REVISTA DA ANDRITZ HYDRO

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "REVISTA DA ANDRITZ HYDRO"

Transcrição

1 YDRONEWS No. 16 / REVISTA DA ANDRITZ HYDRO 4 MELHOR HISTÓRIA Mais tecnologias para Geradores 8 NOVOS PROJETOS Ashta I & II HYDROMATRIX, Albânia 17 MERCADOS Camarões

2 02 HYDRONEWS Conteúdo HYDRONEWS Introdução Melhor história Mais tecnologia para Geradores Novos Projetos Ruacaba 4, Namíbia Astha I & II, Albânia Dagachhu, Butão Gössendorf/Kalsdorf, Áustria Augst-Wyhlen & Laufenburg, Alemanha/Suíça CFE contrata ANDRITZ HYDRO, México Statkraft-Bundle, Noruega Mercados Camarões Notícias de destaque Eventos ICOLD 2009, Brasil HYDRO AUTOMATION DAY 09, Áustria Foto da Capa: Um gerador da UHE Três Gargantas Imprint Publicação ANDRITZ HYDRO GmbH A-1141 Viena Penzinger Strasse 76, Áustria Tel.: +43 (1) Responsável pelos conteúdos Alexander Schwab Equipe editorial Clemens Mann, Jens Päutz, Peter Stettner, Edwin Walch, Kurt Wolfartsberger Copyright ANDRITZ HYDRO GmbH 2009 Todos os direitos reservados Desenho gráfico Layout/Produção: A3 Werbeservice Tiragem:

3 HYDRONEWS 03 Prezados parceiros de negócios O mercado de hidrogeração, como nos últimos anos, continua crescendo em 2009 gerando estabilidade, fator fundamental para o sucesso da ANDRITZ HYDRO, haja vista o ambiente negativo causado pela crise financeira mundial. Na Europa, o aumento do uso de energia proveniente de usinas eólicas e a crescente demanda no fornecimento de energia de ponta, proporcionam novos investimentos na instalação de usinas hidrelétricas reversíveis. Um bom exemplo é o projeto Baixo Sabor em Portugal, recebido pela ANDRITZ HYDRO no início de Projetos de modernização com ampliação em usinas hidrelétricas já existentes como a Iffezheim na Alemanha, ou instalação de novas usinas tipo fi o d água, como a Gössendorf e a Kalsdorf na Áustria. São estes projetos que mantêm a estabilidade no mercado de hidrogeração em expansão na Europa. A implementação e o uso de novas tecnologias como o projeto Ashta na Albânia, que utiliza unidades geradoras HYDROMATRIX, geram novas oportunidades de negócios. O surgimento do certificado verde na América do Norte, tem impulsionado os investimentos em energias renováveis nos últimos anos. Diversas usinas hidrelétricas como: John H. Kerr, Mossyrock, High Fall e Sir Adam Beck, estão equipados com produtos da ANDRITZ HYDRO, e iniciaram em 2009 a produção de energia verde, que é uma denominação dada para a energia elétrica produzida por fontes renováveis. Existem mercados na América do Sul, principalmente no Brasil, que há anos desenvolvem projetos de geração hídrica com o intuito de suprir a crescente demanda de energia elétrica. A partir de 2012, a UHE Jirau será equipada com turbinas tipo Buldo (as maiores do mundo) fornecidas pela ANDRITZ HYDRO, iniciando suas atividades operacionais, e gerando assim uma grande contribuição para o país. Na Ásia, especialmente na Índia, que novamente demonstrou sua grande habilidade no desenvolvimento de projetos em tempos de crise, e com o objetivo de cobrir também a crescente demanda de energia, novos investimentos estão sendo acordados para instalação de novas usinas hidrelétricas. Agências internacionais de investimentos, como o Banco de Desenvolvimento Asiático (BDA), estão apoiando estas tendências. Como exemplo, o atual co-fi nanciamento da BDA para o projeto Sawra Kuddu. Essa evolução positiva do mercado de hidrogeração, associada à sólida formação tecnológica e à excelente reputação mundial da ANDRITZ HYDRO, nos permite ver o futuro com muito mais confi ança. H. Heber W. Semper M. Komböck

4 04 HYDRONEWS Melhor história Rotor da Usina Hidrelétrica Três Gargantas após fabricação Mais tecnologias para Geradores A GE Hydro no Canadá, foi por décadas conhecida mundialmente como fabricante de turbinas hidráulicas e geradores, além de possuir um acordo de cooperação técnica nos anos 90 com as empresas Elin e MCE (empresas subordinadas à antiga VA TECH), na Áustria. O acordo foi dissolvido quando a Sulzer Escher Wyss foi anexada à VA TECH. Potência (MVA) Há alguns anos atrás, a VA TECH HYDRO foi integrada ao Grupo ANDRITZ, que já demonstrava interesse em adquirir a GE Hydro, com o objetivo de obter uma posição de destaque em Fig. 1: Referência de Geradores da ANDRITZ HYDRO Velocidade (rpm)

5 Melhor história HYDRONEWS 05 relação à tecnologia. As negociações iniciaram no começo de 2008, e em meados deste mesmo ano, a GE Hydro foi associada com sucesso ao Grupo ANDRITZ. A antiga GE Hydro Canadá era constituída por departamentos de engenharia, pesquisa e desenvolvimento para turbinas hidráulicas e geradores, além de várias atividades de âmbito nacional e internacional, como antiga fabricante de turbinas Kvaerner integrada à empresa na Suécia, outras fábricas na Finlândia, e a Joint Venture com a Inepar do Brasil. Através desta nova aquisição, a ANDRITZ adquiriu todas as partes relacionadas ao segmento de hidrogeração, assim como uma fábrica especializada em componentes para geradores no Canadá. No Brasil, a antiga Joint Venture GE Hydro Inepar do Brasil S/A foi transferida para a ANDRITZ, sendo constituída pelo departamento de vendas, engenharia, e de acordo com o parque industrial da Inepar, possibilitando a fabricação de geradores. Esta aquisição fortaleceu ainda mais a posição da ANDRITZ HYDRO do Brasil. Sistema VPI IVA Sistema de Impregnação Resin Rich a Resin-Rich (Impregnação a Vácuo e mit Em beheizter moldes Pressvorrichtung prensados a Em mit moldes druckbeaufschlagtem prensados em Pressão) quente Asphaltbad asfalto Força Teilleiterisolation dielétrica dielektrische Unterschied Diferenças zwischen insignifi den cantes Systemen entre os vernachlässigbar sistemas Beanspruchung Tipo Isolationsband de isolação Glimmerpapier Fita de mica reforçada mit Glasträger em véu de und vidro ohne sem Harz resina Glimmerpapier Fita de mica reforçada mit Harz em und véu de Glasträger vidro por resina Glimmerpapier Fita de mica reforçada mit Harz em und véu de Glasträger vidro por resina Números Anzahl der camadas Isolationslagen de isolamento Abhängig Depende von der da Nennspannung; tensão e com kein diferenças nennenswerter pouco signifi Unterschied cantes entre zwischen os sistemas den Systemen Nivelação Innnenpotentialsteuerung do potencial interno für no optimierte isolador Feldverteilung principal in Sim Ja Múltiplas Multiturn espirais Spulen - Nein Não Barras Statorstäbe estatóricas Ja - Sim Sim der Hauptisolation Proteção Aussen- und anticorona Endenglimmschutz Sim Ja Sim Ja Sim Ja mit Bändern Impregnação Vakuumimprägnierung a vácuo com mit Sim Ja Ja - Harz bereits Sim im Band Sim Ja - Resina Harz bereits pré-tencionada im Band resina Epoxidharz epóxi em fi tas Materiais Wickelkopfbereich der Stäbe Wickelkopf Saliência do und enrolamento Nutbereich - e ranhuras gleiches seccionadas Material - Wickelkopf Saliência do und enrolamento Nutbereich - unterschiedliches e ranhuras seccionadas Material für Wickelkopf Saliência do und enrolamento Nutbereich - e ranhuras gleiches seccionadas Material - mesmo material Spulen materiais um die diferentes Bewickelbarkeit zu verbessern mesmo material Composição Zusammensetzung do isolamento der principal Hauptisolation contendo: Mica Glimmergehalt Vidro Glasgehalt Resina Harzgehalt Aprox. ca. 65% Aprox. ca. 7% 7% Aprox. ca. 28% 26% Aprox. ca. 65% Aprox. ca. 10% Aprox. ca. 25% 26% Rigidez Dielektrische dielétrica Beanspruchung Vernachlässigbarer Diferenças insignifi Unterschied cantes zwischen entre os sistemas den Systemen der Hauptisolation Descarga Teilentladungsaktivität Parcial innerhalb der DP) Isolation (TE Pegel) (nível Muito Sehr niedrig, baixa, sem keine micro Mikroespaço; Hohlräume; DP/ TE/Einzelstab barra simples abaixo niedriger de als 2 nc 2 nc Prensado, Gepresst - pouco etwas maior höher devido aufgrund a falta des fehlenden vácuo Vakuums Muito Sehr niedrig, baixo, sem keine micro Mikroespaço; Hohlräume; DP/ TE/Einzelstab barra simples abaixo niedriger de als 2 nc 2 nc Vantagens Vorteile Lacuna livre para isolamento por intermédio do processo a vácuo; Baixa Aufgrund viscosidade niedriger da resina durante Harzviskosität o processo während de aquecimento Erwärmung em algumas sehr wenige lacunas; der Lacuna Hohlraumfreie livre para Isolation isolamento por durch intermédio Entfernung do der processo Luft a durch vácuo; den Vakuum-Prozeß verbleibende Hohlräume Durch vorimprägnierte Penetração da resina de Grande força dielétrica; A presença de fi tas porosas Isolationssystem ermöglicht Bänder wird eine Füllung der impregnação nas lacunas; pré-impregnadas assegura Nível sehr hohe DP muito dielektrische baixo; Hohlräume - insbesondere um máximo preenchimento Menos efeito corona; Beanspruchung nahe der Oberfl äche des de lacunas particularmente Operar Niedrige em TE altas Pegel temperaturas. sichergestellt vorverfestigten Stabes - próximos de barras livre; Nível DP muito baixo; Hohe Temperaturbelastbarkeit Nível Sehr niedrige DP muito TE baixo; Pegel Operar em altas temperaturas. erreichbar Operar em altas temperaturas. Hohe Temperaturbelastbarkeit Fig. 2: Comparação do sistema de isolamento VPI e Resin-Rich A GE Hydro era muito conhecida pela fabricação de máquinas de grande porte, como os geradores de 840 MVA / 75 rpm para a UHE Três Gargantas, na China, os geradores de 805 MVA / 112,5 rpm para a Venezuela, dentre muitos outros. A GE Hydro do Brasil obtém um histórico importante e uma enorme experiência na fabricação de máquinas de grande porte, principalmente para o mercado da América do Sul, além de fabricar componentes para a matriz no Canadá, como, por exemplo, no projeto da UHE Três Gargantas. Na Fig. 1 temos uma referência de geradores fabricados pela ANDRITZ HYDRO e GE Hydro, com potência de 20 MVA a 840 MVA, para uma velocidade de até rotações por minuto. Esta aquisição amplia signifi cativamente nosso portfólio de geradores, podendo cobrir atualmente qualquer necessidade exigida a nível global, talvez com exceção para unidades de geração muito compactas. Junto a esta vasta experiência com geradores, há um ganho extremamente signifi cante em termos de tecnologia adquirida. Até o ano passado, tínhamos disponível apenas o sistema tecnológico de isolação VPI (Impregnação a Vácuo e Pressão), e agora possuímos também o sistema de impregnação Resin-Rich, com o processo de cura em autoclave e/ou pelo processo de prensagem, como é efetuado no Brasil. Ambos os sistemas isolantes são produzidos utilizando tecnologias, materiais, e equipamentos bem diferentes, e mesmo assim, ambos os métodos apresentam excelentes propriedades elétricas, térmicas e mecânicas quando aplicadas em geradores de grande porte. Com o sistema Resin-Rich somado ao nosso portfólio, estamos agora aptos a cobrir todas as necessidades e exigências de nossos clientes, especialmente na América do Norte. A tabela da Fig. 2 mostra uma comparação entre os sistemas isolantes. Com base na experiência adquirida na fabricação de grandes geradores, a GE Montagem do mancal de escora Hydro desenvolveu excelentes sistemas de refrigeração, como a ventilação forçada num condutor em forma de aro. Este é o sistema de ventilação mais apropriado para os estatores dos geradores de grande porte, por garantir assim uma refrigeração mais uniforme e balanceada. Esse know-how em projeto de ventilação não só ajuda a atingir os limites de temperatura necessários dentro do gerador, como também garante

6 06 HYDRONEWS Melhor história Aranha do rotor em segmento um comportamento térmico e dinâmico uniforme, aumentando assim a vida útil do equipamento. Normalmente, pelo fato de não ser permitido pelas autoridades o transporte de componentes com diâmetros acima de 6 a 8 metros nas rodovias, a empresa adquiriu grande experiência com a fabricação de componentes diretamente em campo, como carcaças de estatores, aranha de rotores, consoles dos mancais, etc. Para geradores de grande porte, a antiga GE Hydro utilizava mancais de escora equipados com sapatas suportadas por molas, enquanto nós usávamos o sistema por eixo pivô. Sapatas de grande porte suportadas por molas fornecem uma superfície mais plana, garantindo uma operação segura para grandes cargas, enquanto, se suportadas por eixo pivô, estarão sujeitas aos efeitos das deformações provenientes das diferentes temperaturas entre a superfície superior e a inferior da sapata. Mancal de escora com sapatas suportadas por molas, é comprovadamente o melhor sistema para geradores de grande porte, por garantir continuamente um fi lme de óleo entre as sapatas e o colar. Logicamente que estes tipos de mancal operam com uma temperatura ligeiramente superior, mas isto não infl uencia na margem de segurança operacional. O único critério realmente essencial para o bom funcionamento é que o mancal seja projetado de forma que as cargas operacionais sejam suportadas por fi lme de óleo, independentemente da temperatura. Alguns clientes pensam que uma temperatura baixa em um mancal é sinônimo de uma operação segura. A única maneira de se danifi car o mancal é quando ocorre a interrupção do fi lme de óleo entre a sapata e colar. Demonstrando assim, que altas temperaturas não podem ser vistas como fator negativo, ao contrário, elas reduzem perdas por fricção no sistema. Durante nosso processo de integração para projeto de mancais de escora foram estabelecidos os critérios limite na aplicação de cada uma destas duas tecnologias. Hoje podemos projetar mancais de escora, de forma efi ciente, conforme as mais rígidas especifi cações e sempre considerando as vantagens econômicas geradas quanto menores forem as perdas causadas pela fricção (Fig. 3). Walter Scheidl Tel.: +43 (664) Carga total no mancal de escora (MN) Velocidade média (rpm) Fig. 3: Carga versus velocidade num mancal de escora

7 Novos projetos HYDRONEWS 07 Ruacana 4 Projeto de expansão na Namíbia Vista de uma estrada na Namíbia As cataratas de Ruacana na Namíbia Assinatura do contrato em Johanesburgo Os funcionários se recordam dos seus primeiros dias de trabalho, há quase trinta anos atrás, quando ainda eram jovens engenheiros recém formados na empresa (hoje ANDRITZ HYDRO), local onde foram efetuados os primeiros ensaios em modelo reduzido no Laboratório Hidráulico em Linz, destinados a uma nova Usina Hidrelétrica (UHE) na Namíbia. Hoje, esses mesmos engenheiros continuam trabalhando em Linz, e estão muitos orgulhosos pelo fato da concessionária pública NamPower ter escolhido novamente a ANDRITZ HYDRO para realizar um projeto de ampliação na UHE Ruacana, considerada a mais importante do país. A Namíbia, que era conhecida como África Setentrional por sua localização no sudeste do continente africano, é um país conhecido pelos seus desertos e pelo seu clima seco. Pessoas que visitam o país fi cam impressionadas em saber que a fonte principal de energia elétrica é proveniente da geração hídrica. Os únicos rios que não são completamente atingidos durante a época da seca são os rios que fazem fronteira com a África do Sul e com a Angola, ao norte do país, onde está localizada a UHE Ruacana. A UHE Ruacana, que possui uma capacidade instalada de 240 MW, é considerada a mais importante da Namíbia e responde por mais de 80% da produção anual de eletricidade da concessionária NamPower. Devido à crescente demanda de eletricidade, a NamPower decidiu instalar uma quarta unidade geradora numa sala de máquinas localizada em caverna. As obras subterrâneas (túnel e caverna) para a tubulação forçada já foram efetuadas há 30 anos. Pelo fato do cliente estar completamente satisfeito com as unidades geradoras existentes, a ANDRITZ HYDRO, em consórcio com a Alstom (França), foi escolhida para este projeto de ampliação. O contrato foi fi nalmente assinado no dia 13 de março, após longas negociações na sede da Ruacana ANDRITZ HYDRO em Johanesburgo, na África do Sul. A ANDRITZ HYDRO será responsável pelo fornecimento da turbina tipo Francis, auxiliares mecânicos, equipamentos hidromecânicos como a válvula Borboleta Ø mm e a tubulação forçada. A Alstom fornecerá o gerador e os auxiliares elétricos. O Consórcio também é responsável pela instalação, supervisão, teste e comissionamento da unidade geradora, que deve entrar em operação comercial em A UHE está localizada no Rio Kunene, na fronteira com a Angola, e contribuirá com uma geração de energia adicional e ecologicamente correta para a rede de distribuição elétrica num país que depende quase que exclusivamente da importação de energia. A nova unidade geradora possui mais potência e efi ciência, e será a principal unidade em operação durante a época de baixo volume das águas dos rios. Martin Koubek Tel.: +43 (1) POTÊNCIA: 92 MW / 100 MVA QUEDA LÍQUIDA: 131 m VELOCIDADE: 272 rpm DIÂMETRO DO ROTOR: mm

8 08 HYDRONEWS geradoras tipo HYDROMATRIX seria uma ótima solução, haja vista a complexidade deste projeto. Esta solução tornouse a base da licitação para a concessão tipo BOT, lançada pelo governo albanês. As PCH s Astha I e II serão respectivamente a 4ª e a 5ª no Rio Drin, e o primeiro grande projeto de instalação após trinta anos. Após a adjudicação do contrato, a VERBUND-Internacional, juntamente com a PÖYRY ENERGY e a ANDRITZ HYDRO, deu início a uma intensa fase de dez meses de elaboração do projeto, no qual se estabeleceu os detalhes de cada uma das centrais. Lado jusante no vertedor Spathara Ashta I & II Uma solução inovadora por intermédio do uso da tecnologia HYDROMATRIX Após dois anos de trabalho de pesquisa e desenvolvimento, foi passado um contrato de concessão à VERBUND-Internacional, para a construção e operação das Pequenas Centrais Hidrelétricas (PCH s) Ashta I e Astha II, na Albânia. A ANDRITZ HYDRO participou do projeto básico inicial durante o período de um ano, e foi recentemente selecionada para fornecer os equipamentos eletromecânicos e hidromecânicos para as duas PCH s, que serão equipadas com unidades geradoras tipo HYDROMATRIX. Após assinatura do contrato Nas últimas décadas, a rede de distribuição elétrica albanesa tem sofrido cortes constantes de energia por longos perí odos devido à seca e a degradação de sua rede, que é remanescente da época do regime comunista, e atualmente sofre com a falta de investimentos na manutenção do sistema. Como resultado, uma grande percentagem da energia elétrica consumida na Albânia é suprida pela importação, vinda basicamente de países vizinhos, como a Grécia. Com o projeto de instalação das PCH s Ashta I e II através da concessão BOT (Build-Operate-Transfer), o governo albanês atrai investidores internacionais com o objetivo de melhorar o sistema elétrico do país. Desde setembro de 2008, a ENERGJI ASHTA Shpk, uma fi lial que pertence 100% a VERBUND-Internacional, detém os direitos de concessão por um período de 35 anos, para a operação das PCH s Astha I e II. Após este período, as PCH s serão devolvidas ao governo albanês. Os estudos elaborados para a utilização do potencial hídrico disponível nesta parte do Rio Drin datam desde os anos 90, entretanto, se concluiu que a instalação de turbinas hidráulicas convencionais não seria efi ciente, além do grande impacto ambiental que poderia ser causado, e da pequena viabilidade econômica apresentada. Após novas avaliações técnicas, econômicas e sistemáticas de outras tecnologias disponíveis em hidrogeração, fi cou estabelecido que a instalação de duas PCH s equipadas com unidades Layout As PCH s Ashta I e II terão uma confi guração de projeto bem similar e fi carão localizadas próxima da cidade de Shkodra. A PCH Ashta I será instalada ao lado do vertedouro Spathra, que está à jusante a Usina Hidrelétrica Vau I Dejes. O canal de fuga da PCH Ashta I terá uma extensão de 6 km, fazendo conexão com a PCH Ashta II, que por sua vez terá um curto canal de fuga até desembocar no Rio Drin. Também está previsto um canal de desvio entre as duas PCH s. O percurso escolhido para os canais permitirá o uso independente de cada PCH, evitando assim qualquer impacto ambiental nas infra-estruturas existentes, ou mesmo nas valiosas terras agrícolas da região. A Solução HYDROMATRIX A unidade geradora tipo HYDROMATRIX é composta de uma turbina e um gerador que estão instalados em estruturas metálicas, formando um módulo, e conforme a concepção do projeto, o tubo de sucção pode ser integrado neste módulo. Quando uma aplicação utiliza vários módulos, temos então uma confi guração denominada de matriz ou matrix. Uma das grandes vantagens da unidade de geração tipo HYDROMATRIX é o fato de que a turbina requer um mínimo de nível d água no tubo de sucção para sua operação, esta é uma enorme vantagem, pois possibilita inclusive a construção de uma central com ancoragem rasa, resultando em maior economia nos custos da construção civil. A possibilidade de se poder içar os módulos HYDROMATRIX durante períodos de enchentes, é outra grande vantagem, permitindo assim a execução dos proje-

9 Novos projetos HYDRONEWS 09 Vista transversal da PCH Ashta I tos num período muito menor, quando comparado a implantação de usinas hidrelétricas do tipo fi o d água. No projeto Ashta, cada PCH será equipada com 45 unidades geradoras tipo HYDROMATRIX que serão montadas no lado montante de cada barragem de concreto tipo gravidade. As unidades estarão alinhadas lado a lado ao longo de cada barragem, e poderão ser içadas individualmente para reparos. Os tubos de sucção das unidades geradoras serão fi xados, neste caso, diretamente nas barragens. A parte hidráulica e os equipamentos elétricos de cada PCH estarão localizados na galeria subterrânea da barragem. A vazão de água engolida num grupo de cinco módulos ou cinco unidades geradoras tipo HYDROMATRIX poderão ser interrompidas por intermédio de uma única comporta gaveta localizada à jusante da barragem. Se for necessário efetuar manutenção na comporta, a mesma poderá se içada pelo mesmo pórtico rolante usado para içamento das turbinas geradoras. Tecnologia A concepção do projeto da unidade geradora tipo HYDROMATRIX foi desenvolvida para obtenção de uma alta confi abilidade, baixo custo de manutenção e de fácil conexão à rede elétrica de distribuição. As turbinas hidráulicas para as PCH s Ashta I e II são do tipo hélice, não reguláveis, e conectadas diretamente aos geradores sincrônicos de magnético permanente. A ANDRITZ HYDRO já desenvolveu com sucesso esta tecnologia de geradores para as turbinas tipo Strafl o-matrix TM no passado, e agora também aplica a mesma tecnologia em unidades geradoras tipo HYDROMATRIX. A energia gerada de 3,3 kv será transferida para a subestação através de cabos subaquáticos, e posteriormente será transformada para 20 kv por meio de nove transformadores elevadores que estão localizados em galeria subterrânea. Os principais transformadores de 20/110 kv estarão localizados em duas subestações próximas das PCH s, num nível que não haja o perigo de inundações. As conexões das duas subestações serão efetuadas por intermédio de cabos de média tensão, permitindo assim mais fl exibilidade das manutenções dos equipamentos de alta tensão. O esquema elétrico projetado satisfaz plenamente as necessidades de interconexão com a rede de distribuição elétrica e foi plenamente aceito pelas autoridades. Progresso rápido nas atividades Após a determinação da confi guração do projeto básico, o projeto detalhado dos equipamentos para as duas PCH s está sendo fi nalizado, e a fabricação poderá iniciar em breve. Os trabalhos de escavações, construção das barragens, estão programados para começar em janeiro de 2010, e em maio, o primeiro tubo de sucção já poderá ser instalado. A PCH Ashta I está programada para entrar em operação comercial em 2012, e a PCH Ashta II no outono deste mesmo ano. A premiação do contrato para o projeto Ashta é um novo marco de sucesso na aplicação de unidades geradoras tipo HYDROMATRIX, e confi rma a competência da ANDRITZ HYDRO em desenvolver projetos inovadores de hidrogeração para mercados emergentes. Alexander Bihlmayer Tel.: +43 (732) Ashta I POTÊNCIA: 45 x 534 kw TOTAL POTÊNCIA: 24,03 MW / 24,64 MVA TENSÃO: 3,3 kv QUEDA LÍQUIDA: 4,98 m VELOCIDADE: 300 rpm DIÂMETRO DO ROTOR: mm Ashta II POTÊNCIA: 45 x kw TOTAL POTÊNCIA: 45,14 MW / 46,29 MVA TENSÃO: 3,3 kv QUEDA LÍQUIDA: 7,53 m VELOCIDADE: 375 rpm DIÂMETRO DO ROTOR: mm

10 10 HYDRONEWS Renner Sr. Semper da ANDRITZ HYDRO assinando o contrato Uma antiga e tradicional ponte de madeira Dagachhu Turbinas Pelton para o Butão E m julho de 2009, a ANDRITZ HYDRO (num consórcio com a Alstom) foi premiada pela Dagachhu Hydro Power Corporation Limited (DHPC) para o fornecimento dos equipamentos eletromecânicos e hidromecânicos para a nova Usina Hidrelétrica Dagachhu, no Butão. Esta premiação marca com sucesso o final de um processo intenso de negociações, iniciadas em novembro de O projeto da UHE Dagachhu está localizado no sudeste do distrito de Dagana. A UHE irá se benefi ciar da vazão do Rio Dagachuu, que é uma ramifi cação do Rio Sankosh, e desemboca no Rio Brahmaputra, na Índia. No projeto estão previstos: Uma central hidrelétrica do tipo fi o d água, um vertedouro de 20 m de altura, um túnel de adução com aproximadamente 8 km de extensão, além da tubulação forçada. Esta UHE terá uma produção de energia anual de 515 GWh, será instalada num período de aproximadamente quatro anos, e operará comercialmente no fi nal de A ANDRITZ HYDRO fornecerá duas turbinas tipo Pelton de 6 jatos para cada unidade, válvulas Esféricas, auxiliares mecânicos e os equipamentos hidromecânicos para o vertedouro e para o túnel de adução. Este projeto é considerado um novo marco no desenvolvimento de soluções em energia hidrelétrica no Butão. O potencial hídrico total disponível no país estima-se em mais de MW, sendo que apenas 5% foram explorados até então. A exportação de energia hidrelétrica é uma das principais fontes econômicas do Butão, sendo responsável por 45% das receitas totais. O desenvolvimento deste projeto, por intermédio de fontes de energia renováveis, irá contribuir na melhora do indicador nacional denominado de FIB (Felicidade Interna Bruta), signifi cando indiretamente a melhoria das receitas totais do governo. O atual governo prevê o aumento em MW da capacidade de energia hidrelétrica até o ano de A eletricidade gerada pela UHE Dagachuu será quase que totalmente exportada para a Índia, objetivando principalmente o aumento das receitas do país. Este projeto está sendo implementado conforme o modelo MDL (Mecanismo de Desenvolvimento Limpo) do Protocolo de Kyoto, onde os Certifi cados de emissões gerados serão comercializados no mercado internacional de carbono. A UHE Dagachhu será fi nanciada com o capital do Butão, contando também com o apoio da Tata Power, da Índia. O Banco de Desenvolvimento Asiático (BDA) e a Oesterreichische Kontrollbank (OeKB), serão os credores. A Austrian Rio Dagachhu próximo ao projeto Development Cooperation (OEZA) foi quem vislumbrou os caminhos para o desenvolvimento deste projeto, que é resultado de uma cooperação antiga, e de sucesso, com as autoridades do Butão. Podemos citar como frutos desta cooperação em antigos projetos as centrais hidrelétricas Basochhu Alta (2 x 14 MW) e Basochhu Baixa (2 x 21,4 MW), que foram comissionadas com sucesso em A ANDRITZ HYDRO que forneceu os equipamentos eletromecânicos para ambos os projetos. Michael Haslinger Tel.: +43 (732) POTÊNCIA: 2 x 62,2 MW QUEDA LÍQUIDA: 282 m VELOCIDADE: 277,7 rpm DIÂMETRO DO ROTOR: mm

11 Novos projetos HYDRONEWS 11 Gössendorf / Kalsdorf Novas Usinas Hidrelétricas na Styria Steweag Arte visual da nova Usina Hidrelétrica Kalsdorf A pós um longo processo de avaliação, a Energie Steiermark AG, na Áustria, finalmente premiou a ANDRITZ HYDRO com um contrato para o fornecimento, instalação e comissionamento dos equipamentos eletromecânicos para as Usinas Hidrelétricas (UHE s) Gössendorf e Kalsdorf, que serão instaladas no sul de Graz. A ANDRITZ HYDRO fornecerá quatro turbinas tipo Bulbo, reguladores de velocidade, geradores, sistema de excitação e junto os serviços de instalação e comissionamento. A Energie Steiermark e VERBUND-Austrian Hydro Power (AHP) serão as responsáveis pela implantação destas duas novas UHE s. Cada uma terá uma potência total instalada de aproximadamente 20,5 MW, iniciando suas operações comerciais em 2012 e 2013, respectivamente, possibilitando o fornecimento de energia ecologicamente correta a mais de habitantes da região. Além da produção de energia elétrica, as UHE s têm a função de prevenir inundações na região. O projeto de construção está sendo supervisionado cons- tantemente por engenheiros, e, além disso, elevará a qualidade de vida da fauna local do Rio Mur, no seu término. A construção dos geradores está sendo executada na cidade de Weiz, e os componentes das turbinas na cidade de Graz, ambas na Áustria, garantindo um curto período de tempo de montagem, e aumentando assim, o nível do valor agregado naquelas localidades. As duas fábricas estão separadas apenas por alguns quilômetros das UHE s Gössendorf e Kalsdorf. Com este contrato, a ANDRITZ HYDRO comprova novamente sua ótima relação de longo prazo com a empresa Energie Steiermark AG, e confi rma sua posição de destaque no mercado de hidrogeração na Áustria. Josef Grininger Tel.: +43 (732) Steweag Gössendorf OUTOUT: 2 x 10,25 MW / 12,5 MVA TENSÃO: 6,3 kv QUEDA LÍQUIDA: 10,85 m VELOCIDADE: 150 rpm DIÂMETRO DO ROTOR: mm DIÂMETRO DO ESTATOR: mm Steweag Vista transversal do vertedouro e da unidade geradora Kalsdorf OUTOUT: 2 x 10,22 MW / 12,5 MVA TENSÃO: 6,3 kv QUEDA LÍQUIDA: 10,78 m VELOCIDADE: 150 rpm DIÂMETRO DO ROTOR: mm DIÂMETRO DO ESTATOR: mm

12 12 HYDRONEWS Novos projetos Augst-Wyhlen & Laufenburg Modernização de três Pequenas Centrais Hidrelétricas no Rio Rhine PCH s Augst-Wyhlen A ANDRITZ HYDRO AUTOMATION recebeu um contrato para modernizar os sistemas de automação das PCH s Augst-Wyhlen e Laufenburg no Rio Rhine em abril deste ano. Augst-Wyhlen Entre os anos de 1908 e 1912, a empresa Rheinfelden Kraftübertragungswerke, na cidade de Basel, construiu a barragem Augst-Wyhlen. O aproveitamento é composto da PCH Wyhlen, no lado Alemão, da PCH Augst, no lado Suíço, com a eclusa e o vertedouro localizados entre ambas as PCH s. A duas PCH s estão posicionadas uma em frente da outra por intermédio de canais laterais no Rio Rhine, estando também paralelas ao próprio rio. Cada PCH foi equipada com 10 unidades geradoras tipo Francis e sistemas de excitação. Entre os anos de 1990 e 1994, as PCH s Augst e Wyhlen foram Antigo gerador da PCH Wyhlen totalmente modifi cadas. Na PCH Augst, seis das dez turbinas Francis e os sistemas de excitação foram substituídas por sete modernas unidades geradoras tipo Straflo TM, e adicionalmente duas unidades Francis foram completamente modernizadas e mais duas descomissionadas. Na PCH Wyhlen, cinco das dez unidades Francis e dois sistemas de excitação foram modernizadas, sendo outras unidades substituídas por seis unidades de geração tipo Straflo TM. A vazão média aumentou de 850 m³/s para m³/s. Entre a PCH Augst e a PCH Wyhlen encontram-se dez vertedouros que foram reabilitados e quatro adaptados com um sistema corta-gelo. Laufenburg A PCH Laufenburg foi instalada entre os anos de 1909 e As dez unidades geradoras originais tipo Francis foram projetadas para uma potência total de 40 MW. Devido ao aumento constante da demanda de energia elétrica, a central foi nova modernizada nos anos 20, sendo repotenciada para 81 MW. Entre os anos de 1898 a 1994, todas as unidades geradoras tipo Francis foram completamente substituídas por modernas unidades geradoras tipo Strafl o TM, aumentando assim a potência para 106 MW. Os quatro vertedouros de 17,3 m de largura foram também reabilitados. Fornecimento conratual No escopo da ANDRITZ HYDRO está previsto o fornecimento de todos os sistemas de controle para as 23 unidades geradoras tipo Strafl o TM, e para as sete unidades geradoras tipo Francis. Todas as três PCH serão equipadas com o sistema de automação NEPTUN. A modernização ocorrerá nos seguintes sistemas: Comando partida/parada, proteção mecânica, regulador de velocidade digital, sistema de excitação, detectores de vibração e equipamentos de sincronização; Controle redundante cliente/rede nas três PCH s; Infra-estrutura na rede LAN conforme IEC nas 3 PCH s; Proteção barra coletora 6,8 kv para a PCH Augst; Proteções para os geradores e transformadores; Sistema completo de automação para a subestação de 50/110 kv via SICAM BC1703; Completa automação no sistema de refrigeração e de drenagem nas PCH s Augst-Wyhlen; Completa automação nos vertedouros e no sistema de refrigeração e de drenagem da PCH Laufenburg; Automação no vertedouro e no sistema de refrigeração e de drenagem na PCH Laufenburg; Gerenciamento da vazão nas PCH s Augst-Wyhlen e sub-controle na PCH Laufenburg pelo sistema de gerenciamento de vazão individual em função do nível do reservatório; Modelos de previsão da vazão nos reservatórios para as três PCH s; Modernização dos os auxiliares. A ANDRITZ HYDRO foi premiada com o contrato por oferecer as melhores soluções técnicas e econômicas. Outro aspecto fundamental nas avaliações feitas entre os competidores foi o detalhamento do cronograma de execução apresentado, além das estratégias a serem aplicadas durante a desmontagem e montagem dos novos equipamentos. A proposta da ANDRITZ HYDRO foi

MEIO AMBIENTE E ENERGIAS ALTERNATIVAS. Roberto Barce

MEIO AMBIENTE E ENERGIAS ALTERNATIVAS. Roberto Barce MEIO AMBIENTE E ENERGIAS ALTERNATIVAS Roberto Barce O Grupo ANDRITZ no mundo Vista Geral A empresa ANDRITZ AG, Graz, Áustria (sede do Grupo). Mais de 220 empresas de produção e de serviços no mundo inteiro.

Leia mais

Soluções Completas para Pequenas Centrais Hidrelétricas

Soluções Completas para Pequenas Centrais Hidrelétricas Soluções Completas para Pequenas Centrais Hidrelétricas Answers for energy. Turbina Francis, gerador síncrono e unidade hidráulica Cubículos de média tensão Transformadores de distribuição Uma completa

Leia mais

PCH BARUÍTO PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS DO PROJETO

PCH BARUÍTO PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS DO PROJETO PCH BARUÍTO PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS DO PROJETO CUIABÁ MT OUTUBRO DE 2003 1 PCH BARUITO PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS TÉCNICAS DO PROJETO Empreendedor : Global Energia Elétrica S/A Empreendimento:

Leia mais

Transformando energia em soluções. Motores de. Alta Tensão

Transformando energia em soluções. Motores de. Alta Tensão Transformando energia em soluções Motores de Alta Tensão Motores de alta tensão A WEG desenvolveu em conjunto com consultoria internacional especializada uma linha de motores de carcaça de ferro fundido

Leia mais

ANDRITZ Atro Turbinas helicoidais

ANDRITZ Atro Turbinas helicoidais ANDRITZ Atro Turbinas helicoidais www.andritz.com ANDRITZ Atro Turbinas Helicoidais Efi cientes, robustas e ambientalmente sustentáveis Você pessoa física ou jurídica ou alguma autoridade local é detentor

Leia mais

Repotenciação de usinas hidrelétricas: capacitação do IEE/USP com vistas à otimização energética do parque brasileiro

Repotenciação de usinas hidrelétricas: capacitação do IEE/USP com vistas à otimização energética do parque brasileiro Superintendência de Regulação dos Serviços de Geração - SRG Workshop: Repotenciação de Usinas Hidrelétricas Brasília-DF 14 de julho de 2011 Repotenciação de usinas hidrelétricas: capacitação do IEE/USP

Leia mais

Grupo Investidor 50,1% 24,5% 24,5% 0,9%

Grupo Investidor 50,1% 24,5% 24,5% 0,9% Gerência Técnica Grupo Investidor 50,1% 24,5% 24,5% 0,9% Grupo Construtor Obras Civis e Montagem Eletromecânica Engenharia Contratada: Fornecimentos Eletromecânicos Fornecimentos Eletromecânicos Principais

Leia mais

Cambambe I Uma parceria para fornecer energia a Angola

Cambambe I Uma parceria para fornecer energia a Angola Cambambe I Uma parceria para fornecer energia a Angola II A Voith apoia plenamente Angola e o seu povo no processo de reconstrução após três décadas de guerra civil. Temos dado a nossa contribuição nos

Leia mais

AHE SIMPLÍCIO QUEDA ÚNICA* Luiz Antônio Buonomo de PINHO Gerente / Engenheiro Civil Furnas Centrais Elétricas S. A.

AHE SIMPLÍCIO QUEDA ÚNICA* Luiz Antônio Buonomo de PINHO Gerente / Engenheiro Civil Furnas Centrais Elétricas S. A. AHE SIMPLÍCIO QUEDA ÚNICA* Luiz Antônio Buonomo de PINHO Gerente / Engenheiro Civil Furnas Centrais Elétricas S. A. Rogério Sales GÓZ Gerente / Engenheiro Civil Furnas Centrais Elétricas S. A. Brasil RESUMO

Leia mais

1 Área técnica administrativa. 2 Área de Soldagem

1 Área técnica administrativa. 2 Área de Soldagem Voith Hydro Manaus 1 2 3 4 5 1 Área técnica administrativa 2 Área de Soldagem 3 Oportunidades para mulheres. Jovem, que iniciou como soldadora, hoje é auxiliar administrativa da produção 4 Área de Jateamento

Leia mais

ANDRITZ Soluções de bombas para água e águas residuais

ANDRITZ Soluções de bombas para água e águas residuais ANDRITZ Soluções de bombas para água e águas residuais www.andritz.com/pumps ANDRITZ na gestão dos recursos hídricos Soluções personalizadas para bombas Você administra instalações de abastecimento de

Leia mais

APRESENTAÇÃO. Estabelecida em Ijuí, RS, Distrito Industrial, à rua Jacob Nicoletti, 142.

APRESENTAÇÃO. Estabelecida em Ijuí, RS, Distrito Industrial, à rua Jacob Nicoletti, 142. APRESENTAÇÃO Hidroenergia Engenharia e Automação Ltda. Empresa dedicada ao desenvolvimento e fabricação de equipamentos para Pequenas Centrais Hidrelétricas. Turbinas Hidráulicas; Válvulas Borboleta; Geradores

Leia mais

Escola de Engenharia de São Carlos Hidráulica e Saneamento SHS0103 - Máquinas Hidráulicas. Pequenas Centrais Hidrelétricas

Escola de Engenharia de São Carlos Hidráulica e Saneamento SHS0103 - Máquinas Hidráulicas. Pequenas Centrais Hidrelétricas Escola de Engenharia de São Carlos Hidráulica e Saneamento SHS0103 - Máquinas Hidráulicas Pequenas Centrais Hidrelétricas Caio de Campos Ferreira 3653842 Daniel Gomes Pancieri 3691605 Luis Henrique da

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Energia Linhas de Produtos e Soluções

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Energia Linhas de Produtos e Soluções Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Energia Linhas de Produtos e Soluções www.weg.net Bem-vindo a WEG Energia 1 grande grupo, composto por 5 unidades, que atuam de forma integrada

Leia mais

TRANSFORMADOR A SECO Geafol de 75 a 25.000 kva

TRANSFORMADOR A SECO Geafol de 75 a 25.000 kva Com a linha Geafol, obteve-se um transformador com excelentes características elétricas, mecânicas e térmicas que, adicionalmente, ainda é ecológico. São produzidos sob certificação DQS, ISO 9001 e ISO

Leia mais

GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA HIDRELÉTRICA-SISTEMA ELÉTRICO

GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA HIDRELÉTRICA-SISTEMA ELÉTRICO GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA HIDRELÉTRICA-SISTEMA ELÉTRICO HIDRELÉTRICAS Definição Originada a partir da energia solar, responsável pela evaporação da água; A água que precipita é armazenada na forma de

Leia mais

Aula 4 Matriz Elétrica Brasileira

Aula 4 Matriz Elétrica Brasileira AULA Fundação 4 MATRIZ Universidade ELÉTRICA Federal de Mato Grosso do Sul 1 Matriz Energética Aula 4 Matriz Elétrica Brasileira Prof. Márcio Kimpara Universidade Federal de Mato Grosso do Sul FAENG /

Leia mais

O Mercado de Energia Eólica E e no Mundo. Brasil: vento, energia e investimento. São Paulo/SP 23 de novembro de 2007

O Mercado de Energia Eólica E e no Mundo. Brasil: vento, energia e investimento. São Paulo/SP 23 de novembro de 2007 O Mercado de Energia Eólica E no Brasil e no Mundo Brasil: vento, energia e investimento São Paulo/SP 23 de novembro de 2007 Energia: importância e impactos A energia é um dos principais insumos da indústria

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Energia Turbogeradores Linhas ST20 e ST40

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Energia Turbogeradores Linhas ST20 e ST40 Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Energia Linhas ST20 e ST40 www.weg.net Desenvolvidos para aplicações em Centrais Termelétricas, os turbogeradores linhas ST20 e ST40 possuem

Leia mais

Tecnologia de sistemas.

Tecnologia de sistemas. Tecnologia de sistemas. HYDAC Dinamarca HYDAC Polônia HYDAC Brasil HYDAC Índia HYDAC China HYDAC França HYDAC Alemanha Seu parceiro profissional para a tecnologia de sistemas. Com mais de 7.500 colaboradores

Leia mais

Conceito de automação pneumática - uma comparação entre um terminal de válvulas e válvulas avulsas

Conceito de automação pneumática - uma comparação entre um terminal de válvulas e válvulas avulsas White Paper Conceito de automação pneumática - uma comparação entre um terminal de válvulas e válvulas avulsas Válvulas avulsas ou terminal de válvulas para controle de equipamentos automatizados pneumáticos?

Leia mais

APLICAÇÃO DO SOFTWARE ELIPSE E3 PARA AUTOMATIZAR O CENTRO DE OPERAÇÃO DA GERAÇÃO (COG) QUE CONTROLA 17 USINAS HIDRELÉTRICAS DO GRUPO CPFL ENERGIA

APLICAÇÃO DO SOFTWARE ELIPSE E3 PARA AUTOMATIZAR O CENTRO DE OPERAÇÃO DA GERAÇÃO (COG) QUE CONTROLA 17 USINAS HIDRELÉTRICAS DO GRUPO CPFL ENERGIA APLICAÇÃO DO SOFTWARE ELIPSE E3 PARA AUTOMATIZAR O CENTRO DE OPERAÇÃO DA GERAÇÃO (COG) QUE CONTROLA 17 USINAS HIDRELÉTRICAS DO GRUPO CPFL ENERGIA Este case apresenta a aplicação do Elipse E3 para controlar

Leia mais

Projeto Provedor de Informações Econômico-Financeiro do Setor de Energia Elétrica

Projeto Provedor de Informações Econômico-Financeiro do Setor de Energia Elétrica Projeto Provedor de Informações Econômico-Financeiro do Setor de Energia Elétrica Relatório Quadrimestral de Acompanhamento dos Indicadores do Setor Elétrico Mundial Maio a Agosto de 2012 Eduardo Mattos

Leia mais

Turbocompressor modelo ABS HST 20

Turbocompressor modelo ABS HST 20 Turbocompressor modelo ABS HST 20 Principais Aplicações O turbocompressor modelo ABS HST 20 é altamente adequado para as seguintes áreas de aplicação: Aeração de água, efluentes ou outros líquidos Flotação

Leia mais

DIÁLOGO LATINOAMERICANO SOBRE LAS MEJORES PRÁCTICAS EN EL DESARROLLO DE GRANDES CENTRALES HIDROELÉCTRICAS. Carlos Nadalutti Filho

DIÁLOGO LATINOAMERICANO SOBRE LAS MEJORES PRÁCTICAS EN EL DESARROLLO DE GRANDES CENTRALES HIDROELÉCTRICAS. Carlos Nadalutti Filho DIÁLOGO LATINOAMERICANO SOBRE LAS MEJORES PRÁCTICAS EN EL DESARROLLO DE GRANDES CENTRALES HIDROELÉCTRICAS 22.11.2011 - Tucuruí,, Brasil Carlos Nadalutti Filho APROVEITAMENTO HIDROELÉCTRICO DE CAPANDA Início:

Leia mais

Componetes, Sistemas e Assistência para Usinas Hidrelétricas.

Componetes, Sistemas e Assistência para Usinas Hidrelétricas. Componetes, Sistemas e Assistência para Usinas Hidrelétricas. HYDAC Suiça HYDAC Noruega HYDAC França HYDAC Áustria HYDAC Brasil HYDAC Polônia HYDAC EUA HYDAC Índia HYDAC China Seu parceiro profissional

Leia mais

Soluções em Troca Térmica Spirax Sarco. Garantia de eficiência do seu sistema

Soluções em Troca Térmica Spirax Sarco. Garantia de eficiência do seu sistema Soluções em Troca Térmica Spirax Sarco Garantia de eficiência do seu sistema O time que você quer ao seu lado Conheça a equipe A Spirax Sarco proporciona Conhecimento, Serviços e Produtos em todo o mundo

Leia mais

YDRONEWS. 4 MELHOR HISTÓRIA Abordagem dos Sistemas para o Desenvolvimento de Projetos Hidrelétricos

YDRONEWS. 4 MELHOR HISTÓRIA Abordagem dos Sistemas para o Desenvolvimento de Projetos Hidrelétricos YDRONEWS No. 17 / 05-2010 REVISTA DA ANDRITZ HYDRO 4 MELHOR HISTÓRIA Abordagem dos Sistemas para o Desenvolvimento de Projetos Hidrelétricos 8 MERCADO HÍDRICO Premiação Estadual Austríaca 2010 20 INFORMAÇÃO

Leia mais

O Mercado de Energia Eólica E e no Mundo

O Mercado de Energia Eólica E e no Mundo O Mercado de Energia Eólica E no Brasil e no Mundo Audiência Pública P - Senado Comissão de Meio Ambiente, Defesa do Consumidor e Fiscalização e Controle Brasília/DF 19 de junho de 2008 Energia: importância

Leia mais

Reforço de Potência Aproveitamento Hidroeléctrico de Vila Nova/Venda Nova. (Venda Nova II) Relatório de Visita de Estudo.

Reforço de Potência Aproveitamento Hidroeléctrico de Vila Nova/Venda Nova. (Venda Nova II) Relatório de Visita de Estudo. ISEL INSTITUTO SUPERIOR DE ENGENHARIA DE LISBOA DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELECTROTÉCNICA E AUTOMAÇÃO Reforço de Potência Aproveitamento Hidroeléctrico de Vila Nova/Venda Nova (Venda Nova II) Relatório

Leia mais

Termoelétricas Ou Termelétricas

Termoelétricas Ou Termelétricas Termoelétricas Ou Termelétricas É uma instalação industrial usada para geração de energia elétrica/eletricidade a partir da energia liberada em forma de calor, normalmente por meio da combustão de algum

Leia mais

Águas de Minas e Energia a Contribuição de Minas para o Sistema Elétrico Importância dos Reservatórios de Cabeceira.

Águas de Minas e Energia a Contribuição de Minas para o Sistema Elétrico Importância dos Reservatórios de Cabeceira. Águas de Minas e Energia a Contribuição de Minas para o Sistema Elétrico Importância dos Reservatórios de Cabeceira. 1 Sumário Produção de Energia Elétrica no Brasil e o no Mundo Características de Usinas

Leia mais

Pre-designed Steam Turbines. Turbinas a vapor compactas para a faixa de potência até 10 MW. Answers for energy.

Pre-designed Steam Turbines. Turbinas a vapor compactas para a faixa de potência até 10 MW. Answers for energy. Pre-designed Steam Turbines Turbinas a vapor compactas para a faixa de potência até 10 MW Answers for energy. Pre-designed Steam Turbines Turbinas a vapor compactas para a faixa de potência até 10 MW SST-010

Leia mais

INSTRUÇÃO TÉCNICA DPO Nº 5, de 10/11/2011

INSTRUÇÃO TÉCNICA DPO Nº 5, de 10/11/2011 INSTRUÇÃO TÉCNICA DPO Nº 5, de 10/11/2011 1. Objeto. 2. Referências. OUTORGA DE APROVEITAMENTOS HIDRELÉTRICOS UHE / PCH / CGH 3. Obtenção de outorgas junto ao. 4. Fluxograma dos procedimentos para uso

Leia mais

USINA HIDRELÉTRICA (UHE) SINOP EXECUTORA: CONSTRUTORA TRIUNFO SETEMBRO/2015

USINA HIDRELÉTRICA (UHE) SINOP EXECUTORA: CONSTRUTORA TRIUNFO SETEMBRO/2015 USINA HIDRELÉTRICA (UHE) SINOP EXECUTORA: CONSTRUTORA TRIUNFO SETEMBRO/2015 O EMPREENDIMENTO LOCALIZAÇÃO POTÊNCIA MUNICÍPIOS RIO BACIA HIDROGRÁFICA TURBINAS POTÊNCIA INSTALADA Itaúba/MT (Margem Esquerda

Leia mais

Conceito e Evolução da utilização da Energia

Conceito e Evolução da utilização da Energia Energia Limpa Agenda O que é energia limpa? Tipos de energia limpa Energia Hídrica Energia Eólica Energia Geotérmica Biomassa Energia Solar Energia do Mar O Brasil neste cenário Protocolo de Kyoto Conceito

Leia mais

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CURSO DE BIOLOGIA (EAD)

UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CURSO DE BIOLOGIA (EAD) UNIVERSIDADE CASTELO BRANCO CENTRO DE CIÊNCIAS BIOLÓGICAS CURSO DE BIOLOGIA (EAD) TRABALHO DE BIOLOGIA GERAL RAQUEL ALVES DA SILVA CRUZ Rio de Janeiro, 15 de abril de 2008. TRABALHO DE BIOLOGIA GERAL TERMOELÉTRICAS

Leia mais

A Confiabilidade tem um nome conexões de flanges ZAKO

A Confiabilidade tem um nome conexões de flanges ZAKO A Confiabilidade tem um nome conexões de flanges ZAKO As conexões hidráulicas ZAKO defi nem novos parâmetros Tão simples fomo efi caz o sistema ZAKO O sistema de fl anges desmontáveis permite eliminar

Leia mais

Hidrogeradores. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas

Hidrogeradores. Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Hidroeradores Motores Automação Eneria Transmissão & Distribuição Tintas www.we.net Hidroeradores Desenvolvidos para aplicações em pequenas centrais hidrelétricas (PCH), os hidroeradores WEG possuem uma

Leia mais

Serviços e Reabilitações

Serviços e Reabilitações Serviços e Reabilitações www.andritz.com ANDRITZ HYDRO Modernização e renovação Cerca de 50% das tecnologias primárias e secundárias instaladas em usinas hidroelétricas no mundo inteiro têm mais de 40

Leia mais

ABINEE TEC MINAS 2008 - SINAEES. Seminário Vendas para Áreas de Petróleo e Gás, Inovação, Qualidade, Aspectos Ambientais e Controle PCH s

ABINEE TEC MINAS 2008 - SINAEES. Seminário Vendas para Áreas de Petróleo e Gás, Inovação, Qualidade, Aspectos Ambientais e Controle PCH s ABINEE TEC MINAS 2008 - SINAEES Seminário Vendas para Áreas de Petróleo e Gás, Inovação, Qualidade, Aspectos Ambientais e Controle PCH s SISTEMAS DE TRANSPOSIÇÃO DE PEIXES EM BARRAGENS DE RIOS CASO DA

Leia mais

climatização refrigeração índice mercado Indústrias TOSI: Orgulho de ser brasileira 12 4 Climatização + Refrigeração Maio 2012

climatização refrigeração índice mercado Indústrias TOSI: Orgulho de ser brasileira 12 4 Climatização + Refrigeração Maio 2012 índice climatização refrigeração mercado 08 Indústrias TOSI: Orgulho de ser brasileira 12 4 Climatização + Refrigeração Maio 2012 Orgulho de ser brasileira Crédito NT Editorial Com produção fortemente

Leia mais

Utilização do Google Earth e Google Maps na CEMIG

Utilização do Google Earth e Google Maps na CEMIG Utilização do Google Earth e Google Maps na CEMIG Roberto Proença da Silva Carlos Alberto Moura Companhia Energética de Minas Gerais - CEMIG Superintendência de Tecnologia da Informação - TI Gerência de

Leia mais

Transformadores Secos. Motores Automação Energia Tintas

Transformadores Secos. Motores Automação Energia Tintas Motores Automação Energia Tintas www.weg.net Em um Transformador Seco WEG, há mais de 40 anos de experiência na fabricação de motores elétricos, mais de 25 anos na fabricação de transformadores e toda

Leia mais

RECURSOS HÍDRICOS DISPONÍVEIS NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

RECURSOS HÍDRICOS DISPONÍVEIS NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA RECURSOS HÍDRICOS DISPONÍVEIS NO BRASIL PARA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA Deodato do Nascimento Aquino Técnico

Leia mais

Controlando energia, gerando desenvolvimento. Soluções inovadoras para automação e controle da geração de energia.

Controlando energia, gerando desenvolvimento. Soluções inovadoras para automação e controle da geração de energia. Controlando energia, gerando desenvolvimento. Soluções inovadoras para automação e controle da geração de energia. A Empresa - Iniciou atividades em abril/1987; - Uma das primeiras empresas incubadas no

Leia mais

WWW.RENOVAVEIS.TECNOPT.COM

WWW.RENOVAVEIS.TECNOPT.COM Como funciona um aerogerador Componentes de um aerogerador Gôndola:contém os componentes chaves do aerogerador. Pás do rotor:captura o vento e transmite sua potência até o cubo que está acoplado ao eixo

Leia mais

Soluções inteligentes em energia. Energia para a vida

Soluções inteligentes em energia. Energia para a vida Soluções inteligentes em energia Energia para a vida O Brasil e o mundo contam com a nossa energia. A Prátil é uma empresa de soluções inteligentes em energia, que atua nos segmentos de infraestrutura

Leia mais

FONTES ALTERNATIVAS DE ENERGIA

FONTES ALTERNATIVAS DE ENERGIA FONTES ALTERNATIVAS DE ENERGIA Iria Müller Guerrini, No Brasil a maior quantidade de energia elétrica produzida provém de usinas hidrelétricas (cerca de 95%). Em regiões rurais e mais distantes das hidrelétricas

Leia mais

Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro

Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro Oportunidades de Mercado na Visão do Serviço Florestal Brasileiro - 2º Congresso Florestal do Tocantins - André Luiz Campos de Andrade, Me. Gerente Executivo de Economia e Mercados do Serviço Florestal

Leia mais

Bomba Multiestágio de Média Pressão MBN

Bomba Multiestágio de Média Pressão MBN Bomba Multiestágio de Média Pressão MBN Principais Aplicações Com um design modular, as bombas MBN são bombas horizontais segmentadas e bipartidas radialmente. São recomendadas para o bombeamento de líquidos

Leia mais

EDP Energias do Brasil

EDP Energias do Brasil EDP Energias do Brasil III BTG Pactual Utilities Day outubro, 2014 0 Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com

Leia mais

Valor Setorial Energia (Valor Econômico) 15/04/2015 Garantia para o sistema

Valor Setorial Energia (Valor Econômico) 15/04/2015 Garantia para o sistema Valor Setorial Energia (Valor Econômico) 15/04/2015 Garantia para o sistema Duas importantes medidas foram anunciadas no fim de março pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) para tornar mais

Leia mais

- Projeto & Concepção - Solicitação de Acesso - Venda de Equipamentos - Instalação - Conexão com Distribuidora. Campinas

- Projeto & Concepção - Solicitação de Acesso - Venda de Equipamentos - Instalação - Conexão com Distribuidora. Campinas A Blue Sol Energia Solar visa disseminar a tecnologia fotovoltaica e o conhecimento sobre os temas no Brasil promovendo, portanto, uma fonte limpa, renovável e inesgotável de energia, alinhada com a crescente

Leia mais

USO DO GÁS NATURAL DE PETRÓLEO NA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

USO DO GÁS NATURAL DE PETRÓLEO NA GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ CENTRO DE CIÊNCIAS AGRÁRIAS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA AGRÍCOLA PÓS - GRADUAÇÃO EM ENGENHARIA AGRÍCOLA ADP8088 - SEMINÁRIOS EM ENGENHARIA AGRÍCOLA II USO DO GÁS NATURAL DE

Leia mais

YDRONEWS. 4 MELHOR HISTÓRIA Kemijoki, Finlândia. 6 TECNOLOGIAS Turbina Francis X-Blade. 10 NOVOS PROJETOS Alkumru, Turquia. No.

YDRONEWS. 4 MELHOR HISTÓRIA Kemijoki, Finlândia. 6 TECNOLOGIAS Turbina Francis X-Blade. 10 NOVOS PROJETOS Alkumru, Turquia. No. YDRONEWS No. 15 / 5-2009 REVISTA DA ANDRITZ HYDRO 4 MELHOR HISTÓRIA Kemijoki, Finlândia 6 TECNOLOGIAS Turbina Francis X-Blade 10 NOVOS PROJETOS Alkumru, Turquia www.andritz-hydro.com 02 HYDRONEWS Conteúdo

Leia mais

Schaeffler Global Technology Network. Juntos Movemos o Mundo

Schaeffler Global Technology Network. Juntos Movemos o Mundo Schaeffler Global Technology Network Juntos Movemos o Mundo Trabalhando juntos para transformar desafios em oportunidades A globalização abre ilimitadas oportunidades para as empresas, ao mesmo tempo

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Alternadores Síncronos Linha AN10. Novo

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. Alternadores Síncronos Linha AN10. Novo Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Alternadores Síncronos Linha AN10 Novo Alternadores Síncronos Linha AN10 Os alternadores da linha AN10 foram desenvolvidos para aplicação em

Leia mais

Teoria das Descargas Parciais

Teoria das Descargas Parciais Teoria das Descargas Parciais Quando uma tensão é aplicada aos terminais de um equipamento elétrico que possui isolamento elétrico (dielétricos - ar, SF 6, óleo isolante, fenolite, resinas, vidros, etc.)

Leia mais

Central Hidroeléctrica da Calheta de Inverno

Central Hidroeléctrica da Calheta de Inverno Central Hidroeléctrica da Calheta de Inverno Descrição Geral A Central da Calheta de Inverno foi construída em 1992, com o objectivo de aproveitar os caudais excedentários ao abastecimento público e garantidos

Leia mais

II SEMINÁRIO NACIONAL PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS E MICROGERAÇÃO

II SEMINÁRIO NACIONAL PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS E MICROGERAÇÃO MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA II SEMINÁRIO NACIONAL PEQUENAS CENTRAIS HIDRELÉTRICAS E MICROGERAÇÃO Luiz Eduardo Barata Secretário-Executivo CÂMARA DOS DEPUTADOS Brasília, 22 de setembro de 2015 Energia

Leia mais

Conversão de Energia Térmica em Elétrica a partir da Biomassa

Conversão de Energia Térmica em Elétrica a partir da Biomassa Conversão de Energia Térmica em Elétrica a partir da Biomassa TECNOLOGIAS DISPONÍVEIS www.basesolidaenergia.com.br +55 41 3667 9014 Curitiba PR Objetivo O Objetivo desta apresentação é informar quais os

Leia mais

ENERGIAS ALTERNATIVAS E TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO LIMPAS: DESAFIOS E OPORTUNIDADES

ENERGIAS ALTERNATIVAS E TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO LIMPAS: DESAFIOS E OPORTUNIDADES ENERGIAS ALTERNATIVAS E TECNOLOGIAS DE PRODUÇÃO LIMPAS: DESAFIOS E OPORTUNIDADES FONTES DE ENERGIA Hídrica Eólica Biomassa Solar POTENCIAL HÍDRICO Fonte: Eletrobras, 2011. APROVEITAMENTO DO POTENCIAL HIDRELÉTRICO

Leia mais

O BNB como agente financiador de energias limpas

O BNB como agente financiador de energias limpas Seminário de Propostas de Políticas Públicas para Energias Renováveis no Brasil O BNB como agente financiador de energias limpas Roberto Smith, Presidente do Banco do Nordeste do Brasil S.A. (BNB) Fortaleza-CE

Leia mais

Estratégia de desenvolvimento da plataforma de motores elétricos W22

Estratégia de desenvolvimento da plataforma de motores elétricos W22 Estratégia de desenvolvimento da plataforma de motores elétricos W22 Sebastião Lauro Nau Dia da Inovação na Indústria IEL/SC FIESC - Fpolis/SC 18/07/12 CONTEÚDO 1. UM POUCO SOBRE A WEG 2. DESENVOLVIMENTO

Leia mais

ERGONOMIA APLICADA, SUCESSO ALCANÇADO NAS MANUTENÇÕES DA UHE JUPIÁ

ERGONOMIA APLICADA, SUCESSO ALCANÇADO NAS MANUTENÇÕES DA UHE JUPIÁ ERGONOMIA APLICADA, SUCESSO ALCANÇADO NAS MANUTENÇÕES DA UHE JUPIÁ Autores Antonio Mauro Lisboa Renó José Antonio Carneiro Saturnino Nunes Neto CESP Companhia Energética de São Paulo RESUMO A UHE Jupiá

Leia mais

Energia e Meio Ambiente Política de Energia e Mudança Climática: Histórico, Perspectivas e Alternativas. Luiz Pinguelli Rosa

Energia e Meio Ambiente Política de Energia e Mudança Climática: Histórico, Perspectivas e Alternativas. Luiz Pinguelli Rosa Luiz Pinguelli Rosa O BRASIL NO CONTEXTO DA AMÉRICA LATINA E A QUESTÃO DA ESQUERDA NO GOVERNO Superar a identificação da esquerda estritamente com o socialismo de tipo soviético O QUADRO POLÍTICO NACIONAL,

Leia mais

Conceito. são os diversos tipos de materiais ou processos dos quais se podem obter energia. Podem ser divididos em dois grandes grupos:

Conceito. são os diversos tipos de materiais ou processos dos quais se podem obter energia. Podem ser divididos em dois grandes grupos: Conceito são os diversos tipos de materiais ou processos dos quais se podem obter energia. Podem ser divididos em dois grandes grupos: Renováveis renovação em um curto período de tempo; Não renováveis

Leia mais

ENTERPRISE EUROPE NETWORK. Título: Empresa da Eslováquia certificada especializada na produção de painéis fotovoltaicos de alta qualidade.

ENTERPRISE EUROPE NETWORK. Título: Empresa da Eslováquia certificada especializada na produção de painéis fotovoltaicos de alta qualidade. Tipo de parceria:joint venture Empresa da Eslováquia certificada especializada na produção de painéis fotovoltaicos de alta qualidade. Empresa da Eslováquia certificadaespecializada na produção de painéis

Leia mais

FAZEMOS O MUNDO GIRAR FAZEMOS O MUNDO GIRAR

FAZEMOS O MUNDO GIRAR FAZEMOS O MUNDO GIRAR FAZEMOS O MUNDO GIRAR FAZEMOS O MUNDO GIRAR REV 12/2012 UMA EMPRESA GLOBAL Fundada em 1992, a PAMAS é uma companhia privada, independente e auto fi nanciada que possue um forte crescimento por seus próprios

Leia mais

Definindo o Futuro da Hidreletricidade

Definindo o Futuro da Hidreletricidade Definindo o Futuro da Hidreletricidade Capacidades e competência em hidreletricidade A imaginação pode mudar o mundo. É um grande presente poder transformar uma ideia em um objeto materializado. Por um

Leia mais

3º. Seminário Nacional de Segurança e Saúde no Setor Elétrico Brasileiro

3º. Seminário Nacional de Segurança e Saúde no Setor Elétrico Brasileiro SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA, SAÚDE OCUPACIONAL E MEIO AMBIENTE: A EXPERIÊNCIA DA Rio de Janeiro, 2002 ! A Light - Serviços de Eletricidade S.A. foi constituída em 9 de julho de 1904, no Canadá, e recebeu

Leia mais

Investimentos da AES Brasil crescem 32% e atingem R$ 641 milhões nos primeiros nove meses do ano

Investimentos da AES Brasil crescem 32% e atingem R$ 641 milhões nos primeiros nove meses do ano Investimentos da AES Brasil crescem 32% e atingem R$ 641 milhões nos primeiros nove meses do ano Valor faz parte de plano de investimentos crescentes focado em manutenção, modernização e expansão das operações

Leia mais

ANEXO 01 DO ADITAMENTO N.º 004 NOVA REDAÇÃO PARA AS CLÁUSULAS 18 E 19 DA MINTA DO CONTRATO.

ANEXO 01 DO ADITAMENTO N.º 004 NOVA REDAÇÃO PARA AS CLÁUSULAS 18 E 19 DA MINTA DO CONTRATO. ANEXO 01 DO ADITAMENTO N.º 004 NOVA REDAÇÃO PARA AS CLÁUSULAS 18 E 19 DA MINTA DO CONTRATO. 1 CLÁUSULA 18 EVENTOS GERADORES DE PAGAMENTOS DE SERVIÇOS Para que os SERVIÇOS sejam considerados como eventos

Leia mais

OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO OUTUBRO

OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO OUTUBRO OPORTUNIDADES DE NEGÓCIO OUTUBRO Envie-nos um e-mail para EEN-Portugal@aip.pt a solicitar informação detalhada, indicando o código de Referência Nacional. Referência DE-2015-305 CZ-2015-306 Retalhista

Leia mais

EMBRAER ANUNCIA PERSPECTIVAS DE LONGO PRAZO PARA AVIAÇÃO Estimativas de demanda mundial abrangem os mercados de jatos comerciais e executivos

EMBRAER ANUNCIA PERSPECTIVAS DE LONGO PRAZO PARA AVIAÇÃO Estimativas de demanda mundial abrangem os mercados de jatos comerciais e executivos EMBRAER ANUNCIA PERSPECTIVAS DE LONGO PRAZO PARA AVIAÇÃO Estimativas de demanda mundial abrangem os mercados de jatos comerciais e executivos São José dos Campos, 7 de novembro de 2008 A Embraer (BOVESPA:

Leia mais

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. W22 IR4 Super Premium Motor de Indução Trifásico

Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas. W22 IR4 Super Premium Motor de Indução Trifásico Motores Automação Energia Transmissão & Distribuição Tintas Motor de Indução Trifásico -- 2 A WEG em constante inovação amplia sua linha de motores de alta eficiência W22 IR4 SUPER Premium Nas últimas

Leia mais

GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA

GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA O QUE ABORDAREMOS... PANORAMA EÓLICO Um pouco de... Geração de Energia Eólica no Mundo Jorge A. Villar Alé CE-EÓLICA villar@pucrs.br Energia Eólica no Brasil Aspectos tecnológicos 198 milhões de habitantes

Leia mais

Soluções para energia solar fotovoltaica eficiente. Produtos e soluções para residências, edifícios e usinas de energia

Soluções para energia solar fotovoltaica eficiente. Produtos e soluções para residências, edifícios e usinas de energia Soluções para energia solar fotovoltaica eficiente Produtos e soluções para residências, edifícios e usinas de energia Main Power Circuit Alcançando um futuro mais sustentável ajudando você a fazer o máximo

Leia mais

YDRONEWS. 4 MELHOR HISTÓRIA Pequenas Centrais Hidrelétricas, a melhor solução até 30 MW 10 MERCADO HÍDRICO. 11 NOVOS PROJETOS Sogamoso, Colômbia

YDRONEWS. 4 MELHOR HISTÓRIA Pequenas Centrais Hidrelétricas, a melhor solução até 30 MW 10 MERCADO HÍDRICO. 11 NOVOS PROJETOS Sogamoso, Colômbia YDRONEWS No. 18 / 11-2010 REVISTA DA ANDRITZ HYDRO 4 MELHOR HISTÓRIA Pequenas Centrais Hidrelétricas, a melhor solução até 30 MW 10 MERCADO HÍDRICO Geração de energia através das marés 11 NOVOS PROJETOS

Leia mais

Articles about fuel switch portfolio Brazil

Articles about fuel switch portfolio Brazil Articles about fuel switch portfolio Brazil DIÁRIO DE CUIABÁ : Empresa holandesa vai financiar projetos de energia alternativa. O financiamento se dará com a venda de créditos de carbono a partir do aproveitamento

Leia mais

Por que a HEAVYLOAD? GERENCIAMENTO LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS CERTIFICAÇÃO IÇAMENTO E LANÇAMENTO TESTE DE CARGA MOVIMENTAÇÃO CARGAS CARGA MANUTENÇÃO

Por que a HEAVYLOAD? GERENCIAMENTO LOCAÇÃO DE EQUIPAMENTOS CERTIFICAÇÃO IÇAMENTO E LANÇAMENTO TESTE DE CARGA MOVIMENTAÇÃO CARGAS CARGA MANUTENÇÃO Por que a HEAVYLOAD? Possibilidade garantida de contratar um único fornecedor com foco em: Gerenciamento dos Ativos; Desenvolvimento e implementação de novas tecnologias; Centro de Treinamento Próprio

Leia mais

Disciplina: Fontes Alternativas de Energia

Disciplina: Fontes Alternativas de Energia Disciplina: Fontes Alternativas de Parte 1 Fontes Renováveis de 1 Cronograma 1. Fontes renováveis 2. Fontes limpas 3. Fontes alternativas de energia 4. Exemplos de fontes renováveis 1. hidrelétrica 2.

Leia mais

Formas Metálicas Construindo eficiência para toda a vida.

Formas Metálicas Construindo eficiência para toda a vida. Formas Metálicas Construindo eficiência para toda a vida. Matriz - Campinas Rodovia SP 73 - km 10,5 Bairro Três Vendas - CEP: 13033-970 Campinas/SP - Cx. Postal: 3114 (19) 3729-6000 Filial - São Paulo

Leia mais

APIMEC-MG Belo Horizonte 26 de agosto de 2009

APIMEC-MG Belo Horizonte 26 de agosto de 2009 APIMEC-MG Belo Horizonte 26 de agosto de 2009 1 1 Ressalvas As informações e declarações sobre eventos futuros estão sujeitas a riscos e incertezas, as quais têm como base estimativas e suposições da Administração

Leia mais

Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável

Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável Anexo III da Resolução n o 1 da CIMGC Contribuição da Atividade de Projeto para o Desenvolvimento Sustentável I Introdução A atividade de projeto do Projeto de MDL das Usinas Eólicas Seabra, Novo Horizonte

Leia mais

3. Procedimento e Montagem Experimental

3. Procedimento e Montagem Experimental 3. Procedimento e Montagem Experimental O presente trabalho é uma continuação da pesquisa iniciada por Leiroz [14]. A seção de testes usada para nosso estudo de deposição de parafina sob condições de escoamento

Leia mais

Comitê de líderes empresariais da Mobilização Empresarial pela Inovação - MEI. Apresentação do projeto de energia solar de Tanquinho

Comitê de líderes empresariais da Mobilização Empresarial pela Inovação - MEI. Apresentação do projeto de energia solar de Tanquinho Comitê de líderes empresariais da Mobilização Empresarial pela Inovação - MEI Apresentação do projeto de energia solar de Tanquinho 1 1 A CPFL A CPFL é o maior grupo no setor de energia elétrica e tem

Leia mais

ANDRITZ bomba de média consistência Série MC

ANDRITZ bomba de média consistência Série MC ANDRITZ bomba de média consistência Série MC www.andritz.com Máxima eficiência, fácil operação Por mais de 100 anos o nome ANDRITZ tem sido sinônimo de competência e inovação em projetos de bombas centrífugas.

Leia mais

LEILÃO A-3/2015: TOPOLOGIA, PREMISSAS E CRITÉRIOS PARA O CÁLCULO DA CAPACIDADE DE ESCOAMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA PELA REDE BÁSICA, DIT E ICG

LEILÃO A-3/2015: TOPOLOGIA, PREMISSAS E CRITÉRIOS PARA O CÁLCULO DA CAPACIDADE DE ESCOAMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA PELA REDE BÁSICA, DIT E ICG LEILÃO A-3/2015: TOPOLOGIA, PREMISSAS E CRITÉRIOS PARA O CÁLCULO DA CAPACIDADE DE ESCOAMENTO DE ENERGIA ELÉTRICA PELA REDE BÁSICA, Empresa de Pesquisa Energética Av. Rio Branco, 001 - Centro 20090-003

Leia mais

-Torre de tomada d água com dispositivos de comportas e tubulações com diâmetro de 1.200mm;

-Torre de tomada d água com dispositivos de comportas e tubulações com diâmetro de 1.200mm; SISTEMA SUAPE INÍCIO DE OPERAÇÃO DO SISTEMA: 1982 (Inicialmente atendia apenas ao Complexo Industrial de Suape, e, a partir de 1983, passou a ter a configuração atual). UNIVERSO DE ATENDIMENTO: Produz,

Leia mais

EVOLUÇÃO DAS SUBESTAÇÕES

EVOLUÇÃO DAS SUBESTAÇÕES EVOLUÇÃO DAS SUBESTAÇÕES O caminho percorrido pelas subestações de energia elétrica até alcançar as modernas instalações de hoje. 1 Cem anos não são nada se comparados com o tempo em que o homem vem vagando

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 131, DE 11 DE MARÇO DE 2003

RESOLUÇÃO Nº 131, DE 11 DE MARÇO DE 2003 RESOLUÇÃO Nº 131, DE 11 DE MARÇO DE 2003 Dispõe sobre procedimentos referentes à emissão de declaração de reserva de disponibilidade hídrica e de outorga de direito de uso de recursos hídricos, para uso

Leia mais

Chegou Kwara. para o Brasil brilhar cada vez mais

Chegou Kwara. para o Brasil brilhar cada vez mais Chegou Kwara. para o Brasil brilhar cada vez mais Chegou Kwara, uma nova geração em energia. Uma empresa de eficiência energética que presta serviços especializados de manutenção em plantas de geração

Leia mais

Energias Renováveis Tecnologias Integradas com o Sistema Nacional

Energias Renováveis Tecnologias Integradas com o Sistema Nacional Energias Renováveis Tecnologias Integradas com o Sistema Nacional Fimai/Simai/ Câmara Ítalo - Brasileira Elaborada por: Eng. Marcio Takata Novembro/ 2010 Contexto Fonte: Apresentação Solvis Energia - Tendências

Leia mais

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico

MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico MINISTÉRIO DA FAZENDA Secretaria de Acompanhamento Econômico Parecer Técnico n.º 06187/2006/RJ COGAM/SEAE/MF Rio de Janeiro, 17 de maio de 2006 Referência: Ofício nº 2052/2006/SDE/GAB, de 04 de maio de

Leia mais

Parte A - Questões Múltipla Escolha

Parte A - Questões Múltipla Escolha Matriz Energética Professor: Marcio Luiz Magri Kimpara Parte A - Questões Múltipla Escolha LISTA DE EXERCÍCIOS 1 1) Uso de fontes renováveis de energia no mundo. Fonte: Rio de Janeiro: IBGE, 21 O uso de

Leia mais

Capítulo 1 Introdução ao Guia de Ferramentas

Capítulo 1 Introdução ao Guia de Ferramentas Capítulo 1 Introdução ao Guia de Ferramentas 1. OBJETIVO DO GUIA DE FERRAMENTAS Então você está pensando em começar ou expandir um negócio de energia limpa? Este é um guia passo a passo para que seu negócio

Leia mais

4. O Ciclo das Substancias na Termoelétrica Convencional De uma maneira geral todas as substâncias envolvidas na execução do trabalho são o

4. O Ciclo das Substancias na Termoelétrica Convencional De uma maneira geral todas as substâncias envolvidas na execução do trabalho são o 1.Introdução O fenômeno da corrente elétrica é algo conhecido pelo homem desde que viu um raio no céu e não se deu conta do que era aquilo. Os efeitos de uma descarga elétrica podem ser devastadores. Há

Leia mais

FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS S.A. marcelle@furnas.com.br

FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS S.A. marcelle@furnas.com.br FURNAS CENTRAIS ELÉTRICAS S.A. USINAS HIDRELÉTRICAS marcelle@furnas.com.br GERAÇÃO DE ENERGIA ELÉTRICA EMPREENDIMENTOS DO SETOR ELÉTRICO HIDROELETRICOS CGH PCH UHE Potência Instalada < = 1,0 MW 1,0 MW

Leia mais