Inventário de Emissão de Gases de Efeito Estufa

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Inventário de Emissão de Gases de Efeito Estufa"

Transcrição

1 Inventário de de Gases de Efeito Estufa Projeto Coral Vivo Priscila G. C. Sette Moreira CREA /D

2 Inventário de de Gases de Efeito Estufa 1 Introduça o A variação do clima é um fenômeno natural que apresenta períodos de mudanças intensas em algumas fases da história do planeta. Mas a rapidez da alteração climática que vem ocorrendo nas últimas décadas é considerada pelos cientistas um fenômeno atípico. Inúmeros estudos confirmam que a elevação da temperatura média da Terra e o aumento do nível dos mares pelo derretimento das áreas geladas são evidências da intensificação do efeito estufa. O efeito estufa provoca o aumento da temperatura global provocando efeitos como o derretimento das calotas polares, o alagamento das regiões costeiras, o aumento do volume de chuvas, aumento dos períodos de seca, entre outros. Para a minimização do efeito estufa é necessário à redução das emissões dos gases de efeito estufa, especialmente o dióxido de carbono (CO 2 ), através da minimização da emissão desses gases e através do seqüestro dos gases da atmosfera. Um inventário de Gases de Efeito Estufa (GEE) é o levantamento das emissões de gases de efeito oriundas de uma ação qualquer, em outras palavras é saber quanto de GEEs são emitidos para realizar uma atividade. Com este levantamento pode-se identificar, avaliar, controlar e reduzir os impactos ambientais das atividades ou compensá-los. Um inventário torna-se, então, uma ferramenta para a gestão das emissões de gases de efeito estufa. Neste inventário do Projeto Coral Vivo foram estimadas as emissões dos gases de efeito estufa para o período de janeiro de 2011 a dezembro de O objetivo é poder compensar estas emissões através do plantio de nativas, em área de influência indireta do Projeto na Bahia, realizando o sequestro do carbono emitido no período, da atmosfera. O Projeto Coral Vivo é uma organização não governamental com fins de proteção e pesquisa dos recifes de corais e das espécies que ali vivem e possui unidades no estado da Bahia e Rio de Janeiro.

3 Inventário de de Gases de Efeito Estufa 2 Metodologia O Projeto Coral Vivo, por se tratar de uma organização não governamental (ONG) sem fins lucrativos, possui suas unidades em locais cedidos por entidades públicas e privadas. Por este motivo não possui contas de luz e água separadas das entidades que sediam as unidades do Projeto. Desta forma o consumo de energia elétrica, água e esgoto foram estimados com base no número de funcionários, período de funcionamento dos escritórios e aparelhos eletrônicos e eletrodomésticos encontrados em cada uma das unidades. Com base nestes valores foi estimado o consumo mensal e anual de energia elétrica, água, esgoto e resíduos de cada uma das unidades do Projeto para os anos de 2011 e 2012, tomando como base a informação que estes consumos são uniformes para o período e tendo como parâmetro o consumo efetivo de janeiro de 2011 a agosto de O Projeto Coral Vivo possui três unidades, sendo uma localizada em Arraial D`Ajuda, distrito de Porto Seguro Bahia, uma no Rio de Janeiro RJ e uma em Búzios RJ. O cálculo das emissões foi realizado separadamente para cada uma das unidades e por ano de emissão, no caso 2011 e A ferramenta utilizada para cálculo foi a planilha preparada pela CBFT Companhia Brasileira de Florestas Tropicais, com base nas planilhas ferramentas do Programa Brasileiro GHG Protocol e processos de cálculos e fórmulas indicadas nos relatórios do IPCC e Inventários Nacionais. A planilha utiliza referências dos fatores de emissão para cálculo de CO 2 equivalente por fonte de emissão de acordo com as fontes citadas no Quadro 01 abaixo. Para cálculo do consumo de energia elétrica de cada um dos aparelhos foram utilizados os seguintes métodos dependendo da disponibilidade da informação encontrada: coleta do dado de consumo em KWh/mês no aparelho; ou coleta do dado de potência do aparelho; pesquisa do consumo ou potência do aparelho através do nome/ modelo fabricante; pesquisa no site da Eletrobrás de estimativas de consumo ou potência de aparelhos.

4 Inventário de de Gases de Efeito Estufa 3 Quadro 01 Referências dos fatores de emissão utilizados conforme parâmetros de emissão Parâmetro móvel Referência 2006 IPCC Guidelines for National Greenhouse Inventories; MCT (Segundo Inventário Brasileiro de Emissões Antrópicas de Gases de Efeito Estufa, 2010) Departament for Environment, Food and Rural Affairs Viagens avião (DEFRA,2010) Consumo de MCT (Segundo Inventário Brasileiro de Emissões Antrópicas energia de Gases de Efeito Estufa, 2010) Geração de resíduos 2006 IPCC Guidelines for National Greenhouse Inventories Tratamento de água CETESB, 2010 No caso dos aparelhos em que o dado coletado foi a potência, foi utilizado a fórmula abaixo para cálculo do consumo em KWh/mês: = 1000 Onde: k é o consumo em KWh/mês, t é o tempo de utilização do aparelho em 01 mês, em horas e P é a potência do aparelho. Para o cálculo do consumo de água nas unidades do projeto foi utilizado simulador online da SABESP, considerando 02 idas ao banheiro por funcionário por dia. Na estimativa da geração de resíduos da unidade de Arraial D Ajuda foi utilizado o dado do consumo médio diário por indivíduo em Porto Seguro, que é de 1,05Kg/dia de resíduo. Considerando que cada funcionário passa 1/3 do dia no escritório, 20 dias por mês, 12 meses por ano. Para as unidades do Rio de Janeiro e Búzios foi utilizado o parâmetro médio nacional, de acordo com o Manual de Gerenciamento Integrado de Resíduos Sólidos [Ibam (2001)], a geração média de resíduos domiciliares (domésticos + comerciais) no Brasil é de 0,6kg/hab/dia, que, acrescida de 0,3kg/hab/dia de entulhos, varrição e limpeza de logradouros, totaliza 0,9 kg/hab/dia. Os gases provenientes das emissões encontradas no levantamento deste inventário foram o dióxido de carbono (CO 2 ) ou gás carbônico, metano (CH 4 ) e óxido nitroso (N 2 O), encontrados nas emissões provenientes da estrutura do Projeto.

5 Inventário de de Gases de Efeito Estufa 4 O gás carbônico é produzido naturalmente pela respiração de plantas e animais e pela decomposição de seres vivos em ambiente com presença de oxigênio. A emissão desse gás por ação antrópica se dá principalmente pela queima de combustíveis fósseis, como gasolina e diesel, pela mudança da vegetação (desmatamento) e fabricação de cimento. As amostras em bolhas presas em camadas de gelo seculares indicam um aumento de 285 ppm (partes por milhão) no período de 1700 para 379 ppm observado em Ações para reduzir as emissões de CO2 são a utilização de fontes renováveis de energia, eficiência energética, redução de ações de desmatamento, redução nos padrões de consumo. O metano é formado naturalmente pela decomposição da matéria organica em ambientes com pouco ou ausência de oxigênio, como reservatórios de água, camadas mais baixas do solo. A emissão de metano por ações humanas se dá principalmente por processos digestão do gado e outros ruminantes, o cultivo de arroz,a utilização de petróleo e gás natural, o uso de carvão mineral, decomposição de resíduos em zonas de aterros sanitários e industriais. As concentrações de metano na atmosfera variaram de 0,400 ppm durante os períodos de glaciação e picos de 0,77 durante o período interglacial para atuais 1,77 ppm. A mitigação das emissões de metano podem ser realizadas pelo aumento da eficiência da combustão de combustíveis fósseis, troca de combustíveis, processos de compostagem de resíduos orgânicos e exaustão de gases de aterro e tratamento de esgoto. O óxido nitroso é produzido naturalmente pelos oceanos e nos solos das florestas tropicais. Fontes antropogênicas de óxido nitroso são: a produção de nylon, ácido nítrico, queimadas de áreas naturais, utilização de fertilizantes nitrogenados e processos de combustão. Desde a Revolução Industrial o seu aumento na atmosfera foi de 270 ppb (partes por bilhão) para 319 ppb.

6 Inventário de de Gases de Efeito Estufa 5 A redução no consumo de combustíveis fósseis, o aumento da eficiência térmica na utilização, e a troca por combustíveis que produzem menores quantidades de dióxido de carbono para uma mesma quantidade de energia (por exemplo, substituição de carvão mineral por gás natural) estão entre os meios disponíveis para a redução de N 2 O. Neste inventário o total de emissões é disponibilizado na forma de toneladas ou quilogramas de CO 2 equivalente CO 2 e. Inventa rio No Projeto Coral Vivo, as fontes emissoras encontradas nas três unidades foram consumo de energia elétrica, consumo de água, geração de esgoto, energia para tratamento de água, energia para tratamento de esgoto, geração de resíduos sólidos, utilização de fontes móveis (veículos e lancha) e viagens aéreas dos funcionários entre as unidades do Projeto. As atividades emissoras serão separadas aqui por tipo de emissão, unidade do Projeto e ano de consumo para uma melhor visualização desses componentes. Na prática a divisão entre os tipos de emissões é realizada para facilitar estratégias de redução de emissões. Emissões Diretas As emissões diretas de gases de efeito estufa são as provindas de fontes que pertencem ou são controladas diretamente pelo Projeto. No Coral Vivo, as emissões diretas são provenientes das fontes móveis, ligadas ao transporte de pessoas e materiais. As emissões estão relacionadas ao consumo e tipo de combustível. Os principais gases relacionados a este tipo de emissão são o CO 2, CH 4 e N 2 O.

7 Inventário de de Gases de Efeito Estufa 6 As emissões por fontes móveis são resultantes da queima de combustíveis pelas fontes móveis que o Projeto utiliza, o carro e a lancha, nas unidades de Arraial D Ajuda e Búzios. Tabela 01 Emissões diretas do Projeto Coral Vivo para o período de 2011 e 2012 Unidade Arraial D Ajuda UNIDADE ARRAIAL D AJUDA de funcionários Kombi de funcionários Kombi de funcionários Lancha de funcionários Lancha de CO2 (ton) de CH4 de N2O Total de CO2e Gasolina Litros ,9906 0,0001 0, ,377 de Etanol por uso de gasolina Litros 300 0,0445 0,0134 5,0938 Gasolina Litros ,9906 0,0001 0, ,377 de Etanol por uso de gasolina Litros 300 0,0445 0,0134 5,0938 TOTAL Litros ,9812 0,0893 0,197 66,942 UNIDADE ARRAIAL D AJUDA de funcionários Kombi de funcionários Kombi de funcionários Lancha de funcionários Lancha de CO2 (ton) de CH4 de N2O Total de CO2e Gasolina Litros ,9906 0,0001 0, ,377 de Etanol por uso de gasolina Litros 300 0,0445 0,0134 5,0938 Gasolina Litros ,9906 0,0001 0, ,377 de Etanol por uso de gasolina Litros 300 0,0445 0,0134 5,0938 TOTAL Litros ,9812 0,0893 0,197 66,942

8 Inventário de de Gases de Efeito Estufa 7 Tabela 02 Emissões diretas do Projeto Coral Vivo para o período de 2011 e 2012 Unidade Búzios UNIDADE BÚZIOS de funcionários Carro de funcionários Carro de CO2 (ton) de CH4 de N2O Total de CO2e Gasolina Litros ,9906 0,0001 0, ,377 de Etanol por uso de gasolina Litros 300 0,0445 0,0134 5,0938 TOTAL Litros ,9906 0,0447 0, ,471 UNIDADE BÚZIOS de funcionários Carro de funcionários Carro de CO2 (ton) de CH4 de N2O Total de CO2e Gasolina Litros ,9906 0,0001 0, ,377 de Etanol por uso de gasolina Litros 300 0,0445 0,0134 5,0938 TOTAL Litros ,9906 0,0447 0, ,471 Emissões Diretas Neutras As emissões de CO 2 resultantes de queima de biomassa, ou bicombustíveis, como etanol e biodiesel, são consideradas emissões neutras. As liberações CO 2 provenientes da queima de biomassa são consideradas neutras, pois é o mesmo CO 2 que foi retirado da atmosfera e fixado como biomassa pelo processo da fotossíntese. Porém, o uso energético de biomassa, ou combustíveis provenientes de biomassa, pode liberar CH 4 e N 2 O que não são neutros já que não tem relação com o processo de fotossíntese e o acúmulo de biomassa. Essas emissões são quantificadas e relatadas de acordo e dentro da atividade emissora como emissões diretas, ou indiretas dependendo da fonte.

9 Inventário de de Gases de Efeito Estufa 8 e 2012 Tabela 03 Emissões diretas neutras do Projeto Coral Vivo para o período de 2011 UNIDADE ARRAIAL D AJUDA de CO2 (ton) Total de CO2e de funcionários Kombi de Etanol por uso de gasolina Litros , , de funcionários Lancha de Etanol por uso de gasolina Litros , , TOTAL Litros , , UNIDADE ARRAIAL D AJUDA de CO2 (ton) Total de CO2e de funcionários Kombi de Etanol por uso de gasolina Litros , , de funcionários Lancha de Etanol por uso de gasolina Litros , , TOTAL Litros , , UNIDADE BÚZIOS de funcionários Carro de CO2 (ton) Total de CO2e de Etanol por uso de gasolina Litros , , TOTAL Litros , , UNIDADE BÚZIOS de CO2 (ton) Total de CO2e de funcionários Carro de Etanol por uso de gasolina Litros , , TOTAL Litros , ,

10 Inventário de de Gases de Efeito Estufa 9 Emissões Indiretas As emissões indiretas são as emissões causadas por fontes que pertencem ou são controladas por outras entidades e que a entidade inventariada não tem controle direto sobre as fontes de emissões. No Projeto Coral Vivo as emissões indiretas são provenientes de geração de efluentes sólidos e líquidos e viagens de negócio. Tabela 04 Emissões indiretas Viagens de negócios Atividade Veículo Distância do Vôo (Km) TODAS UNIDADES Quantidade de CO2 (ton) de CH4 de N2O Total de CO2e Viagens de negócio Avião ,5415 0, , ,112 Atividade Veículo TOTAL 4604,5415 0, , ,112 Distância do Vôo (Km) TODAS UNIDADES Quantidade de CO2 (ton) de CH4 de N2O Total de CO2e Viagens de negócio Avião ,5415 0, , ,112 TOTAL 4604,5415 0, , ,112 Tabela 05 Emissões indiretas Geração de esgoto TODAS UNIDADES Consumo de água Atividade (m3) Emissões de CH4 Emissões CO2e Geração de esgoto 142,56 5, , TOTAL 5, , TODAS UNIDADES Consumo de água Atividade (m3) Emissões de CH4 Emissões CO2e Geração de esgoto 142,56 5, , TOTAL 5, ,

11 Inventário de de Gases de Efeito Estufa 10 Tabela 06 Emissões indiretas Geração de resíduos sólidos UNIDADE ARRAIAL D AJUDA Atividade Quantidade (Kg) Emissões de CH4 Emissões CO2e Geração de resíduos , ,6032 TOTAL 40, ,6032 UNIDADE ARRAIAL D AJUDA Atividade Quantidade (Kg) Emissões de CH4 Emissões CO2e Geração de resíduos , ,6032 TOTAL 40, ,6032 UNIDADE BÚZIOS Atividade Quantidade (Kg) Emissões de CH4 Emissões CO2e Geração de resíduos , ,2624 TOTAL 14, ,2624 UNIDADE BÚZIOS Atividade Quantidade (Kg) Emissões de CH4 Emissões CO2e Geração de resíduos , ,2624 TOTAL 14, ,2624 UNIDADE RIO DE JANEIRO Atividade Quantidade (Kg) Emissões de CH4 Emissões CO2e Geração de resíduos , ,104 TOTAL 24, ,104 UNIDADE RIO DE JANEIRO Atividade Quantidade (Kg) Emissões de CH4 Emissões CO2e Geração de resíduos , ,104 TOTAL 24, ,104 TOTAL EMISSÕES TODAS UNIDADES ,9392

12 Inventário de de Gases de Efeito Estufa 11 Emissões Indiretas Obrigatórias Emissões indiretas são as emissões provenientes das atividades da iniciativa, porém causadas por fontes que pertencem ou são controladas por outra entidade de maneira que a entidade inventariada não tem controle direto sobre as fontes de emissões. A atividade mais comum para esse tipo de emissão é a relacionada à aquisição de energia elétrica da rede. No Projeto Coral Vivo estas emissões são provenientes do consumo de energia elétrica e consumo de água. Tabela 07 Emissões Indiretas Obrigatórias Energia Elétrica Ano 2011 e 2012 UNIDADE ARRAIAL D AJUDA Atividade Consumo Elétrico (KWh) Emissões CO2e Energia da rede ,0912 Atividade Consumo Elétrico (KWh) Emissões CO2e Energia da rede ,9936 TOTAL UNIDADE BÚZIOS Atividade Consumo Elétrico (KWh) Emissões CO2e Energia da rede 2.912,54 149, Atividade Consumo Elétrico (KWh) Emissões CO2e Energia da rede 2.912,54 149, TOTAL 5825,08 298, UNIDADE RIO DE JANEIRO Atividade Consumo Elétrico (KWh) Emissões CO2e Energia da rede 2.918,40 149,42208 Atividade Consumo Elétrico (KWh) Emissões CO2e Energia da rede 2918,4 149,42208 TOTAL 5836,8 298,84416

13 Inventário de de Gases de Efeito Estufa 12 Tabela 08 Emissões Indiretas Obrigatórias Consumo de água TODAS AS UNIDADES Atividade Consumo de água - Volume (m 3 ) Consumo Elétrico (KWh) Emissões CO2e Tratamento de água 142,56 85,536 7, Atividade Consumo de água - Volume (m 3 ) Consumo Elétrico (KWh) Emissões CO2e Tratamento de água 142, , TOTAL ,12 171,07 14,60 Conclusa o O Projeto Coral Vivo irá compensar todas as suas emissões através do reflorestamento com árvores nativas em área indicada na região de influência indireta de sua Unidade em Arraial D Ajuda. O total geral das emissões do Projeto foi de ,59 kg de CO 2 e, que serão revertidos em plantio de uma área de 936 m 2. A base de cálculo utilizada para a compensação foi de 140 Kg (CO 2 e) para cada árvore plantada em um período de 20 anos (Lacerda et al, 2009). Para o total de emissões do Projeto é necessário o plantio de 156 árvores. Considerando o espaçamento recomendado para plantio de nativas de 3 x 2 metros, a área a ser reflorestada para compensação das emissões é de 936 m 2. O quadro resumo com o total de emissões por unidade e para todo o Projeto é apresentado na Tabela 09 abaixo.

14 Inventário de de Gases de Efeito Estufa 13 Tabela 09 Totais de emissões para o Projeto Coral Vivo Anos 2011 e 2012 Entidade Unidade Fontes de Emissões CO2e (Kg) Arraial Dajuda Fontes móveis Consumo de energia Geração de resíduos Direta Direta neutra Indireta 8929,10 Projeto Coral Vivo Búzios Fontes móveis Consumo de energia Geração de resíduos Direta Direta neutra Indireta 1901,16 Rio de Janeiro Consumo de energia Geração de resíduos Indireta 1333,05 Todas as unidades Tratamento de água Geração de esgoto Viagem de negócios Indireta 9543,28 TOTAL NEUTRO 2746,38 TOTAL FÓSSIL 18960,21 TOTAL GERAL 21706,59 Bibliografia LACERDA, J. S., COUTO, H. T. Z., HIROTA, M. M., PASISNHIK, N., POLIZEL, J. L Estimativa da Biomassa e Carbono em Áreas Restauradas com Plantio de Essências Nativas. METRVM, v.5, novembro.

Participação dos Setores Socioeconômicos nas Emissões Totais do Setor Energia

Participação dos Setores Socioeconômicos nas Emissões Totais do Setor Energia INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA DO ESTADO DE MINAS GERAIS ANO BASE 2005 O Governo do Estado, por meio da Fundação Estadual de Meio Ambiente FEAM, entidade da Secretaria Estadual de Meio

Leia mais

Versão Web Inventário Corporativo de Gases de Efeito Estufa

Versão Web Inventário Corporativo de Gases de Efeito Estufa Inventário Corporativo de Gases do Efeito Estufa 2011 Versão Web Inventário Corporativo de Gases de Efeito Estufa Gerente do Projeto: Iris Gobato Gercov Consultora: Adriane Elise de Assunção Flausino Consultor:

Leia mais

O projeto de Neutralização das Emissões de Carbono do Camarote Expresso 2222 envolve as seguintes etapas:

O projeto de Neutralização das Emissões de Carbono do Camarote Expresso 2222 envolve as seguintes etapas: Relatório de Emissões de Carbono Camarote Expresso 2222 Carnaval Salvador 2010 Introdução As atividades da humanidade têm aumentado como nunca visto a concentração de gases poluidores na atmosfera. Alguns

Leia mais

3 Emissões de Gases de Efeito Estufa

3 Emissões de Gases de Efeito Estufa 3 Emissões de Gases de Efeito Estufa 3.1. Metodologia Neste capítulo, com base na Matriz Energética do Estado do Rio de Janeiro, é apresentada a metodologia utilizada para as estimativas de emissões de

Leia mais

EMISSÕES DO SETOR DE RESÍDUOS SÓLIDOS E EFLUENTES LÍQUIDOS (2009-2010)

EMISSÕES DO SETOR DE RESÍDUOS SÓLIDOS E EFLUENTES LÍQUIDOS (2009-2010) EMISSÕES DO SETOR DE RESÍDUOS SÓLIDOS E EFLUENTES LÍQUIDOS (2009-2010) Sumário Executivo De acordo com a Convenção Quadro das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (UNFCCC), adotada em 1992, as mudanças

Leia mais

Inventário de Gases de Efeito Estufa do Festival de Turismo das Cataratas do Iguaçu 2013

Inventário de Gases de Efeito Estufa do Festival de Turismo das Cataratas do Iguaçu 2013 Inventário de Gases de Efeito Estufa do Festival de Turismo das Cataratas do Iguaçu 2013 Sumário 1. APRESENTAÇÃO... 2 2. GHG PROTOCOL... 2 2.1 Premissas... 3 2.1.1 Definições... 3 2.1.1.1. Período... 3

Leia mais

Realização: Aquecimento Global. Parceiros: Apoiadores:

Realização: Aquecimento Global. Parceiros: Apoiadores: Realização: Parceiros: Aquecimento Global Apoiadores: O que é o efeito estufa? É um fenômeno natural, provocado por alguns gases da atmosfera, que mantêm o nosso planeta aquecido. Esse processo acontece

Leia mais

Unidade IV Ser Humano e saúde. Aula 17.1

Unidade IV Ser Humano e saúde. Aula 17.1 Unidade IV Ser Humano e saúde. Aula 17.1 Conteúdo: O efeito estufa. Habilidade: Demonstrar uma postura crítica diante do uso do petróleo. REVISÃO Reações de aldeídos e cetonas. A redução de um composto

Leia mais

RELATÓRIO DE COMPENSAÇÃO DE EMISSÕES DE CO 2

RELATÓRIO DE COMPENSAÇÃO DE EMISSÕES DE CO 2 RELATÓRIO DE COMPENSAÇÃO DE EMISSÕES DE CO 2 XIV Simpósio Nacional de Auditoria de Obras Públicas (SINAOP) Centro de Eventos do Pantanal - Cuiabá 1 Novembro 2011 Nome do Evento: XIV SINAOP 2011 Cuiabá

Leia mais

Padrões de produção e consumo

Padrões de produção e consumo INDICADORES AMBIENTAIS DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO 113 Padrões de produção e consumo Recicloteca da COMLURB - Gávea 114 INDICADORES AMBIENTAIS DA CIDADE DO RIO DE JANEIRO ÁGUA ATMOSFERA SOLO BIODIVERSIDADE

Leia mais

INVENTÁRIO BRASILEIRO DAS EMISSÕES E REMOÇÕES ANTRÓPICAS DE GASES DE EFEITO ESTUFA. INFORMAÇÕES GERAIS E VALORES PRELIMINARES (30 de novembro de 2009)

INVENTÁRIO BRASILEIRO DAS EMISSÕES E REMOÇÕES ANTRÓPICAS DE GASES DE EFEITO ESTUFA. INFORMAÇÕES GERAIS E VALORES PRELIMINARES (30 de novembro de 2009) INVENTÁRIO BRASILEIRO DAS EMISSÕES E REMOÇÕES ANTRÓPICAS DE GASES DE EFEITO ESTUFA INFORMAÇÕES GERAIS E VALORES PRELIMINARES (30 de novembro de 2009) INFORMAÇÕES IMPORTANTES O Inventário Nacional de Emissões

Leia mais

A Importância da Elaboração dos Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa nas Capitais Brasileiras

A Importância da Elaboração dos Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa nas Capitais Brasileiras A Importância da Elaboração dos Inventários de Emissões de Gases de Efeito Estufa nas Capitais Brasileiras Emilio Lèbre La Rovere Coordenador, CentroClima/LIMA/PPE/COPPE/UFRJ 2º Encontro dos Secretários

Leia mais

Relatório de Neutralização das emissões de gases do efeito estufa

Relatório de Neutralização das emissões de gases do efeito estufa 2011 Inventário de GEE Relatório de Neutralização das emissões de gases do efeito estufa Evento: -Super 9k Montevérgine -Prova Ciclística 9 de Julho 0 Inventário das Emissões de Gases de Efeito Estufa

Leia mais

Emissões Atmosféricas e Mudanças Climáticas

Emissões Atmosféricas e Mudanças Climáticas CONCURSO PETROBRAS TÉCNICO(A) AMBIENTAL JÚNIOR Emissões Atmosféricas e Mudanças Climáticas Questões Resolvidas QUESTÕES RETIRADAS DE PROVAS DA BANCA CESGRANRIO DRAFT Produzido por Exatas Concursos www.exatas.com.br

Leia mais

Agricultura de Baixo Carbono e Bioenergia. Heitor Cantarella FAPESP: Programa BIOEN & Instituto Agronômico de Campinas(IAC)

Agricultura de Baixo Carbono e Bioenergia. Heitor Cantarella FAPESP: Programa BIOEN & Instituto Agronômico de Campinas(IAC) Agricultura de Baixo Carbono e Bioenergia Heitor Cantarella FAPESP: Programa BIOEN & Instituto Agronômico de Campinas(IAC) Bioenergia: energia renovável recicla o CO 2 E + CO 2 + H 2 O CO 2 + H 2 O Fotossíntese

Leia mais

Entre no Clima, Faça sua parte por. um MUNDO melhor.

Entre no Clima, Faça sua parte por. um MUNDO melhor. Entre no Clima, Faça sua parte por um MUNDO melhor. Aquecimento Global Conheça abaixo os principais gases responsáveis pelo aquecimento global: MUDANÇAS CLIMÁTICAS E O AQUECIMENTO GLOBAL Desde a revolução

Leia mais

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA IPOJUCATUR TRANSPORTES E TURISMO LTDA ANO BASE 2009

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA IPOJUCATUR TRANSPORTES E TURISMO LTDA ANO BASE 2009 INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA IPOJUCATUR TRANSPORTES E TURISMO LTDA ANO BASE 2009 ÍNDICE 1. A Empresa 03 2. Objetivo 03 3. Inventário segundo a ISO 14.064-01 03 4. Identificação dos

Leia mais

Sumário. Resumo Executivo 1 INTRODUÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO 06 3. OBJETIVO 06 4. MATERIAL E MÉTODOS 06. 4.1 Limites Organizacionais 06

Sumário. Resumo Executivo 1 INTRODUÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO 06 3. OBJETIVO 06 4. MATERIAL E MÉTODOS 06. 4.1 Limites Organizacionais 06 INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA CORPORATIVAS UNIMED dezembro de 2011. Sumário Resumo Executivo 03 1 INTRODUÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO 06 3. OBJETIVO 06 4. MATERIAL E MÉTODOS

Leia mais

Inventário das Emissões de Gases de Efeito Estufa. Evento: CORRIDA ESPERANÇA - 2011

Inventário das Emissões de Gases de Efeito Estufa. Evento: CORRIDA ESPERANÇA - 2011 2011 Inventário das Emissões de Gases de Efeito Estufa Evento: CORRIDA ESPERANÇA - 2011 SUMÁRIO 1. INTRODUÇÃO... 2 2. A GREEN CO 2.... 3 2.1. VISÃO.... 3 2.2. MISSÃO.... 3 2.3. OBJETIVOS.... 3 2.4. VALORES....

Leia mais

O DESAFIO ENERGÉTICO NOS GRANDES CENTROS:

O DESAFIO ENERGÉTICO NOS GRANDES CENTROS: O DESAFIO ENERGÉTICO NOS GRANDES CENTROS: CIDADES SUSTENTÁVEIS OU COLAPSO ANUNCIADO? Mudanças Climáticas e o Papel das Cidades Mudanças Climáticas e o Papel das Cidades Cidades são parte do Problema Atividades

Leia mais

Mudanças do clima, mudanças no campo

Mudanças do clima, mudanças no campo Mudanças do clima, mudanças no campo Sumário executivo do relatório escrito por Jessica Bellarby, Bente Foereid, Astley Hastings e Pete Smith, da Escola de Ciências Biológicas da Universidade de Aberdeen

Leia mais

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA CORPORATIVAS UNIMED CUIABÁ

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA CORPORATIVAS UNIMED CUIABÁ INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA CORPORATIVAS UNIMED CUIABÁ Abril de 2015 Sumário Resumo Executivo 03 1. INTRODUÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO 06 3. OBJETIVO 06 4. MATERIAL E MÉTODOS

Leia mais

Linha Economia Verde

Linha Economia Verde Linha Economia Verde QUEM SOMOS Instituição Financeira do Estado de São Paulo, regulada pelo Banco Central, com inicio de atividades em Março/2009 Instrumento institucional de apoio àexecução de políticas

Leia mais

Deslocamento de automóveis sorteados pelo Banco Bradesco aos cotistas do HiperFundo:

Deslocamento de automóveis sorteados pelo Banco Bradesco aos cotistas do HiperFundo: Relatório de Emissões de Gases do Efeito Estufa Deslocamento de automóveis sorteados pelo Banco Bradesco aos cotistas do HiperFundo: Quantificação e Compensação Elaboração: Sumário 1. Introdução...3 1.1

Leia mais

Inventário de Gases de Efeito Estufa (GEE) do Grupo Abril -2010-

Inventário de Gases de Efeito Estufa (GEE) do Grupo Abril -2010- Inventário de Gases de Efeito Estufa (GEE) do Grupo Abril -2010- ÍNDICE Impactos das Mudanças Climáticas Conceitos Inventário de Gases de Efeito Estufa do Grupo Abril Ano 2010 Impactos das Mudanças Climáticas

Leia mais

As políticas públicas de mudanças climáticas e suas implicações

As políticas públicas de mudanças climáticas e suas implicações WORKSHOP ASPECTOS RELEVANTES DA PRÁTICA EMPRESARIAL EM GESTÃO AMBIENTAL CAMPINAS, 17 DE ABRIL 2010 As políticas públicas de mudanças climáticas e suas implicações Profa. Josilene T.V.Ferrer Estado de São

Leia mais

Evitando o Desforestamento na Amazônia: REDD e os Mercados PSA Cuiabá, 1º de abril de 2009

Evitando o Desforestamento na Amazônia: REDD e os Mercados PSA Cuiabá, 1º de abril de 2009 Evitando o Desforestamento na Amazônia: REDD e os Mercados PSA Cuiabá, 1º de abril de 2009 Desflorestamento e Mudança do Clima Luiz Gylvan Meira Filho Pesquisador Visitante Instituto de Estudos Avançados

Leia mais

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA CORPORATIVAS UNIMED CUIABÁ

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA CORPORATIVAS UNIMED CUIABÁ INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA CORPORATIVAS UNIMED CUIABÁ Abril de 2014 Sumário Resumo Executivo 03 1. INTRODUÇÃO 04 2. IDENTIFICAÇÃO DA INSTITUIÇÃO 06 3. OBJETIVO 06 4. MATERIAL E MÉTODOS

Leia mais

INVENTÁRIO: Completo Preliminar. INVENTÁRIO VERIFICADO POR: Ninguém Primeira parte 1 Terceira parte Terceira parte acreditada

INVENTÁRIO: Completo Preliminar. INVENTÁRIO VERIFICADO POR: Ninguém Primeira parte 1 Terceira parte Terceira parte acreditada Inventário das Emissões de Gases de Efeito Estufa Companhia Energética de São Paulo - CESP 2009 INVENTÁRIO: Completo Preliminar INVENTÁRIO VERIFICADO POR: Ninguém Primeira parte 1 Terceira parte Terceira

Leia mais

Introdução àpegada de carbono

Introdução àpegada de carbono Introdução àpegada de carbono Judith Sykes Gases de Efeito Estufa 1 Gases de Efeito Estufa Gas Concentration in 1988 (ppmv) GWP** Dióxido de carbono (CO 2 ) 365 1 Metano (CH 4 ) 1,75 23 Óxido nitroso (N

Leia mais

Inventário das Emissões de Gases de Efeito Estufa [Quimicryl S/A] [2013]

Inventário das Emissões de Gases de Efeito Estufa [Quimicryl S/A] [2013] Inventário das Emissões de Gases de Efeito Estufa [Quimicryl S/A] [2013] INVENTÁRIO: X Completo INVENTÁRIO VERIFICADO POR: X Terceira parte Data: 10/03/2014 Preparador de Relatório: EGGEE/Quimicryl Simone

Leia mais

Seminário Soluções Técnicas e Financeiras para Cidades Sustentáveis Banco Mundial Brasília. 08 e 09 de Junho 2010

Seminário Soluções Técnicas e Financeiras para Cidades Sustentáveis Banco Mundial Brasília. 08 e 09 de Junho 2010 Seminário Soluções Técnicas e Financeiras para Cidades Sustentáveis Banco Mundial Brasília 08 e 09 de Junho 2010 No Programa de Governo Gestão 2009-2012 está previsto o Programa Biocidade e neste o Plano

Leia mais

estufa para setores agropecuários

estufa para setores agropecuários Simpósio de Mercado de Carbono pós COP15 e Código Florestal para o Sistema Cooperativista Inventário de gases de efeito fi estufa para setores agropecuários Inventário de gases de efeito estufa para setores

Leia mais

AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS CLIMÁTICAS. João Paulo Nardin Tavares

AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS CLIMÁTICAS. João Paulo Nardin Tavares AQUECIMENTO GLOBAL E MUDANÇAS CLIMÁTICAS João Paulo Nardin Tavares INTRODUÇÃO Já podemos sentir o aquecimento global No último relatório do IPCC (Painel Intergovernamental de Mudanças Climáticas, órgão

Leia mais

ANÁLISE DAS EMISSÕES ATUAIS DE CO 2 POR FONTE DE ENERGIA E POR ATIVIDADES PARA O ESTADO DO RIO DE JANEIRO (ANO BASE 1996)

ANÁLISE DAS EMISSÕES ATUAIS DE CO 2 POR FONTE DE ENERGIA E POR ATIVIDADES PARA O ESTADO DO RIO DE JANEIRO (ANO BASE 1996) ANÁLISE DAS EMISSÕES ATUAIS DE CO 2 POR FONTE DE ENERGIA E POR ATIVIDADES PARA O ESTADO DO RIO DE JANEIRO (ANO BASE 1996) CÉLIA MARIA PAIVA PROFA. DEPTO METEOROLOGIA/UFRJ celia@meteoro.ufrj.br 1. Introdução

Leia mais

Departamento de Engenharia Elétrica Disciplina: Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica. Biomassa

Departamento de Engenharia Elétrica Disciplina: Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica. Biomassa Universidade Federal do Ceará Departamento de Engenharia Elétrica Disciplina: Geração, Transmissão e Distribuição de Energia Elétrica Universidade Federal do Ceará Biomassa Professora: Ruth Pastôra Saraiva

Leia mais

CGD. Relatório de Compensação de Emissões de GEE

CGD. Relatório de Compensação de Emissões de GEE CGD 1 RELATÓRIO DE COMPENSAÇÃO DE EMISSÕES DE GEE CGD S.A. 2014 2 CGD Relatório de Compensação de Emissões de GEE - CGD S.A. 2014 1.1 Introdução O Programa de Baixo Carbono, pioneiro no setor da banca

Leia mais

INVENTÁRIO RIO DE JANEIRO DE EMISSÕES DE DE GASES DO EFEITO ESTUFA DA CIDADE DO RESUMO EXECUTIVO

INVENTÁRIO RIO DE JANEIRO DE EMISSÕES DE DE GASES DO EFEITO ESTUFA DA CIDADE DO RESUMO EXECUTIVO INVENTÁRIO DE EMISSÕES IN DE DE GASES DO EFEITO ESTUFA DA CIDADE DO DO EFEIT RIO DE JANEIRO RESUMO EXECUTIVO RI Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa da Cidade do Rio de Janeiro Prefeito da

Leia mais

Engenharia Florestal. Desenvolvimento Rural

Engenharia Florestal. Desenvolvimento Rural Engenharia Florestal Desenvolvimento Rural 2/05/2010 Trabalho realizado por : Ruben Araújo Samuel Reis José Rocha Diogo Silva 1 Índice Introdução 3 Biomassa 4 Neutralidade do carbono da biomassa 8 Biomassa

Leia mais

PROBLEMAS AMBIENTAIS INVERSÃO TÉRMICA INVERSÃO TÉRMICA 14/02/2014. Distribuição aproximada dos principais poluentes do ar de uma cidade (SP)

PROBLEMAS AMBIENTAIS INVERSÃO TÉRMICA INVERSÃO TÉRMICA 14/02/2014. Distribuição aproximada dos principais poluentes do ar de uma cidade (SP) PROBLEMAS AMBIENTAIS Distribuição aproximada dos principais poluentes do ar de uma cidade (SP) Liga-se com a hemoglobina impedindo o O2 de ser conduzido INVERSÃO TÉRMICA *Inversão térmica é um fenômeno

Leia mais

Mudança do clima: Principais conclusões do 5º Relatório do IPCC

Mudança do clima: Principais conclusões do 5º Relatório do IPCC Mudança do clima: Principais conclusões do 5º Relatório do IPCC ILIDIA DA ASCENÇÃO GARRIDO MARTINS JURAS Consultora Legislativa da Área XI Meio Ambiente e Direito Ambiental, Organização Territorial, Desenvolvimento

Leia mais

Inventário Corporativo de Emissões Diretas e Indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) Ano referência: Emissões de 2010

Inventário Corporativo de Emissões Diretas e Indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) Ano referência: Emissões de 2010 Inventário Corporativo de Emissões Diretas e Indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) Ano referência: Emissões de 2010 Resumo Este documento apresenta o Inventário corporativo de Emissões Diretas e Indiretas

Leia mais

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA Versão resumida BANCO BRADESCO S.A.

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA Versão resumida BANCO BRADESCO S.A. INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA Versão resumida BANCO BRADESCO S.A. 2008 1 Inventário de GEE O Inventário de Emissões Diretas e Indiretas de Gases de Efeito Estufa (GEE) permite que uma

Leia mais

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA. Metodologia, resultados e ações

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA. Metodologia, resultados e ações INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA Metodologia, resultados e ações CARTA ABERTA AO BRASIL SOBRE MUDANÇAS CLIMÁTICAS CARTA ABERTA AO BRASIL Compromissos Assumidos A. Publicar anualmente o

Leia mais

Inventário das Emissões de gases de efeito estufa. Ano de referência do inventário: 2014. Inventário Parcial

Inventário das Emissões de gases de efeito estufa. Ano de referência do inventário: 2014. Inventário Parcial Inventário das Emissões de gases de efeito estufa Ano de referência do inventário: 2014 1. Dados do inventário Banco Santander S.A. (Brasil) Tipo de preenchimento: 1.1 Responsável pela elaboração do inventário

Leia mais

INVENTÁRIO: Completo Preliminar. INVENTÁRIO VERIFICADO POR: Ninguém Primeira parte 1 Terceira parte Terceira parte acreditada

INVENTÁRIO: Completo Preliminar. INVENTÁRIO VERIFICADO POR: Ninguém Primeira parte 1 Terceira parte Terceira parte acreditada Inventário das de Gases de Efeito Estufa SADIA S/A 2009 INVENTÁRIO: Completo Preliminar INVENTÁRIO VERIFICADO POR: Ninguém Primeira parte 1 Terceira parte Terceira parte acreditada Data: 01/04/2010 Preparador

Leia mais

Resumo. Palavras chave: Gases poluentes; Efeito estufa; Sucroenergéticas. Lucas Schwerz 1 ; Eduardo Mirko Velenzuela Turdera 2

Resumo. Palavras chave: Gases poluentes; Efeito estufa; Sucroenergéticas. Lucas Schwerz 1 ; Eduardo Mirko Velenzuela Turdera 2 Balanço das emissões de gases do efeito estufa (CO 2 ) em usinas sucroenergéticas, de Mato Grosso do Sul de acordo com a potência instalada em suas centrais de cogeração. Lucas Schwerz 1 ; Eduardo Mirko

Leia mais

Estudo da emissão veicular de Gases de Efeito Estufa (GEE) em veículos movidos à DIESEL. Prof. Dr. Ariston da Silva Melo Júnior

Estudo da emissão veicular de Gases de Efeito Estufa (GEE) em veículos movidos à DIESEL. Prof. Dr. Ariston da Silva Melo Júnior Estudo da emissão veicular de Gases de Efeito Estufa (GEE) em veículos movidos à DIESEL Prof. Dr. Ariston da Silva Melo Júnior INTRODUÇÃO Durante milhões de anos a Terra passou por ciclos naturais de aquecimento

Leia mais

Título. Mudanças Climáticas. Programa Corporativo de Gestão das Emissões de Gases de Efeito Estufa

Título. Mudanças Climáticas. Programa Corporativo de Gestão das Emissões de Gases de Efeito Estufa Mudanças Climáticas Título Programa Corporativo de Gestão das Emissões de Gases de Efeito Estufa Wanderley da Silva Paganini Superintendente de Gestão Ambiental - Sabesp São Paulo, 13 de junho de 2013.

Leia mais

MUDANÇAS CLIMÁTICAS, PROGRAMA DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS DO ESP - PROCLIMA

MUDANÇAS CLIMÁTICAS, PROGRAMA DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS DO ESP - PROCLIMA MUDANÇAS CLIMÁTICAS, PROGRAMA DE MUDANÇAS CLIMÁTICAS DO ESP - PROCLIMA Josilene Ticianelli Vannuzini Ferrer PROCLIMA - CETESB, 2010 SP, a Agenda Climática e a CETESB 40 milhões de habitantes 18 milhões

Leia mais

Inventário de Gases de Efeito Estufa do Festival de Turismo das Cataratas do Iguaçu 2015

Inventário de Gases de Efeito Estufa do Festival de Turismo das Cataratas do Iguaçu 2015 Inventário de Gases de Efeito Estufa do Festival de Turismo das Cataratas do Iguaçu 2015 Nome da instituição: De Angeli Feiras & Eventos Tipo de instituição: Evento Setor econômico: Turismo Endereço: Edifício

Leia mais

Empresas brasileiras emitiram 85,2 milhões de toneladas de gases de efeito estufa no ano passado

Empresas brasileiras emitiram 85,2 milhões de toneladas de gases de efeito estufa no ano passado Empresas brasileiras emitiram 85,2 milhões de toneladas de gases de efeito estufa no ano passado (Dados divulgados hoje no lançamento do programa Empresas pelo Clima, do GVCes, estão disponíveis em www.fgv.br/ces/epc

Leia mais

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GEE 2014

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GEE 2014 INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GEE 2014 Outubro/2014 VERSÃO 01 AUTOR Guilherme Pacheco Schuchter Belo Horizonte, MG Brasil guilherme@waycarbon.com COLABORADORES Jussara Utsch Belo Horizonte, MG Brasil jussara.utsch@scdcbrasil.com.br

Leia mais

Estudo da Emissão Veicular de Gases de Efeito Estufa (GEE) em Veículos Movidos à Gasolina

Estudo da Emissão Veicular de Gases de Efeito Estufa (GEE) em Veículos Movidos à Gasolina Estudo da Emissão Veicular de Gases de Efeito Estufa (GEE) em Veículos Movidos à Gasolina *MELO JÚNIOR, A. S a.; GATTI, L b.; SEVEGNANI, F c.; SATIE,I. d ; IZIDRO, J. e ; IANNUZZI, A. f a.universidade

Leia mais

Encontro sobre Mudanças Climáticas: São Paulo e o relatório do IPCC

Encontro sobre Mudanças Climáticas: São Paulo e o relatório do IPCC Encontro sobre Mudanças Climáticas: São Paulo e o relatório do IPCC 15 de fevereiro de 2007, 10h-13h, Secretaria de Meio Ambiente do Estado de São Paulo, Auditório Augusto Ruschi Av. Prof. Frederico Hermann

Leia mais

Inventário de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) e adoção de políticas de mudanças climáticas pelas empresas. 16 de Março de 2010

Inventário de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) e adoção de políticas de mudanças climáticas pelas empresas. 16 de Março de 2010 Inventário de emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) e adoção de políticas de mudanças climáticas pelas empresas. 16 de Março de 2010 UNIDADE DE NEGÓCIO CARBONO - UNICAR Efluentes e Resíduos Inventários

Leia mais

Resumo Aula-tema 02: Panorama mundial e nacional mudanças climáticas e políticas públicas emergentes.

Resumo Aula-tema 02: Panorama mundial e nacional mudanças climáticas e políticas públicas emergentes. Resumo Aula-tema 02: Panorama mundial e nacional mudanças climáticas e políticas públicas emergentes. As mudanças nos ecossistemas, causadas pelo modelo de desenvolvimento econômico atual, trazem impactos

Leia mais

Capítulo 21 Meio Ambiente Global. Geografia - 1ª Série. O Tratado de Kyoto

Capítulo 21 Meio Ambiente Global. Geografia - 1ª Série. O Tratado de Kyoto Capítulo 21 Meio Ambiente Global Geografia - 1ª Série O Tratado de Kyoto Acordo na Cidade de Kyoto - Japão (Dezembro 1997): Redução global de emissões de 6 Gases do Efeito Estufa em 5,2% no período de

Leia mais

Aquecimento Global e Protocolo de Kyoto. Professor Thiago Espindula Disciplina de Geografia

Aquecimento Global e Protocolo de Kyoto. Professor Thiago Espindula Disciplina de Geografia Aquecimento Global e Protocolo de Kyoto Professor Thiago Espindula Disciplina de Geografia Exercícios (ENEM 2006) Com base em projeções realizadas por especialistas, teve, para o fim do século

Leia mais

Mineração e Sustentabilidade Ambiental. Ricardo Santana Biólogo, MSc

Mineração e Sustentabilidade Ambiental. Ricardo Santana Biólogo, MSc Mineração e Sustentabilidade Ambiental Ricardo Santana Biólogo, MSc Itinga, setembro de 2010 Itinga Mineração - Missão Transformar recursos minerais em riquezas e desenvolvimento sustentável Para nossos

Leia mais

SUMÁRIO EXECUTIVO COMUNICAÇÃO ESTADUAL EMISSÕES NO SETOR DE ENERGIA: ABORDAGEM DE REFERÊNCIA (TOP DOWN)

SUMÁRIO EXECUTIVO COMUNICAÇÃO ESTADUAL EMISSÕES NO SETOR DE ENERGIA: ABORDAGEM DE REFERÊNCIA (TOP DOWN) COMUNICAÇÃO ESTADUAL 1º INVENTÁRIO DE EMISSÕES ANTRÓPICAS DE GASES DE EFEITO ESTUFA DIRETOS E INDIRETOS DO ESTADO DE SÃO PAULO EMISSÕES NO SETOR DE ENERGIA: ABORDAGEM DE REFERÊNCIA (TOP DOWN) SUMÁRIO EXECUTIVO

Leia mais

ESTUDO DA VALORAÇÃO DO SEQUESTRO DE CARBONO PARA A LITOSFERA

ESTUDO DA VALORAÇÃO DO SEQUESTRO DE CARBONO PARA A LITOSFERA UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA CIENAM CENTRO INTERDISCIPLINAR DE ENERGIA E AMBIENTE www.cienam.ufba.br ESTUDO DA VALORAÇÃO DO SEQUESTRO DE CARBONO PARA A LITOSFERA Qual o custo para reduzir 1 % da concentração

Leia mais

Mercado de Créditos de Carbono Fases dos Projetos MDL

Mercado de Créditos de Carbono Fases dos Projetos MDL Mercado de Créditos de Carbono Fases dos Projetos MDL BRITCHAM SP 18/08/06 São Paulo samuel barbosa 3 DET NORSKE VERITAS Introdução FUNDAÇÃO - Fundação independente estabelecida na Noruega em 1864. OBJETIVO

Leia mais

DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE - DMA/FIESP FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO FIESP

DEPARTAMENTO DE MEIO AMBIENTE - DMA/FIESP FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO FIESP FEDERAÇÃO DAS INDÚSTRIAS DO ESTADO DE SÃO PAULO FIESP Inventário GEE- São Paulo MAIO - 2014 Sumário - Base Legal Inventário - Sugestão para elaboração de inventário 2/40 Base Legal Lei 13.798 de 09 de

Leia mais

Clima e mudanças climáticas na Amazônia

Clima e mudanças climáticas na Amazônia Diligência Pública ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DO AMAZONAS Manaus-AM, 18 de maio de 2009 Comissão Mista de Mudanças Climáticas Clima e mudanças climáticas na Amazônia Antonio Ocimar Manzi manzi@inpa.gov.br

Leia mais

Aula 16 DESEQUILÍBRIO ECOLÓGICO

Aula 16 DESEQUILÍBRIO ECOLÓGICO Aula 16 DESEQUILÍBRIO ECOLÓGICO DESEQUILÍBRIO ECOLÓGICO I Ocorre de maneira natural; Atividade humana; Década de 1970 preocupação com a biodiversidade e poluição; Esforço global... Substituir civilização

Leia mais

Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa COPASA - 2013

Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa COPASA - 2013 Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa COPASA - 2013 Belo Horizonte MG Abril de 2014 LISTA DE FIGURAS Figura 1: Perfil das Emissões de GEE no ano de 2009. 14 Figura 2: Perfil das Emissões de

Leia mais

Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade Carlos Renato Azevedo Chefe da Floresta Nacional do Jamari/ Analista Ambiental

Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade Carlos Renato Azevedo Chefe da Floresta Nacional do Jamari/ Analista Ambiental Inventário de Emissões de Gases de Efeito Estufa do Centro de Estudos Rioterra Coordenação Técnica Universidade Federal do Paraná/UFPR Prof. Dr. Carlos Sanquetta Coordenação Científica e Metodológica Centro

Leia mais

Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer

Create PDF with GO2PDF for free, if you wish to remove this line, click here to buy Virtual PDF Printer AGRICULTURA E AQUECIMENTO GLOBAL Carlos Clemente Cerri Centro de Energia Nuclear na Agricultura (CENA/USP) Fone: (19) 34294727 E-mail: cerri@cena.usp.br Carlos Eduardo P. Cerri Escola Superior de Agricultura

Leia mais

2 Documento de Referência CarbonOk

2 Documento de Referência CarbonOk 2 Documento de Referência CarbonOk SUMÁRIO 1 APRESENTAÇÃO... 5 2 PROGRAMA CARBONOK... 6 2.1 Missão... 6 2.2 Objetivos... 6 2.3 Valores... 7 2.4 Metodologia... 7 2.5 Atuação... 8 2.6 Responsável... 9 3

Leia mais

Inventário Corporativo de Emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) da ABIMAQ Associação

Inventário Corporativo de Emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) da ABIMAQ Associação Inventário Corporativo de Emissões de Gases de Efeito Estufa (GEE) da ABIMAQ Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos E-mail: bcb@braziliancarbonbureau.com.br Home Page: www.braziliancarbonbureau.com.br

Leia mais

Mudança do Clima. Luiz Gylvan Meira Filho

Mudança do Clima. Luiz Gylvan Meira Filho SABESP São Paulo, 12 de novembro de 2008 Mudança do Clima Luiz Gylvan Meira Filho Pesquisador Visitante Instituto de Estudos Avançados Universidade de São Paulo A terra recebe energia do sol na forma de

Leia mais

Emissão Veicular de Gases de Efeito Estufa (GEE) Em Automotivos Movidos a Diesel

Emissão Veicular de Gases de Efeito Estufa (GEE) Em Automotivos Movidos a Diesel Emissão Veicular de Gases de Efeito Estufa (GEE) Em Automotivos Movidos a Diesel *MELO JUNIOR, A. S a.;gatti, L. b.; FERREIRA, P. G c.; FRUGOLLI, A. d a.universidade de São Paulo (USP)/Universidade Paulista,

Leia mais

ENERGIAS RENOVÁVEIS BIOMASSAS

ENERGIAS RENOVÁVEIS BIOMASSAS ENERGIAS RENOVÁVEIS BIOMASSAS O que é biomassa? - É toda matéria orgânica proveniente das plantas e animais. Como se forma a biomassa? - A biomassa é obtida através da fotossíntese realizada pelas plantas.

Leia mais

Inventário das Emissões de gases de efeito estufa

Inventário das Emissões de gases de efeito estufa Inventário das Emissões de gases de efeito estufa Ano de referência do inventário: 2013 Ford Nome fantasia: Ford - CNPJ: 03.470.727/0001-20 Tipo da empresa: Matriz Setor econômico: C. Indústrias de transformação

Leia mais

De onde veio e para onde vai o carbono que faz parte do nosso corpo?

De onde veio e para onde vai o carbono que faz parte do nosso corpo? De onde veio e para onde vai o carbono que faz parte do nosso corpo? 07/2011 Esta obra foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Não

Leia mais

JULIETA ALCIATI DEPARTAMENTO DE RELAÇÕES COM O MERCADO

JULIETA ALCIATI DEPARTAMENTO DE RELAÇÕES COM O MERCADO JULIETA ALCIATI DEPARTAMENTO DE RELAÇÕES COM O MERCADO Agenda Introdução Definição dos limites de um inventário de emissões de Gases de Efeito Estufa Limites Operacionais Identificando e Calculando emissões

Leia mais

Gases de Efeito Estufa na Aviação Civil

Gases de Efeito Estufa na Aviação Civil Relatório de Emissões Relatório Nacional de Emissões de Gases de Efeito Estufa na Aviação Civil Alexandre Filizola NEPA/SAR São José dos Campos, Junho de 2010 Objetivo Apresentar o trabalho que tem sido

Leia mais

Inventários e monitoramento das emissões e remoções de GEE. Gustavo Luedemann Coordenação-Geral de Mudanças Globais de Clima

Inventários e monitoramento das emissões e remoções de GEE. Gustavo Luedemann Coordenação-Geral de Mudanças Globais de Clima Inventários e monitoramento das emissões e remoções de GEE Gustavo Luedemann Coordenação-Geral de Mudanças Globais de Clima HISTÓRICO UNFCCC IPCC Comunicação Nacional do Brasil Política Nacional sobre

Leia mais

Inventário de emissões de gases do efeito estufa da cidade do Rio de Janeiro- resumo executivo

Inventário de emissões de gases do efeito estufa da cidade do Rio de Janeiro- resumo executivo ISSN 1984-7203 C O L E Ç Ã O E S T U D O S C A R I O C A S Inventário de emissões de gases do efeito estufa da cidade do Rio de Janeiro- resumo executivo Nº 20100801 Agosto - 2010 Coordenação: SMAC/Prefeitura

Leia mais

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA CORPORATIVAS UNIMED CUIABÁ

INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA CORPORATIVAS UNIMED CUIABÁ INVENTÁRIO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA CORPORATIVAS UNIMED CUIABÁ Abril de 2016 Av. Historiador Rubens de Mendonça, 4193 Bosque da Saúde Cuiabá/MT www.acaoverde.org.br (65) 3611 1606 Sumário

Leia mais

Economia de Baixo de Carbono, onde estamos? para onde vamos?

Economia de Baixo de Carbono, onde estamos? para onde vamos? Seminário sobre Sustentabilidade no Setor Elétrico Brasileiro Economia de Baixo de Carbono, onde estamos? para onde vamos? 21 de novembro de 2014 Aneel Brasília O conteúdo deste relatório foi produzido

Leia mais

MÓDULO I: Mudança do Clima e Acordos Internacionais. Efeito Estufa. Fontes de Emissões. Impactos. Acordos Internacionais

MÓDULO I: Mudança do Clima e Acordos Internacionais. Efeito Estufa. Fontes de Emissões. Impactos. Acordos Internacionais MÓDULO I: Mudança do Clima e Acordos Internacionais Efeito Estufa Fontes de Emissões Impactos Acordos Internacionais Fontes de Emissões Antropogênicas Fonte: Quarto Relatório de Avaliação do IPCC, 2007.

Leia mais

CAPÍTULO 7 EFEITO ESTUFA

CAPÍTULO 7 EFEITO ESTUFA CAPÍTULO 7 EFEITO ESTUFA Será que o homem já se conscientizou do poder destrutivo das suas mãos? Hoje, é freqüente ouvirmos falar do efeito estufa Mas quem é esse vilão que nos apavora? O efeito estufa

Leia mais

Aproveitamento da Biomassa para a Geração de Energia Elétrica

Aproveitamento da Biomassa para a Geração de Energia Elétrica Geração de Energia Elétrica 1º Seminário sobre a Utilização de Energias Renováveis veis para Eletrificação Rural do Norte e Nordeste do Brasil Dr. Osvaldo Stella Martins Centro Nacional de Referência em

Leia mais

O Aquecimento Global se caracteriza pela modificação, intensificação do efeito estufa.

O Aquecimento Global se caracteriza pela modificação, intensificação do efeito estufa. O que é o Aquecimento Global? O Aquecimento Global se caracteriza pela modificação, intensificação do efeito estufa. O efeito estufa é um fenômeno natural e consiste na retenção de calor irradiado pela

Leia mais

Problemas Ambientais

Problemas Ambientais Problemas Ambientais Deflorestação e perda da Biodiversidade Aquecimento Global Buraco na camada de ozono Aquecimento Global - Efeito de Estufa Certos gases ficam na atmosfera (Troposfera) e aumentam

Leia mais

Inventário das Emissões de Gases de Efeito Estufa

Inventário das Emissões de Gases de Efeito Estufa Inventário das Emissões de Gases de Efeito Estufa VIVO S/A 2009 INVENTÁRIO: Completo Preliminar INVENTÁRIO VERIFICADO POR: Ninguém Primeira parte 1 Terceira parte Terceira parte acreditada Data: 22/06/2010

Leia mais

V I S Ã O GERAL D AS DIRETRIZES DO IPCC

V I S Ã O GERAL D AS DIRETRIZES DO IPCC V I S Ã O GERAL D AS DIRETRIZES DO IPCC Este documento é um dos volumes das Diretrizes Revisadas do IPCC de 1996 para Inventários Nacionais de Gases de Efeito Estufa. A série é composta por três livros:

Leia mais

PLANO DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS DA CIDADE DE SÃO PAULO

PLANO DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS DA CIDADE DE SÃO PAULO PLANO DE GESTÃO INTEGRADA DE RESÍDUOS SÓLIDOS DA CIDADE DE SÃO PAULO Balanço dos cinco anos da Política Municipal de Mudança do Clima de São Paulo Rede Nossa São Paulo 20/05/2014 Plano de Metas da PMSP

Leia mais

Inventário de Gases de Efeito Estufa

Inventário de Gases de Efeito Estufa Inventário de Gases de Efeito Estufa Gerenciamento de Informações e Ações Dirigidas Nicole Celupi - Three Phase Gerenciamento de Informações e Ações Dirigidas Institucional A Three Phase foi criada em

Leia mais

Como o efeito estufa pode render dinheiro para o Brasil. A Amazônia e o seqüestro de carbono e o protocolo de kyoto

Como o efeito estufa pode render dinheiro para o Brasil. A Amazônia e o seqüestro de carbono e o protocolo de kyoto Como o efeito estufa pode render dinheiro para o Brasil A Amazônia e o seqüestro de carbono e o protocolo de kyoto Histórico das reuniões 1992 - assinam a Convenção Marco sobre Mudança Climática na ECO-92.

Leia mais

Geografia. Professor: Jonas Rocha

Geografia. Professor: Jonas Rocha Geografia Professor: Jonas Rocha Questões Ambientais Consciência Ambiental Conferências Internacionais Problemas Ambientais Consciência Ambiental Até a década de 1970 o homem acreditava que os recursos

Leia mais

MUDANÇAS CLIMÁTICAS E BIODIVERSIDADE

MUDANÇAS CLIMÁTICAS E BIODIVERSIDADE MUDANÇAS CLIMÁTICAS E BIODIVERSIDADE Mudanças Climáticas Temperatura Precipitação Nível do Mar Saúde Agricultura Florestas Recursos Hídricos Áreas Costeiras Espécies e Áreas Naturais Mudanças Climáticas

Leia mais

Anexo III da Resolução n o 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima

Anexo III da Resolução n o 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima Anexo III da Resolução n o 1 da Comissão Interministerial de Mudança Global do Clima Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável I Introdução O Projeto Granja São Roque de redução

Leia mais

Proposta metodológica para cálculo de emissões de gases de efeito estufa e de plano de mitigação em eventos realizados no estado de Minas Gerais

Proposta metodológica para cálculo de emissões de gases de efeito estufa e de plano de mitigação em eventos realizados no estado de Minas Gerais Nota Técnica Nº 1/2013 GEMUC/DPED/FEAM Proposta metodológica para cálculo de emissões de gases de efeito estufa e de plano de mitigação em eventos realizados no estado de Minas Gerais Maio 2013 Carolina

Leia mais

Estimativa de emissões de poluentes e GEE em frotas: Aplicação Prática.

Estimativa de emissões de poluentes e GEE em frotas: Aplicação Prática. Estimativa de emissões de poluentes e GEE em frotas: Aplicação Prática. Marcelo Pereira Bales (1) ; Cristiane Dias (1) ; Silmara Regina da Silva (1) (1) CETESB Companhia Ambiental do Estado de São Paulo

Leia mais

Inventário Municipal de Emissões de GEE Belo Horizonte. João Marcelo Mendes jmendes@waycarbon.com

Inventário Municipal de Emissões de GEE Belo Horizonte. João Marcelo Mendes jmendes@waycarbon.com Inventário Municipal de Emissões de GEE Belo Horizonte João Marcelo Mendes jmendes@waycarbon.com Sobre a WayCarbon 7 anos no mercado sul-americano de consultoria em mudanças climáticas Portifólio de projetos

Leia mais

Índice 1 INTRODUÇÂO 2 A INDÚSTRIA DO CIMENTO NO CENÁRIO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS 3 REFERÊNCIAS INTERNACIONAIS

Índice 1 INTRODUÇÂO 2 A INDÚSTRIA DO CIMENTO NO CENÁRIO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS 3 REFERÊNCIAS INTERNACIONAIS Índice 1 INTRODUÇÂO 2 A INDÚSTRIA DO CIMENTO NO CENÁRIO DAS MUDANÇAS CLIMÁTICAS 3 REFERÊNCIAS INTERNACIONAIS 4 2º INVENTÁRIO BRASILEIRO DE EMISSÕES DE GASES DE EFEITO ESTUFA 5 PERSPECTIVAS E DESAFIOS 6

Leia mais

O Estado de São Paulo, Mudanças Climáticas e Estratégias para o Desenvolvimento Sustentável

O Estado de São Paulo, Mudanças Climáticas e Estratégias para o Desenvolvimento Sustentável O Estado de São Paulo, Mudanças Climáticas e Estratégias para o Desenvolvimento Sustentável Principais pontos de abordagem: Legislação Paulista que aborda Mudanças Climáticas; Estratégias para o Desenvolvimento

Leia mais