sobre o Microsoft Dynamics CRM - O Microsoft Dynamics CRM permite criar e manter facilmente uma visão clara dos clientes,

Leia mais

Modo Estrutura é o ambiente de definição e estruturação dos campos, tipos de dados, descrição e propriedades do campo.

Modo Estrutura é o ambiente de definição e estruturação dos campos, tipos de dados, descrição e propriedades do campo. Unidade 02 A- Iniciando o Trabalho com o ACCESS: Criar e Salvar um Banco de Dados Acessar o ACCESS Criar e Salvar o Banco de Dados Locadora Encerrar o Banco de Dados e o Access Criando um Banco de Dados

Leia mais

Desenvolvendo para WEB

Desenvolvendo para WEB Nível - Básico Desenvolvendo para WEB Por: Evandro Silva Neste nosso primeiro artigo vamos revisar alguns conceitos que envolvem a programação de aplicativos WEB. A ideia aqui é explicarmos a arquitetura

Leia mais

Manual do sistema SMARsa Web

Manual do sistema SMARsa Web Manual do sistema SMARsa Web Módulo Gestão de atividades RS/OS Requisição de serviço/ordem de serviço 1 Sumário INTRODUÇÃO...3 OBJETIVO...3 Bem-vindo ao sistema SMARsa WEB: Módulo gestão de atividades...4

Leia mais

Processo de Envio de email

Processo de Envio de email Processo de Envio de email Introdução O envio de documentos de forma eletrônica vem sendo muito utilizado, assim o envio de arquivos, relatórios, avisos, informações é realizado via e-mail. O sistema disponibiliza

Leia mais

www.simplesgps.com.br Simples como tem que ser Revisão 1.05 Página 1

www.simplesgps.com.br Simples como tem que ser Revisão 1.05 Página 1 www.simplesgps.com.br Simples como tem que ser Revisão 1.05 Página 1 Sumário Simples como tem que ser... 3 Acesso... 4 Mapas... 5 Rastreamento... 7 Panorâmica... 7 Cercas... 8 Criando cercas eletrônicas...

Leia mais

MANUAL DE SUPORTE. Controle de Suporte. Este manual descreve as funcionalidades do controle de suporte.

MANUAL DE SUPORTE. Controle de Suporte. Este manual descreve as funcionalidades do controle de suporte. MANUAL DE SUPORTE Controle de Suporte Este manual descreve as funcionalidades do controle de suporte. SUMÁRIO Considerações Iniciais... 3 Acesso... 4 Controle de Suporte... 5 1. Solicitação de Atendimento...

Leia mais

OSMobile Força de Vendas

OSMobile Força de Vendas OSMobile Força de Vendas Sumário 1 REQUISITOS DE HARDWARE E SOFTWARE...3 1.1 Bluetooth... 3 1.2 Internet (Wi-fi / 3G)... 3 1.3 Armazenamento (SDCARD / Armazenamento do Aparelho)...3 1.4 GPS (Satelite)...

Leia mais

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop

Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Microsoft Visual Studio Express 2012 for Windows Desktop Apresentação da ferramenta Professor: Danilo Giacobo Página pessoal: www.danilogiacobo.eti.br E-mail: danilogiacobo@gmail.com 1 Introdução Visual

Leia mais

PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO

PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Compra Direta - Guia do Fornecedor PORTAL DE COMPRAS SÃO JOSÉ DO RIO PRETO Página As informações contidas neste documento, incluindo quaisquer URLs e outras possíveis referências a web sites, estão sujeitas

Leia mais

Guia de Uso. O Pro-Treino tem uma divisão clara de funções, apresentada a seguir: E três tipos de usuários que executam as funções descritas acima:

Guia de Uso. O Pro-Treino tem uma divisão clara de funções, apresentada a seguir: E três tipos de usuários que executam as funções descritas acima: Sumário 1. Introdução... 2 2. Conceitos básicos... 2 2.1. Fluxo do sistema... 3 2.2. Acesso ao sistema... 4 2.2.1. Login... 4 2.2.2. Logoff... 4 2.2.3. Esqueci minha senha... 5 2.3. Conhecendo o Sistema...

Leia mais

Índice APRESENTAÇÃO... 1 CADASTRO DOS CONTADORES... 3 REGISTRAR COMO SAGE ID... 5 CRIAR CONVITE PARA O CLIENTE... 8

Índice APRESENTAÇÃO... 1 CADASTRO DOS CONTADORES... 3 REGISTRAR COMO SAGE ID... 5 CRIAR CONVITE PARA O CLIENTE... 8 Índice 1. 2. 3. 4. 5. 5.1. 5.2. 6. 6.1. 6.2. 7. APRESENTAÇÃO... 1 CADASTRO DOS CONTADORES... 3 REGISTRAR COMO SAGE ID... 5 CRIAR CONVITE PARA O CLIENTE... 8 CONVITE ENVIADO PARA O CLIENTE... 10 Se o seu

Leia mais

PSQT Prêmio SESI Qualidade no Trabalho

PSQT Prêmio SESI Qualidade no Trabalho ANEXO II PSQT Prêmio SESI Qualidade no Trabalho Manutenção Evolutiva Modelo: 4.0 Sistema Indústria, 2008 Página 1 de 18 Histórico da Revisão Data Descrição Autor 06/12/2007 Necessidades para atualização

Leia mais

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet.

Está apto a utilizar o sistema, o usuário que tenha conhecimentos básicos de informática e navegação na internet. Conteúdo 1. Descrição geral 2 2. Resumo das funcionalidades 3 3. Efetuar cadastro no sistema 4 4. Acessar o sistema 6 5. Funcionalidades do menu 7 5.1 Dados cadastrais 7 5.2 Grupos de usuários 7 5.3 Funcionários

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Home -------------------------------------------------------------------------------------------------------- 7 2. Cadastros -------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

Sistema TrackMaker de Rastreamento e Logística de Transportes. Website PRO. Manual do Usuário

Sistema TrackMaker de Rastreamento e Logística de Transportes. Website PRO. Manual do Usuário Sistema TrackMaker de Rastreamento e Logística de Transportes Website PRO Manual do Usuário ÍNDICE Login Página Inicial Rastreamento em Tempo Real Configurações Janela Adicionar Veículo Editar Veículo

Leia mais

Manual do Usuário Acesso ao Sistema

Manual do Usuário Acesso ao Sistema Dispositivo de Monitoramento, Rastreamento e Bloqueio por Satélite Manual do Usuário Acesso ao Sistema www.kgk-global.com Conteúdo Conteúdo... 2 Entrar no sistema... 3 Interface... 4 Monitoramento on-line...

Leia mais

Status. Barra de Título. Barra de Menu. Barra de. Ferramentas Padrão. Caixa de nomes. Barra de. Ferramentas de Formatação. Indicadores de Coluna

Status. Barra de Título. Barra de Menu. Barra de. Ferramentas Padrão. Caixa de nomes. Barra de. Ferramentas de Formatação. Indicadores de Coluna O que é uma planilha eletrônica? É um aplicativo que oferece recursos para manipular dados organizados em tabelas. A partir deles pode-se gerar gráficos facilitando a análise e interpretação dos dados

Leia mais

SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA PED MANUAL INTERNET

SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA PED MANUAL INTERNET SISTEMA INTEGRADO DE ADMINISTRAÇÃO DA RECEITA MANUAL INTERNET ÍNDICE Sistema Integrado de Administração da Receita 1 INTRODUÇÃO GERAL... 4 2 INTRODUÇÃO AO... 4 2.1 OBJETIVOS... 4 2.2 BENEFÍCIOS... 4 2.3

Leia mais

SISTEMA DE BANCO DE IMAGENS MANUAL DE USO

SISTEMA DE BANCO DE IMAGENS MANUAL DE USO SISTEMA DE BANCO DE IMAGENS MANUAL DE USO Versão: BETA Última atualização: 24/06/2012 Índice O sistema de banco de imagens 03 Pesquisa de fotos 04 Pautas e eventos 08 Cadastro de fotos 09 Edição e indexação

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

APLICATIVO PARA CELULAR

APLICATIVO PARA CELULAR APLICATIVO PARA CELULAR Prezado usuário, agradecemos pela escolha de um produto Rota System Rastreamento. As orientações abaixo vão permitir o uso do aplicativo para celular de forma correta, fornecendo

Leia mais

jfinanç as Pessoal Versão 2.0 - Fevereiro/2015

jfinanç as Pessoal Versão 2.0 - Fevereiro/2015 jfinanças Pessoal Versão 2.0 - Fevereiro/2015 Índice 1 INTRODUÇÃO E VISÃO GERAL... 1 2 INSTALAÇÃO E CONFIGURAÇÃO INICIAL DO JFINANÇAS PESSOAL... 2 2.1 Download... 3 2.2 Instalação do jfinanças Pessoal...

Leia mais

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008

Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Goiânia, 16/09/2013 Aluno: Rafael Vitor Prof. Kelly Instalando o IIS 7 no Windows Server 2008 Objetivo Esse tutorial tem como objetivo demonstrar como instalar e configurar o IIS 7.0 no Windows Server

Leia mais

PROJETO: PRODUTO 4 RELATÓRIO FINAL DO DESENVOLVIMENTO E IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE INFORMAÇÕES

PROJETO: PRODUTO 4 RELATÓRIO FINAL DO DESENVOLVIMENTO E IMPLANTAÇÃO DO SISTEMA DE INFORMAÇÕES Nome da Empresa: DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ESTATÍSTICA E ESTUDOS SÓCIO-ECONÔMICOS (DIEESE) PROJETO: PROJETO DE COOPERAÇÃO TÉCNICA BRA/IICA/03/005 PARTICIPAÇÃO SOCIAL NÚMERO DO CONTRATO: 205037 TEMA:

Leia mais

Principais Característic

Principais Característic Principais Característic Características as Software para agendamento e controle de consultas e cadastros de pacientes. Oferece ainda, geração de etiquetas, modelos de correspondência e de cartões. Quando

Leia mais

Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge. Manual do Usuário. Versão 1.1. ExpressoMG

Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge. Manual do Usuário. Versão 1.1. ExpressoMG Companhia de Tecnologia da Informação do Estado de Minas Gerais - Prodemge Manual do Usuário Versão 1.1 ExpressoMG 14/10/2015 Sumário 1. Apresentação... 4 1.1 Objetivos do Manual... 4 1.2 Público Alvo...

Leia mais

Treinamento GVcollege Módulo Administrador de Programas e Sistemas

Treinamento GVcollege Módulo Administrador de Programas e Sistemas Treinamento GVcollege Módulo Administrador de Programas e Sistemas AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

Leia mais

Manual de Utilização

Manual de Utilização Se ainda tiver dúvidas entre em contato com a equipe de atendimento: Por telefone: 0800 642 3090 Por e-mail atendimento@oisolucoespraempresas.com.br Introdução... 3 1. O que é o programa Oi Backup Empresarial?...

Leia mais