Desoneração da Folha de Pagamentos

Save this PDF as:
 WORD  PNG  TXT  JPG

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Desoneração da Folha de Pagamentos"

Transcrição

1 Desoneração da Folha de Pagamentos Legislação Constituição Federal Art. 195, 12 e 13 Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991 Art. 22, inciso I e III Lei nº , de 14 de dezembro de 2011 Como isso funciona na prática? É possível exemplificar? Se, por exemplo, uma empresa tiver 70% de sua receita derivada de produtos enquadrados na Medida Provisória e 30% de fora, então ela deverá recolher a alíquota de 1% sobre 70% de sua receita e aplicar a alíquota previdenciária normal, de 20%, sobre 30% de sua folha salarial. Digamos que a receita de uma empresa nesta situação seja de 1000 e sua folha de salários de 200. Atualmente, essa empresa recolhe 20% de 200, pagando 40 de contribuição previdenciária. Pela nova sistemática, ela pagará 19 (1% x 70% x % x 30% x 200). O que muda no recolhimento da nova contribuição? A contribuição previdenciária das empresas sobre a folha é recolhida, em geral, via Guia da Previdência Social (GPS), juntamente com a contribuição do empregado, no código A contribuição sobre a receita bruta das empresas, que agora está sendo estendida para outros setores, é recolhida por meio de Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF), com os seguintes códigos*: I 2985: Contribuição Previdenciária Sobre Receita Bruta Empresas Prestadoras de Serviços de Tecnologia da Informação (TI) e Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC); II 2991: Contribuição Previdenciária Sobre Receita Bruta Demais. * Fonte: Ato Declaratório Executivo da Receita Federal do Brasil nº 86, de 1º de dezembro de 2011.

2 Nº CNAE / / / / / / /00 DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE OBRIGATORIEDADE DA DESONERAÇÃO 2011 Desenvolvimento de programas de computador sob encomenda Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador customizáveis Desenvolvimento e licenciamento de programas de computador nãocustomizáveis Consultoria em tecnologia da informação Tratamento de dados, provedores de serviços de aplicação e serviços de hospedagem na internet Suporte técnico, manutenção e outros serviços em tecnologia da informação Portais, provedores de conteúdo e outros serviços de Se enquadra na regra da "Desoneração sobre a Folha de Pagamento" desde dezembro de 2011, conforme art. 7º da Lei /2011. Para as empresas exclusivamente prestadoras de serviços TI/TIC, de dezembro de 2011 à julho de 2012 aplica-se a alíquota de 2,5% sobre a receita bruta, excluídas as vendas canceladas e os descontos incondicionais concedidos, em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei n 8.212, de 24 de Com a conversão da MP 540/2011 na Lei /2011, de abril de 2012 em diante as empresas prestadoras de serviços de TI/TIC que tinham outras atividades (concomitantes) também foram incluídas na regra da "desoneração sobre a folha". A partir de 1º de agosto de 2012, tanto para as exclusivamente prestadoras de serviços TI/TIC, quanto para as empresas com atividades concomitantes, aplica-se a alíquota de 2%, conforme MP 563/2012 convertida na Lei /2012. Se enquadra na regra da "Desoneração sobre a Folha de Pagamento" desde dezembro de 2011, conforme art. 7º da Lei /2011. Para as empresas exclusivamente prestadoras de serviços TI/TIC, de dezembro de 2011 à julho de 2012 aplica-se a alíquota de 2,5% sobre a receita bruta, excluídas as vendas canceladas e os descontos incondicionais concedidos, em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei n 8.212, de 24 de Com a conversão da MP 540/2011 na Lei /2011, de abril de 2012 em diante as empresas prestadoras de serviços de TI/TIC que tinham outras atividades (concomitantes) também foram incluídas na regra da "desoneração sobre a folha". A partir de 1º de agosto de 2012, tanto para as exclusivamente prestadoras de serviços TI/TIC, quanto para as empresas com atividades concomitantes, aplica-se a alíquota de 2%, conforme MP 563/2012 convertida na Lei /2012. Se enquadra na regra da "Desoneração sobre a Folha de Pagamento" desde dezembro de 2011, conforme art. 7º da Lei /2011. Para as empresas exclusivamente prestadoras de serviços TI/TIC, de dezembro de 2011 à julho de 2012 aplica-se a alíquota de 2,5% sobre a receita bruta, excluídas as vendas canceladas e os descontos incondicionais concedidos, em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei n 8.212, de 24 de Com a conversão da MP 540/2011 na Lei /2011, de abril de 2012 em diante as empresas prestadoras de serviços de TI/TIC que tinham outras atividades (concomitantes) também foram incluídas na regra da "desoneração sobre a folha". A partir de 1º de agosto de 2012, tanto para as exclusivamente prestadoras de serviços TI/TIC, quanto para as empresas com atividades concomitantes, aplica-se a alíquota de 2%, conforme MP 563/2012 convertida na Lei /2012. Se enquadra na regra da "Desoneração sobre a Folha de Pagamento" desde dezembro de 2011, conforme art. 7º da Lei /2011. Para as empresas exclusivamente prestadoras de serviços TI/TIC, de dezembro de 2011 à julho de 2012 aplica-se a alíquota de 2,5% sobre a receita bruta, excluídas as vendas canceladas e os descontos incondicionais concedidos, em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei n 8.212, de 24 de Com a conversão da MP 540/2011 na Lei /2011, de abril de 2012 em diante as empresas prestadoras de serviços de TI/TIC que tinham outras atividades (concomitantes) também foram incluídas na regra da "desoneração sobre a folha". A partir de 1º de agosto de 2012, tanto para as exclusivamente prestadoras de serviços TI/TIC, quanto para as empresas com atividades concomitantes, aplica-se a alíquota de 2%, conforme MP 563/2012 convertida na Lei /2012. Se enquadra na regra da "Desoneração sobre a Folha de Pagamento" desde dezembro de 2011, conforme art. 7º da Lei /2011. Para as empresas exclusivamente prestadoras de serviços TI/TIC, de dezembro de 2011 à julho de 2012 aplica-se a alíquota de 2,5% sobre a receita bruta, excluídas as vendas canceladas e os descontos incondicionais concedidos, em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei n 8.212, de 24 de Com a conversão da MP 540/2011 na Lei /2011, de abril de 2012 em diante as empresas prestadoras de serviços de TI/TIC que tinham outras atividades (concomitantes) também foram incluídas na regra da "desoneração sobre a folha". A partir de 1º de agosto de 2012, tanto para as exclusivamente prestadoras de serviços TI/TIC, quanto para as empresas com atividades concomitantes, aplica-se a alíquota de 2%, conforme MP 563/2012 convertida na Lei /2012. Se enquadra na regra da "Desoneração sobre a Folha de Pagamento" desde dezembro de 2011, conforme art. 7º da Lei /2011. Para as empresas exclusivamente prestadoras de serviços TI/TIC, de dezembro de 2011 à julho de 2012 aplica-se a alíquota de 2,5% sobre a receita bruta, excluídas as vendas canceladas e os descontos incondicionais concedidos, em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei n 8.212, de 24 de Com a conversão da MP 540/2011 na Lei /2011, de abril de 2012 em diante as empresas prestadoras de serviços de TI/TIC que tinham outras atividades (concomitantes) também foram incluídas na regra da "desoneração sobre a folha". A partir de 1º de agosto de 2012, tanto para as exclusivamente prestadoras de serviços TI/TIC, quanto para as empresas com atividades concomitantes, aplica-se a alíquota de 2%, conforme MP 563/2012 convertida na Lei /2012. Se enquadra na regra da "Desoneração sobre a Folha de Pagamento" desde dezembro de 2011, conforme art. 7º da Lei /2011. Para as empresas exclusivamente prestadoras de serviços TI/TIC, de dezembro de 2011 à julho de 2012 aplica-se a alíquota de 2,5% sobre a

3 informação na internet receita bruta, excluídas as vendas canceladas e os descontos incondicionais concedidos, em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei n 8.212, de 24 de Com a conversão da MP 540/2011 na Lei /2011, de abril de 2012 em diante as empresas prestadoras de serviços de TI/TIC que tinham outras atividades (concomitantes) também foram incluídas na regra da "desoneração sobre a folha". A partir de 1º de agosto de 2012, tanto para as exclusivamente prestadoras de serviços TI/TIC, quanto para as empresas com atividades concomitantes, aplica-se a alíquota de 2%, conforme MP 563/2012 convertida na Lei /2012. Nº CNAE 2/ /01 Hotéis DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE OBRIGATORIEDADE DA DESONERAÇÃO 2012 Atividades de teleatendimento Se enquadra na regra da "Desoneração sobre a Folha de Pagamento" desde abril de 2012, com a convalidação de MP 540/2011 pela Lei /2011. O art. 7º desta lei incluiu as empresas exclusivas de Call Center, sendo que de abril de 2012 à julho de 2012 aplica-se a alíquota 2,5%, e a partir de agosto de 2012 aplica-se a alíquota de 2% sobre a receita bruta, excluídas as vendas canceladas e os descontos incondicionais concedidos, em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei n 8.212, de 24 de Se enquadra na regra da "Desoneração sobre a Folha de Pagamento" desde agosto de 2012, com a edição MP 563/2012, alterando o art. 7º da Lei /2011. As empresas do setor hoteleiro passam a recolher a CPRB - Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta a partir de agosto de 2012 à alíquota 2% sobre a receita bruta, excluídas as vendas canceladas e os descontos incondicionais concedidos, em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei n 8.212, de 24 de Nº CNAE / / / / / / / /01 DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE OBRIGATORIEDADE DA DESONERAÇÃO JANIERO 2013 aeronaves, exceto a manutenção na pista Manutenção de aeronaves na pista aparelhos e instrumentos de medida, teste e controle (Apenas de Aeronaves) aéreo de carga aéreo de passageiros regular marítimo de cabotagem - Carga marítimo de cabotagem - passageiros marítimo de longo curso - Carga contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei no 8.212, de 24 de contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei no 8.212, de 24 de contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei no 8.212, de 24 de contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei no 8.212, de 24 de contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei no 8.212, de 24 de contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei no 8.212, de 24 de contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei no 8.212, de 24 de

4 contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei no 8.212, de 24 de / / / / / / / / / / /03 marítimo de longo curso - Passageiros por navegação interior de carga, municipal, exceto travessia por navegação interior de carga, intermunicipal, interestadual e internacional, exceto travessia por navegação interior de passageiros em linhas regulares, municipal, exceto travessia por navegação interior de passageiros em linhas regulares, intermunicipal, interestadual e internacional, exceto travessia Navegação de apoio marítimo Navegação de apoio portuário contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei no 8.212, de 24 de contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei no 8.212, de 24 de contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei no 8.212, de 24 de contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei no 8.212, de 24 de contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei no 8.212, de 24 de contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei no 8.212, de 24 de contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei no 8.212, de 24 de A Lei /2012 alterou o art. 7, da Lei /2011 incluindo as empresas de transporte rodoviário coletivo de rodoviário coletivo de passageiros, com itinerário fixo, municipal, intermunicipal em região passageiros, com metropolitana, intermunicipal, interestadual e internacional enquadradas nas classes e itinerário fixo, da CNAE 2.0, que vão recolher 2% de CPRB(Contribuição Previdenciária Sobre a Receita municipal Bruta) a partir de janeiro de 2013 em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de A Lei /2012 alterou o art. 7, da Lei /2011 incluindo as empresas de transporte rodoviário coletivo de rodoviário coletivo de passageiros, com itinerário fixo, municipal, intermunicipal em região passageiros, com metropolitana, intermunicipal, interestadual e internacional enquadradas nas classes e itinerário fixo, da CNAE 2.0, que vão recolher 2% de CPRB(Contribuição Previdenciária Sobre a Receita intermunicipal em Bruta) a partir de janeiro de 2013 em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do região metropolitana art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de A Lei /2012 alterou o art. 7, da Lei /2011 incluindo as empresas de transporte rodoviário coletivo de rodoviário coletivo de passageiros, com itinerário fixo, municipal, intermunicipal em região passageiros, com metropolitana, intermunicipal, interestadual e internacional enquadradas nas classes e itinerário fixo, da CNAE 2.0, que vão recolher 2% de CPRB(Contribuição Previdenciária Sobre a Receita interestadual Bruta) a partir de janeiro de 2013 em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de A Lei /2012 alterou o art. 7, da Lei /2011 incluindo as empresas de transporte rodoviário coletivo de rodoviário coletivo de passageiros, com itinerário fixo, municipal, intermunicipal em região passageiros, com metropolitana, intermunicipal, interestadual e internacional enquadradas nas classes e itinerário fixo, da CNAE 2.0, que vão recolher 2% de CPRB(Contribuição Previdenciária Sobre a Receita internacional Bruta) a partir de janeiro de 2013 em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de

5 4922-1/ / /00 rodoviário coletivo de A Lei /2012 alterou o art. 7, da Lei /2011 incluindo as empresas de transporte passageiros, com rodoviário coletivo de passageiros, com itinerário fixo, municipal, intermunicipal em região itinerário fixo, metropolitana, intermunicipal, interestadual e internacional enquadradas nas classes e intermunicipal, da CNAE 2.0, que vão recolher 2% de CPRB(Contribuição Previdenciária Sobre a Receita exceto em região Bruta) a partir de janeiro de 2013 em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do metropolitana art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de Aéreo de Passageiros Regular Aéreo de Carga Se enquadra na regra da "Desoneração sobre a Folha de Pagamento" a partir de janeiro de 2013, conforme art. 8º, 3º, III, da Lei /2011 acrescentado pela Lei /2012. Entretanto a regra da "Desoneração sobre a folha" não se aplica às empresas aéreas internacionais de bandeira estrangeira de países que estabeleçam, em regime de reciprocidade de tratamento, isenção tributária às receitas geradas por empresas aéreas brasileiras, conforme art. 8º, 1, II, alínea "c", da Lei /2011 acrescentado pela MP 601/2012. Se enquadra na regra da "Desoneração sobre a Folha de Pagamento" a partir de janeiro de 2013, conforme art. 8º, 3º, II, da Lei /2011 acrescentado pela Lei /2012. Entretanto a regra da "Desoneração sobre a folha" não se aplica às empresas aéreas internacionais de bandeira estrangeira de países que estabeleçam, em regime de reciprocidade de tratamento, isenção tributária às receitas geradas por empresas aéreas brasileiras, conforme art. 8º, 1, II, alínea "c", da Lei /2011 acrescentado pela MP 601/2012. Nº CNAE / / / / / / / / /02 DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE OBRIGATORIEDADE DA DESONERAÇÃO ABRIL 2013 Reparação de Embarcações e Estruturas Flutuantes Reparação de Embarcações para Esporte e Lazer Construção de Edifícios (Empresas do Setor de Construção Civil) Instalação e Manutenção Elétrica Instalações Hidráulicas, Sanitárias e de Gás Instalação e Manutenção de Sistemas Centrais de Ar Condicionado, de Ventilação e Refrigeração Instalações de Sistema de Prevenção Contra Incêndio (Empresas do Setor de Construção Civil) Instalação de Painéis Publicitários Instalação de Equipamentos para MP 601/2012 alterou o art. 8, da Lei /2011 incluindo às empresas de manutenção e embarcações, que vão recolher 1% de CPRB (Contribuição Previdenciária Sobre a Receita Bruta) a partir de abril de 2013 em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de MP 601/2012 alterou o art. 8, da Lei /2011 incluindo às empresas de manutenção e embarcações, que vão recolher 1% de CPRB (Contribuição Previdenciária Sobre a Receita Bruta) a partir de abril de 2013 em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de julho de 1991

6 4329-1/ / / / / / / / / / /00 Orientação à Navegação Marítima Fluvial e Lacustre Instalação, Reparação de Elevadores, Escadas e Esteiras (Empresas do Setor de Construção Civil) Montagem e Instalação de Sistemas e Equipamentos de Iluminação e Sinalização em Vias Públicas, Portos e Aeroportos Tratamentos Térmicos, Acústicos ou de Vibração Outras Obras de Instalações em Construções não Especificadas Anteriormente Impermeabilização em Obras de Engenharia Civil Instalação de Portas, Janelas, Tetos, Divisórias e Armários Embutidos de Qualquer Material Obras de Acabamento em Gesso e Estuque Serviços de Pintura em Edifícios em Geral (Empresas do Setor de Construção Civil) Aplicação de Revestimentos e de Resinas em Interiores e Exteriores Outras Obras de Acabamento em Construção Obras de Fundações

7 4399-1/ / / / / /99 Administração de Obras (Empresas do Setor de Construção Civil) Montagem e Desmontagem de Andaimes e Outras Estruturas Temporárias Obras de Alvenaria Serviços de Operação e Fornecimento de Equipamentos para e Elevação de Cargas e Pessoas para Uso em Obras (Empresas do Setor de Construção Civil) Perfuração e Construção de Poços de Água (Empresas do Setor de Construção Civil) Serviços Especializados para Construção não Especificados Anteriormente abaixo CNAEs sujeitas à regra da desoneração incluídas pela Medida Provisória n 612, de 4 de abril de 2013: Nº CNAE / / /03 DESCRIÇÃO DA ATIVIDADE OBRIGATORIEDADE DA DESONERAÇÃO JANEIRO 2014 rodoviário coletivo de passageiros, sob regime de fretamento, municipal rodoviário coletivo de passageiros, sob regime de fretamento, intermunicipal, interestadual e internacional Organização de excursões em veículos rodoviários próprios, municipal inciso V ao art. 7, da Lei /2011, incluindo as empresas de transporte rodoviário coletivo de passageiros por fretamento e turismo municipal, intermunicipal em região metropolitana, intermunicipal, interestadual e internacional, enquadradas na classe da CNAE 2.0, que vão recolher 2% de CPRB (Contribuição Previdenciária Sobre a Receita Bruta) a partir da competência janeiro de 2014 em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de inciso V ao art. 7, da Lei /2011, incluindo as empresas de transporte rodoviário coletivo de passageiros por fretamento e turismo municipal, intermunicipal em região metropolitana, intermunicipal, interestadual e internacional, enquadradas na classe da CNAE 2.0, que vão recolher 2% de CPRB (Contribuição Previdenciária Sobre a Receita Bruta) a partir da competência janeiro de 2014 em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de inciso V ao art. 7, da Lei /2011, incluindo as empresas de transporte rodoviário coletivo de passageiros por fretamento e turismo municipal, intermunicipal em região metropolitana, intermunicipal, interestadual e internacional, enquadradas na classe da CNAE 2.0, que vão recolher 2% de CPRB (Contribuição Previdenciária Sobre a Receita Bruta) a partir da competência janeiro de 2014 em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº

8 8.212, de 24 de / / / / / / / / / /01 Organização de excursões em veículos rodoviários próprios, intermunicipal, interestadual e internacional Outros transportes rodoviários de passageiros não especificados anteriormente ferroviário de passageiros intermunicipal e interestadual ferroviário de passageiros municipal e em região metropolitana metroviário Construção de rodovias e ferrovias Construção de barragens e represas para geração de energia elétrica Construção de estações e redes de distribuição de energia elétrica Construção de estações e redes de telecomunicações inciso V ao art. 7, da Lei /2011, incluindo as empresas de transporte rodoviário coletivo de passageiros por fretamento e turismo municipal, intermunicipal em região metropolitana, intermunicipal, interestadual e internacional, enquadradas na classe da CNAE 2.0, que vão recolher 2% de CPRB (Contribuição Previdenciária Sobre a Receita Bruta) a partir da competência janeiro de 2014 em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de inciso V ao art. 7, da Lei /2011, incluindo as empresas de transporte rodoviário coletivo de passageiros por fretamento e turismo municipal, intermunicipal em região metropolitana, intermunicipal, interestadual e internacional, enquadradas na classe da CNAE 2.0, que vão recolher 2% de CPRB (Contribuição Previdenciária Sobre a Receita Bruta) a partir da competência janeiro de 2014 em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de inciso VI ao art. 7, da Lei /2011, incluindo empresas de transporte ferroviário de passageiros, enquadradas nas subclasses /01 e /02 da CNAE 2.0, que vão recolher 2% de CPRB (Contribuição Previdenciária Sobre a Receita Bruta) a partir da competência janeiro de 2014 em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de inciso VI ao art. 7, da Lei /2011, incluindo empresas de transporte ferroviário de passageiros, enquadradas nas subclasses /01 e /02 da CNAE 2.0, que vão recolher 2% de CPRB (Contribuição Previdenciária Sobre a Receita Bruta) a partir da competência janeiro de 2014 em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de inciso VII ao art. 7, da Lei /2011, incluindo as empresas de transporte metroferroviário de passageiros, enquadradas na subclasse /03 da CNAE 2.0, que vão recolher 2% de CPRB (Contribuição Previdenciária Sobre a Receita Bruta) a partir da competência janeiro de 2014 em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de julho de Construção de redes de abastecimento de água, coleta de esgoto e construções

9 correlatas, exceto obras de irrigação /02 Obras de irrigação / / / / / / / / /00 Construção de redes de transportes por dutos, exceto para água e esgoto Obras portuárias, marítimas e fluviais Montagem de estruturas metálicas Obras de montagem industrial Construção de instalações esportivas e recreativas Demolição de edifícios e outras estruturas P canteiro e limpeza de terreno Perfurações e sondagens Obras de terraplenagem

10 4319-3/ / / / / / / / / / /00 Serviços de preparação do terreno não especificados anteriormente Serviços de arquitetura Serviços de engenharia Serviços de cartografia, topografia e geodésia Atividades de estudos geológicos Serviços de desenho técnico relacionados à arquitetura e engenharia Serviços de perícia técnica relacionados à segurança do trabalho Atividades técnicas relacionadas à engenharia e arquitetura não especificadas anteriormente tanques, reservatórios metálicos e caldeiras, exceto para veículos equipamentos e produtos não especificados anteriormente Instalação de máquinas e equipamentos industriais inciso X ao art. 7, da Lei /2011, incluindo as empresas de engenharia e arquitetura enquadradas no grupo 711 da CNAE 2.0, que vão recolher 2% de CPRB (Contribuição inciso X ao art. 7, da Lei /2011, incluindo as empresas de engenharia e arquitetura enquadradas no grupo 711 da CNAE 2.0, que vão recolher 2% de CPRB (Contribuição inciso X ao art. 7, da Lei /2011, incluindo as empresas de engenharia e arquitetura enquadradas no grupo 711 da CNAE 2.0, que vão recolher 2% de CPRB (Contribuição inciso X ao art. 7, da Lei /2011, incluindo as empresas de engenharia e arquitetura enquadradas no grupo 711 da CNAE 2.0, que vão recolher 2% de CPRB (Contribuição inciso X ao art. 7, da Lei /2011, incluindo as empresas de engenharia e arquitetura enquadradas no grupo 711 da CNAE 2.0, que vão recolher 2% de CPRB (Contribuição inciso X ao art. 7, da Lei /2011, incluindo as empresas de engenharia e arquitetura enquadradas no grupo 711 da CNAE 2.0, que vão recolher 2% de CPRB (Contribuição inciso X ao art. 7, da Lei /2011, incluindo as empresas de engenharia e arquitetura enquadradas no grupo 711 da CNAE 2.0, que vão recolher 2% de CPRB (Contribuição previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de

11 previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de / / / / / / / / / /02 Serviços de montagem de móveis de qualquer material Instalação de outros equipamentos não especificados anteriormente aparelhos e instrumentos de medida, teste e controle aparelhos eletromédicos e eletroterapêuticos e equipamentos de irradiação equipamentos e instrumentos ópticos geradores, transformadores e motores elétricos previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de baterias e acumuladores elétricos, exceto para veículos previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de máquinas, aparelhos e materiais elétricos não especificados anteriormente máquinas motrizes não-elétricas equipamentos hidráulicos e pneumáticos, exceto válvulas previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de

12 previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de / / /05 válvulas industriais compressores equipamentos de transmissão para fins industriais /00 Carga e descarga / / / / / /02 Administração da infra-estrutura portuária Operações de terminais Serviço de táxi aéreo e locação de aeronaves com tripulação Outros serviços de transporte aéreo de passageiros nãoregular rodoviário de carga, exceto produtos perigosos e mudanças, municipal rodoviário de carga, exceto produtos perigosos e mudanças, intermunicipal, interestadual e internacional previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de inciso XIII ao art. 8, da Lei /2011, incluindo as empresas que realizam operações de carga, descarga e armazenagem de contâineres em portos organizados, enquadrados nas classes e da CNAE 2.0, que vão recolher 1% de CPRB (Contribuição Previdenciária Sobre a Receita Bruta) a partir da competência janeiro de 2014 em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de inciso XIII ao art. 8, da Lei /2011, incluindo as empresas que realizam operações de carga, descarga e armazenagem de contâineres em portos organizados, enquadrados nas classes e da CNAE 2.0, que vão recolher 1% de CPRB (Contribuição Previdenciária Sobre a Receita Bruta) a partir da competência janeiro de 2014 em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de inciso XIII ao art. 8, da Lei /2011, incluindo as empresas que realizam operações de carga, descarga e armazenagem de contâineres em portos organizados, enquadrados nas classes e da CNAE 2.0, que vão recolher 1% de CPRB (Contribuição Previdenciária Sobre a Receita Bruta) a partir da competência janeiro de 2014 em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de inciso XIV ao art. 8, da Lei /2011, incluindo as empresas de transporte aéreo de passageiros e de carga não regular (táxi-aéreo), nos termos da Lei nº 7.565, de 19 de dezembro de 1986, enquadradas na classe da CNAE 2.0, que vão recolher 1% de CPRB (Contribuição inciso XIV ao art. 8, da Lei /2011, incluindo as empresas de transporte aéreo de passageiros e de carga não regular (táxi-aéreo), nos termos da Lei nº 7.565, de 19 de dezembro de 1986, enquadradas na classe da CNAE 2.0, que vão recolher 1% de CPRB (Contribuição inciso XV ao art. 8, da Lei /2011, incluindo as empresas de transporte rodoviário de cargas, enquadradas na classe da CNAE 2.0, que vão recolher 1% de CPRB (Contribuição inciso XV ao art. 8, da Lei /2011, incluindo as empresas de transporte rodoviário de cargas, enquadradas na classe da CNAE 2.0, que vão recolher 1% de CPRB (Contribuição

13 4930-2/ / / / / / / /00 rodoviário de produtos perigosos rodoviário de mudanças Atividades de agenciamento marítimo por navegação de travessia, municipal por navegação de travessia, intermunicipal Operação dos aeroportos e campos de aterrissagem Atividades auxiliares dos transportes aéreos, exceto operação dos aeroportos e campos de aterrissagem ferroviário de carga /01 Impressão de jornais /02 Impressão de livros, revistas e outras publicações periódicas /00 Edição de livros inciso XV ao art. 8, da Lei /2011, incluindo as empresas de transporte rodoviário de cargas, enquadradas na classe do CNAE 2.0, que vão recolher 1% de CPRB (Contribuição inciso XV ao art. 8, da Lei /2011, incluindo as empresas de transporte rodoviário de cargas, enquadradas na classe do CNAE 2.0, que vão recolher 1% de CPRB (Contribuição inciso XVI ao art. 8, da Lei /2011, incluindo as empresas de agenciamento marítimo de navios, enquadradas na classe da CNAE 2.0, que vão recolher 1% de CPRB (Contribuição inciso XVII ao art. 8, da Lei /2011, incluindo as empresas de transporte por navegação de travessia, enquadradas na classe da CNAE 2.0, que vão recolher 1% de CPRB (Contribuição Previdenciária Sobre a Receita Bruta) a partir da competência janeiro de 2014 em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de julho de inciso XVII ao art. 8, da Lei /2011, incluindo as empresas de transporte por navegação de travessia, enquadradas na classe da CNAE 2.0, que vão recolher 1% de CPRB (Contribuição Previdenciária Sobre a Receita Bruta) a partir da competência janeiro de 2014 em substituição às contribuições previstas nos incisos I e III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de julho de inciso XVIII ao art. 8, da Lei /2011, incluindo as empresas de prestação de serviços de infraestrutura aeroportuária, enquadradas na classe da CNAE 2.0, que vão recolher 1% de inciso XVIII ao art. 8, da Lei /2011, incluindo as empresas de prestação de serviços de infraestrutura aeroportuária, enquadradas na classe da CNAE 2.0, que vão recolher 1% de inciso XIX ao art. 8, da Lei /2011, incluindo as empresas de transporte ferroviário de cargas, enquadradas na classe da CNAE 2.0, que vão recolher 1% de CPRB (Contribuição III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de

14 5812-3/00 Edição de jornais /00 Edição de revistas / /00 Edição integrada à impressão de jornais Edição integrada à impressão de revistas /00 Atividades de rádio / /00 Atividades de televisão aberta Portais, provedores de conteúdo e outros serviços de informação na internet III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de III do art. 22 da Lei nº 8.212, de 24 de

TABELA DAS ATIVIDADES SUJEITA A DESONERAÇÃO (Antes da MP 612/2013) - Elaborada por Daniel Pinheiro

TABELA DAS ATIVIDADES SUJEITA A DESONERAÇÃO (Antes da MP 612/2013) - Elaborada por Daniel Pinheiro TABELA DAS ATIVIDADES SUJEITA A DESONERAÇÃO (Antes da MP 612/2013) - Elaborada por Daniel Pinheiro Prestação de Serviços e Comércio varejista Início Atividade de indústria Início TI e TIC exclusivamente:

Leia mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO A T U A L I Z A Ç Õ E S DA MP 6 5 1 / 2 0 1 4 QUE T O R N A A D E S O N E R A Ç Ã O D E F I N I T I V A P A R A O S E T O R E L E I 12. 9 9 5 / 2 0 1 4 C O M N O V A R

Leia mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO RESPOSTA DA RECEITA FEDERAL AO QUESTIONAMENTO DA CBIC Carla Soares Gerente Jurídica do Sinduscon-Rio juridico@sinduscon-rio.com.br LEI 12.546/2011 ART. 7 Art. 7 o Até

Leia mais

Autor: Alexandre Marques Andrade Lemos

Autor: Alexandre Marques Andrade Lemos TABELA PRÁTICA DE RETENÇÃO DE INSS DOS OPTANTES DO SIMPLES NACIONAL NAS ATIVIDADES DE CONSTRUÇÃO CIVIL Autor: Alexandre Marques Andrade Lemos Atualizada até 20 de outubro de 2014 (É proibida a reprodução

Leia mais

ATIVIDADES PERMITIDAS EM ESCRITÓRIO VIRTUAL

ATIVIDADES PERMITIDAS EM ESCRITÓRIO VIRTUAL 3011-3/01 Construção de embarcações de grande porte 3250-7/06 Serviços de prótese dentária 3311-2/00 Manutenção e reparação de tanques, reservatórios metálicos e caldeiras, exceto para veículos 3312-1/01

Leia mais

Desoneração da Folha Aplicada à Construção Civil

Desoneração da Folha Aplicada à Construção Civil Contribuições Sociais Desoneração da Folha Aplicada à Construção Civil 1 ANEXO VII IN971/2009 DISCRIMINAÇÃO DE OBRAS E SERVIÇOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL Conforme Classificação Nacional de Atividades Econômicas

Leia mais

Quinta-feira, 17 de Outubro de 2013 Edição n 1165

Quinta-feira, 17 de Outubro de 2013 Edição n 1165 ANEXO ÚNICO DA LEI MUNICIPAL Nº 1.501 DE 16 DE OUTUBRO DE 2013 3011-3/01 Construção de embarcações de grande porte 3311- Manutenção e reparação de tanques, reservatórios metálicos e caldeiras, 2/00 exceto

Leia mais

ÍNDICE. Autora. O que é desoneração da Folha de Pagamento? Quais os objetivos da desoneração? Quais são as legislações sobre o tema?

ÍNDICE. Autora. O que é desoneração da Folha de Pagamento? Quais os objetivos da desoneração? Quais são as legislações sobre o tema? Autora Sueny Almeida de Medeiros ADVOCACIA TRIBUTÁRIA Nascida em Brasília/DF, formada em Direito pelo Centro Universitário UNIEURO, Pós-graduada em Direito pela Escola da Magistratura do Distrito Federal,

Leia mais

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL

REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL Comprovante de Inscrição e de Situação Cadastral Contribuinte, Confira os dados de Identificação da Pessoa Jurídica e, se houver qualquer divergência, providencie junto à RFB a sua atualização cadastral.

Leia mais

A Desoneração tributária na Construção Civil

A Desoneração tributária na Construção Civil CONFEDERAÇÃO NACIONAL DOS TRABALHADORES NAS INDÚSTRIAS DA CONSTRUÇÃO E DO MOBILIÁRIO RECONHECIDA NOS TERMOS DA LEGISLAÇÃO VIGENTE EM 16 DE SETEMBRO DE 2010 Estudo técnico Edição nº 06 abril de 2014 Organização:

Leia mais

O QUE É A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO?

O QUE É A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO? O QUE É A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO? É a substituição da contribuição previdenciária patronal de 20% sobre o salário de contribuição dos empregados, trabalhadores avulsos e contribuintes individuais.

Leia mais

ANEXO II Autorização para geração da NFS-e a partir de 05/01/2015. Descrição do Código CNAE 2.0

ANEXO II Autorização para geração da NFS-e a partir de 05/01/2015. Descrição do Código CNAE 2.0 6201-5/00 Desenvolvimento de programas de computador sob encomenda 01.01 6201-5/00 Desenvolvimento de programas de computador sob encomenda 01.02 6190-6/01 Provedores de acesso às redes de comunicações

Leia mais

ANEXO IV Autorização para geração da NFS-e a partir de 01/03/2015. Descrição do Código CNAE 2.0. 8690-9/04 Atividades de podologia 06.

ANEXO IV Autorização para geração da NFS-e a partir de 01/03/2015. Descrição do Código CNAE 2.0. 8690-9/04 Atividades de podologia 06. 8690-9/04 Atividades de podologia 06.01 9602-5/01 Cabeleireiros 06.01 9602-5/02 Outras atividades de tratamento de beleza 06.01 9602-5/02 Atividades de estética e outros serviços de cuidados com a beleza

Leia mais

Setor produtivo G05 - Construção Civil/ Cerâmica. Contém 1286246 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0810-0/02 Extração de granito e beneficiamento

Setor produtivo G05 - Construção Civil/ Cerâmica. Contém 1286246 estabelecimentos. DESCRIÇÃO DO CNAE 0810-0/02 Extração de granito e beneficiamento Setor produtivo G05 - Construção Civil/ Cerâmica. Contém 1286246 estabelecimentos. CNAE DESCRIÇÃO DO CNAE 0810-0/02 Extração de granito e beneficiamento associado 0810-0/03 Extração de mármore e beneficiamento

Leia mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO. Fevereiro de 2013

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO. Fevereiro de 2013 DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO Fevereiro de 2013 DAS CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS SOBRE A FOLHA DE PAGTO - Contribuição dos Empregados (art. 20, Lei 8.212/91); - Contribuição Patronal (art. 22, I e III, Lei

Leia mais

Memorando Construção Civil e Instalações

Memorando Construção Civil e Instalações Memorando Construção Civil e Instalações Desoneração da Folha de Pagamento Setembro de 2013 Publicada em 19 de julho, a nova Lei nº 12.844, alterando a Lei nº 12.546, ampliou de forma definitiva o rol

Leia mais

REONERAÇÃO PREVIDENCIÁRIA ASPÉCTOS JURÍDICOS

REONERAÇÃO PREVIDENCIÁRIA ASPÉCTOS JURÍDICOS INTRODUÇÃO NORMAS LEI N. 12.546, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2011, alterada pela Lei 12.715/2013 MEDIDA PROVISÓRIA N. 601, DE 28 DE DEZEMBRO DE 2012 (vigência encerrada no dia 3 de junho de 2013) MEDIDA PROVISÓRIA

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Desoneração da Folha - Call Center - Atividade Concomitante

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Desoneração da Folha - Call Center - Atividade Concomitante Desoneração da Folha - Call Center - Atividade 17/12/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 5 3.1 Empresas que exercem atividades

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 19 - Data 16 de janeiro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS CONTRIBUIÇÃO SUBSTITUTIVA. ATIVIDADES

Leia mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA - CPRB - ATIVIDADES DO ART. 7º DA LEI Nº 12.546/11, ALTERADA PELA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 601/12

DESONERAÇÃO DA FOLHA - CPRB - ATIVIDADES DO ART. 7º DA LEI Nº 12.546/11, ALTERADA PELA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 601/12 DESONERAÇÃO DA FOLHA - CPRB - ATIVIDADES DO ART. 7º DA LEI Nº 12.546/11, ALTERADA PELA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 601/12 Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 16/01/2013. Sumário: 1 - Introdução

Leia mais

Quinta-feira, 17 de Outubro de 2013 Edição n 1165

Quinta-feira, 17 de Outubro de 2013 Edição n 1165 LEI MUNICIPAL Nº 1.501 DE 16 DE OUTUBRO DE 2013. Dispõe sobre o funcionamento de escritórios virtuais no Município de Lauro de Freitas, na forma que indica e dá outras providências. O PREFEITO MUNICIPAL

Leia mais

ANEXO VII DISCRIMINAÇÃO DE OBRAS E SERVIÇOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL. (Conforme Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE)

ANEXO VII DISCRIMINAÇÃO DE OBRAS E SERVIÇOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL. (Conforme Classificação Nacional de Atividades Econômicas - CNAE) 41 - CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS 41.2 - CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS ANEXO VII DISCRIMINAÇÃO DE OBRAS E SERVIÇOS DE CONSTRUÇÃO CIVIL 41.20-4 CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS (Conforme Classificação Nacional de Atividades

Leia mais

A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTOS ( INSS PATRONAL ) 1. O CONTEXTO LEGISLATIVO

A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTOS ( INSS PATRONAL ) 1. O CONTEXTO LEGISLATIVO A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTOS ( INSS PATRONAL ) Fonte: elaboração própria abril de 2013 EMENTA: CONTEXTO LEGISLATIVO. OS PRINCIPAIS SETORES. CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS SUBSTITUÍDAS. CRITÉRIO

Leia mais

ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 01 25 de março de 2010

ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 01 25 de março de 2010 ORIENTAÇÃO TÉCNICA Nº 01 25 de março de 2010 Dispõe sobre a retenção das contribuições previdenciárias sobre os contratos de obra de construção civil por empreitada total. Orientação Técnica nº 01, 1ª

Leia mais

Desoneração da Folha de Pagamentos

Desoneração da Folha de Pagamentos Desoneração da Folha de Pagamentos janeiro/2013 Vicente Sevilha Junior Forma de tributação do INSS Tradicional: No modelo tradicional de tributação do INSS, as empresas (exceto SIMPLES) recolhem 20% do

Leia mais

Desta forma, não há prazo específico para a vigência dos dispositivos da Lei nº 12.546/11, que tratam da desoneração da folha de pagamento.

Desta forma, não há prazo específico para a vigência dos dispositivos da Lei nº 12.546/11, que tratam da desoneração da folha de pagamento. Desoneração da Folha de Pagamento Procedimentos Atenção: Por meio da Medida Provisória nº 651/14, o Governo retira o prazo inicialmente estabelecido pela Lei 12.546/11, que determinou que a contribuição

Leia mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA. Eliane Valcam

DESONERAÇÃO DA FOLHA. Eliane Valcam DESONERAÇÃO DA FOLHA Eliane Valcam DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO O que é a desoneração da folha de pagamento? É a substituição da contribuição patronal previdenciária (20% sobre a folha de pagamento

Leia mais

GERÊNCIA DE ORIENTAÇÕES, NORMAS E PROCEDIMENTOS GONP SETOR DE ORIENTAÇÃO - SEOR

GERÊNCIA DE ORIENTAÇÕES, NORMAS E PROCEDIMENTOS GONP SETOR DE ORIENTAÇÃO - SEOR GERÊNCIA DE ORIENTAÇÕES, NORMAS E PROCEDIMENTOS GONP SETOR DE ORIENTAÇÃO - SEOR Orientação Técnica n 004/2013. Assunto: Redução Temporária da retenção do percentual de INSS para contratos celebrados com

Leia mais

ANEXO III - Obrigatoriedade da NFS-e a partir de 01/01/2010 CÓDIGO DE ATIVIDADE CNAE 2.0

ANEXO III - Obrigatoriedade da NFS-e a partir de 01/01/2010 CÓDIGO DE ATIVIDADE CNAE 2.0 ANEXO III - Obrigatoriedade da NFS-e a partir de 01/01/2010 CÓDIGO DE ATIVIDADE CNAE 2.0 Código Descrição 8511-2/00-00 EDUCACAO INFANTIL-CRECHE 8512-1/00-00 EDUCACAO INFANTIL-PRE-ESCOLA 8513-9/00-00 ENSINO

Leia mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA - CPRB - ATIVIDADES DO ART. 7º DA LEI Nº 12.546/2011, ALTERADA PELA LEI Nº 12.844/2013

DESONERAÇÃO DA FOLHA - CPRB - ATIVIDADES DO ART. 7º DA LEI Nº 12.546/2011, ALTERADA PELA LEI Nº 12.844/2013 DESONERAÇÃO DA FOLHA - CPRB - ATIVIDADES DO ART. 7º DA LEI Nº 12.546/2011, ALTERADA PELA LEI Nº 12.844/2013 Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 07/08/2013. Sumário: 1 - Introdução 2 -

Leia mais

INSS, IRRF e Obrigações Fiscais Texto 10

INSS, IRRF e Obrigações Fiscais Texto 10 Não incidência de retenção de INSS na contratação de pessoas jurídicas, nas. A retenção de contribuição previdenciária a alíquota de 11% quando o órgão público contrata uma pessoa jurídica para lhe prestar

Leia mais

FLUXO CONSTRUÇÃO - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS PARA CONSTRUÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009

FLUXO CONSTRUÇÃO - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS PARA CONSTRUÇÃO, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 FLUXO - SERVIÇOS ESPECIALIZADOS PARA, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA 2009 Entradas e Saídas de Mercadorias Base 2009 FLUXO DE, POR UNIDADE DA FEDERAÇÃO NO ESTADO DA PARAÍBA - 2009 Estados

Leia mais

Desoneração de folha de pagamento

Desoneração de folha de pagamento Desoneração de folha de pagamento Outubro/2012 1 Contexto Visando uma maior competitividade em alguns setores da economia foi instituído o Plano Brasil Maior. * - Medida Provisória 540/2011 Plano Brasil

Leia mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO O que é Desoneração da Folha de Pagamento? A Desoneração da Folha de Pagamento é a substituição da Contribuição Previdenciária Patronal, de 20% (vinte por cento) sobre

Leia mais

Instrutor: Rodrigo Napier

Instrutor: Rodrigo Napier DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DIVERSOS SETORES... (Lei 12.546/2011 /2012 - Lei 12.715/2012, MP 612/2013, 601/2012 e Lei 12.844/2013 Decreto 7.828 e 7.877/2012 Regime Especial de Reintegração de Valores

Leia mais

GERÊNCIA DE ORIENTAÇÕES, NORMAS E PROCEDIMENTOS GONP SETOR DE ORIENTAÇÃO - SEOR

GERÊNCIA DE ORIENTAÇÕES, NORMAS E PROCEDIMENTOS GONP SETOR DE ORIENTAÇÃO - SEOR Fone: (81) 3355-9011 GERÊNCIA DE ORIENTAÇÕES, NORMAS E PROCEDIMENTOS GONP SETOR DE ORIENTAÇÃO - SEOR Orientação Técnica n 03/2013 Assunto: Dispensa da retenção previdenciária referente à contratação de

Leia mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA SALARIAL

DESONERAÇÃO DA FOLHA SALARIAL DESONERAÇÃO DA FOLHA SALARIAL DESONERAÇÃO DA FOLHA SALARIAL PLANO BRASIL MAIOR Lei nº 12.546, de 14.12.2011 (Conversão da MP nº 540) Lei nº 12.715, de 17.09.2012 (Conversão da MP nº 563) Lei nº 12.794,

Leia mais

Plano Brasil Maior e a Desoneração da Folha de Pagamento 18.12.2012

Plano Brasil Maior e a Desoneração da Folha de Pagamento 18.12.2012 Plano Brasil Maior e a Desoneração da Folha de Pagamento 18.12.2012 Esta palestra encontra-se disponível para download em nosso site: www.doccontabilidade.com.br 18.12.2012 Legislação de Referência MP

Leia mais

ALERTA GERENCIAL. Alterações na Legislação Federal

ALERTA GERENCIAL. Alterações na Legislação Federal Edição nº 140 02 de março de 2015. ALERTA GERENCIAL Alterações na Legislação Federal A Medida Provisória nº 669, publicada no D.O.U. DE 27/02/2014, promoveu diversas alterações na legislação tributária

Leia mais

DEMANDAS DE BENS E SERVIÇOS PARA O EMPREENDIMENTO DA REFINARIA PREMIUM I

DEMANDAS DE BENS E SERVIÇOS PARA O EMPREENDIMENTO DA REFINARIA PREMIUM I WORKSHOP DE DESENVOLVIMENTO DE FORNECEDORES DEMANDAS DE BENS E SERVIÇOS PARA O EMPREENDIMENTO DA REFINARIA PREMIUM I Maurício Lamartine PETROBRAS 1 Sumário O Empreendimento da Refinaria Premium I (Refinaria,

Leia mais

Desoneração da Folha de Pagamento Inclusão dos Setores

Desoneração da Folha de Pagamento Inclusão dos Setores Atenção: A Medida Provisória nº 601/2013 perdeu a eficácia a partir de 03/06/2013. SUMÁRIO 1. Introdução 1.1. Não aplicação 1.2. Desoneração da folha de pagamento - Empresas optantes pelo SIMPLES Nacional

Leia mais

CATEGORIAS E GRUPOS PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE. 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria;

CATEGORIAS E GRUPOS PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE. 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria; CATEGORIAS E PARA ENQUADRAMENTO IMPORTANTE 1.- Para cada x assinalado, enviar no mínimo 02 (dois) atestados de cada categoria; 2.- Os atestados deverão: 2.1.- Ser apresentados rigorosamente de acordo com

Leia mais

Pesquisa Anual da Indústria da Construção IBGE. Data: 22/maio/2014

Pesquisa Anual da Indústria da Construção IBGE. Data: 22/maio/2014 Pesquisa Anual da Indústria da Construção Paic IBGE Data: 22/maio/2014 APRESENTAÇÃO A Pesquisa Anual da Indústria da Construção (Paic) se insere na missão institucional do IBGE, mensurando e delineando

Leia mais

SEÇÃO II DAS VEDAÇOES AO INGRESSO AO SIMPLES NACIONAL DAS ATIVIDADES PERMITIDAS A ADESÃO AO SIMPLES NACIONAL

SEÇÃO II DAS VEDAÇOES AO INGRESSO AO SIMPLES NACIONAL DAS ATIVIDADES PERMITIDAS A ADESÃO AO SIMPLES NACIONAL SEÇÃO II DAS VEDAÇOES AO INGRESSO AO NACIONAL DAS ATIVIDADES PERMITIDAS A ADESÃO AO NACIONAL ART. 17 Parágrafo 1º - As vedações relativas a exercício das atividades previstas no caput não se aplica as

Leia mais

TRIBUTÁRIO PROVISÓRIA Nº 651/14 ASPECTOS RELACIONADOS À TRIBUTAÇÃO DE SETORES DE INFRAESTRUTURA

TRIBUTÁRIO PROVISÓRIA Nº 651/14 ASPECTOS RELACIONADOS À TRIBUTAÇÃO DE SETORES DE INFRAESTRUTURA TRIBUTÁRIO 17/11/2014 LEI 13.043/14 - CONVERSÃO DA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 651/14 ASPECTOS RELACIONADOS À TRIBUTAÇÃO DE SETORES DE INFRAESTRUTURA A edição de 14 de novembro do Diário Oficial da União publicou

Leia mais

PATRIMÔNIO DE AFETAÇÃO REGIME ESPECIAL DE TRIBUTAÇÃO (RET)

PATRIMÔNIO DE AFETAÇÃO REGIME ESPECIAL DE TRIBUTAÇÃO (RET) WORK SHOP PATRIMÔNIO DE AFETAÇÃO REGIME ESPECIAL DE TRIBUTAÇÃO (RET) Base Legal Lei 4.591/1964 Lei 10.931/2004 IN 474/2004 Lei 11.196/2005 Lei 11.977/2009 Lei 12.024/2009 Lei 12.844/2013 Como Fazer? Ficam

Leia mais

Renúncias Previdenciárias

Renúncias Previdenciárias 198ª Reunião Ordinária do Conselho Nacional de Previdência Social Brasília Renúncias Previdenciárias Raimundo Eloi de Carvalho Coordenador de Previsão e Análise da Receita Federal do Brasil Sumário 1.

Leia mais

Receitas excluídas do regime de incidência não-cumulativa

Receitas excluídas do regime de incidência não-cumulativa Receitas excluídas do regime de incidência não-cumulativa Ainda que a pessoa jurídica esteja submetida ao regime de incidência não-cumulativa, as receitas constantes do art. 8º da Lei nº 10.637, de 2002,

Leia mais

TABELA II - TAXAS GENÉRICAS

TABELA II - TAXAS GENÉRICAS TABELA II - TAXAS GENÉRICAS ACTIVO CORPÓREO GRUPO 1 - IMÓVEIS 2005 Edificações ligeiras (fibrocimento, madeira, zinco, etc.) 10 Edifícios (a): 2010 Habitacionais 2 2015 Comerciais e administrativos 2 2020

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 177 - Data 25 de junho de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF XXXXXXXXXXXXXXX XXXXXXXXXXXXXXX ASSUNTO: SIMPLES NACIONAL PRESTAÇÃO DE SERVIÇO

Leia mais

27 A Desoneração da Folha de Pagamento

27 A Desoneração da Folha de Pagamento Caros alunos, disponibilizo para vocês o capítulo do meu livro Curso Prático de Direito Previdenciário, Editora JusPodivm, sobre a desoneração da folha de pagamento.. Bons estudos! Ivan Kertzman 27 A Desoneração

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE A RECEITA

CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE A RECEITA CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE A RECEITA SRRF 6ª REGIÃO FISCAL Divisão de Tributação Elaboração: Marcelo Almeida SUPERINTENDÊNCIA DA RECEITA FEDERAL EM MINAS GERAIS ABORDAGEM DO TEMA - Aspectos constitucionais

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO

CONSIDERAÇÕES SOBRE A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO CONSIDERAÇÕES SOBRE A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO por RODOLFO MACHADO MOURA 1 em 30 de janeiro de 2014 Consulta o Presidente do SINDICATO DAS EMPRESAS DE RÁDIO E TELEVISÃO DO PARANÁ SERT PR, o SR.

Leia mais

Instrução Normativa RFB nº 829 (DOU de 20/03/08)

Instrução Normativa RFB nº 829 (DOU de 20/03/08) Instrução Normativa RFB nº 829 (DOU de 20/03/08) Altera a Instrução Normativa MPS/SRP nº 3, de 14/07/05, que dispõe sobre normas gerais de tributação previdenciária e de arrecadação de contribuições sociais

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 20 19 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 117 - Data 12 de maio de 2015 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA

Leia mais

FISCAL LEVANTAMENTO DO ESTOQUE

FISCAL LEVANTAMENTO DO ESTOQUE BOLETIM INFORMATIVO DUARTE BENETTI CONTABILIDADE ANO XXX Nº 123 JANEIRO / 2014 Fiscal... 1 Pessoal... 2 Assuntos Diversos...3 Feriado e Agenda Obrigações...4 Mensagem...5 FISCAL LEVANTAMENTO DO ESTOQUE

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 44 - Data 3 de dezembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS PROCESSAMENTO DE DADOS. DESONERAÇÃO

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 327 - Data 17 de novembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA

Leia mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTOS

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTOS DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTOS Outubro de 2013 1 Financiamento da Seguridade Social Constituição de 1988 garantiu modelo de financiamento para seguridade social baseado na folha de salários, faturamento

Leia mais

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 21 DE JANEIRO DE 2014.

INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 21 DE JANEIRO DE 2014. INSTRUÇÃO NORMATIVA Nº 01, DE 21 DE JANEIRO DE 2014. REGULAMENTA O REQUERIMENTO DE ADESÃO AO PROGRAMA DE DOMICÍLIO FISCAL, QUE SE REFERE À LEI COMPLEMENTAR Nº 66, DE 11 DE DEZEMBRO DE 2013. JOHN KENNEDY

Leia mais

TABELAS DE ALÍQUOTAS A PARTIR DE 2015 ANEXO I DA LEI COMPLEMENTAR 123, DE 14 12 2006. Até 180.000,00 4,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 2,75% 1,25%

TABELAS DE ALÍQUOTAS A PARTIR DE 2015 ANEXO I DA LEI COMPLEMENTAR 123, DE 14 12 2006. Até 180.000,00 4,00% 0,00% 0,00% 0,00% 0,00% 2,75% 1,25% ... Informativo 0 Página 0 Ano 2015 TABELAS DE ALÍQUOTAS A PARTIR DE 2015 ANEXO I DA LEI COMPLEMENTAR 123, DE 14 12 2006 Alíquotas e Partilha do Simples Nacional Comércio Receita Bruta em 12 meses (em

Leia mais

Instrução de Serviço GETM nº 006, de 4 de setembro de 2015

Instrução de Serviço GETM nº 006, de 4 de setembro de 2015 Instrução de Serviço GETM nº 006, de 4 de setembro de 2015 Interpreta a legislação aplicável e indica as atividades de prestação de serviço cuja mensuração do imposto devido permite reduções da base de

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 23 - Data 22 de janeiro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF Assunto: Contribuições Sociais Previdenciárias Ementa: No caso de contratação

Leia mais

ANO XXVI - 2015-3ª SEMANA DE SETEMBRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 38/2015

ANO XXVI - 2015-3ª SEMANA DE SETEMBRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 38/2015 ANO XXVI - 2015-3ª SEMANA DE SETEMBRO DE 2015 BOLETIM INFORMARE Nº 38/2015 ASSUNTOS PREVIDENCIÁRIOS DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO - ATUALIZAÇÃO LEI Nº 13.161/2015 - PROCEDIMENTOS PREVIDENCIÁRIOS...

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Como considerar o campo Tributação de uma NFS-e para serviços prestados fora do país 02/10/14

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Como considerar o campo Tributação de uma NFS-e para serviços prestados fora do país 02/10/14 serviços prestados fora do país 02/10/14 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 2.1 Lei Complementar 116 de 2003... 3 3. Análise da Consultoria... 5 3.1 Lei

Leia mais

b) agrupados, por categoria, os segurados empregado, trabalhador avulso e contribuinte individual;

b) agrupados, por categoria, os segurados empregado, trabalhador avulso e contribuinte individual; Instrução Normativa RFB nº 971, de 13 de novembro de 2009 DOU de 17.11.2009 O SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL, no uso da atribuição que lhe confere o inciso III do art. 261 do Regimento Interno

Leia mais

Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta RPRB

Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta RPRB Contribuição Previdenciária sobre a Receita Bruta RPRB Lei nº 12.546/2011 (alterada pela Lei nº 12.844/2013) São Paulo, SP Av. Nove de Julho, 5.109 3º Andar +55 11 3254 0050 www.porto.adv.br A CONTRIBUIÇÃO

Leia mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO 1 DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO Objetivo: Atender a Lei 12.546/2011 (Confira as principais alterações legais no fim deste tutorial). Benefícios: Conceder benefícios adicionais para as empresas de setores

Leia mais

2.4.0 TRANSPORTE, ARMAZENAGEM E SERVIÇOS RELACIONADOS

2.4.0 TRANSPORTE, ARMAZENAGEM E SERVIÇOS RELACIONADOS Listagem Categorias Criticas Portugal Esta é a listagem de categorias de produto/serviço consideradas criticas pelas empresas que compõem a omunidade RePro em Portugal. Caso tenha inscrito ou pretenda

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Desoneração da Folha de Pagamento Cálculo do fator de redução para atividades concomitantes

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Desoneração da Folha de Pagamento Cálculo do fator de redução para atividades concomitantes Desoneração da Folha de Pagamento Cálculo do fator de redução para atividades concomitantes 07/03/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da

Leia mais

CÓPIA. Coordenação Geral de Tributação. Relatório RJ RIO DE JANEIRO SRRF07

CÓPIA. Coordenação Geral de Tributação. Relatório RJ RIO DE JANEIRO SRRF07 Fl. 15 Fls. 1 0 Coordenação Geral de Tributação Solução de Consulta nº 40 Data 2 de dezembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS CONTRIBUIÇÃO SUBSTITUTIVA.

Leia mais

Osvaldo Angelim Consultoria & Treinamento Rio de Janeiro RJ www.osvaldoangelim.com angelim@osvaldoangelim.com osvaldo.angelim@gmail.

Osvaldo Angelim Consultoria & Treinamento Rio de Janeiro RJ www.osvaldoangelim.com angelim@osvaldoangelim.com osvaldo.angelim@gmail. Osvaldo Angelim Consultoria & Treinamento Rio de Janeiro RJ angelim@osvaldoangelim.com osvaldo.angelim@gmail.com Este material foi elaborado e cedido pelo Professor Osvaldo Nunes Angelim. Todos os direitos

Leia mais

ANEXO I - Obrigatoriedade da NFS-e a partir de 01/09/2009 CÓDIGO DE ATIVIDADE CNAE 2.0

ANEXO I - Obrigatoriedade da NFS-e a partir de 01/09/2009 CÓDIGO DE ATIVIDADE CNAE 2.0 ANEXO I - Obrigatoriedade da NFS-e a partir de 01/09/2009 CÓDIGO DE ATIVIDADE CNAE 2.0 Código Descrição 1830-0/03-00 REPRODUCAO DE SOFTWARE EM QUALQUER SUPORTE 6190-6/01-00 PROVEDORES DE ACESSO AS REDES

Leia mais

Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 3837, DE 01 DE AGOSTO DE 2013.

Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 3837, DE 01 DE AGOSTO DE 2013. 1 Gabinete do Prefeito DECRETO Nº 3837, DE 01 DE AGOSTO DE 2013. Dispõe sobre normas para emissão de Alvará de Funcionamento pela Internet e regulamentação da classificação das atividades econômicas como

Leia mais

VETO À PRORROGAÇÃO DO REINTEGRA - 2014

VETO À PRORROGAÇÃO DO REINTEGRA - 2014 NOTA TÉCNICA VETO À PRORROGAÇÃO DO REINTEGRA - 2014 CONGRESSO NACIONAL Prorrogação do REINTEGRA até 2014 1. Apreciação do Veto à prorrogação do REINTEGRA para 2014 A Lei n. 12.844/2013, oriunda da Medida

Leia mais

Pergunte à CPA. ISS Regras Gerais

Pergunte à CPA. ISS Regras Gerais 05/08/2014 Pergunte à CPA ISS Regras Gerais Apresentação: Samyr Henrique Muniz Qbar ISS Legislação básica Art. 156, III da C.F./88 Lei Complementar 116/2003 (lista de serviços) Lei Ordinária de cada município

Leia mais

CÓPIA. Coordenação Geral de Tributação. Solução de Consulta Interna nº 28 Cosit Data 8 de outubro de 2013 Origem

CÓPIA. Coordenação Geral de Tributação. Solução de Consulta Interna nº 28 Cosit Data 8 de outubro de 2013 Origem Fl. 29 Fls. 1 Coordenação Geral de Tributação Solução de Consulta Interna nº 28 Data 8 de outubro de 2013 Origem DIVISÃO DE TRIBUTAÇÃO DA SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL DA 3ª REGIÃO

Leia mais

CREA-RS. Integrando Profissionais e Sociedade CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA INDUSTRIAL

CREA-RS. Integrando Profissionais e Sociedade CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA INDUSTRIAL CREA-RS Integrando Profissionais e Sociedade CÂMARA ESPECIALIZADA DE ENGENHARIA INDUSTRIAL INSPEÇÃO TÉCNICA DE SEGURANÇA VEICULAR O QUE FISCALIZAR ONDE FISCALIZAR PARÂMETRO LEGISLAÇÃO Inspeção Empresas

Leia mais

RESOLUÇÃO Nº 218, DE 29 DE JUNHO DE 1973

RESOLUÇÃO Nº 218, DE 29 DE JUNHO DE 1973 RESOLUÇÃO Nº 218, DE 29 DE JUNHO DE 1973 Discrimina atividades das diferentes modalidades profissionais da Engenharia, Arquitetura e Agronomia. O CONSELHO FEDERAL DE ENGENHARIA, ARQUITETURA E AGRONOMIA,

Leia mais

Relatório. Data 17 de dezembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF

Relatório. Data 17 de dezembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 352 - Cosit Data 17 de dezembro de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS SOBRE O FATURAMENTO E A FOLHA. MP nº 540, de 02.08.2011. Lei nº 12.546, de 14.12.2011. MP nº 563, de 03.04.

CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS SOBRE O FATURAMENTO E A FOLHA. MP nº 540, de 02.08.2011. Lei nº 12.546, de 14.12.2011. MP nº 563, de 03.04. CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS SOBRE O FATURAMENTO E A FOLHA MP nº 540, de 02.08.2011 Plano Brasil Maior Lei nº 12.546, de 14.12.2011 Conversão da MP nº 540 MP nº 563, de 03.04.2012 Ampliação do benefício

Leia mais

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação

Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão Secretaria de Logística e Tecnologia da Informação Sistema Integrado de Administração de Serviços Gerais - SIASG Sistema de Cadastramento Unificado de Fornecedores

Leia mais

Desoneração da Folha de Pagamento Estimativa de Renúncia e Metodologia de Cálculo.

Desoneração da Folha de Pagamento Estimativa de Renúncia e Metodologia de Cálculo. SECRETÁRIO DA RECEITA FEDERAL DO BRASIL Carlos Alberto Freitas Barreto CHEFE DO CENTRO DE ESTUDOS TRIBUTÁRIOS E ADUANEIROS Claudemir Rodrigues Malaquias COORDENADOR DE PREVISÃO E ANÁLISE Raimundo Eloi

Leia mais

CONSTITUIÇÃO FEDERAL TÍTULO III DA ORGANIZAÇÃO DO ESTADO CAPÍTULO II DA UNIÃO

CONSTITUIÇÃO FEDERAL TÍTULO III DA ORGANIZAÇÃO DO ESTADO CAPÍTULO II DA UNIÃO Art. 21- Compete à União: TÍTULO III DA ORGANIZAÇÃO DO ESTADO CAPÍTULO II DA UNIÃO I - Manter relações com Estados estrangeiros e participar de organizações internacionais; II - Declarar a guerra e celebrar

Leia mais

ALGUNS ESCLARECIMENTOS SOBRE A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO (LEI 12.546/2011)

ALGUNS ESCLARECIMENTOS SOBRE A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO (LEI 12.546/2011) ALGUNS ESCLARECIMENTOS SOBRE A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO (LEI 12.546/2011) A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO consiste na substituição, total ou parcial, do cálculo da contribuição previdenciária

Leia mais

Agenda de Obrigações Trabalhistas e Previdenciárias Janeiro de 2015

Agenda de Obrigações Trabalhistas e Previdenciárias Janeiro de 2015 Agenda de Obrigações Trabalhistas e Previdenciárias Janeiro de 2015 Dia: 07/01/2015 Pagamento de Salários Pagamento mensal de salários até o 5º dia útil. Fundamento: 1º do art. 459 e art. 465, ambos da

Leia mais

TABELA ANEXA. QUADRO II Taxa devida pela emissão de alvará de licença ou admissão de comunicação prévia de obras de urbanização

TABELA ANEXA. QUADRO II Taxa devida pela emissão de alvará de licença ou admissão de comunicação prévia de obras de urbanização TABELA ANEXA QUADRO I Taxa devida pela emissão de alvará, licença ou admissão de comunicação prévia de loteamento com ou sem obras de urbanização 1 Emissão do alvará de licença ou admissão de comunicação

Leia mais

Conceitos. Empreendedor M E T O D O L O G I A. Atividade Empreendedora. Empreendedorismo. * Fonte: OCDE

Conceitos. Empreendedor M E T O D O L O G I A. Atividade Empreendedora. Empreendedorismo. * Fonte: OCDE METODOLOGIA M E T O D O L O G I A Conceitos Empreendedor Atividade Empreendedora Empreendedorismo * Fonte: OCDE M E T O D O L O G I A Conceitos Empreendedor Indivíduo que tenciona gerar valor através da

Leia mais

OSuplemento de Produtos e Serviços da Pesquisa Anual de Serviços

OSuplemento de Produtos e Serviços da Pesquisa Anual de Serviços Principais produtos e serviços 2005 OSuplemento de Produtos e Serviços da Pesquisa Anual de Serviços - PAS 2005 foi aplicado nas empresas com 20 ou mais pessoas ocupadas 1, à exceção do Suplemento de Serviços

Leia mais

Coordenação Geral de Tributação

Coordenação Geral de Tributação Fls. 1 0 Coordenação Geral de Tributação Solução de Consulta nº 78 Data 28 de março de 2014 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: CONTRIBUIÇÕES SOCIAIS PREVIDENCIÁRIAS CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA INCIDENTE

Leia mais

Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 11/04/2011. 1 - INTRODUÇÃO. nº 123/2006, com a redação dada pela Lei Complementar nº 128/2008.

Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 11/04/2011. 1 - INTRODUÇÃO. nº 123/2006, com a redação dada pela Lei Complementar nº 128/2008. Trabalhistas MICROEMPREENDEDOR - Alterações INDIVIDUAL - MEI - Aspectos Previdenciários e Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 11/04/2011. Sumário: 12 Conceito Introdução 3.1 - Tributação

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 20 - Data 5 de agosto de 205 Processo Interessado CNPJ/CPF ASSUNTO: SIMPLES NACIONAL INSTALAÇÃO E MONTAGEM DE ESTRUTURAS METÁLICAS. O serviço

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 2 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Divergência nº 33 - Data 29 de novembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF SERVIÇOS DE PINTURA PREDIAL. TRIBUTAÇÃO. ANEXOS III E IV DA LEI COMPLEMENTAR

Leia mais

Objetivo SIMPLES NACIONAL 2015. Lucro Real. Outros Modelos de Tributação. Compreender como funciona o SIMPLES

Objetivo SIMPLES NACIONAL 2015. Lucro Real. Outros Modelos de Tributação. Compreender como funciona o SIMPLES Objetivo SIMPLES NACIONAL 2015 Vicente Sevilha Junior setembro/2014 Compreender como funciona o SIMPLES Entender quais atividades podem ou não optar pelo SIMPLES Analisar as tabelas e percentuais do SIMPLES

Leia mais

Lei Complementar nº 116/2003 que dispõe sobre o ISS com alterações propostas pelo PLC nº 386

Lei Complementar nº 116/2003 que dispõe sobre o ISS com alterações propostas pelo PLC nº 386 Lei Complementar nº 116/2003 que dispõe sobre o ISS com alterações propostas pelo PLC nº 386 Art. 1º O Imposto Sobre Serviços de Qualquer Natureza, de competência dos Municípios e do Distrito Federal,

Leia mais

ANO XIX - 2008-1ª SEMANA DE MAIO DE 2008 BOLETIM INFORMARE Nº 18/2008 ASSUNTOS PREVIDENCIÁRIOS ASSUNTOS TRABALHISTAS

ANO XIX - 2008-1ª SEMANA DE MAIO DE 2008 BOLETIM INFORMARE Nº 18/2008 ASSUNTOS PREVIDENCIÁRIOS ASSUNTOS TRABALHISTAS ANO XIX - 2008-1ª SEMANA DE MAIO DE 2008 BOLETIM INFORMARE Nº 18/2008 ASSUNTOS PREVIDENCIÁRIOS CESSÃO DE MÃO-DE-OBRA E EMPREITADA - RETENÇÃO - PARTE II Retenção/Condições Especiais/Aposentadoria Especial

Leia mais

BIBLIOTECA ARTIGO Nº 49

BIBLIOTECA ARTIGO Nº 49 BIBLIOTECA ARTIGO Nº 49 NOVIDADES DA INSTRUÇÃO NORMATIVA N. 1.436 NO CONTEXTO DA DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTOS Autora - Camila Spósito A desoneração da folha de pagamentos é um esforço do governo

Leia mais

Coordenação-Geral de Tributação

Coordenação-Geral de Tributação Fls. 1 Coordenação-Geral de Tributação Solução de Consulta nº 38 - Data 2 de dezembro de 2013 Processo Interessado CNPJ/CPF Assunto: Contribuições Sociais Previdenciárias Ementa: CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA

Leia mais

PLANO BRASIL MAIOR. (Informações atualizadas até 12.06.2013) Desoneração da Folha de Pagamento

PLANO BRASIL MAIOR. (Informações atualizadas até 12.06.2013) Desoneração da Folha de Pagamento PLANO BRASIL MAIOR (Informações atualizadas até 12.06.2013) Desoneração da Folha de Pagamento PLANO BRASIL MAIOR Desoneração da Folha de Pagamento Importante Por meio de Ato CN nº 36/2013, do Presidente

Leia mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA

DESONERAÇÃO DA FOLHA CONSELHO REGIONAL DE CONTABILIDADE DO RIO GRANDE DO SUL MINÁRIO DE ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁ RIO ASSUNTOS CONTÁBEIS DE PORTO ALEGRE SEMINÁRIO DE ASSUNTOÁBEIS DE PORTO ALEGRESEMINÁRIO PALESTRA

Leia mais