Prof. Daniela Barreiro Claro

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Prof. Daniela Barreiro Claro"

Transcrição

1

2 Estes dados vem dos diversos dispositivos Dados estão crescendo 90% dos dados foram gerados há 2 anos Dados gerados 10% Há 2 anos atrás Desde o início 90%

3 Grande quantidade de dados Não se trata de um simples gargalo de um SGBD Efetivamente, são capacidades de armazenamento e processamento sendo esgotadas. SGBD

4 Qual a forma de se escolher um filme no cinema? Sinopse: Detroit - in the future - is crime-ridden, and run by a massive company. The company have developed a huge crime-fighting robot, which unfortunately develops a rather dangerous glitch. The company sees a way to get back in favour with the public when a cop called Alex Murphy is killed by a street gang. Murphy's body is reconstructed within a steel shell and named Robocop. The Robocop is very successful against criminals, and becomes a target of supervillian Boddicker. Trailer

5 Quais os tipos de dados que temos hoje? Dados Estruturados Dados Semi-Estruturados Dados não-estruturados

6 Relacionados a um SGBD SGBD

7 Dados organizados em blocos semânticos (relações) Dados de um mesmo grupo possuem as mesmas descrições (atributos) Descrições para todas as classes de um grupo possuem o mesmo formato (esquema) Dados mantidos em um SGBD sao chamados de Dados Estruturados por manterem a mesma estrutura de representação (rígida), previamente projetada (esquema)

8 Atualmente, muitos dados não são mantidos no SGBD Dados Web, por exemplo, apresentam uma organização bastante heterogênea. A alta heterogeneidade dificulta as consultas a estes dados Assim, estes dados sao classificados como semi-estruturados Não são estritamente tipados Não são complementamente não-estruturados

9 Os dados semi-estruturados são dados onde o esquema de representação está presente (de forma explícita ou implícita) Auto-descritivo Uma análise do dado deve ser feita para que a sua estrutura possa ser identificada e extraída

10 Características principais Definição à posteriori Esquemas são definidos após a existência dos dados Investigação de suas estruturas particulares Estrutura irregular Não existe um esquema padrão para os dados Coleções de dados são definidos de maneiras diferentes, contendo informações incompletas Estrutura implícita Muitas vezes existe uma estrutura implícita Estrutura parcial Apenas parte dos dados disponíveis podem ter uma estrutura

11 Dados Estruturados Esquema pré-definido Estrutura regular Estrutura independente dos dados Estrutura reduzida Fracamente evolutiva Prescritiva (esquemas fechados e restrições de integridade) Distinção entre estrutura e dados é clara Dados SemiEstruturados Nem sempre há um esquema Estrutura irregular Estrutura embutida nos dados Estrutura extensa (particularidades de cada dado, visto que cada um pode ter uma organização própria) Fortemente evolutiva (estrutura modifica-se com frequencia) Estrutura descritiva Distinção entre estrutura e dados não é clara

12 Exemplos XML extensible Markup Language RDF Resource Description Framework OWL Web Ontology Language

13 Sao os dados que não possuem uma estrutura definida. Normalmente caracterizados por documentos textos, imagens, videos, etc Nem as estruturas sao descritas implicitamente Grande maioria dos dados atuais na Web e nas empresas seguem este formato.

14 Crescimento diferenciado dos tipos de dados Preferem RICH DATA Filmes, figuras, documentos Word Textos simples, HTML

15 Atualmente, devido a variedade de dispositivos, os dados também são variados Diversos dispositivos Explosão de sensores, dispositivos inteligentes, tecnologias de colaboração, redes sociais Dados não são mais relacionais, mas diversificados de paginas web, s, documentos, dados de sensores, etc Sistemas tradicionais estão em colapso para processar estes dados

16 Dados disponíveis x Processamento dos Dados Dados disponíveis Processamento dos dados

17 Volume de Dados No ano 2000, eram armazenados no mundo Petabytes (PB) IDC: Expectativa para zetabytes (ZB) Twitter sozinho gera mais de 7 terabytes de dados TODOS OS DIAS Facebook 10TB

18 Isso deu origem ao BIG DATA

19 É ideal: Analisar dados semi-estruturados e nãoestruturados de uma variedade de fontes Quando todos os dados ou quase todos devem ser analisados Para analises interativas e exploratórias Big Data releva as formalidades e restrições do Data Warehouse Preserva a fidelidade dos dados

Web Semântica. Web Semântica. uma introdução @yaso

Web Semântica. Web Semântica. uma introdução @yaso Web Semântica uma introdução @yaso O que é SEMÂNTICA Semântica é o estudo do signifcado. Incide sobre a relação entre signifcantes, tais como palavras, frases, sinais e símbolos, e o que eles representam,

Leia mais

Pollyanna Gonçalves. Seminário da disciplina Banco de Dados II

Pollyanna Gonçalves. Seminário da disciplina Banco de Dados II Pollyanna Gonçalves Seminário da disciplina Banco de Dados II Web 2.0 vem gerando grande volume de dados Conteúdo gerado por redes sociais, sensores inteligentes, tecnologias de colaboração, etc. Novas

Leia mais

Armazienamento de Dados

Armazienamento de Dados Armazienamento de Dados Bernade'e Farias Lóscio bfl@cin.ufpe.br Agenda Dados x metadados Fontes de dados: de onde os dados podem ser extraídos? Dados abertos: em qual formato publicar? A importância dos

Leia mais

Integração de Dados na Web. Ana Carolina Salgado Bernadette Lóscio

Integração de Dados na Web. Ana Carolina Salgado Bernadette Lóscio Integração de Dados na Web Ana Carolina Salgado Bernadette Lóscio Conteúdo Introdução Integração de Informações Consultando a Web Introdução Motivação Web e BD Arquitetura na Web Introdução Evolução da

Leia mais

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br

PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br PROJETO DE REDES www.projetoderedes.com.br Centro Universitário de Volta Redonda - UniFOA Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro

Leia mais

JONATHAN SCHNEIDER DESENVOLVIMENTO DE FORNECEDORES E CONSUMIDORES DE CONTEÚDO WEB SEMÂNTICO

JONATHAN SCHNEIDER DESENVOLVIMENTO DE FORNECEDORES E CONSUMIDORES DE CONTEÚDO WEB SEMÂNTICO FUNDAÇÃO DE ENSINO EURÍPIDES SOARES DA ROCHA CENTRO UNIVERSITÁRIO EURÍPIDES DE MARÍLIA UNIVEM CURSO DE CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO JONATHAN SCHNEIDER DESENVOLVIMENTO DE FORNECEDORES E CONSUMIDORES DE CONTEÚDO

Leia mais

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados:

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados: MC536 Introdução Sumário Conceitos preliminares Funcionalidades Características principais Usuários Vantagens do uso de BDs Tendências mais recentes em SGBDs Algumas desvantagens Modelos de dados Classificação

Leia mais

Banco de Dados. Módulo 11 - Modelo de Dados Semi-Estruturados

Banco de Dados. Módulo 11 - Modelo de Dados Semi-Estruturados Banco de Dados Módulo 11 - Modelo de Dados Semi-Estruturados Dados Semi-estruturados Características principais dos dados semi-estruturados: sem imposição de tipos auto-descritivos: a descrição da estrutura

Leia mais

Criação e publicação de um dataset de dados interligados das edições passadas do Simpósio Brasileiro de Banco de Dados

Criação e publicação de um dataset de dados interligados das edições passadas do Simpósio Brasileiro de Banco de Dados U NIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA 2 0 1 2. 2 Criação e publicação de um dataset de dados interligados das edições passadas do Simpósio Brasileiro

Leia mais

XML (extensible Markup Language)

XML (extensible Markup Language) Sumário 1. Introdução a Aplicações Não-Convencionais 2. Revisão de Modelagem Conceitual 3. BD Orientado a Objetos (BDOO) 4. BD Objeto-Relacional (BDOR) 5. BD Temporal (BDT) 6. BD Geográfico (BDG) 7. BD

Leia mais

Prof. Daniela Barreiro Claro

Prof. Daniela Barreiro Claro Prof. Daniela Barreiro Claro São dados que não podem ser processados ou analisados usando as ferramentas tradicionais Empresas acessando muitas informações mas não sabem como tirar proveito Normalmente

Leia mais

GERÊNCIA DE DADOS SEMIESTRUTURADOS -XML. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

GERÊNCIA DE DADOS SEMIESTRUTURADOS -XML. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza GERÊNCIA DE DADOS SEMIESTRUTURADOS -XML Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza O QUE É XML? Tecnologia desenvolvida pelo W3C http://www.w3c.org W3C: World Wide Web Consortium consórcio

Leia mais

XML e Banco de Dados de Internet. Tópicos Especiais em Tecnologia da Informação Profa. Késsia R. C. Marchi

XML e Banco de Dados de Internet. Tópicos Especiais em Tecnologia da Informação Profa. Késsia R. C. Marchi XML e Banco de Dados de Internet Tópicos Especiais em Tecnologia da Informação Profa. Késsia R. C. Marchi Motivação Diversas aplicações Web utilizam Fontes de Dados (BD); Arquitetura Cliente-Servidor (2

Leia mais

GERÊNCIA DE DADOS SEMIESTRUTURADOS -XML. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

GERÊNCIA DE DADOS SEMIESTRUTURADOS -XML. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza GERÊNCIA DE DADOS SEMIESTRUTURADOS -XML Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza O QUE É XML? Tecnologia desenvolvida pelo W3C http://www.w3c.org W3C: World Wide Web Consortium consórcio

Leia mais

GERÊNCIA DE DADOS SEMI ESTRUTURADOS -XML. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc.

GERÊNCIA DE DADOS SEMI ESTRUTURADOS -XML. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. GERÊNCIA DE DADOS SEMI ESTRUTURADOS -XML Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. O QUE É XML? Tecnologia desenvolvida pelo W3C http://www.w3c.org W3C: World Wide Web Consortium consórcio formado por acadêmicos

Leia mais

Semântica para Sharepoint. Busca semântica utilizando ontologias

Semântica para Sharepoint. Busca semântica utilizando ontologias Semântica para Sharepoint Busca semântica utilizando ontologias Índice 1 Introdução... 2 2 Arquitetura... 3 3 Componentes do Produto... 4 3.1 OntoBroker... 4 3.2 OntoStudio... 4 3.3 SemanticCore para SharePoint...

Leia mais

Web de hoje (2.0) Porquê WEB 2.0?

Web de hoje (2.0) Porquê WEB 2.0? WEB 2.0 Conceitos O termo Web 2.0 refere-se a mudança para uma Internet como plataforma e um entendimento das regras para obter sucesso nesta nova plataforma. Segundo Tim O'Reilly, um dos criadores do

Leia mais

2 Conceitos Gerais de Classificação de Documentos na Web

2 Conceitos Gerais de Classificação de Documentos na Web Conceitos Gerais de Classificação de Documentos na Web 13 2 Conceitos Gerais de Classificação de Documentos na Web 2.1. Páginas, Sites e Outras Terminologias É importante distinguir uma página de um site.

Leia mais

Novas Mídias e Relações Sociais.

Novas Mídias e Relações Sociais. Novas Mídias e Relações Sociais. Eduardo Foster 1 1 Caiena Soluções em Gestão do Conhecimento, Av. 34-578, CEP 13504-110 Rio Claro, Brasil foster@caiena.net Resumo. A comunicação é uma disciplina que acompanha

Leia mais

Introdução 17. 1 Introdução

Introdução 17. 1 Introdução Introdução 17 1 Introdução O volume de informações que gerenciamos tem crescido a cada dia. Realizamos milhões de pesquisas na Web, postamos mensagens em blogs, enviamos mensagens de correio eletrônico,

Leia mais

UFG - Instituto de Informática

UFG - Instituto de Informática UFG - Instituto de Informática Especialização em Desenvolvimento de Aplicações Web com Interfaces Ricas EJB 3.0 Prof.: Fabrízzio A A M N Soares professor.fabrizzio@gmail.com Aula 13 Web Services Web Services

Leia mais

Este relatório tem por objetivo, abordar a sintaxe XML.

Este relatório tem por objetivo, abordar a sintaxe XML. Relatório do GPES Este relatório tem por objetivo, abordar a sintaxe XML. XML Estrutura do documento Um documento XML é uma árvore rotulada onde um nó externo consiste de: [1] Dados de caracteres (uma

Leia mais

Projeto de Arquitetura

Projeto de Arquitetura Projeto de Arquitetura Ian Sommerville 2006 Engenharia de Software, 8ª. edição. Capítulo 11 Slide 1 Objetivos Apresentar projeto de arquitetura e discutir sua importância Explicar as decisões de projeto

Leia mais

Fernanda Possato Ribeiro

Fernanda Possato Ribeiro Fernanda Possato Ribeiro UM GERADOR AUTOMÁTICO DE PÁGINAS NA INTERNET PARA PROFESSORES DA UNIVERSIDADE FEDERAL DE LAVRAS USANDO XML Monografia de Graduação apresentada ao Departamento de Ciência da Computação

Leia mais

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras

Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Núcleo de Pós Graduação Pitágoras Professor: Fernando Zaidan Disciplina: Arquitetura da Informática e Automação MBA Gestão em Tecnologia 1 da Informaçao 2 Figura: Tela do IBM Mainframe Fonte: Arquivo próprio

Leia mais

Introdução e motivação SGBD XML Nativo Consultas em SGBDs XML Prática. Bancos de dados XML. Conceitos e linguagens de consulta

Introdução e motivação SGBD XML Nativo Consultas em SGBDs XML Prática. Bancos de dados XML. Conceitos e linguagens de consulta Bancos de dados XML Conceitos e linguagens de consulta Sidney Roberto de Sousa MC536 - Bancos de Dados: Teoria e prática Material base: W3Schools XPath and XQuery Tutorial http://www.w3schools.com/xpath/

Leia mais

Cadernos UniFOA. Web Semântica: Uma Rede de Conceitos. Semantic Web: A Network of ConceptsONCEPTS

Cadernos UniFOA. Web Semântica: Uma Rede de Conceitos. Semantic Web: A Network of ConceptsONCEPTS 23 Web Semântica: Uma Rede de Conceitos Semantic Web: A Network of ConceptsONCEPTS Professor Especialista José Maurício dos Santos Pinheiro Artigo Original Original Paper Palavras-chaves: Internet Semântica

Leia mais

E esse tal de Big Data?

E esse tal de Big Data? E esse tal de Big Data? Hoje todas as pessoas que converso e que sabem que atuamos com Business Intelligence na Cetax Consultoria, me perguntam: E esse Big Data hein Marco? Eu vi até na Veja... está todo

Leia mais

Escola Secundária da Trofa Aplicações Informáticas A 11º Ano Curso Tecnológico de Informática T E S T E T I P O

Escola Secundária da Trofa Aplicações Informáticas A 11º Ano Curso Tecnológico de Informática T E S T E T I P O Grupo I (Utilização de Sistemas Multimédia) 1. Indique os atributos elementares das imagens 2. Complete as seguintes afirmações de forma a torná-las verdadeiras: a. A resolução de uma imagem digital é

Leia mais

Sistemas de Gerência de Bancos de Dados. 7 - Outras Arquiteturas para SGBDs 7.7 - SGBDs e a Web

Sistemas de Gerência de Bancos de Dados. 7 - Outras Arquiteturas para SGBDs 7.7 - SGBDs e a Web Sistemas de Gerência de Bancos de Dados 7 - Outras Arquiteturas para SGBDs 7.7 - SGBDs e a Web 1 Tópicos Modelos de Dados para a Web Linguagens de Consulta para a Web Integração de Informação Extraída

Leia mais

MODELAGEM DE DADOS MODELAGEM DE DADOS. rafaeldiasribeiro.com.br 04/08/2012. Aula 7. Prof. Rafael Dias Ribeiro. M.Sc. @ribeirord

MODELAGEM DE DADOS MODELAGEM DE DADOS. rafaeldiasribeiro.com.br 04/08/2012. Aula 7. Prof. Rafael Dias Ribeiro. M.Sc. @ribeirord MODELAGEM DE DADOS PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO, M.Sc. @ribeirord MODELAGEM DE DADOS Aula 7 Prof. Rafael Dias Ribeiro. M.Sc. @ribeirord 1 Objetivos: Aprender sobre a modelagem lógica dos dados. Conhecer os

Leia mais

Banco de Dados, Integração e Qualidade de Dados. Ceça Moraes cecafac@gmail.com

Banco de Dados, Integração e Qualidade de Dados. Ceça Moraes cecafac@gmail.com Banco de Dados, Integração e Qualidade de Dados Ceça Moraes cecafac@gmail.com Sobre a professora CeçaMoraes Doutora em Computação (UFPE) Áreas de atuação Desenvolvimento de Software e Banco de Dados Experiência

Leia mais

BREVE INTRODUÇÃO À LINGUAGEM XML

BREVE INTRODUÇÃO À LINGUAGEM XML BREVE INTRODUÇÃO À LINGUAGEM XML Por Carlos H. Marcondes marcon@vm.uff.br Rio de Janeiro Abril 2008 PROGRAMA 1.Problema, motivações e conceitos 2.Estrutura de um documento XML 1.DTDs, Schemas 2.Folhas

Leia mais

Integração da Informação e do Conhecimento no Contexto da Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos no Brasil

Integração da Informação e do Conhecimento no Contexto da Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos no Brasil Integração da Informação e do Conhecimento no Contexto da Copa do Mundo e os Jogos Olímpicos no Brasil Ivan Guilherme 1, Jonas Queiroz 1, Caio Marques 2 1 Universidade Estadual Paulista, IGCE, DEMAC, Caixa

Leia mais

Plano de Ensino. Apresentação da Unidade Curricular

Plano de Ensino. Apresentação da Unidade Curricular Plano de Ensino Plano de Ensino Apresentação da Unidade Curricular o Funcionamento, arquitetura e conceitos fundamentais dos bancos de dados relacionais e objeto relacionais. Utilização de linguagem DDL

Leia mais

Agregadores de Conteúdo

Agregadores de Conteúdo Agregadores de Conteúdo São programas ou sites capazes de interpretar e mostrar o conteúdo dos Feeds RSS. Essa é uma forma de facilitar a leitura de vários sites e blogs, acessando o que há de novo em

Leia mais

Painéis de Controle para Cidades Inteligentes. Francisco Artur C de Oliveira

Painéis de Controle para Cidades Inteligentes. Francisco Artur C de Oliveira Painéis de Controle para Cidades Inteligentes Francisco Artur C de Oliveira :: Por que mapas? :: Mapas são uma forma de se comunicar A integração da informação Produz Valor Novas tecnologias trazem abundância

Leia mais

dados abertos cartilha para desenvolvedores

dados abertos cartilha para desenvolvedores dados abertos cartilha para desenvolvedores Esta publicação é um encarte integrante do Manual dos dados abertos: desenvolvedores, resultante do acordo de cooperação técnico-científica entre o Laboratório

Leia mais

Banco de Dados Aula 1 Introdução a Banco de Dados Introdução Sistema Gerenciador de Banco de Dados

Banco de Dados Aula 1 Introdução a Banco de Dados Introdução Sistema Gerenciador de Banco de Dados Banco de Dados Aula 1 Introdução a Banco de Dados Introdução Um Sistema Gerenciador de Banco de Dados (SGBD) é constituído por um conjunto de dados associados a um conjunto de programas para acesso a esses

Leia mais

Tecnologia para Sistemas Inteligentes Apontamentos para as aulas sobre. Introdução à Representação e Processamento de Ontologias: Framework O3f

Tecnologia para Sistemas Inteligentes Apontamentos para as aulas sobre. Introdução à Representação e Processamento de Ontologias: Framework O3f Tecnologia para Sistemas Inteligentes Apontamentos para as aulas sobre Introdução à Representação e Processamento de Ontologias: Framework O3f Luís Miguel Botelho Departamento de Ciências e Tecnologias

Leia mais

Para construção dos modelos físicos, será estudado o modelo Relacional como originalmente proposto por Codd.

Para construção dos modelos físicos, será estudado o modelo Relacional como originalmente proposto por Codd. Apresentação Este curso tem como objetivo, oferecer uma noção geral sobre a construção de sistemas de banco de dados. Para isto, é necessário estudar modelos para a construção de projetos lógicos de bancos

Leia mais

PEER DATA MANAGEMENT SYSTEM

PEER DATA MANAGEMENT SYSTEM PEER DATA MANAGEMENT SYSTEM INTRODUÇÃO, INFRA-ESTRUTURA E MAPEAMENTO DE ESQUEMAS AGENDA Data Management System Peer Data Management System P2P Infra-estrutura Funcionamento do PDMS Mapeamento de Esquemas

Leia mais

O Big Data em microfinanças: Como os bancos de dados ajudam na tomada de decisão e uma melhor compreensão do comportamento dos clientes

O Big Data em microfinanças: Como os bancos de dados ajudam na tomada de decisão e uma melhor compreensão do comportamento dos clientes 1 O Big Data em microfinanças: Como os bancos de dados ajudam na tomada de decisão e uma melhor compreensão do comportamento dos clientes Elias Sfeir, Presidente Equifax Brasil e Vice-Presidente Sénior

Leia mais

MAPEAMENTO DE CONSULTAS SQL EM XML ENTRE SISTEMAS GERENCIADORES DE BANCO DE DADOS RELACIONAIS

MAPEAMENTO DE CONSULTAS SQL EM XML ENTRE SISTEMAS GERENCIADORES DE BANCO DE DADOS RELACIONAIS Universidade Federal de Santa Catarina Centro Tecnológico Departamento de Informática e Estatística Curso de Sistemas de Informação RENATO SULZBACH MAPEAMENTO DE CONSULTAS SQL EM XML ENTRE SISTEMAS GERENCIADORES

Leia mais

Big Data Networking. Felipe Santos e Lucas Teixeira

Big Data Networking. Felipe Santos e Lucas Teixeira Big Data Networking Felipe Santos e Lucas Teixeira Roteiro Big Data O que é? Motivação Aplicações Modelagem de comunicação para Big Data Problemas comuns Considerações de design Tecnologias Multipath Demonstração

Leia mais

BIG DATA: UTILIZANDO A INTERNET PARA TOMADA DE DECISÕES

BIG DATA: UTILIZANDO A INTERNET PARA TOMADA DE DECISÕES BIG DATA: UTILIZANDO A INTERNET PARA TOMADA DE DECISÕES Alex Travagin Chatalov¹, Ricardo Ribeiro Rufino ¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavaí PR Brasil alex_tr1992@hotmail.com ricardo@unipar.br

Leia mais

Agente Semântico de Extração Informacional no Contexto de Big Data

Agente Semântico de Extração Informacional no Contexto de Big Data CENTRO UNIVERSITÁRIO EURÍPIDES DE MARÍLIA FUNDAÇÃO DE ENSINO EURÍPIDES SOARES DA ROCHA BACHARELADO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO Agente Semântico de Extração Informacional no Contexto de Big Data Caio Saraiva

Leia mais

Semântica na Web RDF. Carlos Bazilio. Depto de Computação Instituto de Ciência e Tecnologia Universidade Federal Fluminense

Semântica na Web RDF. Carlos Bazilio. Depto de Computação Instituto de Ciência e Tecnologia Universidade Federal Fluminense Semântica na Web RDF Carlos Bazilio Depto de Computação Instituto de Ciência e Tecnologia Universidade Federal Fluminense 1 Contexto... 2 Contexto (2) 3 Problemas na Web Atual Pouca integração de informações

Leia mais

Conceito de Big Data

Conceito de Big Data Conceito de Big Data O que são Dados? A palavra Dados é o plural de Datum em Latin que significava Dar", ou seja "algo dado". Dados como um conceito abstrato pode ser explicado como o mais baixo nível

Leia mais

INTRODUÇÃO À ROBÓTICA

INTRODUÇÃO À ROBÓTICA Material de estudo 2010 INTRODUÇÃO À ROBÓTICA André Luiz Carvalho Ottoni Introdução à Robótica Capítulo 1 - Introdução Robótica é um ramo da tecnologia que engloba mecânica, eletrônica e computação, que

Leia mais

Autoria Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web

Autoria Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web Apresentação e Visão Geral sobre a Web Apresentação Thiago Miranda Email: mirandathiago@gmail.com Site: www.thiagomiranda.net Objetivos da Disciplina Conhecer os limites de atuação profissional em Web

Leia mais

Data Mining. Origem do Data Mining 24/05/2012. Data Mining. Prof Luiz Antonio do Nascimento

Data Mining. Origem do Data Mining 24/05/2012. Data Mining. Prof Luiz Antonio do Nascimento Data Mining Prof Luiz Antonio do Nascimento Data Mining Ferramenta utilizada para análise de dados para gerar, automaticamente, uma hipótese sobre padrões e anomalias identificadas para poder prever um

Leia mais

C O N S U L T O R I A E G E S T Ã O P A R A E S T R A T É G I A D E R E D E S S O C I A I S

C O N S U L T O R I A E G E S T Ã O P A R A E S T R A T É G I A D E R E D E S S O C I A I S C O N S U L T O R I A E G E S T Ã O P A R A E S T R A T É G I A D E R E D E S S O C I A I S A MELHOR OPORTUNIDADE PARA O SEU NEGÓCIO ESTÁ AO SEU ALCANCE NAS REDES SOCIAIS... O MUNDO É FEITO DE REDES SOCIAIS

Leia mais

XML. 1. XML: Conceitos Básicos. 2. Aplicação XML: XHTML 3. Folhas de Estilo em Cascata XML

XML. 1. XML: Conceitos Básicos. 2. Aplicação XML: XHTML 3. Folhas de Estilo em Cascata XML 1 1. : Conceitos Básicos 2. Aplicação : XHTML 3. Folhas de Estilo em Cascata 2 é um acrônimo para EXtensible Markup Language é uma linguagem de marcação muito parecida com HTML foi designada para descrever

Leia mais

Docente: Éberton da Silva Marinho e-mail: ebertonsm@gmail.com

Docente: Éberton da Silva Marinho e-mail: ebertonsm@gmail.com INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO NORTE Introdução a Banco de Dados Docente: Éberton da Silva Marinho e-mail: ebertonsm@gmail.com 12/06/2013 Sumário Motivação da Disciplina

Leia mais

Uso de Padrões Web. maio/2009

Uso de Padrões Web. maio/2009 Uso de Padrões Web maio/2009 Internet e Web, passado, presente e futuro 2 Internet e Web, passado, presente e futuro 3 A Evolução da Web Pré Web Passado web 1.0 Presente web 2.0 Futuro web 3.0 4 A Evolução

Leia mais

Desmaterialização de Transacções

Desmaterialização de Transacções Desmaterialização de Transacções What lies ahead? António Vidigal COTEC - CEDT 11.07.2007 WEB 3.0? Termo utilizado pela primeira vez pelo jornalista John Markoff, num artigo do New York Times e logo incorporado

Leia mais

Ontologias na Computação

Ontologias na Computação Ontologias na Computação Claudio Akio Namikata, Henrique Sarmento, Marcio Valença Ramos cjnamikata90@hotmail.com, rique-182@hotmail.com, maxtr3m3@hotmail.com Resumo: Este trabalho tem como objetivo apresentar

Leia mais

CENTRO DE DADOS DE SENSORIAMENTO REMOTO - CDSR -

CENTRO DE DADOS DE SENSORIAMENTO REMOTO - CDSR - CENTRO DE DADOS DE SENSORIAMENTO REMOTO - CDSR - MIGUEL ZANIC CUELLAR miguel@dgi.inpe.br OBJETIVOS INTERNOS EXTERNOS OBJETIVOS INTERNOS Garantir a segurança no armazenamento dos dados de Sem. Rem. e seu

Leia mais

ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 4º PERÍODO - 7º MÓDULO AVALIAÇÃO A4 DATA 22/10/2009 ENGENHARIA DE USABILIDADE

ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 4º PERÍODO - 7º MÓDULO AVALIAÇÃO A4 DATA 22/10/2009 ENGENHARIA DE USABILIDADE ANÁLISE E DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS TURMA 2008 4º PERÍODO - 7º MÓDULO AVALIAÇÃO A4 DATA 22/10/2009 ENGENHARIA DE USABILIDADE 2009/2 GABARITO COMENTADO QUESTÃO 1: Quando nos referimos à qualidade da interação

Leia mais

HTML. Tópicos. Tags. Páginas WEB Arquitectura Definição HTML. O documento HTML Estrutura do documento Meta comandos Ferramentas de edição de HTML

HTML. Tópicos. Tags. Páginas WEB Arquitectura Definição HTML. O documento HTML Estrutura do documento Meta comandos Ferramentas de edição de HTML HTML Tópicos Páginas WEB Arquitectura Definição HTML Tags O documento HTML Estrutura do documento Meta comandos Ferramentas de edição de HTML Arquitectura Browser Pedido de resolução nome End. IP Pedido

Leia mais

METADADOS PARA A PRESERVAÇÃO DA INFORMAÇÃO DIGITAL

METADADOS PARA A PRESERVAÇÃO DA INFORMAÇÃO DIGITAL 354 METADADOS PARA A PRESERVAÇÃO DA INFORMAÇÃO DIGITAL José Carlos Abbud Grácio (UNESP) Bárbara Fadel (UNESP) 1. Introdução Com os avanços das tecnologias de informação e comunicação (TIC) as instituições

Leia mais

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2

Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Curso Tecnológico de Redes de Computadores 5º período Disciplina: Tecnologia WEB Professor: José Maurício S. Pinheiro V. 2009-2 Aula 2 Computação em Nuvem Desafios e Oportunidades A Computação em Nuvem

Leia mais

A tecnologia revoluciona a Distribuição e os Canais Digitais

A tecnologia revoluciona a Distribuição e os Canais Digitais Sexta Conseguro Confederação Nacional de Empresas de Seguros Gerais, Previdência Privada e Vida, Saúde Suplementar e Capitalização (CNSeg) A tecnologia revoluciona a Distribuição e os Canais Digitais Apresentação

Leia mais

Uma Abordagem Alternativa para o Armazenamento Electrónico de Dados: O Papel da Norma XML

Uma Abordagem Alternativa para o Armazenamento Electrónico de Dados: O Papel da Norma XML Uma Abordagem Alternativa para o Armazenamento Electrónico de Dados: O Papel da Norma XML Semana da Ciência e da Tecnologia 2002 FOR $l IN document( wwwestvipvpt/biblioteca/bdbiblioxml ) //livro WHERE

Leia mais

Service Oriented Architecture (SOA)

Service Oriented Architecture (SOA) São Paulo, 2011 Universidade Paulista (UNIP) Service Oriented Architecture (SOA) Prof. MSc. Vladimir Camelo vladimir.professor@gmail.com 04/09/11 vladimir.professor@gmail.com 1 04/09/11 vladimir.professor@gmail.com

Leia mais

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani

Planejamento Estratégico de TI. Prof.: Fernando Ascani Planejamento Estratégico de TI Prof.: Fernando Ascani Data Warehouse - Conceitos Hoje em dia uma organização precisa utilizar toda informação disponível para criar e manter vantagem competitiva. Sai na

Leia mais

Disciplina: Tecnologias de Banco de Dados para SI s

Disciplina: Tecnologias de Banco de Dados para SI s Curso de Gestão em SI Disciplina: Tecnologias de Banco de Dados para SI s Rodrigo da Silva Gomes (Extraído do material do prof. Ronaldo Melo - UFSC) Banco de Dados (BD) BD fazem parte do nosso dia-a-dia!

Leia mais

MICHELLE DE LOURDES PIMENTA AVALIAÇÃO DA USABILIDADE DE SITES DE BUSCA QUE UTILIZAM TÉCNICAS DE EXTRAÇÃO DE DADOS SEMI-ESTRUTURADOS

MICHELLE DE LOURDES PIMENTA AVALIAÇÃO DA USABILIDADE DE SITES DE BUSCA QUE UTILIZAM TÉCNICAS DE EXTRAÇÃO DE DADOS SEMI-ESTRUTURADOS MICHELLE DE LOURDES PIMENTA AVALIAÇÃO DA USABILIDADE DE SITES DE BUSCA QUE UTILIZAM TÉCNICAS DE EXTRAÇÃO DE DADOS SEMI-ESTRUTURADOS Monografia apresentada ao Departamento de Ciência da Computação da Universidade

Leia mais

Modelos de Sistema. 2007 by Pearson Education. Ian Sommerville 2006 Engenharia de Software, 8ª. edição. Capítulo 8 Slide 1.

Modelos de Sistema. 2007 by Pearson Education. Ian Sommerville 2006 Engenharia de Software, 8ª. edição. Capítulo 8 Slide 1. Modelos de Sistema Ian Sommerville 2006 Engenharia de Software, 8ª. edição. Capítulo 8 Slide 1 Objetivos Explicar por que o contexto de um sistema deve ser modelado como parte do processo de RE Descrever

Leia mais

USCS. Universidade Municipal de São Caetano do Sul. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Mestrado em Comunicação

USCS. Universidade Municipal de São Caetano do Sul. Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Mestrado em Comunicação USCS Universidade Municipal de São Caetano do Sul Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação Programa de Mestrado em Comunicação Sub-Projeto de Pesquisa Evolução na Comunicação: estudos em sites da Internet

Leia mais

Introdução a Sociologia. 1º ano do EM Professor: Fabiano Rodrigues

Introdução a Sociologia. 1º ano do EM Professor: Fabiano Rodrigues Introdução a Sociologia 1º ano do EM Professor: Fabiano Rodrigues O que é a Sociedade? O que é a Sociologia? O que podemos aprender com a Sociologia? O que estudamos em Sociologia? Estudamos a nós mesmos.

Leia mais

Gerenciamento do ciclo de vida de um documento Simone de Abreu

Gerenciamento do ciclo de vida de um documento Simone de Abreu Gerenciamento do ciclo de vida de um documento Simone de Abreu É o gerenciamento do ciclo de vida de todos os registros, em todos os tipos de mídia, desde a criação até a destruição ou arquivo permanente.

Leia mais

A Web Semântica e o Ensino a Distância RESUMO

A Web Semântica e o Ensino a Distância RESUMO A Web Semântica e o Ensino a Distância RESUMO Atualmente a presença na Web é quase que obrigatória para todos os seguimentos da sociedade. Dessa forma não é estranho que as empresas e instituições de ensino

Leia mais

RSS no desenvolvimento de uma Central de Notícias

RSS no desenvolvimento de uma Central de Notícias RSS no desenvolvimento de uma Central de Notícias Darley Passarin 1, Parcilene Fernandes de Brito 1 1 Sistemas de Informação Centro Universitário Luterano de Palmas (CEULP/ULBRA) Palmas TO Brasil darley@centralrss.com.br,

Leia mais

TENDÊNCIAS PAINEL E RUMOS DA UNIVERSIDADE CONTEMPORÂNEA. www.abmes.org.br. Gabriel Mario Rodrigues Presidente da ABMES gmr2@gmrpar.com.

TENDÊNCIAS PAINEL E RUMOS DA UNIVERSIDADE CONTEMPORÂNEA. www.abmes.org.br. Gabriel Mario Rodrigues Presidente da ABMES gmr2@gmrpar.com. PAINEL TENDÊNCIAS E RUMOS DA UNIVERSIDADE CONTEMPORÂNEA Gabriel Mario Rodrigues Presidente da ABMES gmr2@gmrpar.com.br 07 de maiode 2013 SCS Quadra 07 Bloco "A" Sala 526 Ed. Torre do Pátio Brasil Shopping

Leia mais

ONTOLOGIA DE DOMÍNIO PARA ANÁLISE DE BLOGS

ONTOLOGIA DE DOMÍNIO PARA ANÁLISE DE BLOGS Centro Universitário Feevale ONTOLOGIA DE DOMÍNIO PARA ANÁLISE DE BLOGS Fernando Mertins Prof. Orientador: Rodrigo Rafael Villarreal Goulart Dezembro de 2007 Roteiro da Apresentação Introdução Objetivos

Leia mais

Tendências de Tecnologia. IV Workshop de TI

Tendências de Tecnologia. IV Workshop de TI Tendências de Tecnologia IV Workshop de TI Números da Internet (2012) e-mail 144 bilhões de e-mails enviados por dia em 2012 68.8% considerados SPAM (99 bilhões) 50,76% sobre produtos farmacêuticos (50

Leia mais

Inovação Social Com Big Data. Marcelo Sales CTO HDS América Latina

Inovação Social Com Big Data. Marcelo Sales CTO HDS América Latina Inovação Social Com Big Data Marcelo Sales CTO HDS América Latina POR QUE ESTAMOS FALANDO DE BIG DATA? BIG QUIZ Qual é o número de hits quando se pesquisa no Google pelo termo BIG DATA? BIG QUIZ RESPOSTA

Leia mais

SISTEMA DE APOIO AO SUPORTE TÉCNICO DE UMA EMPRESA DE SOFTWARE COM UTILIZAÇÃO DE ONTOLOGIA

SISTEMA DE APOIO AO SUPORTE TÉCNICO DE UMA EMPRESA DE SOFTWARE COM UTILIZAÇÃO DE ONTOLOGIA SISTEMA DE APOIO AO SUPORTE TÉCNICO DE UMA EMPRESA DE SOFTWARE COM UTILIZAÇÃO DE ONTOLOGIA SYSTEM OF SUPPORT TO THE TECHNICAL SUPPORT OF A COMPANY OF SOFTWARE WITH USE OF ONTOLOGY Vagner Fagundes 1 Roberto

Leia mais

Web Semântica e Matching de Ontologias: Uma Visão Geral

Web Semântica e Matching de Ontologias: Uma Visão Geral Web Semântica e Matching de Ontologias: Uma Visão Geral Hélio Rodrigues de Oliveira Departamento de Computação Universidade Federal do Ceará heliorodrigues@lia.ufc.br Bernadette Farias Lóscio Departamento

Leia mais

Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android. Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com.

Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android. Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com. Consumindo um Web Service através de uma Aplicação Comercial em Android Alex Malmann Becker www.alex.porthal.com.br alex@porthal.com.br 08/2014 Agenda Introdução Conceitos Web Service Por que utilizar

Leia mais

Recuperação de Informações em Documentos Anotados Semanticamente na Área de Gestão Ambiental

Recuperação de Informações em Documentos Anotados Semanticamente na Área de Gestão Ambiental 1 Recuperação de Informações em Documentos Anotados Semanticamente na Área de Gestão Ambiental Celso Araújo Fontes (IME) celsowm@gmail.com Maria Claudia Cavalcanti (IME) yoko@ime.eb.br Ana Maria de Carvalho

Leia mais

Introdução. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos

Introdução. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos. Conceitos Básicos Conceitos Básicos Introdução Banco de Dados I Prof. Guilherme Tavares de Assis Universidade Federal de Ouro Preto UFOP Instituto de Ciências Exatas e Biológicas ICEB Departamento de Computação DECOM Dados

Leia mais

Sistemas Distribuídos

Sistemas Distribuídos Sistemas Distribuídos LICENCIATURA EM COMPUTAÇÃO Prof. Adriano Avelar Site: www.adrianoavelar.com Email: eam.avelar@gmail.com Mecanismos de Comunicação Protocolos de Aplicação Mecanismos de comunicação

Leia mais

Sistemas Distribuídos. Professora: Ana Paula Couto DCC 064

Sistemas Distribuídos. Professora: Ana Paula Couto DCC 064 Sistemas Distribuídos Professora: Ana Paula Couto DCC 064 Sistemas Distribuídos Basedos na Web Capítulo 12 Agenda Arquitetura Processos Comunicação Nomeação Sincronização Consistência e Replicação Introdução

Leia mais

Técnicas e processos de produção. Profº Ritielle Souza

Técnicas e processos de produção. Profº Ritielle Souza Técnicas e processos de produção Profº Ritielle Souza INTRODUÇÃO HTML Sigla em inglês para Hyper Text Markup Language, traduzindo daria algo como Linguagem para marcação de Hipertexto. E o que seria o

Leia mais

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV

T2Ti Tecnologia da Informação Ltda T2Ti.COM http://www.t2ti.com Projeto T2Ti ERP 2.0. Bloco Comercial. CRM e AFV Bloco Comercial CRM e AFV Objetivo O objetivo deste artigo é dar uma visão geral sobre os Módulos CRM e AFV, que fazem parte do Bloco Comercial. Todas informações aqui disponibilizadas foram retiradas

Leia mais

Trilha IV Internet e Direitos Humanos

Trilha IV Internet e Direitos Humanos Trilha IV Internet e Direitos Humanos Temas e Posicionamentos Exposições das(os) Painelistas Posicionamentos Cláudio Machado (APAI-CRVS Programa Africano p/ Fortalecimento Registro Civil, terceiro setor)

Leia mais

BIG DATA Armazenamento e Gerenciamento de grandes volumes de dados

BIG DATA Armazenamento e Gerenciamento de grandes volumes de dados BIG DATA Armazenamento e Gerenciamento de grandes volumes de dados Carlos Marques Business Development Manager, Data Connectivity and Integration Latin America & Caribbean Market (CALA) O que veremos hoje?

Leia mais

PRODUÇÃO CARTOGRÁFICA SERVIÇOS WEB

PRODUÇÃO CARTOGRÁFICA SERVIÇOS WEB SERVIÇOS WEB World Wide Web Evolução de simples páginas com conteúdo estático para páginas com conteúdos dinâmicos (extraídos, principalmente, de Sistemas Gerenciadores de Bancos de Dados SGBD) Tecnologias

Leia mais

Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas) XML Origens. HTML Problemas

Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas) XML Origens. HTML Problemas Sistemas Distribuídos na WEB (Plataformas para Aplicações Distribuídas) (extensible( Markup Language ) Origens (extensible Markup Language linguagem de marcação extensível) Criada em 1996 pelo W3C (World

Leia mais

PROJETO DE BANCO DE DADOS -INTRODUÇÃO. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza

PROJETO DE BANCO DE DADOS -INTRODUÇÃO. Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza 1 PROJETO DE BANCO DE DADOS -INTRODUÇÃO Prof. Angelo Augusto Frozza, M.Sc. http://about.me/tilfrozza FUNDAMENTOS Dados Representação de fatos, conceitos ou instruções de maneira formalizada; Informação

Leia mais

Grupo de Banco de Dados da UFSC

Grupo de Banco de Dados da UFSC Grupo de Banco de Dados da UFSC (GBD / UFSC) Oportunidades de Pesquisa e TCCs 2010 / 2 Objetivo GBD/UFSC Pesquisa e desenvolvimento de soluções para problemas de gerenciamento de dados LISA Laboratório

Leia mais

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI)

ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) ALESSANDRO PEREIRA DOS REIS PAULO CESAR CASTRO DE ALMEIDA ENGENHARIA DE SOFTWARE - CAPABILITY MATURITY MODEL INTEGRATION (CMMI) APARECIDA DE GOIÂNIA 2014 LISTA DE TABELAS Tabela 1 Áreas de processo por

Leia mais

Modelo de Dados. Modelos Conceituais

Modelo de Dados. Modelos Conceituais Modelo de Dados Modelo para organização dos dados de um BD define um conjunto de conceitos para a representação de dados exemplos: entidade, tabela, atributo,... existem modelos para diferentes níveis

Leia mais

Notas: Por enquanto só permite contas Gmail e icloud. Para instalar esta aplicação necessita de ter ou criar uma conta Dropbox.

Notas: Por enquanto só permite contas Gmail e icloud. Para instalar esta aplicação necessita de ter ou criar uma conta Dropbox. 1 É um serviço de email que o irá ajudar a gerir os seus emails recebidos de uma forma fácil e intuitiva. Se recebe dezenas de emails por dia, tanto profissionais como pessoais e não tem tempo para os

Leia mais

XML Básico. Murillo Vasconcelos Henriques B. Castro. 17 de maio de 2011

XML Básico. Murillo Vasconcelos Henriques B. Castro. 17 de maio de 2011 XML Básico Murillo Vasconcelos Henriques B. Castro 17 de maio de 2011 O QUE É? Sigla para extensible Markable Language É uma linguagem de marcação, assim como HTML Desenvolvida para ser auto explicativa

Leia mais