COLETA DE DADOS COM DISPOSITIVOS MÓVEIS: UM ESTUDO DE CASO APLICADO À PRODUÇÃO AVÍCOLA

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "COLETA DE DADOS COM DISPOSITIVOS MÓVEIS: UM ESTUDO DE CASO APLICADO À PRODUÇÃO AVÍCOLA"

Transcrição

1 CENTRO UNIVERSITÁRIO UNIVATES CURSO DE ENGENHARIA DA COMPUTAÇÃO COLETA DE DADOS COM DISPOSITIVOS MÓVEIS: UM ESTUDO DE CASO APLICADO À PRODUÇÃO AVÍCOLA Samuel José Pretto Lajeado, junho de 2013.

2 Samuel José Pretto COLETA DE DADOS COM DISPOSITIVOS MÓVEIS: UM ESTUDO DE CASO APLICADO À PRODUÇÃO AVÍCOLA Monografia apresentada na disciplina de Trabalho de Conclusão de Curso - Etapa II, na linha de formação específica em Engenharia da Computação, do Centro Universitário UNIVATES, como parte da exigência para a obtenção do título de Bacharel em Engenharia da Computação. Área de concentração: Sistemas de Informação Orientador: Prof. Ms. Fabrício Pretto Lajeado, junho de 2013.

3 Samuel José Pretto COLETA DE DADOS COM DISPOSITIVOS MÓVEIS: UM ESTUDO DE CASO APLICADO À PRODUÇÃO AVÍCOLA A Banca examinadora abaixo aprova a Monografia apresentada na disciplina de Trabalho de Conclusão de Curso - Etapa II, na linha de formação específica em Engenharia da Computação, do Centro Universitário Univates, como parte da exigência para a obtenção do grau de Bacharel em Engenharia da Computação: Prof. Ms. Fabrício Pretto - orientador Centro Universitário Univates Prof. Ms. Pablo Dall'Oglio Prof. Ms. Vilson Cristiano Gärtner Lajeado, junho de 2013.

4 AGRADECIMENTOS A Deus, pela oportunidade de completar mais esta etapa de minha vida, pela iluminação e por Sua proteção divina. À minha família, em especial aos meus pais Nelson e Diema, que nunca mediram esforços para proporcionar a educação necessária para formação profissional e moral de seus quatro filhos. Aos meus irmãos, Jaqueline, Dione e Tiago pelas palavras de incentivo e pela dádiva de nossa amizade. À minha namorada, pela paciência e compreensão nos momentos em que não pude estar presente ao seu lado. Eu amo todos vocês. Aos amigos e colegas, por compreender a minha ausência nos últimos meses de faculdade, e que ainda assim fortaleceram a minha vida com nossas amizades. Aos colegas de trabalho, Dilonei Grando e Fernando Tibola, que dedicaram parte de seu tempo, incentivaram e cooperaram no levantamento dos requisitos para o desenvolvimento do projeto. Aos professores da UNIVATES, em especial ao meu orientador Fabrício Pretto, pelo incentivo, dedicação e paciência durante a realização deste trabalho. A todos, muito obrigado!

5 RESUMO A importância de ter informações atualizadas no meio empresarial é fundamental para definir o modo como os gestores decidem, planejam e, em alguns casos, como produtos e serviços são produzidos. A fim de garantir que as informações estejam rapidamente disponíveis, o uso de aplicativos para dispositivos móveis na coleta de dados pode ser uma alternativa eficaz, pois a informação pode ser atualizada na base de dados de um sistema, sempre que o dispositivo se conectar com a Internet. Este trabalho apresenta um estudo de caso sobre a produção avícola, onde foi desenvolvido aplicativo para efetuar a coleta de dados sobre a criação de aves, como o índice de mortalidade e o consumo de água, e disponibilizar as informações por meio de uma interface Web para que os gestores possam analisar e recomendar ações de correção no intuito de melhorar os indicadores de produtividade. Palavras-chave: Sistemas de Informação. Sistemas de Informações Gerenciais. Dispositivos móveis.

6 ABSTRACT The importance of getting updated information on the business environment is critical to define how managers decide, plan and, in some cases, as products and services are produced. In order to ensure that the information is readily available, the use of mobile applications for data collection can be an effective alternative, because information can be updated in the database of a system, whenever the device connect to the Internet. This paper presents a case study on poultry production, where an application was developed to perform data collection on poultry, as the mortality rate and water consumption, and provide the information through a Web interface to managers can analyze and recommend corrective actions in order to improve productivity indicators. Keywords: Information Systems. Management Information Systems. Mobile Devices.

7 LISTA DE FIGURAS Figura 1 Componentes de um de sistema de informação Figura 2 Processo gerencial Figura 3 Informação requerida versus nível de tomada de decisão gerencial Figura 4 Fluxograma de estado dos galpões Figura 5 Aplicativo Censor Aves Figura 6 Aplicativo Agrosys Figura 7 Arquitetura Web Services Figura 8 Código JSP inserido em HTML Figura 9 Camadas da plataforma Android Figura 10 Cliente-servidor com integração entre as aplicações Figura 11 Casos de uso da aplicação MinuAvesWeb Figura 12 Modelo físico do banco de dados da aplicação MinuAvesWeb Figura 13 Casos de uso da aplicação MinuAvesMobile Figura 14 Modelo físico do banco de dados para aplicação MinuAvesMobile Figura 15 Diagrama de pacotes MinuAvesWeb Figura 16 Tela Manutenção de Produtor MinuAvesWeb Figura 17 Tela Incluir Planejamento MinuAvesWeb Figura 18 Tela Indicadores de Produtividade MinuAvesWeb Figura 19 Gráfico Peso Médio do Lote X Standard Figura 20 Gráfico Mortalidade do Lote X Standard Figura 21 Gráfico Visitas Realizadas X Visitas Não realizadas Figura 22 Diagrama de pacotes MinuAvesWS Figura 23 Requisição HTTP de um ClienteREST ao Web Service... 57

8 Figura 24 Diagrama de pacotes MinuAvesMobile Figura 25 Transição do menu principal para agenda do aplicativo MinuAvesMobile Figura 26 Sequência de telas ao realizar uma visita Figura 27 Histórico dos lotes Figura 28 Sequência de telas Sincronizar Dados MinuAvesMobile Figura 29 Diagrama de atividades MinuAvesMobile... 63

9 LISTA DE TABELAS Tabela 1 Comparativo de características Censor Aves X Agrosys Tabela 2 Requisitos Funcionais da aplicação MinuAvesWEB Tabela 3 Requisitos Não-Funcionais da aplicação MinuAvesWEB Tabela 4 Requisitos Funcionais da aplicação MinuAvesMobile Tabela 5 Requisitos Não-Funcionais da aplicação MinuAvesMobile Tabela 6 Pacotes da aplicação MinuAvesWeb Tabela 7 Pacotes da aplicação MinuAvesWS Tabela 8 Pacotes do aplicativo MinuAvesMobile... 58

10 BRF CMS CRM CRUD ERP MRP GPS HTML HTTP HTTPS IDE JSF LISTA DE ABREVIATURAS Brasil Foods Carne Mecanicamente Separada Customer Relationship Manager Create, Remove, Update and Delete Enterprise Resource Planning Materials Resource Planning Global Positioning System HyperText Markup Language Hypertext Transfer Protocol Hypertext Transfer Protocol Secure Integrated Development Environment Java Sever Faces JSP JS JavaServer Pages Java Scripts

11 MERCOSUL Mercado Comum do Sul MVC Model-View-Control ORM REST RF RNF ROI SA SAD SE SGDB SI SIF SIG SIT WWW XHTML XML W3C Object-Relational Mapping Representational State Transfer Requisitos Funcionais Requisitos Não Funcionais Return On Investment Sistemas de Automação Sistemas de Apoio à Decisão Sistemas Especialistas Sistema de gerenciamento de banco de dados Sistemas de Informação Serviço de Inspeção Federal Sistemas de Informações Gerenciais Sistema de Informações Transacionais World Wide Web Extensible Hyper Text Markup Language Extensible Markup Language World Wide Web Consortium

12 SUMÁRIO 1 INTRODUÇÃO Tema e definição do problema Objetivos Justificativa Metodologia REFERENCIAL TEÓRICO Sistemas de informação Classificação dos sistemas de informação Sistemas de Informações Gerenciais (SIG) Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) Enterprise Resource Planning (ERP) ESTUDO DE CASO Histórico da empresa Manejo e alojamento de aves Cenário tecnológico atual Soluções de aplicativos comerciais TECNOLOGIAS Web Services JavaServer Pages (JSP) Banco de Dados Sistema operacional Android MODELAGEM DOS APLICATIVOS Modelagem da aplicação MinuAvesWEB Requisitos do sistema MinuAvesWeb Casos de Uso MinuAvesWEB Modelo Físico do banco de dados MinuAvesWEB Modelagem da aplicação MinuAvesMobile Requisitos do sistema MinuAvesMobile Casos de Uso MinuAvesMobile... 47

13 5.2.3 Modelo Físico do banco de dados MinuAvesMobile DESENVOLVIMENTO Desenvolvimento da aplicação MinuAvesWeb Desenvolvimento da aplicação MinuAvesWS Desenvolvimento do aplicativo MinuAvesMobile Tarefa Sincronizar e Enviar Dados Demonstração e validação das aplicações CONSIDERAÇÕES FINAIS REFERÊNCIAS... 67

14 12 1 INTRODUÇÃO A tecnologia da informação nas décadas de 70 e 80 era considerada por muitos executivos como um mal necessário, devido ao alto custo de investimento inicial e retorno financeiro em longo prazo. No entanto, no século XX, a tecnologia da informação se tornou uma ferramenta fundamental para qualquer organização. Sistema de Informação é um conjunto de componentes inter-relacionados que coletam, manipulam e distribuem informação, proporcionando um mecanismo de realimentação (feedback) para atender a um objetivo comum (LAUDON E LAUDON, 1999). Os sistemas de informação atualmente servem a diferentes níveis nas organizações e podem ser classificados em subsistemas, dentre os quais se enquadram aqueles que servem de apoio à tomada de decisão. No entanto, para que as decisões sejam tomadas da forma mais adequada, é importante que as informações relevantes estejam disponíveis em tempo hábil aos níveis da Administração Operacional, Tática e Estratégica. Como ferramenta de apoio e acesso aos sistemas de informação, temos hoje os smartphones, que são a combinação de duas classes de dispositivos: os celulares e os palmtops. Diferente dos antecessores, os smartphones podem se conectar a Internet através de conexões de telefonia celular ou rede wireless, o que permite que eles ofereçam uma enorme variedade de recursos. O grande trunfo, entretanto, está na possibilidade de instalar aplicativos adicionais, possibilitando a execução de inúmeras outras funções. Esta combinação de fatores tem feito com que eles se tornem cada vez mais indispensáveis (MORIMOTO, 2009).

15 13 Em uma pesquisa realizada pelo Google no primeiro trimestre de 2012, sobre o uso de smartphones no Brasil, foram entrevistados mil usuários, dentre os quais 86% utilizavam o equipamento para acesso a redes sociais e comunicação. O acesso à informação como, por exemplo, notícias através de sites de jornais e revistas, era feito por 61% dos entrevistados. Mas o entretenimento como acesso à Internet, visualização de vídeos, música e o uso para jogos atingia 92% do grupo entrevistado (GOOGLE, 2012). Além do uso destes dispositivos para o entretenimento, muitas empresas estão adotando esta tecnologia para o uso em funções corporativas, gerando inúmeros benefícios devido a sua capacidade de processamento, portabilidade e mobilidade da informação. Estas ferramentas podem contribuir para otimizar as rotinas do dia-a-dia das empresas através da automação de processos, proporcionando um ganho em velocidade, controle e segurança da informação (ADDED, 2011). Neste sentido, a aplicação destes equipamentos como forma de auxiliar os técnicos na coleta de dados referentes à criação de aves, pode proporcionar vantagens às indústrias de alimentos a base de carne de frango, como a informação em tempo real, a fim de garantir melhor acompanhamento da produção. A seguir são abordados o tema e a definição do problema, bem como os objetivos do trabalho e sua justificativa. No Capítulo 2 é apresentado o referencial teórico, que reúne conceitos sobre os principais Sistemas de Informação. O Estudo de Caso, que envolve a utilização de sistemas de informação e dispositivos móveis como ferramentas de apoio na coleta de informações, é abordado no Capítulo 3, onde é efetuada uma breve análise de dois softwares comerciais. O Capítulo 4 traz conceitos sobre as tecnologias que foram utilizadas para o desenvolvimento da solução. No Capítulo 5 consta a modelagem da solução proposta, enquanto que no Capítulo 6 está o desenvolvimento do projeto, demonstração e os testes de validação efetuados com os usuários. As considerações finais estão descritas no Capítulo 7.

16 Tema e definição do problema Na indústria de alimentos derivados de aves, a eficiência de um sistema de informação vai além das fronteiras da empresa, se estendendo até o local onde a matéria-prima é produzida, ou seja, no controle e coleta de informações da cadeia primária. De acordo com Avila (2007), o controle de algumas variáveis como a temperatura ambiente, o índice de mortalidade dos frangos, o consumo de ração e água, neste trabalho denominado de indicadores de produtividade, pode contribuir para manter uma padronização das aves, a fim de garantir a qualidade do produto final. Na empresa Companhia Minuano de Alimentos, indústria analisada nesse estudo de caso, os técnicos efetuam a coleta destes dados por meio de planilhas impressas para posterior digitação no sistema de informações da empresa. Este atraso na informação pode trazer graves consequências para a produção da empresa, como o alto consumo e manejo inadequado de ração, mortalidade e peso médio fora dos padrões, medicamentos aplicados de forma incorreta e problemas com agenda de procedimentos como carregamento e limpeza do aviário. Por consequência destes fatores, o planejamento do abate pode ser prejudicado, pois a falta de uniformidade das carcaças e as anomalias reduzem a produção, causando um impacto direto nas vendas a clientes. O problema poderia ser amenizado se os gestores dispusessem de informações atualizadas para analisar os indicadores de produtividade dos lotes, possibilitando ações de correção no processo de criação. 1.2 Objetivos O principal objetivo deste trabalho é disponibilizar as informações de forma mais rápida, para que os gestores possam tomar decisões sobre o processo de produção. Como prérequisito para este objetivo é preciso auxiliar os técnicos, automatizando a coleta de informações dos indicadores de produtividade.

17 15 Os objetivos específicos deste trabalho são os seguintes: Avaliar softwares comerciais para coleta de dados na produção avícola; Desenvolver uma aplicação WEB para que os gestores possam acompanhar os indicadores de produtividade e o andamento das visitas técnicas aos criadores; Desenvolver um aplicativo Android para dispositivos móveis com o qual será efetuada a coleta das informações; Efetuar a integração entre as ferramentas. 1.3 Justificativa Observando-se o fluxo das informações sobre lotes de frangos e a cadeia produtiva da empresa, é possível perceber que existe hoje uma dificuldade evidente para o técnico de campo coletar, de forma rápida e precisa, os dados referentes aos indicadores de produtividade. A pesquisa e desenvolvimento de uma ferramenta, que auxilie os técnicos neste sentido, se torna importante ao passo que a informação do processo produtivo em tempo real é fonte primária para a empresa atingir melhores indicadores de produtividade e, consequentemente, alcançar vantagem competitiva no mercado. 1.4 Metodologia Nesta seção são apresentados conceitos de metodologia e estudo de caso, método científico utilizado para a realização deste trabalho. De acordo com Barros e Lehftel (2000), metodologia corresponde a um conjunto de procedimentos utilizados por uma técnica, ou seja, a aplicação de um método através de

18 processos e técnicas que garantem o saber obtido. Os autores conceituam o método como sendo o caminho ordenado e sistemático para se chegar a um fim. 16 Fachin (2003) caracteriza o método do Estudo de Caso por ser um estudo intensivo onde se leva em consideração, principalmente, a compreensão como um todo do assunto investigado. Para a realização deste estudo de caso, buscou-se compreender o problema descrito na seção 1.1, entendendo melhor o processo de criação, engorda e abate das aves. Desta forma, as seguintes etapas foram necessárias: Levantamento de informações do manejo técnico utilizado pela empresa, como manual de manejo, cartilha do criador e planilhas impressas para coleta de dados; Levantamento das necessidades e dificuldades quanto à coleta de informações nos aviários, através de entrevistas orais e discussões com os envolvidos; Análise do sistema utilizado pela empresa e da documentação existente; Levantamento dos requisitos do sistema, através de entrevistas, discussões e observação da realização de rotinas. Modelagem das aplicações; Desenvolvimento; Demonstração e validação com os usuários. As aplicações implementadas no decorrer deste projeto foram modeladas e desenvolvidas seguindo a abordagem de prototipação, baseada no conceito de desenvolvimento exploratório, no qual, segundo Carvalho (2001), o objetivo é trabalhar junto do usuário para descobrir seus requisitos, de maneira incremental, até que o produto final seja obtido.

19 17 2 REFERENCIAL TEÓRICO Este capítulo descreve conceitos básicos sobre Sistemas de Informação, explicando os principais tipos de sistemas e em que situações e áreas de negócios eles podem ser utilizados como ferramentas de apoio aos gestores das organizações. 2.1 Sistemas de informação A informação é hoje fator fundamental para as organizações, para os administradores e para todos os indivíduos. Quando se fala em mercado aberto e comum, competitividade, concorrência e qualidade, se percebe que nada disso seria possível sem a existência da informação e se dela não se tivesse um rápido acesso (ROSINI, 2012). Por isso, conforme Fletcher (1989), o fluxo de informação necessita ser controlado de forma que assegure sistematicamente o levantamento de dados de forma relevante, em um formato padronizado e apropriado para que os executivos responsáveis tomem decisões em tempo real. Laudon e Laudon (1999) conceituam dados como sucessões de fatos brutos que representam eventos que acontecem nas organizações, antes de serem organizados e arrumados de forma que as pessoas possam entender e usar. Informação, por fim, é um conjunto de dados configurado de forma adequada à utilização pelo ser humano.

20 18 Um sistema de informação pode ser definido tecnicamente como um conjunto de componentes inter-relacionados que coleta (ou recupera), processa, armazena e distribui informação para dar suporte à tomada de decisão e ao controle da organização, ajudando a analisar problemas. Desta forma, para um sistema gerar informações para uma organização, três atividades são necessárias: a entrada, onde são capturados os dados brutos, o processamento, que converte a entrada em uma forma mais significativa, e a saída, que transfere de forma adequada as informações às pessoas ou atividades onde ela será utilizada (LAUDON E LAUDON, 1999). O Brien (2001) explica os conceitos de sistemas e ilustra, conforme a Figura 1, um modelo mais completo, que expressa uma estrutura conceitual fundamental para os principais componentes e atividades dos sistemas de informação. Neste modelo, um sistema de informação depende de recursos humanos (os usuários e especialistas), de hardware (máquinas e mídia), software (programas e procedimentos), dados (bancos de dados e bases de conhecimento) e redes (mídia de comunicações e apoio de rede) para executar atividades de entrada, processamento, produção, armazenamento e controle, que convertem recursos de dados em produtos de informação. Figura 1 Componentes de um de sistema de informação Fonte: Adaptado pelo autor com base em O Brien (2001, pg 20).

21 19 Este modelo destaca as relações entre os componentes e atividades dos sistemas de informação no qual pelo menos quatro principais conceitos podem ser aplicados a todos os tipos de sistemas de informação: Pessoas, hardware, software, dados e redes são os cinco recursos básicos dos Sistemas de Informação (SI); Os recursos humanos incluem usuários finais e especialistas em SI, os recursos de hardware consistem em máquinas e mídia, os recursos de software incluem programas e procedimentos, os recursos de dados podem incluir bancos de dados e bases de conhecimento, e recursos de rede incluem mídia e redes de comunicações; Os recursos de dados são transformados por atividades de processamento de informação em uma diversidade de produtos de informação para os usuários finais; O processamento de informação consiste em atividades de entrada, processamento, saída, armazenamento e controle. 2.2 Classificação dos sistemas de informação Os principais tipos de sistemas de informação, conforme Laudon e Laudon (1999), servem a diferentes níveis da organização e podem ser denominados subsistemas de informação. Rosini (2012) aborda os sistemas de informação, classificando-os em quatro principais tipos: Sistemas de Informações Transacionais (SIT), Sistemas de Informações Especialistas (SE), Sistemas de Informações Gerenciais (SIG) e Sistemas de Apoio a Decisão (SAD). Nesta seção, serão vistos conceitos sobre SIG e SAD, que estão relacionados diretamente com o desenvolvimento deste trabalho.

22 Sistemas de Informações Gerenciais (SIG) Os sistemas de informações gerenciais, conforme Rosini (2012), atendem as necessidades dos diversos níveis gerenciais de alto escalão das organizações, provendo relatórios gerenciais e, em alguns casos, com acesso imediato (on-line) às ocorrências de desempenho e a dados históricos, servindo como base para as funções de planejamento, controle e tomada de decisão em nível gerencial. Estes sistemas dão suporte ao nível gerencial da empresa, proporcionando relatórios e possibilitando, principalmente, funções de planejamento, controle e tomada de decisão. O SIG geralmente enfoca questões estruturadas que são bem conhecidas antecipadamente, sendo pouco flexíveis e com pequena capacidade analítica, utilizando rotinas simples como resumos e comparações (LAUDON E LAUDON, 1999). Para O Brien (2001) os sistemas de informações gerenciais fornecem muitos produtos de informação para os gerentes, elencando quatro principais alternativas de relatórios: Relatórios Periódicos Programados: Esta forma tradicional de fornecimento de informações para os gerentes utiliza um formato pré-especificado, projetado para fornecer informações em uma base regular. Exemplos típicos destes relatórios periódicos programados são os relatórios de vendas diários ou semanais e demonstrativos financeiros mensais; Relatórios de Exceção: Em certos casos, alguns relatórios são gerados apenas em condições excepcionais. Em outros casos são produzidos periodicamente, mas contêm informações destas condições excepcionais. Um gerente de crédito, por exemplo, pode receber relatório com informações apenas de seus clientes que excederam seus limites de crédito; Informes e Respostas por Solicitação: As informações encontram-se disponíveis sempre que um gerente as requisita. Os geradores de relatórios podem ser acionados a qualquer momento por um gerente ou gestor de área para disparar um relatório desejado, evitando a espera do relatório programado;

23 21 Relatórios em Pilha: Relatórios selecionados são distribuídos através da rede de forma empilhada, ou seja, vários documentos que interessam a um mesmo grupo de gerentes, por exemplo. Bio (2008) exemplifica o funcionamento de sistema de informações gerenciais no processo de vendas de uma determinada linha de produtos. Conforme a representação na Figura 2, enquanto envolvidos na formulação dos planos temporários, os gerentes precisam de um sistema capaz de, a partir dos dados que estão sendo manipulados no processo, obter informações que os auxiliem a tomar decisões. Interpretando o diagrama da Figura 2, o autor infere que o controle é feito com base nas informações obtidas a partir de dados originários da ação, pois à medida que o vendedor completa uma ação de vender, o supervisor da fábrica inicia uma ordem de produção e requisita os materiais correspondentes, o cobrador traz ao final do dia a quantidade de duplicatas quitadas. Ocorrem enfim, milhares de ações que são captadas pelo sistema de informação e traduzidas em informações úteis sobre o quanto foi vendido, quanto será o custo da produção, quanto se consumiu de estoque de materiais e quanto foi recebido dos clientes. Figura 2 Processo gerencial Fonte: Adaptado pelo autor com base em Bio (2008, pg 53).

24 Sistemas de Apoio à Decisão (SAD) Com o principal objetivo de atender às necessidades do nível estratégico das organizações, o sistema de apoio à decisão auxilia a direção a tomar decisões semiestruturadas ou com rápidas mudanças, respondendo a cada alteração que ocorre ao longo de um único dia, caso seja necessário. Os SAD utilizam as informações geradas internamente pelos outros sistemas de informações, como de transações, especialistas ou gerenciais e oferece ainda, informações de fontes externas, como preço da concorrência e ofertas existentes. Rosini (2012) descreve que a estrutura destes sistemas é voltada para análise, incorporando uma maior ou menor variedade de modelos de análise de dados e que é desenvolvido de forma com que seus usuários possam trabalhar com informações em tempo real (real-time). Desta forma, são softwares interativos, pois seus usuários podem modificar as condições assumidas pelo sistema e modificar sua base de dados secundária. O autor cita algumas características destes sistemas de apoio à decisão: a) Foco na decisão, ajudando a alta gerência das empresas no processo de tomada de decisão; b) Flexibilidade, adaptabilidade e respostas rápidas; c) Permite que os usuários interajam com as entradas e saídas do sistema; d) Suporte a solução de problemas sem que estas soluções estejam especificadas em seu desenvolvimento; e) Utilização de modelos de análise sofisticados e modelagem de dados. Assim, os sistemas de apoio à decisão compreendem uma classe de sistemas de informações que extrai dos sistemas de processamento de transações e interage com as outras partes do sistema de apoio executivo para dar apoio à tomada de decisão dos gerentes e outros administradores.

25 23 Figura 3 Informação requerida versus nível de tomada de decisão gerencial Fonte: Adaptado pelo autor com base em O Brien (2001, pg 249). De acordo com O Brien (2001), o tipo de informações requeridas pelos tomadores de decisão está diretamente relacionado com o nível de tomada de decisão gerencial e o grau de estrutura nas situações de decisão que eles enfrentam. O referencial da pirâmide gerencial clássica mostrado na Figura 3 pode ser aplicado a qualquer organização atual, apesar de seu tamanho, forma e participantes mudarem à medida que evoluem as estruturas organizacionais. De qualquer forma, conforme o autor, os níveis de tomada de decisão gerencial que devem ser apoiados pela tecnologia da informação são os seguintes: Administração Estratégica: Normalmente, um conselho de diretores e um comitê executivo de presidente e principais executivos desenvolvem metas globais, estratégias, políticas e objetivos da organização como parte de um processo de planejamento estratégico, monitorando também o desempenho estratégico da organização e sua direção geral no ambiente político, econômico e competitivo dos negócios. Administração Tática: Executada por equipes auto-dirigidas e gerentes de unidades de negócios, desenvolvem planos de curto e médio prazo, programações, orçamentos e especificam as políticas, procedimentos e objetivos de negócios para as subunidades da organização. Também distribuem recursos e monitoram o desempenho de suas subunidades, como departamentos, divisões, equipes de processo e outros grupos de trabalho. Administração Operacional: Os membros das equipes autodirigidas ou gerentes de operação desenvolvem planos de curto prazo como os programas de produção semanal, bem como o uso dos recursos e o desempenho das tarefas de acordo com procedimentos e dentro dos orçamentos e programações que eles definem para suas equipes. (O BRIEN, 2001). Para o autor, as decisões tomadas no nível operacional tendem a ser mais estruturadas e envolvem situações em que os procedimentos a serem seguidos, quando é necessária uma

26 decisão, podem ser especificados de antemão, como o reabastecimento de estoque, exemplo típico enfrentado pela maioria das empresas. 24 As decisões tomadas no nível tático tendem a ser semiestruturadas e no nível da administração estratégica tendem a ser não-estruturadas, pois envolvem situações de decisão nas quais não é possível especificar de antemão a maioria dos procedimentos a serem seguidos. Stair (1996) cita que nos problemas semiestruturados ou não estruturados, os relacionamentos entre os dados nem sempre são claros, podendo estar em diversos formatos ou até mesmo difíceis de manipular. Como exemplo deste tipo de decisão, o autor cita a escolha de um local para uma nova unidade de fabricação, que pode envolver numerosos fatores, inclusive a mão-de-obra disponível, condições econômicas, clima político, dentre outros. Seguindo a mesma linha de pensamento, O Brien (2001) afirma que os sistemas de informação devem ser projetados para produzir uma multiplicidade de produtos de informação para atender as necessidades variáveis dos tomadores de decisão na organização. Portanto, para fornecer informações e apoio para todos os níveis da tomada de decisão gerencial são aplicados os principais tipos de sistemas de informação, como sistema de informação gerencial, sistema de apoio à decisão e sistemas de informação executiva. 2.3 Enterprise Resource Planning (ERP) Ao longo do tempo os sistemas de informação evoluíram com o propósito de construir um sistema integrado, incluindo todos os processos organizacionais, constituindo módulos padronizados, customizados para as necessidades de cada organização e integrados entre si. Esta ideia de integração deu origem aos ERPs. Rosini (2012) afirma que, tecnicamente, um ERP é uma evolução de Materials Resource Planning (MRP), um sistema integrado de fábrica, mas que além de integrar os sistemas de escritório, integra todos os processos dos setores da empresa, como suprimentos, vendas, finanças, contabilidade e recursos humanos. Assim, para que ocorra uma implantação bem sucedida de um ERP, é necessário que a estrutura da empresa e os processos de negócio

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 13 Web Services Web Services

Leia mais

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Material de Apoio. Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Material de Apoio Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações.

Leia mais

Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android. Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com.

Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android. Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com. Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com.br 08/2014 Agenda Introdução Conceitos Web Service Por que utilizar

Leia mais

TEMA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO -Tipos de SI e Recursos de Software parte2. AULA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROFa. ROSA MOTTA

TEMA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO -Tipos de SI e Recursos de Software parte2. AULA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROFa. ROSA MOTTA TEMA TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO -Tipos de SI e Recursos de Software parte2 AULA DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO PROFa. ROSA MOTTA CONTEÚDO DA AULA Tipos de Software Serviços Web Tendências 2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

Leia mais

A plataforma Android: Uma Introdução

A plataforma Android: Uma Introdução A plataforma Android: Uma Introdução Android Iniciativa da Google de prover uma plataforma aberta para Web móvel Open Handset Alliance Associação de um grupo bastante heterogêneo de empresas (operadoras,

Leia mais

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Aula 2 Computação em Nuvem Desafios e Oportunidades A Computação em Nuvem

Leia mais

Ferramentas Web para controle e supervisão: o que está por vir

Ferramentas Web para controle e supervisão: o que está por vir Artigos Técnicos Ferramentas Web para controle e supervisão: o que está por vir Marcelo Salvador, Diretor de Negócios da Elipse Software Ltda. Já faz algum tempo que ouvimos falar do controle e supervisão

Leia mais

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br

Sistema. Atividades. Sistema de informações. Tipos de sistemas de informação. Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Sistema Tipos de sistemas de informação Everson Santos Araujo everson@everson.com.br Um sistema pode ser definido como um complexo de elementos em interação (Ludwig Von Bertalanffy) sistema é um conjunto

Leia mais

Programação para Dispositivos Móveis

Programação para Dispositivos Móveis Programação para Dispositivos Móveis Fatec Ipiranga Análise e Desenvolvimento de Sistemas Aula 02 História do desenvolvimento de software para dispositivos móveis Dalton Martins dmartins@gmail.com São

Leia mais

3 Serviços na Web (Web services)

3 Serviços na Web (Web services) 3 Serviços na Web (Web services) 3.1. Visão Geral Com base na definição do Word Wide Web Consortium (W3C), web services são aplicações autocontidas, que possuem interface baseadas em XML e que descrevem

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais

Sistemas de Informações Gerenciais Sistemas de Informações Gerenciais Aula 4 Sistema de Informação SI baseado em computadores Organização, administração e estratégia Professora: Cintia Caetano INTRODUÇÃO Sistemas de Informação são parte

Leia mais

Sistema de Informação Gerencial (SIG)

Sistema de Informação Gerencial (SIG) Sistema de Informação Gerencial (SIG) Os Sistemas de Informação Gerencial (SIG) são sistemas ou processos que fornecem as informações necessárias para gerenciar com eficácia as organizações. Um SIG gera

Leia mais

Android. Marcelo Quinta @mrquinta

Android. Marcelo Quinta @mrquinta Android Marcelo Quinta @mrquinta Oi, eu sou o Marcelo Quinta Pública Público-privada Privada Próprio negócio Voluntariado Parabéns à organização do GO-GTUG Tablets 160% de aumento em 2011 Smartphones

Leia mais

IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1

IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1 IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson Fidalgo 1 Banco de Dados Introdução Por: Robson do Nascimento Fidalgo rdnf@cin.ufpe.br IF685 Gerenciamento de Dados e Informação - Prof. Robson

Leia mais

10. Defina Sistemas Distribuídos: Um conjunto de computadores independentes que se apresenta a seus usuários como um sistema único e coerente

10. Defina Sistemas Distribuídos: Um conjunto de computadores independentes que se apresenta a seus usuários como um sistema único e coerente 1. Quais os componentes de um sistema cliente-servidor? Clientes e servidores 2. Na visão do hardware, defina o que é cliente e o que é servidor: Clientes. Qualquer computador conectado ao sistema via

Leia mais

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl

SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE. Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl SISTEMA DE WORKFLOW PARA MODELAGEM E EXECUÇÃO DE PROCESSOS DE SOFTWARE Aluno: Roberto Reinert Orientador: Everaldo A. Grahl Roteiro de apresentação Introdução Objetivos Fundamentação Teórica Workflow Processo

Leia mais

Introdução Dalvik Linux 2.6. Android. Diogo de Campos, João Paulo Pizani Flor, Maurício Oliveira Haensch, Pedro Covolan Bachiega

Introdução Dalvik Linux 2.6. Android. Diogo de Campos, João Paulo Pizani Flor, Maurício Oliveira Haensch, Pedro Covolan Bachiega Android Diogo de Campos, João Paulo Pizani Flor, Maurício Oliveira Haensch, Pedro Covolan Bachiega Universidade Federal de Santa Catarina November 18, 2008 Agenda 1 Introdução 2 Dalvik 3 Linux 2.6 Introdução

Leia mais

Visão geral Estrutura do sistema Ferramentas de desenvolvimento Uma aplicação. Android. Universidade Federal de Santa Catarina. 17 de dezembro de 2008

Visão geral Estrutura do sistema Ferramentas de desenvolvimento Uma aplicação. Android. Universidade Federal de Santa Catarina. 17 de dezembro de 2008 Android José João Junior Universidade Federal de Santa Catarina 17 de dezembro de 2008 Agenda 1 Visão geral 2 Estrutura do sistema 3 Ferramentas de desenvolvimento 4 Uma aplicação Visão geral Histórico

Leia mais

2 Conceitos relativos a Web services e sua composição

2 Conceitos relativos a Web services e sua composição 15 2 Conceitos relativos a Web services e sua composição A necessidade de flexibilidade na arquitetura das aplicações levou ao modelo orientado a objetos, onde os processos de negócios podem ser representados

Leia mais

EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE

EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS EIMOBILE INSTITUIÇÕES DE ENSINO MOBILE por Miguel Aguiar Barbosa Trabalho de curso II submetido como

Leia mais

ASSUNTO DA APOSTILA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET

ASSUNTO DA APOSTILA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET AULA 06 ASSUNTO DA APOSTILA: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO E AS DECISÕES GERENCIAIS NA ERA DA INTERNET JAMES A. O BRIEN MÓDULO 01 Páginas 278 à 285 1 AULA 06 APOIO ÀS DECISÕES DE E BUSINESS 2 E business e Apoio

Leia mais

Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP com foco nas tecnologias de software livre / código aberto

Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP com foco nas tecnologias de software livre / código aberto UFSC - Universidade Federal de Santa Catarina CTC Centro Tecnológico INE Departamento de Informática e Estatística INE5631 Projetos I Prof. Renato Cislaghi Resumo de TCC Desenvolvimento de um sistema ERP

Leia mais

Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010. Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999

Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010. Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999 FSI capítulo 2 Referências bibliográficas: Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informações gerencias, editora Pearson, 2010 Laudon K., Laudon J., Sistemas de Informação, editora LTC, 1999 Porter M., Competitive

Leia mais

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057

SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 INTRODUÇÃO SISTEMAS INTEGRADOS DE GESTÃO EMPRESARIAL E A ADMINISTRAÇÃO DE PATRIMÔNIO ALUNO: SALOMÃO DOS SANTOS NUNES MATRÍCULA: 19930057 Há algum tempo, podemos observar diversas mudanças nas organizações,

Leia mais

Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Tecnológicas CCT Engenharia de Produção e Sistemas Sistemas de Informação (SIN)

Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Tecnológicas CCT Engenharia de Produção e Sistemas Sistemas de Informação (SIN) Universidade do Estado de Santa Catarina UDESC Centro de Ciências Tecnológicas CCT Engenharia de Produção e Sistemas Sistemas de Informação (SIN) SISTEMAS COM ERP Profº Adalberto J. Tavares Vieira ERP

Leia mais

História e Evolução da Web. Aécio Costa

História e Evolução da Web. Aécio Costa Aécio Costa A História da Web O que estamos estudando? Período em anos que a tecnologia demorou para atingir 50 milhões de usuários 3 As dez tecnologias mais promissoras 4 A evolução da Web Web 1.0- Passado

Leia mais

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO

LEI DE ACESSO A INFORMAÇÃO DIREITO DO CIDADÃO DESCRIÇÃO DO SIGAI O SIGAI (Sistema Integrado de Gestão do Acesso à Informação) é uma solução de software que foi desenvolvida para automatizar os processos administrativos e operacionais visando a atender

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE PRODUÇÃO DE EVENTOS

SISTEMA DE GESTÃO DE PRODUÇÃO DE EVENTOS SISTEMA DE GESTÃO DE PRODUÇÃO DE EVENTOS Rodrigo das Neves Wagner Luiz Gustavo Galves Mählmann Resumo: O presente artigo trata de um projeto de desenvolvimento de uma aplicação para uma produtora de eventos,

Leia mais

CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO CONHECENDO E CONCEITUANDO SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Franco Vieira Sampaio 1 Atualmente a informática está cada vez mais inserida no dia a dia das empresas, porém, no início armazenavam-se os dados em folhas,

Leia mais

Tecnologia da Informação e Comunicação. Douglas Farias Cordeiro

Tecnologia da Informação e Comunicação. Douglas Farias Cordeiro Tecnologia da Informação e Comunicação Douglas Farias Cordeiro Algumas coisas que vimos até aqui Qual a diferença entre as funções do analista e do projetista? Como funciona o ciclo de vida de um projeto

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO CURSO DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS CERVA TOISS. por

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO CURSO DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS CERVA TOISS. por UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO CURSO DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS CERVA TOISS por Daniel Teixeira Braga Trabalho de Conclusão de curso II Prof. Marcos Echevarria

Leia mais

ARQUITETURA DE SISTEMAS. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com)

ARQUITETURA DE SISTEMAS. Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) ARQUITETURA DE SISTEMAS Cleviton Monteiro (cleviton@gmail.com) Roteiro Definição Documento de arquitetura Modelos de representação da arquitetura Estilos arquiteturais Arquitetura de sistemas web Arquitetura

Leia mais

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello

Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS. Prof. Roberto Marcello Unidade II GERENCIAMENTO DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Roberto Marcello SI Sistemas de gestão A Gestão dos Sistemas Integrados é uma forma organizada e sistemática de buscar a melhoria de resultados.

Leia mais

O FUTURO DA SUA EMPRESA PASSA POR AQUI OMNES TECNOLOGIA

O FUTURO DA SUA EMPRESA PASSA POR AQUI OMNES TECNOLOGIA O FUTURO DA SUA EMPRESA PASSA POR AQUI OMNES TECNOLOGIA Como tudo começou GIDEONI SILVA CONSULTOR BI & CRM Analista de Sistemas e Green Belt Six Sigma Experiência de 15 anos em projetos executados de Business

Leia mais

INTERLIMS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÕES PARA LABORATÓRIOS DE ANÁLISES DE ÁGUA

INTERLIMS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÕES PARA LABORATÓRIOS DE ANÁLISES DE ÁGUA INTERLIMS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÕES PARA LABORATÓRIOS DE ANÁLISES DE ÁGUA INTERLIMS SISTEMA DE GERENCIAMENTO DE INFORMAÇÕES PARA LABORATÓRIOS DE ANÁLISES DE ÁGUA O InterLIMS se apresenta

Leia mais

Infra estrutura da Tecnologia da Informação

Infra estrutura da Tecnologia da Informação Infra estrutura da Tecnologia da Informação Capítulo 3 Adaptado do material de apoio ao Livro Sistemas de Informação Gerenciais, 7ª ed., de K. Laudon e J. Laudon, Prentice Hall, 2005 CEA460 Gestão da Informação

Leia mais

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento

O que é o Virto ERP? Onde sua empresa quer chegar? Apresentação. Modelo de funcionamento HOME O QUE É TOUR MÓDULOS POR QUE SOMOS DIFERENTES METODOLOGIA CLIENTES DÚVIDAS PREÇOS FALE CONOSCO Suporte Sou Cliente Onde sua empresa quer chegar? Sistemas de gestão precisam ajudar sua empresa a atingir

Leia mais

Programação WEB Introdução

Programação WEB Introdução Programação WEB Introdução Rafael Vieira Coelho IFRS Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Campus Farroupilha rafael.coelho@farroupilha.ifrs.edu.br Roteiro 1) Conceitos

Leia mais

Desenvolvimento Web. Saymon Yury C. Silva Analista de Sistemas. http://www.saymonyury.com.br

Desenvolvimento Web. Saymon Yury C. Silva Analista de Sistemas. http://www.saymonyury.com.br Desenvolvimento Web Saymon Yury C. Silva Analista de Sistemas http://www.saymonyury.com.br Vantagens Informação em qualquer hora e lugar; Rápidos resultados; Portabilidade absoluta; Manutenção facilitada

Leia mais

MAGREGISTER 1.0: GERADOR DE INTERFACES DE COLETAS DE DADOS PARA PDA S. Acadêmico: Gilson Chequeto Orientador: Adilson Vahldick

MAGREGISTER 1.0: GERADOR DE INTERFACES DE COLETAS DE DADOS PARA PDA S. Acadêmico: Gilson Chequeto Orientador: Adilson Vahldick MAGREGISTER 1.0: GERADOR DE INTERFACES DE COLETAS DE DADOS PARA PDA S Acadêmico: Gilson Chequeto Orientador: Adilson Vahldick Roteiro Introdução Objetivos do trabalho Fundamentação teórica Desenvolvimento

Leia mais

SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN

SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN SISTEMA GERENCIAL TRATORPLAN SIGET Fabrício Pereira Santana¹, Jaime William Dias¹, ², Ricardo de Melo Germano¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil fabricioblack@gmail.com germano@unipar.br

Leia mais

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5

Sistemas de Informação James A. O Brien Editora Saraiva Capítulo 5 Para entender bancos de dados, é útil ter em mente que os elementos de dados que os compõem são divididos em níveis hierárquicos. Esses elementos de dados lógicos constituem os conceitos de dados básicos

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Informatização de farmácias publicas utilizando software livre.

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA. Informatização de farmácias publicas utilizando software livre. UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA Informatização de farmácias publicas utilizando software livre. MURILO NUNES ELIAS FLORIANÓPOLIS SC 2007/2 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA DEPARTAMENTO DE

Leia mais

Áreas de utilização do GED e o que levar em consideração no Projeto de Implantação de GED em uma empresa Simone de Abreu

Áreas de utilização do GED e o que levar em consideração no Projeto de Implantação de GED em uma empresa Simone de Abreu Áreas de utilização do GED e o que levar em consideração no Projeto de Implantação de GED em uma empresa Simone de Abreu Cerca de dois milhões de pessoas estão trabalhando em aproximadamente 300 mil projetos

Leia mais

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação

ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação ADM041 / EPR806 Sistemas de Informação UNIFEI Universidade Federal de Itajubá Prof. Dr. Alexandre Ferreira de Pinho 1 Componentes de uma empresa Organizando uma empresa: funções empresariais básicas Funções

Leia mais

O que é o Android? O que é o Android

O que é o Android? O que é o Android O que é o Android? O Android é um sistema operacional para dispositivos móveis, baseado em uma plataforma de código aberta sob a licença apache, permitindo que os fabricantes possam modificar seu código

Leia mais

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico

Plano de Trabalho Docente 2014. Ensino Técnico Plano de Trabalho Docente 2014 Ensino Técnico ETEC MONSENHOR ANTONIO MAGLIANO Código: 088 Município: Garça Eixo Tecnológico: Informação e Comunicação Habilitação Profissional: Técnica de Nível Médio de

Leia mais

Web Services. Autor: Rômulo Rosa Furtado

Web Services. Autor: Rômulo Rosa Furtado Web Services Autor: Rômulo Rosa Furtado Sumário O que é um Web Service. Qual a finalidade de um Web Service. Como funciona o serviço. Motivação para o uso. Como construir um. Referências. Seção: O que

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL

SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS B) INFORMAÇÃO GERENCIAL 1. SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL (SIG) Conjunto integrado de pessoas, procedimentos, banco de dados e dispositivos que suprem os gerentes e os tomadores

Leia mais

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO

FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO @ribeirord FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Rafael D. Ribeiro, M.Sc,PMP. rafaeldiasribeiro@gmail.com http://www.rafaeldiasribeiro.com.br Sistemas de Informação Sistemas de Apoio às Operações Sistemas

Leia mais

Bem-vindo à apresentação do SAP Business One.

Bem-vindo à apresentação do SAP Business One. Bem-vindo à apresentação do SAP Business One. Neste tópico, responderemos à pergunta: O que é o Business One? Definiremos o SAP Business One e discutiremos as opções e as plataformas disponíveis para executar

Leia mais

INDICE 3.APLICAÇÕES QUE PODEM SER DESENVOLVIDAS COM O USO DO SAXES

INDICE 3.APLICAÇÕES QUE PODEM SER DESENVOLVIDAS COM O USO DO SAXES w w w. i d e a l o g i c. c o m. b r INDICE 1.APRESENTAÇÃO 2.ESPECIFICAÇÃO DOS RECURSOS DO SOFTWARE SAXES 2.1. Funcionalidades comuns a outras ferramentas similares 2.2. Funcionalidades próprias do software

Leia mais

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial

ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial ERP Enterprise Resourse Planning Sistemas de Gestão Empresarial Prof. Pedro Luiz de O. Costa Bisneto 14/09/2003 Sumário Introdução... 2 Enterprise Resourse Planning... 2 Business Inteligence... 3 Vantagens

Leia mais

MONITOR E PREDITOR DE CONECTIVIDADE WIRELESS BASEADA EM LOCALIZAÇÃO GPS

MONITOR E PREDITOR DE CONECTIVIDADE WIRELESS BASEADA EM LOCALIZAÇÃO GPS MONITOR E PREDITOR DE CONECTIVIDADE WIRELESS BASEADA EM LOCALIZAÇÃO GPS Aluna: Eleonora Cominato Weiner Orientador: Markus Endler Introdução A palavra mobilidade ganha mais importância a cada instante,

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 1 OBJETIVOS 1. Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? 2. Como os sistemas de informação apóiam as principais funções empresariais:

Leia mais

Busca Certa Combustíveis

Busca Certa Combustíveis UNIVERSIDADE CATÓLICA DE PELOTAS CENTRO POLITÉCNICO CURSO DE TECNOLOGIA EM ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS Busca Certa Combustíveis por Luma Melo Borges Documento de conclusão da disciplina de Trabalho

Leia mais

Sistemas de Informação para Apoio à Decisão Gerencial

Sistemas de Informação para Apoio à Decisão Gerencial Sistemas de Informação para Apoio à Decisão Gerencial Sistemas de Apoio à decisão (DSS) Os sistemas de apoio à decisão (Decision Support System, ou DSS) são uma das principais categorias de sistemas de

Leia mais

Softwares de Sistemas e de Aplicação

Softwares de Sistemas e de Aplicação Fundamentos dos Sistemas de Informação Softwares de Sistemas e de Aplicação Profª. Esp. Milena Resende - milenaresende@fimes.edu.br Visão Geral de Software O que é um software? Qual a função do software?

Leia mais

PDS - DATASUS. Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS

PDS - DATASUS. Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS PDS - DATASUS Processo de Desenvolvimento de Software do DATASUS Coordenação Geral de Arquitetura e Engenharia Tecnológica Coordenação de Padronização e Qualidade de Software Gerência de Padrões e Software

Leia mais

MAPEAMENTO E LOCALIZAÇÃO DE REGIÕES DE INTERESSE UTILIZANDO REALIDADE AUMENTADA EM DISPOSITIVOS MÓVEIS COM PLATAFORMA ANDROID

MAPEAMENTO E LOCALIZAÇÃO DE REGIÕES DE INTERESSE UTILIZANDO REALIDADE AUMENTADA EM DISPOSITIVOS MÓVEIS COM PLATAFORMA ANDROID MAPEAMENTO E LOCALIZAÇÃO DE REGIÕES DE INTERESSE UTILIZANDO REALIDADE AUMENTADA EM DISPOSITIVOS MÓVEIS COM PLATAFORMA ANDROID Alessandro Teixeira de Andrade¹; Geazy Menezes² UFGD/FACET Caixa Postal 533,

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA Capítulo 2 SISTEMAS DE INFORMAÇÃO NA EMPRESA 2.1 2003 by Prentice Hall OBJETIVOS Quais são as principais aplicações de sistemas na empresa? Que papel eles desempenham? Como os sistemas de informação apóiam

Leia mais

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas

Linguagem de Programação JAVA. Professora Michelle Nery Nomeclaturas Linguagem de Programação JAVA Professora Michelle Nery Nomeclaturas Conteúdo Programático Nomeclaturas JDK JRE JEE JSE JME JVM Toolkits Swing AWT/SWT JDBC EJB JNI JSP Conteúdo Programático Nomenclatures

Leia mais

Tecnologias e Sistemas de Informação

Tecnologias e Sistemas de Informação Universidade Federal do Vale do São Francisco Curso de Administração Tecnologia e Sistemas de Informação - 02 Prof. Jorge Cavalcanti jorge.cavalcanti@univasf.edu.br www.univasf.edu.br/~jorge.cavalcanti

Leia mais

3 a Lista de Exercícios

3 a Lista de Exercícios Engenharia de Requisitos 3 a Lista de Exercícios (1) Em relação ao levantamento e análise de requisitos, faz-se a seguinte afirmação: Os requisitos de sistema devem ser capturados, documentados e acordados

Leia mais

REST Um Estilo de Arquitetura de Sistemas Distribuídos

REST Um Estilo de Arquitetura de Sistemas Distribuídos REST Um Estilo de Arquitetura de Sistemas Distribuídos Márcio Alves de Araújo¹, Mauro Antônio Correia Júnior¹ 1 Faculdade de Computação Universidade Federal de Uberlândia (UFU) Monte Carmelo MG Brasil

Leia mais

Seminário de S.O - Google Android

Seminário de S.O - Google Android Seminário de S.O - Google Android Diogo de Campos João Paulo Pizani Flor Maurício Oliveira Haensch Pedro Covolan Bachiega 19 de novembro de 2008 1 Introdução O presente trabalho foi apresentado como seminário

Leia mais

Frameworks para criação de Web Apps para o Ensino Mobile

Frameworks para criação de Web Apps para o Ensino Mobile 393 Frameworks para criação de Web Apps para o Ensino Mobile Lucas Zamim 1 Roberto Franciscatto 1 Evandro Preuss 1 1 Colégio Agrícola de Frederico Westphalen (CAFW) Universidade Federal de Santa Maria

Leia mais

Sistemas de Informações Gerenciais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios

Sistemas de Informações Gerenciais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Sistemas de Informações Gerenciais Prof. Esp. André Luís Belini Bacharel em Sistemas de Informações MBA em Gestão Estratégica de Negócios Capítulo 4 Infra-Estrutura de TI: Hardware e Software 2 1 OBJETIVOS

Leia mais

Sistemas de Apoio à Decisão. Ciências Contábeis Informática Aplicada

Sistemas de Apoio à Decisão. Ciências Contábeis Informática Aplicada Sistemas de Apoio à Decisão Ciências Contábeis Informática Aplicada Sistemas de Apoio à Decisão Segundo LAUDON (2004) apud SANTOS () afirma que um SAD tem por objetivo auxiliar o processo de decisão gerencial,

Leia mais

COMPARANDO APLICAÇÃO WEB SERVICE REST E SOAP

COMPARANDO APLICAÇÃO WEB SERVICE REST E SOAP COMPARANDO APLICAÇÃO WEB SERVICE REST E SOAP Cleber de F. Ferreira¹, Roberto Dias Mota¹. ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil cleberferreirasi@hotmail.com, motaroberto@hotmail.com Resumo.

Leia mais

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1

SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 SPEKTRUM SOLUÇÕES DE GRANDE PORTE PARA PEQUENAS E MÉDIAS EMPRESAS SPEKTRUM SAP Partner 1 PROSPERE NA NOVA ECONOMIA A SPEKTRUM SUPORTA A EXECUÇÃO DA SUA ESTRATÉGIA Para as empresas que buscam crescimento

Leia mais

Introdução a Computação Móvel

Introdução a Computação Móvel Introdução a Computação Móvel Computação Móvel Prof. Me. Adauto Mendes adauto.inatel@gmail.com Histórico Em 1947 alguns engenheiros resolveram mudar o rumo da história da telefonia. Pensando em uma maneira

Leia mais

Conceitos. - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação. - Dados x Informações. Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com.

Conceitos. - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação. - Dados x Informações. Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com. Conceitos - Sistema de Informação, Estruturas e Classificação - Dados x Informações Edson Almeida Junior www.edsonalmeidajunior.com.br Definição de Sistema Uma coleção de objetos unidos por alguma forma

Leia mais

Autoria Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web

Autoria Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web Apresentação Thiago Miranda Email: mirandathiago@gmail.com Site: www.thiagomiranda.net Objetivos da Disciplina Conhecer os limites de atuação profissional em Web

Leia mais

SCE-557. Técnicas de Programação para WEB. Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br

SCE-557. Técnicas de Programação para WEB. Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br SCE-557 Técnicas de Programação para WEB Rodrigo Fernandes de Mello http://www.icmc.usp.br/~mello mello@icmc.usp.br 1 Cronograma Fundamentos sobre servidores e clientes Linguagens Server e Client side

Leia mais

Administração de Banco de Dados

Administração de Banco de Dados Administração de Banco de Dados Professora conteudista: Cida Atum Sumário Administração de Banco de Dados Unidade I 1 INTRODUÇÃO A BANCO DE DADOS...1 1.1 Histórico...1 1.2 Definições...2 1.3 Importância

Leia mais

GLOSSÁRIO. ActiveX Controls. É essencialmente uma interface usada para entrada e saída de dados para uma aplicação.

GLOSSÁRIO. ActiveX Controls. É essencialmente uma interface usada para entrada e saída de dados para uma aplicação. GLOSSÁRIO Este glossário contém termos e siglas utilizados para Internet. Este material foi compilado de trabalhos publicados por Plewe (1998), Enzer (2000) e outros manuais e referências localizadas na

Leia mais

Microsoft.NET. Desenvolvimento Baseado em Componentes

Microsoft.NET. Desenvolvimento Baseado em Componentes Microsoft.NET Lirisnei Gomes de Sousa lirisnei@hotmail.com Jair C Leite jair@dimap.ufrn.br Desenvolvimento Baseado em Componentes Resolução de problemas específicos, mas que podem ser re-utilizados em

Leia mais

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo

Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE. Prof. Luís Rodolfo Unidade III PRINCÍPIOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Prof. Luís Rodolfo Vantagens e desvantagens de uma rede para a organização Maior agilidade com o uso intenso de redes de computadores; Grandes interações

Leia mais

Arquitetura de Software: Uma Central para Gestão da execução de serviços

Arquitetura de Software: Uma Central para Gestão da execução de serviços Arquitetura de Software: Uma Central para Gestão da execução de serviços ADILSON FERREIRA DA SILVA Centro Paula Souza São Paulo Brasil afs.software@gmail.com Prof.a. Dr.a. MARILIA MACORIN DE AZEVEDO Centro

Leia mais

SISTEMA DE CONTROLE DE DADOS CLIMÁTICOS NA WEB NO AUXILIO À AGRICULTURA RESUMO SYSTEM CONTROL OF CLIMATIC DATA IN THE WEB TO ASSIST THE AGRICULTURE

SISTEMA DE CONTROLE DE DADOS CLIMÁTICOS NA WEB NO AUXILIO À AGRICULTURA RESUMO SYSTEM CONTROL OF CLIMATIC DATA IN THE WEB TO ASSIST THE AGRICULTURE SISTEMA DE CONTROLE DE DADOS CLIMÁTICOS NA WEB NO AUXILIO À AGRICULTURA CAROLINE VISOTO 1 EDUARDO RUBIN 2 THIAGO X. V. OLIVEIRA 3 WILINGTHON PAVAN 4 JOSÉ MAURÍCIO CUNHA FERNANDES 5 CRISTIANO ROBERTO CERVI

Leia mais

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO

UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ. Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ Campus Ponta Grossa ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Ponta Grossa 2012 ANDRÉ LUIS CORDEIRO DE FARIA RELATÓRIO DE ESTÁGIO Trabalho elaborado pelo

Leia mais

Integração de sistemas utilizando Web Services do tipo REST

Integração de sistemas utilizando Web Services do tipo REST Integração de sistemas utilizando Web Services do tipo REST Jhonatan Wilson Aparecido Garbo, Jaime Willian Dias Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil jhowgarbo@gmail.com jaime@unipar.br

Leia mais

PROGRAMA DE MBA em Gestão e Engenharia do Produto. O Produto Internet e suas Aplicações

PROGRAMA DE MBA em Gestão e Engenharia do Produto. O Produto Internet e suas Aplicações Universidade de São Paulo Escola Politécnica Programa de Educação Continuada em Engenharia PROGRAMA DE MBA em Gestão e Engenharia do Produto O Produto Internet e suas Aplicações Tecnologias de Informação

Leia mais

Pré-Projeto do Trabalho de Conclusão de Curso Tiago Garcia Pereira 1. INTRODUÇÃO

Pré-Projeto do Trabalho de Conclusão de Curso Tiago Garcia Pereira 1. INTRODUÇÃO UM PADRÃO ABERTO DE SOFTWARE PARA COMPUTAÇÃO MÓVEL: UM ESTUDO SOBRE GOOGLE ANDROID 1. INTRODUÇÃO O aumento do número usuários de dispositivos móveis atrai cada vez os desenvolvedores a produzir aplicações

Leia mais

1: FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES

1: FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES 1: FUNDAMENTOS DE SISTEMAS DE INFORMAÇÕES 1 Os sistemas de informação (SI) utilizam hardware, software, redes de telecomunicações, técnicas de administração de dados computadorizadas e outras formas de

Leia mais

Exemplo de Plano para Desenvolvimento de Software

Exemplo de Plano para Desenvolvimento de Software Universidade Salgado de Oliveira Especialização em Tecnologia da Informação Qualidade em Engenharia de Software Exemplo de Plano para Desenvolvimento de Software Prof. Msc. Edigar Antônio Diniz Júnior

Leia mais

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB

Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Curso de Aprendizado Industrial Desenvolvedor WEB Disciplina: Programação Orientada a Objetos II Professor: Cheli dos S. Mendes da Costa Modelo Cliente- Servidor Modelo de Aplicação Cliente-servidor Os

Leia mais

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS

SISTEMAS DE NEGÓCIOS. a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1 SISTEMAS DE NEGÓCIOS a) SISTEMAS DE APOIO EMPRESARIAIS 1. COLABORAÇÃO NAS EMPRESAS Os sistemas colaborativos nas empresas nos oferecem ferramentas para nos ajudar a colaborar, comunicando idéias, compartilhando

Leia mais

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans

Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Desenvolvendo Aplicações Web com NetBeans Aula 3 Cap. 4 Trabalhando com Banco de Dados Prof.: Marcelo Ferreira Ortega Introdução O trabalho com banco de dados utilizando o NetBeans se desenvolveu ao longo

Leia mais

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa

INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa INTEGRE Diversas fontes de informações em uma interface intuitiva que exibe exatamente o que você precisa ACESSE Informações corporativas a partir de qualquer ponto de Internet baseado na configuração

Leia mais

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho

Banco de Dados de Músicas. Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Banco de Dados de Músicas Andre Lima Rocha Campos Osório Pereira Carvalho Definição Aplicação Web que oferece ao usuário um serviço de busca de músicas e informações relacionadas, como compositor, interprete,

Leia mais

Estudo comparativo entre tecnologias Java: Applet e JWS.

Estudo comparativo entre tecnologias Java: Applet e JWS. Estudo comparativo entre tecnologias Java: Applet e JWS. Clara Aben-Athar B. Fernandes¹, Carlos Alberto P. Araújo¹ 1 Centro Universitário Luterano de Santarém Comunidade Evangélica Luterana (CEULS/ULBRA)

Leia mais

TEORIA GERAL DE SISTEMAS

TEORIA GERAL DE SISTEMAS TEORIA GERAL DE SISTEMAS Infraestrutura de TI: oferece a plataforma para suporte de todos os sistemas de informação na empresa. Hardware Software Componentes da infraestrutura Tecnologia de gestão de dados

Leia mais

Um Processo para Desenvolvimento de Aplicações Web Baseado em Serviços. Autores: Fábio Zaupa, Itana Gimenes, Don Cowan, Paulo Alencar e Carlos Lucena

Um Processo para Desenvolvimento de Aplicações Web Baseado em Serviços. Autores: Fábio Zaupa, Itana Gimenes, Don Cowan, Paulo Alencar e Carlos Lucena Um Processo para Desenvolvimento de Aplicações Web Baseado em Serviços Autores: Fábio Zaupa, Itana Gimenes, Don Cowan, Paulo Alencar e Carlos Lucena Tópicos Motivação e Objetivos LP e SOA Processo ADESE

Leia mais

CAPÍTULO 7. SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO (SAD) SISTEMAS DE SUPORTE À DECISÃO (SSD)

CAPÍTULO 7. SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO (SAD) SISTEMAS DE SUPORTE À DECISÃO (SSD) 1 CAPÍTULO 7. SISTEMAS DE APOIO À DECISÃO (SAD) SISTEMAS DE SUPORTE À DECISÃO (SSD) A necessidade dos SAD surgiu em decorrência de diversos fatores, como, por exemplo: Competição cada vez maior entre as

Leia mais

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL SIG. Diferença entre relatórios gerados pelo SPT e os gerados pelo SIG

SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL SIG. Diferença entre relatórios gerados pelo SPT e os gerados pelo SIG Introdução SISTEMAS DE INFORMAÇÃO GERENCIAL SIG A finalidade principal de um SIG é ajudar uma organização a atingir as suas metas, fornecendo aos administradores uma visão das operações regulares da empresa,

Leia mais

IBM Cognos Business Intelligence Scorecarding

IBM Cognos Business Intelligence Scorecarding IBM Cognos Business Intelligence Scorecarding Unindo a estratégia às operações com sucesso Visão Geral O Scorecarding oferece uma abordagem comprovada para comunicar a estratégia de negócios por toda a

Leia mais

Workflow como Proposta de. Workflow. O Gerenciamento de Processos. Prof. Roquemar Baldam roquemar@pep.ufrj.br

Workflow como Proposta de. Workflow. O Gerenciamento de Processos. Prof. Roquemar Baldam roquemar@pep.ufrj.br Workflow como Proposta de Automação Flexível O Gerenciamento de Processos Planejamento do BPM Diretrizes e Especificações Seleção de processo críticos Alinhamento de processos à estratégia www.iconenet.com.br

Leia mais

Aula 1 - Introdução e configuração de ambiente de desenvolvimento

Aula 1 - Introdução e configuração de ambiente de desenvolvimento Aula 1 - Introdução e configuração de ambiente de desenvolvimento Olá, seja bem-vindo à primeira aula do curso para desenvolvedor de Android, neste curso você irá aprender a criar aplicativos para dispositivos

Leia mais