Criptografia de Informação. Guia corporativo

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Criptografia de Informação. Guia corporativo"

Transcrição

1 Criptografia de Informação Guia corporativo

2 A criptografia de dados em empresas

3 1. Introdução 3

4 Guia corporativo de criptografia de dados 1. Introdução A informação é um dos ativos mais importantes de uma empresa, não importando a quantidade. Por essa razão é indispensável protegê-los dos riscos existentes. Seguindo esse raciocínio, a administração de informações de forma adequada pode fazer com que uma empresa não sofra as consequências de um ataque, principalmente no que diz respeito ao prestígio e confiança de seus clientes. Atualmente, as ameaças contra informações corporativas vão desde o malware e a exploração de vulnerabilidades até o roubo de dispositivos móveis. Além disso, quando consideramos que a questão da privacidade nas comunicações é motivo de recentes debates internacionais, o conceito de criptografia de dados se tornou uma alternativa popular de proteger a informação doméstica e corporativa. O objetivo desse guia é explorar detalhadamente aquestão da criptografia de dados, e dessa forma expor e explicar os benefícios que a mesma oferece às empresas. 4

5 2. O que é a criptografia de dados?

6 Guia corporativo de criptografia de dados 2.O que é a criptografia de dados? Criptografar dados significa alterá-los, normalmente com o uso de uma chave que os torna ilegíveis para quem não a possui. Através do processo de criptografia, quem possui a chave mencionada pode utiliza-la para obter a informação original. Essa técnica protege a informação sensível de uma empresa, pois caso os dados sejam interceptados, não poderão ser lidos. Uma das primeiras técnicas de criptografia utilizada na história foi o Código de César, que consistia em substituir cada letra de uma mensagem por outra que a seguia no alfabeto. Devido à sua baixa complexidade, outros métodos foram desenvolvidos, por exemplo, tatuar os códigos de criptografia em escravos. 6

7 3. Por que é preciso criptografar dados? 3 4

8 Guia corporativo de criptografia de dados 3.Por que é preciso criptografar dados? Criptografar os dados significa que cada vez que houver a necessidade de acessá-los, é preciso descriptografar os mesmos, o que adiciona uma camada de complexidade ao acesso simples, além de reduzir a velocidade do processo em si. Por essa razão, surgem algumas questões: por que criptografar as informações importantes de uma empresa? Quais são os benefícios? Em setembro de 2011, a empresa holandesa DigiNotar declarou falência, após ter sofrido um ataque de fuga de informação.* É muito difícil para uma empresa reverter o dano gerado por uma invasão significativa, razão pela qual é fundamental tomar as precauções necessárias para evitá-las, e se mesmo assim ocorrem, é preciso estar preparado adequadamente para minimizar os riscos, como por exemplo, utilizando dados criptografados. *Fonte: ataque-informatico-lleva-diginotar-quiebra/ 8

9 4. Benefícios da criptografia 3 4

10 4. Benefícios da criptografia Guia corporativo de criptografia de dados A. Proteção de informações confidenciais de uma empresa: Se a informação sensível de uma empresa cair em mãos erradas, existe a possibilidade de prejuízos econômicos, perda de vantagens competitivas ou até levar a empresa a falência. A criptografia ajuda a proteger informações delicadas como dados financeiros, informações dos funcionários, procedimentos ou políticas internas, entre outros. C. Proteção das comunicações de uma empresa: A criptografia normalmente é associada às transmissões de dados, já que as mensagens enviadas por uma empresa normalmente viajam por canais ou infraestruturas externas, como a Internet, e estão sujeitas a interceptação. O exemplo mais importante seria a criptografia de mensagens enviadas por . B. Proteger a imagem e prestígio de uma empresa: Existem certos tipos de informações, que se forem roubadas, podem causar danos à imagem corporativa. Um exemplo importante seria os dados de um cliente; o roubo das informações poderia afetar consideravelmente a empresa responsável pelo armazenamento dos dados, o que acarretaria em perdas irrecuperáveis. D. Proteção de dispositivos móveis ou sem fio: Todos os dispositivos que são utilizados fora do escritório, como telefones celulares, tablets ou notebooks podem ser extraviados ou roubados. Nessa situação é importante assegurar-se de que nenhuma pessoa, não autorizada possa acessar as informações encontradas. 10

11 5. Qual o papel da chave na criptografia? 3 4

12 Guia corporativo de criptografia de dados 5. Qual o papel da chave na criptografia? A chave é uma parte essencial do mecanismo de criptografia de dados, já que representa a única possibilidade da informação ser descriptografada e acessada.o termo chave pode referir-se a um código gerado pelo software de criptografia ou senha criada pelo usuário. Por essa razão é imprescindível escolher uma senha forte, o que fará com que a barreira que separa os dados e os intrusos fique mais difícil de atravessar. Escolher senhas como 1234 ou secreta é algo extremamente inseguro, porque embora sejam fáceis de lembrar, são igualmente fáceis de adivinhar, portanto não garantem nenhuma proteção de dados. Uma chave ideal seria uma senha o mais longa possível e com o conteúdo mais aleatório possível; no entanto se tornam mais difíceis de lembrar. Em fevereiro de 2013, o Burger King sofreu um ataque no qual conseguiram acessar e controlar a sua conta oficial do Twitter. Os atacantes mudaram a aparência da conta e mostraram imagens do seu principal rival. Aparentemente o ataque teve sucesso graças à uma senha fraca; uma alternativa para evitar casos assim é o uso de senhas fortes contidas em um software de armazenamento de chaves também criptografadas.* 12

13 6. Dicas para definir uma chave de criptografia 3 4

14 Guia corporativo de criptografia de dados 6. Dicas para definir uma chave de criptografia A. Não utilizar palavras reconhecíveis: existe um tipo de ataque utilizado para adivinhar uma chave que consiste em experimentar uma por uma as palavras de um dicionário (e combinações das mesmas) até encontrar uma que coincida com a chave procurada B. C. Não utilizar chaves muito pequenas: ataques por força bruta testam todas as combinações de caracteres possíveis até descobrir a chave. Dessa maneira, quanto mais caracteres existem na chave, maior será o tempo para testar todas as combinações. Quanto maior a senha, mais difícil será para adivinhá-la com a tecnologia atual. Utilizar letras minúsculas, maiúsculas, números e caracteres especiais: seguindo a mesma lógica descrita acima, o ataque de força bruta pode ser dificultado através da variedade de caracteres, já que mais provas de combinações são necessárias. D. E. Não utilizar dados públicos: mesmo tratando-se de uma prática comum, deve ser evitada. O endereço da empresa, dia de aniversário, nome, entre outros, são exemplos típicos. Utilizar um programa de administração segura de senhas: contar com uma ferramenta de administração de senhas, é uma ótima opção. Esse tipo de programa oferece mecanismos para a geração de senhas seguras e as mantém em um repositório centralizado. Nesse caso só é preciso lembrar uma senha, a chave para acessar o repositório, que obviamente deveria ser estabelecida seguindo os conselhos mencionados até o momento. 14

15 7. Que tipo de informação deve ser criptografada? 3 4

16 7. Que tipo de informação deve ser criptografada? Guia corporativo de criptografia de datos As informações sensíveis de uma empresa estão presentes em muitos formatos e são transmitidas ou armazenadas em diversos dispositivos. Por essa razão é necessário considerar que o critério a ser usado para criptografar os dados corresponde ao valor da informação para o negócio. Em primeiro lugar, a informação enviada em uma transmissão de dados pode ser criptografada, já que os canais utilizados para essa transmissão não pertencem a empresa e é possível que uma pessoa não autorizada intercepte essa mensagem. Por isso a implementação da criptografia de mensagens garante que somente os usuários que tenham a chave possam criptografar a mensagem e acessar seu conteúdo. Existem também informações altamente importantes que, embora tenham sido armazenadas em dispositivos na empresa e não são retransmitidas, também correm o risco de serem acessadas por terceiros. Exemplos típicos são os computadores portáteis, que são utilizados somente pelos seus donos, entretanto existe o risco de roubo ou extravio, razão pela qual a informação deveria estar devidamente protegida. Seguindo a mesma lógica, a informação armazenada em servidores da empresa pode ser acessada se os cuidados necessários não são tomados. Por último, vale a pena mencionar o caso dos smartphones e tablets. Esses tipos de dispositivos são cada vez mais comuns no âmbito corporativo, tanto para a transmissão de dados como para o armazenamento de documentos de trabalho. Portanto, devem ser levados em consideração no momento de definir que informação será criptografada. Somente 20% das empresas da América Latina utilizam a criptografia para proteger a sua informação de acordo com o ESET Security Report 2013.* *Fonte: 16

17 8. Criptografia de Comunicação 3 4

18 8. Criptografia de Comunicação A. Guia corporativo de criptografia de dados Uma forma de criptografar as mensagens de é utilizando uma chave privada. Este método é mais fácil de implementar e consiste em criptografar o texto em questão para em seguida enviar o ; assim, o destinatário deve conhecer a chave para obter a mensagem original.entretanto, cada vez que se envia uma mensagem criptografada para alguém que não conheça a chave, deve-se informar por um meio seguro. Diante da incerteza de como transmitir a chave de forma segura, surge a alternativa de criptografia pública. Este sistema é mais robusto e é baseado na utilização de certificados: tanto o emissor como o receptor tem seu próprio certificado que podem publicar sem comprometer sua segurança. Assim, cada vez que enviar uma mensagem para alguém, deve-se criptografar o mesmo com a chave pública estabelecida no certificado do destinatário. Em outra extremidade, ao receber uma mensagem criptografada será aplicada uma chave secreta que não conhece o destinatário, que recebe a mensagem original. Em resumo, a chave com a criptografia é diferente daquela com a qual se criptografa, mas estão relacionadas, não se pode obter uma conhecendo a outra. deverá trocar mensagens digitalmente com seus contatos, para obter e armazenar os certificados deles. A partir daí, o processo de criptografia será prácticamente transparente para o usuário. Caso envie uma mensagem criptografada, e o destinatário não conte com a possibilidade de lê-lo, o emissor terá a opção de enviar a mensagem sem criptografar. O caso PRISM e os programas de espionagem de agências governamentais tem exposto a questão da privacidade na Internet em um centro de debate, popularizando a criptografia de dados como uma alternativa para a proteção dos s e outros tipos de comunicações. A forma mais conveniente de implementar a criptografia de s é através de componentes ou plugins que se integram aos serviços de como Outlook por exemplo. Assim, a gestão de chaves compartilhadas e o processo de criptografia serão transparentes ao usuário. Uma vez que um usuário tem seu próprio certificado válido, 18

19 8. Criptografia de comunicações B. Navegação criptografada para os clientes Guia corporativo de criptografia de dados Quando os clientes navegam pelo site de uma empresa, realizam envios e constantes solicitações de informações que, em muitos casos podem ser confidenciais ou de alto valor para o cliente, portanto é necessário proporcionar um mecanismo de segurança para protegê-los. Uma forma muito utilizada é através da criptografia dos dados que foram enviados. Neste caso, o processo de criptografia é similar ao que se descreveu para o envio de s, mediante a utilização de certificados. Portanto, afim de proporcionar este mecanismo de segurança aos usuários, é necessario ter um certificado que identifique a empresa em seu site, o qual será obtido a partir de certificados autorizados. Em alguns anos atrás, a navegação segura era vista em poucos sites. Por exemplo, o Facebook implementou este procedimento em janeiro de 2011 e o Twitter em março desse mesmo ano. Atualmente, os sites mais importantes a utilizam como padrão e é inevitavel quando há a necessidade de inserir dados bancários. A aplicação mais comum da navegação criptografada ocorre na hora de realizar o acesso a dados bancários ou principais cartões de crédito, mas também pode aplicar-se apenas a uma sessão de navegação: quando um usuário registrado quer autenticar-se será realizado o intercâmbio de certificados e o establecimiento de uma conexão segura; a comunicação criptografada, então, se manterá até que a sessão seja encerrada. 19

20 9. Criptografia de dados locais 3 4

21 Guia corporativo de criptografia de dados 9. Criptografia de dados locais A informação que não é transmitida também corre o risco de ser acessada por terceiros; por exemplo, antes da perda ou roubo de dispositivos móveis. A senha de início de sessão não é suficiente para proteger os dados, é onde a criptografia entra em jogo. Neste caso podemos criptografar o disco inteiro, de tal maneira que cada vez que o computador é acessado devemos iniciá-lo com a chave. Esta ação é geralmente sugerida em empresas, embora também existam alternativas para criptografar somente algumas pastas ou arquivos específicos. Além disso, vale esclarecer que pode ser extendido a qualquer dispositivo que transporte informações delicadas, como memórias USB. Outra situação pode ocorrer quando dados ou serviços são inseridos para o público. O cenário ideal é aquele que cada usuário possa acessar apenas os dados para os quais tem liberação.infelizmente, se existem vulnerabilidades em servidores da empresa, as mesmas podem ser exploradas dando acesso aos atacantes a informações confidenciais. Portanto,a medida de segurança principal consiste em evitar o acesso indevido,minimizando as vulnerabilidades. No entanto, é igualmente importante ter um plano de respostas para incidentes,caso um atacante consiga um acesso aos dados confidenciais.nesta situação se determinados arquivos são criptografados é reduzida a utilidade para o atacante. A informação dos clientes é extremamente importante e não poder garantir sua segurança faz com que os clientes deixem de confiar na empresa Um exemplo disso ocorre no armazenamento de dados de autenticação dos usuários: se senhas são armazenadas em uma base sem criptografia, as contas dos clientes estariam diretamente expostas para que o atacante conseguisse acessar estes registros. Em julho de 2012 o Yahoo! sofreu um ataque, e neste caso roubaram em torno de 500 mil senhas de usuários. As senhas não eram criptografadas, sendo assim, permitiu-se o acesso direto das contas e suas informações foram comprometidas.* *Fonte: 21

22 10. Criptografia de dispositivos móveis 3 4

23 Guia corporativo de criptografia de dados 10. Criptografia de dispositivos móveis Os dispositivos móveis estão se transformando em um fator muito importante nas empresas, já que estão com os funcionários o tempo todo e em todos os lugares, além de fornecer acesso imediato a todo tipo de informação. Devido ao fato de que cada vez mais é possível acessar informações corporativas através de um dispositivo móvel, é necessária uma administração apropriada da segurança da informação nestes dispositivos. Em primeiro lugar, é importante destacar que devido ao seu tamanho e portabilidade, esse tipo de dispositivo é suscetível ao roubo e extravio, o que representa um risco importante. Criptografar os dados armazenados é, então, uma medida eficaz contra o acesso não autorizado a essa informação. É possível criptografar os dados dos aplicativos, arquivos baixados, fotos, documentos e qualquer outro arquivo armazenado no dispositivo. Dessa forma, para acessar os dados é necessária a inserção de um PIN ou chave, que somente é de conhecimento de seu proprietário. É importante também lembrar que os dispositivos móveis fornecem conexão a redes que utilizam o ar como meio de transmissão, e os dados poderiam ser interceptados por terceiros que estão ao alcance do sinal. Assim, sempre que for necessário transmitir informação sensível é imprescindível conectar-se a uma rede que possa enviar informação criptografada entre o dispositivo móvel e o ponto de acesso. Também é preciso implementar a criptografia nas comunicações através da Internet, como s confidenciais, chats ou mensagens instantâneas. É possível criptografar os dispositivos móveis com ferramentas nativas do próprio sistema operacional. No Android, por exemplo, esse ajuste pode ser feito em Ajustes/Segurança/ Criptografar Telefone. Caso o processo de criptografia seja interrompido, a informação poderá ser perdida de forma definitiva; para evitar essa possibilidade, o dispositivo deve ser carregado ao máximo e estar conectado a eletricidade. Geralmente o processo demora aproximadamente uma hora, dependendo da quantidade de informação armazenada. 23

24 11. Conclusão 3 4

25 Guia corporativo de criptografia de dados 11. Conclusão A segurança de uma empresa requer esforços constantes, que devem ser acompanhados por investimentos baseados no valor da informação a proteger, no impacto que pode ter nos negócios e na situação atual da segurança na empresa. Além disso, é necessário contar com políticas de segurança detalhadas que identifiquem os ativos de informação e os riscos associados aos mesmos, para então determinar as possíveis ações preventivas e corretivas. Nesse contexto, a criptografia de dados é uma forma de proteger a informação sensível de uma empresa em sua totalidade: dados armazenados em servidores e inclusive comunicações nos dispositivos móveis de seus funcionários. 25

26 /ESETBRASIL /company/eset-brasil

SOLO NETWORK. Criptografia de Informação. Guia corporativo

SOLO NETWORK. Criptografia de Informação. Guia corporativo (11) 4062-6971 (21) 4062-6971 (31) 4062-6971 (41) 4062-6971 (48) 4062-6971 (51) 4062-6971 (61) 4062-6971 (71) 4062-7479 Criptografia de Informação Guia corporativo (11) 4062-6971 (21) 4062-6971 (31) 4062-6971

Leia mais

Guia De Criptografia

Guia De Criptografia Guia De Criptografia Perguntas e repostas sobre a criptografia da informação pessoal Guia para aprender a criptografar sua informação. 2 O que estamos protegendo? Através da criptografia protegemos fotos,

Leia mais

Introdução. Pense em toda a informação pessoal que você tem armazenada no. seu computador, informação irrecuperável como fotos, documentos,

Introdução. Pense em toda a informação pessoal que você tem armazenada no. seu computador, informação irrecuperável como fotos, documentos, Guia de Backup Introdução Pense em toda a informação pessoal que você tem armazenada no seu computador, informação irrecuperável como fotos, documentos, apresentações, entre outras. Imagine que quando

Leia mais

Guia do funcionário seguro

Guia do funcionário seguro Guia do funcionário seguro INTRODUÇÃO A Segurança da informação em uma empresa é responsabilidade do departamento de T.I. (tecnologia da informação) ou da própria área de Segurança da Informação (geralmente,

Leia mais

Política de Segurança da Informação

Política de Segurança da Informação Política de Segurança da Informação Código: PSI_1.0 Versão: 1.0 Data de Publicação: 28/05/2014 Controle de Versão Versão Data Responsável Motivo da Versão 1.0 28/05/2014 Heitor Gouveia Criação da Política

Leia mais

Ameaças e Segurança da Informação para dispositivos Móveis. gilberto@sudre.com.br http://gilberto.sudre.com.br

Ameaças e Segurança da Informação para dispositivos Móveis. gilberto@sudre.com.br http://gilberto.sudre.com.br Ameaças e Segurança da Informação para dispositivos Móveis gilberto@sudre.com.br http://gilberto.sudre.com.br Ameaças e Vulnerabilidades em Dispositivos Móveis gilberto@sudre.com.br http://gilberto.sudre.com.br

Leia mais

compras online com Segurança

compras online com Segurança 12 Dicas para realizar compras online com Segurança As compras online chegaram no mercado há muito tempo e, pelo visto, para ficar. Com elas também despertaram os desejos dos cibercriminosos de se apropriarem

Leia mais

Privacidade.

Privacidade. <Nome> <Instituição> <e-mail> Privacidade Agenda Privacidade Riscos principais Cuidados a serem tomados Créditos Privacidade (1/3) Sua privacidade pode ser exposta na Internet: independentemente da sua

Leia mais

3. ( ) Para evitar a contaminação de um arquivo por vírus, é suficiente salvá-lo com a opção de compactação.

3. ( ) Para evitar a contaminação de um arquivo por vírus, é suficiente salvá-lo com a opção de compactação. 1. Com relação a segurança da informação, assinale a opção correta. a) O princípio da privacidade diz respeito à garantia de que um agente não consiga negar falsamente um ato ou documento de sua autoria.

Leia mais

CARTILHA INFORMATIVA

CARTILHA INFORMATIVA CARTILHA INFORMATIVA SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO A Segurança da Informação se refere à proteção existente sobre as informações de empresa ou pessoa, e aplica-se tanto as informações corporativas quanto às

Leia mais

Relatório sobre Segurança da Informação nas Empresas RESULTADOS DA AMÉRICA LATINA

Relatório sobre Segurança da Informação nas Empresas RESULTADOS DA AMÉRICA LATINA 2011 Relatório sobre Segurança da Informação nas Empresas RESULTADOS DA AMÉRICA LATINA SUMÁRIO Introdução... 4 Metodologia... 6 Resultado 1: Cibersegurança é importante para os negócios... 8 Resultado

Leia mais

http://cartilha.cert.br/

http://cartilha.cert.br/ http://cartilha.cert.br/ Equipamentos de rede também precisam de cuidados de segurança Independente do tipo de tecnologia usada, um equipamento conectado à rede, seja um computador, dispositivo móvel,

Leia mais

Proteger as informações da empresa para a qual trabalhamos é um dever de todos nós!

Proteger as informações da empresa para a qual trabalhamos é um dever de todos nós! Prezado Colaborador, O conteúdo desta cartilha tem como objetivo compartilhar alguns conceitos relacionados ao tema Segurança da Informação. Além de dicas de como tratar os recursos e as informações corporativas

Leia mais

Segurança em Dispositivos Móveis.

Segurança em Dispositivos Móveis. <Nome> <Instituição> <e-mail> Segurança em Dispositivos Móveis Agenda Dispositivos móveis Riscos principais Cuidados a serem tomados Créditos Dispositivos móveis (1/2) Tablets, smartphones, celulares,

Leia mais

Segurança da Informação

Segurança da Informação Segurança da Informação 2 0 1 3 OBJETIVO O material que chega até você tem o objetivo de dar dicas sobre como manter suas informações pessoais, profissionais e comerciais preservadas. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO,

Leia mais

Guia de Segurança em Redes Sociais

Guia de Segurança em Redes Sociais Guia de Segurança em Redes Sociais INTRODUÇÃO As redes sociais são parte do cotidiano de navegação dos usuários. A maioria dos internautas utiliza ao menos uma rede social e muitos deles participam ativamente

Leia mais

SOLO NETWORK. Guia de Segurança em Redes Sociais

SOLO NETWORK. Guia de Segurança em Redes Sociais (11) 4062-6971 (21) 4062-6971 (31) 4062-6971 (41) 4062-6971 (48) 4062-6971 (51) 4062-6971 (61) 4062-6971 (71) 4062-7479 Guia de Segurança em Redes Sociais (11) 4062-6971 (21) 4062-6971 (31) 4062-6971 (41)

Leia mais

GUIA PRÁTICO DE SEGURANÇA DE TI PARA PEQUENAS EMPRESAS

GUIA PRÁTICO DE SEGURANÇA DE TI PARA PEQUENAS EMPRESAS GUIA PRÁTICO DE SEGURANÇA DE TI PARA PEQUENAS EMPRESAS Como garantir uma segurança de TI abrangente para sua empresa #protectmybiz As pequenas empresas apresentam-se em todas as formas e tamanhos. Porém,

Leia mais

http://cartilha.cert.br/

http://cartilha.cert.br/ http://cartilha.cert.br/ Quanto mais informações você disponibiliza na Internet, mais difícil se torna preservar a sua privacidade Nada impede que você abra mão de sua privacidade e, de livre e espontânea

Leia mais

tendências MOBILIDADE CORPORATIVA Setembro/2012 INFORMATIVO TECNOLÓGICO DA PRODESP EDIÇÃO 03 Introdução Cenário atual Tendências Vantagens Riscos

tendências MOBILIDADE CORPORATIVA Setembro/2012 INFORMATIVO TECNOLÓGICO DA PRODESP EDIÇÃO 03 Introdução Cenário atual Tendências Vantagens Riscos tendências EDIÇÃO 03 Setembro/2012 MOBILIDADE CORPORATIVA Introdução Cenário atual Tendências Vantagens Riscos Recomendações para adoção de estratégia de mobilidade 02 03 04 06 07 08 A mobilidade corporativa

Leia mais

BlackBerry Desktop Software. Versão: 7.1. Guia do usuário

BlackBerry Desktop Software. Versão: 7.1. Guia do usuário BlackBerry Desktop Software Versão: 7.1 Guia do usuário Publicado: 2012-06-05 SWD-20120605130141061 Conteúdo Aspectos básicos... 7 Sobre o BlackBerry Desktop Software... 7 Configurar seu smartphone com

Leia mais

Segurança em Dispositivos Móveis

Segurança em Dispositivos Móveis Segurança em Dispositivos Móveis Lucas Ayres e Lucas Borges Ponto de Presença da RNP na Bahia {lucasayres,lucasborges}@pop ba.rnp.br 1 Agenda Dispositivos móveis Principais riscos e como se proteger Cuidados

Leia mais

PROJETO RUMOS DA INDÚSTRIA PAULISTA

PROJETO RUMOS DA INDÚSTRIA PAULISTA PROJETO RUMOS DA INDÚSTRIA PAULISTA SEGURANÇA CIBERNÉTICA Fevereiro/2015 SOBRE A PESQUISA Esta pesquisa tem como objetivo entender o nível de maturidade em que as indústrias paulistas se encontram em relação

Leia mais

Segurança do governo eletrônico

Segurança do governo eletrônico 1. Introdução O governo está empenhado em fornecer programas e serviços de modo que atenda às necessidades de empresas e cidadãos que necessitam desses recursos. Para aumentar a demanda desses serviços,

Leia mais

GUIA DE TRANQÜILIDADE

GUIA DE TRANQÜILIDADE GUIA DE TRANQÜILIDADE NA INTERNET versão reduzida Você pode navegar com segurança pela Internet. Basta tomar alguns cuidados. Aqui você vai encontrar um resumo com dicas práticas sobre como acessar a Internet

Leia mais

Conscientização sobre a Segurança da Informação. Suas informações pessoais não tem preço, elas estão seguras?

Conscientização sobre a Segurança da Informação. Suas informações pessoais não tem preço, elas estão seguras? Conscientização sobre a Segurança da Informação Suas informações pessoais não tem preço, elas estão seguras? PROFISSIONAIS DE O que é Segurança da Informação? A Segurança da Informação está relacionada

Leia mais

Asser Rio Claro. Descubra como funciona um antivírus. Como o antivírus protege o seu computador. A importância de um antivírus atualizado

Asser Rio Claro. Descubra como funciona um antivírus. Como o antivírus protege o seu computador. A importância de um antivírus atualizado Administração Informática Asser Rio Claro Descubra como funciona um antivírus Responsável por garantir a segurança do seu computador, o antivírus é um programa de proteção que bloqueia a entrada de invasores

Leia mais

Computação em Nuvem: Riscos e Vulnerabilidades

Computação em Nuvem: Riscos e Vulnerabilidades Computação em Nuvem: Riscos e Vulnerabilidades Bruno Sanchez Lombardero Faculdade Impacta de Tecnologia São Paulo Brasil bruno.lombardero@gmail.com Resumo: Computação em nuvem é um assunto que vem surgindo

Leia mais

INTERNET BANKING: DICAS DE SEGURANÇA. Palavras-chave: Segurança da Informação; Internet Banking; Fraudes; Riscos.

INTERNET BANKING: DICAS DE SEGURANÇA. Palavras-chave: Segurança da Informação; Internet Banking; Fraudes; Riscos. 1 INTERNET BANKING: DICAS DE SEGURANÇA Alexandre Kaspary 1 Alexandre Ramos 2 Leo Andre Blatt 3 William Rohr 4 Fábio Matias Kerber 5 Palavras-chave: Segurança da Informação; Internet Banking; Fraudes; Riscos.

Leia mais

O QUE É CERTIFICAÇÃO DIGITAL?

O QUE É CERTIFICAÇÃO DIGITAL? O QUE É CERTIFICAÇÃO DIGITAL? Os computadores e a Internet são largamente utilizados para o processamento de dados e para a troca de mensagens e documentos entre cidadãos, governo e empresas. No entanto,

Leia mais

O poder da colaboração e da comunicação baseadas na Nuvem

O poder da colaboração e da comunicação baseadas na Nuvem O poder da colaboração e da comunicação baseadas na Nuvem O Microsoft Office 365 é a suíte de Produtividade da Microsoft, que oferece as vantagens da Nuvem a empresas de todos os tamanhos, ajudando-as

Leia mais

Falaremos um pouco das tecnologias e métodos utilizados pelas empresas e usuários domésticos para deixar a sua rede segura.

Falaremos um pouco das tecnologias e métodos utilizados pelas empresas e usuários domésticos para deixar a sua rede segura. Módulo 14 Segurança em redes Firewall, Criptografia e autenticação Falaremos um pouco das tecnologias e métodos utilizados pelas empresas e usuários domésticos para deixar a sua rede segura. 14.1 Sistemas

Leia mais

Segurança a da Informação Aula 02. Aula 02

Segurança a da Informação Aula 02. Aula 02 Segurança a da Informação 26/9/2004 Prof. Rossoni, Farias 1 Segurança a da Informação é: Cultura, Cidadania, Desenvolvimento pessoal e social, Competitividade, Influência e poder, Imprescindível para a

Leia mais

2014 EDITION ENJOY SAFER TECHNOLOGY

2014 EDITION ENJOY SAFER TECHNOLOGY 2014 EDITION ENJOY SAFER TECHNOLOGY Fique a salvo de ameaças com a nova tecnologia da ESET A tecnologia de proteção confiável por milhões ao redor do mundo permite que você aproveite ao máximo suas atividades

Leia mais

10 DICAS DE TECNOLOGIA PARA AUMENTAR SUA PRODUTIVIDADE NO TRABALHO

10 DICAS DE TECNOLOGIA PARA AUMENTAR SUA PRODUTIVIDADE NO TRABALHO 10 DICAS DE TECNOLOGIA PARA AUMENTAR SUA PRODUTIVIDADE NO TRABALHO UMA DAS GRANDES FUNÇÕES DA TECNOLOGIA É A DE FACILITAR A VIDA DO HOMEM, SEJA NA VIDA PESSOAL OU CORPORATIVA. ATRAVÉS DELA, ELE CONSEGUE

Leia mais

Segurança em Internet Banking.

Segurança em Internet Banking. <Nome> <Instituição> <e-mail> Segurança em Internet Banking Agenda Internet Banking Riscos principais Cuidados a serem tomados Créditos Internet Banking (1/4) Permite: realizar ações disponíveis nas agências

Leia mais

Cartilha de Segurança para Internet

Cartilha de Segurança para Internet Comitê Gestor da Internet no Brasil Cartilha de Segurança para Internet Parte III: Privacidade Versão 3.1 2006 CERT.br Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasil Cartilha

Leia mais

Verificação em duas etapas.

Verificação em duas etapas. <Nome> <Instituição> <e-mail> Verificação em duas etapas Agenda Senhas Verificação em duas etapas Principais tipos e cuidados a serem tomados Outros cuidados Créditos Senhas (1/4) Servem para autenticar

Leia mais

Certificado Digital Modelo NF-e. Manual do Usuário

Certificado Digital Modelo NF-e. Manual do Usuário Certificado Digital Modelo NF-e Manual do Usuário Parabéns! Você acaba de adquirir o seu Certificado Digital Serasa Experian. Este manual é composto por informações importantes para que você possa usar

Leia mais

http://cartilha.cert.br/

http://cartilha.cert.br/ http://cartilha.cert.br/ Via Internet Banking você pode realizar as mesmas ações disponíveis nas agências bancárias, sem enfrentar filas ou ficar restrito aos horários de atendimento Realizar transações

Leia mais

PROJETO INTEGRADOR. 5º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação Noturno

PROJETO INTEGRADOR. 5º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação Noturno FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC GOIÁS PROJETO INTEGRADOR 5º PERÍODO Gestão da Tecnologia da Informação Noturno GOIÂNIA 2014-1 Sistemas de Gestão Empresarial Alunos: Alessandro Santos André de Deus Bruno

Leia mais

http://cartilha.cert.br/

http://cartilha.cert.br/ http://cartilha.cert.br/ Contas e senhas são os mecanismos de autenticação mais utilizados na Internet atualmente. Por meio de contas e senhas os sistemas conseguem saber quem você é, confirmar sua identidade

Leia mais

BOAS PRÁTICAS DE SEGURANÇA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI)

BOAS PRÁTICAS DE SEGURANÇA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) BOAS PRÁTICAS DE SEGURANÇA EM TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO (TI) André Gustavo Assessor Técnico de Informática MARÇO/2012 Sumário Contextualização Definições Princípios Básicos de Segurança da Informação Ameaças

Leia mais

TECNOLOGIA WEB. Segurança na Internet Aula 4. Profa. Rosemary Melo

TECNOLOGIA WEB. Segurança na Internet Aula 4. Profa. Rosemary Melo TECNOLOGIA WEB Segurança na Internet Aula 4 Profa. Rosemary Melo Segurança na Internet A evolução da internet veio acompanhada de problemas de relacionados a segurança. Exemplo de alguns casos de falta

Leia mais

Índice. Ameaças à Segurança da Informação. Introdução. Dispositivos de Segurança no Bradesco Net Empresa. E-Mail. Como Identificar um Phishing Scan

Índice. Ameaças à Segurança da Informação. Introdução. Dispositivos de Segurança no Bradesco Net Empresa. E-Mail. Como Identificar um Phishing Scan www.bradesco.com.br Índice Versão 01-2007 Introdução 2 Ameaças à Segurança da Informação 12 Dispositivos de Segurança no Bradesco Net Empresa 3 E-Mail 14 Procuradores e Níveis de Acesso 6 Como Identificar

Leia mais

Editoria e Diagramação Núcleo de Imagem Ascom TJPE. Ilustração Gerência de Atendimento Técnico

Editoria e Diagramação Núcleo de Imagem Ascom TJPE. Ilustração Gerência de Atendimento Técnico Conceitos de Segurança da Informação, Certificação Digital e suas Aplicações no TJPE 3ª Edição - Maio/2013 Elaboração Núcleo de Segurança da Informação SETIC Editoria e Diagramação Núcleo de Imagem Ascom

Leia mais

Março/2005 Prof. João Bosco M. Sobral

Março/2005 Prof. João Bosco M. Sobral Plano de Ensino Introdução à Segurança da Informação Princípios de Criptografia Segurança de Redes Segurança de Sistemas Símbolos: S 1, S 2,..., S n Um símbolo é um sinal (algo que tem um caráter indicador)

Leia mais

Sbase. Securing the Anywhere Enterprise. Anywhere Enterprise: Apresentação executiva. total

Sbase. Securing the Anywhere Enterprise. Anywhere Enterprise: Apresentação executiva. total Anywhere Enterprise: Apresentação executiva Sbase total % entrevistados idade parcela proporções nível de risco questionário Copyright 2007. Yankee Group Research, Inc. Todos os direitos reservados. Conceito

Leia mais

Acesse a página inicial do NET Antivírus + Backup : www.netcombo.com.br/antivirus. Teremos 3 opções.

Acesse a página inicial do NET Antivírus + Backup : www.netcombo.com.br/antivirus. Teremos 3 opções. Acesse a página inicial do NET Antivírus + Backup : www.netcombo.com.br/antivirus. Teremos 3 opções. Esse box destina-se ao cliente que já efetuou o seu primeiro acesso e cadastrou um login e senha. Após

Leia mais

CLOUD COMPUTING. Gustavo Matos Rodrigues 1 Leandro Panatta Vissentini 1 Sandy Júnior Sagiorato 1 Victor Daniel Scandolara 1 Eva Lourdes Pires 2

CLOUD COMPUTING. Gustavo Matos Rodrigues 1 Leandro Panatta Vissentini 1 Sandy Júnior Sagiorato 1 Victor Daniel Scandolara 1 Eva Lourdes Pires 2 CLOUD COMPUTING Gustavo Matos Rodrigues 1 Leandro Panatta Vissentini 1 Sandy Júnior Sagiorato 1 Victor Daniel Scandolara 1 Eva Lourdes Pires 2 Resumo: Este artigo tem como objetivo falar da computação

Leia mais

http://cartilha.cert.br/ Publicação

http://cartilha.cert.br/ Publicação http://cartilha.cert.br/ Publicação O uso de tablets, smartphones e celulares está cada vez mais comum e inserido em nosso cotidiano Caso tenha um dispositivo móvel (tablet, smartphone, celular, etc.)

Leia mais

Autenticação ultra resistente para proteger o acesso à rede e a informação corporativa

Autenticação ultra resistente para proteger o acesso à rede e a informação corporativa Autenticação ultra resistente para proteger o acesso à rede e a informação corporativa ESET Secure Authentication proporciona uma forte autenticação para proteger o acesso remoto à rede corporativa e aos

Leia mais

TEORIA GERAL DE SISTEMAS

TEORIA GERAL DE SISTEMAS TEORIA GERAL DE SISTEMAS Vulnerabilidade dos sistemas e uso indevido Vulnerabilidade do software Softwares comerciais contém falhas que criam vulnerabilidades na segurança Bugs escondidos (defeitos no

Leia mais

Cards Brasil 2006 Segurança, Autenticação e Certificação nos Meios Digitais. Abril de 2006 Gustavo E. Prellwitz Diretor de Banking América do Sul

Cards Brasil 2006 Segurança, Autenticação e Certificação nos Meios Digitais. Abril de 2006 Gustavo E. Prellwitz Diretor de Banking América do Sul Cards Brasil 2006 Segurança, Autenticação e Certificação nos Meios Digitais Abril de 2006 Gustavo E. Prellwitz Diretor de Banking América do Sul Agenda 2 Segurança Digital: O Ambiente Mundial e do Brasil

Leia mais

http://cartilha.cert.br/

http://cartilha.cert.br/ http://cartilha.cert.br/ Usar apenas senhas pode não ser suficiente para proteger suas contas na Internet Senhas são simples e bastante usadas para autenticação em sites na Internet. Infelizmente elas

Leia mais

12/IN01/DSIC/GSIPR 00 30/JAN/2012 1/5

12/IN01/DSIC/GSIPR 00 30/JAN/2012 1/5 12/IN01/DSIC/GSIPR 00 30/JAN/2012 1/5 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Gabinete de Segurança Institucional Departamento de Segurança da Informação e Comunicações Uso de Dispositivos Móveis nos Aspectos relativos

Leia mais

Palavras-chave: Tecnologia da Informação, Armazenamento, Nuvem, Internet.

Palavras-chave: Tecnologia da Informação, Armazenamento, Nuvem, Internet. 1 COMPUTAÇÃO EM NUVEM Leonardo André Junges 1 Neimar Sierota 2 Palavras-chave: Tecnologia da Informação, Armazenamento, Nuvem, Internet. 1 INTRODUÇÃO Nos dias atuais encontramos tudo ou praticamente tudo

Leia mais

OBJETIVO DA POLÍTICA DE SEGURANÇA

OBJETIVO DA POLÍTICA DE SEGURANÇA POLÍTICA DE SEGURANÇA DIGITAL Wagner de Oliveira OBJETIVO DA POLÍTICA DE SEGURANÇA Hoje em dia a informação é um item dos mais valiosos das grandes Empresas. Banco do Brasil Conscientizar da necessidade

Leia mais

PARA EMPRESAS COM MAIS DE 25 EQUIPAMENTOS

PARA EMPRESAS COM MAIS DE 25 EQUIPAMENTOS PARA EMPRESAS COM MAIS DE 25 EQUIPAMENTOS ESET Business Solutions 1/7 Vamos supor que você tenha iniciado uma empresa ou que já tenha uma empresa bem estabelecida, há certas coisas que deveria esperar

Leia mais

Quais tipos de informações nós obteremos para este produto

Quais tipos de informações nós obteremos para este produto Termos de Uso O aplicativo Claro Facilidades faz uso de mensagens de texto (SMS), mensagens publicitárias e de serviços de internet. Nos casos em que houver uso de um serviço tarifado como, por exemplo,

Leia mais

Certificado Digital e-cpf

Certificado Digital e-cpf Certificado Digital e-cpf Parabéns! Ao ter em mãos esse manual, significa que você adquiriu um certificado digital AC Link. Manual do Usuário 1 Índice Apresentação... 03 O que é um Certificado Digital?...

Leia mais

Gestão da Segurança da Informação

Gestão da Segurança da Informação Gestão da Segurança da Informação Você vai aprender: Conceitos básicos de segurança; Princípios da segurança e o ciclo de vida da informação; Vulnerabilidades de segurança; Ameaças à segurança; Ataques

Leia mais

Administration Kit. Parte de Kaspersky Business Space Security Kaspersky Enterprise Space Security Kaspersky Total Space Security

Administration Kit. Parte de Kaspersky Business Space Security Kaspersky Enterprise Space Security Kaspersky Total Space Security Administration Kit Parte de Kaspersky Business Space Security Kaspersky Enterprise Space Security Kaspersky Total Space Security O Kaspersky Administration Kit é uma ferramenta de administração centralizada

Leia mais

Tableau Online Segurança na nuvem

Tableau Online Segurança na nuvem Tableau Online Segurança na nuvem Autor(a): Ellie Fields Diretora Sênior de Marketing de Produtos, Tableau Software Junho de 2013 p2 A Tableau Software entende que os dados são um dos ativos mais estratégicos

Leia mais

CARTILHA DE BOAS PRÁTICAS EM SEGURANÇA CIBERNÉTICA GRUPO DE TRABALHO DE SEGURANÇA CIBERNÉTICA

CARTILHA DE BOAS PRÁTICAS EM SEGURANÇA CIBERNÉTICA GRUPO DE TRABALHO DE SEGURANÇA CIBERNÉTICA CARTILHA DE BOAS PRÁTICAS EM SEGURANÇA CIBERNÉTICA GRUPO DE TRABALHO DE SEGURANÇA CIBERNÉTICA A FIESP esclarece que as informações apresentadas na presente Cartilha são apenas sugestões para auxiliar as

Leia mais

Segurança Internet. Fernando Albuquerque. fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589

Segurança Internet. Fernando Albuquerque. fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589 Segurança Internet Fernando Albuquerque fernando@cic.unb.br www.cic.unb.br/docentes/fernando (061) 273-3589 Tópicos Introdução Autenticação Controle da configuração Registro dos acessos Firewalls Backups

Leia mais

CERTIFICAÇÃO DIGITAL. Certificado Digital Assinatura Digital

CERTIFICAÇÃO DIGITAL. Certificado Digital Assinatura Digital CERTIFICAÇÃO DIGITAL Certificado Digital Assinatura Digital CERTIFICADO e ASSINATURA DIGITAL CERTIFICADO Éo documento eletrônico de identidade emitido por Autoridade Certificadora credenciada pela AC Raiz

Leia mais

Evolução Tecnológica e a Segurança na Rede

Evolução Tecnológica e a Segurança na Rede Evolução Tecnológica e a Segurança na Rede Miriam von Zuben miriam@cert.br! Centro de Estudos, Resposta e Tratamento de Incidentes de Segurança no Brasill Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto br

Leia mais

Hardening de Servidores

Hardening de Servidores Hardening de Servidores O que é Mitm? O man-in-the-middle (pt: Homem no meio, em referência ao atacante que intercepta os dados) é uma forma de ataque em que os dados trocados entre duas partes, por exemplo

Leia mais

Sistemas para Internet 06 Ataques na Internet

Sistemas para Internet 06 Ataques na Internet Sistemas para Internet 06 Ataques na Internet Uma visão geral dos ataques listados na Cartilha de Segurança para Internet do CGI Comitê Gestor da Internet Componente Curricular: Bases da Internet Professor:

Leia mais

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - TIC

UTILIZAÇÃO DE RECURSOS DE TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO - TIC Código: NO01 Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região Comitê de Segurança da Informação Secretaria de Tecnologia da Informação Núcleo de Segurança da Informação Revisão: 00 Vigência:20/04/2012 Classificação:

Leia mais

O que é Black Fraude?... Como comunicar seus clientes sobre sua participação na Black Friday... Como Manter seu site seguro para a Black Friday?...

O que é Black Fraude?... Como comunicar seus clientes sobre sua participação na Black Friday... Como Manter seu site seguro para a Black Friday?... Conteúdo do ebook O que é Black Fraude?... Como comunicar seus clientes sobre sua participação na Black Friday... Como Manter seu site seguro para a Black Friday?... Deixando sua loja virtual mais rápida

Leia mais

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA

UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA UNIP UNIVERSIDADE PAULISTA GERENCIAMENTO DE REDES Segurança Lógica e Física de Redes 2 Semestre de 2012 SEGURANÇA LÓGICA: Criptografia Firewall Protocolos Seguros IPSec SSL SEGURANÇA LÓGICA: Criptografia

Leia mais

Apresentação. Vitae Tec Tecnologia a Serviço da Vida!

Apresentação. Vitae Tec Tecnologia a Serviço da Vida! Apresentação Vitae Tec Tecnologia a Serviço da Vida! A Vitae Tec A Vitae Tec é uma empresa de tecnologia que tem como missão oferecer serviços e produtos adequados às necessidades do cliente - pessoa física

Leia mais

Certificado Digital A1

Certificado Digital A1 Abril/ Certificado Digital A1 Geração Página 1 de 32 Abril/ Pré requisitos para a geração Dispositivos de Certificação Digital Para que o processo de instalação tenha sucesso, é necessário obedecer aos

Leia mais

NORMAS PARA UTILIZAÇÃO DA REDE SETUR

NORMAS PARA UTILIZAÇÃO DA REDE SETUR NORMAS PARA UTILIZAÇÃO DA REDE SETUR GETAD/TECNOLOGIA DA INFORMAÇÃO 1-OBJETIVO Esta norma estabelece os critérios e procedimentos relacionados à utilização da REDE SETUR por todos os servidores, estagiários

Leia mais

KASPERSKY SECURITY FOR BUSINESS

KASPERSKY SECURITY FOR BUSINESS KASPERSKY SECURITY FOR BUSINESS Programa de Licenciamento RENOVAÇÕES E UPGRADES: Um Guia de Migração APRESENTAMOS O PROGRAMA DE LICENCIAMENTO DO SOFTWARE KASPERSKY SECURITY FOR BUSINESS. A mais recente

Leia mais

Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Introdução a Criptografia e Criptografia Simétrica

Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Introdução a Criptografia e Criptografia Simétrica Sistemas Distribuídos: Conceitos e Projeto Introdução a Criptografia e Criptografia Simétrica Francisco José da Silva e Silva Laboratório de Sistemas Distribuídos (LSD) Departamento de Informática / UFMA

Leia mais

O gerenciamento dos dispositivos com Windows* dá boas-vindas à mobilidade

O gerenciamento dos dispositivos com Windows* dá boas-vindas à mobilidade White Paper 4ª geração dos processadores Intel Core e Intel Atom e mobilidade com o Windows 8.1* O gerenciamento dos dispositivos com Windows* dá boas-vindas à mobilidade Detalhes dos recursos de gerenciamento

Leia mais

Realize compras on-line com segurança

Realize compras on-line com segurança Realize compras on-line com segurança Índice Introdução 3 Benefícios e desvantagens de comprar on-line Benefícios Desvantagens 5 6 Dicas para comprar on-line com segurança Antes de comprar Ao comprar Depois

Leia mais

Projeto Smartphone Honey Stick 2013 da Symantec Edição brasileira Projeto Smartphone Honey Stick 2013 da Symantec Edição Brasileira

Projeto Smartphone Honey Stick 2013 da Symantec Edição brasileira Projeto Smartphone Honey Stick 2013 da Symantec Edição Brasileira Projeto Smartphone Honey Stick 2013 da Symantec Edição Brasileira Page 1 ÍNDICE Sumário Executivo; 3 IIntrodução; 4 Objetivos; 7 Metodologia; 9 Principais Conclusões; 12 Outras constatações e conclusões;

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br. Prof. José Maurício S. Pinheiro - UGB - 2009

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br. Prof. José Maurício S. Pinheiro - UGB - 2009 PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Auditoria i e Análise de Segurança da Informação Segurança e Confiabilidade Prof. José Maurício S. Pinheiro - UGB - 2009 Dados e Informação Dado é a unidade básica

Leia mais

Segurança em Redes.

Segurança em Redes. <Nome> <Instituição> <e-mail> Segurança em Redes Agenda Riscos Cuidados gerais a serem tomados Configurando o acesso Internet da sua casa Configurando uma rede Wi-Fi doméstica Cuidados: ao se conectar

Leia mais

Sistemas Distribuídos Segurança em Sistemas Distribuídos: Gerenciamento, Canais de Acesso e Controle de Acesso aos Dados I. Prof. MSc.

Sistemas Distribuídos Segurança em Sistemas Distribuídos: Gerenciamento, Canais de Acesso e Controle de Acesso aos Dados I. Prof. MSc. Sistemas Distribuídos Segurança em Sistemas Distribuídos: Gerenciamento, Canais de Acesso e Controle de Acesso aos Dados I Prof. MSc. Hugo Souza Após abordarmos a distribuição de responsabilidades providas

Leia mais

Segurança de Computadores LUBRITEC. Ver. 4.0 Data Out/2010 Vigência: Out/2011. Prezado colaborador,

Segurança de Computadores LUBRITEC. Ver. 4.0 Data Out/2010 Vigência: Out/2011. Prezado colaborador, LUBRITEC Ver. 4.0 Data Out/2010 Vigência: Out/2011 1 Prezado colaborador, O nosso dia na empresa, começa quando ligamos o computador. Logo acessamos a rede interna; recebemos, respondemos e enviamos novos

Leia mais

Melhores Práticas para Proteção de Laptops. Backup e Recuperação de Laptop e Segurança de Dados: Protegendo a Mobilidade da sua Equipe

Melhores Práticas para Proteção de Laptops. Backup e Recuperação de Laptop e Segurança de Dados: Protegendo a Mobilidade da sua Equipe Melhores Práticas para Proteção de Laptops Backup e Recuperação de Laptop e Segurança de Dados: Protegendo a Mobilidade da sua Equipe A mobilidade da sua equipe é crescente e está exigindo novas demandas

Leia mais

Impeça perda e furto de dados, demonstre conformidade e proteja marcas, reputação e propriedade intelectual.

Impeça perda e furto de dados, demonstre conformidade e proteja marcas, reputação e propriedade intelectual. TRITON AP-DATA Impeça perda e furto de dados, demonstre conformidade e proteja marcas, reputação e propriedade intelectual. Desde danos a reputações até multas e penalidades de agências reguladoras, uma

Leia mais

Manual do usuário Certificado Digital e-cpf. Parabéns! Ao ter em mãos este manual, significa que você adquiriu um Certificado Digital DOCCLOUD

Manual do usuário Certificado Digital e-cpf. Parabéns! Ao ter em mãos este manual, significa que você adquiriu um Certificado Digital DOCCLOUD Manual do usuário Certificado Digital e-cpf Parabéns! Ao ter em mãos este manual, significa que você adquiriu um Certificado Digital DOCCLOUD Índice Apresentação 03 O que é um Certificado Digital? 04 Instalando

Leia mais

PROJETO INTEGRADOR LUIZ DAVI DOS SANTOS SOUZA

PROJETO INTEGRADOR LUIZ DAVI DOS SANTOS SOUZA PROJETO INTEGRADOR LUIZ DAVI DOS SANTOS SOUZA Os serviços IP's citados abaixo são suscetíveis de possíveis ataques, desde ataques passivos (como espionagem) até ataques ativos (como a impossibilidade de

Leia mais

www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício AULA 06 Criptografia e Esteganografia

www.projetoderedes.com.br Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício AULA 06 Criptografia e Esteganografia Gestão da Segurança da Informação Professor: Maurício Criptografia A forma mais utilizada para prover a segurança em pontos vulneráveis de uma rede de computadores é a utilização da criptografia. A criptografia

Leia mais

ORIGEM Departamento de Segurança da Informação e Comunicações

ORIGEM Departamento de Segurança da Informação e Comunicações 07/IN01/DSIC/GSIPR 01 15/JUL/14 1/9 PRESIDÊNCIA DA REPÚBLICA Gabinete de Segurança Institucional Departamento de Segurança da Informação e Comunicações DIRETRIZES PARA IMPLEMENTAÇÃO DE CONTROLES DE ACESSO

Leia mais

Consumerização de TI. Paula Nobre. Presented by. Copyright 2011 OSIsoft, LLC

Consumerização de TI. Paula Nobre. Presented by. Copyright 2011 OSIsoft, LLC Consumerização de TI Presented by Paula Nobre Copyright 2011 OSIsoft, LLC ANTES AGORA NO ESCRITÓRIO EM QUALQUER LUGAR DURANTE AS HORAS DE TRABALHO A QUALQUER HORA COMPUTADOR ATRIBUÍDO DISPOSITIVOS E MEU

Leia mais

F-Secure Anti-Virus for Mac 2015

F-Secure Anti-Virus for Mac 2015 F-Secure Anti-Virus for Mac 2015 2 Conteúdo F-Secure Anti-Virus for Mac 2015 Conteúdo Capítulo 1: Introdução...3 1.1 Gerenciar assinatura...4 1.2 Como me certificar de que o computador está protegido...4

Leia mais

Professional. Guia do Usuário

Professional. Guia do Usuário Professional Guia do Usuário Conteúdo Introdução a SYNCING.NET... 3 Bem-vindo a SYNCING.NET... 3 Utilizando SYNCING.NET... 3 Como funciona SYNCING.NET?... 3 Requisitos Técnicos... 5 Instalação... 6 Registro...

Leia mais

Capítulo 1: Introdução...3

Capítulo 1: Introdução...3 F-Secure Anti-Virus for Mac 2014 Conteúdo 2 Conteúdo Capítulo 1: Introdução...3 1.1 O que fazer após a instalação...4 1.1.1 Gerenciar assinatura...4 1.1.2 Abrir o produto...4 1.2 Como me certificar de

Leia mais

Certificado Digital e-cpf

Certificado Digital e-cpf Página1 Certificado Digital e-cpf Manual do Usuário Página2 Índice Apresentação... 03 O que é um Certificado Digital?... 03 Instalando o Certificado... 04 Conteúdo do Certificado... 07 Utilização, guarda

Leia mais

Tecnologia da Informação UNIDADE 3

Tecnologia da Informação UNIDADE 3 Tecnologia da Informação UNIDADE 3 *Definição * A segurança da informação está relacionada com proteção de um conjunto de dados, no sentido de preservar o valor que possuem para a organização. *Definição

Leia mais

Kerio Exchange Migration Tool

Kerio Exchange Migration Tool Kerio Exchange Migration Tool Versão: 7.3 2012 Kerio Technologies, Inc. Todos os direitos reservados. 1 Introdução Documento fornece orientações para a migração de contas de usuário e as pastas públicas

Leia mais

Segurança do Wireless Aplication Protocol (WAP)

Segurança do Wireless Aplication Protocol (WAP) Universidade de Brasília UnB Escola de Extensão Curso Criptografia e Segurança na Informática Segurança do Wireless Aplication Protocol (WAP) Aluno: Orlando Batista da Silva Neto Prof: Pedro Antônio Dourado

Leia mais

Tecnologia da Informação UNIDADE 3:Estrutura organizacional de TI

Tecnologia da Informação UNIDADE 3:Estrutura organizacional de TI Tecnologia da Informação UNIDADE 3:Estrutura organizacional de TI * A segurança da informação está relacionada com proteção de um conjunto de dados, no sentido de preservar o valor que possuem para a organização.

Leia mais