PROCESSO PENAL I 2ª - Par a t r e Pro r f o e f ss s o s r o : r :Ru R b u ens s Co C r o r r e r ia a Jun u ior

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROCESSO PENAL I 2ª - Par a t r e Pro r f o e f ss s o s r o : r :Ru R b u ens s Co C r o r r e r ia a Jun u ior"

Transcrição

1 PROCESSO PENAL I 2ª - Parte Professor: Rubens Correia Junior 1

2 I HISTÓRIA 2

3 PROCESSO E PROCEDIMENTO Procedimento: é o conteúdo do processo; Processo: atividade jurisdicional; SUJEITOS PRINCIPAIS E SECUNDÁRIOS PROCESSO PENAL (251 A 280 cpp): DO Autor juiz réu Principais: juiz e partes - Aspecto subjetivo da relação jurídica processual. Secundários: auxiliares da justiça. Peritos, intérpretes, etc. - incidentalmente participam do processo; 3

4 Resumo O PROCESSO PENAL: PROCESSO PENAL É o conjunto de atos cronologicamente concatenados (procedimentos), submetido a princípios e regras jurídicas destinadas a compor as lides de caráter penal. Sua finalidade é, assim, a aplicação do direito penal objetivo, com a apuração do delito e a atuação do direito estatal de punir em relação ao réu, bem como a aplicação das medidas de segurança adequadas às pessoas socialmente perigosas e a decisão sobre as ações conexas à penal.(mirabetti)

5 PROCESSO E PROCEDIMENTO Processo Penal: contraditório!!! essencialmente procedimento em Processo Penal: não pode ter apenas o papel secundário de concretizar a lei e instrumentalizar o Direito Penal. O processo penal deve ter a função democrática do contraditório e da ampla defesa, como instrumentos essenciais na construção de decisões mais democráticas (como se isso fosse possível) ou menos totalitárias e tirânicas. O processo penal em contraditório é o garantidor do processo acusatório em sua concepção constitucional. Não há portanto interpretação do código de processo penal que se faça a revelia da constituição e dos direitos e garantias fundamentais do cidadão; 5

6 RESUMO!!! O que é o processo penal - quais seus princípios quais são suas fontes como se aplica e onde se aplica possíveis liberdade provisória; Denúncia/queixa ação prisões penal edificação das provas decisão sentença e coisa julgada 6

7 Processo de conhecimento Trabalha com uma crise de certeza evai findar incerteza SENTEÇA Trans. Em julgado. Processo de execução Trabalha com uma crise de satisfação e o juiz vai agredir a esfera material do cidadão direito a liberdade Processo Cautelar situações q não podem esperar o desenrolar doprocesso Periculum inlibertat /fumus bom iuris 7

8 O PROCESSO PENAL: É o conjunto de atos cronologicamente concatenados (procedimentos), submetido a princípios e regras jurídicas destinadas a compor as lides de caráter penal. Sua finalidade é, assim, a aplicação do direito penal objetivo, com a apuração do delito e a atuação do direito estatal de punir em relação ao réu, bem como a aplicação das medidas de segurança adequadas às pessoas socialmente perigosas e a decisão sobre as ações conexas à penal. (Mirabetti)

9 O PROCESSO PENAL: Conceitos e definições críticas: 1. O Direito e seu aspecto Teatral; 2. O processo penal é a expropriação do Conflito por parte do Estado; 3. O processo penal deve se tornar menos abstrato; 4. O processo contém a desigualdade das partes;

10 O EQUILÍBRIO PROCESSUAL PENAL Prof. Rubens Correia Jr JUIZ MP / ESTADO RÉU

11 O PROCESSO PENAL: PREMISSAS: 1. O direito é um fenômeno construído e não natural; 2. A aplicação da lei é um momento dessa construção; 3. É um fenômeno complexo que se concretiza de maneira dialética; 4. O direito que prevalece é o resultado das lutas sociais.

12 O PROCESSO PENAL: Desafios 1. Adequar o processo penal à CF/88; 2. Filtragem pelo Estado Democrático; 3. Imparcialidade do Juiz; 4. Superação da fragilidade do Réu frente ao Estado; 5. Confronto da verdade pelo método dialético;

13 Leis penais crimes penas Medidas de Segurança jus puniendi jus persequendi ação penal Leis processuais formasdeatuaçãodaleipenal organização judiciária(competência) direitos e deveres dos órgãos oficiais capacidade das partes(legitimidade) direitos e deveres das partes formas e efeitos dos atos processuais

14 DIREITO PROCESSUAL PENAL E SUA HISTÓRIA: Código de Processo Penal de 1941(decreto-lei de 1941) visão policialesca que contrasta com a visão democrática da constituição de Constituição de 1988 princípios de garantias individuais

15 DIREITO PROCESSUAL PENAL E SUA HISTÓRIA: Ordenações Afonsinas; Ordenações Filipinas - Torturas e inquisição. Séc. XVI a XIX - Ordenações do Reino de Portugal - Reproduziam regras do Direito Canônico Declaração universal dos Direitos do Homem - Iluminismo, revolução francesa, a igreja perde sua força.

16 DIREITO PROCESSUAL PENAL E SUA HISTÓRIA: 1824 Constituição do Brasil; A Carta outorgada no Brasil aboliu açoites, torturas, marcas de ferro quente e outras penas cruéis. Recomendou que as cadeias deveriam ser limpas, seguras e arejadas. Ainda perdurava a pena de morte. Quanto à escravidão esta seria problema a ser tratado pelo direito civil por se tratar de propriedade patrimonial Código de processo Criminal de primeira instância;

17 DIREITO PROCESSUAL PENAL E SUA HISTÓRIA: 1941 Código de processo Penal; Presunção de culpabilidade; O acusado é tratado como potencial culpado Fase investigatória inquisitorial; Constituição Federal; Processo como garantia individual do cidadão; Sistema acusatório X sistema inquisitorial.

18 DIREITO PROCESSUAL PENAL E SUA HISTÓRIA: Sistema inquisitorial. PROCESSO PENAL Acusações difusas, procedimentos secretos, concentração da função de investigar, acusar e julgar na mesma autoridade; Sistema acusatório Acusações delimitadas, procedimentos públicos, separação de funções acusar x defender x julgar

19 19

12/08/2012 PROCESSO PENAL II PROCESSO PENAL II

12/08/2012 PROCESSO PENAL II PROCESSO PENAL II II 2ª -Parte Professor: Rubens Correia Junior 1 II Acessem!!!!!! www.rubenscorreiajr.blogspot.com 2 1 O : É o conjunto de atos cronologicamente concatenados (procedimentos), submetido a princípios e regras

Leia mais

PLANO DE ENSINO. 5. RELAÇÕES INTERDISCIPLINARES Teoria Geral do Processo; Direito Penal I; Direito Penal II; Direito Constitucional II.

PLANO DE ENSINO. 5. RELAÇÕES INTERDISCIPLINARES Teoria Geral do Processo; Direito Penal I; Direito Penal II; Direito Constitucional II. PLANO DE ENSINO 1. DADOS DE IDENTIFICAÇÃO Instituição: Universidade Alto Vale do Rio do Peixe Curso: Direito Professora: Ms. Anna Karyne Turbay Palodetto anakaryne@uniarp.edu.br Período/ Fase: 6º Semestre:

Leia mais

PRINCÍPIOS NORTEADORES DO PROCESSO PENAL

PRINCÍPIOS NORTEADORES DO PROCESSO PENAL PRINCÍPIOS NORTEADORES DO PROCESSO PENAL Carlos Antonio da Silva 1 Sandro Marcos Godoy 2 RESUMO: O Direito Penal é considerado o ramo jurídico mais incisivo, uma vez que restringe um dos maiores bens do

Leia mais

OS TRIBUNAIS E O MINISTÉRIO PÚBLICO

OS TRIBUNAIS E O MINISTÉRIO PÚBLICO OS TRIBUNAIS E O MINISTÉRIO PÚBLICO Art.º 202º da Constituição da República Portuguesa «1. Os tribunais são órgãos de soberania com competência para Administrar a justiça em nome do povo. (...)» A lei

Leia mais

C- ÁREA PROFISSIONAL DIREITO NA ÁREA DA SAÚDE PÚBLICA

C- ÁREA PROFISSIONAL DIREITO NA ÁREA DA SAÚDE PÚBLICA C- ÁREA PROFISSIONAL DIREITO NA ÁREA DA SAÚDE PÚBLICA DIREITO NA ÁREA DA SAÚDE PÚBLICA Titulação conferida: Aprimoramento Supervisora: Dra. Solange Gonçalves Roja Potecasu Características: (duração 12

Leia mais

1. PRINCÍPIOS DOS JUIZADOS ESPECIAIS CRIMINAIS art. 62 da Lei 9.009/95 2. OBJETIVOS DO JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL

1. PRINCÍPIOS DOS JUIZADOS ESPECIAIS CRIMINAIS art. 62 da Lei 9.009/95 2. OBJETIVOS DO JUIZADO ESPECIAL CRIMINAL 1 PROCESSO PENAL PROCESSO PENAL PONTO 1: Princípios dos Juizados Especiais Criminais PONTO 2: Objetivos PONTO 3: Competência PONTO 4: Fase Policial PONTO 5: Fase Judicial PONTO 6: Recursos PONTO 7: Atos

Leia mais

O EXERCÍCIO OBRIGATÓRIO DO DIREITO DE REGRESSO

O EXERCÍCIO OBRIGATÓRIO DO DIREITO DE REGRESSO Novos Temas da Responsabilidade Civil Extracontratual das Entidades Públicas O EXERCÍCIO OBRIGATÓRIO DO DIREITO DE REGRESSO Instituto de Ciências Jurídico-Políticas Faculdade de Direito da Universidade

Leia mais

NOVOS INSTRUMENTOS PERMITEM CONCRETIZAR DIREITOS HUMANOS NO STF E STJ

NOVOS INSTRUMENTOS PERMITEM CONCRETIZAR DIREITOS HUMANOS NO STF E STJ NOVOS INSTRUMENTOS PERMITEM CONCRETIZAR DIREITOS HUMANOS NO STF E STJ (Conjur, 10/12/2014) Alexandre de Moraes Na luta pela concretização da plena eficácia universal dos direitos humanos o Brasil, mais

Leia mais

Crimes praticados por militares estaduais contra civis Procedimentos a serem adotados, CPP ou CPPM?

Crimes praticados por militares estaduais contra civis Procedimentos a serem adotados, CPP ou CPPM? Crimes praticados por militares estaduais contra civis Procedimentos a serem adotados, CPP ou CPPM? A Justiça Militar Estadual por força de expressa vedação contida no art. 125, 4º, da CF/88, não tem competência

Leia mais

PROCESSO PENAL RESUMO DE PROCESSO PENAL 3 Rosivaldo Russo 1) AÇÃO PENAL: 2. INÍCIO DA AÇÃO PENAL

PROCESSO PENAL RESUMO DE PROCESSO PENAL 3 Rosivaldo Russo 1) AÇÃO PENAL: 2. INÍCIO DA AÇÃO PENAL PROCESSO PENAL RESUMO DE PROCESSO PENAL 3 Rosivaldo Russo 1) AÇÃO PENAL: 2. INÍCIO DA AÇÃO PENAL AÇÃO PENAL PÚBLICA tem início através de uma peça que se chama denúncia. Essa é a petição inicial dos crimes

Leia mais

O ÔNUS DA PROVA E O SISTEMA ACUSATÓRIO NO DIREITO PROCESSUAL PENAL BRASILEIRO

O ÔNUS DA PROVA E O SISTEMA ACUSATÓRIO NO DIREITO PROCESSUAL PENAL BRASILEIRO O ÔNUS DA PROVA E O SISTEMA ACUSATÓRIO NO DIREITO PROCESSUAL PENAL BRASILEIRO Prof. Claudiney Alessandro Gonçalves Professor do Curso de Direito da Faculdade de Educação, Administração e Tecnologia de

Leia mais

L G E ISL S A L ÇÃO O ES E P S EC E IAL 2ª ª-

L G E ISL S A L ÇÃO O ES E P S EC E IAL 2ª ª- DIREITO PENAL III LEGISLAÇÃO ESPECIAL 2ª - Parte Professor: Rubens Correia Junior 1 DIREITO PENAL TEORIA DO CRIME 2 Teoria do crime INFRAÇÃO PENAL; Critério bipartido; Art. 1 da LICP Crime é infração penal

Leia mais

O suspeito, o acusado e o condenado frente aos direitos humanos fundamentais

O suspeito, o acusado e o condenado frente aos direitos humanos fundamentais Pontifícia Universidade Católica de São Paulo Departamento VI Direitos Difusos e Coletivos Programa de Ensino - Núcleo de Prática Jurídica - 2016 Professor: Plínio Antônio Britto Gentil O suspeito, o acusado

Leia mais

PONTO DOS CONCURSOS PROCESSUAL CIVIL P/ TCU 3º SIMULADO DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ TCU! PROFESSOR: RICARDO GOMES

PONTO DOS CONCURSOS PROCESSUAL CIVIL P/ TCU 3º SIMULADO DE DIREITO PROCESSUAL CIVIL P/ TCU! PROFESSOR: RICARDO GOMES 3º SIMULADO DE DIREITO! AVISOS: Estamos ministrando os seguintes CURSOS: ORGANIZAÇÃO DO MPE/RJ DIREITO PROCESSUAL PARA O TCU TEORIA E EXERCÍCIOS REGIMENTO INTERNO DO TSE TODOS OS CARGOS (TEORIA E EXERCÍCIOS)

Leia mais

A PRISÃO PREVENTIVA E AS SUAS HIPÓTESES PREVISTAS NO ART. 313 DO CPP, CONFORME A LEI Nº 12.403, DE 2011.

A PRISÃO PREVENTIVA E AS SUAS HIPÓTESES PREVISTAS NO ART. 313 DO CPP, CONFORME A LEI Nº 12.403, DE 2011. A PRISÃO PREVENTIVA E AS SUAS HIPÓTESES PREVISTAS NO ART. 313 DO CPP, CONFORME A LEI Nº 12.403, DE 2011. Jorge Assaf Maluly Procurador de Justiça Pedro Henrique Demercian Procurador de Justiça em São Paulo.

Leia mais

A Tutela Provisória no Novo Código de Processo Civil SUMÁRIO

A Tutela Provisória no Novo Código de Processo Civil SUMÁRIO A Tutela Provisória no Novo Código de Processo Civil SUMÁRIO PARTE 1 A TUTELA PROVISÓRIA PREVISTA NO NOVO CÓDIGO DE PROCESSO CIVIL A PARTIR DE UMA PERSPECTIVA CRÍTICA... 23 CAPÍTULO I TEORIA GERAL DA TUTELA

Leia mais

O art. 96, III da CF prevê o foro por prerrogativa de função dos membros do MP, incluindo os Promotores e Procuradores de Justiça.

O art. 96, III da CF prevê o foro por prerrogativa de função dos membros do MP, incluindo os Promotores e Procuradores de Justiça. Turma e Ano: Flex A (2014) Matéria / Aula: Processo Penal / Aula 11 Professor: Elisa Pittaro Conteúdo: Foro por Prerrogativa de Função; Conexão e Continência. 3.5 Foro por Prerrogativa de Função: b) Juízes

Leia mais

15/05/2013 MODELO DE RELAXAMENTO DA PRISÃO EM FLAGRANTE

15/05/2013 MODELO DE RELAXAMENTO DA PRISÃO EM FLAGRANTE Direito Processual Penal 2ª Fase OAB/FGV Professora Beatriz Abraão MODELO DE RELAXAMENTO DA PRISÃO EM FLAGRANTE Excelentíssimo Senhor Doutor Juiz de Direito da... Vara Criminal da Comarca... (especificar

Leia mais

DIREITO PROCESSUAL PENAL DR. WILSON DIAS

DIREITO PROCESSUAL PENAL DR. WILSON DIAS ESMEG ESCOLA SUPERIOR DA MAGISTRATURA DO ESTADO DE GOIÁS Prof. e Des. Romeu Pires de Campos Barros DIREITO PROCESSUAL PENAL DR. WILSON DIAS PONTO V - PROCESSO PENAL, SISTEMAS PROCESSUAIS PENAIS E PRINCÍPIOS

Leia mais

FIXAÇÃO DO VALOR MÍNIMO DE INDENIZAÇÃO E SUA INSTRUMENTALIZAÇÃO PRÁTICA VALOR MÍNIMO DE INDENIZAÇÃO: FIXAÇÃO E NSTRUMENTALIZAÇÃO

FIXAÇÃO DO VALOR MÍNIMO DE INDENIZAÇÃO E SUA INSTRUMENTALIZAÇÃO PRÁTICA VALOR MÍNIMO DE INDENIZAÇÃO: FIXAÇÃO E NSTRUMENTALIZAÇÃO FIXAÇÃO DO VALOR MÍNIMO DE INDENIZAÇÃO E SUA INSTRUMENTALIZAÇÃO PRÁTICA José Roberto Torres da Silva Batista * Isaiane Costa Pereira ** RESUMO Este artigo discute uma visão dialética do conhecimento, a

Leia mais

PROCESSO PENAL RESUMO DE PROCESSO PENAL 1 Rosivaldo Russo

PROCESSO PENAL RESUMO DE PROCESSO PENAL 1 Rosivaldo Russo PROCESSO PENAL RESUMO DE PROCESSO PENAL 1 Rosivaldo Russo ESPÉCIES DE PRISÃO: 1. P. Penal sentença condenatória transitada em julgado 2. P. Processuais, cautelares ou provisórias antes da formação da culpa

Leia mais

AS GARANTIAS CONSTITUCIONAIS EM RELAÇÃO AO PRINCÍPIO DA INOCÊNCIA PRESUMIDA

AS GARANTIAS CONSTITUCIONAIS EM RELAÇÃO AO PRINCÍPIO DA INOCÊNCIA PRESUMIDA AS GARANTIAS CONSTITUCIONAIS EM RELAÇÃO AO PRINCÍPIO DA INOCÊNCIA PRESUMIDA * Luis Fernando da Silva Arbêlaez Júnior ** Professora Vânia Maria Bemfica Guimarães Pinto Coelho Resumo A Constituição Federal

Leia mais

PRINCÍPIO DA PRESUNÇÃO DE INOCÊNCIA: Caso dos Irmãos Naves. Palavras-chave: Princípio da Presunção de Inocência. Irmãos Naves.

PRINCÍPIO DA PRESUNÇÃO DE INOCÊNCIA: Caso dos Irmãos Naves. Palavras-chave: Princípio da Presunção de Inocência. Irmãos Naves. PRINCÍPIO DA PRESUNÇÃO DE INOCÊNCIA: Caso dos Irmãos Naves Resumo Wesley Borges da Silva * O presente trabalho tem o objetivo de analisar o Princípio da Presunção de Inocência baseado no caso dos Irmãos

Leia mais

Uma vez mais: da garantia da ordem pública como fundamento de decretação da prisão preventiva

Uma vez mais: da garantia da ordem pública como fundamento de decretação da prisão preventiva Uma vez mais: da garantia da ordem pública como fundamento de decretação da prisão preventiva Elaborado em 06.2005. Bruno César Gonçalves da Silva Mestre em Direito Processual pela PUC-Minas, professor

Leia mais

16/09/2012 DIREITO PROCESSO PENAL I. Processo penal I

16/09/2012 DIREITO PROCESSO PENAL I. Processo penal I DIREITO I 9ª - Parte Professor: Rubens Correia Junior 1 Processo penal I 2 1 AÇÃO PENAL É o direito público subjetivo do Estado Administração, de pedir ao Estado a aplicação do direito penal objetivando

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 2011.02 3º PERÍODO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 2011.02 3º PERÍODO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO E REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 2011.02 3º PERÍODO DISCIPLINA: HISTÓRIA, CULTURA E INSTITUIÇÃO DO DIREITO História do direito no Brasil Colônia. História do direito no Brasil Império.

Leia mais

Capítulo I - Dos Direitos e deveres individuais e coletivos (art. 5º) Diferenciação entre Direitos, Garantias e Remédios Constitucionais.

Capítulo I - Dos Direitos e deveres individuais e coletivos (art. 5º) Diferenciação entre Direitos, Garantias e Remédios Constitucionais. Diferenciação entre Direitos, Garantias e Remédios Constitucionais. Direitos: Declarações que limitam a atuação do Estado ou dos cidadãos. Garantias: Blindagem que envolve o Direito, evitando sua violação.

Leia mais

A PRISÃO DO DIREITO PENAL. Aurélio Wander Bastos

A PRISÃO DO DIREITO PENAL. Aurélio Wander Bastos A PRISÃO DO DIREITO PENAL Aurélio Wander Bastos O moderno Direito Penal Brasileiro tem evoluído em três grandes linhas teóricas: a do Direito Penal Comum, que trata principalmente da criminalidade comum;

Leia mais

CONSTITUIÇÃO E DIREITO PENAL

CONSTITUIÇÃO E DIREITO PENAL CONSTITUIÇÃO E DIREITO PENAL ROQUE DE BRITO ALVES 1 I - INTRODUÇÃO 1 Infelizmente, no Brasil, a Constituição existe mais para ser violada e não aplicada, o que ocorreu, historicamente, desde a Constituição

Leia mais

CURSO DE DIREITO PERÍODO NOTURNO 2015-2 HORÁRIO DO 1º SEMESTRE

CURSO DE DIREITO PERÍODO NOTURNO 2015-2 HORÁRIO DO 1º SEMESTRE 2015-2 HORÁRIO DO 1º SEMESTRE Introdução ao Estudo do Direito Ciência Política e Teoria Geral do Estado Filosofia Redação e Linguagem Jurídica Direito, Pessoa e Sociedade Introdução ao Estudo do Direito

Leia mais

RESPONSABILIDADE ADMINISTRATIVA

RESPONSABILIDADE ADMINISTRATIVA RESPONSABILIDADE ADMINISTRATIVA DEFINIÇÃO INFORMAÇÕES GERAIS INFORMAÇÕES COMPLEMENTARES FUNDAMENTAÇÃO LEGAL PERGUNTAS FREQUENTES DEFINIÇÃO Decorre da transgressão de normas administrativas pelo servidor,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010.

RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010. RESOLUÇÃO Nº, DE DE 2010. Dispõe sobre a divulgação de dados processuais eletrônicos na rede mundial de computadores, expedição de certidões judiciais e dá outras providências. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

Buscas e apreensões em escritórios dos advogados à luz do novo CPP Roberto Raposo Janeiro 2011 -o nível do desenvolvimento civilizacional -ser avaliado pelo grau de equilíbrio -poder dever punitivo do

Leia mais

LEI FEDERAL CONCEDE ANISTIA PARA POLICIAIS E BOMBEIROS MILITARES DA BAHIA QUE PARTICIPARAM DE MOVIMENTOS REIVINDICATÓRIOS

LEI FEDERAL CONCEDE ANISTIA PARA POLICIAIS E BOMBEIROS MILITARES DA BAHIA QUE PARTICIPARAM DE MOVIMENTOS REIVINDICATÓRIOS LEI FEDERAL CONCEDE ANISTIA PARA POLICIAIS E BOMBEIROS MILITARES DA BAHIA QUE PARTICIPARAM DE MOVIMENTOS REIVINDICATÓRIOS Fabiano Samartin Fernandes * O Presidente da República sancionou a Lei n. 12.191,

Leia mais

Sumário NOTA À TERCEIRA EDIÇÃO... 15 NOTA PRÉVIA... 19 PREFÁCIO... 21 APRESENTAÇÃO... 23

Sumário NOTA À TERCEIRA EDIÇÃO... 15 NOTA PRÉVIA... 19 PREFÁCIO... 21 APRESENTAÇÃO... 23 Sumário NOTA À TERCEIRA EDIÇÃO... 15 NOTA PRÉVIA... 19 PREFÁCIO... 21 APRESENTAÇÃO... 23 CAPÍTULO I... 25 1. Novos riscos, novos danos... 25 2. O Estado como responsável por danos indenizáveis... 26 3.

Leia mais

DIREITO PENAL MILITAR

DIREITO PENAL MILITAR DIREITO PENAL MILITAR Objetivos: Definir direito penal e direito penal militar; Distinguir direito penal militar das demais denominações do direito e dos demais direitos e ciências afins; Distinguir lei

Leia mais

O ÔNUS DA PROVA NO PROCESSO PENAL

O ÔNUS DA PROVA NO PROCESSO PENAL O ÔNUS DA PROVA NO PROCESSO PENAL Gustavo de Oliveira Santos Estudante do 7º período do curso de Direito do CCJS-UFCG. Currículo lattes: http://lattes.cnpq.br/4207706822648428 Desde que o Estado apossou-se

Leia mais

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO

CONTEÚDO PROGRAMÁTICO CONTEÚDO PROGRAMÁTICO 1. Introdução: A Pena 2. A Pena na Constituição Federal de 1988 3. Finalidades da pena 4. Espécies de pena no Código Penal brasileiro 5. Direito Penitenciário 6. Legislação 7. Aplicação

Leia mais

1. MEDIDAS ASSECURATÓRIAS NATUREZA DAS MEDIDAS ASSECURATÓRIAS:... DIFERENCIAÇÃO ENTRE SEQUESTRO E ARRESTO:... 2. MEDIDAS ASSECURATÓRIAS EM ESPÉCIE

1. MEDIDAS ASSECURATÓRIAS NATUREZA DAS MEDIDAS ASSECURATÓRIAS:... DIFERENCIAÇÃO ENTRE SEQUESTRO E ARRESTO:... 2. MEDIDAS ASSECURATÓRIAS EM ESPÉCIE 1 PROCESSO PENAL PONTO 1: Medidas Assecuratórias PONTO 2: Medidas Assecuratórias em Espécie PONTO 3: Sequestro PONTO 4: Arresto 1. MEDIDAS ASSECURATÓRIAS NATUREZA DAS MEDIDAS ASSECURATÓRIAS:... DIFERENCIAÇÃO

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação

Plano de Ensino. Identificação Identificação Plano de Ensino Curso: direito Disciplina: prática penal Ano/semestre: 2012/1º Carga horária: Total: 40h Semanal: 4h Professor: Caroline de Queiroz Costa Vitorino Período/turno: 9º - matutino

Leia mais

SUMÁRIO. CAPÍTULO II - Polícia Judiciária Militar... 17 1 Polícia Judiciária Militar... 17

SUMÁRIO. CAPÍTULO II - Polícia Judiciária Militar... 17 1 Polícia Judiciária Militar... 17 Direito Processual Penal Militar - 4ª Edição SUMÁRIO CAPÍTULO I Princípios... 13 1 Princípios aplicados no processo penal militar... 13 2 Lei do processo penal militar e sua aplicação... 15 3 Aplicação

Leia mais

SUSPENSÃO CONDICIONAL DO PROCESSO: momento processual para a aceitação do benefício MARCIO FRANCISCO ESCUDEIRO LEITE

SUSPENSÃO CONDICIONAL DO PROCESSO: momento processual para a aceitação do benefício MARCIO FRANCISCO ESCUDEIRO LEITE SUSPENSÃO CONDICIONAL DO PROCESSO: momento processual para a aceitação do benefício MARCIO FRANCISCO ESCUDEIRO LEITE PROMOTOR DE JUSTIÇA ASSESSOR DO CENTRO DE APOIO OPERACIONAL CRIMINAL DO MINISTÉRIO PUBLICO

Leia mais

DIVISÃO ESPACIAL DO PODER

DIVISÃO ESPACIAL DO PODER DIVISÃO ESPACIAL DO PODER FORMA DE ESTADO: UNITÁRIO 1. Puro: Absoluta centralização do exercício do Poder; 2. Descentralização administrativa: Concentra a tomada de decisões, mas avança na execução de

Leia mais

PARECERES JURÍDICOS. Para ilustrar algumas questões já analisadas, citamos abaixo apenas as ementas de Pareceres encomendados:

PARECERES JURÍDICOS. Para ilustrar algumas questões já analisadas, citamos abaixo apenas as ementas de Pareceres encomendados: PARECERES JURÍDICOS Partindo das diversas obras escritas pelo Prof.Dr. AURY LOPES JR., passamos a oferecer um produto diferenciado para os colegas Advogados de todo o Brasil: a elaboração de Pareceres

Leia mais

SUMÁRIO NOTA DOS COORDENADORES DA COLEÇÃO...15

SUMÁRIO NOTA DOS COORDENADORES DA COLEÇÃO...15 SUMÁRIO NOTA DOS COORDENADORES DA COLEÇÃO...15 DIREITO ADMINISTRATIVO...17 Fernando Ferreira Baltar Neto e Ronny Charles Lopes de Torres 1. Direito Administrativo e o Regime Jurídico-Administrativo...17

Leia mais

3.12 Questões comentadas 3.13 Questões Cespe/UNB

3.12 Questões comentadas 3.13 Questões Cespe/UNB SUMÁRIO 1. NOÇÕES INICIAIS 1.1 Sistemas Processuais Penais 1.1.1 Sistema inquisitório 1.1.2 Sistema misto (ou híbrido) 1.1.3 Sistema acusatório 1.1.4 Modelo adotado no Brasil 1.2 Fontes do Processo Penal

Leia mais

INTERESSE PÚBLICO: Supremacia e Indisponibilidade.

INTERESSE PÚBLICO: Supremacia e Indisponibilidade. INTERESSE PÚBLICO: Supremacia e Indisponibilidade. Jaileno Miranda Conceição¹ RESUMO O Direito Administrativo é um ramo do Direito Público composto por órgãos, agentes, e pessoas jurídicas administrativas,

Leia mais

NOVA LEI ANTICORRUPÇÃO

NOVA LEI ANTICORRUPÇÃO NOVA LEI ANTICORRUPÇÃO O que muda na responsabilização dos indivíduos? Código Penal e a Lei 12.850/2013. MARCELO LEONARDO Advogado Criminalista 1 Regras Gerais do Código Penal sobre responsabilidade penal:

Leia mais

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS

DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS BR/1998/PI/H/4 REV. DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS HUMANOS Adotada e proclamada pela resolução 217 A (III) da Assembléia Geral das Nações Unidas em 10 de dezembro de 1948 Brasília 1998 Representação

Leia mais

A RELAÇÃO DO RIO DE JANEIRO NO BRASIL IMPERIAL. A Constituição do Império (25/3/1824), como se sabe, prescreveu em seu art. 179, inciso XVIII:

A RELAÇÃO DO RIO DE JANEIRO NO BRASIL IMPERIAL. A Constituição do Império (25/3/1824), como se sabe, prescreveu em seu art. 179, inciso XVIII: A RELAÇÃO DO RIO DE JANEIRO NO BRASIL IMPERIAL Nilton Soares de Souza Neto A Constituição do Império (25/3/1824), como se sabe, prescreveu em seu art. 179, inciso XVIII: ''Organizar-se-á quanto antes um

Leia mais

Pós-graduação em Direito e Processual Penal

Pós-graduação em Direito e Processual Penal Apresentação O Grupo Verbo Jurídico figura hoje como uma das instituições mais completas quando se trata de preparação para Concursos Públicos, também atuando no segmento editorial e de ensino. No campo

Leia mais

Supremo Tribunal Federal

Supremo Tribunal Federal RECLAMAÇÃO 15.309 SÃO PAULO RELATORA RECLTE.(S) PROC.(A/S)(ES) RECLDO.(A/S) ADV.(A/S) INTDO.(A/S) ADV.(A/S) : MIN. ROSA WEBER :MINISTÉRIO PÚBLICO DO ESTADO DE SÃO PAULO :PROCURADOR-GERAL DE JUSTIÇA DO

Leia mais

PLANO DE ENSINO. I Identificação Direito Processual Penal I. Carga horária 72 horas/aula Créditos 4 Semestre letivo 5º.

PLANO DE ENSINO. I Identificação Direito Processual Penal I. Carga horária 72 horas/aula Créditos 4 Semestre letivo 5º. PLANO DE ENSINO I Identificação Disciplina Direito Processual Penal I Código PRO0065 Carga horária 72 horas/aula Créditos 4 Semestre letivo 5º II Ementário O direito processual penal. A norma: material

Leia mais

A NOVA LEI DE FALÊNCIAS E OS CRIMES FALIMENTARES ANTERIORES

A NOVA LEI DE FALÊNCIAS E OS CRIMES FALIMENTARES ANTERIORES A NOVA LEI DE FALÊNCIAS E OS CRIMES FALIMENTARES ANTERIORES Tiago Ghellar Fürst A nova Lei de Falências e Recuperação Judicial, que entrou em vigor no dia 09.06.2005 (Lei 11.101/2005, publicada no DOU

Leia mais

EDITAL Nº. 020/2015 Processo seletivo para ingresso ao quadro de estagiários da 5ª Defensoria Pública da comarca de Paranaguá.

EDITAL Nº. 020/2015 Processo seletivo para ingresso ao quadro de estagiários da 5ª Defensoria Pública da comarca de Paranaguá. EDITAL Nº. 020/2015 Processo seletivo para ingresso ao quadro de estagiários da 5ª Defensoria Pública da comarca de Paranaguá. A 5ª. DEFENSORIA PÚBLICA DA COMARCA DE PARANAGUÁ RESOLVE TORNAR PÚBLICO O

Leia mais

Delegação da Amadora 9 de julho de 2015

Delegação da Amadora 9 de julho de 2015 Dinâmica de Defesa em sede de Inquérito As buscas e as declarações do arguido Delegação da Amadora 9 de julho de 2015 Art.º 64º Obrigatoriedade de assistência Art.º 141º Primeiro interrogatório judicial

Leia mais

IDENTIFICAÇÃO CRIMINAL PELO DNA

IDENTIFICAÇÃO CRIMINAL PELO DNA IDENTIFICAÇÃO CRIMINAL PELO DNA Antônio Alberto Machado, professor livre docente da Unesp/Franca-SP As técnicas de investigação e de prova criminal experimentaram uma verdadeira revolução com o desenvolvimento

Leia mais

Controlar a constitucionalidade de lei ou ato normativo significa:

Controlar a constitucionalidade de lei ou ato normativo significa: Conceito Controlar a constitucionalidade de lei ou ato normativo significa: a) impedir a subsistência da eficácia de norma contrária à Constituição (incompatibilidade vertical) b) conferir eficácia plena

Leia mais

TJ/RJ. Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro ANALISTA JUDICIÁRIO

TJ/RJ. Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro ANALISTA JUDICIÁRIO Edição 1ª 7 8 9 8 4 8 1 9 2 4 2 9 7 Inclui questões gabaritadas! TJ/RJ Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro ANALISTA JUDICIÁRIO Data de fechamento desta edição: 08/08/2011 O conteúdo desta apostila é

Leia mais

1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra o regime absolutista. 2º - Abriu espaço para o avanço do CAPITALISMO.

1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra o regime absolutista. 2º - Abriu espaço para o avanço do CAPITALISMO. APRESENTAÇÃO Aula 08 3B REVOLUÇÃO FRANCESA Prof. Alexandre Cardoso REVOLUÇÃO FRANCESA Marco inicial da Idade Contemporânea ( de 1789 até os dias atuais) 1º - Foi um movimento liderado pela BURGUESIA contra

Leia mais

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 03 CRÉDITO: 03 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL PENAL I NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA

CARGA HORÁRIA SEMANAL: 03 CRÉDITO: 03 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL PENAL I NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA 1. IDENTIFICAÇÃO PERÍODO: 04 CARGA HORÁRIA SEMANAL: 03 CRÉDITO: 03 NOME DA DISCIPLINA: DIREITO PROCESSUAL PENAL I NOME DO CURSO: DIREITO 2. EMENTA CARGA HORÁRIA SEMESTRAL: 45 Introdução ao Direito Processual

Leia mais

O PRINCÍPIO DA PROPORCIONALIDADE INFORMADOR DAS MEDIDAS CAUTELARES PROCESSUAIS PENAIS APÓS A REFORMA INTRODUZIDA PELA LEI Nº 12.

O PRINCÍPIO DA PROPORCIONALIDADE INFORMADOR DAS MEDIDAS CAUTELARES PROCESSUAIS PENAIS APÓS A REFORMA INTRODUZIDA PELA LEI Nº 12. O PRINCÍPIO DA PROPORCIONALIDADE INFORMADOR DAS MEDIDAS CAUTELARES PROCESSUAIS PENAIS APÓS A REFORMA INTRODUZIDA PELA LEI Nº 12.403/11 Liana Carine Fernandes de Queiroz * Lenildo Queiroz Bezerra ** INTRODUÇÃO

Leia mais

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL

PADRÃO DE RESPOSTA PEÇA PROFISSIONAL PEÇA PROFISSIONAL Petição inicial: Queixa-crime. Endereçamento: Vara Criminal da Comarca de São Paulo SP. Vara criminal comum, visto que as penas máximas abstratas, somadas, ultrapassam dois anos. Como

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE RONDÔNIA.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE RONDÔNIA. EXCELENTÍSSIMO SENHOR DESEMBARGADOR PRESIDENTE DO EGRÉGIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE RONDÔNIA. LEONARDO P. DE CASTRO, advogado inscrito na OAB sob o nº 4.329, com escritório nesta Comarca, na Avenida

Leia mais

A REVOGAÇÃO TÁCITA DOS ARTIGOS 30 E 31 DA LEI DO COLARINHO BRANCO EM RAZÃO DA ALTERAÇÃO LEGISLATIVA PROMOVIDA PELA LEI 12.403/11.

A REVOGAÇÃO TÁCITA DOS ARTIGOS 30 E 31 DA LEI DO COLARINHO BRANCO EM RAZÃO DA ALTERAÇÃO LEGISLATIVA PROMOVIDA PELA LEI 12.403/11. A REVOGAÇÃO TÁCITA DOS ARTIGOS 30 E 31 DA LEI DO COLARINHO BRANCO EM RAZÃO DA ALTERAÇÃO LEGISLATIVA PROMOVIDA PELA LEI 12.403/11. Ricardo Henrique Araújo Pinheiro Recentemente publicamos um artigo no qual

Leia mais

Questões de Processo Penal

Questões de Processo Penal Questões de Processo Penal 1º) As Contravenções Penais (previstas na LCP) são punidas com: a) ( ) Prisão Simples; b) ( ) Reclusão; c) ( ) Detenção; d) ( ) Não existe punição para essa espécie de infração

Leia mais

Validade, Vigência, Eficácia e Vigor. 38. Validade, vigência, eficácia, vigor

Validade, Vigência, Eficácia e Vigor. 38. Validade, vigência, eficácia, vigor Validade, Vigência, Eficácia e Vigor 38. Validade, vigência, eficácia, vigor Validade Sob o ponto de vista dogmático, a validade de uma norma significa que ela está integrada ao ordenamento jurídico Ela

Leia mais

TRABALHO 1 COMENTÁRIOS A ACÓRDÃO(STF)

TRABALHO 1 COMENTÁRIOS A ACÓRDÃO(STF) UNIVERSIDADE DE BRASÍLIA MATRICULA:12/0138573 ALUNO:WILSON COELHO MENDES PROFESSOR:VALLISNEY OLIVEIRA TRABALHO 1 COMENTÁRIOS A ACÓRDÃO(STF) Teoria geral do Processo II Princípio:Juiz natural, com observações

Leia mais

Plano de Ensino. Identificação

Plano de Ensino. Identificação Identificação Plano de Ensino Curso: direito Disciplina: processo penal I Ano/semestre: 2012/1º Carga horária: Total: 80h Semanal: 8h Professor: Breno José Bermudes Brandão Período/turno: 6 periodo A e

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PROCESSO CIVIL E GESTÃO DO PROCESSO. ANEXO EMENTAS (Turma III) CARGA HORÁRIA TOTAL DO CURSO: 390 h/a

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PROCESSO CIVIL E GESTÃO DO PROCESSO. ANEXO EMENTAS (Turma III) CARGA HORÁRIA TOTAL DO CURSO: 390 h/a CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM PROCESSO CIVIL E GESTÃO DO PROCESSO CARGA HORÁRIA TOTAL DO CURSO: 390 h/a Seminário de Integração e Motivação SIM () Seminário de imersão. Capacita o aluno a quebrar barreiras

Leia mais

PLANO DE ENSINO. Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito

PLANO DE ENSINO. Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito Ministério da Educação Universidade Federal de Santa Maria Centro de Ciências Sociais e Humanas Departamento de Direito 1) IDENTIFICAÇÃO DA DISCIPLINA Disciplina Processo Penal I PLANO DE ENSINO Código

Leia mais

Reflexões críticas sobre a instrução criminal

Reflexões críticas sobre a instrução criminal Reflexões críticas sobre a instrução criminal Juarez Cirino dos Santos No processo penal, a instrução criminal delimita a fase de produção da prova do fato, necessária para decidir a imputação penal. Assim,

Leia mais

A PRESCRIÇÃO PENAL. Palavras-Chave: Prescrição, Punitiva, Pretensão, Crime, Decisão, Extinção, Interrupção, Imprescritibilidade, Estado e Prazo.

A PRESCRIÇÃO PENAL. Palavras-Chave: Prescrição, Punitiva, Pretensão, Crime, Decisão, Extinção, Interrupção, Imprescritibilidade, Estado e Prazo. A PRESCRIÇÃO PENAL *Juliana de Oliveira Corsi ** Professora Vânia Maria Bemfica Guimarães Pinto Coelho Resumo Uma vez praticado um crime, surge para o Estado o direito de investigar e exercer a sua pretensão

Leia mais

CASOTECA DIREITO GV PRODUÇÃO DE CASOS 2011

CASOTECA DIREITO GV PRODUÇÃO DE CASOS 2011 CASOTECA DIREITO GV PRODUÇÃO DE CASOS 2011 CASOTECA DIREITO GV Caso do Campo de Algodão: Direitos Humanos, Desenvolvimento, Violência e Gênero ANEXO I: DISPOSITIVOS RELEVANTES DOS INSTRUMENTOS INTERNACIONAIS

Leia mais

o mpf/sp e a unifesp notas para a audiência pública

o mpf/sp e a unifesp notas para a audiência pública o mpf/sp e a unifesp notas para a audiência pública unifesp, 23.04.2009 tópicos conhecendo o mpf unifesp e administração pública atuação do mpf/sp na unifesp tutela de direitos coletivos defesa do patrimônio

Leia mais

CAPÍTULO I - FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO...

CAPÍTULO I - FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO... APRESENTAÇÃO DA COLEÇÃO...19 DEDICATÓRIA...21 CAPÍTULO I - FUNÇÃO E CARREIRA DO ADVOGADO... 23 1. Antecedentes históricos da função de advogado...23 2. O advogado na Constituição Federal...24 3. Lei de

Leia mais

DECLARAÇÃO DE BUENOS AIRES (2012) 1

DECLARAÇÃO DE BUENOS AIRES (2012) 1 DECLARAÇÃO DE BUENOS AIRES (2012) 1 Sobre a atuação dos Juízes e Poderes Judiciários Iberoamericanos relativamente à informação, à participação pública e ao acesso à justiça em matéria de meio ambiente

Leia mais

ALTERAÇÃO NO CÓDIGO PENAL: O DELITO DE FAVORECIMENTO DA PROSTITUIÇÃO OU DE OUTRA FORMA DE EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇA OU ADOLESCENTE OU DE VULNERÁVEL

ALTERAÇÃO NO CÓDIGO PENAL: O DELITO DE FAVORECIMENTO DA PROSTITUIÇÃO OU DE OUTRA FORMA DE EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇA OU ADOLESCENTE OU DE VULNERÁVEL ALTERAÇÃO NO CÓDIGO PENAL: O DELITO DE FAVORECIMENTO DA PROSTITUIÇÃO OU DE OUTRA FORMA DE EXPLORAÇÃO SEXUAL DE CRIANÇA OU ADOLESCENTE OU DE VULNERÁVEL. Nomen juris: a Lei nº 12.978/2014 alterou o nome

Leia mais

As interceptações telefônicas como prova cautelar e os princípios do contraditório e da ampla defesa

As interceptações telefônicas como prova cautelar e os princípios do contraditório e da ampla defesa As interceptações telefônicas como prova cautelar e os princípios do contraditório e da ampla defesa Evandro Dias Joaquim* José Roberto Martins Segalla** 1 INTRODUÇÃO A interceptação de conversas telefônicas

Leia mais

CURSO DE ENSINO À DISTÂNCIA EM DIREITO PROCESSUAL CIVIL CONVÊNIO IDP/COC Sábados, das 09 às 12h

CURSO DE ENSINO À DISTÂNCIA EM DIREITO PROCESSUAL CIVIL CONVÊNIO IDP/COC Sábados, das 09 às 12h 1 CURSO DE ENSINO À DISTÂNCIA EM DIREITO PROCESSUAL CIVIL CONVÊNIO IDP/COC Sábados, das 09 às 12h Aula Data Disciplina Professor C/H 1 08 -nov-08 Aula Inaugural Profs. Gilmar Mendes Arruda Alvim Sérgio

Leia mais

CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS, PARA INGRESSO NA CARREIRA DA MAGISTRATURA DO ESTADO DE MINAS GERAIS EDITAL Nº 03/2013

CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS, PARA INGRESSO NA CARREIRA DA MAGISTRATURA DO ESTADO DE MINAS GERAIS EDITAL Nº 03/2013 PONTO 1 Direito Penal Conceito de Direito Penal. História do Direito Penal. História do Direito Penal Brasileiro, Doutrinas e Escolas Penais. Sistemas Penitenciários. Direito Processual Penal Princípios

Leia mais

O Novo Regime das Medidas Cautelares no Processo Penal

O Novo Regime das Medidas Cautelares no Processo Penal 202 O Novo Regime das Medidas Cautelares no Processo Penal Juliana Andrade Barichello 1 O objetivo deste trabalho é discorrer sobre os principais pontos das palestras, enfatizando a importância das alterações

Leia mais

Aspectos Éticos da Perícia do Erro Médico

Aspectos Éticos da Perícia do Erro Médico Aspectos Éticos da Perícia do Erro Médico Prof. Dr. Hermes de Freitas Barbosa Centro de Medicina Legal Departamento de Patologia e Medicina Legal Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto Universidade de

Leia mais

EXCELENTÍSSIMO (A) SENHOR (A) DOUTOR (A) JUIZ (A) DE DIREITO DO PLANTÃO CRIMINAL DA COMARCA DE MANAUS AM.

EXCELENTÍSSIMO (A) SENHOR (A) DOUTOR (A) JUIZ (A) DE DIREITO DO PLANTÃO CRIMINAL DA COMARCA DE MANAUS AM. fls. 65 EXCELENTÍSSIMO (A) SENHOR (A) DOUTOR (A) JUIZ (A) DE DIREITO DO PLANTÃO CRIMINAL DA COMARCA DE MANAUS AM. Autos: 0225155-11.2015.8.04.0001 JOAQUIM RAMOS NASCIMENTO, já qualificado nos autos do

Leia mais

O contraditório e a ampla defesa no processo administrativo

O contraditório e a ampla defesa no processo administrativo SEM REVISÃO O contraditório e a ampla defesa no processo administrativo Ary César Hernandez (*) Promotor de Justiça SP SUMÁRIO: 1 Generalidades. 1.1 O poder disciplinar. 1.2 Requisitos da aplicação de

Leia mais

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE JATAÍ - CESUT A s s o c i a ç ã o J a t a i e n s e d e E d u c a ç ã o

CENTRO DE ENSINO SUPERIOR DE JATAÍ - CESUT A s s o c i a ç ã o J a t a i e n s e d e E d u c a ç ã o EMENTA: 1. TEORIA GERAL DA EXECUÇÃO 2. PARTES NO PROCESSO DE EXECUÇÃO 3. COMPETÊNCIA 4. REQUISITOS NECESSÁRIOS PARA REALIZAR QUALQUER EXECUÇÃO 5. FASE DE CUMPRIMENTO DE SENTENÇA 5.1 CUMPRIMENTO DE SENTENÇA

Leia mais

Prisão Preventiva e Clamor Público

Prisão Preventiva e Clamor Público Prisão Preventiva e Clamor Público José Carlos Fragoso 1. A prisão preventiva é medida excepcional, que se funda exclusivamente na imperiosa necessidade. O normal é que as pessoas recebam a pena depois

Leia mais

PROGRAMAÇÃO DO CURSO

PROGRAMAÇÃO DO CURSO DIREITO PENAL - PDF Duração: 09 semanas 01 aula por semana. Início: 04 de agosto Término: 06 de outubro Professor: JULIO MARQUETI PROGRAMAÇÃO DO CURSO DIA 04/08 - Aula 01 Aplicação da Lei Penal no tempo.

Leia mais

GUIA DE ESTUDOS INSS NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO FÁBIO RAMOS BARBOSA

GUIA DE ESTUDOS INSS NOÇÕES DE DIREITO ADMINISTRATIVO FÁBIO RAMOS BARBOSA DIREITO ADMINISTRATIVO Estado, governo e administração pública: conceitos, elementos, poderes e organização; natureza, fins e princípios. Direito Administrativo: conceito, fontes e princípios. Organização

Leia mais

COMPETÊNCIA CAPÍTULO VIII 1. NOÇÕES GERAIS

COMPETÊNCIA CAPÍTULO VIII 1. NOÇÕES GERAIS COMPETÊNCIA CAPÍTULO VIII COMPETÊNCIA SUMÁRIO 1. Noções gerais; 2. Competência territorial (ratione loci); 2.1. O lugar da infração penal como regra geral (art. 70 CPP); 2.2. O domicílio ou residência

Leia mais

OS EFEITOS RETROATIVOS DA LEI 10.259/01 NO STATUS LIBERTATIS DO INDIVÍDUO

OS EFEITOS RETROATIVOS DA LEI 10.259/01 NO STATUS LIBERTATIS DO INDIVÍDUO OS EFEITOS RETROATIVOS DA LEI 10.259/01 NO STATUS LIBERTATIS DO INDIVÍDUO I INTRODUÇÃO A atividade laborativa do Defensor Público extrapola os limites da interpretação e operacionalidade da lei, porque

Leia mais

SIGNIFICADO DE BUSCA E APREENSÃO

SIGNIFICADO DE BUSCA E APREENSÃO SIGNIFICADO DE BUSCA E APREENSÃO * Nayara Humberto Ferreira ** Vânia Maria Bemfica Guimarães Pinto Coelho 1 Resumo Busca e apreensão é o interesse de reaver a pessoa ou a coisa que encontra-se em poder

Leia mais

DIREITO ADMINISTRATIVO I. NOÇÕES PRELIMINARES

DIREITO ADMINISTRATIVO I. NOÇÕES PRELIMINARES DIREITO ADMINISTRATIVO I. NOÇÕES PRELIMINARES 1. DIREITO: é o conjunto de normas de conduta coativa impostas pelo Estado, se traduz em princípios de conduta social, tendentes a realizar Justiça, assegurando

Leia mais

A OBRIGATORIEDADE DE APLICAÇÃO DO REGIME DE APURAÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE A RECEITA BRUTA, QUANDO DESFAVORÁVEL AO CONTRIBUINTE

A OBRIGATORIEDADE DE APLICAÇÃO DO REGIME DE APURAÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE A RECEITA BRUTA, QUANDO DESFAVORÁVEL AO CONTRIBUINTE 1 A OBRIGATORIEDADE DE APLICAÇÃO DO REGIME DE APURAÇÃO DA CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE A RECEITA BRUTA, QUANDO DESFAVORÁVEL AO CONTRIBUINTE Wagner Balera PUC-SP EQUIDADE V - Equidade na Forma de Participação

Leia mais

Turma TCMRJ Técnico de Controle Externo 123 Módulo 1 4

Turma TCMRJ Técnico de Controle Externo 123 Módulo 1 4 Turma TCMRJ Técnico de Controle Externo 123 Módulo 1 4 Banca: SECRETARIA MUNICIPAL DE ADMINISTRAÇÃO/RJ Edital SMA Nº 84/2010 (data da publicação: 27/09/2010) Carga horária (aulas presenciais): 126 horas

Leia mais

PROJETO DE LEI N o, DE 2009

PROJETO DE LEI N o, DE 2009 PROJETO DE LEI N o, DE 2009 (Do Sr. NELSON GOETTEN) Altera o Decreto-Lei nº 3.689, de 1941 Código de Processo Penal. O Congresso Nacional decreta: Art. 1º Esta lei altera o Decreto-Lei nº 3.689, de 1941

Leia mais

A DEFENSORIA PÚBLICA COMO GARANTIDORA DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS DOS PRESOS PROVISÓRIOS E CONDENADOS

A DEFENSORIA PÚBLICA COMO GARANTIDORA DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS DOS PRESOS PROVISÓRIOS E CONDENADOS A COMO GARANTIDORA DOS DIREITOS FUNDAMENTAIS DOS PRESOS PROVISÓRIOS E CONDENADOS Maicom Alan Fraga Vendruscolo. Defensor Público do Estado de Mato Grosso, pós-graduado em Ciências Penais e atua na Comarca

Leia mais

NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Profa. Dra. Júnia Mara do Vale

NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA. Profa. Dra. Júnia Mara do Vale NOÇÕES DE ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA Profa. Dra. Júnia Mara do Vale Ad(preposição) + ministro,as,are(verbo) que significa servir, executar; para outros vem de ad manus trahere que envolve a idéia de direção

Leia mais

A DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ RESOLVE TORNAR PÚBLICO:

A DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ RESOLVE TORNAR PÚBLICO: EDITAL N.º 010/2015 Processo seletivo para ingresso ao quadro de estagiários da Defensoria Pública do Estado do Paraná em Piraquara - PR A DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO PARANÁ RESOLVE TORNAR PÚBLICO:

Leia mais