Material Informativo Confidencial 1/75

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Material Informativo Confidencial 1/75"

Transcrição

1 1

2 AGENDA - Indústria de Saneamento - Visão Geral - Destaques Operacionais - Aspectos Regulatórios - Destaques Financeiros - Diferenciais - Conquistas 2

3 Água no Brasil 3

4 Comparação Global de Saneamento Básico Apesar da vasta oferta de água, o acesso a coleta e tratamento de esgoto no Brasil ainda é escasso, comparado a outros países desenvolvidos Reservas mundiais de água potável Restante do planeta 63% Brasil 13% Rússia 10% Canadá 7% EUA 7% Fonte: Banco Mundial População com acesso a água potável 1 População com acesso a coleta de esgoto 1 % da população % da população França 100% EUA 100% EUA 99% França 100% Argentina 97% Argentina 90% Rússia 96% Rússia 87% México 94% México 85% Brasil 93% 100% Brasil 56% 65% China 89% China 55% Índia 88% Índia 31% Fonte: Organização Mundial da Saúde, SNIS 1 Métrica para Sanepar se refere a 31 de dezembro de 2014 Fonte: Organização Mundial da Saúde, SNIS 1 Métrica para Sanepar se refere a 31 de dezembro de

5 Universalização de Água e Esgoto no Brasil A baixa penetração dos serviços de fornecimento de água tratada, coleta e tratamento de esgoto no Brasil levou o governo federal a traçar um plano de universalização desses serviços, o que deve gerar investimentos superiores a R$304bi até 2033 Cobertura de Água como % da população estadual 1 Plano Nacional de Saneamento R$ bilhões Região Sul Universalização do saneamento % de Cobertura <40% 40-60% 60-80% 80-90% >90% Cobertura de Esgoto como % da população estadual % de Cobertura <10% 10-20% 20-40% 40-70% >70% Fonte: Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento 1 A Sanepar também está presente no município de Porto União, em Santa Catarina Fonte: Plano Nacional de Saneamento 5

6 AGENDA - Indústria de Saneamento - Visão Geral - Destaques Operacionais - Aspectos Regulatórios - Destaques Financeiros - Diferenciais - Conquistas 6

7 Estrutura Acionária 49.0% 51.0% Dominó Holdings S/A Fundo Garantidor PPP-PR Pref. Municipais Free Float (Outros) ON: 75.0% PN: 29.0% Total: 51.4% ON: 24.7% PN: 0.3% Total: 12.2% PN: 14,9% Total: 7.6% PN: 14.3% Total: 7.3% PN: 4.1% Total: 2.1% PN: 4.0% Total: 2.0% PN: 1.0% Total: 0.5% ON: 0.3% PN: 32.4% Total: 16.9% Acordo de Acionistas Alinhamento de interesses entre os acionistas controladores, com acordo válido até 2021 Equacionamento do débito pendente junto ao Estado do Paraná Acionista privado com direitos de proteção patrimonial Fortalecimento da governança corporativa Definição da politica de dividendos Estrutura Acionária Atual ON PN Total Pós-Reorganização Societária Ações % Ações % Ações % Estado do Paraná ,0% ,0% ,4% Dominó Holdings ,7% ,3% ,2% COPEL ,9% ,6% Fundo Gar. PPP-PR ,3% ,3% Andrade Gutierrez Concessões ,1% ,1% Citigroup Venture ,0% ,0% Pref. Municipais ,0% ,5% Outros ,3% ,4% ,9% Total % % ,00% 7

8 Estrutura Organizacional e Governança Corporativa Estrutura Organizacional Assembleia Geral de Acionistas Estrutura de Governança Corporativa Indica 5 membros Indica 3 membros Indica 1 membro Dominó Holdings S/A Empregados da Sanepar Conselho de Administração Conselho Fiscal Comitê Técnico Conselho de Administração (9 membros) Decisões tomadas pela maioria dos votos Diretoria da Presidência Indica 6 membros Indica 3 membros, entre eles o CFO Dominó Holdings S/A Gabinete da Presidência Diretoria Executiva (9 membros) Indica 3 membros Indica 2 membros Diretoria Administrativa Diretoria Financeira Diretoria Jurídica Diretoria de Operações Diretoria de Diretoria de Diretoria Diretoria Meio Ambiente Relações com Comercial Investimentos e Ação Social Investidores Análise de orçamento, empréstimos e financiamentos, destinação dos lucros e plano de negócios e investimentos Comitê Técnico (5 membros) Dominó Holdings S/A 8

9 Linha do Tempo Destaques do Histórico da Companhia Década de 1960 e Constituição da Agepar 1964 Alteração da denominação social para Sanepar 1971 Criação formal Planasa (Plano Nacional de Saneamento), vinculado ao BNH 1971 Sanepar incorporou o Departamento De Água e Esgoto do Paraná Década de Entrada da iniciativa privada no controle da Companhia: Transferência de 39.7% das ações ordinárias para a Dominó Holdings 1998 Mudança no estatuto social ampliando o escopo de atuação da Sanepar Década de Abertura de Capital 2002 Registro na Bovespa 2002 Primeiro contrato de concessão de gestão de resíduos sólidos (Cianorte) 2003 Início da constituição do Adiantamento para Futuro Aumento de Capital 2007 Marco Regulatório Saneamento 2009 Criação do Instituto das Águas do Paraná (Agência Reguladora) Década de Acórdão STF definindo modelo de prestação de saneamento básico nas regiões metropolitanas e proibindo estados de criarem novos impostos sobre saneamento 2013 Novo Acordo de Acionistas até 2021 e equacionamento do débito da Cia com o Estado com aumento de Capital de R$ 797 milhões 2013 Melhora do Rating da Companhia de A1 para Aa Início da preparação para o Novo Marco Regulatório (consultoria Siglasul) 2014 (outubro) Aprovação pela agência reguladora da metodologia de avaliação da base de ativos ª Joint Venture da Companhia (CS Bioenergia) 2015 Eleita a melhor empresa de Saneamento do Brasil Valor

10 Visão Geral dos Ativos e Serviços Prestados Ativos 168 Estações de Tratamento de Água (ETA) Serviços Abastecimento de água Esgotamento sanitário Resíduos sólidos urbanos Poços artesianos 234 Estações de Tratamento de Esgoto (ETE) 3 Aterros Sanitários 4 Barragens População atendida com rede Índice de cobertura com rede Total de ligações Extensão da rede de distribuição de Água 10.8 milhões de habitantes 100% mil Km População atendida com rede Índice de cobertura com rede Total de ligações Índice de tratamento Extensão da rede coletora de esgoto 7.1 milhões de habitantes 65% % 29 mil Km População atendida com tratamento de RSU Índice de cobertura população urbana Tratamento de resíduos sólidos urbanos 250 mil habitantes 100% 60 mil ton/ano Foco estratégico: Estrutura Adequada Foco estratégico: Manutenção e Melhoria Foco estratégico: Universalização Foco estratégico: Crescimento e Diversificação 10

11 Localização Geográfica A Sanepar está presente em 345 municípios no estado do Paraná 1, abastecendo água para mais de 10.8 milhões de habitantes e coleta e tratamento de esgoto para 7.1 milhões de habitantes Nordeste Noroeste Municípios atendidos: 92 População atendida Água: 1.7mm Esgoto: 1.0mm Maringá Londrina Municípios atendidos: 75 População atendida Água: 1.9mm Esgoto: 1.1mm Cascavel Ponta Grossa Curitiba Metropolitana e Litoral Sudoeste Municípios atendidos: 85 População atendida Água: 1.8mm Esgoto: 1.1mm Sudeste Municípios atendidos: 61 2 População atendida Água: 1.5mm Esgoto: 1.0mm Municípios atendidos: 33 População atendida Água: 3.9mm Esgoto: 2.9mm 1 A Sanepar também está presente no município de Porto União, em Santa Catarina 2 Inclui o município de Porto União, em Santa Catarina Bacias hidrográficas 11

12 Riqueza em Recursos Hídricos As disponibilidades de água no Estado do Paraná são suficientes para atender às necessidades dos diferentes usos e usuários de recursos hídricos, o que reduz o risco de abastecimento Disponibilidades e demandas hídricas 9% 3% 7% 15% 20% Disponibilidade hídrica superficial total de mais de 1.2 milhão de litros por segundo 1% 4% 9% 8% 6% 11 unidades aqüíferas em todo Estado, com disponibilidade hídrica total de aproximadamente 300 mil litros por segundo 5% 2% 4% 6% 3% 2% 2% Utilização de menos de 10% dos recursos hídricos superficiais existentes na maioria das bacias hidrográficas do Estado 6% 9% 23% Disponibilidade hídrica superficial vs. demanda Proporção da demanda em relação a disponibilidade Demandas hídricas por uso Legenda: Disponibilidade hídrica superficial por bacia hidrográfica (L s) Demanda hídrica em relação à disponibilidade por bacia hidrográfica (%) Limites de bacia hidrográfica de recursos hídricos Bacias hidrográficas Principais cidades Demandas hídricas 51,364 L/s Fonte: Plano Estadual de Recursos Hídricos do Paraná 12

13 Riqueza em Recursos Hídricos A Sanepar se diferencia das outras empresas de saneamento do Brasil por possuir estrutura de captação diversificada e não concentrada em poucos sistemas de reservatórios Diversificação da Estrutura de Captação de Águas de Curitiba Barragem Piraquara I (Vol x 10³m³) Barragem Piraquara II (Vol x 10³m³) Barragem do Irai (Vol x 10³m³) Barragem Passaúna (Vol x 10³m³) Miringuava 9% Pequeno 2% Passaúna 22% Participação dos sistemas de captação Iguaçu 38% Iraí 29% Volume Atual Disponível: 100% 13

14 AGENDA - Indústria de Saneamento - Visão Geral - Destaques Operacionais - Aspectos Regulatórios - Destaques Financeiros - Diferenciais - Conquistas 14

15 Maiores Concessões Contratos de longo prazo com as prefeituras dos maiores municípios do Paraná 10 Maiores Contratos da Sanepar (~56% da Receita Total) População abastecida (mm) Índice de cobertura Economias totais ( 000) % Receita total Água Esgoto Período remanescente Tipo de concessão Tipo de contrato Água Coleta de esgoto Água Esgoto Curitiba anos Água e Esgoto Concessão 100.0% 92.5% Londrina anos Água e Esgoto Concessão 100.0% 90.3% Maringá anos Água e Esgoto Concessão 100.0% 96.0% Ponta Grossa anos Água e Esgoto Concessão 100.0% 88.3% Foz do Iguaçu anos Água e Esgoto Programa 100.0% 71.1% Cascavel anos Água e Esgoto Concessão 100.0% 83.6% São José dos Pinhais anos Água e Esgoto Programa 100.0% 60.5% Colombo anos Água e Esgoto Concessão 100.0% 47.2% Guarapuava anos Água e Esgoto Programa 100.0% 72.0% Araucária anos Água e Esgoto Concessão 100.0% 37.3% Demais 44.3% , Total Sanepar % 65% 3, ,

16 Negócio Previsível e Resiliente Previsibilidade no Modelo de Negócios Contratos de Longo Prazo + Base de Clientes Diversificada + Renovação de Contratos Municípios Término da Concessão Período Remanescente Curitiba dez/ anos Londrina dez/ anos Maringá ago/ anos Ponta Grossa mar/ anos Foz do Iguaçu fev/ anos Cascavel nov/ anos S. J. dos Pinhais dez/ anos Colombo jun/ anos Guarapuava out/ anos Araucária set/ anos Maturity (1) médio dos contratos de 17.8 anos Mais de 88,7% das cidades cobertas com término do contrato após 2020 Munícipios Atendidos pela Sanepar Base de clientes bastante pulverizada atendendo a 636 localidades (345 municípios e 290 distritos do Estado do Paraná e um município no Estado de Santa Catarina) Distribuição dos Contratos da Sanepar Menos de 11,3% dos contratos expirados Em 2014, 62 novos Contratos de Programa foram assinados, totalizando 125 desde 2011 Renovação dos contratos por prazo de 20 a 30 anos Prazo Médio de ~20 anos 636 Localidades Independentes Contratos Diversificados Notas: (1) Prazo remanescente proporcional à participação da receita para os 10 maiores contratos 16

17 Tratamento de Resíduos Sólidos Atualmente a Sanepar opera 3 aterros sanitários. A gestão de resíduos sólidos deve ganhar relevância nos resultados da Companhia nos próximos anos. Aterros em operação Principais iniciativas Cianorte Cianorte, São Tomé e Terra Boa 79,785 habitantes Primeiro aterro do Brasil sob gestão de uma Companhia estadual de saneamento Certificação NBR ISO 14001:2004 Gestão da coleta, transporte, tratamento e disposição final 52 toneladas de resíduos sólidos por dia Contrato com grandes sistemas Apucarana Apucarana Recebimento, tratamento e Novas tecnologias 114,098 habitantes disposição final dos resíduos sólidos Cornélio Procópio 75 toneladas de resíduos sólidos por dia Ampliação da área de atuação Cornélio Procópio Gestão da coleta, transporte, 44,305 habitantes tratamento e disposição final 30 toneladas de resíduos sólidos por dia Estabelecimento de parcerias: SPE / PPP 17

18 CS Bioenergia - Biogás e Geração de Energia Estrutura Societária CS Bioenergia A CS BIOENERGIA S.A. é uma Joint Venture na qual a Sanepar detém 40% de participação. Plantas de Biogás A empresa é uma prestadora de serviços e geradora de energia a partir da biodigestão do lodo, resíduo resultante do tratamento de esgotos sanitários, composto essencialmente por matéria orgânica. Adicionalmente serão utilizados compostos orgânicos dos resíduos coletados de grandes geradores como shoppings e restaurantes. A empresa construirá um complexo industrial para tratamento dos resíduos ao lado da maior Estação de Tratamento de Esgotos da Cia. Tecnologia de ponta similares na Europa e Estados Unidos. 18

19 Excelência Técnico-Operacional Principais Iniciativas da Sanepar resultando na constante melhora operacional: Sistema Eficiente de Cobrança e Faturamento Índice de inadimplência - relação entre valores efetivamente recebidos e valores faturados Sistema Eficiente de Faturamento e Cobrança Otimização de Sistemas de Águas e Esgotamento Constante Melhoria na Eficiência Operacional CAGR -2,9% Renovação e Reforma dos Centros de Controle Operacional Constante Pesquisa de Vazamentos Índice de Cobertura População urbana (%) Índice de perdas por ligação (l/ligação/dia) Perdas no Sistema Distribuidor 100% Micro e Macromedição em 100% dos Sistemas de Abastecimento de Água Substituição e Renovação dos Hidrômetros, Reduzindo Perdas no Faturamento Índice de Tratamento do Esgoto Coletado Esgoto coletado (%) 19

20 Excelência Técnico-Operacional A Sanepar é reconhecida pela qualidade nos serviços oferecidos Atend. total de Água Atend. total de Esgoto Maringá Invest./ Receita Nota Perdas Totais Nota Total 1,00 2,43 0,31 0,50 9, Atend. total de Água Maringá é a melhor cidade paranaense no ranking Atend. total de Esgoto Cascavel Invest./ Receita Nota Perdas Totais Nota Total 0,98 1,99 0,72 0,50 8, Atend. total de Água Atend. total de Esgoto Londrina Invest./ Receita Nota Perdas Totais Nota Total 1,00 2,49 0,90 0,34 9, Atend. total de Água Atend. total de Esgoto Ponta Grossa Invest./ Receita Nota Perdas Totais Nota Total 1,00 2,45 0,41 0,00 8,12 11 Atend. total de Água Atend. total de Esgoto Curitiba Invest./ Receita Nota Perdas Totais Nota Total 1,00 2,50 0,30 0, Curitiba: 5 vezes consecutivas eleita a capital brasileira com os melhores indicadores (2013, 2012, 2011, 2010 e 2009) Atend. total de Água Atend. total de Esgoto Foz do Iguaçu Invest./ Receita Nota Perdas Totais Nota Total 1,00 1,93 0,29 0,00 6,73 x Colocação no ranking geral SNIS (1) (2012) x Colocação no ranking geral SNIS (1) (2013) Atend. total de Água São José dos Pinhais Atend. total de Esgoto Invest./ Receita Nota Perdas Totais Nota Total 0,95 1,44 0,46 0,37 5, Fonte: Relatório SNIS (2012 e 2013, último disponível) Instituto Trata Brasil e Paraná Pesquisas (1) Relatório que inclui todos os municípios do Brasil Nota máxima de Atendimento de Água: 1; Nota máxima de Atendimento de Esgoto: 2,5; Nota Máxima Investimento / Receita: 1; Nota Máxima Perdas Totais: 1 e Nota Total Máxima: 10 Aprovação de 75% da população nas cidades operadas pela Sanepar 82% da população não desejam que outra empresa seja a concessionária de Saneamento 20

21 AGENDA - Indústria de Saneamento - Visão Geral - Destaques Operacionais - Aspectos Regulatórios - Destaques Financeiros - Diferenciais - Conquistas 21

22 Visão Geral dos Contratos Os serviços públicos prestados pela Sanepar são regidos com base em Contratos de Concessão e Contratos de Programa Visão Geral dos Contratos de Concessão / Programa Poder Concedente Municípios Distribuição dos Contratos da Sanepar Valores (R$ mm) X Participação na Receita Operacional Bruta Escopo do Contrato Exploração de serviços públicos de abastecimento de água Coleta, remoção e tratamento de esgoto sanitário Prazo do Contrato No geral, 30 anos, com poucas exceções Investimentos Renovação / Valor Residual Formas de Contrato Definição de metas específicas para atendimento de água e esgoto Investimentos atrelados a metas pré-estabelecidas Renovação por prazo de 20 a 30 anos Ressarcimento, pelos Municípios, no caso de não renovação ou quebras de contrato (Lei /2007) Valor residual do ativo (valor não depreciado) é recebido pela Companhia ao final da concessão Contrato de Concessão: contratos assinados anteriormente à lei Saneamento Público Consórcios Públicos (Lei /2005) Contrato de Programa: contratos assinados após o Marco Regulatório do Saneamento (Lei /2007) 22

23 Aprimoramento Regulatório em Curso A Sanepar propõe a utilização de um modelo voltado para o realinhamento econômico da tarifa Processo de Revisão Tarifária Tipos de Revisão Revisão Tarifária Periódica Reajuste Anual Reajuste Anual Reajuste Anual Revisão Tarifária Periódica Reajuste Anual Reajuste Anual ano 1 ano 2 ano 3 ano 4 ano 5 ano 6 ano 7 1º Ciclo 2º Ciclo Revisões Tarifárias Periódicas Reajuste Tarifário Anual Revisão Tarifária Extraordinária Ocorre a cada 4 ou 5 anos Reequilíbrio do contrato de concessão e ganho de produtividade Ajuste pela inflação, descontado o índice de produtividade Utilizado apenas quando ocorrem alterações significativas não previstas pelo Regulador Principais Componentes da Revisão Tarifária Periódica Não Gerenciáveis (Repasse) Parcela A Encargos e Tributos* Reposicionamento Tarifário: RR/RV Custos operacionais** Revisão Tarifária Periódica Gerenciáveis Parcela B Reposição dos ativos Remuneração do Capital Ganhos de Produtividade Fator X * Energia Elétrica/Produtos químicos/ Fundos Municípais ** Mão de obra e demais custos operacionais 23

24 Reajustes Tarifários Histórico dos Reajustes (%) Mandato do Governador Roberto Requião Processo de Reajuste Cia elabora proposta de reajuste tarifário, aprova no Conselho de Administração Encaminhamento da proposta ao ente regulador (Instituto das Águas do Paraná) Aprovação pelo Conselho de Administração do Instituto das Águas do Paraná, que analisa o reajuste solicitado e encaminha proposta ao governador Governador aprova o índice de reajuste Nova tarifa entra em vigor 30 dias após a publicação do decreto estadual 24

25 AGENDA - Indústria de Saneamento - Visão Geral - Destaques Operacionais - Aspectos Regulatórios - Destaques Financeiros - Diferenciais - Conquistas 25

26 Destaques Financeiros Estabilidade e solidez financeira e receitas garantidas por contratos Receita Líquida (em R$ mm) EBITDA Ajustado (1) e Margem EBITDA (em R$ mm e em %, respectivamente) CAGR 13.5% CAGR 9.7% Lucro Líquido, Margem Líquida e Dividendos Dívida Líquida e Alavancagem 1º TRI 15 (em R$ mm, % e R$ mm, respectivamente) (em R$ mm e razão entre Dívida Líquida e EBITDA Ajustado, respectivamente) 2.1x CAGR 25.1% ,1 Dividendos Lucro Líquido Nota: (1) EBITDA Ajustado para adicionar o impacto (i) das Provisões Cíveis, Trabalhistas e Ambientais; e (ii) Plano de Aposentadoria e Assistência Médica Fonte: Companhia 26

27 Destaques Financeiros R$ 1,8 Bi do investimento projetado já assinado com a CEF e BNDES Cronograma de Amortização Da Dívida Dívida Liquida / EBITDA (em R$ mm) Covenants 3,0X 1,9 Capex Realizado e Projetado (em R$ mm) Indexadores da Dívida (em %) Fonte: Companhia 27

28 Destaques Financeiros Indicadores financeiros consistentes que mantém a empresa adimplente com seus Covenants Custo Médio Ponderado da Dívida Covenants 31/03/2015 Índice de Cobertura do Serviço da Dívida maior ou igual a 1,5: EBIT DA/Serviço da Dívida 4,2 Índice de Despesa Financeira Líquida maior ou igual a 1,5: EBIT DA/ Despesa Financeira Líquida 7,3 Margem EBITDA maior ou igual a 35%: Saldos de Contratos a Liberar (total de R$1,8 Bi) EBIT DA/Receita Operacional Líquida 37% Grau de Endividamento menor ou igual a 70%: Passivo Circulante e Não Circulante/ Passivo T otal 50% Dívida Bancaria Líquida menor ou igual a 3: Dívida Liquida/EBIT DA 2,1 Fonte: Companhia 28

29 Destaques Financeiros Market Cap, Rating e Preço das Ações Histórico de Rating (Moody s) Evolução do Market Cap (R$ bilhões) Aa3 Baa3 A3 A1 Aa2.br Aa2.br Evolução do Preço das Ações (R$) 4,6% -17,5% 8,2% Para efeito comparativo entre as empresas, os valores das ações da Sabesp para os anos de 2010 a 2013, foram modificados, em virtude do desdobramento das Ações ordinárias da Companhia, A partir de 04/2013 cada ação ordinária passou a ser representada por 03 (três) ações ordinárias, na proporção de 1:3. Fonte: Moody s, Broadcast e Companhia 29

30 Destaques Financeiros Modelo de Negócio Previsível e Resiliente Contratos de longo prazo com renovação Base diversificada de clientes, com fontes de receita segregadas e independentes + Alta Geração de Caixa e Pagamento de Dividendos + Geração de Caixa Operacional (1) (R$ mm) CAGR 11,3% Altos Níveis de Pay-Out Garantidos por Acordo de Acionistas Novo Acordo de Acionistas com previsão de dividendo adicional de 25% do lucro líquido Maior Pay-Out Ratio entre às comparáveis do setor Pay-Out Ratio (%) e Dividend Yield (%) Demanda previsível e com elasticidade limitada Dividendos (R$ mm) 2,17% 3,49% 4,66% 6,69% Baixa convexidade das operações 38,0% (¹) (¹) Para cálculo do CAGR considerou-se o montante de R$185 milhões Fonte: Companhia 30

31 AGENDA - Indústria de Saneamento - Visão Geral - Destaques Operacionais - Aspectos Regulatórios - Destaques Financeiros - Diferenciais - Conquistas 31

32 Diferenciais Riqueza em recursos hídricos 1 Negócio previsível e resiliente com base de clientes diversificada 2 Desempenho financeiro superior ao dos pares do setor 3 Elevada geração de caixa e pagamento de dividendos 4 Excelência operacional, com ações para aumento da eficiência 5 32

33 Diferenciais Forte modelo de governança, combinando apoio político com expertise privada 6 Diversificação do negócio gestão de resíduos sólidos 7 Aprimoramento regulatório em curso 8 Ativos bem localizados e suportados pela demografia favorável 9 Contratos de longo prazo e índices de aprovação da população superiores a 75% 10 33

34 Conquistas A Companhia está classificada entre as 500 maiores sociedades anônimas brasileiras, ocupando a 213ª posição, segundo critérios de receita líquida, conforme publicação da revista Valor 1000, edição nº 14 de agosto de 2014 Sanepar é 9ª maior empresa do estado do Paraná e a 21ª posição em VGR (Valor Ponderado de Grandeza), do sul do Brasil, com base em pesquisa elaborada pela Revista Amanhã em conjunto com a PwC (setembro de 2014) Em 1997, foi primeira empresa de saneamento básico da América Latina a obter a certificação NBR ISO 9001 para um sistema de tratamento de água (Sistema Itaqui Campo Largo), confirmada anualmente Em 1999, primeira empresa das Américas, no setor de saneamento básico, a receber a certificação ISO para um sistema completo de água e esgoto (Foz do Iguaçu), confirmada anualmente O Aterro Sanitário de Cianorte, administrado pela Sanepar é o primeiro do Paraná a obter a certificação ISO e também o primeiro do Brasil, sob gestão de uma companhia de saneamento, a receber o reconhecimento de que todos os processos são executados dentro do que preconizam as normas técnicas e ambientais A Sanepar participa, desde a criação em 1997, do PNQS-Prêmio Nacional da Qualidade em Saneamento, tendo sido premiada/diplomada em unidades que representam 17 unidades, que representa 170 municípios 34

35 Conquistas PELA QUINTA VEZ, SANEPAR É CAMPEÃ SETORIAL NO RANKING DO VALOR

COPASA COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS

COPASA COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS COPASA COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS Apresentação A Companhia de Saneamento de Minas Gerais, COPASA, criada em 1963, é uma empresa vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Regional e Política

Leia mais

Agenda. A Companhia. Nossa Operação. 3 Nossa Performance Financeira

Agenda. A Companhia. Nossa Operação. 3 Nossa Performance Financeira APIMEC RIO Resultados do 1T12 Diretoria Econômico-Financeira e de Relações com Investidores Aviso Esta apresentação pode conter considerações futuras referentes às perspectivas do negócio, estimativas

Leia mais

Material Informativo Confidencial 1/75

Material Informativo Confidencial 1/75 1 AGENDA - Indústria de Saneamento - Visão Geral - Destaques Operacionais - Aspectos Regulatórios - Destaques Financeiros - Diferenciais - Conquista 2 Água no Brasil 3 AGENDA - Indústria de Saneamento

Leia mais

SANEPAR EM DESTAQUE DESTAQUES DO 1º. TRIMESTRE DE 2015

SANEPAR EM DESTAQUE DESTAQUES DO 1º. TRIMESTRE DE 2015 SANEPAR EM DESTAQUE DESTAQUES DO 1º. TRIMESTRE DE 2015 TARIFA DA SANEPAR E REAJUSTADA EM 12,50% CIDADES DO PARANÁ TEM OS MELHORES ÍNDICES DE SANEAMENTO DO PAÍS PARA RECICLAR ÓLEO DE COZINHA SANEPAR INICIA

Leia mais

PROPOSTA PARA O AVANÇO DO MODELO DE GESTÃO DA SABESP

PROPOSTA PARA O AVANÇO DO MODELO DE GESTÃO DA SABESP ASSOCIAÇÃO DOS PROFISSIONAIS UNIVERSITÁRIOS DA SABESP PROPOSTA PARA O AVANÇO DO MODELO DE GESTÃO DA SABESP OUTUBRO, 2002 ASSOCIAÇÃO DOS PROFISSIONAIS UNIVERSITÁRIOS DA SABESP - APU INTRODUÇÃO A Associação

Leia mais

DESAFIOS E OPORTUNIDADES

DESAFIOS E OPORTUNIDADES DESAFIOS E OPORTUNIDADES Pontos Principais... A Sabesp tem compromisso com a política pública e com critérios de eficiência de mercado O novo marco regulatório do saneamento encerra desafios e oportunidades

Leia mais

Resultados 3T11. Teleconferência de Resultados 18 de Novembro de 2011

Resultados 3T11. Teleconferência de Resultados 18 de Novembro de 2011 Resultados 3T11 Teleconferência de Resultados 18 de Novembro de 2011 Agenda Perfil Coelce e Conquistas 1 Mercado de Energia 2 Resultados Operacionais 3 Resultados Econômico-Financeiros 4 Perguntas e Respostas

Leia mais

4º Fórum Internacional Habitat do Cidadão

4º Fórum Internacional Habitat do Cidadão 4º Fórum Internacional Habitat do Cidadão Painel 2 - Gestão, operação e capacitação para enfrentar os desafios do saneamento e enfrentar a crise hídrica 01 de Outubro de 2015 Agenda Desafios no Setor de

Leia mais

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010

Apresentação da Companhia. Setembro de 2010 Apresentação da Companhia Setembro de 2010 Comprovada capacidade de execução Visão geral da Inpar Empreendimentos por segmento (1) Modelo de negócios integrado (incorporação, construção e venda) Comercial

Leia mais

Teleconferência de Resultados 3T08 18 de Novembro de 2008

Teleconferência de Resultados 3T08 18 de Novembro de 2008 Teleconferência de Resultados 18 de Novembro de 2008 Palestrantes Abel Rochinha Presidente da Coelce Luiz Carlos Bettencourt Diretor Financeiro e de RI da Endesa Brasil 1 1 Destaques 2 Mercado AGENDA s

Leia mais

Resultados 1T15 Maio, 2015

Resultados 1T15 Maio, 2015 Resultados Maio, 2015 Destaques Afluência no SIN no de 62% da MLT 1 (vs. 64% no ) Hidrologia Nível de reservatórios do SIN encerraram em 30,1% vs. 40,5% em Rebaixamento médio do MRE de 20,7% no vs. 3,9%

Leia mais

2005 Corretora em Nova York. Diversificação do portfólio. 2007 Expansão em Investment Bank, Consignado e Cartões. Estrutura acionária 3

2005 Corretora em Nova York. Diversificação do portfólio. 2007 Expansão em Investment Bank, Consignado e Cartões. Estrutura acionária 3 VISÃO GERAL - 2T5 Histórico 99 Início das operações como banco múltiplo 2002 Agência em Nassau 2005 Corretora em Nova York 2009 Início da parceria estratégica com o Banco do Brasil 205 BV Promotora (Consignado

Leia mais

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas

Índice. RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas CICLO APIMEC 2010 Índice RS no Brasil Nossa Empresa Governança Corporativa Nossos Números Análise Comparativa Sustentabilidade Projeções e Estimativas 3 RS no Brasil DADOS DEMOGRÁFICOS RS BRASIL População

Leia mais

Avaliação econômico-financeira

Avaliação econômico-financeira Avaliação econômico-financeira 26 de julho de 2013 CONFIDENCIAL Nota Importante 1. O Banco Bradesco BBI S.A. ( Bradesco BBI ou Avaliador ) foi contratado pela Companhia de Saneamento do Paraná - SANEPAR

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - CIA. DE SANEAMENTO DO PARANÁ - SANEPAR Versão : 2. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2013 - CIA. DE SANEAMENTO DO PARANÁ - SANEPAR Versão : 2. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

Saneamento Básico e Infraestrutura

Saneamento Básico e Infraestrutura Saneamento Básico e Infraestrutura Augusto Neves Dal Pozzo Copyright by Augusto Dal Pozzo DADOS HISTÓRICOS Até a década de 70 soluções locais e esparsas para os serviços de saneamento; Década de 70 criação

Leia mais

Fitch Publica Rating A-(bra) da Casan; Perspectiva Estável

Fitch Publica Rating A-(bra) da Casan; Perspectiva Estável Fitch Publica Rating A-(bra) da Casan; Perspectiva Estável Fitch Ratings - Rio de Janeiro, xx de outubro de 2015: A Fitch Ratings publicou, hoje, o Rating Nacional de Longo Prazo A-(bra) (A menos(bra))

Leia mais

Apresentação Corporativa Outubro de 2014

Apresentação Corporativa Outubro de 2014 Apresentação Corporativa Outubro de 2014 Grupo Light Estrutura diversificada com atuação nos segmentos de distribuição, geração e comercialização de energia 2 Light em números Distribuição Estado RJ Área

Leia mais

EDP Energias do Brasil. Novembro de 2009

EDP Energias do Brasil. Novembro de 2009 EDP Energias do Brasil Novembro de 2009 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores

Leia mais

Estratégia Financeira. Arthur Piotto

Estratégia Financeira. Arthur Piotto Estratégia Financeira Arthur Piotto Estratégia Financeira Estrutura financeira adequada e balanço forte 1 2 3 4 5 6 7 Sucesso no aumento de capital. Alocação diversificada Maior flexibilidade financeira

Leia mais

81º ENIC Encontro Nacional da Indústria da Construção. PAINEL Saneamento: Desafios para a Universalização

81º ENIC Encontro Nacional da Indústria da Construção. PAINEL Saneamento: Desafios para a Universalização 81º ENIC Encontro Nacional da Indústria da Construção PAINEL Saneamento: Desafios para a Universalização Rogério de Paula Tavares Superintendente Nacional de Saneamento e Infra-estrutura Rio de Janeiro,

Leia mais

A Companhia de Concessões Rodoviárias Concluiu a Aquisição da Renovias Concessionária S/A.

A Companhia de Concessões Rodoviárias Concluiu a Aquisição da Renovias Concessionária S/A. A Companhia de Concessões Rodoviárias Concluiu a Aquisição da Renovias Concessionária S/A. As informações financeiras e operacionais abaixo, exceto onde indicado em contrário, referem-se a prática contábil

Leia mais

Luiz Fernando Rolla. Diretor de Finanças, Relações com Investidores e Controle de Participações

Luiz Fernando Rolla. Diretor de Finanças, Relações com Investidores e Controle de Participações Luiz Fernando Rolla Diretor de Finanças, Relações com Investidores e Controle de Participações Nossa base de acionistas assegura liquidez América do Norte Canadá Estados Unidos México Europa Luxemburgo

Leia mais

Crescer agregando valor

Crescer agregando valor Crescer agregando valor Marcio Araujo de Lacerda Presidente do Conselho de Administração Maio de 2008 1/XX Orientações do Governo Mineiro Para Minas Gerais: Um Estado para Resultados Visão: Tornar Minas

Leia mais

Apresentação para Investidores. Março, 2009

Apresentação para Investidores. Março, 2009 Apresentação para Investidores Março, 2009 1 Filosofia Gerdau VISÃO Ser uma empresa siderúrgica global, entre as mais rentáveis do setor. MISSÃO O Grupo Gerdau é uma empresa com foco em siderurgia, que

Leia mais

EDP Energias do Brasil. Novembro de 2009

EDP Energias do Brasil. Novembro de 2009 EDP Energias do Brasil Novembro de 2009 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS Versão : 2. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - COMPANHIA DE SANEAMENTO DE MINAS GERAIS Versão : 2. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 5 Demonstração do Resultado 7 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

A Universalização dos Serviços de Água e Esgoto em Porto Alegre. 2014 saneamento na rede Rio de Janeiro, 19 de maio 2010

A Universalização dos Serviços de Água e Esgoto em Porto Alegre. 2014 saneamento na rede Rio de Janeiro, 19 de maio 2010 A Universalização dos Serviços de Água e Esgoto em Porto Alegre 2014 saneamento na rede Rio de Janeiro, 19 de maio 2010 Foto João Fiorin Lago Guaíba - Porto Alegre - RS PERFIL DA INSTITUIÇÃO: atende 100%

Leia mais

USO ESTRATÉGICO DA ÁGUA: DESAFIOS E OPORTUNIDADES

USO ESTRATÉGICO DA ÁGUA: DESAFIOS E OPORTUNIDADES USO ESTRATÉGICO DA ÁGUA: DESAFIOS E OPORTUNIDADES Pontos Principais... A Sabesp tem compromisso com a política pública e com critérios de eficiência de mercado O novo marco regulatório do saneamento encerra

Leia mais

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 1T15

TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 1T15 TELECONFERÊNCIA DE RESULTADOS 1T15 RESULTADOS FINANCEIROS CONSOLIDADOS RECEITA LÍQUIDA 300,1 361,1 20,3% EBITDA AJUSTADO 56,5 68,7 21,6% MARGEM EBITDA AJUSTADO 1 17,9% 18,4% 0,5 p.p. LUCRO LÍQUIDO AJUSTADO

Leia mais

Contratualização do Serviço de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário RMSP. Paulo Massato Yoshimoto - Diretor Metropolitano Sabesp

Contratualização do Serviço de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário RMSP. Paulo Massato Yoshimoto - Diretor Metropolitano Sabesp Contratualização do Serviço de Abastecimento de Água e Esgotamento Sanitário RMSP Paulo Massato Yoshimoto - Diretor Metropolitano Sabesp Região Metropolitana de São Paulo São Paulo 39 municípios - 20,1

Leia mais

Apresentação de Resultados 3T10

Apresentação de Resultados 3T10 Apresentação de Resultados 3T10 09 de Novembro de 2010 Agenda 1. Desempenho do Período 2. Evolução das Receitas e Custos Hardware Software Serviços 3. Despesas e Margens 4. Investimentos e Caixa 5. Estratégia

Leia mais

Expomoney São Paulo. Setembro de 2012

Expomoney São Paulo. Setembro de 2012 Expomoney São Paulo Setembro de 2012 Contax Visão Geral Contact Center Brasil Resultados Financeiros Contax Visão Geral GRUPO CONTAX Principais serviços: Atendimento, Cobrança, Televendas, Retenção, Trade

Leia mais

METODOLOGIA PARA ANÁLISE DA REVISÃO ORDINÁRIA DA PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA FIRMADA ENTRE O MUNICÍPIO DE RIO CLARO E A FOZ DE RIO CLARO S/A.

METODOLOGIA PARA ANÁLISE DA REVISÃO ORDINÁRIA DA PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA FIRMADA ENTRE O MUNICÍPIO DE RIO CLARO E A FOZ DE RIO CLARO S/A. METODOLOGIA PARA ANÁLISE DA REVISÃO ORDINÁRIA DA PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA FIRMADA ENTRE O MUNICÍPIO DE RIO CLARO E A FOZ DE RIO CLARO S/A. A Agência Reguladora dos Serviços de Saneamento das Bacias dos

Leia mais

GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS. Péricles S Weber Diretoria de Meio Ambiente

GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS. Péricles S Weber Diretoria de Meio Ambiente GESTÃO DE RESÍDUOS SÓLIDOS URBANOS Péricles S Weber Diretoria de Meio Ambiente Abril 2013 COMPANHIA DE SANEAMENTO DO PARANÁ - SANEPAR Criada em 23 de janeiro de 1963, a Companhia de Saneamento do Paraná

Leia mais

XVIII Congresso Brasileiro de Recursos Hídricos

XVIII Congresso Brasileiro de Recursos Hídricos SECRETARIA DE SANEAMENTO E ENERGIA XVIII Congresso Brasileiro de Recursos Hídricos Mesa redonda: Marco Regulatório do Setor Saneamento Desafios do Saneamento e Regulação dos Serviços no Estado de São Paulo

Leia mais

SEMINÁRIO SOBRE A HIDROVIA DO PARNAÍBA. PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA E A HIDROVIA DO PARNAÍBA Alternativas de Estruturação

SEMINÁRIO SOBRE A HIDROVIA DO PARNAÍBA. PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA E A HIDROVIA DO PARNAÍBA Alternativas de Estruturação SEMINÁRIO SOBRE A HIDROVIA DO PARNAÍBA PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA E A HIDROVIA DO PARNAÍBA Alternativas de Estruturação 06 de maio de 2009 PARCERIA PUBLICO-PRIVADA AGENDA 1. PROCESSO DE ESTRUTURAÇÃO DAS

Leia mais

22 de novembro de 2007. Apresentação dos Resultados 4T07

22 de novembro de 2007. Apresentação dos Resultados 4T07 22 de novembro de 2007 Apresentação dos Resultados 4T07 Aviso Importante Declarações contidas nesta apresentação relativas às perspectivas dos negócios da Companhia, projeções de resultados operacionais

Leia mais

Banco Santander (Brasil) S.A.

Banco Santander (Brasil) S.A. Banco Santander (Brasil) S.A. Resultados em BR GAAP 4T14 3 de Fevereiro de 2015 INFORMAÇÃO 2 Esta apresentação pode conter certas declarações prospectivas e informações relativas ao Banco Santander (Brasil)

Leia mais

Resultados 4T12. Fevereiro, 2013

Resultados 4T12. Fevereiro, 2013 Resultados 4T12 Fevereiro, 2013 Principais destaques de 2012 Operacional Geração de energia 27% superior à garantia física e 3% acima da registrada em 2011 - Exposição ao mercado spot de 4,4% de setembro

Leia mais

LIGHT ENERGIA S.A. 1º TRIMESTRE DE 2014

LIGHT ENERGIA S.A. 1º TRIMESTRE DE 2014 Rio de Janeiro, 15 de maio de 2014. LIGHT ENERGIA S.A. 1º TRIMESTRE DE 2014 Desempenho Operacional O total de venda, líquida da compra de energia, no primeiro trimestre de 2014 foi equivalente a 1.264,1

Leia mais

Resultados 2T12 FLRY 3. Agosto / 2012

Resultados 2T12 FLRY 3. Agosto / 2012 Resultados 2T12 FLRY 3 Agosto / 2012 TODOS OS DIREITOS RESERVADOS 2012 Aviso Legal Esta apresentação pode conter informações sobre eventos futuros. Tais informações não seriam apenas fatos históricos,

Leia mais

A Privatização do Saneamento Básico

A Privatização do Saneamento Básico A Privatização do Saneamento Básico por Victor Carvalho Pinto 1 Considerações Gerais O setor de saneamento 1 encontra-se na interface entre diversas políticas públicas de grande repercussão social, como

Leia mais

Oi e Portugal Telecom formalizam parceria e investimento estratégico

Oi e Portugal Telecom formalizam parceria e investimento estratégico Oi e Portugal Telecom formalizam parceria e investimento estratégico A parceria prevê capitalização da empresa brasileira em até R$ 12 bi, reduzindo alavancagem e ampliando capacidade de investimento,

Leia mais

Apresentação da Companhia. Janeiro 2011

Apresentação da Companhia. Janeiro 2011 Apresentação da Companhia 1 Janeiro 2011 Notice Esta apresentação poderá conter considerações referentes a perspectivas futuras do negócio, estimativas de resultados operacionais e financeiros, e perspectivas

Leia mais

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 3T14

DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 3T14 Relações com Investidores DIVULGAÇÃO DOS RESULTADOS DO 3T14 Apresentação: José Rubens de la Rosa CEO José Antonio Valiati CFO & Diretor de Relações com Investidores Thiago A. Deiro Gerente Financeiro &

Leia mais

Resultados do 1T15 Maio, 2015

Resultados do 1T15 Maio, 2015 Resultados do Maio, 2015 Destaques Operacional e Qualidade do Serviço Redução de 0,83 p.p. nas perdas totais no vs., totalizando 9,3% FEC de 3,21 vezes, 26,5% menor do que no ; DEC de 9,08 horas, 7,8%

Leia mais

I - Insuficiência de Informações

I - Insuficiência de Informações I - Insuficiência de Informações 2 Insuficiência de informações Primeira fase da Audiência Pública Preliminar: Não foram publicados o Plano de Negócios e o Laudo da Base de Ativos da SABESP Informações

Leia mais

PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA PARA A UNIVERSALIZAÇÃO DO ESGOTAMENTO SANITÁRIO DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE

PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA PARA A UNIVERSALIZAÇÃO DO ESGOTAMENTO SANITÁRIO DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA PARA A UNIVERSALIZAÇÃO DO ESGOTAMENTO SANITÁRIO DA REGIÃO METROPOLITANA DO RECIFE Companhia Pernambucana de Saneamento Compesa Economia Mista de Direito Privado 42 anos de existência

Leia mais

Resultados. 2T14 Junho, 2014

Resultados. 2T14 Junho, 2014 Resultados Junho, 2014 Destaques Operacional & Comercial Rebaixamento da garantia física de 6,2%, em linha com as projeções da Companhia Comercialização de ~100 MWm com prazo e preço médios de 4,5 anos

Leia mais

Fitch Rebaixa Ratings da Light e de Suas Subsidiárias Para A+(bra) ; Perspectiva Estável

Fitch Rebaixa Ratings da Light e de Suas Subsidiárias Para A+(bra) ; Perspectiva Estável Fitch Rebaixa Ratings da Light e de Suas Subsidiárias Para A+(bra) ; Perspectiva Estável Fitch Ratings Rio de Janeiro, 19 de dezembro de 2014: A Fitch Ratings rebaixou, hoje, o Rating Nacional de Longo

Leia mais

Estratégia de Financiamento

Estratégia de Financiamento Sustentabilidade Conforme o art. 29 da Lei nº 11.445/07, os serviços públicos de saneamento básico terão a sustentabilidade econômico-financeira assegurada, sempre que possível, mediante remuneração pela

Leia mais

Resultados 3T10. Novembro, 2010 FLRY3

Resultados 3T10. Novembro, 2010 FLRY3 Resultados 3T10 FLRY3 A marca mais valiosa no setor de saúde Brasileiro A 6ª marca mais valiosa entre as empresas de serviços A 25ª marca mais valiosa no Brasil Millward Brand / BrandAnalytics A Empresa

Leia mais

Resultados 2014 Fevereiro, 2015

Resultados 2014 Fevereiro, 2015 Resultados Fevereiro, 2015 Destaques do e Afluência na região SE/CO em de 69% da MLT 1 (vs. 102% em ) Hidrologia Nível de reservatórios das usinas da AES Tietê encerraram em 34,7% vs. 51,1% em Rebaixamento

Leia mais

QUEM SOMOS Brasil Brokers

QUEM SOMOS Brasil Brokers QUEM SOMOS Um dos maiores e mais completos grupos de venda de imóveis do país. Assim é a Brasil Brokers. Formado por 25 imobiliárias líderes em 12 estados, o grupo conta com mais de 14 mil corretores associados

Leia mais

VIII Encuentro Empresarial Iberoamerican. Sesión 4. Eliminando el déficit de infraestructuras

VIII Encuentro Empresarial Iberoamerican. Sesión 4. Eliminando el déficit de infraestructuras VIII Encuentro Empresarial Iberoamerican Sesión 4. Eliminando el déficit de infraestructuras Dilma Pena Presidente, SABESP, Empresa de Água de São Paulo, Brasil 1. Contexto brasileiro Noventa e um milhões

Leia mais

APRESENTAÇÃO APIMEC. Março de 2015. Copyright Cielo Todos os direitos reservados

APRESENTAÇÃO APIMEC. Março de 2015. Copyright Cielo Todos os direitos reservados APRESENTAÇÃO APIMEC Março de 2015 Copyright Cielo Todos os direitos reservados A COMPANHIA FAZ DECLARAÇÕES SOBRE EVENTOS FUTUROS QUE ESTÃO SUJEITAS A RISCOS E INCERTEZAS Tais declarações têm como base

Leia mais

Direcional Engenharia S.A.

Direcional Engenharia S.A. 1 Direcional Engenharia S.A. Relatório da Administração Exercício encerrado em 31 / 12 / 2007 Para a Direcional Engenharia S.A., o ano de 2007 foi marcado por recordes e fortes mudanças: registramos marcas

Leia mais

Relatório Analítico 27 de março de 2012

Relatório Analítico 27 de março de 2012 VENDA Código de Negociação Bovespa TGM A3 Segmento de Atuação Principal Logística Categoria segundo a Liquidez 2 Linha Valor de M ercado por Ação (R$) 29,51 Valor Econômico por Ação (R$) 32,85 Potencial

Leia mais

Earnings Release 4T14

Earnings Release 4T14 Santo André, 05 de fevereiro de 2015: A CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens S.A. (BM&FBOVESPA: CVCB3), maior operadora de turismo da América Latina, informa aos seus acionistas e demais participantes

Leia mais

Apresentação Investidores

Apresentação Investidores Apresentação Investidores Abril de 2011 Aviso Importante Esse material pode conter previsões de eventos futuros.tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia, e envolve riscos

Leia mais

ANEXO IV MODELO DE PROPOSTA COMERCIAL

ANEXO IV MODELO DE PROPOSTA COMERCIAL ANEXO IV MODELO DE PROPOSTA COMERCIAL ANEXO IV MODELO DE PROPOSTA COMERCIAL 1. A PROPOSTA COMERCIAL será constituída de uma Carta Proposta, que trará o valor da CONTRAPRESTAÇÃO PECUNIÁRIA ofertada, através

Leia mais

EcoRodovias anuncia resultado consolidado do 4T05 e de 2005

EcoRodovias anuncia resultado consolidado do 4T05 e de 2005 Release de Resultados EcoRodovias anuncia resultado consolidado do 4T05 e de 2005 EBITDA consolidado de R$ 356,4 milhões e margem EBITDA de 67,5% em 2005 São Paulo, 09 de março de 2006 A Primav EcoRodovias

Leia mais

www.panamericano.com.br

www.panamericano.com.br www.panamericano.com.br Agenda Principais dados do Banco Histórico Divulgação das Demonstrações Financeiras Resultado e Balanço Providências e Perspectivas 2 Agenda Principais dados do Banco 3 Composição

Leia mais

Reestruturação da Área Financeira

Reestruturação da Área Financeira 1 Reestruturação da Área Financeira Documentação e publicação na intranet da CEDAE, de 58 fluxos dos processos para promover a divulgação, transparência e conhecimento de como funcionam as atividades das

Leia mais

ANEXO III PROPOSTA ECONÔMICO FINANCEIRA DA SABESP PARA A REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA - RMBS MUNICÍPIO DE SANTOS

ANEXO III PROPOSTA ECONÔMICO FINANCEIRA DA SABESP PARA A REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA - RMBS MUNICÍPIO DE SANTOS ANEXO III PROPOSTA ECONÔMICO FINANCEIRA DA SABESP PARA A REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA - RMBS MUNICÍPIO DE SANTOS 1 Sumário 1. Equilíbrio econômico-financeiro metropolitano...3 2. Proposta econômico-financeira

Leia mais

Teleconferência de Resultados. Desempenho do 4T 2013 e de 2013. MAHLE Metal Leve S.A. 20 de março de 2014 12h00 (horário de Brasília) 1 MAHLE

Teleconferência de Resultados. Desempenho do 4T 2013 e de 2013. MAHLE Metal Leve S.A. 20 de março de 2014 12h00 (horário de Brasília) 1 MAHLE Teleconferência de Resultados Desempenho do 4T 2013 e de 2013 MAHLE Metal Leve S.A. 20 de março de 2014 12h00 (horário de Brasília) 1 Destaques 2013 Receita Líquida de Vendas de R$ 2.393,8 milhões em 2013,

Leia mais

Expo Money São Paulo. Setembro, 2013

Expo Money São Paulo. Setembro, 2013 Expo Money São Paulo Setembro, 2013 1 Perfil da AES Tietê 12 usinas hidrelétricas em São Paulo Contrato de concessão de 30 anos válido até 2029 Capacidade instalada de 2.658 MW, com garantia física 1

Leia mais

PERGUNTAS E RESPOSTAS SANEAMENTO

PERGUNTAS E RESPOSTAS SANEAMENTO MINISTÉRIO DAS CIDADES SECRETARIA NACIONAL DE SANEAMENTO AMBIENTAL PROGRAMA DE ACELERAÇÃO DO CRESCIMENTO PAC 2 SELEÇÃO 2013 ABASTECIMENTO DE ÁGUA E ESGOTAMENTO SANITÁRIO PERGUNTAS E RESPOSTAS SANEAMENTO

Leia mais

Earnings Release 1T15

Earnings Release 1T15 Santo André, 05 de maio de 2015: A CVC Brasil Operadora e Agência de Viagens S.A. (BM&FBOVESPA: CVCB3), maior operadora de turismo das Américas, informa aos seus acionistas e demais participantes do mercado

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO ANO 2005

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO ANO 2005 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO ANO 2005 A administração da Companhia de Saneamento do Estado de Goiás SANEAGO submete à apreciação dos acionistas suas demonstrações financeiras relativas ao exercício de 2005.

Leia mais

20 de dezembro de 2010. Perguntas e Respostas

20 de dezembro de 2010. Perguntas e Respostas Perguntas e Respostas Índice 1. Qual é a participação de mercado da ALL no mercado de contêineres? Quantos contêineres ela transporta por ano?... 4 2. Transportar por ferrovia não é mais barato do que

Leia mais

ARTERIS TRANSCRIÇÃO DA TELECONFERÊNCIA RESULTADOS DO 2T15

ARTERIS TRANSCRIÇÃO DA TELECONFERÊNCIA RESULTADOS DO 2T15 1 ARTERIS TRANSCRIÇÃO DA TELECONFERÊNCIA RESULTADOS DO 2T15 Operadora: Bom dia senhoras e senhores, e obrigada por aguardarem. Sejam bem-vindos à teleconferência da Arteris, para discussão dos resultados

Leia mais

Resultados 3T14_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Novembro de 2014.

Resultados 3T14_. Relações com Investidores Telefônica Brasil S.A. Novembro de 2014. Resultados 3T14_ Novembro de 2014. Disclaimer Esta apresentação pode conter declarações baseadas em estimativas a respeito dos prospectos e objetivos futuros de crescimento da base de assinantes, um detalhamento

Leia mais

Earnings Release. Relação com Investidores. Destaques do 2T11. Brasil Insurance Anuncia Resultados do 2T11

Earnings Release. Relação com Investidores. Destaques do 2T11. Brasil Insurance Anuncia Resultados do 2T11 Relação com Investidores Luis Eduardo Fischman Diretor de Relações com Investidores (55 21) 3433-5060 ri@brinsurance.com.br Teleconferência de Resultados 2T11 Terça-Feira, 16 de agosto de 2011 Português

Leia mais

Resultados 1T07 10 de maio de 2007

Resultados 1T07 10 de maio de 2007 PUBLICIDADE CAIXA CRESCEU 102% BASE DE ASSINANTES BANDA LARGA CRESCEU 32% São Paulo, O UOL (BOVESPA: UOLL4) anuncia hoje os resultados do 1T07. As demonstrações financeiras da Companhia são elaboradas

Leia mais

PARECER CONSOLIDADO ARES-PCJ Nº 27/2015 PROCESSO ADMINISTRATIVO ARES-PCJ Nº 47/2015

PARECER CONSOLIDADO ARES-PCJ Nº 27/2015 PROCESSO ADMINISTRATIVO ARES-PCJ Nº 47/2015 PROCESSO ADMINISTRATIVO ARES-PCJ Nº 47/2015 PARECER CONSOLIDADO ARES-PCJ Nº 27/2015 ASSUNTO: INTERESSADO: REAJUSTE EXTRAORDINÁRIO DAS TARIFAS DE ÁGUA E DO MUNICÍPIO DE JUNDIAÍ DAE S/A ÁGUA E I. DO OBJETIVO

Leia mais

Resultados 3T10 e 9M10. 12/11/2010 > Relações com Investidores

Resultados 3T10 e 9M10. 12/11/2010 > Relações com Investidores Resultados 3T10 e 9M10 12/11/2010 > Relações com Investidores 1 Aviso Importante Nós fazemos declarações sobre eventos futuros que estão sujeitas a riscos e incertezas. Tais declarações têm como base e

Leia mais

MISSÃO VISÃO VALORES PRESTAR SERVIÇOS DE SANEAMENTO AMBIENTAL DE FORMA SUSTENTÁVEL, CONTRIBUINDO PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA.

MISSÃO VISÃO VALORES PRESTAR SERVIÇOS DE SANEAMENTO AMBIENTAL DE FORMA SUSTENTÁVEL, CONTRIBUINDO PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA. 2014 MISSÃO PRESTAR SERVIÇOS DE SANEAMENTO AMBIENTAL DE FORMA SUSTENTÁVEL, CONTRIBUINDO PARA A MELHORIA DA QUALIDADE DE VIDA. VISÃO SER UMA EMPRESA DE EXCELÊNCIA, COMPROMETIDA COM A UNIVERSALIZAÇÃO DO

Leia mais

RELEASE DE RESULTADOS 3T14 I 9M14

RELEASE DE RESULTADOS 3T14 I 9M14 RELEASE DE RESULTADOS 3T14 I 9M14 Contate RI: Adolpho Lindenberg Filho Diretor Financeiro e de Relações com Investidores Telefone: +55 (11) 3041-2700 ri@lindenberg.com.br www.grupoldi.com.br/relacao DIVULGAÇÃO

Leia mais

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO ANO 2006

RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO ANO 2006 RELATÓRIO DA ADMINISTRAÇÃO ANO 2006 1. Introdução A Saneamento de Goiás S/A SANEAGO, é uma concessionária de serviços públicos de saneamento básico, responsável pelo abastecimento de água tratada e coleta

Leia mais

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento APIMEC BH 2014 Mercado Segurador e Drivers de Crescimento BRASIL: PRINCIPAIS INDICADORES Crescimento da renda real, inflação sob controle e mobilidade social PIB PER CAPITA & DESEMPREGO (US$ milhares/ano)

Leia mais

13 de agosto de 2015. Apresentação de Resultados 2T15 e 6M15

13 de agosto de 2015. Apresentação de Resultados 2T15 e 6M15 13 de agosto de 2015 Apresentação de Resultados 2T15 e 6M15 Agenda Visão Geral Destaques Financeiros Atualização de Ativos DESTAQUES DO PERÍODO Manati produziu média de 5,7 MM m³ por dia no 2T15 e 6M15

Leia mais

PDG Realty Apresentação Corporativa

PDG Realty Apresentação Corporativa PDG Realty Apresentação Corporativa AGENDA QUEM SOMOS; VISÃO GERAL; DIVERSIFICAÇÃO GEOGRÁFICA; RESULTADOS; EXPOSIÇÃO AO SEGMENTO ECONÔMICO; PROGRAMA "MINHA CASA MINHA VIDA; CONTATOS. 2 AGENDA QUEM SOMOS;

Leia mais

Banco do Nordeste. Ações de Apoio aos Produtores Rurais afetados pela Estiagem

Banco do Nordeste. Ações de Apoio aos Produtores Rurais afetados pela Estiagem Banco do Nordeste Ações de Apoio aos Produtores Rurais afetados pela Estiagem BRASILIA DF 07 Maio 2013 Quem somos Criado em 1952, Banco Múltiplo com 60 anos de atuação para o desenvolvimento da região

Leia mais

Parceria P ú blico-privada PPP. Novembro/2003 -

Parceria P ú blico-privada PPP. Novembro/2003 - Parceria P ú blico-privada PPP Novembro/2003 - Definição de Contrato de PPP Execução Clique de para obras, editar serviços os estilos e do atividades texto de mestre interesse Segundo público, cuja nível

Leia mais

www.estacioparticipacoes.com/ri Global Services Conference Phoenix-AZ, 27 de fevereiro de 2008

www.estacioparticipacoes.com/ri Global Services Conference Phoenix-AZ, 27 de fevereiro de 2008 www.estacioparticipacoes.com/ri Global Services Conference Phoenix-AZ, 27 de fevereiro de 2008 0 1. Visão Geral Setor de Ensino Superior no Brasil Visão Geral Estratégia Empresarial Destaques Financeiros

Leia mais

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento

Mercado Segurador e Drivers de Crescimento Apimec Fortaleza 2014 Mercado Segurador e Drivers de Crescimento BRASIL: PRINCIPAIS INDICADORES Crescimento da renda real, inflação sob controle e mobilidade social PIB PER CAPITA & DESEMPREGO INFLAÇÃO

Leia mais

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - CIA. DE SANEAMENTO DO PARANÁ - SANEPAR Versão : 1. Composição do Capital 1

DFP - Demonstrações Financeiras Padronizadas - 31/12/2014 - CIA. DE SANEAMENTO DO PARANÁ - SANEPAR Versão : 1. Composição do Capital 1 Índice Dados da Empresa Composição do Capital 1 Proventos em Dinheiro 2 DFs Individuais Balanço Patrimonial Ativo 3 Balanço Patrimonial Passivo 4 Demonstração do Resultado 6 Demonstração do Resultado Abrangente

Leia mais

PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA ANÁLISE DOS CRITÉRIOS PARA REEQUILÍBRIO ECONÔMICO-FINANCEIRO DE CONTRATOS DE CONCESSÕES E PPPS MARÇO 2015

PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA ANÁLISE DOS CRITÉRIOS PARA REEQUILÍBRIO ECONÔMICO-FINANCEIRO DE CONTRATOS DE CONCESSÕES E PPPS MARÇO 2015 PARCERIA PÚBLICO-PRIVADA ANÁLISE DOS CRITÉRIOS PARA REEQUILÍBRIO ECONÔMICO-FINANCEIRO DE CONTRATOS DE CONCESSÕES E PPPS MARÇO 2015 CRITÉRIOS DE AVALIAÇÃO DE PROJETOS TAXA INTERNA DE RETORNO (TIR) OU TAXA

Leia mais

VI ENCONTRO NACIONAL DA ABRAPCH A importância da Geração Distribuída num momento de crise energética

VI ENCONTRO NACIONAL DA ABRAPCH A importância da Geração Distribuída num momento de crise energética VI ENCONTRO NACIONAL DA ABRAPCH A importância da Geração Distribuída num momento de crise energética Copel Distribuição S.A Vlademir Daleffe 25/03/2015 1 VI ENCONTRO NACIONAL DA ABRAPCH 1. Composição tarifária

Leia mais

Desenvolvendo a Governança Corporativa. Eduardo Rath Fingerl Diretor

Desenvolvendo a Governança Corporativa. Eduardo Rath Fingerl Diretor Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social BNDES Área de Mercado de Capitais BNDES Desenvolvendo a Governança Corporativa Eduardo Rath Fingerl Diretor 02/06/2006 www.bndes.gov.br 1 de 23 Atuação

Leia mais

Apresentação Institucional

Apresentação Institucional Apresentação Institucional Disclaimer Nossas estimativas e declarações futuras têm por embasamento, em grande parte, expectativas atuais e projeções sobre eventos futuros e tendências financeiras que afetam

Leia mais

RESULTADO DO 1º TRIMESTRE DE 2013

RESULTADO DO 1º TRIMESTRE DE 2013 RESULTADO DO 1º TRIMESTRE DE 2013 DASA divulga receita bruta de R$ 640,4 milhões e geração de caixa operacional de R$ 43,3 milhões no 1T13 Romeu Cortes Domingues Presidente do Conselho de Administração

Leia mais

Muitos dos resultados obtidos nos exercícios podem ser creditados à implementação da cultura de planejamento adotada pela empresa.

Muitos dos resultados obtidos nos exercícios podem ser creditados à implementação da cultura de planejamento adotada pela empresa. PROPOSTA PARA A 49ª ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DA COMPANHIA DE SANEAMENTO DO PARANÁ SANEPAR, A SER REALIZADA NO DIA 25 DE ABRIL DE 2013, AS 14:00 HORAS ITEM 10. Comentários dos diretores 10.1 Os diretores

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE NAS ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO

SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE NAS ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO SISTEMA DE GESTÃO DE QUALIDADE NAS ESTAÇÕES DE TRATAMENTO DE ESGOTOS DA REGIÃO METROPOLITANA DE SÃO PAULO Valério da Silva Ramos (*) Administrador de Empresas, pós-graduado em Gestão Econômica e Financeira

Leia mais

Conhecendo a Compesa

Conhecendo a Compesa Conhecendo a Compesa Conhecendo a Compesa Informações Gerais Companhia Pernambucana de Saneamento Compesa Economia Mista de Direito Privado 43 anos de existência Faturamento: R$ 1,22 bi (2014) Número de

Leia mais

Aspectos Econômico- Financeiros do Setor Elétrico Visão do Regulador

Aspectos Econômico- Financeiros do Setor Elétrico Visão do Regulador XVIII ENCONSEL Aspectos Econômico- Financeiros do Setor Elétrico Visão do Regulador Canela-RS Novembro de 2002 José Mário Miranda Abdo Diretor-Geral Aspectos Econômico-financeiros do Setor Elétrico Visão

Leia mais

Número de operações: 93

Número de operações: 93 APIMEC Maio de 2010 PRESENÇA GEOGRÁFICA 2 Número de operações: 93 Principais cidades São Paulo Rio de Janeiro Belo Horizonte Recife Brasília Manaus Curitiba Florianópolis Porto Alegre Guarulhos Ponta Grossa

Leia mais

Contax. Operação com Portugal Telecom e Dedic GPTI. Janeiro de 2011

Contax. Operação com Portugal Telecom e Dedic GPTI. Janeiro de 2011 Contax Operação com Portugal Telecom e Dedic GPTI Janeiro de 2011 SEÇÃO 1 Racional da Transação 2 A Líder no Mercado de Contact Center no Brasil A Contax Líder no mercado com ampla base de clientes Fundada

Leia mais