Distribuição de Freqüências

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Distribuição de Freqüências"

Transcrição

1 Distribuição de Freqüências Por constituir-se o tipo de tabela importante para a Estatística Descritiva, faremos um estudo completo da distribuição de freqüências. Uma distribuição de freqüências condensa um grande número de dados numa tabela, de modo que 100, 200, 500 ou um número qualquer de valores pode ser representado em poucas linhas. É uma série estatística específica em que os dados encontram-se dispostos em classes ou categorias juntamente com suas freqüências correspondentes. Podemos dividir as distribuições de freqüências em dois tipos: Tipo A ou Tipo I Usada para variáveis qualitativas ou quantitativas discretas com poucos valores diferentes. As observações são representadas em uma tabela de freqüências, não agrupadas em classes. Exemplos: número de acidentes de trabalho na Empresa X; quantidade de livros de estatística na biblioteca da UNIFRA. Eis um exemplo de distribuição de freqüências para variável discreta (tipo A): Tabela 1 - Número de acidentes de trabalho em pequenas empresas da cidade de Porto Alegre Número de Acidentes (X i ) Número de Empresas (f i ) ou mais 2 Total 80 X i = identifica as categorias em que o fato se subdivide. f i = corresponde a freqüência absoluta, isto é, o número de vezes que cada uma das categorias ocorre. N = soma dos f i = total de elementos observados na população. n = soma dos f i = total de elementos observados na amostra. Tipo B ou Tipo II Usada para variáveis quantitativas contínuas ou discretas com muitos valores diferentes, sendo as variáveis observadas representadas sob a forma de intervalos. Geralmente esta variável provém de medições. 13

2 Exemplos: peso dos alunos de uma classe; tempo de duração de um transistor; nota de aproveitamento dos alunos. Eis um exemplo de distribuição de freqüências para variável contínua (Tipo B) X = Notas finais de 50 estudantes da disciplina de estatística Então a distribuição de freqüência será expressa pela tabela: Tabela 2 Notas finais dos estudantes da disciplina de Estatística 2009/1 Onde f i é a freqüência absoluta das classes. Notas f i Total Dados Brutos São os dados originais conforme eles foram coletados, não estando, portanto, numericamente organizados ou tabelados. Como exemplo tem-se as 50 notas dos alunos. 2. Rol É uma lista, onde os valores são dispostos em ordem crescente ou decrescente. No exemplo das notas, o rol é: Amplitude Total (H) É a diferença entre o maior valor e o menor valor observado da variável em estudo. 14

3 H = X máx - X mín No nosso caso, a nota maior é 79 é a menor é 0; logo, nossa amplitude total é H = 79-0 = 79. Cumpre observar que, quando não dispusermos dos dados, o cálculo da amplitude se fará levando-se em consideração a diferença entre o limite superior da última classe e o limite inferior da primeira classe. 4. Limites de Classe: São os números extremos de cada intervalo: sendo assim, temos um limite inferior e um superior. Se a primeira classe tiver um intervalo de notas de 0 até 10, o 0 será o limite inferior enquanto que o 10 será o limite superior desta classe. 5. Classe: É cada um dos intervalos em que os dados são agrupados. Existem várias maneiras de apresentarmos o intervalo de classes: iguais ou diferentes entre si. Porém, sempre que possível, deveremos optar por intervalos iguais, o que facilitará os cálculos posteriores. Mas mesmo com intervalos iguais, as distribuições poderão apresentar-se da seguinte forma: 0 10: compreende todos os valores entre 0 e 10, exclusive os extremos. 0 10: compreende todos os valores entre 0 e 10, inclusive os extremos. 0 10: compreende todos os valores entre 0 e 10, inclusive o 10 e exclusive o : compreende todos os valores entre 0 e 10, inclusive o 0 e exclusive o 10. Como optaremos por este último tipo (0 10), poderemos definir como intervalo de classe a diferença entre o limite superior e o limite inferior da classe. Portanto, no exemplo, 10 0 = 10 é o intervalo ou amplitude da classe que será representado pela letra h. 6. Ponto médio das classes (X i ): É a média aritmética entre o limite superior e o limite inferior da classe. Assim, se a classe for 0 10, teremos = 5, que será o ponto médio da 2 classe. 7. Número de Classes Quantas classes serão necessárias para representar o fato? Existem vários critérios que podem ser utilizados a fim de determinar o número de classes, porém tais critérios servirão apenas como indicação e nunca como regra fixa, pois caberá sempre ao pesquisador estabelecer o melhor número, levando-se em conta o intervalo de classe e a facilidade para os posteriores cálculos numéricos. Neste estudo, destacaremos a Fórmula de Sturges, que estabelece que o número de classes K é calculado por: K = 1 + 3,3 log n onde n = número de elementos observados. No nosso exemplo, teríamos: 15

4 K = 1 + 3,3 log n K = 1 + 3,3 log 50 K = 1 + 3,3(1,69897) K = 1 + 5,6 = 6,6 ou arredondando: 7 classes. 8. Amplitude das Classes (h) h = H k No exemplo anterior, a amplitude de cada classe será: amplitude total 79 h = 11,29 12 número de classes 7 Obs. 1: Na amplitude das classes (h), observe que aumentamos uma unidade, não seguindo, portanto, as regras de arredondamento. Esta é uma regra que deve ser sempre seguida no cálculo da amplitude da classe. Você saberia me dizer por quê? Obs. 2: Deve-se conservar o número de casas decimais dos dados observados. Por exemplo, se os dados se referem à massa de indivíduos em kg e forem expressos com uma casa após a vírgula (por exemplo, 60,5 kg), então a amplitude deverá ter uma casa após a vírgula. Obs. 3: Usando o bom-senso e a experiência, poderá ser conveniente, quando possível, a utilização da amplitude de um intervalo de classe igual a 10 ou 5, facilitando as operações posteriores. 9. Freqüência acumulada (F i ): Corresponde à soma das freqüências de determinada classe com as anteriores. No exemplo, a freqüência acumulada da 4 a classe será: f 1 + f 2 + f 3 + f 4 = = Freqüência relativa (f ri ): Corresponde ao quociente entre a freqüência absoluta da classe e o total de elementos. No exemplo, a freqüência relativa da 7 a classe é: f 7 5 f r 7 0,1 n 50 EXERCÍCIOS 01. Uma indústria embala peças em caixas com 100 unidades. O controle de qualidade selecionou 48 caixas na linha de produção e anotou em cada caixa o número de peças defeituosas. Obteve os seguintes dados: Agrupe, por freqüência estes dados. 16

5 02. Abaixo temos o quadro que compõe os dados brutos. Responda: a) Quantas indústrias foram investigadas? b) Qual a menor tempo de produção registrado? c) Qual a maior tempo de produção registrado? d) Qual o tempo de produção diária que detêm o maior numero de indústrias? e) Identifique: X 2 = f 5 = Σ fi = X 8 = n = f 7 = 03. Considere as notas de um teste de inteligência aplicado a alunos de um estabelecimento de ensino: Construa a distribuição de freqüências com intervalo de classes e responda: a) Quantos alunos participaram do teste? b) Qual a menor nota registrada? c) Qual é o numero de classes? d) Qual é a terceira classe? e) Qual é a amplitude total da amostra? f) Qual é a amplitude total da distribuição? g) Qual é o limite superior da quarta classe? h) Qual é o limite inferior da sétima classe? i) Qual é a amplitude da quinta classe? 17

6 04. Complete a tabela de acordo com os cabeçalhos das colunas. QUESTÃO DE UMA PROVA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM AUDITORIA FISCAL. 05. Uma empresa procurou estudar a ocorrência de acidentes com seus empregados e realizou um levantamento por um período de 36 meses. As informações apuradas estão na tabela a seguir: A porcentagem de meses em que houve menos de 5 empregados acidentados é: a) 50% b) 45% c) 35% d) 33% e) 30% 06. Antes de enviar um lote de aparelhos elétricos para venda, o Departamento de Inspeção da empresa produtora selecionou uma amostra casual de 32 aparelhos avaliando o desempenho através de uma medida especifica, obtendo os seguintes resultados: Construa uma tabela de freqüências. 07. Os dados a seguir são de peso (kg) de 80 mulheres. Apresente-os em uma tabela. 18

7 Fonte: Osborn JF. Statistical Exercises in Medical Research. John Wiley & Sons Inc., (adaptado) 8. Os dados abaixo são de um estudo de prevalência de doença cardíaca e investigação de fatores de risco associados de funcionários que trabalham na Bolsa de Valores. Calcular os valores relativos (percentuais). 9. Uma auditoria em uma grande empresa observou o valor de 50 notas fiscais emitidas durante um mês. Esta amostra apresentou os seguintes valores em dólares: Agrupe, por freqüência simples (ou absoluta) e percentual estes dados e monte uma tabela. 11. Gráficos especiais de uma distribuição de freqüência do tipo B: Histograma: É a representação gráfica de uma distribuição de freqüência por meio de retângulos justapostos, cujas alturas são proporcionais às freqüências absolutas e cujas bases correspondem ao intervalo de classe da distribuição. 19

8 f i x Polígono de Freqüências: É um gráfico em linhas formado por de segmentos de retas; os pontos extremos dos segmentos correspondem ao par ordenado formado pelo ponto médio de cada classe da distribuição (eixo x) e pela freqüência absoluta (eixo y). f i x Ogiva: É um gráfico em linhas formado por de segmentos de retas; os pontos extremos dos segmentos correspondem ao par ordenado formado pelo limite inferior de cada classe (eixo x) e pela freqüência acumulada (eixo y). F i x 20

Distribuição de freqüência

Distribuição de freqüência Curso: Logística e Transportes Disciplina: Estatística Profa. Eliane Cabariti Distribuição de freqüência Dados brutos e rol Como já estudamos, o conjunto de dados numéricos obtidos após a crítica dos valores

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA SÉRIES, TABELAS E GRÁFICOS ESTATÍSTICOS Departamento de Estatística Tarciana Liberal TABELAS TABELAS TABELAS TABELAS TABELAS SÉRIES ESTATÍSTICAS Um gerente de produção da

Leia mais

QUALITATIVA VARIÁVEL QUANTITATIVA

QUALITATIVA VARIÁVEL QUANTITATIVA NOMINAL ORDINAL QUALITATIVA VARIÁVEL QUANTITATIVA DISCRETA CONTÍNUA - Variável qualitativa nominal = valores que expressam atributos, sem nenhum tipo de ordem. Ex: cor dos olhos, sexo, estado civil, presença

Leia mais

Apresentação de Dados em Tabelas e Gráficos

Apresentação de Dados em Tabelas e Gráficos Apresentação de Dados em Tabelas e Gráficos Os dados devem ser apresentados em tabelas construídas de acordo com as normas técnicas ditadas pela Fundação Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística

Leia mais

ESTATÍSTICA. Prof. Ari Antonio, Me. Ciências Econômicas. Unemat Sinop 2012

ESTATÍSTICA. Prof. Ari Antonio, Me. Ciências Econômicas. Unemat Sinop 2012 ESTATÍSTICA Prof. Ari Antonio, Me Ciências Econômicas Unemat Sinop 2012 1. Introdução Concepções de Estatística: 1. Estatísticas qualquer coleção consistente de dados numéricos reunidos a fim de fornecer

Leia mais

Nome: Nº- Série/Ano: Turma: Nível: Matrícula Nº: Data: / / ANÁLISE DE DADOS E INDICADORES SOCIAIS TABULAÇÃO

Nome: Nº- Série/Ano: Turma: Nível: Matrícula Nº: Data: / / ANÁLISE DE DADOS E INDICADORES SOCIAIS TABULAÇÃO Nome: Nº- Série/Ano: Turma: Nível: Matrícula Nº: Data: / / Professores: Eliton Mendes Variável ANÁLISE DE DADOS E INDICADORES SOCIAIS TABULAÇÃO É o objeto da pesquisa. É aquilo que estamos investigando.

Leia mais

AT = X MÁX - X MÍN. Σ F i =n

AT = X MÁX - X MÍN. Σ F i =n UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA DISTRIBUIÇÃO DE FREQUÊNCIA Departamento de Estatística Luiz Medeiros http://www.de.ufpb.br/~luiz/ DISTRIBUIÇÃO DE FREQUÊNCIA Quando se estuda uma massa de dados é de frequente

Leia mais

Estatística Aplicada ao Serviço Social

Estatística Aplicada ao Serviço Social Estatística Aplicada ao Serviço Social Prof a. Juliana Freitas Pires Departamento de Estatística Universidade Federal da Paraíba - UFPB juliana@de.ufpb.br Introdução O que é Estatística? Coleção de métodos

Leia mais

Distribuição de Freqüência

Distribuição de Freqüência Distribuição de Freqüência Representação do conjunto de dados Distribuições de freqüência Freqüência relativa Freqüência acumulada Representação Gráfica Histogramas Organização dos dados Os métodos utilizados

Leia mais

Curso: Logística e Transportes Disciplina: Estatística Profa. Eliane Cabariti

Curso: Logística e Transportes Disciplina: Estatística Profa. Eliane Cabariti Curso: Logística e Transportes Disciplina: Estatística Profa. Eliane Cabariti Medidas de Posição Depois de se fazer a coleta e a representação dos dados de uma pesquisa, é comum analisarmos as tendências

Leia mais

EXERCÍCIOS EXERCÍCIOS. Definições Básicas. Definições Básicas. Definições Básicas. Introdução à Estatística. Dados: valores de variáveis observadas.

EXERCÍCIOS EXERCÍCIOS. Definições Básicas. Definições Básicas. Definições Básicas. Introdução à Estatística. Dados: valores de variáveis observadas. Definições Básicas Introdução à Estatística ESTATÍSTICA: estudo dos métodos para coletar, organizar, apresentar e analisar dados. População: conjunto constituído por todos os indivíduos que apresentem

Leia mais

MÉDIA ARITMÉTICA MÉDIA PONDERADA MODA MEDIANA

MÉDIA ARITMÉTICA MÉDIA PONDERADA MODA MEDIANA MÉDIA ARITMÉTICA MÉDIA PONDERADA MODA MEDIANA Em um amostra, quando se têm os valores de uma certa característica, é fácil constatar que os dados normalmente não se distribuem uniformemente, havendo uma

Leia mais

Probabilidade. Renata Souza. Introdução. Tabelas Estatísticas. População, Amostra e Variáveis. Gráficos e Distribuição de Freqüências

Probabilidade. Renata Souza. Introdução. Tabelas Estatísticas. População, Amostra e Variáveis. Gráficos e Distribuição de Freqüências Probabilidade Introdução Tabelas Estatísticas População, Amostra e Variáveis Gráficos e Distribuição de Freqüências Renata Souza Conceitos Antigos de Estatística stica a) Simples contagem aritmética Ex.:

Leia mais

UNIDADE II TABELAS E GRÁFICOS

UNIDADE II TABELAS E GRÁFICOS UNIDADE II TABELAS E GRÁFICOS Conteúdo Programático Construção de tabelas de freqüência Classificação dos gráficos Construção de gráficos de: Barras Setores Histograma Agora vamos assistir a uma Apresentação

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIAS

DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIAS DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIAS 1 Dados Brutos: são os dados tomados como eles são, de forma desorganizada. Indica-se por x i Rol: são os dados organizados em ordem crescente ou decrescente. Tamanho da amostra:

Leia mais

ActivALEA. active e actualize a sua literacia

ActivALEA. active e actualize a sua literacia ActivALEA active e actualize a sua literacia N.º 25 HIISTOGRAMA Por: Maria Eugénia Graça Martins Departamento de Estatística e Investigação Operacional da FCUL memartins@fc.ul.pt Emília Oliveira Escola

Leia mais

Estatística: Conceitos e Organização de Dados. Introdução Conceitos Método Estatístico Dados Estatísticos Tabulação de Dados Gráficos

Estatística: Conceitos e Organização de Dados. Introdução Conceitos Método Estatístico Dados Estatísticos Tabulação de Dados Gráficos Estatística: Conceitos e Organização de Dados Introdução Conceitos Método Estatístico Dados Estatísticos Tabulação de Dados Gráficos Introdução O que é Estatística? É a parte da matemática aplicada que

Leia mais

Faculdade Tecnológica de Carapicuíba Tecnologia em Logística Ênfase em Transportes Notas da Disciplina de Estatística (versão 3.

Faculdade Tecnológica de Carapicuíba Tecnologia em Logística Ênfase em Transportes Notas da Disciplina de Estatística (versão 3. Faculdade Tecnológica de Carapicuíba Tecnologia em Logística Ênfase em Transportes Notas da Disciplina de Estatística (versão 3.1) Estatística Séries Estatística Uma série estatística define-se como toda

Leia mais

Omatematico.com ESTATÍSTICA DESCRITIVA

Omatematico.com ESTATÍSTICA DESCRITIVA Omatematico.com ESTATÍSTICA DESCRITIVA 1. Classifique as variáveis abaixo: (a) Tempo para fazer um teste. (b) Número de alunos aprovados por turma. (c) Nível sócio-econômico (d) QI (Quociente de inteligência).

Leia mais

Num cilindro as bases são círculos. O perímetro do círculo é igual ao comprimento da circunferência que limita o círculo.

Num cilindro as bases são círculos. O perímetro do círculo é igual ao comprimento da circunferência que limita o círculo. 1. Círculos e cilindros 1.1. Planificação da superfície de um cilindro Num cilindro as bases são círculos. O perímetro do círculo é igual ao comprimento da circunferência que limita o círculo. A planificação

Leia mais

BIOESTATÍSTICA ESTATÍSTICA DESCRITIVA: Representação Gráfica

BIOESTATÍSTICA ESTATÍSTICA DESCRITIVA: Representação Gráfica BIOESTATÍSTICA ESTATÍSTICA DESCRITIVA: Representação Gráfica Guilherme Peña Cespedes Departamento de Estatística Universidade Federal do Amazonas Manaus, AM - Brasil Utilizamos ferramentas gráficas para

Leia mais

CRITÉRIOS PARA A DETERMINAÇÃO DOS INTERVALOS DE CLASSE

CRITÉRIOS PARA A DETERMINAÇÃO DOS INTERVALOS DE CLASSE CRITÉRIOS PARA A DETERMINAÇÃO DOS INTERVALOS DE CLASSE Número de classes a considerar (k): a) Tabela de Truman L. Kelley n 5 10 25 50 100 200 500 1000 k 2 4 6 8 10 12 15 15 b) k=5 para n 25 e para n >25.

Leia mais

Capítulo 5 Representações gráficas para variáveis quantitativas

Capítulo 5 Representações gráficas para variáveis quantitativas Capítulo 5 Representações gráficas para variáveis quantitativas Introdução Até o capítulo passado, você aprendeu a sintetizar dados a partir de um conjunto desordenado de dados, identificando a quantidade

Leia mais

Fundamentos de Estatística Aplicada Módulo I: Estatística Descritiva

Fundamentos de Estatística Aplicada Módulo I: Estatística Descritiva Universidade Federal Fluminense Instituto de Matemática e Estatística Fundamentos de Estatística Aplicada Módulo I: Estatística Descritiva Ana Maria Lima de Farias Departamento de Estatística Conteúdo

Leia mais

NOÇÕES BÁSICAS DE ESTATÍSTICA

NOÇÕES BÁSICAS DE ESTATÍSTICA Curso de Capacitação em Epidemiologia Básica e Análise da Situação de Saúde Ministério da Saúde Secretaria de Vigilância em Saúde NOÇÕES BÁSICAS DE ESTATÍSTICA Gleice Margarete de Souza Conceição Airlane

Leia mais

4Distribuição de. freqüência

4Distribuição de. freqüência 4Distribuição de freqüência O objetivo desta Unidade é partir dos dados brutos, isto é, desorganizados, para uma apresentação formal. Nesse percurso, seção 1, destacaremos a diferença entre tabela primitiva

Leia mais

Universidade Federal da Paraíba Departamento de Estatística 1 a. Lista de Exercícios de Estatística III 2005.2

Universidade Federal da Paraíba Departamento de Estatística 1 a. Lista de Exercícios de Estatística III 2005.2 1) Defina com as suas palavras: Universidade Federal da Paraíba Departamento de Estatística 1 a. Lista de Exercícios de Estatística III 2005.2 a) Estatística b) População c) Amostra d) Parâmetro e) Estimador

Leia mais

Preparação para a Prova Final de Matemática 2.º Ciclo do Ensino Básico Olá, Matemática! 6.º Ano

Preparação para a Prova Final de Matemática 2.º Ciclo do Ensino Básico Olá, Matemática! 6.º Ano Organização e tratamento de dados Representação e interpretação de dados Formulação de questões Natureza dos dados Tabelas de frequências absolutas e relativas Gráficos de barras, circulares, de linha

Leia mais

Estatística Aplicada. Gestão de TI. Evanivaldo Castro Silva Júnior

Estatística Aplicada. Gestão de TI. Evanivaldo Castro Silva Júnior Gestão de TI Evanivaldo Castro Silva Júnior Porque estudar Estatística em um curso de Gestão de TI? TI trabalha com dados Geralmente grandes bases de dados Com grande variabilidade Difícil manipulação,

Leia mais

CURSO ONLINE REGULAR ESTATÍSTICA BÁSICA PROF. SÉRGIO CARVALHO AULA 13 RELAÇÃO DOS EXERCÍCIOS FINAIS

CURSO ONLINE REGULAR ESTATÍSTICA BÁSICA PROF. SÉRGIO CARVALHO AULA 13 RELAÇÃO DOS EXERCÍCIOS FINAIS Olá, amigos! AULA 13 RELAÇÃO DOS EXERCÍCIOS FINAIS Ainda não é chegada nossa aula derradeira! Sei que muitos estão chateados e com toda a razão do mundo pelo atraso destas últimas aulas. Noutra ocasião

Leia mais

LISTA DE MATEMÁTICA. Aluno(a): Nº. 1. Determinada editora pesquisou o número de páginas das revistas mais vendidas em uma cidade.

LISTA DE MATEMÁTICA. Aluno(a): Nº. 1. Determinada editora pesquisou o número de páginas das revistas mais vendidas em uma cidade. LISTA DE MATEMÁTICA Aluno(a): Nº. Professor: Rosivane Série: 2 ano Disciplina: Matematica Data da prova: Pré Universitário Uni-Anhanguera MEDIDAS DE DISPERSÃO 1. Determinada editora pesquisou o número

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA TABELAS E GRÁFICOS Departamento de Estatística Luiz Medeiros Tabela de dados multidimensionais Até agora vimos como organizar, resumir e descrever informações referentes

Leia mais

A Estatística, um ramo da Matemática, é aplicada em diferentes áreas, como Administração, Engenharia, Medicina, Psicologia, Ciências Sociais etc.

A Estatística, um ramo da Matemática, é aplicada em diferentes áreas, como Administração, Engenharia, Medicina, Psicologia, Ciências Sociais etc. ESTATÍSTICA DESCRITIVA MÓDULO 1 - INTRODUÇÃO À ESTATÍSTICA DESCRITIVA A Estatística, um ramo da Matemática, é aplicada em diferentes áreas, como Administração, Engenharia, Medicina, Psicologia, Ciências

Leia mais

Capítulo 7 Medidas de dispersão

Capítulo 7 Medidas de dispersão Capítulo 7 Medidas de dispersão Introdução Para a compreensão deste capítulo, é necessário que você tenha entendido os conceitos apresentados nos capítulos 4 (ponto médio, classes e frequência) e 6 (média).

Leia mais

1. Tipos de variáveis e organização dos dados

1. Tipos de variáveis e organização dos dados 1. Tipos de variáveis e organização dos dados 2012 1.1 ARREDONDAMENTO Algarismo significativo é qualquer algarismo sobre o qual temos certeza na sua determinação. Em inglês: significant digit ou significant

Leia mais

Aulas de Estatística / Prof. Jones Garcia da Mata / www.professorjones.hpg.com.br. Sumário

Aulas de Estatística / Prof. Jones Garcia da Mata / www.professorjones.hpg.com.br. Sumário Capítulo 1: Introdução à Estatística Definição de estatística Sumário É uma ciência que envolve um corpo de técnicas e uma metodologia desenvolvida para a coleta, a tabulação, a classificação e simplificação

Leia mais

ESTATÍSTICA. aula 1. Insper Ibmec São Paulo. Prof. Dr. Marco Antonio Leonel Caetano

ESTATÍSTICA. aula 1. Insper Ibmec São Paulo. Prof. Dr. Marco Antonio Leonel Caetano ESTATÍSTICA aula 1 Prof. Dr. Marco Antonio Leonel Caetano Insper Ibmec São Paulo ESTATÍSTICA COISAS DO ESTADO ESTATÍSTICA: - Apresentação e Análise de dados - Tomadas de Decisões baseadas em análises -

Leia mais

ESTATÍSTICA. Professor: Ricardo Vojta

ESTATÍSTICA. Professor: Ricardo Vojta ESTATÍSTICA Ciências Contábeis Professor: Ricardo Vojta RAMOS DA ESTATÍSTICA A estatística dedutiva (também conhecida como Estatística Descritiva) se encarrega de descrever o conjunto de dado desde a elaboração

Leia mais

6) Estatística Gráfica:

6) Estatística Gráfica: Estatística Descritiva Básica prof. Ilydio Pereira de Sá 36 UNIDADE II: ESTATÍSTICA GRÁFICA E MEDIDAS DE POSIÇÃO OU TENDÊNCIA CENTRAL Gráficos: barras, colunas, histogramas e polígonos de freqüências.

Leia mais

Revisão de Estatística Básica:

Revisão de Estatística Básica: Revisão de Estatística Básica: Estatística: Um número é denominado uma estatística (singular). Ex.: As vendas de uma empresa no mês constituem uma estatística. Estatísticas: Uma coleção de números ou fatos

Leia mais

FSP/USP. HEP5800 Bioestatística_2011 Denise Pimentel Bergamaschi

FSP/USP. HEP5800 Bioestatística_2011 Denise Pimentel Bergamaschi Aula 1 - Excel Assuntos que serão vistos no Excel 1- Cálculo de porcentagem simples e acumulada; construção de tabelas 2- Construção de gráficos 2.1 Diagrama de barras (uma variável) 2.2 Diagrama linear

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE MATEMÁTICA 1 a LISTA DE EXERCÍCIOS Bioestatística Professor: Ednaldo Carvalho Guimarães

UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE MATEMÁTICA 1 a LISTA DE EXERCÍCIOS Bioestatística Professor: Ednaldo Carvalho Guimarães UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA FACULDADE DE MATEMÁTICA a LISTA DE EXERCÍCIOS Bioestatística Professor: Ednaldo Carvalho Guimarães ) Um pesquisador obteve os seguintes valores de umidade (%) em casa

Leia mais

CURSO ON-LINE PROFESSOR GUILHERME NEVES

CURSO ON-LINE PROFESSOR GUILHERME NEVES Olá pessoal! Neste ponto resolverei a prova de Matemática Financeira e Estatística para APOFP/SEFAZ-SP/FCC/2010 realizada no último final de semana. A prova foi enviada por um aluno e o tipo é 005. Os

Leia mais

Análise Exploratória de Dados

Análise Exploratória de Dados Análise Exploratória de Dados Profª Alcione Miranda dos Santos Departamento de Saúde Pública UFMA Programa de Pós-graduação em Saúde Coletiva email: alcione.miranda@gmail.com Introdução O primeiro passo

Leia mais

MÓDULO 1. I - Estatística Básica

MÓDULO 1. I - Estatística Básica MÓDULO 1 I - 1 - Conceito de Estatística Estatística Técnicas destinadas ao estudo quantitativo de fenômenos coletivos e empíricamente observáveis. Unidade Estatística nome dado a cada observação de um

Leia mais

sequência: elemento m d =8 distribuição: x i f i Solução tabela frequências com as F i tabela com as Posição da d mediana Em ocorreram Bertolo igual

sequência: elemento m d =8 distribuição: x i f i Solução tabela frequências com as F i tabela com as Posição da d mediana Em ocorreram Bertolo igual Exercícios sobre Mediana. Formando o ROL, temos:. Interprete os valores obtidos no exercício anterior a. 0% dos valores da série são menores iguaiss a e 0% são valores maiores iguais a. b. 0% dos valores

Leia mais

Resoluções comentadas das questões de Estatística da prova para. ANALISTA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS E METAS da PREFEITURA/RJ

Resoluções comentadas das questões de Estatística da prova para. ANALISTA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS E METAS da PREFEITURA/RJ Resoluções comentadas das questões de Estatística da prova para ANALISTA DE GERENCIAMENTO DE PROJETOS E METAS da PREFEITURA/RJ Realizada pela Fundação João Goulart em 06/10/2013 41. A idade média de todos

Leia mais

Estatística e Probabilidade

Estatística e Probabilidade Estatística e Probabilidade Aula 2 Cap 02 Estatística Descritiva Neste capítulo... estudaremos formas de organizar e descrever conjuntos de dados. O objetivo é tornar os dados mais compreensíveis de modo

Leia mais

Ferramentas da Qualidade. Professor: Fabrício Maciel Gomes fmgomes@usp.br

Ferramentas da Qualidade. Professor: Fabrício Maciel Gomes fmgomes@usp.br Ferramentas da Qualidade Professor: Fabrício Maciel Gomes fmgomes@usp.br ABORDAGENS DA QUALIDADE ABORDAGENS DA QUALIDADE Desde que a Qualidade se tornou um atributo do processo produtivo, ela vem sendo

Leia mais

PROCEDIMENTOS PARA REALIZAÇÃO DE INVENTÁRIO FÍSICO - ESTOQUES

PROCEDIMENTOS PARA REALIZAÇÃO DE INVENTÁRIO FÍSICO - ESTOQUES PROCEDIMENTOS PARA REALIZAÇÃO DE INVENTÁRIO FÍSICO - ESTOQUES I INTRODUÇÃO A finalidade destas instruções é determinar os procedimentos básicos para a contagem de inventário. É necessária sua estrita observância

Leia mais

1. Registou-se o número de assoalhadas da população de 100 apartamentos vendidos num bairro residencial

1. Registou-se o número de assoalhadas da população de 100 apartamentos vendidos num bairro residencial Escola Superior de Tecnologia de Viseu Fundamentos de Estatística 2010/2011 Ficha nº 1 1. Registou-se o número de assoalhadas da população de 100 apartamentos vendidos num bairro residencial 0; 0; 0; 1;

Leia mais

ESTATÍSTICA. O que é Estatística? É o ramo da Matemática que se encarrega de coletar dados sobre determinado assunto,

ESTATÍSTICA. O que é Estatística? É o ramo da Matemática que se encarrega de coletar dados sobre determinado assunto, ESTATÍSTICA O que é Estatística? É o ramo da Matemática que se encarrega de coletar dados sobre determinado assunto, organizá-los e expôlos na forma de tabelas ou gráficos. Apresentando uma estatística

Leia mais

Lista de Exercícios 2ª Série Estatística Amanda

Lista de Exercícios 2ª Série Estatística Amanda Lista de Exercícios 2ª Série Estatística Amanda 1) O diabetes, doença relacionada ai nível de glicose no sangue, geralmente tem como sintomas: muita sede, vontade de urinar diversas vezes, perda de peso,

Leia mais

Universidade Federal Fluminense

Universidade Federal Fluminense Universidade Federal Fluminense INSTITUTO DE MATEMÁTICA E ESTATÍSTICA DEPARTAMENTO DE ESTATÍSTICA ESTATÍSTICA V Lista 9: Intervalo de Confiança. 1. Um pesquisador está estudando a resistência de um determinado

Leia mais

Centro Universitário Franciscano Material elaborado por: Professora Leandra Anversa Fioreze e Professor Clandio Timm Marques.

Centro Universitário Franciscano Material elaborado por: Professora Leandra Anversa Fioreze e Professor Clandio Timm Marques. Conceitos Introdutórios 1. Definindo Estatística: Ciência que fornece métodos para a coleta, organização, descrição, análise e interpretação de dados, utilizando-os na tomada de decisões. 2. Divisão da

Leia mais

Universidade de São Paulo/Faculdade de Saúde Pública Curso de Saúde Pública Disciplina: HEP 147 Informática I. Aula Excel

Universidade de São Paulo/Faculdade de Saúde Pública Curso de Saúde Pública Disciplina: HEP 147 Informática I. Aula Excel Universidade de São Paulo/Faculdade de Saúde Pública Curso de Saúde Pública Disciplina: HEP 147 Informática I Aula Excel O que é o Excel? O Excel é um aplicativo Windows - uma planilha eletrônica - que

Leia mais

Leia o texto abaixo para resolver as questões sobre população e amostra.

Leia o texto abaixo para resolver as questões sobre população e amostra. Leia o texto abaixo para resolver as questões sobre população e amostra. População e amostra População e amostra referem-se ao conjunto de entes cujas propriedades desejamos averiguar. População estatística

Leia mais

Lista de Exercícios 1 - Estatística Descritiva

Lista de Exercícios 1 - Estatística Descritiva 1. O arquivo satisfaçãocomuniversidade.xlsx contém informações de uma amostra de 400 alunos de uma universidade. Deseja-se construir um histograma para a variável desempenho acadêmico, com intervalos de

Leia mais

Distribuição de Frequência

Distribuição de Frequência Distribuição de Frequência Tabela de requências Tabela de classiicação simples Tabela de classiicação cruzada Representação gráica Histograma Polígono de requências Distribuição de requências e gráicos

Leia mais

http://www.de.ufpb.br/~luiz/

http://www.de.ufpb.br/~luiz/ UNIVERSIDADE FEDERAL DA PARAÍBA MEDIDAS DESCRITIVAS Departamento de Estatística Luiz Medeiros http://www.de.ufpb.br/~luiz/ Vimos que é possível sintetizar os dados sob a forma de distribuições de frequências

Leia mais

Matemática Financeira Módulo 2

Matemática Financeira Módulo 2 Fundamentos da Matemática O objetivo deste módulo consiste em apresentar breve revisão das regras e conceitos principais de matemática. Embora planilhas e calculadoras financeiras tenham facilitado grandemente

Leia mais

ESTATÍSTICA. Exemplos: 01. Mergulhar a ponta do pé na água para avaliar a temperatura da piscina, 02. Folhear um livro.

ESTATÍSTICA. Exemplos: 01. Mergulhar a ponta do pé na água para avaliar a temperatura da piscina, 02. Folhear um livro. ESTATÍSTICA Estatística é a parte da matemática aplicada que fornece métodos para a coleta, organização, descrição, análise e interpretação de dados e para a utilização dos mesmos na tomada de decisões.

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE MATEMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE MATEMÁTICA

UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE MATEMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE MATEMÁTICA UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL INSTITUTO DE MATEMÁTICA PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM ENSINO DE MATEMÁTICA Uma Sequência Didática Para O Ensino De Estatística A Alunos Do Ensino Médio Na Modalidade

Leia mais

Usando o Excel para construir a Tabela de Distribuição de Freqüência

Usando o Excel para construir a Tabela de Distribuição de Freqüência Usando o Excel para construir a Tabela de Distribuição de Freqüência Uma empresa fabricante de lâmpadas deseja testar uma parte de sua produção. Selecionou 60 lâmpadas de 100W e deixou-as ligadas te que

Leia mais

Estatística Básica Usando o R

Estatística Básica Usando o R UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA ELÉTRICA Histogram of rnorm(10000, 0, 1) Frequency 0 500 1000 1500 2000 4 2 0 2 4 rnorm(10000, 0, 1) Estatística Básica Usando o R http://geocities.yahoo.com.br/augustofilho

Leia mais

CURSO ON-LINE PROFESSOR GUILHERME NEVES 1

CURSO ON-LINE PROFESSOR GUILHERME NEVES 1 CURSO ON-LINE PROFESSOR GUILHERME NEVES 1 Olá pessoal! Resolverei neste ponto a prova de Matemática e Estatística para Técnico Administrativo para o BNDES 2008 organizado pela CESGRANRIO. Sem mais delongas,

Leia mais

Estatística Descritiva

Estatística Descritiva Estatística Descritiva Como construir uma distribuição de freqüências. Como construir gráficos de freqüências. Como encontrar medidas de tendência central. Como encontrar medidas de variabilidade. Como

Leia mais

Representação gráfica

Representação gráfica Metodologia de Diagnóstico e Elaboração de Relatório FASHT Representação gráfica Profª Cesaltina Pires cpires@uevora.pt Plano da Apresentação Dados qualitativos Gráficos de barras Gráficos circulares Diagrama

Leia mais

Disciplina Estatística Prof. Msc Quintiliano Siqueira Schroden Nomelini LISTA DE DSITRIBUIÇÕES DE PROBABILIDADE DISTRIBUIÇÕES DISCRETAS

Disciplina Estatística Prof. Msc Quintiliano Siqueira Schroden Nomelini LISTA DE DSITRIBUIÇÕES DE PROBABILIDADE DISTRIBUIÇÕES DISCRETAS Disciplina Estatística Prof. Msc Quintiliano Siqueira Schroden Nomelini LISTA DE DSITRIBUIÇÕES DE PROBABILIDADE DISTRIBUIÇÕES DISCRETAS 1) Devido às altas taxas de juros, uma firma informa que 30% de suas

Leia mais

Oitava Lista de Exercícios Assuntos: Estatística Descritiva

Oitava Lista de Exercícios Assuntos: Estatística Descritiva Oitava Lista de Exercícios Assuntos: Estatística Descritiva 1. (Apostila 4 - ex.2.7) Na Tabela abaixo tem-se as médias dos alunos de 2 turmas de Introdução à Estatística Econômica da Faculdade de Economia

Leia mais

DISTRIBUIÇÃO NORMAL 1

DISTRIBUIÇÃO NORMAL 1 DISTRIBUIÇÃO NORMAL 1 D ensid ade Introdução Exemplo : Observamos o peso, em kg, de 1500 pessoas adultas selecionadas ao acaso em uma população. O histograma por densidade é o seguinte: 0.04 0.03 0.02

Leia mais

Estatística I Aula 1. Prof.: Patricia Maria Bortolon, D. Sc.

Estatística I Aula 1. Prof.: Patricia Maria Bortolon, D. Sc. Estatística I Aula 1 Prof.: Patricia Maria Bortolon, D. Sc. Estatística Estatística

Leia mais

Estatística. Prof. Ednaldo Carvalho Guimarães

Estatística. Prof. Ednaldo Carvalho Guimarães Mestrado em Ciências Veterinárias Prof. Ednaldo Carvalho Guimarães Doutor pela UNICAMP Mestre pela UNICAMP Graduação UFLA www.famat.ufu.br Email: ecg@ufu.br Objetivos da Disciplina Planejar experimentos

Leia mais

Pesquisa Aplicada à Estatística

Pesquisa Aplicada à Estatística Pesquisa Aplicada à Estatística Tatiene Correia de Souza / UFPB tatiene@de.ufpb.br September 14, 2014 Souza () Pesquisa Aplicada à Estatística September 14, 2014 1 / 23 Estatística: ideias gerais O que

Leia mais

Tópico 8. Aula Prática: Movimento retilíneo uniforme e uniformemente variado (Trilho de ar)

Tópico 8. Aula Prática: Movimento retilíneo uniforme e uniformemente variado (Trilho de ar) Tópico 8. Aula Prática: Movimento retilíneo uniforme e uniformemente variado (Trilho de ar) 1. OBJETIVOS DA EXPERIÊNCIA 1) Esta aula experimental tem como objetivo o estudo do movimento retilíneo uniforme

Leia mais

Aula 7 Medidas de Tendência Central 2ª parte

Aula 7 Medidas de Tendência Central 2ª parte 1 Estatística e Probabilidade Aula 7 Medidas de Tendência Central 2ª parte Professor Luciano Nóbrega Medidas de posição Resumo Média aritmética ( x ) É a razão entre o somatório dos valores das variáveis

Leia mais

CURSOS ON-LINE - ESTATÍSTICA BÁSICA CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO CARVALHO AULA 02

CURSOS ON-LINE - ESTATÍSTICA BÁSICA CURSO REGULAR PROFESSOR SÉRGIO CARVALHO AULA 02 Olá, amigos! AULA 02 Tudo bem com vocês? E aí, revisaram a aula passada? Espero que sim. Bem como espero que tenham resolvido as questões que ficaram pendentes! A propósito, vamos iniciar nossa aula de

Leia mais

AULA INAUGURAL QUESTÕES DO ENEM ESTATÍSTICA. ETAPA SÉRIE ENSINO TURNO PROFESSORES 2ª 3ª Médio M/T

AULA INAUGURAL QUESTÕES DO ENEM ESTATÍSTICA. ETAPA SÉRIE ENSINO TURNO PROFESSORES 2ª 3ª Médio M/T MATEMÁTICA 2014 UNIDADE BH SÉRIES FINAIS AULA INAUGURAL QUESTÕES DO ENEM ESTATÍSTICA ETAPA SÉRIE ENSINO TURNO PROFESSORES 2ª 3ª Médio M/T Aluno(a): Nº: Turma: QUESTÃO 01 ENEM 2009 (prova cancelada) Cinco

Leia mais

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Faculdade de Arquitetura e Urbanismo UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Faculdade de Arquitetura e Urbanismo DISTRIBUIÇÃO AMOSTRAL ESTIMAÇÃO AUT 516 Estatística Aplicada a Arquitetura e Urbanismo 2 DISTRIBUIÇÃO AMOSTRAL Na aula anterior analisamos

Leia mais

Este Procedimento Operacional Padrão define as etapas necessárias de como fazer o Cadastro de Avisos Automáticos no Sistema TOTVS RM.

Este Procedimento Operacional Padrão define as etapas necessárias de como fazer o Cadastro de Avisos Automáticos no Sistema TOTVS RM. Este Procedimento Operacional Padrão define as etapas necessárias de como fazer o Cadastro de Avisos Automáticos no Sistema TOTVS RM. Índice I. Acesso ao Cadastro... 2 II. Parâmetros da Coligada Atual...

Leia mais

AULAS 04 E 05 Estatísticas Descritivas

AULAS 04 E 05 Estatísticas Descritivas 1 AULAS 04 E 05 Estatísticas Descritivas Ernesto F. L. Amaral 19 e 28 de agosto de 2010 Metodologia de Pesquisa (DCP 854B) Fonte: Triola, Mario F. 2008. Introdução à estatística. 10 ª ed. Rio de Janeiro:

Leia mais

Apostila para o minicurso. Estatística Básica. Usando o

Apostila para o minicurso. Estatística Básica. Usando o Apostila para o minicurso Estatística Básica Usando o Professor José Cardoso Neto Departamento de Estatística ICE/UFAM 1. Sumário 1. Conceitos fundamentais 1.1. A estatística e sua importância 1.2. População

Leia mais

Atividade 4 - Acerte no alvo

Atividade 4 - Acerte no alvo Atividade 4 - Acerte no alvo 1. Justificativa Para entender um processo estatístico, é possível criar um experimento em que os alunos possam vivenciá-lo, organizando, selecionando, interpretando e criticando

Leia mais

Índice de Exercícios. Exercício 1.

Índice de Exercícios. Exercício 1. Índice de Exercícios Exercício 1...1 Exercício 2...2 Exercício 3...4 Exercício 4...7 Exercício 5. (Ficha de trabalho de Metrologia e Qualidade módulo 4)...8 Exercício 6. (Ficha de trabalho de Metrologia

Leia mais

2008 mdsaraiv@umich.edu. Mini-manual do SAS

2008 mdsaraiv@umich.edu. Mini-manual do SAS Mini-manual do SAS Este mini-manual do SAS tem a finalidade de apenas ensinar alguns comandos de estatísticas comuns e dar possibilidade de se iniciar a manusear dados. Abrindo o SAS A inteface do SAS

Leia mais

MEDIDAS DE DISPERSÃO

MEDIDAS DE DISPERSÃO MEDIDAS DE DISPERSÃO 1) (PETROBRAS) A variância da lista (1; 1; 2; 4) é igual a: a) 0,5 b) 0,75 c) 1 d) 1,25 e) 1,5 2) (AFPS ESAF) Dada a seqüência de valores 4, 4, 2, 7 e 3 assinale a opção que dá o valor

Leia mais

Passo a Passo do Cadastro Produtos no SIGLA Digital

Passo a Passo do Cadastro Produtos no SIGLA Digital Página 1 de 15 Passo a Passo do Cadastro Produtos no SIGLA Digital O cadastro de produtos permite organizar as informações relativas a produtos e serviços, como grupo, marca, peso, unidades e outros, que

Leia mais

Curva ABC. Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar Centro Cascavel PR www.tecinco.com.br

Curva ABC. Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar Centro Cascavel PR www.tecinco.com.br Curva ABC Tecinco Informática Ltda. Av. Brasil, 5256 3º Andar Centro Cascavel PR www.tecinco.com.br Sumário Introdução... 3 Utilização no sistema TCar-Win... 3 Configuração da curva ABC... 4 Configuração

Leia mais

Estatística Usando EXCEL

Estatística Usando EXCEL Universidade Federal de Minas Gerais Instituto de Ciências Exatas Departamento de Estatística Estatística Usando EXCEL Distribuição de alunos segundo idade e sexo > =23 60% 40% 21 ---23 67% 33% 19 ---21

Leia mais

NOTAS DE AULA Capítulo 1 Introdução à Análise Exploratória de dados

NOTAS DE AULA Capítulo 1 Introdução à Análise Exploratória de dados NOTAS DE AULA Capítulo 1 Introdução à Análise Exploratória de dados 1) Estatística: o O que é? o Para que serve? o Qual a importância para o meu trabalho? o Qual a importância no dia a dia?? 2) Abordagem:

Leia mais

Mozart de Melo Alves Júnior

Mozart de Melo Alves Júnior 2000 Mozart de Melo Alves Júnior INTRODUÇÃO O Excel 7.0 é um aplicativo de planilha desenvolvido para ser usado dentro do ambiente Windows. As planilhas criadas a partir desta ferramenta poderão ser impressas,

Leia mais

CRUZAMENTO DE VARIÁVEIS, ANÁLISE BIVARIADA E GRÁFICOS

CRUZAMENTO DE VARIÁVEIS, ANÁLISE BIVARIADA E GRÁFICOS Sphinx APRENDIZ - p.201 8 ANÁLISES CRUZADAS E MÚLTIPLAS CRUZAMENTO DE VARIÁVEIS, ANÁLISE BIVARIADA E GRÁFICOS O sistema permite que sejam feitos cruzamentos dos mais diversos tipos de variáveis. Os cruzamentos,

Leia mais

ÍNDICE 1. CADASTRO ITENS...1 2. EMISSAO DE PEDIDOS E NOTAS...5 3. PEDIDO DE COMPRA...6 4. CONTRA-NOTA PRODUTOR RURAL...6

ÍNDICE 1. CADASTRO ITENS...1 2. EMISSAO DE PEDIDOS E NOTAS...5 3. PEDIDO DE COMPRA...6 4. CONTRA-NOTA PRODUTOR RURAL...6 1 ÍNDICE 1. CADASTRO ITENS...1 2. EMISSAO DE PEDIDOS E NOTAS...5 3. PEDIDO DE COMPRA...6 4. CONTRA-NOTA PRODUTOR RURAL...6 5. CADASTRO OPERAÇÕES FISCAIS (CFOP)...7 6. GERAR SINTEGRA...8 7. CONTROLE DE

Leia mais

Ferramentas Básicas da Qualidade

Ferramentas Básicas da Qualidade PRO 2712 CONTROLE DA QUALIDADE 1 Ferramentas Básicas da Qualidade PRO 2712 CONTROLE DA QUALIDADE 2 AS SETE FERRAMENTAS BÁSICAS DA QUALIDADE Diagrama de Pareto Diagrama de Causa-e-Efeito Lista de Verificação

Leia mais

MATEMÁTICA. Recenseamento/Sondagem ESTATÍSTICA

MATEMÁTICA. Recenseamento/Sondagem ESTATÍSTICA MATEMÁTICA NOME: ANO: TURMA: N.º FICHA INFORMATIVA ESTATÍSTICA A estatística é uma área da Matemática que trata da recolha, organização, resumo e interpretação de dados, e está presente em todos os ramos

Leia mais

Apresentação... 19 Prefácio da primeira edição... 21 Prefácio da segunda edição... 27 Introdução... 33

Apresentação... 19 Prefácio da primeira edição... 21 Prefácio da segunda edição... 27 Introdução... 33 Sumário Apresentação... 19 Prefácio da primeira edição... 21 Prefácio da segunda edição... 27 Introdução... 33 Capítulo I CIÊNCIA, CONHECIMENTOS E PESQUISA CIENTÍFICA... 37 1. Conceito de ciência e tipos

Leia mais

Organograma, funcionograma, fluxograma

Organograma, funcionograma, fluxograma CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BARRA MANSA CURSO DE NUTRIÇÃO ADMINISTRAÇÃO DE UNIDADES DE ALIMENTAÇÃO E NUTRIÇÃO AULA 28 Profa. M.Sc Vanessa Vasconcelos Fonseca Mestre em Ciência de Alimentos Especialista MBA

Leia mais

Histogramas. 12 de Fevereiro de 2015

Histogramas. 12 de Fevereiro de 2015 Apêndice B Histogramas Uma situação comum no laboratório e na vida real é a de se ter uma grande quantidade de dados e deles termos que extrair uma série de informações. Encontramos essa situação em pesquisas

Leia mais

Compilado pela Prof a Sílvia Moraes Organizado por Stewart Unger

Compilado pela Prof a Sílvia Moraes Organizado por Stewart Unger Algoritmos Seqüênciais e Condicionais Compilado pela Prof a Sílvia Moraes Organizado por Stewart Unger 1. Construa um algoritmo que, tendo como dados de entrada dois pontos quaisquer no plano, P(x1,y1)

Leia mais