ESTRATÉGIAS DE OTIMIZAÇÃO NO SGBD MICROSOFT SQL SERVER 2008 R2 IREMAR NUNES DE LIMA 2

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "ESTRATÉGIAS DE OTIMIZAÇÃO NO SGBD MICROSOFT SQL SERVER 2008 R2 IREMAR NUNES DE LIMA 2"

Transcrição

1 ESTRATÉGIAS DE OTIMIZAÇÃO NO SGBD MICROSOFT SQL SERVER 2008 R2 RAMON FELIPE MOREIRA DIAS DE SOUZA 1 IREMAR NUNES DE LIMA 2 Resumo: Este artigo identifica e discute diversas estratégias que podem ser utilizadas para melhorar o desempenho de sistemas de banco de dados no SGBD Microsoft SQL Server 2008R2. Palavras-chave: Banco de Dados, Otimização, SQL Server 2008 R INTRODUÇÃO Hoje existem profissionais da área de Tecnologia da Informação (TI) cada vez mais interessados na área de otimização dos sistemas de informação e, em particular, na melhoria do desempenho dos Sistemas de Gerenciamento de Banco de Dados (SGBD). São inúmeras as técnicas de otimização disponíveis, sendo necessário que os profissionais de TI como analistas, projetistas e desenvolvedores de sistemas conheçam estas técnicas para 1 Especialista em Banco de Dados e Business Inteligence 2 DBA, mestre em informática e professor do Centro Universitário Newton Paiva

2 2 não gerar projetos de sistemas de banco de dados ineficientes ou que consomem recursos significativos no servidor de banco de dados desnecessariamente. Em particular, gerenciar grandes volumes de dados no SGBD é a tarefa fundamental do DBA (Database Administrator). Garantir a eficiência do banco de dados evita gargalos na aplicação, melhora a qualidade de acesso aos dados e reduz custos com hardware. Segundo Date (2004), o Sistema Gerenciador de Banco de Dados é o software que manipula todos os acessos ao Banco de Dados, e na maioria dos casos, esses SGBD s são instalados, configurados e utilizados com seus valores padrões. Temos que levar em consideração o hardware que estamos utilizando, requisitos de negócio da aplicação e parâmetros no servidor de banco de dados. O ajuste dos parâmetros de configuração é necessário para podermos extrair o melhor desempenho do SGBD. O conhecimento detalhado de ferramentas e módulos do SGBD é muito importante, pois uma degradação acentuada de desempenho em função de ausência de monitoramento pelo DBA pode inviabilizar a execução de operações vitais do negócio da corporação. O DBA, através do monitoramento do SGBD, é capaz de analisar e melhorar o desempenho das transações mais freqüentes no banco, ajustar parâmetros de configuração e identificar contenções críticas no banco de dados. É necessário conhecer as diferentes técnicas de otimização, objeto de estudo deste artigo. 2.0 ESTRATÉGIAS DE OTIMIZAÇÃO A seguir será identificado e em seguida explicado sucintamente, as diferentes estratégias de otimização de um sistema de banco de dados baseado no SQL Server 2008 R2. Muitas das

3 3 estratégias apontadas se aplicam a diferentes SGBDs e outras somente ao SQL Server. Não é objetivo deste artigo aprofundar no detalhamento e aplicação da estratégia. Índices: Indexar corretamente as colunas das tabelas de um banco de dados é a principal forma de melhorar o desempenho de um banco de dados. Em geral, somente esta estratégia resolverá a maioria dos gargalos encontrados num sistema de banco de dados. A recomendação é sempre indexar todas as primarys keys e foreigns keys das tabelas. No SQL Server, as primarys keys das tabelas já são indexadas automaticamente, mas as foreigns keys não. As colunas mais acessadas e usadas nas cláusulas where das consultas mais freqüentes também são candidatas naturais à indexação. Fill Factor - Na criação de um índice avaliar o parâmetro fill factor. Este parâmetro determina qual a porcentagem de uma página de dados deve ser preenchido com o índice e quanto deve ser mantido vazio, reservado para inclusões e alterações. Por exemplo, se utilizarmos fill factor igual a 80%, então o SQL irá apenas preencher 80% de cada pagina com os índices. Tabelas estáticas e tabelas dinâmicas devem ter valores ajustados para este parâmetro. Índices Filtrados - Índices filtrados é um novo recurso do SQL 2008 e seu objetivo é filtrar os dados que serão indexados na cláusula where. Isto permite a indexação parcial de uma tabela grande. Em cenários de busca parcial e freqüente de dados numa tabela é recomendado.

4 4 Reconstrução dos índices Índices podem ficar fragmentados. Crie um job periódico (semanal, por exemplo) para desfragmentação (rebuild) dos índices em horário de menor utilização do sistema. Existem diversas formas para identificar a freqüência com que ocorre a fragmentação: avalie e defina a melhor forma de resolver o problema. Atualização de estatísticas Manter as estatísticas das tabelas e índices atualizados é uma estratégia que ajuda o otimizador do banco de dados a decidir o melhor plano de execução para uma determinada query. Em geral, os bancos de dados como o SQL Server 2008 R2, tem configurado internamente um parâmetro que faz isto de forma automática (auto update statistics), porém existem cenários em que esta opção é insuficiente e até mesmo pode ser um fator de degradação do banco de dados. Recomenda-se que se crie um job (diário, por exemplo) para atualização de estatísticas em horário de menor utilização do sistema. Em particular, sempre depois de processos de expurgo ou de carga de dados é aconselhável atualizar as estatísticas das tabelas envolvidas. Tipos de dados Uma das principais tarefas de um DBA é identificar os tipos de dados correto para cada campo de uma tabela. É importante o DBA conhecer todos os tipos de dados disponíveis e usá-los corretamente nas colunas das tabelas. Projetando bem o seu banco de dados, garantirá uma boa performance, escabilidade e integridade da informação armazenada. No SQL2008, por exemplo, varchar é um tipo de dado onde se especifica o tamanho máximo do campo e a alocação é feita de forma dinâmica, ou seja, os bytes só são efetivamente utilizados à medida que os caracteres são inseridos. Já no tipo char, todos os bytes do tamanho do campo são alocados independentes do tamanho da palavra que é inserida. Por exemplo, se você define um campo varchar(100), mas insere uma palavra de 10

5 5 caracteres, somente os 10 serão alocados no banco. Se for um char(100), sempre serão alocados 100 caracteres para o campo a cada registro inserido, independente do tamanho da palavra. Sendo assim, usar varchar é mais econômico em termos de alocação de espaço comparado ao tipo char. Isso é o motivo do tipo varchar ser largamente utilizado em relação ao char, principalmente para campos de tamanhos maiores. Isso implica também no desempenho do banco de dados, já que ao carregar para a memória os registros do tipo varchar, o volume de dados trabalhado normalmente é bem menor do que seria se o campo fosse char. Constraints As constraints são utilizadas para assegurar integridade dos dados no banco de dados. Se implementarmos uma integridade declarativa, utilizamos constraints e rules para garantir a integridade. Podemos implementar constraints em uma tabela na sua criação ou então posteriormente, utilizando o comando de alter table. O objetivo do uso de constraints é garantir a integridade do banco de dados, e obviamente essa garantia tem um custo que impacta no desempenho do sistema. Por outro lado, um banco de dados íntegro alivia o desempenho do servidor de aplicação ou dos clientes, já que a aplicação não precisa realizar diversas validações que já são garantidas pelo banco de dados. É recomendado a utilização de constraints, já que a integridade é um dos requisitos básicos de um banco de dados, porém o custo de performance na utilização de constraints pode não ser irrelevante. Deve-se avaliar rigosamente o benefício no desempenho ao se desabilitar uma constraint no banco de dados. Normalização Em sistema OLTP (Online Transaction Processing) é recomendado a normalização das tabelas do banco de dados, mas em sistemas OLAP (On-Line Analytical Processing) não. O processo de normalização e desnormalização bem projetado e controlado

6 6 podem ajudar na melhoria do desempenho do banco de dados. Analise as características da aplicação e avalie o processo de normalização e desnormalização. Instruções SQL - Quando possível, crie instruções SQL idênticas, pois no momento da execução da instrução, o banco compila a mesma e a preserva em memória. Na próxima execução, não vai precisar compilar e definir o plano de execução novamente. Uma ótima técnica para fazer isso é utilizar variáveis nas suas instruções ao invés de colocar valores fixos nas consultas. Sempre avalie também o plano de execução da query procurando identificar formas de reescrita otimizada do código SQL e novos índices nas tabelas envolvidas nas querys. Storage O SQL Server possui três estruturas básicas de armazenamento: Dados, Índices e log transaction. Separá-los em storages (discos) independentes é uma boa estratégia uma vez que o SQL Server poderá realizar em paralelo o processo de I/O no banco de dados quando estiver manipulando as diferentes estruturas. Arquitetura RAID - Defina a arquitetura RAID (conjunto redundante de discos independentes) da storage usada para armazenar os datafiles do banco de dados. O RAID utiliza controladoras de disco e arrays de discos para minimizar a perda de dados, em caso de falhas da mídia, além de fornecer melhoria de desempenho nas operações de leitura e escrita. TEMPDB Existe um banco de dados no SQL Server chamado TEMPDB que é muito usado pelo sistema em alguns casos como em processos de ordenação. Existem diversos cenários de

7 7 contenção cuja causa raiz é a não configuração adequada ao negócio deste banco de dados. O melhor tamanho inicial do TEMPDB deve ser avaliado. O tamanho default é 8MB e toda vez que houver uma forte utilização do TEMPDB, ele irá gastar tempo para alocar mais espaço no sistema operacional a fim de gravar os dados temporários das transações. Avalie também a quantidade de datafiles para este banco de dados: a Microsoft recomenda um datafile no TEMPDB para cada processador que existe no servidor. Auto crescimento Assim como o TEMPDB, todos os bancos de dados do SQL Server têm alguns parâmetros de configuração. Um deles é a configuração do tamanho inicial e de quanto ele irá crescer. Ajuste corretamente estes valores para não gerar contenção no banco de dados. Os arquivos de logs dos bancos de dados também devem ter estes parâmetros ajustados corretamente. Rotinas de manutenção: Um bom DBA deve programar diversas rotinas importantes num banco de dados como backups full, backups diferenciais, backups de logs, desfragmentação de índices, atualização de estatísticas, shrink, jobs de carga e expurgo de dados, etc. Estas tarefas consomem diferentes e significativos recursos no banco de dados. Devem ser programadas de forma a não interferirem uma nas outras e no dia a dia do uso do banco de dados. Modelos de recovery - Existem três modelos de recovery (recuperação) no SQL Server: Full, Blk-Logged e Simple. Cada modelo de recuperação deve ser aplicado a uma necessidade

8 8 diferente de negócio e afeta o desempenho do banco de dados. Portanto, avalie configurar corretamente o modelo de recovery de cada banco de dados da instância SQL Server. TOP SQL s - Procure identificar as TOP SQL s (queries consomem significativos recursos de I/O, Memória e CPU.). Elas podem ser encontradas através de consultas nas dynamics views da instância para posterior melhorias. Particionamento de tabelas O particionamento de tabelas permite dividir os dados em várias tabelas. Em tabelas grandes que possuem milhões de registros pode ser uma estratégia eficiente de otimização. Entender o processo e definir corretamente os critérios de particionamento de tabelas e índices é um processo eficiente para melhorias de desempenho no banco de dados. Views indexadas - Views indexadas armazenam os dados em um índice cluster. As consultas nestas views são executadas mais rapidamente. A criação de views indexadas, também chamadas de views materializadas, agiliza as consultas que envolvem várias tabelas com grandes quantidades de registros. Grouping Sets Os Grouping Sets são uma extensão da clausula GROUP BY, que permitem que os usuários definam múltiplos agrupamentos na mesma consulta. Os Grouping Sets produzem um único conjunto de resultados que é equivalente a uma UNION ALL de linhas

9 9 agrupadas de forma diferente, tornando a consulta de agregação e relatórios mais fáceis e rápidos. SET NOCOUNT ON - Utilize o comando SET NOCOUNT ON antes dos comandos dentro das procedures. Esta configuração faz com que o servidor não mostre o número de registro afetado pelos scripts. Isso pode evitar o tráfego de rede extra afetando a performance, principalmente se a procedure é chamada com frequência. Auditoria de Logs - Sempre defina o nível de auditoria de logins mais adequado ao cenário de negócio. Um sugestão é alterar o valor default para Failed Longins Only. Isto reduz drasticamente a necessidade gravação de dados na log da instância Recovery Interval - Alterar o parâmetro do servidor Recovery Interval pode ser uma opção boa em alguns cenários. Se o seu SQL Server é muito ativo, recebendo uma carga enorme de transações é recomendado fazer o ajuste no parâmetro. Network Packet Size - Ajustar o tamanho padrão de pacotes Network Packet Size enviados na rede é um ajuste fino de otimização no banco de dados. O tamanho padrão é de 4096 bytes para cada pacote. Esta configuração pode ser alterada para um valor maior, quando a aplicação trafega com freqüência dados com um grande número de bytes, como, por exemplo, imagens e longos trechos de texto. Aumentando o número de bytes, temos menos pacotes trafegando e assim o tráfego na rede é acelerado.

10 10 Processador - Se tiver mais de uma instância num servidor, considere fazer os ajustes de processador (CPU) que cada instância pode usar. Isto irá evitar que uma instância afete todas as demais em cenários de uso intensivo de processador. Priority Boost - Priority Boost é um parâmetro que define a prioridade dos processos SQL no servidor. Por padrão o valor inicial é 0, mas se alterado para 1, os processos oriundos do SQL terão maior prioridade de execução sobre outros processos no servidor. Avalie a necessidade de fazer o ajuste deste parâmetro. Max Degree Of Parallelism - Max Degree Of Parallelism é um parâmetro para definir o grau de paralelismo das queries SQL. O default é 0 e significa que o paralelismo está ativado e pode usar as CPUs existentes no servidor. Se alterado para 1 o paralelismo é desativado para todas as CPUs. Avalie a necessidade de fazer o ajuste deste parâmetro. Parâmetros de memória Existem alguns parâmetros para ajustes de memória para uma instância SQL Server. Avalie a necessidade de se fazer o ajuste dos seguintes parâmetros: Max Server Memory: Limite superior de memória da instância. Min Server Memory: Limite inferior de memória da instância. Max worker threads: Limite superior de threads.

11 11 Index Create Memory: Total de memória usado em operações de criação de índices. Min Memory per Query: Especifica a quantidade mínima de memória que será alocada para execução de cada query. Monitoração: Monitorar o SGBD é uma ótima estratégia para identificar o problema antes do mesmo ocorrer (pró-atividade). Existem diversas ferramentas no SQL Server para monitoração do desempenho do BD como SQL profiler, performance Studio, performance monitor, tuning advisor, activity monitor e Dynamic Management Views (DMV). Use-as periodicamente procurando pelas queries SQL que mais consomem recursos de I/O, Memória e CPU. Monitore locks: Particularmente, locks (bloqueios) gerados por queries SQL podem causar contenções significativas no banco de dados. Monitore, através do utilitário perfmom, por exemplo, o indicador Locks: Avarage Wait Time (ms). Este indicador mostra quanto tempo em milissegundos um processo esta aguardando para obter lock no SQL Server. O valor ideal para este contador é 0. Se este valor estiver muito alto, utilize ferramentas como o Profile para identificar quais processos estão mantendo locks por um período longo de tempo. Plano de Capacidade - Uma das responsabilidades de um DBA é elaborar periodicamente o Plano de Capacidade (Capacity Plan) do servidor de banco de dados. Este documento deve mostrar a evolução de consumo dos principais recursos no servidor de banco de dados como, espaço de armazenamento, utilização de CPU, consumo de memória, taxa de I/O, banda de

12 12 rede e outros indicadores técnicos que possam impactar no desempenho do banco de dados. Com este documento pode-se acompanhar a evolução histórica dos indicadores no servidor e tomar ações pró-ativas que reduzam os riscos de perda de desempenho na aplicação. 3.0 CONCLUSÃO Um DBA detém a responsabilidade técnica central pelos dados da organização. Ele deve saber quais recursos pode ser utilizado para melhorar o desempenho das consultas de um sistema, a segurança das informações armazenadas, recuperação os dados perdidos em uma data especifica, entre outros problemas no dia-a-dia. Com as técnicas apresentadas é possível automatizar essas obrigações e retirar o máximo de eficiência e eficácia. Uma administração ruim de um SGBD pode causar várias conseqüências. Uma má administração começa na fase de projeto do banco de dados. Uma modelagem conceitual de dados mal construída pode gerar conseqüências desastrosas no banco de dados. Baixo desempenho do banco é outra conseqüência que pode ser decorrente de uma má administração. No entanto, é importante estar atento: nem sempre o baixo desempenho é resultado de algum problema no banco de dados. Outros fatores, como conexões ou configurações de rede, bem como configuração de hardware, podem estar associados ao problema. O ponto chave do problema é a monitoração, que se realizada de forma pró-ativa e preventiva pode evitar incidentes relacionados ao desempenho.

13 13 REFERÊNCIAS BATTIST, Júlio. SQL Server 2005: Administração & Desenvolvimento: Curso Completo. Axcel Books, 2005, 1016p. BLOG DA TI, Tipo de dados SQL Server Disponível em <http://blogdati.com.br/?p=65> CHIGRIK, Alexander. Optimizing SQL Server Performance by using File and Filegroups: Disponível em: <http://www.sqlservercentral.com/articles/performance+tuning/fileoptimtips/443/> DATE, C. J. Introdução a Sistemas de Bancos de Dados. Campus, Rio de Janeiro, DUMLER, Michelle. Microsoft SQL Server 2005: Guia do Produto. Disponível em: <http://download.microsoft.com/download/4/3/7/43798b24-9af d ae367cc/ProductGuide-brz.doc> HIRT, Allan; MCBATH,Frank;TRIPP,Kimberley;COOK,Cathan;MICROSOFT CORP. SQL Server 2000 High Availability. Mircrosoft Press,2003,800p. LINGUAGEM DE BANCO DE DADOS, Tipo de Constraints. Disponível em <http://elderstroparo.blogspot.com/2010/02/tipos-de-constraints.html> MICROSOFT, Comparação de recursos do SQL Server Disponível em <http://www.microsoft.com/brasil/servidores/sql/prodinfo/features/compare-features.mspx>. MICROSOF, Tipo de dados (Transact-SQL). Disponível em <http://msdn.microsoft.com/pt-br/library/ms aspx> PINHEIRO, Nilton. Database Mirroring. Revista SQL Magazine, n.38, p SQL SERVER CONSTRAINTS, SQL Server Constraints. Disponível em <http://marcelo.todoinfo.com.br/sqlserver-constraints/>

CONTENÇÕES NO SGBD MICROSOFT SQL SERVER 2008 R2

CONTENÇÕES NO SGBD MICROSOFT SQL SERVER 2008 R2 CONTENÇÕES NO SGBD MICROSOFT SQL SERVER 2008 R2 ROMULO RUBENS CUNHA JUNIOR 1 IREMAR NUNES DE LIMA 2 Resumo: Este artigo aborda os tipos de contenções que podem ocorrer no Sistema Gerenciador de Banco de

Leia mais

14/09/2008. Curso Superior de Tecnologia em Bando de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan

14/09/2008. Curso Superior de Tecnologia em Bando de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia em Bando de Dados Disciplina: Projeto de Banco de Dados Relacional II Prof.: Fernando Hadad Zaidan Unidade 2.2 1 2 Material usado na montagem dos Slides Bibliografia

Leia mais

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server

Noções de. Microsoft SQL Server. Microsoft SQL Server Noções de 1 Considerações Iniciais Basicamente existem dois tipos de usuários do SQL Server: Implementadores Administradores 2 1 Implementadores Utilizam o SQL Server para criar e alterar base de dados

Leia mais

Introdução. Durante o período de monitoração, a configuração sumária da instância alvo, que foi obtida dinamicamente, era a seguinte:

Introdução. Durante o período de monitoração, a configuração sumária da instância alvo, que foi obtida dinamicamente, era a seguinte: Introdução Com base nos dados coletados na máquina ACME Server, de 1/4/22, às :, até 13/5/22, às 23:, foi produzido o presente relatório de análise de performance para a instância ACME do SQL Server. Os

Leia mais

Carga Horária 40 horas. Requisitos Servidor Oracle 10G Ferramenta para interação com o banco de dados

Carga Horária 40 horas. Requisitos Servidor Oracle 10G Ferramenta para interação com o banco de dados Oracle 10g - Workshop de Administração I Objetivos do Curso Este curso foi projetado para oferecer ao participante uma base sólida sobre tarefas administrativas fundamentais. Neste curso, você aprenderá

Leia mais

Sistema de Bancos de Dados. Conceitos Gerais Sistema Gerenciador de Bancos de Dados

Sistema de Bancos de Dados. Conceitos Gerais Sistema Gerenciador de Bancos de Dados Sistema de Bancos de Dados Conceitos Gerais Sistema Gerenciador de Bancos de Dados # Definições # Motivação # Arquitetura Típica # Vantagens # Desvantagens # Evolução # Classes de Usuários 1 Nível 1 Dados

Leia mais

Treinamento. DBA Oracle 11g. Duração: 120 horas

Treinamento. DBA Oracle 11g. Duração: 120 horas Treinamento DBA Oracle 11g Duração: 120 horas Neste curso no primeiro módulo (Introdução ao Oracle 11g SQL e PL_SQL) é oferecido um curso introdutório à tecnologia do banco de dados Oracle 11g. Também

Leia mais

Boas Práticas para Otimização de Consultas a Bancos de. Dados usando SQL Server 2005

Boas Práticas para Otimização de Consultas a Bancos de. Dados usando SQL Server 2005 Boas Práticas para Otimização de Consultas a Bancos de Dados usando SQL Server 2005 LEONARDO FERREIRA SOARES* leo.fsoares@gmail.com IREMAR NUNES DE LIMA** iremar.prof@newtonpaiva.br RESUMO Este trabalho

Leia mais

Sr. Nimbus DBA Remoto

Sr. Nimbus DBA Remoto Sr. Nimbus DBA Remoto O serviço DBA Remoto da Sr. Nimbus oferece ao cliente uma melhor estruturação e otimização do seu ambiente de plataforma de gerenciamento de dados baseado no Microsoft SQL Server.

Leia mais

Sumário. Capítulo 2 Conceitos Importantes... 32 Tópicos Relevantes... 32 Instance... 33 Base de Dados... 36 Conclusão... 37

Sumário. Capítulo 2 Conceitos Importantes... 32 Tópicos Relevantes... 32 Instance... 33 Base de Dados... 36 Conclusão... 37 7 Sumário Agradecimentos... 6 Sobre o Autor... 6 Prefácio... 13 Capítulo 1 Instalação e Configuração... 15 Instalação em Linux... 15 Instalação e Customização do Red Hat Advanced Server 2.1... 16 Preparativos

Leia mais

A memória é um recurso fundamental e de extrema importância para a operação de qualquer Sistema Computacional; A memória trata-se de uma grande

A memória é um recurso fundamental e de extrema importância para a operação de qualquer Sistema Computacional; A memória trata-se de uma grande A memória é um recurso fundamental e de extrema importância para a operação de qualquer Sistema Computacional; A memória trata-se de uma grande região de armazenamento formada por bytes ou palavras, cada

Leia mais

Manter estatísticas atualizadas é uma das regras de ouro na busca por performance.

Manter estatísticas atualizadas é uma das regras de ouro na busca por performance. Atualização de Estatísticas Um objeto de estatística pode ser atualizado manualmente pelo usuário, através dos comandos SP_UPDATESTATS e/ou UPDATE STATISTICS. Enquanto que a procedure SP_UPDATESTATS atualiza

Leia mais

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br

Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br Programação com acesso a BD Prof.: Clayton Maciel Costa clayton.maciel@ifrn.edu.br 1 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias 2 Modelos de Dados, Esquemas e Instâncias Modelo de dados: Conjunto de conceitos

Leia mais

CRIANDO BANCOS DE DADOS NO SQL SERVER 2008 R2 COM O SQL SERVER MANAGEMENT STUDIO

CRIANDO BANCOS DE DADOS NO SQL SERVER 2008 R2 COM O SQL SERVER MANAGEMENT STUDIO CRIANDO BANCOS DE DADOS NO SQL SERVER 2008 R2 COM O SQL SERVER MANAGEMENT STUDIO Antes de criarmos um novo Banco de Dados quero fazer um pequeno parênteses sobre segurança. Você deve ter notado que sempre

Leia mais

4 Implementação e Resultados Experimentais

4 Implementação e Resultados Experimentais 4 Implementação e Resultados Experimentais Com o objetivo de fazer a criação automática de visões materializadas, ou seja, prover uma solução on-the-fly para o problema de seleção de visões materializadas,

Leia mais

Banco de Dados. Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011

Banco de Dados. Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011 Banco de Dados Aula 1 - Prof. Bruno Moreno 16/08/2011 Roteiro Apresentação do professor e disciplina Definição de Banco de Dados Sistema de BD vs Tradicional Principais características de BD Natureza autodescritiva

Leia mais

04/08/2012 MODELAGEM DE DADOS. PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO, M.Sc. @ribeirord MODELAGEM DE DADOS. Aula 1. Prof. Rafael Dias Ribeiro. M.Sc.

04/08/2012 MODELAGEM DE DADOS. PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO, M.Sc. @ribeirord MODELAGEM DE DADOS. Aula 1. Prof. Rafael Dias Ribeiro. M.Sc. MODELAGEM DE DADOS PROF. RAFAEL DIAS RIBEIRO, M.Sc. @ribeirord MODELAGEM DE DADOS Aula 1 Prof. Rafael Dias Ribeiro. M.Sc. @ribeirord 1 Objetivos: Apresenta a diferença entre dado e informação e a importância

Leia mais

Tuning em queries em Banco de Dados

Tuning em queries em Banco de Dados Tuning em queries em Banco de Dados Alison K. L. Leite 1, Izabella C. A. M. S. Bosco 1, Juliana M. Massoni 1, Patrícia B. Ribeiro 1 1 Curso de Tecnologia em Banco de Dados - Faculdade de Tecnologia de

Leia mais

Dicas para uso de VLDB (very large databases)

Dicas para uso de VLDB (very large databases) Dicas para uso de VLDB (very large databases) Slide 1 Considerações e Marcas Registradas As informações contidas nesta apresentação não foram submetidas à nenhuma revisão formal e é distribuída sem nenhuma

Leia mais

Sistemas de Banco de Dados Aspectos Gerais de Banco de Dados

Sistemas de Banco de Dados Aspectos Gerais de Banco de Dados Sistemas de Banco de Dados Aspectos Gerais de Banco de Dados 1. Conceitos Básicos No contexto de sistemas de banco de dados as palavras dado e informação possuem o mesmo significado, representando uma

Leia mais

www.en-sof.com.br SOLUÇÕES PARA CONTINUIDADE DO NEGÓCIO

www.en-sof.com.br SOLUÇÕES PARA CONTINUIDADE DO NEGÓCIO SOLUÇÕES PARA CONTINUIDADE DO NEGÓCIO 1 Soluções Oracle Voltadas à Continuidade dos Negócios Luciano Inácio de Melo Oracle Database Administrator Certified Oracle Instructor Bacharel em Ciências da Computação

Leia mais

ESTRUTURA DE SERVER 2008. Lílian Simão Oliveira

ESTRUTURA DE SERVER 2008. Lílian Simão Oliveira ESTRUTURA DE ARMAZENAMENTO SQL SERVER 2008 Lílian Simão Oliveira O Banco de Dados SQL Server mapeia um banco em um conjunto de arquivos do sistema operacional As informações de log e de dados nunca ficam

Leia mais

Desempenho do Pervasive PSQL v10. Principais Recursos de Desempenho do Pervasive PSQL. Pervasive PSQL v10 White Paper

Desempenho do Pervasive PSQL v10. Principais Recursos de Desempenho do Pervasive PSQL. Pervasive PSQL v10 White Paper Desempenho do Pervasive PSQL v10 Principais Recursos de Desempenho do Pervasive PSQL Pervasive PSQL v10 White Paper Junho de 2008 CONTEÚDO Introdução...3 Desempenho básico: mais memória e menos disco e

Leia mais

Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.

Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4.5. Manual do Técnico Atualização - ProJuris Web 4. Guia de Atualização PROJURIS WEB 4.5 Por: Fabio Pozzebon Soares Página 1 de 11 Sistema ProJuris é um conjunto de componentes 100% Web, nativamente integrados, e que possuem interface com vários idiomas,

Leia mais

Soluções Inteligentes para regulamentações e negócios em aplicações SAP

Soluções Inteligentes para regulamentações e negócios em aplicações SAP Soluções Inteligentes para regulamentações e negócios em aplicações SAP Uma nova visão no Gerenciamento da Aplicação INDICE 1. A Union IT... 3 2. A importância de gerenciar dinamicamente infra-estrutura,

Leia mais

Qual o Papel de um DBA? Saiba mais sobre o que faz um administrador de banco de dados e como se tornar um

Qual o Papel de um DBA? Saiba mais sobre o que faz um administrador de banco de dados e como se tornar um Qual o Papel de um DBA? Saiba mais sobre o que faz um administrador de banco de dados e como se tornar um Carina Friedrich Dorneles, dorneles@upf.br, Universidade de Passo Fundo (UPF) Ronaldo dos Santos

Leia mais

Linguagem SQL Parte I

Linguagem SQL Parte I FIB - Centro Universitário da Bahia Banco de Dados Linguagem SQL Parte I Francisco Rodrigues Santos chicowebmail@yahoo.com.br Slides gentilmente cedidos por André Vinicius R. P. Nascimento Conteúdo A Linguagem

Leia mais

NORMA TÉCNICA PARA DEFINIÇÃO DE OBJETOS DE BANCO DE DADOS E DE ESTRUTURAS DE ARMAZENAMENTO QUE CONSTITUEM O BANCO DE DADOS CORPORATIVO

NORMA TÉCNICA PARA DEFINIÇÃO DE OBJETOS DE BANCO DE DADOS E DE ESTRUTURAS DE ARMAZENAMENTO QUE CONSTITUEM O BANCO DE DADOS CORPORATIVO NORMA TÉCNICA PARA DEFINIÇÃO DE OBJETOS DE BANCO DE DADOS E DE ESTRUTURAS DE ARMAZENAMENTO QUE CONSTITUEM O BANCO DE DADOS CORPORATIVO Referência: NT-AI.04.04.01 http://www.unesp.br/ai/pdf/nt-ai.04.04.01.pdf

Leia mais

Banco de Dados. Arquitetura e Terminologia. Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.

Banco de Dados. Arquitetura e Terminologia. Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo. Banco de Dados Arquitetura e Terminologia Prof. Walteno Martins Parreira Jr www.waltenomartins.com.br waltenomartins@yahoo.com 2015 Modelo de Dados e Esquemas O modelo de Banco de Dados é como um detalhamento

Leia mais

PROVA ESPECÍFICA Cargo 04

PROVA ESPECÍFICA Cargo 04 10 PROVA ESPECÍFICA Cargo 04 QUESTÃO 21 Analise as seguintes afirmativas: I. Uma das funções de um DBA é gerenciar os mecanismos de segurança de acesso aos dados armazenados em um SGBD (Sistema Gerenciador

Leia mais

GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC

GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC GERENCIAMENTO CENTRALIZADO DELL POWERVAULT DL 2000 BASEADO EM TECNOLOGIA SYMANTEC RESUMO EXECUTIVO O PowerVault DL2000, baseado na tecnologia Symantec Backup Exec, oferece a única solução de backup em

Leia mais

UNINOVE Tec. Adm. e Des. de Sistemas. Administracão de Banco de Dados. ORACLE Backup / Recovery AULA 11

UNINOVE Tec. Adm. e Des. de Sistemas. Administracão de Banco de Dados. ORACLE Backup / Recovery AULA 11 UNINOVE Tec. Adm. e Des. de Sistemas Administracão de Banco de Dados ORACLE Backup / Recovery AULA 11 Prof. MsC. Eng. Marcelo Bianchi AULA 09 A ARQUITETURA DO ORACLE O conhecimento da arquitetura Oracle

Leia mais

Guia de início rápido do Powersuite

Guia de início rápido do Powersuite 2013 Ajuste e cuide do desempenho de seu computador com um aplicativo poderoso e ágil. Baixando e instalando o Powersuite É fácil baixar e instalar o Powersuite geralmente, demora menos de um minuto. Para

Leia mais

Comandos DDL. id_modulo = id_m odulo

Comandos DDL. id_modulo = id_m odulo Comandos DDL Estudo de Caso Controle Acadêmico Simplificado Uma escola contém vários cursos, onde cada aluno possui uma matricula num determinado curso. Estes cursos, por sua vez, possuem módulos, aos

Leia mais

Hoje é inegável que a sobrevivência das organizações depende de dados precisos e atualizados.

Hoje é inegável que a sobrevivência das organizações depende de dados precisos e atualizados. BANCO DE DADOS Universidade do Estado de Santa Catarina Centro de Ciências Tecnológicas Departamento de Ciência da Computação Prof. Alexandre Veloso de Matos alexandre.matos@udesc.br INTRODUÇÃO Hoje é

Leia mais

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO POSEAD. Curso Banco de Dados. Resenha Crítica: Backup e Recovery Aluno: Wilker Dias Maia

PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO POSEAD. Curso Banco de Dados. Resenha Crítica: Backup e Recovery Aluno: Wilker Dias Maia PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO POSEAD Curso Banco de Dados Resenha Crítica: Backup e Recovery Aluno: Wilker Dias Maia Brasília 2012 SUMÁRIO 1- INTRODUÇÃO... 3 2- DESCRIÇÃO DO ASSUNTO... 4 2.1- Estrutura fisica

Leia mais

Linguagem SQL (Parte I)

Linguagem SQL (Parte I) Universidade Federal de Sergipe Departamento de Sistemas de Informação Itatech Group Jr Softwares Itabaiana Site: www.itatechjr.com.br E-mail: contato@itatechjr.com.br Linguagem SQL (Parte I) Introdução

Leia mais

Informação é o seu bem mais precioso e você não pode correr riscos de perder dados importantes. Por isso, oferecemos um serviço de qualidade e

Informação é o seu bem mais precioso e você não pode correr riscos de perder dados importantes. Por isso, oferecemos um serviço de qualidade e Informação é o seu bem mais precioso e você não pode correr riscos de perder dados importantes. Por isso, oferecemos um serviço de qualidade e confiança que vai garantir maior eficiência e segurança para

Leia mais

Desenvolvendo Websites com PHP

Desenvolvendo Websites com PHP Desenvolvendo Websites com PHP Aprenda a criar Websites dinâmicos e interativos com PHP e bancos de dados Juliano Niederauer 19 Capítulo 1 O que é o PHP? O PHP é uma das linguagens mais utilizadas na Web.

Leia mais

Para construção dos modelos físicos, será estudado o modelo Relacional como originalmente proposto por Codd.

Para construção dos modelos físicos, será estudado o modelo Relacional como originalmente proposto por Codd. Apresentação Este curso tem como objetivo, oferecer uma noção geral sobre a construção de sistemas de banco de dados. Para isto, é necessário estudar modelos para a construção de projetos lógicos de bancos

Leia mais

SGBD. Funções Básicas de um SGBD

SGBD. Funções Básicas de um SGBD Definição Sistema cujo objetivo principal é gerenciar o acesso e a correta manutenção dos dados armazenados em um banco dados. Funções básicas Métodos acesso Integrida Semântica Segurança Concorrência

Leia mais

Memória da impressora

Memória da impressora Memória da impressora Gerenciando a memória 1 Sua impressora vem com, pelo menos, 32 MB de memória. Para determinar a quantidade de memória instalada atualmente em sua impressora, selecione Imprimir Menus

Leia mais

AUDITORIA NO SGBD MICROSOFT SQL SERVER 2008 R2. Resumo: Este artigo discute o processo de auditoria no Sistema Gerenciador de

AUDITORIA NO SGBD MICROSOFT SQL SERVER 2008 R2. Resumo: Este artigo discute o processo de auditoria no Sistema Gerenciador de AUDITORIA NO SGBD MICROSOFT SQL SERVER 2008 R2 WADSON DUARTE MONTEIRO 1 IREMAR NUNES DE LIMA 2 Resumo: Este artigo discute o processo de auditoria no Sistema Gerenciador de Banco de Dados SQL Server 2008

Leia mais

MONITORAMENTO DO AMBIENTE TECNOLÓGICO FoccoMONITOR

MONITORAMENTO DO AMBIENTE TECNOLÓGICO FoccoMONITOR MONITORAMENTO DO AMBIENTE TECNOLÓGICO FoccoMONITOR Fevereiro/2012 Índice APRESENTAÇÃO... 3 O QUE É ESSE SERVIÇO?... 3 POR QUE MONITORAR?... 3 QUAL A ABRANGÊNCIA?... 4 MÉTRICAS... 4 PERÍODO DO MONITORAMENTO...

Leia mais

OTIMIZAÇÃO E PERFORMANCE DE BANCO DE DADOS UTILIZANDO SQL TUNING

OTIMIZAÇÃO E PERFORMANCE DE BANCO DE DADOS UTILIZANDO SQL TUNING OTIMIZAÇÃO E PERFORMANCE DE BANCO DE DADOS UTILIZANDO SQL TUNING Jéssica Correa dos Santos¹, Alexandre Paulino Sierra da Silva¹ ¹Universidade Paranaense (Unipar) Paranavai-PR-Brasil jessica_07correa@hotmail.com,

Leia mais

BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE. C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03)

BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE. C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03) MBA em Gestão de TI MÓDULO: BANCO DE DADOS E BUSINESS INTELIGENCE C/H: 20 horas (20/02, 25/02, 27/02, 04/03, 06/03) PROFESSOR: Edison Andrade Martins Morais prof@edison.eti.br http://www.edison.eti.br

Leia mais

Banco de Dados. Introdução. João Eduardo Ferreira Osvaldo Kotaro Takai. jef@ime.usp.br DCC-IME-USP

Banco de Dados. Introdução. João Eduardo Ferreira Osvaldo Kotaro Takai. jef@ime.usp.br DCC-IME-USP Banco de Dados Introdução João Eduardo Ferreira Osvaldo Kotaro Takai jef@ime.usp.br DCC-IME-USP Importância dos Bancos de Dados A competitividade das empresas depende de dados precisos e atualizados. Conforme

Leia mais

Cursos Guia DBA Pacote Curso SQL Server 2014 e o passo a passo para otimização SQL Server 2016

Cursos Guia DBA Pacote Curso SQL Server 2014 e o passo a passo para otimização SQL Server 2016 2015 Cursos Guia DBA Pacote Curso SQL Server 2014 e o passo a passo para otimização SQL Server 2016 O pacote inclui os dois cursos mais simulados para a prova de certificação, exercícios, e-book e app

Leia mais

Sumário. Administração de Banco de dados Módulo 12. Ilustração Backup-Recovery. Recuperação (Recovery) - Definição

Sumário. Administração de Banco de dados Módulo 12. Ilustração Backup-Recovery. Recuperação (Recovery) - Definição Sumário Administração de Banco de dados Módulo 12 1. Administração de SGBDs - Continuação 1.1. Recuperação (Recovery) 1.1.1. Recuperação de sistema 1.1.2. Recuperação da mídia M. Sc. Luiz Alberto lasf.bel@gmail.com

Leia mais

Tópicos Avançados em Banco de Dados Espaços de Tabelas, Arquivos de Dados e Arquivos de Controle. Prof. Hugo Souza

Tópicos Avançados em Banco de Dados Espaços de Tabelas, Arquivos de Dados e Arquivos de Controle. Prof. Hugo Souza Tópicos Avançados em Banco de Dados Espaços de Tabelas, Arquivos de Dados e Arquivos de Controle Prof. Hugo Souza Após abordarmos os componentes lógicos, em uma síntese de dependências gradativas, vamos

Leia mais

Evolução. Tópicos. Bancos de Dados - Introdução. Melissa Lemos. Evolução dos Sistemas de Informação Esquemas Modelos. Características de SGBDs

Evolução. Tópicos. Bancos de Dados - Introdução. Melissa Lemos. Evolução dos Sistemas de Informação Esquemas Modelos. Características de SGBDs 1 Bancos de Dados - Introdução Melissa Lemos melissa@inf.puc-rio.br Tópicos Evolução dos Sistemas de Informação Esquemas Modelos Conceitual Lógico Características de SGBDs 2 Evolução tempo Programas e

Leia mais

Aranda INVENTORY. Benefícios Estratégicos para sua Organização. (Standard & Plus Edition) Beneficios. Características V.2.0907

Aranda INVENTORY. Benefícios Estratégicos para sua Organização. (Standard & Plus Edition) Beneficios. Características V.2.0907 Uma ferramenta de inventario que automatiza o cadastro de ativos informáticos em detalhe e reporta qualquer troca de hardware ou software mediante a geração de alarmes. Beneficios Informação atualizada

Leia mais

O que são Bancos de Dados?

O que são Bancos de Dados? SQL Básico Liojes de Oliveira Carneiro professor.liojes@gmail.com www.professor-liojes.blogspot.com O que são Bancos de Dados? É o software que armazena, organiza, controla, trata e distribui os dados

Leia mais

Notas da Aula 17 - Fundamentos de Sistemas Operacionais

Notas da Aula 17 - Fundamentos de Sistemas Operacionais Notas da Aula 17 - Fundamentos de Sistemas Operacionais 1. Gerenciamento de Memória: Introdução O gerenciamento de memória é provavelmente a tarefa mais complexa de um sistema operacional multiprogramado.

Leia mais

Prof.: Roberto Franciscatto. Capítulo 1.2 Aspectos Gerais

Prof.: Roberto Franciscatto. Capítulo 1.2 Aspectos Gerais Sistemas Operacionais Prof.: Roberto Franciscatto Capítulo 1.2 Aspectos Gerais Estrutura do Sistema Operacional Principais Funções do Sistema Operacional Tratamento de interrupções e exceções Criação e

Leia mais

Oracle Database 11g: Novos Recursos para Administradores

Oracle Database 11g: Novos Recursos para Administradores Oracle Database 11g: Novos Recursos para Administradores Course O11NFA 5 Day(s) 30:00 Hours Introduction Este curso de cinco dias oferece a você a oportunidade de conhecer e fazer exercícios com os novos

Leia mais

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br

Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Prof. Marcelo Machado Cunha www.marcelomachado.com mcelobr@yahoo.com.br Ementa Introdução a Banco de Dados (Conceito, propriedades), Arquivos de dados x Bancos de dados, Profissionais de Banco de dados,

Leia mais

Fox Gerenciador de Sistemas

Fox Gerenciador de Sistemas Fox Gerenciador de Sistemas Índice 1. FOX GERENCIADOR DE SISTEMAS... 4 2. ACESSO AO SISTEMA... 5 3. TELA PRINCIPAL... 6 4. MENU SISTEMAS... 7 5. MENU SERVIÇOS... 8 5.1. Ativação Fox... 8 5.2. Atualização

Leia mais

<Insert Picture Here> Comparativo entre DBSE e DBEE

<Insert Picture Here> Comparativo entre DBSE e DBEE Comparativo entre DBSE e DBEE Oracle Database Oracle Database Standard Edition Disponível para ambientes com até 4 processadores, possui features limitadas e não oferece possibilidade

Leia mais

AULA 5 Sistemas Operacionais

AULA 5 Sistemas Operacionais AULA 5 Sistemas Operacionais Disciplina: Introdução à Informática Professora: Gustavo Leitão Email: gustavo.leitao@ifrn.edu.br Sistemas Operacionais Conteúdo: Partições Formatação Fragmentação Gerenciamento

Leia mais

Roteiro 2 Conceitos Gerais

Roteiro 2 Conceitos Gerais Roteiro 2 Conceitos Gerais Objetivos: UC Projeto de Banco de Dados Explorar conceitos gerais de bancos de dados; o Arquitetura de bancos de dados: esquemas, categorias de modelos de dados, linguagens e

Leia mais

www.neteye.com.br NetEye Guia de Instalação

www.neteye.com.br NetEye Guia de Instalação www.neteye.com.br NetEye Guia de Instalação Índice 1. Introdução... 3 2. Funcionamento básico dos componentes do NetEye...... 3 3. Requisitos mínimos para a instalação dos componentes do NetEye... 4 4.

Leia mais

Roteiro. Conceitos e Arquitetura de Sistemas de Banco de Dados. Conceitos e Arquiteturas de Sistemas de Banco de Dados. BCC321 - Banco de Dados I

Roteiro. Conceitos e Arquitetura de Sistemas de Banco de Dados. Conceitos e Arquiteturas de Sistemas de Banco de Dados. BCC321 - Banco de Dados I Roteiro Conceitos e Arquitetura de Sistemas de Banco de Dados Luiz Henrique de Campos Merschmann Departamento de Computação Universidade Federal de Ouro Preto luizhenrique@iceb.ufop.br www.decom.ufop.br/luiz

Leia mais

Introdução ao SQL. O que é SQL?

Introdução ao SQL. O que é SQL? Introdução ao SQL 1 O que é SQL? Inicialmente chamada de Sequel, SQL (Structured Query Language), é a linguagem padrão utilizada para comunicar-se com um banco de dados relacional. A versão original foi

Leia mais

BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING

BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING BANCO DE DADOS DISTRIBUÍDOS e DATAWAREHOUSING http://www.uniriotec.br/~tanaka/tin0036 tanaka@uniriotec.br Bancos de Dados Distribuídos Conceitos e Arquitetura Vantagens das Arquiteturas C/S (em relação

Leia mais

Sistemas de Informação. Sistemas Operacionais 4º Período

Sistemas de Informação. Sistemas Operacionais 4º Período Sistemas de Informação Sistemas Operacionais 4º Período SISTEMA DE ARQUIVOS SUMÁRIO 7. SISTEMA DE ARQUIVOS: 7.1 Introdução; 7.2 s; 7.3 Diretórios; 7.4 Gerência de Espaço Livre em Disco; 7.5 Gerência de

Leia mais

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro

Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Boas Práticas de Desenvolvimento Seguro Julho / 2.012 Histórico de Revisões Data Versão Descrição Autor 29/07/2012 1.0 Versão inicial Ricardo Kiyoshi Página 2 de 11 Conteúdo 1. SEGURANÇA DA INFORMAÇÃO

Leia mais

Tópicos. Atualizações e segurança do sistema. Manutenção Preventiva e Corretiva de Software (utilizando o MS Windows XP)

Tópicos. Atualizações e segurança do sistema. Manutenção Preventiva e Corretiva de Software (utilizando o MS Windows XP) teste 1 Manutenção Preventiva e Corretiva de Software (utilizando o MS Windows XP) Rafael Fernando Diorio www.diorio.com.br Tópicos - Atualizações e segurança do sistema - Gerenciamento do computador -

Leia mais

Fundamentos de Sistemas Operacionais

Fundamentos de Sistemas Operacionais Fundamentos de Sistemas Operacionais Professor: João Fábio de Oliveira jfabio@amprnet.org.br (41) 9911-3030 Objetivo: Apresentar o que são os Sistemas Operacionais, seu funcionamento, o que eles fazem,

Leia mais

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet

Faculdade Pitágoras 16/08/2011. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível

Leia mais

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL

Faculdade Pitágoras. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados. Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL Faculdade Pitágoras Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan SQL A linguagem SQL é responsável por garantir um bom nível de independência do

Leia mais

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO

MANUAL DO USUÁRIO SUMÁRIO SUMÁRIO 1. Home -------------------------------------------------------------------------------------------------------- 7 2. Cadastros -------------------------------------------------------------------------------------------------

Leia mais

BOAS PRÁTICAS DE CONFIGURAÇÃO DE MEMÓRIA E PROCESSADOR NO SGBD MICROSOFT SQL SERVER 2008 R2

BOAS PRÁTICAS DE CONFIGURAÇÃO DE MEMÓRIA E PROCESSADOR NO SGBD MICROSOFT SQL SERVER 2008 R2 1 BOAS PRÁTICAS DE CONFIGURAÇÃO DE MEMÓRIA E PROCESSADOR NO SGBD MICROSOFT SQL SERVER 2008 R2 ROGÉRIO CESAR M. DA CONCEIÇÃO 1 IREMAR NUNES DE LIMA 2 Resumo: Este artigo analisa os detalhes de configuração

Leia mais

Banco de Dados. Uma coleção de dados relacionados [ELMASRI/NAVATHE]

Banco de Dados. Uma coleção de dados relacionados [ELMASRI/NAVATHE] 1/6 Banco de Dados O que é um Banco de Dados? Uma coleção de dados relacionados [ELMASRI/NAVATHE] Conjunto de dados integrados que tem por objetivo atender a uma comunidade específica [HEUSER] Um conjunto

Leia mais

Guia de Atualização TOTVS Segurança e Acesso 12.1

Guia de Atualização TOTVS Segurança e Acesso 12.1 06/2015 Sumário 1 Prefácio... 3 1.2 Finalidade... 3 1.3 Público Alvo... 3 1.4 Organização deste Guia... 3 1.5 Documentações Importantes... 3 2 Atualização... 4 2.1 Executando o Updater de Atualização...

Leia mais

Um objeto de estatística contém informações de distribuição de valores de uma ou mais colunas de uma tabela ou view indexada

Um objeto de estatística contém informações de distribuição de valores de uma ou mais colunas de uma tabela ou view indexada Desvendando Estatísticas do SQL Server Parte 1 Nesta série de artigos vamos dar um mergulho profundo nas Teorias Probabilísticas (mais conhecido como estatísticas) do SQL Server. Introdução Estatísticas

Leia mais

INTRODUÇÃO. Diferente de Bando de Dados

INTRODUÇÃO. Diferente de Bando de Dados INTRODUÇÃO Diferente de Bando de Dados 1 INTRODUÇÃO DADOS São fatos conhecidos que podem ser registrados e que possuem significado. Ex: venda de gasolina gera alguns dados: data da compra, preço, qtd.

Leia mais

XDOC. Solução otimizada para armazenamento e recuperação de documentos

XDOC. Solução otimizada para armazenamento e recuperação de documentos XDOC Solução otimizada para armazenamento e recuperação de documentos ObJetivo Principal O Que você ACHA De ter Disponível Online todos OS Documentos emitidos por SUA empresa em UMA intranet OU Mesmo NA

Leia mais

PL/SQL Developer. Solução para Ambiente de Desenvolvimento Integrado Oracle

PL/SQL Developer. Solução para Ambiente de Desenvolvimento Integrado Oracle Solução para Ambiente de Desenvolvimento Integrado Oracle PL/SQL Developer é um ambiente de desenvolvimento integrado (IDE) que foi especialmente destinado ao desenvolvimento de programas armazenados em

Leia mais

O EMC XTREMCACHE ACELERA O ORACLE

O EMC XTREMCACHE ACELERA O ORACLE White paper O EMC XTREMCACHE ACELERA O ORACLE EMC XtremSF, EMC XtremCache, EMC VNX, EMC FAST Suite, Oracle Database 11g O XtremCache estende o flash ao servidor O FAST Suite automatiza a inserção do armazenamento

Leia mais

METODOLOGIA PARA ANÁLISE DE DESEMPENHO

METODOLOGIA PARA ANÁLISE DE DESEMPENHO UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO GRADUAÇÃO EM CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO CENTRO DE INFORMÁTICA METODOLOGIA PARA ANÁLISE DE DESEMPENHO DE SISTEMAS DE TRANSFERÊNCIA ELETRÔNICA DE FUNDOS PROPOSTA DE TRABALHO

Leia mais

Prevayler. Perola. André Luís Sales de Moraes Juliana Keiko Yamaguchi Tatiana Yuka Takaki

Prevayler. Perola. André Luís Sales de Moraes Juliana Keiko Yamaguchi Tatiana Yuka Takaki Prevayler Perola André Luís Sales de Moraes Juliana Keiko Yamaguchi Tatiana Yuka Takaki Prevayler Prevayler é a implementação em Java do conceito de Prevalência. É um framework que prega uma JVM invulnerável

Leia mais

Guia de Atualização TOTVS Segurança e Acesso 11.6

Guia de Atualização TOTVS Segurança e Acesso 11.6 04/2014 Sumário 1 Prefácio... 3 1.2 Finalidade... 3 1.3 Público Alvo... 3 1.4 Organização deste Guia... 3 1.5 Documentações Importantes... 3 2 Atualização... 4 2.1 Executando o Updater de Atualização...

Leia mais

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados:

Dado: Fatos conhecidos que podem ser registrados e têm um significado implícito. Banco de Dados: MC536 Introdução Sumário Conceitos preliminares Funcionalidades Características principais Usuários Vantagens do uso de BDs Tendências mais recentes em SGBDs Algumas desvantagens Modelos de dados Classificação

Leia mais

2 Auto-sintonia de Bancos de Dados e Agentes de Software

2 Auto-sintonia de Bancos de Dados e Agentes de Software 2 Auto-sintonia de Bancos de Dados e Agentes de Software A uso da abordagem de agentes de software 1 pode trazer benefícios a áreas de aplicação em que é necessário construir sistemas autônomos, ou seja,

Leia mais

Apostila de Gerenciamento e Administração de Redes

Apostila de Gerenciamento e Administração de Redes Apostila de Gerenciamento e Administração de Redes 1. Necessidades de Gerenciamento Por menor e mais simples que seja uma rede de computadores, precisa ser gerenciada, a fim de garantir, aos seus usuários,

Leia mais

XDR. Solução para Big Data.

XDR. Solução para Big Data. XDR Solução para Big Data. ObJetivo Principal O volume de informações com os quais as empresas de telecomunicações/internet têm que lidar é muito grande, e está em constante crescimento devido à franca

Leia mais

APOSTILA BANCO DE DADOS INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL

APOSTILA BANCO DE DADOS INTRODUÇÃO A LINGUAGEM SQL 1. O que é Linguagem SQL 2. Instrução CREATE 3. CONSTRAINT 4. ALTER TABLE 5. RENAME TABLE 6. TRUCANTE TABLE 7. DROP TABLE 8. DROP DATABASE 1 1. O que é Linguagem SQL 2. O SQL (Structured Query Language)

Leia mais

Disciplina de Banco de Dados Introdução

Disciplina de Banco de Dados Introdução Disciplina de Banco de Dados Introdução Prof. Elisa Maria Pivetta CAFW - UFSM Banco de Dados: Conceitos A empresa JJ. Gomes tem uma lista com mais ou menos 4.000 nomes de clientes bem como seus dados pessoais.

Leia mais

17/10/2008. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Redes de Computadores

17/10/2008. Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Redes de Computadores Faculdade INED Curso Superior de Tecnologia: Banco de Dados Sistemas para Internet Redes de Computadores Disciplina: Banco de Dados Prof.: Fernando Hadad Zaidan 1 Unidade 2 Imagem: BARBIERI, Carlos. 2

Leia mais

Modelo Cliente/Servidor Por HIARLY ALVES

Modelo Cliente/Servidor Por HIARLY ALVES UNICE Ensino Superior Linguagem de Programação Ambiente Cliente Servidor. Modelo Cliente/Servidor Por HIARLY ALVES Fortaleza - CE CONCEITOS Cliente x Servidor. Cliente É um programa (software) executado

Leia mais

UNISA Universidade de Santo Amaro. http://www.unisa.br. Material de Estudo. Módulo I: Básico Banco de dados SQL Server. http://www.unisa-sis.

UNISA Universidade de Santo Amaro. http://www.unisa.br. Material de Estudo. Módulo I: Básico Banco de dados SQL Server. http://www.unisa-sis. UNISA Universidade de Santo Amaro http://www.unisa.br Material de Estudo Módulo I: Básico Banco de dados SQL Server http://www.unisa-sis.info Junho/2010 Objetivo do Workshop Compartilhar e apresentar

Leia mais

Advanced IT S/A. EM10g Grid Control. Introdução. Introdução. Agenda. Como alcança estes objetivos Grid Control Home Page Pode gerenciar:

Advanced IT S/A. EM10g Grid Control. Introdução. Introdução. Agenda. Como alcança estes objetivos Grid Control Home Page Pode gerenciar: Agenda Advanced IT S/A EM10g Grid Control Denise Cunha Advanced IT S/A - DBA Gerenciando Deployments (distribuições) Estendendo o EM Sistema de Jobs Start e Stop do EM Objetivos Extrair informações críticas

Leia mais

Fundamentos de Banco de Dados

Fundamentos de Banco de Dados Fundamentos de Banco de Dados SISTEMAS BASEADOS NO PROCESSAMENTO DE ARQUIVOS Sistema A Funcionário Pagamento Cargo Sistema B Funcionário Projeto SISTEMAS GERENCIADORES DE BANCO DE DADOS (SGBD) Sistema

Leia mais