Guia para avaliação do funcionário

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Guia para avaliação do funcionário"

Transcrição

1 Informação do colaborador Guia para avaliação do funcionário Nome: preencher com nome e sobrenome do funcionário Matrícula: número de registro que consta do ato da admissão e no crachá de identificação do funcionário Data de Admissão: data em que o funcionário foi admitido oficialmente Chefe: Nome do superior imediato do funcionário Período de avaliação: De: data em que o funcionário foi admitido ou da sua última avaliação. Até: data em que está sendo avaliado. Centro de custo: número do setor no qual o funcionário está alocado Informações do cargo: Cargo: a posição que uma pessoa ocupa dentro da estrutura organizacional. Tempo/função: tempo em que o funcionário exerce as tarefas e responsabilidades que correspondem a este cargo. Tipo de avaliação: a empresa exige uma avaliação anual, porém a chefia poderá optar em fazê-la mais frequentemente: mensal, bimestral. Tempo na cia: tempo total em que o funcionário trabalha na empresa, independente de ter mudado de cargo. Informações do avaliador: Nome: Nome do avaliador Cargo: que o avaliador ocupa Data da entrevista: data do dia em que está sendo realizada Hora da entrevista: hora do início 1

2 Departamento: seção onde o funcionário está alocado. Avaliações: Instrução: A avaliação deve ser conduzida pelo avaliador, no entanto, quem atribui a nota na escala abaixo, é o próprio avaliado, numa auto-avaliação e reflexão.o avaliador concorda ou não, e decide a classificação final na escala 1 Falta competência.falta-lhe a faculdade, aptidão para lidar, resolver ou administrar as tarefas; falta-lhe conhecimento prático e habilidade de realizar as funções, ou seja, não possui a competência. 2 Deficiente Falho, insuficiente, incompleto. 3 Falta prática O funcionário tem a competência, mas o grau da habilidade não é suficiente; a prática é adquirida por prolongado exercício desta. 4 Eficiente: Que produz o efeito desejado; refere-se a como fazer o que tem para ser feito, a como as tarefas são feitas, relacionadas à qualidade.o colaborador deve administrar bem os recursos para conseguir os objetivos ( redução de custos,orçamento; despesas) 5 Excelente (eficaz + efetivo): segue uma diretriz de conceitos: Eficaz - refere-se a fazer o que deve ser feito; conseguir o objetivo: vendas (para o comercial, orçamento) ou tarefas ( para os da área administrativa). Efetivo- eficaz e eficiente; conseguir obter lucro. N/A O quesito não se aplica à função exercida pelo colaborador, há alguns itens que são específicos para a área comercial (representantes), financeira, marketing, licitações (vide tópico de formação acadêmica) ou o colaborador ainda não tem tempo suficiente na função para ser avaliado. Experiência Profissional Experiência relevante ao cargo Refere-se ao conhecimento e habilidade adquiridos pela prática da função. Qualidade do trabalho Refere-se ao grau de perfeição, de precisão, de refinamento realizado nas tarefas. Metas profissionais condizentes com o cargo: 2

3 Referem-se aos objetivos profissionais do funcionário, tais como: estudos e atualizações, objetivando seu crescimento, e que tenha sonhos coerentes ao cargo que exerce. Conhecimento dos produtos: Refere-se ao conhecimento ( científico, técnico e de marketing) que o colaborador tem dos produtos; estes podem ser os medicamentos (objeto fim da empresa, para os da área comercial) e/ou à própria atividade pela qual ele é responsável, pois é o que é produzido por ele, é a sua finalidade. Conhecimento dos clientes Refere-se à informação que ele tem a respeito dos clientes externos (para os da área comercial, em especial,são os que compram nossos produtos) e dos internos (são todos os outros funcionários; os pares, subordinados e chefia). Conhecimento do mercado Refere-se à informação que ele tem a respeito do mercado, mais especificamente do nosso negócio, especialmente das estratégias dos concorrentes diretos. Dissemina conhecimento Entende-se, por conhecimento, a informação interpretada, ou seja, o que cada informação significa e que impactos no meio cada informação pode causar, de modo que a informação possa ser utilizada para importantes ações e tomadas de decisões. Devemos observar, se o avaliado compartilha o conhecimento que tem, ajudando aos seus colegas e se o faz corretamente. O conhecimento, numa organização, não pode ir embora com um funcionário desligado da empresa; devemos gerir o conhecimento para que ele seja um patrimônio que fique, e que seja, ao máximo passado de um para o outro. Conhece missão, visão e norte cultural da empresa Avaliar se o funcionário conhece estes quesitos que são importantes para uma empresa em que todos tenham os mesmos objetivos e filosofia. Missão: É a finalidade da existência de uma organização. È aquilo que dá direção e significado a essa existência. A missão da organização está ligada diretamente aos seus objetivos institucionais, aos motivos pelos quais foi criada, à medida que representa a sua razão se ser. Nossa missão: Utilizar toda a tecnologia e conhecimento em prol da conquista do bem estar do Ser Humano, buscando o respeito e a liderança do mercado, de maneira ética e socialmente comprometida. Visão: É o sonho da organização. É aquilo que se espera ser num determinado tempo e espaço. A visão é um plano, uma idéia mental que descreve o que a organização quer realizar objetivamente nos próximos anos de sua existência. Normalmente é um prazo longo (pelo menos, cinco anos). Jamais confundir Missão e Visão: a Missão é algo perene, sustentável enquanto a Visão é mutável por 3

4 natureza, algo concreto a ser alcançado. A Visão deve ser inspiradora, clara e concisa, de modo que todos a sintam. Nossa visão: Estar nos próximos 5 anos dentro das 30 empresas do mercado farmacêutico. Norte Cultural: Representa os princípios éticos que norteiam todas as suas ações.compõe-se de regras morais que simbolizam os atos de seus fundadores, administradores e colaboradores em geral. Nosso norte cultural: Respeito, comunicação, lealdade e honestidade. Aparência Refere-se ao cuidado com a imagem física; com a formalidade que o ambiente requer; cuidados com a higiene pessoal e apresentação. Comprometido Refere-se à adesão do colaborador; se está envolvido com a responsabilidade do trabalho; se está engajado na filosofia da empresa, mostrando-se consciente de ser parte integrante e necessário para o sucesso desta, cedendo seu tempo nos momentos de crise. Cumprir prazos Refere-se à responsabilidade em cumprir datas estipuladas internamente e/ou externamente. Trabalha com planejamento documentado Refere-se à organização do trabalho, se o funcionário sabe planejar suas tarefas e projetos e documentá-las. Comunicativo Observar se o colaborador tem comunicação clara e objetiva, fazendo com que o interlocutor o entenda perfeitamente, lembrando que o respeito e cordialidade devem estar presentes neste processo. O sucesso na comunicação não depende só da forma como a mensagem é transmitida, a compreensão dela é fator fundamental, vivemos em sociedade de cultura diversificada, e o que às vezes parece obvio, para seu interlocutor não é. Não se deve presumir que para o outro algo seja obvio. A comunicação, depois de transmitida de forma correta ao interlocutor, deve ter um acompanhamento para ele saber se está agindo de forma correta, ou se precisa corrigir ou melhorar, esse processo chamamos de feedback. Motivação, entusiasmo, otimismo Motivação é um processo mental positivo que estimula a iniciativa e determina o nível de entusiamo e esforço que a pessoa aplica no desenvolvimento de suas atividades. O processo motivacional é responsável pela intensidade, direção e 4

5 persistência desses esforços.o nível de motivação é influenciado por diversos fatores como a personalidade da pessoa, suas percepções do meio ambiente, interações humanas e emoções. Entusiasmo excitação da alma e interesse por algo; dedicação e alegria. Otimismo disposição natural ou adquirida para ver as coisas pelo lado bom e esperar sempre por uma solução favorável mesmo nas situações mais difícies. Trabalha em equipe / relação interpessoal Trabalhar em equipe é saber lidar com opiniões divergentes das suas; aproveitar o que o outro membro da equipe tem a ensinar e acrescentar, respeitando-o e discutindo, quando necessário, para se chegar a um consenso de forma cordial e profissional.é saber relacionar-se bem com as pessoas, de maneira saudável. Controle de processos Refere-se ao acompanhamento de algo que ainda está em execução.o colaborador deve averiguar se é o que dizem que é e fiscalizar para encontrar a verdade. Pró-ativo/ dinâmico/ágil/ hábil Resumidamente, deve-se avaliar se o colaborador está nestes quesitos: Pró-atividade está relacionada às seguintes atitudes: Está buscando continuamente novas oportunidades. Marca objetivos efetivos orientados às mudanças. Antecipa e prevê problemas. Desenvolve atividades diferentes ou atua de forma diferente. Empreende a ação e se aventura apesar da incerteza. É perseverante e esforçado. Consegue resultados perceptíveis, já que está orientado a resultados Empático / carismático É ter uma resposta afetiva apropriada à situação de outra pessoa, e não à própria situação; capacidade de se colocar no lugar dos outros. Carismático que tem um dom especial; capacidade de influenciar os outros; capacidade de inspirar entusiasmo e adesão; magnetismo;qualidade marcante conjunto de qualidades como simpatia que o torna agradável às outras pessoas; que atrai e conquista o outro com suas peculiaridades. Organizado Deve-se adequar às atividades. Se for da área comercial: sua pasta, sua agenda, suas notas de reembolso, sua agenda e planejamento de visitas.se for interno, com sua sala, sua mesa, seu armário e principalmente, em ambos os casos, com sua rotina e prioridades. 5

6 Vendedor Consultivo Específico para a área de vendas: O vendedor consultivo é o que realmente consegue criar um diálogo com o cliente. Utiliza perguntas para obter informações e dedica-se realmente a ouvir. E é através deste processo de perguntar e ouvir que apresenta as soluções para seus clientes. O Vendedor Consultivo não só realiza vendas, mas principalmente cria relacionamento de longo prazo.o bom profissional de vendas é aquele que constrói um relacionamento de confiança com seus clientes, conseguindo dessa maneira realizar mais vendas sem grande esforço de argumentação. Pontualidade A imagem do colaborador está refletida na sua pontualidade. Independente de problemas pessoais, todos devem ter compromisso com o horário diário. Segue hierarquia, disciplina e obediência O conceito de hierarquia é amplamente aplicado à gestão das organizações para designar a cadeia de comando que se inicia nos gestores de topo e segue até aos trabalhadores não gestores, passando sucessivamente por todos os níveis da estrutura organizacional. É, portanto, através da hierarquia que se estabelecem as relações de autoridade formal entre superiores e subordinados e que é definida a estrutura organizacional em qualquer organização. Disciplina Neste caso, disciplinando é o colaborador que não se desvia da conduta padrão da empresa. Obediência É o que cumpre as regras, filosofia e principalmente segue os mandos da sua chefia. Detalhista Aquele que desempenha seu trabalho, com detalhes, minúcias, pormenores, dandolhes a atenção devida para que o todo seja bem executado. Liderança Avaliar o nível de habilidade que o colaborador possui para liderança. Liderança é uma vocação de serviço, não, de mando. Líder é o portador da autoridade legitimada, ou seja, aquele em quem se reconheçam motivos para ser ouvido, acatado e seguido. Liderança é a arte de mobilizar os outros a batalhar por aspirações compartilhadas. Liderança é a arte de obter resultados desejados, acordados e esperados através de empregados engajados. As funções de liderança incluem, todas as atividades de influenciação de pessoas, ou seja, que geram a motivação necessária para pôr em prática o propósito definido pela estratégia e estruturado nas funções executivas. 6

7 Focado nos resultados É cumprir objetivos e cotas (área comercial) como conseqüência, neste caso, gerar lucros. O foco deve ser adequado à função, e deve ser avaliado se o colaborador está objetivando o seu resultado isolado, pois este contribui para o resultado final da empresa. Focado no cliente A chefia deve exigir o conhecimento das prioridades de cada cargo.observar se o colaborador está concentrado no seu objetivo que são os clientes externos, principalmente os da área comercial, como forma de atraí-los e retê-los. E os que não lidam diretamente com os externos, verificar se estão lidando bem com os clientes internos (outros colaboradores). Sabe traçar prioridades Avaliar se o colaborador organiza e executa suas tarefas ordenadas em caráter de urgência, preferência, primazia. Criativo Observar se o colaborador desempenha sua rotina, criando soluções para as dificuldades que apareçam; criando novos métodos, modelos e recursos (técnicos e/ou informatizados) para facilitar e aprimorar seu trabalho. Sabe ouvir Avaliar a capacidade de doação do colaborador ao ouvir : Muitos ouvem o que querem ouvir, não o que o outro está tentando dizer. Muitos levantam seus filtros internos e sua vivência e interpretam o dizer dos outros, ainda enquanto a pessoa tenta se expressar à sua frente. Saber ouvir, é em primeiro lugar estar disponível ao outro. Observar se o colaborador faz contato visual, se seu corpo e mente estão voltados para quem fala. Para ouvirmos, devemos exercitar a empatia, procurar entender o que o outro fala, e também como ele sente. Não devemos interpretar, julgar, e não devemos colocar nossos filtros internos em ação, nem nossa experiência e nem tampouco nosso conhecimento prévio. No universo organizacional, devemos ouvir os clientes e, principalmente, a chefia, pois o que eles demandam, descobrimos no ato de ouvir. Objetivo Focado, direto; que expõe, investiga ou faz critica às coisas; que tem capacidade de síntese. Analítico Que se pauta na análise. Observar se o colaborador analisa as situações, a sua rotina, as suas tarefas, ou as faz sem pensar, mecanicamente. Habilidade para solução de problemas 7

8 Avaliar a capacidade de autonomia do colaborador na solução de problemas que são da sua competência; observar se age assim, ou se repassa a solução para algum colega ou gestor, o que não é o desejado. Na função Entende as metas da empresa Meta é um objetivo relacionada a tempo e valor.observar se o colaborador está consciente dos propósitos da empresa e se, principalmente, contribui para o alcance deles. Faz perguntas relevantes Uma forma de aprender é o interesse que o colaborador tem pelas questões das suas tarefas ( do seu cargo) e pelas da empresa.observar se o colaborador levanta questionamentos pertinentes, interessantes ao seu crescimento e ao da empresa. Entende as exigências do cargo Observar se o colaborador está plenamente consciente do que a empresa espera do seu desempenho neste cargo, com suas atribuições, responsabilidades, peculiaridades e se atende a estas exigências. Entende as tendências do setor Observar se o colaborador presta atenção no setor de uma forma global.se está atualizado e familiarizado com o setor, e se entende quando este tende a mudanças. Tem conhecimento dos concorrentes no setor O colaborador deve perceber se há colegas no setor que são concorrentes, que se destacam, para estarem conscientes destas diferenças e devem estar atentos às propagandas, materiais promocionais, promoções e lançamentos. Informação da concorrência (traz e usa) O colaborador deve estar atento aos produtos concorrentes (principalmente às literaturas e estudos clínicos), às atualizações das empresas concorrentes para que possa contribuir com o crescimento e atualização da nossa organização. Formação Acadêmica Campo de estudo relevante ao seu cargo Observar se o colaborador tem formação acadêmica condizente ou que contribua com o seu cargo. Micro informática (pacote OppenOffice e Office) Avaliar o grau de conhecimento e domínio destas ferramentas, levando em consideração a importânica delas no desempenho das funções ( excell, word, power point). Conhecimento e utilização de ferramentas (IMS/Microsiga) Avaliar o grau de conhecimento e domínio destas ferramentas, incluindo close up, nos colaboradores que exerçam funções que necessitem delas. 8

9 Inglês Avaliar o nível de conhecimento, englobando escrita e oralidade, enfatizando às funções que necessitem dele no desempenho de suas atividades (observar os colaboradores que têm aulas na empresa). Espanhol Avaliar o nível de conhecimento, englobando escrita e oralidade, enfatizando às funções que necessitem dele no desempenho de suas atividades.o espanhol, porém, deve ser mais cuidadosamente avaliado, pois há disponibilidade para todos os colaboradores que queiram e disponham de horário para assistir aulas custeadas pela organização, avaliando, desta forma, também o interesse dele. Gerenciamento de tempo Observar se o colaborador conclui suas tarefas, sem ter que frequentemente passar do horário, e se as faz no prazo determinado e se trabalha com prioridades. Interesse em aprendizagem contínua Observar se o colaborador se interessa por cursos, livros, palestras, estudos em geral, pois, para acompanhar o crescimento da empresa, ele não pode deixar de estar atualizado, especializado e, ao mesmo tempo globalizado, atendendo às mudanças internas e externas. Matemática Financeira Avaliar o conhecimento do colaborador que desempenha funções que necessitam especificamente deste conhecimento. Oratória Avaliar o nível de habilidade que o funcionário tem de se expressar para um grupo de pessoas de maneira correta (técnica, gesticulação, postura). Técnica de Vendas Específico para área comercial. Avaliar o nível de conhecimentoe utilização desta técnica, englobando a chave do eu, alinhamento e elevação ; abertura e fechamento de uma propaganda. Lei de Licitações ( ) Específico para a área de vendas. Observar o conhecimento desta lei no (s) colaborador(es) que a utilizam. Habilidades para o trabalho (Específico para a área comercial) Utiliza roteiro hospitalar Observar se o colaborador o utiliza corretamente (vide anexo). 9

10 Realiza ações junto aos clientes (Reuniões científicas, palestras, treinamentos) Observar a qualidade, a frequência destas ações e como são desenvolvidas. Trabalha a sua relação interpessoal como vantagem competitiva Observar se o colaborador sabe utilizar, resumidamente, a simpatia, a cortesia, o autoconhecimento, a empatia, o saber ouvir a seu favor. Entende-se por relações interpessoais o conjunto de procedimentos que, facilitando a comunicação e a linguagem, estabelece laços sólidos nas relações humanas. É uma linha de ação que visa, sobre bases emocionais e psicopedagógicas, criar um clima favorável à empresa e garantir a integração de todo pessoal.cada pessoa é, e sempre será, um verdadeiro universo de individualidade; suas ações, seus motivos, seus sentimentos constituem paradigma único. Habilidades de comunicação Observar se o colaborador é comunicativo (vide item comunicativo em Experiência Profissional ), mas direcionado ao foco, às técnicas de vendas.não basta somente ter facilidade para falar, mas deve se comunicar para os fins profissionais. Faz o planejamento de visitas semanal Observar se o colaborador prepara as visitas, organiza e agenda; procedimento feito pelo sistema. Fichas de visitas médicas atualizadas Observar se o colaborador atualiza as fichas médicas no cadastro da Web. Painel com cobertura mínima de 90% Observar se o colaborador está cumprindo as visitas médicas propostas para o ciclo, de no mínimo 90%. Ele deve fazer planejado por dia e não, deixar para o final deste. Coordenação de equipes Observar se o colaborador exerce a liderança para organização da equipe, gerenciando conflitos, levantando as necessidades, apoiando e contribuindo para o crescimento desta. Treinamento de equipes Observar se o colaborador desenvolve e treina seus subordinados, buscando a padronização de conceitos, forma de agir, filosofia; o conhecimento de técnicas de venda, de comunicação e de abordagem de clientes. Acompanhamento de NF Entrega e pagamento Observar se o colaborador acompanha a chegada do pedido, o seguimento e pagamento da nota fiscal. 10

11 Controle de despesas Observar se o colaborador lida bem com os custos, primando por redução destes nas suas despesas e nas da sua equipe, se faz uso correto do fundo fixo. Adequado uso do orçamento Observar se o colaborador respeita o orçamento, evitando ultrapassar os valores estipulados pelo gestor, percentuais e parâmetros. Participação e contribuição em reuniões Observar se o colaborador é ativo nas reuniões, se expressa suas opiniões e soma com idéias a respeito do que está em pauta. Participação em novos projetos, desenvolvimento da empresa Observar se o colaborador se compromete com o futuro da empresa, se está engajado nos projetos, se os cria e quantos, contribuindo e crescendo com a organização. Auto treinamento Ponderar se o colaborador busca crescimento, aprimoramento, estudos profissionais, treinando-se, disciplinando-se, especializando-se na sua área. Habilidades Técnicas (específico para a área comercial) Abecet, Trifamox, Tiorfan, Keflex, demais produtos da linha e os seus concorrentes. Observar se o colaborador conhece as especificidades, características destes produtos e de seus concorrentes. Como é seu líder OBS: Neste tópico, o colaborador avaliará sua chefia, de forma qualitativa, ou seja, descrevendo sua observação referente aos quesitos, oferecendo-lhe o feedback da sua atuação como líder. Conduz efetivamente os projetos O colaborador deve expressar sua opinião sobre como seu gestor passa seus projetos (entende-se por trabalhos, solicitações em geral) aos mesmos, ou seja, se ele o faz de maneira clara, objetiva, explicativa; se estabelece prazos e se o faz de forma contundente, porém com cortesia. Gerencia conflitos O colaborador deve avaliar se seu líder sabe lidar com conflitos em sua equipe, com choque de opiniões, personalidades e estilos. O desafio é saber valorizar a diferença e tornar os inevitáveis conflitos um bom motivo para crescer e superar as adversidades. O líder deve agir de forma justa, sabendo ouvir a todos envolvidos, sendo imparcial e resolvendo o problema entre as partes de maneira ética e profissional. 11

12 Estimula a formação de equipes Grupo é um conjunto de pessoas com objetivos comuns, em geral se reúnem por afinidades. No entanto, este grupo não é uma equipe.equipe é um conjunto de pessoas com objetivos comuns, atuando no cumprimento de metas específicas. Observar se o líder cumpre com os quesitos a seguir: Respeita os princípios da equipe, a interação entre seus membros e especialmente o reconhecimento da interdependência entre seus membros no atingimento dos resultados da equipe. Favorece os resultados das outras equipes e da organização como um todo. Define claramente a missão, os valores da empresa, as metas e objetivos da equipe. Se comunica de forma clara para alcançar esse objetivo. Respeita a individualidade e estimula a diversidade da equipe. Estabelece os papéis. Os integrantes da equipe devem saber qual a função ou papel a desempenhar. Treina as pessoas; é papel do líder identificar se existe ou não a necessidade de treinamento. Motiva e reconhece os talentos. Com o tempo, é natural que a equipe perca o entusiasmo do começo. É preciso evitar que uns poucos trabalhem e todos os outros fiquem olhando. Sabe o que cada membro está fazendo de valor e reconhece a performance de cada integrante. Não permite, que alguém solte a máxima: Eu já fiz a minha parte. Avalia e monitora. O monitoramento do trabalho e dos resultados é fundamental para que cada integrante saiba como está o seu desempenho, em que e como pode melhorar. Define expectativas e metas claras O gestor deve definir o que deseja claramente, sem deixar dúvidas ou achar que o colaborador entendeu.deve explicitar as metas e o que ele espera do colaborador e estar certo de que o mesmo entendeu corretamente. Concentra-se no cliente O gestor também deve estar focado nos clientes externos e internos. Gera idéias O líder deve ser criativo; deve gerar soluções e idéias inovadoras para solucionar problemas, para criar novos procedimentos, políticas e métodos, para benefício de um membro, da equipe e da empresa como um todo. Envolve-se nos projetos O gestor deve se envolver nos projetos delegados à sua equipe, monitorando e ajudando na realização destes. 12

13 Sabe ouvir O gestor deve saber ouvir (vide tópico na página 7). Acessível Avaliar se o líder permite que os subordinados se reportem a ele; se ele está aberto a escutá-lo e a recebê-lo quando possível. Ético Conjunto de princípios morais que se devem observar no exercício de uma profissão. Ética diz respeito a uma realidade humana que é construída histórica e socialmente a partir das relações coletivas dos seres humanos nas sociedades onde nascem e vivem. Avaliar se o gestor age com ética nas suas rotinas e decisões. Vendas-objetivo de vendas( específico para a área comercial) Números apurados pelo Ranking da F.V. (enviado por .) Cota O que foi proposto ao colaborador; o seu ideal de vendas (deve-se completar com os de valores (coluna A) e as unidades (coluna D). Demanda O que foi realmente cumprido do que lhe foi posto como objetivo (deve-se completar com os de valores ( coluna B) e as unidades (coluna E). % - Porcentagem É o percentual entre a cota dada pela empresa e o realizado pelo representante. (Deve-se completar com os números de valores (coluna C), unidades (coluna F) market share (coluna G) e visitação( coluna H.) Total É a soma dos pontos definidos a cada item, conforme tabela abaixo (completar com o número da coluna I). Preencher com ponto; não, vírgula. Ex: Valores 40 pontos Unidades 30 pontos Market share 10 pontos Visitação 20 pontos Este número equivale a 70% da avaliação para o conceito final e o restante da pontuação equivale a 30%. Essa ponderação, feita de forma automática, gerará um conceito final, como segue. Os Conceitos são: A maior ou igual a 95% B entre 85% e 94% C entre 70% e 84% D menor ou igual a 69% 13

14 Comentários-Chefia direta A chefia deve comentar sobre o funcionário: Pontos fortes do colaborador O gestor deve relacionar neste campo, as qualidades que se destacam do colaborador. Pontos a desenvolver O gestor deve relacionar neste campo, as dificuldades e deficiências do colaborador. Comentários O gestor pode comentar livremente sobre o colaborador. Comentários-colaborador O próprio avaliado deve comentar sobre si. Pontos fortes do colaborador O avaliado deve relacionar neste campo, as suas qualidades, habilidades, capacidades. Pontos a desenvolver O avaliado deve relacionar neste campo, as suas dificuldades e deficiências. Comentários O avaliado pode se auto-avaliar livremente. Negociação de Objetivos Ações O avaliador deve relacionar neste campo, o que o colaborador deverá realizar; estas ações podem ser propostas pelo próprio funcionário (já que ele conhece a sua rotina e sabe o que precisa ser feito como melhoria, ou algum projeto) e/ou pela chefia. Objetivos, plano de ação, recursos e datas Objetivos:deve(m) ser descrito(s) o (s) objetivo(s) da ação; onde se quer chegar com ela. Plano de Ação:deve ser descrito como deve ser feita a ação. Recursos: devem ser expostos os recursos fianceiros ou de materiais ou algo que seja preciso para se realizar a ação. 14

15 Datas:devem ser estipulados prazos e/ou periodicidade das ações. Para os colaboradores do Administrativo Negociação de Objetivos ano anterior Aos objetivos propostos no ano anterior deve ser atribuído um número percentual (ex.: se o realizou todo, 100%; se foi em torno da metade, 50%,etc.). Obs: Quem nao teve avaliação no ano anterior, o gestor deve pensar no que foi realizado no primeiro ano e colocar em forma de objetivos. A Avaliação experimental ( de 3 meses) deve ser levada em consideração. Depois, o avaliador deve calcular uma média da realização dos objetivos e preencher no total. Este número equivale a 70% da avaliação para o conceito final e o restante da pontuação equivale a 30%. Essa ponderação, feita de forma automática, gerará um conceito final, como segue. Os Conceitos são: A maior ou igual a 95% B entre 85% e 94% C entre 70% e 84% D menor ou igual a 69% Danielle Teixeira Gestão de Talentos Laboratórios Bagó do Brasil S.A. 15

Fatores e Indicadores de Desempenho ADP

Fatores e Indicadores de Desempenho ADP Fatores e Indicadores de Desempenho ADP RESPONSABILIDADE / COMPROMETIMENTO COM A INSTITUIÇÃO - Assumir o compromisso na realização das atribuições - Atuar com disposição para mudanças - Buscar qualidade

Leia mais

Fulano de Tal. Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 FINXS 09.12.2014

Fulano de Tal. Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 FINXS 09.12.2014 Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 Este relatório baseia-se nas respostas apresentadas no Inventário de Análise Pessoal comportamentos observados através questionário

Leia mais

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Avaliação de: Sr. Mario Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Leia mais

Formulário de Avaliação de Desempenho

Formulário de Avaliação de Desempenho Formulário de Avaliação de Desempenho Objetivos da Avaliação de Desempenho: A avaliação de desempenho será um processo anual e sistemático que, enquanto processo de aferição individual do mérito do funcionário

Leia mais

Aperf r e f iço ç a o m a ent n o t o Ge G re r nci c al a para Supermercados

Aperf r e f iço ç a o m a ent n o t o Ge G re r nci c al a para Supermercados Aperfeiçoamento Gerencial para Supermercados Liderança Liderança é a habilidade de influenciar pessoas, por meio da comunicação, canalizando seus esforços para a consecução de um determinado objetivo.

Leia mais

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Ultrapassando barreiras e superando adversidades. Ser um gestor de pessoas não é tarefa fácil. Existem vários perfis de gestores espalhados pelas organizações,

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

Quais são os objetivos dessa Política?

Quais são os objetivos dessa Política? A Conab possui uma Política de Gestão de Desempenho que define procedimentos e regulamenta a prática de avaliação de desempenho dos seus empregados, baseada num Sistema de Gestão de Competências. Esse

Leia mais

Liderança Estratégica

Liderança Estratégica Liderança Estratégica A título de preparação individual e antecipada para a palestra sobre o tema de Liderança Estratégica, sugere-se a leitura dos textos indicados a seguir. O PAPEL DE COACHING NA AUTO-RENOVAÇÃO

Leia mais

Perfil de estilos de personalidade

Perfil de estilos de personalidade Relatório confidencial de Maria D. Apresentando Estilos de venda Administrador: Juan P., (Sample) de conclusão do teste: 2014 Versão do teste: Perfil de estilos de personalidade caracterizando estilos

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

7.1 Introdução. Monitoramento e Avaliação 427

7.1 Introdução. Monitoramento e Avaliação 427 7.1 Introdução O processo de monitoramento e avaliação constitui um instrumento para assegurar a interação entre o planejamento e a execução, possibilitando a correção de desvios e a retroalimentação permanente

Leia mais

Prof Elly Astrid Vedam

Prof Elly Astrid Vedam Prof Elly Astrid Vedam Despertar e saber lidar com os mecanismos de liderança e se preparar para a gestão de pequenos e médios negócios; Identificar conflitos no ambiente de seu negócio, calculando e avaliando

Leia mais

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

REFLEXÃO. (Warren Bennis)

REFLEXÃO. (Warren Bennis) RÉSUMÉ Consultora nas áreas de Desenvolvimento Organizacional e Gestão de Pessoas; Docente de Pós- Graduação; Coaching Experiência de mais de 31 anos na iniciativa privada e pública; Doutorado em Administração;

Leia mais

Inteligência. Emocional

Inteligência. Emocional Inteligência Emocional Inteligência Emocional O que querem os empregadores?? Atualmente, as habilitações técnicas específicas são menos importantes do que a capacidade implícita de aprender no trabalho

Leia mais

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores Sumário Liderança para potenciais e novos gestores conceito Conceito de Liderança Competências do Líder Estilos de Liderança Habilidades Básicas Equipe de alta performance Habilidade com Pessoas Autoestima

Leia mais

Enquete. O líder e a liderança

Enquete. O líder e a liderança Enquete O líder e a liderança Muitas vezes, o sucesso ou fracasso das empresas e dos setores são creditados ao desempenho da liderança. Em alguns casos chega-se a demitir o líder, mesmo aquele muito querido,

Leia mais

SEMIPRESENCIAL 2013.1

SEMIPRESENCIAL 2013.1 SEMIPRESENCIAL 2013.1 MATERIAL COMPLEMENTAR II DISCIPLINA: GESTÃO DE CARREIRA PROFESSORA: MONICA ROCHA LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO Liderança e Motivação são fundamentais para qualquer empresa que deseja vencer

Leia mais

Princípios de Liderança

Princípios de Liderança Princípios de Liderança LIDERANÇA E COACH www.liderancaecoach.com.br / liderancaecoach ÍNDICE Liderança Chefe x Líder O que um líder não deve fazer Dicas para ser um líder de sucesso Para liderar uma equipe

Leia mais

COORDENADOR SÊNIOR (CONSULTORIAS) (Candidaturas serão aceitas até o dia 22/2/2013 envie seu CV para asantos@uniethos.org.br)

COORDENADOR SÊNIOR (CONSULTORIAS) (Candidaturas serão aceitas até o dia 22/2/2013 envie seu CV para asantos@uniethos.org.br) COORDENADOR SÊNIOR (CONSULTORIAS) DESCRIÇÃO GERAL: O Coordenador Sênior do Uniethos é responsável pelo desenvolvimento de novos projetos, análise de empresas, elaboração, coordenação, gestão e execução

Leia mais

ATENDIMENTO AO CLIENTE

ATENDIMENTO AO CLIENTE ATENDIMENTO AO CLIENTE Tópicos a serem apresentados: O que é? Para que serve? Objetivos do Curso. Conteúdo Programático. Empresa As Pessoas O Produto O serviço Atendimento Competitividade Tipos de Clientes

Leia mais

Prof. Gustavo Nascimento. Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA

Prof. Gustavo Nascimento. Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA Prof. Gustavo Nascimento Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA A liderança e seus conceitos Liderança é a capacidade de influenciar um grupo para que as metas sejam alcançadas Stephen Robbins A definição de liderança

Leia mais

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING

ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING ESTRUTURA CURRICULAR DO CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO EM MBA EM GESTÃO DE PESSOAS, LIDERANÇA E COACHING CENÁRIO E TENDÊNCIAS DOS NEGÓCIOS 8 h As mudanças do mundo econômico e as tendências da sociedade contemporânea.

Leia mais

ANEXO I Relatório de Avaliação de Desempenho Individual - RADI (Funcional)

ANEXO I Relatório de Avaliação de Desempenho Individual - RADI (Funcional) ANEXO I Relatório de Avaliação de Desempenho Individual - RADI (Funcional) 1 Senhor (a) Avaliador (a), a) Para Autoavaliação: utilizar a coluna "A" do campo ; b) Para Avaliação da Equipe de Trabalho: utilizar

Leia mais

Portfolio de cursos TSP2

Portfolio de cursos TSP2 2013 Portfolio de cursos TSP2 J. Purcino TSP2 Treinamentos e Sistemas de Performance 01/07/2013 Como encantar e fidelizar clientes Visa mostrar aos participantes a importância do conhecimento do cliente,

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL Relatório e Análise 2005 Introdução: ``Para que a Construtora Mello Azevedo atinja seus objetivos é necessário que a equipe tenha uma atitude vencedora, busque sempre resultados

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

PROGRAMA COMPLIANCE VC

PROGRAMA COMPLIANCE VC Seguir as leis e regulamentos é ótimo para você e para todos. Caro Colega, É com satisfação que compartilho esta cartilha do Programa Compliance VC. Elaborado com base no nosso Código de Conduta, Valores

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE

COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE COMPETÊNCIAS FUNCIONAIS QUALIDADE DESCRIÇÕES DOS NÍVEIS APRENDIZ SABER Aprende para adquirir conhecimento básico. É capaz de pôr este conhecimento em prática sob circunstâncias normais, buscando assistência

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Liderança, Coaching e Gestão de Pessoas

Gerenciamento de Projetos Liderança, Coaching e Gestão de Pessoas Gerenciamento de Projetos Liderança, Coaching e Gestão de Pessoas Aula 05 Prof. Esp. Gladimir Ceroni Catarino gccatarino@senacrs.edu.br gladimir@gmail.com SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE

Leia mais

Coleção ajuda no sucesso profissional

Coleção ajuda no sucesso profissional COLEÇÃO Unic Josafá Vilarouca Renata Tomasetti (11) 5051-6639 josafa@unicbuilding.com.br renata@unicbuilding.com.br Coleção ajuda no sucesso profissional Série lançada pela Publifolha possui 36 títulos,

Leia mais

Organização da Aula. Gestão de Recursos Humanos. Aula 2. Liderança X Gerenciamento. Contextualização. Empreendedor Conflitos.

Organização da Aula. Gestão de Recursos Humanos. Aula 2. Liderança X Gerenciamento. Contextualização. Empreendedor Conflitos. Gestão de Recursos Humanos Aula 2 Profa. Me. Ana Carolina Bustamante Organização da Aula Liderança Competências gerenciais Formação de equipes Empreendedor Liderança X Gerenciamento Conceito e estilos

Leia mais

NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL - NOR 312

NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL - NOR 312 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL COD: NOR 312 APROVAÇÃO: Resolução DIREX Nº 009/2012 de 30/01/2012 NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO 1/17 ÍNDICE

Leia mais

O Paradigma da nova liderança

O Paradigma da nova liderança O Paradigma da nova liderança Robert B. Dilts Um dos mais importantes conjuntos de habilidades Um dos mais importantes conjuntos de habilidades necessárias num mundo em transformação são as habilidades

Leia mais

Perfil e Competências do Coach

Perfil e Competências do Coach Perfil e Competências do Coach CÉLULA DE TRABALHO Adriana Levy Isabel Cristina de Aquino Folli José Pascoal Muniz - Líder da Célula Marcia Madureira Ricardino Wilson Gonzales Gambirazi 1. Formação Acadêmica

Leia mais

A importância da Educação para competitividade da Indústria

A importância da Educação para competitividade da Indústria A importância da Educação para competitividade da Indústria Educação para o trabalho não tem sido tradicionalmente colocado na pauta da sociedade brasileira, mas hoje é essencial; Ênfase no Direito à Educação

Leia mais

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional COMPILADO DAS SUGESTÕES DE MELHORIAS PARA O IDGP/2011 por critério e indicador 1 LIDERANÇA O critério Liderança aborda como está estruturado o sistema de liderança da organização, ou seja, o papel da liderança

Leia mais

RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE

RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE RECONHECIDO INTERNACIONALMENTE COACHING EDUCATION By José Roberto Marques Diretor Presidente - Instituto Brasileiro de Coaching Denominamos de Coaching Education a explicação, orientação e aproximação

Leia mais

Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno

Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno Título do Case: Departamento Comercial com foco nas expectativas do cliente Categoria: Projeto Interno Resumo O presente case mostra como ocorreu o processo de implantação do Departamento Comercial em

Leia mais

Remuneração e Avaliação de Desempenho

Remuneração e Avaliação de Desempenho Remuneração e Avaliação de Desempenho Objetivo Apresentar estratégias e etapas para implantação de um Modelo de Avaliação de Desempenho e sua correlação com os programas de remuneração fixa. Programação

Leia mais

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Comunicação empresarial eficiente: Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Sumário 01 Introdução 02 02 03 A comunicação dentro das empresas nos dias de hoje Como garantir uma comunicação

Leia mais

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12

Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Rodrigo Rennó Questões CESPE para o MPU 12 Questões sobre o tópico Desenvolvimento e treinamento de pessoal: levantamento de necessidades, programação, execução e avaliação. Olá Pessoal, hoje veremos outro

Leia mais

Corpo e Fala EMPRESAS

Corpo e Fala EMPRESAS Corpo e Fala EMPRESAS A Corpo e Fala Empresas é o braço de serviços voltado para o desenvolvimento das pessoas dentro das organizações. Embasado nos pilares institucionais do negócio, ele está estruturado

Leia mais

PERFIL DO CORRETOR DE IMÓVEIS:

PERFIL DO CORRETOR DE IMÓVEIS: PERFIL DO CORRETOR DE IMÓVEIS: O QUE É PRECISO PARA SER UM CORRETOR DE SUCESSO gerenciador e site imobiliário Introdução O perfil do corretor de imóveis de sucesso Aprimorando os pontos fracos Conclusão

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA

CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA CÓDIGO DE ÉTICA E CONDUTA Por estar inserida em uma sociedade, a Interact Solutions preza por padrões de conduta ética em suas atividades, quando se relaciona com clientes, fornecedores, canais de distribuição,

Leia mais

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO 1 LÍDERES DO SECULO XXI André Oliveira Angela Brasil (Docente Esp. das Faculdades Integradas de Três Lagoas-AEMS) Flávio Lopes Halex Mercante Kleber Alcantara Thiago Souza RESUMO A liderança é um processo

Leia mais

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva.

Palavra chave: Capital Humano, Gestão de Pessoas, Recursos Humanos, Vantagem Competitiva. COMPREENDENDO A GESTÃO DE PESSOAS Karina Fernandes de Miranda Helenir Celme Fernandes de Miranda RESUMO: Este artigo apresenta as principais diferenças e semelhanças entre gestão de pessoas e recursos

Leia mais

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional.

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Empresa MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Nossa filosofia e oferecer ferramentas de gestão focadas na

Leia mais

Construindo o Conteúdo da Liderança. José Renato S. Santiago Jr.

Construindo o Conteúdo da Liderança. José Renato S. Santiago Jr. Construindo o Conteúdo da Liderança José Renato S. Santiago Jr. Gestão Estratégica de RH Módulo 1: Alinhando Gestão de Pessoas com a Estratégia da Empresa Módulo 2: Compreendendo e Dinamizando a Cultura

Leia mais

Pessoas e Negócios em Evolução

Pessoas e Negócios em Evolução Empresa: Atuamos desde 2001 nos diversos segmentos de Gestão de Pessoas, desenvolvendo serviços diferenciados para empresas privadas, associações e cooperativas. Prestamos serviços em mais de 40 cidades

Leia mais

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Cursos para Melhoria do desempenho & Gestão de RH TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Administração do Tempo Ampliar a compreensão da importância

Leia mais

GUIA DE SOCIAIS EM REDES BOAS PRÁTICAS EM GESTÃO DO ATENDIMENTO E RELACIONAMENTO MELHORES PRÁTICAS. MELHORES RESULTADOS.

GUIA DE SOCIAIS EM REDES BOAS PRÁTICAS EM GESTÃO DO ATENDIMENTO E RELACIONAMENTO MELHORES PRÁTICAS. MELHORES RESULTADOS. GUIA DE BOAS PRÁTICAS EM GESTÃO DO ATENDIMENTO E RELACIONAMENTO EM REDES SOCIAIS MELHORES PRÁTICAS. MELHORES RESULTADOS. APRESENTAÇÃO OBJETIVO A ABA - Associação Brasileira de Anunciantes, por meio de

Leia mais

Avaliação Confidencial

Avaliação Confidencial Avaliação Confidencial AVALIAÇÃO 360 2 ÍNDICE Introdução 3 A Roda da Liderança 4 Indicadores das Maiores e Menores Notas 7 GAPs 8 Pilares da Estratégia 9 Pilares do Comprometimento 11 Pilares do Coaching

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SERGIPE DIRETORIA DE PESSOAS GERÊNCIA DE ALOCAÇÃO E AVALIAÇÃO DE PESSOAL MANUAL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SERGIPE DIRETORIA DE PESSOAS GERÊNCIA DE ALOCAÇÃO E AVALIAÇÃO DE PESSOAL MANUAL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SERGIPE DIRETORIA DE PESSOAS GERÊNCIA DE ALOCAÇÃO E AVALIAÇÃO DE PESSOAL MANUAL DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO 006 2 2 APRESENTAÇÃO Este manual é uma ferramenta de consulta

Leia mais

Evento técnico mensal

Evento técnico mensal Evento técnico mensal GERENCIAMENTO DE CARREIRA PARA O SUCESSO DO GESTOR DE PROJETOS Fernanda Schröder Gonçalves Organização Apoio 1 de xx APRESENTAÇÃO Fernanda Schröder Gonçalves Coordenadora do Ibmec

Leia mais

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas

Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Pesquisa de Clima tornou-se uma ação estratégica de Gestão de Pessoas Boas propostas são essenciais para que uma gestão tenha êxito, mas para que isso ocorra é fundamental que os dirigentes organizacionais

Leia mais

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL INTERNA UM ESTUDO DE CASO RESUMO

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL INTERNA UM ESTUDO DE CASO RESUMO COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL INTERNA UM ESTUDO DE CASO Fábio William da Silva Granado 1 Marluci Silva Botelho 2 William Rodrigues da Silva 3 Prof Ms. Edson Leite Lopes Gimenez 4 RESUMO Realizou-se uma análise

Leia mais

Indicadores de Rendimento do Voluntariado Corporativo

Indicadores de Rendimento do Voluntariado Corporativo Indicadores de Rendimento do Voluntariado Corporativo Avaliação desenvolvida por Mónica Galiano e Kenn Allen, publicado originalmente no livro The Big Tent: Corporate Volunteering in the Global Age. Texto

Leia mais

Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor

Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor Sólidos conteúdos com alegria - essas são algumas características das palestras de Marcelo de Elias. A maioria absoluta das avaliações obtêm excelentes resultados,

Leia mais

AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico

AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico AÇÕES EFETIVAS DE GERENCIAMENTO DO STRESS OCUPACIONAL: Desafio de Conciliar Embasamento Científico e Planejamento Estratégico Sâmia Simurro Novembro/2011 FATOS SOBRE O STRESS Inevitável Nível positivo?

Leia mais

Comunicação Empresarial

Comunicação Empresarial Comunicação Empresarial MBA em Gestão Empresarial MBA em Logística MBA em Recursos Humanos MBA em Gestão de Marketing Prof. Msc Alice Selles 24/11 Aula inicial apresentação e visão geral do módulo. Proposição

Leia mais

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com

LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO. Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LIDERAR PESSOAS A BASE DA CONSTRUÇÃO DE UMA EQUIPE DE SUCESSO Prof. Paulo Henrique Ribeiro paulo@topassessoria.com LI ESTAMOS PASSANDO PELA MAIOR TRANSFORMAÇÃO NA HISTÓRIA DA HUMANIDADE. VALORIZAR PESSOAS

Leia mais

Competências avaliadas pela ICF

Competências avaliadas pela ICF Competências avaliadas pela ICF ð Estabelecendo a Base: 1. Atendendo as Orientações Éticas e aos Padrões Profissionais Compreensão da ética e dos padrões do Coaching e capacidade de aplicá- los adequadamente

Leia mais

PESQUISA-AÇÃO DICIONÁRIO

PESQUISA-AÇÃO DICIONÁRIO PESQUISA-AÇÃO Forma de pesquisa interativa que visa compreender as causas de uma situação e produzir mudanças. O foco está em resolver algum problema encontrado por indivíduos ou por grupos, sejam eles

Leia mais

COMO PROCURAR UM EMPREGO/ESTÁGIO

COMO PROCURAR UM EMPREGO/ESTÁGIO 1 COMO PROCURAR UM EMPREGO/ESTÁGIO 1 INTRODUÇÃO: Empregos sempre existem. Bons empregos são mais raros, portanto mais difíceis de serem encontrados; A primeira coisa a ser feita é encontrar o emprego,

Leia mais

CONTROLE ESTRATÉGICO

CONTROLE ESTRATÉGICO CONTROLE ESTRATÉGICO RESUMO Em organizações controlar significa monitorar, avaliar e melhorar as diversas atividades que ocorrem dentro de uma organização. Controle é fazer com que algo aconteça como foi

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 1. Comercial e Marketing 1.1 Neurovendas Objetivo: Entender

Leia mais

1 Dicas para o profissional que vira chefe dos colegas

1 Dicas para o profissional que vira chefe dos colegas 1 Dicas para o profissional que vira chefe dos colegas http://oglobo.globo.com/economia/emprego/dicas-para-profissional-que-vira-chefe-dos-colegas-13653201 Tudo depende da postura pessoal, mas clareza

Leia mais

Manual de Boa Conduta dos profissionais da área da beleza. Ética, o que é?

Manual de Boa Conduta dos profissionais da área da beleza. Ética, o que é? Manual de Boa Conduta dos profissionais da área da beleza. Ética, o que é? Para crescer profissionalmente não basta conhecer bem sua especialidade, é indispensável ser ético. De acordo com o dicionário

Leia mais

ESTATUTO GERAL DO GRUPO PET PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL MATERIAIS E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI

ESTATUTO GERAL DO GRUPO PET PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL MATERIAIS E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI ESTATUTO GERAL DO GRUPO PET PROGRAMA DE EDUCAÇÃO TUTORIAL MATERIAIS E INOVAÇÃO TECNOLÓGICA UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO JOÃO DEL-REI O Programa de Educação Tutorial (PET) Materiais e Inovação Tecnológica,

Leia mais

Vendas - Cursos. Curso Completo de Treinamento em Vendas com Eduardo Botelho - 15 DVDs

Vendas - Cursos. Curso Completo de Treinamento em Vendas com Eduardo Botelho - 15 DVDs Vendas - Cursos Curso Completo de Treinamento em Vendas com - 15 DVDs O DA VENDA Esta palestra mostra de maneira simples e direta como planejar o seu trabalho e, também, os seus objetivos pessoais. Através

Leia mais

MERITOCRACIA E COMPETÊNCIAS Avaliando Desempenho e Construindo Resultados Sustentáveis na Administração Pública

MERITOCRACIA E COMPETÊNCIAS Avaliando Desempenho e Construindo Resultados Sustentáveis na Administração Pública MERITOCRACIA E COMPETÊNCIAS Avaliando Desempenho e Construindo Resultados Sustentáveis na Administração Pública ROGERIO LEME rogerio@lemeconsultoria.com.br Rogerio Leme Diretor de Estudos de Desenvolvimento

Leia mais

GESTÃO DE PESSOAS E PRODUTIVIDADE

GESTÃO DE PESSOAS E PRODUTIVIDADE GESTÃO DE PESSOAS E PRODUTIVIDADE 2 Download da Apresentação www.gptw.com.br publicações e eventos palestras Great Place to Work - Missão 3 Construindo um Excelente Ambiente de Trabalho 4 1 2 3 4 O que

Leia mais

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO

CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO CURSOS DE PÓS - GRADUAÇÃO ESPECIALIZAÇÃO EM ECOTURISMO Objetivo: O Curso tem por objetivo capacitar profissionais, tendo em vista a carência de pessoas qualificadas na área do ecoturismo, para atender,

Leia mais

Desenvolvimento Humano

Desenvolvimento Humano ASSESSORIA EM GESTÃO DE RECURSOS HUMANOS Desenvolvimento Humano ADVISORY Os desafios transformam-se em fatores motivacionais quando os profissionais se sentem bem preparados para enfrentá-los. E uma equipe

Leia mais

PROFISSIONAL DE FARMÁCIA: IMAGEM E CAPACIDADE SÃO ESSENCIAIS

PROFISSIONAL DE FARMÁCIA: IMAGEM E CAPACIDADE SÃO ESSENCIAIS PROFISSIONAL DE FARMÁCIA: IMAGEM E CAPACIDADE SÃO ESSENCIAIS Na área da saúde, algumas habilidades, como o conhecimento técnico e a facilidade de comunicação influem decisivamente na impressão conquistada

Leia mais

khala@khalanet.com AVS Training tem por objetivo a excelência em processos de treinamento e desenvolvimento corporativos.

khala@khalanet.com AVS Training tem por objetivo a excelência em processos de treinamento e desenvolvimento corporativos. Apresentação AVS Training Telefone: 11 3637 3139 Web site: Emails: http:// avst@khalanet.com khala@khalanet.com CNPJ: 12.808.691/0001-33 AVS Training tem por objetivo a excelência em processos de treinamento

Leia mais

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS

POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS EMPRESAS ELETROBRAS POLÍTICA DE COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO COM PÚBLICOS DE INTERESSE DAS Versão 2.0 09/02/2015 Sumário 1 Objetivo... 3 1.1 Objetivos Específicos... 3 2 Conceitos... 4 3 Princípios... 5 4 Diretrizes... 5 4.1

Leia mais

Prof. Ana Cláudia Fleck Coordenadora da Academia de Professores da ESPM-Sul

Prof. Ana Cláudia Fleck Coordenadora da Academia de Professores da ESPM-Sul PROGRAMA GUIA ESPM-Sul Programa de Acompanhamento Discente e Excelência Profissional Prof. Ana Cláudia Fleck Coordenadora da Academia de Professores da ESPM-Sul Pensamento ESPM. São Paulo, 25/04/2014.

Leia mais

Ano: 2012 MATRIZ DE COMPETÊNCIAS COMPORTAMENTAIS. Realiza Consultoria Empresarial Ltda. www.consultoriarealiza.com.br www.flaviopimentel.com.

Ano: 2012 MATRIZ DE COMPETÊNCIAS COMPORTAMENTAIS. Realiza Consultoria Empresarial Ltda. www.consultoriarealiza.com.br www.flaviopimentel.com. Ano: 2012 MATRIZ DE COMPETÊNCIAS COMPORTAMENTAIS Realiza Consultoria Empresarial Ltda. www.consultoriarealiza.com.br www.flaviopimentel.com.br MATRIZ DE COMPETÊNCIAS COMPORTAMENTAIS Alinhadas às Diretrizes

Leia mais

Código de Ética e Conduta

Código de Ética e Conduta Código de Ética e Conduta Introdução A Eucatex, através deste Código de Ética e Conduta, coloca à disposição de seus colaboradores, fornecedores e comunidade, um guia de orientação para tomada de decisões

Leia mais

Avaliação de Desempenho

Avaliação de Desempenho Avaliação de Desempenho Avaliar Oportuniza rever, aperfeiçoar, refazer, buscar resultados e eficácia. Beneficia funcionários e organização. Aplicações Motivação Comprometimento Performance Comunicação

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA G UPO

CÓDIGO DE ÉTICA G UPO CÓDIGO DE ÉTICA G UPO 1 Sumário APRESENTAÇÃO... 2 1. APLICABILIDADE... 3 ESCLARECIMENTOS... 3 O COMITÊ DE ÉTICA... 3 ATRIBUIÇÕES DO COMITÊ... 3,4 2. ASSUNTOS INTERNOS... 4 OUVIDORIA... 4 PRECONCEITO...

Leia mais

O início. Como realizar uma avaliação com sucesso. ...passo a passo. Todo bom desempenho começa com objetivos claros Ken Blanchard

O início. Como realizar uma avaliação com sucesso. ...passo a passo. Todo bom desempenho começa com objetivos claros Ken Blanchard Fábio Vieira fabio@menvie.com.br http://br.linkedin.com/in/fabiovieiramenvie Como realizar uma avaliação com sucesso....passo a passo. Todo bom desempenho começa com objetivos claros Ken Blanchard O início

Leia mais

1 SEPAGE Seminário i Paulista de Gestão em Enfermagem. Liderança Coaching e Desenvolvimento de Pessoas

1 SEPAGE Seminário i Paulista de Gestão em Enfermagem. Liderança Coaching e Desenvolvimento de Pessoas 1 SEPAGE Seminário i Paulista de Gestão em Enfermagem Liderança Coaching e Desenvolvimento de Pessoas Maria Lúcia Alves Pereira Cardoso GEPAG UNIFESP abril / 2009 CONTEXTO Características do Trabalho no

Leia mais

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2

Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Visão Geral sobre Gestão de Projetos e Iniciação de Projetos Aula 2 Miriam Regina Xavier de Barros, PMP mxbarros@uol.com.br Agenda Bibliografia e Avaliação 1. Visão Geral sobre o PMI e o PMBOK 2. Introdução

Leia mais

Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report

Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report Avaliação de: Sr. José Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: 11/06/2014 Perfil Caliper Gerencial e Vendas

Leia mais

O guia do profissional de Recursos Humanos. Como melhorar o desenvolvimento da equipe

O guia do profissional de Recursos Humanos. Como melhorar o desenvolvimento da equipe O guia do profissional de Recursos Humanos Como melhorar o desenvolvimento da equipe 1 Introdução 03 Conhecendo as dores do seu time 05 Investir nos colaboradores! 08 Estabelecendo metas 11 A meditação

Leia mais

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES

Elétrica montagem e manutenção ltda. AVALIAÇÃO DE COLABORADORES AVALIAÇÃO DE COLABORADORES RESUMO A preocupação com o desempenho dos colaboradores é um dos fatores que faz parte do dia-a-dia da nossa empresas. A avaliação de desempenho está se tornando parte atuante

Leia mais

PAP (Perfil de Avanço Profissional)

PAP (Perfil de Avanço Profissional) PAP (Perfil de Avanço Profissional) Relatório para: Suzanne Example Data concluida: 14 de junho de 2012 14:03:23 2012 PsychTests AIM Inc. Índice analítico Índice analítico 1/10 Índice analítico Índice

Leia mais

MBA em Gestão de Pessoas

MBA em Gestão de Pessoas REFERÊNCIA EM EDUCAÇÃO EXECUTIVA MBA em Gestão de Pessoas Coordenação Acadêmica: Profª. Dra. Ana Ligia Nunes Finamor A Escola de Negócios de Alagoas. A FAN Faculdade de Administração e Negócios foi fundada

Leia mais

Sem Mais Desculpas Treinamentos E porque? O que é vender no mundo de hoje O que você verá neste curso:

Sem Mais Desculpas Treinamentos E porque? O que é vender no mundo de hoje O que você verá neste curso: A Sem Mais Desculpas Treinamentos defende um conceito chamado Comportamento Comercial. Acreditamos que todas as pessoas, em todas as funções, necessitam ter uma visão e uma atitude comercial daquilo que

Leia mais

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS

ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ARTIGOS AÇÕES MOTIVACIONAIS ÍNDICE em ordem alfabética: Artigo 1 - ENDOMARKETING: UMA FERRAMENTA ESTRATÉGICA PARA DESENVOLVER O COMPROMETIMENTO... pág. 2 Artigo 2 - MOTIVANDO-SE... pág. 4 Artigo 3 - RECURSOS

Leia mais

Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report

Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report Avaliação de: Sr. João Vendedor Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Copyright 2012 Caliper & Tekoare. Todos os direitos

Leia mais

High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil

High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil High Potentials, Talentos e Sucessão no Brasil P e s q u i s a d a F u n d a ç ã o G e t u l i o V a r g a s I n s t i t u t o d e D e s e n v o l v i m e n t o E d u c a c i o n a l Conteúdo 1. Propósito

Leia mais

Relatório de Competências

Relatório de Competências ANÁLISE CALIPER DO POTENCIAL DE DESEMPENHO PROFISSIONAL Relatório de Competências LOGO CLIENTE CALIPER Avaliação de: Sr. Márcio Modelo Preparada por: Consultora Especializada Caliper e-mail: nome@caliper.com.br

Leia mais

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR

OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR OS PRINCÍPIOS DA ESSILOR Cada um de nós, na vida profissional, divide com a Essilor a sua responsabilidade e a sua reputação. Portanto, devemos conhecer e respeitar os princípios que se aplicam a todos.

Leia mais