I Desafio Petzl Para Bombeiros Regulamento Campeonato Internacional de Técnicas Verticais e Resgate

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "I Desafio Petzl Para Bombeiros Regulamento Campeonato Internacional de Técnicas Verticais e Resgate"

Transcrição

1 ! I Deafio Petzl Para Bombeiro Regulamento Campeonato Internacional de Técnica Verticai e Regate A Spelaion, ditribuidor excluivo Petzl no Brail e o Corpo de Bombeiro de Goiá, etá organizando o Primeiro Deafio Petzl para Bombeiro. A competição terá 1 categoria: - Time de 3 peoa O campeonato erá dividido em dua fae: uma claificatória e a finai. Cao queira participar por equipe e não tenha equipe completa, com 3 integrante, entre em contato conoco por ou telefone / ou ) e ajudaremo você a fechar ua equipe. Durante a etapa claificatória, cada time/peoa terá que atuar em alguma fae (cronometrada ou não, individual ou em grupo). Para cada uma deta fae, haverá um ranki e ponto erão dado para cada time/peoa. Etilo, eficiência, duração e técnica da manobra erão contabilizado na atribuição do ponto. A claificação geral é etabelecida pela omatória total de ponto. O quatro último mai pontuado poderão participar da finai. O júri é compoto de um coordenador, aitente, árbitro e cronometrita. Epecialita irão montar o percuro. Incriçõe A incriçõe ão limitada, e podem er feita até o prazo que conta em noo ite. A ficha de incrição pode er aceada no endereço: Valore: - Até 19/09/ R$ 80,00 por atleta - Dede 20/09/2015 a 05/10/ R$ 100,00 por atleta - Dede 06/10/2015 a 26/10/ R$ 120,00 por atleta - Dia 26/10/2015 encerramento da incriçõe! Seguem dado para depóito: Favorecido: Walker Gome Figueirôa CPF: Banco Bradeco Agência 3441 c/c: franca. *O valor da incrição inclui participação no campeonato. *O evento é aberto ao público. Para o viitante, público que queira aitir e pretigiar o evento, a entrada é! 1 Regulamento I Deafio Petzl Para Bombeiro Todo o direito reervado.

2 * O viitante devem e regitrar antecipadamente, em noo ite. Pré Requiito Para Competidore O competidore devem ter ido treinado, reconhecido e/ou certificado como técnico verticai e regate vertical. O competidore devem er peoa devidamente qualificada. O participante deverão demontrar que ão qualificado, conhecem a técnica e ão familiarizado com o equipamento (o cláico material de progreão) utilizado pela atividade, e etarem apto para executar trabalho na área. O documento abaixo ão obrigatório para a incrição e devem er enviado até o dia 26 de outubro de 2015: - Cópia digitalizada do certificado de qualificação, ou declaração que tem pleno domínio da técnica e procedimento de egurança; - Cópia digitalizada do atetado médico (emitido ha meno de 1 ano), habilitando para atividade em altura. - Comprovante de depóito digitalizado do valor da incrição, por . A incriçõe ó erão concluída quando a equipe Spelaion receber e aprovar todo o documento neceário. O documento podem er enviado: Para o A regra de cada prova erão eclarecida no dia do evento. Incrição incompleta ou auência no evento não caberá devolução da taxa de incrição. Equipamento obrigatório (mínimo aceitável): O participante devem levar, no mínimo, o eguinte equipamento: 1 cinturão de aceo por corda (EN 361) (ou um cinturão abdominal (EN 813) + peitoral compatível); 1 decenor autoblocante (EN 341) com 1 moquetão de trava automática (EN 362); 2 acenore (EN 567): 1 acenor ventral e 1 acenor de mão, ou 2 acenore de mão; 1 trava queda móvel (EN 353-2) com o eu aborvedor de energia; (Compatível com corda entre 10 e 11 mm) 1 loe duplo (cow tale) com 2 moquetõe de trava automática (pelegyca Petzl, progre Petzl, outro); 1 etribo 1 capacete devidamente certificado para altura. (EN12492 / EN 397) O uo de um acenor Pantin é autorizado. Outro aceório, polia, jag ytem, etc, podem er autorizado, dependendo da prova. Se autorizado, o atleta que trouxer pode e beneficiar de eu equipamento. Cada participante pode uar apena um etribo, que pode conter vário degrau ou er ajutável. O material coniderado padrão, decrito na lita acima (cinturão, decenor, acenor, talabarte, capacete e trava queda) não poderá er modificado de maneira alguma, e deverá er utilizado de acordo com o manual de intruçõe do fabricante de cada equipamento. Uuário que com eu equipamento peem mai de 100kg, deverão obrigatoriamente vetir equipamento que contem em eu manuai técnico que etão projetado para ee uuário. Verificação do equipamento ante do evento: O júri irá verificar cada peça de cada equipamento ante do início da etapa. O júri pode vedar o aceo ao evento, cao o equipamento não eja apropriado.! 2 Regulamento I Deafio Petzl Para Bombeiro Todo o direito reervado.

3 Sequência da etapa: Para cada etapa, condiçõe epecifica podem er etabelecida. Eta condiçõe erão informada ao participante ante do evento. Cada time/peoa terá um determinado tempo, que erá cronometrado, para completar a prova. O tempo ó erá levado em conideração em exercício cronometrado. O árbitro e aitente verificarão a boa prática, conforme definido pela profião, e etão endo devidamente repeitada, todo o erro declaificatório vedarão a continuação do participante na prova. No cao de falta de repeito, ofena ao árbitro, ao próprio time ou ao time adverário ou ainda qualquer conduta antieportiva, a equipe poderá er advertida e penalizada ou ainda declaificada da prova. Progreão em corda Para atividade que requerem a progreão em corda, o ponto a eguir devem er obervado. Serão obrigado a manter o itema de Prevenção de Queda (EN 353-2), de acordo com o manual técnico, durante toda a atividade. O time erão declaificado e um do participante: - ficar upeno por uma única corda de egurança; - ficar upeno por um aparelho que não etá endo utilizado em conformidade com o eu manual técnico; - ficar upeno em um ó acenor, em poição que poibilite um fator de queda no acenor; - ficar upeno omente em um ponto de ancoragem em redundância; - etiver impropriamente conectado a um talabarte. - e colocar em qualquer poição que o árbitro julguem perigoa para aúde do competidor ou de outro. O time/peoa erão penalizado em 10 ponto, ou 30 egundo, e um de eu participante ficar upeno em um decenor que não eta bloqueado e em etar egurando na corda. O uo de loe como pelegyca, progre ou imilare, erá coniderado que o competidor eteja preo a 2 ponto de ancoragem quando etiver ancorado com a 2 perna do loe em ancoragen independente. Regate / Autorregate Na etapa onde é requerido trabalho em equipe, como alvar uma peoa, o eguinte tópico devem er obervado: Sob o rico de er declaificado, o time deve obervar o principal acordo de empre etar no mínimo: na primeira corda, com o decenor bloqueado (bloqueando o decenor ou com um nó abaixo do memo), ou eu acenore, e na egunda corda, o trava queda. A dua peoa preciam etar conectada entre o loe de um dele e a ancoragem abdominal central do outro, ou por doi pequeno loe conectado um ao outro. A ligação deta forma é eencial, ainda que um backup eteja endo uado (por exemplo: corrente de moquetõe). Também haverá declaificação e o time ou uma peoa: - não coneguir finalizar a ua manobra em ajuda dentro do tempo definido. O tempo limite erá indicado ante do início do exercício. - Colocar a i memo em rico, quando alcançar a vítima, upeno omente em uma da corda. Cada time erá penalizado por 10 ponto ou 30 egundo e o eu time ou a vítima etiver pendurada omente por um decenor que não eteja bloqueado, e em etar egurando na corda. Içamento! 3 Regulamento I Deafio Petzl Para Bombeiro Todo o direito reervado.

4 O peo não poderá er levantado por mai de 50 centímetro em um decenor (com exceção que a prova permita). O atleta erão penalizado por 10 ponto ou 30 egundo no cao de: Um decenor debloqueado for utilizado em etar egurando a corda; Um nó não terminado ou nó debriável em tenão eja uado; Se o moquetão gira e e mantém em poição errada. Claificação de ponto: Para cada evento, o ponto erão concedido de acordo com o quadro abaixo: Final do deafio Seguindo a etapa claificatória, o quatro melhore eguem para a etapa finai. O doi vencedore da emifinai irão competir na finai. O time confrontarão um ao outro baeado no equema eguinte:! 4 Regulamento I Deafio Petzl Para Bombeiro Todo o direito reervado.

5 ! O ranki do doi melhore erá etabelecido com bae no reultado da final. Para o perdedore da emifinai, bem como, para toda a outra equipe, a claificação geral é baeada no ranki no final da fae claificatória. Prêmio A Cerimônia de Premiação erá realizada depoi da etapa finai, durante o evento. A participação do competidore na cerimônia é obrigatória. No cao de auência de membro do grupo na Cerimônia, o time erá declaificado e não receberá o eu prêmio. Durante o evento poderão er orteado brinde ao preente, competidore e viitante. Direito Autorai Ao loo do dia, foto e vídeo do participante erão capturada por profiionai dedicado. Eta imagen podem er uada ob qualquer forma, ou cedida a terceiro, ob qualquer forma e meio de comunicação, conhecido e deconhecido até hoje, em todo o mundo. O organizador do evento, a marca envolvida, patrocinadore e o fotógrafo ou cinegrafita, não podem er reponabilizado de forma alguma. Como conequência e em conformidade com a cláuula relativa ao direito de peronalidade, o participante autoriza o uo, incluive por terceiro, da imagen e vídeo capturado durante o evento. O participante autoriza dede já, o uo de eu para divulgaçõe, contato, e a qualquer fim que o organizadore do evento, poam querer dar. Incluive ua ceão a terceiro. Ete regulamento é parte do direito autorai da Petzl e Spelaion e não pode, em nenhuma hipótee, er uado em prévia autorização. Eclarecimento Qualquer interpretação contraditória no regulamento, ou qualquer dúvida que poa er gerada durante o evento, referente ao regulamento, norma da prova, etc, terá o coordenador do evento e eu comitê técnico, formado por eu juíze e aitente, o direito a decião final, que dever er repeitada indicutivelmente. Realvo, em derradeiro, que o FORO DA COMARCA DE PIRACICABA/SP/BRASIL, erá o competente em qualquer pendência que neceite a intervenção judicial, com a excluão de qualquer outro, exceto àquele previto em norma própria.! 5 Regulamento I Deafio Petzl Para Bombeiro Todo o direito reervado.

Petzl Rope Trip Series Brasil Regulamento 2014 Campeonato Internacional de Acesso por Corda e Resgate

Petzl Rope Trip Series Brasil Regulamento 2014 Campeonato Internacional de Acesso por Corda e Resgate Petzl Rope Trip Series Brasil Regulamento 2014 Campeonato Internacional de Acesso por Corda e Resgate A Spelaion, distribuidor exclusivo Petzl no Brasil, está organizando a competição de Acesso por Corda,

Leia mais

Petzl Rope Trip Series Brasil Regulamento 2014 Campeonato Internacional de Acesso por Corda

Petzl Rope Trip Series Brasil Regulamento 2014 Campeonato Internacional de Acesso por Corda Petzl Rope Trip Series Brasil Regulamento 2014 Campeonato Internacional de Acesso por Corda A Spelaion, distribuidor exclusivo Petzl no Brasil, está organizando a competição de Acesso por Corda, Petzl

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PIAUÍ COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DO PIAUÍ DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PIAUÍ COMISSÃO PERMANENTE DE LICITAÇÃO 1 EDITAL CONVITE Nº 009/2011-CPL/GPDP Proceo Adminitrativo nº 0221/2011 -CPL/GDPG A, atravé da Comião Permanente de Licitação, intituída pela Portaria nº 383/2011-GDPG, datada de 08/07/2011, da Exma. Sra.

Leia mais

Observação: CURSOS MICROSOFT

Observação: CURSOS MICROSOFT Obervação: O material utilizado nete curo é de propriedade e ditribuição da emprea Microoft, podendo er utilizado por qualquer peoa no formato de ditribuição WEB e leitura em PDF conforme decrito na lei

Leia mais

P U C R S PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE ENGENHARIA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CONCRETO ARMADO II FORÇA CORTANTE

P U C R S PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO GRANDE DO SUL FACULDADE DE ENGENHARIA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL CONCRETO ARMADO II FORÇA CORTANTE P U C R S PONTIFÍCI UNIERSIDDE CTÓLIC DO RIO GRNDE DO SUL FCULDDE DE ENGENHRI CURSO DE ENGENHRI CIIL CONCRETO RMDO II FORÇ CORTNTE Pro. lmir Schäer PORTO LEGRE MRÇO DE 006 1 FORÇ CORTNTE 1- Notaçõe principai

Leia mais

PROCEDIMENTO DE MERCADO AM.04 Cálculo de Votos e Contribuição

PROCEDIMENTO DE MERCADO AM.04 Cálculo de Votos e Contribuição PROCEDIMENTO DE MERCADO AM.04 Cálculo de Voto e Contribuição Reponável pelo PM: Acompanhamento do Mercado CONTROLE DE ALTERAÇÕES Verão Data Decrição da Alteração Elaborada por Aprovada por PM AM.04 - Cálculo

Leia mais

CRECHE COMUNITARIA PINGO DE GENTE AV.Senador Levindo Coelho 130 Tirol CEP.30662-290 CNPJ: 21508312.0001/80

CRECHE COMUNITARIA PINGO DE GENTE AV.Senador Levindo Coelho 130 Tirol CEP.30662-290 CNPJ: 21508312.0001/80 ORGANIZAÇÃO PROPONENTE: CRECHE COMUNITARIA PINGO DE GENTE PROJETO : CUIDANDO EDUCANDO E CONSTRUINDO CIDADÃOS DO FUTURO. LINHA PROGRAMÁTICA DO PROJETO Creche, Educação Infantil, Socialização,Garantia de

Leia mais

6.2.1 Prescrições gerais

6.2.1 Prescrições gerais CAPÍTULO 6.2 PRESCRIÇÕES RELATIVAS AO FABRICO E AOS ENSAIOS SOBRE OS RECIPIENTES SOB PRESSÃO, AEROSSÓIS, RECIPIENTES DE BAIXA CAPACIDADE CONTENDO GÁS (CARTUCHOS DE GÁS) E CARTUCHOS DE PILHAS DE COMBUSTÍVEL

Leia mais

CAPÍTULO 6 - Testes de significância

CAPÍTULO 6 - Testes de significância INF 16 CAPÍTULO 6 - Tete de ignificância Introdução Tete de ignificância (também conhecido como Tete de Hipótee) correpondem a uma regra deciória que no permite rejeitar ou não rejeitar uma hipótee etatítica

Leia mais

Associação de Professores de Matemática PROPOSTA DE RESOLUÇÃO DO EXAME DE MATEMÁTICA APLICADA ÀS CIÊNCIAS SOCIAIS (PROVA 835) 2013 2ªFASE

Associação de Professores de Matemática PROPOSTA DE RESOLUÇÃO DO EXAME DE MATEMÁTICA APLICADA ÀS CIÊNCIAS SOCIAIS (PROVA 835) 2013 2ªFASE Aociação de Profeore de Matemática Contacto: Rua Dr. João Couto, n.º 7-A 1500-36 Liboa Tel.: +351 1 716 36 90 / 1 711 03 77 Fax: +351 1 716 64 4 http://www.apm.pt email: geral@apm.pt PROPOSTA DE RESOLUÇÃO

Leia mais

Lider. ança. para criar e gerir conhecimento. }A liderança é um fator essencial para se alcançar o sucesso também na gestão do conhecimento.

Lider. ança. para criar e gerir conhecimento. }A liderança é um fator essencial para se alcançar o sucesso também na gestão do conhecimento. Liderança para criar e gerir conhecimento Lider ança para criar e gerir conhecimento }A liderança é um fator eencial para e alcançar o uceo também na getão do conhecimento.~ 48 R e v i t a d a ES P M janeiro

Leia mais

Intruçõe Breve Verão 1 0 junho 2005 INSTRUÇÕES APENAS PARA PESSOAL QUALIFICADO APERTO DO CONJUNTO DE SUPORTES AVISO: O funcionamento da ua coluna como componente de um itema upeno pode potencialmente expor

Leia mais

COP Comunication on Progress EQÜIDADE DE GÊNERO

COP Comunication on Progress EQÜIDADE DE GÊNERO COP Comunication on Progre São Paulo, 28 de fevereiro de 2011 A Ferol Indútria e Comércio SA declara eu apoio contínuo ao Pacto Global. A Ferol acredita na diveridade e na pluralidade como ferramenta de

Leia mais

Enterprise Quality Management [EQM] Excelência em Gestão da Qualidade

Enterprise Quality Management [EQM] Excelência em Gestão da Qualidade Enterprie Quality Management [EQM] Excelência em Getão da Qualidade A Getão da Qualidade Total, do inglê Total Quality Management - TQM é uma etratégia de adminitração completa que tem como objetivo principal

Leia mais

Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira. Segurança e Saúde em Trabalhos em Altura

Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira. Segurança e Saúde em Trabalhos em Altura Programa de Gestão Econômica, Social e Ambiental da Soja Brasileira Segurança e Saúde em Trabalhos em Altura Porque este assunto preocupa? Impacto dos Acidentes envolvendo Quedas - 40% das fatalidades

Leia mais

Inclusão Social dos Jovens nos Assentamentos Rurais de Areia com ênfase no trabalho da Tutoria e recursos das novas TIC s

Inclusão Social dos Jovens nos Assentamentos Rurais de Areia com ênfase no trabalho da Tutoria e recursos das novas TIC s Incluão Social do Joven no Aentamento Rurai de Areia com ênfae no trabalho da Tutoria e recuro da nova TIC MIRANDA 1, Márcia C.V.; SILVA 2, Fátima do S.; FÉLIX 3, Jânio 1 Profeora orientadora e coordenadora

Leia mais

Confrontando Resultados Experimentais e de Simulação

Confrontando Resultados Experimentais e de Simulação Confrontando Reultado Experimentai e de Simulação Jorge A. W. Gut Departamento de Engenharia Química Ecola Politécnica da Univeridade de São Paulo E mail: jorgewgut@up.br Um modelo de imulação é uma repreentação

Leia mais

Quantas equações existem?

Quantas equações existem? www2.jatai.ufg.br/oj/index.php/matematica Quanta equaçõe exitem? Rogério Céar do Santo Profeor da UnB - FUP profeorrogeriocear@gmail.com Reumo O trabalho conite em denir a altura de uma equação polinomial

Leia mais

SITE EM JAVA PARA A SIMULAÇÃO DE MÁQUINAS ELÉTRICAS

SITE EM JAVA PARA A SIMULAÇÃO DE MÁQUINAS ELÉTRICAS SITE EM JAVA PARA A SIMULAÇÃO DE MÁQUINAS ELÉTRICAS Reumo Luca Franco de Ai¹ Marcelo Semenato² ¹Intituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia/Campu Jataí/Engenharia Elétrica/PIBIT-CNPQ lucafranco_jty@hotmail.com

Leia mais

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA PREGOEIRO E EQUIPE DE APOIO EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE PREGÃO PRESENCIAL Nº 006/2015

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA PARAÍBA PREGOEIRO E EQUIPE DE APOIO EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE PREGÃO PRESENCIAL Nº 006/2015 PROCESSO ADMINISTRATIVO: 360.413-6 PODER JUDICIÁRIO EDITAL DE LICITAÇÃO MODALIDADE PREGÃO PRESENCIAL Nº 006/2015 (Regitro de Preço para contratação de emprea epecializada, objetivando contrataçõe, eventuai

Leia mais

www.inglesdojerry.com.br

www.inglesdojerry.com.br www.ingledojerry.com.br AGRADECIMENTOS Meu mai incero agradecimento, A Deu, que em ua incomenurável e infinita abedoria tem me dado aúde e força para atravé dete trabalho levar o enino do idioma a peoa

Leia mais

Pescando direitos. Medidas Provisórias nºs 664 e 665 de 30 dezembro de 2014. Sobre as MP's 664 e 665 de 2014:

Pescando direitos. Medidas Provisórias nºs 664 e 665 de 30 dezembro de 2014. Sobre as MP's 664 e 665 de 2014: Pecando direito Boletim Jurídico do CPP/ Abril de 2015. 1ª edição. Medida Proviória nº 664 e 665 de 30 dezembro de 2014. Sobre a MP' 664 e 665 de 2014: Em 30 dezembro de 2014 foram promulgada a Medida

Leia mais

s Rede Locais s Shielded Twisted Pair (STP); s Unshielded Twisted Pair (UTP); s Patch Panels; s Cabo Coaxial; s Fibra Óptica;

s Rede Locais s Shielded Twisted Pair (STP); s Unshielded Twisted Pair (UTP); s Patch Panels; s Cabo Coaxial; s Fibra Óptica; Rede de Computadore Rede Locai Shielded Twited Pair (STP); Unhielded Twited Pair (UTP); Patch Panel; Cabo Coaxial; Fibra Óptica; 2 2010 Airton Junior. All right reerved. Rede de Computadore É um conjunto

Leia mais

Federação Centro Oeste de Golfe

Federação Centro Oeste de Golfe 1 XXX TORNEIO INTERFEDERAÇÕES MASC FEM 06 a 08 agosto de 2015 Clube de Golfe de Brasilia Abaixo seguem as informações do campeonato acima em referência: Data 06 a 08 de agosto de 2015 o dia 05/08 (4ºfeira)

Leia mais

Professora FLORENCE. Resolução:

Professora FLORENCE. Resolução: 1. (FEI-SP) Qual o valor, em newton, da reultante da força que agem obre uma maa de 10 kg, abendo-e que a mema poui aceleração de 5 m/? Reolução: F m. a F 10. 5 F 50N. Uma força contante F é aplicada num

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO MUNICIPAL EDITAL N.º 001/2007

CONCURSO PÚBLICO MUNICIPAL EDITAL N.º 001/2007 CONCURSO PÚBLICO MUNICIPAL EDITAL N.º 001/2007 A PREFEITA DO MUNICÍPIO DE INHAMBUPE, Etado da Bahia, no uo de ua atribuiçõe legai, mediante a condiçõe etipulada nete Edital, repaldada no art. 37, II da

Leia mais

Programa de Formação Técnica Continuada. Categoria de Emprego para Motores CA / CC

Programa de Formação Técnica Continuada. Categoria de Emprego para Motores CA / CC Programa de Formação Técnica Continuada Categoria de Emprego para Motore CA / CC Índice.Introdução.... Chave manuai etrela triângulo.... O motore.... Motore de indução tipo gaiola.... Motore de indução

Leia mais

NR-35 TRABALHO EM ALTURA

NR-35 TRABALHO EM ALTURA 35.1. Objetivo e Campo de Aplicação NR-35 TRABALHO EM ALTURA Publicação D.O.U. Portaria SIT n.º 313, de 23 de março de 2012 27/03/12 35.1.1 Esta Norma estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção

Leia mais

2ª COPA BRAGANTINA DE SPRINT DUATHLON (5KM CORRIDA 20KM CICLISMO 2,5KM CORRIDA) E CORRIDA DE 5K

2ª COPA BRAGANTINA DE SPRINT DUATHLON (5KM CORRIDA 20KM CICLISMO 2,5KM CORRIDA) E CORRIDA DE 5K 2ª COPA BRAGANTINA DE SPRINT DUATHLON (5KM CORRIDA 20KM CICLISMO 2,5KM CORRIDA) E CORRIDA DE 5K 1. PROGRAMAÇÃO. 1. Entrega dos kits na Academia Axios (Endereço: R. Teixeira, 691, Taboão, Bragança Paulista,

Leia mais

PRÊMIO IBRAC COMERCIO INTERNACIONAL 2015

PRÊMIO IBRAC COMERCIO INTERNACIONAL 2015 PRÊMIO IBRAC COMERCIO INTERNACIONAL 2015 REGULAMENTO CONCURSO DE MONOGRAFIAS SOBRE COMÉRCIO INTERNACIONAL O Instituto Brasileiro de Estudos de Concorrência, Consumo e Comércio Internacional ( IBRAC ) promoverá

Leia mais

Palavras-chave:Algoritmo Genético; Carregamento de Contêiner; Otimização Combinatória.

Palavras-chave:Algoritmo Genético; Carregamento de Contêiner; Otimização Combinatória. Reolução do Problema de Carregamento e Decarregamento 3D de Contêinere em Terminai Portuário para Múltiplo Cenário via Repreentação por Regra e Algoritmo Genético Aníbal Tavare de Azevedo (UNICAMP) anibal.azevedo@fca.unicamp.br

Leia mais

EDITAL N o 10/2015-REITORIA, DE 10 DE MARÇO DE 2015

EDITAL N o 10/2015-REITORIA, DE 10 DE MARÇO DE 2015 Governo do Estado do Ceará Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior Universidade Estadual do Ceará REITORIA EDITAL N o 10/2015-REITORIA, DE 10 DE MARÇO DE 2015 Estabelece as normas e fixa

Leia mais

regulamento www.premionoiterio.com.br

regulamento www.premionoiterio.com.br regulamento www.premionoiterio.com.br 1. O PRÊMIO: 1.1. O Prêmio Noite Rio Edição 2013 é promovido pelas empresas Multimeios e EPA!, empresas sediadas na capital do estado do Rio de Janeiro. Possui caráter

Leia mais

TERMO DE ADITAMENTO AO REGULAMENTO DO 1º PRÊMIO COMIGO DE JORNALISMO REGULAMENTO GERAL

TERMO DE ADITAMENTO AO REGULAMENTO DO 1º PRÊMIO COMIGO DE JORNALISMO REGULAMENTO GERAL TERMO DE ADITAMENTO AO REGULAMENTO DO 1º PRÊMIO COMIGO DE JORNALISMO A Promotora do Prêmio Comigo de Jornalismo alterou os itens [1.1 e 1.2], tornando-se necessário ajustar o Regulamento do mesmo, que

Leia mais

UMA ABORDAGEM GLOBAL PARA O PROBLEMA DE CARREGAMENTO NO TRANSPORTE DE CARGA FRACIONADA

UMA ABORDAGEM GLOBAL PARA O PROBLEMA DE CARREGAMENTO NO TRANSPORTE DE CARGA FRACIONADA UMA ABORDAGEM GLOBAL PARA O PROBLEMA DE CARREGAMENTO NO TRANSPORTE DE CARGA FRACIONADA Benjamin Mariotti Feldmann Mie Yu Hong Chiang Marco Antonio Brinati Univeridade de São Paulo Ecola Politécnica da

Leia mais

Curso de Análise Matricial de Estruturas 1 I - INTRODUÇÃO

Curso de Análise Matricial de Estruturas 1 I - INTRODUÇÃO Curo de Análie Matricial de Etrutura 1 I - INTRODUÇÃO I.1 - Introdução O proceo de um projeto etrutural envolve a determinação de força interna e de ligaçõe e de delocamento de uma etrutura. Eta fae do

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA LIMA

PREFEITURA MUNICIPAL DE NOVA LIMA EDITAL DE PREGÃO PRESENCIAL: n 070/204 PROCESSO ADMINISTRATIVO: n 278/204 IMPORTANTE: AO RETIRAR ESTE EDITAL, FAVOR PREENCHER O RECIBO DE RETIRADA DE EDITAL E ENVIÁ-LO PARA O E-MAIL INFORMADO NO PROPRIO

Leia mais

Digifort Standard Solução intermediária para instalação de até 32 câmeras

Digifort Standard Solução intermediária para instalação de até 32 câmeras Digifort Standard Solução intermediária para intalação de até 32 câmera A verão Standard fornece o recuro ideai para o monitoramento local e remoto de até 32 câmera por ervidor e por er a verão intermediária

Leia mais

A PRODUÇÃO DE SENTIDOS NOS CAMINHOS DO HIPERTEXTO THE PRODUCTION OF SENSE IN THE HYPERTEXT WAY

A PRODUÇÃO DE SENTIDOS NOS CAMINHOS DO HIPERTEXTO THE PRODUCTION OF SENSE IN THE HYPERTEXT WAY 27 A PRODUÇÃO DE SENTIDOS NOS CAMINHOS DO HIPERTEXTO THE PRODUCTION OF SENSE IN THE HYPERTEXT WAY 1 RESUMO: A tecnologia da informação e comunicação - TIC ampliam o epaço para comunicação e interação na

Leia mais

PROJETO APRESENTADO PARA A ABRASEG NR 35 FORMAÇÃO DE TRABALHORES SUPERVISORES E INSTRUTORES. Luiz Eduardo Spinelli Jussara Ney

PROJETO APRESENTADO PARA A ABRASEG NR 35 FORMAÇÃO DE TRABALHORES SUPERVISORES E INSTRUTORES. Luiz Eduardo Spinelli Jussara Ney PROJETO APRESENTADO PARA A ABRASEG NR 35 FORMAÇÃO DE TRABALHORES SUPERVISORES E INSTRUTORES Luiz Eduardo Spinelli Jussara Ney São Paulo Fevereiro de 2014 1 O projeto O presente projeto é uma das mais importantes

Leia mais

Livro para a SBEA (material em construção) Edmundo Rodrigues 9. peneiras

Livro para a SBEA (material em construção) Edmundo Rodrigues 9. peneiras Livro para a SBEA (material em contrução) Edmundo Rodrigue 9 4.1. Análie granulométrica Granulometria, graduação ou compoição granulométrica de um agregado é a ditribuição percentual do eu divero tamanho

Leia mais

Reconhece e aceita a diversidade de situações, gostos e preferências entre os seus colegas.

Reconhece e aceita a diversidade de situações, gostos e preferências entre os seus colegas. Ecola Báic a 2º º e 3º º Ciclo Tema 1 Viver com o outro Tema Conteúdo Competência Actividade Tema 1 Viver com o outro Valore Direito e Devere Noção de valor O valore como referenciai para a acção: - o

Leia mais

Imposto de Renda Pessoa Física

Imposto de Renda Pessoa Física Impoto de Renda Peoa Fíica 2006 Manual de Preenchimento Declaração de Ajute Anual Modelo Completo - Ano-calendário de 2005 Receita Federal Minitério da Fazenda GOVERNO FEDERAL Índice PÁG. ENTREGA DA DECLARAÇÃO

Leia mais

MEIO AMBIENTE E CIDADANIA

MEIO AMBIENTE E CIDADANIA REGULAMENTO A Universidade Comunitária da Região de Chapecó, em conjunto com a Caixa Econômica Federal, abre inscrições para 6º Prêmio Unochapecó/Caixa de Jornalismo Ambiental 2014 e dá outras providências.

Leia mais

INFORMAÇÕES RESUMIDAS SOBRE A INSCRIÇÃO (até dia 18/10/2011)

INFORMAÇÕES RESUMIDAS SOBRE A INSCRIÇÃO (até dia 18/10/2011) SOCIEDADE BRASILEIRA DE SALVAMENTO AQUÁTICO INFORMAÇÕES RESUMIDAS SOBRE A INSCRIÇÃO (até dia 18/10/2011) Poderão inscrever-se os guarda-vidas em atividade (comprovados mediante documentação pessoal ou

Leia mais

CONCURSO DE FOTOGRAFIAS UMA COMUNIDADE VÁRIOS OLHARES EDITAL 05/2015 PROEX-UEMG / FRA

CONCURSO DE FOTOGRAFIAS UMA COMUNIDADE VÁRIOS OLHARES EDITAL 05/2015 PROEX-UEMG / FRA CONCURSO DE FOTOGRAFIAS UMA COMUNIDADE VÁRIOS OLHARES EDITAL 05/2015 PROEX-UEMG / FRA PRÓ-REITORIA DE EXTENSÃO UNIVERSIDADE DO ESTADO DE MINAS GERAIS - UEMG FUNDAÇÃO DE APOIO E DESENVOLVIMENTO DE EDUCAÇÃO,

Leia mais

Fotografando o Eclipse Total da Lua

Fotografando o Eclipse Total da Lua Fotografando o Eclipe Total da Lua (trabalho apreentado para o Mueu de Atronomia e Ciência Afin) http://atrourf.com/diniz/artigo.html Autor: Joé Carlo Diniz (REA-BRASIL) "Você pode e deve fotografar o

Leia mais

Projeto Sinergia Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Departamento Nacional

Projeto Sinergia Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Departamento Nacional Projeto Sinergia Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial Departamento Nacional Av. Ayrton Senna, 5.555 Barra da Tijuca CEP 22775-004 Rio de Janeiro RJ Brail Tel.: (21) 2136-5672 Fax: (21) 2136-5532/5689

Leia mais

REGULAMENTO D0 II CAMPEONATO MINEIRO DE RUGBY SEVEN FEMININO 2012

REGULAMENTO D0 II CAMPEONATO MINEIRO DE RUGBY SEVEN FEMININO 2012 REGULAMENTO D0 II CAMPEONATO MINEIRO DE RUGBY SEVEN FEMININO 2012 1 - Disposições Gerais Todas as partidas serão disputadas de acordo com as Leis do jogo em vigor conforme estipulado pelo IRB. Se surgirem

Leia mais

REGATA ANIVERSÁRIO CLUBE KATANKA

REGATA ANIVERSÁRIO CLUBE KATANKA Brasília, DF, 20 e 21 de agosto de 2011 1º Aviso de Regata 1- AUTORIDADE ORGANIZADORA O campeonato será organizado pelo Clube Katanka, sob a supervisão da FNB Federação Náutica de Brasília. 2- REGRAS A

Leia mais

36º CAMPEONATO SUL AMERICANO CLASSE SNIPE 13 a 19 de ABRIL de 2014 Clube dos Jangadeiros Porto Alegre Rio Grande do Sul Brasil II AVISO DE REGATA

36º CAMPEONATO SUL AMERICANO CLASSE SNIPE 13 a 19 de ABRIL de 2014 Clube dos Jangadeiros Porto Alegre Rio Grande do Sul Brasil II AVISO DE REGATA 36º CAMPEONATO SUL AMERICANO CLASSE SNIPE 13 a 19 de ABRIL de 2014 Clube dos Jangadeiros Porto Alegre Rio Grande do Sul Brasil II AVISO DE REGATA 1. REGRAS 1.1 O campeonato será disputado de acordo com

Leia mais

EDUARDO VIDAL VIOLA PRONOMES PESSOAIS E MARCADORES DE PESSOAS NAS LÍNGUAS AMERÍNDIAS

EDUARDO VIDAL VIOLA PRONOMES PESSOAIS E MARCADORES DE PESSOAS NAS LÍNGUAS AMERÍNDIAS EDUARDO VIDAL VIOLA PRONOMES PESSOAIS E MARCADORES DE PESSOAS NAS LÍNGUAS AMERÍNDIAS CAMPINAS, 2015 i ii UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS INSTITUTO DE ESTUDOS DA LINGUAGEM EDUARDO VIDAL VIOLA PRONOMES

Leia mais

EDITAL N o 06/2014-REITORIA, DE 05 DE MARÇO DE 2014

EDITAL N o 06/2014-REITORIA, DE 05 DE MARÇO DE 2014 Governo do Estado do Ceará Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior Universidade Estadual do Ceará REITORIA EDITAL N o 06/2014-REITORIA, DE 05 DE MARÇO DE 2014 Estabelece as normas e fixa

Leia mais

EXPERIÊNCIA 7 CONVERSORES PARA ACIONAMENTO DE MÁQUINAS ELÉTRICAS

EXPERIÊNCIA 7 CONVERSORES PARA ACIONAMENTO DE MÁQUINAS ELÉTRICAS FACULDADE DE ENGENHARIA ELÉTRICA E DE COMPUTAÇÃO - UNICAMP EE-832 - LABORATÓRIO DE ELETRÔNICA INDUSTRIAL EXPERIÊNCIA 7 CONVERSORES PARA ACIONAMENTO DE MÁQUINAS ELÉTRICAS 7. Introdução A máquina de corrente

Leia mais

3ª MOSTRA DE IDÉIAS E INOVAÇÕES MACKENZIE 3ª MACK-MIDI

3ª MOSTRA DE IDÉIAS E INOVAÇÕES MACKENZIE 3ª MACK-MIDI 3ª MOSTRA DE IDÉIAS E INOVAÇÕES MACKENZIE 3ª MACK-MIDI REGULAMENTO 1. CONCEITO E DENOMINAÇÃO A MIDI- MOSTRA DE IDÉIAS E INOVAÇÕES MACKENZIE é uma atividade técnico-cultural que visa a demonstração pública

Leia mais

CAPÍTULO 10 Modelagem e resposta de sistemas discretos

CAPÍTULO 10 Modelagem e resposta de sistemas discretos CAPÍTULO 10 Modelagem e repota de itema dicreto 10.1 Introdução O itema dicreto podem er repreentado, do memo modo que o itema contínuo, no domínio do tempo atravé de uma tranformação, nete cao a tranformada

Leia mais

8ª COPA BRASIL DE FUTSAL DOS SURDOS MANAUS AMAZONAS. 16 a 19 de Julho de 2015

8ª COPA BRASIL DE FUTSAL DOS SURDOS MANAUS AMAZONAS. 16 a 19 de Julho de 2015 REGULAMENTO GERAL CAPÍTULO 1 DAS DISPOSIÇÕES INICIAIS Artigo 1º. Este regulamento é o documento composto conjunto das disposições que regem a à Oitava Edição da Copa Brasil de Futsal dos Surdos Manaus/AM,

Leia mais

FEDERAÇÃO NACIONAL DAS AUTO E MOTOESCOLAS E CFCs DIRETORIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO EDITAL DE CONCURSO II PRÊMIO FENEAUTO DE EDUCAÇÃO NO TRÂNSITO

FEDERAÇÃO NACIONAL DAS AUTO E MOTOESCOLAS E CFCs DIRETORIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO EDITAL DE CONCURSO II PRÊMIO FENEAUTO DE EDUCAÇÃO NO TRÂNSITO FEDERAÇÃO NACIONAL DAS AUTO E MOTOESCOLAS E CFCs DIRETORIA EXECUTIVA DE EDUCAÇÃO EDITAL DE CONCURSO II PRÊMIO FENEAUTO DE EDUCAÇÃO NO TRÂNSITO O presidente da Federação Nacional das Auto e Motoescolas

Leia mais

FACULDADE GUILHERME GUIMBALA CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO - CEPPE EDITAL Nº 03 CEPPE, DE 07 DE JULHO DE 2015

FACULDADE GUILHERME GUIMBALA CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO - CEPPE EDITAL Nº 03 CEPPE, DE 07 DE JULHO DE 2015 FACULDADE GUILHERME GUIMBALA CENTRO DE PÓS-GRADUAÇÃO, PESQUISA E EXTENSÃO - CEPPE EDITAL Nº 03 CEPPE, DE 07 DE JULHO DE 2015 Oferta de curso de pós-graduação (lato sensu), em nível de especialização em

Leia mais

REGULAMENTO DA PROVA I Thyrso Urban Race

REGULAMENTO DA PROVA I Thyrso Urban Race REGULAMENTO DA PROVA I Thyrso Urban Race ARTIGO 1.º DENOMINAÇÃO No dia 07 de junho de 2014, pelas 17:00 h, realiza-se a 1.ª edição da prova denominada "I Thyrso Urban Race", destinada a homens e mulheres,

Leia mais

Capítulo 5: Análise através de volume de controle

Capítulo 5: Análise através de volume de controle Capítulo 5: Análie atravé de volume de controle Volume de controle Conervação de maa Introdução Exite um fluxo de maa da ubtância de trabalho em cada equipamento deta uina, ou eja, na bomba, caldeira,

Leia mais

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO CEFET SP

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE SÃO PAULO CEFET SP Diciplina: Mecânica do Fluido Aplicada Lita de Exercício Reolvido Profeor: 1 de 11 Data: 13/0/08 Caruo 1. Um menino, na tentativa de melhor conhecer o fundo do mar, pretende chegar a uma profundidade de

Leia mais

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA - 7ª Região

CONSELHO FEDERAL DE PSICOLOGIA CONSELHO REGIONAL DE PSICOLOGIA - 7ª Região Ofício Circular CRP07-187/2009 Porto Alegre, 23 de julho de 2009. I MOSTRA DE PRÁTICAS EM PSICOLOGIA NO CAMPO DAS POLÍTICAS PÚBLICAS PSICÓLOGO, SEU FAZER NOS INTERESSA. Em 2009, o Conselho Regional de

Leia mais

ESCOLA DE EQUITAÇÃO CRISTAL

ESCOLA DE EQUITAÇÃO CRISTAL CAMPEONATO GAÚCHO DE ESCOLAS 2015 e Copa Cavaleiro do Futuro ESCOLA DE EQUITAÇÃO CRISTAL Aprovado pela FGEE em: 24 de Novembro 2015 / corrigido em 26 de novembro de 2015 1. INFORMAÇÕES GERAIS: I.1 TIPO

Leia mais

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA PARTICIPAÇÃO

DOCUMENTAÇÃO NECESSÁRIA PARA PARTICIPAÇÃO OFICINA TÉCNICA E SELETIVA NA MODALIDADE JUDÔ/SESI-SP O SESI-SP realizará no próximo dia 28/01/2011, na unidade de Cubatão-SP, uma oficina técnica e uma seletiva na modalidade/judô com o intuito de arregimentar

Leia mais

Projeto Natal na Usina Boas Festas. Boas Energias Concurso Energisa de Presépios 2014 EDITAL

Projeto Natal na Usina Boas Festas. Boas Energias Concurso Energisa de Presépios 2014 EDITAL Projeto Natal na Usina Boas Festas. Boas Energias Concurso Energisa de Presépios 2014 EDITAL OBJETO: Seleção de presépios natalinos para o Concurso Energisa de Presépios 2014 CAPÍTULO I DO OBJETIVO 1.1

Leia mais

Usos do Orkut O Movimento Heavy Metal e o BuddyPoke Enquanto Expressão de Subjetividade e de Identificação 1

Usos do Orkut O Movimento Heavy Metal e o BuddyPoke Enquanto Expressão de Subjetividade e de Identificação 1 Uo do Orkut O Movimento Heavy Metal e o BuddyPoke Enquanto Expreão de Subjetividade e de Identificação 1 Élida Fabiani Morai de CRISTO; Haroldo França REBOUÇAS Neto; Jacklene de Souza CARRÉRA; Keila Marina

Leia mais

REGULAMENTO D0 I CAMPEONATO MINEIRO DE RUGBY 2012-2ª DIVISÃO

REGULAMENTO D0 I CAMPEONATO MINEIRO DE RUGBY 2012-2ª DIVISÃO REGULAMENTO D0 I CAMPEONATO MINEIRO DE 2012-2ª DIVISÃO 1 - Disposições Gerais Todas as partidas serão disputadas de acordo com as Leis do jogo em vigor conforme estipulado pelo IRB. Se surgirem dúvidas

Leia mais

Padronizar os procedimentos relativos ao suporte de áudio e vídeo na Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro - EMERJ.

Padronizar os procedimentos relativos ao suporte de áudio e vídeo na Escola da Magistratura do Estado do Rio de Janeiro - EMERJ. Propoto por: Diretor do Departamento de Tecnologia de Informação e Comunicação (DETEC) Analiado por: Aeora da Aeoria de Getão Etratégica (ASGET) Aprovado por: Secretária-Geral de Enino (SECGE) 1 OBJETIVO

Leia mais

Dias de Disputa: INSCRIÇÕES: Até 20 de maio 2015 R$100,00 Categoria de peso + R$40,00 absoluto

Dias de Disputa: INSCRIÇÕES: Até 20 de maio 2015 R$100,00 Categoria de peso + R$40,00 absoluto Local: Ginásio da Universidade Estadual do Pará UEPA Endereço: Avenida Almirante Barroso,3775 Belém/PA Válido para todas as categorias de Mirim a Sênior 5, de faixa-branca à faixapreta. Dias de Disputa:

Leia mais

1º PRÊMIO ENFIL DE INOVAÇÃO EM TECNOLOGIA AMBIENTAL REGULAMENTO 2012 DOS OBJETIVOS

1º PRÊMIO ENFIL DE INOVAÇÃO EM TECNOLOGIA AMBIENTAL REGULAMENTO 2012 DOS OBJETIVOS 1º PRÊMIO ENFIL DE INOVAÇÃO EM TECNOLOGIA AMBIENTAL REGULAMENTO 2012 DOS OBJETIVOS Artigo 1º - O Prêmio Enfil de Inovação em Tecnologia Ambiental irá contemplar o autor e o orientador da melhor Dissertação

Leia mais

PROTEÇÕES COLETIVAS. Modelo de Dimensionamento de um Sistema de Guarda-Corpo

PROTEÇÕES COLETIVAS. Modelo de Dimensionamento de um Sistema de Guarda-Corpo PROTEÇÕES COLETIVAS Modelo de Dimenionamento de um Sitema de Guarda-Corpo PROTEÇÕES COLETIVAS Modelo de Dimenionamento de um Sitema de Guarda-Corpo PROTEÇÕES COLETIVAS Modelo de Dimenionamento de um Sitema

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO DO CARTAZ PARA 25º PRÊMIO DESIGN MUSEU DA CASA BRASILEIRA

REGULAMENTO DO CONCURSO DO CARTAZ PARA 25º PRÊMIO DESIGN MUSEU DA CASA BRASILEIRA REGULAMENTO DO CONCURSO DO CARTAZ PARA 25º PRÊMIO DESIGN MUSEU DA CASA BRASILEIRA 1 OBJETIVOS 1.1 Divulgar a 25ª edição do Prêmio Design Museu da Casa Brasileira, mais tradicional e renomada premiação

Leia mais

Rentabilidade das Instituições Financeiras no Brasil: Mito ou Realidade? Autores JOSÉ ALVES DANTAS Centro Universitário Unieuro

Rentabilidade das Instituições Financeiras no Brasil: Mito ou Realidade? Autores JOSÉ ALVES DANTAS Centro Universitário Unieuro Rentabilidade da Intituiçõe Financeira no Brail: Mito ou Realidade? Autore JOSÉ ALVES DANTAS Centro Univeritário Unieuro PAULO ROBERTO BARBOSA LUSTOSA PMIRPGCC - UNB/UFPB/UFPE/UFRN Reumo A dicuão obre

Leia mais

PENSAMENTO SISTÊMICO APLICADO A SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UM ESTUDO DE CASO. Leila Lage Humes lhumes@usp.br

PENSAMENTO SISTÊMICO APLICADO A SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UM ESTUDO DE CASO. Leila Lage Humes lhumes@usp.br V I I S E M E A D E S T U D O D E C A S O M É T O D O S Q U A N T I T A T I V O S E I N F O R M Á T I C A PENSAMENTO SISTÊMICO APLICADO A SISTEMAS DE INFORMAÇÃO UM ESTUDO DE CASO Leila Lage Hume lhume@up.br

Leia mais

I FESTIVAL HIP HOP/ STREET DANCE CAMPOS DOS GOYTACAZES

I FESTIVAL HIP HOP/ STREET DANCE CAMPOS DOS GOYTACAZES I FESTIVAL HIP HOP/ STREET DANCE CAMPOS DOS GOYTACAZES A dança tem se mostrado uma referência Nacional e Internacional na cidade de Campos dos Goytacazes. O I festival aberto de Hip Hop /Street dance,

Leia mais

Campanha #TND em Foco REGULAMENTO DO I CONCURSO DE FOTOGRAFIA A ARTE DA NUTRIÇÃO

Campanha #TND em Foco REGULAMENTO DO I CONCURSO DE FOTOGRAFIA A ARTE DA NUTRIÇÃO Campanha #TND em Foco REGULAMENTO DO I CONCURSO DE FOTOGRAFIA A ARTE DA NUTRIÇÃO 1.Disposições Gerais 1.1 O I Concurso de Fotografias A Arte da Nutrição, comemorativo ao Dia do Técnico em Nutrição e Dietética

Leia mais

Digifort Professional A solução ideal para empresas que necessitam o gerenciamento de até 64 câmeras

Digifort Professional A solução ideal para empresas que necessitam o gerenciamento de até 64 câmeras Digifort Profeional A olução ideal para emprea que neceitam o gerenciamento de até 64 câmera A verão Profeional fornece o melhore recuro para o monitoramento local e remoto de até 64 câmera por ervidor,

Leia mais

Um exemplo de Análise de Covariância. Um exemplo de Análise de Covariância (cont.)

Um exemplo de Análise de Covariância. Um exemplo de Análise de Covariância (cont.) Um exemplo de Análie de Covariância A Regreão Linear e a Análie de Variância etudada até aqui, ão cao particulare do Modelo Linear, que inclui também a Análie de Covariância Em qualquer deta trê ituaçõe

Leia mais

DESAFIO REGISTRO MULTIMIDIÁTICO

DESAFIO REGISTRO MULTIMIDIÁTICO MANUAL DE ARBITRAGEM DESAFIO REGISTRO MULTIMIDIÁTICO Declaração de Princípio Banca Examinadora: Ética e Valores Os membros das Bancas Examinadoras do Torneio Juvenil de Robótica têm o compromisso de manter

Leia mais

Nestas notas será analisado o comportamento deste motor em regime permanente.

Nestas notas será analisado o comportamento deste motor em regime permanente. MOTO DE INDUÇÃO TIFÁSICO 8/0/006 Ivan Camargo Introdução O motor de indução trifáico correponde a, aproximadamente, 5 % da carga elétrica do Brail, ou eja, 50 % da carga indutrial que, por ua vez, correponde

Leia mais

Vestibular 2013 2 a fase Gabarito Física

Vestibular 2013 2 a fase Gabarito Física etibular 203 2 a fae Gabarito Fíica Quetão 0 (alor: 5 ponto) Cálculo da variação da quantidade de movimento A velocidade inicial no momento do impacto erá a velocidade final da queda Aplicando conervação

Leia mais

NR.35 TRABALHO EM ALTURA

NR.35 TRABALHO EM ALTURA NR.35 TRABALHO EM ALTURA Objetivo e Campo de Aplicação Esta Norma estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção para o trabalho em altura, envolvendo o planejamento, a organização e a execução,

Leia mais

Estabelecer critérios e procedimentos gerais para gerir a Secretaria do Conselho da Magistratura (SECCM).

Estabelecer critérios e procedimentos gerais para gerir a Secretaria do Conselho da Magistratura (SECCM). Propoto por: Equipe da Secretaria do Conelho da Magitratura (SECCM) Analiado por: Repreentante da Adminitração Superior (RAS/SECCM) Aprovado por: Secretária da Secretaria do Conelho da Magitratura (SECCM)

Leia mais

REGULAMENTO TAÇA DE PORTUGAL CADETES

REGULAMENTO TAÇA DE PORTUGAL CADETES REGULAMENTO TAÇA DE PORTUGAL CADETES 2016 Aprovado a 10 /12 /2015 A Taça de Portugal é uma prova da excluiva reponabilidade da UVP/FPC-Federação Portuguea de Ciclimo, detinada à categoria de Cadete e erá

Leia mais

REGULAMENTO DA 2ª CORRIDA SESI DE RUA

REGULAMENTO DA 2ª CORRIDA SESI DE RUA REGULAMENTO DA 2ª CORRIDA SESI DE RUA O SERVIÇO SOCIAL DA INDÚSTRIA DEPARTAMENTO REGIONAL DO TOCANTINS - SESI/DR-TO, doravante denominado INSTITUIDOR, por intermédio de sua Unidade Executiva de Negócios

Leia mais

Programa de Formação Técnica Continuada. Proteção contra descargas Atmosféricas

Programa de Formação Técnica Continuada. Proteção contra descargas Atmosféricas Programa de Formação Técnica Continuada Proteção contra decarga Atmoférica 1. Origem e formação da decarga atmoférica...2 Índice 2. O parâmetro do Raio...4 3. Claificação da intalaçõe...4 4. Técnica de

Leia mais

Prêmio Planeta Casa 2012 Regulamento categoria Produtos de decoração

Prêmio Planeta Casa 2012 Regulamento categoria Produtos de decoração Prêmio Planeta Casa 2012 Regulamento categoria Produtos de decoração O Prêmio Planeta Casa 2012 busca valorizar empresas, organizações da sociedade civil e profissionais das áreas de arquitetura, design,

Leia mais

CAMPEONATO BRASILEIRO MENORES / 2015

CAMPEONATO BRASILEIRO MENORES / 2015 CAMPEONATO BRASILEIRO MENORES / 2015 XXVI JUVENIL, XXII INFANTIL, IV SUB-21 E III CADETE 10 a 12 de Julho Valendo 20 pontos no Ranking Nacional Realização: Federação Paranaense de Taekwondo Organização:

Leia mais

= T B. = T Bloco A: F = m. = P Btang. s P A. 3. b. P x. Bloco B: = 2T s T = P B 2 s. s T = m 10 B 2. De (I) e (II): 6,8 m A. s m B

= T B. = T Bloco A: F = m. = P Btang. s P A. 3. b. P x. Bloco B: = 2T s T = P B 2 s. s T = m 10 B 2. De (I) e (II): 6,8 m A. s m B eolução Fíica FM.9 1. e Com bae na tabela, obervamo que o atleta etá com 5 kg acima do peo ideal. No gráfico, temo, para a meia maratona: 1 kg,7 min 5 kg x x,5 min. Na configuração apreentada, a força

Leia mais

1ª Copa FBR Esportes de Mountain Bike 2015

1ª Copa FBR Esportes de Mountain Bike 2015 1ª Copa FBR Esportes de Mountain Bike 2015 Este regulamento define as regras da Primeira Copa FBR Esportes de Mountain Bike 2015, portanto é fundamental o competidor ter conhecimento do seu conteúdo. 1.

Leia mais

NR 35 Trabalho em Altura

NR 35 Trabalho em Altura Professor Flávio Nunes NR 35 Trabalho em Altura CLT: Art.200 www.econcursando.com.br 1 35.1. Objetivo e Campo de Aplicação 35.1.1 Esta Norma estabelece os requisitos mínimos e as medidas de proteção para

Leia mais

MINISTÉRIO DAS CIDADES SECRETARIA EXECUTIVA DEPARTAMENTO NACIONAL DE TRÂNSITO COORDENAÇÃO GERAL DE QUALIFICAÇÃO DO FATOR HUMANO NO TRÂNSITO

MINISTÉRIO DAS CIDADES SECRETARIA EXECUTIVA DEPARTAMENTO NACIONAL DE TRÂNSITO COORDENAÇÃO GERAL DE QUALIFICAÇÃO DO FATOR HUMANO NO TRÂNSITO MINISTÉRIO DAS CIDADES SECRETARIA EXECUTIVA DEPARTAMENTO NACIONAL DE TRÂNSITO COORDENAÇÃO GERAL DE QUALIFICAÇÃO DO FATOR HUMANO NO TRÂNSITO EDITAL DE CONCURSO VII PRÊMIO DENATRAN DE EDUCAÇÃO NO TRÂNSITO

Leia mais

A EDUCAÇÃO BRASILEIRA NAS ÚLTIMAS DÉCADAS: OBSTÁCULOS E METAS DENTRO E FORA DA ESCOLA

A EDUCAÇÃO BRASILEIRA NAS ÚLTIMAS DÉCADAS: OBSTÁCULOS E METAS DENTRO E FORA DA ESCOLA 329 A EDUCAÇÃO BRASILEIRA NAS ÚLTIMAS DÉCADAS: OBSTÁCULOS E METAS DENTRO E FORA DA ESCOLA BRAZILIAN EDUCATION IN LAST DECADES: BARRIERS AND GOALS INSIDE AND OUTSIDE SCHOOL 1 t r a v e i a e d. 1 0 i n

Leia mais

Regulamento do 5º Passeio de BTT Bombeiros Voluntários de São Martinho do Porto 19 de Abril de 2015

Regulamento do 5º Passeio de BTT Bombeiros Voluntários de São Martinho do Porto 19 de Abril de 2015 Regulamento do 5º Passeio de BTT Bombeiros Voluntários de São 19 de Abril de 2015 São Fevereiro de 2015 SECÇÃO I ORGANIZAÇÃO 1- O evento tem a denominação de V Passeio BTT Bombeiros Voluntários de São

Leia mais

REGULAMENTO DO CONCURSO DE FOTOGRAFIA E VÍDEO DA ÁGUAS DO ALGARVE, S.A.

REGULAMENTO DO CONCURSO DE FOTOGRAFIA E VÍDEO DA ÁGUAS DO ALGARVE, S.A. REGULAMENTO DO CONCURSO DE FOTOGRAFIA E VÍDEO DA ÁGUAS DO ALGARVE, S.A. A ÁGUA PELOS MEUS OLHOS Mil Imagens, uma Região, um Futuro Cláusula 1 - Organização O Concurso de Fotografia e Vídeo A Água pelos

Leia mais

CIRCUITO NACIONAL CORREIOS DE BEACH TENNIS REGULAMENTO GERAL PARA 2014 1. DO CAMPEONATO

CIRCUITO NACIONAL CORREIOS DE BEACH TENNIS REGULAMENTO GERAL PARA 2014 1. DO CAMPEONATO CIRCUITO NACIONAL CORREIOS DE BEACH TENNIS REGULAMENTO GERAL PARA 2014 1. DO CAMPEONATO O Campeonato será realizado nos meses de Junho, Agosto,Outubro e a Etapa Master final do ano(local e data a confirmar),

Leia mais

Resistência dos Materiais SUMÁRIO 1. TENSÕES DE CISALHAMENTO... 1 1.1 DIMENSIONAMENTO... 2 1.2 EXEMPLOS... 2

Resistência dos Materiais SUMÁRIO 1. TENSÕES DE CISALHAMENTO... 1 1.1 DIMENSIONAMENTO... 2 1.2 EXEMPLOS... 2 Reitência do Materiai SUMÁRIO 1. TESÕES DE CISLHMETO... 1 1.1 DIMESIOMETO... 1. EXEMPLOS... Cialhamento 0 Prof. Joé Carlo Morilla Reitência do Materiai 1. Tenõe de Cialhamento Quando dua força cortante

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DE PROFISSIONAL DE TRABALHO EM ALTURA NAC-001

CERTIFICAÇÃO DE PROFISSIONAL DE TRABALHO EM ALTURA NAC-001 Página 1 de 8 1. OBJETIVO Esta Norma estabelece as regras adotadas pela Associação Nacional das Empresas de Acesso por Corda ANEAC, para a certificação de profissionais de Trabalho em Altura que atuam

Leia mais

REGULAMENTO V - DRUMS CONTEST. A categoria Junior define como participantes os inscritos com 11 à 17 anos de idade no dia 04/12/2012.

REGULAMENTO V - DRUMS CONTEST. A categoria Junior define como participantes os inscritos com 11 à 17 anos de idade no dia 04/12/2012. REGULAMENTO V - DRUMS CONTEST O festival terá duas categorias: Junior e Senior A categoria Junior define como participantes os inscritos com 11 à 17 anos de idade no dia 04/12/2012. A categoria Senior

Leia mais