Desoneração da Folha AC Pessoal

Tamanho: px
Começar a partir da página:

Download "Desoneração da Folha AC Pessoal"

Transcrição

1 Desoneração da Folha AC Pessoal É uma medida governamental voltada para o crescimento da produção: o governo está eliminando a atual contribuição previdenciária sobre a folha e adotando uma nova contribuição sobre a receita bruta das empresas. Essa mudança já beneficia 42 setores da economia e tem como objetivo reduzir o custo de produção no Brasil. A desoneração da folha foi criada pelo governo federal com o intuito de aumentar a competitividade de alguns setores econômicos, em especial aqueles que geram maior número de empregos, substituindo a contribuição patronal (da empresa) de 20% do INSS sobre a folha, por um percentual (de 1% ou 2%, dependendo do setor) sobre a receita bruta. Essa mudança de base da contribuição também contempla uma redução da carga tributária, porque a alíquota sobre a receita bruta foi fixada em um patamar inferior àquela alíquota que manteria inalterada a arrecadação a chamada alíquota neutra. A contribuição previdenciária das empresas sobre a folha é recolhida, em geral, via Guia da Previdência Social (GPS), juntamente com a contribuição do empregado, no código A contribuição sobre a receita bruta das empresas, que agora está sendo estendida para outros setores, é recolhida por meio de Documento de Arrecadação de Receitas Federais (DARF), com os seguintes códigos*: I 2985: Contribuição Previdenciária Sobre Receita Bruta Empresas Prestadoras de Serviços de Tecnologia da Informação (TI) e Tecnologia da Informação e Comunicação (TIC); II 2991: Contribuição Previdenciária Sobre Receita Bruta Demais. É importante lembrar que tal substituição da base de incidência, valor que serve de base a um determinado cálculo, se aplica tão somente para a contribuição patronal, ou seja, os atuais 20% sobre a folha. Todas as demais contribuições (RAT*FAP ajustado, parte do empregado, FGTS, Sistema S (Parte de terceiros)) continuam inalteradas e devidas. Nos casos em que há desoneração parcial, posto haver atividades incentivadas e não incentivadas: Para o cálculo da contribuição previdenciária sobre a folha de pagamento, mensalmente, a empresa deverá observar o disposto no inciso II, parágrafo 1º do artigo 9º da Lei , ou seja, deve-se calcular a proporção entre a receita bruta onerada e a receita bruta total (unidade matriz e filiais, desde industrialize o produto que gerou a receita). O resultado dessa proporção deverá ser aplicado sobre a base de cálculo da contribuição previdenciária sobre a folha de pagamento, para fins de recolhimento do INSS patronal sobre a folha de pagamento. AC Pessoal Na Versão id=" " bd="505" data="16/05/2013"> Adequação para empresas enquadradas na desoneração de folha. 1. Alterações? Para a nova regra o sistema AC Pessoal passou por algumas mudanças, seguem abaixo. Ao acessar o sistema após a nova regra irá apresentar a seguinte mensagem:

2 1.1. Situação da Empresa O campo Contribuição Patronal sobre Faturamento passa a ficar na situação da empresa, anteriormente a opção era informada em movimentos>situações>estabelecimentos. Obs.: A empresa que estava marcada a opção de Contribuição Patronal sobre Faturamento, no histórico do estabelecimento, terá que verificar se está enquadrada e ajustar novamente na situação da empresa. Importante! A Medida provisória diz que as empresas podem se enquadrar totalmente na desoneração, dessa forma deverá marcar a opção em movimentos>situações>empresa, lembrando que deve criar uma nova situação, ou se a empresa produzir tipos diferentes de produtos ou prestar diferentes tipos de serviços, sendo apenas alguns deles elencados na Medida Provisória, deverá proporcionalizar sua receita de acordo com os serviços/produtos enquadrados e não enquadrados na Medida. Dessa forma terá que não marcar a opção na situação da empresa e informar o valor do faturamento enquadrado na desoneração em movimentos>obrigações mensais> faturamento da empresa.

3 1.2. Histórico do Estabelecimento Algumas melhorias foram implementadas no histórico do estabelecimento que se refere ao campo do INSS Patronal que passou a ficar mais intuitivo e de responsabilidade do usuário. Os campos referentes a parte patronal dos empregados, empregadores e autônomos ficaram separados, como também incluiu-se novos campos como a Exposição a agentes nocivos, que para haver o cálculo irá depender tanto da exposição informada nos cadastros dos empregados, empregadores e autônomos, como a informação no histórico do estabelecimentos. Dessa forma irá melhorar quanto à questão das empresas com FPAS 639, 604 e 833, que tem empregados com exposição a agentes nocivos, mas em relação ao recolhimento dos percentuais referentes às exposições não se aplicam no cálculo da GPS.

4 1.3. Faturamento da Empresa Para as empresa que foram desoneradas parcialmente precisarão preencher os valores referentes ao Onerado e Desonerado mensalmente, em Movimentos>Obrigações Mensais> Faturamento da Empresa Botão Editar Menu Movimentos>Obrigações Mensais>GPS: Nesta versão também o Editar da GPS ficou inativo, ou seja, para movimentação de gps poderá somente utilizar as opções de Novo, Excluir, Não recolhido, Consultar, Listar, e Sair. A utilização do Editar muitas vezes provocava alterações em alguns campos, pois ao clicar na tecla o sistema tinha o entendimento que precisava fazer alterações, e os campos informados manualmente na GPS, como por exemplo os valores de compensação eram apagados. Um outro detalhe é que a GPS depende das movimentações de folha, férias e Rescisão e ao editar para inclusão de valores quando efetuar a geração da GFIP irá considerar os valores das movimentações e não os valores informados manualmente na GPS, com exceção dos valores de compensação deduções, retenções, faturas emitidas, cooperativa de trabalho e comercialização de produção.

5 2. Exemplificando a nova medida no sistema AC pessoal: Após as informações necessárias vamos exemplificar as duas situações da Desoneração da Folha no sistema Empresa Desonerada total: 1º Passo: Em movimentos>situações>empresa, deverá criar uma nova situação a partir da data que a empresa passa a ser desonerada totalmente e marcar a opção de Contribuição Patronal sobre faturamento. Com essa opção marcada, na criação da GPS, a parte patronal - 20% - será levada automaticamente para o campo "Compensação SEFIP", ou seja, é valor desonerado. Atenção! Se apenas editar a situação da empresa já existente, o sistema irá apresentar a seguinte mensagem:

6 2º Passo: Feito o procedimento, vamos para a geração da GPS, em Movimentos>Obrigações Mensais>GPS. Ve Vejamos os cálculos: Quando a empresa é desonerada totalmente o valor da parte patronal equivalente aos 20% é todo compensado. Exemplo: Salário Contribuição dos empregados: ,00 Remuneração dos Empregadores: 1.200,00 Remuneração dos Autônomos: 2.000,00 Total: ,00 *20% = 4.098,40 Obs.: A empresa desconsidera os 20% (parte patronal) e continua a recolher os valores referentes ao RAT*FAP ajustado, Segurados e Outras Entidades. Ou seja, deixam de recolher sobre a parte patronal e passam a recolher sobre a receita bruta por um percentual (de 1% ou 2%, dependendo da atividade) através do DARF.

7 2.2. Empresa desonerada parcialmente (empresas com atividades mistas) São casos em que há desoneração parcial, com atividades incentivadas e não incentivadas (empresas mistas). Para o cálculo da contribuição previdenciária sobre a folha de pagamento, mensalmente, a empresa deve calcular a proporção entre a receita bruta onerada e a receita bruta total. O resultado dessa proporção deverá ser aplicado sobre a base de cálculo da contribuição previdenciária sobre a folha de pagamento, para fins de recolhimento do INSS patronal sobre a folha de pagamento. Importante! Quando a empresa é desonerada totalmente a opção em movimentos>situações>empresa, deve está marcada e se a empresa for desonerada parcialmente, a opção não irá precisar, mas caso a opção esteja marcada e esteja também informado o valor referente ao faturamento da empresa em Movimentos>Obrigações Mensais>Faturamento da Empresa, prevalece o valor informado em Faturamento da empresa para GPS e não o valor desonerado total. 1º Passo: Devemos ir ao menu Movimentos>Obrigações Mensais>Faturamento da Empresa e informar a competência, o valor Onerado e o valor Desonerado. Importante! Mensalmente irá informar os valores referentes ao faturamento, pois terá meses que pode não haver venda de produtos ou prestação de serviços que participam da desoneração.

8 Exemplo: Total do Faturamento: valor de receita bruta= ,00. Valor Desonerado: valor da receita bruta da atividade incentivada (desonerado) =15.000,00 Valor Onerado: valor da receita bruta da atividade não incentivada (onerado) = ,00 Vejamos o cálculo da proporção: Para se chegar a proporção a ser deduzida na GPS, deve considerar o valor referente a parte do faturamento onerado que equivale a ,00 e dividir pelo valor total do faturamento que equivale a , ,00/50.000,00=0,7*100=70% Portanto, o valor encontrado equivalente a 70% será o percentual aplicado na parte patronal da GPS. Importante! Caso a proporção seja inferior a 5%, deverá pagar integralmente a contribuição patronal previdenciária, esta orientação é para todos os casos em que haja proporcionalidade a ser considerada.

9 Aplicação na GPS: Salário Contribuição dos empregados: ,00 Remuneração dos Empregadores: 1.200,00 Remuneração dos Autônomos: 2.000,00 Total: ,00 Parte Patronal reduzida parcialmente: Como se chegar ao percentual aplicado naquele mês? Sabemos que 20% equivalem ao percentual total a ser aplicado que corresponde ao total das remunerações dos empregados, empregadores e autônomos. O percentual a ser aplicado referente à desoneração parcial corresponde a 70% Então: Percentual de 20% Equivale a 100% Percentual reduzido? Equivale a 70% Percentual reduzido: 14% Portanto, conclui-se que o percentual será de 14% (parte patronal reduzida) +2% (RAT) *0,5(FAP) +5,8(terceiros) =20,8%. Cálculo: Percentual aplicado: ,00 *20% = 4.098,40*70%=2.868,88 ou ,00*14%=2.868, , ,88=1.229,52 (Valor compensado Campo: Compensação SEFIP) Valor do RAT*FAP ajustado: ,00*1% (RAT*FAP ajustado) =172,92 Total da parte patronal restante: 2.868,88+172,92=3.041,80 Total a recolher da GPS: 1.990,36 (segurados) ,80 (empresa: parte patronal restante) - (deduções) = 5.032,16 (valor devido) ,94 (outras entidades) = 6.035,10 Importante! Quando a empresa desenvolve atividades que não estão incluídas na medida provisória totalmente (chamadas "atividades não desoneradas"), o pagamento se dá em duas partes: uma parte pelo DARF e outra parte na GPS.

10 Portanto, na GPS irá recolher valor de 6.035,10 com uma redução de 1.229,52 e no DARF irá recolher em cima de ,00 um percentual que varia de 1% a 2% dependendo da atividade Quanto ao cálculo da GPS referente ao 13º salário (Desoneração Parcialmente)

11 Para fins de cálculo da razão a que se refere o inciso II do 1o, aplicada ao 13º (décimo terceiro) salário, será considerada a receita bruta acumulada nos 12 (doze) meses anteriores ao mês de dezembro de cada anocalendário. Portanto, se no sistema não conter a informação dos últimos 12 meses para o cálculo da proporção, o sistema impede de cadastrar a GPS do 13º Salário. Como calcular as médias a serem consideradas para a GPS 13º Salário Primeiramente deve ir ao menu Movimentos>Obrigações mensais>faturamento da Empresa. Os valores considerados são de Dezembro do ano anterior a Novembro do ano atual. Caso os valores não estejam preenchidos deverá informar, pois a não informação impede de gerar a GPS do 13º Salário. Imagem abaixo.

12 Para se encontrar o valor compensado deve considerar o somatório do campo Onerado e dividir pelo valor do faturamento total / =0,7552*100=75,52% Aplicação na GPS: Salário Contribuição dos empregados: ,00 Percentual aplicado: ,00 *20% = 3.458,40*75,52%=2.611, , ,78=846,62 (Valor compensado Campo: Compensação SEFIP) Valor do RAT*FAP ajustado: ,00*1% (RAT*FAP ajustado) =172,92 Total da parte patronal restante: 2.611,78+172,92=2.784,70 Total a recolher da GPS: 1.638,36 (segurados) ,70 (empresa: parte patronal restante) - (deduções) = 4.423,06 (valor devido) ,94 (outras entidades) = 5.426,00

13 Movimentação da GPS:

14 Provisões: Para os valores de provisões referente a Parte Patronal do INSS irá variar de acordo com o percentual encontrado com base no valor do faturamento.

15 2.4. Provisões Para empresas que recolhem a parte patronal também será aplicada a desoneração da Folha em cima dos valores provisionados. E como encontrar o cálculo do percentual aplicado apresentado nos relatórios? Empresa Desonerada total: Primeiramente vamos entender quando a empresa é Desonerada Totalmente Se a empresa não tivesse desoneração o percentual referente a parte patronal era de 26,80% 20% parte patronal+(2,0 RAT*0,5 FAP) +5,8 terceiros=26,80% Com a Desoneração Total ficamos com 26,8%-20%=6,8% ((2,0 RAT*0,5 FAP) +5,8 terceiros) Importante! A Desoneração da Folha só vai implicar para empresas que tem recolhimento da previdência social sobre a parte patronal. Exemplo prático: Provisionar: 777,78*6,8%=52,89 (imagem acima) Portanto, a empresa deixar de recolher sobre os 20%, devido à participação total na desoneração.

16 2.4.2.Empresa que passa a participar da Desoneração da folha partir de um determinado mês Provisão sem desoneração: Comp.: 04/2013 Empresa sem desoneração, o percentual referente parte patronal era de 26,80%. 20% parte patronal+ (2,0 RAT*0,5 FAP) +5,8 terceiros=26,80% Importante! A Desoneração da Folha só vai implicar para empresas que tem recolhimento da previdência social sobre a parte patronal. Exemplo prático: Provisionar: 666,67*26,8%=178,67 (imagem acima)

17 Provisão com desoneração total a partir da próxima competência: Quando a empresa a partir de uma determinada competência passa a ser desonerada, consequentemente o valor provisionado e as alíquotas utilizadas anteriormente sofre uma redução, ou seja, o valor que era provisionado em cima de um percentual maior passa a ser provisionado em cima de percentual menor, gerando assim valores negativos. Quando apresentar as condições acima informadas podemos ir ao menu Relatórios>Obrigações Mensais> Provisão de Férias, aba configuração marcar a opção exibir valores negativos devido diminuição de alíquotas. Caso esteja com esta situação e não marque a opção, o sistema em vez de trazer os valores negativos irá trazer os campos de provisionar para INSS zerados. Comp.: 05/2013

18 Cálculo: 666,67 (valor provisionado de Rem. de Férias) +111,11 (valor a provisionar de Rem. de Férias) =777,78*6,8%=52,88-178,67(valor provisionado de INSS) = -125,78 (valor a provisionar de INSS). Portanto, devido ao valor de provisionado ter sido maior no mês anterior, o valor para o próximo mês ficou negativo, ou seja, no mês de maio não terá valor de provisionar. Imagem acima e cálculo exemplificado acima Empresa Desonerada Parcialmente: Agora vamos entender quando a empresa é desonerada parcialmente, ou seja, apenas uma parte dos seus produtos/ou serviços é desonerada. Se a empresa não tivesse desoneração o percentual referente a parte patronal era de 26,80% 20% parte patronal+(2,0 RAT*0,5 FAP) +5,8 terceiros=26,80% Com a Desoneração Parcial ficamos: 1ºPasso: Verificar qual o percentual aplicado naquele mês, que poderá variar de acordo com o percentual encontrado com base no faturamento da empresa mensalmente. Exemplo: Comp. 05/2013 Total do Faturamento: valor de receita bruta= ,00. Valor Desonerado: valor da receita bruta da atividade incentivada (desonerado) =15.000,00 Valor Onerado: valor da receita bruta da atividade não incentivada (onerado) = ,00

19 Vejamos o cálculo da proporção: Para se chegar a proporção a ser deduzida na Provisão, deve considerar o valor referente a parte do faturamento onerado que equivale a ,00 e dividir pelo valor total do faturamento que equivale a , ,00/50.000,00=0,7*100=70% Portanto, o valor encontrado equivalente a 70% será o percentual aplicado na parte patronal. Como se chegar ao percentual aplicado naquele mês? Sabemos que 20% equivalem ao percentual total a ser aplicado que corresponde ao total das remunerações dos empregados, empregadores e autônomos. O percentual a ser aplicado referente à desoneração parcial corresponde a 70% Então: Percentual de 20% Equivale a 100% Percentual reduzido? Equivale a 70% Percentual reduzido: 14% Portanto, conclui-se que o percentual será de 14% (parte patronal reduzida) +2% (RAT) *0,5(FAP) +5,8(terceiros) =20,8%. Importante! A Desoneração da Folha só vai implicar para empresas que tem recolhimento da previdência social sobre a parte patronal. Exemplo prático: Provisionar: 777,78*20,8%=161,78 Portanto, a empresa deixar de recolher sobre os 26,8%, devido à participação parcial na desoneração e passa a recolher sobre um percentual de 20,8%.

Desoneração de Folha no Persona Gold

Desoneração de Folha no Persona Gold Desoneração de Folha no Persona Gold O que é a desoneração de Folha de Pagamento? A desoneração da folha de pagamento é constituída de duas medidas complementares. Em primeiro lugar, o governo está eliminando

Leia mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO 1 DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO Objetivo: Atender a Lei 12.546/2011 (Confira as principais alterações legais no fim deste tutorial). Benefícios: Conceder benefícios adicionais para as empresas de setores

Leia mais

VARGAS CONTABILIDADE atendimento@vargascontabilidaders.com.br ORIENTAÇÃO

VARGAS CONTABILIDADE atendimento@vargascontabilidaders.com.br ORIENTAÇÃO VARGAS CONTABILIDADE atendimento@vargascontabilidaders.com.br ORIENTAÇÃO PREVIDÊNCIA SOCIAL Décimo Terceiro Salário Nesta orientação, vamos apresentar como deve ser preenchida a declaração do SEFIP Sistema

Leia mais

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando o sistema

Leia mais

Desoneração sobre 13 Salário Folha de Pagamento

Desoneração sobre 13 Salário Folha de Pagamento Desoneração sobre 13 Salário Folha de Pagamento Índice Desoneração sobre 13 Salário... 03 Empresas com atividades exclusivas... 04 Compensação na SEFIP (exclusivas)... 04 Empresas com atividades exclusivas...

Leia mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO

DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO O que é Desoneração da Folha de Pagamento? A Desoneração da Folha de Pagamento é a substituição da Contribuição Previdenciária Patronal, de 20% (vinte por cento) sobre

Leia mais

Desoneração da folha de pagamento no sistema LOGIX

Desoneração da folha de pagamento no sistema LOGIX Desoneração da folha de pagamento no sistema LOGIX Estes procedimentos só devem ser parametrizados pelos clientes que se enquadram nas atividades econômicas ou que fabricam produtos industriais listados

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Desoneração da Folha - Call Center - Atividade Concomitante

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Desoneração da Folha - Call Center - Atividade Concomitante Desoneração da Folha - Call Center - Atividade 17/12/2013 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 5 3.1 Empresas que exercem atividades

Leia mais

CONSIDERAÇÕES SOBRE A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO

CONSIDERAÇÕES SOBRE A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO CONSIDERAÇÕES SOBRE A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO por RODOLFO MACHADO MOURA 1 em 30 de janeiro de 2014 Consulta o Presidente do SINDICATO DAS EMPRESAS DE RÁDIO E TELEVISÃO DO PARANÁ SERT PR, o SR.

Leia mais

Sistema Empresa de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social. GIFUG/CB - Gerência de Filial Administrar FGTS

Sistema Empresa de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social. GIFUG/CB - Gerência de Filial Administrar FGTS Sistema Empresa de Recolhimento do FGTS e Informações à Previdência Social CONTEXTO: Evolução da Versão (CAIXA / RFB) Obrigatoriedade (21/11/2008) Mudanças no SEFIP (Operacionalização) Mudanças na Arrecadação

Leia mais

GPS Guia da Previdência Social

GPS Guia da Previdência Social GPS Guia da Previdência Social O preenchimento desta guia precisa de um conhecimento da legislação pois alguns campos dependem de cálculos a serem feitos e estes cálculos são em cima de valores encontrados

Leia mais

Desoneração sobre folha de pagamento

Desoneração sobre folha de pagamento Desoneração sobre folha de pagamento Luciana Lupinucci Agosto/2015 Qual o conceito de contribuição patronal? Em regra, as empresas possuem os seguintes encargos previdenciários (INSS patronal), incidentes

Leia mais

ALGUNS ESCLARECIMENTOS SOBRE A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO (LEI 12.546/2011)

ALGUNS ESCLARECIMENTOS SOBRE A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO (LEI 12.546/2011) ALGUNS ESCLARECIMENTOS SOBRE A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO (LEI 12.546/2011) A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO consiste na substituição, total ou parcial, do cálculo da contribuição previdenciária

Leia mais

Gestão de Pessoas - Windows

Gestão de Pessoas - Windows P á g i n a 1 Gestão de Pessoas - Windows Módulo Administração de Pessoal (Rubi) Processo: 13º Salário Senior Sistemas S.A Rua São Paulo, 825 - Bairro Victor Konder - CEP 89012.001 - Blumenau/SC Fone:

Leia mais

Manual para DIRF. Manual de Procedimentos - WFOLHA

Manual para DIRF. Manual de Procedimentos - WFOLHA Para gerar o arquivo da DIRF, existem algumas informações importantes a serem revisadas antes de qualquer processo. Desta forma dividimos o manual em sequencias as quais estão explicadas a diante: Prazo:

Leia mais

Exercício 1. Movimento no Mês. Descrição. b) Qual o Valor da Receita Bruta Desonerada, para fins de determinação do fator de compensação na SEFIP?

Exercício 1. Movimento no Mês. Descrição. b) Qual o Valor da Receita Bruta Desonerada, para fins de determinação do fator de compensação na SEFIP? Exercício 1 Objeto Social da Empresa "A": Elaboração de programas de computador (softwares), consultoria em tecnologia da informação, representação comercial de softwares de terceiros prontos para uso,

Leia mais

MANUAL DO SISTEMA. Wfolha 13 Salário

MANUAL DO SISTEMA. Wfolha 13 Salário MANUAL DO SISTEMA Wfolha 13 Salário SulProg Sistemas 1 INTRODUÇÃO Este manual foi desenvolvido a fim de facilitar e esclarecer dúvidas sobre os procedimentos referente ao 13 salário. SulProg Sistemas 2

Leia mais

LEI Nº 12.546/2011 (MP 540/2011) ORIENTAÇÕES PRÁTICAS - DESONERAÇÃO FOLHA DE PAGAMENTO TI/TIC

LEI Nº 12.546/2011 (MP 540/2011) ORIENTAÇÕES PRÁTICAS - DESONERAÇÃO FOLHA DE PAGAMENTO TI/TIC LEI Nº 12.546/2011 (MP 540/2011) ORIENTAÇÕES PRÁTICAS - DESONERAÇÃO FOLHA DE PAGAMENTO TI/TIC 1 INTRODUÇÃO Em 15 de dezembro de 2011 a Presidente da República SANCIONOU a Lei nº 12.546/2011 (decorrente

Leia mais

Desoneração Folha Pagamento

Desoneração Folha Pagamento CONFIRA NOSSA AGENDA DE CURSOS!! www.cinatcursos.com.br 65.3023.3400 Desoneração Folha Pagamento Fundamentação Legal: - Lei 8.212/91 Plano de Custeio da Previdência Social; -Lei 12.546/11 -Atualizada pela

Leia mais

MANUAL DE PROCEDIMENTO DA ROTINA DA RESCISÃO COMPLEMENTAR

MANUAL DE PROCEDIMENTO DA ROTINA DA RESCISÃO COMPLEMENTAR MANUAL DE PROCEDIMENTO DA ROTINA DA RESCISÃO COMPLEMENTAR INTRODUÇÃO Trata-se de um recurso exclusivo para atender a necessidade de cálculos complementares de verbas rescisórias decorrentes de reajustes

Leia mais

MANUAL DE EMISSÃO DE NFS-e

MANUAL DE EMISSÃO DE NFS-e MANUAL DE EMISSÃO DE NFS-e 130729 SUMÁRIO EMISSÃO DE NFS-E... 2 NOTA FISCAL DE SERVIÇOS ELETRÔNICA... 2 ACESSANDO O SISTEMA... 2 ACESSO AO SISTEMA... 3 SELEÇÃO DA EMPRESA... 4 CONFERÊNCIA DOS DADOS E EMISSÃO

Leia mais

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA

LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando o sistema

Leia mais

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MATÉRIAS

VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO MATÉRIAS VERITAE TRABALHO PREVIDÊNCIA SOCIAL SEGURANÇA E SAÚDE NO TRABALHO BKR-Lopes, Machado Orientador Empresarial MATÉRIAS Salário-Maternidade Sistemática de Compensação e Atualização do Sistema SEFIP Versão

Leia mais

CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS SOBRE O FATURAMENTO E A FOLHA. MP nº 540, de 02.08.2011. Lei nº 12.546, de 14.12.2011. MP nº 563, de 03.04.

CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS SOBRE O FATURAMENTO E A FOLHA. MP nº 540, de 02.08.2011. Lei nº 12.546, de 14.12.2011. MP nº 563, de 03.04. CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS SOBRE O FATURAMENTO E A FOLHA MP nº 540, de 02.08.2011 Plano Brasil Maior Lei nº 12.546, de 14.12.2011 Conversão da MP nº 540 MP nº 563, de 03.04.2012 Ampliação do benefício

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO TÉCNICO LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO - CORDILHEIRA VERSÃO 2

BOLETIM INFORMATIVO TÉCNICO LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO - CORDILHEIRA VERSÃO 2 BOLETIM INFORMATIVO TÉCNICO LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO - CORDILHEIRA VERSÃO 2 Cordilheira Recursos Humanos CRH 2.85A As rotinas de Retiradas de Pró-labore e Autônomos tiveram diversas alterações, com o objetivo

Leia mais

ROTEIRO IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE APURAÇÃO/RELATÓRIOS/GUIAS

ROTEIRO IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE APURAÇÃO/RELATÓRIOS/GUIAS ROTEIRO IMPOSTO DE RENDA RETIDO NA FONTE APURAÇÃO/RELATÓRIOS/GUIAS Apurar corretamente o IRRF(Imposto de Renda Retido na Fonte) é uma tarefa que deve ser executada com muita atenção pelo usuário, por isso

Leia mais

Código: Ministério da Saúde Fundação Oswaldo Cruz Diretoria de Administração. Orientação Normativa

Código: Ministério da Saúde Fundação Oswaldo Cruz Diretoria de Administração. Orientação Normativa Versão: 1/2007 Nome: para recolhimento de tributos previdenciários e IR I Introdução: Devido às dúvidas originadas por várias unidades da Fiocruz no que se refere ao recolhimento de Tributos Previdenciários

Leia mais

Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 11/04/2011. 1 - INTRODUÇÃO. nº 123/2006, com a redação dada pela Lei Complementar nº 128/2008.

Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 11/04/2011. 1 - INTRODUÇÃO. nº 123/2006, com a redação dada pela Lei Complementar nº 128/2008. Trabalhistas MICROEMPREENDEDOR - Alterações INDIVIDUAL - MEI - Aspectos Previdenciários e Matéria atualizada com base na legislação vigente em: 11/04/2011. Sumário: 12 Conceito Introdução 3.1 - Tributação

Leia mais

INSTRUÇÕES PARA GERAÇÃO DO 13ª SALÁRIO

INSTRUÇÕES PARA GERAÇÃO DO 13ª SALÁRIO INSTRUÇÕES PARA GERAÇÃO DO 13ª SALÁRIO Versão Obrigatória 2.10a Suporte Follha - Winner Página 1 27/10/08 COPYRIGHT As informações contidas neste documento, sobre produtos e/ou serviços são de propriedade

Leia mais

Simples Nacional. Seminário de Direito Tributário. Assunto: PGDAS. Palestrante: Adalgisa G. M. Sabino

Simples Nacional. Seminário de Direito Tributário. Assunto: PGDAS. Palestrante: Adalgisa G. M. Sabino Simples Nacional Seminário de Direito Tributário Assunto: PGDAS Palestrante: Adalgisa G. M. Sabino 1 CÁLCULO E PGDAS Conceitos Básicos para Cálculo Regime de Tributação: Competência e Caixa Segregação

Leia mais

Memorando Construção Civil e Instalações

Memorando Construção Civil e Instalações Memorando Construção Civil e Instalações Desoneração da Folha de Pagamento Setembro de 2013 Publicada em 19 de julho, a nova Lei nº 12.844, alterando a Lei nº 12.546, ampliou de forma definitiva o rol

Leia mais

PLANO BRASIL MAIOR E AS RECENTES ALTERAÇÕES PELA

PLANO BRASIL MAIOR E AS RECENTES ALTERAÇÕES PELA PLANO BRASIL MAIOR E AS RECENTES ALTERAÇÕES PELA Lei 12.715/12 COMITÊ DA CADEIA PRODUTIVA DA INDÚSTRIA TÊXTIL, CONFECÇÃO E VESTUÁRIO 1 Plano Brasil Maior - Evolução Legislativa MP 540/11 Lei nº. 12.546/11

Leia mais

Configuração de Acumuladores

Configuração de Acumuladores Configuração de Acumuladores Os acumuladores são cadastro usados pelo Módulo Domínio Sistemas Fiscal para permitir a totalização dos valores lançados nos movimentos de entradas, saídas, serviços, outras

Leia mais

Integração Persona x Contábil

Integração Persona x Contábil Integração Persona x Contábil A integração contábil do Persona Gold pode ser efetuada de duas formas: Através do Persona Gold A integração é efetuada pelo desenvolvimento de lotes de lançamentos contábeis,

Leia mais

CONTRIBUIÇÃO PREVIDÊNCIA SOCIAL/SENAR PRODUTOR RURAL PESSOA JURÍDICA. Receita Federal do Brasil

CONTRIBUIÇÃO PREVIDÊNCIA SOCIAL/SENAR PRODUTOR RURAL PESSOA JURÍDICA. Receita Federal do Brasil CONTRIBUIÇÃO PREVIDÊNCIA SOCIAL/SENAR Receita Federal do Brasil SEFIP/GFIP? Como declarar no SEFIP/GFIP a Receita da Comercialização Rural Versão 8.4 SENAR Previdência Rural CONTRIBUIÇÃO PREVIDÊNCIA SOCIAL/SENAR

Leia mais

1. Cadastro de Empresas

1. Cadastro de Empresas Empregado Doméstico 1. Cadastro de Empresas... 2 1.1. Tela Básico... 2 1.2. Tela Folhamatic... 3 2. Cadastro de Funcionários... 3 2.1. Tela Dados... 4 2.2. Tela Ident. Adm.... 5 2.3. Tela Documentos...

Leia mais

LANÇAMENTO DE PROCESSOS

LANÇAMENTO DE PROCESSOS LANÇAMENTO DE PROCESSOS Objetivo: Demonstrar como funciona o novo Menu Lançamentos de Processos - criado dentro da aba esocial Grupo Movimentos Menu Lançamento de Processos - que permite o cadastro (inclusão

Leia mais

Esta melhoria depende de execução do update de base RHUPDMOD, conforme Procedimentos para Implementação.

Esta melhoria depende de execução do update de base RHUPDMOD, conforme Procedimentos para Implementação. INSS e IRF para contribuintes individuais Produto : Microsiga Protheus Gestão de Pessoal Versão 11 Chamado : THTNP4, TPZAYP, TQDN65 Data da publicação : 05/11/14 País(es) : Brasil Banco(s) de Dados : Todos

Leia mais

Empregados Domésticos Lei Complementar 150 de Junho/2015 Vigência OUTUBRO/2015 Procedimentos para adequação do sistema de folha de pagamento PEGASUS

Empregados Domésticos Lei Complementar 150 de Junho/2015 Vigência OUTUBRO/2015 Procedimentos para adequação do sistema de folha de pagamento PEGASUS Empregados Domésticos Lei Complementar 150 de Junho/2015 Vigência OUTUBRO/2015 Procedimentos para adequação do sistema de folha de pagamento PEGASUS Atualmente o sistema de folha de pagamento PEGASUS trabalha

Leia mais

INSS Contribuição Previdenciária Transporte Rodoviário de Carga 01/2014

INSS Contribuição Previdenciária Transporte Rodoviário de Carga 01/2014 INSS Contribuição Previdenciária Transporte Rodoviário de Carga 01/2014 Áreas comprometidas Área Fiscal: Fará a apuração da receita bruta, com todas as particularidades de exclusões, CFOP, etc. Além disso,

Leia mais

Digitação de Centros de Custo pela movimentação de produtos dos documentos fiscais (Pacotes: 3102,3103,3270,3271,3272).

Digitação de Centros de Custo pela movimentação de produtos dos documentos fiscais (Pacotes: 3102,3103,3270,3271,3272). Lista completa das atualizações JBCepil: Inovações: Digitação de Centros de Custo pela movimentação de produtos dos documentos fiscais (Pacotes: 3102,3103,3270,3271,3272). Disponibilizada no sistema nova

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos IRRF de Transportador Autônomo

Parecer Consultoria Tributária Segmentos IRRF de Transportador Autônomo Parecer Consultoria Tributária Segmentos IRRF de 10/02/2015 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Consultoria... 4 3.1 Incidência do IRRF para

Leia mais

Desoneração de folha de pagamento

Desoneração de folha de pagamento Desoneração de folha de pagamento Outubro/2012 1 Contexto Visando uma maior competitividade em alguns setores da economia foi instituído o Plano Brasil Maior. * - Medida Provisória 540/2011 Plano Brasil

Leia mais

AUTOR(ES): PAMELA CRISTINA FRANCO, MAIARA VEZANI, REBECA MOSQUETTO MARION

AUTOR(ES): PAMELA CRISTINA FRANCO, MAIARA VEZANI, REBECA MOSQUETTO MARION TÍTULO: A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO NA CONSTRUÇÃO CIVIL CATEGORIA: EM ANDAMENTO ÁREA: CIÊNCIAS HUMANAS E SOCIAIS SUBÁREA: DIREITO INSTITUIÇÃO: FACULDADE DE JAGUARIÚNA AUTOR(ES): PAMELA CRISTINA

Leia mais

b) o 13º salário é quitado no decorrer do ano. Nos casos de haver parcela variável, o valor decorrente disso terá seu saldo quitado em janeiro;

b) o 13º salário é quitado no decorrer do ano. Nos casos de haver parcela variável, o valor decorrente disso terá seu saldo quitado em janeiro; 16/11/2011 (Artigo)13º SALÁRIO - ADIANTAMENTOS, PROVISÃO E BAIXA 1. Considerações Iniciais O 13º salário é um direito que o empregado vai adquirindo ao longo do ano, proporcionalmente ao número de meses

Leia mais

Manual do Usuário 5. EXECUTANDO OPERAÇÕES NO MENU IMPOSTO...2

Manual do Usuário 5. EXECUTANDO OPERAÇÕES NO MENU IMPOSTO...2 1 5. EXECUTANDO OPERAÇÕES NO MENU IMPOSTO...2 5.1 Digitações dos Sócios...2 5.1.1 Campo CPF...2 5.1.1.a Campo Saldo Anterior...3 5.1.1.b Campo Saldo...3 5.1.1.c Campo Isento...3 5.1.1.d Campo Tributado...3

Leia mais

TIRE SUAS DÚVIDAS SOBRE A SEGUNDA PARCELA DO 13º. 13º Salário - Gratificação Natalina. Adiantamento do 13º Salário nas férias

TIRE SUAS DÚVIDAS SOBRE A SEGUNDA PARCELA DO 13º. 13º Salário - Gratificação Natalina. Adiantamento do 13º Salário nas férias 1 TIRE SUAS DÚVIDAS SOBRE A SEGUNDA PARCELA DO 13º - Gratificação Natalina A Gratificação de Natal, popularmente conhecida como, foi instituída pela Lei 4.090, de 13/07/1962, regulamentada pelo Decreto

Leia mais

CALENDÁRIO DAS OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS e PREVIDENCIÁRIAS OUTUBRO/2010

CALENDÁRIO DAS OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS e PREVIDENCIÁRIAS OUTUBRO/2010 1 CALENDÁRIO DAS OBRIGAÇÕES TRABALHISTAS e PREVIDENCIÁRIAS OUTUBRO/2010 Dia 06-10-2010 (Quarta-feira): SALÁRIOS Todos os empregadores, assim definidos pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho). Fato

Leia mais

INFORMATIVO GFIP/SEFIP

INFORMATIVO GFIP/SEFIP PREVIDÊNCIA SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL INSS Diretoria de Receitas Previdenciárias DIREP Coordenação Geral de Arrecadação CGA Divisão de Declarações INFORMATIVO GFIP/SEFIP Nº 003 SALÁRIO-MATERNIDADE

Leia mais

A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTOS ( INSS PATRONAL ) 1. O CONTEXTO LEGISLATIVO

A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTOS ( INSS PATRONAL ) 1. O CONTEXTO LEGISLATIVO A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTOS ( INSS PATRONAL ) Fonte: elaboração própria abril de 2013 EMENTA: CONTEXTO LEGISLATIVO. OS PRINCIPAIS SETORES. CONTRIBUIÇÕES PREVIDENCIÁRIAS SUBSTITUÍDAS. CRITÉRIO

Leia mais

Manual da Rescisão Complementar

Manual da Rescisão Complementar Manual da Rescisão Complementar Atualizado em Abril/2009 Pág 1/16 Sumário Rescisão Complementar... 2 Reajuste salarial para funcionários demitidos... 3 Novos Campos cadastro de Sindicato... 4 Recálculo

Leia mais

AVISO. O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio.

AVISO. O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. AVISO O conteúdo deste documento é de propriedade intelectual exclusiva da GVDASA Sistemas e está sujeito a alterações sem aviso prévio. Nenhuma parte desta publicação pode ser reproduzida nem transmitida

Leia mais

Problemas ao gerar SEFIP x Soluções

Problemas ao gerar SEFIP x Soluções Problemas ao gerar SEFIP x Soluções 1. Orientações cadastrais... 3 1.1. Empresas usuárias... 3 1.2. Departamentos... 3 1.2.1. SEFIP com o código 115 ou 905... 3 1.2.2. SEFIP com o código 150 ou 907...

Leia mais

Instruções Folha de Pagamento Rotina 21 Instruções RAIS

Instruções Folha de Pagamento Rotina 21 Instruções RAIS Instruções Folha de Pagamento Rotina 21 Instruções RAIS Informações Iniciais (Portaria Nº 7, de 3 Janeiro de 2012) o O prazo para a entrega da declaração da RAIS inicia-se no dia 17 de janeiro de 2012

Leia mais

Gestão de Pessoas - 4w

Gestão de Pessoas - 4w Gestão de Pessoas - 4w Modulo Administração de Pessoal (Rubi) Processo: 13º Salário Senior Sistemas S.A Rua São Paulo, 825 - Bairro Victor Konder - CEP 89012.001 - Blumenau/SC Fone: (047) 3221-3300 www.senior.com.br

Leia mais

SUPORTE TÉCNICO EBS. Horário de atendimento: Das 08h00min às 19h, de Segunda a Sexta-feira.

SUPORTE TÉCNICO EBS. Horário de atendimento: Das 08h00min às 19h, de Segunda a Sexta-feira. SUPORTE TÉCNICO EBS Horário de atendimento: Das 08h00min às 19h, de Segunda a Sexta-feira. Formas de atendimento: E-mail: Envie-nos suas dúvidas e/ou sugestões para suporte@sage.com.br. Suporte On-Line

Leia mais

Manual de Integração Contábil Folha Phoenix

Manual de Integração Contábil Folha Phoenix Manual de Integração Contábil Folha Phoenix Para iniciar a parametrização da Folha Phoenix com a finalidade da integração para o Contábil Phoenix ou Contábil de Terceiros, será necessário primeiro definir

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2011 Orientações Básicas INFORMAÇÕES GERAIS PESSOA JURÍDICA 1) DCTF : (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais) ATENÇÃO! Apresentação MENSAL obrigatória pelas Pessoas

Leia mais

1. Cadastro de Empresas

1. Cadastro de Empresas Religioso 1. Cadastro de Empresas... 2 1.1. Tela Básico... 2 1.2. Tela Folhamatic... 3 2. Eventos... 3 3. Cadastro de Funcionários... 4 3.1. Tela Dados... 5 3.2. Tela Ident. Adm.... 6 3.3. Tela Outros...

Leia mais

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA ADMISSÃO DOS EMPREGADOS DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA RESCISÕES DOS EMPREGADOS

DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA ADMISSÃO DOS EMPREGADOS DOCUMENTOS NECESSÁRIOS PARA RESCISÕES DOS EMPREGADOS Este roteiro tem por objetivo orientar os auxiliares na área do departamento pessoal, quanto a obrigatoriedade das rotinas mensais de uma empresa, bem como, sugestões práticas organizacionais nas demais

Leia mais

Índice. Apresentação... 03. Por que contribuir para o SEST/SENAT... 03. Contribuintes do SEST/SENAT... 03. Como contribuir ao SEST/SENAT...

Índice. Apresentação... 03. Por que contribuir para o SEST/SENAT... 03. Contribuintes do SEST/SENAT... 03. Como contribuir ao SEST/SENAT... Índice Apresentação... 03 Por que contribuir para o SEST/SENAT... 03 Contribuintes do SEST/SENAT... 03 Como contribuir ao SEST/SENAT... 04 Alíquotas das Contribuições e Vencimentos... 04 Formas de Contribuição...

Leia mais

RETENÇÕES SOBRE SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA

RETENÇÕES SOBRE SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA RETENÇÕES SOBRE SERVIÇOS PRESTADOS POR PESSOA FÍSICA 2013 Visando esclarecer os procedimentos devidos para retenção dos tributos e contribuições sobre serviços contratados de Pessoas Físicas não assalariadas

Leia mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA. Eliane Valcam

DESONERAÇÃO DA FOLHA. Eliane Valcam DESONERAÇÃO DA FOLHA Eliane Valcam DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO O que é a desoneração da folha de pagamento? É a substituição da contribuição patronal previdenciária (20% sobre a folha de pagamento

Leia mais

OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12

OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12 CIRCULAR 37/12 Novo Hamburgo, 02 de julho de 2012. OBRIGAÇÕES FISCAIS FEDERAIS JULHO/12 DIA 04 IR-FONTE Pessoas obrigadas: pessoas jurídicas que efetuaram retenção na fonte nos pagamentos ou créditos decorrentes

Leia mais

ELABORAÇÃO DE GFIP OBRA DE CONSTRUÇÃO CIVIL PESSOA JURÍDICA

ELABORAÇÃO DE GFIP OBRA DE CONSTRUÇÃO CIVIL PESSOA JURÍDICA ELABORAÇÃO DE GFIP OBRA DE CONSTRUÇÃO CIVIL PESSOA JURÍDICA LEGISLAÇÃO Lei 8.212 de 24/07/91, com alterações estabelecidas pelas Leis 9.528/97 e 11.941/2009 Dispõe sobre a exigência de entrega de GFIP

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Dedução de dependentes da base de cálculo do IRRF - Federal

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Dedução de dependentes da base de cálculo do IRRF - Federal Dedução de dependentes da base de cálculo do IRRF - Federal 03/02/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 4 4. Conclusão...

Leia mais

Características do Sistema

Características do Sistema SISTEMA FOLHA DE PAGAMENTO ADVANCED Características do Sistema Sistema multiusuário pleno. Sistema multiempresa sem limitações. Recursos e facilidades operacionais com eficiência, segurança e exatidão.

Leia mais

Índice 1.Orientações Gerais...2 1.1.O que é GFIP...2 1.2.Quais as vantagens de utilizar o SEFIP?...2 1.3.Prazo de Entrega...2 1.4.Transmissão...

Índice 1.Orientações Gerais...2 1.1.O que é GFIP...2 1.2.Quais as vantagens de utilizar o SEFIP?...2 1.3.Prazo de Entrega...2 1.4.Transmissão... Índice 1.Orientações Gerais...2 1.1.O que é GFIP...2 1.2.Quais as vantagens de utilizar o SEFIP?...2 1.3.Prazo de Entrega...2 1.4.Transmissão...2 1.5.O que deverá ser informado na SEFIP...3 1.6. Ausência

Leia mais

13º SALÁRIO 2015 NOVEMBRO/2015

13º SALÁRIO 2015 NOVEMBRO/2015 2015 NOVEMBRO/2015 Sumário 1. O que é, porque é pago, quando é pago, quem tem direito?... Erro! Indicador não definido. 1.1 Conceito 1.2 Base de Calculos 1.3 Pagamento das Parcela 2. Calculos no Protheus...

Leia mais

Manual Prático 13º Salário

Manual Prático 13º Salário Manual Prático 13º Salário 1/36 Índice 1. ROTINAS 13 SALÁRIO DOS SISTEMAS EBS... 4 1.1. Definições... 4 2. CONFIGURAÇÕES DE EVENTOS... 6 3. 1 PARCELA... 9 4. 2 PARCELA... 11 5. INFORMAÇÃO DE VALORES EXTRAS...

Leia mais

E&L Nota Fiscal de Serviços Eletrônica. Manual do Ambiente do Prestador de Serviços do Município

E&L Nota Fiscal de Serviços Eletrônica. Manual do Ambiente do Prestador de Serviços do Município E&L Nota Fiscal de Serviços Eletrônica Manual do Ambiente do Prestador de Serviços do Município Após receber a confirmação de aceite do Credenciamento via e-mail já é possível efetuar o login no sistema

Leia mais

O QUE É A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO?

O QUE É A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO? O QUE É A DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO? É a substituição da contribuição previdenciária patronal de 20% sobre o salário de contribuição dos empregados, trabalhadores avulsos e contribuintes individuais.

Leia mais

Desoneração da folha de pagamento no sistema LOGIX para empresas concomitantes

Desoneração da folha de pagamento no sistema LOGIX para empresas concomitantes Desoneração da folha de pagamento no sistema LOGIX para empresas concomitantes Este procedimento só deve se parametrizado pelos clientes com mais de uma atividade enquadrada na contribuição previdenciária

Leia mais

Manual da Nota Fiscal Eletrônica

Manual da Nota Fiscal Eletrônica Manual da Nota Fiscal Eletrônica Memory Informática Tabela de Conteúdos Meu Usuário Meu Perfil --------------------------------------------------------- 4 Minha Empresa Configurar Minha Empresa -------------------------------------

Leia mais

Legislação. Lei Complementar n 150/2015. Art. 7, parágrafo único, da Constituição Federal

Legislação. Lei Complementar n 150/2015. Art. 7, parágrafo único, da Constituição Federal Simples Doméstico Legislação Lei Complementar n 150/2015 Art. 7, parágrafo único, da Constituição Federal Quem é empregado doméstico? Art. 1 o da LC n 150/2015 Ao empregado doméstico, assim considerado

Leia mais

MANUAL DO PGMEI. 1 Introdução. 1.1 Apresentação do Programa

MANUAL DO PGMEI. 1 Introdução. 1.1 Apresentação do Programa PGMEI PGMEI Pág. 1 MANUAL DO PGMEI 1 Introdução 1.1 Apresentação do Programa O Programa Gerador do Documento de Arrecadação do Simples Nacional para o Microempreendedor Individual (PGMEI) é um sistema

Leia mais

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Calculo Adicionais e Médias para Férias e 13º Salário

Parecer Consultoria Tributária Segmentos Calculo Adicionais e Médias para Férias e 13º Salário 21/01/2014 Sumário Título do documento 1. Questão... 3 2. Normas apresentadas pelo cliente... 3 3. Análise da Legislação... 3 4. Conclusão... 4 5. Informações Complementares... 5 6. Referências... 5 7.

Leia mais

Desoneração da Folha e CND de obra na Construção Civil

Desoneração da Folha e CND de obra na Construção Civil Desoneração da Folha e CND de obra na Construção Civil Abreu novembro DEFINIÇÕES - Contratos de Construção Aquele celebrado entre o proprietário do imóvel, o incorporador, o dono da obra ou o condômino

Leia mais

Gestão de Pessoas - 4w

Gestão de Pessoas - 4w P á g i n a 1 Gestão de Pessoas - 4w Modulo Administração de Pessoal (Rubi) Processo: Férias P á g i n a 2 Sumário 1 Conceito... 3 1.1 Parametrizações no Sistema... 3 1.1.1 - Sindicato... 3 1.1.2 - Situações...

Leia mais

VERITAE CURSO DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO E A CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE RECEITA BRUTA-CPRB

VERITAE CURSO DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO E A CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE RECEITA BRUTA-CPRB VERITAE CURSO Cursos/RJ/Maio/2013 DESONERAÇÃO DA FOLHA DE PAGAMENTO E A CONTRIBUIÇÃO PREVIDENCIÁRIA SOBRE RECEITA BRUTA-CPRB No Rio de Janeiro, dia 10 de maio de 2013 (Nova Turma) PÚBLICO ALVO Colaboradores

Leia mais

Rescisão Complementar

Rescisão Complementar Rescisão Complementar Para gerar rescisão complementar no LedWin, precisamos primeiramente ter calculado a rescisão normal: - Rescisão Complementar Foi implantada no sistema a rotina de Rescisão Complementar,

Leia mais

DIRF. Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte DIRF 2014. Ano Base:2013. Copyright 2013 1

DIRF. Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte DIRF 2014. Ano Base:2013. Copyright 2013 1 DIRF Declaração do Imposto de Renda Retido na Fonte DIRF 2014 Ano Base:2013 Copyright 2013 1 O que é DIRF? Declaração de Imposto de Renda Retido na Fonte: É a declaração feita pela FONTE PAGADORA [Empresa],

Leia mais

Práticas trabalhistas

Práticas trabalhistas Resumo Neste capítulo, discorreremos sobre a prática da folha de pagamento da parte empregado, patrão e autônomos, algumas das principais leis trabalhistas brasileiras da parte do empregado e da parte

Leia mais

EXACTUS SOFTWARE LTDA

EXACTUS SOFTWARE LTDA Instruções para Geração do 13º Salário EXACTUS SOFTWARE LTDA SISTEMA - WINNER Edição 2009 Página 1 de 24 Londrina Paraná Edição 10/2009 COPYRIGHT Todos os direitos são reservados à Exactus Software Ltda.

Leia mais

BOLETIM INFORMATIVO TÉCNICO LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO - CORDILHEIRA VERSÃO 2

BOLETIM INFORMATIVO TÉCNICO LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO - CORDILHEIRA VERSÃO 2 BOLETIM INFORMATIVO TÉCNICO LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO - CORDILHEIRA VERSÃO 2 CORDILHEIRA RECURSOS HUMANOS 2.93A 1- Adequada a rotina Módulos\ Férias\ Férias Normais para calcular as férias em dobro quando

Leia mais

? Como contribuir para Previdência Social e para o

? Como contribuir para Previdência Social e para o EXPORTAÇÃO? Como contribuir para Previdência Social e para o SENAR SENAR PERNAMBUCO Atualização Agosto de 2013 ATUALIZAÇÃO 2013 Alterações introduzidas pela IN/RFB Nº 971, de 13 de novembro 2009 Apresentação

Leia mais

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012

CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012 CARGA TRIBUTÁRIA ANO 2012 Orientações Básicas INFORMAÇÕES GERAIS PESSOA JURÍDICA 1) DCTF : (Declaração de Débitos e Créditos Tributários Federais) ATENÇÃO! Apresentação MENSAL obrigatória pelas Pessoas

Leia mais

ROTEIRO BÁSICO PARA GERAR FOLHA DE PAGAMENTO

ROTEIRO BÁSICO PARA GERAR FOLHA DE PAGAMENTO ROTEIRO BÁSICO PARA GERAR FOLHA DE PAGAMENTO Nas páginas seguintes, você terá uma visão geral dos recursos disponíveis e das funções que o Persona pode automatizar. Sem entrar em detalhes, você saberá

Leia mais

RSN Administrar FGTS/RJ

RSN Administrar FGTS/RJ RSN Administrar FGTS/RJ Índice Legislação Vigente Evolução Procedimental Percentuais Guias em utilização recolhimento regular SEFIP 8.4 - Importação de Folha e Entrada de dados SEFIP 8.4 - Dados do Movimento

Leia mais

Desoneração da Folha de Pagamento

Desoneração da Folha de Pagamento Instruções de Configuração e Uso Pré-requisitos para adequação do Sistema para o Cálculo da Contribuição Previdenciária sobre o Faturamento. Estes procedimentos são realizados nos módulos: Fiscal (SIGAFIS)

Leia mais

Manual. Declaração Anual Simplificada para o Microempreendedor Individual DASN - SIMEI

Manual. Declaração Anual Simplificada para o Microempreendedor Individual DASN - SIMEI Manual Declaração Anual Simplificada para o Microempreendedor Individual DASN - SIMEI Sumário DASN-SIMEI 1. Definições...2 2. Acesso à Declaração...3 3. Apresentação do Programa...3 4. Requisitos Tecnológicos...4

Leia mais

PLANO BRASIL MAIOR MEDIDAS TRIBUTÁRIAS

PLANO BRASIL MAIOR MEDIDAS TRIBUTÁRIAS PLANO BRASIL MAIOR MEDIDAS TRIBUTÁRIAS REINTEGRA Medida Incentivo fiscal à exportação. Beneficiados Pessoa jurídica produtora que efetue exportação direta ou indireta. Condições Exclusivo para bens manufaturados

Leia mais

DESONERAÇÃO DA FOLHA - CPRB - ATIVIDADES DO ART. 7º DA LEI Nº 12.546/11, ALTERADA PELA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 601/12

DESONERAÇÃO DA FOLHA - CPRB - ATIVIDADES DO ART. 7º DA LEI Nº 12.546/11, ALTERADA PELA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 601/12 DESONERAÇÃO DA FOLHA - CPRB - ATIVIDADES DO ART. 7º DA LEI Nº 12.546/11, ALTERADA PELA MEDIDA PROVISÓRIA Nº 601/12 Matéria elaborada com base na legislação vigente em: 16/01/2013. Sumário: 1 - Introdução

Leia mais

Nesta versão, foram disponibilizadas as alterações cadastrais relacionadas ao esocial.

Nesta versão, foram disponibilizadas as alterações cadastrais relacionadas ao esocial. LIBERAÇÃO DE ATUALIZAÇÃO CORDILHEIRA (Orientamos aos clientes que utilizam banco de dados SQL, para efetuarem a atualização preferencialmente após o encerramento das atividades do dia, acessando o sistema

Leia mais

Tutorial Simplificado E-contábil Módulo Escritório: Após logon com dados do escritório é apresentada a seguinte tela, referindo-se às boas vindas:

Tutorial Simplificado E-contábil Módulo Escritório: Após logon com dados do escritório é apresentada a seguinte tela, referindo-se às boas vindas: Tutorial Simplificado E-contábil Módulo Escritório: Após logon com dados do escritório é apresentada a seguinte tela, referindo-se às boas vindas: Note nesta tela o menu acima, os itens de comunicação

Leia mais

PREVIDÊNCIA SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL. Educação Previdenciária

PREVIDÊNCIA SOCIAL INSTITUTO NACIONAL DO SEGURO SOCIAL. Educação Previdenciária Todo(a) brasileiro(a), a partir de 16 anos de idade, pode filiar-se à Previdência Social e pagar mensalmente a contribuição para assegurar os seus direitos e a proteção à sua família. Vejamos com isso

Leia mais

RECIBO DE PAGAMENTO A AUTÔNOMO

RECIBO DE PAGAMENTO A AUTÔNOMO RECIBO DE PAGAMENTO A AUTÔNOMO Como contratar um serviço de Autônomo? O Autônomo é definido por duas formas: 1. Aquele que presta serviço em caráter eventual, em uma ou mais empresas sem relação de emprego;

Leia mais

APOSTILA PROVISÃO E CONTABILIZAÇÃO

APOSTILA PROVISÃO E CONTABILIZAÇÃO APOSTILA PROVISÃO E CONTABILIZAÇÃO ANO 2004 1 ÍNDICE 1 - Provisão de 13º Salário e Férias Preparando a Provisão 1.1 Cadastro de Provisão de férias 1.2 Cadastro de provisão de 13º Salário 1.3 Relatório

Leia mais

Fluxograma - Configuração EFD Contribuições (Lucro Presumido)

Fluxograma - Configuração EFD Contribuições (Lucro Presumido) Fluxograma - Configuração EFD Contribuições (Lucro Presumido) Parametrizar a empresa como Lucro Presumido. 1 - Regime de Competência Qual o Regime de apuração adotado? 2 - Regime de Caixa Qual será a forma

Leia mais