ATA DA 5ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO 2006

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ATA DA 5ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO 2006"

Transcrição

1 ATA DA 5ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO 2006 Atuação: GEC e GET s 1 a 6 Av. Nações Unidas, 7163 térreo Tel Data: 11/04/2006 Horário: 09h00 às 17h00 Local: GET 5 CO 5 PRESENTES; SESMT CIPA GET 1 GET 2 GET 3 GET 4 GET 5 GET 6 GEC Eng Maria de Fátima Gomes de Macedo. Osmar Torres Luis Cláudio da Silva, Cássio Luiz da Silva Ivo Lopes de Oliveira Maurilio Gomes dos Reis Robson Willian Lorono e Milton Ricoy Claudio César P Boltiglieri e Marcos Mattos Teixeira Pinto Emerson Luiz Micossi, Keigo Maeda Tanabe e Marcos Antonio Amancio Edson dos Santos Nunes e Ana Maria de Souza Dando inicio a presente reunião nesta data em 11/04/2006, nas dependências da GET 5, junto ao CO 5, foi solicitado pelo Sr. Presidente da CIPA, Osmar Torres que se procedesse a leitura das atas da 3ª e 4ª Reuniões Ordinárias da CIPA OPERAÇÃO, para aprovação por parte dos cipeiros presentes, as quais após lidas, foram aprovadas por unanimidade, isto posto, restou deliberado que se processe a divulgação destas atas para sua divulgação junto as demais áreas da Cia. e dando conhecimento aos trabalhadores dos assuntos ali discutidos. A seguir foram discutidos os informes conforme abaixo relacionado: Binóculo o cipeiro Nunes informa que está em fase de elaboração de relatório de cada binóculo existente nos locais de trabalho, visando apurar a qualidade deste equipamento. O Sr. Osmar informa que foram adquiridos repelentes de insetos para os trabalhadores lotados na GET 6, devido a grande incidência de insetos no referido Pat. Dedetização - O Sr. Osmar informa ainda, que referente à Dedetização, recebeu informações de que a mesma foi efetuada em todas as áreas, com exceção do Pat Rangel. O cipeiro Maurílio ressalta a má qualidade do veneno utilizado na dedetização das áreas, como no caso da GET 3. Vistorias reversíveis foi informado que em breve ocorrera a vistoria conjunta da CIPA (integrantes comissão reversíveis: Robson, Mattos e Cássio), com o SESMT, 1

2 visando apurar as condições de segurança no trabalho executado, sendo que serão vistoriadas as reversíveis da GET 3, Get 4 e Get 5. A Eng. Maria de Fátima, informa que estará em curso novo procedimento no acompanhamento das solicitações da CIPA, através de formulário onde será apontada cada solicitação, visando um planejamento por parte do SESMT no atendimento e solução dos problemas que forem apresentados, os quais serão encaminhados para solução junto ao GRH e outras áreas para encaminhamentos que forem cabíveis. Mapeamento de riscos foi informado que o mesmo se encontra ainda em conclusão nas seguintes áreas, GET 2, Pat Bandeiras e torre, nas outras áreas o mesmo foi concluído satisfatoriamente. SIPAT foi informado que haverá reunião da comissão organizadora da SIPAT com integrantes das duas CIPAS, para o dia 13/4, visando preparativos para o evento. O Sr. Osmar informa que foi recebido cerca de 4 mil canetas de brinde para distribuição na semana do SIPAT e outros contatos estão sendo efetuados visando patrocínio para o evento. Pilotagem segura foi informado nesta reunião que será agendada reunião da comissão para discussão deste tema, levando em consideração o alto índice de acidentes com motos, aguardando apenas uma data para agendamento junto ao GRH. Assédio Moral - foi informado que no decorrer do mês de maio, nos dias 5 e 6 ira ocorrer um Seminário Nacional sobre o tema Assédio Moral nas Relações do Trabalho em São Paulo, desta forma foi colocado em discussão para que a CIPA Operação designasse um de seus integrantes para participar do referido evento, após debates, restou deliberado por unanimidade que o cipeiro Robson irá participar do evento e posterior trará informação a CIPA, dos assuntos pertinentes discutidos no presente seminário, para conhecimento dos demais integrantes desta comissão. INFORMES POR ÁREA: GET 1 O cipeiro Luis Cláudio informa que para o trabalho a noite, não é disponibilizada material adequado para sinalização móvel, sendo que o material existe, mas não é disponibilizado junto às viaturas. O Sr. Osmar ressalta que havendo falta de material de primeira necessidade junta a viatura, não se deve efetuar o trabalho, visando não comprometer a segurança dos trabalhadores, e usuários da via. O cipeiro Milton ressalta que nestes casos, deve-se entrar em contado com o DPO, para que este providencie o material adequado junto à viatura. O cipeiro Cássio justifica que referente ao mapeamento de riscos, o mesmo não foi efetuado na data estipulada, devido férias do mesmo e desconhecimento do calendário de entrega do mapeamento. 2

3 O cipeiro Cássio questiona com relação às pendências da GET 1, sobre quais foram os encaminhamentos adotados, comenta ainda, acidente ocorrido no lavatório, problema este, que já constava em relação de pendências da CIPA anterior. O Sr. Osmar esclarece que com relação às pendências, estas foram todas encaminhadas e as antigas foram reiteradas visando uma solução o quanto antes e com freqüência está cobrando das áreas afins, uma solução para os problemas apresentados. O Sr. Osmar ressalta ainda, que a planilha do Mapeamento de Riscos é documento oficial da empresa e através dela devemos cobrar solução dos problemas apresentados. GET 2 O cipeiro Ivo comenta a necessidade de nova Dedetização no local, contra insetos, baratas, pernilongos. Com relação ao WC permanece a situação anterior, necessitando de reformas no local. Com relação a DEC MC, em face das reformas em curso no local, solicita acompanhamento do DSI devido muita poeira, visando uma solução para este problema. O cipeiro Ivo informa que referente ao Mapeamento de Risco, este fará entrega do mesmo já na próxima semana. GET 3 O cipeiro Maurílio comenta que problema junto ao Box do banheiro e ressalta que na utilização de cloro para limpeza no local, os funcionários da empresa contatada, devam usar os EPIS necessários, visando não comprometer sua saúde. Maurílio comenta ainda, acidente ocorrido no pátio da GET, onde o funcionário se machucou devido a buracos e desnível existente no local, onde o referido funcionário não quis registrar CAT. A Eng. Maria de Fátima ressalta a importância da comunicação das ocorrências através da CAT, para a adoção das medidas corretivas que forem necessárias. O cipeiro Maurílio comenta que não encontrou junto a área, o historio das pendências da GET 3, mas que em conversa com o ex-cipeiro Martino e com o cipeiro Robson, este ultimo que foi integrante da gestão anterior e esta na atual gestão, de que foi informado de que as pendências relativas a área se encontram registradas e disponíveis junto ao arquivo da CIPA. O cipeiro Maurílio ressalta ainda, o agradecimento dos operadores por todo o trabalho que foi efetuado tanto por esta CIPA como pelas gestões anteriores. 3

4 GET 4 O cipeiro Milton comenta que referente ao uso de EPI Motociclista, os gestores não possuem curso para fiscalizar o uso dos mesmos e não cabe aos cipeiros fiscalizarem o efetivo uso. Ressalta ainda, que a cobrança do uso dos EPIS gera antipatia por parte de alguns operadores e que seu uso deveria ser de consciência de todos. Robson ressalta que em dias de calor, o uso de jaqueta de couro é preocupante e pode ensejar problemas de saúde para os usuários e seria interessante buscaremse alternativas ao seu uso. Visando resguardar os trabalhadores. O cipeiro Keigo ressalta que o uso de EPI faz parte de norma e como tal deve ser utilizado. Após debates junto à comissão, restou deliberado pela utilização dos EPIS visando não colocar em risco a segurança dos trabalhadores, pela falta de utilização destes. Desta forma a CIPA entende ser obrigatório a utilização dos referidos EPIS de motociclistas e o SESMT irá encaminhar junto ao GRH solicitação para o efetivo cumprimento da norma. Robson comenta que efetuou contado com o DPO 4, a respeito de problemas junto ao banheiro localizado no vestiário masculino da GET 4 (av. Lins de Vasconcelos), pois o mesmo se encontra com seus 02 mictorios entupidos e 02 dos 03 vasos sanitários entupidos, com cheiro insuportável. Ressalta ainda, que na semana seguinte o problema foi equacionado, restando para este caso uma solução definitiva, pois conforme levantado, é necessário que se efetuem obras junto à encanação no local, visando prevenir este tipo de ocorrência. Abaixo assinado; Robson comenta que recebeu um abaixo assinado com mais de 118 assinaturas solicitando o fornecimento de bota tipo motociclistas para toda a operação, o qual neste ato entrega ao presidente da CIPA para os encaminhamentos necessários. Ressalta ainda, que tal solicitação é justa, tendo em vista que a utilização do referido EPI previne entorses e diversas outras ocorrências de acidentes no desempenho das atividades diárias. Faixas de pano; Robson comenta que em contato com os operadores tomou conhecimento de que seria efetuada a retirada de uma faixa de pano próximo à rede elétrica energizadada e desta forma, Solicitou junto ao gestor responsável pela DEC que permitisse o acompanhamento do mesmo junto ao local para certificar-se das condições para a retirada da faixa. No local, foi constatado pelo cipeiro de que não havia segurança para efetuar a retirada da faixa, tendo em vista a proximidade da rede de alta tensão, fato este registrado em fotos tiradas pelo Palm. Desta forma informou tal situação junto ao responsável pela DEC o qual agradeceu o apoio dispensado pela CIPA. 4

5 Ocorre, entretanto que algumas horas depois, outra equipe foi ao local e retirou a faixa de pano, sem maiores problemas. Robson ressalta que esta atitude foi insegura, e o procedimento para a retirada de faixas de pano, conforme contido em CI DSI 221/05, deve ser efetuado por profissionais treinados, com EPIS adequados e que este serviço seja efetuado preferencialmente pelos técnicos da sinalização, tendo em vista que estes já recebem adicional de Periculosidade. Desta forma fica o alerta para que seja adotados regras claras e que seja seguida por parte dos trabalhadores da area operacional, visando resguardar a segurança destes, neste ato Robson entrega para o presidente da CIPA o disquet contendo as fotos do local onde se encontrava as ditas faixas de pano para avaliação e tomadas das deliberações que forem cabíveis, ressaltando que este assunto foi exaustivamente debatido na gestão passada da CIPA, inclusive com as demais representações. Rotas com moto sozinho: Robson informa que foi procurado por alguns motociclistas com relação ao problema de se efetuar o trabalho com motos em rotas sozinhos e desta forma traz este problema para debate junto aos demais cipeiros. O cipeiro Milton Ressalta a importância do trabalho em duplas com motos, pois desta forma há mais segurança na operação, situação esta de consenso junto aos demais integrantes da comissão. Robson ressalta que conforme informações levantadas, o turno 1b (06h00) e o turno 3 a (16h00) saem com duas motos, enquanto o turno 2 (10h20) sai para a rota com somente uma moto, e sugere discutir esta situação junto as áreas e DPO e posterior trazer uma posição para a comissão. O Sr. Osmar Torres, defende o trabalho em duplas na operação com moto, posição esta de consenso junto aos demais integrantes da CIPA. GET 5 O cipeiro Matos comenta a gravidade do acidente ocorrido na área, com o motociclista, onde foi necessária a retirada de um pulmão do funcionário.foi sugerido ainda, levantar tais circunstancias que ocorreu a referida cirurgia para saber se não houve erro medico ou negligência, desde que o funcionário concorde com este encaminhamento. Referente às pendências da área, Matos comenta que faltam tampar buracos junto ao Pátio e o problema da grelha em desnível. Permanecem faltantes as divisórias junto ao banheiro. Foi sugerido o uso de refletivo na botina de segurança, visando proporcionar maior segurança. Mattos ressalta que a empresa deva fornecer palmilhas avulsas, tendo em vista de que o calcado tem uma vida útil e as palmilhas apresentam um desgaste precoce. 5

6 GET 6 O cipeiro Emerson (Pat Tatuapé) comenta a necessidade de reformas de uma maneira geral. Foi proposta a ampliação dos vestiários onde se encontrava instalada uma empreiteira no Pat. Ressalta que foi efetuada Dedetização no local recentemente. Emerson ressalta a necessidade de se definir uma data para proceder-se o trabalho de analise da função com guincho. O cipeiro keigo (Pat Castelo), ressalta que foi efetuado orçamento para reparos junto ao telhado do administrativo do Pat. Foi efetuado no ultimo dia 8 do mês em curso, Dedetização no local. Falta lanterna de sinalização. Requerente aos super-cones, devido ao desgaste dos mesmos, fica perigoso a noite, devendo se efetuar reforço no refletivo. Cavaletes, também se sugerem melhorar o refletivo. Emerson ressalta a necessidade de um cordão de luz, visando melhorar a segurança. Keigo ressalta que o material é sempre fornecido para outras áreas quando necessário, gerando necessidade de reposição. Amâncio (Pat Band) informa que foi satisfatória a entrega de repelentes. Ressalta ainda, que o espaço junto ao banco do motorista da Ranger é objeto de varias reclamações dos operadores. Foi sugerida a demarcação junto ao estacionamento, devido a dificuldades de manobra com veículos particulares. A guarita do vigia fica em local impróprio, deve-se melhorar o posicionamento da mesma visando resguardar a segurança dos funcionários daquele Pat. Foi apresentada a sugestão de 02 vigias para o local. Amâncio ressalta o risco de acidentes devido quedas de objetos oriundos do viaduto acima, tais como bobinas e outros. GEC Ana Maria sugere o fornecimento de botina de segurança para o trabalho de fiscalização em zona azul, conforme solicitado pelos trabalhadores. 6

7 Solicita ainda, capa de chuva para a operação em zona azul e o fornecimento com intervalo menor do protetor solar. Nunes solicita que a CIPA encaminhe solicitação para aquisição de velas para os filtros existentes nos Pacs. Solicita ainda a liberação de EPIS de frio para os PAC s antes do inverno. Solicita ainda, avaliação de uso de uniforme para os Pacs no dia a dia de seu trabalho, o que será objeto de consulta junto aos trabalhadores. Nunes comenta sobre o trabalho realizado junto aos Pacs visando o Mapeamento de Riscos. Robson ressalta que nos locais mais perigosos, deve-se agendar juntamente com o SESMT uma visita mais detalhada, visando efetuar um laudo dos riscos ambientais encontrados, bem como quais as medidas de segurança a serem adotadas visando prevenir acidentes. Robson e Nunes não concordam o não deferimento da solicitação de mudança de jornada de trabalho dos Pacs, devido ao risco deste trabalharem 08h40 nos finais de semana, devido o isolamento nos postos de trabalho. Ressaltam ainda, que é comum, quando de necessidades operacionais, os Pacs dobrarem o turno e ainda sair bem após o final do expediente, pois quando há necessidade o Pac ativa as 07h00 e não havendo rendição por qualquer motivo, as 13h30 este dobra até as 20h00 ( conforme avaliação da chefia imediata) e ainda, ocorre que devido a contratempos no trânsito, este ainda pode ser autorizado sua saída somente após a melhora do campo visual. Ou seja, como vemos acima, o Pac quando é necessário trabalho de 12 a 14horas ou mais, portanto não é justo não permitirem que estes profissionais trabalhem em jornada de 220hr mensais, pelos motivos alegados nesta. O Sr. Osmar ressalta que este assunto pertence ao sindicato para as deliberações que forem cabíveis e não a CIPA. O Contido nesta ata foi lido na presença dos cipeiros os quais aprovaram o contido nesta a qual segue após lida e aprovada por unanimidade pelos presentes para divulgação. Nada mais havendo a ser discutido, foi encerrada a presente reunião onde eu Robson Willian Lorono secretarie e a mesma foi presidida pelo Presidente das duas CIPAS, Sr. Osmar Torres. 7

8 ORIGINAL ASSINADO ORIGINAL ASSINADO Osmar Torres Robson Willian Lorono. Presidente CIPA 1º secretário CIPA OPERAÇÃO 8

ATA DA 6ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO - 2006

ATA DA 6ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO - 2006 ATA DA 6ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO - 2006 Atuação: GEC E GET's 1 A 6 E-mail: cipao@cetsp.com.br Av. Nações Unidas, 7163 térreo Tel.: 3030-2444 Data: 09/05/2006 Horário: 09h00 às 17h00 Local:

Leia mais

ATA DA 3ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO - 2006

ATA DA 3ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO - 2006 ATA DA 3ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO - 2006 Atuação: GEC E GET's 1 A 6 e-mail: cipao@cetsp.com.br Av. Nações Unidas, 7163 térreo Tel.: 3030-2444 Data: 14/02/2006 Horário: 09h00 às 17h00 Local:

Leia mais

ATA DA 3ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO 2006/2007 Atuação: GETs 1,2,3,4,5,6, GEC, GES Site: Intranet Representação - Cipa

ATA DA 3ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO 2006/2007 Atuação: GETs 1,2,3,4,5,6, GEC, GES Site: Intranet Representação - Cipa ATA DA 3ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO 2006/2007 Atuação: GETs 1,2,3,4,5,6, GEC, GES Site: Intranet Representação - Cipa Data:08/02/07 HORÁRIO: 09H00 17H00 LOCAL (fixo toda segunda 5ª feira do mês):

Leia mais

Companhia de Engenharia de Tráfego

Companhia de Engenharia de Tráfego ATA DA 1ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO 2006/2007 Atuação: GETs 1,2,3,4,5,6, GEC, GES Endereço: Av. das Nações Unidas, 7163 - térreo Fone: 3030.2444 E-mail: Site: Intranet Representação - Cipa Data:14/12/06

Leia mais

Companhia de Engenharia de Tráfego

Companhia de Engenharia de Tráfego ATA DA 4ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA OPERAÇÃO 2006/2007 Atuação: GETs 1,2,3,4,5,6, GEC, GES E-mail: Site: Intranet Representação - CIPA Data:08/03/07 HORÁRIO: 09H00 17H00 LOCAL (fixo toda segunda 5ª feira

Leia mais

ATA DA 4ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA MSV 2006/2007

ATA DA 4ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA MSV 2006/2007 ATA DA 4ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA MSV 2006/2007 Atuação: Administrativo e Sinalização e-mail: Av. Nações Unidas,7163 térreo Tel.: 3030-2444 Data: 09/03/2007 Horário: 9h00 às 17h00 Local: ET Sala E-10

Leia mais

ATA DA 5ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA MSV 2006

ATA DA 5ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA MSV 2006 ATA DA 5ª REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA MSV 2006 Atuação: Administrativo e Sinalização e-mail: cipam@cetsp.com.br Av. Nações Unidas,7163 térreo Tel.: 3030-2444 Data: 13/04/2006 Horário: 9h00 às 17h00 Local:

Leia mais

ATA DE REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA

ATA DE REUNIÃO ORDINÁRIA DA CIPA Aos vinte e sete dias do mês de dezembro do ano de dois mil e seis, às quatorze horas e treze minutos, na empresa Associação de Ensino Superior de Nova Iguaçu, sediada na Acidentes, registrada na delegacia

Leia mais

ANEXO IX NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONVITE Nº. 003/2012

ANEXO IX NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONVITE Nº. 003/2012 ANEXO IX NORMAS E PROCEDIMENTOS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO CONVITE Nº. 003/2012 1.) CONDIÇÕES BÁSICAS 1.1. As empreiteiras que admitam trabalhadores deverão cumprir a Norma Regulamentadora nº

Leia mais

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil

XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil XX Seminário Nacional de Distribuição de Energia Elétrica SENDI 2012-22 a 26 de outubro Rio de Janeiro - RJ - Brasil Jaime Junior dos Santos Aes Sul Distribuidora Gaúcha de Energia jaime.santos@aes.com

Leia mais

DIRETRIZ ORGANIZACIONAL

DIRETRIZ ORGANIZACIONAL TÍTULO: REQUISITOS DE MEIO AMBIENTE, SAÚDE OCUPACIONAL E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA CONTRATADAS Área Responsável: Gerência Geral de Meio Ambiente Saúde e Segurança 1. OBJETIVO Este procedimento tem como

Leia mais

Alexandre Enzweiler, Gabriel de Almeida e Yvo Pitol 22/04/2013

Alexandre Enzweiler, Gabriel de Almeida e Yvo Pitol 22/04/2013 CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes NR-5 Alexandre Enzweiler, Gabriel de Almeida e Yvo Pitol 22/04/2013 Atribuições iniciais Criada em 1934 e regulamentada somente em 1978 juntamente com outras

Leia mais

Manual de Segurança e higiene do trabalho Procedimento para CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes

Manual de Segurança e higiene do trabalho Procedimento para CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes Revisão: 00 Folha: 1 / 10 1. Definição CIPA Acidente 2. Objetivo A CIPA - tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo a tornar compatível permanentemente o trabalho

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO

NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO NORMAS REGULAMENTADORAS - NR ABAIXO ESTÃO AS NORMAS REGULAMENTADORAS VIGENTES DO MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO NR 1 - Disposições Gerais As Normas Regulamentadoras são de observância obrigatória por

Leia mais

COMANDO DA AERONÁUTICA APOIO AO HOMEM DCA 164-1 ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES - CIPA

COMANDO DA AERONÁUTICA APOIO AO HOMEM DCA 164-1 ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES - CIPA COMANDO DA AERONÁUTICA APOIO AO HOMEM DCA 164-1 ESTRUTURA E FUNCIONAMENTO DA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES - CIPA 18 JUN 2002 COMANDO DA AERONÁUTICA DEPARTAMENTO DE CONTROLE DO ESPAÇO AÉREO

Leia mais

5.5.4 Para cada eleição deverá haver uma folha de votação que ficará arquivada na empresa por um período mínimo de 3 (três) anos.

5.5.4 Para cada eleição deverá haver uma folha de votação que ficará arquivada na empresa por um período mínimo de 3 (três) anos. NR 5 5.1 As empresas privadas e públicas e os órgãos governamentais que possuam empregados regidos pela ConsoIidação das Leis do Trabalho - CLT ficam obrigados a organizar e manter em funcionamento, por

Leia mais

NR5 - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (205.000-5) DO OBJETIVO 5.1 A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA - tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho,

Leia mais

Este procedimento aplica-se a todas as Empresas de Distribuição da Eletrobras - EDEs em serviços de campo.

Este procedimento aplica-se a todas as Empresas de Distribuição da Eletrobras - EDEs em serviços de campo. Página: 1/8 1. OBJETIVO Este procedimento tem como objetivo determinar a metodologia para inspeção de postes em redes de distribuição Rural e Urbana em média e baixa tensão, visando garantir a uniformidade,

Leia mais

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA TERCEIROS

MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA TERCEIROS MANUAL DE SEGURANÇA E SAÚDE OCUPACIONAL PARA TERCEIROS ANTES DO INÍCIO DOS TRABALHOS Fornecer cópia deste manual a sua equipe de liderança, e exigir o seu cumprimento de acordo com o Artigo 157 Item I

Leia mais

1. Em situações excepcionais, o funcionário em regime de trabalho de 12X36h poderá ter prorrogada a jornada de trabalho?

1. Em situações excepcionais, o funcionário em regime de trabalho de 12X36h poderá ter prorrogada a jornada de trabalho? Reunião da CODAGE com os Assistentes Administrativos das Unidades realizada em 1/3/2007 Assunto: Procedimentos Administrativos sobre Horas Extras - Perguntas e Respostas 1. Em situações excepcionais, o

Leia mais

Documentos Obrigatórios em UANs

Documentos Obrigatórios em UANs Documentos Obrigatórios em UANs Profa. Ms Kelly Ribeiro Amichi DISPOSIÇÕES PRELIMINARES Para o funcionamento de uma UAN, existe a documentação obrigatória exigida pela legislação. Essa documentação deve

Leia mais

Cronograma de Atividades CIPA GESTÃO 2012-2013

Cronograma de Atividades CIPA GESTÃO 2012-2013 Julho/2012 Cronograma de Atividades CIPA GESTÃO 2012-2013 Slogan: Segurança se faz com Educação MÊS Atividades * Reunião Ordinária e Posse da CIPA: 06/07/2012 * Implantação da Urna de Sugestões da CIPA.

Leia mais

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA. Sindilojas, 24 de julho de 2014

Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA. Sindilojas, 24 de julho de 2014 Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA Sindilojas, 24 de julho de 2014 Legislação da CIPA Decreto-lei nº 7.036 de 10/11/1944 (Lei de Acidentes do Trabalho): Art. 82. Os empregadores, cujo número

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTO DE CONTROLE DE ACESSO

MANUAL DE PROCEDIMENTOS PROCEDIMENTO DE CONTROLE DE ACESSO 25/03/203 PSP-0. INTRODUÇÃO O Procedimento de Controle de Acesso tem como objetivo orientar e padronizar o procedimento de acesso de pessoas as fábricas, garantindo que somente pessoas autorizadas possam

Leia mais

COORDENADORIA ESTADUAL DE DEFESA CIVIL

COORDENADORIA ESTADUAL DE DEFESA CIVIL COORDENADORIA ESTADUAL DE DEFESA CIVIL Roteiro para montagem de um Plano Preventivo de Defesa Civil Apresentamos o presente roteiro com conteúdo mínimo de um Plano Preventivo de Defesa Civil ou Plano de

Leia mais

ANEXO III - EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE Página 1 de 7

ANEXO III - EXIGÊNCIAS DE SEGURANÇA, MEIO AMBIENTE E SAÚDE Página 1 de 7 Página 1 de 7 1. OBJETIVO 1.1. Estas exigências definem os deveres e as responsabilidades da CONTRATADA e estabelecem as orientações e procedimentos concernentes às atividades de Segurança, Proteção ao

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTOS

MANUAL DE PROCEDIMENTOS ASSUNTO PADRONIZAÇÃO DAS ATIVIDADES DE SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO, A SEREM EXECUTADAS PELAS EMPRESAS CONTRATADAS PELA INFRAERO RESPONSÁVEL DIRETORIA DE ADMINISTRAÇÃO (DA) GERÊNCIA DE DINÂMICA LABORAL

Leia mais

Seja bem-vindo à BrasilPark!

Seja bem-vindo à BrasilPark! Seja bem-vindo à BrasilPark! A BrasilPark tem por missão oferecer aos seus clientes serviços de extrema eficiência e satisfação. Para que isto ocorra, deve ser permanente o comprometimento de todos nós

Leia mais

CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes

CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes DO OBJETIVO A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA - tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo

Leia mais

Gerenciamento de Obras. Coordenação Prof. Dr. João R. L. Simões

Gerenciamento de Obras. Coordenação Prof. Dr. João R. L. Simões Gerenciamento de Obras Prof. Dr. Ivan Xavier Coordenação Prof. Dr. João R. L. Simões Fases do Gerenciamento: 3. Operação e controle da obra. 3. Operação e controle da obra: Reunião de partida da obra;

Leia mais

ACIDENTES DE TRABALHO

ACIDENTES DE TRABALHO ACIDENTES DE TRABALHO CONCEITOS Acidente de trabalho é uma ocorrência imprevista e indesejável, instantânea ou não, relacionada com o exercício do trabalho, que provoca lesão pessoal ou de que decorre

Leia mais

DOS PROCEDIMENTOS QUANTO À OCORRÊNCIA DE SINISTROS COM VEÍCULOS... 6. DO RECEBIMENTO DE BENS DOADOS PELA Receita Federal do Brasil (RFB)...

DOS PROCEDIMENTOS QUANTO À OCORRÊNCIA DE SINISTROS COM VEÍCULOS... 6. DO RECEBIMENTO DE BENS DOADOS PELA Receita Federal do Brasil (RFB)... Manual de Frota 2 SUMÁRIO DO CONTRATO DE MOTORISTAS TERCEIRIZADOS... 3 DAS SOLICITAÇÕES DE VEÍCULOS OFICIAIS... 3 DO ABASTECIMENTO... 4 Do Abastecimento de veículos de outros órgãos... 5 DA MANUTENÇÃO

Leia mais

PLANO DE FUGA EM OCORRÊNCIAS DE INCÊNDIOS E EMERGÊNCIAS EM ESCOLAS

PLANO DE FUGA EM OCORRÊNCIAS DE INCÊNDIOS E EMERGÊNCIAS EM ESCOLAS PLANO DE FUGA EM OCORRÊNCIAS DE INCÊNDIOS E EMERGÊNCIAS EM ESCOLAS PLANO DE EMERGÊNCIA CONTRA INCÊNDIO de acordo com o projeto de norma nº 24:203.002-004 da ABNT ( setembro 2000 ) 1 Objetivo 1.1 Estabelecer

Leia mais

RECURSOS HUMANOS ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL SUMÁRIO

RECURSOS HUMANOS ADMINISTRAÇÃO DE PESSOAL SUMÁRIO TERCEIRIZADAS NA SUMÁRIO 1. OBJETIVO... 02 2. ÂMBITO... 02 3. CONCEITOS... 02 4. NORMAS APLICÁVEIS E DOCUMENTOS DE REFERÊNCIAS... 03 5. INSTRUÇÕES GERAIS... 03 6. PROCEDIMENTOS... 03 7. CONTROLE DE REGISTROS...

Leia mais

Altera e consolida o Regimento Interno da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA e dá outras providências.

Altera e consolida o Regimento Interno da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA e dá outras providências. ATO Nº 1104/09 Altera e consolida o Regimento Interno da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA e dá outras providências. CONSIDERANDO as sugestões de aperfeiçoamento do Regimento Interno da Comissão

Leia mais

Conceitos básicos em Medicina e Segurança do Trabalho

Conceitos básicos em Medicina e Segurança do Trabalho Conceitos básicos em Medicina e Segurança do Trabalho A Consolidação das Leis do Trabalho foi aprovada pelo decreto-lei nº 5.452, de 1º de maio de l.943. Em seu art. 1º a Consolidação estatui as normas

Leia mais

Anexo I TERMO DE REFERÊNCIA GEMAP 34/2008

Anexo I TERMO DE REFERÊNCIA GEMAP 34/2008 Anexo I TERMO DE REFERÊNCIA GEMAP 34/2008 1 DO OBJETO Visa à contratação de empresa especializada nos serviços de instalação/colocação de Isolamento Acústico com fornecimento de todos os materiais necessários

Leia mais

Caro XXXXX, O que é CIPA?

Caro XXXXX, O que é CIPA? Caro XXXXX, Para eleição da CIPA e empresa deve seguir rigorosamente o determinado na Nr 5 da Portaria 3214 do MTB, após a eleição ele deve comunicar a DRT da região bem como o respectivo sindicato da

Leia mais

Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno

Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno PPRA MANUAL PRÁTICO PARA ELABORAÇÃO FORMULÁRIO PARA RECONHECIMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS Material do curso PPRA EXPERT Apostila do aluno RECONHECIMENTO DOS RISCOS AMBIENTAIS Esse Formulário deve ser aplicado

Leia mais

MANUAL PARA MONTADORAS

MANUAL PARA MONTADORAS 1. PERÍODO DE REALIZAÇÃO DO EVENTO: De 13 a 17 de Abril de 2015, das 08:00 às 18:00h. MANUAL PARA MONTADORAS 2. PERÍODO DE MONTAGENS E DESMONTAGENS DOS STANDS Período de montagem de stands será de 23/03/2015

Leia mais

Superintendência de Comunicações

Superintendência de Comunicações CARGO: GESTOR DE TRÂNSITO Responder pelo estabelecimento de diretrizes, formulação e implantação de políticas, programas e procedimentos referentes à administração das atividades voltadas à operação do

Leia mais

Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas

Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas Manual de Procedimentos de Segurança e Medicina do Trabalho para Empresas Contratadas Responsável: Diretoria de Administração (DA) Superintendência de Recursos Humanos (DARH) Gerência de Dinâmica Laboral

Leia mais

PARTICIPANTES Nome Área Assinatura Nome Área Assinatura Mario Pereira da Silva Ger. Industrial

PARTICIPANTES Nome Área Assinatura Nome Área Assinatura Mario Pereira da Silva Ger. Industrial RELATÓRIO DE ANÁLISE CRÍTICA PELA DIREÇÃO Data da Reunião: 15/03/2011 Data da Próima Reunião: março/2012 Folha: Total de 4 PARTICIPANTES Nome Área Assinatura Nome Área Assinatura Mario Pereira da Silva

Leia mais

ESPAÇO CONFINADO CONTROLE DE REVISÃO

ESPAÇO CONFINADO CONTROLE DE REVISÃO Elaborado por Ana Karolina Kalil Visto Aprovado por Márcio Flávio Ribeiro Pereira Visto CONTROLE DE REVISÃO Revisão Data Item Natureza das alterações 0 25/04/2014 - Emissão inicial 1. OBJETIVO Estabelecer

Leia mais

QUESTIONAMENTOS PREGÃO PRESENCIAL Nº 009/2012

QUESTIONAMENTOS PREGÃO PRESENCIAL Nº 009/2012 QUESTIONAMENTOS PREGÃO PRESENCIAL Nº 009/2012 1) Solicito esclarecimento referente ao Pregão Presencial nº 009/2012, cujo objeto é a prestação de serviço de limpeza e conservação predial, movimentação

Leia mais

Sistema de Gestão de SMS

Sistema de Gestão de SMS DESCRIÇÃO DA EMPRESA Nome SMART EXPRESS TRANSPORTES LTDA EPP CNPJ 12.103.225/0001-52 Insc.Est. 79.477.680 Atividade: transporte rodoviário de carga em geral Código: 206-2 Nº de funcionários (inclusive

Leia mais

FÓRUM DE SAÚDE E CONDIÇÕES DE TRABALHO PAUTA DE REIVINDICAÇÕES DOS TRABALHADORES DO BANCO SANTANDER REUNIÃO DE 25/07/2013

FÓRUM DE SAÚDE E CONDIÇÕES DE TRABALHO PAUTA DE REIVINDICAÇÕES DOS TRABALHADORES DO BANCO SANTANDER REUNIÃO DE 25/07/2013 FÓRUM DE SAÚDE E CONDIÇÕES DE TRABALHO PAUTA DE REIVINDICAÇÕES DOS TRABALHADORES DO BANCO SANTANDER REUNIÃO DE 25/07/2013 Em encontro nacional dos dirigentes sindicais do Santander, realizado nos dias

Leia mais

Portaria Catarina Modelos e Procedimentos. Sugestão Comissão de Obras Criação de Sala de Estar/Recepção Modelo

Portaria Catarina Modelos e Procedimentos. Sugestão Comissão de Obras Criação de Sala de Estar/Recepção Modelo Portaria Catarina Modelos e Procedimentos Sugestão Comissão de Obras Criação de Sala de Estar/Recepção Modelo 1 Alterações Físicas Para implementação desta alternativa a quantidade de alterações físicas

Leia mais

CONDIÇÕES MINÍMAS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA

CONDIÇÕES MINÍMAS DE SEGURANÇA E MEDICINA DO TRABALHO PARA 1/5 I FINALIDADE Definir critérios de Segurança e Medicina do Trabalho. a serem exigidas das prestadoras de serviços. II ABRANGÊNCIA Todas Prestadoras de Serviços contratadas pela CERON. III PROCEDIMENTOS

Leia mais

INDICE DE REVISÕES DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS

INDICE DE REVISÕES DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS Nº PE 4604.52-6270-948-SMS-011 CLIENTE: PROGRAMA: ÁREA: PETROBRAS MODERNIZAÇÃO DO PONTO DE ENTREGA DE ARAÇAS FOLHA 1/12 TÍTULO: ENGENHARIA/IENE /IETEG/CMIPE PLANO DE EMERGÊNCIAS MEDICAS E PRIMEIROS SOCORROS

Leia mais

Este Termo de Referência foi elaborado em cumprimento ao disposto na legislação federal e municipal correspondente.

Este Termo de Referência foi elaborado em cumprimento ao disposto na legislação federal e municipal correspondente. INTRODUÇÃO ANEXO I TERMO DE REFERÊNCIA Este Termo de Referência foi elaborado em cumprimento ao disposto na legislação federal e municipal correspondente. DO OBJETO REGISTRO DE PREÇOS PARA AQUISIÇÃO DE

Leia mais

CONTRADAS / TERCEIRIZADAS / CONVENIADAS NS - 03

CONTRADAS / TERCEIRIZADAS / CONVENIADAS NS - 03 DEPARTAMENTO MUNICIPAL DE LIMPEZA URBANA Comissão Técnica de Controle das Condições de Trabalho - CTCCT Serviço Especializado em Segurança e Medicina do Trabalho - SESMT MANUAL DE SEGURANÇA E MEDICINA

Leia mais

Programa de Segurança e Saúde do Trabalho "Segurança o Tempo Todo"

Programa de Segurança e Saúde do Trabalho Segurança o Tempo Todo Página: 1/14 1. OBJETIVO Descrever as principais rotinas gerenciais de segurança e saúde do trabalho à serem desenvolvidas pela equipe da ENDICON, visando minimizar os acidentes de trabalho, doenças ocupacionais,

Leia mais

NORMA PROCEDIMENTAL SEGURANÇA NO AMBIENTE DE TRABALHO E USO DO EPI

NORMA PROCEDIMENTAL SEGURANÇA NO AMBIENTE DE TRABALHO E USO DO EPI NORMA PROCEDIMENTAL SEGURANÇA NO AMBIENTE DE TRABALHO E USO DO EPI 1. FINALIDADE: Regulamentar a utilização do Equipamento de Proteção Individual EPI, no âmbito do DEMLURB, a fim de proporcionar melhores

Leia mais

Procedimento Institucional Gestão de EPI

Procedimento Institucional Gestão de EPI Tipo de Documento Procedimento Institucional Título do Documento Equipamento de Proteção Individual Elaborado por Paulo Sérgio Bigoni Área Relacionada Saúde e Segurança do Trabalhador Processo ESTRUTURAÇÃO

Leia mais

Os representantes da GRU Airport, concessionária que administra o aeroporto, comunicaram aos presentes sobre as datas de implantação de sistemas:

Os representantes da GRU Airport, concessionária que administra o aeroporto, comunicaram aos presentes sobre as datas de implantação de sistemas: Reunião da CCT Aeroporto de Guarulhos 08/09/2015 A 297ª edição da Comissão de Coordenação do Terminal de Cargas (CCT) do Aeroporto de Guarulhos aconteceu no dia 08/09 e teve a participação do SINDASP,

Leia mais

SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S. Objetivo: Instruir quanto ao campo de aplicação das NR s e direitos e obrigações das partes.

SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S. Objetivo: Instruir quanto ao campo de aplicação das NR s e direitos e obrigações das partes. SÚMULA DAS NORMAS REGULAMENTADORAS NR S NR-1 DISPOSIÇÕES GERAIS O campo de aplicação de todas as Normas Regulamentadoras de segurança e medicina do trabalho urbano, bem como os direitos e obrigações do

Leia mais

TABELA DE CARGOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA SINTESE DAS ATIVIDADES TOTAL DE VAGAS REQUISITO

TABELA DE CARGOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA SINTESE DAS ATIVIDADES TOTAL DE VAGAS REQUISITO TABELA DE CARGOS CARGOS DE NÍVEL MÉDIO CARGO Assistente Operacional Assistente Administrativo PRÉ- REQUISITO completo completo TOTAL DE VAGAS VENCIMENTO BASE CARGA HORÁRIA 01 R$ 1.813,45 40 horas 02 R$

Leia mais

ANEXO XI FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO E ATESTE DOS SERVIÇOS TERCEIRIZADOS DE CONSERVAÇÃO, LIMPEZA E AFINS E CONTROLE DE ENTRADA DE MATERIAIS

ANEXO XI FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO E ATESTE DOS SERVIÇOS TERCEIRIZADOS DE CONSERVAÇÃO, LIMPEZA E AFINS E CONTROLE DE ENTRADA DE MATERIAIS ANEXO XI FORMULÁRIO DE AVALIAÇÃO E ATESTE DOS SERVIÇOS TERCEIRIZADOS DE CONSERVAÇÃO, LIMPEZA E AFINS E CONTROLE DE ENTRADA DE MATERIAIS Mês / Ano: Localidade: Responsável: Cargo: 1. De um modo geral, como

Leia mais

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO

MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO Serviço Público Federal MINISTÉRIO DO DESENVOLVIMENTO, INDÚSTRIA E COMÉRCIO EXTERIOR INSTITUTO NACIONAL DE METROLOGIA, QUALIDADE E TECNOLOGIA - INMETRO Parecer nº. 018/Audin INMETRO/SITAD/NÚMERO DO PROTOCOLO

Leia mais

Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF

Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF Normas de Segurança para o Instituto de Química da UFF A Comissão de segurança do Instituto de Química da UFF(COSEIQ) ao elaborar essa proposta entende que sua função é vistoriar, fiscalizar as condições

Leia mais

Higiene e segurança no trabalho

Higiene e segurança no trabalho Higiene e segurança no trabalho Mourão Saldanha E-mail: veniciopaulo@gmail.com / Site: www.veniciopaulo.com ESPAÇOS CONFINADOS LIVRETO DO TRABALHADOR NR 33 Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados

Leia mais

NORMAS REGULAMENTADORAS

NORMAS REGULAMENTADORAS NORMAS REGULAMENTADORAS De que trata cada Norma Regulamentadora (NR), urbanas e rurais. Nos links (sublinhados), você pode conferir o texto original das Normas, direto no site do Ministério do Trabalho

Leia mais

CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes

CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes Disciplina: Segurança do Trabalho Alunos: Douglas Jeronymo Serra João Longo Profᵃ. Elizabeth Cox História da CIPA A Comissão Interna de Prevenção de Acidentes

Leia mais

RELATÓRIO DA OFICINA: COMO AGIR NA COMUNIDADE E NO DIA A DIA DO SEU TRABALHO. Facilitadoras: Liliane Lott Pires e Maria Inês Castanha de Queiroz

RELATÓRIO DA OFICINA: COMO AGIR NA COMUNIDADE E NO DIA A DIA DO SEU TRABALHO. Facilitadoras: Liliane Lott Pires e Maria Inês Castanha de Queiroz 1 RELATÓRIO DA OFICINA: COMO AGIR NA COMUNIDADE E NO DIA A DIA DO SEU TRABALHO Facilitadoras: Liliane Lott Pires e Maria Inês Castanha de Queiroz Contrato: AS.DS.PV.024/2010 Empresa: SENSOTECH ASSESSORAMENTO

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL CONSELHO REGIONAL DE ENGENHARIA E AGRONOMIA DO ESTADO DE SÃO PAULO CREA-SP Instrução nº 2552 Dispõe sobre o ressarcimento de diárias e transporte aos Senhores Funcionários, quando em viagem a serviço, reuniões, eventos e treinamentos dentro e fora do Estado, formalmente convocados

Leia mais

Manual de Orientação

Manual de Orientação Manual de Orientação Fone: (47) 3635-6682 Direção de Administração Orientações para solicitação de serviços ou compras I SOLICITAÇÃO DE SERVIÇOS O solicitante deve abrir processo e encaminhar a Coordenadoria

Leia mais

A UTILIZAÇÃO DE BICICLETAS NA FISCALIZAÇÃO DO TRÂNSITO E TRANSPORTE.

A UTILIZAÇÃO DE BICICLETAS NA FISCALIZAÇÃO DO TRÂNSITO E TRANSPORTE. A UTILIZAÇÃO DE BICICLETAS NA FISCALIZAÇÃO DO TRÂNSITO E TRANSPORTE. EMDEC Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas S/A RESENHA A utilização de bicicletas na fiscalização do trânsito ocorre em

Leia mais

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012. GUINCHO VELOX e HUCK

MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA. Todos os direitos reservados. Proibida reprodução total ou parcial sem autorização Locatec-2012. GUINCHO VELOX e HUCK MANUAL DE OPERAÇÃO E SEGURANÇA GUINCHO VELOX e HUCK ÍNDICE INTRODUÇÃO... 2 1. INFORMAÇÕES TÉCNICAS... 2 2. PROCEDIMENTOS GERAIS DE SEGURANÇA... 2 2.1. USO DOS GUINCHOS... 3 2.2. LUBRIFICAÇÃO... 3 2.3.

Leia mais

Higiene e Segurança no Trabalho

Higiene e Segurança no Trabalho Curso Técnico em Mecânica Integrado ao Ensino Médio. Higiene e Segurança no Trabalho EPI & EPC Joinville, outubro de 2014 Medidas de Proteção no Trabalho Quando se fala em Segurança e Saúde no Trabalho

Leia mais

GRUPO SCHEILLA REGIMENTO INTERNO Título: Conselho de Administração - CAD Revisão: 0

GRUPO SCHEILLA REGIMENTO INTERNO Título: Conselho de Administração - CAD Revisão: 0 Aprovação CAD: Data: 29-11-08 Aprovação CRA: Data: 11-01-09 1. FINALIDADE DO REGIMENTO INTERNO Regulamentar o funcionamento do Conselho de Administração (CAD), previsto no Artigo 20 do Estatuto Social.

Leia mais

PNQS 2014 IGS RDPG PRÊMIO CIPA

PNQS 2014 IGS RDPG PRÊMIO CIPA PNQS 2014 IGS RDPG PRÊMIO CIPA Mudança de cultura na gestão de segurança e saúde por meio do estímulo e reconhecimento das Comissões Internas de Prevenção de Acidentes A. A OPORTUNIDADE A.1 Qual foi a

Leia mais

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO DEPARTAMENTO CENTRAL DE COMPRAS

PREFEITURA MUNICIPAL DE CAMPINAS SECRETARIA DE ADMINISTRAÇÃO DEPARTAMENTO CENTRAL DE COMPRAS Processo Administrativo nº 14/10/02.867 Interessado: Secretaria Municipal de Administração Assunto: Pregão Presencial nº 256/2014 Objeto: Contratação de empresa para a prestação de serviços através de

Leia mais

Constituição da CIPA: 5.2. Devem constituir CIPA, por estabelecimento...

Constituição da CIPA: 5.2. Devem constituir CIPA, por estabelecimento... 1 Modelos de Documentos para a constituição da CIPA Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - Data: 02/01/2006. Realização: Gerência de Políticas de Prevenção e Saúde Ocupacional Objetivos da CIPA:

Leia mais

Checklist aplicável ao Fornecedor ou Subcontratado e Pontuação

Checklist aplicável ao Fornecedor ou Subcontratado e Pontuação Checklist aplicável ao Fornecedor ou Subcontratado e Pontuação Segue abaixo checklist que será utilizado na auditoria no fornecedor ou subcontratado das empresas signatárias.. Formalização da Empresa Peso.

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA DO SERVIÇO AUTÔNOMO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO SAMAE TÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA DO SERVIÇO AUTÔNOMO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO SAMAE TÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO INTERNA DE PREVENÇÃO DE ACIDENTES CIPA DO SERVIÇO AUTÔNOMO MUNICIPAL DE ÁGUA E ESGOTO SAMAE TÍTULO I DA ORGANIZAÇÃO CAPÍTULO I DO OBJETIVO Art. 1º O presente Regimento Interno

Leia mais

NORMA DE CONTROLE DE CIRCULAÇÃO INTERNA - NOR 204

NORMA DE CONTROLE DE CIRCULAÇÃO INTERNA - NOR 204 ASSUNTO: MANUAL DE ADMINISTRAÇÃO, FINANÇAS E PESSOAS CONTROLE DE ACESSO E CIRCULAÇÃO INTERNA NAS DEPENDENCIAS DA EMPRESA APROVAÇÃO: Deliberação DIREX nº 77, de 08/06/2015 COD. 200 VIGÊNCIA: 08/06/2015

Leia mais

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS

SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE - FURG SECRETARIA EXECUTIVA DOS CONSELHOS DELIBERAÇÃO Nº 039/2015 CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA, EXTENSÃO E ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS E DA SAÚDE DE JUIZ DE FORA. SUPREMA. Regimento Interno da Comissão de Ética no Uso de Animais CEUA CAPÍTULO I

FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS E DA SAÚDE DE JUIZ DE FORA. SUPREMA. Regimento Interno da Comissão de Ética no Uso de Animais CEUA CAPÍTULO I FACULDADE DE CIÊNCIAS MÉDICAS E DA SAÚDE DE JUIZ DE FORA. SUPREMA Regimento Interno da Comissão de Ética no Uso de Animais CEUA CAPÍTULO I Da Natureza e Finalidade Art.1º A Comissão de Ética no Uso de

Leia mais

MANUAL NORMATIVO E DE PROCEDIMENTOS PARA AULAS DE PILOTAGEM DE MOTOS NO AUTODROMO DE INTERLAGOS SP

MANUAL NORMATIVO E DE PROCEDIMENTOS PARA AULAS DE PILOTAGEM DE MOTOS NO AUTODROMO DE INTERLAGOS SP MANUAL NORMATIVO E DE PROCEDIMENTOS PARA AULAS DE PILOTAGEM DE MOTOS NO AUTODROMO DE INTERLAGOS SP Adendos : 1. 01/01/2010 : Art 15 Sinalização e Observação de Pista a. Numero de postos de sinalização

Leia mais

SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO SETIN ENGENHARIA

SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO SETIN ENGENHARIA SISTEMA INTEGRADO DE GESTÃO / QSMS SISTEMA DE GESTÃO DE SEGURANÇA E SAÚDE DO TRABALHO SETIN ENGENHARIA JORGE LUÍS DE DEUS PINTO TATIANA TAVARES HORIBE VANDERSON ALVES RIBEIRO Sumário Missão da Diretoria

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 37/2008

RESOLUÇÃO Nº 37/2008 RESOLUÇÃO Nº 37/2008 DISPÕE SOBRE O SETOR DE TRANSPORTES, O SISTEMA DE CONTROLE DE FROTA DOS VEÍCULOS AUTOMOTORES DO PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DE ALAGOAS, O SISTEMA DE COTAS MENSAIS DE COMBUSTÍVEIS E

Leia mais

Câmara Municipal de Tijucas do Sul

Câmara Municipal de Tijucas do Sul ATA DA 32 a SESSÃO ORDINÁRIA DO PRIMEIRO PERÍODO ORDINÁRIO DA PRIMEIRA SESSÃO LEGISLATIVA DA 15 a LEGISLATURA EM 30/09/2013 Aos trinta dias do mês de setembro do ano de dois mil e treze, nesta cidade de

Leia mais

Procedimento de Segurança para Terceiros

Procedimento de Segurança para Terceiros Página 1 de 6 1. OBJETIVO Sistematizar as atividades dos prestadores de serviços, nos aspectos que impactam na segurança do trabalho de forma a atender à legislação, assim como, preservar a integridade

Leia mais

FAP Faculdade de Apucarana CESUAP Centro de Ensino Superior de Apucarana CNPJ 73243164/0001-13. NR5 - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes

FAP Faculdade de Apucarana CESUAP Centro de Ensino Superior de Apucarana CNPJ 73243164/0001-13. NR5 - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes NR5 - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes DO OBJETIVO 5.1 a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes - CIPA - tem como objetivo a prevenção de acidentes e doenças decorrentes do trabalho, de modo

Leia mais

ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO APR

ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO APR LOGO DA EMPRESA EMPRESA: DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE: LOCAL DA ATIVIDADE: ANÁLISE PRELIMINAR DE RISCO APR FOLHA: 01 DE 10. DATA DE EMISSÃO: DATA DE APROVAÇÂO: REVISÃO: HORÁRIO: ASSINATURA DOS ENVOLVIDOS NA

Leia mais

GLOBAL BUSINESS SERVICES-GBS BRASIL. Gestão de Contratistas Brasil. Data de aprovação 10/06/2014. Aprovadores:

GLOBAL BUSINESS SERVICES-GBS BRASIL. Gestão de Contratistas Brasil. Data de aprovação 10/06/2014. Aprovadores: Regulamento GLOBAL BUSINESS SERVICES-GBS BRASIL Empresa Endesa Brasil Enel Green Power Caráter Âmbito Gestão de Contratistas Brasil Endesa Brasil Data de aprovação 10/06/2014 REGULAMENTO DE GESTÃO DE CONTRATISTA

Leia mais

RES. 227/2010 de 28/12/2010 Título: PROCEDIMENTO PARA OPERAÇÃO DE CHAVE FUSÍVEL E CHAVE FACA

RES. 227/2010 de 28/12/2010 Título: PROCEDIMENTO PARA OPERAÇÃO DE CHAVE FUSÍVEL E CHAVE FACA Página: 1/11 DO-OP-01/P-2 1. OBJETIVO Este procedimento tem como objetivo determinar a metodologia na operação de chaves fusíveis e chaves facas. 2. ABRANGÊNCIA Este procedimento aplica-se a todas as Empresas

Leia mais

Relatório de Atividades do Trabalho Social Residencial Recanto dos Pássaros Limeira/SP

Relatório de Atividades do Trabalho Social Residencial Recanto dos Pássaros Limeira/SP Relatório de Atividades do Trabalho Social Residencial Recanto dos Pássaros Limeira/SP A Secretaria Municipal da Habitação de Limeira realizou entre os dias 29/04 e 10/05/2014 uma série de encontros com

Leia mais

CURSO: PERÍCIAS JUDICIAIS - AMES. PROFESSOR: CLÁUDIO LUIZ REIS ROCHA. PERÍODO: MARÇO/2013. 1 de 21

CURSO: PERÍCIAS JUDICIAIS - AMES. PROFESSOR: CLÁUDIO LUIZ REIS ROCHA. PERÍODO: MARÇO/2013. 1 de 21 CURSO: PERÍCIAS JUDICIAIS - AMES. PROFESSOR: CLÁUDIO LUIZ REIS ROCHA. PERÍODO: MARÇO/2013. 1 de 21 ORIGEM DOS ADICIONAIS DE INSALUBRIDADE E PERICULOSIDADE CONSTITUIÇÃO FEDERAL DE 05/10/88 CAPÍTULO II -

Leia mais

DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS

DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS DIRETRIZES GERAIS REFERENTE À SAÚDE E SEGURANÇA DO TRABALHO PARA EMPRESAS CONTRATADAS 1) OBJETO 1.1) As diretrizes aqui apresentadas tem o objetivo de instruir as empresas contratadas pela, UNILA, quanto

Leia mais

DAS NORMAS REGULAMENTADORAS PARA AS EMPRESAS

DAS NORMAS REGULAMENTADORAS PARA AS EMPRESAS PRINCIPAIS IMPACTOS DAS REVISÕES DAS NORMAS REGULAMENTADORAS PARA AS EMPRESAS Engº Luiz Antonio Chiummo Agosto/2014 NORMAS REGULAMENTADORAS PUBLICAÇÕES EM 2013/2014 NR 04 SESMT Ajustes com novas definições

Leia mais

SINDICATO DE HOTÉIS, RESTAURANTES, BARES E SIMILARES DE JOINVILLE/SC E REGIÃO

SINDICATO DE HOTÉIS, RESTAURANTES, BARES E SIMILARES DE JOINVILLE/SC E REGIÃO ATA ASSEMBLEIA GERAL 24 DE SETEMBRO DE 2015 15H ÀS 16H30 Local: Angélico s Restaurante. Rua Otto Benack, 101 Bom Retiro - Joinville/SC Participantes: Sr. Raulino João Schmitz, Sr. Angélico de Souza, Sr.

Leia mais

ANEXO IV - DIRETRIZES DE SEGURANÇA, MEIO- AMBIENTE E SAÚDE

ANEXO IV - DIRETRIZES DE SEGURANÇA, MEIO- AMBIENTE E SAÚDE Página 1 de 11 ÍNDICE DE REVISÕES REV. DESCRIÇÃO E/OU FOLHAS ATINGIDAS A PARA LICITAÇÃO ORIGINAL REV. A REV. B REV. C REV. D REV. F REV. G DATA 30/01/09 10/07/09 EXECUÇÃO THIAGO THIAGO VERIFICAÇÃO THIAGO

Leia mais

ACORDO TRIPARTITE SAÚDE DOS TRABALHADORES DA SUPERINTENDÊNCIA DE CONTROLE DE ENDEMIAS - SUCEN/SP CONSIDERANDO:

ACORDO TRIPARTITE SAÚDE DOS TRABALHADORES DA SUPERINTENDÊNCIA DE CONTROLE DE ENDEMIAS - SUCEN/SP CONSIDERANDO: ACORDO TRIPARTITE SAÚDE DOS TRABALHADORES DA SUPERINTENDÊNCIA DE CONTROLE DE ENDEMIAS - SUCEN/SP CONSIDERANDO: Que a SUCEN implantou a partir do ano de 1998 uma experiência de atuação da Comissão de Saúde

Leia mais

Palestrante Engº Antônio Ferreira Silva EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA Julho/2011. www.fortaleza.ce.gov.br

Palestrante Engº Antônio Ferreira Silva EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA Julho/2011. www.fortaleza.ce.gov.br Sistema de Transporte por Mototáxi de Fortaleza Palestrante Engº Antônio Ferreira Silva EMPRESA DE TRANSPORTE URBANO DE FORTALEZA Julho/2011 Tópicos Serviço de Mototáxi Definição Características Modelo

Leia mais

1.3.2 Um ponto de água e esgoto e uma tomada 110V para instalação de purificador

1.3.2 Um ponto de água e esgoto e uma tomada 110V para instalação de purificador Anexo I Chamamento Público 01/2014 1 Espaço A. Destinação Almoxarifado: armazenamento útil mínimo de 1.000m², divididos da seguinte forma: 1.1 Área de armazenagem 87% (mínimo de 870m²) 1.1.1 Sala administrativa

Leia mais

Corpo de Bombeiros. São Paulo

Corpo de Bombeiros. São Paulo Corpo de Bombeiros São Paulo ACIDENTES E INCÊNDIOS DOMÉSTICOS ADULTOS E IDOSOS Acidentes Os acidentes domésticos são muito comuns. Mesmo com todo o cuidado, há objetos e situações que podem tornar todas

Leia mais