SINAMICS/SIMOTICS. SINAMICS V90, SIMOTICS S-1FL6 Instruções de funcionamento compactas. Índice remissivo

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "SINAMICS/SIMOTICS. SINAMICS V90, SIMOTICS S-1FL6 Instruções de funcionamento compactas. Índice remissivo"

Transcrição

1 SINAMICS/SOTICS SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 Instruçõs d funcionamnto compactas Índic rmissivo Instruçõs d sgurança Instruçõs d sgurança grais Instruçõs d sgurança para campos ltromagnéticos (EMF)....3 Manusio d dispositivos snsívis ltrostáticos (ESD)....4 Risco rsidual d sistmas d acionamnto d potência.... Instruçõs adicionais d sgurança Informação Gral Produtos Componnts do invrsor Componnts do motor Lista d função Combinação d dispositivo Dados técnicos Dados técnicos - srvoacionamntos Dados técnicos - srvomotors Montagm Instalação no invrsor Instalação do motor Conxão Conxão do sistma Fiaçõs do circuito principal Alimntação da linha - L, L2, L Alimntação do motor - U, V, W Intrfac d control/status - X Font d alimntação d 24 V/STO - X Intrfac do ncodr - X Rsistor d frnagm xtrno - DCP, R Frio d rtnção do motor - X Intrfac RS48 - X Comissionamnto Introdução ao BOP Comissionamnto inicial no modo JOG Comissionamnto no modo d control d posição (PTI) do trm d pulso Funçõs d control do comissionamnto Slção d um modo d control Slção d um valor d rfrência do canal d ntrada do trm d pulso Simns AG Todos os diritos rsrvados AE32388, 4/24

2 .4.3 Slção d um valor d rfrência da forma d ntrada do trm d pulso Na posição (INP) Cálculo da rlação da ngrnagm ltrônica Sistma d posição absoluta... 6 Parâmtros Visão gral Lista d parâmtros Diagnóstico Visão gral Lista d falhas alarms SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 2 AE32388, 4/24

3 Instruçõs d sgurança. Instruçõs d sgurança grais PERIGO Prigo d mort quando parts alimntadas são tocadas Pod ocorrr mort ou lsão corporal grav quanto parts alimntadas são tocadas. Somnt trabalh m dispositivos létricos s for qualificado para st trabalho. Obsrv smpr as normas d sgurança spcíficas para o país. Gralmnt, há sis tapas aplicávis ao stablcr a sgurança:. Prpar o dsligamnto comuniqu todos qu srão aftados plo procdimnto. 2. Dsconct a máquina da alimntação. Dsligu a máquina. Aguard até qu o tmpo d dscarga spcificado nas tiqutas d advrtência tnha transcorrido. Vrifiqu s la stá d fato m uma condição sm tnsão, do condutor d fas ao condutor d fas do condutor d fas ao condutor d protção. Vrifiqu s os circuitos d alimntação auxiliars xistnts stão dsnrgizados. Crtifiqu-s d qu os motors não s movm. 3. Idntifiqu todas as outras fonts d nrgia prigosas, por xmplo, ar comprimido, sistmas hidráulicos, água. 4. Isol ou nutraliz todas as fonts d nrgia prigosas, x. fchando chavs, atrrando ou criando curto circuito ou fchando válvulas.. Protja as fonts d nrgia para qu não sjam acionadas novamnt. 6. Crtifiqu-s d qu a máquina stja compltamnt bloquada... qu stja com a máquina corrta. Após concluir o trabalho, rstaur a opração na squência invrsa. AVISO Risco d mort dvido à tnsão prigosa ao conctar uma font d alimntação inadquada Pod ocorrr mort ou lsão corporal grav quanto parts alimntadas são tocadas no caso d uma falha. Somnt utiliz fonts d alimntação qu fornçam tnsõs d saída SELV (tnsão d sgurança xtra baixa) ou PELV- (tnsão d protção xtra-baixa) para todas as conxõs trminais dos módulos ltrônicos. AVISO Prigo d mort quando parts alimntadas são tocadas m dispositivos danificados O manusio impróprio dos dispositivos pod causar dano. Tnsõs prigosas podm star prsnts no invólucro ou nos componnts xpostos m dispositivos danificados. Garanta a conformidad com os valors limits spcificados nos dados técnicos durant o transport, armaznamnto opração. Não us dispositivos danificados. Protja os componnts contra poluição condutiva, x. instalando-os m um gabint d control com grau d protção IP4 d acordo com a IEC 629 ou NEMA 2. Dsd qu a poluição condutiva possa sr prvnida no local d instalação, o grau d protção do gabint pod sr diminuído d acordo. SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 AE32388, 4/24 3

4 AVISO Risco d propagação d incêndio dvido a invólucro inadquado O dsnvolvimnto d incêndio fumaça pod causar lsão corporal grav ou dano matrial. Instal os dispositivos sm um invólucro d protção m um gabint d control d mtal (ou protja o dispositivo por mio d outra mdida quivalnt) d tal forma qu o contato com fogo na part intrna xtrna do dispositivo sja prvnido. Além disso, slcion o local d instalação d forma qu a propagação dscontrolada d fumaça possa sr vitada m caso d incêndio. Garanta qu a fumaça possa scapar por mio d rotas dsignadas. AVISO Risco d mort dvido ao movimnto insprado das máquinas ao usar dispositivos móvis sm fio ou tlfons clulars O uso d dispositivos móvis sm fio ou tlfons clulars com uma potência d transmissão > W mais próxima do qu 2 m dos componnts, pod causar o mau funcionamnto dos dispositivos influnciar a sgurança funcional das máquinas, colocando assim as pssoas m risco ou causando dano matrial. Dsligu os dispositivos sm-fio ou tlfons clulars nas proximidads dos componnts. AVISO Risco d incêndio do motor dvido à sobrcarga do isolamnto Há uma carga maior sobr o isolamnto do motor através d uma falha da linha trra m um sistma TI. Um rsultado possívl é a falha do isolamnto com o risco para o pssoal dvido ao dsnvolvimnto d fumaça fogo. Us um dispositivo d monitoramnto qu sinaliz uma falha d isolamnto. Corrija a falha o mais rápido possívl d forma qu o isolamnto do motor não sja sobrcarrgado. AVISO Prigo d incêndio dvido a supraqucimnto dvido a folgas d vntilação inadquadas As folgas d vntilação inadquadas podm causar supraqucimnto com risco para as pssoas dvido ao dsnvolvimnto d fumaça fogo. Isto também pod rsultar no aumnto do tmpo parado vida útil rduzida para dispositivos/ sistmas. Garanta a conformidad com as folgas mínimas spcificadas para a vntilação do rspctivo componnt. Elas podm sr ncontradas nos diagramas d dimnsão ou nas "Instruçõs d sgurança spcíficas para o produto" no início da rspctiva sção. AVISO Risco d mort dvido a choqu létrico dvido à blindagns do cabo dsconctadas Tnsõs prigosas ao toqu podm ocorrr através do acoplamnto cruzado dvido à blindagns d cabo dsconctadas. Conct as blindagns d cabo os condutors não utilizados dos cabos d alimntação (x. condutors d frio) plo mnos m um dos lados no invólucro atrrado m potncial. AVISO Risco d mort quando as funçõs d sgurança stão inativas As funçõs d sgurança qu stão inativas ou qu não foram ajustadas d acordo podm causar falhas opracionais nas máquinas, o qu pod causar lsão corporal grav ou mort. Obsrv as informaçõs na documntação do produto apropriada ants do comissionamnto. Excut a inspção d sgurança para as funçõs rlvants à sgurança m todo o sistma, incluindo componnts rlacionados à sgurança. Crtifiqu-s d qu as funçõs d sgurança usadas m sus invrsors tarfas d automação sjam ajustadas ativadas através d paramtrização adquada. Excut um tst d função. Somnt coloqu sua fábrica m opração nrgizada após garantir qu as funçõs rfrnts à sgurança stjam oprando corrtamnt. SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 4 AE32388, 4/24

5 Indicação Obsrvaçõs d sgurança importants para as funçõs d sgurança S dsjar usar as funçõs d sgurança, é ncssário obsrvar as obsrvaçõs d sgurança nos manuais d sgurança..2 Instruçõs d sgurança para campos ltromagnéticos (EMF) AVISO Risco d mort dvido a campos ltromagnéticos Os campos ltromagnéticos (EMF) são grados pla opração d quipamnto d potência létrica como transformadors, convrsors ou motors. Pssoas com marcapassos ou implants stão spcialmnt m risco nas proximidads dsts dispositivos/sistmas. Mantnha uma distância d plo mnos 2 m..3 Manusio d dispositivos snsívis ltrostáticos (ESD) Os dispositivos snsívis ltrostáticos (ESD) são componnts individuais, circuitos intgrados, módulos ou dispositivos qu possam sr danificados por campos létricos ou dscarga ltrostática. ATENÇÃO Dano dvido a campos létricos ou dscarga ltrostática Os campos létricos ou dscargas ltrostáticas podm causar mau funcionamnto por mio d componnts individuais danificados, circuitos intgrados, módulos ou dispositivos. Somnt mbal, armazn, transport nvi componnts ltrônicos, módulos ou dispositivos m suas mbalagns originais ou m outros matriais apropriados, x. spuma condutiva, borracha ou papl alumínio. Somnt toqu componnts, módulos dispositivos quanto você stivr atrrado por um dos métodos a sguir: Uso d uma pulsira antistática Uso d calçados antistáticos ou pulsiras d atrramnto antistáticas m áras antistáticas com piso condutivo Somnt coloqu componnts ltrônicos, módulos ou dispositivos m suprfícis condutivas (msa com suprfíci antistática, spuma condutiva antistática, mbalagm antistática, rcipint d transport antistático)..4 Risco rsidual d sistmas d acionamnto d potência Risco rsidual d sistmas d acionamnto d potência Os componnts d control d acionamnto d um sistma d acionamnto são aprovados para uso industrial comrcial m rds létricas industriais. Su uso m rds létricas públicas rqur uma configuração difrnt /ou mdidas adicionais. Esss componnts só podm sr oprados m alojamntos fchados ou painéis d control d alto nívl com tampas prottoras qu são fchadas quando todos os dispositivos d protção são utilizados. Esss componnts só podm sr manipulados por pssoal técnico qualificado trinado, conhcdor cumpridor d todas as instruçõs d sgurança nos componnts na documntação técnica do usuário. Ao avaliar o risco da máquina d acordo com as rspctivas rgulamntaçõs locais (x., Dirtriz d maquinário EC), o fabricant da máquina dv considrar os sguints riscos rsiduais mitidos dos componnts d control d acionamnto d um sistma d acionamnto:. Movimntos involuntários dos componnts acionados da máquina, durant atividads d comissionamnto, opração, manutnção rparo, causados por condiçõs como as sguints: Dfitos d quipamntos /ou rros d softwar nos snsors, controladors, atuadors sistmas d conxão Tmpos d rsposta do controlador do sistma d acionamnto SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 AE32388, 4/24

6 Condiçõs d opração /ou adjacnts qu stjam fora da spcificação Condnsação/contaminação condutiva Erros d paramtrização, programação, cabamnto instalação Utilização d rádios/tlfons clulars próximos ao controlador Influências xtrnas/danos 2. No caso d uma falha, tmpraturas xcpcionalmnt altas, incluindo fogo abrto, bm como missõs d luz, ruídos, partículas, gass, tc. podm ocorrr dntro fora do invrsor, x.: Dfitos m componnts Erros d softwar Condiçõs d opração /ou adjacnts qu stjam fora da spcificação Influências xtrnas/danos Invrsors do tipo abrto / grau d protção IP2 dvm sr instalados m um gabint d control d mtal (ou protgidos por outra mdida quivalnt) d forma qu o contato com o fogo dntro ou fora do invrsor não sja possívl. 3. Sobrtnsõs prigosas causadas por condiçõs como as sguints: Dfitos m componnts Influência d cargas ltrostáticas Indução d tnsõs nos motors m funcionamnto Condiçõs d opração /ou adjacnts qu stjam fora da spcificação Condnsação/contaminação condutiva Influências xtrnas/danos 4. Campos létricos, magnéticos ltromagnéticos grados por sua opração qu rprsntm risco para pssoas com marca-passo, prótss mtálicas /ou implants tc, qu stjam muito próximas do quipamnto.. Libração d polunts ou missõs nocivas ao mio ambint, rsultant da opração incorrta do sistma /ou da falha do componnt m librar tais polunts d forma sgura corrta. Indicação Os componnts dvm sr protgidos contra contaminação condutiva (x. instalando-os m um gabint d control com grau d protção IP4 d acordo com a IEC 629 ou NEMA 2). Prsumindo-s qu a contaminação condutiva no local d instalação possa sr dfinitivamnt xcluída, um grau d protção mais baixo pod sr prmitido. Para mais informaçõs sobr riscos rsiduais dos componnts m um sistma d acionamnto, consult as sçõs rlvants na documntação técnica do usuário.. Instruçõs adicionais d sgurança Vrificação da ntrga Indicação Produtos intactos Os produtos rcbidos dvm star intactos. Não é prmitido colocar m uso uma unidad danificada. Transport armaznagm ATENÇÃO Prda d propridad Comuniqu imdiatamnt o pssoal d srviço da Simns s ncontrar algum dano após a ntrga. S o quipamnto for armaznado, mantnha-o m um ambint sco, livr d poira com baixa vibração. A tmpratura d armaznagm varia d -4 C a +7 C. Caso contrário, sofrrá prda d propridad. SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 6 AE32388, 4/24

7 Instalação do sistma mcânico AVISO Mort ou lsão corporal grav provnints d um ambint d instalação hostil Um ambint d instalação hostil colocará m risco a sgurança do pssoal o quipamnto. Portanto, Não instal o invrsor o motor m uma ára próxima a inflamávis ou combustívis, prigo por água ou corrosão. Não instal o invrsor o motor m uma ára m qu possam sr xpostos a vibraçõs constants ou choqus físicos. Não mantnha o invrsor xposto à fort intrfrência ltromagnética. Crtifiqu-s d qu não haja corpo stranho (x. lascas d madira ou mtal, poira, papl, tc.) dntro do invrsor ou no dissipador d calor do invrsor. Crtifiqu-s d qu o invrsor sja instalado m um gabint létrico com um grau d protção adquado. Indicação Folga na montagm Para garantir uma boa dissipação d calor para facilitar o cabamnto, mantnha folga suficint ntr os invrsors, um invrsor outro dispositivo/pard intrna do gabint. Indicação Aprto do parafuso Crtifiqu-s d fixar o parafuso à porta do trminal do invrsor após concluir o trabalho d instalação. Instalação do sistma létrico PERIGO Pod ocorrr mort ou lsão corporal grav dvido a choqu létrico A corrnt d fuga a trra para o invrsor pod sr suprior a CA 3, ma, o qu pod causar mort ou lsão corporal grav dvido ao choqu létrico. Uma conxão trra fixa é ncssária para liminar fuga d corrnt prigosa. Além disso, o tamanho mínimo do condutor d trra d protção dv atndr aos rgulamntos locais d sgurança para quipamntos com alta corrnt d fuga. AVISO lsão corporal pssoal dano à propridad dvido à conxõs incorrtas Conxõs incorrtas têm altos riscos d choqu létrico curto circuito, o qu colocará m risco a sgurança do pssoal o quipamnto. O invrsor dv sr conctado dirtamnt com o motor. Não é prmitido conctar um capacitor, indutor ou filtro ntr ls. Crtifiqu-s d qu todas as conxõs stjam corrtas confiávis o invrsor o motor bm atrrados. A tnsão d alimntação da linha dv star dntro da faixa prmitida (consult a placa nominal do invrsor). Nunca conct o cabo d alimntação da linha aos trminais U, V, W do motor ou conct o cabo d potência do motor aos trminais d ntrada d linha L, L2, L3. Nunca conct os trminais U, V, W m uma squência d fas intrcambiada. S a marcação CE para cabos for obrigatória m alguns casos, o cabo d potência do motor, o cabo d alimntação da linha o cabo do frio usados dvm todos sr blindados. Para a conxão da caixa d trminal, crtifiqu-s d qu as folgas ntr as parts alimntadas não isoladas sjam d plo mnos, mm. Faça o rotamnto dos cabos d sinal dos cabos d alimntação sparadamnt m difrnts ltrodutos d cabo. Os cabos d sinal dvm tr plo mnos cm d distância dos cabos d alimntação. Os cabos conctados não podm ntrar m contato com as pças mcânicas do rotamnto. SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 AE32388, 4/24 7

8 CUIDADO lsão corporal pssoal dano à propridad dvido à protção inadquada A protção inadquada pod causar lsão corporal pssoais lvs ou danos à propridad. O invrsor prcisa tr sido dsconctado da font d alimntação por, plo mnos, cinco minutos ants d ralizar qualqur fiação ao invrsor. Vrifiqu s o quipamntos stá dsnrgizado! Crtifiqu-s d qu o invrsor o motor stjam dvidamnt atrrados. Roti um sgundo condutor PE com uma sção transvrsal do condutor do sistma d alimntação m parallo com a linha trra d protção através d trminais sparados ou us um condutor d cobr da linha trra d protção com uma sção transvrsal d mm 2. Os trminais para conxõs quipotnciais qu xistm além dos trminais para os condutors PE não dvm sr usados para malha através d condutors PE. Para garantir a sparação d protção, dv-s usar um transformador d isolação para o sistma d alimntação da linha d 38 VCA. ATENÇÃO Dano para a propridad dvido à tnsão d ntrada incorrta A tnsão d ntrada incorrta causará grav dano ao invrsor. Rcomnda-s qu a tnsão d ntrada ftiva não sja suprior a % da tnsão nominal ou infrior a 7%. Indicação Fiação STO A função saf torqu off (STO) pod parar um motor usando rlés d sgurança sm nvolvr qualqur control d nívl suprior. Ela é dsabilitada na configuração d fábrica através do curto circuito dos trminais STO. A função d sgurança do srvoacionamnto é SIL 2 (EN68--2). Conct os trminais STO como os rquisitos ftivos. Comissionamnto/Opração CUIDADO Quimaduras dvido à suprfíci qunt A tmpratura m opração da placa d bas do invrsor o dissipador d calor é suprior a 6 C a tmpratura da suprfíci do motor pod chgar a 8 C. A suprfíci qunt pod quimar suas mãos. Não toqu o motor ou o dissipador d calor do invrsor durant a opração ou após um dtrminado príodo dsd a dsconxão da alimntação. ATENÇÃO Rdução da vida útil da frnagm do motor A frnagm do motor é usada para fins d suport apnas. Paradas d mrgência frqunts com a frnagm do motor ncurtará a vida útil do motor. A mnos qu absolutamnt ncssário, não apliqu a frnagm do motor como uma parada d mrgência ou um mcanismo d dsaclração. ATENÇÃO Dano ao quipamnto dvido a ligar/dsligar frquntmnt Ligar/dsligar frquntmnt causará dano ao invrsor. Não ligu/dsligu a alimntação frquntmnt. Indicação Rquisito d tnsão Ants d ativar a alimntação, crtifiqu-s d qu o sistma d acionamnto foi instalado conctado d forma confiávl a tnsão d alimntação da linha stja dntro da faixa prmitida. SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 8 AE32388, 4/24

9 Indicação Intrfrência no funcionamnto do invrsor dvido ao uso d dispositivos d rádio Alguns fators ambintais podm rsultar m rdução da alimntação, x. altitud tmpratura nas proximidads. Nst caso, o invrsor não pod funcionar normalmnt. Fators ambintais dvm sr lvados m conta durant o comissionamnto ou a opração. Localização d falhas AVISO O invrsor prmanc carrgado O invrsor pod prmancr carrgado um curto príodo d tmpo após sr dsligado. Tocar os trminais ou dsconctar os cabos pod causar lsão corporal lv dvido a choqu létrico. Não toqu nos trminais ou dsconct os cabos até qu o sistma d acionamnto tnha ficado dsconctado por, plo mnos, cinco minutos. AVISO lsão corporal dvido à rinicialização insprada A máquina pod riniciar inspradamnt após a font d alimntação tr sido dsligada ligada novamnt d rpnt. Tocar a máquina m uma situação como sta pod causar lsão corporal. Não s toqu na máquina após a font d alimntação tr sido ligada novamnt. Dscart Indicação Dscart do quipamnto O dscart do quipamnto dv sr fito m conformidad com as rgulamntaçõs da administração d protção ambintal comptnt quanto ao dscart d matrial ltrônico. Crtificação AVISO Exigências para instalaçõs nos Estados Unidos/Canadá (UL/cUL) Adquado para uso m um circuito com capacidad d forncr mais qu 6 rms ampèrs simétricos, máximo d 48 Vca, quando protgido plos fusívis crtificados UL/cUL, class J, somnt. Para cada tamanho d carcaça AA, A, B C, us somnt fio d cobr class 7 C. Est quipamnto é capaz d forncr protção contra sobrcarga intrna do motor d acordo com a UL8C. Para instalaçõs no Canadá (cul) as sçõs d ntrada do invrsor dvm sr quipadas com qualqur suprssor xtrno rcomndado com os sguints rcursos: Dispositivos d protção contra surto; o dispositivo dv sr listado como um dispositivo d protção contra pico (Código d catgoria VZCA VZCA7) Tnsão nominal classificada d 48/277 Vca, /6 Hz, 3 fass Tnsão d aprto VPR = 2 V, IN = 3 ka min, MCOV = 8 Vca, SCCR = 6 ka Adquado para aplicação tipo 2 SPD Dv havr aprto ntr as fass também ntr a fas o trra AVISO Prjudicial à saúd dvido à radiação ltromagnética Est produto pod causar radiação ltromagnética d alta frquência a qual é prjudicial à saúd. Portanto, m um ambint rsidncial, crtifiqu-s d tomar as mdidas d suprssão ncssárias. SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 AE32388, 4/24 9

10 Indicação Instruçõs ECM A fim d atndr as normas EMC, todos os cabos conctados ao sistma SINAMICS V9 dvm sr blindados, incluindo cabos da alimntação da linha até o filtro d linha do filtro d linha ao invrsor SINAMICS V9. Os invrsors SINAMICS V9 foram tstados m conformidad com os rquisitos d missão da catgoria d ambint C2 (doméstico). As missõs conduzidas as missõs radiadas têm compatibilidad com a norma EN atingiram a Class A. Em um ambint rsidncial, st produto pod causar intrfrências d alta frquência qu podm ncssitar d mdidas d suprssão. Para um tst d missão radiada, srá usado um filtro CA xtrno (ntr a font d alimntação d 38 VCA o invrsor) para atndr as spcificaçõs da EMC o invrsor srá instalado dntro d uma câmara mtálica blindada, outras parts do sistma d control d movimnto (incluindo CLP, font d alimntação CC, invrsor spindl, motor) srão colocadas dntro da câmara blindada. Para um tst d missão condutiva, srá usado um filtro CA xtrno (ntr a font d alimntação d 38 VCA o invrsor) para atndr as spcificaçõs da EMC. Para o tst d missão radiada d missão condutiva, o comprimnto do cabo da alimntação da linha ntr o filtro d linha o invrsor dv sr mnor qu m. Informaçõs rfrnts aos produtos não Simns Indicação Produtos não Simns Est documnto contém rcomndaçõs rfrnts a produtos qu não são da Simns. Produtos não Simns cuja adquação fundamntal nos é familiar. É dsncssário dizr qu produtos quivalnts d outros fabricants podm sr usados. Nossas rcomndaçõs dvm sr vistas como informaçõs útis, não como spcificaçõs ou obrigatoridad. Não assumimos rsponsabilidad pla qualidad propridad/rcurso dos produtos não Simns. Etiqutas d advrtência As tiqutas d advrtência anxadas ao motor ou invrsor têm os sguints significados: Símbolo Dscrição Risco d choqu létrico Não toqu m nnhum trminal ou dsconct os cabos até qu o acionamnto tnha ficado dsconctado da alimntação por, plo mnos, cinco minutos. Cuidado Prst atnção às informaçõs dadas sobr a placa d classificação as instruçõs d opração. Para mais informaçõs, consult st manual. Suprfíci qunt Não toqu no dissipador d calor do invrsor durant a opração ou dntro d um dtrminado príodo dsd a dsconxão porqu sua tmpratura da suprfíci pod chgar a 6 C. Sm batimnto no ixo Não xrça nnhum choqu na xtrmidad do ixo, caso contrário, l podrá sr danificado. Trminal condutor d protção SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 AE32388, 4/24

11 2 Informação Gral 2. Produtos 2.. Componnts do invrsor Ao dsmbalar o pacot do invrsor, vrifiqu s os componnts a sguir stão inclusos. Componnt Ilustração Potência nominal do motor (kw) Srvoacionamnto SINAMICS V9 Dimnsão do prfil (Largura x Altura x Profundidad, mm) Tamanho da carcaça.4 6 x 8 x 2 FSAA.7 8 x 8 x 2 FSA.7/../.7 x 8 x 22 FSB 2./ x 26 x 24 FSC. 7. Conctors FSAA/FSA: 4 pças FSB/FSC: 2 pças Placa d blindagm para FSAA FSA para FSB FSC Grampo do cabo FSAA/FSA: Nnhum FSB/FSC: pça Documntação do usuário Início Bilíngu Inglês-Chinês SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 AE32388, 4/24

12 Placa nominal do invrsor Nom do invrsor Númro para pdido 2 Entrada d alimntação 6 Númro d séri do produto 3 Potência d saída 7 Númro d pça 4 Potência nominal do motor SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 2 AE32388, 4/24

13 2..2 Componnts do motor Ao dsmbalar o pacot do motor, vrifiqu s os componnts a sguir stão inclusos. Componnt Ilustração Torqu nominal (Nm) Altura do ixo (mm) Srvomotor SOTICS S-FL6.27 Documntação do usuário Guia d instalação dos srvomotors SOTICS S-FL SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 AE32388, 4/24 3

14 Placa d dados nominais do motor Tipo d motor 7 Potência nominal 3 Corrnt nominal 2 Númro para pdido 8 Tipo d ncodr rsolução 4 Frio d rtnção 3 Númro d séri 9 Class térmica ID do motor 4 Torqu nominal Grau d protção 6 Pso Torqu d parada Modo d opração do motor 7 Vlocidad máxima 6 Tnsão nominal 2 Corrnt d parada 8 Vlocidad nominal 2.2 Lista d função Função Dscrição Modo d control Control d posição d ntrada do Implmnta o posicionamnto prciso através d dois canais PTI trm d pulso (PTI) d ntrada do trm d pulso: Difrncial d V ou sinal d xtrmidad simpls d 24 V. Além disso, l suporta a função d suavização d posição da curva S. Control d posição intrna (IPos) Implmnta o posicionamnto prciso através dos comandos IPos d posição intrnos (até oito grupos) prmit spcificar a aclração/vlocidad para o posicionamnto Control d vlocidad (S) Controla d forma flxívl a vlocidad do motor a dirção através d comandos xtrnos d vlocidad analógica ( a ± Vcc) ou comandos intrnos d vlocidad (até st grupos) S SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 4 AE32388, 4/24

15 Função Dscrição Modo d control Control d torqu (T) Controla d forma flxívl o torqu d saída do motor através T d comandos xtrnos d torqu analógico ( a ± Vcc) ou comandos intrnos d torqu. Além disso, suport a função d limit d vlocidad para vitar sobrvlocidad quando o motor não tm cargas Controls compostos Suporta chavs flxívis juntamnt com o modo d control d posição, modo d control d vlocidad modo d PTI/S, IPos/S, PTI/T, IPos/T, S/T control d torqu Sistma d posição absoluta Prmit implmntar tarfas d control d movimnto PTI imdiatamnt após o sistma srvo com um ncodr absoluto sr nrgizado, não é ncssário ralizar a opração d rfrência ou posição zro antcipadamnt Comutação do ganho Altrna ntr ganhos durant a rotação do motor ou para com PTI, IPos, S um sinal xtrno ou parâmtros intrnos para rduzir ruído tmpo d posicionamnto ou mlhorar a stabilidad da opração d um sistma srvo Comutação PI/P Altrna do control PI ao control P com um sinal xtrno ou PTI, IPos, S parâmtros intrnos para suprimir ovrshoot durant a aclração ou dsaclração (para o control d vlocidad) ou para suprimir undrshooting durant o posicionamnto rduzir o tmpo d stabilização (para o control d posição) Saf Torqu Off (STO) Dsconcta d forma sgura a font d alimntação do motor PTI, IPos, S, T qu gra o torqu para vitar uma partida acidntal do motor Grampo d vlocidad zro Para o motor grampia o ixo do motor quando o valor d S rfrência da vlocidad do motor stá abaixo d um nívl limit paramtrizado Ajust automático m tmpo ral Estima as caractrísticas da máquina dfin os parâmtros PTI, IPos, S d control da malha fchada (ganho d malha d posição, ganho d malha d vlocidad, compnsação intgral da vlocidad, filtro, s ncssário, tc.) continuamnt m tmpo ral sm qualqur intrvnção do usuário Suprssão d rssonância Suprim a rssonância mcânica, como vibração da pça d PTI, IPos, S, T trabalho strmcimnto da bas Limit d vlocidad Limita a vlocidad do motor através d comandos xtrnos PTI, IPos, S, T d limit da vlocidad analógica ( a ± Vcc) ou comandos intrnos d limit d vlocidad (até três grupos) Limit d torqu Limita o torqu do motor através d comandos xtrnos d PTI, IPos, S limit d torqu analógico ( a ± Vcc) ou comandos intrnos d limit d torqu (até três grupos) Rlação da ngrnagm ltrônica Dfin um fator multiplicador para os pulsos d ntrada PTI, IPos Painl básico do oprador (BOP) Exib o status do srvo m um display d LED d 6 dígitos, 7 PTI, IPos, S, T sgmntos Rsistor d frnagm xtrno Pod-s usar um rsistor d frnagm xtrno quando o PTI, IPos, S, T rsistor d frnagm intrno for insuficint para a nrgia rgnrativa. Entrada/saída digital (DIs/DOs) Os sinais d control os d status podm sr atribuídos a PTI, IPos, S, T oito ntradas digitais programávis sis saídas digitais. Função d suavização Transforma as caractrísticas d posição do valor d PTI rfrência da ntrada do trm d pulso m um prfil d curva S com uma constant d tmpo paramtrizada SINAMICS V-ASSISTANT É possívl ralizar ajusts do parâmtro, opração d tst, ajust outras opraçõs com um PC. PTI, IPos, S, T SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 AE32388, 4/24

16 2.3 Combinação d dispositivo A tabla abaixo mostra a combinação d srvoacionamntos SINAMICS V9 srvomotors SOTICS S-FL6. Srvomotor SOTICS S-FL6 Torqu nominal (Nm) Potência nominal (kw) Vlocidad nominal (rpm) Altura do ixo (mm) Srvoacionamnto SINAMICS V9 Númro do pdido ) Númro para pdido Tamanh o da carcaça FL642-AF6-6SL32-FE-4UA FSAA FL644-AF6-6SL32-FE-8UA FL66-AC FL662-AC6-6SL32-FE-UA FL664-AC6- FL666-AC6-6SL32-FE-UA FL667-AC6-6SL32-FE2-UA FL69-AC FL692-AC6-6SL32-FE3-UA FL694-AC6-6SL32-FE-UA FL696-AC6-6SL32-FE7-UA ) O símbolo nos númros d pdido d motor srvm para configuraçõs opcionais (tipo d ncodr mcânica). Consult a xplicação na placa d caractrísticas nominais do motor Componnts do motor (Página 3) para informaçõs dtalhadas. 2.4 Dados técnicos 2.4. Dados técnicos - srvoacionamntos N.º d nc.:. 6SL32-FE UA - 8UA - UA - UA 2- UA 3- UA - UA Tamanho da carcaça FSAA FSA FSA FSB FSB FSC FSC FSC Corrnt d saída nominal (A) Corrnt d saída máx. (A) Potência máx. suportada para o motor (kw) Frquência d saída (Hz) a 33 Font d Tnsão/frquência 3 fass, 38 Vca a 48 Vca, /6 Hz alimntação Flutuação d tnsão -% até +% prmitida Flutuação d frquência -% até +% prmitida Corrnt d ntrada nominal (A) Capacidad da font d alimntação (kva) Corrnt d nrgização (A) Font d Tnsão (V) ) 24 (-% a +2%) alimntação d Corrnt máxima (A),6 A (ao usar um motor sm um frio) 24 Vcc 3,6 A (ao usar um motor com um frio) Capacidad d sobrcarga 3% corrnt nominal por,3 s m s Sistma d control Control srvo Rsistor d frnagm Incorporado FSA FSB FSC 7- UA SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 6 AE32388, 4/24

17 N.º d nc.:. 6SL32-FE UA - 8UA - UA - UA 2- UA 3- UA - UA Tamanho da carcaça FSAA FSA FSA FSB FSB FSC FSC FSC Funçõs d protção Protção d falha d atrramnto, protção d curto circuito d saída 2), protção contra sobrtnsão/subtnsão, dtcção I 2 t, protção contra sobrtmpratura IGBT 3) Modo d control d vlocidad Modo d control d posição Modo d control d torqu Faixa d control d vlocidad Entrada do comando d vlocidad analógica 7- UA Comando d vlocidad analógica :2, comando intrno d vlocidad : - Vcc a + Vcc/Vlocidad nominal Limit d torqu Dfinido através d um parâmtro ou o comando d ntrada analógica ( V - + Vcc/torqu máx.) Frquência d pulso d M (ntrada difrncial), 2 kpps (ntrada do coltor abrto) ntrada máx. Fator d multiplicação do Rlação d ngrnagm ltrônica (A/B) pulso d comando a: -, B: - / < A/B < 2 Ajust da faixa na posição a ± pulso (unidad d pulso d comando) Erro xcssivo ± rotaçõs Limit d torqu Dfinido através d um parâmtro ou o comando d ntrada analógica Entrada do comando d - V a + Vcc/torqu máx. (impdância d ntrada kω - 2 kω) torqu analógico Limit d vlocidad Dfinido através d um parâmtro ou o comando d ntrada analógica Método d rsfriamnto Autoarrfcido Arrfcido por vntilador Condiçõs Tmpratura Opração C até 4 C: sm rdução d potência ambintais do ar 4 C até C: com rdução d potência circundant Obsrvação: Para mais informaçõs, consult as Instruçõs d opração do SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 Armaznam -4 C até +7 C nto Crtificaçõs Umidad nas proximidad s Opração Armaznam nto <9% (sm condnsação) 9% (sm condnsação) Ambint d opração Intrno (sm luz solar dirta), livr d gás corrosivo, gás combustívl, ólo, gás ou poira Altitud m (sm rdução da alimntação) Grau d protção IP2 Grau d poluição Class 2 Vibração Opração Choqu : Ára opracional II Pico d aclração: g Duração do choqu: 3 ms CE, UL, C-Tick Transport armaznam nto Vibraç ão: Vibraç ão: Ára opracional II Hz até 8 Hz: Dflxão d,7 mm 8 Hz até 2 Hz: Vibração d g Hz até 9 Hz: Dflxão d 7. mm 9 Hz até 2 Hz: Vibração d 2 g Class d vibração: Transport 2M3 SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 AE32388, 4/24 7

18 N.º d nc.:. 6SL32-FE UA - 8UA - UA - UA 2- UA 3- UA - UA 7- UA Tamanho da carcaça FSAA FSA FSA FSB FSB FSC FSC FSC Projto Dimnsõs xtrnas (L x A 6 x 8 x 8 x 2 x 8 x 22 4 x 26 x 24 mcânico x P, mm) 8 x 2 Pso (kg) ) Quando o SINAMICS V9 trabalha com um motor com frio, a tolrância da tnsão da font d alimntação d 24 Vcc dv sr d -% até +% para atndr o rquisito d tnsão do frio. 2) A protção d curto circuito intgral m stado sólido não ofrc protção ao circuito d drivação. A protção ao circuito d drivação dv sr forncida m conformidad com o Código Elétrico Nacional quaisqur outros códigos locais. 3) SINAMICS V9 não suporta protção contra sobrtmpratura do motor. A sobrtmpratura do motor é calculada plo I 2 t protgida pla corrnt d saída do invrsor Dados técnicos - srvomotors Dados técnicos grais Parâmtro Dscrição Rfrigração Autoarrfcido Tmpratura m opração [ C] a 4 (sm rdução da alimntação) Tmpratura d armaznamnto [ C] - a +6 Umidad rlativa [RH] 9% (sm condnsação a 3 C ) Altitud d instalação [m] (sm rdução da alimntação) Nívl d ruído máximo [db] FL64 : 6 FL66 :7 FL69 : 7 Class d svridad da vibração A (d acordo com IEC 634-4) Rsistência a choqu [m/s 2 ] 2 (contínuo na dirção axial); (contínuo na dirção radial); 2 (m um príodo curto d 6 ms) Tnsão nominal (V) 24 ± % Corrnt nominal (A) FL64 :.88 FL66 :.44 FL69 :.88 Torqu do frio d rtnção FL64 : 3. FL66 : 2 FL69 : 3 [Nm] Frio d Tmpo máximo d abrtura do FL64 : 6 FL66 : 8 FL69 : 22 rtnção frio [ms] Tmpo máximo d fchamnto FL64 : 4 FL66 : 6 FL69 : do frio [ms] Númro máximo d paradas 2 ) d mrgência Vida útil do mancal [h] > 2 2) Vida útil da vdação do ólo [h] Vida útil do ncodr [h] 2-3 3) Grau d protção IP6, com vdação do ólo do ixo Tipo d construção B, V V3 Crtificação CE ) Opração d parada d mrgência rstrita não é prmitida. Até 2 opraçõs d frnagm podm sr xcutada com 3% d momnto d inércia do rotor como momnto d inércia xtrna d uma vlocidad d 3 RPM sm qu o frio stja sujito a um dsgast inadmissívl. 2) Esta vida útil srv apnas como rfrência. Quando um motor fica m opração a uma vlocidad nominal abaixo da carga classificada, substitua o mancal após 2. até 3. horas d tmpo d srviço. Msmo qu st tmpo não sja atingido, o mancal dv sr substituído quando houvr ruído, vibração ou falhas atípicos. 3) Esta vida útil srv apnas como rfrência. Quando um motor fica m opração a 8% do valor nominal a tmpratura nas proximidads é d 3 C, a vida útil do ncodr pod sr garantida. SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 8 AE32388, 4/24

19 Dados técnicos spcíficos N.º d nc.:. FL Potência nominal ) [kw] Torqu nominal [Nm] Torqu máximo [Nm] Vlocidad nominal [rpm] Vlocidad máxima [rpm] Frquência nominal [Hz] Corrnt nominal [A] Corrnt máxima [A] Momnto d inércia [ -4 kgm 2 ] Momnto d inércia (com frnagm) [ -4 kgm 2 ] Carga rcomndada para a rlação d inércia do motor < % < % < % Pso do motor do ncodr incrmnt al [kg] Pso do motor do ncodr absoluto [kg] Com frio Sm frio Com frio Sm frio ) Quando a tmpratura nas proximidads é suprior a 3 C, os motors FL696 com frio trão uma rdução da alimntação d %. Indicação Os dados do torqu nominal, potência nominal, torqu máximo rsistência da armadura na tabla acima prmitm uma tolrância d %. SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 AE32388, 4/24 9

20 3 Montagm 3. Instalação no invrsor Para condiçõs d instalação, consult a sção "Dados técnicos - srvoacionamntos (Página 6)". Dirção d montagm folgas Instal o invrsor vrticalmnt m um gabint blindado obsrv as folgas d instalação spcificadas na ilustração abaixo: Indicação S as distâncias squrda dirita do invrsor form mnors do qu mm ao msmo tmpo, o invrsor dv tr sua capacidad rduzida para 8%. Gabaritos d prfuração dimnsõs do prfil SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 2 AE32388, 4/24

21 SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 AE32388, 4/24 2

22 Instalação no invrsor Us dois parafusos M para montagm do invrsor FSAA quatro parafusos M para montagm dos invrsors FSA, FSB FSC. O torqu d aprto rcomndado é d 2. Nm. Indicação Considrando-s os fators EMC, rcomnda-s qu instal o invrsor m um gabint blindado. 3.2 Instalação do motor Para condiçõs d instalação, consult Dados técnicos - srvomotors (Página 8). Dirção da montagm SOTICS S-FL6 suporta somnt instalação m flang três tipos d construçõs. Indicação Ao configurar o tipo d construção V3, dê atnção m particular à força axial prmitida (força do pso dos lmntos d acionamnto) o grau d protção ncssário. Dimnsõs do motor O motor FL6 com ncodr incrmntal (unidad: mm) Altur a do ixo Tipo L C LA LZ N L R T L G D db E Q K G A F Sm frio Com frio KL LB KB KB LB KB KB 2 2 KL 2 KL 3 K L 4 4 FL6 42 FL M6x 6 M6x SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 22 AE32388, 4/24

23 Altur a do ixo Tipo 6 FL6 6 FL6 62 FL6 64 FL6 66 FL FL6 9 FL6 92 FL6 94 FL6 96 L C LA LZ N L R T L G D db M8x 6 M8x 6 M8x 6 M8x 6 M8x 6 M2 x2 M2 x2 M2 x2 M2 x2 E Q K G A F Sm frio Com frio KL LB KB KB LB KB KB KL KL 3 K L Conctor do cabo d alimntação, 2 Conctor do cabo do ncodr incrmntal, 3 Conctor do cabo do frio. Ests conctors dvm sr solicitados sparadamnt. Para as informaçõs sobr pdido, consult as Instruçõs d opração. As dimnsõs limits do conctor do ncodr 2 do conctor do frio 3 são iguais. Altura do ixo 9 mm, o motor possui dois orifícios para parafusos M8 para os olhais O motor FL6 com ncodr absoluto (unidad: mm) SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 AE32388, 4/24 23

24 Altur a do ixo Tipo 4 FL6 42 FL FL6 6 FL6 62 FL6 64 FL6 66 FL FL6 9 FL6 92 FL6 94 FL6 96 LC LA L Z N L R T L G D DB E Q K 4 9 M6x M6x M8x M8x M8x M8x M8x M2 x M2 x M2 x M2 x G A F Sm frio Com frio KL L K K L KB K B B B2 B B KL 2 KL 3 K L Conctor do cabo d alimntação, 2 Conctor do cabo do ncodr absoluto, 3 Conctor do cabo do frio. Ests conctors dvm sr solicitados sparadamnt. Para as informaçõs sobr pdido, consult as Instruçõs d opração. As dimnsõs limits do conctor do ncodr 2 do conctor do frio 3 são iguais. Altura do ixo 9 mm, o motor possui dois orifícios para parafusos M8 para os olhais Instalação do motor AVISO Lsão corporal dano matrial Alguns motors, spcialmnt o FL69 são psados. O pso xcssivo do motor dv sr considrado qualqur assistência ncssária para a instalação dv sr providnciada. Caso contrário, o motor pod cair durant a instalação. Isto pod rsultar m lsão corporal grav ou dano matrial. SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 24 AE32388, 4/24

25 ATENÇÃO Dano ao motor S o líquido ntrar no motor, l pod sr danificado Durant a instalação ou opração do motor, crtifiqu-s d qu líquidos (água, ólo, tc.) não possam pntrar no motor. Além disso, ao instalar o motor horizontalmnt, crtifiqu-s d qu a tomada do cabo fiqu voltada para baixo para protgr contra a ntrada d ólo ou água no motor. Indicação Uso d parafusos com argola O motor FL69 (9 mm d altura do ixo) possui dois furos para parafuso M8 para fixação m dois parafusos com argola. Somnt lv o motor FL69 plos parafusos com argola. Parafusos com argola qu foram fixados dvm sr aprtados ou rmovidos aps a instalação. Para garantir uma mlhor dissipação d calor, instal uma flang ntr a máquina o motor. Você pod instalar o motor na flang com 4 parafusos conform xibido na figura a sguir. As informaçõs sobr parafusos flang são as sguints: Motor Parafuso Tamanho rcomndado da flang Momnto d aprto Matrial da flang FL64 4 x M6 2 x 2 x (mm) 8 Nm Liga d alumínio FL66 4 x M8 3 x 3 x 2 (mm) 2 Nm FL69 4 x M2 4 x 4 x 2 (mm) 8 Nm SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 AE32388, 4/24 2

26 4 Conxão 4. Conxão do sistma O sistma srvo SINAMICS V9 é conctado da sguint manira: SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 26 AE32388, 4/24

27 ATENÇÃO Informaçõs importants sobr a fiação A fim d atndr aos rquisitos EMC, todos os cabos dvm sr blindados. As blindagns d cabo dos cabos d par trançado blindado dvm sr conctadas à placa d blindagm ou ao grampo do cabo do srvoacionamnto. Conxão das blindagns d cabo com a placa d blindagm Para a compatibilidad EMC da instalação do invrsor, us a placa d blindagm qu é nviada com o invrsor para conctar as blindagns d cabo. Consult o xmplo a sguir quanto às tapas para conctar as blindagns d cabo com a placa d blindagm: SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 AE32388, 4/24 27

28 Ajust das orintaçõs do cabo a partir da latral do motor A partir da latral do motor, é possívl ajustar a orintação do cabo d alimntação, do cabo do ncodr do Cabo do frio para facilitar a conxão do cabo. Indicação Rotação dos conctors Todos os três conctors da latral do motor podm sr girados somnt Fiaçõs do circuito principal 4.2. Alimntação da linha - L, L2, L3 Sção transvrsal máxima do condutor: FSAA FSA:, mm 2 (parafusos M2.,, Nm) FSB FSC 2, mm 2 (parafusos M4, 2,2 Nm) Alimntação do motor - U, V, W Saída do motor - latral do invrsor Sção transvrsal máxima do condutor: FSAA FSA:, mm2 (parafusos M2.,, Nm) FSB FSC 2, mm2 (parafusos M4, 2,2 Nm) Fiação SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 28 AE32388, 4/24

29 Conxão do cabo d alimntação do motor (FSAA FSA) Indicação Os srvoacionamntos FSB FSC são quipados com trminais d barrira para a conxão da alimntação do motor. É possívl fixar o cabo d alimntação do motor usando parafusos M4 com nos srvoacionamntos. 4.3 Intrfac d control/status - X8 Dfinição da intrfac Tipo d sinal Pino No. Sinal Dscrição Pino No. Sinal Dscrição Tipo: Soqut MDR d pinos Entradas do trm d pulso (PTI)/Saídas do ncodr do trm d pulso (TDP), 2, 26, 27, 6, 4, 4 Valor d rfrência da posição com ntrada do trm d pulso. Exclusivo para ntrada do trm d pulso do difrncial d V d alta vlocidad Frquência máxima: MHz A transmissão do sinal dst canal possui mlhor imunidad a ruído. Saída d pulso d mulação do ncodr com sinais do difrncial d V d alta vlocidad (A+/A-, B+/B-) 7 Saída d pulso da fas zro do ncodr com o coltor abrto PTIA_D+ Entrada do trm d pulso do difrncial d V d alta vlocidad A (+) 2 PTIA_D- Entrada do trm d pulso do difrncial d V d alta vlocidad A (-) 26 PTIB_D+ Entrada do trm d pulso do difrncial d V d alta vlocidad B (+) 27 PTIB_D- Entrada do trm d pulso do difrncial d V d alta vlocidad B (-) 36, 37, 38, 39 42, 43 Valor d rfrência da posição com ntrada do trm d pulso. Entrada do trm d pulso da xtrmidad, simpls, d 24 V Frquência máxima: 2 khz Saída d pulso da fas zro do ncodr com sinais do difrncial d V d alta vlocidad PTOA+ Saída do ncodr do trm d pulso do difrncial d V d alta vlocidad A (+) 6 PTOA- Saída do ncodr do trm d pulso do difrncial d V d alta vlocidad A (-) 4 PTOB+ Saída do ncodr do trm d pulso do difrncial d V d alta vlocidad B (+) 4 PTOB- Saída do ncodr do trm d pulso do difrncial d V d alta vlocidad B (-) SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 AE32388, 4/24 29

30 Tipo d sinal Entrada/saíd a digital Entradas/saí das analógicas Pino No. Sinal Dscrição Pino No. 36 PTIA_24P Entrada A do trm d pulso d 24 V, positiva 37 PTIA_24M Entrada A do trm d pulso d 24 V, trra 38 PTIB_24P Entrada B do trm d pulso d 24 V, positiva 39 PTIB_24M Entrada B do trm d pulso d 24 V, trra 3 DI_COM Trminal comum para ntradas digitais 4 DI_COM Trminal comum para ntradas digitais Sinal Dscrição 42 PTOZ+ Saída do ncodr do trm d pulso do difrncial d V d alta vlocidad Z (+) 43 PTOZ- Saída do ncodr do trm d pulso do difrncial d V d alta vlocidad Z (-) 7 PTOZ (OC) Sinal Z d saída do ncodr do trm d pulso (saída do coltor abrto) 4 DI Entrada Digital 28 P24V_DO Alimntação xtrna d 24 V para saídas digitais DI Entrada Digital 29 P24V_DO Alimntação xtrna d 24 V para saídas digitais 6 DI2 Entrada Digital 2 3 DO Saída digital 7 DI3 Entrada Digital 3 3 DO2 Saída digital 2 8 DI4 Entrada Digital 4 32 DO3 Saída digital 3 9 DI Entrada Digital 33 DO4 Saída digital 4 DI6 Entrada Digital 6 34 DO Saída digital DI7 Entrada Digital 7 3 DO6 Saída digital 6 2 DI8 Entrada Digital 8 49 MEXT_DO Trra xtrna d 24 V para saídas digitais 3 DI9 Entrada Digital 9 MEXT_DO Trra xtrna d 24 V para saídas digitais 8 P2AI Saída d potência d 2 V 4 AO_M Trra da saída analógica para ntrada analógica 9 AI+ Canal d ntrada analógica, 46 AO Canal da saída analógica positivo 2 AI- Canal d ntrada analógica, 47 AO_M Trra da saída analógica ngativo 2 AI2+ Canal 2 d ntrada analógica, 48 AO2 Canal 2 da saída analógica positivo 22 AI2- Canal 2 d ntrada analógica, ngativo Nnhum 23 - Rsrvado 2 - Rsrvado 24 - Rsrvado 44 - Rsrvado SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 3 AE32388, 4/24

31 Fiação padrão (quatro modos) Control d posição d ntrada do trm d pulso (PTI) SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 AE32388, 4/24 3

32 Control d posição intrna (IPos) SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 32 AE32388, 4/24

33 Control d vlocidad (S) SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 AE32388, 4/24 33

34 Control d torqu (T) SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 34 AE32388, 4/24

35 4.4 Font d alimntação d 24 V/STO - X6 A atribuição do pino para a intrfac X6 é xibida como sgu: Intrfac Nom do sinal Dscrição STO Canal saf torqu off STO + Font d alimntação spcifica para saf torqu off STO 2 Canal 2 saf torqu off +24 V Font d alimntação, 24 Vcc M Font d alimntação, Vcc Sção transvrsal máxima do condutor:. mm 2 Fiação AVISO Dano matrial lsão corporal pla quda d um ixo vrtical Quando o sistma srvo é usado como um ixo vrtical, o ixo cairá s os polos positivo ngativo da font d alimntação d 24 V form conctados invrsamnt. A quda insprada d um ixo vrtical pod causar dano matrial lsão corporal. Crtifiqu-s d qu a font d alimntação d 24 V stja corrtamnt conctada. AVISO Dano matrial lsão corporal pla quda d um ixo pndnt Não é prmitido usar o STO com um ixo pndnt porqu l pod cair. A quda insprada d um ixo pndnt pod causar dano matrial lsão corporal. Indicação Uso da função STO O STO, STO+ STO2 são conctados m curto no ajust d fábrica. Quando a função STO tivr qu sr usada, é ncssário rmovr a hast d curto-circuito ants d conctar as intrfacs STO. S não for mais ncssário usá-la, rinsira a hast d curto-circuito; caso contrário, o motor não oprará. Para informaçõs dtalhadas sobr a função STO, consult o capítulo "Funçõs básicas d sgurança Intgrada" as Instruçõs d opração do SINAMICS V9, SOTICS S-FL6. SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 AE32388, 4/24 3

36 Conxão da font d alimntação d 24 V cabos STO 4. Intrfac do ncodr - X9 O srvoacionamnto SINAMICS V9 suporta dois tipos d ncodrs: Encodr incrmntal Encodr absoluto ATENÇÃO Blindagm do cabo O cabo do ncodr prcisa sr blindado para atndr os rquisitos EMC. Intrfac do ncodr - latral do invrsor Ilustração Pino Nom do sinal Dscrição Biss_DataP Sinal d dados do ncodr absoluto, positivo 2 Biss_DataN Sinal d dados do ncodr absoluto, ngativo 3 Biss_ClockN Sinal d rlógio do ncodr absoluto, ngativo 4 Biss_ClockP Sinal d rlógio do ncodr absoluto, positivo PV Font d alimntação do ncodr, +V 6 PV Font d alimntação do ncodr, +V 7 M Alimntação d nrgia do codificador, atrramnto 8 M Alimntação d nrgia do codificador, atrramnto 9 RP Sinal positivo da fas R do ncodr Rn Sinal ngativo da fas R do ncodr Bn Sinal ngativo da fas B do ncodr 2 Bp Sinal positivo da fas B do ncodr 3 An Sinal ngativo da fas A do ncodr 4 AP Sinal positivo da fas A do ncodr Tipo d parafuso: UNC 4-4 (conxão do born) Torqu d aprto:, -,6 Nm SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 36 AE32388, 4/24

37 Conctor do ncodr - latral do motor Fiação Ilustração Pino No. Encodr incrmntal Encodr absoluto Sinal Dscrição Sinal Dscrição P_Supply Font d alimntação d V 2 M Font d alimntação d V P_Supply M Font d alimntação d V Font d alimntação d V 3 A+ Fas A+ n. c. Não conctado 4 A- Fas A- Clock_N Rlógio invrtido B+ Fas B+ Data_P Dados 6 B- Fas B- Clock_P Rlógio 7 R+ Fas R+ n. c. Não conctado 8 R- Fas R- Data_N Dados invrtidos Atrramnto Para garantir mlhors fitos EMC, rcomnda-s qu dscasqu o cabo do ncodr conct a blindagm do cabo ao trra, conform xibido na figura a sguir: SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 AE32388, 4/24 37

38 4.6 Rsistor d frnagm xtrno - DCP, R O SINAMICS V9 foi projtado com um rsistor d frnagm intrno para absorvr a nrgia rgnrativa do motor. Quando o rsistor d frnagm intrno não pudr atndr os rquisitos d frnagm (x. o alarm A29 é grado), você pod conctar um rsistor d frnagm xtrno. Para a slção dos rsistors do frio, consult o capítulo Acssórios das Instruçõs d opração SINAMICS V9, SOTICS S-FL6. Conxão d um rsistor d frnagm xtrno AVISO Dano ao invrsor Ants d conctar um rsistor xtrno ao DCP R, rmova a hast d curto-circuito dos conctors. Caso contrário, o invrsor pod sr danificado. Para a conxão do rsistor d frnagm xtrno, consult Conxão (Página 26). 4.7 Frio d rtnção do motor - X7 Você pod conctar o srvoacionamnto SINAMICS V9 a um srvomotor com frio para usar a função do frio d rtnção do motor. 4.8 Intrfac RS48 - X2 Os srvoacionamntos SINAMICS V9 suportam a comunicação com os CLPs através da intrfac RS48 (X2) do protocolo USS. Atribuição do pino Ilustração Pino Nom do sinal Dscrição Rsrvado Não usar 2 Rsrvado Não usar 3 RS_DP Sinal do difrncial da RS48 4 Rsrvado Não usar M Atrramnto ao intrno 3,3 V 6 3,3 V Font alimntação d 3,3 V para o sinal intrno 7 Rsrvado Não usar 8 XRS_DP Sinal do difrncial da RS48 9 Rsrvado Não usar Tipo: 9 pinos, Sub-D, fêma Comissionamnto Ants do comissionamnto, lia "Introdução ao BOP (Página 39)" para mais informaçõs sobr as opraçõs BOP. Em caso d falhas ou alarms durant o comissionamnto, consult Capítulo "Diagnóstico (Página 84)" para uma dscrição dtalhada. CUIDADO Lia com atnção as instruçõs d sgurança Ants d su comissionamnto ou opração, lia com atnção a Sção "Instruçõs d sgurança grais (Página 3)" as instruçõs d sgurança "Comissionamnto/Opração" na sção "Instruçõs adicionais d sgurança (Página 6)". A falha ao obsrvar as instruçõs pod causar fitos gravs. SINAMICS V9, SOTICS S-FL6 38 AE32388, 4/24

SINAMICS/SIMOTICS. SINAMICS V90, SIMOTICS S-1FL6 Início. Índice remissivo

SINAMICS/SIMOTICS. SINAMICS V90, SIMOTICS S-1FL6 Início. Índice remissivo SINAMICS/SOTICS Início Índic rmissivo 1 Instruçõs d sgurança... 3 1.1 Indicaçõs básicas d sgurança... 3 1.1.1 Indicaçõs grais d sgurança... 3 1.1.2 Indicaçõs d sgurança sobr os campos lctromagnéticos (CEM)...

Leia mais

NR-35 TRABALHO EM ALTURA

NR-35 TRABALHO EM ALTURA Sgurança Saúd do Trabalho ao su alcanc! NR-35 TRABALHO EM ALTURA PREVENÇÃO Esta é a palavra do dia. TODOS OS DIAS! PRECAUÇÃO: Ato ou fito d prvnir ou d s prvnir; A ação d vitar ou diminuir os riscos através

Leia mais

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE

SISTEMA DE PONTO FLUTUANTE Lógica Matmática Computacional - Sistma d Ponto Flutuant SISTEM DE PONTO FLUTUNTE s máquinas utilizam a sguint normalização para rprsntação dos númros: 1d dn * B ± 0d L ond 0 di (B 1), para i = 1,,, n,

Leia mais

Catálogo M2404. PowerTrap. Série GP Série GT. Bomba Mecânica e Purgador Bomba

Catálogo M2404. PowerTrap. Série GP Série GT. Bomba Mecânica e Purgador Bomba Catálogo M404 PowrTrap Mcânica Séri GP Séri GT Rcupração ficaz do Mlhora a ficiência da planta Aumnto da produtividad qualidad dos produtos são, alguns dos bnfícios da drnagm rcupração do, além d rduzir

Leia mais

Definição de Termos Técnicos

Definição de Termos Técnicos Dfinição d Trmos Técnicos Eng. Adriano Luiz pada Attack do Brasil - THD - (Total Harmonic Distortion Distorção Harmônica Total) É a rlação ntr a potência da frqüência fundamntal mdida na saída d um sistma

Leia mais

Válvula Condicionadora de Vapor Tipo DUP. e válvula de controle de água de resfriamento

Válvula Condicionadora de Vapor Tipo DUP. e válvula de controle de água de resfriamento Válvula Condicionadora d Vapor Tipo DUP válvula d control d água d rsfriamnto Aplicação: Válvula Condicionadora d Vapor para Cntrais Elétricas Procssos Industriais combinada numa unidad com válvula d control

Leia mais

MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS

MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS MÓDULO 4 4.8.1 - PROCEDIMENTOS DE TESTES DE ESTANQUEIDADE PARA LINHAS DE ÁGUA, ESGOTO E OUTROS LÍQUIDOS Normas Aplicávis - NBR 15.950 Sistmas para Distribuição d Água Esgoto sob prssão Tubos d politilno

Leia mais

Desse modo, podemos dizer que as forças que atuam sobre a partícula que forma o pêndulo simples são P 1, P 2 e T.

Desse modo, podemos dizer que as forças que atuam sobre a partícula que forma o pêndulo simples são P 1, P 2 e T. Pêndulo Simpls Um corpo suspnso por um fio, afastado da posição d quilíbrio sobr a linha vrtical qu passa plo ponto d suspnsão, abandonado, oscila. O corpo o fio formam o objto qu chamamos d pêndulo. Vamos

Leia mais

AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE. azevedoglauco@unifei.edu.br

AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE. azevedoglauco@unifei.edu.br AUTO CENTRAGEM DA PLACA DE RETENÇÃO DE UMA MÁQUINA DE PISTÕES AXIAIS TIPO SWASHPLATE Glauco José Rodrigus d Azvdo 1, João Zangrandi Filho 1 Univrsidad Fdral d Itajubá/Mcânica, Av. BPS, 1303 Itajubá-MG,

Leia mais

PSICROMETRIA 1. É a quantificação do vapor d água no ar de um ambiente, aberto ou fechado.

PSICROMETRIA 1. É a quantificação do vapor d água no ar de um ambiente, aberto ou fechado. PSICROMETRIA 1 1. O QUE É? É a quantificação do vapor d água no ar d um ambint, abrto ou fchado. 2. PARA QUE SERVE? A importância da quantificação da umidad atmosférica pod sr prcbida quando s qur, dntr

Leia mais

Vedação. Climatécnica CONJUNTOS DE GRELHA E FILTRO LINHA PFA 10.000 - IV GERAÇÃO. em poliuretano

Vedação. Climatécnica CONJUNTOS DE GRELHA E FILTRO LINHA PFA 10.000 - IV GERAÇÃO. em poliuretano Climatécnica CONJUNTOS DE GRELHA E FILTRO LINHA PFA 10.000 - IV GERAÇÃO SISTEMA DE PROTEÇÃO INSTALAÇÃO RÁPIDA INSTALAÇÃO SEM USAR FERRAMENTA Corpo injtado m trmoplástico auto-xtinguívl (UL94V0). progrssivo

Leia mais

Módulo II Resistores, Capacitores e Circuitos

Módulo II Resistores, Capacitores e Circuitos Módulo laudia gina ampos d arvalho Módulo sistors, apacitors ircuitos sistência Elétrica () sistors: sistor é o condutor qu transforma nrgia létrica m calor. omo o rsistor é um condutor d létrons, xistm

Leia mais

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita:

Em cada ciclo, o sistema retorna ao estado inicial: U = 0. Então, quantidade de energia W, cedida, por trabalho, à vizinhança, pode ser escrita: Máquinas Térmicas Para qu um dado sistma raliz um procsso cíclico no qual rtira crta quantidad d nrgia, por calor, d um rsrvatório térmico cd, por trabalho, outra quantidad d nrgia à vizinhança, são ncssários

Leia mais

Manual do Usuário KP1510

Manual do Usuário KP1510 Manual do Usuário KP1510 Kypass Tcnologia Ltda. www.kypass.com.br 2 ÍNDICE 1. Primiros passos... 4 1.1 Considraçõs iniciais... 4 1.2 Espcificaçõs técnicas... 5 1.3 Utilização do snsor biométrico... 6 1.4

Leia mais

ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO. Marcelo Sucena

ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO. Marcelo Sucena ENGENHARIA DE MANUTENÇÃO Marclo Sucna http://www.sucna.ng.br msucna@cntral.rj.gov.br / marclo@sucna.ng.br ABR/2008 MÓDULO 1 A VISÃO SISTÊMICA DO TRANSPORTE s A anális dos subsistmas sus componnts é tão

Leia mais

Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16

Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO PEDRO DA COVA Escola Básica d São Pdro da Cova Planificação :: TIC - 7.º Ano :: 15/16 1.- A Informação, o conhcimnto o mundo das tcnologias A volução das tcnologias d informação

Leia mais

Edital de seleção de candidatos para o Doutorado em Matemática para o Período 2015.2

Edital de seleção de candidatos para o Doutorado em Matemática para o Período 2015.2 ] Univrsidad Fdral da Paraíba Cntro d Ciências Exatas da Naturza Dpartamnto d Matmática Univrsidad Fdral d Campina Grand Cntro d Ciências Tcnologia Unidad Acadêmica d Matmática Programa Associado d Pós-Graduação

Leia mais

F o l e s S a n f o n a d o s

F o l e s S a n f o n a d o s Fols Sanfonados Protção individualmnt sob mdida sanfonada por sanfonada A protção prfita para o homm para a máquina. A Hnnig projta produz fols sanfonados para máquinasfrramnta há mais d 50 anos. Hoj a

Leia mais

CA Nimsoft Monitor Snap

CA Nimsoft Monitor Snap CA Nimsoft Monitor Snap Guia d Configuração do Monitoramnto do srvidor Cisco UCS cisco_ucs séri 2.1 Avisos lgais Copyright 2013, CA. Todos os diritos rsrvados. Garantia O matrial contido nst documnto é

Leia mais

Série V300. Excelente controle de temperatura para caminhões pequenos e furgões

Série V300. Excelente controle de temperatura para caminhões pequenos e furgões Séri V300 Exclnt control para caminhõs pqunos furgõs A solução para obtr Exclnt smpnho Alta confiabilida Fácil manutnção Montagm frontal ou no tto Construção compacta AEssa sérilinha V-300 ofrc uma xclnt

Leia mais

Experiência n 2 1. Levantamento da Curva Característica da Bomba Centrífuga Radial HERO

Experiência n 2 1. Levantamento da Curva Característica da Bomba Centrífuga Radial HERO 8 Expriência n 1 Lvantamnto da Curva Caractrística da Bomba Cntrífuga Radial HERO 1. Objtivo: A prsnt xpriência tm por objtivo a familiarização do aluno com o lvantamnto d uma CCB (Curva Caractrística

Leia mais

ASSUNTO Nº 4 POLARIDADE INSTANTÂNEA DE TRANSFORMADORES

ASSUNTO Nº 4 POLARIDADE INSTANTÂNEA DE TRANSFORMADORES ASSUNTO Nº 4 POLARIDADE INSTANTÂNEA DE TRANSFORMADORES 17 As associaçõs d pilhas ou batrias m séri ou parallo xigm o domínio d suas rspctivas polaridads, tnsõs corrnts. ALGUMAS SITUAÇÕES CLÁSSICAS (pilhas

Leia mais

Desta maneira um relacionamento é mostrado em forma de um diagrama vetorial na Figura 1 (b). Ou poderia ser escrito matematicamente como:

Desta maneira um relacionamento é mostrado em forma de um diagrama vetorial na Figura 1 (b). Ou poderia ser escrito matematicamente como: ASSOCIAÇÃO EDUCACIONA DOM BOSCO FACUDADE DE ENGENHAIA DE ESENDE ENGENHAIA EÉICA EEÔNICA Disciplina: aboratório d Circuitos Elétricos Circuitos m Corrnt Altrnada EXPEIMENO 9 IMPEDÂNCIA DE CICUIOS SÉIE E

Leia mais

PRODUTOS GERDAU PARA PAREDES DE CONCRETO

PRODUTOS GERDAU PARA PAREDES DE CONCRETO PRODUTOS GERDAU PARA PAREDES DE CONCRETO SISTEMA CONSTRUTIVO PAREDES DE CONCRETO NBR60 PAREDES DE CONCRETO Sistma construtivo m qu as lajs as pards são moldadas m conjunto, formando um lmnto monolítico.

Leia mais

S is tem a de G es tã o da Qua lida de. S egura n ça do T ra ba lho

S is tem a de G es tã o da Qua lida de. S egura n ça do T ra ba lho S is tm a d G s tã o da Qua lida d S gura n ça do T ra ba lho G s tã o da Qua lida d I n t r n a ti o n a l O r g a n i za ti o n fo r S ta n d a r d i za ti o n (I S O ) Organização Normalização. Intrnacional

Leia mais

V300 Séries. Excelente controle de temperatura para caminhões pequenos e furgões

V300 Séries. Excelente controle de temperatura para caminhões pequenos e furgões V300 Séris Exclnt control caminhõs pqus furgõs A obtr Exclnt smpnho Alta confiabili Manutnção fácil Montagm frontal ou tto Construção pacta séri ofrc ofrc xclnt xclnt AAAséri séri ofrc xclnt A séri ofrc

Leia mais

Dinâmica Longitudinal do Veículo

Dinâmica Longitudinal do Veículo Dinâmica Longitudinal do Vículo 1. Introdução A dinâmica longitudinal do vículo aborda a aclração frnagm do vículo, movndo-s m linha rta. Srão aqui usados os sistmas d coordnadas indicados na figura 1.

Leia mais

INSTRUÇÕES MANUAL DE VENAX. Eletrodomésticos Ltda VV100 - VV300 - VV550 VENAX EXPOSITORA DE BEBIDAS. Eletrodomésticos Ltda

INSTRUÇÕES MANUAL DE VENAX. Eletrodomésticos Ltda VV100 - VV300 - VV550 VENAX EXPOSITORA DE BEBIDAS. Eletrodomésticos Ltda Conhça nossos outros produtos * FOGÕES A GÁS * FOGÕES A LENHA * FOGÕES INDUSTRIAIS * COOKTOPS * FORNOS ELÉTRICOS * FORNOS A GÁS E ELÉTRICOS DE EMBUTIR * REFRIGERADORES * FREEZERS * CLIMATIZADORAS DE VINHO

Leia mais

PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) Versão: 27/08/2014 Atualizado em: 27/08/2014

PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) Versão: 27/08/2014 Atualizado em: 27/08/2014 F i n a l i d a d O r i n t a r o u s u á r i o p a r a q u s t o b t PRINCÍPIOS E INSTRUÇÕES RELATIVOS ÀS OPERAÇÕES DE CERTIFICADOS DE OPERAÇÕES ESTRUTURADAS (COE) Vrsão: 27/08/2014 Atualizado m: 27/08/2014

Leia mais

MÁQUINAS SÍNCRONAS PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO DAS MÁQUINAS ELÉTRICAS. Princípio de Funcionamento Aplicado ao Motor Elétrico

MÁQUINAS SÍNCRONAS PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO DAS MÁQUINAS ELÉTRICAS. Princípio de Funcionamento Aplicado ao Motor Elétrico PRINCÍPIO DE FUNCIONAMENTO DAS MÁQUINAS ELÉTRICAS MÁQUINAS SÍNCRONAS Princípio d indução aplicado ao grador d tnsão Princípio d Funcionamnto Aplicado ao Motor Elétrico Princípio d Funcionamnto Aplicado

Leia mais

SINAMICS V90, SIMOTICS S-1FL6 Trem de pulso, USS/Interface de Mobdus Início Instruções de funcionamento compactas

SINAMICS V90, SIMOTICS S-1FL6 Trem de pulso, USS/Interface de Mobdus Início Instruções de funcionamento compactas SINAMICS V90, SOTICS S-1FL6 Trm d pulso, USS/Intrfac d Mobdus Instruçõs d funcionamnto compactas Índic rmissivo 1 Instruçõs fundamntais d sgurança... 2 1.1 Instruçõs d sgurança grais... 2 1.2 Manusio d

Leia mais

EC1 - LAB - CIRCÚITOS INTEGRADORES E DIFERENCIADORES

EC1 - LAB - CIRCÚITOS INTEGRADORES E DIFERENCIADORES - - EC - LB - CIRCÚIO INEGRDORE E DIFERENCIDORE Prof: MIMO RGENO CONIDERÇÕE EÓRIC INICII: Imaginmos um circuito composto por uma séri R-C, alimntado por uma tnsão do tipo:. H(t), ainda considrmos qu no

Leia mais

ANEXO NR-12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS

ANEXO NR-12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS ANEXO NR-12 - SEGURANÇA NO TRABALHO EM MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS Princípios Grais 12.1. Esta Norma Rgulamntadora sus anxos dfinm rfrências técnicas, princípios fundamntais mdidas d protção para garantir

Leia mais

Contador de electricidade instantâneo

Contador de electricidade instantâneo Contador d lctricidad instantâno Modo d utilização Rf. 54370 Linha d apoio: hotlin@chacon.b CONTEÚDO INTRODUÇÃO INTRODUÇÃO 1 SEGURANÇA 2 DENTRO DA CAIXA 3 PROCURAR O CABO DE ALIMENTAÇÃO 4 INSTALAÇÃO 6

Leia mais

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO

TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO FUNDAÇÃO EDUCACIONAL DE ALÉM PARAÍBA INSTITUTO SUPERIOR DE EDUCAÇÃO NAIR FORTES ABU-MERHY TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO PLANEJAMENTO DO PARQUE TECNOLÓGICO 2011-2013 Tcnologia d Informação - FEAP 1 - Rlação

Leia mais

SINAMICS V90, SIMOTICS S-1FL6 Interface PROFINET (PN) Início Instruções de funcionamento compactas

SINAMICS V90, SIMOTICS S-1FL6 Interface PROFINET (PN) Início Instruções de funcionamento compactas SINAMICS V90, SIMOTICS S-1FL6 Intrfac PROFINET (PN) Instruçõs d funcionamnto compactas Índic rmissivo 1 Instruçõs fundamntais d sgurança... 2 1.1 Instruçõs d sgurança grais... 2 1.2 Manusio d componnts

Leia mais

INEC ESPECIALIZAÇÃO EM : GERÊNCIA CONTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITORIA TURMA III. Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 de Outubro.

INEC ESPECIALIZAÇÃO EM : GERÊNCIA CONTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITORIA TURMA III. Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 de Outubro. INEC AUDITRIA Prof. CLAUDECIR PATN ESPECIALIZAÇÃ EM : GERÊNCIA CNTÁBIL, FINANCEIRA E AUDITRIA TURMA III 1 Lins - SP - 2012 2º Dia : 20 utubro. CNTRLE - Concitos; - Auditoria Control Intrno; - Importância

Leia mais

POLÍTICA DA QUALIDADE

POLÍTICA DA QUALIDADE TUBOS E CONEXÕES PD N BR 1 5561 POLI ERG POL GP10 0BK PEA IERG D NB PE 1 00 D R 15 PEA 561 D NB R 15 E 45 0 PN GP10 561 0BK GP1 10 Á GUA PE 1 00B 00 D K PE E 45 100 0 PN DE 4 10 E 50 P SGOT O N 10 ÁGU

Leia mais

TRAFO REGULADOR ATE 40MVA COM EPPT

TRAFO REGULADOR ATE 40MVA COM EPPT SISTMA D SUPRVISÃO CONTROL BAS D DADOS - UNIDAD CNTRAL S: PADRÃO 970 TRAFO RGULADOR AT 40MVA COM PPT b a Rev. DATA FITO VISTO APROV. Notas: N o. Projeto: PROJ.: DS.: CONF.: Mauricio VISTO: APROV.: DATA:

Leia mais

PSI-2432: Projeto e Implementação de Filtros Digitais Projeto Proposto: Conversor de taxas de amostragem

PSI-2432: Projeto e Implementação de Filtros Digitais Projeto Proposto: Conversor de taxas de amostragem PSI-2432: Projto Implmntação d Filtros Digitais Projto Proposto: Convrsor d taxas d amostragm Migul Arjona Ramírz 3 d novmbro d 2005 Est projto consist m implmntar no MATLAB um sistma para troca d taxa

Leia mais

Edital. V Mostra LEME de Fotografia e Filme Etnográficos e II Mostra LEME de Etnografia Sonora

Edital. V Mostra LEME de Fotografia e Filme Etnográficos e II Mostra LEME de Etnografia Sonora Edital V Mostra LEME d Fotografia Film Etnográficos 5º SEMINÁRIO DO LABORATÓRIO DE ESTUDOS EM MOVIMENTOS ÉTNICOS - LEME 19 a 21 d stmbro d 2012 Univrsidad Fdral do Rcôncavo da Bahia Cachoira-BA O 5º Sminário

Leia mais

INSTRUÇÕES MANUAL DE. Conheça nossos outros produtos. EXPOSITORA DE BEBIDAS Modelos: VV100, VVCD100, VVCD200, VV300, VV330, VV550.

INSTRUÇÕES MANUAL DE. Conheça nossos outros produtos. EXPOSITORA DE BEBIDAS Modelos: VV100, VVCD100, VVCD200, VV300, VV330, VV550. Conhça nossos outros produtos * Fogõs a gás * Fogõs a lnha * Fogõs industriais * Cooktops * Fornos létricos * Fornos d mbutir * Frigobars * Frzrs * Climatizadoras d vinho * Epositora d crvjas bbidas *

Leia mais

Projeto de Magnéticos

Projeto de Magnéticos rojto d Magnéticos rojto d circuitos magnéticos ltrônicos rojto d Magnéticos 1. ntrodução s caractrísticas idais d um componnt magnético são: rsistência nula, capacitância parasita nula, dnsidad d campo

Leia mais

Proposta de Resolução do Exame Nacional de Física e Química A 11.º ano, 2011, 1.ª fase, versão 1

Proposta de Resolução do Exame Nacional de Física e Química A 11.º ano, 2011, 1.ª fase, versão 1 Proposta d Rsolução do Exam Nacional d ísica Química A 11.º ano, 011, 1.ª fas, vrsão 1 Socidad Portugusa d ísica, Divisão d Educação, 8 d Junho d 011, http://d.spf.pt/moodl/ 1. Movimnto rctilíno uniform

Leia mais

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.6

QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.6 QUALIDADE DE SOFTWARE AULA N.6 Curso: SISTEMAS DE INFORMAÇÃO Discipli: Qualida Softwar Profa. : Kátia Lops Silva Slis adpatados do Prof. Ricardo Almida Falbo Tópicos Espciais Qualida Softwar 007/ Dpartamnto

Leia mais

2 Mbps (2.048 kbps) Telepac/Sapo, Clixgest/Novis e TV Cabo; 512 kbps Cabovisão e OniTelecom. 128 kbps Telepac/Sapo, TV Cabo, Cabovisão e OniTelecom.

2 Mbps (2.048 kbps) Telepac/Sapo, Clixgest/Novis e TV Cabo; 512 kbps Cabovisão e OniTelecom. 128 kbps Telepac/Sapo, TV Cabo, Cabovisão e OniTelecom. 4 CONCLUSÕES Os Indicadors d Rndimnto avaliados nst studo, têm como objctivo a mdição d parâmtros numa situação d acsso a uma qualqur ára na Intrnt. A anális dsts indicadors, nomadamnt Vlocidads d Download

Leia mais

Estudo da Transmissão de Sinal em um Cabo co-axial

Estudo da Transmissão de Sinal em um Cabo co-axial Rlatório final d Instrumntação d Ensino F-809 /11/00 Wllington Akira Iwamoto Orintador: Richard Landrs Instituto d Física Glb Wataghin, Unicamp Estudo da Transmissão d Sinal m um Cabo co-axial OBJETIVO

Leia mais

Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 15/16

Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 15/16 AGRUPAMENTO DE ESCOLAS DE SÃO PEDRO DA COVA Escola Básica d São Pdro da Cova Planificação :: TIC - 8.º Ano :: 5/6.- Exploração d ambints computacionais Criação d um produto original d forma colaborativa

Leia mais

6. Moeda, Preços e Taxa de Câmbio no Longo Prazo

6. Moeda, Preços e Taxa de Câmbio no Longo Prazo 6. Moda, Prços Taxa d Câmbio no Longo Prazo 6. Moda, Prços Taxa d Câmbio no Longo Prazo 6.1. Introdução 6.3. Taxas d Câmbio ominais Rais 6.4. O Princípio da Paridad dos Podrs d Compra Burda & Wyplosz,

Leia mais

Dimensões mm. Nº de Filtros. Código Modelo Bitola # CMC-I 20 0 M². Dimensões mm. Nº de Filtros. Código Modelo Bitola # CMC-G 20 0 M²

Dimensões mm. Nº de Filtros. Código Modelo Bitola # CMC-I 20 0 M². Dimensões mm. Nº de Filtros. Código Modelo Bitola # CMC-G 20 0 M² t SISTEMA DE EXAUSTÃO Equipamntos Profissionais létricos Séris: Caixa/Água/MDlta/Dlta/Clan-air 1 COIFA MODELO CAIXA Construção m aço inoxidávl AISI Austnítico; Calha coltora com drno para scoamnto da gordura;

Leia mais

INSTRUÇÕES MANUAL DE. Conheça nossos outros produtos. CONSERVADORA DE QUEIJOS Modelos: CQV100.

INSTRUÇÕES MANUAL DE. Conheça nossos outros produtos. CONSERVADORA DE QUEIJOS Modelos: CQV100. Conhça nossos outros produtos * Fogõs a gás * Fogõs a lnha * Fogõs industriais * Cooktops * Fornos létricos * Fornos d mbutir * Frigobars * Frzrs * Climatizadoras d vinho * Expositora d crvjas bbidas *

Leia mais

EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A - EMBRATEL

EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A - EMBRATEL EMPRESA BRASILEIRA DE TELECOMUNICAÇÕES S.A - EMBRATEL PLANO ALTERNATIVO DE SERVIÇO N o 001 - EMBRATEL 1. APLICAÇÃO Est Plano d Srviço ofrc ao usuário do Srviço d Tlfonia Fixa Comutada, a possibilidad d

Leia mais

Uma característica importante dos núcleos é a razão N/Z. Para o núcleo de

Uma característica importante dos núcleos é a razão N/Z. Para o núcleo de Dsintgração Radioativa Os núclos, m sua grand maioria, são instávis, ou sja, as rspctivas combinaçõs d prótons nêutrons não originam configuraçõs nuclars stávis. Esss núclos, chamados radioativos, s transformam

Leia mais

Programa de Pós-Graduação Processo de Seleção 2 0 Semestre 2008 Exame de Conhecimento em Física

Programa de Pós-Graduação Processo de Seleção 2 0 Semestre 2008 Exame de Conhecimento em Física UNIVERSIDADE FEDERAL DE GOIAS INSTITUTO DE FÍSICA C.P. 131, CEP 74001-970, Goiânia - Goiás - Brazil. Fon/Fax: +55 62 521-1029 Programa d Pós-Graduação Procsso d Slção 2 0 Smstr 2008 Exam d Conhcimnto m

Leia mais

INSTRUÇÕES MANUAL DE. Conheça nossos outros produtos. FOGÕES LENHA Modelos: Nº00, Nº0, Nº1, Nº2.

INSTRUÇÕES MANUAL DE. Conheça nossos outros produtos. FOGÕES LENHA Modelos: Nº00, Nº0, Nº1, Nº2. Conhça nossos outros produtos * Fogõs a gás * Fogõs a lnha * Fogõs industriais * Cooktops * Fornos létricos * Fornos d mbutir * Frigobars * Frzrs * Climatizadoras d vinho * Expositora d crvjas bbidas *

Leia mais

4.1 Método das Aproximações Sucessivas ou Método de Iteração Linear (MIL)

4.1 Método das Aproximações Sucessivas ou Método de Iteração Linear (MIL) 4. Método das Aproimaçõs Sucssivas ou Método d Itração Linar MIL O método da itração linar é um procsso itrativo qu aprsnta vantagns dsvantagns m rlação ao método da bisscção. Sja uma função f contínua

Leia mais

No N r o m r a m s a?

No N r o m r a m s a? Normas? EM ALGUMA CERÂMICA... NORMAS? O qu tnho a vr com isso? VENDAS NORMAS??? O qu é isso?...um clint dixou d fchar o pdido porqu o bloco não stava dntro das NORMAS... Grnt Produção...Uma carga d Blocos

Leia mais

PLUGUES E TOMADAS. Padrão NBR 14.136. Painel Setorial INMETRO 11 abr 2006

PLUGUES E TOMADAS. Padrão NBR 14.136. Painel Setorial INMETRO 11 abr 2006 PLUGUES E TOMADAS Padrão NBR 14.136 Painl Storial INMETRO 11 abr 2006 1 NBR para (P&T) 2 ABNT NBR NM 60884-1 tomadas para uso doméstico análogo Part 1: Rquisitos grais - Fixa as condiçõs xigívis para P&T

Leia mais

www.siemens.com.br/acionamentos SINAMICS V60 A solução perfeita para aplicações básicas de servo.

www.siemens.com.br/acionamentos SINAMICS V60 A solução perfeita para aplicações básicas de servo. www.siemens.com.br/acionamentos SINAMICS V60 A solução perfeita para aplicações básicas de servo. SINAMICS V60 com servomotores 1FL5 A solução para aplicações básicas de servo A tecnologia servo-drive

Leia mais

INSTRUÇÕES MANUAL DE. LENHA Leia atentamente este manual antes de utilizar o produto. Conheça nossos outros produtos VENAX VENAX FOGÕES A

INSTRUÇÕES MANUAL DE. LENHA Leia atentamente este manual antes de utilizar o produto. Conheça nossos outros produtos VENAX VENAX FOGÕES A Conhça nossos outros produtos * FOGÕES A GÁS * FOGÕES A LENHA * FOGÕES INDUSTRIAIS * COOKTOPS * FORNOS ELÉTRICOS * FORNOS A GÁS E ELÉTRICOS DE EMBUTIR * REFRIGERADORES * FREEZERS * CLIMATIZADORAS DE VINHO

Leia mais

INSTRUÇÕES MANUAL DE. Conheça nossos outros produtos. FOGÕES LENHA Modelos: Nº00, Nº0, Nº1, Nº2.

INSTRUÇÕES MANUAL DE. Conheça nossos outros produtos. FOGÕES LENHA Modelos: Nº00, Nº0, Nº1, Nº2. Conhça nossos outros produtos * Fogõs a gás * Fogõs a lnha * Fogõs industriais * Cooktops * Fornos létricos * Fornos d mbutir * Frigobars * Frzrs * Climatizadoras d vinho * Expositora d crvjas bbidas *

Leia mais

APONTAMENTOS PRÁTICOS PARA OFICIAIS DE JUSTIÇA

APONTAMENTOS PRÁTICOS PARA OFICIAIS DE JUSTIÇA ESQUEMA PRÁTICO ) Prazo Máximo Duração do Inquérito 2) Prazo Máximo Duração do Sgrdo d Justiça 3) Prazo Máximo Duração do Sgrdo d Justiça quando stivr m causa a criminalidad rfrida nas al.ªs i) a m) do

Leia mais

Comando e Sinalização Botões de Comando Ø 22mm HB2-E (Plástico)

Comando e Sinalização Botões de Comando Ø 22mm HB2-E (Plástico) Botõs d Comando Ø 22mm HB2-E (Plástico) Diâmtro d furação 22mm. Dsign modrno. Com ligação por parafuso. Conformidad IEC EN 60947-5 Crtificação CE Botõs d Comando Sinalização Ø 22mm HB2-E (Plástico) A linha

Leia mais

ANEXO 1 DO COMUNICADO: ACORDO DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA SÃO PAULO E MATO GROSSO.

ANEXO 1 DO COMUNICADO: ACORDO DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA SÃO PAULO E MATO GROSSO. ANEXO 1 DO COMUNICADO: ACORDO DE SUBSTITUIÇÃO TRIBUTÁRIA SÃO PAULO E MATO GROSSO. Abrangência: opraçõs intrstaduais originadas do stado d São Paulo dstinadas ao stado do Mato Grosso. Produto: ltrônicos,

Leia mais

INSTRUÇÕES MANUAL DE. Conheça nossos outros produtos. FOGÕES A GÁS Modelos: 600.200 / 432.200 / 420 TV / 205 CT / 205 ST / 226 TV / 226 CT

INSTRUÇÕES MANUAL DE. Conheça nossos outros produtos. FOGÕES A GÁS Modelos: 600.200 / 432.200 / 420 TV / 205 CT / 205 ST / 226 TV / 226 CT Conhça nossos outros produtos * Fogõs a gás * Fogõs a lnha * Fogõs industriais * Cooktops * Fornos létricos * Fornos d mbutir * Frigobars * Frzrs * Climatizadoras d vinho * Epositora d crvjas bbidas *

Leia mais

Opção A: montagem interna

Opção A: montagem interna Cortinas clulars automatizadas Sivoia QS Cortina motorizada com control d radiofrqüência (RF) sm fi o Manual d instalação (lia ants d instalar) Passo : rvis os componnts inclusos Português A. Opção A:

Leia mais

Tabela de Tarifas. Pessoa Física. Divulgada em 01/08/2013 Vigência a partir de: 01/09/2013. sicoobes.com.br

Tabela de Tarifas. Pessoa Física. Divulgada em 01/08/2013 Vigência a partir de: 01/09/2013. sicoobes.com.br Tabla d Tarifas Pssoa Física Divulgada m 01/08/013 Vigência a partir d: 01/09/013 Rlação dos srviços tarifados rspctivos valors vignts. Os valors máximos foram stablcidos pla Cooprativa, obsrvada a rsolução

Leia mais

O que são dados categóricos?

O que são dados categóricos? Objtivos: Dscrição d dados catgóricos por tablas gráficos Tst qui-quadrado d adrência Tst qui-quadrado d indpndência Tst qui-quadrado d homognidad O qu são dados catgóricos? São dados dcorrnts da obsrvação

Leia mais

INSTRUÇÕES MANUAL DE. Conheça nossos outros produtos VENAX VENAX. FOGÕES A LENHA Leia atentamente este manual antes de utilizar o produto

INSTRUÇÕES MANUAL DE. Conheça nossos outros produtos VENAX VENAX. FOGÕES A LENHA Leia atentamente este manual antes de utilizar o produto Conhça nossos outros produtos * FOGÕES A GÁS * FOGÕES A LENHA * FOGÕES INDUSTRIAIS * COOKTOPS * FORNOS ELÉTRICOS * FORNOS A GÁS E ELÉTRICOS DE EMBUTIR * REFRIGERADORES * FREEZERS * CLIMATIZADORAS DE VINHO

Leia mais

FT44 Purgador de Bóia em Aço Carbono

FT44 Purgador de Bóia em Aço Carbono Página 1 d 5 BR Rv 00 Purgador d Bóia m Aço Carbono DN15, DN20 DN25 DN15 (mostrado na figura) DN40 DN50 DN50 (mostrado na figura) -C Dscrição O é um purgador d bóia com corpo produzido m Aço Carbono. Possui

Leia mais

DP2-40 DPY - 27 DPM - M2

DP2-40 DPY - 27 DPM - M2 SENSORES DE PRESSÃO DP SENSORES DE PRESSÃO Vrsõs d prssão difrncial, com bargraph, anticorrosivo display duplo. Para ar comprimido, gass ou líquidos (inclusiv corrosivos). Microprocssados com alta rsolução

Leia mais

Módulo II Resistores e Circuitos

Módulo II Resistores e Circuitos Módulo Claudia gina Campos d Carvalho Módulo sistors Circuitos sistência Elétrica () sistors: sistor é o condutor qu transforma nrgia létrica m calor. Como o rsistor é um condutor d létrons, xistm aquls

Leia mais

MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-5.0A

MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-5.0A MANUAL DRIVE PARA MOTOR DE PASSO MODELO AKDMP5-5.0A V01R12 Atenção: - Leia cuidadosamente este manual antes de ligar o Driver. - A Akiyama Tecnologia se reserva no direito de fazer alterações sem aviso

Leia mais

Interruptores seccionadores Vario 12 a 175 A. Para. segurança. sua

Interruptores seccionadores Vario 12 a 175 A. Para. segurança. sua Intrruptors sionadors 12 a 175 A sua Para sgurança Elaborados tstados m função das ondiçõs rais d opração, onform a norma IEC 9473, os intrruptorssionadors proporionam: sgurança, qualidad d sionamnto,

Leia mais

TRANSMISSÃO DE CALOR II. Prof. Eduardo C. M. Loureiro, DSc.

TRANSMISSÃO DE CALOR II. Prof. Eduardo C. M. Loureiro, DSc. TRANSMISSÃO DE CALOR II Prof. Eduardo C. M. Lourro, DSc. ANÁLISE TÉRMICA Dtrmnação da ára rqurda para transfrr o calor, numa dtrmnada quantdad por undad d tmpo, dadas as vlocdads d scoamnto as tmpraturas

Leia mais

GERADOR ELETROSTÁTICO

GERADOR ELETROSTÁTICO GERADOR ELETROSTÁTICO Est artigo irá mostrar como construir um grador ltrostático, projto muito famoso m firas d Ciências. É uma máquina muito intrssant dvido às pqunas faíscas qu gra, dmonstrando claramnt

Leia mais

Modelo de Oferta e Demanda Agregada (OA-DA)

Modelo de Oferta e Demanda Agregada (OA-DA) Modlo d Ofrta Dmanda Agrgada (OA-DA) Lops Vasconcllos (2008), capítulo 7 Dornbusch, Fischr Startz (2008), capítulos 5 6 Blanchard (2004), capítulo 7 O modlo OA-DA xamina as condiçõs d quilíbrio dos mrcados

Leia mais

INSTRUÇÕES MANUAL DE. Conheça nossos outros produtos. AQUECEDOR A GÁS Modelos: Scaldare

INSTRUÇÕES MANUAL DE. Conheça nossos outros produtos. AQUECEDOR A GÁS Modelos: Scaldare Conhça nossos outros produtos * Fogõs a gás * Fogõs a lnha * Fogõs industriais * Cooktops * Fornos létricos * Fornos d mbutir * Frigobars * Frzrs * Climatizadoras d vinho * Expositora d crvjas bbidas *

Leia mais

Melhoria contínua da qualidade do ensino

Melhoria contínua da qualidade do ensino 1. OBJETIVO Est procdimnto visa normalizar as ativis snvolvis no âmbito mlhoria contínua quali do nsino dos cursos ministrados na Escola Naval (EN). 2. CAMPO DE APLICAÇÃO O prsnt procdimnto é aplicávl

Leia mais

CTOC - Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas Sistema de Informação do Técnico Oficial de Contas

CTOC - Câmara dos Técnicos Oficiais de Contas Sistema de Informação do Técnico Oficial de Contas IAS 17 (1) NORMA INTERNACIONAL DE CONTABILIDADE IAS 17 Locaçõs ÍNDICE Parágrafos Objctivo 1 Âmbito 2-3 Dfiniçõs 4-6 Classificação d locaçõs 7-19 Locaçõs nas dmonstraçõs financiras d locatários 20-35 Locaçõs

Leia mais

A energia cinética de um corpo de massa m, que se desloca com velocidade de módulo v num dado referencial, é:

A energia cinética de um corpo de massa m, que se desloca com velocidade de módulo v num dado referencial, é: nrgia no MHS Para studar a nrgia mcânica do oscilador harmônico vamos tomar, como xmplo, o sistma corpo-mola. A nrgia cinética do sistma stá no corpo d massa m. A mola não tm nrgia cinética porqu é uma

Leia mais

MANUAL DE APOSENTADORIA E ABONO PERMANÊNCIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GARANHUNS IPSG

MANUAL DE APOSENTADORIA E ABONO PERMANÊNCIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GARANHUNS IPSG MANUAL DE APOSENTADORIA E ABONO PERMANÊNCIA INSTITUTO DE PREVIDÊNCIA DOS SERVIDORES PÚBLICOS DO MUNICÍPIO DE GARANHUNS IPSG SUMÁRIO PARTE I BENEFÍCIO DE APOSENTADORIA 1 - NOÇÕES SOBRE O BENEFÍCIO PREVIDENCIÁRIO

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília EDITAL Nº 047/RIFB, DE 03 DE SETEMBRO DE 2014

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasília EDITAL Nº 047/RIFB, DE 03 DE SETEMBRO DE 2014 EDITAL Nº 047/RIFB, DE 03 DE SETEMBRO DE 2014 REVALIDAÇÃO DE DIPLOMAS E CERTIFICADOS DE CURSOS TÉCNICOS E TECNOLÓGICOS ESTRANGEIROS DE ENSINO, PELO INSITUTO FEDERAL DE BRASÍLIA- IFB. 1. DA ABERTURA 1.1

Leia mais

PROCEDIMENTO DE MEDIÇÃO DE ILUMINÂNCIA DE EXTERIORES

PROCEDIMENTO DE MEDIÇÃO DE ILUMINÂNCIA DE EXTERIORES PROCEDIMENTO DE MEDIÇÃO DE ILUMINÂNCIA DE EXTERIORES Rodrigo Sousa Frrira 1, João Paulo Viira Bonifácio 1, Daian Rznd Carrijo 1, Marcos Frnando Mnzs Villa 1, Clarissa Valadars Machado 1, Sbastião Camargo

Leia mais

PENSANDO E DESCOBRINDO!!!

PENSANDO E DESCOBRINDO!!! PENSANDO E DESCOBRINDO!!! Sobr o Chuviro Elétrico... Falarmos agora sobr outra facilidad qu a ltricidad os avanços tcnológicos trouxram, trata-s d um aparlho muito usado m nosso dia a dia, o CHUVEIRO ELÉTRICO!

Leia mais

Curso de Engenharia Mecânica Disciplina: Física 2 Nota: Rubrica. Coordenador Professor: Rudson R Alves Aluno:

Curso de Engenharia Mecânica Disciplina: Física 2 Nota: Rubrica. Coordenador Professor: Rudson R Alves Aluno: Curso d Engnharia Mcânica Disciplina: Física 2 Nota: Rubrica Coordnador Profssor: Rudson R Alvs Aluno: Turma: EA3N Smstr: 1 sm/2017 Data: 20/04/2017 Avaliação: 1 a Prova Valor: 10,0 p tos INSTRUÇÕES DA

Leia mais

PROGRAMA DE REESTRUTURAÇÃO DA UNIDADE

PROGRAMA DE REESTRUTURAÇÃO DA UNIDADE Campus d Ilha Soltira PROGRAMA DE REESTRUTURAÇÃO DA UNIDADE Aos dz (10) dias do mês d stmbro (09) do ano d dois mil doz (2012), na Sala d Runiõs da Congrgação, as parts abaio nomadas tomaram ciência do

Leia mais

A FERTILIDADE E A CONCEPÇÃO Introdução ao tema

A FERTILIDADE E A CONCEPÇÃO Introdução ao tema A FERTILIDADE E A CONCEPÇÃO Introdução ao tma O ciclo mnstrual tm a missão d prparar o organismo para consguir uma gravidz com êxito. O 1º dia d mnstruação corrspond ao 1º dia do ciclo mnstrual. Habitualmnt,

Leia mais

Empresa Elétrica Bragantina S.A

Empresa Elétrica Bragantina S.A Emprsa Elétrica Bragantina S.A Programa Anual d Psquisa Dsnvolvimnto - P&D Ciclo 2006-2007 COMUNICADO 002/2007 A Emprsa Elétrica Bragantina S.A, concssionária d srviço público d distribuição d nrgia létrica,

Leia mais

A prova tem como referência o Programa de PRÁTICAS DE CONTABILIDADE E GESTÃO do 12º Ano de Escolaridade.

A prova tem como referência o Programa de PRÁTICAS DE CONTABILIDADE E GESTÃO do 12º Ano de Escolaridade. Informação - Prova Equivalência à Frquência Práticas Contabilida Gstão Prova Equivalência à Frquência Práticas Contabilida Gstão Duração da prova: 120 minutos / 24.06.2013 12º Ano Escolarida Curso Tcnológico

Leia mais

Residência para coletivos na Casa do Povo. Cole tivo

Residência para coletivos na Casa do Povo. Cole tivo Rsidência para coltivos na Casa do Povo Chamada abrta tativo - Rsidência para coltivos na Casa do Povo Há mais d 60 anos, a Casa do Povo atua como lugar d mmória cntro cultural m sintonia com o pnsamnto

Leia mais

CAPÍTULO 06 ESTUDOS DE FILAS EM INTERSEÇÕES NÃO SEMAFORIZADAS

CAPÍTULO 06 ESTUDOS DE FILAS EM INTERSEÇÕES NÃO SEMAFORIZADAS APÍTULO 06 ESTUDOS DE FILAS EM INTERSEÇÕES NÃO SEMAFORIZADAS As filas m intrsçõs não smaforizadas ocorrm dvido aos movimntos não prioritários. O tmpo ncssário para ralização da manobra dpnd d inúmros fators,

Leia mais

CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO DE TUBOS DE POLIETILENO PE (NORMATIVO) CONDIÇÕES PARA USO DE MATERIAL REPROCESSADO (NORMATIVO)

CONDIÇÕES DE OPERAÇÃO DE TUBOS DE POLIETILENO PE (NORMATIVO) CONDIÇÕES PARA USO DE MATERIAL REPROCESSADO (NORMATIVO) ABR 98 Tubos d politilno PE abp/e001 Espcificação Origm: ISO 4427/96 abp - associação brasilira d tubos poliolfínicos sistmas CTPE - Comissão Técnica d Politilno abp/e001 - Polythyln (PE) pips - Spcification

Leia mais

OAB 1ª FASE RETA FINAL Disciplina: Direito Administrativo MATERIAL DE APOIO

OAB 1ª FASE RETA FINAL Disciplina: Direito Administrativo MATERIAL DE APOIO I. PRINCÍPIOS: 1. Suprmacia do Intrss Público sobr o Particular Em sndo a finalidad única do Estado o bm comum, m um vntual confronto ntr um intrss individual o intrss coltivo dv prvalcr o sgundo. 2. Indisponibilidad

Leia mais

Planejamento de capacidade

Planejamento de capacidade Administração da Produção Opraçõs II Planjamnto d capacidad Planjamnto d capacidad Planjamnto d capacidad é uma atividad crítica dsnvolvida parallamnt ao planjamnto d matriais a) Capacidad insuficint lva

Leia mais

CONTINUIDADE A idéia de uma Função Contínua

CONTINUIDADE A idéia de uma Função Contínua CONTINUIDADE A idéia d uma Função Contínua Grosso modo, uma função contínua é uma função qu não aprsnta intrrupção ou sja, uma função qu tm um gráfico qu pod sr dsnhado sm tirar o lápis do papl. Assim,

Leia mais

A FALHA NÃO É UMA OPÇÃO

A FALHA NÃO É UMA OPÇÃO FLH NÃO É UM OPÇÃO José Wagnr Braidotti Junior (1) Rsumo prssão por mlhors indicadors d produtividad, disponibilidad confiabilidad nas organizaçõs tm aumntado a cada ano, tornando os divrsos procssos d

Leia mais

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO

GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO GOVERNO DO ESTADO DE MATO GROSSO DO SUL SECRETARIA DE ESTADO DE EDUCAÇÃO INSTRUMENTO DE AVALIAÇÃO PARA FINS DE CREDENCIAMENTO DE INSTITUIÇÃO DE ENSINO E AUTORIZAÇÃO DE FUNCIONAMENTO DE CURSOS DE EDUCAÇÃO

Leia mais

Plano de Estudo 5º ano - ANUAL

Plano de Estudo 5º ano - ANUAL Plano d Estudo 5º ano - ANUAL Disciplina: Ciências Naturais Unidad Tmática Contúdos 1 Importância das rochas do solo na manutnção dvida. Por qu razão xist vida na Trra? Qu ambint xistm na Trra? Ond xist

Leia mais

AII. ANEXO II COEFICIENTE DE CONDUTIBILIDADE TÉRMICA IN-SITU

AII. ANEXO II COEFICIENTE DE CONDUTIBILIDADE TÉRMICA IN-SITU ANEXO II Coficint d Condutibilidad Térmica In-Situ AII. ANEXO II COEFICIENTE DE CONDUTIBILIDADE TÉRMICA IN-SITU AII.1. JUSTIFICAÇÃO O conhcimnto da rsistência térmica ral dos componnts da nvolvnt do difício

Leia mais