Marcelle Machado de Souza

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Marcelle Machado de Souza"

Transcrição

1 Marcelle Machado de Souza SORRIA VOCÊ ESTÁ SENDO FILMADO: a consolidação de uma sociedade de controle sobre o direito fundamental à privacidade e sobre as formas de interação espontânea e participação democrática nos espaços públicos e privados DISSERTAÇÃO DE MESTRADO DEPARTAMENTO DE DIREITO Programa de Pós-Graduação em Direito Rio de Janeiro, abril de 2008.

2 Marcelle Machado de Souza SORRIA VOCÊ ESTÁ SENDO FILMADO: a consolidação de uma sociedade de controle sobre o direito fundamental à privacidade e sobre as formas de interação espontânea e participação democrática nos espaços públicos e privados Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pósgraduação em Ciências Jurídicas da PUC-Rio e Escola Superior Dom Hélder Câmara como requisito parcial para obtenção do título de Mestre em Ciências Jurídicas. Orientador: Prof. José Ribas Vieira Rio de Janeiro Abril de 2008

3 Marcelle Machado de Souza SORRIA VOCÊ ESTÁ SENDO FILMADO: a consolidação de uma sociedade de controle sobre o direito fundamental à privacidade e sobre as formas de interação espontânea e participação democrática nos espaços públicos e privados Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção do título de Mestre pelo Programa de Pós-graduação em Direito do Departamento de Direito da PUC-Rio. Aprovada pela Comissão Examinadora abaixo assinada. Prof. José Ribas Vieira Orientador Departamento de Direito PUC-Rio Prof. João Ricardo W. Dornelles Departamento de Direito PUC-Rio Profª. Vera Malaguti de Souza Weglinski Batista UCAM Prof. Nizar Messari Vice-Decano de Pós-Graduação do Centro de Ciências Sociais PUC-Rio Rio de Janeiro, 02 de abril de 2008.

4 Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução total ou parcial do trabalho sem autorização do autor, do orientador e da universidade. Marcelle Machado de Souza Graduou-se em Direito pela Universidade Federal de Juiz de Fora UFJF. Especialista em Direito Empresarial pela Universidade Federal de Juiz de Fora UFJF, em Convênio com a Escola Superior de Advocacia de Minas Gerais. Especialista em Justiça Constitucional: teoria e prática pela Universidad Castilla-La Mancha Toledo/España). Professora de Teoria Geral do Estado e Direito Constitucional. Souza, Marcelle Machado Ficha Catalográfica SORRIA VOCÊ ESTÁ SENDO FILMADO: a consolidação de uma sociedade de controle sobre o direito fundamental à privacidade e sobre as formas de interação espontânea e participação democrática nos espaços públicos e privados / Marcelle Machado de Souza; orientador: José Ribas Vieira. Rio de Janeiro: PUC, Departamento de Direito, f. ; 30 cm Dissertação (Mestrado) Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Departamento de Direito. Inclui bibliografia 1. Direito Teses. 2. Violência. 3. Sociedade de controle. 4. Videovigilância. 5. Segurança pública. 6. Espaço público. 7. Privacidade. 7. Projeto Olho Vivo BH I. Vieira, José Ribas. Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Departamento de Direito. III. Título. CDD: 340

5 Agradecimentos A Deus, porque Tu fazes grandes planos e coisas maravilhosas. Tu vês tudo o que as pessoas fazem e tratas cada uma de acordo com o seu modo de agir e de viver. (Bíblia Sagrada, Jeremias 32:19). Aos meus pais, José Mário de Souza e Maria José Machado de Souza, pelos olhares vigilantes e cuidadosos, pelo carinho, zelo e amor desde sempre. Amo vocês! Ao meu querido professor e orientador José Ribas Vieira, pela profunda atenção e dedicação com as quais me acompanhou durante todos estes meses. A você professor, toda a minha admiração e o meu muito obrigada! Sua generosidade e sua capacidade vão muito além do mundo acadêmico! Aos professores José Adércio Sampaio e Bethânia Assy, pela colaboração com textos, indicações bibliográficas, questionamentos e reflexões que foram essenciais para a construção desta pesquisa. À Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro Puc Rio e à Escola Superior Dom Hélder Câmara, por serem instituições que me fizeram acreditar ainda mais, por meio de seus professores, que a Ciência do Direito carece, neste século XXI, de um estudo interdisciplinar; que o Direito terá muito mais a contribuir para a sociedade contemporânea se aliado à Filosofia, às Ciências Sociais e aos demais ramos do conhecimento. À Polícia Militar do Estado de Minas Gerais, pela cordialidade, pelos esclarecimentos e pelas informações dispensadas sobre o Projeto Olho Vivo BH. A você, minha cara amiga Daniela Mello, por estar ao meu lado nesta ao mesmo tempo dura e doce caminhada da vida, por partilhar comigo o dia-a-dia de uma vida profissional e nossas discussões jurídicas! Às minhas divertidas e batalhadoras amigas Eliane Coelho Mendonça e Raquel de Souza Lima pelas incansáveis leituras, críticas e comentários que fazem de todos os meus textos! A vocês, minhas companheiríssimas desde os idos da Faculdade, obrigada por estarem sempre na torcida organizada pelas minhas publicações! Ao Maurício Trigueiro e a Vânia Amorim, pela amizade e confiança que sempre me dedicaram nesta árdua tarefa do ensino da Teoria Geral do Estado e do Direito Constitucional.

6 A você, Margarida Coutinho, pela paciência com que dedica seus fins de domingo para corrigir as mazelas dos meus abstracts e por ter sido sempre testemunha ocular da minha caminhada. Thank you for all, baby face! Anne Torres, Virgínia Figueiredo e Graziela Reis, obrigada pelos telefonemas, pelo apoio e pelo incondicional amor que me dedicaram nestes últimos (ufa!) apertados meses de minha vida! Aos meus tios, Vera Lúcia Machado Baeta e Francisco Saint Yves Baeta, os primeiros que me receberam de braços abertos neste grande e adorável centro urbano que é Belo Horizonte, todo o meu amor e o meu muito obrigada! Ao Lucas Machado de Souza, não só pelo noticiário da sociedade big brother que sempre me enviou, mas pela preciosa ajuda na formatação destas mais de cem páginas! Mais do que um irmão, você é um grande amigo! A vocês, amigos, primos e colegas de trabalho, que me emprestaram seus livros, me ajudaram com as impressões e correções de inúmeros textos, que tiveram paciência com a confecção de meus horários e com as minhas indisponibilidades, que me enviaram reportagens, sites na internet, blogs, recortes de jornal, comentários e notícias sobre esses inúmeros e incansáveis olhos que não param de nos vigiar, o meu mais sincero agradecimento! Aos meus colegas de mestrado, pelos bons tempos em que nos divertimos juntos!

7 Resumo Souza, Marcelle Machado; Vieira, José Ribas. SORRIA VOCÊ ESTÁ SENDO FILMADO: a consolidação de uma sociedade de controle sobre o direito fundamental à privacidade e sobre as formas de interação espontânea e participação democrática nos espaços públicos e privados. Rio de Janeiro, p. Dissertação de Mestrado Departamento de Direito, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Sorria você está sendo filmado foi desenvolvido em uma perspectiva interdisciplinar, valendo-se de fundamentos jurídicos, sociológicos e filosóficos com o intuito de demonstrar, em uma análise global e também local (através do estudo sobre a implantação do Projeto Olho Vivo BH ), que em decorrência da crescente violência que assola a sociedade contemporânea, transformando-a em uma sociedade de risco, o monitoramento através de câmeras em espaços públicos e privados vem sendo largamente utilizado como instrumento para a garantia da segurança. A implantação, no entanto, de uma política de videovigilância tanto pelas autoridades públicas como também pelos particulares, lançando seus olhares sobre os indivíduos, não leva em conta os riscos inerentes a tal sistema como, por exemplo, a consolidação de uma sociedade de controle permanente sobre o comportamento dos cidadãos, privando-os do exercício da privacidade, da liberdade e da espontaneidade na interação democrática nesses espaços. A atual era do medo é, ainda, responsável pela alteração do modo de viver das pessoas nos centros urbanos, pois os indivíduos passam a viver em espaços vigiados e segregados ou passam a transitar nas ruas e praças públicas permanentemente monitoradas por câmeras. Assim sendo, a cidade de muros, enquadrada no que poderia ser conceituado como o panoptismo moderno ou até mesmo no atento olhar de uma gama de Big Brothers sobre os indivíduos, sob o fundamento da busca pela segurança, reproduz a desigualdade, o isolamento e a fragmentação, corroendo a cidadania e o exercício do direito fundamental à privacidade.

8 Palavras-chave Violência; sociedade de controle; videovigilância; segurança pública; espaço público; privacidade.

9 Abstract Souza, Marcelle Machado; Vieira, José Ribas (Advisor). SMILE YOU ARE BEING WATCHED: the consolidation of a society of control over the fundamental right of privacy and over the spontaneous ways of interaction and democratic participation in public and private spaces. Rio de Janeiro, p. MSc. Dissertation - Departamento de Direito, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro. Smile you are being watched was developed under an interdisciplinary perspective, making use of philosofical, sociological and judicial grounds, in order to demonstrate, through a global and also a local analysis (taking into account the study about the implantation of Projeto Olho Vivo BH ), that, as a consequence of the ever rising violence, which permeates our present-day society, changing it into a risky society, the video-camera surveillance, in either public or private spaces, has been widely used as a necessary tool to ensure safety. However, the use of a videomonitoring policy either by the public authorities, or the private, casting their looks over the individuals, do not take into account the common risks of such a system as, for example, the consolidation of a society in permanent control of its citizens behavior, depriving them the use of privacy, freedom and spontaneity in the democratic interaction of these spaces. The present age of fear is still responsible for the alteration in the way of people s living in urban centers, since the individuals start living in monitored and segregated areas or they start walking on streets and squares which are permanently watched by video-cameras. This time, the city of walls, pictured through the concept of the modern panoptism, or even under the keen eyes of a score of Big Brothers, in order to justify a search for safety, reproduces the inequality, the isolation and the fragmentation, corroding the idea of citizenship and the free exercise of the fundamental right to privacy. Keywords Violence; society of control; videosurveillance; public security; public space; privacy.

10 Sumário 1. Introdução Sociedade de risco / Sociedade de controle Sociedade de risco: violência / insegurança Sociedade de controle: a videovigilância Enclaves fortificados / Bolhas de segurança Espaço Público / Espaço Privado Privacidade Marcos doutrinários e jurisprudenciais sobre a intimidade e a vida privada Os termos intimidade, vida privada, privacidade e a busca por seu significado e conceituação Nova abordagem sobre a privacidade sob o olhar de SOLOVE Privacidade e práticas sociais A privacidade sob o olhar de WHITMAN Um olhar atual sobre a privacidade Privacidade versus Segurança Projeto Olho Vivo BH : monitoramento e controle permanente nas ruas de Belo Horizonte MG O processo legislativo Resultados e análise do Projeto Olho Vivo BH Conclusão Referências bibliográficas 127

11 Lista de Ilustrações Figura 01: Ciclo do atendimento do "OLHO VIVO" 103 Tabela 02: Crimes violentos na área de monitoramento do OLHO VIVO 107 Quadro 03: Resultado da Instalação das câmeras de segurança 109 Quadro 04: Problemas anteriores à instalação das câmeras 109 Quadro 05: Índice de redução da criminalidade 109 Quadro 06: Benefícios com a instalação das câmeras 110 Quadro 07: Criminalidade após a instalação das câmeras 110 Quadro 08: Avaliação sobre a instalação das câmeras 110

12 Se podes olhar, vê. Se podes ver, repara. Livro dos Conselhos (Ensaio sobre a Cegueira José Saramago)

13 1 Introdução Na era atual da alta modernidade (GIDDENS,1991) ou como enfatiza BAUMAN (2001) a era da modernidade líquida 1, a sociedade se vê perplexa diante do medo da violência que assola a todos, principalmente nos grandes centros urbanos. Diante de uma realidade cada vez mais violenta e, por conseguinte, uma incessante busca pela segurança pública aliada aos novos instrumentos disponibilizados pela Era da Tecnologia (ROSA, 2006), a forma de uso e ocupação dos espaços públicos vem sofrendo uma considerável alteração de paradigma, assim como a alteração também é sentida no tocante ao direito à privacidade, sempre passível de restrições nesta busca pela segurança. Desse modo, as políticas de prevenção e repressão à violência adotadas tanto pelo Poder Público como também pelos próprios indivíduos instituíram como uma de suas medidas o monitoramento através de câmeras a videovigilância, a filmagem permanente das pessoas nas ruas, avenidas, parques, praças, supermercados, elevadores, lojas de departamentos, empresas, consultórios, escritórios, entre outros, no intuito de coibir a prática de atividades ilícitas. O medo de se tornarem vítimas da violência fez, ainda, com que os indivíduos construíssem para si o que o presente trabalho aborda como enclaves fortificados e bolhas de segurança, vivendo cada vez mais em condomínios fechados, shopping centers, clubes fechados de recreação, carros blindados e outros, alheios a uma convivência social mais dinâmica e de interação entre todos. No primeiro caso há um risco real de invasão à privacidade daqueles que se encontram permanentemente controlados pelas câmeras de vigilância e no segundo, um esvaziamento dos espaços públicos de interação democrática entre os 1 A sociedade que entra no século XXI não é menos moderna que a que entrou no século XX; o máximo que se pode dizer é que ela é moderna de um modo diferente. O que a faz tão moderna como era mais ou menos há um século é o que distingue a modernidade de todas as outras formas históricas de convívio humano: a compulsiva e obsessiva, contínua e irrefreável e sempre incompleta modernização; a opressiva e inerradicável, insaciável sede de destruição criativa (ou de criatividade destrutiva, se for o caso: de limpar o lugar em nome de um novo e aperfeiçoado projeto; de desmantelar, cortar, defasar, reunir ou reduzir, tudo isso em nome da produtividade ou da competitividade). (BAUMAN, 2001:36)

14 13 cidadãos. Mascarada pela busca da segurança, a sociedade contemporânea põe em risco a sua própria privacidade e o projeto de construção e consolidação de uma democracia através da espontaneidade da interação nos espaços públicos. Frente a tais fatos e considerando que o Direito é um produto da atividade humana que se expressa por determinadas formas normativas que regulam o desenvolvimento da convivência social, que o Direito tem um caráter onipresente em quase todas as esferas do viver social (PEREZ LUÑO, 2005:20), o presente trabalho parte de uma metodologia que vai da experiência social para a construção da experiência do Direito, adotando um caráter exploratório sobre o cotidiano da sociedade contemporânea, buscando um retrato desta sociedade também por um viés filosófico e sociológico, com enfoque especial para os grandes centros urbanos brasileiros, principalmente para a cidade de Belo Horizonte MG, em seu combate e prevenção à violência através da videovigilância em espaços públicos e privados, preocupando-se com a essência do que é viver e conviver com a violência que assola este início de século XXI, com a essência da realidade social. E, a partir daí, busca fundamentos teóricos para caracterizar a própria violência e as conseqüências na ocupação dos espaços públicos, na interação democrática entre os cidadãos e na proteção ao direito fundamental à privacidade. É com essa preocupação que este trabalho busca demonstrar, em seu Capítulo 02, que em decorrência da crescente violência que assola a sociedade contemporânea, transformando-a cada vez mais em uma sociedade de risco, a vigilância através de câmeras em espaços públicos e privados vem sendo largamente utilizada como importante instrumento de prevenção e combate à violência. No entanto, a implantação de uma vigilância permanente por câmeras não considera a fundo os riscos inerentes a tal sistema como, por exemplo, a consolidação de uma sociedade de controle permanente sobre o comportamento dos cidadãos, privando-os da liberdade, privacidade e espontaneidade em espaços públicos e privados. Surgem riscos permanentes como o do controle do homem sobre o próprio homem, como o do homem vigiado todo o tempo, como o daquele que não vê, mas é permanentemente visto pelas câmeras, como a sociedade panóptica contemporânea (FOUCAULT, 2006). No capítulo 03, a discussão está focada no fato de que a atual era do medo e da violência vem mudando a forma de viver das pessoas nos grandes centros urbanos e a forma de aproveitamento de um espaço público urbano moderno e

15 14 democrático. A construção de fronteiras fixas e espaços de acesso restrito e controlado como um instrumento de combate e prevenção à violência deprecia o ideal do que seria uma cidade aberta capaz de promover a interação entre as pessoas; elimina a rua como aspecto central da vida pública moderna. Os moradores das cidades passam a construir hierarquias, privilégios, espaços exclusivos e rituais de segregação em seus condomínios fechados, em suas casas construídas com cercas e muros, em seus shopping centers e espaços privados de lazer gerando, assim, o seu próprio afastamento da esfera política. A cidade de muros, portanto, reproduz desigualdade, isolamento e fragmentação, corrói a cidadania e se opõe a quaisquer possibilidades democráticas, reforçando, assim, a existência de uma sociedade com menos vida associativa, menos atuação cívica, menos solidariedade e conseqüente vulnerabilidade e exposição aos desmandos de uma violência gratuita. Já o capítulo 04 aborda o direito à privacidade, seu marco teórico e a construção do seu conceito fundada nas doutrinas nacional e estrangeira. Focaliza, principalmente, a construção de um olhar sobre a privacidade na sociedade contemporânea, a adequação de uma visão sobre a privacidade inserida em uma sociedade de controle que seja capaz de melhor proteger este direito fundamental; a dualidade entre o público e o privado; os riscos de uma videovigilância permanente sobre a privacidade e, por fim, a dualidade entre esta e a busca pela segurança pública. Partindo do global para o local, o capítulo 05 perfaz uma análise de caso sobre o Projeto Olho Vivo BH implantado na cidade de Belo Horizonte MG. É a violência nesse grande centro urbano que gera a adoção de uma série de políticas de combate e prevenção à essa, entre elas este projeto de permanente vigilância por câmeras nas principais ruas e bairros da cidade. O estudo contempla o processo legislativo de elaboração da lei que rege o mencionado projeto, sua justificativa e seus objetivos e, ainda, os resultados por ele alcançados, aplicando a linha de raciocínio e as conclusões geradas nos capítulos anteriores sobre a análise local do Projeto Olho Vivo BH. É importante ressaltar que para o desenvolvimento do estudo sobre o mencionado projeto foram realizadas visitas, pesquisas e entrevistas periódicas junto à Polícia Militar do Estado de Minas Gerais em seu Comando do Policiamento da Capital (Belo Horizonte MG) e no Centro de Monitoramento do Projeto Olho Vivo BH.

16 15 E, ao final, o capítulo 06 desenvolve a conclusão do presente trabalho buscando teorizar toda a vivência e realidade social abordadas no texto, todo o retrato da sociedade contemporânea no aspecto da sociedade de risco e da sociedade de controle, focalizando os riscos que possivelmente uma videovigilância pode trazer para a ocupação espontânea e criativa dos espaços públicos, para a construção de um Estado Democrático de Direito e para a efetivação do direito fundamental à privacidade. É válido ressaltar, ainda, que as idéias desenvolvidas pela autora no presente trabalho, principalmente o enfoque sobre a sociedade de risco, a sociedade de controle e as conseqüências de uma videovigilância permanente sobre os indivíduos, já foram objeto de discussão e apresentação do artigo Sorria você está sendo filmado videovigilância e sociedade de controle no XVI Congresso Nacional do CONPEDI Conselho Nacional de Pesquisa e Pós- Graduação em Direito, cujo tema foi Pensar Globalmente: Agir Localmente, realizado em novembro de 2007 na cidade de Belo Horizonte MG, com a sua conseqüente publicação nos Anais do XVI Congresso Nacional do CONPEDI.

17 2 Sociedade de risco / Sociedade de controle 2.1 Sociedade de risco: violência / insegurança Vislumbrando o processo histórico brasileiro em meados da década de 80, século XX, tem-se que o processo de redemocratização e a volta ao exercício de um Poder Civil gerou grandes expectativas no tocante à efetividade da proteção aos direitos humanos e ao verdadeiro exercício de uma cidadania plena a todos os brasileiros. Prevaleceu, nesse momento, a ilusão de que o fim do regime militar, somado à reconstrução de instituições políticas e, ainda, a vitalidade dos movimentos sociais seriam fatores capazes de controlar e extinguir as incivilidades, o arbítrio e o autoritarismo com os quais a sociedade brasileira já há muito estava acostumada a conviver. A ordem constitucional democrática brasileira, no entanto, não assegurou cidadania tampouco a plenitude das práticas democráticas para grande parte da população brasileira, permitindo, ao contrário, que prevalecesse a violência física, a discriminação, a corrupção, o crescimento da criminalidade e das brutalidades policiais, os maus-tratos, a tortura e um sistema penal que acaba por centrar sua atuação na significativa maioria dos casos contra uma população pobre e miserável 1. É exatamente nessas duas últimas décadas do século XX que o discurso sobre o medo da violência 2 e do crime passa a fazer parte da vida social e política trazendo conseqüências como a legitimação das transformações das relações 1 Neste aspecto, consoante o disposto por ZALUAR (2006:210), [...] o processo de redemocratização coincidiu com a dramática transformação na organização transnacional do crime, que afetou principalmente as regiões metropolitanas e, nelas, os bairros populares e as favelas. A entrada dos cartéis colombianos e das máfias ligadas ao narcotráfico, principalmente o da cocaína, trouxe para o país as mais modernas armas de fogo, que foram distribuídas entre os jovens traficantes e aviões [...]. Além disso, segundo a mesma autora, as pessoas consequentemente ficaram [...] mais isoladas dentro de suas casas e de suas famílias devido à falta de previsibilidade e segurança, causada não só pela crise econômica e a inflação, mas também pela desconfiança, o medo e a violência. (ZALUAR, 2006:219) 2 O medo segundo MALAGUTI BATISTA (2003,20), [...] corrói a alma e a difusão deste tornase [...] mecanismo indutor e justificador de políticas autoritárias de controle social (MALAGUTI BATISTA, 2003,51)

18 17 sociais para com os espaços públicos e estruturação de padrões de segregação espacial. 3 O medo da sociedade contemporânea, segundo SOARES (2003), não é ilusório. Diferentes razões levam a um quadro nacional de insegurança extremamente grave, como por exemplo, (a) a magnitude das taxas de criminalidade e a intensidade da violência envolvida; (b) a exclusão de setores significativos da sociedade brasileira, que permanecem sem acesso aos benefícios mais elementares proporcionados pelo Estado Democrático de Direito, como liberdade de expressão e organização, e o direito trivial de ir e vir. (c) a degradação institucional a que se tem vinculado o crescimento da criminalidade: o crime se organiza, isto é, penetra cada vez mais nas instituições públicas, corrompendo-as, e as práticas policiais continuam marcadas pelos estigmas de classe, cor e sexo. (SOARES, 2003) Tais padrões de violência, crime e pânico generalizado podem ser vistos claramente neste início do século XXI, principalmente nos grandes centros urbanos, como os ataques do PCC que vitimaram São Paulo, em maio de , o brutal assassinato do menino João Hélio Fernandes na cidade do Rio de Janeiro, em fevereiro de e o terror espalhado pelas brigas de gangue pelas ruas da Savassi 6, em Belo Horizonte MG, também no início de 2007, citando poucos dos muitos exemplos reais que são, a cada dia, divulgados pelos meios de comunicação. Além disso, é importante ressaltar que a violência na sociedade contemporânea, não só nas grandes capitais brasileiras, mas em todo o mundo, se apresenta como uma realidade presente, passando a atuar como um conceito central no que tange ao entendimento de relações sócio-políticas, da vida social e cultural 7. A violência deixa de ser, como em meados da década de 70 do século 3 Ainda sobre o medo, ALVES (2007) dispõe que na era da globalização, também o medo foi difundido no seio das nações, de um modo geral, passando a participar do espetáculo diário, nos jornais e na televisão, seja nas ruas de Bagdá, nos trens de Madrid, nas escolas de Beslan ou nas favelas do Rio de Janeiro. Todos os homens temem e muitos são os motivos dos medos de hoje. Embora o medo primordial seja o medo da morte, também tememos a violência, as guerras, as doenças, o terror, o outro, o conhecido e o desconhecido. 4 DAMIANI (2006) 5 FOLHA DE SÃO PAULO. Criança morre depois de ser arrastada por carro durante assalto. 08 de fevereiro de Disponível em: Acesso em: 31 mai FURTADO (2007) 7 [...] assaltante já se tornou um nome comum e popular para o medo ambiente que assola nossos contemporâneos; e assim a presença ubíqua dos assaltantes tornou-se crível e o temor de ser assaltado, amplamente compartilhado. (BAUMAN, 2001:109)

19 18 XX, um conjunto de códigos esperados, utilizados para o alcance de uma finalidade específica. Não há mais a ligação entre ação violenta e consecução de objetivos determinados uma vez que, já na década de 90, a violência passa a se expressar sem objetivos aparentes 8. Dessa forma, a violência se generaliza sem balizamentos conhecidos, expande-se por muitos espaços da sociedade sem uma causa determinada ou aparente. E, assim, pode-se dizer que a violência hoje penetra de forma latente os meios de comunicação em massa, os espaços públicos e privados, os bairros periféricos das grandes cidades, as instituições educacionais, os transportes (DORNELLES, 1999: 42) 9, toda a vida cotidiana das sociedades contemporâneas, trazendo uma era de insegurança e de medo. Assim, segundo ZALUAR (2006, 214), [...] o crime nas ruas, especialmente o crime violento, é hoje uma das preocupações centrais das populações metropolitanas brasileiras. A generalização de imagens da cidade como um ambiente violento e os sentimentos de medo e insegurança daí decorrentes têm implicações relevantes para as novas imagens da cidade, não mais associadas à utopia liberal da liberdade e da segurança, no Rio de Janeiro ou em Nova York, nem às velhas virtudes cívicas, como civilidade, segurança, trato e confiança. As cidades têm hoje suas imagens tomadas pela deterioração da qualidade de vida urbana [...] Como resposta a tamanha e desmesurada violência, a sociedade atual não tem outra solução que não clamar pela segurança e pela paz 10, o que tem como forte exemplo o movimento Conquiste a Paz 11 lançado em ato público na Praça 8 Em qualquer pesquisa de opinião pública realizada atualmente no país, o quesito segurança recebe a maior votação, o que mostra que a população brasileira está não só preocupada, mas angustiada com o problema que, se antes ficava restrito aos becos das favelas e aglomerados e à periferia menos assistida pelo poder público, hoje já bate à porta de quem vive até mesmo em pequenos municípios e no meio rural, independentemente de classe social ou poder aquisitivo. A criminalidade e a violência - muitas vezes, gratuita estão tornando a vida uma mercadoria que se leiloa ao bel-prazer da bandidagem. (ESTADO DE MINAS. Conquiste a Paz. Belo Horizonte, n , p. 1, 03 jun ) 9 DORNELLES (1999) 10 Afirmações mais desesperadas, pedindo por socorro, exigindo medidas imediatas para terminar com a situação de insegurança, encontram-se na seção de cartas dos leitores de jornais, em geral pessoas da classe média que vivem atrás das grades de suas casas e condomínios ou dos vidros fechados de seus carros, mas não escapam das balas perdidas nem dos assaltos à mão armada. (ZALUAR, 2006:216) 11 Conquiste a Paz. Atitude, já! Executivos da indústria e do comércio de mãos dados com educadores, religiosos, artistas, esportistas, intelectuais, profissionais liberais e trabalhadores. Enfim, toda a sociedade estará representada hoje, na Praça do Papa, no ato público que marca o lançamento da campanha Conquiste a Paz, promovida pelos Associados Minas Estado de Minas, TV Alterosa, Rádio Guarani, Portal UAI, Diário da Tarde, Aqui, Teatro Alterosa e Alterosa Cinevídeo. É o marco de uma atitude arrojada contra os níveis intoleráveis da violência e da corrupção. O movimento, sem data para terminar, parte de mudanças na cobertura da

20 19 do Papa, em Belo Horizonte MG, pelos Associados Minas, em data de 17 de junho de 2007, com a seguinte preocupação: No dia-a-dia do país, a questão da segurança pública ocupa amplo espaço na cartilha que trata da qualidade de vida da população. No espectro social desenhado hoje, a violência que traz no seu bojo a banalização da vida assusta até mesmo os mais experientes policiais, levando a todos inconformismo, revolta e clamor de justiça. Diariamente, a mídia registra crimes de todas as estirpes, atos bruscos e fatos em que se sobressaem a agressão ao direito de ir e vir e às pessoas de viverem em paz. 12 (ESTADO DE MINAS) O exemplo não é o único. Em Brasília, no primeiro semestre de 2007, a ONG Rio de Paz, fundada no início do ano de 2007, logo após os ataques do crime organizado que assolaram a cidade do Rio de Janeiro deixando 19 mortos 13, realizou um protesto silencioso pendurando 15 milhões de lenços na Esplanada dos Ministérios. No gramado em frente ao Congresso Nacional, cada pedaço de pano branco simbolizava a morte de uma pessoa assassinada no Brasil, nos primeiros quatro meses do ano. Além desse, a ONG Rio de Paz já realizou outros protestos de grande repercussão, colocando 700 cruzes na praia de Copacabana, na zona sul da cidade do Rio de Janeiro, mil corpos no calçadão e, ainda, 1,3 mil rosas enterradas na areia dessa mesma praia. 14 Assim, no limiar entre o século XX e o XXI, o medo não se reduz a uma mera conseqüência deplorável da radicalização da ordem econômica, mas pode sim ser visto como um projeto estético, que entra pelos olhos, pelos ouvidos e pelo coração. (MALAGUTI BATISTA, 2003:75) E é esse medo, que atinge a sociedade contemporânea e que a consolida como uma sociedade de risco, que faz com que esta, conhecida como a sociedade da tecnologia, a sociedade da informação 15, acabe lançando mão de todo um criminalidade e vai dar suporte à população na reivindicação de programas concretos de combate ao crime, para devolver às praças e ruas sua destinação cidadã e para que Minas volte a respirar sem medo (...) (ESTADO DE MINAS. Conquiste a Paz. Belo Horizonte, 17 jun Caderno Gerais. p. 25.) 12 ESTADO DE MINAS. Conquiste a Paz. Belo Horizonte, n , p. 1, 17 jun De acordo com SALLES (2007), (...) a segurança pública no Rio de Janeiro voltou a ser discutida nacionalmente na virada do ano, quando dezenove pessoas morreram e dezesseis ônibus foram incendiados em ataques atribuídos a traficantes. Também foram alvejadas cabines da Polícia Militar e delegacias de Polícia. (...) 14 MARIZ, Renata. Protesto silencioso pela paz ONG pendura 15 mil lenços na Esplanada dos Ministérios. Estado de Minas, Belo Horizonte, 31 mai Nacional. p Segundo GIDDENS (1991:11), [...] no final do século XX, muita gente argumenta que estamos no limiar de uma nova era, a qual as ciências sociais devem responder e que está nos levando para além da modernidade. Uma estonteante variedade de termos tem sido sugerida para esta transição,

Voluntariado nas Organizações de Terceiro Setor Marisa Seoane Rio Resende *

Voluntariado nas Organizações de Terceiro Setor Marisa Seoane Rio Resende * Voluntariado nas Organizações de Terceiro Setor Marisa Seoane Rio Resende * Voluntariado é a expressão da participação da sociedade na vida pública mais significativa da atualidade. Os movimentos de participação

Leia mais

Marcelle Machado de Souza

Marcelle Machado de Souza Marcelle Machado de Souza SORRIA VOCÊ ESTÁ SENDO FILMADO: a consolidação de uma sociedade de controle sobre o direito fundamental à privacidade e sobre as formas de interação espontânea e participação

Leia mais

SORRIA VOCÊ ESTÁ SENDO FILMADO: VIDEOVIGILÂNCIA E SOCIEDADE DE CONTROLE

SORRIA VOCÊ ESTÁ SENDO FILMADO: VIDEOVIGILÂNCIA E SOCIEDADE DE CONTROLE SORRIA VOCÊ ESTÁ SENDO FILMADO: VIDEOVIGILÂNCIA E SOCIEDADE DE CONTROLE Marcelle Machado de Souza RESUMO O presente estudo busca demonstrar que em decorrência da crescente violência que assola a sociedade

Leia mais

6. Considerações finais

6. Considerações finais 84 6. Considerações finais Nesta dissertação, encontram-se registros de mudanças sociais que influenciaram as vidas de homens e mulheres a partir da chegada das novas tecnologias. Partiu-se da Revolução

Leia mais

Centro de Altos Estudos de Segurança (CAES) da Polícia Militar do Estado de São Paulo DOUTORADO DA PM. Frei David Santos, OFM - out de 2012

Centro de Altos Estudos de Segurança (CAES) da Polícia Militar do Estado de São Paulo DOUTORADO DA PM. Frei David Santos, OFM - out de 2012 Centro de Altos Estudos de Segurança (CAES) da Polícia Militar do Estado de São Paulo DOUTORADO DA PM Frei David Santos, OFM - out de 2012 Dados disponibilizados pelo Sistema de Informações sobre Mortalidade

Leia mais

Como a comunicação e a educação podem andar de mãos dadas 1

Como a comunicação e a educação podem andar de mãos dadas 1 Como a comunicação e a educação podem andar de mãos dadas 1 Entrevista com Ricardo de Paiva e Souza. Por Flávia Gomes. 2 Flávia Gomes Você acha importante o uso de meios de comunicação na escola? RICARDO

Leia mais

VIOLÊNCIA GERA VIOLÊNCIA E DO CONTRÁRIO GENTILEZA GERA GENTILEZA

VIOLÊNCIA GERA VIOLÊNCIA E DO CONTRÁRIO GENTILEZA GERA GENTILEZA ESCOLA MUNICIPAL DE ENSINO FUNDAMENTAL CALDAS JUNIOR SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE NOVO HAMBURGO VIOLÊNCIA GERA VIOLÊNCIA E DO CONTRÁRIO GENTILEZA GERA GENTILEZA Professoras: Jane Engel Correa Patrícia

Leia mais

O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas

O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas O advento das mídias sociais digitais e o mercado de trabalho para o profissional de relações públicas Julie Caroline de Alcântara Universidade do Sagrado Coração, Bauru/SP E-mail: juliealcantara.31@gmail.com

Leia mais

Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos. Quem sou eu? Dinâmica de Apresentação para Grupo de Jovens

Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos. Quem sou eu? Dinâmica de Apresentação para Grupo de Jovens Disponível no site Esoterikha.com: http://bit.ly/dinamicas-para-jovens Dinâmicas para Jovens - Brincadeiras para Jovens Atividades para grupos As dinâmicas de grupo já fazem parte do cotidiano empresarial,

Leia mais

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL

PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL Relatório Analítico PESQUISA DE OPINIÃO PÚBLICA NACIONAL PESQUISA SOBRE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A MULHER DATASENADO SECS PESQUISA SOBRE VIOLÊNCIA DOMÉSTICA CONTRA A MULHER Há dois anos, o DataSenado

Leia mais

Mensuração do Desempenho do Gerenciamento de Portfólio de Projetos: Proposta de Modelo Conceitual

Mensuração do Desempenho do Gerenciamento de Portfólio de Projetos: Proposta de Modelo Conceitual Pedro Bruno Barros de Souza Mensuração do Desempenho do Gerenciamento de Portfólio de Projetos: Proposta de Modelo Conceitual Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pósgraduação

Leia mais

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM

8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM CORRENTES DO PENSAMENTO DIDÁTICO 8. O OBJETO DE ESTUDO DA DIDÁTICA: O PROCESSO ENSINO APRENDIZAGEM Se você procurar no dicionário Aurélio, didática, encontrará o termo como feminino substantivado de didático.

Leia mais

Edson Alves Chaves O USO DA INTERNET NA DIVULGAÇÃO DO TRABALHO PARLAMENTAR

Edson Alves Chaves O USO DA INTERNET NA DIVULGAÇÃO DO TRABALHO PARLAMENTAR Edson Alves Chaves O USO DA INTERNET NA DIVULGAÇÃO DO TRABALHO PARLAMENTAR Projeto de pesquisa apresentado ao Programa de Pós- Graduação do CEFOR como parte das exigências do curso de Especialização em

Leia mais

Estimados colegas representantes dos países membros do Fórum das Federações, Embaixadores e delegados

Estimados colegas representantes dos países membros do Fórum das Federações, Embaixadores e delegados PRESIDENCIA DA REPÚBLICA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS SUBCHEFIA DE ASSUNTOS FEDERATIVOS Assunto: DISCURSO DO EXMO. SUBCHEFE DE ASSUNTOS FEDERATIVOS DA SECRETARIA DE RELAÇÕES INSTITUCIONAIS DA

Leia mais

USANDO A REDE SOCIAL (FACEBOOK) COMO FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM

USANDO A REDE SOCIAL (FACEBOOK) COMO FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM Introdução USANDO A REDE SOCIAL (FACEBOOK) COMO FERRAMENTA DE APRENDIZAGEM Paula Priscila Gomes do Nascimento Pina EEEFM José Soares de Carvalho EEEFM Agenor Clemente dos Santos paulapgnascimento@yahoo.com.br

Leia mais

PANOPTISMO: SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, A CIDADE VIGIADA, NA ÓTICA OFICAL

PANOPTISMO: SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, A CIDADE VIGIADA, NA ÓTICA OFICAL PANOPTISMO: SÃO JOSÉ DOS CAMPOS, A CIDADE VIGIADA, NA ÓTICA OFICAL MACEDO¹, Diego; ANDRADE¹, Daniel; DÓRIA¹, Vinícius; GASPARETO¹, Darci. Orientador Prof. MSc RIBEIRO¹, Gilson. ¹Universidade do Vale do

Leia mais

Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental

Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental Alunos de 6º ao 9 anos do Ensino Fundamental Resumo Este projeto propõe a discussão da Década de Ações para a Segurança no Trânsito e a relação dessa com o cotidiano dos alunos, considerando como a prática

Leia mais

o pensar e fazer educação em saúde 12

o pensar e fazer educação em saúde 12 SUMÁRIO l' Carta às educadoras e aos educadores.................5 Que história é essa de saúde na escola................ 6 Uma outra realidade é possível....... 7 Uma escola comprometida com a realidade...

Leia mais

A INICIATIVA QUE VAI LEVAR SEGURANÇA, CONHECIMENTO E BEM-ESTAR À SUA CIDADE

A INICIATIVA QUE VAI LEVAR SEGURANÇA, CONHECIMENTO E BEM-ESTAR À SUA CIDADE A INICIATIVA QUE VAI LEVAR SEGURANÇA, CONHECIMENTO E BEM-ESTAR À SUA CIDADE APRESENTAÇÃO SEGURANÇA UM DIREITO DE TODOS Conviver em segurança é um direito de todos e é dever do poder público garanti-lo.

Leia mais

MEIO AMBIENTE E VIDA TEXTO PARA A CAMINHADA DE CORPUS CRISTI A VIDA AMEAÇADA...

MEIO AMBIENTE E VIDA TEXTO PARA A CAMINHADA DE CORPUS CRISTI A VIDA AMEAÇADA... MEIO AMBIENTE E VIDA TEXTO PARA A CAMINHADA DE CORPUS CRISTI Daniel Cenci A VIDA AMEAÇADA... A vida é sempre feita de escolhas. A qualidade de vida resulta das escolhas que fazemos a cada dia. É assim

Leia mais

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 2 Liderança e Comunidade

Organizando Voluntariado na Escola. Aula 2 Liderança e Comunidade Organizando Voluntariado na Escola Aula 2 Liderança e Comunidade Objetivos 1 Entender o que é liderança. 2 Conhecer quais as características de um líder. 3 Compreender os conceitos de comunidade. 4 Aprender

Leia mais

AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO

AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO AS NOVAS TECNOLOGIAS DA INFORMAÇÃO NUMA SOCIEDADE EM TRANSIÇÃO MÁRCIA MARIA PALHARES (márcia.palhares@uniube.br) RACHEL INÊS DA SILVA (bcpt2@uniube.br)

Leia mais

O papel da mulher na construção de uma sociedade sustentável

O papel da mulher na construção de uma sociedade sustentável O papel da mulher na construção de uma sociedade sustentável Sustentabilidade Socioambiental Resistência à pobreza Desenvolvimento Saúde/Segurança alimentar Saneamento básico Educação Habitação Lazer Trabalho/

Leia mais

Uma Análise de Práticas na Aplicação de SCRUM em Projetos de Grande Porte

Uma Análise de Práticas na Aplicação de SCRUM em Projetos de Grande Porte Evandro Oliveira das Flores Uma Análise de Práticas na Aplicação de SCRUM em Projetos de Grande Porte Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para a obtenção do grau de Mestre

Leia mais

7º ano - Criação e percepção - de si, do outro e do mundo

7º ano - Criação e percepção - de si, do outro e do mundo RELATÓRIO DE ARTES 1º Semestre/2015 Turma: 7º ano Professora: Mirna Rolim Coordenação pedagógica: Maria Aparecida de Lima Leme 7º ano - Criação e percepção - de si, do outro e do mundo Sinto que o 7º ano

Leia mais

SEMANA 3 A CONTRIBUIÇAO DOS ESTUDOS DE GÊNERO

SEMANA 3 A CONTRIBUIÇAO DOS ESTUDOS DE GÊNERO SEMANA 3 A CONTRIBUIÇAO DOS ESTUDOS DE GÊNERO Autor (unidade 1 e 2): Prof. Dr. Emerson Izidoro dos Santos Colaboração: Paula Teixeira Araujo, Bernardo Gonzalez Cepeda Alvarez, Lívia Sousa Anjos Objetivos:

Leia mais

2 - Sabemos que a educação à distância vem ocupando um importante espaço no mundo educacional. Como podemos identificar o Brasil nesse contexto?

2 - Sabemos que a educação à distância vem ocupando um importante espaço no mundo educacional. Como podemos identificar o Brasil nesse contexto? A EDUCAÇÃO À DISTÂNCIA E O FUTURO Arnaldo Niskier 1 - Qual a relação existente entre as transformações do mundo educacional e profissional e a educação à distância? A educação à distância pressupõe uma

Leia mais

1 Introdução. 1.1 A Nova Era Digital

1 Introdução. 1.1 A Nova Era Digital 11 1 Introdução Com o advento da nova era da internet, conhecida com web 2.0, e o avanço das tecnologias digitais, o consumidor passa a ter maior acesso à informação bem como à facilidade de expressar

Leia mais

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA

PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PLANO DE AÇÃO FÓRUM DO MUNICÍPIO QUE EDUCA PROPOSTA DE AÇÃO Criar um fórum permanente onde representantes dos vários segmentos do poder público e da sociedade civil atuem juntos em busca de uma educação

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM POLÍTICAS PÚBLICAS, ESTRATÉGIAS E DESENVOLVIMENTO

PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM POLÍTICAS PÚBLICAS, ESTRATÉGIAS E DESENVOLVIMENTO PROGRAMA DE PÓS GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM POLÍTICAS PÚBLICAS, ESTRATÉGIAS E DESENVOLVIMENTO LINHA DE PESQUISA: POLÍTICAS PÚBLICAS DE CULTURA JUSTIFICATIVA O campo de pesquisa em Políticas Públicas de

Leia mais

coleção Conversas #6 Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça.

coleção Conversas #6 Respostas que podem estar passando para algumas perguntas pela sua cabeça. coleção Conversas #6 Eu Posso com a s fazer próprias justiça mãos? Respostas para algumas perguntas que podem estar passando pela sua cabeça. A Coleção CONVERSAS da Editora AfroReggae nasceu com o desejo

Leia mais

integridade da administração pública

integridade da administração pública integridade da administração pública transparência, probidade, acesso à informação, combate à corrupção são paulo, 23 à 27 de março de 2015 fonte da ilustração: http://www.joincube.com fonte da ilustração:

Leia mais

Terceira Idade: Perfil de uso do cartão de crédito

Terceira Idade: Perfil de uso do cartão de crédito Elias Dias Lopes Filho Terceira Idade: Perfil de uso do cartão de crédito Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada ao Programa de Pósgraduação em Administração de Empresas da PUC- Rio como requisito

Leia mais

Reflexão e fundamento: a validade universal do juízo de gosto na estética de Kant

Reflexão e fundamento: a validade universal do juízo de gosto na estética de Kant Júlia Casamasso Mattoso Reflexão e fundamento: a validade universal do juízo de gosto na estética de Kant DISSERTAÇÃO DE MESTRADO DEPARTAMENTO DE FILOSOFIA Programa de Pós-graduação em Filosofia Júlia

Leia mais

Participação política na internet: o caso do website Vote na web

Participação política na internet: o caso do website Vote na web Participação política na internet: o caso do website Vote na web Lívia Cadete da Silva 1 Lucas Arantes Zanetti 2 Orientadora: Caroline Kraus Luvizotto 3 Universidade Estadual Paulista, Bauru, SP RESUMO

Leia mais

Guia de como elaborar um Projeto de Documentário

Guia de como elaborar um Projeto de Documentário Guia de como elaborar um Projeto de Documentário Prof. Dr. Cássio Tomaim Departamento de Ciências da Comunicação Universidade Federal de Santa Maria (UFSM)/Cesnors Adaptação: Prof. Claudio Luiz Fernandes

Leia mais

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES

OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES OS DOZE TRABALHOS DE HÉRCULES Introdução ao tema A importância da mitologia grega para a civilização ocidental é tão grande que, mesmo depois de séculos, ela continua presente no nosso imaginário. Muitas

Leia mais

Rompendo os muros escolares: ética, cidadania e comunidade 1

Rompendo os muros escolares: ética, cidadania e comunidade 1 PROGRAMA ÉTICA E CIDADANIA construindo valores na escola e na sociedade Rompendo os muros escolares: ética, cidadania e comunidade 1 Ulisses F. Araújo 2 A construção de um ambiente ético que ultrapasse

Leia mais

Campanha "Está Provado por A+B arma não é brinquedo"

Campanha Está Provado por A+B arma não é brinquedo Campanha "Está Provado por A+B arma não é brinquedo" Mostra Local de: Londrina Categoria do projeto: I Projetos em Andamento (projetos em execução atualmente) Nome da Instituição/Empresa: "Participo do

Leia mais

CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA

CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA Fundação Carlos Chagas Difusão de Idéias novembro/2011 página 1 CURSOS PRECISAM PREPARAR PARA A DOCÊNCIA Elba Siqueira de Sá Barretto: Os cursos de Pedagogia costumam ser muito genéricos e falta-lhes um

Leia mais

SÉRIES INDICADAS 8.º e 9.º ano do Ensino Fundamental e Ensino Médio.

SÉRIES INDICADAS 8.º e 9.º ano do Ensino Fundamental e Ensino Médio. SÉRIES INDICADAS 8.º e 9.º ano do Ensino Fundamental e Ensino Médio. RESUMO Nós, jovens brasileiros, é uma continuidade do conhecido Este jovem brasileiro, sucesso do portal por 6 edições consecutivas.

Leia mais

InfoReggae - Edição 32 Inclusão Digital 11 de abril de 2014. Coordenador Executivo José Júnior

InfoReggae - Edição 32 Inclusão Digital 11 de abril de 2014. Coordenador Executivo José Júnior O Grupo Cultural AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura e da arte, desperta potencialidades artísticas que elevam a autoestima de jovens das camadas populares.

Leia mais

Jornada de Aprendizado. Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg)

Jornada de Aprendizado. Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg) Jornada de Aprendizado Confederação Nacional das Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNseg) Promovendo os microsseguros: Educação Financeira Conteúdo

Leia mais

No modo de produção escravista os trabalhadores recebiam salários muito baixos.

No modo de produção escravista os trabalhadores recebiam salários muito baixos. Atividade extra Fascículo 2 Sociologia Unidade 3 Questão 1 Leia com atenção o texto de Paul Lovejoy sobre escravidão: Enquanto propriedade, os escravos eram bens móveis: o que significa dizer que eles

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 21 Discurso na cerimónia de instalação

Leia mais

ANEXO 01. CURSO: Tecnólogo em Segurança Pública e Social UFF

ANEXO 01. CURSO: Tecnólogo em Segurança Pública e Social UFF ANEXO 01 CURSO: Tecnólogo em e Social UFF SELEÇÃO DE VAGAS REMANESCENTES DISCIPLINAS / FUNÇÕES - PROGRAMAS / ATIVIDADES - PERFIS DOS CANDIDATOS - NÚMEROS DE VAGAS DISCIPLINA/FUNÇÃO PROGRAMA/ATIVIDADES

Leia mais

CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda

CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda CURSO e COLÉGIO ESPECÍFICO Ltda www.especifico.com.br DISCIPLINA : Sociologia PROF: Waldenir do Prado DATA:06/02/2012 O que é Sociologia? Estudo objetivo das relações que surgem e se reproduzem, especificamente,

Leia mais

ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA

ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA ENSINAR CIÊNCIAS FAZENDO CIÊNCIA Antonio Carlos Pavão Quero saber quantas estrelas tem no céu Quero saber quantos peixes tem no mar Quero saber quantos raios tem o sol... (Da canção de João da Guabiraba

Leia mais

MÍDIA E VIOLÊNCIA COMO OS JORNAIS RETRATAM A VIOLÊNCIA E A SEGURANÇA PÚBLICA NA BAIXADA FLUMINENSE. Silvia Ramos

MÍDIA E VIOLÊNCIA COMO OS JORNAIS RETRATAM A VIOLÊNCIA E A SEGURANÇA PÚBLICA NA BAIXADA FLUMINENSE. Silvia Ramos MÍDIA E VIOLÊNCIA COMO OS JORNAIS RETRATAM A VIOLÊNCIA E A SEGURANÇA PÚBLICA NA BAIXADA FLUMINENSE Silvia Ramos A pesquisa mídia e violência O Centro de Estudos de Segurança e Cidadania da Universidade

Leia mais

Sumário. I. Apresentação do Manual. II. A Prevenção de Acidentes com Crianças. III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre

Sumário. I. Apresentação do Manual. II. A Prevenção de Acidentes com Crianças. III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre Sumário I. Apresentação do Manual II. A Prevenção de Acidentes com Crianças III. Programa CRIANÇA SEGURA Pedestre IV. Como a Educação pode contribuir para a Prevenção de Acidentes no Trânsito V. Dados

Leia mais

REVISTA JUVENTUDE E MEIO AMBIENTE

REVISTA JUVENTUDE E MEIO AMBIENTE CHAMADA PÚBLICA 1ª EDIÇÃO DA REVISTA JUVENTUDE E MEIO AMBIENTE CONSELHO NACIONAL DE JUVENTUDE SECRETARIA NACIONAL DE JUVENTUDE MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE 1. Apresentação da Chamada: A Revista Juventude

Leia mais

Utilização das redes sociais e suas repercussões

Utilização das redes sociais e suas repercussões Utilização das redes sociais e suas repercussões O papel da escola : @ Orientação aos professores, alunos e pais @ Acompanhamento de situações que repercutem na escola @ Atendimento e orientação a pais

Leia mais

A criança e as mídias

A criança e as mídias 34 A criança e as mídias - João, vá dormir, já está ficando tarde!!! - Pera aí, mãe, só mais um pouquinho! - Tá na hora de criança dormir! - Mas o desenho já tá acabando... só mais um pouquinho... - Tá

Leia mais

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA!

QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! QUANDO TODO MUNDO JOGA JUNTO, TODO MUNDO GANHA! NOSSA VISÃO Um mundo mais justo, onde todas as crianças e todos os adolescentes brincam, praticam esportes e se divertem de forma segura e inclusiva. NOSSO

Leia mais

Metodologia. MARGEM DE ERRO O intervalo de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

Metodologia. MARGEM DE ERRO O intervalo de confiança estimado é de 95% e a margem de erro máxima é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos. Metodologia COLETA Entrevistas domiciliares com questionário estruturado. LOCAL DA PESQUISA Município de São Paulo. UNIVERSO moradores de 16 anos ou mais. PERÍODO DE CAMPO de 26 de setembro a 1º de outubro

Leia mais

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4

Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Guia do Educador CARO EDUCADOR ORIENTADOR Sumário 1. CARO EDUCADOR ORIENTADOR 3 2. PARCEIROS VOLUNTÁRIOS 3 3. TRIBOS NAS TRILHAS DA CIDADANIA 4 Objetivo GERAL 5 METODOLOGIA 5 A QUEM SE DESTINA? 6 O QUE

Leia mais

Cartilha de Prevenção Orientações para o combate à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes

Cartilha de Prevenção Orientações para o combate à Violência Sexual contra Crianças e Adolescentes Art. 5º Nenhuma criança ou adolescente será objeto de qualquer forma de negligência, discriminação, exploração, violência, crueldade e opressão, punido na forma da lei qualquer atentado, por ação ou omissão,

Leia mais

VOLUNTARIADO E CIDADANIA

VOLUNTARIADO E CIDADANIA VOLUNTARIADO E CIDADANIA Voluntariado e cidadania Por Maria José Ritta Presidente da Comissão Nacional do Ano Internacional do Voluntário (2001) Existe em Portugal um número crescente de mulheres e de

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA DA PÓS-GRADUAÇÃO: ESTUDO DE INDICADORES

DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA DA PÓS-GRADUAÇÃO: ESTUDO DE INDICADORES DISTRIBUIÇÃO GEOGRÁFICA DA PÓS-GRADUAÇÃO: ESTUDO DE INDICADORES Maria Helena Machado de Moraes - FURG 1 Danilo Giroldo - FURG 2 Resumo: É visível a necessidade de expansão da Pós-Graduação no Brasil, assim

Leia mais

Condições de vida das pessoas com deficiência no Brasil

Condições de vida das pessoas com deficiência no Brasil Condições de vida das pessoas com deficiência no Brasil Relatório de Pesquisa de Opinião Pública Nacional Metodologia Pesquisa de opinião pública tipo quantitativa Universo: Cadastro de pessoas do IBDD

Leia mais

CONGRESSO CARIOCA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º FEP RJ ABERTURA DO FÓRUM: CONTEXTO GERAL DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR

CONGRESSO CARIOCA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º FEP RJ ABERTURA DO FÓRUM: CONTEXTO GERAL DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR CONGRESSO CARIOCA DE EDUCAÇÃO FÍSICA 2º FEP RJ ABERTURA DO FÓRUM: CONTEXTO GERAL DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR Acreditamos ser relevante abordar de forma rápida o contexto atual da Educação Física Escolar

Leia mais

ACS Assessoria de Comunicação Social

ACS Assessoria de Comunicação Social DISCURSO DO MINISTRO DA EDUCAÇÃO, HENRIQUE PAIM Brasília, 3 de fevereiro de 2014 Hoje é um dia muito especial para mim. É um dia marcante em uma trajetória dedicada à gestão pública ao longo de vários

Leia mais

COMO FORMATAR MONOGRAFIA E TCC

COMO FORMATAR MONOGRAFIA E TCC TEXTO COMPLEMENTAR AULA 2 (15/08/2011) CURSO: Serviço Social DISCIPLINA: ORIENTAÇÕES DE TCC II - 8º Período - Turma 2008 PROFESSORA: Eva Ferreira de Carvalho Caro acadêmico, na Aula 2, você estudará Áreas

Leia mais

Direito Humano à Alimentação Adequada: um tema fora de pauta no Parlamento?

Direito Humano à Alimentação Adequada: um tema fora de pauta no Parlamento? ANA LÚCIA ALVES Direito Humano à Alimentação Adequada: um tema fora de pauta no Parlamento? Projeto de pesquisa apresentado ao Programa de Pós-Graduação do Cefor como parte das exigências do curso de Especialização

Leia mais

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação

Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Presidência da República Casa Civil Secretaria de Administração Diretoria de Gestão de Pessoas Coordenação Geral de Documentação e Informação Coordenação de Biblioteca 49 Discurso no encontro com grupo

Leia mais

SEGURANÇA AO ALCANCE DE TODOS

SEGURANÇA AO ALCANCE DE TODOS SEGURANÇA AO ALCANCE DE TODOS TECNOLOGIA A SERVIÇO DA SEGURANÇA O Helper é um sistema inovador que utiliza tecnologia para promover o bem-estar das pessoas, contribuindo para a gestão da segurança pública

Leia mais

Para a grande maioria das. fazer o que desejo fazer, ou o que eu tenho vontade, sem sentir nenhum tipo de peso ou condenação por aquilo.

Para a grande maioria das. fazer o que desejo fazer, ou o que eu tenho vontade, sem sentir nenhum tipo de peso ou condenação por aquilo. Sonhos Pessoas Para a grande maioria das pessoas, LIBERDADE é poder fazer o que desejo fazer, ou o que eu tenho vontade, sem sentir nenhum tipo de peso ou condenação por aquilo. Trecho da música: Ilegal,

Leia mais

SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO E ASSISTÊNCIA SOCIAL - SEDAS GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO, PROJETOS E CAPACITAÇÃO TEXTO I

SECRETARIA EXECUTIVA DE DESENVOLVIMENTO E ASSISTÊNCIA SOCIAL - SEDAS GERÊNCIA DE PLANEJAMENTO, PROJETOS E CAPACITAÇÃO TEXTO I TEXTO I Igualdade de Gênero no Enfrentamento à Violência Contra a Mulher As desigualdades são sentidas de formas diferentes pelas pessoas dependendo do seu envolvimento com a questão. As mulheres sentem

Leia mais

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política

Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política Como usar o monitoramento de mídias sociais numa campanha política No Brasil, há poucas experiências conhecidas de uso de ferramentas de monitoramento de mídias sociais em campanhas políticas. Uma delas

Leia mais

Educação a Distância: uma alternativa para a UFBA? Introdução

Educação a Distância: uma alternativa para a UFBA? Introdução Educação a Distância: uma alternativa para a UFBA? Nicia Cristina Rocha Riccio nicia@ufba.br Introdução Com o advento das tecnologias de informação e comunicação (TICs) a Educação a Distância (EAD) ganha

Leia mais

Crianças e adolescentes. Lucas 18:15.17

Crianças e adolescentes. Lucas 18:15.17 Crianças e adolescentes Lucas 18:15.17 Quem tem ensinado as nossas crianças? Nós ou Eles? Jogos eletrônicos Os jogos eletrônicos hoje em dia, cada vez mais próximo da realidade, que incitam a violência,

Leia mais

SUBCOMISSÃO PERMANENTE DE SEGURANÇA PÚBLICA Comissão de Constituição e Justiça - SENADO FEDERAL PLANO DE TRABALHO

SUBCOMISSÃO PERMANENTE DE SEGURANÇA PÚBLICA Comissão de Constituição e Justiça - SENADO FEDERAL PLANO DE TRABALHO SUBCOMISSÃO PERMANENTE DE SEGURANÇA PÚBLICA Comissão de Constituição e Justiça - SENADO FEDERAL PLANO DE TRABALHO 1. Contextualização e finalidades A violência, a falta de segurança e o medo da criminalidade

Leia mais

Patrocínio Institucional Parceria Apoio

Patrocínio Institucional Parceria Apoio Patrocínio Institucional Parceria Apoio InfoReggae - Edição 71 A Gestão Social no Brasil 13 de Fevereiro de 2015 O Grupo AfroReggae é uma organização que luta pela transformação social e, através da cultura

Leia mais

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO Curso Pedagogia Departamento de Educação: Formação Docente, Gestão e Tecnologias.

PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO Curso Pedagogia Departamento de Educação: Formação Docente, Gestão e Tecnologias. PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO FACULDADE DE EDUCAÇÃO Curso Pedagogia Departamento de Educação: Formação Docente, Gestão e Tecnologias. A INCLUSÃO DA CRIANÇA COM SINDROME DE DOWN E SEU PROCESSO

Leia mais

Manter se limpo na rua

Manter se limpo na rua Manter se limpo na rua Tradução de literatura aprovada pela Irmandade de NA. Copyright 1993 by Narcotics Anonymous World Services, Inc. Todos os direitos reservados Muitos de nós tiveram o primeiro contato

Leia mais

RIO DE JANEIRO 2015. Anteprojeto de lei de proteção de dados pessoais/ Contribuição do ITS para o debate público

RIO DE JANEIRO 2015. Anteprojeto de lei de proteção de dados pessoais/ Contribuição do ITS para o debate público RIO DE JANEIRO 2015 Anteprojeto de lei de proteção de dados pessoais/ Contribuição do ITS para o debate público APL DE DADOS Resumo Esta é uma contribuição do ITS ao debate público sobre o anteprojeto

Leia mais

Lucas Arantes Zanetti 1 Lívia Cadete da Silva 2 Orientadora: Caroline Kraus Luvizotto 3 Universidade Estadual Paulista, Bauru, SP

Lucas Arantes Zanetti 1 Lívia Cadete da Silva 2 Orientadora: Caroline Kraus Luvizotto 3 Universidade Estadual Paulista, Bauru, SP Movimentos sociais e internet: uma análise sobre as manifestações de 2013 no Brasil Lucas Arantes Zanetti 1 Lívia Cadete da Silva 2 Orientadora: Caroline Kraus Luvizotto 3 Universidade Estadual Paulista,

Leia mais

Brasileiro faz plano de banda larga dos EUA

Brasileiro faz plano de banda larga dos EUA Brasileiro faz plano de banda larga dos EUA 4 de outubro de 2009 O brasileiro Carlos Kirjner, nomeado pelo presidente Barack Obama para o cargo de conselheiro do diretor-geral da Comissão Federal de Comunicações

Leia mais

Débora Cristina Mota Buere Xavier. A EXTENSÃO DO DIREITO DE VISITA COM BASE NO AFETO: dignidade da pessoa humana e garantia de convivência familiar

Débora Cristina Mota Buere Xavier. A EXTENSÃO DO DIREITO DE VISITA COM BASE NO AFETO: dignidade da pessoa humana e garantia de convivência familiar Débora Cristina Mota Buere Xavier A EXTENSÃO DO DIREITO DE VISITA COM BASE NO AFETO: dignidade da pessoa humana e garantia de convivência familiar DISSERTAÇÃO DE MESTRADO DEPARTAMENTO DE DIREITO Programa

Leia mais

Módulo 1. Introdução. 1.1 O que é EAD?

Módulo 1. Introdução. 1.1 O que é EAD? Módulo 1. Introdução Cada vez mais o mundo social e do trabalho necessitam de sujeitos capazes de fazer a diferença através de suas ações e atitudes. A utilização do ambiente virtual, como meio de interação

Leia mais

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática

Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Pesquisa com Professores de Escolas e com Alunos da Graduação em Matemática Rene Baltazar Introdução Serão abordados, neste trabalho, significados e características de Professor Pesquisador e as conseqüências,

Leia mais

LEITURAS DO MEDO: As notícias sobre violência e sua relação com o aumento do sentimento de insegurança.

LEITURAS DO MEDO: As notícias sobre violência e sua relação com o aumento do sentimento de insegurança. LEITURAS DO MEDO: As notícias sobre violência e sua relação com o aumento do sentimento de insegurança. Jaquelaine SOUSA 1 Dalva Borges de SOUZA 2 Programa de Pós-Graduação em Sociologia/Faculdade de Ciências

Leia mais

Cinthia Monteiro de Araújo. Formando sujeitos: as alianças entre o ensino de História e a Educação em Direitos Humanos. Dissertação de Mestrado

Cinthia Monteiro de Araújo. Formando sujeitos: as alianças entre o ensino de História e a Educação em Direitos Humanos. Dissertação de Mestrado Cinthia Monteiro de Araújo Formando sujeitos: as alianças entre o ensino de História e a Educação em Direitos Humanos Dissertação de Mestrado Dissertação apresentada como requisito parcial para obtenção

Leia mais

DISCURSO DE POSSE DA VICE-REITORA DA UNEB, ADRIANA DOS SANTOS MARMORI LIMA

DISCURSO DE POSSE DA VICE-REITORA DA UNEB, ADRIANA DOS SANTOS MARMORI LIMA DISCURSO DE POSSE DA VICE-REITORA DA UNEB, ADRIANA DOS SANTOS MARMORI LIMA Familiares, amigos, técnicos administrativos, estudantes, professores, grupo gestor da UNEB, autoridades civis, militares, políticas

Leia mais

EDUCAÇÃO FÍSICA PARA PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS (PNEE): construindo a autonomia na escola

EDUCAÇÃO FÍSICA PARA PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS (PNEE): construindo a autonomia na escola EDUCAÇÃO FÍSICA PARA PORTADORES DE NECESSIDADES ESPECIAIS (PNEE): construindo a autonomia na escola Autora: CAMILA SOUZA VIEIRA Introdução A presente pesquisa tem como temática Educação física para Portadores

Leia mais

Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO

Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO Carta Internacional da Educação Física e do Esporte da UNESCO 21 de novembro de 1978 SHS/2012/PI/H/1 Preâmbulo A Conferência Geral da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura,

Leia mais

REQUERIMENTO N o, DE 2015

REQUERIMENTO N o, DE 2015 REQUERIMENTO N o, DE 2015 (Da Comissão de Desenvolvimento Econômico, Indústria e Comércio) Requer a criação e constituição de Comissão Especial destinada a proferir parecer ao Projeto de Lei Complementar

Leia mais

QUERIDO(A) ALUNO(A),

QUERIDO(A) ALUNO(A), LANÇADA EM 15 MAIO DE 2008, A CAMPANHA PROTEJA NOSSAS CRIANÇAS É UMA DAS MAIORES MOBILIZAÇÕES PERMANENTES JÁ REALIZADAS NO PAÍS, COM FOCO NO COMBATE À VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E À EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇAS

Leia mais

PROGRAMA DE APRENDIZAGEM MBA E PÓS-GRADUAÇÃO

PROGRAMA DE APRENDIZAGEM MBA E PÓS-GRADUAÇÃO PROGRAMA DE APRENDIZAGEM MBA E PÓS-GRADUAÇÃO PROFISSIONAL MBA e Pós-Graduação Cursos inovadores e alinhados às tendências globais Nossos cursos seguem modelos globais e inovadores de educação. Os professores

Leia mais

Ituran: compromisso com a qualidade de vida

Ituran: compromisso com a qualidade de vida Ituran: compromisso com a qualidade de vida INTRODUÇÃO: O mercado de rastreadores veiculares começou a crescer verdadeiramente no início dessa década. Curiosamente, é nesse mesmo momento que aumenta definitivamente

Leia mais

medida. nova íntegra 1. O com remuneradas terem Isso é bom

medida. nova íntegra 1. O com remuneradas terem Isso é bom Entrevista esclarece dúvidas sobre acúmulo de bolsas e atividadess remuneradas Publicada por Assessoria de Imprensa da Capes Quinta, 22 de Julho de 2010 19:16 No dia 16 de julho de 2010, foi publicada

Leia mais

Philippe Perrenoud Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação Universidade de Genebra 2009

Philippe Perrenoud Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação Universidade de Genebra 2009 EDUCAÇÃO PARA A CIDADANIA: Passar do Discurso para a Ação Philippe Perrenoud Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação Universidade de Genebra 2009 1º Fórum de Ideias - Cambridge University Press

Leia mais

RESPONSABILIDADE SOCIAL NO CENÁRIO EMPRESARIAL ¹ JACKSON SANTOS ²

RESPONSABILIDADE SOCIAL NO CENÁRIO EMPRESARIAL ¹ JACKSON SANTOS ² RESPONSABILIDADE SOCIAL NO CENÁRIO EMPRESARIAL ¹ JACKSON SANTOS ² A Responsabilidade Social tem sido considerada, entre muitos autores, como tema de relevância crescente na formulação de estratégias empresarias

Leia mais

coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - u s a r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça.

coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - u s a r Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. coleção Conversas #17 - DEZEMBRO 2014 - Sou so profes r a, Posso m a s n ão parar d aguento m e ai ensinar s? d a r a u la s Respostas perguntas para algumas que podem estar passando pela sua cabeça. A

Leia mais

Gestão Hospitalar O caso de hospitais privados do Rio de Janeiro

Gestão Hospitalar O caso de hospitais privados do Rio de Janeiro Alexandre Cunha Lobo de Melo Gestão Hospitalar O caso de hospitais privados do Rio de Janeiro Dissertação de mestrado Dissertação de mestrado apresentada ao Departamento de Administração da Pontifícia

Leia mais

Fotografe Curitiba - Uma Campanha de Incentivo ao Turismo

Fotografe Curitiba - Uma Campanha de Incentivo ao Turismo Fotografe Curitiba - Uma Campanha de Incentivo ao Turismo Daniel de Castro Brainer Pereira PIRES 1 Thatiane Oliveira de ALENCAR 2 Alessandra Oliveira ARAÚJO 3 Universidade de Fortaleza, Fortaleza, CE RESUMO

Leia mais

Educação Integral, Escola de Tempo Integral e Aluno em Tempo Integral na Escola.

Educação Integral, Escola de Tempo Integral e Aluno em Tempo Integral na Escola. Educação Integral, Escola de Tempo Integral e Aluno em Tempo Integral na Escola. Chico Poli Algumas vezes, fora da escola há até mais formação do que na própria escola. (M. G. Arroyo) É preciso toda uma

Leia mais

Informação: o principal ativo de um negócio

Informação: o principal ativo de um negócio WHITE PAPER Informação: o principal ativo de um negócio Gestão de dados se tornou ponto crucial para sobrevivência das instituições, mas poucas ainda mantêm programa de treinamento em segurança. Fiscalização

Leia mais

A LEITURA LITERÁRIA: UM OLHAR SOBRE AS ESTRATÉGIAS DE INCENTIVO À LEITURA DA LITERATURA NAS ESCOLAS PÚBLICAS DE ENSINO FUNDAMENTAL DE SÃO SEBASTIÃO

A LEITURA LITERÁRIA: UM OLHAR SOBRE AS ESTRATÉGIAS DE INCENTIVO À LEITURA DA LITERATURA NAS ESCOLAS PÚBLICAS DE ENSINO FUNDAMENTAL DE SÃO SEBASTIÃO A LEITURA LITERÁRIA: UM OLHAR SOBRE AS ESTRATÉGIAS DE INCENTIVO À LEITURA DA LITERATURA NAS ESCOLAS PÚBLICAS DE ENSINO FUNDAMENTAL DE SÃO SEBASTIÃO Autores: Rúbia Ribeiro LEÃO; Letícia Érica Gonçalves

Leia mais

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO

COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO COMISSÃO DE TRABALHO, DE ADMINISTRAÇÃO E SERVIÇO PÚBLICO PROJETO DE LEI N o 2.865, DE 2011 Altera o caput do art. 193 da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei nº 5452, de 1º

Leia mais