Guia para avaliação do funcionário

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Guia para avaliação do funcionário"

Transcrição

1 Informação do colaborador Guia para avaliação do funcionário Nome: preencher com nome e sobrenome do funcionário Matrícula: número de registro que consta do ato da admissão e no crachá de identificação do funcionário Data de Admissão: data em que o funcionário foi admitido oficialmente Chefe: Nome do superior imediato do funcionário Período de avaliação: De: data em que o funcionário foi admitido ou da sua última avaliação. Até: data em que está sendo avaliado. Centro de custo: número do setor no qual o funcionário está alocado Informações do cargo: Cargo: a posição que uma pessoa ocupa dentro da estrutura organizacional. Tempo/função: tempo em que o funcionário exerce as tarefas e responsabilidades que correspondem a este cargo. Tipo de avaliação: a empresa exige uma avaliação anual, porém a chefia poderá optar em fazê-la mais frequentemente: mensal, bimestral. Tempo na cia: tempo total em que o funcionário trabalha na empresa, independente de ter mudado de cargo. Informações do avaliador: Nome: Nome do avaliador Cargo: que o avaliador ocupa Data da entrevista: data do dia em que está sendo realizada Hora da entrevista: hora do início 1

2 Departamento: seção onde o funcionário está alocado. Avaliações: Instrução: A avaliação deve ser conduzida pelo avaliador, no entanto, quem atribui a nota na escala abaixo, é o próprio avaliado, numa auto-avaliação e reflexão.o avaliador concorda ou não, e decide a classificação final na escala 1 Falta competência.falta-lhe a faculdade, aptidão para lidar, resolver ou administrar as tarefas; falta-lhe conhecimento prático e habilidade de realizar as funções, ou seja, não possui a competência. 2 Deficiente Falho, insuficiente, incompleto. 3 Falta prática O funcionário tem a competência, mas o grau da habilidade não é suficiente; a prática é adquirida por prolongado exercício desta. 4 Eficiente: Que produz o efeito desejado; refere-se a como fazer o que tem para ser feito, a como as tarefas são feitas, relacionadas à qualidade.o colaborador deve administrar bem os recursos para conseguir os objetivos ( redução de custos,orçamento; despesas) 5 Excelente (eficaz + efetivo): segue uma diretriz de conceitos: Eficaz - refere-se a fazer o que deve ser feito; conseguir o objetivo: vendas (para o comercial, orçamento) ou tarefas ( para os da área administrativa). Efetivo- eficaz e eficiente; conseguir obter lucro. N/A O quesito não se aplica à função exercida pelo colaborador, há alguns itens que são específicos para a área comercial (representantes), financeira, marketing, licitações (vide tópico de formação acadêmica) ou o colaborador ainda não tem tempo suficiente na função para ser avaliado. Experiência Profissional Experiência relevante ao cargo Refere-se ao conhecimento e habilidade adquiridos pela prática da função. Qualidade do trabalho Refere-se ao grau de perfeição, de precisão, de refinamento realizado nas tarefas. Metas profissionais condizentes com o cargo: 2

3 Referem-se aos objetivos profissionais do funcionário, tais como: estudos e atualizações, objetivando seu crescimento, e que tenha sonhos coerentes ao cargo que exerce. Conhecimento dos produtos: Refere-se ao conhecimento ( científico, técnico e de marketing) que o colaborador tem dos produtos; estes podem ser os medicamentos (objeto fim da empresa, para os da área comercial) e/ou à própria atividade pela qual ele é responsável, pois é o que é produzido por ele, é a sua finalidade. Conhecimento dos clientes Refere-se à informação que ele tem a respeito dos clientes externos (para os da área comercial, em especial,são os que compram nossos produtos) e dos internos (são todos os outros funcionários; os pares, subordinados e chefia). Conhecimento do mercado Refere-se à informação que ele tem a respeito do mercado, mais especificamente do nosso negócio, especialmente das estratégias dos concorrentes diretos. Dissemina conhecimento Entende-se, por conhecimento, a informação interpretada, ou seja, o que cada informação significa e que impactos no meio cada informação pode causar, de modo que a informação possa ser utilizada para importantes ações e tomadas de decisões. Devemos observar, se o avaliado compartilha o conhecimento que tem, ajudando aos seus colegas e se o faz corretamente. O conhecimento, numa organização, não pode ir embora com um funcionário desligado da empresa; devemos gerir o conhecimento para que ele seja um patrimônio que fique, e que seja, ao máximo passado de um para o outro. Conhece missão, visão e norte cultural da empresa Avaliar se o funcionário conhece estes quesitos que são importantes para uma empresa em que todos tenham os mesmos objetivos e filosofia. Missão: É a finalidade da existência de uma organização. È aquilo que dá direção e significado a essa existência. A missão da organização está ligada diretamente aos seus objetivos institucionais, aos motivos pelos quais foi criada, à medida que representa a sua razão se ser. Nossa missão: Utilizar toda a tecnologia e conhecimento em prol da conquista do bem estar do Ser Humano, buscando o respeito e a liderança do mercado, de maneira ética e socialmente comprometida. Visão: É o sonho da organização. É aquilo que se espera ser num determinado tempo e espaço. A visão é um plano, uma idéia mental que descreve o que a organização quer realizar objetivamente nos próximos anos de sua existência. Normalmente é um prazo longo (pelo menos, cinco anos). Jamais confundir Missão e Visão: a Missão é algo perene, sustentável enquanto a Visão é mutável por 3

4 natureza, algo concreto a ser alcançado. A Visão deve ser inspiradora, clara e concisa, de modo que todos a sintam. Nossa visão: Estar nos próximos 5 anos dentro das 30 empresas do mercado farmacêutico. Norte Cultural: Representa os princípios éticos que norteiam todas as suas ações.compõe-se de regras morais que simbolizam os atos de seus fundadores, administradores e colaboradores em geral. Nosso norte cultural: Respeito, comunicação, lealdade e honestidade. Aparência Refere-se ao cuidado com a imagem física; com a formalidade que o ambiente requer; cuidados com a higiene pessoal e apresentação. Comprometido Refere-se à adesão do colaborador; se está envolvido com a responsabilidade do trabalho; se está engajado na filosofia da empresa, mostrando-se consciente de ser parte integrante e necessário para o sucesso desta, cedendo seu tempo nos momentos de crise. Cumprir prazos Refere-se à responsabilidade em cumprir datas estipuladas internamente e/ou externamente. Trabalha com planejamento documentado Refere-se à organização do trabalho, se o funcionário sabe planejar suas tarefas e projetos e documentá-las. Comunicativo Observar se o colaborador tem comunicação clara e objetiva, fazendo com que o interlocutor o entenda perfeitamente, lembrando que o respeito e cordialidade devem estar presentes neste processo. O sucesso na comunicação não depende só da forma como a mensagem é transmitida, a compreensão dela é fator fundamental, vivemos em sociedade de cultura diversificada, e o que às vezes parece obvio, para seu interlocutor não é. Não se deve presumir que para o outro algo seja obvio. A comunicação, depois de transmitida de forma correta ao interlocutor, deve ter um acompanhamento para ele saber se está agindo de forma correta, ou se precisa corrigir ou melhorar, esse processo chamamos de feedback. Motivação, entusiasmo, otimismo Motivação é um processo mental positivo que estimula a iniciativa e determina o nível de entusiamo e esforço que a pessoa aplica no desenvolvimento de suas atividades. O processo motivacional é responsável pela intensidade, direção e 4

5 persistência desses esforços.o nível de motivação é influenciado por diversos fatores como a personalidade da pessoa, suas percepções do meio ambiente, interações humanas e emoções. Entusiasmo excitação da alma e interesse por algo; dedicação e alegria. Otimismo disposição natural ou adquirida para ver as coisas pelo lado bom e esperar sempre por uma solução favorável mesmo nas situações mais difícies. Trabalha em equipe / relação interpessoal Trabalhar em equipe é saber lidar com opiniões divergentes das suas; aproveitar o que o outro membro da equipe tem a ensinar e acrescentar, respeitando-o e discutindo, quando necessário, para se chegar a um consenso de forma cordial e profissional.é saber relacionar-se bem com as pessoas, de maneira saudável. Controle de processos Refere-se ao acompanhamento de algo que ainda está em execução.o colaborador deve averiguar se é o que dizem que é e fiscalizar para encontrar a verdade. Pró-ativo/ dinâmico/ágil/ hábil Resumidamente, deve-se avaliar se o colaborador está nestes quesitos: Pró-atividade está relacionada às seguintes atitudes: Está buscando continuamente novas oportunidades. Marca objetivos efetivos orientados às mudanças. Antecipa e prevê problemas. Desenvolve atividades diferentes ou atua de forma diferente. Empreende a ação e se aventura apesar da incerteza. É perseverante e esforçado. Consegue resultados perceptíveis, já que está orientado a resultados Empático / carismático É ter uma resposta afetiva apropriada à situação de outra pessoa, e não à própria situação; capacidade de se colocar no lugar dos outros. Carismático que tem um dom especial; capacidade de influenciar os outros; capacidade de inspirar entusiasmo e adesão; magnetismo;qualidade marcante conjunto de qualidades como simpatia que o torna agradável às outras pessoas; que atrai e conquista o outro com suas peculiaridades. Organizado Deve-se adequar às atividades. Se for da área comercial: sua pasta, sua agenda, suas notas de reembolso, sua agenda e planejamento de visitas.se for interno, com sua sala, sua mesa, seu armário e principalmente, em ambos os casos, com sua rotina e prioridades. 5

6 Vendedor Consultivo Específico para a área de vendas: O vendedor consultivo é o que realmente consegue criar um diálogo com o cliente. Utiliza perguntas para obter informações e dedica-se realmente a ouvir. E é através deste processo de perguntar e ouvir que apresenta as soluções para seus clientes. O Vendedor Consultivo não só realiza vendas, mas principalmente cria relacionamento de longo prazo.o bom profissional de vendas é aquele que constrói um relacionamento de confiança com seus clientes, conseguindo dessa maneira realizar mais vendas sem grande esforço de argumentação. Pontualidade A imagem do colaborador está refletida na sua pontualidade. Independente de problemas pessoais, todos devem ter compromisso com o horário diário. Segue hierarquia, disciplina e obediência O conceito de hierarquia é amplamente aplicado à gestão das organizações para designar a cadeia de comando que se inicia nos gestores de topo e segue até aos trabalhadores não gestores, passando sucessivamente por todos os níveis da estrutura organizacional. É, portanto, através da hierarquia que se estabelecem as relações de autoridade formal entre superiores e subordinados e que é definida a estrutura organizacional em qualquer organização. Disciplina Neste caso, disciplinando é o colaborador que não se desvia da conduta padrão da empresa. Obediência É o que cumpre as regras, filosofia e principalmente segue os mandos da sua chefia. Detalhista Aquele que desempenha seu trabalho, com detalhes, minúcias, pormenores, dandolhes a atenção devida para que o todo seja bem executado. Liderança Avaliar o nível de habilidade que o colaborador possui para liderança. Liderança é uma vocação de serviço, não, de mando. Líder é o portador da autoridade legitimada, ou seja, aquele em quem se reconheçam motivos para ser ouvido, acatado e seguido. Liderança é a arte de mobilizar os outros a batalhar por aspirações compartilhadas. Liderança é a arte de obter resultados desejados, acordados e esperados através de empregados engajados. As funções de liderança incluem, todas as atividades de influenciação de pessoas, ou seja, que geram a motivação necessária para pôr em prática o propósito definido pela estratégia e estruturado nas funções executivas. 6

7 Focado nos resultados É cumprir objetivos e cotas (área comercial) como conseqüência, neste caso, gerar lucros. O foco deve ser adequado à função, e deve ser avaliado se o colaborador está objetivando o seu resultado isolado, pois este contribui para o resultado final da empresa. Focado no cliente A chefia deve exigir o conhecimento das prioridades de cada cargo.observar se o colaborador está concentrado no seu objetivo que são os clientes externos, principalmente os da área comercial, como forma de atraí-los e retê-los. E os que não lidam diretamente com os externos, verificar se estão lidando bem com os clientes internos (outros colaboradores). Sabe traçar prioridades Avaliar se o colaborador organiza e executa suas tarefas ordenadas em caráter de urgência, preferência, primazia. Criativo Observar se o colaborador desempenha sua rotina, criando soluções para as dificuldades que apareçam; criando novos métodos, modelos e recursos (técnicos e/ou informatizados) para facilitar e aprimorar seu trabalho. Sabe ouvir Avaliar a capacidade de doação do colaborador ao ouvir : Muitos ouvem o que querem ouvir, não o que o outro está tentando dizer. Muitos levantam seus filtros internos e sua vivência e interpretam o dizer dos outros, ainda enquanto a pessoa tenta se expressar à sua frente. Saber ouvir, é em primeiro lugar estar disponível ao outro. Observar se o colaborador faz contato visual, se seu corpo e mente estão voltados para quem fala. Para ouvirmos, devemos exercitar a empatia, procurar entender o que o outro fala, e também como ele sente. Não devemos interpretar, julgar, e não devemos colocar nossos filtros internos em ação, nem nossa experiência e nem tampouco nosso conhecimento prévio. No universo organizacional, devemos ouvir os clientes e, principalmente, a chefia, pois o que eles demandam, descobrimos no ato de ouvir. Objetivo Focado, direto; que expõe, investiga ou faz critica às coisas; que tem capacidade de síntese. Analítico Que se pauta na análise. Observar se o colaborador analisa as situações, a sua rotina, as suas tarefas, ou as faz sem pensar, mecanicamente. Habilidade para solução de problemas 7

8 Avaliar a capacidade de autonomia do colaborador na solução de problemas que são da sua competência; observar se age assim, ou se repassa a solução para algum colega ou gestor, o que não é o desejado. Na função Entende as metas da empresa Meta é um objetivo relacionada a tempo e valor.observar se o colaborador está consciente dos propósitos da empresa e se, principalmente, contribui para o alcance deles. Faz perguntas relevantes Uma forma de aprender é o interesse que o colaborador tem pelas questões das suas tarefas ( do seu cargo) e pelas da empresa.observar se o colaborador levanta questionamentos pertinentes, interessantes ao seu crescimento e ao da empresa. Entende as exigências do cargo Observar se o colaborador está plenamente consciente do que a empresa espera do seu desempenho neste cargo, com suas atribuições, responsabilidades, peculiaridades e se atende a estas exigências. Entende as tendências do setor Observar se o colaborador presta atenção no setor de uma forma global.se está atualizado e familiarizado com o setor, e se entende quando este tende a mudanças. Tem conhecimento dos concorrentes no setor O colaborador deve perceber se há colegas no setor que são concorrentes, que se destacam, para estarem conscientes destas diferenças e devem estar atentos às propagandas, materiais promocionais, promoções e lançamentos. Informação da concorrência (traz e usa) O colaborador deve estar atento aos produtos concorrentes (principalmente às literaturas e estudos clínicos), às atualizações das empresas concorrentes para que possa contribuir com o crescimento e atualização da nossa organização. Formação Acadêmica Campo de estudo relevante ao seu cargo Observar se o colaborador tem formação acadêmica condizente ou que contribua com o seu cargo. Micro informática (pacote OppenOffice e Office) Avaliar o grau de conhecimento e domínio destas ferramentas, levando em consideração a importânica delas no desempenho das funções ( excell, word, power point). Conhecimento e utilização de ferramentas (IMS/Microsiga) Avaliar o grau de conhecimento e domínio destas ferramentas, incluindo close up, nos colaboradores que exerçam funções que necessitem delas. 8

9 Inglês Avaliar o nível de conhecimento, englobando escrita e oralidade, enfatizando às funções que necessitem dele no desempenho de suas atividades (observar os colaboradores que têm aulas na empresa). Espanhol Avaliar o nível de conhecimento, englobando escrita e oralidade, enfatizando às funções que necessitem dele no desempenho de suas atividades.o espanhol, porém, deve ser mais cuidadosamente avaliado, pois há disponibilidade para todos os colaboradores que queiram e disponham de horário para assistir aulas custeadas pela organização, avaliando, desta forma, também o interesse dele. Gerenciamento de tempo Observar se o colaborador conclui suas tarefas, sem ter que frequentemente passar do horário, e se as faz no prazo determinado e se trabalha com prioridades. Interesse em aprendizagem contínua Observar se o colaborador se interessa por cursos, livros, palestras, estudos em geral, pois, para acompanhar o crescimento da empresa, ele não pode deixar de estar atualizado, especializado e, ao mesmo tempo globalizado, atendendo às mudanças internas e externas. Matemática Financeira Avaliar o conhecimento do colaborador que desempenha funções que necessitam especificamente deste conhecimento. Oratória Avaliar o nível de habilidade que o funcionário tem de se expressar para um grupo de pessoas de maneira correta (técnica, gesticulação, postura). Técnica de Vendas Específico para área comercial. Avaliar o nível de conhecimentoe utilização desta técnica, englobando a chave do eu, alinhamento e elevação ; abertura e fechamento de uma propaganda. Lei de Licitações ( ) Específico para a área de vendas. Observar o conhecimento desta lei no (s) colaborador(es) que a utilizam. Habilidades para o trabalho (Específico para a área comercial) Utiliza roteiro hospitalar Observar se o colaborador o utiliza corretamente (vide anexo). 9

10 Realiza ações junto aos clientes (Reuniões científicas, palestras, treinamentos) Observar a qualidade, a frequência destas ações e como são desenvolvidas. Trabalha a sua relação interpessoal como vantagem competitiva Observar se o colaborador sabe utilizar, resumidamente, a simpatia, a cortesia, o autoconhecimento, a empatia, o saber ouvir a seu favor. Entende-se por relações interpessoais o conjunto de procedimentos que, facilitando a comunicação e a linguagem, estabelece laços sólidos nas relações humanas. É uma linha de ação que visa, sobre bases emocionais e psicopedagógicas, criar um clima favorável à empresa e garantir a integração de todo pessoal.cada pessoa é, e sempre será, um verdadeiro universo de individualidade; suas ações, seus motivos, seus sentimentos constituem paradigma único. Habilidades de comunicação Observar se o colaborador é comunicativo (vide item comunicativo em Experiência Profissional ), mas direcionado ao foco, às técnicas de vendas.não basta somente ter facilidade para falar, mas deve se comunicar para os fins profissionais. Faz o planejamento de visitas semanal Observar se o colaborador prepara as visitas, organiza e agenda; procedimento feito pelo sistema. Fichas de visitas médicas atualizadas Observar se o colaborador atualiza as fichas médicas no cadastro da Web. Painel com cobertura mínima de 90% Observar se o colaborador está cumprindo as visitas médicas propostas para o ciclo, de no mínimo 90%. Ele deve fazer planejado por dia e não, deixar para o final deste. Coordenação de equipes Observar se o colaborador exerce a liderança para organização da equipe, gerenciando conflitos, levantando as necessidades, apoiando e contribuindo para o crescimento desta. Treinamento de equipes Observar se o colaborador desenvolve e treina seus subordinados, buscando a padronização de conceitos, forma de agir, filosofia; o conhecimento de técnicas de venda, de comunicação e de abordagem de clientes. Acompanhamento de NF Entrega e pagamento Observar se o colaborador acompanha a chegada do pedido, o seguimento e pagamento da nota fiscal. 10

11 Controle de despesas Observar se o colaborador lida bem com os custos, primando por redução destes nas suas despesas e nas da sua equipe, se faz uso correto do fundo fixo. Adequado uso do orçamento Observar se o colaborador respeita o orçamento, evitando ultrapassar os valores estipulados pelo gestor, percentuais e parâmetros. Participação e contribuição em reuniões Observar se o colaborador é ativo nas reuniões, se expressa suas opiniões e soma com idéias a respeito do que está em pauta. Participação em novos projetos, desenvolvimento da empresa Observar se o colaborador se compromete com o futuro da empresa, se está engajado nos projetos, se os cria e quantos, contribuindo e crescendo com a organização. Auto treinamento Ponderar se o colaborador busca crescimento, aprimoramento, estudos profissionais, treinando-se, disciplinando-se, especializando-se na sua área. Habilidades Técnicas (específico para a área comercial) Abecet, Trifamox, Tiorfan, Keflex, demais produtos da linha e os seus concorrentes. Observar se o colaborador conhece as especificidades, características destes produtos e de seus concorrentes. Como é seu líder OBS: Neste tópico, o colaborador avaliará sua chefia, de forma qualitativa, ou seja, descrevendo sua observação referente aos quesitos, oferecendo-lhe o feedback da sua atuação como líder. Conduz efetivamente os projetos O colaborador deve expressar sua opinião sobre como seu gestor passa seus projetos (entende-se por trabalhos, solicitações em geral) aos mesmos, ou seja, se ele o faz de maneira clara, objetiva, explicativa; se estabelece prazos e se o faz de forma contundente, porém com cortesia. Gerencia conflitos O colaborador deve avaliar se seu líder sabe lidar com conflitos em sua equipe, com choque de opiniões, personalidades e estilos. O desafio é saber valorizar a diferença e tornar os inevitáveis conflitos um bom motivo para crescer e superar as adversidades. O líder deve agir de forma justa, sabendo ouvir a todos envolvidos, sendo imparcial e resolvendo o problema entre as partes de maneira ética e profissional. 11

12 Estimula a formação de equipes Grupo é um conjunto de pessoas com objetivos comuns, em geral se reúnem por afinidades. No entanto, este grupo não é uma equipe.equipe é um conjunto de pessoas com objetivos comuns, atuando no cumprimento de metas específicas. Observar se o líder cumpre com os quesitos a seguir: Respeita os princípios da equipe, a interação entre seus membros e especialmente o reconhecimento da interdependência entre seus membros no atingimento dos resultados da equipe. Favorece os resultados das outras equipes e da organização como um todo. Define claramente a missão, os valores da empresa, as metas e objetivos da equipe. Se comunica de forma clara para alcançar esse objetivo. Respeita a individualidade e estimula a diversidade da equipe. Estabelece os papéis. Os integrantes da equipe devem saber qual a função ou papel a desempenhar. Treina as pessoas; é papel do líder identificar se existe ou não a necessidade de treinamento. Motiva e reconhece os talentos. Com o tempo, é natural que a equipe perca o entusiasmo do começo. É preciso evitar que uns poucos trabalhem e todos os outros fiquem olhando. Sabe o que cada membro está fazendo de valor e reconhece a performance de cada integrante. Não permite, que alguém solte a máxima: Eu já fiz a minha parte. Avalia e monitora. O monitoramento do trabalho e dos resultados é fundamental para que cada integrante saiba como está o seu desempenho, em que e como pode melhorar. Define expectativas e metas claras O gestor deve definir o que deseja claramente, sem deixar dúvidas ou achar que o colaborador entendeu.deve explicitar as metas e o que ele espera do colaborador e estar certo de que o mesmo entendeu corretamente. Concentra-se no cliente O gestor também deve estar focado nos clientes externos e internos. Gera idéias O líder deve ser criativo; deve gerar soluções e idéias inovadoras para solucionar problemas, para criar novos procedimentos, políticas e métodos, para benefício de um membro, da equipe e da empresa como um todo. Envolve-se nos projetos O gestor deve se envolver nos projetos delegados à sua equipe, monitorando e ajudando na realização destes. 12

13 Sabe ouvir O gestor deve saber ouvir (vide tópico na página 7). Acessível Avaliar se o líder permite que os subordinados se reportem a ele; se ele está aberto a escutá-lo e a recebê-lo quando possível. Ético Conjunto de princípios morais que se devem observar no exercício de uma profissão. Ética diz respeito a uma realidade humana que é construída histórica e socialmente a partir das relações coletivas dos seres humanos nas sociedades onde nascem e vivem. Avaliar se o gestor age com ética nas suas rotinas e decisões. Vendas-objetivo de vendas( específico para a área comercial) Números apurados pelo Ranking da F.V. (enviado por .) Cota O que foi proposto ao colaborador; o seu ideal de vendas (deve-se completar com os de valores (coluna A) e as unidades (coluna D). Demanda O que foi realmente cumprido do que lhe foi posto como objetivo (deve-se completar com os de valores ( coluna B) e as unidades (coluna E). % - Porcentagem É o percentual entre a cota dada pela empresa e o realizado pelo representante. (Deve-se completar com os números de valores (coluna C), unidades (coluna F) market share (coluna G) e visitação( coluna H.) Total É a soma dos pontos definidos a cada item, conforme tabela abaixo (completar com o número da coluna I). Preencher com ponto; não, vírgula. Ex: Valores 40 pontos Unidades 30 pontos Market share 10 pontos Visitação 20 pontos Este número equivale a 70% da avaliação para o conceito final e o restante da pontuação equivale a 30%. Essa ponderação, feita de forma automática, gerará um conceito final, como segue. Os Conceitos são: A maior ou igual a 95% B entre 85% e 94% C entre 70% e 84% D menor ou igual a 69% 13

14 Comentários-Chefia direta A chefia deve comentar sobre o funcionário: Pontos fortes do colaborador O gestor deve relacionar neste campo, as qualidades que se destacam do colaborador. Pontos a desenvolver O gestor deve relacionar neste campo, as dificuldades e deficiências do colaborador. Comentários O gestor pode comentar livremente sobre o colaborador. Comentários-colaborador O próprio avaliado deve comentar sobre si. Pontos fortes do colaborador O avaliado deve relacionar neste campo, as suas qualidades, habilidades, capacidades. Pontos a desenvolver O avaliado deve relacionar neste campo, as suas dificuldades e deficiências. Comentários O avaliado pode se auto-avaliar livremente. Negociação de Objetivos Ações O avaliador deve relacionar neste campo, o que o colaborador deverá realizar; estas ações podem ser propostas pelo próprio funcionário (já que ele conhece a sua rotina e sabe o que precisa ser feito como melhoria, ou algum projeto) e/ou pela chefia. Objetivos, plano de ação, recursos e datas Objetivos:deve(m) ser descrito(s) o (s) objetivo(s) da ação; onde se quer chegar com ela. Plano de Ação:deve ser descrito como deve ser feita a ação. Recursos: devem ser expostos os recursos fianceiros ou de materiais ou algo que seja preciso para se realizar a ação. 14

15 Datas:devem ser estipulados prazos e/ou periodicidade das ações. Para os colaboradores do Administrativo Negociação de Objetivos ano anterior Aos objetivos propostos no ano anterior deve ser atribuído um número percentual (ex.: se o realizou todo, 100%; se foi em torno da metade, 50%,etc.). Obs: Quem nao teve avaliação no ano anterior, o gestor deve pensar no que foi realizado no primeiro ano e colocar em forma de objetivos. A Avaliação experimental ( de 3 meses) deve ser levada em consideração. Depois, o avaliador deve calcular uma média da realização dos objetivos e preencher no total. Este número equivale a 70% da avaliação para o conceito final e o restante da pontuação equivale a 30%. Essa ponderação, feita de forma automática, gerará um conceito final, como segue. Os Conceitos são: A maior ou igual a 95% B entre 85% e 94% C entre 70% e 84% D menor ou igual a 69% Danielle Teixeira Gestão de Talentos Laboratórios Bagó do Brasil S.A. 15

Fatores e Indicadores de Desempenho ADP

Fatores e Indicadores de Desempenho ADP Fatores e Indicadores de Desempenho ADP RESPONSABILIDADE / COMPROMETIMENTO COM A INSTITUIÇÃO - Assumir o compromisso na realização das atribuições - Atuar com disposição para mudanças - Buscar qualidade

Leia mais

Fulano de Tal. Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 FINXS 09.12.2014

Fulano de Tal. Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 FINXS 09.12.2014 Relatório Combinado Extended DISC : Análise Comportamental x Feedback 360 Este relatório baseia-se nas respostas apresentadas no Inventário de Análise Pessoal comportamentos observados através questionário

Leia mais

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex...

Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... Atendimento pós-venda: gestão estratégica da ex... (/artigos /carreira/comopermanecercalmosob-pressao /89522/) Carreira Como permanecer calmo sob pressão (/artigos/carreira/como-permanecer-calmosob-pressao/89522/)

Leia mais

Quais são os objetivos dessa Política?

Quais são os objetivos dessa Política? A Conab possui uma Política de Gestão de Desempenho que define procedimentos e regulamenta a prática de avaliação de desempenho dos seus empregados, baseada num Sistema de Gestão de Competências. Esse

Leia mais

Formulário de Avaliação de Desempenho

Formulário de Avaliação de Desempenho Formulário de Avaliação de Desempenho Objetivos da Avaliação de Desempenho: A avaliação de desempenho será um processo anual e sistemático que, enquanto processo de aferição individual do mérito do funcionário

Leia mais

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report Avaliação de: Sr. Mario Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Liderança The Inner Leader Report

Leia mais

Coleção ajuda no sucesso profissional

Coleção ajuda no sucesso profissional COLEÇÃO Unic Josafá Vilarouca Renata Tomasetti (11) 5051-6639 josafa@unicbuilding.com.br renata@unicbuilding.com.br Coleção ajuda no sucesso profissional Série lançada pela Publifolha possui 36 títulos,

Leia mais

SEMIPRESENCIAL 2013.1

SEMIPRESENCIAL 2013.1 SEMIPRESENCIAL 2013.1 MATERIAL COMPLEMENTAR II DISCIPLINA: GESTÃO DE CARREIRA PROFESSORA: MONICA ROCHA LIDERANÇA E MOTIVAÇÃO Liderança e Motivação são fundamentais para qualquer empresa que deseja vencer

Leia mais

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL

PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL PESQUISA DE CLIMA MOTIVACIONAL Relatório e Análise 2005 Introdução: ``Para que a Construtora Mello Azevedo atinja seus objetivos é necessário que a equipe tenha uma atitude vencedora, busque sempre resultados

Leia mais

ANEXO I Relatório de Avaliação de Desempenho Individual - RADI (Funcional)

ANEXO I Relatório de Avaliação de Desempenho Individual - RADI (Funcional) ANEXO I Relatório de Avaliação de Desempenho Individual - RADI (Funcional) 1 Senhor (a) Avaliador (a), a) Para Autoavaliação: utilizar a coluna "A" do campo ; b) Para Avaliação da Equipe de Trabalho: utilizar

Leia mais

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SERGIPE DIRETORIA DE PESSOAS GERÊNCIA DE ALOCAÇÃO E AVALIAÇÃO DE PESSOAL MANUAL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SERGIPE DIRETORIA DE PESSOAS GERÊNCIA DE ALOCAÇÃO E AVALIAÇÃO DE PESSOAL MANUAL TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SERGIPE DIRETORIA DE PESSOAS GERÊNCIA DE ALOCAÇÃO E AVALIAÇÃO DE PESSOAL MANUAL DA AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO 006 2 2 APRESENTAÇÃO Este manual é uma ferramenta de consulta

Leia mais

Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report

Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report Perfil Caliper Gerencial e Vendas The Inner Leader and Seller Report Avaliação de: Sr. José Exemplo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: 11/06/2014 Perfil Caliper Gerencial e Vendas

Leia mais

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado

Professora Débora Dado. Prof.ª Débora Dado Professora Débora Dado Prof.ª Débora Dado Planejamento das aulas 7 Encontros 19/05 Contextualizando o Séc. XXI: Equipes e Competências 26/05 Competências e Processo de Comunicação 02/06 Processo de Comunicação

Leia mais

Perfil de estilos de personalidade

Perfil de estilos de personalidade Relatório confidencial de Maria D. Apresentando Estilos de venda Administrador: Juan P., (Sample) de conclusão do teste: 2014 Versão do teste: Perfil de estilos de personalidade caracterizando estilos

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Histórico de elaboração Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Histórico de elaboração Julho 2014 Motivações Boa prática de gestão Orientação para objetivos da Direção Executiva Adaptação à mudança de cenários na sociedade

Leia mais

A APLICAÇÃO FOI DRASTICAMENTE REDUZIDA

A APLICAÇÃO FOI DRASTICAMENTE REDUZIDA Bernardo Leite AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO HÁ TEMPOS... Objetivos principais: Aumento de salário Demissão CONCLUSÃO: A APLICAÇÃO FOI DRASTICAMENTE REDUZIDA A AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO É um processo natural e

Leia mais

Inteligência. Emocional

Inteligência. Emocional Inteligência Emocional Inteligência Emocional O que querem os empregadores?? Atualmente, as habilitações técnicas específicas são menos importantes do que a capacidade implícita de aprender no trabalho

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL - UniBrasil CURSO DE ADMINISTRAÇÃO NÚCLEO DE PESQUISAS E PRÁTICAS EM ADMINISTRAÇÃO ESTAGIÁRIO(A): XXXXXXXXXXXXXX

FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL - UniBrasil CURSO DE ADMINISTRAÇÃO NÚCLEO DE PESQUISAS E PRÁTICAS EM ADMINISTRAÇÃO ESTAGIÁRIO(A): XXXXXXXXXXXXXX 1 FACULDADES INTEGRADAS DO BRASIL - UniBrasil CURSO DE ADMINISTRAÇÃO NÚCLEO DE PESQUISAS E PRÁTICAS EM ADMINISTRAÇÃO ESTAGIÁRIO(A): XXXXXXXXXXXXXX RELATÓRIO FINAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Relatório Final

Leia mais

REFLEXÃO. (Warren Bennis)

REFLEXÃO. (Warren Bennis) RÉSUMÉ Consultora nas áreas de Desenvolvimento Organizacional e Gestão de Pessoas; Docente de Pós- Graduação; Coaching Experiência de mais de 31 anos na iniciativa privada e pública; Doutorado em Administração;

Leia mais

Prof. Gustavo Nascimento. Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA

Prof. Gustavo Nascimento. Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA Prof. Gustavo Nascimento Unidade I MODELOS DE LIDERANÇA A liderança e seus conceitos Liderança é a capacidade de influenciar um grupo para que as metas sejam alcançadas Stephen Robbins A definição de liderança

Leia mais

Gestão de Pessoas Diversidade e Competências

Gestão de Pessoas Diversidade e Competências Gestão de Pessoas Diversidade e Competências Gestão de Pessoas ESTRATEGICA 1985 a hoje Aumentar o envolvimento dos colaboradores e integrar sistemas de suporte ADMINISTRATIVA 1965 a 1985 Foco: indivíduos

Leia mais

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs

Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Segredos e Estratégias para Equipes Campeãs Ultrapassando barreiras e superando adversidades. Ser um gestor de pessoas não é tarefa fácil. Existem vários perfis de gestores espalhados pelas organizações,

Leia mais

Evento técnico mensal

Evento técnico mensal Evento técnico mensal GERENCIAMENTO DE CARREIRA PARA O SUCESSO DO GESTOR DE PROJETOS Fernanda Schröder Gonçalves Organização Apoio 1 de xx APRESENTAÇÃO Fernanda Schröder Gonçalves Coordenadora do Ibmec

Leia mais

COORDENADOR SÊNIOR (CONSULTORIAS) (Candidaturas serão aceitas até o dia 22/2/2013 envie seu CV para asantos@uniethos.org.br)

COORDENADOR SÊNIOR (CONSULTORIAS) (Candidaturas serão aceitas até o dia 22/2/2013 envie seu CV para asantos@uniethos.org.br) COORDENADOR SÊNIOR (CONSULTORIAS) DESCRIÇÃO GERAL: O Coordenador Sênior do Uniethos é responsável pelo desenvolvimento de novos projetos, análise de empresas, elaboração, coordenação, gestão e execução

Leia mais

GERENCIAMENTO DE CLÍNICAS

GERENCIAMENTO DE CLÍNICAS GERENCIAMENTO DE CLÍNICAS A administração eficiente de qualquer negócio requer alguns requisitos básicos: domínio da tecnologia, uma equipe de trabalho competente, rigoroso controle de qualidade, sistema

Leia mais

www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes

www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes www.marcelodeelias.com.br Palestras Inteligentes Sólidos conteúdos com alegria - essas são algumas características das palestras de Marcelo de Elias. Outra característica marcante: Cada palestra é um projeto

Leia mais

As cinco disciplinas

As cinco disciplinas As cinco disciplinas por Peter Senge HSM Management julho - agosto 1998 O especialista Peter Senge diz em entrevista exclusiva que os programas de aprendizado podem ser a única fonte sustentável de vantagem

Leia mais

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report

Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Perfil Caliper de Especialistas The Inner Potential Report Avaliação de: Sr. Antônio Modelo Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Especialistas The Inner

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC FLORIANÓPOLIS

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC FLORIANÓPOLIS FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC FLORIANÓPOLIS PORTARIA DE CREDENCIAMENTO DA FACULDADE Portaria Nº 3.544 de 13 de dezembro de 2002, publicada no DOU em 16 de dezembro de 2002. Diretor da Faculdade: José Carlos

Leia mais

Perfil Caliper de Liderança Premium The Inner Leader Report

Perfil Caliper de Liderança Premium The Inner Leader Report Perfil Caliper de Liderança Premium The Inner Leader Report Avaliação de: Sr. Jose Exemplo Preparada por: Consultor Caliper consultor@caliper.com.br Data: Página 1 Perfil Caliper de Liderança Premium The

Leia mais

DIRETOR (A) COMERCIAL ESCRITÓRIO TETO BRASIL SÃO PAULO

DIRETOR (A) COMERCIAL ESCRITÓRIO TETO BRASIL SÃO PAULO DIRETOR (A) COMERCIAL ESCRITÓRIO TETO BRASIL SÃO PAULO Identificação do Cargo Departamento / Área Cargo a que reporta (Liderança direta) Cargos sob sua dependência (Liderança direta) Organograma Comercial

Leia mais

PAP (Perfil de Avanço Profissional)

PAP (Perfil de Avanço Profissional) PAP (Perfil de Avanço Profissional) Relatório para: Suzanne Example Data concluida: 14 de junho de 2012 14:03:23 2012 PsychTests AIM Inc. Índice analítico Índice analítico 1/10 Índice analítico Índice

Leia mais

Módulo IV. Delegação e Liderança

Módulo IV. Delegação e Liderança Módulo IV Delegação e Liderança "As pessoas perguntam qual é a diferença entre um líder e um chefe. O líder trabalha a descoberto, o chefe trabalha encapotado. O líder lidera, o chefe guia. Franklin Roosevelt

Leia mais

Enquete. O líder e a liderança

Enquete. O líder e a liderança Enquete O líder e a liderança Muitas vezes, o sucesso ou fracasso das empresas e dos setores são creditados ao desempenho da liderança. Em alguns casos chega-se a demitir o líder, mesmo aquele muito querido,

Leia mais

Prof Elly Astrid Vedam

Prof Elly Astrid Vedam Prof Elly Astrid Vedam Despertar e saber lidar com os mecanismos de liderança e se preparar para a gestão de pequenos e médios negócios; Identificar conflitos no ambiente de seu negócio, calculando e avaliando

Leia mais

RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012/01

RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012/01 COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO Curso de Engenharia da Computação RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2012/01 CATEGORIAS & DIMENSÕES AVALIADAS: Discentes: Desempenho docente e Projeto Pedagógico

Leia mais

COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÕES GERENCIAIS UM ESTUDO DE CASO

COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÕES GERENCIAIS UM ESTUDO DE CASO COMUNICAÇÃO E INFORMAÇÕES GERENCIAIS UM ESTUDO DE CASO Fábio William da Silva Granado 1 Marluci Silva Botelho 2 William Rodrigues da Silva 3 Prof Ms. Edson Leite Lopes Gimenez 4 RESUMO O presente trabalho

Leia mais

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014

Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO. Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Planejamento Estratégico PLANEJAMENTO ESTRATÉGICO Formação dos grupos de trabalho e Detalhamento das estratégias do Plano de Ação Julho 2014 Grupos de trabalho: formação Objetivo: elaborar atividades e

Leia mais

Liderança, gestão de pessoas e do ambiente de trabalho

Liderança, gestão de pessoas e do ambiente de trabalho Glaucia Falcone Fonseca O que é um excelente lugar para se trabalhar? A fim de compreender o fenômeno dos excelentes locais de trabalho, devemos primeiro considerar o que as pessoas falam sobre a experiência

Leia mais

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler

Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler Faculdade Internacional de Curitiba MBA em Planejamento e Gestão Estratégica Mapas Estratégicos Prof. Adriano Stadler AULA 5 - PERSPECTIVA DE APRENDIZADO E CRESCIMENTO Abertura da Aula Uma empresa é formada

Leia mais

NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL - NOR 312

NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL - NOR 312 MANUAL DE GESTÃO DE PESSOAS COD. 300 ASSUNTO: AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO FUNCIONAL COD: NOR 312 APROVAÇÃO: Resolução DIREX Nº 009/2012 de 30/01/2012 NORMA DE AVALIAÇÃO DE DESENVOLVIMENTO 1/17 ÍNDICE

Leia mais

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO

Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Comunicação empresarial eficiente: Saiba como gerir uma equipe com essas dicas REALIZAÇÃO Sumário 01 Introdução 02 02 03 A comunicação dentro das empresas nos dias de hoje Como garantir uma comunicação

Leia mais

NORMAS DE CONDUTA. Apresentação

NORMAS DE CONDUTA. Apresentação NORMAS DE CONDUTA Apresentação Adequando-se às melhores práticas de Governança Corporativa, a TITO está definindo e formalizando as suas normas de conduta ( Normas ). Estas estabelecem as relações, comportamentos

Leia mais

Líder em consultoria no agronegócio

Líder em consultoria no agronegócio MPRADO COOPERATIVAS mprado.com.br COOPERATIVAS 15 ANOS 70 Consultores 25 Estados 300 cidade s 500 clientes Líder em consultoria no agronegócio 1. Comercial e Marketing 1.1 Neurovendas Objetivo: Entender

Leia mais

Gerenciamento de Projetos Liderança, Coaching e Gestão de Pessoas

Gerenciamento de Projetos Liderança, Coaching e Gestão de Pessoas Gerenciamento de Projetos Liderança, Coaching e Gestão de Pessoas Aula 05 Prof. Esp. Gladimir Ceroni Catarino gccatarino@senacrs.edu.br gladimir@gmail.com SERVIÇO NACIONAL DE APRENDIZAGEM COMERCIAL FACULDADE

Leia mais

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO

LÍDERES DO SECULO XXI RESUMO 1 LÍDERES DO SECULO XXI André Oliveira Angela Brasil (Docente Esp. das Faculdades Integradas de Três Lagoas-AEMS) Flávio Lopes Halex Mercante Kleber Alcantara Thiago Souza RESUMO A liderança é um processo

Leia mais

Organização da Aula. Gestão de Recursos Humanos. Aula 2. Liderança X Gerenciamento. Contextualização. Empreendedor Conflitos.

Organização da Aula. Gestão de Recursos Humanos. Aula 2. Liderança X Gerenciamento. Contextualização. Empreendedor Conflitos. Gestão de Recursos Humanos Aula 2 Profa. Me. Ana Carolina Bustamante Organização da Aula Liderança Competências gerenciais Formação de equipes Empreendedor Liderança X Gerenciamento Conceito e estilos

Leia mais

Curso Introdução ao Secretariado Empresarial

Curso Introdução ao Secretariado Empresarial Seja bem Vindo! Curso Introdução ao Secretariado Empresarial CursosOnlineSP.com.br Carga horária: 20hs Conteúdo Programático: 1. Um novo perfil 2. Da era da máquina datilográfica à internet 3. Um perfil

Leia mais

DIRETOR(A) DE SEDE ESCRITÓRIO TETO BRASIL BAHIA

DIRETOR(A) DE SEDE ESCRITÓRIO TETO BRASIL BAHIA DIRETOR(A) DE SEDE ESCRITÓRIO TETO BRASIL BAHIA Identificação do Cargo Departamento / Área Cargo a que reporta (Liderança direta) Cargos sob sua dependência (Liderança direta) Organograma Diretoria de

Leia mais

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial

remuneração para ADVOGADOS advocobrasil Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados porque a mudança é essencial remuneração para ADVOGADOS Uma forma mais simples e estruturada na hora de remunerar Advogados advocobrasil Não ter uma política de remuneração é péssimo, ter uma "mais ou menos" é pior ainda. Uma das

Leia mais

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS

MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS MINISTÉRIO DA DEFESA COMANDO DA AERONÁUTICA CENTRO DE INVESTIGAÇÃO E PREVENÇÃO DE ACIDENTES AERONÁUTICOS Manual de Aplicação Questionário de Levantamento Organizacional e de Fatores Humanos Brasília, novembro

Leia mais

Liderança Motivação e Criatividade Palestrante Tatiane Franklin Coach, Palestrante e Consultora Organizacional

Liderança Motivação e Criatividade Palestrante Tatiane Franklin Coach, Palestrante e Consultora Organizacional Liderança Motivação e Criatividade Palestrante 80% das pessoas não se sentem motivadas para trabalhar. 92% dos lideres não sabem aplicar feedback. 66% das pessoas se demitem dos lideres. Líder é aquele

Leia mais

7.1 Introdução. Monitoramento e Avaliação 427

7.1 Introdução. Monitoramento e Avaliação 427 7.1 Introdução O processo de monitoramento e avaliação constitui um instrumento para assegurar a interação entre o planejamento e a execução, possibilitando a correção de desvios e a retroalimentação permanente

Leia mais

ATENDIMENTO AO CLIENTE

ATENDIMENTO AO CLIENTE ATENDIMENTO AO CLIENTE Tópicos a serem apresentados: O que é? Para que serve? Objetivos do Curso. Conteúdo Programático. Empresa As Pessoas O Produto O serviço Atendimento Competitividade Tipos de Clientes

Leia mais

AUTORAS ROSANGELA SOUZA

AUTORAS ROSANGELA SOUZA AUTORAS ROSANGELA SOUZA Especialista em Gestão Empresarial com MBA pela FGV e Professora de Estratégia na Pós-Graduação da FGV. Desenvolveu projetos acadêmicos sobre segmento de idiomas, planejamento estratégico

Leia mais

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL INTERNA UM ESTUDO DE CASO RESUMO

COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL INTERNA UM ESTUDO DE CASO RESUMO COMUNICAÇÃO EMPRESARIAL INTERNA UM ESTUDO DE CASO Fábio William da Silva Granado 1 Marluci Silva Botelho 2 William Rodrigues da Silva 3 Prof Ms. Edson Leite Lopes Gimenez 4 RESUMO Realizou-se uma análise

Leia mais

Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor

Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor Conteúdo de qualidade com leveza e bom humor Sólidos conteúdos com alegria - essas são algumas características das palestras de Marcelo de Elias. A maioria absoluta das avaliações obtêm excelentes resultados,

Leia mais

Comunicação Empresarial

Comunicação Empresarial Comunicação Empresarial MBA em Gestão Empresarial MBA em Logística MBA em Recursos Humanos MBA em Gestão de Marketing Prof. Msc Alice Selles 24/11 Aula inicial apresentação e visão geral do módulo. Proposição

Leia mais

ANEXO II PERFIL DO CARGO FUNÇÃO

ANEXO II PERFIL DO CARGO FUNÇÃO ANEXO II PERFIL DO CARGO FUNÇÃO Página 1 de 165 PERFIL DE COMPETÊNCIAS E DESEMPENHO CARGO ANALISTA / FUNÇÃO ADVOGADO MISSÃO DO CARGO: Contribuir para o desenvolvimento institucional, por meio de ações

Leia mais

LÍDER COACH X COACHING DEFINIÇÃO DE CONCEITOS E APLICABILIDADE

LÍDER COACH X COACHING DEFINIÇÃO DE CONCEITOS E APLICABILIDADE LÍDER COACH X COACHING DEFINIÇÃO DE CONCEITOS E APLICABILIDADE ANA PATRÍCIA VELLOSO Consultora, Psicóloga Especialista na Área Organizacional. Proprietária da MP Consultoria em RH. Coach Executivo - Formada

Leia mais

SESSÃO TÉCNICA ESPECIAL EDUCAÇÃO E GESTÃO DA TECNOLOGIA (STE)

SESSÃO TÉCNICA ESPECIAL EDUCAÇÃO E GESTÃO DA TECNOLOGIA (STE) STE/02 17 à 22 de outubro de 1999 Foz do Iguaçu Paraná - Brasil SESSÃO TÉCNICA ESPECIAL EDUCAÇÃO E GESTÃO DA TECNOLOGIA (STE) AVALIAÇÃO DE DESEMPENHO E POTENCIAL EM 360º NYDIA GUIMARÃES E ROCHA ABB RESUMO

Leia mais

Treinamento do Sistema RH1000

Treinamento do Sistema RH1000 Treinamento do Sistema RH1000 = Conceitos de Gestão por Competências = Ohl Braga Desenvolvimento Empresarial Atualizado em 21Ago2015 1 Tópicos abordados Principais processos 4 Vantagens 5 Avaliação de

Leia mais

PLANO DE CARGOS & SALÁRIOS UNIMED ANÁPOLIS

PLANO DE CARGOS & SALÁRIOS UNIMED ANÁPOLIS PLANO DE CARGOS & SALÁRIOS UNIMED ANÁPOLIS 1 ÍNDICE APRESENTAÇÃO... 02 1 OBJETIVO DO MANUAL... 03 2 CONCEITOS UTILIZADOS... 04 3 POLÍTICA DE CARGOS E SALÁRIOS... 06 4 POLÍTICA DE CARREIRA... 07 5 AVALIAÇÃO

Leia mais

O início. Como realizar uma avaliação com sucesso. ...passo a passo. Todo bom desempenho começa com objetivos claros Ken Blanchard

O início. Como realizar uma avaliação com sucesso. ...passo a passo. Todo bom desempenho começa com objetivos claros Ken Blanchard Fábio Vieira fabio@menvie.com.br http://br.linkedin.com/in/fabiovieiramenvie Como realizar uma avaliação com sucesso....passo a passo. Todo bom desempenho começa com objetivos claros Ken Blanchard O início

Leia mais

A estrutura do gerenciamento de projetos

A estrutura do gerenciamento de projetos A estrutura do gerenciamento de projetos Introdução O Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos (Guia PMBOK ) é uma norma reconhecida para a profissão de gerenciamento de projetos. Um padrão é

Leia mais

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br

TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Cursos para Melhoria do desempenho & Gestão de RH TEOREMA CONSULTORIA Rua Roma, 620 Sala 81-B,Lapa Capital- SP CEP: 05050-090 www.teoremaconsult.com.br Administração do Tempo Ampliar a compreensão da importância

Leia mais

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC BLUMENAU

FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC BLUMENAU FACULDADE DE TECNOLOGIA SENAC BLUMENAU PORTARIA DE CREDENCIAMENTO DA FACULDADE Portaria Nº 1.325 de 18 de maio de 2004, publicada no DOU em 20 de maio de 2004. Diretor da Faculdade: Elita Grosch Maba Diretor

Leia mais

Eixo Tecnológico: DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL E SOCIAL

Eixo Tecnológico: DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL E SOCIAL Administração Central Unidade do Ensino Médio e Técnico GFAC Grupo de Formulação e Análises Curriculares Eixo Tecnológico: DESENVOLVIMENTO EDUCACIONAL E SOCIAL CAPÍTULO 3 PERFIL PROFISSIONAL DE CONCLUSÃO

Leia mais

Aperf r e f iço ç a o m a ent n o t o Ge G re r nci c al a para Supermercados

Aperf r e f iço ç a o m a ent n o t o Ge G re r nci c al a para Supermercados Aperfeiçoamento Gerencial para Supermercados Liderança Liderança é a habilidade de influenciar pessoas, por meio da comunicação, canalizando seus esforços para a consecução de um determinado objetivo.

Leia mais

Corpo e Fala EMPRESAS

Corpo e Fala EMPRESAS Corpo e Fala EMPRESAS A Corpo e Fala Empresas é o braço de serviços voltado para o desenvolvimento das pessoas dentro das organizações. Embasado nos pilares institucionais do negócio, ele está estruturado

Leia mais

Gestão de Processos Estratégicos

Gestão de Processos Estratégicos Gestão de Processos Estratégicos Fevereiro/2014 DEFINIÇÕES Rede de Desenvolvimento Integrado Arranjos que estimulam e proporcionam um comportamento (em rede) cooperativo entre agentes governamentais e

Leia mais

Profa. Lenimar Vendruscolo Mery 2013 APOSTILA DE GESTÃO DE PESSOAS

Profa. Lenimar Vendruscolo Mery 2013 APOSTILA DE GESTÃO DE PESSOAS APOSTILA DE GESTÃO DE PESSOAS SUMÁRIO 1. O QUE SIGNIFICA GESTÃO DE PESSOAS... 3 2. PRINCIPAIS PROCESSOS DE GESTÃO DE PESSOAS... 3 3. O CONTEXTO DA GESTÃO DE PESSOAS... 4 4. EVOLUÇÃO DOS MODELOS DE GESTÃO...

Leia mais

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional.

MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Empresa MAISMKT - Ações em Marketing e uma empresa voltada para avaliação do atendimento, relacionamento com cliente, e marketing promocional. Nossa filosofia e oferecer ferramentas de gestão focadas na

Leia mais

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SENAI DR/ES N 011/2014 06/04/2014

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SENAI DR/ES N 011/2014 06/04/2014 COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SENAI DR/ES N 011/2014 06/04/2014 O SENAI Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial torna pública a realização de processo seletivo para provimento de vagas observados

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA DA BB PREVIDÊNCIA FUNDO DE PENSÃO BANCO DO BRASIL INTRODUÇÃO

CÓDIGO DE ÉTICA DA BB PREVIDÊNCIA FUNDO DE PENSÃO BANCO DO BRASIL INTRODUÇÃO CÓDIGO DE ÉTICA DA BB PREVIDÊNCIA FUNDO DE PENSÃO BANCO DO BRASIL INTRODUÇÃO Este Código de Ética é público e reúne diretrizes que norteiam o comportamento dos Conselheiros, Dirigentes e Colaboradores

Leia mais

PRATICANDO A LIDERANÇA COACHING

PRATICANDO A LIDERANÇA COACHING 8 ENCREPI - PRATICANDO A LIDERANÇA COACHING SARAH MUNHOZ 23/11/09 LIDERANÇA Kotler(1988): processo de movimentar um grupo ou grupos em alguma direção por meios não coercitivos. Robbins (1991): é o processo

Leia mais

Princípios de Liderança

Princípios de Liderança Princípios de Liderança LIDERANÇA E COACH www.liderancaecoach.com.br / liderancaecoach ÍNDICE Liderança Chefe x Líder O que um líder não deve fazer Dicas para ser um líder de sucesso Para liderar uma equipe

Leia mais

Motivação de Equipes de Projeto O papel do Gerente de Projetos

Motivação de Equipes de Projeto O papel do Gerente de Projetos Instituto de Educação Tecnológica Pós-graduação em Gestão de Projetos - Turma 150 Agosto/2015 Motivação de Equipes de Projeto O papel do Gerente de Projetos Lucas Rossi Analista de Negócios lucasrossi_@hotmail.com

Leia mais

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV

MANUAL DA QUALIDADE Viva Vida Produtos de Lazer Ltda. Manual da Qualidade - MQ V. 1 Sistema de Gestão da Qualidade Viva Vida - SGQVV MANUAL DA QUALIDADE Manual da Qualidade - MQ Página 1 de 15 ÍNDICE MANUAL DA QUALIDADE 1 INTRODUÇÃO...3 1.1 EMPRESA...3 1.2 HISTÓRICO...3 1.3 MISSÃO...4 1.4 VISÃO...4 1.5 FILOSOFIA...4 1.6 VALORES...5

Leia mais

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional

1 LIDERANÇA. Indicador 1: Eficiência da Comunicação Organizacional COMPILADO DAS SUGESTÕES DE MELHORIAS PARA O IDGP/2011 por critério e indicador 1 LIDERANÇA O critério Liderança aborda como está estruturado o sistema de liderança da organização, ou seja, o papel da liderança

Leia mais

CÓDIGO DE ÉTICA. ANS nº 41431.0

CÓDIGO DE ÉTICA. ANS nº 41431.0 CÓDIGO DE ÉTICA Aprovado pelo Conselho Consultivo da Saúde BRB Caixa de Assistência em sua 37ª Reunião Extraordinária, realizada em 10.12.2010. Brasília, 22 de fevereiro de 2011 I - APRESENTAÇÃO CÓDIGO

Leia mais

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores

liderança conceito Sumário Liderança para potenciais e novos gestores Sumário Liderança para potenciais e novos gestores conceito Conceito de Liderança Competências do Líder Estilos de Liderança Habilidades Básicas Equipe de alta performance Habilidade com Pessoas Autoestima

Leia mais

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SESI DR/ES N 068 19/10/2014

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SESI DR/ES N 068 19/10/2014 COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SESI DR/ES N 068 19/10/2014 O SESI Serviço Social da Indústria torna pública a realização de processo seletivo para provimento de vagas, observados os requisitos mínimos

Leia mais

Prof. Daniel Bertoli Gonçalves UNISO - SOROCABA

Prof. Daniel Bertoli Gonçalves UNISO - SOROCABA Prof. Daniel Bertoli Gonçalves UNISO - SOROCABA Engenheiro Agrônomo CCA/UFSCar 1998 Mestre em Desenvolvimento Econômico, Espaço e Meio Ambiente IE/UNICAMP 2001 Doutor em Engenharia de Produção PPGEP/UFSCar

Leia mais

Os Sete Níveis de Consciência da Liderança

Os Sete Níveis de Consciência da Liderança Os Sete Níveis de Consciência da Liderança Existem sete níveis bem definidos de liderança, que correspondem aos sete níveis de consciência organizacional. Cada nível de liderança se relaciona com a satisfação

Leia mais

Teste. Hirata Consultores & Associados Ltda.

Teste. Hirata Consultores & Associados Ltda. Teste Página 2 % Especialista Barganhador Confrontador Provedor Articulador Sonhador MIN 47,04 37,00 23,02 46,15 27,05 18,24 AUTO 15,49 0,40 25,58 73,78 99,00 82,34 MÁX 79,07 54,9 52,91 75,53 52,57 46,59

Leia mais

POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4

POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4 POLÍTICA EMRPESARIAL DA INT.4 INTRODUÇÃO Desde que foi fundada em 2001, a ética, a transparência nos processos, a honestidade a imparcialidade e o respeito às pessoas são itens adotados pela interação

Leia mais

Experiência: O novo olhar sobre a gestão de pessoas do setor público, na nova idade da democracia no Brasil.

Experiência: O novo olhar sobre a gestão de pessoas do setor público, na nova idade da democracia no Brasil. Experiência: O novo olhar sobre a gestão de pessoas do setor público, na nova idade da democracia no Brasil. RADIOBRÁS Empresa Brasileira de Comunicação S. A. Diretoria de Gestão de Pessoas e Administração

Leia mais

PMBOK 4ª Edição I. Introdução

PMBOK 4ª Edição I. Introdução PMBOK 4ª Edição I Introdução 1 PMBOK 4ª Edição Um Guia do Conhecimento em Gerenciamento de Projetos Seção I A estrutura do gerenciamento de projetos 2 O que é o PMBOK? ( Project Management Body of Knowledge

Leia mais

12/02/2012. Administração I. Estrutura da Administração INTRODUÇÃO À TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO

12/02/2012. Administração I. Estrutura da Administração INTRODUÇÃO À TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO INTRODUÇÃO À TEORIA GERAL DA ADMINISTRAÇÃO Idalberto Chiavenato Conceitos; Evidências históricas; e Estruturando a administração. 1 Administração I Administração é criar um ambiente para o esforço grupal

Leia mais

LIDERANÇA: UMA CHAVE PARA O SUCESSO DA ADMINISTRAÇÃO

LIDERANÇA: UMA CHAVE PARA O SUCESSO DA ADMINISTRAÇÃO 1 LIDERANÇA: UMA CHAVE PARA O SUCESSO DA ADMINISTRAÇÃO Elisângela de Aguiar Alcalde (Docente MSc. das Faculdades Integradas de Três Lagoas-AEMS) Linda Jennyfer Vaz (Discente do 2º ano do curso de Administração-

Leia mais

TÍTULO: O PAPEL DA LIDERANÇA NA MOTIVAÇÃO DENTRO DO AMBIENTE ORGANIZACIONAL UM ESTUDO NA EMPRESA VISÃO DIGITAL 3D E-COMMERCE

TÍTULO: O PAPEL DA LIDERANÇA NA MOTIVAÇÃO DENTRO DO AMBIENTE ORGANIZACIONAL UM ESTUDO NA EMPRESA VISÃO DIGITAL 3D E-COMMERCE TÍTULO: O PAPEL DA LIDERANÇA NA MOTIVAÇÃO DENTRO DO AMBIENTE ORGANIZACIONAL UM ESTUDO NA EMPRESA VISÃO DIGITAL 3D E-COMMERCE CATEGORIA: CONCLUÍDO ÁREA: CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS SUBÁREA: ADMINISTRAÇÃO

Leia mais

Liderança Estratégica

Liderança Estratégica Liderança Estratégica A título de preparação individual e antecipada para a palestra sobre o tema de Liderança Estratégica, sugere-se a leitura dos textos indicados a seguir. O PAPEL DE COACHING NA AUTO-RENOVAÇÃO

Leia mais

PRISMA EDIFICAÇÕES E ENGENHARIA

PRISMA EDIFICAÇÕES E ENGENHARIA PRISMA EDIFICAÇÕES E ENGENHARIA 2 Código de Conduta Prisma Edificações e Engenharia I - O que é o Código de Conduta da Prisma Edificações e Engenharia? O Código de Conduta da Prisma é um instrumento criado

Leia mais

RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011/02

RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011/02 Curso de Bacharelado em administração COMÉRCIO EXTERIOR t COMISSÃO PRÓPRIA DE AVALIAÇÃO RELATÓRIO PARCIAL DA AUTO-AVALIAÇÃO INSTITUCIONAL 2011/02 CATEGORIAS & DIMENSÕES AVALIADAS: DISCENTES: Desempenho

Leia mais

Gestão de Negócios. Aula 01. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho

Gestão de Negócios. Aula 01. Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Gestão de Negócios Aula 01 Os direitos desta obra foram cedidos à Universidade Nove de Julho Este material é parte integrante da disciplina oferecida pela UNINOVE. O acesso às atividades, conteúdos multimídia

Leia mais

Gestão por Competências

Gestão por Competências Gestão por Competências 2 Professora: Zeila Susan Keli Silva 2º semestre 2012 1 Contexto Economia globalizada; Mudanças contextuais; Alto nível de complexidade do ambiente; Descoberta da ineficiência dos

Leia mais

Unidade III GESTÃO ESTRATÉGICA DE RECURSOS HUMANOS. Profa. Ani Torres

Unidade III GESTÃO ESTRATÉGICA DE RECURSOS HUMANOS. Profa. Ani Torres Unidade III GESTÃO ESTRATÉGICA DE RECURSOS HUMANOS Profa. Ani Torres Desenvolvendo pessoas O desenvolvimento e a manutenção de pessoas estão relacionados com a evolução das equipes de trabalho e com a

Leia mais

Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report

Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report Perfil Caliper SUPER de Vendas The Inner Seller Report Avaliação de: Sr. João Vendedor Preparada por: Consultor Caliper exemplo@caliper.com.br Data: Copyright 2012 Caliper & Tekoare. Todos os direitos

Leia mais

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SESI DR/ES N 002/2015 11/01/2015

COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SESI DR/ES N 002/2015 11/01/2015 COMUNICADO DE PROCESSO SELETIVO SESI DR/ES N 002/2015 11/01/2015 O SESI Serviço Social da Indústria torna pública a realização de processo seletivo para provimento de vagas, observados os requisitos mínimos

Leia mais