Fatores associados ao desempenho dos concluintes de cursos de engenharia no ENADE 2011

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Fatores associados ao desempenho dos concluintes de cursos de engenharia no ENADE 2011"

Transcrição

1 Fatores associados ao desempenho dos concluintes de cursos de engenharia no ENADE 2011 Gabriela Moriconi (FCC - consultora BID/IPEA) Paulo Nascimento (IPEA) Aguinaldo Maciente (IPEA)

2 Contexto Internacional Grande interesse sobre os profissionais de carreiras técnicocientíficas: STEM fields (Science, Technology, Engineering and Mathematics), especialmente na literatura norteamericana e inglesa; São vistos como a força básica por trás da competitividade internacional, da inovação e do crescimento econômico dos países (Ehrenberg, 2010; Rask, 2010): Sociedade crescentemente técnica gaps na oferta desses profissionais podem significar sérios problemas sociais e econômicos; Taxa de crescimento da produtividade da nação depende da taxa de inovação na economia, que depende do percentual da mão de obra no país com diplomas em campos como ciência e engenharia.

3 Contexto do Projeto Debate acerca da disponibilidade de mão de obra para sustentar o crescimento econômico do Brasil receio do apagão de profissionais especializados; IPEA produziu uma série de análises acerca da oferta e demanda desses profissionais para os próximos anos no país (Nascimento, 2011; Gusso e Nascimento, 2011; Pereira, Nascimento e Araújo, 2011); Além da quantidade de profissionais, interesse em aspectos relativos à qualidade e à eficiência na formação dos cursos de STEM fields: estudos sobre fatores associados ao rendimento e sobre a evasão dos estudantes;

4 O Estudo Analisa a qualidade da formação dos alunos de carreiras técnico-científicas, por meio do seu desempenho no ENADE (Exame Nacional de Estudantes); Objetivos: Verificar qual a variação do desempenho dos alunos entre cursos e dentro dos cursos; Identificar quais fatores relativos ao curso e ao estudante estariam associados a melhores desempenhos dos alunos no ENADE; Aqui serão apresentados os resultados referentes aos cursos de Engenharia.

5 O ENADE Exame para concluintes dos cursos de ensino superior no país; Cada área é avaliada de 3 em 3 anos; Seus resultados são utilizado no cálculo de indicadores para a avaliação e a regulação dos cursos de ensino superior; Baseado em matrizes elaboradas por comissões a cada ano de aplicação, orientadas pelas diretrizes curriculares da área; Não é baseado em padrões: Não é possível apontar se os resultados de um curso são satisfatórios, ou se melhoraram ou pioraram ao longo do tempo; As notas só permitem fazer análises comparativas entre os resultados dos cursos dentro de cada área a cada ano;

6 Organização da Prova Formação Geral 10 questões (peso 25% da Prova): 8 objetivas (peso 60% da Formação Geral); 2 discursivas (peso 40% da Formação Geral); Componente Específico 30 questões (peso 75% da Prova): 27 objetivas (peso 85% do Componente Específico); 3 discursivas (peso 15% da Componente Específico); As notas de cada aluno nos dois componentes são transformadas em valores de 0 a 100; As notas são utilizadas para calcular o conceito ENADE de cada curso, que vai de 1 a 5, comparando os cursos de cada área;

7 Eficácia escolar Há uma ampla literatura voltada para a eficácia escolar, especialmente voltada para a educação básica; Entende-se a eficácia como a capacidade de produzir maiores avanços em termos do desempenho dos alunos (maior valor agregado); Para esse tipo de análise, é necessário ter 2 medidas de desempenho, uma inicial e uma final; Principais objetivos básicos dessa literatura (Murillo, 2008): Estimar a magnitude dos efeitos escolares e analisar suas propriedades científicas; Identificar os fatores da sala de aula, da escola e do contexto que fazem com que uma escola seja eficaz.

8 Fatores associados à qualidade no ensino superior Para o ensino superior, não são encontrados estudos de eficácia, no mesmo sentido da educação básica exceto Soares et al (2001); Existem estudos sobre fatores individuais e institucionais associados a: Maiores notas em testes de fim de curso como o ENADE (Diaz, 2007; Andriola, 2009; Moreira, 2010); Qualidade do diploma (Naylor e Smith, 2004); Evasão/Permanência na área e no ensino superior (Jansen, 2004; Rask, 2010; Ehrenberg, 2010); Analisa-se quais fatores estão associados a determinados resultados, mas não é possível falar em efeitos.

9 Análise Empírica Aplicação de modelos hierárquicos lineares (HLM), já que os dados possuem uma estrutura hierárquica: Nível 1 aluno; Nível 2 curso (ex.: Engenharia Elétrica na UFRJ); Modelo vazio : para decompor a variância total em variância entre cursos e dentro dos cursos; Modelo cheio : para verificar quais fatores estariam associados ao desempenho dos alunos; Variáveis dependentes: notas de formação geral e componente específico padronizadas por grupo de engenharias; Variáveis independentes: fatores que pudessem ser construídos a partir de perguntas consideradas objetivas do questionário do ENADE; Análise separada para cada um dos 8 grupos de engenharias.

10 ENGENHARIA GRUPO I ENGENHARIA GRUPO II ENGENHARIA GRUPO III Grupos de Engenharias Participantes do ENADE 2011 (1) ÁREAS CURSOS ALUNOS ENGENHARIA GEOLÓGICA 1 12 ENGENHARIA DE AGRIMENSURA 3 29 ENGENHARIA CARTOGRÁFICA 5 29 ENGENHARIA CIVIL ENGENHARIA DE RECURSOS HÍDRICOS 1 6 ENGENHARIA SANITÁRIA 4 26 ENGENHARIA GRUPO I - TOTAL ENGENHARIA ELÉTRICA ENGENHARIA INDUSTRIAL ELÉTRICA ENGENHARIA ELETROTÉCNICA ENGENHARIA DE COMPUTAÇÃO ENGENHARIA DE COMUNICAÇÕES 0 0 ENGENHARIA DE REDES DE COMUNICAÇÃO 1 34 ENGENHARIA ELETRÔNICA ENGENHARIA MECATRÔNICA ENGENHARIA DE CONTROLE E AUTOMAÇÃO ENGENHARIA DE TELECOMUNICAÇÕES ENGENHARIA GRUPO II - TOTAL ENGENHARIA INDUSTRIAL MECÂNICA ENGENHARIA MECÂNICA ENGENHARIA AEROESPACIAL 1 15 ENGENHARIA AERONÁUTICA 4 59 ENGENHARIA AUTOMOTIVA 1 22 ENGENHARIA NAVAL 2 85 ENGENHARIA GRUPO III - TOTAL IES PÚBLICAS ATÉ 24 ANOS SEXO FEMININO 43% 43% 25% 37% 37% 10% 46% 41% 8%

11 Grupos de Engenharias Participantes do ENADE 2011 (2) ENGENHARIA GRUPO IV ENGENHARIA GRUPO V ENGENHARIA GRUPO VI ÁREAS CURSOS ALUNOS ENGENHARIA BIOQUÍMICA 1 0 ENGENHARIA DE BIOTECNOLOGIA 5 48 ENGENHARIA INDUSTRIAL QUÍMICA 1 17 ENGENHARIA QUÍMICA ENGENHARIA DE ALIMENTOS ENGENHARIA INDUSTRIAL TÊXTIL 0 0 ENGENHARIA TÊXTIL 3 14 ENGENHARIA GRUPO IV - TOTAL ENGENHARIA DE MATERIAIS ENGENHARIA FÍSICA 1 0 ENGENHARIA METALÚRGICA ENGENHARIA DE MATERIAIS (MADEIRA) 2 14 ENGENHARIA DE MATERIAIS (PLÁSTICO) 2 33 ENGENHARIA GRUPO V - TOTAL ENGENHARIA DE PRODUÇÃO ENGENHARIA DE PRODUÇÃO MECÂNICA ENGENHARIA DE PRODUÇÃO ELÉTRICA 4 71 ENGENHARIA DE PRODUÇÃO QUÍMICA 3 44 ENGENHARIA DE PRODUÇÃO TÊXTIL 0 0 ENGENHARIA DE PRODUÇÃO DE MATERIAIS 2 17 ENGENHARIA DE PRODUÇÃO CIVIL ENGENHARIA GRUPO VI - TOTAL IES PÚBLICAS ATÉ 24 ANOS SEXO FEMININO 66% 59% 56% 67% 46% 30% 23% 37% 26%

12 Grupos de Engenharias Participantes do ENADE 2011 (3) ENGENHARIA GRUPO VII ENGENHARIA GRUPO VIII ÁREAS CURSOS ALUNOS ENGENHARIA 5 92 ENGENHARIA AMBIENTAL ENGENHARIA INDUSTRIAL 3 0 ENGENHARIA DE MINAS 4 85 ENGENHARIA DE PETRÓLEO ENGENHARIA GRUPO VII - TOTAL ENGENHARIA AGRÍCOLA ENGENHARIA FLORESTAL ENGENHARIA DE PESCA 13 0 ENGENHARIA GRUPO VIII - TOTAL TOTAL IES PÚBLICAS ATÉ 24 ANOS SEXO FEMININO 26% 48% 39% 84% 59% 43%

13 Resultados Modelos Vazios Coeficiente de Correlação Intraclasse = Componente da Variância no Nível 2 (curso) / Variância Total Relativo à: Grupo I Grupo II Grupo III Grupo IV Grupo V Grupo VI Grupo VII Grupo VIII Nota na Formação Geral 10% 6% 6% 10% 4% 6% 10% 8% Nota no Componente Específico 21% 25% 20% 14% 31% 22% 23% 21% Representa o percentual da variância entre cursos, sendo o restante entre alunos dentro dos cursos; Pode ser interpretado também como a correlação entre as notas de 2 alunos escolhidos aleatoriamente de um curso escolhido aleatoriamente;

14 Resultados Modelo Cheio Grupo I Grupo II Grupo III Grupo IV Grupo V Grupo VI Grupo VII Grupo VIII Variáveis do Nível do Curso Percentual de alunos com pelo menos 1 dos pais com nível superior Média da renda familiar per capita dos alunos 0,39243** 0,41227*** 0,42155* 0,2321 0, ,41945*** 0,59721*** 0, , , , , , , , , , ,00016*** 0,00016** 0,00015* 0,00041** 0,00019*** 0,00023*** 0,0004** 0, , , , , , , ,00016 IES pública Percentual de alunos que indicaram que todos ou a maioria dos professores têm disponibilidade para atender fora da aula Percentual de alunos que indicaram que todos ou a maioria dos planos de ensino apresentados são completos 0,34147*** 0,49223*** 0,24958** 0,3113*** 0, ,41715*** 0,39885*** 0,46264*** 0, ,0692 0, , ,3503 0, , , ,67137*** 0, ,63418*** 0, , ,3941*** 0,43947** 0,69953* 0, , , , , , , , , , , , , ,30357** 0, ,3361 0, , , , , , , ,36481

15 Resultados Modelo Cheio Variáveis do Nível do Aluno Pelo menos 1 dos pais com nível superior Renda familiar per capita Ensino médio todo ou a maior parte em escola pública Até 24 anos de idade Sexo Feminino Negros, Pardos e Indígenas Grupo I Grupo II Grupo III Grupo IV Grupo V Grupo VI Grupo VII Grupo VIII -0,04267* -0, , , , ,08598*** 0,05701* 0,10573** 0, , , , ,0615 0, , , , , , , ,00003* 0,00003*** 0,00003*** 0, , , , , , , , , ,06694*** 0,0775*** 0,13728*** 0,10034*** 0,24768*** 0, ,05641* 0,18311*** 0, , , ,0352 0, , , , ,25403*** 0,30453*** 0,28437*** 0,37262*** 0,5723*** 0,21147*** 0,1637*** 0,20265*** 0, , , , , , , , ,24846*** -0,31583*** -0,28771*** -0,26486*** -0,29425*** -0,11196*** -0, ,16454*** 0,0241 0, , , , , , , ,06712*** -0,05892*** -0,09768*** -0, ,14978** -0,05015** -0,07189** -0, , , , , , , ,0334 0,05454

16 Resultados - Modelos Vazio e Cheio Coeficiente de Correlação Intraclasse = Componente da Variância no Nível 2 (curso) / Variância Total Nota no Componente Específico Grupo I Grupo II Grupo III Grupo IV Grupo V Grupo VI Grupo VII Grupo VIII Modelo Vazio 21% 25% 20% 14% 31% 22% 23% 21% Modelo Cheio 13% 15% 12% 10% 18% 8% 13% 12%

17 Considerações Finais Percentual da variância entre cursos no componente específico é elevada na maioria dos grupos de engenharia; Escolaridade dos pais e renda familiar per capita: diferentes resultados no nível do curso e no nível do aluno; Altos coeficientes relativos à disponibilidade dos professores para atendimento fora da aula indicam um tema para pesquisas qualitativas mais aprofundadas; No nível do aluno, as questões de gênero e de cor e sua relação com desempenho nos cursos de engenharia no país, mereceriam estudos mais detalhados.

CONSTRUÇÃO DOS REFERENCIAIS NACIONAIS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO BACHARELADOS E LICENCIATURAS ENGENHARIAS Convergência de Denominação (De Para)

CONSTRUÇÃO DOS REFERENCIAIS NACIONAIS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO BACHARELADOS E LICENCIATURAS ENGENHARIAS Convergência de Denominação (De Para) CONSTRUÇÃO DOS REFERENCIAIS NACIONAIS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO BACHARELADOS E LICENCIATURAS ENGENHARIAS Convergência de Denominação (De Para) DE (Engenharia Agronômica) (Visão Sistêmica em Agronegócios)

Leia mais

Ministério da Educação. Gabinete do Ministro

Ministério da Educação. Gabinete do Ministro Ministério da Educação Gabinete do Ministro PORTARIA Nº 556, de 25 de fevereiro de 2005 (DOU nº 39, Seção 1 página 23, de 28/2/2005) O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso de suas atribuições e tendo

Leia mais

SIC 36/05. Belo Horizonte, 23 de junho de 2005. ENADE. Distribuído a assessorados da CONSAE.

SIC 36/05. Belo Horizonte, 23 de junho de 2005. ENADE. Distribuído a assessorados da CONSAE. SIC 36/05 Belo Horizonte, 23 de junho de 2005. ENADE PORTARIA Nº 2.205, de 22 de junho de 2005. Ministro da Educação. O MINISTRO DE ESTADO DA EDUCAÇÃO, no uso de suas atribuições e tendo em vista o disposto

Leia mais

ALTERAÇÕES NO ENADE 2014 um olhar sobre as áreas da ENGENHARIA

ALTERAÇÕES NO ENADE 2014 um olhar sobre as áreas da ENGENHARIA DIRETORIA DE AVALIAÇÃO DA EDUCAÇÃO SUPERIOR COORDENAÇÃO- GERAL DE CONTROLE DE QUALIDADE DA EDUCAÇÃO SUPERIOR ALTERAÇÕES NO ENADE 2014 um olhar sobre as áreas da ENGENHARIA ABENGE 19 de MAIO de 2014 ROTEIRO

Leia mais

1. SAPIENS. CREDENCIAMENTO. RECREDENCIAMENTO. AUTORIZAÇÃO. RECONHECIMENTO. RENOVAÇÃO DE RECONHECIMENTO. NOVA REGULAMENTAÇÃO.

1. SAPIENS. CREDENCIAMENTO. RECREDENCIAMENTO. AUTORIZAÇÃO. RECONHECIMENTO. RENOVAÇÃO DE RECONHECIMENTO. NOVA REGULAMENTAÇÃO. SIC 54/05 Belo Horizonte, 14 de setembro de 2005. 1. SAPIENS. CREDENCIAMENTO. RECREDENCIAMENTO. AUTORIZAÇÃO. RECONHECIMENTO. RENOVAÇÃO DE RECONHECIMENTO. NOVA REGULAMENTAÇÃO. ALTERAÇÃO PORTARIA Nº 3.160,

Leia mais

EDITAL Nº. 001/2014 - CONCURSO PÚBLICO ANEXO IV DOS CARGOS, QUALIFICAÇÃO E REQUISITOS

EDITAL Nº. 001/2014 - CONCURSO PÚBLICO ANEXO IV DOS CARGOS, QUALIFICAÇÃO E REQUISITOS EDITAL Nº. 001/2014 - CONCURSO PÚBLICO ANEXO IV DOS CARGOS, QUALIFICAÇÃO E REQUISITOS ENSINO 2º GRAU: ASSISTENTE ADMINISTRATIVO Requisito: Ensino médio completo (2º grau) Descrição Sumária de Atividades:

Leia mais

ANEXO DA DECISÃO Nº PL-0573/2010 TABELA DE CONVERGÊNCIA DE TÍTULOS PROFISSIONAIS NÍVEL GRADUAÇÃO

ANEXO DA DECISÃO Nº PL-0573/2010 TABELA DE CONVERGÊNCIA DE TÍTULOS PROFISSIONAIS NÍVEL GRADUAÇÃO ANEXO DA DECISÃO Nº PL-0573/2010 TABELA DE CONVERGÊNCIA DE TÍTULOS PROFISSIONAIS NÍVEL GRADUAÇÃO CONFEA, ANEXA À Engenheiro Construtor Engenheiro Civil 111-02-00 Engenheiro Civil Opção Estradas e Edificações

Leia mais

Seminários Enade 2014. Coordenação-Geral de Controle de Qualidade da Educação Superior Diretoria de Avaliação da Educação Superior

Seminários Enade 2014. Coordenação-Geral de Controle de Qualidade da Educação Superior Diretoria de Avaliação da Educação Superior Coordenação-Geral de Controle de Qualidade da Educação Superior Diretoria de Avaliação da Educação Superior 1 Organograma da DAES DAES Diretoria de Avaliação da Educação Superior CGACGIES Coordenação-Geral

Leia mais

Reconhecimento de graus académicos - pares instituições PT/BR - Universidade dos Açores

Reconhecimento de graus académicos - pares instituições PT/BR - Universidade dos Açores Reconhecimento de graus académicos - pares instituições PT/BR - Universidade dos Açores posterior à implementação do Universidade dos Açores Engenharia Agronómica UFMT Engenharia agrícola e ambiental Universidade

Leia mais

AUXILIAR DOCENTE Atualizado em maio/2011

AUXILIAR DOCENTE Atualizado em maio/2011 AUXILIAR DOCENTE Atualizado em maio/2011 RELAÇÃO DE REQUISITOS MÍNIMOS PARA INGRESSO NO EMPREGO PÚBLICO PERMANENTE DE AUXILIAR DOCENTE I Este documento tem por finalidade apresentar os requisitos de titulação

Leia mais

Nº 63 - Brasília - DF, quarta-feira, 02 de abril de 2008 Pág: 13 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO

Nº 63 - Brasília - DF, quarta-feira, 02 de abril de 2008 Pág: 13 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO Nº 63 - Brasília - DF, quarta-feira, 02 de abril de 2008 Pág: 13 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO GABINETE DO MINISTRO Portaria Normativa nº 3, de 1º de abril de 2008 Determina as áreas e os cursos superiores de

Leia mais

QUADRO DE TITULAÇÃO VERIFIQUE NO QUADRO OS COMPONENTES POSSÍVEIS COM BASE NA SUA TITULAÇÃO ELETRÔNICA INTEGRADO

QUADRO DE TITULAÇÃO VERIFIQUE NO QUADRO OS COMPONENTES POSSÍVEIS COM BASE NA SUA TITULAÇÃO ELETRÔNICA INTEGRADO 1 QUADRO DE TITULAÇÃO VERIFIQUE NO QUADRO OS COMPONENTES POSSÍVEIS COM BASE NA SUA TITULAÇÃO ELETRÔNICA INTEGRADO DISCIPLINAS Dispositivos Semicondutores de Potência (Eletrônica Integrado) GRADUAÇÕES Eletroeletrônica

Leia mais

ANEXO LISTA DOS CURSOS DE GRADUAÇÂO ELEGIVEIS PELO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS

ANEXO LISTA DOS CURSOS DE GRADUAÇÂO ELEGIVEIS PELO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS ANEXO LISTA DOS CURSOS DE GRADUAÇÂO ELEGIVEIS PELO PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS Agricultura Sustentável Agrimensura Agroecologia Agroindústria Agroindústria - Alimentos Agroindústria - Madeira Agronegócio

Leia mais

Programa Jovem Universitário

Programa Jovem Universitário Programa Jovem Universitário Janeiro/2009 O Programa Incentivo ao ensino Universitário Para filhos e enteados registrados na Companhia, até 24 anos, sem nível superior Reembolso de até30% do valor fixado

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA REQUISITOS PARA INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, OBJETIVANDO A FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE EXCEPCIONAL INTERESSE PÚBLICO, Nº 065/09/2015 de 19/10/2015.

Leia mais

Cálculo do Conceito Preliminar de Curso (CPC)

Cálculo do Conceito Preliminar de Curso (CPC) nstituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira NEP Ministério da Educação MEC Cálculo do Conceito Preliminar de Curso (CPC) O Conceito Preliminar de Curso (CPC) é calculado para

Leia mais

CATÁLOGO AUXILIAR DOCENTE

CATÁLOGO AUXILIAR DOCENTE CATÁLOGO DE AUXILIAR DOCENTE Atualizado em Novembro/2015 RELAÇÃO DE REQUISITOS MÍNIMOS PARA INGRESSO NO EMPREGO PÚBLICO PERMANENTE DE AUXILIAR DOCENTE I Este documento tem por finalidade apresentar os

Leia mais

CONSTRUÇÃO DOS REFERENCIAIS NACIONAIS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO - BACHARELADOS E LICENCIATURAS E ENGENHARIAS. Convergência de Denominação (De => Para)

CONSTRUÇÃO DOS REFERENCIAIS NACIONAIS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO - BACHARELADOS E LICENCIATURAS E ENGENHARIAS. Convergência de Denominação (De => Para) CONSTRUÇÃO DOS REFERENCIAIS NACIONAIS DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO - BACHARELADOS E LICENCIATURAS E ENGENHARIAS Convergência de Denominação (De => Para) CONSENSO REALIZADO PELO GRUPO DE INSTITUIÇÕES QUE ASSINAM

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO NORTE PRÓ-REITORIA DE RECURSOS HUMANOS DEPARTAMENTO DE ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL Tabela com as Áreas de Conhecimentos relativas à Educação Formal, com relação DIRETA aos Ambientes Organizacionais (Decreto 5.824/2006 de 29 de Junho de 2006 - ANEXO III) ADMINISTRATIVO INFRA-ESTRUTURA

Leia mais

ENADE 2014: UM ESTUDO SOBRE AS ALTERAÇÕES PREVISTAS PARA A ENGENHARIA

ENADE 2014: UM ESTUDO SOBRE AS ALTERAÇÕES PREVISTAS PARA A ENGENHARIA ENADE 2014: UM ESTUDO SOBRE AS ALTERAÇÕES PREVISTAS PARA A ENGENHARIA Pedro Henrique Pernisa Fernandes - pedro.pernisa@engenharia.ufjf.br Universidade Federal de Juiz de Fora Faculdade de Engenharia Engenharia

Leia mais

211A02 Artes Visuais - Bacharelado 212C02 Produção cênica - Tecnológico

211A02 Artes Visuais - Bacharelado 212C02 Produção cênica - Tecnológico Código Área Nome Área 1 Educação 2 Humanidades e Artes TABELA DE CURSO DE FORMAÇÃO SUPERIOR Código OCDE Nome do Curso - Grau Grau 142C01 Ciência da educação - 142P01 Pedagogia - Licenciatura Licenciatura

Leia mais

Universidade Federal de Santa Catarina - Código e-mec: 585. Cursos de Graduação

Universidade Federal de Santa Catarina - Código e-mec: 585. Cursos de Graduação Universidade Federal de Santa Catarina - Código e-mec: 585 Cursos de Graduação Curso Grau Campus Código e-mec Administração Bacharelado Florianópolis 14213 Agronomia Bacharelado Florianópolis 14214 Agronomia

Leia mais

Cadastro de denominações consolidadas para Cursos de Graduação (bacharelado e licenciatura) do Ministério da Educação

Cadastro de denominações consolidadas para Cursos de Graduação (bacharelado e licenciatura) do Ministério da Educação Cadastro de denominações consolidadas para Cursos de Graduação (bacharelado e licenciatura) do Ministério da Educação Justificativa Desde a edição da nova LDB (Lei nº 9.394/1996), promulgada em decorrência

Leia mais

SIC 63 /04. Belo Horizonte, 13 de dezembro de 2004. EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES ENADE 2005 ANEXO I

SIC 63 /04. Belo Horizonte, 13 de dezembro de 2004. EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES ENADE 2005 ANEXO I SIC 63 /04 Belo Horizonte, 13 de dezembro de 2004. EXAME NACIONAL DE DESEMPENHO DOS ESTUDANTES ENADE 2005 ANEXO I Aí está a republicação, sem qualquer alteração. Bastaria publicar o Anexo 1. Que aliás,

Leia mais

UFU UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA NOTA DE CORTE 1.ª FASE 2.º SEM./2014 NOTA DE CORTE

UFU UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA NOTA DE CORTE 1.ª FASE 2.º SEM./2014 NOTA DE CORTE UFU UNIVERSIDADE FEDERAL DE UBERLÂNDIA NOTA DE CORTE 1.ª FASE 2.º SEM./2014 NOTA DE CORTE Modalidade 2 6 36 Modalidade 3 9 40 Modalidade 4 6 41 Modalidade 5 92 47 Modalidade 1 12 43 Modalidade 2 8 40 Modalidade

Leia mais

Anexo I. Concurso Vestibular 2015 Carreiras e Cursos. Área de Humanidades

Anexo I. Concurso Vestibular 2015 Carreiras e Cursos. Área de Humanidades Carreira 100 Administração - Ribeirão Preto Curso 10: Administração - Diurno - Ribeirão Preto Curso 11: Administração - Noturno - Ribeirão Preto Concurso Vestibular 2015 Carreiras e Cursos Área de Humanidades

Leia mais

Programa Ciência sem Fronteiras (Portugal) Ofertas formativas de Graduação para o ano letivo 2013/14

Programa Ciência sem Fronteiras (Portugal) Ofertas formativas de Graduação para o ano letivo 2013/14 Programa Ciência sem Fronteiras (Portugal) Ofertas formativas de Graduação para o ano letivo 2013/14 (Atualizado a 17.04.2013) Universidade dos Açores Universidade do Algarve Ciências Biológicas e da Saúde

Leia mais

III. Centro Universitário Estadual da Zona Oeste / UEZO

III. Centro Universitário Estadual da Zona Oeste / UEZO anexo 2 Quadro de Cursos / Vagas I. Academia de Bombeiro Militar D. Pedro II / CBMERJ Oficial do Corpo de Bombeiros Militar (candidatos de sexo masculino e feminino) II. Academia de Polícia Militar D.

Leia mais

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Gabinete do Reitor

UNIVERSIDADE DA BEIRA INTERIOR Gabinete do Reitor DESPACHO N.º 014/R/39 1. Nos termos dos Despachos n.ºs 17/007 e 18/007, de 0 de julho, as vagas para os Concursos Especiais de Acesso e para Regimes de Mudança de Curso e Transferência, 1.º ano, 1.º semestre,

Leia mais

ENGENHARIA PRINCÍPIO E PERSPECTIVAS HISTÓRICAS

ENGENHARIA PRINCÍPIO E PERSPECTIVAS HISTÓRICAS ENGENHARIA PRINCÍPIO E PERSPECTIVAS HISTÓRICAS O QUE É ENGENHARIA Engenharia é a ciência, a arte e a profissão de adquirir e de aplicar os conhecimentos matemáticos, técnicos e científicos para a criação,

Leia mais

CEFET-MG Concurso Público EBTT 2013 AGENDAMENTO DE DATAS DA ETAPA DA PROVA ESCRITA EPE

CEFET-MG Concurso Público EBTT 2013 AGENDAMENTO DE DATAS DA ETAPA DA PROVA ESCRITA EPE CEFET-MG Concurso Público EBTT 23 AGENDAMENTO DE DATAS DA ETAPA DA PROVA ESCRITA EPE De acordo com o item 3.3.1.2 do de Normas Gerais 077/13 de 21 de junho de 23, havendo compatibilidade de cronograma

Leia mais

SISU/UFMG 2ª EDIÇÃO DE 2015 Máximos e Mínimos por Curso/Modalidade

SISU/UFMG 2ª EDIÇÃO DE 2015 Máximos e Mínimos por Curso/Modalidade UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS Registro Discente Departamento de Registro e Controle Acadêmico SISU/UFMG 2ª EDIÇÃO DE 2015 Máximos e Mínimos por Curso/Modalidade 1ª Chamada Regular Informações geradas

Leia mais

[anexo 2] Quadro de Cursos / Vagas

[anexo 2] Quadro de Cursos / Vagas [anexo 2] Quadro de Cursos / Vagas I. Academia de Bombeiro Militar D. Pedro II / CBMERJ Oficial do Corpo de Bombeiros Militar (candidatos de sexo masculino e feminino) 50 II. Centro Universitário Estadual

Leia mais

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS GRADUAÇÃO SANDUÍCHE NA ALEMANHA

PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS GRADUAÇÃO SANDUÍCHE NA ALEMANHA PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS GRADUAÇÃO SANDUÍCHE NA ALEMANHA RETIFICAÇÃO VII - CHAMADA PÚBLICA PROGRAMA CIÊNCIA SEM FRONTEIRAS/ DAAD/Serviço Alemão de Intercâmbio Acadêmico Nº_118/2012 A Fundação Coordenação

Leia mais

Programa Ciência sem Fronteiras (Portugal) Ofertas formativas de Graduação para o ano letivo 2013/14

Programa Ciência sem Fronteiras (Portugal) Ofertas formativas de Graduação para o ano letivo 2013/14 Programa Ciência sem Fronteiras (Portugal) Ofertas formativas de Graduação para o ano letivo 2013/14 (Atualizado a 1.03.2013) Universidade dos Açores Universidade do Algarve Ciências Biológicas e da Saúde

Leia mais

Biotecnologia Campinas/ SP. Breeding Petrolina/ PE. Business Inteligence - São Paulo/ SP. Comunicação - São José dos Campos/ SP

Biotecnologia Campinas/ SP. Breeding Petrolina/ PE. Business Inteligence - São Paulo/ SP. Comunicação - São José dos Campos/ SP Área Biotecnologia Campinas/ SP Breeding Petrolina/ PE Business Inteligence - São Paulo/ SP Comunicação - São José dos Campos/ SP Engenharias - Uberlândia MG Engenharia de Projetos - São José dos Campos/

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE SANTA CATARINA ANEXO I CARGOS/ÁREAS, REQUISITOS E VAGAS CARGO DE PROFESSOR DA CARREIRA DE MAGISTÉRIO DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO Tabela retificada pelos Editais 43, 44 e 45 de 014. VAGAS Áreas Requisitos

Leia mais

Catálogo de Requisitos de Titulação. Habilitação: Mecatrônica

Catálogo de Requisitos de Titulação. Habilitação: Mecatrônica Habilitação: Mecatrônica Aviso: Este catálogo é constantemente atualizado pelo Centro Paula Souza para obter informações atualizadas consulte o site: www.cpscetec.com.br/crt Mecatrônica Aplicativos Informatizados

Leia mais

EDITAL Nº 9/2010 IFRS-BG TRANSFERÊNCIA DE ALUNOS E INGRESSO DE PORTADORES DE DIPLOMA EM CURSOS SUPERIORES

EDITAL Nº 9/2010 IFRS-BG TRANSFERÊNCIA DE ALUNOS E INGRESSO DE PORTADORES DE DIPLOMA EM CURSOS SUPERIORES MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO RIO GRANDE DO SUL CAMPUS BENTO GONÇALVES EDITAL Nº 9/2010 IFRS-BG TRANSFERÊNCIA

Leia mais

Todos os cursos da USP que não aderiram ao Enem

Todos os cursos da USP que não aderiram ao Enem Ano 23 - Junho 2015 Todos os cursos da USP que não aderiram ao Enem O Conselho Universitário da USP aprovou, em 23 de junho, em caráter experimental, com validade para o vestibular 2016, a adesão da universidade

Leia mais

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA COMISSÃO PERMANENTE DO VESTIBULAR VESTIBULAR 2015

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA COMISSÃO PERMANENTE DO VESTIBULAR VESTIBULAR 2015 CAMPUS FLORIANÓPOLIS ADMINISTRAÇÃO - DIURNO ADMINISTRAÇÃO - NOTURNO AGRONOMIA ANTROPOLOGIA - BEL - DIURNO ARQUITETURA E URBANISMO ARQUIVOLOGIA - BEL - DIURNO ARTES CÊNICAS - BEL - NOTURNO BIBLIOTECONOMIA

Leia mais

Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004: Criação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes)

Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004: Criação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) Perguntas frequentes 1. ENADE 1.1. Qual a legislação pertinente ao ENADE? Lei nº 10.861, de 14 de abril de 2004: Criação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) Portaria Normativa

Leia mais

Programa Ciência sem Fronteiras (Portugal) Ofertas formativas de Graduação para o ano letivo 2013/14

Programa Ciência sem Fronteiras (Portugal) Ofertas formativas de Graduação para o ano letivo 2013/14 Programa Ciência sem Fronteiras (Portugal) Ofertas formativas de Graduação para o ano letivo 2013/14 (Atualizado a 11.01.2013) Universidade dos Açores Universidade do Algarve Ciências Agrárias Ciências

Leia mais

CURSOS DE PROGRESSÃO LINEAR (C P L)

CURSOS DE PROGRESSÃO LINEAR (C P L) CURSOS DE PROGRESSÃO LINEAR (C P L) (VESTIBULAR EM DUAS FASES) São aqueles tradicionalmente oferecidos pela UFBA, acrescidos de 26 novas opções de curso, das quais 18 no noturno, nas modalidades Licenciatura,

Leia mais

Avaliação do Ensino de Graduação e Pós

Avaliação do Ensino de Graduação e Pós Avaliação do Ensino de Graduação e Pós Graduação A Comissão Própria de Avaliação CPA/UNIPAMPA, constituída pela Portaria nº 697, de 26 de março de 2010, tem as atribuições de condução dos processos de

Leia mais

SAÍDAS PROFISSIONAIS

SAÍDAS PROFISSIONAIS SAÍDAS PROFISSIONAIS Telf: 234 340 220 * Fax: 234 343 272 * info@aesbernardo.pt * www.aesbernardo.pt Página 1 de 6 CURSO CIÊNCIAS E TECNOLOGIAS ÁREA DAS CIÊNCIAS ÁREA DA ANIMAÇÃO ÁREA DA SAÚDE AREA DO

Leia mais

Universidade dos Açores Engenharia Zootécnica Engenharia Zootécnica Agronómica. Engenharia do Ambiente Engenharia Biotecnológica

Universidade dos Açores Engenharia Zootécnica Engenharia Zootécnica Agronómica. Engenharia do Ambiente Engenharia Biotecnológica LISTA DOS CURSOS QUE CONFEREM DISPENSA DE PRESTAÇÃO DE PROVAS DE ADMISSÃO À OE* Até 31 de Julho de 2011 A presente lista identifica os cursos de Licenciatura pré-bolonha e de Mestrado pós-bolonha cujos

Leia mais

EDITAL Nº 03, DE 02 DE MARÇO DE 2010. CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR DO MAGISTÉRIO DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO ANEXO I

EDITAL Nº 03, DE 02 DE MARÇO DE 2010. CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR DO MAGISTÉRIO DO ENSINO BÁSICO, TÉCNICO E TECNOLÓGICO ANEXO I MINISTERIO DA EDUCACÃO SECRETARIA DE EDUCACÃO PROFISSIONAL E TECNOLOGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCACÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA BAHIA. EDITAL Nº 03, DE 02 DE MARÇO DE 2010. CONCURSO PÚBLICO PARA PROFESSOR

Leia mais

Catálogo de Requisitos de Titulação. Habilitação: Comércio

Catálogo de Requisitos de Titulação. Habilitação: Comércio Habilitação: Comércio Aviso: Este catálogo é constantemente atualizado pelo Centro Paula Souza para obter informações atualizadas consulte o site: www.cpscetec.com.br/crt Comércio de Compras (EII) - Habilitação

Leia mais

Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES GOIÁS UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS

Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES GOIÁS UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Relatório da IES ENADE 2012 EXAME NACIONAL DE DESEMEPNHO DOS ESTUDANTES GOIÁS UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIÁS Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais G O V E R N O F E D E R A L P A Í S R

Leia mais

CATÁLOGO DE REQUISITOS DE TITULAÇÃO PROCESSO SELETIVO 5629/2015

CATÁLOGO DE REQUISITOS DE TITULAÇÃO PROCESSO SELETIVO 5629/2015 CATÁLOGO DE REQUISITOS DE TITULAÇÃO PROCESSO SELETIVO 5629/2015 1. Controle e Automação Industrial (Instrumentação) Engenharia de Computação Engenharia de Produção Mecânica Engenharia de Sistemas - Modalidade

Leia mais

Av. Itália, Km8 Campus Carreiros Rio Grande, RS Brasil 96201-900 fone: 53.32336772 e- mail:propesp@furg.br

Av. Itália, Km8 Campus Carreiros Rio Grande, RS Brasil 96201-900 fone: 53.32336772 e- mail:propesp@furg.br As Pró-reitorias de Pesquisa e Pós-Graduação (PROPESP) e de Graduação (PROGRAD), no uso de suas atribuições, tornam público o edital de seleção interna para o Programa Ciência sem Fronteiras - Graduação

Leia mais

Avaliação da Dimensão Pesquisa

Avaliação da Dimensão Pesquisa CPA Comissão Própria de Avaliação A Comissão Própria de Avaliação CPA/UNIPAMPA, constituída pela Portaria no 697, de 6 de março de 00, tem as atribuições de condução dos processos de avaliação internos

Leia mais

Estratégia de Especialização Inteligente para a Região de Lisboa

Estratégia de Especialização Inteligente para a Região de Lisboa Diagnóstico do Sistema de Investigação e Inovação: Desafios, forças e fraquezas rumo a 2020 FCT - A articulação das estratégias regionais e nacional - Estratégia de Especialização Inteligente para a Região

Leia mais

AVALIAÇÃO DE INTEGRAÇÃO CURRICULAR DIRETRIZES INSTITUCIONAIS

AVALIAÇÃO DE INTEGRAÇÃO CURRICULAR DIRETRIZES INSTITUCIONAIS AVALIAÇÃO DE INTEGRAÇÃO CURRICULAR DIRETRIZES INSTITUCIONAIS PÚBLICO: Escola de Engenharia e Tecnologia da Informação 1. OBJETIVO GERAL A avaliação de integração curricular tem o objetivo de verificar

Leia mais

A ENGENHARIA NO AMAZONAS

A ENGENHARIA NO AMAZONAS A ENGENHARIA NO AMAZONAS Avaliação do Estado Atual e Perspectivas Elaborado a partir do EngenhariaData (2000-2010) Leonardo Melo Lins (coordenador do EngenhariaData) Diego Rafael Silva (assistente de pesquisa)

Leia mais

TOTAL DE CANDIDATOS POR IES/CURSO

TOTAL DE CANDIDATOS POR IES/CURSO TOTAL DE CANDIDATOS POR IES/CURSO UF da IES Nome da IES Nome do Curso Qtd. Inscritos SP FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO ABC Ciência e Tecnologia ** 16.253 BA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA

Leia mais

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA

ESCOLA TÉCNICA ESTADUAL DE ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA ILHA SOLTEIRA REQUISITOS PARA INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, OBJETIVANDO A FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE EXCEPCIONAL INTERESSE PÚBLICO, Nº 065/08/2015 de 19/10/2015.

Leia mais

Programa para a Inclusão dos Melhores Alunos da Escola Pública na Universidade

Programa para a Inclusão dos Melhores Alunos da Escola Pública na Universidade Programa para a Inclusão dos Melhores Alunos da Escola Pública na Universidade Vestibular 2014 NÚMEROS DA UNESP Cidades: 24 Unidades: 34 Unidades Complementares: 7 Colégios Técnicos: 3 Carreiras: 69 CURSOS

Leia mais

Catálogo de Requisitos de Titulação. Habilitação: Administração

Catálogo de Requisitos de Titulação. Habilitação: Administração Habilitação: Aviso: Este catálogo é constantemente atualizado pelo Centro Paula Souza para obter informações atualizadas consulte o site: www.cpscetec.com.br/crt da Produção / (qualquer modalidade) Engenharia

Leia mais

Cidade de Prova - 01 Natal

Cidade de Prova - 01 Natal Cidade de Prova - 01 Natal 031-040 - Tecnologista Junior (Mecânica) - Graduação Plena em Engenharia Mecânica ou Engenharia Aeronáutica - São José dos Campos (SP) 11 020-028 - Técnico - Técnico 1 (Telecomunicações)

Leia mais

Educação profissional

Educação profissional II Fórum de Ensino Técnico da Área Química Fórum +10 Educação profissional José Vitório Sacilotto Proposta Algumas conceituações As mudanças a partir de 2004 (Fórum + 10) Organização do sistema de ensino

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO RESUMO A SER PUBLICADO NOS ANAIS DO 22º ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA PUC-SP 2013 MODELO DE RESUMO

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO RESUMO A SER PUBLICADO NOS ANAIS DO 22º ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA PUC-SP 2013 MODELO DE RESUMO MODELO DE RESUMO 8.00.00.00-2 LINGÜÍSTICA, LETRAS E ARTES (grande área) 8.02.00.00-1 LETRAS (área da pesquisa e não curso do aluno) TÍTULO DO PROJETO OU DO PLANO DE TRABALHO DO ALUNO/BOLSISTA NOME... ORIENTADOR(A)

Leia mais

Existe escassez de mão de obra qualificada no Brasil?

Existe escassez de mão de obra qualificada no Brasil? Seminário Os caminhos da qualificação técnica e profissional no Brasil Existe escassez de mão de obra qualificada no Brasil? Paulo A. Meyer M. Nascimento Técnico de Planejamento e Pesquisa do Ipea paulo.nascimento@ipea.gov.br

Leia mais

Lembramos que a homologação representa apenas a autorização da UFSC para que os(as) estudantes participem da seleção, que é realizada pela CAPES.

Lembramos que a homologação representa apenas a autorização da UFSC para que os(as) estudantes participem da seleção, que é realizada pela CAPES. Veja abaixo o resultado da análise (homologação) das candidaturas dos(as) estudantes de graduação da UFSC às bolsas oferecidas pelo Programa Ciência sem Fronteiras por meio das Chamadas Públicas 143, 144,

Leia mais

FACULDADE SANTA RITA

FACULDADE SANTA RITA FACULDADE SANTA RITA CURSO DE ENGENHARIA CIVIL BACHARELADO Matriz Curricular 1º SEMESTRE Introdução à Engenharia Geometria Analítica e Álgebra Linear 04 80 Cálculo I 04 80 Tópicos de Economia para Engenharia

Leia mais

10 anos de cotas. Decano de Ensino de Graduação Coordenação de Avaliação - DTG / DEG Centro de Seleção e de Promoção de Eventos

10 anos de cotas. Decano de Ensino de Graduação Coordenação de Avaliação - DTG / DEG Centro de Seleção e de Promoção de Eventos 10 anos de cotas Decano de Ensino de Graduação Coordenação de Avaliação - DTG / DEG Centro de Seleção e de Promoção de Eventos Quantidade de estudantes cotistas registrados e desligados nos períodos -

Leia mais

Sistema de Seleção Unificada Sisu Edição 1/2013 Fonte: Sisu em 14/02/2013 Referência: Notas de corte por curso

Sistema de Seleção Unificada Sisu Edição 1/2013 Fonte: Sisu em 14/02/2013 Referência: Notas de corte por curso Sistema de Seleção Unificada Sisu Edição 1/2013 Fonte: Sisu em 14/02/2013 Referência: Notas de corte por curso INSTITUIÇÃO DE ENSINO SUPERIOR SIGLA DA INSTITUIÇÃO LOCAL DE OFERTA (CAMPUS) CURSO GRAU TURNO

Leia mais

O Enade. é realizado. estudante. Lei nº. 10.861, de. é obrigatório: O Enade. O Enade. Objetivo. nível de. atualização. A prova. será trienal.

O Enade. é realizado. estudante. Lei nº. 10.861, de. é obrigatório: O Enade. O Enade. Objetivo. nível de. atualização. A prova. será trienal. ENADE Exame Nacional de Desempenh ho de Estudantes O Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), que integra o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), tem o objetivo de aferir

Leia mais

Exame Nacional de Desempenho de Estudantes - 2014

Exame Nacional de Desempenho de Estudantes - 2014 Exame Nacional de Desempenho de Estudantes - 2014 Orientações aos estudantes concluintes da UFABC habilitados ao ENADE 2014 O que é o ENADE? O ENADE 2014 O Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (ENADE)

Leia mais

Legenda: AC: Ampla Concorrência

Legenda: AC: Ampla Concorrência Em caráter meramente ilustrativo, veja abaixo as notas de corte relativas ao processo de seleção de 2014. Em 2014, a UFC adotou o percentual de reserva de vagas de 50%, nos termos da Lei nº 12.711/2012.

Leia mais

Tema: Práticas Inovadoras de formação: caminhos e propostas dos cursos de graduação em Engenharia da Produção

Tema: Práticas Inovadoras de formação: caminhos e propostas dos cursos de graduação em Engenharia da Produção Tema: Práticas Inovadoras de formação: caminhos e propostas dos cursos de graduação em Engenharia da Produção XX Encontro Nacional de Coordenadores de Curso de Engenharia da Produção (ABEPRO) Rio de Janeiro,

Leia mais

A TRAJETÓRIA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NA ÁREA DA SAÚDE

A TRAJETÓRIA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NA ÁREA DA SAÚDE A TRAJETÓRIA DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO NA ÁREA DA SAÚDE Ministro da Saúde José Saraiva Felipe Ministro da Educação Fernando Haddad Objetivo apresentar a Trajetória dos Cursos de Graduação na Área da Saúde;

Leia mais

Tabela de vagas disponíveis para lista de espera/chamada pública do SiSU UFRGS

Tabela de vagas disponíveis para lista de espera/chamada pública do SiSU UFRGS Tabela de vagas disponíveis para lista de espera/chamada pública do SiSU UFRGS Periodo Curso NrVagasUni NrVagasL3 NrVagasL4 2015_1 ADMINISTRAÇÃO - Bacharelado - (Integral) 8 0 0 2015_2 ADMINISTRAÇÃO -

Leia mais

Legenda: Campus Nome do Curso Turno Classe Vagas

Legenda: Campus Nome do Curso Turno Classe Vagas Em caráter meramente ilustrativo, veja abaixo as notas de corte relativas ao processo de seleção de 2013. Em 2013, a UFC adotou o percentual de reserva de vagas de 12,5%, nos termos da Lei nº 12.711/2012.

Leia mais

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO RESUMO A SER PUBLICADO NOS ANAIS DO 21º ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA PUC-SP 2012

ORIENTAÇÕES PARA ELABORAÇÃO DO RESUMO A SER PUBLICADO NOS ANAIS DO 21º ENCONTRO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA PUC-SP 2012 O texto deve ser conciso e ocupar no máximo 20 linhas, em um único parágrafo; utilizar linguagem objetiva, evitando frases inteiras do texto original (expressar apenas a idéia principal e não transcrevê-la);

Leia mais

OS CURSOS NA FEUP FACULDADE DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO

OS CURSOS NA FEUP FACULDADE DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO FACULDADE DE ENGENHARIA DA UNIVERSIDADE DO PORTO OS CURSOS NA FEUP Dulce Campos (ee12134); Flávio Dantas (ee12153); João Neves (ee12035); João Espírito Santo (ee12057); Miguel Costa (ee12091); 0 1MIEEC07_3

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados Código Instit. Código Curso Instituição Curso Grau Vagas Iniciais Colocados Nota do últ. colocado (cont. geral) (1) (2)

Leia mais

Etec de São Sebastião 188

Etec de São Sebastião 188 ETEC DE SÃO SEBASTIÃO - SÃO SEBASTIÃO AVISO DE ABERTURA DE INSCRIÇÕES AO PROCESSO SELETIVO DE DOCENTES, OBJETIVANDO A FORMAÇÃO DE CADASTRO PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE EXCEPCIONAL INTERESSE PÚBLICO,

Leia mais

ORDE M Campus Curso Turno Formação Amp.Con AC c.

ORDE M Campus Curso Turno Formação Amp.Con AC c. Nota de corte ordenada por ampla concorrência ORDE M Campus Curso Turno Formação Amp.Con AC c. CUIABÁ MEDICINA Integral o 1 7.7 CUIABÁ ENGENHARIA CIVIL Integral o 731.3 CUIABÁ DIREITO Matutino o 3 73.5

Leia mais

O que é Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade)?

O que é Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade)? O que é Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (Enade)? O Enade é componente curricular obrigatório aos cursos de graduação, conforme determina a Lei nº. 10.861, de 14 de abril de 2004. É aplicado

Leia mais

CONSIDERAÇÕES ENADE 2014 QUESTIONÁRIO/PROVAS

CONSIDERAÇÕES ENADE 2014 QUESTIONÁRIO/PROVAS CONSIDERAÇÕES ENADE 2014 QUESTIONÁRIO/PROVAS CURSOS DE BACHARELADO Arquitetura e Urbanismo Engenharia Civil Engenharia de Controle e Automação Engenharia Mecânica Engenharias Todas as engenharias CURSOS

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO REITORIA. EDITAL N.º 001/2015 de 07/01/2015 PROCESSO SELETIVO 2015

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO REITORIA. EDITAL N.º 001/2015 de 07/01/2015 PROCESSO SELETIVO 2015 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE MATO GROSSO REITORIA EDITAL N.º 001/2015 de 07/01/2015 PROCESSO SELETIVO 2015 O reitor em exercício da reitoria da Universidade Federal de Mato Grosso

Leia mais

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão

SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO. Missão Curso: Engenharia Civil SÍNTESE PROJETO PEDAGÓGICO Missão O Curso de Engenharia Civil da UNESA tem por missão formar Engenheiros Civis com sólida formação básica e profissional, alinhada com as diretrizes

Leia mais

SENAI. Historia Criado em 1942, para apoiar o lançamento da indústria brasileira. Necessidade de mão-de-obra qualificada.

SENAI. Historia Criado em 1942, para apoiar o lançamento da indústria brasileira. Necessidade de mão-de-obra qualificada. SENAI Missão Promover a educação profissional e tecnológica, a inovação e a transferência de tecnologias industriais, contribuindo para elevar a competitividade da indústria brasileira. Historia Criado

Leia mais

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados

ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 2015-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados ACESSO AO ENSINO SUPERIOR 215-1ª FASE DO CONCURSO NACIONAL DE ACESSO Resultados Instit. Curso Instituição Curso Grau Vagas Iniciais Ministério da Educação e Ciência - Direcção Geral do Ensino Superior

Leia mais

A Engenharia e o Desenvolvimento Regional. Palestrante: Prof. Dr. Ivaldo Leão Ferreira Professor Adjunto II VEM/EEIMVR/UFF

A Engenharia e o Desenvolvimento Regional. Palestrante: Prof. Dr. Ivaldo Leão Ferreira Professor Adjunto II VEM/EEIMVR/UFF A Engenharia e o Desenvolvimento Regional A Engenharia e o Desenvolvimento Regional Resumo A importância da qualidade e diversidade na formação do corpo de engenheiros regionais e a integração da indústria

Leia mais

RELAÇÃO DE ÁREAS E CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA

RELAÇÃO DE ÁREAS E CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA RELAÇÃO DE ÁREAS E CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA Em cumprimento ao disposto no art. 2º da Portaria Normativa MEC nº. 3, de 1o de abril de 2008, e considerando as orientações das Comissões Assessoras

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO REITORIA COORDENADORIA DE ASSUNTOS INTERNACIONAIS RETIFICAÇÃO

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DE OURO PRETO REITORIA COORDENADORIA DE ASSUNTOS INTERNACIONAIS RETIFICAÇÃO RETIFICAÇÃO DO EDITAL 09/014/CAINT/UFOP, DE 08 DE SETEMBRO DE 014 PROGRAMA DE MOBILIDADE ACADÊMICA INTERNACIONAL GRADUAÇÃO Onde se lê:. VAGAS País Universidade Áreas abrangidas Vagas* África do Sul Universidade

Leia mais

Requisitos de Titulação Processo seletivo de Docentes, N.º 064/07/2011

Requisitos de Titulação Processo seletivo de Docentes, N.º 064/07/2011 Requisitos de Titulação Processo seletivo de Docentes, N.º 064/07/2011 1. Artes - (Base Nacional Comum/ Ensino Médio) Artes (LP) - qualquer linguagem Artes Cênicas (LP) Artes Plásticas (LP) Artes Plásticas

Leia mais

Formação de Educadores de Infância e de Professores do Ensino Básico - Música

Formação de Educadores de Infância e de Professores do Ensino Básico - Música Áreas para Atribuição de Título de Especialista Comunicação Gestão Estratégica das Relações Públicas Publicidade Marketing Jornalismo Comunicação Audiovisual e Multimédia Dança Dança, englobando todas

Leia mais

PROGRAMA PETROBRAS DE FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS PFRH. Recursos Humanos Universidade Petrobras

PROGRAMA PETROBRAS DE FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS PFRH. Recursos Humanos Universidade Petrobras PROGRAMA PETROBRAS DE FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS PFRH Recursos Humanos Universidade Petrobras PROGRAMA PETROBRAS DE FORMAÇÃO DE RECURSOS HUMANOS - PFRH Objetivo Ampliar e fortalecer a formação de recursos

Leia mais

Histórico da Oferta de Cursos do Câmpus Pato Branco

Histórico da Oferta de Cursos do Câmpus Pato Branco Histórico da Oferta de Cursos do Câmpus Pato Branco Inauguração da UNED - Pato Branco - Curso Nível Médio em Edificações - Curso Nível Médio em Eletrônica Incorporação da Fundação de Ensino Superior de

Leia mais

EDITAL 05/COPERVE/2015

EDITAL 05/COPERVE/2015 EDITAL 05/COPERVE/2015 (Retifica o Edital 03/COPERVE/2015) A Universidade Federal de Santa Catarina UFSC, por meio da Comissão Permanente do Vestibular COPERVE, tendo em vista a Resolução Normativa n o

Leia mais

Eletroeletrônica Eletromagnetismo. TITULAÇÃO Eletroeletrônica (EII) Engenharia Elétrica (qualquer modalidade) Eletromecânica (EII)

Eletroeletrônica Eletromagnetismo. TITULAÇÃO Eletroeletrônica (EII) Engenharia Elétrica (qualquer modalidade) Eletromecânica (EII) Eletroeletrônica Eletromagnetismo Eletroeletrônica (EII) Eletromecânica (EII) Eletrônica(EII) Eletrotécnica(EII) Engenharia de Automação e Controles Engenharia de Controle e Automação Engenharia de Operação

Leia mais

EDITAL 005.2/2014 - PROEN/IFMS

EDITAL 005.2/2014 - PROEN/IFMS EDITAL 005.2/24 - PROEN/IFMS PROCESSO SELETIVO DE PROFESSOR E TUTOR PRESENCIAL PARA ATUAR NA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA NOS CURSOS TÉCNICOS DE NÍVEL MÉDIO SUBSEQUENTES DA REDE e-tec BRASIL O REITOR DO INSTITUTO

Leia mais

Sinaes Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior. Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes. Relatório da IES

Sinaes Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior. Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes. Relatório da IES Sinaes Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior ENADE 2009 Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes Relatório da IES Universidade Federal de Ouro Preto no município: OURO PRETO SUMÁRIO Apresentação...

Leia mais

Escassez e qualidade dos engenheiros no Brasil: uma proposta de sistematização do debate

Escassez e qualidade dos engenheiros no Brasil: uma proposta de sistematização do debate Escassez e qualidade dos engenheiros no Brasil: uma proposta de sistematização do debate Bruno César Araújo (IPEA/USP) Leonardo de Melo Lins (USP) Guilherme Amaral (USP) Roteiro Introdução Renda per capita

Leia mais

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul

Ministério da Educação Secretaria de Educação Profissional e Tecnológica Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul Ministério Educação Secretaria Educação Profissional e Tecnológica Instituto Feral Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Gran do Sul CONCURSO PÚBLICO DE PROVAS E TÍTULOS - EDITAL nº 011/2013 ANEXO I -

Leia mais