PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE DIREITO

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE DIREITO"

Transcrição

1 PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE DIREITO Fevereiro de 2016 (Atualizado em ) 1

2 SUMÁRIO I. CONTEXTUALIZAÇÃO DA MANTENEDORA... 4 II. CONTEXTUALIZAÇÃO DA MANTIDA... 6 PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE DIREITO ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA CONTEXTO EDUCACIONAL Justificativa do Curso POLÍTICAS INSTITUCIONAIS NO ÂMBITO DO CURSO Políticas de Iniciação Científica Políticas de Extensão Projeto Os Nossos Direitos : Fortalecendo UmaRelação Com A Comunidade Políticas de Pós-Graduação OBJETIVOS DO CURSO PERFIL PROFISSIONAL DO EGRESSO ESTRUTURA CURRICULAR Coerência dos Objetivos com a Estrutura Curricular Coerência dos Conteúdos do Enade com a Estrutura Curricular Flexibilidade Interdisciplinaridade e Transversalidade CONTEÚDOS CURRICULARES Dimensionamento da Carga Horária das Disciplinas Disciplinas Semi Presenciais Coerência dos Conteúdos Curriculares com as DCN S Atualização dos Conteúdos Curriculares e Adequação da Bibliografia Estrutura Curricular do Curso Ementário e Bibliografia METODOLOGIA ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO ATIVIDADES COMPLEMENTARES TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO AÇÕES DECORRENTES DOS PROCESSOS DE AVALIAÇÃO DO CURSO TECNOLOGIAS DE INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO TIC - NO PROCESSO ENSINO-APRENDIZAGEM PROCEDIMENTOS DE AVALIAÇÃO DOS PROCESSOS DE ENSINO- APRENDIZAGEM Prova Oral Simulado Acadêmico NÚMERO DE VAGAS APOIO AO DISCENTE CORPO DOCENTE ATUAÇÃO DO NÚCLEO DOCENTE ESTRUTURANTE (NDE) E SUA COMPOSIÇÃO

3 2.2. COORDENADOR DO CURSO Atuação do Coordenador Da Titulação, da Experiência e do Regime de Trabalho do Coordenador do Curso Experiência Profissional na Área de Coordenação Experiência Profissional na Área de Ensino Regime de Trabalho TITULAÇÃO DO CORPO DOCENTE DO CURSO REGIME DE TRABALHO DO CORPO DOCENTE DO CURSO EXPERIÊNCIA PROFISSIONAL DO CORPO DOCENTE FUNCIONAMENTO DO COLEGIADO DE CURSO OU EQUIVALENTE PRODUÇÃO CIENTÍFICA, CULTURAL, ARTÍSTICA OU TECNOLÓGICA INSTALAÇÕES FÍSICAS INSTALAÇÕES GERAIS GABINETES DE TRABALHO PARA PROFESSORES TEMPO INTEGRAL ESPAÇO DE TRABALHO PARA COORDENAÇÃO DO CURSO E SERVIÇOS ACADÊMICOS SALA DE PROFESSORES SALAS DE AULA ACESSO DOS ALUNOS A EQUIPAMENTOS DE INFORMÁTICA BIBLIOTECA Bibliografia Básica Bibliografia Complementar Periódicos Especializados NÚCLEO DE PRÁTICA JURÍDICA Escritório de Assistência Jurídica à Comunidade EAJAC Fórum Modelo Centro Judiciário de Solução de Conflito e Cidadania Integração Entre Gradução e Pós-Graduação Estrutura da pós-graduação Sistema De Auto-avaliação Institucional CONDIÇÕES DE ACESSO PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA E/OU MOBILIDADE REDUZIDA INFORMAÇÕES ACADÊMICAS

4 I. CONTEXTUALIZAÇÃO DA MANTENEDORA a) Nome da Mantenedora Campanha Nacional de Escolas da Comunidade - CNEC b) Base Legal da Mantenedora A CNEC é pessoa jurídica de direito privado, constituída sob a forma de associação civil, sem fins lucrativos, de caráter educacional, cultural e de promoção humana, com inscrição no CNPJ sob nº / , bem como, reconhecida como de Utilidade Pública Federal pelo Decreto nº /54 e registrada junto ao Conselho Nacional de Assistência Social desde 1.951, como Entidade Beneficente de Assistência Social. A mantenedora localiza-se na Avenida Dom Pedro I, nº 426, centro, João Pessoa - PB, e possui estatuto social registrado no Cartório Toscano de Brito - Serviço Notarial e Registral Registro Civil de Pessoas Jurídicas, cuja última alteração está registrada sob o n , no livro A- 387, João Pessoa PB, em 30 de maio de c) Histórico da Mantenedora Fundada em 1943, na cidade de Recife/PE, como Campanha do Ginasiano Pobre, a CNEC nasceu do ideal de um grupo de estudantes universitários que, liderados pelo Professor Felipe Tiago Gomes, resolveu contrariar a situação instalada - a escola como privilégio de poucos - oferecendo ensino gratuito a jovens carentes. O trabalho voluntário de seus idealizadores se propagou pelo Brasil, comemorando adesões e compromissos que fizeram da Campanha do Ginasiano Pobre - que inicialmente abrigava pedidos de ajuda e orientações para a criação de unidades escolares - a Campanha Nacional de Escolas da Comunidade - reconhecida como o mais expressivo movimento de educação comunitária existente na América Latina. A concepção de educação comunitária, já naquela época, atendia não só aos anseios dos excluídos, mas de toda a comunidade, pois o Projeto Cenecista fundou seus alicerces no fazer educação com qualidade, desde que não bastava proporcionar o acesso ao conhecimento - a motivação era, sobretudo, promover a transformação. Destaque-se, no arrojado projeto desse ideal, a escolha de um modelo de gestão com bases na democracia, o que garantiu a livre manifestação das aspirações envolvidas pela via da participação efetiva da comunidade em todas as instâncias de direção, desde o Conselho Comunitário, passando pelas Diretorias Estaduais até a Diretoria Nacional. O modelo de gestão se fortaleceu ao longo desses 69 anos de plena e profícua atividade e se revela em perfeita harmonia ao fundir o idealismo do jovem Felipe Tiago Gomes - o visionário - ao profissionalismo 4

5 de seus atuais gestores. Hoje a CNEC, baseada na reformulação do Estatuto Social, ocorrido em 2011, busca implantar o modelo de gestão pautado na governança corporativa. Ao longo de sua trajetória - que traduz a evolução do Terceiro Setor no Brasil - priorizou a Educação Básica e Profissionalizante como principais produtos, haja vista a premente demanda pela prestação desses serviços, em especial no interior do País. Chegou a manter mais de 2000 unidades, estabelecendo-se principalmente junto àquelas comunidades em que o Estado não apresentava condições de suprir as carências apresentadas. Assim, ao tempo em que o Estado iniciou processo de retomada de suas obrigações no que pertence à educação, notadamente com a criação do FUNDEF - Fundo de Desenvolvimento do Ensino Fundamental, a CNEC iniciou processo gradativo de redução de suas unidades, optando por continuar suas atividades onde a prestação de serviços educacionais e assistenciais - voltada para a formação integral de pessoas - vai ao encontro das necessidades e interesses das comunidades beneficiadas. Na Educação Superior, em movimento contrário e refletindo de maneira singular a demanda nacional, a linha de expansão da CNEC é especialmente verificada entre os anos de 1998 a 2004, com a criação de 14 instituições, chegando a um total de 23 Instituições Cenecistas de Ensino Superior - ICES. Atualmente a CNEC conta com 19 instituições ativas na educação superior. Em seu histórico apresenta, ainda, significativas contribuições para a redução das diferenças sociais, representadas pela promoção de projetos de assistência social que visam, principalmente, à melhoria das condições de vida de crianças, jovens, adultos e idosos em situação de vulnerabilidade pessoal e ou risco de exclusão social. Nesse contexto, são mantidos projetos que promovem a inclusão social pelo processo educacional, reforçando-se, principalmente, os que visam à capacitação profissional de portadores de necessidades especiais para ingresso no mercado de trabalho e ou geração de renda. No atendimento a crianças, adultos e idosos em situação de vulnerabilidade pessoal e ou risco social, são mantidos, prioritariamente, projetos que oferecem atendimento aos grupos familiares, de forma que o processo de inclusão seja garantido com: idosos; a alfabetização e ou elevação do grau de escolaridade para jovens, adultos e a capacitação profissional de jovens e adultos, pelo fomento de cursos profissionalizantes de nível básico, que possibilitem o acesso ao mercado de trabalho e a geração e ou melhoria da renda dos grupos familiares; a promoção de eventos educativos, culturais e esportivos, com vistas a facilitar o processo de integração das famílias assistidas às respectivas comunidades. Hoje, a Campanha Nacional de Escolas da Comunidade, como passou a chamar-se, possui unidades de ensino em todas as regiões do Brasil. A identidade organizacional da CNEC e a sua missão preconizam a dedicação total à Educação e serviços afins, promovendo a formação integral das pessoas por meio de uma educação de qualidade com compromisso social. A instituição reafirma suas crenças e valores, 5

6 embasados nos princípios éticos, valorização do ser humano, competência, compromisso, honestidade, reflexos da oferta de serviços e produtos educacionais de excelência. Rompendo as barreiras naturais de estruturas quase seculares de administrações empíricas, em que a boa vontade, o forte desejo de difundir a educação esbarrava na falta de recursos físicos e humanos adequados, a CNEC de hoje alia-se aos mais modernos princípios de gestão, ferramentas indispensáveis num mundo de mudanças vertiginosas. A modernidade de sua estrutura está refletida claramente nos grandes investimentos na seleção, contratação e capacitação de pessoal de alto nível gerencial e novas tecnologias de ensino, igualando-se às maiores instituições do setor no país. A CNEC de hoje marca presença no cenário da educação nacional. Podemos afirmar que sua mística e filosofia de bem servir estão preservadas, sobretudo, nas mentes e corações dos milhões de alunos, professores, diretores, colaboradores e benfeitores, que adentraram as portas da instituição nesses 69 anos, sempre abertas aos que buscam o ideal da plena cidadania, exercida pela educação, que forma para a liberdade, para o cultivo do respeito ao outro e preservação da individualidade. II. CONTEXTUALIZAÇÃO DA MANTIDA a) Nome da IES Faculdade CNEC Varginha FACECA. b) Base Legal da IES A Faculdade CNEC Varginha FACECA foi credenciada junto ao Ministério da Educação (MEC), pela Portaria nº , cuja publicação no Diário Oficial da União (DOU) aconteceu em 31/12/1970. Obteve o recredenciamento institucional por meio da Portaria nº 1.143, de 12/09/2012, publicada no DOU em 13/09/2012. Está situada à Rua Professor Felipe Tiago Gomes, 173, Bairro Vila Bueno, no município de Varginha, Estado de Minas Gerais. c) Perfil Institucional A história da CNEC em Minas Gerais é contada pelo próprio Professor FelipeTiago Gomes em sua obra Escolas da Comunidade, de onde foi transcrito o seguinte trecho, do capítulo Origens da CNEC em Minas Gerais. Na ânsia de levar a Campanha ao grande Estado, não titubeei em tomar um trem da Central do Brasil, com passagem autorizada pelo Dr. Jurandir Pires Ferreira, Diretor dessa ferrovia, e saí a percorrer o imenso território mineiro. De uma vez fui até Ponte Nova; de outra, até Nova Era. Descia do trem, empoeirado, usando sempre a mesma roupa, e saía à procura da pessoa 6

7 que mais se interessava pelo progresso local. Para isto, valia-me da informação do homem simples das ruas. Teria de encontrar alguém que ficasse com a ideia e a tornasse vitoriosa na localidade. Em 1951, um grupo de universitários mineiros constituiu-se na base de sustentação das nossas ideias inovadoras em Minas Gerais. Eles trouxeram o apoio da imprensa, de autoridades e de mestres como os professores Rubens Costa Romanelli e Colombo EtienneArreguy, que muito ajudaram na implantação da Campanha. Os alunos da Faculdade de Filosofia de Belo Horizonte, Wilson Chaves e Expedito Albuquerque, ficaram com a incumbência de dirigir respectivamente o Ginásio Mons Artur de Oliveira e Leonel Franca. Em Uberaba, o Prefeito, Dr. Antonio Próspero, e sua esposa, Dona Quita, apoiaram a criação do Ginásio Dr. José Ferreira. É de justiça ressaltar a contribuição do Prof. Jenner Procópio Alvarenga, que desde a criação da Campanha, em Minas Gerais, até hoje, continua colaborando conosco, manifestando o mesmo entusiasmo dos primeiros dias. 1 A partir de 1952 a CNEC cresceu vertiginosamente nas montanhas de Minas Gerais (nas alterosas):a necessidade era enorme, pois havia muito poucas escolas de 1º e 2º graus no interior do Estado e, por outro lado, o esquema simples de criação das escolas da CNEC entusiasmava os interessados em levar uma escola para sua terra. Em Varginha, a CNEC mantém instituições que se destacam na região pela sua qualidade, como o Colégio CenecistaCatanduvase a Faculdade CNEC Varginha com aproximadamente 1800 alunos distribuídos em várioscursos de Graduação. O Colégio Catanduvas foi fundado em outubro de 1959, por iniciativa do Prof. Hans DieterHergeman, do Dr. Naylor Salles Gontijo, do Prof. Wilson de Magalhães Terra, do Prof. Fábio Ferreira Salles e, do então Prefeito Municipal, José de Rezende Paiva, tudo funcionando, inicialmente, em prédios cedidos pelo Governo do Estado. O Colégio CenecistaCatanduvas e a FACECA nasceram da boa vontade e disposição de um grupo de professores preocupados em oferecer ensino gratuito a jovens carentes da cidade. A autorização para funcionamento dos cursos de Administração e Ciências Contábeis da faculdade foi publicada no Diário Oficial da União de 31 de dezembro de 1970 decreto nº As aulas iniciais da FACECA foram dadas em 02 salas alugadas do Colégio Marista nos anos de 1971 e Posteriormente, já com 120 vagas para cada curso, passou a denominar-se Faculdade de Ciências Contábeis e de Administração. Após o reconhecimento dos cursos pelo Decreto Federal nº /75, novos horizontes se abriram e foi iniciado o curso de Economia que obteve autorização para funcionamento, publicada no dia 30 de agosto de 1984, através de decreto nº , sendo reconhecido em 18 de fevereiro de 1991 pela Portaria Ministerial nº 242/91. 1 GOMES, Felipe Tiago. Origens da CNEC em Minas. In: Gomes, F. Tiago. Escolas da Comunidade. 5ª ed. Brasília: S.ed., 1980, p

8 Denominava-se, então, Faculdade de Ciências Econômicas, Contábeis e de Administração e hoje Faculdade CNEC Varginha. Visando ao melhor aprimoramento, na área educacional, a IES iniciou em 12/07/93, os cursos de pós-graduação Lato Sensu com inscrição no CAPES, sob o nº 0306 oferecendo várias opções na área de Gestão de Negócios. Em 1999 a CNEC Nacional implantou o consórcio, envolvendo 05 Faculdades Cenecistas, a de Brasília, Unaí, Sete Lagoas, Capivari e Varginha para a realização do Mestrado em Administração, com sede em Varginha, Minas Gerais. Formaram-se 198 mestres e, em 2006, por termos cumprido a proposta desse projeto, encerramos as atividades do curso de mestrado. Em 22 de agosto de 2001, através da portaria 1891, foi autorizado a funcionar o curso de Sistemas de Informação, oferecendo 40 vagas semestrais. Surgem então, duas novas propostas, o Curso de Administração com habilitação em Marketing, oferecendo 50 vagas por semestre, totalizando 100 anuais, e o curso de Direito, autorizado pela Portaria Ministerial n 122/04, publicada no Diário Oficial da União, em 14 de janeiro de 2004, com 200 vagas, 100 por semestre. O Curso de Sistemas de Informação teve seu reconhecimento pela da Portaria Ministerial n 4.562, publicada no Diário Oficial da União, em 29/12/2005. Com a edificação do prédio onde funcionaram os primeiros cursos da Faculdade CNEC Varginha e as ampliações subseqüentes, exigidas pelos novos Cursos instalados, manteve-se a concepção arquitetônica apropriada para um Complexo Educacional que é o orgulho da CNEC e da cidade. A doação, feita pela Lei Municipal n de 18/10/2001, de um terreno de 2.921,14m², oportunizou, no segundo semestre de dois mil e quatro, o início das atividades no Módulo II da FACECA. Em 2008, foi construída uma passarela que liga o Módulo I ao Módulo II, proporcionando maior conforto e segurança para nossos alunos, funcionários e a comunidade. Em 19/11/2008, o Curso de Direito teve seu reconhecimento através de Portaria Nº 895, publicada no Diário oficial da União em 20/11/2008. E, praticamente um ano depois, 25/11/2009, através da portaria n 1.687, foi autorizado o curso de Engenharia de Produção, reconhecido pela portaria n 619, de 30 de Outubro de Graças ao envolvimento dos seus discentes, docentes e colaboradores, com o Projeto Acadêmico, de forma a facilitar o processo-aprendizagem e a construção do conhecimento, a CNEC é reconhecida por seu referencial de excelência educacional, em Varginha e região. A seguir apresentamos a missão, valores e objetivos da FACECA: Missão Promover a formação integral das pessoas, oferecendo educação de excelência com compromisso social. Visão 8

9 Ser uma Instituição de Ensino Superior cada vez mais reconhecida local, regional e nacionalmente, pela qualidade dos seus cursos, relevância social de suas atividades, transformando-se em centro de referência nas atividades de ensino, pesquisa e extensão, sempre ampliando sua capacidade de oferecer soluções eficazes para a comunidade em que está inserida e, em especial, para a promoção do desenvolvimento de Varginha e região. Valores A Instituição pauta-se nos seguintes valores que orientam a vida da organização: Ética; Excelência; Valorização do Ser Humano; Compromisso Social e Ambiental; Objetivos objetivos: A FACECA Faculdade CNEC Varginha, como instituição educacional, tem por Estimular a criação cultural e o desenvolvimento do espírito científico e do pensamento reflexivo; Formar diplomados nas diferentes áreas de conhecimento, aptos para inserção em setores profissionais e para participação no desenvolvimento da sociedade brasileira e colaborar na sua formação contínua; Incentivar o trabalho de pesquisa e investigação científica, visando o desenvolvimento da ciência e da tecnologia e da criação e difusão da cultura, e, desse modo, desenvolver o entendimento do homem e do meio em que vive; Promover a divulgação de conhecimentos culturais, científicos e técnicos que constituem patrimônio da humanidade e comunicar o saber por meio do ensino, de publicações ou de ouras formas de comunicação; Suscitar o desejo permanente de aperfeiçoamento cultural e profissional e possibilitar a correspondente concretização, integrando os conhecimentos que vão sendo adquiridos numa estrutura intelectual sistematizadora do conhecimento de cada geração; Estimular o conhecimento dos problemas do mundo presente, em particular os nacionais, regionais e da comunidade em que se insere; Prestar serviços especializados que atendam às demandas e aos interesses da comunidade e estabelecer com esta uma relação de reciprocidade; 9

10 Promover a extensão, aberta à participação da população, visando à difusão das conquistas e benefícios da criação cultural e da iniciação cientifica e tecnológica geradas na instituição; Prestar assistência ou consultoria técnica, em sua área de atuação, a entidades públicas e privadas, por meio de convênios, contratos ou outros instrumentos de natureza obrigacional; Manter intercâmbio de informações, de pessoal docente e discente e de experiências, com instituições congêneres, nacionais e estrangeiras; Organizar centro de informações técnicas para suporte das atividades de ensino, iniciação cientifica e extensão, bem como para prestação de serviços à comunidade. III. CONTEXTUALIZAÇÃO DO CURSO a) Nome do Curso Direito b) Endereço de Funcionamento do Curso Rua Professor Felipe Tiago Gomes,173, Bairro Vila Bueno, Varginha (MG), CEP c) Número de vagas ofertadas 200 vagas totais anuais. d) Turnos de funcionamento do Curso Períodos Matutino e Noturno. e) Carga Horária Total do Curso horas. f) Tempos mínimo e máximo para integralização semestres. O tempo de integralização do curso é de, no mínimo, 10 semestres e máximo de 20 10

11 g) Coordenador do Curso O coordenador do curso de Bacharelado em Direito, de acordo com os termos estabelecidos pelo Regimento da FACECA, participa ativamente no Colegiado de Curso e no Núcleo Docente Estruturante, bem como em outros órgãos colegiados. É o profissional responsável pela normalidade acadêmica e administrativa de funcionamento do curso, bem como pelo bom relacionamento entre alunos e docentes. curso h) Perfil do Coordenador - Tempo de exercício na IES e na função de coordenador do acadêmica: O professor Joaquim DonizetiCrepaldi possui a seguinte formação e titulação - Graduado em Direito pela Faculdade de Direito de Varginha (1984); - É Mestre em Direito pela Universidade de Franca (2002). Experiência Profissional do Coordenador: - Coordenador do Curso de Direito da FACECA, na primeira oportunidade, de junho de 2004 a julho de 2013, reassumindo o cargo em junho de 2016; 2004; - é Professor do Curso de Direito da Faculdade CNEC Varginha-MG desde fevereiro de - Tem experiência na área de Direito, com mais de trinta anos de militância na advocacia com ênfase em Direito do Trabalho, sendo sócio do escritório Crepaldi, Mendes Advogados Associados. - Possui publicações de teor acadêmico nos seguintes temas: Células tronco embrionárias e O princípio de proteção e a flexibilização das normas do direito do trabalho, além de outros temas publicados. PROJETO PEDAGÓGICO DO CURSO DE DIREITO 1. ORGANIZAÇÃO DIDÁTICO-PEDAGÓGICA 1.1 CONTEXTO EDUCACIONAL Localizada no Sul de Minas, a microrregião de Varginha é composta por 16 municípios (Boa Esperança, Campanha, Campo do Meio, Campos Gerais, Carmo da Cachoeira, Coqueiral, 11

12 Elói Mendes, Guapé, Ilicínea, Monsenhor Paulo, Santana da Vargem, São Bento Abade, São Thomé das Letras, Três Corações, Três Pontas, Varginha), que totalizam aproximadamente habitantes. De acordo com levantamento territorial realizado pelo SEBRAE MG, essa microrregião é composta por empresas ( empresas de micro e pequeno porte e 204 empresas de médio e grande porte), estando instaladas em Varginha (6.748 de micro e pequeno porte e 87 de médio e grande porte) ou seja, 38% dessas empresas estão instaladas na cidade. Por segmento, essas empresas estão assim distribuídas na microrregião: Indústrias: (731 em Varginha); Comércio: (3.517 em Varginha); Prestadores de serviço: (2.191 em Varginha). Conforme o Anuário de Dados Municipais 2012 UINE, o saldo da balança comercial da microrregião de Varginha foi de US$ Somente a cidade de Varginha obteve um saldo de $ , composto por US$ referentes às exportações e US$ advindos dos processos de importação. A cidade de Varginha tem cerca de habitantes, conforme o Censo 2010 do IBGE, distribuído numa área territorial de km². Varginha tem 95% de área urbanizada, com 2,24m² de área verde por habitante, e renda per capita de R$4.005,39. Embora tenha como Municípios limítrofes apenas Três Pontas, Carmo da Cachoeira, Três Corações, Monsenhor Paulo e Elói Mendes, a influência econômica, cultural, educacional e política de Varginha abrange diversos municípios, constituindo, portanto, a área geopolítico e educacional de influência de Varginha. É interessante destacar que 88,7% da população é alfabetizada. Além disso, com relação à faixa etária das pessoas que residem no município, aproximadamente 50% da população tem entre 15 e 44 anos, ou seja, estão em totais condições de ingresso no ensino superior. Varginha é um município privilegiado e bem administrado e é um dos mais promissores do Estado de Minas Gerais, com qualidade de vida acima da média das cidades de mesmo porte. A base econômica da região está ligada a serviços, indústrias e atividades agrícola especialmente a cafeeira, nas áreas situadas nas encostas. É considerada polo industrial da região dos lagos, já que ostenta uma Estação Aduaneira Interior (porto seco) por onde escoa a grande produção cafeeira e industrial aqui produzida. Possui aeroporto, Estação Rodoviária com capacidade para pessoas/dia, assistidas por 25 empresas de transporte rodoviário estadual e interestadual com roteiro para 71 cidades e uma empresa de viação local com linhas que cobrem 90% da cidade. A cidade conta ainda com 03 emissoras de televisão, 06 jornais, uma unidade de TV a cabo e 08 provedores da internet. Por todas estas razões Varginha é considerado centro regional de prestação de serviços da região, pois aqui estão concentrados um forte centro comercial e industrial, Receita Federal e Estadual, várias concessionárias de veículos, 01 museu, 2 teatros, 01 escola de música, 05 salas de convenções, 01 concha acústica, 01 estádio municipal, 09 ginásios poliesportivos, 14 clubes 12

13 esportivos e de lazer, 01 parque ecológico e 01 parque zoobotânico, hotéis, academias de dança e ginástica, creches, escolas de natação e clínicas. Para esses ambientes, dirige-se a população não só do município, mas das cidades circunvizinhas. A cidade também é referência na seara jurídica, pois reúne vários segmentos da Justiça, tais como a Justiça Comum, a Justiça do Trabalho, a Justiça Federal, a Advocacia Geral da União, a Advocacia Geral do Estado,Ministério PúblicoFederal e Estadual, entre outros, o que demanda mão de obra especializada para dar vazão aos inúmeros procedimentos judiciais e extrajudiciais correspondentes. Conforme pesquisa realizada, em Varginha no ano de 2014 aproximadamente processos tramitaram na Justiça Federal, foram protocolados na Justiça do Trabalho. Com referência à Justiça Estadual, o número de feitos ativos em 31/12/2014 foi de processos, complementados pelo Juizado Especial com processos em 1ª instancia e aguardando julgamento da turma recursal. Tal quantitativo processual na comarca, também justifica a existência do curso de graduação em Direito e a necessidade de se qualificar profissionais aptos para exercício das funções jurídicas. Para a manutenção da paz e segurança pública, Varginha conta com 01 batalhão da Policia Militar, uma delegacia de Polícia Civil, 2ª Companhia de Polícia Rodoviária. 6 Destacamento de Polícia Florestal. Delegacia da Policia Federal e 6 Setor de Combate a Incêndios do Corpo de Bombeiros. Em relação ao sistema educacional a cidade de Varginha conta com um sistema de ensino básico e superior, público e privado, bem como escolas técnicas como SENAI. De acordo com o próprio IBGE, em 2012 eram 54 estabelecimentos de ensino fundamental, 19 escolas de nível médio e 05 instituições de nível superior (Ensino Presencial). Ao total, sem considerar o Ensino Superior, eram matrículas e docentes registrados. O IDH no município atingiu em 2010 a marca de 0,778 patamar consideravelmente elevado, em conformidade aos padrões do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD), ao passo que a taxa de analfabetismo indicada pelo último censo demográfico do IBGE foi de 11,3%. Tomando-se por base o relatório do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (IDEB) de 2011, a cidade de Varginha obteve um resultado de 5,9% para as séries iniciais e 4,7% para os anos finais, sendo a média para os anos iniciais acima da meta do Estado e do País. A Faculdade CNEC Varginha - FACECA está situada na cidade de Varginha, no Sul de Minas Gerais, credenciada no Ministério da Educação (MEC) pela Portaria nº , cuja publicação no Diário Oficial da União (DOU) aconteceu em 31/12/1970. Obteve o recredenciamento institucional por meio da Portaria nº 1.143, publicada no DOU de 13/09/2012. Está localizada à Rua Professor Felipe Tiago Gomes, 173, Bairro Vila Bueno, no município de Varginha, Estado de Minas Gerais. Em 19/11/2008, o Curso de Direito teve seu reconhecimento pela Portaria Nº 895, publicada no Diário oficial da União em 20/11/2008. Levando-se em consideração os dados apresentados acima, é importante ressaltar que a formação superior ainda é um indicador significativo na melhoria dos processos nas mais 13

14 diversas áreas. Portanto, afaceca vê um campo aberto para novos empreendimentos na área educacional, oferecendo novas oportunidades e ampliando os horizontes na capacitação profissional do povo brasileiro. O Curso de Bacharelado em Direito por meio de seu elenco de disciplinas, habilita profissionais para desenvolverem atividades jurídicas e atender às necessidades de atuação do profissional na promoção da justiça. A demanda e a expectativa de atuação profissional são grandes, pois como mencionado, a cidade abriga vários segmentos da administração da justiça. Por essas razões, o curso de Direito na Faculdade CNEC Varginha é uma iniciativa que certamente abre mais oportunidades para os jovens da região Sul de Minas Justificativa do Curso A partir da visão da importância do curso de direito, para propiciar ao cidadão o conhecimento de seus direitos e deveres, como instrumento de harmonização entre o Estado e a Sociedade Civil, o curso de direito da FACECA tem se revelado eficaz em cumprir com a missão do ensino superior expressa pela Declaração Mundial sobre Ensino Superior, firmada em 9 de outubro de 1998, em Paris, que a define, sinteticamente, como sendo a educação para a plena cidadania, sendo necessário produzir e disseminar conhecimento, importando preservar, fortalecer e socializar culturas nacionais e regionais. Por Varginha se tratar de um polo regional no sul de Minas, sediando vários seguimentos do Poder Judiciário (Justiça Estadual, inclusive com a sede da Turma Recursal do Juizado Especial, Justiça Federal, Justiça do Trabalho), do Ministério Público (Estadual, Federal e do Trabalho), da Defensoria Pública Estadual e da Administração Pública (Delegacia de Polícia Estadual e Federal, Ministério do Trabalho e Emprego, Advocacia Geral da União e do Estado, Instituto Nacional de Seguridade Social, Secretarias da Receita Estadual e Federal), surge a demanda de formação profissional na área jurídica e da existência do curso de graduação em direito. O curso de Direito da FACECAtem se revelado essencial nesta seara, consolidando-se a missão, os valores e objetivos desta instituição de ensino superior POLÍTICAS INSTITUCIONAIS NO ÂMBITO DO CURSO A política de ensino do curso de Bacharelado em Direito da Faculdade CNEC Varginha - FACECA é norteada pelos princípios pedagógicos do PPI da IES, que preconiza que o ensino de graduação fundamenta-se na integração do ensino com a iniciação científica e a extensão, objetivando formação de qualidade acadêmica e profissional. A FACECA dentro de seus objetivos de formação incentiva a transformação sócio-politica da sociedade com o aperfeiçoamento cultural através do conhecimento técnico-cientifico, o incentivo às reflexões para o desenvolvimento do pensamento crítico entrando, em consonância com uma formação mais generalista e humanista. 14

15 Dentro desta política, o NDE do curso de Bacharelado em Direito da FACECA, realiza a atualização semestral de seu PPC procurando adequar-se para a solução de conflitos sociais. O processo de avaliação também é um tema importante nas discussões do grupo na medida em que favorece o acompanhamento da aprendizagem dos alunos, consequentemente, permitindo a reflexão sobre o trabalho docente e a formação oferecida o que implica uma ação que necessariamente deve ser planejada, considerando as reais possibilidades de aprendizagem dos alunos e buscando problematizar a prática profissional, a realidade social a fim de proporcionar o avanço das reflexões. O corpo docente do bacharelado em Direito da FACECA está envolvido com o curso, sendo que vários dos docentes contribuem na elaboração deste projeto. Todo final e início de semestre há uma reunião pedagógica envolvendo todo corpo docente do curso, onde os professores pensam e repensam a sua contribuição nesta graduação. Ainda realçamos que temos Professores do corpo docente em período de qualificação, visando melhoria da qualidade das atividades acadêmicas e a assimilação dos pressupostos teórico-metodológicos norteadores do projeto pedagógico Políticas de Iniciação Científica A iniciação científica é um processo educativo fundamental para a criação e a cultura de investigação no curso de Direito da Faculdade CNEC Varginha-FACECA, contribuindo para a melhoria da qualidade do ensino e da extensão. Com base no exposto, a iniciação científica busca promover ações para o envolvimento e articulação entre docentes e discentes, entendendo que o Direito é um campo de saber que está inserido na área das ciências sociais e aplicadas. A Iniciação Científica é um programa que visa atender alunos do curso de graduação, colocando-os em contato com grupos/linhas de pesquisa. Busca, também, proporcionar ao aluno, orientado por professores especialmente designados, a aprendizagem de técnicas e métodos científicos, bem como estimular o desenvolvimento do pensar cientificamente e da criatividade, decorrentes das condições criadas pelo confronto direto com os problemas de pesquisa. São desenvolvidas pesquisas relacionadas à área das ciências sociais e aplicadas com a supervisão de um Professor Orientador Pedagógico, responsável pela orientação e elaboração da pesquisa, visando sempre o incentivo a publicações referentes aos artigos produzidos pelo TCC ( Trabalho de Conclusão de Curso) Políticas de Extensão A extensão é entendida como a prática acadêmica que interliga a Faculdade nas suas atividades de ensino e de pesquisa com as demandas da maioria da população, possibilita a formação de um profissional cidadão e se credencia, cada vez mais junto à sociedade como espaço privilegiado de produção de conhecimento significativo para a superação de desigualdades sociais existentes. 15

16 As extensões no curso de Bacharelado em Direito da FACECA, abrangem: - a realização de Júri Simulado, organizado por Acadêmicos do penúltimo ano do curso de Direito. A simulação é aberta às pessoas da comunidade e sempre conta com a participação de um representante da Magistratura estadual. Também podem participar do Júri Simulado, como expectadores, os demais Acadêmicos de outros períodos do curso de Direito, bem como das outras graduações da FACECA. Tratam-se de casos concretos já julgados, onde os Acadêmicos externam aos espectadores da comunidade todo o procedimento que envolve um Tribunal do Júri. - a realização do Concurso de Oratória, aberto a todas as pessoas da comunidade varginhense. O Concurso de Oratória já se encontra em sua décima edição e dele podem participar Acadêmicos de todas as graduações da FACECA. O concurso lança uma temática todos os anos, abordando relevantes problemas a nível nacional e internacional com destaque para as questões Influências étnico-raciais, indígenas e ambientais, para que os candidatos/acadêmicos possam externar seus conhecimentos adquiridos nas aulas teóricas, expondo seu posicionamento doutrinário perante os expectadores. - a realização de Mesas Redondas (Simpósios), que tratam de debates entre os Acadêmicos do curso do primeiro ano, onde são colocados os seus posicionamentos referentes a temas hodiernos, com a participação de convidados externos à Instituição. -Projeto Os Nossos Direitos : Fortalecendo UmaRelação Com a Comunidade A proposta de prestação de serviços jurídicos a classes populares, através da divulgação dos direitos fundamentais do cidadão, por esta Faculdade, está relacionada com a formação de operadores do Direito, no sentido de oferecer um espaço para uma prática real dos seus conhecimentos, bem como de possibilitar aos alunos o contato com os problemas sociais de nossa realidade. Inúmeras são as causas que dificultam o acesso à justiça de grande parte da população, tais como: falta de informações sobre os seus direitos; dificuldades conjunturais de efetivação dos mesmos; condições precárias de vida. No entanto, entre estas, a falta de informação parece ser uma das mais relevantes. Neste contexto, as instituições de formação de operadores de Direito podem desempenhar uma importante função social, tanto no sentido de ampliar o campo de possibilidades de acesso à justiça das classes populares, quanto de fortalecer a comunidade na luta por políticas públicas. O objetivo geral desta ação a ser implantada futuramente, é propiciar um espaço de trocas entre alunos do ensino médio das escolas públicas da cidade de Varginha e estudantes do curso de Direito da Faculdade CNEC Varginha, sobre direitos fundamentais, acesso à justiça e políticas públicas. Os objetivos específicos são: reconhecer os anseios populares; sensibilizar os alunos de Direito sobre sua função social; fortalecer o vínculo da Faceca com a comunidade do seu entorno. 16

17 O trabalho será desenvolvido em algumas escolas de ensino médio de Varginha, através de palestras temáticas, visando construir estratégias de aproximação com a comunidade do seu entorno. Os próprios alunos da Faceca serão responsáveis por desenvolver pequenas palestras e minicursos nas escolas a fim de esclarecer os presentes sobre seus direitos fundamentais. Desta forma, temas como Direito Constitucional, Direito do Trabalho, Direito do Consumidor e conceitos básicos sobre Direito Civil e Penal poderão ser trabalhados. A escolha dos pontos a serem discutidos, bem como a maneira como deverão ser apresentados será discutida com os alunos interessados, havendo espaço para sugestão de temas pela comunidade. O desenvolvimento das oficinas, minicursos ou palestras possibilitará que os participantes percebam o desejo institucional de abertura para a troca de saberes com a comunidade do seu entorno. A proximidade favorecida pelas oficinas poderá, inclusive, facilitar o desenvolvimento das atividades do Núcleo Jurídico. Como trata-se de ação extremamente importante à comunidade, deve ter caráter permanente de atuação e de reflexão sobre suas práticas. Desta forma, a extensão universitária terá cada vez mais campo de atuação e poderá romper barreiras entre academia e comunidade. A troca de experiências será fundamental no reconhecimento do quanto os processos de consciência e postura crítica frente às desigualdades sociais provoca mudanças nas relações de saber-poder. A vivência da extensão universitária provoca os saberes acadêmicos jurídicos e convoca os estudantes de Direito a utilizarem seus conhecimentos no comprometimento com a transformação social Políticas de Pós-Graduação A FACECA reconhecendo o importante papel social que a educação continuada realiza na promoção do desenvolvimento e bem-estar da sociedade e sendo este um componente importante na formação profissional, propõe uma política de pós-graduação que resulte em um ensino adequado e de acordo com as normas estipuladas pela legislação vigente e órgãos federais responsáveis. Esta política de pós-graduação é consubstanciada em ações que possibilitem alcançar metas de qualidade na iniciação científica, na capacitação de corpo docente e na qualificação dos cursos, em áreas definidas como estratégicas para o desenvolvimento regional e nacional, prioritários para a própria instituição, na área dos cursos que oferece. O estabelecimento da política de pós-graduação partiu de pressupostos básicos que norteiam suas ações e do diagnóstico da situação da pós-graduação na importância da formação profissional dos sujeitos, indo além da formação para o mercado de trabalho. A partir desta análise, definem-se metas e ações em conformidade com este PDI, onde a avaliação permanente oferece as condições para implantação dos programas de pósgraduação. Os princípios básicos desta política são: 17

18 - Contribuir e participar do desenvolvimento regional e nacional na formação de recursos humanos qualificados; - definir áreas prioritárias e desenvolver a iniciação científica, inclusive com os parceiros; - consolidar a concepção de programa de pós-graduação integrado aos cursos de graduação oferecidos pela instituição e áreas afins; - formar grupos em iniciação científica. Coerente com os princípios e propostas que caracterizam a presente política, a pósgraduação adota mecanismos de avaliação institucional, incluindo a participação de especialistas internos ou externos, conduzindo processos de acompanhamento dos mesmos e revertendo seus resultados para a continuada melhoria de sua qualidade OBJETIVOS DO CURSO Os objetivos do Curso Jurídico dafacecaapresentam-se como gerais e específicos. Objetivos Gerais: - Formar profissionais para atuar em atividades próprias ao campo profissional do Bacharel, como profissional liberal ou não, promovendo o desenvolvimento das organizações e da sociedade, para transformar conhecimentos científicos a serem utilizados na atividade Jurídica. - Oferecer ao mercado, profissionais que detenham conhecimento, habilidades e atitudes, que se mostrem capazes de enfrentar os desafios contemporâneos existentes na sociedade organizada. Para alcançar seu objetivo, desenvolve competências e habilidades ao graduando na sua formação para haver a justaposição entre metodologia de ensino e a concepção do Curso. Objetivos específicos: Formar profissionais competentes para atuar em funções estatais, na militância, organização e defesa dos interesses difusos da sociedade civil, atuando como operadores especializados no atendimento jurídico individual, empresarial e de todas as organizações governamentais e não-governamentais. E ainda: a) dotar seus acadêmicos de formação técnica para o exercício das diversas profissões na área jurídica, capacitando-os para compreender e enfrentar as exigências teóricas e práticas da vida profissional e social do bacharel em Direito; b) proporcionar a seus acadêmicos formação científica e humanística orientada pelas mudanças sociais da atualidade; c) formar bacharéis em Direito capazes de assumir uma postura crítica diante dos fenômenos jurídicos e sociais, bem como contribuir para a construção de uma nova práxis 18

19 jurídica orientada pela ética e pelo compromisso com o acesso à justiça e a promoção da paz social; d) promover o estudo do Direito a partir de uma perspectiva interdisciplinar; e) possibilitar a articulação e desenvolvimento do ensino, da pesquisa e da extensão, visando ao desenvolvimento integral da Ciência Jurídica; f) despertar o espírito científico dos alunos, desenvolvendo as habilidades de observação, análise, reflexão crítica, síntese, generalização e comunicação; g) despertar o aluno para a complexidade dos problemas da sociedade, no âmbito internacional, nacional, regional e local, e revelando a importância do profissional da área jurídica em seu enfrentamento e solução; h) propiciar aos acadêmicos uma formação comprometida com as peculiaridades do Estado de Minas Gerais e, ao mesmo tempo, orientada pelos valores consagrados pela Constituição da República Federativa do Brasil PERFIL PROFISSIONAL DO EGRESSO A construção dos objetivos do curso leva em consideração as capacidades, competências e habilidades estabelecidas para o futuro profissional, tendo por base a as Diretrizes Curriculares Nacionais, a legislação vigente e as exigências do mercado de trabalho na área do Direito. O Curso de Direito da Faculdade CNEC Varginha está organizado de modo a oportunizar ao graduando uma sólida formação geral e humanista, permitindo o desenvolvimento da capacidade de análise e crítica, articulação de conceitos, argumentos e ideias, interpretação e valorização dos fenômenos jurídicos e sociais, aliada à capacidade técnica, ao conhecimento jurídico e à visão atualizada das questões sociais. A esse perfil genérico acrescenta-se a busca de um posicionamento pessoal reflexivo e crítico, que fomente a capacidade de trabalho em equipe, o dinamismo pessoal na busca de soluções bem elaboradas e criativas, a capacidade de desenvolver formas extrajudiciais de prevenção e solução de conflitos individuais e coletivos, tudo isso alimentando o essencial da natureza humana que é a qualificação para a vida, o comportamento ético, a qualificação para o trabalho, o amor à liberdade, o espírito de solidariedade e o desenvolvimento da cidadania. Em razão disso, o Curso de Direito está baseado em um projeto de definição profissiográfica com uma sólida formação humanística, ao lado de uma competente formação técnico-jurídica e prática, consideradas indispensáveis à adequada compreensão interdisciplinar do fenômeno jurídico, das transformações sociais e do novo perfil que os Bacharéis em Direito precisam exercer em favor da paz, da liberdade, da justiça e da democracia. O perfil que se deseja do Bacharel em Direito é o de um cidadão ético, com visão sociocultural, técnico-jurídica e crítico-social capaz de acompanhar com sensibilidade aguda os avanços tecnológicos, os movimentos sociais e as correntes ideológicas. 19

20 A atividade jurídica não se exaure somente no exercício da advocacia. O que se espera do Bacharel é que ele atue, não só na defesa dos interesses de pessoas físicas ou jurídicas, ou ainda nas atividades de esfera pública, no Estado, em seus três Poderes, mas, sobretudo, no entendimento das demandas por justiça, liberdade e respeito nas comunidades. É fundamental que toda base conceitual do curso permita o exercício do Operador do Direito como Magistrado, Legislador, Procurador, Promotor de Justiça, Defensor Público, Profissional de Atividades Policiais, Consultor ou Assessor Jurídico. Isso exige uma organização de curso com sólida formação sócio-política, e técnico-jurídica. Assim sendo, a Faculdade CNEC Varginha pretende, com o Curso de Direito, enfatizar a visão comunitária, o comprometimento do aluno com a defesa dos interesses das comunidades, da municipalidade, dos grupos sociais, dos organismos representativos dessas comunidades, dos trabalhadores e de suas famílias ESTRUTURA CURRICULAR O curso de Direito da Faculdade CNEC Varginha-FACECA, contempla em sua estrutura curricular, conteúdos/disciplinas que atendem aos seguintes eixos interligados, de acordo com o que dispõe o artigo 5º, da Resolução CNE/CES no 9, de 29 de setembro de O primeiro eixo, de formação fundamental, contempla as disciplinas propedêuticas, indispensáveis para a formação crítica do aluno. Além disso, destaca-se a importância da ligação do Direito com suas áreas afins, integrando o estudante ao seu campo de estudo. No curso de Direito da Faculdade CNEC Varginha, fazem parte deste eixo as disciplinas: História e Introdução ao Estudo do Direito; Ciência Política e Teoria do Estado; Economia; Leitura e Interpretação de Texto; Sociologia e Antropologia Jurídicas; Metodologia e Pesquisa Científica; Filosofia do Direito e Hermenêutica Jurídica; Responsabilidade Social e Ambiental; Liderança e Tomada de Decisão; Empreendedorismo e Desenvolvimento Regional e Psicologia Jurídica. O segundo eixo centra-se na formação profissional. Este tem o papel de aproximar o aluno das letras jurídicas, propriamente ditas, tornando-os aptos para a adequada compreensão e aplicação da legislação. As disciplinas abordam tanto o enfoque dogmático quanto as várias possibilidades de interpretação e aplicação do Direito, destacando-se as peculiaridades de cada um dos ramos da Ciência Jurídica. Além disso, se fará necessário o estudo da evolução da legislação, contextualizando sua abordagem às mudanças sociais, políticas, econômicas e culturais do Brasil e do mundo. Na FACECA, este eixo é composto por: Direito Civil I; Direito Civil II; Direito Constitucional I; Direito Penal I; Direito Civil III; Direito Penal II; Direito Constitucional II; Direito Civil IV; Direito Penal III; Direito Internacional; Teoria Geral do Processo; Direito Civil V: Direito Penal IV; Direito Processual Civil I; Direito Administrativo I; Direito Civil VI; Direito Processual Penal I; Direito Processual Civil II; Direito Administrativo II; Direito Civil VII; Direito Processual Civil III; Direito Processual Penal II; Direito do Trabalho I;Mediação, Conciliação e Arbitragem; Direito Processual Civil IV; Direito do Consumidor; Direito da Criança, do Adolescente, do Idoso e do Deficiente; Direito do Trabalho II; Direito Empresarial I; Direito Tributário I; Direito Processual do Trabalho; Ética 20

21 Profissional; Direito Empresarial II; Direito Processual Constitucional e Administrativo; Direito da Seguridade Social; Direito Tributário II; Direito Ambiental. O terceiro eixo, chamado de eixo de formação prática, objetiva a integração entre prática e os conteúdos teóricos desenvolvidos nos demais eixos, especialmente nas atividades relacionadas com o Estágio Curricular Supervisionado, Trabalho de Conclusão de Curso e Atividades Complementares. Assim, temos as seguintes disciplinas: Prática Jurídica Cível, Prática Jurídica Penal, Prática Jurídica Trabalhista e Prática Jurídica em Mediação e Arbitragem, Trabalho de Curso I e II. Para que este terceiro eixo seja bem sucedido é de suma importância contar com um Núcleo de Prática Jurídica-NPJ. Mesmo com essas diretrizes, algum espaço ainda resta de forma a dar oportunidade a vertentes mais fortes, o que redunda em qualidades próprias a cada projeto pedagógico Coerência dos Objetivos com a Estrutura Curricular O currículo do curso de Direito está coerente com os objetivos do curso e com o compromisso da mantenedora com a região em que está inserida, orienta para a formação de profissionais integrados com a realidade local e a qualificação despertada para o aproveitamento das potencialidades socioeconômicas e culturais, de modo a tornar os profissionais instrumentos do desenvolvimento regional. A visão crítica, empreendedora e humanística da realidade social, trabalhada ao longo de todo o curso, insere no aluno, por meio da conjugação da teoria à prática, uma perspectiva pluralista da prática das disciplinas. Respeitando os aspectos pedagógicos, o currículo do curso, está fortemente subsidiado por atividades complementares que corresponde a 300 horas e estágio supervisionado com 300 horas. Aborda as áreas de conhecimento, habilidades, atitudes e valores éticos fundamentais à formação profissional. Importante que se busque estabelecer uma relação entre os objetivos do curso com as disciplinas aplicadas. Nesse sentido, a tabela abaixo traz em seu conteúdo não apenas a descrição dos objetivos do curso, estes já elencados anteriormente, mas principalmente a sua relação com as disciplinas do curso. OBJETIVOS DO CURSO OBJETIVOS GERAIS: - Formar profissionais para atuar em atividades próprias ao campo profissional do Bacharel, como profissional liberal ou não, promovendo o desenvolvimento das organizações e da sociedade, para transformar conhecimentos científicos a serem utilizados na atividade Jurídica. - Oferecer ao mercado, profissionais que ESTRUTURA CURRICULAR Na coerência entre os objetivos gerais e a estrutura curricular são essenciais os três eixos interligados que contemplam todas as disciplinas. Assim, apresentam-se necessárias as formações fundamental, profissional e prática. 21