DPDE - Departamento de Produtos Financeiros Descentralizados. ACIT - Área de Apoio à Ciência, Inovação, Infraestrutura e Tecnologia.

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "DPDE - Departamento de Produtos Financeiros Descentralizados. ACIT - Área de Apoio à Ciência, Inovação, Infraestrutura e Tecnologia."

Transcrição

1 EMITENTE: Área Responsável DPDE - Departamento de Produtos Financeiros Descentralizados ACIT - Área de Apoio à Ciência, Inovação, Infraestrutura e Tecnologia. Histórico das revisões (como base nas Resoluções de Diretoria que aprovaram as alterações do Regulamento do Programa INOVACRED) Rev. Nº Data Documento /12/14 RES/DIR/0308/14

2 MANUAL OPERACIONAL E DE ORIENTAÇÃO AOS AGENTES FINANCEIROS LINHA INOVACRED EXPRESSO 3

3 Sumário PARTE 1 - APRESENTAÇÃO DA LINHA INOVACRED EXPRESSO A FINEP E SUA DESCENTRALIZAÇÃO OPERACIONAL OBJETIVO QUEM PODE SER AGENTE FINANCEIRO REMUNERAÇÃO DOS AGENTES FINANCEIROS PÚBLICO ALVO: EMPRESAS E OUTRAS INSTITUIÇÕES REQUISITOS PARA ENQUADRAMENTO Empresas que tenham recebido pelo menos um dos seguintes apoios de governo: Empresas que tenham histórico na área de Propriedade Intelectual (Propriedade Industrial e Direito Autoral) Estar instalada em Incubadoras de Base Tecnológica ou Parques Tecnológicos ITENS FINANCIÁVEIS PARTICIPAÇÃO DA FINEP E RESSARCIMENTO DE DESPESAS VALOR LIMITE DO FINANCIAMENTO CUSTO DO FINANCIAMENTO TAXA DE SERVIÇOS PRAZOS DE UTILIZAÇÃO, CARÊNCIA E AMORTIZAÇÃO DOS FINANCIAMENTOS GARANTIAS SISTEMÁTICA DE LIBERAÇÃO DE RECURSOS DA FINEP PRESTAÇÃO DE CONTAS PROCEDIMENTOS E DISPOSIÇÕES GERAIS PARTE 2 ANEXOS DO MANUAL RELATÓRIOS GERENCIAIS MENSAIS FINEP-AGENTE FINANCEIRO CARTA DE DISPONIBILIZAÇÃO DE RECURSOS PARA CONCESSÃO DE CRÉDITO FORMULÁRIOS PARECER DE ENQUADRAMENTO ORIENTAÇÃO DE PREENCHIMENTO DA FICHA CADASTRO DE OPERAÇÕES INOVACRED EXPRESSO

4 INTRODUÇÃO Trata-se de Manual Operacional e de Orientação aos Agentes Financeiros da Linha Inovacred Expresso, organizado em duas partes. Na primeira, são apresentados: a justificativa, objetivos, público alvo, itens financiáveis, condições das operações de financiamento às empresas, incluindo os valores limite, as taxas e prazos, contrapartida, garantias e o limite de participação da FINEP. Na segunda parte são apresentados: o novo modelo de Carta de Disponibilização de Recursos para a Concessão de Crédito que inclui a Linha Inovacred Expresso e que deverá ser apresentado aos Agentes credenciados na forma de um Termo Aditivo ao Programa. Também constam os formulários de apresentação de proposta e registro do parecer de enquadramento do Agente, os modelos de relatórios gerenciais técnicos e financeiros a serem apresentados pelos Agentes à FINEP assim como a orientação de preenchimento da ficha cadastro de operações Inovacred Expresso. Finalmente informamos que este Manual ficará disponível no site da FINEP, dando assim conhecimento a todos os interessados, e no aplicativo do programa INOVACRED. Este poderá ser revisado periodicamente de acordo com as necessidades do Programa. 5

5 Parte 1 - Apresentação da Linha Inovacred Expresso 1.1. A FINEP e sua descentralização operacional O INOVACRED é parte integrante de uma estratégia articulada e planejada de descentralização operacional da FINEP, por meio de Agentes Financeiros Federais, Estaduais e/ou Regionais, visando fomentar e financiar a inovação nas micro, pequenas e médias empresas. Nesse contexto, foi identificada a necessidade de um atendimento a demandas por financiamento de valores abaixo de R$ ,00, especialmente por empresas de base tecnológica que tem grandes dificuldades de apresentar garantias reais para as operações tradicionais de crédito. Além disso, a necessidade por um apoio mais simplificado e ágil aos esforços inovativos das micro empresas, empresas de pequeno porte e pequenas empresas (até R$ ,00) também foi outra demanda crítica identificada junto aos Agentes Financeiros. Como consequência, a FINEP lançou a linha INOVACRED Expresso com uma ótica que passa a privilegiar o enquadramento da empresa inovadora sem necessidade de apresentação e análise de um projeto específico Objetivo A linha INOVACRED EXPRESSO tem por objetivo financiar atividades inovadoras em empresas e outras instituições cuja receita operacional bruta anual ou anualizada seja de até R$ ,00 (dezesseis milhões de reais), através da concessão de recursos de até R$ ,00 (cento e cinquenta mil reais) de forma simplificada, desde que atendidas às condições estabelecidas como requisitos de enquadramento, explicitadas no item 1.6 deste Manual Quem Pode ser Agente Financeiro Os agentes credenciados no Programa INOVACRED estarão aptos a operar a Linha INOVACRED Expresso desde que assinem o termo aditivo à carta de disponibilização de recursos que inclui a adesão à nova linha e seu regulamento. Poderão se credenciar como Agentes Financeiros da FINEP os Bancos de Desenvolvimento, os Bancos Comerciais com carteira de desenvolvimento e as Agências Estaduais de Fomento. Em anexo segue o modelo de Termo Aditivo à Carta de Disponibilização de Recursos Remuneração dos Agentes Financeiros 3% a.a. nos mesmos moldes do programa INOVACRED Público Alvo: Empresas e outras Instituições Destina-se a: Microempresas, empresas de pequeno porte, pequenas empresas e outras instituições brasileiras que tenham receita operacional bruta anual de até R$ ,00 (dezesseis milhões de reais). Poderão ser financiadas as empresas e outras instituições cuja atividade econômica apresente receita operacional bruta superior a R$ ,00 (dezesseis milhões de reais), desde que motivada por questões sazonais e que o valor médio da receita operacional bruta auferida nos dois últimos exercícios findos seja inferior a ,00 (dezesseis milhões de reais). 6

6 Para fins da Linha INOVACRED EXPRESSO, as financiadas serão classificadas da seguinte forma: Porte I empresas e outras instituições com receita operacional bruta anual ou anualizada inferior a R$ ,00 (três milhões e seiscentos mil reais); Porte II empresas e outras instituições cuja receita operacional bruta anual ou anualizada igual ou superior a R$ ,00 (três milhões e seiscentos mil reais) e inferior ou igual a R$ ,00 (dezesseis milhões de reais) Requisitos para Enquadramento Nesta linha, não há exigência de apresentação de projetos de inovação e sim a verificação do atendimento de pelo menos um dos requisitos de enquadramento abaixo definidos. Para que a empresa ou outra instituição tenha sua proposta enquadrada, ela deverá desenvolver atividades inovadoras para as etapas científicas, tecnológicas, organizacionais e comerciais, incluindo investimento em novas formas de conhecimento, que visam a inovação de produtos e/ou processos. Isto é, são todas as atividades necessárias para o desenvolvimento e implementação de produtos e processos novos ou aperfeiçoados. Estas atividades, de maneira geral, podem se desenvolver tanto dentro como fora da empresa (e internalizadas através da aquisição de um serviço) Empresas que tenham recebido pelo menos um dos seguintes apoios de governo: 1. Incentivos fiscais à P&D e inovação tecnológica obtidos, conforme previsto no Capítulo III da Lei nº /2005 nos últimos 5 anos. 2. Subvenção econômica à P&D nos últimos 10 anos. (Ex.: Subvenção Nacional FINEP, TECNOVA, PAPPE Subvenção, PAPPE Integração, PRIME, Editais estaduais, etc.). 3. Financiamento a projetos de P&D e inovação tecnológica em parceria com universidades ou institutos de pesquisa nos últimos 5 anos. (Ex.: NAGI, SIBRATEC, SENAI/SESI, etc.). 4. Financiamento a projetos de P&D e inovação tecnológica sem parceria com universidades ou institutos de pesquisa nos últimos 5 anos. (Ex.: FINEP 30 dias, Juro Zero, Inova Brasil, MPME inovadora do BNDES, etc.). 5. Bolsas RHAE/CNPq para pesquisadores em empresas nos últimos 5 anos. 6. Aporte de recursos de capital de risco nos últimos 5 anos para empresas inovadoras apoiadas por fundos de venture capital que tenham participação de recursos públicos. (Ex.: INOVAR FINEP, CRIATEC, etc.) Obs.: Para fins de enquadramento limita-se o ingresso para empresas ou outras instituições com operações contratadas nos requisitos acima. O período dessa contagem considera o intervalo entre a data de contratação da operação e a data da entrada do pedido de financiamento no Agente Financeiro. Em todas as situações de enquadramento, a empresa deverá apresentar a respectiva documentação comprobatória. Para os casos de incentivos fiscais, a empresa deverá apresentar a documentação comprobatória aplicável e o Agente deverá verificar a lista das empresas contempladas com apoio disponível no site do MCTI. No caso da empresa se enquadrar em mais de um dos requisitos de enquadramento, será necessário apresentar apenas a documentação de um dos requisitos. 7

7 1.6.2 Empresas que tenham histórico na área de Propriedade Intelectual (Propriedade Industrial e Direito Autoral) 1. Possuir registro de patente no INPI nos últimos cinco anos; 2. Ter depositado pedido de patente no INPI no mesmo ano do protocolo da proposta de financiamento ou nos dois anos anteriores, desde que o pedido de patente esteja válido até o momento do protocolo da proposta no Agente Financeiro; 3. Possuir registro de Direito Autoral nos últimos cinco anos Aplicável apenas em caso de Software; Estar instalada em Incubadoras de Base Tecnológica ou Parques Tecnológicos No momento do pedido, a empresa ou outra instituição deverá comprovar que está instalada numa Incubadora ou Parque. Considera-se incubadora de base tecnológica, adotando a taxonomia utilizada pela Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores ANPROTEC, aquelas que atendem aos seguintes objetivos: atuação preponderante com empresa de base tecnológica, vinculação e parcerias com universidades e centros tecnológicos, dinamização da economia local, criação de spin-offs, dinamização do setor específico de atividade, inclusão sócio econômica e geração de emprego e renda. Com relação aos Parques Tecnológicos, temos que são complexos de desenvolvimento econômico e tecnológico que visam fomentar economias baseadas no conhecimento por meio da integração da pesquisa científica-tecnológica, negócios/empresas, instituições de pesquisa, universidades e organizações governamentais em um local físico, e do suporte às inter-relações entre estes grupos. Além de prover espaço para negócios baseados em conhecimento, Parques Tecnológicos podem abrigar centros para pesquisa científica, desenvolvimento tecnológico, inovação e incubação, treinamento, prospecção, como também infraestrutura para feiras, exposições e desenvolvimento mercadológico. Eles são ligados a centros de excelência tecnológica, universidades e/ou centros de pesquisa. Os Parques Tecnológicos, a partir da congregação de instituições públicas e privadas, com foco em empresas inovadoras, start-ups de base tecnológica, centros tecnológicos, institutos de pesquisa e universidades, constituem importantes instrumentos para o desenvolvimento de ambientes inovadores. A ANPROTEC em seu site (www.anprotec.org.br) possui informações adicionais sobre Incubadoras de Base Tecnológica e Parques Tecnológicos Itens Financiáveis São considerados como itens financiáveis do projeto aqueles necessários às atividades de Inovação e elencados a seguir: a) Equipamentos Nacionais b) Equipamentos Importados c) Aquisição de Softwares vinculados ao Desenvolvimento de Produto/Processo/Serviço Inovador 8

8 d) Matérias Primas e Materiais de Consumo ligados à prototipagem ou Lotes Pioneiros e) Serviços de Consultoria Tecnológica f) Marketing e Comercialização do Produto/Processo/Serviço Inovador g) Patenteamento e Licenciamento h) Compra de Tecnologia i) Treinamento j) Testes e certificação 1.8. Participação da FINEP e Ressarcimento de despesas A participação da FINEP nos financiamentos concedidos pelo AGENTE FINANCEIRO às financiadas será de até 100% (cem por cento). Poderá não ser exigida contrapartida das financiadas, ficando a decisão a critério do agente financeiro. Caso exista contrapartida, estes gastos poderão ser aceitos a partir da data de solicitação do financiamento pelas financiadas Valor Limite do financiamento Até R$ ,00 (cento e cinquenta mil reais) Custo do Financiamento TJLP + 3% a.a. para todas as regiões geográficas do País; TJLP Taxa de Juros de Longo Prazo, divulgada pelo Banco Central do Brasil Taxa de serviços O Agente Financeiro poderá estabelecer uma taxa de serviços livremente pactuada com a Empresa e outras instituições financiadas no instrumento contratual, limitada a 2% (dois por cento) Prazos de Utilização, Carência e Amortização dos Financiamentos O prazo de utilização dos recursos solicitados na Linha INOVACRED EXPRESSO não deverá ultrapassar o prazo máximo de 12 (doze) meses, a contar da assinatura do contrato. O Prazo do financiamento será de até 48 meses, incluída carência de 6 a 12 meses Garantias O AGENTE FINANCEIRO deverá exigir das empresas e outras instituições financiadas a constituição de garantia(s), suficiente(s) e idônea(s) em seu favor Sistemática de Liberação de Recursos da FINEP É a mesma adotada no Programa INOVACRED, conforme o Manual Operacional de Orientação aos Agentes Financeiros deste Programa. 9

9 1.15. Prestação de Contas Sob a responsabilidade do Agente, devendo ser verificada a adequação das rubricas em caso de auditoria por amostragem. O prazo limite da apresentação de prestação de contas pelas empresas é de 3 meses após o término do prazo da utilização de recursos Procedimentos e Disposições Gerais A empresa ou outra instituição deverá encaminhar seu pedido de financiamento de acordo com o formulário disponível em anexo. Além disso, deve ser encaminhado o documento comprobatório da participação da empresa ou outra instituição na opção de enquadramento escolhida Não há no caso desta linha relatórios de análise e acompanhamento técnico, ficando ao Agente a responsabilidade de análise cadastral, financeira e prestação de contas e decisão de enquadramento Na prestação de contas, deverá ser verificado o enquadramento das despesas nas rubricas apoiáveis da Linha O número de empresas e outras instituições contratadas será considerado no cálculo das metas de atendimento estabelecidas no Plano de Trabalho Os relatórios gerenciais serão os mesmos do Programa INOVACRED. Os valores das operações contratadas na linha INOVACRED EXPRESSO serão considerados nos limites de crédito definidos para empresas de Porte I e Porte II. Não haverá destinação específica de recursos a ser alocado para as operações da Linha Para efeito de controle gerencial dos resultados da linha Expresso, será incluída uma coluna para especificação da linha quando for o caso, e o requisito de enquadramento atendido O Agente deverá registrar seu parecer com a decisão de enquadramento no Modelo de Relatório Anexo Na ficha cadastral das operações contratadas na linha Expresso, o campo descrição do projeto deverá apenas especificar o requisito atendido. Os prazos e as taxas a serem preenchidas deverão ser os vigentes para a linha Expresso. No campo Prazo de Execução deverá ser considerado o prazo de utilização de recursos. 10

10 Parte 2 Anexos do Manual Relatórios Gerenciais Mensais FINEP- Agente Financeiro Os relatórios gerenciais mensais e semestrais são os mesmos já em uso pelo Programa Inovacred. Foi acrescentado apenas campo específico para definição da Linha Inovacred ou Expresso e o Requisito de Enquadramento Expresso. 11

11 Anexo A.1 Acompanhamento de Fomento-Ações Realizadas e Previstas Nome da Empresa Cidade Linha Faturamento Produto/Serviço Nome do Contato Telefone Objetivo Resumido Fonte do Contato Atividade realizada pelo Agente Empresa ficou de enviar a proposta Observações Anexo A.3 - Relatório Mensal de Acompanhamento da Carteira 12

12 Anexo A.4: Relatório Mensal de Acompanhamento da Carteira Liberações e Saldos (utilizado provisoriamente em paralelo ao aplicativo INOVACRED). 13

13 Carta de Disponibilização de Recursos Para Concessão de Crédito PRIMEIRO TERMO ADITIVO À CARTA DE DISPONIBILIZAÇÃO DE RECURSOS PARA CONCESSÃO DE CRÉDITO FINANCIADORA DE ESTUDOS E PROJETOS Finep INSTRUMENTO CONTRATUAL CÓDIGO N.º 14

14 FINANCIADORA DE ESTUDOS E PROJETOS FINEP, empresa pública federal, com sede em Brasília, Distrito Federal, e escritório de serviços na cidade do Rio de Janeiro, Estado do Rio de Janeiro, na Praia do Flamengo, nº 200, inscrita no CNPJ sob o nº / , neste ato representada, nos termos de seu Estatuto, por seus representantes legais, doravante denominada FINEP e, de outro lado, o xxxxxxxxxxxx, com sede no xxxxx, estado xxxxx, inscrito no CNPJ nº xxxx, doravante denominado AGENTE FINANCEIRO. CONSIDERANDO que o xxxxxx é credenciado na FINEP como AGENTE FINANCEIRO, através do Termo de Credenciamento nº xxxxxxxxx, firmado em xxxxxx, para operacionalização do Programa INOVACRED, CONSIDERANDO a aprovação, em xx/xx/2014, pela FINEP da Linha INOVACRED EXPRESSO, no âmbito do Programa INOVACRED, nos termos do Regulamento disponível no endereço da FINEP na internet, RESOLVE a FINEP: I. ADITAR a carta de disponibilização para incluir a Linha INOVACRED EXPRESSO, passando a carta de disponibilização a ter a seguinte redação consolidada a seguir. II. DISPONIBILIZAR RECURSOS NO VALOR DE ATÉ R$ xxxxxx respeitada a disponibilidade financeira da FINEP, para financiamento de projetos de inovação de empresas, nos termos do Regulamento do Programa INOVACRED e da Linha INOVACRED EXPRESSO, nas seguintes condições: 1. O AGENTE FINANCEIRO deverá firmar os contratos de financiamento com as Empresas Financiadas no prazo de até 30 (trinta) meses, contados de xx/xx/20xx [da emissão da Carta de Concessão de Crédito]. 2. O AGENTE FINANCEIRO obedecerá ao Regulamento do Programa INOVACRED e ao Regulamento da Linha INOVACRED EXPRESSO, obrigandose a segui-los, respeitá-los e aplicar todas as disposições neles contidas, especialmente com relação à sua remuneração, risco da operação, e encargo das Empresas Financiadas, inclusive em casos de inadimplência O Regulamento do Programa INOVACRED e da Linha INOVACRED EXPRESSO poderão ser alterados a qualquer tempo, a critério da FINEP, comprometendo-se o AGENTE FINANCEIRO a acompanhá-los no site da FINEP. 3. A primeira solicitação de repasse de recursos realizada pelo AGENTE FINANCEIRO representará total anuência ao Regulamento do Programa INOVACRED e compromisso com todas as suas condições. 15

15 3.1. Caberá ao AGENTE FINANCEIRO, através de seus representantes legais, anuir ao Regulamento da Linha INOVACRED EXPRESSO, apondo seu de acordo na segunda via do presente termo aditivo. 4. A FINEP se reserva o direito de suspender a utilização do crédito, ou estabelecer vínculo jurídico diretamente com as Empresas Financiadas, inclusive exigindo destas o pagamento do saldo da dívida das operações repassadas através do AGENTE FINANCEIRO, se este deixar de atender aos padrões de desempenho estabelecidos pelas autoridades monetárias ou pela FINEP, gerando seu descredenciamento. Rio de Janeiro, Pela FINANCIADORA DE ESTUDOS E PROJETOS - FINEP De acordo: AGENTE FINANCEIRO: XXXX 16

16 Formulários LINHA INOVACRED EXPRESSO 17

17 Carta de Encaminhamento Ao [Nome do Agente Financeiro] Encaminhamos, em anexo, a proposta de financiamento Linha Inovacred Expresso. Os dados desta proposta endossam o financiamento acima identificado, assumindo o compromisso de que as versões encaminhadas por meios eletrônicos apresentam conteúdo idêntico ao da cópia impressa e anexada a esta carta. Dia, mês, ano. Digite o nome da empresa. 18

18 Formulário de Solicitação de Financiamento Linha Inovacred Expresso 1. Preenchimento dispensado para empresas/clientes já cadastrados ou que tenham operações de crédito ativas Dados da Empresa / Dados Cadastrais CNPJ: Razão Social: Nome Fantasia: Data de Constituição: Sede Logradouro: Número: Complemento: Bairro: Município: 19

19 UF: CEP: Endereço/Página da empresa na internet: Contato CPF: Nome: Cargo: Tel. 01: Tel. 02: Tipo: Tipo: Informações Gerais Atividade Econômica da empresa (CNAE): Faz parte de Grupo Econômico: Sim Não Apuração Patrimônio Líquido (em R$) Capital Social Integraliza do (em R$) Receita Operacional Bruta (em R$) Receita Líquida de Venda Número de Empregados % do Faturame nto com Exportação

20 2. Requisitos de Enquadramento 2.1 PROPOSTAS QUE SE ENQUADREM NA OPÇÃO: Empresas que tenham participado de pelo menos um dos seguintes Programas Em conjunto com as informações abaixo, anexe o documento comprobatório (instrumento contratual) da participação da empresa no respectivo programa; Assinale o programa de inovação que a empresa teve seu projeto contratado: PROGRAMA Marque X Nº do Contrato/Convênio/ Doc. Comprobatório Data Título do Projeto 1- Incentivos fiscais à P&D e inovação tecnológica, conforme previsto no Cap. III da Lei nº11.196/2005 (nos últimos 5 anos) 2- Subvenção econômica à P&D (nos últimos 10 anos) 3- Financiamento a projetos de P&D e inovação tecnológica através de convênios em parceria com universidades ou institutos de pesquisa (nos últimos 5 anos) 4- Financiamento a projetos de P&D e inovação tecnológica sem parceria com universidades ou institutos de pesquisa (nos últimos 5 anos) 21

21 5- Bolsas RHAE/CNPq para pesquisadores em empresas (nos últimos 5 anos) 6- Aporte de recursos de capital de risco para empresas inovadoras apoiadas por fundos de venture capital que tenham participação de recursos públicos. (nos últimos 5 anos) 2.2 PROPOSTAS QUE SE ENQUADREM NA OPÇÃO: Empresas que tenham histórico na área de Propriedade Intelectual (Propriedade Industrial e Direito Autoral) Em conjunto com as informações abaixo, anexe para o caso de patentes, registro no INPI nos últimos cinco anos, ou comprovante de depósito de patente no INPI no mesmo ano do protocolo da proposta de financiamento ou nos dois anos anteriores, desde que o pedido de patente esteja válido até o momento do protocolo da proposta no Agente Financeiro. Para o caso de direitos autorais, deve-se apresentar registro de Direito Autoral no INPI nos últimos cinco anos. Registros Patentes Concedidas ou Pedido de Registro Direito Autoral (Software) Número de Registro Ano de assinatura 22

22 2.3 PROPOSTAS QUE SE ENQUADREM NA OPÇÃO: Estar instalada em Incubadoras de Base Tecnológica ou Parques Tecnológicos Em conjunto com as informações abaixo, anexe para o caso de empresas instaladas em incubadoras de base tecnológica ou Parques Tecnológicos declaração da entidade gestora, atestando a sua instalação física; Nome da Incubadora Nome do Parque Tecnológico Tempo de Instalação no Empreendimento 23

23 QUADRO DE USOS E FONTES RUBRICA (USOS) PARTICI PAÇÃO FINEP CONTRAPAR TIDA DA EMPRESA (CASO TENHA) TOTAL Alinhamento da aquisição requisitada ao esforço inovativo (Justifique abaixo sucintamente a necessidade do investimento para desempenhar o esforço de inovação pretendido) Equipamentos (Nacionais e Importados) Aquisição de Softwares Matérias Primas e Material de Consumo Serviços de Consultoria Tecnológica Marketing / Comercialização Patenteamento e Licenciamento Compra de Tecnologia Treinamento Testes e Certificação Total (em R$ Mil) 24

24 DADOS DO FINANCIAMENTO/PRAZOS Prazo Solicitado para Carência: Prazo Solicitado para Amortização: 25

25 Parecer de Enquadramento Data de Entrada da Proposta Dd / mm / 201_ Referência / Empresa Setor de atividade Analista Operacional Responsável Área do Agente Faturamento Último Exercício (R$) Porte da empresa Valor Total Solicitado (R$) Contrapartida Empresa (R$) Valor solicitado FINEP (R$) 26

26 Orçamento / itens solicitados Campo de referencia do formulário: 1. Registrar as diferenças entre o valor solicitado pela empresa e o recomendado com as devidas justificativas por item de dispêndio. 2. Consolidar e anexar o quadro de valores recomendados por rubrica, incluindo contrapartida caso exista. QUADRO DE USOS E FONTES RECOMENDADO PELO AGENTE RUBRICA (USOS) PARTICI PAÇÃO FINEP CONTRAPAR TIDA DA EMPRESA (CASO TENHA) TOTAL Alinhamento da aquisição requisitada ao esforço inovativo (Justifique abaixo sucintamente a necessidade do investimento para desempenhar o esforço de inovação pretendido) Equipamentos (Nacionais e Importados) Aquisição de Softwares Matérias Primas e Material de Consumo Serviços de Consultoria Tecnológica Marketing / Comercialização Patenteamento e 27

27 Licenciamento Compra de Tecnologia Treinamento Testes e Certificação Total (em R$ Mil) Enquadramento da Proposta - Um dos requisitos para enquadramento foi atendido? Sim Não - Registrar o Requisito de Enquadramento Atendido Escolher um item. - A Documentação Comprobatória está Adequada? Sim Não - O vínculo da rubrica pleiteada ao esforço inovativo está apresentado? Sim Não - Os prazos estabelecidos para enquadramento dos requisitos foram respeitado? Sim Não 28

28 Parecer Final do Analista Recomendação do Analista Condições da Operação (Valor, prazos de carência e amortização) Enquadrar Não enquadrar Recomendações para contratação, (se houver). 29

29 Orientação de Preenchimento da Ficha Cadastro de Operações Inovacred Expresso 30

30 A ficha é a mesma utilizada no Programa Inovacred, mudando apenas o preenchimento dos itens abaixo: Onde se lê Descrição do Projeto, entende-se na Linha Inovacred Expresso que o Agente deverá especificar o requisito atendido. 31

31 Na Aba Financeira, o Prazo de Execução (em meses) se refere ao prazo de utilização de recursos. Juros Contratuais: TJLP +3% a.a. 32

LINHA INOVACRED EXPRESSO

LINHA INOVACRED EXPRESSO LINHA INOVACRED EXPRESSO A Linha INOVACRED EXPRESSO tem por objetivo financiar atividades inovadoras em empresas e outras instituições cuja receita operacional bruta anual ou anualizada seja de até R$

Leia mais

O QUE FAZEMOS? Mais do que financiar empresas ajudamos a transformar grandes ideias em negócios ainda mais rentáveis, oferecendo crédito sustentável.

O QUE FAZEMOS? Mais do que financiar empresas ajudamos a transformar grandes ideias em negócios ainda mais rentáveis, oferecendo crédito sustentável. INOVAR PARA CRESCER O QUE FAZEMOS? Mais do que financiar empresas ajudamos a transformar grandes ideias em negócios ainda mais rentáveis, oferecendo crédito sustentável. Além disso, damos todo suporte

Leia mais

REGULAMENTO DO PROGRAMA INOVACRED LINHA INOVACRED EXPRESSO

REGULAMENTO DO PROGRAMA INOVACRED LINHA INOVACRED EXPRESSO REGULAMENTO DO PROGRAMA INOVACRED LINHA INOVACRED EXPRESSO O Programa INOVACRED através da sua linha INOVACRED EXPRESSO tem por objetivo financiar atividades inovativas em empresas que apresentem receita

Leia mais

QUEM SOMOS. Fundada em março de 2009 com capital integralizado de R$ 1 bilhão

QUEM SOMOS. Fundada em março de 2009 com capital integralizado de R$ 1 bilhão QUEM SOMOS A DESENVOLVE SP é a instituição financeira do Governo do Estado de São Paulo que promove o crescimento sustentável das pequenas e médias empresas e municípios paulistas. Nosso objetivo é colaborar

Leia mais

Ass.: Programa para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação PROSOFT Comercialização

Ass.: Programa para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação PROSOFT Comercialização CARTA-CIRCULAR Nº 37/2007 Rio de Janeiro, 30 de agosto de 2007 Ref.: BNDES AUTOMÁTICO Ass.: Programa para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação PROSOFT

Leia mais

BDMG. Linhas de financiamento para INOVAÇÃO

BDMG. Linhas de financiamento para INOVAÇÃO BDMG Linhas de financiamento para INOVAÇÃO Setembro/2015 Portfólio BDMG em Inovação Participação em fundos de investimento BDMG TEC Estruturação de parques tecnológicos Financiamentos a projetos inovadores

Leia mais

InovaCamp. Dezembro / 2014

InovaCamp. Dezembro / 2014 InovaCamp Dezembro / 2014 O Programa São Paulo Inova é uma iniciativa do Estado de São Paulo para apoiar empresas paulistas de base tecnológica e de perfil inovador em estágio inicial ou em processo. O

Leia mais

Missão. Visão. Transformar o Brasil por meio da Inovação.

Missão. Visão. Transformar o Brasil por meio da Inovação. A Finep -A FINEP Agência Brasileira da Inovação -é uma empresa pública vinculada ao MCTI (Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação) criada em 24 de julho de 1967. -Seu objetivo é atuar em toda a cadeia

Leia mais

O QUE FAZEMOS? Mais do que financiar empresas ajudamos a transformar grandes ideias em negócios ainda mais rentáveis, oferecendo crédito sustentável.

O QUE FAZEMOS? Mais do que financiar empresas ajudamos a transformar grandes ideias em negócios ainda mais rentáveis, oferecendo crédito sustentável. INOVAR PARA CRESCER O QUE FAZEMOS? Mais do que financiar empresas ajudamos a transformar grandes ideias em negócios ainda mais rentáveis, oferecendo crédito sustentável. Além disso, damos todo suporte

Leia mais

CHAMADA DE PROJETOS 001/2013- APOIO PARA SOLUÇÕES DE INOVAÇÃO JUNTO AS MPE S de Uberaba

CHAMADA DE PROJETOS 001/2013- APOIO PARA SOLUÇÕES DE INOVAÇÃO JUNTO AS MPE S de Uberaba CHAMADA DE PROJETOS 001/2013- APOIO PARA SOLUÇÕES DE INOVAÇÃO JUNTO AS MPE S de Uberaba 1 OBJETIVO 1.1 Realizar, em 2013, apoio financeiro para viabilizar a execução de serviços em inovação e tecnologia

Leia mais

Ass.: Programa de Apoio ao Desenvolvimento da Cadeia Produtiva Farmacêutica PROFARMA - Produção

Ass.: Programa de Apoio ao Desenvolvimento da Cadeia Produtiva Farmacêutica PROFARMA - Produção CARTA-CIRCULAR Nº 65/2005 Rio de Janeiro, 08 de novembro de 2005 Ref.: BNDES AUTOMÁTICO Ass.: Programa de Apoio ao Desenvolvimento da Cadeia Produtiva Farmacêutica PROFARMA - Produção O Superintendente

Leia mais

CIRCULAR Nº 64/2009. Rio de Janeiro, 15 de junho de 2009. Ref.: BNDES AUTOMÁTICO. Ass.: Programa BNDES CONSTRUÇÃO CIVIL

CIRCULAR Nº 64/2009. Rio de Janeiro, 15 de junho de 2009. Ref.: BNDES AUTOMÁTICO. Ass.: Programa BNDES CONSTRUÇÃO CIVIL CIRCULAR Nº 64/2009 Rio de Janeiro, 15 de junho de 2009 Ref.: BNDES AUTOMÁTICO Ass.: Programa BNDES CONSTRUÇÃO CIVIL O Superintendente da Área de Operações Indiretas, consoante Resolução do BNDES, COMUNICA

Leia mais

Inova Pequena Empresa RS

Inova Pequena Empresa RS Inova Pequena Empresa RS 1 Bloco: : Conceituando Inovação; 2 Bloco: : Programa Inova Pequena Empresa RS / Chamada Pública P Nº N 01/2009; 3 Bloco: : Estruturação do projeto no Sistema de Gestão de Projetos

Leia mais

Ass.: Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação BNDES Prosoft - Comercialização

Ass.: Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação BNDES Prosoft - Comercialização Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI Nº 11/2015-BNDES Rio de Janeiro, 16 de abril de 2015. Ref.: Produto BNDES Automático Ass.: Programa BNDES para o Desenvolvimento

Leia mais

DPDE DEPARTAMENTO DE PRODUTOS FINANCEIROS DESCENTRALIZADOS - FINEP RESOLUÇÃO DE DIRETORIA DATA: 09/12/2014 NÚMERO: 0308/14

DPDE DEPARTAMENTO DE PRODUTOS FINANCEIROS DESCENTRALIZADOS - FINEP RESOLUÇÃO DE DIRETORIA DATA: 09/12/2014 NÚMERO: 0308/14 EMITENTE: DPDE DEPARTAMENTO DE PRODUTOS FINANCEIROS DESCENTRALIZADOS - FINEP RESOLUÇÃO DE DIRETORIA DATA: 09/12/2014 NÚMERO: 0308/14 REGULAMENTO DO PROGRAMA INOVACRED LINHA INOVACRED EXPRESSO O Programa

Leia mais

Programa BNDES de Apoio à Aquisição de Veículos Utilitários BNDES Pro- Utilitário

Programa BNDES de Apoio à Aquisição de Veículos Utilitários BNDES Pro- Utilitário Grau: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI Nº 39/2015-BNDES Rio de Janeiro, 21 de setembro de 2015. Ref.: Ass.: Produto BNDES Automático Programa BNDES de Apoio à Aquisição de Veículos

Leia mais

BRDE INOVA. Joaçaba, 12 de maio de 2014. Apresentador: Paulo César Antoniollo

BRDE INOVA. Joaçaba, 12 de maio de 2014. Apresentador: Paulo César Antoniollo BRDE INOVA Joaçaba, 12 de maio de 2014 Apresentador: Paulo César Antoniollo Contextualização Primeiro Agente Financeiro do País credenciado junto ao BNDES Primeiro Agente Financeiro do País credenciado

Leia mais

Versão 02-09-2014 Página 1

Versão 02-09-2014 Página 1 EMITENTE: Área Responsável Departamento de Operações Descentralizadas Reembolsáveis APID - Apoio a Projetos Inovadores e Descentralização Histórico das revisões (como base as Resoluções de Diretoria que

Leia mais

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação

Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação FINEP 2012-2014: investir mais e melhor em Inovação Agenda O Desafio da Inovação A FINEP Instrumentos de Apoio (Reembolsável, Não Reembolsável, Fundos) Números

Leia mais

EQ PS -Fortaleza. Program as de incentivo do BN D ES à Indústria Nacionalde Software. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social

EQ PS -Fortaleza. Program as de incentivo do BN D ES à Indústria Nacionalde Software. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social EQ PS -Fortaleza Program as de incentivo do BN D ES à Indústria Nacionalde Software Marcio Wegmann masil@bndes.gov.br Depto. Indústria Eletrônica Área Industrial Princípios Norteadores da Atuação do BNDES

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA

SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA SELEÇÃO PÚBLICA FUNDAÇÃO CERTI 01/2009 SUBVENÇÃO ECONÔMICA À INOVAÇÃO PROGRAMA PRIME - PRIMEIRA EMPRESA INOVADORA 1. APRESENTAÇÃO O Programa Prime - Primeira Empresa Inovadora - visa apoiar empresas nascentes

Leia mais

Universidade CEUMA REITORIA Gerência de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão

Universidade CEUMA REITORIA Gerência de Pós-Graduação, Pesquisa e Extensão EDITAL DE APOIO A PARTICIPAÇÃO EM EVENTOS ACADÊMICOS, CIENTÍFICOS E TECNOLÓGICOS, ESTÁGIOS DE CURTA DURAÇÃO E CURSOS DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EDITAL No. 010/GPG/2015 A Universidade CEUMA, por meio

Leia mais

Ass.: Programa BNDES de Financiamento a Caminhoneiros - BNDES PROCAMINHONEIRO

Ass.: Programa BNDES de Financiamento a Caminhoneiros - BNDES PROCAMINHONEIRO CIRCULAR Nº 80/2009 Rio de Janeiro, 24 de julho de 2009 Ref.: FINAME e FINAME LEASING Ass.: Programa BNDES de Financiamento a Caminhoneiros - BNDES PROCAMINHONEIRO O Superintendente da Área de Operações

Leia mais

Financiadora de Estudos e Projetos. Agência Brasileira de Inovação

Financiadora de Estudos e Projetos. Agência Brasileira de Inovação Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Missão da FINEP Promover e financiar a Inovação e a Pesquisa científica e tecnológica em: Empresas; Universidades; Centros de pesquisa;

Leia mais

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009.

FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009. 1 FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE DO TOCANTINS CENTRO DE DESENVOLVIMENTO DE TECNOLOGIAS INOVADORAS CDTI/UNITINS SELEÇÃO DE EMPRESAS EDITAL Nº 007, 13/08/2009. A Fundação Universidade do Tocantins UNITINS torna público

Leia mais

EDITAL 03/2008 - FAPESQ/PB MCT/FINEP

EDITAL 03/2008 - FAPESQ/PB MCT/FINEP EDITAL 03/2008 - FAPESQ/PB MCT/FINEP A FUNDAÇÃO DE APOIO À PESQUISA DO ESTADO DA PARAÍBA FAPESQ e a Financiadora de Estudos e Projetos FINEP, tornam público e convocam os interessados a apresentarem propostas

Leia mais

Guia para Comprovação de Investimentos

Guia para Comprovação de Investimentos Guia para Comprovação de Investimentos 1 2 4 5 Introdução Acompanhamento na Fase de Análise ETAPA 1 Comprovação Financeira ETAPA 2 Comprovação Física ETAPA Comprovação Jurídica ETAPA 4 Liberação Penalidades

Leia mais

INCUBADORAS DE EMPRESAS. EDITAL SEBRAE/ANPROTEC 01/2015 Implantação e Certificação do CERNE

INCUBADORAS DE EMPRESAS. EDITAL SEBRAE/ANPROTEC 01/2015 Implantação e Certificação do CERNE INCUBADORAS DE EMPRESAS EDITAL SEBRAE/ANPROTEC 01/2015 Implantação e Certificação do CERNE Brasília, 2015 O Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas SEBRAE, entidade associativa de Direito

Leia mais

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica

Edital 1/2014. Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica Edital 1/2014 Chamada contínua para incubação de empresas e projetos de base tecnológica A (PoloSul.org) torna pública a presente chamada e convida os interessados para apresentar propostas de incubação

Leia mais

Ass.: Programa BNDES de Financiamento a Caminhoneiros - BNDES Procaminhoneiro

Ass.: Programa BNDES de Financiamento a Caminhoneiros - BNDES Procaminhoneiro Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR Nº 22/2012-BNDES Rio de Janeiro, 12 de abril de 2012 Ref.: Produtos BNDES Finame e BNDES Finame Leasing Ass.: Programa BNDES de Financiamento

Leia mais

Financiamento de Projetos para a Inovação

Financiamento de Projetos para a Inovação GESTÃO Financiamento de Projetos para a Inovação Objetivos da Aula Conhecer sobre o financiamento de projetos de pesquisa aplicada; Conhecer a dinâmica do processo de elaboração de projetos de pesquisa

Leia mais

A seguir são definidos os critérios, condições e procedimentos operacionais a serem observados no Programa.

A seguir são definidos os critérios, condições e procedimentos operacionais a serem observados no Programa. Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI N 39/2014-BNDES Rio de Janeiro, 12 de setembro de 2014 Ref.: Produto BNDES Automático Ass.: Programa BNDES para Composição de Dívidas

Leia mais

O que é? Porque foi criado? Quais sãos os objetivos? O que terá de novo?

O que é? Porque foi criado? Quais sãos os objetivos? O que terá de novo? BRDE INOVA O que é? Porque foi criado? Quais sãos os objetivos? O que terá de novo? Contextualização Primeiro Agente Financeiro do País credenciado junto ao BNDES Primeiro Agente Financeiro do País credenciado

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO DA PARAÍBA ECONOMIA CRIATIVA - 01/2015

SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO DA PARAÍBA ECONOMIA CRIATIVA - 01/2015 SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLÓGICO DA PARAÍBA ECONOMIA CRIATIVA - 01/2015 PROGRAMA DE INCUBAÇÃO DE EMPRESAS INOVADORAS 1. APRESENTAÇÃO A Fundação

Leia mais

3. DOS ITENS FINANCIÁVEIS

3. DOS ITENS FINANCIÁVEIS EDITAL PROPPI Nº 011/2015 EDITAL DO INVENTOR: DESENVOLVIMENTO DE PROJETOS INOVADORES COM GERAÇÃO DE PATENTES O Pró-Reitor de Pesquisa, Pós-Graduação e Inovação do Instituto Federal de Educação, Ciência

Leia mais

Programa Juro Zero. Guilherme Calheiros Coordenador. Dezembro de 2008

Programa Juro Zero. Guilherme Calheiros Coordenador. Dezembro de 2008 Programa Juro Zero Guilherme Calheiros Coordenador Dezembro de 2008 OBJETIVO O Programa Juro Zero foi criado com a finalidade de estimular o desenvolvimento das Micro e Pequenas Empresas Inovadoras (MPEI

Leia mais

Ass.: Programa BNDES de Incentivo à Armazenagem para Empresas e Cooperativas Cerealistas Nacionais BNDES Cerealistas

Ass.: Programa BNDES de Incentivo à Armazenagem para Empresas e Cooperativas Cerealistas Nacionais BNDES Cerealistas Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI Nº 43/2014-BNDES Rio de Janeiro, 20 de outubro de 2014 Ref.: Produtos BNDES Automático e BNDES Finame Agrícola Ass.: Programa BNDES

Leia mais

Ass.: Programa BNDES de Financiamento a Caminhoneiros - BNDES Procaminhoneiro

Ass.: Programa BNDES de Financiamento a Caminhoneiros - BNDES Procaminhoneiro Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP AOI Nº 04/2014-BNDES Rio de Janeiro, 15 de janeiro de 2014 Ref.: Produto BNDES Finame Ass.: Programa BNDES de Financiamento a Caminhoneiros

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS GABINETE CIVIL

PREFEITURA MUNICIPAL DE PALMAS GABINETE CIVIL PUBLICADA NO DIÁRIO OFICIAL Nº 1925, DE 23 DE MAIO DE 2005, Págs 54 e 56 LEI Nº 1367, DE 17 DE MAIO DE 2005. Regulamentada pelo Decreto nº 198/06 Cria o Fundo Municipal de Desenvolvimento da Economia Popular

Leia mais

Formulário de Apresentação de Proposta - TECNOVA PB

Formulário de Apresentação de Proposta - TECNOVA PB Formulário de Apresentação de Proposta - TECNOVA PB Secretaria de Recursos Hídricos, Meio Ambiente, Ciência e Tecnologia - SERHMACT Fundação de Apoio à Pesquisa - FAPESQ Setembro/Outubro de 2013 TECNOVA

Leia mais

Ass.: Programa de Melhoria do Ensino das Instituições de Educação Superior - Programa IES

Ass.: Programa de Melhoria do Ensino das Instituições de Educação Superior - Programa IES CIRCULAR Nº 94/2009 Rio de Janeiro, 27 de agosto de 2009 Ref.: BNDES AUTOMÁTICO Ass.: Programa de Melhoria do Ensino das Instituições de Educação Superior - Programa IES O Superintendente da Área de Operações

Leia mais

EDITAL N 034/2014/GAB, de 18 de agosto de 2014

EDITAL N 034/2014/GAB, de 18 de agosto de 2014 EDITAL N 034/2014/GAB, de 18 de agosto de 2014 PROCESSO SELETIVO INTERNO PARA O PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INCENTIVO A QUALIFICAÇÃO PROFISSIONAL (PIQP) DOS SERVIDORES DO IF CATARINENSE - CAMPUS RIO DO SUL

Leia mais

FINANCIADORA DE ESTUDOS E PROJETOS - FINEP PROGRAMA FINEP INOVAR SEMENTE 1ª CHAMADA PARA CAPITALIZAÇÃO DE FUNDOS LOCAIS DE CAPITAL SEMENTE

FINANCIADORA DE ESTUDOS E PROJETOS - FINEP PROGRAMA FINEP INOVAR SEMENTE 1ª CHAMADA PARA CAPITALIZAÇÃO DE FUNDOS LOCAIS DE CAPITAL SEMENTE FINANCIADORA DE ESTUDOS E PROJETOS - FINEP PROGRAMA FINEP INOVAR SEMENTE 1ª CHAMADA PARA CAPITALIZAÇÃO DE FUNDOS LOCAIS DE CAPITAL SEMENTE 1. OBJETO A Financiadora de Estudos e Projetos convida potenciais

Leia mais

EDITAL FAPEMIG 13/2013 PROGRAMA DE APOIO À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE TECNOVA MINAS GERAIS

EDITAL FAPEMIG 13/2013 PROGRAMA DE APOIO À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE TECNOVA MINAS GERAIS EDITAL FAPEMIG 13/2013 PROGRAMA DE APOIO À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA EM MICROEMPRESAS E EMPRESAS DE PEQUENO PORTE TECNOVA MINAS GERAIS Objetivos da apresentação Exposição dos principais detalhes do edital,

Leia mais

EDITAL Nº 01/2014 ABERTURA DE INSCRIÇÃO PROCESSO DE SELEÇÃO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIÊNTIFICA DO ARTIGO 170 DO GOVERNO ESTADUAL DE SANTA CATARINA

EDITAL Nº 01/2014 ABERTURA DE INSCRIÇÃO PROCESSO DE SELEÇÃO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIÊNTIFICA DO ARTIGO 170 DO GOVERNO ESTADUAL DE SANTA CATARINA EDITAL Nº 01/2014 ABERTURA DE INSCRIÇÃO PROCESSO DE SELEÇÃO PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIÊNTIFICA DO ARTIGO 170 DO GOVERNO ESTADUAL DE SANTA CATARINA A Faculdade de Tecnologia Assessoritec FTA, no uso de suas

Leia mais

Programa BNDES de Apoio a Micro, Pequena e Média Empresa Inovadora - BNDES MPME Inovadora. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social BNDES

Programa BNDES de Apoio a Micro, Pequena e Média Empresa Inovadora - BNDES MPME Inovadora. Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social BNDES Programa BNDES de Apoio a Micro, Pequena e Média Empresa Inovadora - BNDES MPME Inovadora PROMOTORES: Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social BNDES OBJETIVOS: Aumentar a competitividade das

Leia mais

Modelo de Plano de Negócios

Modelo de Plano de Negócios EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA CONJUNTA BNDES/FINEP/MS DE APOIO À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NO SETOR DE EQUIPAMENTOS MÉDICOS E TECNOLOGIAS PARA A SAÚDE INOVA SAÚDE EQUIPAMENTOS MÉDICOS - 02/2013 Modelo de Plano

Leia mais

CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS

CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Dispõe sobre o Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico FNDCT, e dá outras providências. O Congresso Nacional decreta: CAPÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º O Fundo Nacional de Desenvolvimento

Leia mais

Título da Apresentação

Título da Apresentação Título da Apresentação FINEP Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil 1º Workshop Platec E&P Onshore Sondeas de Perfuração Onshore Equipamentos

Leia mais

EDITAL FAPESB/SECTI/SEBRAE/IEL Apoio à Implantação de Cursos de Empreendedorismo 002/2006

EDITAL FAPESB/SECTI/SEBRAE/IEL Apoio à Implantação de Cursos de Empreendedorismo 002/2006 EDITAL FAPESB/SECTI/SEBRAE/IEL Apoio à Implantação de Cursos de Empreendedorismo 002/2006 SELEÇÃO PÚBLICA DE PROPOSTAS PARA O PROGRAMA BAHIA INOVAÇÃO REDE DE EMPREENDEDORISMO A Fundação de Amparo à Pesquisa

Leia mais

FAPESP: Apoio à Pesquisa para Inovação Tecnológica em Pequenas Empresas

FAPESP: Apoio à Pesquisa para Inovação Tecnológica em Pequenas Empresas FAPESP: Apoio à Pesquisa para Inovação Tecnológica em Pequenas Empresas Diálogo sobre apoio à Inovação na Pequena Empresa São Paulo, 18 de dezembro de 2013 Agenda da reunião Apresentação 1. Palavra da

Leia mais

Título da Apresentação

Título da Apresentação Título da Apresentação Financiadora de Estudos e Projetos Agência Brasileira de Inovação Ciência, Tecnologia e Inovação no Brasil 2º Workshop Platec E&P Onshore - Sondas de Perfuração e Workover - Equipamentos

Leia mais

Edital 02/2015 Saldo Remanescente

Edital 02/2015 Saldo Remanescente Edital 02/2015 Saldo Remanescente EDITAL Nº 02/2015 CMDCA EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA DE PROJETOS PARA FINANCIAMENTO NO ANO DE 2015 O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente CMDCA, no

Leia mais

Apresentação Institucional BNDES Departamento de Bens de Capital ABIMAQ

Apresentação Institucional BNDES Departamento de Bens de Capital ABIMAQ Apresentação Institucional BNDES Departamento de Bens de Capital ABIMAQ Fevereiro de 2015 Os indicadores demonstram as dificuldades que as empresas de BK vêm encontrando... 2 3 Em um cenário adverso no

Leia mais

BNDES Prosoft. Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação

BNDES Prosoft. Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação BNDES Prosoft Programa BNDES para o Desenvolvimento da Indústria Nacional de Software e Serviços de Tecnologia da Informação Objetivo - Contribuir para o desenvolvimento da indústria nacional de software

Leia mais

Ass.: Programa de Financiamento a Caminhoneiros - PROCAMINHONEIRO

Ass.: Programa de Financiamento a Caminhoneiros - PROCAMINHONEIRO CARTA-CIRCULAR N 09/2006 Rio de Janeiro, 04 de maio de 2006 Ref.: FINAME e FINAME LEASING Ass.: Programa de Financiamento a Caminhoneiros - PROCAMINHONEIRO O Superintendente da Área de Operações Indiretas,

Leia mais

CARTA-CONVITE A EMPRESAS USUÁRIAS DOS RECURSOS HÍDRICOS E A FABRICANTES DE INSUMOS E EQUIPAMENTOS VINCULADOS À ÁREA DE RECURSOS HÍDRICOS

CARTA-CONVITE A EMPRESAS USUÁRIAS DOS RECURSOS HÍDRICOS E A FABRICANTES DE INSUMOS E EQUIPAMENTOS VINCULADOS À ÁREA DE RECURSOS HÍDRICOS MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA CARTA-CONVITE A EMPRESAS USUÁRIAS DOS RECURSOS HÍDRICOS E A FABRICANTES DE INSUMOS E EQUIPAMENTOS VINCULADOS À ÁREA DE RECURSOS HÍDRICOS O MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Leia mais

Nota Técnica de GTI Orientações para prestação de contas dos projetos de P&D contratados pela Eletronorte

Nota Técnica de GTI Orientações para prestação de contas dos projetos de P&D contratados pela Eletronorte Local/Data: Brasília, 20 de setembro de 2013 GTI-003/2013 Fl. 1/7 Nota Técnica de GTI Orientações para prestação de contas dos projetos de P&D contratados pela Eletronorte 1. INTRODUÇÃO: A presente Nota

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLOGICO DA PARAÍBA 01/2014

SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLOGICO DA PARAÍBA 01/2014 SELEÇÃO PÚBLICA INCUBADORA TECNOLÓGICA DE CAMPINA GRANDE ITCG/FUNDAÇÃO PARQUE TECNOLOGICO DA PARAÍBA 01/2014 PROGRAMA DE INCUBAÇÃO DE EMPRESAS INOVADORAS 1. APRESENTAÇÃO A Fundação Parque Tecnológico da

Leia mais

Universidade de Brasília Decanato de Pesquisa e Pós-Graduação

Universidade de Brasília Decanato de Pesquisa e Pós-Graduação EDITAL 06/2012 Universidade de Brasília APOIO À PESQUISA DE CAMPO DE PÓS-GRADUANDOS NO PAÍS 1. Finalidade Apoiar os discentes de pós-graduação bolsistas CAPES, CNPq ou REUNI, regularmente matriculados

Leia mais

Programa de Melhoria do Ensino das. Programa IES

Programa de Melhoria do Ensino das. Programa IES Programa de Melhoria do Ensino das Instituições de Educação Superior Programa IES 01 de Setembro de 2009 1. OBJETIVO Apoiar a melhoria da qualidade do ensino das Instituições de Educação Superior. 2. BENEFICIÁRIOS

Leia mais

DELIBERAÇÃO NORMATIVA CGFPHIS Nº 016, DE 28 DE MAIO DE 2013

DELIBERAÇÃO NORMATIVA CGFPHIS Nº 016, DE 28 DE MAIO DE 2013 Deliberação Normativa nº 016, de 28 de maio de 2013. Reedita, com alterações, a Deliberação Normativa nº 014, de 11 de setembro de 2012, que aprovou a implantação do PROGRAMA CASA PAULISTA APOIO AO CRÉDITO

Leia mais

Modelo de Plano de Negócios

Modelo de Plano de Negócios EDITAL DE SELEÇÃO PÚBLICA CONJUNTA BNDES/FINEP DE APOIO À INOVAÇÃO TECNOLÓGICA NO SETOR DE AGRONEGÓCIO INOVA AGRO INOVA AGRO 2013 Modelo de Plano de Negócios Outubro de 2013 1 Introdução Este documento

Leia mais

SEBRAEtec Diferenciação

SEBRAEtec Diferenciação SEBRAEtec Diferenciação REGULAMENTO Investir em inovação tecnológica é fundamental para a competitividade das micro e pequenas empresas gaúchas. 2 2014 Mais recursos para as MPEs representam mais desenvolvimento

Leia mais

Solicitando o Cartão BNDES no Portal de Operações do BNDES

Solicitando o Cartão BNDES no Portal de Operações do BNDES SOLICITANDO O CARTO BNDES NO PORTAL DE OPERAÇÕES DO BNDES CARTO Solicitando o Cartão BNDES no Portal de Operações do BNDES - Cartão BNDES Formatados: Marcadores e numeração C:\BNDES - SOLICITACAO DE CARTAO.doc

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO INSTITUTO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO (INIT/UFES)

REGIMENTO INTERNO DO INSTITUTO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO (INIT/UFES) REGIMENTO INTERNO DO INSTITUTO DE INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO ESPÍRITO SANTO (INIT/UFES) Da caracterização, dos fins e dos objetivos Art. 1º. Este Regimento regulamenta a estrutura,

Leia mais

ANEXO C.1. Formulário de Apresentação de Projetos das Empresas

ANEXO C.1. Formulário de Apresentação de Projetos das Empresas Proposta de Projeto ANEXO C.1 Formulário de Apresentação de Projetos das Empresas Carta de Encaminhamento Ao (Nome do Agente Financeiro) Encaminhamos, em anexo, a proposta do projeto ao programa INOVACRED.

Leia mais

Apoio do BNDES à Inovação

Apoio do BNDES à Inovação Atribuição-Sem Derivações-Sem Derivados CC BY-NC-SA Apoio do BNDES à Inovação 28 de Abril de 2015 Missão e Visão Missão Promover o desenvolvimento sustentável e competitivo da economia brasileira, com

Leia mais

PROJETO DE LEI N.º, DE 2002

PROJETO DE LEI N.º, DE 2002 PROJETO DE LEI N.º, DE 2002 (Do Sr. Augusto Nardes) Institui o Fundo de Desenvolvimento da Empresa de Micro e de Pequeno Porte - Banco do Pequeno Empresário, e dá outras providências. O Congresso Nacional

Leia mais

SELEÇÃO PÚBLICA MCT/FINEP/FNDCT Subvenção Econômica à Inovação 01/2009 PERGUNTAS MAIS FREQUENTES

SELEÇÃO PÚBLICA MCT/FINEP/FNDCT Subvenção Econômica à Inovação 01/2009 PERGUNTAS MAIS FREQUENTES SELEÇÃO PÚBLICA MCT/FINEP/FNDCT Subvenção Econômica à Inovação 01/2009 PERGUNTAS MAIS FREQUENTES É obrigatório oferecer contrapartida? Em caso afirmativo, quanto devo oferecer de contrapartida? Sim. O

Leia mais

CASULO Incubadora de Empresas do UniCEUB

CASULO Incubadora de Empresas do UniCEUB CASULO Incubadora de Empresas do UniCEUB TERMO ADITIVO AO EDITAL nº 02/2013 PROCESSO DE SELEÇÃO DE EMPRESAS ALTERAÇÃO DE DATAS E FORMA DE APRESENTAÇÃO DE PROJETOS Apoio: Brasília, 28 de agosto de 2013.

Leia mais

PRÊMIO FINEP DE INOVAÇÃO

PRÊMIO FINEP DE INOVAÇÃO PRÊMIO FINEP DE INOVAÇÃO Objetivo: O Prêmio FINEP de Inovação foi criado para reconhecer e divulgar esforços inovadores realizados por empresas, Instituições Científicas e Tecnológicas - ICTs e inventores

Leia mais

Está vedada a participação das empresas e instituições que tenham sido vencedoras regionais e nacionais no Prêmio FINEP de Inovação 2009.

Está vedada a participação das empresas e instituições que tenham sido vencedoras regionais e nacionais no Prêmio FINEP de Inovação 2009. Regulamento O Prêmio FINEP de Inovação foi criado para reconhecer e divulgar esforços inovadores realizados por empresas, Instituições Científicas e Tecnológicas - ICTs e inventores brasileiros, desenvolvidos

Leia mais

INSTRUMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE INOVAÇÃO. I. Objetivos e Metas. Objetivo (o quê) Alcance (quanto) Prazo de realização (quando)

INSTRUMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE INOVAÇÃO. I. Objetivos e Metas. Objetivo (o quê) Alcance (quanto) Prazo de realização (quando) INSTRUMENTO PARA ELABORAÇÃO DO PLANO DE INOVAÇÃO I. Objetivos e Metas 1. Liste os 5 principais objetivos de inovação para o horizonte de cinco anos, identificando: Objetivo 1 Objetivo 2 Objetivo 3 Objetivo

Leia mais

O Prefeito do Município de João Pessoa, Estado da Paraíba, faço saber que o Poder Legislativo decreta e eu sanciono a seguinte lei:

O Prefeito do Município de João Pessoa, Estado da Paraíba, faço saber que o Poder Legislativo decreta e eu sanciono a seguinte lei: www.leismunicipais.com.br LEI Nº 12.211, DE 27 DE SETEMBRO DE 2011. DISPÕE SOBRE A CRIAÇÃO DO FUNDO MUNICIPAL DE DESENVOLVIMENTO DA ECONOMIA POPULAR EMPREENDEDORA E SOLIDÁRIA DO MUNICÍPIO DE JOÃO PESSOA

Leia mais

CIRCULAR SUP/AOI Nº 26/2015-BNDES. Rio de Janeiro, 03 de julho de 2015. Produtos BNDES Finame e BNDES Finame Leasing

CIRCULAR SUP/AOI Nº 26/2015-BNDES. Rio de Janeiro, 03 de julho de 2015. Produtos BNDES Finame e BNDES Finame Leasing Classificação: Documento Ostensivo Unidade Gestora: AOI CIRCULAR SUP/AOI Nº 26/2015-BNDES Rio de Janeiro, 03 de julho de 2015 Ref.: Ass.: Produtos BNDES Finame e BNDES Finame Leasing Refinanciamento de

Leia mais

PALESTRA: LINHAS DE CRÉDITOS.

PALESTRA: LINHAS DE CRÉDITOS. PALESTRA: LINHAS DE CRÉDITOS. Facilitador: Wolney Luis do Nascimento Sousa. Responsável pelo Evento: 1 LINHAS DE CRÉDITO Motivos Vantagens Desvantagens Aplicação 2 LINHAS DE CRÉDITO Função dos Bancos Para

Leia mais

Apoio à Inovação. Luciana Capanema Gerente de Inovação

Apoio à Inovação. Luciana Capanema Gerente de Inovação Apoio à Inovação Luciana Capanema Gerente de Inovação Apoio à Inovação http://www.bndes.gov.br O objetivo do BNDES é fomentar e apoiar operações associadas à formação de capacitações e ao desenvolvimento

Leia mais

CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII

CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII CHAMADA PÚBLICA PARA CREDENCIAMENTO NO SISTEMA EMBRAPII A Associação Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial EMBRAPII torna público o processo de seleção para credenciamento de Unidades EMBRAPII (UE)

Leia mais

EDITAL DE FLUXO CONTÍNUO. Objetivo: Seleção de Candidatos ao Ingresso na Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de São Paulo USP/ IPEN

EDITAL DE FLUXO CONTÍNUO. Objetivo: Seleção de Candidatos ao Ingresso na Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de São Paulo USP/ IPEN EDITAL DE FLUXO CONTÍNUO Objetivo: Seleção de Candidatos ao Ingresso na Incubadora de Empresas de Base Tecnológica de São Paulo USP/ IPEN Versão Completa 2015 Janeiro/2015 1) Objeto e Prazos O Cietec entidade

Leia mais

RELATÓRIO DE FOMENTO 2008

RELATÓRIO DE FOMENTO 2008 MINISTÉRIO DA CIÊNCIA E TECNOLOGIA Secretaria de Desenvolvimento Tecnológico e Inovação RELATÓRIO DE FOMENTO 2008 MICROEMPRESA E EMPRESA DE PEQUENO PORTE Dados do Formulário sobre os investimentos das

Leia mais

A DESENVOLVE SP é a instituição financeira do Governo do Estado

A DESENVOLVE SP é a instituição financeira do Governo do Estado QUEM SOMOS A DESENVOLVE SP é a instituição financeira do Governo do Estado de São Paulo. Atua como banco de desenvolvimento apoiando financeiramente às iniciativas que estimulam o crescimento da economia

Leia mais

O entendimento e os benefícios de aplicação da Lei Federal de Inovação Tecnol. Florianópolis

O entendimento e os benefícios de aplicação da Lei Federal de Inovação Tecnol. Florianópolis O entendimento e os benefícios de aplicação da Lei Federal de Inovação Tecnol ológica Florianópolis polis,, 02 de abril de 2008. 1 CRONOLOGIA OS TRABALHOS: 1. Indicativos do quadro brasileiro de inovação;

Leia mais

REGULAMENTO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UTFPR CAPÍTULO I DA FINALIDADE E LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA

REGULAMENTO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UTFPR CAPÍTULO I DA FINALIDADE E LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA REGULAMENTO DA PROPRIEDADE INTELECTUAL DA UTFPR CAPÍTULO I DA FINALIDADE E LEGISLAÇÃO DE REFERÊNCIA Art. 1º O presente Regulamento tem por finalidade regulamentar as atividades de propriedade intelectual

Leia mais

Ref.: FINAME, FINAME LEASING, FINAME AGRÍCOLA e BNDES AUTOMÁTICO. Ass.: Programa BNDES de Sustentação do Investimento BNDES PSI

Ref.: FINAME, FINAME LEASING, FINAME AGRÍCOLA e BNDES AUTOMÁTICO. Ass.: Programa BNDES de Sustentação do Investimento BNDES PSI CIRCULAR Nº 79/2009 Rio de Janeiro, 24 de julho de 2009. Ref.: FINAME, FINAME LEASING, FINAME AGRÍCOLA e BNDES AUTOMÁTICO Ass.: Programa BNDES de Sustentação do Investimento BNDES PSI O Superintendente

Leia mais

ASSOCIAÇÃO DE AGRICULTORES E IRRIGANTES DA BAHIA AIBA BANCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A. BNB

ASSOCIAÇÃO DE AGRICULTORES E IRRIGANTES DA BAHIA AIBA BANCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A. BNB ASSOCIAÇÃO DE AGRICULTORES E IRRIGANTES DA BAHIA AIBA BANCO DO NORDESTE DO BRASIL S.A. BNB FUNDO PARA O DESENVOLVIMENTO INTEGRADO E SUSTENTÁVEL DA BAHIA FUNDESIS EDITAL PÚBLICO PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA EDITAL PROGRAD Nº 79 DE 15 DE SETEMBRO DE 2014

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA INTEGRAÇÃO LATINO-AMERICANA UNILA EDITAL PROGRAD Nº 79 DE 15 DE SETEMBRO DE 2014 EDITAL PROGRAD Nº 79 DE 15 DE SETEMBRO DE 2014 CONSIDERANDO as normas estabelecidas pela Resolução COSUEN 013/2014, de 23 de julho de 2014, a Pró-Reitoria de Graduação, no uso de suas atribuições, torna

Leia mais

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ

MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ MANUAL PARA O PROGRAMA DE INCUBAÇÃO INEAGRO-UFRRJ 2009 Índice Introdução...3 O que é Base Tecnológica?...3 O que é o Programa de Incubação?...3 Para quem é o Programa de Incubação?...4 Para que serve o

Leia mais

BOLSISTAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA

BOLSISTAS DE INICIAÇÃO À DOCÊNCIA MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE PRO-REITORIA DE PESQUISA E INOVAÇÃO PROGRAMA INSTITUCIONAL

Leia mais

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007

Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 Programa Centros Associados para o Fortalecimento da Pós-Graduação Brasil/Argentina - (CAFP/BA) Edital CGCI n. 028 /2007 1 Do programa e objetivo 1.1 O Programa CAFP/BA (Centros Associados para o Fortalecimento

Leia mais

Programa de Bolsas de Mestrado e Doutorado

Programa de Bolsas de Mestrado e Doutorado Chamada Pública 11/2014 Programa de Bolsas de Mestrado e Doutorado Acordo CAPES/FA A Fundação Araucária de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico do Paraná (FA) em parceria com a Coordenação

Leia mais

AYTY-INCUBADORA DE EMPRESAS DO IFAM EDITAL Nº 003/2014 INCUBADORA DE EMPRESAS

AYTY-INCUBADORA DE EMPRESAS DO IFAM EDITAL Nº 003/2014 INCUBADORA DE EMPRESAS AYTY-INCUBADORA DE EMPRESAS DO IFAM EDITAL Nº 003/2014 INCUBADORA DE EMPRESAS Parceria Instituição Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Amazonas IFAM, Fundação de Apoio ao Ensino, Pesquisa, Extensão

Leia mais

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas

Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas Apoio do BNDES às Micro, Pequenas e Médias Empresas Campinas - SP 17.mar.2015 Como apoiamos? Operações Diretas Contratadas diretamente com o BNDES Como apoiamos? Operações Indiretas N o de operações 2014*

Leia mais

PROGRAMA DE CRÉDITO EDUCATIVO - INVESTCREDE REGULAMENTO

PROGRAMA DE CRÉDITO EDUCATIVO - INVESTCREDE REGULAMENTO PROGRAMA DE CRÉDITO EDUCATIVO - INVESTCREDE 1. DAS INFORMAÇÕES GERAIS REGULAMENTO 1.1 - O presente regulamento objetiva a concessão de Crédito Educativo para estudantes devidamente Matriculados nos cursos

Leia mais

EDITAL PI IPCIT - Nº001/2012 - PRPPGI/IFAM PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PI-IPCIT

EDITAL PI IPCIT - Nº001/2012 - PRPPGI/IFAM PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PI-IPCIT EDITAL PI IPCIT - Nº001/2012 - PRPPGI/IFAM PROGRAMA INSTITUCIONAL DE INCENTIVO À PESQUISA CIENTÍFICA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA PI-IPCIT PROJETOS DE PESQUISA CIENTÍFICA E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA DO IFAM Maio

Leia mais

SENAI e SESI, parceiros da Indústria na Inovação

SENAI e SESI, parceiros da Indústria na Inovação SENAI e SESI, parceiros da Indústria na Inovação Março 2009 I DENOMINAÇÃO E FINALIDADE Art. 1º - Art. 2º - Denominação. SENAI/SESI Inovação 2009. É uma ação de abrangência nacional voltada para os Departamentos

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS E ADESÃO AO PROJETO SETORIAL LATITUDE

MANUAL DE PROCEDIMENTOS E ADESÃO AO PROJETO SETORIAL LATITUDE MANUAL DE PROCEDIMENTOS E ADESÃO AO PROJETO SETORIAL LATITUDE Pelo presente instrumento a Associação Brasileira de Arte Contemporânea - ABACT apresenta o Manual de Procedimentos e Adesão referente às regras

Leia mais

CAFÉ COM CRÉDITO. Santo André - SP. 06 de outubro de 2009

CAFÉ COM CRÉDITO. Santo André - SP. 06 de outubro de 2009 CAFÉ COM CRÉDITO Santo André - SP 06 de outubro de 2009 Missão Banco do DESENVOLVIMENTO Competitividade e sustentabilidade Redução das desigualdades sociais e regionais Áreas de atuação Inovação Bens de

Leia mais

EXPLORAÇÃO COMERCIAL DE ÁREAS (LOJAS / TERRENOS)

EXPLORAÇÃO COMERCIAL DE ÁREAS (LOJAS / TERRENOS) EXPLORAÇÃO COMERCIAL DE ÁREAS (LOJAS / TERRENOS) ÍNDICE: RELAÇÃO DE DOCUMENTOS PARA CADASTRO DE EMPRESAS INTERESSADAS NA EXPLORAÇÃO COMERCIAL DE TERRENOS, LOJAS E ESPAÇOS DE PROPRIEDADE DA COMPANHIA DO

Leia mais