Protocolo de Solicitação de Uso de animais em Projetos de Pesquisa/Extensão e Pós Graduação a Comissão de Ética no Uso de Animais (CEUA) ANEXO I

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Protocolo de Solicitação de Uso de animais em Projetos de Pesquisa/Extensão e Pós Graduação a Comissão de Ética no Uso de Animais (CEUA) ANEXO I"

Transcrição

1 Protocolo de Solicitação de Uso de animais em Projetos de Pesquisa/Extensão e Pós Graduação a Comissão de Ética no Uso de Animais (CEUA) ANEXO I 1. IDENTIFICAÇÃO Título : Nível de abrangência do projeto: (iniciação científica PIC; mestrado, doutorado, etc.): Código : Atividade de ensino: (graduação, especialização, pósgraduação etc.): Unidade proponente: Nome do(s) Aluno(s) pesquisador(es) titular: 1-voluntário(a): 2-voluntário(a): Professor orientador /responsável do(s) aluno(s) pesquisador(es) titular: voluntário(a): voluntário(a): do professor orientador/responsável 2. INFORMAÇÕES DO PROJETO Curso ao qual o projeto está vinculado Autoria do projeto de pesquisa Ética em pesquisa - CEP: o trabalho de pesquisa de iniciação científica envolve diretamente pesquisas com seres humanos? Inclusive entrevistas ou aplicação de questionários. Sim ou Não ATENÇÃO: em caso afirmativo, este projeto deve ser encaminhado a comissão de Ética em Pesquisa - CEP para parecer, em conformidade com as exigências da resolução 196/96, da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa. Ética no uso de animais: o trabalho de pesquisa de iniciação científica envolve diretamente pesquisas com animais?. Sim ou Não ATENÇÃO: em caso afirmativo, deve ser encaminhado a comissão de Ética no Uso de Animais - CEUA parecer com dados abaixo, em conformidade com a lei /05 que institui o código de proteção de animais no estado de São Paulo, a Resolução Conselho Federal de Medicina Veterinária n o 879/08 e a Lei Federal n o /08 que cria o Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal e regulamenta os CEUAS, das instituições que utilizem de animais para experimentação. 3. DESCRIÇÃO SUMÁRIA DO PROJETO 1

2 Informar com clareza os objetivos, justificativa, relevância e contribuição do Projeto 3.1. Resumo do projeto - breve relato do projeto introduzindo o assunto, seus objetivos, materiais e métodos e os resultados esperados. Palavras-chave - até cinco palavras que indicam a área de pesquisa do projeto Introdução - texto adequado e claro, contendo as informações preliminares para o entendimento do problema e da motivação para o desenvolvimento da pesquisa. Não deve ser muito extensa, mas principalmente não deve ser muito curta (um parágrafo, por exemplo). A introdução é usada para situar o leitor no contexto da pesquisa, indicar sua contribuição científica e sua relevância Objetivos - claros e contextualizados para justificar a relevância da pesquisa (utilizem a revisão de literatura para isso). Existe o objetivo global da pesquisa, assim como, os específicos. Somente usar verbos de ação muito forte como: demonstrar, provar e comprovar, implantar e outros, se houver certeza da viabilidade destas ações Justificativa - para justificar a relevância da pesquisa, pode-se usar a revisão de literatura, pois indicará que há outros pesquisadores que se interessam pela área. São duas possibilidades: ainda há questões a serem exploradas ou já foi extensivamente pesquisada. Caso existam poucos trabalhos correlatos: ou o tema é muito novo e há necessidade de pesquisa ou não é viável. Indicar qual a razão que justifica a pesquisa Viabilidade - Indicar as formas de apoio asseguradas por sua Faculdade/Unidade para o desenvolvimento da pesquisa proposta neste projeto. Relatar os recursos materiais necessários para o desenvolvimento do projeto e a concordância da instituição em que a pesquisa será realizada - quando ocorrer em outro lugar Metodologia utilizada no desenvolvimento do Projeto - Na descrição do método e do material utilizados e necessários ao desenvolvimento da pesquisa/aula, deve-se argumentar com intuito de mostrar que a metodologia proposta é a adequada ao projeto proposto Termo de Consentimento Livre e Esclarecido do proprietário ou responsável pelo animal, quando for o caso; Informações Relativas aos animais 2

3 a- grau de severidade envolvido: brando, moderado e substancial; b- características: espécie, raça ou linhagem, idade, sexo e peso; c- número amostral e justificativa; d- tempo de utilização na pesquisa ou no procedimento didático; e- condições de alojamento e de alimentação; f- grau de intensidade previsto de estresse e/ou dor e medidas para minimização destes; g- previsão de enriquecimento ambiental (quando for o caso); h- destino do animal após a sua utilização; i- declaração do Pesquisador da inexistência de alternativas ao procedimento proposto j- termo de responsabilidade do pesquisador responsável quando for o caso de se aplicar: cirurgias, métodos de anestesia e analgesia, descrição de acesso restrito a água e alimento; substâncias administradas (doses e via de aplicação); exposição a elementos físicos e atmosféricos; extração de material e/ou fluidos: vias e quantidades; métodos de contenção mecânica;método de eutanásia 3.7. Aspectos Éticos do Projeto - Breve descrição dos itens indicados Análise crítica dos riscos e benefícios aos sujeitos da pesquisa - relatar se existe algum risco para os usuários que serão envolvidos na pesquisa e quais os benefícios de sua participação Responsabilidade do pesquisador, da instituição e do patrocinador - descrever que cabe ao pesquisador, à instituição e ao patrocinador (se houver) para que a pesquisa seja desenvolvida Critérios para suspender ou encerrar o projeto - indicar se existe ou não algum fator de risco aos usuários que determine a suspensão ou encerramento da pesquisa, ou outros fatores que possam determinar que levem a esta situação Local onde serão realizadas as diversas etapas da pesquisa - descrever cada fase da pesquisa e onde ocorrerá Cronograma das principais atividades/etapas do Projeto/Tempo previsto de duração do projeto - colocar o número de estágios/etapas que serão necessárias para o desenvolvimento da pesquisa Orçamento Financeiro detalhado e remuneração do pesquisador - descrever se os recursos necessários ao desenvolvimento virão da instituição, como: materiais ou bolsas de apoio. Se não houver tais recursos, declarar a voluntariedade do pesquisador. 3

4 3.10. Resultados/produtos esperados e a aplicabilidade da pesquisa/aula - descrever o que retornará o desenvolvimento da pesquisa/aula proposta seja em produto, protótipo, conhecimentos novos, consolidação da formação do aluno pesquisador ou outros. Deixar clara a aplicabilidade da pesquisa Resultados sociais - APENAS PARA PROJETOS EM EXTENSÃO COMUNITÁRIA - Indicar quais serão os resultados sociais esperados com a pesquisa a ser desenvolvida, para a comunidade na qual o Programa de Extensão Comunitária é aplicado Formas de medir o resultado da ação/impacto social - APENAS PARA PROJETOS EM EXTENSÃO COMUNITÁRIA - Indicar quais serão métodos usados para medir os resultados da ação comunitária desenvolvida pela pesquisa e como os impactos sociais serão medidos.descrever como e quando será possível realizar essas medidas Referências - indicadas segundo as normas da ABNT. Devem ser atuais. Não usar referências ultrapassadas. Deverão ser listadas todas as referências citadas no texto e viceversa. 4. RESPONSÁVEIS PELO PROJETO Data Assinatura do professor orientador Data Assinatura do aluno 4

5 Comissão de Ética no Uso de Animais (CEUA) Protocolo de Solicitação de Uso de Animais em Aulas Práticas Em conformidade com a lei /05 que institui o código de proteção de animais no estado de São Paulo, a Resolução Conselho Federal de Medicina Veterinária n o 879/08 e a Lei Federal n o /08 que cria o Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal e regulamenta os CEUAS, das instituições que utilizem de animais para experimentação as atividades práticas que envolvem o uso de animais devem ser submetidas a comissão de Ética no Uso de Animais - CEUA parecer com dados abaixo, Curso: Planejamento de Atividades de Laboratório Semestre Letivo: Turno: Série: ª Disciplina: Carga Horária: Professor(a) Responsável: Teórica: Prática: Aprovado por: Data: RESERVA DE LABORATÓRIO Revisão 00 Data da revisão: Laboratório Tema da aula Datas Horário Tema da Aula: Data: Objetivo(s): Número de grupos: Material por Grupo Quantidade Discriminação do Material Especificação (se houver) Observações: Material nas bancadas laterais Quantidade Discriminação do Material Especificação (se houver) Observações: 5

6 1. Resumo da aula prática 2. Termo de Consentimento Livre e Esclarecido do proprietário ou responsável pelo animal, quando for o caso; 3. Informações Relativas aos animais grau de severidade envolvido: brando, moderado e substancial; características: espécie, raça ou linhagem, idade, sexo e peso; número amostral e justificativa; tempo de utilização na pesquisa ou no procedimento didático; condições de alojamento e de alimentação; grau de intensidade previsto de estresse e/ou dor e medidas para minimização destes; previsão de enriquecimento ambiental (quando for o caso); destino do animal após a sua utilização; declaração do Professor da inexistência de alternativas ao procedimento proposto termo de responsabilidade do pesquisador responsável quando for o caso de se aplicar: cirurgias, métodos de anestesia e analgesia, descrição de acesso restrito a água e alimento; substâncias administradas (doses e via de aplicação); exposição a elementos físicos e atmosféricos; extração de material e/ou fluidos: vias e quantidades; métodos de contenção mecânica;método de eutanásia. 6

CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁRIA

<!ID1060354-0> CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁRIA CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁRIA RESOLUÇÃO Nº 879, DE 15 DE FEVEREIRO DE 2008 Dispõe sobre o uso de animais no ensino e na pesquisa e regulamenta as Comissões de Ética no Uso de

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 879, DE 15 DE FEVEREIRO DE 2008

RESOLUÇÃO Nº 879, DE 15 DE FEVEREIRO DE 2008 RESOLUÇÃO Nº 879, DE 15 DE FEVEREIRO DE 2008 Dispõe sobre o uso de animais no ensino e na pesquisa e regulamenta as Comissões de Ética no Uso de Animais (CEUAs) no âmbito da Medicina Veterinária e da Zootecnia

Leia mais

Comitê de Ética no Uso de Animais (CEUA) Protocolo de Pesquisa. Comitê de Ética no Uso de Animais (CEUA) Protocolo de Pesquisa

Comitê de Ética no Uso de Animais (CEUA) Protocolo de Pesquisa. Comitê de Ética no Uso de Animais (CEUA) Protocolo de Pesquisa Comitê de Ética no Uso de Animais (CEUA) Protocolo de Pesquisa Protocolo nº: (uso da CEUA) Data de Entrega / / (uso da CEUA) Título do Projeto Pesquisador-chefe Departamento Unidade Acadêmica - - - - -

Leia mais

Término Previsto: ---/---/-----

Término Previsto: ---/---/----- UNIVERSIDADE CAMILO CASTELO BRANCO CEUA COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS PROTOCOLO N o. (Para uso exclusivo da CEUA) 1. FORMULÁRIO DE ENCAMINHAMENTO PARA PESQUISA ENVOLVENDO ANIMAIS Curso: Campus: Título

Leia mais

COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA PARA USO DE HUMANO PROTOCOLO DE PLANOS DE AULAS PARA USO DE MATERIAIS BIOLÓGICOS

COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA PARA USO DE HUMANO PROTOCOLO DE PLANOS DE AULAS PARA USO DE MATERIAIS BIOLÓGICOS COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA PARA USO DE HUMANO PROTOCOLO DE PLANOS DE AULAS PARA USO DE MATERIAIS BIOLÓGICOS Data de entrada: No. Protocolo: Nível de abrangência do projeto: ( ) TC ( ) Iniciação Científica

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS DA FACULDADE EVANGÉLICA DO PARANÁ CEUAs - FEPAR SOCIEDADE EVANGÉLICA BENEFICENTE DE CURITIBA

REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS DA FACULDADE EVANGÉLICA DO PARANÁ CEUAs - FEPAR SOCIEDADE EVANGÉLICA BENEFICENTE DE CURITIBA REGIMENTO INTERNO DA COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS DA FACULDADE EVANGÉLICA DO PARANÁ CEUAs - FEPAR SOCIEDADE EVANGÉLICA BENEFICENTE DE CURITIBA CAPÍTULO I DO OBJETO E SUAS FINALIDADES Artigo 1.º

Leia mais

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA O ENCAMINHAMENTO DE PROJETO DE PESQUISA

MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA O ENCAMINHAMENTO DE PROJETO DE PESQUISA MANUAL DE ORIENTAÇÃO PARA O ENCAMINHAMENTO DE PROJETO DE PESQUISA I. FORMA E CONTEÚDO DO PROJETO DE PESQUISA: O projeto de pesquisa deverá ser escrito em português e conter necessariamente os seguintes

Leia mais

ROTEIRO E ESCLARECIMENTOS PARA SUBMISSÃO DE PROJETO DE PESQUISA COM ANIMAIS A COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS DA UNIFRA

ROTEIRO E ESCLARECIMENTOS PARA SUBMISSÃO DE PROJETO DE PESQUISA COM ANIMAIS A COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS DA UNIFRA ROTEIRO E ESCLARECIMENTOS PARA SUBMISSÃO DE PROJETO DE PESQUISA COM ANIMAIS A COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS DA UNIFRA Antes de preencher o formulário para submissão de projeto de pesquisa em animais,

Leia mais

Proposta de Projeto de Pesquisa

Proposta de Projeto de Pesquisa Proposta de Projeto de Pesquisa 1. Dados do Projeto e do Proponente Título do Projeto: XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Subtítulo: XXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXXX Programa de Pós-Graduação: Mestrado

Leia mais

ÉTICA NO USO DE ANIMAIS

ÉTICA NO USO DE ANIMAIS ÉTICA NO USO DE ANIMAIS Profª Cristiane Matté Departamento de Bioquímica Instituto de Ciências Básicas da Saúde Universidade Federal do Rio Grande do Sul Bioética Bioética é uma reflexão compartilhada,

Leia mais

Lista de checagem do protocolo

Lista de checagem do protocolo MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO FUNDAÇÃO UNIVERSIDADE FEDERAL DA GRANDE DOURADOS PRÓ-REITORIA DE ENSINO DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA Comitê de Ética em Pesquisa Lista de checagem do protocolo A avaliação do projeto

Leia mais

ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA - CEUA

ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA - CEUA ROTEIRO PARA A ELABORAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA - CEUA Estrutura do Projeto de Pesquisa CAPA FOLHA DE ROSTO SUMÁRIO 1. RESUMO 2. PROBLEMA DE PESQUISA OU INTRODUÇÃO 3. REFERENCIAL TEÓRICO (REVISÃO DE

Leia mais

Documentos Necessários ao Protocolo de Pesquisa

Documentos Necessários ao Protocolo de Pesquisa Documentos Necessários ao Protocolo de Pesquisa 3. PROTOCOLO DE PESQUISA 3.1) Protocolo de pesquisa: é o conjunto de documentos, que pode ser variável a depender do tema, incluindo o projeto, e que apresenta

Leia mais

ANEXO I FORMULÁRIO UNIFICADO PARA SOLICITAÇÃO DE AUTORIZAÇÃO PARA USO DE ANIMAIS EM ENSINO E/OU PESQUISA

ANEXO I FORMULÁRIO UNIFICADO PARA SOLICITAÇÃO DE AUTORIZAÇÃO PARA USO DE ANIMAIS EM ENSINO E/OU PESQUISA ANEXO I FORMULÁRIO UNIFICADO PARA SOLICITAÇÃO DE AUTORIZAÇÃO PARA USO DE ANIMAIS EM ENSINO E/OU PESQUISA PROTOCOLO PARA USO DE ANIMAIS USO EXCLUSIVO DA COMISSÃO PROTOCOLO N o RECEBIDO EM: / / No campo

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA UnC 003/2011

INSTRUÇÃO NORMATIVA UnC 003/2011 INSTRUÇÃO NORMATIVA UnC 003/2011 Dispõe sobre a tramitação de projeto de pesquisa e procedimentos de ensino que envolva o uso de animais. O Reitor da Universidade do Contestado UnC, no uso de suas atribuições

Leia mais

Edital para Pleito a Bolsa de Iniciação Científica da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Minas Gerais PIBIC / FAPEMIG - 2015

Edital para Pleito a Bolsa de Iniciação Científica da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Minas Gerais PIBIC / FAPEMIG - 2015 Edital para Pleito a Bolsa de Iniciação Científica da Fundação de Amparo a Pesquisa do Estado de Minas Gerais PIBIC / FAPEMIG - 2015 1. Descrição Este programa procura desenvolver nos estudantes de graduação

Leia mais

ORIENTAÇÃO PARA O ESTÁGIO DE DOCÊNCIA DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM SERVIÇO SOCIAL/PPGSS MESTRADO

ORIENTAÇÃO PARA O ESTÁGIO DE DOCÊNCIA DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM SERVIÇO SOCIAL/PPGSS MESTRADO 1 ORIENTAÇÃO PARA O ESTÁGIO DE DOCÊNCIA DO PROGRAMA DE PÓS- GRADUAÇÃO STRICTO SENSU EM SERVIÇO SOCIAL/PPGSS MESTRADO Considerando a Portaria nº 76 de 14 abril 2010 CAPES (Artigo 18); Considerando a Resolução

Leia mais

MANUAL DE PREENCHIMENTO DE FORMULÁRIO DO PIC. pic@up.com.br

MANUAL DE PREENCHIMENTO DE FORMULÁRIO DO PIC. pic@up.com.br MANUAL DE PREENCHIMENTO DE FORMULÁRIO DO PIC pic@up.com.br ACESSO AO FORMULÁRIO Somente o professor terá acesso ao formulário. Basta acessar a intranet e localizar o botão do PIC na lista de ícones de

Leia mais

PROTOCOLO PARA USO DE ANIMAIS

PROTOCOLO PARA USO DE ANIMAIS PROTOCOLO PARA USO DE ANIMAIS USO EXCLUSIVO DA COMISSÃO PROTOCOLO N o RECEBIDO EM: / / 1. Finalidade: [ ] Ensino [ ] Pesquisa [ ] Treinamento 2. Data: Início / / Término / / 3. Docente/ Pesquisador Responsável:

Leia mais

Do Objeto e suas finalidades 3. Da Composição 3. Das Atribuições 4. Do Funcionamento 5. Das Disposições gerais 7

Do Objeto e suas finalidades 3. Da Composição 3. Das Atribuições 4. Do Funcionamento 5. Das Disposições gerais 7 Do Objeto e suas finalidades 3 Da Composição 3 Das Atribuições 4 Do Funcionamento 5 Das Disposições gerais 7 Capítulo 1 DO OBJETO E SUAS FINALIDADES Art. 1º - A Comissão de Ética no Uso de Animais (CEUA),

Leia mais

Programa Institucional de Iniciação Cientifica do Centro Universitário da Fundação Educacional de Barretos PIC/UNIFEB

Programa Institucional de Iniciação Cientifica do Centro Universitário da Fundação Educacional de Barretos PIC/UNIFEB Programa Institucional de Iniciação Cientifica do Centro Universitário da Fundação Educacional de Barretos PIC/UNIFEB INTRODUÇÃO A atividade de pesquisa científica é parte da tríade das funções das Instituições

Leia mais

Art. 1º Instituir normas reguladoras de procedimentos relativos à eutanásia em animais.

Art. 1º Instituir normas reguladoras de procedimentos relativos à eutanásia em animais. CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁRIA RESOLUÇÃO N 1.000, DE 11 DE MAIO DE 2012 Dispõe sobre procedimentos e métodos de eutanásia em animais e dá outras providências. O CONSELHO FEDERAL DE MEDICINA VETERINÁ-

Leia mais

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC -

CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC - Sociedade de Medicina Veterinária da Bahia União Metropolitana para o Desenvolvimento da Educação e Cultura CURSO DE ESPECIALIZAÇÃO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC - Lauro de Freitas Bahia Brasil

Leia mais

FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO - FEAU REGIMENTO DAS ATIVIDADES SUPERVISIONADAS

FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO - FEAU REGIMENTO DAS ATIVIDADES SUPERVISIONADAS FACULDADE DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E URBANISMO - FEAU REGIMENTO DAS ATIVIDADES SUPERVISIONADAS Res. CONSUN nº 46/04, de 29/09/04. Art. 1º Art. 2º Art. 3º Capítulo I Das Atividades Supervisionadas O presente

Leia mais

FACULDADES UNIDAS DO VALE DO ARAGUAIA

FACULDADES UNIDAS DO VALE DO ARAGUAIA TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO TCC O Trabalho de Conclusão de Curso está estruturado sob a forma de elaboração de um artigo científico, sendo este resultado de um trabalho integrado entre as disciplinas

Leia mais

Elaboração do Projeto de Pesquisa

Elaboração do Projeto de Pesquisa Elaboração do Projeto de Pesquisa Pesquisa Pesquisa é um conjunto de atividades, que tem como finalidade solucionar e esclarecer dúvidas e problemas; comprovar hipóteses; Utiliza procedimentos próprios,

Leia mais

Associação de Ensino Superior da Amazônia - AESA Faculdade de Ciências Humanas, Exatas e Letras de Rondônia - FARO

Associação de Ensino Superior da Amazônia - AESA Faculdade de Ciências Humanas, Exatas e Letras de Rondônia - FARO Coordenação de Pesquisa e Extensão. Título do Projeto de pesquisa/ Iniciação Cientifica. Coordenador do projeto: Curso de: Instruções para Preenchimento do Formulário. PESQUISA Caracterização e Objetivos:

Leia mais

FACULDADE METODISTA GRANBERY FMG NÚCLEO DE PESQUISA - NPq EDITAL 02/10. Edital de Chamada de Projetos de Iniciação Científica

FACULDADE METODISTA GRANBERY FMG NÚCLEO DE PESQUISA - NPq EDITAL 02/10. Edital de Chamada de Projetos de Iniciação Científica FACULDADE METODISTA GRANBERY FMG NÚCLEO DE PESQUISA - NPq EDITAL 02/10 Edital de Chamada de Projetos de Iniciação Científica O Diretor da Faculdade Metodista Granbery, nos termos da legislação vigente,

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 052/2014, DE 12 DE AGOSTO DE 2014

RESOLUÇÃO Nº 052/2014, DE 12 DE AGOSTO DE 2014 MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DO SUL DE MINAS GERAIS Conselho Superior Rua Ciomara Amaral de Paula, 167 Bairro Medicina 37550-000 - Pouso Alegre/MG Fone: (35)

Leia mais

2.1.1 Preenchimento do formulário de inscrição. Deve ser preenchido de forma a contemplar as etapas a seguir:

2.1.1 Preenchimento do formulário de inscrição. Deve ser preenchido de forma a contemplar as etapas a seguir: EDITAL PIBITI Nº 041/2013 Goiânia, 26 de dezembro de 2013. A Universidade Federal de Goiás por intermédio da Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós- Graduação torna público o presente edital e convida os interessados

Leia mais

NORMAS PARA ELABORAÇÃO E TRAMITAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA DA DISSERTAÇÃO

NORMAS PARA ELABORAÇÃO E TRAMITAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA DA DISSERTAÇÃO NORMAS PARA ELABORAÇÃO E TRAMITAÇÃO DO PROJETO DE PESQUISA DA DISSERTAÇÃO VIÇOSA - MINAS GERAIS Maio 2007 I. DO PROJETO 1. Todo estudante de pós-graduação deverá, obrigatoriamente, preparar um Projeto

Leia mais

MANUAL DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

MANUAL DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO MANUAL DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO PARA OS ESTUDANTES DE FISIOTERAPIA MONTES CLAROS - MG APRESENTAÇÃO Prezado(a) aluno(a): Este manual tem como objetivo orientá-lo quanto às normas do Trabalho de

Leia mais

ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DOM BOSCO FACULDADES DOM BOSCO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSA DE INICIAÇÃO A PESQUISA DA AEDB

ASSOCIAÇÃO EDUCACIONAL DOM BOSCO FACULDADES DOM BOSCO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSA DE INICIAÇÃO A PESQUISA DA AEDB FACULDADES DOM BOSCO REGULAMENTO DO PROGRAMA DE BOLSA DE INICIAÇÃO A PESQUISA DA AEDB RESENDE RJ 2012 CAPÍTULO I DEFINIÇÕES E OBJETIVOS Art. 1º - O Programa de Iniciação à Pesquisa da AEDB configura-se

Leia mais

FACULDADE DE COLIDER Curso :XXXXXXX, bacharelado.

FACULDADE DE COLIDER Curso :XXXXXXX, bacharelado. PROJETO DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA Protocolo nº / Fls Data: / / Funcionário: TÍTULO DO PROJETO: GESTOR (Coordenador/ Responsável pelo Projeto): INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE COLIDER - FACIDER CURSO: ÁREA: SUBÁREA:

Leia mais

EDITAL No. 01 de 2015 PROGRAMA SANTANDER DE BOLSAS DE EDUCAÇÃO

EDITAL No. 01 de 2015 PROGRAMA SANTANDER DE BOLSAS DE EDUCAÇÃO EDITAL No. 01 de 2015 PROGRAMA SANTANDER DE BOLSAS DE EDUCAÇÃO O Centro Universitário Municipal de Franca - Uni-FACEF, por meio da Pró-Reitoria de Extensão, Cultura e Desenvolvimento Comunitário, divulga

Leia mais

MODELO DE PROJETO DE PESQUISA CIENTÍFICA

MODELO DE PROJETO DE PESQUISA CIENTÍFICA MODELO DE PROJETO DE PESQUISA CIENTÍFICA 1 - IDENTIFICAÇÃO DO PROJETO Título: Linha de Pesquisa: Área (*): Curso de Vínculo: *(Conforme Tabela de Áreas do Conhecimento do CNPq) 2 EQUIPE DE ORIENTAÇÃO:

Leia mais

INSTRUÇÃO PARA O PREENCHIMENTO DOS PROTOCOLOS PARA USO DE ANIMAIS. Os seguintes tópicos devem ser considerados no preenchimento dos protocolos:

INSTRUÇÃO PARA O PREENCHIMENTO DOS PROTOCOLOS PARA USO DE ANIMAIS. Os seguintes tópicos devem ser considerados no preenchimento dos protocolos: INSTRUÇÃO PARA O PREENCHIMENTO DOS PROTOCOLOS PARA USO DE ANIMAIS 1. Informações Gerais Os seguintes tópicos devem ser considerados no preenchimento dos protocolos: Razão do uso. Adequação e disponibilidade

Leia mais

Ciência em Animais de Laboratório

Ciência em Animais de Laboratório 02/10/2012 Ciência em Animais de Laboratório Marcel Frajblat Universidade Federal do Rio de Janeiro Ciência em Animais de Laboratório 1 I Educação, bioética, legislação e biossegurança em animais de laboratório:

Leia mais

ORIENTAÇÕES GERAIS AOS PESQUISADORES

ORIENTAÇÕES GERAIS AOS PESQUISADORES ORIENTAÇÕES GERAIS AOS PESQUISADORES 1 Pesquisador responsável é a pessoa responsável pela coordenação e realização da pesquisa e pela integridade e bem-estar dos sujeitos da pesquisa (Res.196/96 II.4).

Leia mais

Regulamento Complementar do Trabalho de Conclusão de Curso do Curso de Engenharia de Computação UTFPR, campus Pato Branco

Regulamento Complementar do Trabalho de Conclusão de Curso do Curso de Engenharia de Computação UTFPR, campus Pato Branco Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Campus Pato Branco Engenharia de Computação Regulamento Complementar do Trabalho de Conclusão de Curso do Curso de Engenharia de Computação

Leia mais

O título do projeto deve refletir a natureza do problema enfocado e ter um impacto significativo em seu leitor. Não deve ser muito extenso.

O título do projeto deve refletir a natureza do problema enfocado e ter um impacto significativo em seu leitor. Não deve ser muito extenso. P R O G R A M A D E R E S P O N S A B I L I D A D E S O C I A L C E N T R O U N I V E R S I T Á R I O E S T Á C I O D O C E A R Á E S T Á C I O - F I C CURSO: COORDENADOR: DADOS DO PROFESSOR RESPONSÁVEL

Leia mais

O CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA, no uso de suas atribuições, e CONSIDERANDO a importância do Princípio da Indissociabilidade, estabelecido pelo

O CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA, no uso de suas atribuições, e CONSIDERANDO a importância do Princípio da Indissociabilidade, estabelecido pelo REGULAMENTO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES DE INTEGRALIZAÇÃO CURRICULAR DO CURSO DE MEDICINA VETERINÁRIA Aprovado na CamEx, na 84 Sessão, realizada em 18 de março de 2015, apreciada no CONSEPE, na 54ª Sessão,

Leia mais

2 DA ETAPA DE SELEÇÃO DOS ORIENTADORES

2 DA ETAPA DE SELEÇÃO DOS ORIENTADORES EDITAL 2014 Estabelece inscrições para o Programa de Iniciação Científica da Faculdade de Tecnologia Intensiva FATECI. O Diretor Geral da Faculdade de Tecnologia Intensiva FATECI, Prof. Clauder Ciarlini

Leia mais

REGULAMENTO PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA DA ETF-TO

REGULAMENTO PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS CURSOS SUPERIORES DE TECNOLOGIA DA ETF-TO MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA ESCOLA TÉCNICA FEDERAL DE PALMAS DIRETORIA DE ENSINO REGULAMENTO PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS CURSOS SUPERIORES DE

Leia mais

FAMEC REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO

FAMEC REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO FAMEC REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO 1 REGULAMENTO DO ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO (Lei Nº 11.788 / 2008) Regulamenta as atividades do Estágio Curricular da FAMEC e estabelece normas

Leia mais

FACULDADE DE SAÚDE, CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLÓGICAS DO PIAUÍ - NOVAFAPI COORDENAÇÃO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO

FACULDADE DE SAÚDE, CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLÓGICAS DO PIAUÍ - NOVAFAPI COORDENAÇÃO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO R FACULDADE DE SAÚDE, CIÊNCIAS HUMANAS E TECNOLÓGICAS DO PIAUÍ - NOVAFAPI COORDENAÇÃO DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO EDITAL DE PESQUISA CPPG/NOVAFAPI Nº 001/2008 Seleção de projetos de pesquisa e desenvolvimento

Leia mais

ITPA C P O R TO. Coppex. Coordenação de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão

ITPA C P O R TO. Coppex. Coordenação de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão Coppex ITPA C P O R TO Coordenação de Pós-graduação, Pesquisa e Extensão PROGRAMA INSTITUCIONAL DE BOLSA DE EXTENSÃO PROBEX NORMAS E POLÍTICAS DE FOMENTO CAPÍTULO I DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 1º - O presente

Leia mais

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS E SUBPROJETOS DE PESQUISA

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS E SUBPROJETOS DE PESQUISA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE PROJETOS E SUBPROJETOS DE PESQUISA O projeto deve, OBRIGATORIAMENTE, ser elaborado pelo Coordenador do Projeto (titulação mínima Mestre PBIC/UniEVANGÉLICA; titulação mínima Doutor

Leia mais

Programa de Pós-graduação em Medicina Tropical. Chamada Pública do Processo Seletivo para Pós-Doutorado 2014

Programa de Pós-graduação em Medicina Tropical. Chamada Pública do Processo Seletivo para Pós-Doutorado 2014 Programa de Pós-graduação em Medicina Tropical Chamada Pública do Processo Seletivo para Pós-Doutorado 2014 O Programa de Pós-Graduação em Medicina Tropical torna público, para conhecimento dos interessados,

Leia mais

Roteiro para elaboração de Projetos de Pesquisa - CEP/UBM -

Roteiro para elaboração de Projetos de Pesquisa - CEP/UBM - Roteiro para elaboração de Projetos de Pesquisa - CEP/UBM - BARRA MANSA - RJ 2010 1 APRESENTAÇÃO Toda pesquisa que envolva seres humanos e que seja realizada sob responsabilidade de pesquisadores do Centro

Leia mais

FEIRA DE CIÊNCIAS E MOSTRA ITINERANTE: O DESPERTAR DE VOCAÇÕES CIENTÍFICAS

FEIRA DE CIÊNCIAS E MOSTRA ITINERANTE: O DESPERTAR DE VOCAÇÕES CIENTÍFICAS 1. Quem poderá participar da Feira de Ciências?... 2 2. Regras para formação das equipes participantes da Feira de Ciências... 2 2.1. Composição das equipes... 2 2.2. Observação... 3 3. Modalidades dos

Leia mais

CONSIDERANDO que este Conselho compete normatizar esse procedimento; R E S O L V E:

CONSIDERANDO que este Conselho compete normatizar esse procedimento; R E S O L V E: RESOLUÇÃO N o 03/90, CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO Aprova as Normas para elaboração de Projetos de Cursos de Especialização (Pós-Graduação lato sensu ). O CONSELHO DE ENSINO, PESQUISA E EXTENSÃO

Leia mais

1ª. Submissão 2ª. Submissão. Título do Projeto: Pesquisador (a): Orientador (a): Contato do pesquisador (a): Fones ( E-mail:

1ª. Submissão 2ª. Submissão. Título do Projeto: Pesquisador (a): Orientador (a): Contato do pesquisador (a): Fones ( E-mail: Protocolo nº Data de Entrega / / 1ª. Submissão 2ª. Submissão Título do Projeto: Pesquisador (a): Contato do pesquisador (a): Fones ( ) E-mail: - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - - -

Leia mais

NORMAS ESPECÍFICAS DO TFG DO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA

NORMAS ESPECÍFICAS DO TFG DO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA NORMAS ESPECÍFICAS DO TFG DO CURSO DE PUBLICIDADE E PROPAGANDA Art. 1º - Este regulamento disciplina o processo de elaboração, apresentação e avaliação do Trabalho Final de Graduação (TFG) do curso de

Leia mais

Regulamento e Critérios de Avaliação de Trabalho de Conclusão de Curso

Regulamento e Critérios de Avaliação de Trabalho de Conclusão de Curso Regulamento e Critérios de Avaliação de Trabalho de Conclusão de Curso Especialização em Acessibilidade Cultural Departamento de Terapia Ocupacional da UFRJ. Rio de Janeiro, 2013 Responsáveis pela elaboração

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS - CEUA - UEFS

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS - CEUA - UEFS UNIVERSIDADE ESTADUAL DE FEIRA DE SANTANA PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO COMISSÃO DE ÉTICA NO USO DE ANIMAIS - CEUA - UEFS PROTOCOLO PARA USO DE ANIMAIS EM PESQUISA PROTOCOLO N 1. Título do Projeto

Leia mais

REGULAMENTO DE MONITORIA-GRADUADA DAS FACULDADES DE VITÓRIA FDV. Estabelece normas para o funcionamento do Programa de Monitoria-Graduada na FDV

REGULAMENTO DE MONITORIA-GRADUADA DAS FACULDADES DE VITÓRIA FDV. Estabelece normas para o funcionamento do Programa de Monitoria-Graduada na FDV 1 1 1 1 1 1 0 1 0 REGULAMENTO DE MONITORIA-GRADUADA DAS FACULDADES DE VITÓRIA FDV Estabelece normas para o funcionamento do Programa de Monitoria-Graduada na FDV Art. 1 o. A monitoria-graduada é atividade

Leia mais

EDITAL DIREÇÃO N.º 01 /2014

EDITAL DIREÇÃO N.º 01 /2014 EDITAL DIREÇÃO N.º 01 /2014 DISPÕE SOBRE PROCEDIMENTOS PARA INSCRIÇÃO E SELEÇÃO DE PROJETOS DE GRUPOS DE ESTUDOS DOS DOCENTES DOS CURSOS DE GRADUAÇÃO BACHARELADO DA FACULDADE DE CIÊNCIAS SOCIAIS DE FLÓRIANÓPOLIS.

Leia mais

PROCESSO DE SELEÇÃO PARA INGRESSO NO PROGRAMA DE MONITORIA PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO A DISTÂNCIA EDITAL 02/2011

PROCESSO DE SELEÇÃO PARA INGRESSO NO PROGRAMA DE MONITORIA PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO A DISTÂNCIA EDITAL 02/2011 PROCESSO DE SELEÇÃO PARA INGRESSO NO PROGRAMA DE MONITORIA PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO E PÓS-GRADUAÇÃO A DISTÂNCIA EDITAL 02/2011 A Supervisão Acadêmica de Tutores do Grupo Educacional UNINTER torna público

Leia mais

EDITAL N 016/2014. 2.1 Para a realização da presente seleção obedecer-se-á ao seguinte cronograma:

EDITAL N 016/2014. 2.1 Para a realização da presente seleção obedecer-se-á ao seguinte cronograma: EDITAL N 016/2014 CHAMADA PARA PROCESSO SELETIVO DE ESTUDANTES VOLUNTÁRIOS PARA O PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA VOLUNTÁRIA (PICV) DA FACULDADE SENAI 2014/2015 A Diretora da Faculdade de Tecnologia SENAI

Leia mais

Trabalho de Conclusão de Curso

Trabalho de Conclusão de Curso Trabalho de Conclusão de Curso Desenvolvimento do Projeto Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2015 Tópicos da Aula 8ºe9ºPeríodos Introdução; Normas gerais

Leia mais

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS REGULAMENTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Para os propósitos deste documento são aplicáveis as seguintes definições:

UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS REGULAMENTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA. Para os propósitos deste documento são aplicáveis as seguintes definições: 1 UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SANTOS REGULAMENTO DA EDUCAÇÃO A DISTÂNCIA Para os propósitos deste documento são aplicáveis as seguintes definições: Professor-autor é aquele que possui pleno domínio da área

Leia mais

CAPÍTULO I Das definições preliminares, das e dos objetivos.

CAPÍTULO I Das definições preliminares, das e dos objetivos. Resolução n.º 03/2010 Regulamenta os Cursos de Pós-Graduação da Faculdade Campo Real. O CONSU Conselho Superior, por meio do Diretor Geral da Faculdade Campo Real, mantida pela UB Campo Real Educacional

Leia mais

LISTA DE DOCUMENTOS OBRIGATÓRIOS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA AO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA DA ASSOCIAÇÃO DE COMBATE AO CÂNCER EM GOIÁS

LISTA DE DOCUMENTOS OBRIGATÓRIOS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA AO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA DA ASSOCIAÇÃO DE COMBATE AO CÂNCER EM GOIÁS LISTA DE DOCUMENTOS OBRIGATÓRIOS PARA APRESENTAÇÃO DE PROJETOS DE PESQUISA AO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA DA ASSOCIAÇÃO DE COMBATE AO CÂNCER EM GOIÁS 1. MODELO DE DECLARAÇÃO DO PESQUISADOR 2. MODELO PARA

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (PROJETO DE PESQUISA E RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA)

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (PROJETO DE PESQUISA E RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA) REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (PROJETO DE PESQUISA E RELATÓRIO FINAL DE PESQUISA) ARARUAMA / RIO DE JANEIRO AGOSTO / 2013 Diretor Geral: Prof. Rogério Leopoldo Rocha Diretor Acadêmico:

Leia mais

PARA SUBMETER PROJETOS SIGA AS ETAPAS:

PARA SUBMETER PROJETOS SIGA AS ETAPAS: CEUA UNIFESP 2015 PARA SUBMETER PROJETOS SIGA AS ETAPAS: 1. Entre na página da CEUA Comissão de Ética no Uso de Animais (https://www.unifesp.br/reitoria/ceua/) passe o cursor sobre SUBMISSÃO DE PROJETOS

Leia mais

EDITAL Nº 03 DE AGOSTO DE 2015

EDITAL Nº 03 DE AGOSTO DE 2015 EDITAL Nº 03 DE AGOSTO DE 2015 SELEÇÃO PÚBLICA PARA MONITORIA DOS CURSOS GRADUAÇÃO DA FAI A Faculdade do Vale do Itapecuru - FAI, por meio da Direção Acadêmica, torna público pelo presente Edital que estarão

Leia mais

PROCESSO SELETIVO DE PROVAS E TÍTULOS PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PROFESSOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR

PROCESSO SELETIVO DE PROVAS E TÍTULOS PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PROFESSOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR PROCESSO SELETIVO DE PROVAS E TÍTULOS PARA CONTRATAÇÃO TEMPORÁRIA DE PROFESSOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL N. 003/2010 UNEMAT DEPARTAMENTO DE TURISMO - CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE NOVA XAVANTINA MT A UNIVERSIDADE

Leia mais

REGULAMENTO DE MONITORIA

REGULAMENTO DE MONITORIA INSTITUTO EDUCACIONAL DO ESTADO DE SÃO PAULO CNPJ: 63.083.869/0001-67 FACULDADE DE TAQUARITINGA REGULAMENTO DE MONITORIA 2015 REGULAMENTO DA FUNÇÃO DE MONITORIA A função de Monitor está previsto no artigo

Leia mais

ANEXO 2. NORMATIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES

ANEXO 2. NORMATIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1 ANEXO 2. NORMATIZAÇÃO DAS ATIVIDADES COMPLEMENTARES 1. A partir das Diretrizes Curriculares Nacionais para os Cursos de Graduação em Serviço Social o planejamento acadêmico do deve assegurar, em termos

Leia mais

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR

DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR Ministério da Educação Universidade Tecnológica Federal do Paraná Pró-Reitoria de Graduação e Educação Profissional DIRETRIZES CURRICULARES PARA OS CURSOS DE GRADUAÇÃO DA UTFPR APROVADO PELA RESOLUÇÃO

Leia mais

FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBINO - FIPA

FACULDADES INTEGRADAS PADRE ALBINO - FIPA INSTRUÇÕES PARA ENVIO DE PROJETOS Senhor(a) Usuário(a): Para o envio de projetos que utilizam animais, o Requerimento e o Formulário deverão ser preenchidos e encaminhados com as assinaturas do pesquisador

Leia mais

Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários. 11º Edital EDITAL DE SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSOS DE EXTENSÃO

Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários. 11º Edital EDITAL DE SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSOS DE EXTENSÃO Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários 11º Edital EDITAL DE SELEÇÃO DE PROPOSTAS DE CURSOS DE EXTENSÃO A Pró-Reitoria de Extensão e Assuntos Comunitários da Universidade Castelo Branco, faz saber

Leia mais

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS PRINCÍPIOS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS PRINCÍPIOS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO REGULAMENTO DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DOS PRINCÍPIOS DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO ARTIGO 1º - O Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) tem os seguintes princípios: 1.1 Consolidar o ISEAT na

Leia mais

1.1. As vagas oferecidas ao público em geral visam possível ou futura composição do quadro docente

1.1. As vagas oferecidas ao público em geral visam possível ou futura composição do quadro docente A FACULDADE ESTÁCIO DA PARAÍBA ESTÁCIO PARAÍBA E FACULDADE ESTÁCIO DE JOÃO PESSOA ESTÁCIO JOÃO PESSOA, campi IDEZ e UNIUOL divulgam processo seletivo para formação de cadastro de reserva para o cargo de

Leia mais

PRÓ-REITORIA DE ENSINO NORMATIVA INTERNA PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC)

PRÓ-REITORIA DE ENSINO NORMATIVA INTERNA PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) PRÓ-REITORIA DE ENSINO NORMATIVA INTERNA PARA O TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO (TCC) Aracaju/SE 2011 CAPÍTULO I Das finalidades e dos Objetivos Art. 1º - As Normas de Trabalho de Conclusão de Curso (TCC)

Leia mais

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE MORRINHOS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SOCIEDADE E AMBIENTE

UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE MORRINHOS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SOCIEDADE E AMBIENTE UNIVERSIDADE ESTADUAL DE GOIÁS UNIDADE UNIVERSITÁRIA DE MORRINHOS PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM SOCIEDADE E AMBIENTE Rua 14, nº 625 Jardim América Morrinhos - GO - CEP 75.650-000 Telefax (064) 3413-1097

Leia mais

RESOLUÇÃO CONJUNTA nº 01/2011 Conselho Setorial / Colegiado do Curso

RESOLUÇÃO CONJUNTA nº 01/2011 Conselho Setorial / Colegiado do Curso UNIVERSIDADE FEDERAL DO PARANÁ FACULDADE DE DIREITO RESOLUÇÃO CONJUNTA nº 01/2011 Conselho Setorial / Colegiado do Curso Regulamenta a elaboração e a defesa de Trabalho de Conclusão de Curso - TCC. O Colegiado

Leia mais

Faculdade HSM Núcleo de Prática Acadêmica (NPA) Manual de orientações para o cumprimento das horas de Atividades Complementares

Faculdade HSM Núcleo de Prática Acadêmica (NPA) Manual de orientações para o cumprimento das horas de Atividades Complementares Faculdade HSM Núcleo de Prática Acadêmica (NPA) Manual de orientações para o cumprimento das horas de Complementares 2014 As Complementares abrangem o ensino, a pesquisa e a extensão, estão fixadas em

Leia mais

FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS. Faculdade Presidente Antônio Carlos De Governador Valadares. Núcleo De Investigação Cientifica e Extensão

FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS. Faculdade Presidente Antônio Carlos De Governador Valadares. Núcleo De Investigação Cientifica e Extensão REGULAMENTO DO NÚCLEO DE INVESTIGAÇÃO CIENTÍFICA E EXTENSÃO NICE Governador Valadares 2011 FUNDAÇÃO PRESIDENTE ANTÔNIO CARLOS Faculdade Presidente Antônio Carlos De Governador Valadares Núcleo De Investigação

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 04, DE 09 DE JUNHO DE 2015

RESOLUÇÃO Nº 04, DE 09 DE JUNHO DE 2015 RESOLUÇÃO Nº 04, DE 09 DE JUNHO DE 2015 Institui regulamento referente ao Trabalho de Conclusão de Curso para o curso de Medicina do Instituto Metropolitano de Ensino Superior. O PRESIDENTE DO CONSELHO

Leia mais

PRÓ- REITORIA DE PESQUISA, PÓS- GRADUAÇÃO, EXTENSÃO E CULTURA GERÊNCIA DE PÓS- GRADUAÇÃO PROGRAMA DE MESTRADO ACADÊMICO EM COMPUTAÇÃO APLICADA

PRÓ- REITORIA DE PESQUISA, PÓS- GRADUAÇÃO, EXTENSÃO E CULTURA GERÊNCIA DE PÓS- GRADUAÇÃO PROGRAMA DE MESTRADO ACADÊMICO EM COMPUTAÇÃO APLICADA PRÓ- REITORIA DE PESQUISA, PÓS- GRADUAÇÃO, EXTENSÃO E CULTURA GERÊNCIA DE PÓS- GRADUAÇÃO PROGRAMA DE MESTRADO ACADÊMICO EM COMPUTAÇÃO APLICADA NORMAS PARA O ESTÁGIO DE DOCÊNCIA Em sua Seção III, Regimento

Leia mais

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO

CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO CAPÍTULO I DA NATUREZA E DEFINIÇÃO Art. 1º As atividades de Pesquisa da Universidade de Santo Amaro UNISA buscam fomentar o conhecimento por meio da inovação técnica, científica, humana, social e artística,

Leia mais

Faculdade Vizinhança Vale do Iguaçu

Faculdade Vizinhança Vale do Iguaçu Faculdade Vizinhança Vale do Iguaçu Centro Pastoral, Educacional e Assistencial Dom Carlos - CPEA PROCESSO SELETIVO PARA CONTRATAÇÃO DE PROFESSOR DA EDUCAÇÃO SUPERIOR EDITAL N 06/2013 VIZIVALI A FACULDADE

Leia mais

PROFESSOR PESQUISADOR

PROFESSOR PESQUISADOR Edital nº 06/2014 de 18 de setembro de 2014, da Universidade Aberta do Brasil da Universidade Federal de Pelotas UFPEL, referente ao Processo Seletivo Simplificado Classificatório, para a função temporária

Leia mais

1. PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FAEC

1. PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FAEC 1. PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA FAEC 1.1 Definição de Iniciação Científica A iniciação cientifica é uma atividade acadêmica que permite introduzir os discentes de graduação na pesquisa cientifica.

Leia mais

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Cursos de Licenciatura FACCAMP QUÍMICA

MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Cursos de Licenciatura FACCAMP QUÍMICA MANUAL DE ESTÁGIO SUPERVISIONADO Cursos de Licenciatura FACCAMP QUÍMICA Campo Limpo Paulista ESTÁGIO CURRICULAR SUPERVISIONADO O Estágio Curricular Supervisionado, a ser desenvolvido em escola particular

Leia mais

FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA - FAMEMA FÓRMULA SANTANDER 2014 2015 PROGRAMA DE BOLSAS DE MOBILIDADE INTERNACIONAL

FACULDADE DE MEDICINA DE MARÍLIA - FAMEMA FÓRMULA SANTANDER 2014 2015 PROGRAMA DE BOLSAS DE MOBILIDADE INTERNACIONAL FÓRMULA SANTANDER 2014 2015 O Diretor Geral da Faculdade de Medicina de Marília (Famema), Professor Doutor Paulo Roberto Michelone, no uso de suas atribuições, torna público este Edital de seleção de estudantes

Leia mais

Fundação Carmelitana Mário Palmério FACIHUS Faculdade de Ciências Humanas e Sociais

Fundação Carmelitana Mário Palmério FACIHUS Faculdade de Ciências Humanas e Sociais Edital do Programa Institucional de Bolsas de Iniciação Científica PIBIC/FAPEMIG/FUCAMP 2015/2016 Edital Nº 01/2015 - Convocação de Projetos de Pesquisa para Bolsas de Iniciação Científica O Núcleo de

Leia mais

REGIMENTO DA GERÊNCIA DE PROJETOS E RESPONSABILIDADE SOCIAL

REGIMENTO DA GERÊNCIA DE PROJETOS E RESPONSABILIDADE SOCIAL APROVADO Alterações aprovadas na 21ª reunião do Conselho Superior realizada em 30/12/2009. REGIMENTO DA GERÊNCIA DE PROJETOS E RESPONSABILIDADE SOCIAL Art. 1º - O presente Regimento institucionaliza e

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA SOBRE FLUXO DA PESQUISA NA FACULDADE DE MEDICINA

INSTRUÇÃO NORMATIVA SOBRE FLUXO DA PESQUISA NA FACULDADE DE MEDICINA INSTRUÇÃO NORMATIVA SOBRE FLUXO DA PESQUISA NA FACULDADE DE MEDICINA Estabelece o fluxo de tramitação dos projetos de pesquisa em seres humanos, experimentais ou de saúde coletiva na FMB- UNESP e no HCFMB

Leia mais

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ESCOLA DE FARMÁCIA E ODONTOLOGIA DE ALFENAS CENTRO UNIVERSITÁRIO FEDERAL

MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO ESCOLA DE FARMÁCIA E ODONTOLOGIA DE ALFENAS CENTRO UNIVERSITÁRIO FEDERAL REGULAMENTAÇÃO DO ESTÁGIO DE INTERESSE CURRICULAR DO CURSO DE QUÍMICA DA Efoa/Ceufe Resolução Nº 007/2005 pelo Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEPE) O presente regulamento foi elaborado tendo

Leia mais

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC

REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO - TCC ENFERMAGEM Elaboração: Docente Ms. Taísa Guimarães de Souza 2012/1 Revisão: Docente Drº Rogério Alexandre Nunes dos Santos / Docente Esp. Robsom Inácio

Leia mais

PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UEMA PIBIC-CNPq/UEMA/FAPEMA EDITAL UEMA/PPG Nº 03/2015

PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UEMA PIBIC-CNPq/UEMA/FAPEMA EDITAL UEMA/PPG Nº 03/2015 PROGRAMA DE BOLSAS DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UEMA PIBIC-CNPq/UEMA/FAPEMA EDITAL UEMA/PPG Nº 03/2015 A Pró-Reitoria de Pesquisa e Pós-Graduação da Universidade Estadual do Maranhão - PPG UEMA em conjunto

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO TÍTULO I DOS OBJETIVOS

REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO TÍTULO I DOS OBJETIVOS REGIMENTO INTERNO DO CURSO DE PÓS-GRADUAÇÃO LATO SENSU EM ENGENHARIA DE SEGURANÇA DO TRABALHO TÍTULO I DOS OBJETIVOS Art. 1º - O presente Regimento Interno regulamenta a organização e o funcionamento do

Leia mais

PROGRAMA DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIC/PIBITI/UniCEUB EDITAL DE 2015

PROGRAMA DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIC/PIBITI/UniCEUB EDITAL DE 2015 PROGRAMA DE INICIAÇÃO EM DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO E INOVAÇÃO PIC/PIBITI/UniCEUB EDITAL DE 2015 O reitor do Centro Universitário de Brasília UniCEUB, no uso de suas atribuições legais e estatutárias,

Leia mais

Faculdades Integradas de Taquara

Faculdades Integradas de Taquara CONSELHO SUPERIOR ACADÊMICO E ADMINISTRATIVO RESOLUÇÃO CSAA N 04/2015 Regulamenta as Atividades Complementares dos Cursos de Graduação das Faculdades Integradas de Taquara. O Presidente do Conselho Superior

Leia mais

UNIESP - CASCAVEL FACULDADE DE TECNOLOGIA E GESTÃO FATEG REGULAMENTO TCC

UNIESP - CASCAVEL FACULDADE DE TECNOLOGIA E GESTÃO FATEG REGULAMENTO TCC UNIESP - CASCAVEL FACULDADE DE TECNOLOGIA E GESTÃO FATEG REGULAMENTO TCC REGULAMENTO DO TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO DE BACHARELADO EM CIÊNCIAS CONTÁBEIS COORDENADORA DO CURSO Profa. Ms. Arlete Korovisk

Leia mais

EDITAL Nº 145/2015 PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UESB PIC/UESB (DISCENTE VOLUNTÁRIO)

EDITAL Nº 145/2015 PROGRAMA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UESB PIC/UESB (DISCENTE VOLUNTÁRIO) Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia UESB PRÓ-REITORIA DE PESQUISA E PÓS-GRADUAÇÃO PPG Programa de Iniciação Científica da UESB PIC/UESB Gerência de Pesquisa / Comitê Interno de Iniciação Científica

Leia mais

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA COM HUMANOS E ANIMAIS DO INSTITUTO FEDERAL DO SERTÃO PERNAMBUCANO

REGIMENTO INTERNO DO COMITÊ DE ÉTICA EM PESQUISA COM HUMANOS E ANIMAIS DO INSTITUTO FEDERAL DO SERTÃO PERNAMBUCANO SERVIÇO PÚBLICO FEDERAL MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO PROFISSIONAL E TECNOLÓGICA INSTITUTO FEDERAL DE EDUCAÇÃO CIÊNCIA E TECNOLÓGIA DO SERTÃO PERNAMBUCANO PRÓ-REITORIA DE PESQUISA, INOVAÇÃO

Leia mais